Você está na página 1de 92

Olá futura Mamãe!

Meu nome é Mariana e esse E-book foi feito


para você que vai ter um bebê em breve.

Vou abordar os 5 passos mais importantes


para que seu parto seja uma experiência
incrível.
E pode ficar tranquila, que não vou falar
apenas palpites, ou informações sem
fundamento que você vê por aí na internet.

Vou falar apenas do que é embasado


cientificamente e do que me ajudou na minha
gravidez.

Inclusive, deixa eu te contar rapidinho como eu


selecionei essas informações.
Era dia 8 de abril, aparentemente um dia
normal.

Exceto por um pensamento que não saia da


minha cabeça.. Minha menstruação estava
atrasada.

Nunca gostei de ficar na dúvida, por isso fiz


logo o teste de farmácia.

Não era a primeira vez fazendo um teste de


gravidez, então eu não tava com tanto medo
assim. Eu queria só tirar a dúvida logo.

Mas apareceram duas listras.

Foi um misto de felicidade, medo, empolgação


e outros sentimentos que eu não sei muito bem
explicar.

Até duvidei do teste e comecei a pensar que


poderia ser um falso-positivo.
Talvez fosse meu cérebro tentando aliviar um
pouco do turbilhão de sentimentos.

Mas no fundo eu sabia que era verdade.

Fiz outro teste depois, e o que eu já sabia foi


confirmado.

Eu estava realmente grávida.

Aí foi tudo muito rápido, a barriga logo


começou a ficar aparente, teoricamente tudo a
mil maravilhas.

Mas tinha uns sentimentos dentro de mim que


eu não conseguia muito entender.

Provavelmente eram os hormônios.

E eu sentia bastante medo, frequentemente.

Sentia muito medo do parto.


Eu ficava imaginando a cena... eu deitada na
maternidade sentindo dor, repetidas vezes na
minha cabeça.

E eu não tinha medo só do parto..

Tinha medo de comer alguma coisa errada, ou


fazer qualquer coisa que fosse prejudicar a
Sofia. (sim, a pequena já tinha nome)

Tinha medo de que quando finalmente ela


nascesse eu não soubesse fazer tudo que eu ia
ter que fazer.

E o que mais me estressava eram minhas tias,


que ficavam dando a opinião delas sem eu
sequer pedir.

Falavam, opinavam, palpitavam, sempre com


um olhar que parecia insinuar que eu não era
capaz.
É… a gravidez era um momento mágico, mas
não era mágico da maneira que as pessoas
dizem por aí.

Eu colocava a mão na minha barriga e sentia a


Sofia mexer. Era uma felicidade inexplicável.

Mas ao mesmo tempo que isso acontecia, eu


sentia no fundo o peso dos julgamentos da
minha família e conhecidos.

Nem sempre eles falavam diretamente, mas


dava para perceber os julgamentos na maneira
que eles falavam.

E isso tudo fazia eu me sentir meio culpada,


mesmo sabendo que eu não deveria me sentir
assim.
Aí, certo dia eu olhando o instagram, achei um
perfil bem legal dando umas dicas para
grávidas.

Sempre tive bastante receio das informações


da internet, mas como tinha médicos
aparecendo resolvi confiar.

E essas dicas realmente fizeram melhorar


muito meu astral, acho que porque eu me
sentia mais segura e confiante.

Foi aí que apareceu uma lâmpada na minha


cabeça, tipo de desenho animado..

Eu percebi que quanto mais eu pesquisava


sobre gravidez, cuidados com o bebê, de
fontes confiáveis, menos eu ligava pra esses
sentimentos ruins que eu tinha.

Quanto mais eu sabia sobre tudo que ia


acontecer, menos eu tinha medo.
Quanto mais eu sabia sobre os cuidados que
eu tenho que ter, menos insegura eu ficava.

Eu parei cada vez mais de dar importância para


o que as pessoas ao redor pensavam e
falavam.

Porque eu estava focada na saúde da Sofia e


na minha saúde.

Estava focada em aprender de quem sabe.

E foi por isso que eu escrevi as dicas a seguir,


para que você também possa se libertar
desses sentimentos ruins.
E eu contei com a ajuda de alguns profissionais
para trazer apenas informações confiáveis.

Trouxe informações que me ajudaram muito,


de dentro de um curso sobre maternidade que
eu assisti.

E eu tenho uma surpresinha pra você...

