Você está na página 1de 11

Faculdade Senac Goiás

Aníbal Sidney dos Santos Júnior


Fábio Augusto Garcia Chagas
Iury Alves Rodrigues
Isaias Antunes Cintra Filho

Análise de Caso Concreto


Registro de Software CRYPTO CLERK SOLUTIONS

Goiânia - Go
2020
Sumário

1. DESCRIÇÃO DE CASO. ...................................................................................................... 3

2. ANÁLISE DO CASO. .......................................................................................................... 5

2.1. O PROGRAMA ATENDE AOS REQUISITOS MÍNIMOS PARA SER REGISTRADO; ................ 5

2.2. O REGISTRO DESTE SOFTWARE É IMPRESCINDÍVEL PARA A PROTEÇÃO DOS DIREITOS


DA EMPRESA OU APENAS RECOMENDÁVEL E EM QUE ÓRGÃO ESTE REGISTRO É FEITO;......... 6

2.3. QUAIS SERIAM OS BENEFÍCIOS DE SE REGISTRAR O SOFTWARE; .................................. 7

2.4. POR QUANTO TEMPO, APÓS O REGISTRO, A CRYPTO PODERIA UTILIZAR O SOFTWARE
COM A PROTEÇÃO LEGAL; ...................................................................................................... 7

2.5. QUAL É O TIPO DE CONTRATO QUE DEVE SER REALIZADO COM OS USUÁRIOS PARA
QUE ELES TENHAM ACESSO AO PROGRAMA, APÓS O REGISTRO;............................................ 8

2.6. QUAL É O TIPO DE CONTRATO QUE DEVE SER REALIZADO COM OUTRAS EMPRESAS DE
TECNOLOGIA PARA QUE ESTAS EXPLOREM COMERCIALMENTE O PROGRAMA; ...................... 8

2.7. SE UM EMPREGADO DA CRYPTO QUE SEJA DIRETAMENTE RESPONSÁVEL PELO


DESENVOLVIMENTO DO SOFTWARE PODE REIVINDICAR CONTRA ELA OS DIREITOS AUTORAIS,
APÓS O REGISTRO. ................................................................................................................. 9

CONFORME LEI 9.279 ............................................................................................................. 9

CONFORME LEI 9.609 ............................................................................................................. 9

3. CONCLUSÃO DO CASO................................................................................................... 10
1. Descrição de caso.
A sociedade empresária CRYPTO CLERK SOLUTIONS Tecnologia e Informática
LTDA. (a partir daqui chamaremos só de CRYPTO) tem como atividade principal
desenvolver softwares comerciais (software de prateleira), isto é, não aqueles feitos
por encomenda, mas já finalizados e disponibilizados de forma fechada, com
possibilidade de sucessivas atualizações. Em 23/03/2020, a CRYPTO finalizou o
desenvolvimento de um programa de computador chamado ISOL, na modalidade
aplicativo para as plataformas Windows, macOS, Android e IOS, que, por meio de
realidade aumentada e sincronização e pesquisas em redes sociais, permite otimizar
a prevenção do contágio por doenças, a utilização do espaço domiciliar e a
permanência de pessoas em quarentena nos casos de epidemias e pandemias.
Apenas autorizando acessar a localização por GPS, sincronizando o aplicativo com
diversas redes sociais, introduzindo-se fotos do ambiente e dos móveis de uma casa
ou apartamento e informando o número de pessoas que lá residem, o aplicativo
aponta o risco de contágio na região, permite fazer a melhor arrumação da casa
possível, notifica sobre as ameaças de contaminação em tempo real, além de
calcular exatamente a quantidade de alimentos e mantimentos necessários para se
permanecer no período da quarentena, até mesmo com a possibilidade de acessar
automaticamente sites de entregas, realizando também o pedido.
Questionamentos da empresa:
a) O programa atende aos requisitos mínimos para ser registrado;

b) O registro deste software é imprescindível para a proteção dos direitos da


empresa ou apenas recomendável e em que órgão este registro é feito;

c) Quais seriam os benefícios de se registrar o software;

d) Por quanto tempo, após o registro, a CRYPTO poderia utilizar o software com a
proteção legal;

e) Qual é o tipo de contrato que deve ser realizado com os usuários para que eles
tenham acesso ao programa, após o registro;

3
f) Qual é o tipo de contrato que deve ser realizado com outras empresas de
tecnologia para que estas explorem comercialmente o programa;

g) É possível que um empregado da CRYPTO que seja diretamente responsável


pelo desenvolvimento do software possa no futuro reivindicar contra ela os direitos
autorais, após o registro.

