Você está na página 1de 16

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – UERN

CAMPUS AVANÇADO DE ASSU


ORIENTAÇÃO TEÓRICO-METODOLÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II
CURSO DE HISTÓRIA
PROF. LUZIA LEILA VELEZ DE MIRANDA

GLÁUCIA PAULA DA SILVA

RELATÓRIO FINAL

ASSÚ – RIO GRANDE DO NORTE


2020
1

IDENTIFICAÇÃO

A Escola Municipal Professora Nair Fernandes Rodrigues está localizada na Avenida


Senador João Câmara, número 195, bairro Centro da cidade de Assú, estado do Rio Grande
do Norte. A referida escola atende crianças, adolescentes e jovens oriundos da zona urbana e
rural do município no âmbito do Ensino Fundamental, anos finais.
Por não possuir estrutura própria, a escola Municipal Professora Nair Fernandes
Rodrigues funciona atualmente no antigo Instituto Padre Ibiapina, prédio esse pertencente a
Diocese de Santa Lúzia Mossoró/Paróquia de São João Batista. A estrutura também funciona
como sede da Secretaria Municipal de Educação e Cultura da cidade do Assú/RN. A referida
instituição de ensino possui duas vias de acesso: a primeira seria pela Rua Dr. Fernando
Bustamante, rua essa onde se localiza a entrada principal da escola. A segunda via seria pela
Avenida Senador João Câmara, onde situa-se uma entrada secundária.

Inventário de bens culturais

Por se tratar de uma instituição de ensino localizada em um doa pontos mais


importantes da cidade (região central), nos arredores da escola podemos encontrar uma
diversidade de lojas, estabelecimentos e ambientes que podem ser considerados como parte da
história do município. Um desses ambientes é o Recanto do Sapateiro Santos Varela (Beco do
Sapateiro ou Beco do IPI), inaugurado na gestão do prefeito José Maria de Macêdo Medeiros
no dia 16/10/1999. Nesse local encontram-se pequenas lojas, um bar/restaurante, um salão de
beleza e os sapateiros que ali exercem sua profissão. O ambiente também foi utilizado para a
realização de eventos musicais voltados ao público jovem. Nas proximidades da escola
também está localizada a Praça Lissandra Nayara Souza da Cunha (Praça da Juventude). Essa
praça ganhou esse nome em homenagem à jovem Nayara que faleceu vítima de um acidente
automobilístico. Além desses ambientes podemos citar a Caixa Econômica Federal, a House's
Kids, a casa de jogo a Poderosa do Vale etc. Por último não podemos esquecer da pequena
capela que começou a ser construída no interior da escola na época em que o Instituto Padre
Ibiapina funciona como escola. Em razão das mudanças e do encerramento das atividades o
obra encontra-se paralisada.
O interior da escola também conta com uma quadra de esportes, relativamente,
espaçosa. Nesse local são realizadas as atividades esportivas com os alunos e algumas
2

comemorações da escola, contudo trata-se de uma quadra muito exposta à luz do sol, fato esse
que dificulta a realização de certas atividades em virtude do calor.

BREVE HISTÓRICO

A referida instituição foi inaugurada no dia 05/03/1997 no governo do então prefeito


José Maria de Macêdo Medeiros, na gestão da secretária de educação e cultura Maria Josélia
Soares Bezerra. Sua criação se deu em virtude da grande quantidade de alunos que não
contavam com o número necessário de escolas para atender suas necessidades no âmbito
educacional, sobretudo dos anos finais do ensino fundamental. Por não contar com uma
estrutura física própria, a solução encontrada foi alocar a escola no prédio do Instituto Padre
Ibiapina, na Avenida Senador João Câmara, número 195, bairro Centro. Atualmente conta
com o número de 911 alunos, oriundos, sobretudo, na zona rural e periférica da cidade de
Assú.
O nome “Escola Municipal Professora Nair Fernandes Rodrigues” foi uma
homenagem feita à professora primária, poetisa e compositora Nair Fernandes Rodrigues,
uma mulher negra que, ao contrário da maioria dos homenageados comuns na cidade, não
vinha das ditas “famílias tradicionais” do município. Hoje em dia, tal instituição se constitui
como uma das maiores no atendimento a alunas e alunos, na esfera do ensino público e sob
responsabilidade da Prefeitura Municipal. Sua importância para a comunidade reside,
sobretudo, no atendimento educacional a estudantes que, em sua maioria são oriundos de
famílias carentes.