Entrei em contato com essa equipe de médicos


e eles liberaram três aulas de dentro do curso
deles.

De forma gratuita para vocês que estão lendo


esse livro.

Não é incrível?

Sério, o conteúdo é muito bom e fez toda a


diferença na minha gravidez, e na hora de
cuidar da Sofia. (que nasceu super saudável e
hoje tem os melhores cuidados <3)
Então antes dos 5 Passos escritos, vou deixar
as Aulas deles, que, com toda certeza, também
vão te ajudar nessa jornada.
A primeira aula é com o Pedriatra Paulo Telles
- CRM 109.556-SP.

Ele vai te explicar detalhes sobre o sono do


bebê e te dar algumas sugestões para
melhorar o processo de sono do seu filho.

Você pode assistir à aula ​clicando aqui.


Infelizmente muitas mulheres tem problemas
na hora de amamentar seu bebê e sentem
muita dor.

Então a enfermeira Aline vai te ajudar a


preparar as mamas para você ter uma
amamentação de sucesso​.

Você pode assistir à aula ​clicando aqui.


A terceira aula é com a Nutricionista Roseli
Ueno - CRN 5.676.

E ela vai te dar algumas dicas de como


resolver e evitar problemas com enjoo, que
muitas mulheres tem...

Você pode assistir à aula ​clicando aqui.


Essas, são aulas retiradas de dentro do curso
do Mamãe Completa…

E fiquei muito feliz de poder trazer uma parte


desse curso, de forma gratuita para vocês.

Então aproveitem :)

Agora, vamos para o conteúdo escrito.


Sumário:

Olá futura Mamãe! 2

Passo 1: Preparando seu Psicológico 13

Medo da dor 14
Quem vai te ajudar? 16
Conexão 18
Buscando conhecimento 21

Passo 2: Prevenindo Complicações

Exames Importantes 25
Hemograma 25
Tipo sanguíneo e fator Rh 25
Glicose em jejum 26
Coletas de sangue 26
Exame de urina 26
Ultrassom 27
Papanicolau 27
Cuidados no dia-a-dia 29
Rémedios 30
Cosméticos 31
Alimentos 32
Afazeres 32

Passo 3: Preparando seu Corpo 34

Exercícios 35
Caminhada 37
Pilates 38
Hidroginástica 39
Exercícios perineais 40
Como fazer 41
Alongamento 43
Pescoço 44
Tronco 45
Quadril 46
Pernas 48
Braços 51
Parte interna da coxa 54
Parte de trás da perna 55
Coluna 56
Alimentação 58

Passo ​4:​ ​Últimas Preparações 61

Mala da maternidade 62
Mala da mamãe 63
Mala do bebê 64
Mala do parceiro 65
Sinais do início de trabalho de parto 66
Perda do tampão mucoso 66
Rompimento da bolsa 68
Contrações ritmadas 69
Dilatação do colo uterino 70

Passo 5:​ ​Durante o Parto 71

Posições 72
Litotômica 73
De cócoras 74
Quatro apoios 75
Sentada na banqueta 76
Deitada de lado 77
Práticas que ajudam 78
A cesárea 80
Intervenções Médicas 82

Obrigado! 84
Passo 1:
Preparando seu
Psicológico

É incrível como nosso estado ​psicológico e


emocional​ influencia as experiências que
temos.

Ele pode nos ajudar, ou pode nos atrapalhar.

E claro que queremos que ele esteja ​do nosso


lado.

Por isso, vamos trabalhar bem as


preocupações e ideias que podem nos
atrapalhar.
Medo da dor

O medo tem o poder de nos paralizar.

Temos medo daquilo que a gente não conhece,


ou não entende. E é muito comum nós
mamães sentirmos medo da dor do parto.

Tanto no parto normal como na cesária, é bem


provável que você sinta dor, seja durante o
procedimento ou no pós-parto.

E tá tudo bem.

Dor não é igual a sofrimento!


E não precisamos sofrer para que nosso bebê
venha ao mundo.

Entender que a dor pode fazer ​parte do


processo​, é o primeiro passo para deixar de
lado essa aflição que sentimos.

O parto não precisa ser uma lembrança ruim,


ou traumática.

Vamos fazer o parto ser uma ​lembrança de


luta e de conquista.

Com uma recompensa que nem toda a


riqueza do mundo pode comprar.
Quem vai te ajudar?

Sabemos que nem toda mamãe tem o poder de


escolher as pessoas que vão ajudar ela no dia
do parto.

