Você está na página 1de 3

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NO ALMOXARIFADO CENTRAL DE UMA

INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO DO APL DE MARINGÁ


1
Aline Akemi Shinzato
Júlia Monteiro Soares²

Introdução
As empresas sentem a necessidade de desenvolver e fabricar produtos com mais
qualidade para garantir sua sobrevivência no mercado. A competitividade, inovações
tecnológicas e a busca pela qualidade total motivam a implantação de programas de
melhoria contínua. Neste sentido, uma prática bastante utilizada pelas empresas para iniciar
um processo de mudança é o Programa 5S. É uma metodologia que pode promover
mudança de comportamento dos colaboradores e preparar a empresa para a introdução de
conceitos de qualidade. Para o sucesso do programa é necessário envolver os
colaboradores da organização, principalmente, a alta gerência, para que esta possa motivar
os funcionários e disseminar os novos hábitos dentro da empresa.
A sigla 5S refere-se às iniciais de cinco palavras japonesas: Seiri, Seiton, Seiso,
Seiketsu e Shitsuke (OSADA, 1992). Essas palavras podem ser traduzidas como: Senso de
Utilização, Senso de Ordenação, Senso de Limpeza, Senso de Saúde e Senso de Disciplina
(SILVA, 1996). O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas)
propôs uma variação do programa, conhecido como D-OLHO NA QUALIDADE, no qual
Cartilhas e cartazes são disponibilizados para a divulgação do programa na empresa.
A aplicação do Programa 5S ajuda a combater a desordem e condições inseguras, a
organizar os materiais que precisam estar rapidamente à disposição dos usuários e a deixar
de ‘apagar incêndios’, ou seja, partir para a prevenção de problemas (TONTINI, 1998).
Neste trabalho, será descrito a implantação do Programa 5S em uma empresa do
setor de confecção. Especificamente, o projeto é conduzido no almoxarifado central da
Cort’Screen Industrial Têxtil, localizada no município de Paiçandu/PR. Trata-se de uma
indústria de médio porte que fabrica camisetas promocionais. O principal objetivo do
programa é organizar a área física e criar procedimentos de recebimento e retirada de
materiais. Além disso, estimular o compromisso dos colaboradores e iniciar um processo de
melhoria da qualidade dos produtos.

Materiais e métodos
O projeto teve início em junho de 2009 e é previsto para terminar em novembro de
2009. É coordenado por colaboradores da empresa e conta com o apoio do Departamento

1
lii_akemi@yahoo.com.br; ² julia_msoares@hotmail.com; – Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Engenharia
de Produção.
de Engenharia de Produção da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Além disso,
recebe recursos do Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (BITEC/CNPq/IEL). A
seguir, são descritas as principais etapas ou atividades desenvolvidas e executadas pela
equipe do projeto:
1. Planejamento do Projeto: Definir atividades específicas para cada etapa, prazos e
registrar a situação do almoxarifado através de fotos e questionários.
2. Formação da Equipe: Criar equipe de apoio; fornecer treinamentos referentes ao
Programa 5S; montar um quadro de informações; confeccionar o kit 5S composto por:
camiseta personalizada, cartilha do SEBRAE, flanela e sacola de TNT.
3. Planejamento e Implantação dos Sensos do Programa 5S no Almoxarifado Central:
a. Senso da Utilização: definir a área e os critérios para o descarte; dividir os
colaboradores em equipes de trabalho; classificar os materiais a serem descartados.
Esta etapa terá início com o “Dia D” – Lançamento do Programa. Ao final desta etapa
efetuar um balanço completo dos itens descartados, com quantidades e seus
destinos.
b. Senso da Ordenação: utilizar a curva ABC; definir formas de armazenamento de
materiais e propor mudanças no arranjo físico. Este senso pode ser considerado o
mais trabalhoso, pois demanda tempo e mão-de-obra para seu planejamento.
c. Senso da Limpeza: identificar as causas da sujeira e propor sugestões para eliminá-
las; reservar um dia para realizar uma limpeza intensa em todo almoxarifado; delegar
responsáveis da limpeza no almoxarifado.
d. Senso da Padronização: proporcionar condições favoráveis de trabalho ao
colaborador; criar procedimentos para padronizar os sensos anteriores e estabelecer
métodos para controle visual, por exemplo: avisos de perigo e instruções.
e. Senso da Disciplina: verificar se as atuais regras estão sendo cumpridas pelos
clientes internos do almoxarifado e caso contrário, propor soluções; elaborar um
manual de manutenção dos outros quatro sensos para os colaboradores.
4. Manutenção e Avaliação: Fotografar o setor; efetuar balanços dos resultados obtidos;
criar plano de manutenção do programa e elaborar avaliações periódicas para
acompanhamento do Programa 5S.

Resultados e discussão
O projeto encontra-se na etapa de implantação dos Sensos do Programa – Etapa 3.
Até o momento foi implantado o senso de Utilização. O almoxarifado central da Cort’Screen
possui uma área física de aproximadamente 290m². Dentre os principais materiais
armazenados constam: aviamentos; produtos químicos; embalagens; etiquetas; peças de
manutenção mecânica e elétrica; entre outros. As malhas são armazenadas em outro local.
A partir dos treinamentos e do “Dia D” foi possível notar o envolvimento de todos e
motivação dos colaboradores, assim como o espírito de equipe. Outra melhoria visível foi a
liberação de espaço nos corredores e nas prateleiras, conforme registros realizados pela
equipe do programa - Figura 1. Um dos resultados alcançados com a implantação do Senso
de Utilização é a redução da desordem e desorganização dos materiais do Almoxarifado.

Figura 1: Antes e depois do “Dia D” – Lançamento do Programa 5S


Outra prática utilizada na implantação do programa é a classificação dos principais
itens descartados no “Dia D” – Tabela 1. É uma prática que ajudou a catalogar os produtos
do almoxarifado e re-aproveitar os itens em outros pedidos de clientes, reduzindo com isso o
desperdício de materiais e os custos de matéria-prima. A implantação do Programa também
está ajudando a preparar a equipe e divulgar os conceitos em outras áreas da empresa –
clientes do Almoxarifado.
Tabela 1: Classificação dos itens descartados
Itens desnecessários para a empresa Itens necessários para a empresa
Outra empresa do Outros setores
Lixo Venda Doação Catálogo
grupo da empresa
Pote de tinta Plásticos diversos, Travesseiros, Botões diversos, Cabides,
Zíper, velcro,
vencido, resíduos aparelho de cortar aventais strass, transfer, linhas suporte para
botões,
plásticos e metais, malha para teste descartáveis, e fios, cordões e cabide, lixeiras,
aviamentos
caixas de papelão de gramatura, luvas de elásticos, entre outros rolo de papel
diversos.
danificadas. impressora. procedimento. aviamentos. kraft, televisão.

As principais dificuldades da implantação do Programa 5S são relacionadas com a


disponibilidade de agenda dos colaboradores e resistência para descartar itens classificados
como desnecessários e que se encontram armazenados no Almoxarifado.

Referências

OSADA, T. Housekeeping, 5S’s: Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu, Shitsuke. Cinco pontos-
chaves para o ambiente da qualidade total. 3ª Ed. São Paulo: IMAN, 1992.
SILVA, J.M. O ambiente da qualidade na prática – 5S. Belo Horizonte: QFCO, 1996.
TONTINI, G. Mantendo o programa 5S em sua empresa. Revista de Negócios, v. 3, n. 1, p.
43-54, 1998.