ESTRUTURA FÍSICA E MATERIAL

A escola possui 15 salas de aula, em sua maioria, sem portas ou janela, sendo apenas
comungous nas paredes laterais das classes. As salas são espalhadas dentro do espaço
educacional sem blocos ou numeração de identificação, onde o único padrão de distinção são
as séries que se localizam nelas. O piso é rejuntado e as paredes não tem reboco em 5 salas.
São salas amplas, desconsiderando as salas que funcionam os 8º e 9º anos, que são pequenas
para o contingente de alunos. Com dois ou três ventiladores cada sala, e, em alguns casos, ar-
condicionado, havendo alguns em mau funcionamento e/ou sem a limpeza adequada, a
iluminação é precária deixa as salas escuras e as luzes estão queimadas ou não há. Algumas
3

salas são divididas do corredor por meias paredes captando todo o som das outras salas
vizinhas.
A Escola Municipal Professora Nair Fernandes Rodrigues, tem em sua estrutura física
da escola e dos recursos de apoio ao trabalho docente:
• Salas de Aulas
• Sala de diretoria e professores
• Biblioteca
• Cozinha
• Quadra de esporte (não coberta)
• Sala de vídeo
• Sala de supervisão
• Dispensas improvisadas
• Espaço de Alimentação
• Banheiros

 SALAS DE AULAS;

Na sala 01 onde funciona o 6º “1” ano é composta por 31 carteiras, 1 birô e 1 cadeira
do professor, 3 ventiladores de parede, 1 quadro branco, 1 lixeira (balde de margarina), 4
lâmpadas (funcionando apenas 3), 1 porta.
Na sala 02 onde funciona o 6º ano “2” foram identificadas 32 carteiras escolares, 1
birô e 1 cadeira para o professor, 1 quadro branco, 3 ventiladores de parede, 3 lâmpadas
(funcionando 2), 1porta.
Na sala 03 onde funciona o 6º ano “3” totalizamos 31 carteiras, 1 birô e 1 cadeira para
o professor, 1 quadro branco, 4 ventiladores (2 de tetos e 2 de parede), 4 lâmpadas todas
funcionando, não existia lixeira e também não havia porta.
Na sala 04, possui 33 carteiras, 1 birô e 1 cadeira do professor(a), 1quadro branco, 4
lâmpadas, 3 ventiladores (funcionando apenas 2), 1 lixeira.
Na sala 05, possui 31 carteiras, 4 ventiladores (2 de parede e 2 tetos), 1 lixo, 1 quadro
branco, 1 cadeira e 1 birô de professor(a), 4 lugares para lâmpada, só tinham 3 lâmpadas e
apenas uma funciona, sem porta.
Na sala 06, contem 30 carteiras, 2 ventiladores, 1 birô e 1 cadeira para professor(a), 1
quadro branco e 1 quadro negro desativado, 1 lixeira, 3 lâmpadas.
4

