Você está na página 1de 82

Convecção – Capítulo 2

Cristiana Brasil Maia


1o Semestre/2020
Capítulo 2: Escoamento laminar em
uma camada limite
Questões básicas:
Qual a força líquida exercida pela corrente de fluido
sobre o objeto?
L
F =  Wdx
0

Qual a resistência à transferência de calor entre o objeto e


a corrente de fluido?
L
q =  q" Wdx
0
2
Capítulo 2: Escoamento laminar em
uma camada limite
L
 u 
F =  Wdx  =  
0  y  y =0


Cf =
1 / 2U 2

(u / y )y =0
Cf =
1 / 2U 2

1
Cf = 
A AS
C f dA
3
Capítulo 2: Escoamento laminar em
uma camada limite
L
q =  q" Wdx q" = h(To − T )
0

 T 
q" = −k 
 y  y =0

− k T 
 y  y =0
h=
To − T

1
h= 
A AS
hdA
4
Equações de conservação na camada
limite

• Escoamento bidimensional,

• Incompressível,

• Regime permanente,

• Propriedades constantes

5
Equações de conservação na camada
limite
u v
+ =0
x y

u u 1 P   2u  2u 
u +v =− +  2 + 2 
x y  x  x y 

v v 1 P  2v 2v 
u +v =− +  2 + 2 
x y  y  x y 

T T   2T  2T 
u +v =  2 + 2 
x y  x y 

6
Equações de conservação na camada
limite
• Paredes sólidas:

u = 0, v = 0, T = To.

• Suficientemente afastado das fronteiras sólidas,

u = U v=0 T = T

7
Formulação da camada limite em
termos da função corrente 
 
u= e v=−
y x

u u 1 P   2u  2u 
u +v =− +  2 + 2 
x y  x  x y 

v v 1 P  2v 2v 
u +v =− +  2 + 2 
x y  y  x y 

T T   2T  2T 
u +v =  2 + 2 
x y  x y 
8
Formulação da camada limite em
termos da função corrente 
 
u= e v=−
y x

u u 1 P   2u  2u 
u +v =− +  2 + 2 
x y  x  x y 

u      2   2 u   u     2    3
=   = =  =   = 2
x x  y  xy x 2
x  x  x  xy  x y

u        2 u   u     2    3 
=   =  2  = 3
2
=  = y y  y  y  y  y
y y  y  y 2
2

  2    2  1 P   3  3 
. − . 2 =− +  2 + 3 
y xy x y  x  x y y  9
Formulação da camada limite em
termos da função corrente 

  2    2  1 P   3  3 
. − . 2 =− +  2 + 3 
y xy x y  x  x y y 

   2      2   1 P   3  3 
−  2  +   = − −  3 + 2 
y  x  x  yx   y  x y x 

 T  T   2T  2T 
− =  2 + 2 
y x x y  x y 

10
Formulação da camada limite em
termos da função corrente 
• Exercício: deduzir as equações anteriores a partir de:

v v 1 P  2v 2v 
u +v =− +  2 + 2 
x y  y  x y 

T T   2T  2T 
u +v =  2 + 2 
x y  x y 

• Não precisa entregar.

11
O conceito de camada limite

12
O conceito de camada limite

• Camada limite hidrodinâmica


u = 0,99 U 

• Camada limite térmica


T − To
= 0,99
T − To

13
O conceito de camada limite

• Desenvolvimento das 2 camadas limite

 c p
• Pr = = Razão entre difusividades
 k

• Gases: Pr  1   t

• Metais líquidos: Pr<<1    t

• Óleos: Pr>>1    t
14
O conceito de camada limite

Corrente livre

u = U

v=0

P = P

T = T

15
O conceito de camada limite
Em um espaço de altura  e comprimento L:
x~L y~ u ~ U

u u 1 P    2 u  2 u 
u +v =− +  2 + 2 
x y  x   x y 
U U
Forças de inércia: U  ,v
L 

Forças de pressão: P
L
 U  U
Forças de atrito: ,
 L  2
2 16
Simplificações para a camada limite
  L