4
2. Análise do Caso.
2.1. O programa atende aos requisitos mínimos para ser registrado;
Conforme LEI Nº 9.609

Capítulo I

Art. 1º Programa de computador é a expressão de um conjunto organizado de


instruções em linguagem natural ou codificada, contida em suporte físico de
qualquer natureza, de emprego necessário em máquinas automáticas de tratamento
da informação, dispositivos, instrumentos ou equipamentos periféricos, baseados em
técnica digital ou análoga, para fazê-los funcionar de modo e para fins determinados.

Conforme LEI Nº 9.279


Capítulo I
Art. 6º Ao autor de invenção ou modelo de utilidade será assegurado o direito de
obter a patente que lhe garanta a propriedade, nas condições estabelecidas nesta
Lei.
§ 1º Salvo prova em contrário, presume-se o requerente legitimado a obter a
patente.
§ 2º A patente poderá ser requerida em nome próprio, pelos herdeiros ou
sucessores do autor, pelo cessionário ou por aquele a quem a lei ou o
contrato de trabalho ou de prestação de serviços determinar que pertença a
titularidade.
§ 3º Quando se tratar de invenção ou de modelo de utilidade realizado
conjuntamente por duas ou mais pessoas, a patente poderá ser requerida por
todas ou qualquer delas, mediante nomeação e qualificação das demais, para
ressalva dos respectivos direitos.
§ 4º O inventor será nomeado e qualificado, podendo requerer a não
divulgação de sua nomeação.

5
Conforme LEI Nº 9.610
Capítulo I
Das Obras Protegidas
Art. 7º São obras intelectuais protegidas as criações do espírito, expressas por
qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou
que se invente no futuro, tais como:
XII - os programas de computador;

2.2. O registro deste software é imprescindível para a proteção dos direitos


da empresa ou apenas recomendável e em que órgão este registro é
feito;

Conforme LEI Nº 9.609

Capítulo II

Art. 2º O regime de proteção à propriedade intelectual de programa de computador é


o conferido às obras literárias pela legislação de direitos autorais e conexos vigentes
no País, observado o disposto nesta Lei.

§ 1º Não se aplicam ao programa de computador as disposições relativas aos


direitos morais, ressalvado, a qualquer tempo, o direito do autor de reivindicar
a paternidade do programa de computador e o direito do autor de opor-se a
alterações não-autorizadas, quando estas impliquem deformação, mutilação
ou outra modificação do programa de computador, que prejudiquem a sua
honra ou a sua reputação.

§ 2º Fica assegurada a tutela dos direitos relativos a programa de computador


pelo prazo de cinquenta anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano
subsequente ao da sua publicação ou, na ausência desta, da sua criação.

6
2.3. Quais seriam os benefícios de se registrar o software;
Registrar o Software pode ajudar na comercialização do mesmo, pois é a garantia
para o cliente que está comprando/licenciando o software de que ele está sendo
vendido/licenciado pelo verdadeiro titular, e assim terá proteção legal caso ocorram
processos de terceiros contra a empresa, além de garantir a propriedade do
software.

Conforme LEI Nº 9.609

Capítulo III

Art. 3º
§ 1º O pedido de registro estabelecido neste artigo deverá conter, pelo
menos, as seguintes informações:
I - os dados referentes ao autor do programa de computador e ao
titular, se distinto do autor, sejam pessoas físicas ou jurídicas;
II - a identificação e descrição funcional do programa de computador; e
III - os trechos do programa e outros dados que se considerar
suficientes para identificá-lo e caracterizar sua originalidade,
ressalvando-se os direitos de terceiros e a responsabilidade do
Governo.
§ 2º As informações referidas no inciso III do parágrafo anterior são de caráter
sigiloso, não podendo ser reveladas, salvo por ordem judicial ou a
requerimento do próprio titular.

2.4. Por quanto tempo, após o registro, a CRYPTO poderia utilizar o


software com a proteção legal;

Conforme LEI Nº 9.609


Capítulo II
Art. 2º
§ 2º Fica assegurada a tutela dos direitos relativos a programa de computador
pelo prazo de cinquenta anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano
subsequente ao da sua publicação ou, na ausência desta, da sua criação.

7
2.5. Qual é o tipo de contrato que deve ser realizado com os usuários para
que eles tenham acesso ao programa, após o registro;
Conforme LEI Nº 9.609
Capítulo III
Art. 7º O contrato de licença de uso de programa de computador, o documento fiscal
correspondente, os suportes físicos do programa ou as respectivas embalagens
deverão consignar, de forma facilmente legível pelo usuário, o prazo de validade
técnica da versão comercializada.

Capítulo IV
Art. 9º O uso de programa de computador no País será objeto de contrato de
licença.
Parágrafo único. Na hipótese de eventual inexistência do contrato referido no caput
deste artigo, o documento fiscal relativo à aquisição ou licenciamento de cópia
servirá para comprovação da regularidade do seu uso.