Na sala 07, funciona a sala do 7 ano “1”, com 32 cadeiras, 3 ventiladores com 6
lâmpadas, mas só 4 funcionando, e 1 quadro branco.
Na sala 08, do 7 ano “2”, são 35 cadeiras, 3 ventiladores, 1 quadro negro desativo e 1
quadro branco que se utiliza, e 5 lâmpadas.
Na sala 09, 7 anos “3” são 33 cadeiras, 3 ventiladores, 1 quadro branco e 4 lâmpadas
funcionando.
Na sala 10, 7 ano “4” possui 35 cadeiras, com 2 ventiladores, 1 quadro negro
desativado e 1 quadro branco e 5 cinco lâmpadas.
Sala do 8 ano “1”, são 34 cadeiras, 4 ventiladores, 1 quadro branco, 5 lâmpadas.
Na sala do 8 ano “2”, possui 35 cadeiras, 2 ventiladores, 1 quadro branco e 4
lâmpadas.
Sala do 8 ano “3”, contém 32 cadeiras, 2 ar-condicionado, 1 quadro branco, 4
lâmpadas.
Sala do 9 ano “1”, são 35 cadeiras, 3 ventiladores, 1 quadro branco, 4 lâmpadas.
Sala do 9 ano “2”, possui 30 cadeiras, 3 ventiladores, 1 quadro branco e 5 lâmpadas.

 ESPAÇOS DE FUNCIONAMENTO;
• Secretaria – sala climatizada com dois ar condicionado e na ausência de
janelas, há três comungou para auxiliar na iluminação da sala.
 8 Armários;
 7 birôs;
 1 cadeira tripla;
 7 cadeiras de escritório;
 1 gelágua
 1 mesa individual de estudo,
 lixeiras;
 6 computadores (todos funcionando, mas um esta sem mouse);
 1 quadro de avisos (com documentos perdidos anexados);
 impressoras;
 lâmpadas (ambas funcionando)
 Sala dos professores:
 4 armários com 4 compartimentos cada;
 1 mesa grande;
5

 apoio de mármore;
 1 ar condicionado;
 1 bebedouro de água
 25 cadeiras
 4 lâmpadas fluorescentes
 1 mural informativo.
 Sala de Informática/vídeo:
 11 computadores de mesa;
 1 TV;
 11 mesas de computador;
 12 cadeiras de ferro;
 2 cadeiras de rodinhas (uma delas quebrada);
 1 ventilador;
 1 ar condicionado
 1 quadro branco
 Sala da supervisão

 2 armários ( um com porta de ferro e o outro menor, de madeira);


 2 armários de arquivos;
 2 birôs;
 1 mesa de computador;
 1 prateleira de parede;
 1 mural informativo;
 3 cadeiras
 1 bebedouro de água;
 1 ar condicionado;
 3 caixas de som amplificadas;
 1 lâmpada.
 Dispensa improvisada

 Portas de madeira
 Tijolos;
 Cerâmicas;
 Carteiras quebradas;
6

 Carro de mão.

 Quadra:

 1 cesta de basquete
 2 traves de futebol
 Espaço de alimentação
 4 mesas compridas de madeira e ferro;
 9 bancos compridos de madeira e ferro;
 3 bancos coletivos de azulejos
 1 bebedouro coletivo
 Sala para guardar material de limpeza e de educação física
 Cozinha
 1 pia;
 1 armário completo;
 1 armário simples;
 2 liquidificadores (1 industrial e 1 normalmente);
 2 micro-ondas;
 1 ventilador de parede e 1 de pé;
 2 mesas;
 4 fogões;
 1 geladeira;
 2 freezers;
 1 bebedouro.
 Banheiro individual feminino para funcionários
 1 sanitário;
 1 pia;
 1 espelho.
 Banheiro individual masculino para funcionários
 1 sanitário;
 1 pia;
 1 espelho.
 Dispensa
7

 bebedouros (2 danificados e 1 novo);


 1 freezer.

Conclusão: Nesta analise da estrutura escolar do Nair Fernandes, foi observado que a escola
além não possuir seu lugar fixo, acaba não possuindo uma história patrimonial sobre sua
trajetória e construção. O local que, atualmente funciona a Nair Fernandes, na qual utiliza
para o ensino dos alunos se encontra em situações precárias e que demanda atenção para o
local utilizado. Como visto no ambiente escolar, alguns banheiros não funciona corretamente,
principalmente o que são utilizados pelos alunos, onde não há a higiene adequada, nem portas,
pia, e nem escalação de luz elétrica.