2u 2u 2v 2v


 2  2
x 2
y x 2
y

u u 1 P   2 u
u +v =− +
x y  x  y 2

v v 1 P   2 v
u +v =− +
x y  y  y 2

17
Efeito do gradiente de pressão
P P
dP = dx + dy
x y

dP P P dy
= +
dx x y dx

• Das equações do movimento,


P U  P v
~ 2 ~ 2
x  y 

(P y )(dy dx )
~
(v  )( L) ~
2
v
P x U   2 UL
18
Efeito do gradiente de pressão

• Mas, da equação da massa,


U v 
~ v ~ U
L  L

• Assim,
(P y)(dy dx) ~ v   
~  U 

2

~    1
P x U L  L  U L  L 
dP P P dP
= =
dx x x dx

u u 1 dP   2 u
u +v =− +
x y  dx  y 2 19
Simplificações para a camada limite
T T   2T  2T 
u +v =  2 + 2 
x y  x y 

T T T
u ~v ~ U
x y L

 2T   T  1 T T
 2 =  ~ ~ 2
x x  x  L L L
 2T   T  1 T T
 2 =    ~  ~ 2
y y  y    

T T  2T
u +v = 2
x y y
20
Simplificações para a camada limite
u v
+ =0
x y

u u 1 dP   2 u
u +v =− +
x y  dx  y 2

T T  2T
u +v = 2
x y y

21
Simplificações para a camada limite

  2   2 1 P   3
. − . 2 =− +
y xy x y  x  y3

 T  T  2T
− = 2
y x x y y

22
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
  t ~
U

• Trabalhando-se com dP = 0


dx
u u   u
2
u +v =
x y  y 2
U 2 vU 
• Forças: Inércia: ,
L 

 U
Atrito:
 2

23
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
U 2  U 
~
L  2
1/ 2
 L 
1/ 2
    
 ~   ~   ~ Re −L1 / 2
 U   L  U  L  L

U U L U L U
~ ~   ~   ~   Re1L/ 2
  L L  L

 ~ U 2 Re −L1 / 2


Cf = ~ Re −L1 / 2
1 / 2U 
2

24
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
− k T 
 y  y =0 k (T  t ) k
h= h~ ~
To − T T t

T = To − T

T T  2T
u +v = 2
x y y

T T T
u ,v ~ 2
L t t
25
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
• 1ª Condição:    t u ~ U

T T T
u ~ U ~ 2
L L t
t
~ Pe −L1 / 2 ~ Pr −1 / 2 Re −L1 / 2
L
UL
Pe L =

• Como
 t t
~ Re −L1 / 2 ~ Pr −1 / 2 Re −L1 / 2 ~ Pr −1 / 2  1
L L 
26
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
k k
h~ ~ Pr 1 / 2 Re 1L/ 2 Pr  1
t L

hL
Nu =
k

Nu ~ Pr1 / 2 Re1L/ 2

27
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
 t 
• 2ª Condição:    t u ~  U 

T T T
u ,v ~ 2
L t t

• Exercício:
t
~ Pr −1 / 3

t
~ Pr −1 / 3 Re −L1 / 2
L

Pr 1 / 3  1 28
Espessuras das camadas limite
hidrodinâmica e térmica
k k
h~ ~ Pr 1 / 3 Re 1L/ 2 Pr  1
t L

hL
Nu =
k

Nu ~ Pr1 / 3 Re1L/ 2

29
Soluções na forma integral
 ~ U 2 Re −L1 / 2

h~
k k
~ Pr 1 / 2 Re 1L/ 2 (Pr  1)
t L

h~
k k 1/ 3 1/ 2
~ Pr Re L
(Pr  1)
t L
L
1
=  hdx
L
1 h 0− L
 0− L =
L0 dx L0

(u y )y=0
(T y)y=0
30
Soluções na forma integral
Não é necessário conhecer os perfis de velocidade e
temperatura, apenas o gradiente na parede (y = 0).

 u 
 =   (u y )y=0
 y  y =0

 T 
q" = −k  (T y)y=0
 y  y =0

Simplificação das equações da camada limite,


eliminando-se y como variável: Integração das equações
de 0 a Y, onde Y é a maior espessura das camadas limite. 31
32
Soluções na forma integral
u u 1 dP   2 u
u +v =− +
x y  dx  y 2