Mas, se for possível, conhecer a equipe que vai


te acompanhar pode deixar o processo muito
mais tranquilo.

Então converse com a pessoa que vai te


ajudar.

Fale​ a ela suas vontades, preocupações,


medos, dúvidas.

E ​escute​ o que ela tem para te falar.


Se uma relação de ​confiança​ for criada, tudo
vai ficar mais fácil.

Além disso, é importante você procurar


pessoas que tenham​ experiência​ no processo
que você deseja.

Se você tem vontade de ter um parto normal,


por exemplo, você pode ir atrás de pessoas
que realizam com frequência esse tipo de
parto.

Assim é mais fácil estabelecer uma relação de


confiança, e você vai se sentir mais ​segura​.
Conexão

Saber que outras pessoas já trilharam o


caminho que desejamos trilhar pode nos dá um
conforto no coração.

Por isso recomendamos que você se ​conecte


com outras mamães.

Você pode:

1. Conversar com conhecidas e amigas que já


passaram pelo trabalho de parto.

2. Entrar em grupos na internet para se


conectar com outras mamães. (Para isso existe
um aplicativo maravilhoso que se chama
BabyCenter)
3. Ver relatos de mulheres no YouTube, sobre
como foi o processo delas.
Só um detalhe muito importante.

Devemos fortalecer principalmente as


conexões que nos motivam e nos fazem bem.

Vão aparecer relatos de partos que deram


errado, acidentes que aconteceram. Você deve
ouvi-los e entendê-los.

Mas lembre sempre que esses casos são


exceções e que você pode se prevenir de
problemas.

Se cerque de coisas boas, e lembre que seu


corpo foi projetado para esse momento.

E, claro, saiba dos problemas que podem


acontecer, e tome ações que lhe protejam e
contribuam para seu parto ser processo
seguro.
No passo 2 vamos falar sobre os cuidados e
atitudes que são importantes para nos prevenir,
e nos preparar para esse momento.

Buscando conhecimento

O fato de você está lendo esse E-book, com


certeza já ajuda seu psicológico para o dia do
parto.

Entender​ o que você pode fazer para se


preparar alivia toda aquela aflição de não estar
no controle das coisas.

Então continue assim! Não pare por aqui!


Que com certeza, durante o trabalho de parto
você estará muito mais preparada
psicologicamente.

E a consequência disso é um processo muito


mais tranquilo.
Passo 2:
Prevenindo
Complicações

Muitas mulheres já conhecem as indicações


desse segundo passo, mas como elas são de
grande importância ​não podemos deixar de
falar aqui.

Então não deixe de ler esse passo!

Quanto mais essas informações estiverem


claras na sua cabeça, mais tranquilo vai ser
esse processo.
Para chegar no grande dia e ter um parto
incrível​, ​com muita saúde e sem complicações,
precisamos nos ​prevenir​ e tomar os ​cuidados
necessários

Prevenir complicações e identificá-las​ o


quanto antes são requisito fundamental para ter
uma gestação saudável​ ​e um parto tranquilo​.

Então é importante você conhecer os ​exames


que ​não​ podem ser deixados de lado..

Além disso vamos conhecer que ​cuidados


tomar enquanto estivermos com nosso bebê na
gestação.
Exames Importantes

Vamos começar listando os Exames mais


importantes. Assim você ​confere​ se está tudo
certinho, e ​entende o porquê​ de cada um.

Hemograma
É o exame de sangue que serve para verificar
se há alguma infecção, anemia ou alterações
nas células do sangue.

Tipo sanguíneo e fator Rh


Para evitar a eritroblastose fetal, que acontece
quando a mãe tem o fator Rh negativo e o feto,
positivo.
Essa complicação pode ser tratada se for
diagnosticada precocemente.

Glicose em jejum
Detecta se há tendência de diabetes
gestacional.

Coletas de sangue
São exames para verificar a existência de
possíveis complicações como a toxoplasmose,
a hepatite B ou C, o vírus HIV, a rubéola, a
sífilis, entre outros.

Exame de urina
Verifica a existência de infecção urinária, que
quando não tratada, pode causar parto antes
do tempo.
Ultrassom
Esse é o queridinho das mamães. É feito
durante toda a gravidez, aumentando a
frequência conforme o número de semanas for
avançando.

Serve para acompanhar visualmente o


desenvolvimento do seu bebê. (e mostra o
sexo, se você quiser saber, claro!)

