Você está na página 1de 5

GERENCIADOR DOS ATIVOS DE TECNOLOGIA DE

INFORMAÇÃO (TI): GLPI

Glaubson Eugênio ¹
Leeds Ponsoni ¹
Luiz Felipe de Oliveira ¹

RESUMO: O GLPI, software de gestão da área de informática, é uma solução web


Open-source completa para gestão de ativos/hardwares e suporte ao usuário (helpdesk).
O software é uma alternativa cibernética que permite o controle do parque de
computadores, monitores, impressoras e a parte de telefonia, como também a de
documentos e licenças de software. O presente artigo pretende explicar como os
usuários podem usufruir da ferramenta GLPI para solucionar problemas técnicos
internos.

PALAVRAS-CHAVE: GLPI. Ativos de Tecnologia da Informação (TI).

ABSTRACT: The GLPI, software of management of the computer science area, is a


complete Open-source solution web for asset management/hardwares and the user
supported (helpdesk). The Software is a cybernetics alternative that allows the control
of the park of computers, monitors, printers and the telephony part, as well as of
documents and the licenses of software. The present article intends to explain how the
users can usufruct of tool GLPI to solve internal technician problems.

KEY-WORDS: GLPI. Asset of technology of the information.

____________________________
¹ Glaubson Eugênio (glaubsoneugenio@hotmail.com) é graduando em Tecnologia em Rede de
Computadores pela Faculdade Guararapes.

¹ Leeds Ponsoni (leedsgb@gmail.com) é graduando em Tecnologia em Rede de Computadores pela


Faculdade Guararapes.

¹ Luiz Felipe de Oliveira (luizfelipe88@globo.com) é graduando em Tecnologia em Rede de


Computadores pela Faculdade Guararapes.
Introdução

O GLPI é um gerenciador dos ativos de Tecnologia da Informação (TI).


Desenvolvido em php e ajax com banco de dados MySQL, o software roda totalmente
na web, o que o torna multi-plataforma e dispensa qualquer instalação nas máquinas do
utilizadores. Seus usuários podem ser cadastrados com níveis de permição diferentes,
sendo uma das vantagens disso, a possibilidade de cadastro do usuário apenas como
"post-only" - usuários que apenas podem abrir chamados de helpdesk.

O sistema também é multi-linguagem e possui vários plugins que o tornam


ainda melhor, permitindo a comunicação com outros softwares como, por exemplo, o
OCS inventory. A ferramenta possibilita a otimização de auditorias, além de ser
confiável e segura. De maneira que, neste artigo interessa-nos aclarar como os usuários
podem, fazendo uso do software GLPI, solucionar problemas técnicos internos.

GLPI = Software Livre

O GLPI é um software livre e possui licença GNU GLP versão 2. Várias são as
possibilidades oferecidas pela ferramenta. O software oferece ao usuário a liberdade de
executar o programa da forma desejada, de estudar como o programa funciona e
modificá-lo (acesso ao código fonte). O utilizador pode também redistribuir cópias,
havendo a liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar as melhorias para o público e
tudo que estiver dentro da licença GLP.

Gestão de multi-entidades, de multi-usuários e de multi-línguas (22 idiomas


disponíveis) é uma das principais características do GLPI. A ferramenta possui vários
sistemas de autenticação (local, LDAP, AD, Pop / Imap, CAS, X509) e diversos
servidores, e há permissões e perfis de sistemas, além de cache, sistema de paginação e
módulo de pesquisa complexo.

O GLPI permite a exportação da base de dados para o formato XML. É possível


ainda guardar/módulo de restauração do banco de dados para o formato SQL e exportar
do sistema em PDF, CSV e SLK (planilha eletrônica).
Funcionalidade

O GLPI permite o usuário construir um banco de dados com um inventário de


sua empresa - computador, software, impressoras. A ferramenta possui funções
avançadas para tornar o cotidiano mais fácil para os administradores, como um sistema
de acompanhamento de trabalho, com notificação de email e métodos para construir um
banco de dados com informações básicas sobre a sua topologia de rede.

O software utiliza várias ferramentas. As principais delas são PHP, MYSQL


para o banco de dados, HTML para as páginas da Web, CSS para folhas de estilos e
XML para a geração de relatório. Embora a recomendação seja que o servidor navegue
pela Web Apache, o GLPI também funciona com o Internet Explore, XAMPP e
WAMP.

Exemplo de aplicação do GLPI

O GLPI, ferramenta disponibilizada gratuitamente na rede, permite ao usuário a


liberdade de executar o programa da forma desejada. O software, que é Open Source
(código aberto, que pode ser modificado, publicado por qualquer pessoa, dentro dos
padrões GNU), é um aplicativo dinâmico.

Histórico das ações de manutenção e dos procedimentos vinculados aos


usuários, e inventário preciso de todos os recursos técnicos, sendo tudo armazenado em
um bando de dados. Essas são as principais características funcionais do software. O
GLPI permite o controle dos chamados da empresa, verificando quais os chamados mais
incidentes, e possibilita um estudo do por que aqueles chamados ocorrem com mais
freqüência, elem de controlar e gerenciar os ativos de TI de uma empresa, otimizando o
processo de chamados.

Para ilustrar a função da ferramenta, podemos citar o exemplo de uma


determinada empresa que teve grandes problemas com um software que possui
atualização não compatível a sua. Sem o auxilio do GLPI, era necessário entrar em
contato com a empresa responsável e passar o código fonte. Com o software, basta criar
um script e lançá-lo na rede, que o mesmo executa o script em todas as estações.
Considerações Finais

Com o GLPI, o usuário tem um controle eficaz dos chamados que são abertos
constantemente. Sendo sempre os mesmos problemas, a GLPI controla todos os ativos
de TI de uma empresa, gerenciando-os de forma que otimize esses chamados que veem
ocorrendo com freqüência.
Desta maneira, o software livre GLPI é uma ótima alternativa de uso para
solucionar problemas de ordem técnicos internos.
Referências Bibliográficas

Em: < http://www.glpi-project.org/>. Acesso em 02 de dezembro de 2010.

Em: < http://www.thiagopassamani.com.br/glpi/o-que-e-glpi.html>. Acesso em 04 de


dezembro de 2010.

Em: <http://marcelorl.wordpress.com/2008/12/01/glpiocs-ng-no-debian/>. Acesso em


04 de dezembro de 2010.

Em: <http://br-linux.org/2008/gerenciando-recursos-de-ti-com-o-glpi/>. Acesso em 05


de dezembro de 2010.