T T  2T
u +v = 2
x y y
u v
+ =0
x y

( )
 u 2 (uv )
+ =−
1 dP   2 u
+
x y  dx  y 2

(uT )  (vT )  2T
+ = 2
x y y
33
Soluções na forma integral
( )
 u 2 (uv )
+ =−
1 dP   2 u
+
x y  dx  y 2

(uT )  (vT )  2T
+ = 2
x y y

• Y: maior espessura das camadas limite

1 dP   u    u 
Y
d
 u dy + u Y v Y − u 0 v 0 = − Y +   −  
2

dx 0  dx   y  Y   y 0

d
Y
 T   T 

dx 0
uTdy + v T
Y Y − v T
0 0 =
 

 y  Y
−  
 y  0
34
Soluções na forma integral
( y)Y = 0 u Y = U TY = T v0 = 0

1 dP   u 
Y
d
 + = − −  
2
u dy U v
 Y Y
dx 0  dx   y 0

d
Y
 T 

dx 0
uTdy + v Y T = −  
 y  0

35
Soluções na forma integral
u v
+ =0
x y
Y
d

dx 0
udy + v Y − v 0 = 0

Y
d
vY = v0 − 
dx 0
udy

Y
d
v Y = −  udy
dx 0

36
Soluções na forma integral
d
Y
 d Y  1 dP   u 
 u dy + U  −  udy  = − Y −  
2

dx 0  dx 0   dx   y  0

d
Y
 d Y   T 

dx 0
uTdy + T − 
 dx 0
udy 

= −   
 y  0

1 dP   u 
Y
d
 u (U  − u )dy = Y +  
dx 0  dx   y 0

Y
 T 
u (T − T )dy = 
d

dx 0  y  0
37
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
u = U  m( n ) 0  n 1

u = U 1 n

y
n=

dP
=0
dx

38
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
  u 
Y
d
 u (U  − u )dy =   u = U  m( n )
dx 0   y 0

u dm dn
= U
y dn dy
dn 1
n=
y dy = dn =
 dy 

u U  dm y = 0, n = 0
=
y  dn y = , n = 1

 U   dm 
1
d
( )
dx 0
U  m U  − U  m dn =  
   dn  n =0
39
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
 U   dm 
1
U 2
d
 m(1 − m )dn =  
dx 0    dn  n =0

d   dm 
1
  m(1 − m )dn =  
dx 0 U   dn  n =0

  dm 
  d
U   dn  n =0  =c
c= 1 dx
 m(1 − m)dn
0

2 2
d = cdx = cx + c1 = cx
2 2
 = 2cx 40
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
  dm 
 
U   dn  n =0
 = 2cx  2 = 2x 1

 m(1 − m )dn
0

 dm 
2  x 2
 dn  n =0 2 = a1
a12 = 1 U 
 m(1 − m )dn
0

x x x 2 2
a1 
2 = a12 = = a 1 Re −x1 / 2
U  x Re x x

41
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
 u  Y
  u 
u (U  − u )dy =  
d
 w =  
 y  y =0

dx 0   y 0

 u  Y
  =   u (U  − u )dy
d
 y  0 dx 0

u = U  m( n )

 u  Y
  =   U  m(U  − U  m )dn
d
 y  0 dx 0

 u  2 d
1
  = U   m(1 − m )dn
 y  0 dx 0
42
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
d 1 −1 / 2
 = 2cx = 2c x
dx 2
  dm 
 
 u  1
U   dn  n =0
m(1 − m )dn
2c
1/ 2 
  = U 2 c=
 y  0
1
2x 0
1/ 2
 m(1 − m)dn
0
 2  dm  
   
 u  U  U  dn  n =0 
2 1
  = 1/2  1 
 y 0 2x  m(1 − m )dn 
  m(1 − m)dn
 
0

 0 
1/ 2
 u  U  2  dm  
2 1
  = 

   . m(1 − m )dn 
 y  0 2 x  U   dn  n =0 0
1/ 2
 43
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
1/ 2 1/ 2
 u  U 2
     dm  1 
  dn  . m(1 − m )dn 
  = 
   2 
 y  0 2x 
1/ 2
 