HISTÓRICO DOS ALUNOS

As informações solicitadas primeiramente de forma verbal e após isso de forma oficial


por meio de ofício encaminhado a Supervisão da Escola Municipal Professora Nair Fernandes
Rodrigues foram relacionadas ao quadro de matrículas do ano de 2020, bem como o
quantitativo de alunos separados por turma, gênero e por zonas Rural e Urbana. Até o dia 12
de março esperamos as informações, na qual obtivemos somente o quantitativo de alunos por
turno, turma e por gênero, sem conter as informações relacionadas as zonas rural e urbana
solicitadas anteriormente. Deste modo ficamos impossibilitados de apresentar integralmente
as informações mencionadas acima.
A Escola já mencionada acima, conta com aulas no período diurno, isto é,
matutino e vespertino. Contemplando 918 alunos das zonas rural e urbana, sendo 518 alunos
no período da manhã e 500 no período da tarde, comtemplando as faixas-etária entre 11 e 14
anos e alguns repetentes com idade mais avançada em relação a turma em que estuda. Assim,
a escola trabalha com turmas do Ensino Fundamental II do 6º (sexto) ao 9º (nono) ano.
Turno: vespertino
Número de turmas: 12
ANO/SÉRIE TURMA MASCULINO FEMININO QUANTIDADE
6º ano 01 27 11 38
6º ano 02 19 21 38
6º ano 03 25 14 38
114
- -
7º ano 01 20 14 34
8

7º ano 02 23 11 34
7º ano 03 12 21 33
7º ano 04 13 22 35
136
- -
8º ano 01 19 14 32
8º ano 02 21 11 30
8º ano 03 15 19 33
95
- -
9º ano 01 10 17 28
9º ano 02 20 07 27
55
TOTAL - 400

Turno: matutino
Número de turmas: 17
ANO/SÉRIE TURMA MASCULINO FEMININO QUANTIDADE
6º ano 01 18 17 35
6º ano 02 21 12 33
6º ano 03 18 15 33
6º ano 04 20 17 37
6º ano 05 20 09 29
97 70 167
- - - -
7º ano 01 15 18 33
7º ano 02 23 10 33
7º ano 03 15 19 34
7º ano 04 12 21 33
65 68 133
- - - -
8º ano 01 09 17 26
9

8º ano 02 19 08 27
8º ano 03 13 13 26
8º ano 04 13 15 28
54 53 107
- - - -
9º ano 01 16 12 28
9º ano 02 13 15 28
9º ano 03 19 08 27
9º ano 04 17 11 28
65 46 111
TOTAL - 281 237 518

Segue abaixo a tabela detalhada contendo a lista de Componentes Curriculares e o


quantitativo de aulas semanais e mensais de cada Componentes por turma, (dica: Analisar o
Projeto Político Pedagógico – PPP que recebemos da escola e fazer comparativo com a base
comum curricular).
TURNOS: Matutino e Vespertino

Nº COMPONENTE Q. Q. 1234
CURRICULAR AULAS SEMANAIS AULAS MENSAIS
1 Língua Portuguesa 4 16 e/ou 20
2 Matemática 4 16 e/ou 20
3 Ciência 4 16 e/ou 20
4 História 3 12 e/ou 15
5 Geografia 3 12 e/ou 15
6 Artes 3 08 e/ou 10
7 Língua Inglesa 3 08 e/ou 10
8 Religião 1 04 e/ou 05
9 Educação Física 1 04 e/ou 05
10

HORÁRIOS DAS AULAS: MANHÃ

HORÁRIOS DAS AULAS: TARDE


11

PERCURSO DE AÇÃO

Este relatório tem a finalidade de registrar a experiência no período em que


experimentei na prática o que tenho visto em sala. Com isso pretendo mostrar as atividades
que foram desenvolvidas, a delimitação do local onde foi realizado o estágio, e o período de
duração. O estagio é uma oportunidade essencial no processo de formação profissional, onde
o estagiário tem a chance de aperfeiçoar seus conhecimentos. Este estágio de observação foi
realizado em especialmente na disciplina de História do ensino fundamental II e tem como
finalidade descrever a pratica do ensino-aprendizagem e a vivência. Foi observados pontos
como didática, infraestrutura da escola e da sala de aula, material utilizado, comportamento
dos alunos, tudo que esta relacionado ao processo de ensino-aprendizagem.