Papanicolau
Serve para verificar a existência de infecções
vaginais e câncer de colo do útero.
Esses são os exames mais comuns, e é
importante que todas as gestantes façam.

Além disso, caso seja identificado na mulher


problemas como ​hipertensão ​ou​ diabetes​, seu
médico obstetra vai realizar outras medidas.

Quanto mais cedo​ condições especiais ou


problemas forem descobertos, melhores as
formas de tratá-los.

Assim podemos chegar no grande dia de forma


saúdavel e tranquila!
Cuidados no dia-a-dia
 

 
Com todos os exames realizados, é importante 
se atentar, também, para os nossos ​hábitos. 
 
Conhecendo bem​ que​ c ​ uidados devemos 
tomar, podemos fazer nossas a ​ tividades 
diárias​ sem o risco de prejudicar a ​saúde do 
nosso bebê​. 
Rémedios
Alguns remédios que você já é acostumada a
usar podem ser prejudiciais para o bebê.

Por isso é importante só tomar remédios


receitados por ​médicos que sabem que você
está grávida.

E se você não sabia que estava grávida e


tomou algum remédio que pode fazer mal para
seu bebê?

Nesse caso é importante você avisar seu


médico, para que ele possa fazer exames
específicos e verificar se está tudo bem.
Cosméticos
Cremes dermatológicos que contenham​ ácido 
retinóico​ na fórmula ​podem trazer complicações, 
por isso é bom olhar bem o que a gente vai 
usar. 
 
É recomendado por médicos evitar as
descolorações, tintura e formol.
Escovas progressivas também devem ser
evitadas ao máximo.

Mas não vamos deixar a aparência de lado!

Cuidar da beleza pode nos fazer muito bem.


Devemos apenas ter cautela com os produtos.
 
Alimentos
É importante se prevenir contra a
toxoplasmose, ​evitando comer carnes cruas
ou mal passadas e ​lavando muito bem as
frutas e verduras.

Afazeres
Devemos sempre evitar nos expor a riscos
desnecessários. Principalmente riscos de
impacto​, como uma queda.

Se precisarmos subir em uma escada, por


exemplo, é melhor pedir ajuda para alguém.

Não precisamos ter vergonha de pedir


ajuda​.
Mesmo se a barriga ainda não te atrapalha,
evitar acidentes é sempre o melhor.
Passo 3:
Preparando seu Corpo

Agora vamos nos preparar ​fisicamente​ para o


dia do nascimento.

O trabalho de parto pode exigir bastante do


corpo da mulher, por isso é importante que
nosso corpo esteja bastante ​saudável e forte​.

Assim, o processo poderá ser mais ​seguro​ e


com ​menos dificuldades​, para você e para
seu bebê.

Além de que sua ​recuperação​ será muito mais


tranquila, lhe permitindo aproveitar melhor esse
momento tão especial.
Exercícios

Muitas mamães têm dúvidas sobre esse tema e


ficam inseguras em relação a se devem mesmo
fazer exercícios, se é seguro, entre outras
coisas.

E elas têm razão em se preocupar, temos que


ter mesmo bastante cuidado mesmo.

Porém, ​deixar de lado os exercícios físicos


não é uma boa opção​.

Pois nesse período de tantas mudanças e


dores, temos que fazer o possível para ajudar o
nosso corpo a se manter saudável.
Além de aliviar as dores e desconfortos,
praticar exercícios ​regularmente​ vai fortalecer
sua musculatura e facilitar seu desempenho na
hora do nascimento do seu bebê.

Mas antes de começar, calma!

Não inicie uma atividade física durante a


gravidez sem antes consultar o seu
obstetra!

Vamos apresentar algumas opções de


exercício por aqui, mas pergunte antes para o
seu médico.

Ele poderá te informar se a atividade é


adequada para seu caso.
Caminhada

Praticar caminhada é uma ótima opção,


principalmente porque não tem muitos
pré-requisitos para ser feita.

Mesmo quem não tinha costume de se


exercitar antes da gestação pode conseguir.

E fazer esse exercício regularmente vai


melhorar a sua ​circulação sanguínea​ e a ​sua
resistência cardiorrespiratória.
Pilates

A prática do pilates é bem famosa entre as


gestantes e vai te ajudar de diversas formas.

Vai ​alongar e fortalecer seus músculos​,


melhorar sua postura (amenizando a dor nas
costas), melhorar sua respiração.