U  n =0 0 

1/ 2 1/ 2
 u  U 2      dm  1 
  =  
  dn  
 2 . m (1 − m )dn 

 y  0 2  U  x   n =0 0 
1/ 2
 u  U   dm  1 
 . m(1 − m )dn 
2
  = Re −x1/ 2 a 2
 a 2 =  2
 y  0 2   dn  n =0 0 

w (u / y )0 −1 / 2
C f ,x = = = a Re C f ,x = a 2 Re −x1 / 2
1 / 2U 2 1 / 2U 2
2 x

44
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
1 dP   u 
Y
u (U  − u )dy = Y
d

dx 0
+  
 dx   y 0

u = U  m( n )

 dm 
 2 
= a 1 Re −x1 / 2  dn  n =0
a12 =
x 1

 m(1 − m )dn
0

1/ 2
  dm  1 
C f ,x = a 2 Re −x1 / 2 
a 2 =  2  . m(1 − m )dn 
  dn  n =0 0 

~ Re −L1 / 2 Cf ~ Re−L1/ 2 45
L
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
m=n
 dm 
  =1
 dn  n =0

 n2 n3  1 1 1
 m(1 − m)dn =  n(1 − n )dn =  ( )
1 1 1
n − n dn =  −  = − =
2

0 0 0  2 3  2 3 6
1/ 2 1/ 2
 2 .1   2.1  1
a1 =   = 12 a2 =   =
 1 / 6   6  3

  Re1x/ 2
= 12 Re −x1/ 2 = 12 = 3,46
x x

1 −1 / 2 1
C f ,x = Re x C f , x Re 1x/ 2 = = 0,577
3 3 46
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão

47
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
Exercício: Obter as expressões para  / x e C f ,x

para o perfil:

m=
n
2
(3 − n2 )

48
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
To − T = (To − T )m(p) 0  p 1
T = T p 1

y t
p= =
t 

Y
 T 
d
 u (T − T )dy =  
dx 0  y 0

49
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
 t   (Pr  1)
Y
 T 
d
 u (T − T )dy = 
dx 0  y  0

To − T = (To − T )m(p) T = To − (To − T )m(p)

 T   dm  dp
  = −(To − T ) 
 y  y =0  dp  p =0 dy

dy =  t dp y=0 p=0
y = t p = 1
 T 
  = − o
(T − T )  dm 
 dp 
 y  y =0 t   p =0 50
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
 t  
Y
d  t 

d
( ) ( ) ( )
dx 0 dx 0 t
u T − T dy = u T − T dy + u T − T dy
   

d  t
( )

( )  =  T 
dx  0 t 
u T − T dy + u T − T dy  y 
   0

d  t
( )  =  T 
dx  0
u T − T dy  y 
   0
u = U  m( n )
y t t
n=
y p= = n=p = p
 t  
u = U  m(p) 51
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
d  t
( )( )  =  T 
dx  0
U m p  T − T dy  y 
    0

T = To − (To − T )m(p) T − T = T − To − (To − T )m(p)

T − T = (T − To )1 − m(p)


 T 
d  t
  ( )( )  
U  m p T − To 1 − m(p) dy =  

dx  0
 y  0

d  t
( )( )   =  T − To  dm 
dx  0
U m p T − T 1 − m ( p )  dp    
  o t 
 t  dp  p =0

U  (T − To )
d t  1
( )   =  T − To  dm 
dx  0
m p 1 − m ( p ) dp    

 t  dp  p =0 52
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
 1 m(p )1 − m(p)dp
d  0 
Ut t  =
dx  dm 
 
 dp  p =0

 dm   dm 
   
d t   dp  p =0   dp  p =0
t = = a3 a3 =
dx U   m(p )1 − m(p)dp U 
1

 0
 1 m(p )1 − m(p)dp
  0 


 t d t = a 3 dx
U

 2t   2t   2t =
2
= a 3 x + c1 = a 3x U
a 3x
2 U 2 U 53
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
t  2t =  2 2
=

2 2
 a x a 12 x 2 2
= a 1 Re −x1 / 2 2 = 1  =
2
t 
x Re x Re x
2 a 12 x 2 2 2
 =
2
t a 3x  = a 3x
U Re x U