O estagio na escola teve inicio no dia 03.03.2020, de inicio já não fui bem
recepcionada pelo coordenador do turno vespertino, mas os demais funcionários se mostram
bem receptivos, em especial os professores de História do 7º e 9º anos, que foram os
professores que observei no período do estágio. Segundo o professor 1 sua metodologia de
ensino consiste em os alunos leem o assunto, copiarem, elaborar algumas questões em seguida
o professor passa o visto, somente depois ele explica o assunto. É notório a falta de atenção
dos alunos com esse tipo de metodologia aplicada, os alunos não conseguem se concentrar,
pois não existe um estímulo por parte do professor sempre ficando a aula de história
monótona e cansativa.

No momento em que o P¹ se dispôs a explicar o assunto para os alunos do 7º ano


que falava sobre Idade Moderna, na realidade ele somente fez uma leitura do texto que se
encontrava no livro didático, deixado cada vez mais os alunos desinteressados pelas aulas de
história, sempre conversando e somente preocupados em ganhar o visto do professor no
caderno, e o professor em nenhum momento se mostra preocupado com o aprendizado dos
alunos, ele só quer cumprir sua carga horária e não esta nenhum pouco preocupado com o
rendimento dos alunos. Consegui perceber que em certas ocasiões o professor tem mudanças
em seu comportamento quando estamos em sala observando, sempre querendo impor respeito,
sempre querendo passar autoridade com os alunos.
12

Com isso identificamos que no decorrer das aulas existe muita conversa paralela
entre os alunos, eles são bastante agitados eles não conseguem se envolver na aula, devido
não haver uma boa metodologia que prenda atenção deles. Todas as aulas que observei
sempre seguiram esse mesmo formato, sendo que o período que estive observando em sala de
aula no 7º ano, todas as aulas foram sobre o mesmo tema, somente enrolação.

Em um segundo momento do estágio estive observando as aulas do 8º ano que


eram ministradas pela professora 2 que me recebeu super bem, todo momento sendo gentil e
simpática com os estagiários que passaram pela sua sala de aula. De início ela pediu para que
apresentássemos para a turma que falamos qual o nosso objetivo de estar naquele estágio. A
P² iniciou sua aula falando sobre Patrimônio histórico cultural, de que forma os alunos
precisam preservar a estrutura da escola, quando questionou os alunos sobre o que eles sabiam
sobre o tema que estava sendo discutido em sala, um ou dois alunos conseguiram falar sobre
alguma coisa. Logo depois da P² ter discutido superficialmente sobre o tema Patrimônio, ela
já elaborou algumas questões relacionadas ao tema da aula anterior que tinha sido sobre
“impostos” pediu que os alunos copiassem e respondessem que na próxima aula iria corrigir.

Dando sequencia a sua aula a P² iniciou uma discursão sobre o dia 08 de março
que esta relacionada ao dia internacional da mulher, a principio ela fez alguns
questionamentos até pertinentes com relação à figura da mulher, no decorrer do seu discurso
houve algumas falas de cunho machista, foi possível perceber que enquanto a professora
falava sobre as lutas das mulheres alguns alunos faziam piadas com a figura da mulher. Toda
essa situação me fez refletir de como nos dias de hoje o machismo ainda se encontra muito
presente em todos os lugares, pois ainda ouvir esse tipo de discurso de uma professora dentro
da sala de aula, professora essa que tem quase 30 anos em sala de aula ainda pensar dessa
forma tão machista, e levar esse discurso preconceituoso para seus alunos. Mesmo diante de
tantas lutas que as mulheres enfrentam os movimentos, os espaços conquistados, ainda existe
um preconceito enorme que é vivido por todas as mulheres diariamente.