2.6. Qual é o tipo de contrato que deve ser realizado com outras empresas
de tecnologia para que estas explorem comercialmente o programa;

Conforme LEI Nº 9.609


Capítulo IV
Art. 9º O uso de programa de computador no País será objeto de contrato de
licença.

Parágrafo único. Na hipótese de eventual inexistência do contrato referido


no caput deste artigo, o documento fiscal relativo à aquisição ou licenciamento de
cópia servirá para comprovação da regularidade do seu uso.

Art. 10. Os atos e contratos de licença de direitos de comercialização referentes a


programas de computador de origem externa deverão fixar, quanto aos tributos e
encargos exigíveis, a responsabilidade pelos respectivos pagamentos e
estabelecerão a remuneração do titular dos direitos de programa de computador
residente ou domiciliado no exterior.

8
2.7. se um empregado da CRYPTO que seja diretamente responsável pelo
desenvolvimento do software pode reivindicar contra ela os direitos
autorais, após o registro.

Conforme Lei 9.279


Capítulo XIV
"Art. 88. A invenção e o modelo de utilidade pertencem exclusivamente ao
empregador quando decorrerem de contrato de trabalho cuja execução ocorra no
Brasil e que tenha por objeto a pesquisa ou a atividade inventiva, ou resulte esta
da natureza dos serviços para os quais foi o empregado contratado.

Conforme Lei 9.609


Capítulo II
"Art. 4º Salvo estipulação em contrário, pertencerão exclusivamente ao
empregador, contratante de serviços ou órgão público, os direitos relativos ao
programa de computador, desenvolvido e elaborado durante a vigência de
contrato ou de vínculo estatutário, expressamente destinado à pesquisa e
desenvolvimento, ou em que a atividade do empregado, contratado de serviço ou
servidor seja prevista, ou ainda, que decorra da própria natureza dos encargos
concernentes a esses vínculos.

§ 2º Pertencerão, com exclusividade, ao empregado, contratado de serviço ou


servidor os direitos concernentes a programa de computador gerado sem
relação com o contrato de trabalho, prestação de serviços ou vínculo
estatutário, e sem a utilização de recursos, informações tecnológicas, segredos
industriais e de negócios, materiais, instalações ou equipamentos do
empregador, da empresa ou entidade com a qual o empregador mantenha
contrato de prestação de serviços ou assemelhados, do contratante de
serviços ou órgão público.

9
3. Conclusão do Caso

A Lei 9.609 diz claramente que a forma de proteção ao programa de


computador é a mesma forma que a prevista na Lei dos Direitos Autorais, mas com
observação ao disposto na Lei do Software.
O direito autoral sobre um programa de computador perdura por 50 anos,
contados do ano seguinte à sua criação ou publicação. Ele garante ao autor
proteção moral e patrimonial sobre o uso do software. Entenda a diferença:
• moral: é o vínculo pessoal do criador com o programa: ele tem
direito de ter sua autoria reconhecida e o nome mencionado no software,
além de impedir sua modificação, por exemplo;
• patrimonial: consiste na exploração comercial do software,
permitindo que ele defina quais empresas podem vendê-lo.
É muito importante saber que os direitos sobre programas que foram
desenvolvidos como prestação de serviço ou por um colaborador de uma empresa
pertencerão à organização contratante. Se uma empresa contratar uma equipe de
programadores para criar uma nova plataforma de gestão, por exemplo, o software
gerado será de propriedade da pessoa jurídica empregadora.
A Lei do Software não obriga o registro do software em um órgão para
conseguir a proteção, mas é recomendável que seja realizado o devido registro do
código-fonte do programa no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), que
é também efetua o registro de marcas, patentes, modelos de utilidade, entre outros
bens.
Quando você realiza o registro, fica mais fácil comprovar a autoria do
programa perante tribunais, cartórios, outros órgãos públicos ou até mesmo quando
seus parceiros requisitarem.
Então concluímos que o melhor para CRYPTO CLERK SOLUTIONS é o
registro da propriedade do software, pois terá resguardada a propriedade do código
fonte do programa por um período de 50 anos, além de garantir a seus possíveis
clientes a garantia de aquisição de software licenciando pela empresa,
independentemente da existência de contrato particular de cessão de direitos
celebrado entre o empregador e o funcionário acerca da criação de um determinado
produto (patente) ou software, os direitos sobre a criação são exclusivos do

10
empregador, cessando assim quaisquer solicitações futuras sobre os direitos sobre
o software, tendo a inda a garantia sobre a comercialização do programa seja ele via
contrato de venda ou de contrato de licenciamento.

11