2a 3 U x 2 Ux U x
= = Pe x =
(a 1 )2 x Re x  Re x 

2a 3
2a 3 U x 2 Pe x = Pr
= =
(a1 ) x Re x Re x
2
= Pr (a 1 ) 2

54
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
Y
 T 
d
( )
dx 0
u T − T dy = 
 y  0

 t  

u = U  m( n ) T = To − (To − T )m(p)

 dm 
2  
 2t = a 3x  dp  p =0
U a3 =
 1 m(p )1 − m(p)dp
 0 
2a 3
= Pr t
(a 1 ) 2
m=p  = Pr −1 / 3
=
 55
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
m=p m=n

Exercício:

 = Pr −1 / 3
t
= Pr −1/ 3

t
= 3,46 Re −x1 / 2 Pr −1 / 3
x

56
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de pressão
m=p m=n

k
h=
t
t
= 3,46 Re −x1 / 2 Pr −1 / 3
x

k k 0.289
h= =
3,46 Re −x1 / 2 Pr −1 / 3 x x Re −x1 / 2 Pr −1 / 3

hx x k
Nu = = 0.289 Re 1x/ 2 Pr 1 / 3 Nu = 0.289 Pr1 / 3 Re1x/ 2
k kx
57
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de
pressão
m=
p
2
(
3 − p2 )

t
= = 0,977 Pr −1 / 3

k 1/ 3 1/ 2
h = 0,323 Pr Re x
x
hx
Nu = = 0,323 Pr 1 / 3 Re 1x/ 2
k

58
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de
pressão
(Pr  1)
 dm 
2 
 dp  p =0
m(p )1 − m(p)dp +  1 − m(p)dp
1/  1

(a  ) 
Pr = 2 0 1/ 
1

m=p m=n
 t
 = t = (3 Pr )
−1 / 2 = 2 Pr −1 / 2 Re −x1 / 2
 x

k 1 k 1/ 2 1/ 2
h= = Pr Re x
t 2 x
hx 1 1 / 2 1 / 2
Nu = = Pr Re x
59
k 2
Soluções na forma integral:
Perfil uniforme, sem grad. de
pressão

60
Soluções por similaridade
• Descrevem os perfis de velocidade e temperatura na
camada limite;

• Os perfis são similares em diferentes posições x.

• y = 0, u = 0

• y = , u = U

61
Soluções por similaridade
• Escoamento bidimensional, permanente,
incompressível, com gradiente de pressão nulo:
u v
+ =0
x y

u u   2 u
u +v =
x y  y 2

y = 0, u = 0, v = 0,

y → , u → U 
62
Soluções por similaridade
y
u
= f ' () 
U (x )

−1 / 2 1/ 2 1/ 2
 U x      x 
 ~ x Re −x1/ 2 ~ x   ~ x  ~  
    U  x   U  

y y U  y 1/ 2
 = = y = Re x
(x )  x  1/ 2
x x
 
 U  

63
Soluções por similaridade
 
u= v=−
y x

u u   2 u
u +v =
x y  y 2

                
  −   =   
y x  y  x y  y   y  y  y 

  2    2    3
− =
y xy x y 2
 y3

y=0 =0 =0
y

y → , → U
y 64
Soluções por similaridade

= f ' ()
u
u=
U y
  f y
= f ' ()U  = U
y y y 

U  y x
=y =
x  U 

 f x f U x
= U =
y y U  y 

U  x
 = f ()

65
Soluções por similaridade

v=−
x
U  x
 = f ()

   U x  U x   
=  f ( ) = f () + f ()   U x 
x x     x x   

 U x f   1 U x 
= + f () 
x   x  2  
U 
=y
x

 1 U  1 y U  1
=− y = − = −
x 2 x 3 2 x x 2x 66
Soluções por similaridade
 U  f  1    1 U   U  f  1   1 U  
= −  + f () =  −   + f () 
x x   2 x   2  x  x   2   2  x 

 1 U    f 
= − 
x 2 x   
f

 1 U   f  1 U 
v=− =  − = (f '−f )
x 2 x    2 x
f

67
Soluções por similaridade
Demonstra-se que:
u U  d 2f
=− 
x 2x d 2

u U  d 2f
= U
y x d 2

 2 u U 2 d 3 f
=
y 2
x d3

68
Soluções por similaridade
u u 2u
u +v = 2
x y y

2f ' ' '+ff ' ' = 0

 = 0, f = f ' = 0
 → , f ' → 1

69
Soluções por similaridade
• Equações diferenciais parciais de segunda ordem:
uma equação diferencial não linear de terceira
ordem, que não pode ser resolvida em uma forma
fechada.
2f ' ' '+ff ' ' = 0

• Blasius resolveu esta equação usando uma


expansão em série exponencial em torno de  = 0 ,
combinada com uma expansão assintótica para  → 

• Valores numéricos: Runge-Kutta de quarta ordem.