Na aula seguinte a P² iniciou sua aula abordando o assunto Revolução, fazendo


uma breve explanação de como a humanidade foi marcada pela revolução, o avanço
tecnológico, sobre as mudanças repentinas na organização estrutural da sociedade. No meio
da aula os alunos foram saindo em grupos para receber os livros didáticos, ao receberem seus
13

livros percebemos que alguns alunos não teve nenhum cuidado com os livros novos que tinha
acabado de receberem, já chegaram jogando os livros sobre as mesas, sem cuidado algum. Foi
preciso a professora interferir com os alunos orientados sobre os cuidados necessários que
eles devem ter com os livros, pois no ano seguinte os livros vão ser repassados para outros
alunos, e comunicou aos alunos que eles só irão renovar a matricula no final do ano se
devolver os livros, pois foi uma forma que a escola encontrou para ter os livros de volta no
final do ano, depois de todas as recomendações feitas com relação ao uso dos livros, em
seguida a professora deu continuidade a sua aula elaborando seis questões referentes ao
assunto que estava sendo discutido na sala sobre Revolução, na sequencia pediu que os alunos
respondessem que no final passaria o visto no caderno, logo em seguida o horário da aula
terminou, ficando o assunto e as correções no caderno para ser finalizados na próxima aula.

Assim sendo no período em que estive na escola Nair Fernandes cumprindo meu
estágio de observação pude constatar toda a estrutura física da escola, o comportamento dos
alunos, a metodologia aplicada pelos professores, à convivência entre eles. As salas de aulas
são pequenas, quentes o que dificulta o aprendizado dos alunos. Observei que a turma do 7º
ano eles são mais inquietos, não se concentram muito se dispersando constantemente, sendo
mais trabalhoso manter a atenção de todos. Os alunos do 8º ano, por mais que existam
dificuldades no aprendizado por alguns alunos, na maioria são mais obedientes e atentos à
aula, é mais tranquilo para lecionar.

Diante dos acontecimentos dos últimos dias, sobre o coronavírus (COVID-19) que
assolou o mundo inteiro, causando varias mortes na China, Itália e em outros países, aqui no
Brasil estão sendo tomadas medidas emergenciais de prevenção, para evitar que o vírus se
espalhe em proporções maiores, o governo decretou que escolas fossem fechadas, todo e
qualquer lugar que acolha grupo de pessoas, evitar aglomerações, que toda a população fique
em quarentena, evitar sair de casa o máximo possível. Dessa forma não foi possível concluir o
estagio que ainda faltava algumas horas, nem ser realizada a intervenção que levaríamos para
os alunos da escola Nair Fernandes, mas, o período que estive na escola foi muito importante
para o meu aprendizado.
14

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O estágio de observação das aulas foi muito satisfatório para experimentar na


prática a relação entre aluno, professor e escola. Presenciei como é o desenvolvimento escolar
e a relação com os alunos nos distintos espaços entre uma sala e outra onde se pratica o
estágio. É importante especificar de como somos capazes de aprender, de praticar o oficio de
educador, mediante a observação, do desempenho de outros profissionais.

Portanto nesse período de estar em sala de aula foi muito significativo para
entender de que forma temos que comportar se em um primeiro momento, observando as
experiências dos alunos e o cotidiano da sala de aula, com todas as dificuldades que
apresentam. Realizar o estágio foi muito satisfatório, uma experiência memorável, sem duvida
o aprendizado que levarei por toda vida. Essa experiência contribuiu bastante para o meu
desenvolvimento profissional e pessoal.
15

ANEXOS
SALA DOS PROFESSORES