70
Soluções por similaridade

71
Soluções por similaridade
u = 0,99 U 

 = 4,92.

y 1/ 2
= Re x
x


= 4,92 Re −x1 / 2
x

72
Soluções por similaridade

= 4,92 Re −x1 / 2
x

Comparação com a solução integral:

m=n 
= 3,46 Re −x1 / 2
x

n
(
m = 3 − n2
2
) x
= 4,64 Re −x1 / 2

 n  
m = sen   = 4,8 Re −x1 / 2
 2  x
73
Espessuras de deslocamento e de
quantidade de movimento
• Forças viscosas: retardam o escoamento.
Decréscimo de vazão devido às forças viscosas:

 (U
0
 − u )wdy

• Espessura de deslocamento: Distância que a


fronteira sólida deveria ser deslocada em um
escoamento sem atrito para fornecer o mesmo déficit
de vazão que existe na camada limite.

U   * w =  (U  − u )wdy
0 74
Espessuras de deslocamento e de
quantidade de movimento

U   * w =  (U  − u )wdy
0

• Para escoamento incompressível:



 u 

* = 1 −
0
dy
U 


 u 
* =  1 − dy
0 
U

75
Espessuras de deslocamento e de
quantidade de movimento
• Deficiência de quantidade de movimento:

 u(U
0
 − u )wdy

• Espessura de quantidade de movimento:



U 2 w =  u (U  − u )wdy
0

u  u 
= 1 − dy
0
U  U 

u  u 
= 1 − dy
0
U  U  76
Espessuras de deslocamento e de
quantidade de movimento
• Para a solução de similaridade de Blasius:

*
= 1,73 Re −x1 / 2
x


= 0,664 Re −x1 / 2
x
u
y y =0
C f ,x = = 2(f ")=0 Re −x1 / 2
1 U 2
2

(f ")=0 = 0,332
C f ,x = 0,664 Re −x1 / 2 77
Soluções de similaridade:
temperatura
T − To
() =
T − To

T T  2T y = 0, T = To
u +v = 2
x y y y → , T → T

• Demonstra-se que:
Pr
"+ f' = 0
2

 = 0,  = 0
 → ,  → 1
78
Soluções de similaridade:
temperatura (Para qualquer Pr)
Pr
"+ f' = 0
2

 Pr  
' () = ' (0) exp−  f ()d
 2 0 

 Pr  
() = ' (0) exp−  f ()dd
0  2 0 

 → ,  → 1
−1
  Pr   
' (0) =   exp−  f ()dd 
 0  2 0  

Nu = h = Re 1x/ 2 ' (0)


x
h = Re 1x/ 2 ' (0)
k
k 79
x
Soluções de similaridade:
temperatura
Pr  0,5

' (0) = 0,332 Pr1 / 3

Nu = h = Re 1x/ 2 ' (0) = 0,332 Pr 1 / 3 Re 1x/ 2


x
k

80
Soluções de similaridade:
temperatura
• Para fluidos altamente condutivos, <<t
• f’ = 1
Pr d  "  Pr
"+ f' = 0   = − f'
2 d  '  2

 
() = erf  Pr 
2 
1/ 2
 Pr 
' (0 ) =  


hx
Nu = = 0,564 Pr 1 / 2 Re 1x/ 2 , Pr → 0
k 81
Soluções de similaridade:
temperatura
• Análise anterior: Temperatura prescrita para a
superfície, sem gradiente de pressão.
• Outras condições de contorno:
• Comprimento inicial não aquecido;
• Aquecimento da placa em apenas uma região;
• Fluxo uniforme de calor.
• Gradiente de pressão :
u u 1 dP  2u
u +v =− + 2
x y  dx y

82