O ideal é que você procure orientações de um


profissional que já tenha ​experiência com
gestantes​.

Assim você vai saber quais são as posições


indicadas para seu caso e como realizá-las
corretamente.
Hidroginástica

Não é indicado praticar hidroginástica no


primeiro trimestre de gestação.

Mas a partir do segundo os benefícios podem


ser inúmeros.

Essa prática é ótima pois a água reduz o


impacto e o peso da mulher.

Assim é possível se movimentar mais


livremente, e melhorar a ​mobilidade dos seus
músculos e articulações​, facilitando seu
trabalho de parto.
Exercícios perineais

É muito importante fortalecer os músculos da


região perineal, o assoalho pélvico.

Essa musculatura participa da sustentação dos


órgãos da pelve (útero, bexiga, intestino) e
mantém as funções urinária e fecal.

Precisamos dela bem treinada para ajudarmos


a ​passagem do bebê no momento do parto​.

Esses exercícios podem mudar completamente


seu desempenho na hora do nascimento do
seu filho.
Como fazer

As informações seguintes são da cartilha da


Unicamp sobre hábitos saudáveis na gestação.

Assim como o próximo tópico sobre


alongamentos.

Claro que não iríamos trazer algo sem respaldo


para você :)

Vamos lá...

Contraia a vagina e o ânus, como se estivesse


puxando-os para dentro e para cima do seu
corpo.

Tente manter essa contração inicialmente por 3


segundos e em seguida solte os músculos
devagar, até que sinta que está totalmente
relaxada.

Repita 10 vezes.

Depois que estiver treinada, você pode manter


a contração por até 10 segundos.

Procure contrair o períneo sem usar outros


músculos, como os do abdômen, as pernas ou
as nádegas.
Respire normalmente durante a realização dos
exercícios perineais; é muito importante que
você não prenda a respiração.

Se você estiver com dificuldades em


reconhecer quais músculos deve exercitar, faça
o exercício de interromper o fluxo da urina,
quando estiver no banheiro.
Estes são os músculos que serão exercitados.
No entanto, não faça os exercícios enquanto
estiver urinando. Esse é apenas um teste.

Quando você estiver acostumada com os


exercícios, alterne 10 contrações lentas
(contrai-segura-relaxa) com uma série de 10
apertões rápidos (contrair e soltar), depois
repita o exercício, mas lentamente.

Você pode fazer esses exercícios diariamente.

Alongamento

Alongamentos são ótimos para evitar dores e


podem te ajudar de diversas formas.

Quando for fazer, lembre-se sempre de ter


cuidado respeitar os limites do seu corpo.
Pescoço

Com uma mão na cintura, incline o pescoço


para um lado e leve a outra mão na orelha.
Segure por 30 segundos e faça o mesmo com
o outro lado.
Tronco

Abra as pernas, coloque uma mão na cintura e


incline o tronco para um lado. Leve a outra mão
acima da cabeça para alongar a parte lateral do
tronco. Segure por 30 segundos e faça o
mesmo com o outro lado.
Quadril

Abra as pernas e faça movimento com o


quadril. Ao puxar o ar, empine o bumbum e ao
soltar o ar, puxe o bumbum para frente,
encaixando o quadril. Repita por 10 vezes.
Faça círculos com o quadril, como se estivesse
rodando com um bambolê. Rode para um lado
e depois para o outro. Repita 5 vezes cada
lado.
Pernas

Com as pernas abertas e as mãos na cintura,


dobre um joelho e a ponta do pé e estique em
seguida. Faça o mesmo com o outro lado e vá
alternando. Repita por 15 vezes.
Deitada de lado, com uma perna debaixo
dobrada e a de cima esticada, levante a perna
de cima e faça movimento com os pés lá em
cima. Movimente o pé para cima e para baixo.
Faça o mesmo movimento acima, mas
desenhe um círculo com o pé. Repita 5 vezes
cada movimento e para cada lado.
Braços

Com as mãos ao lado do corpo, leve uma mão


por cima da cabeça atrás das costas, como se
quisesse coçar as costas.

Com a outra mão, empurre o cotovelo para


baixo. Sustente por 30 segundos e repita com o
outro braço.
Entrelace os dedos atrás das costas e quando
soltar o ar, afaste as mãos das costas.
Entrelace os dedos abaixo da barriga; ao soltar
o ar, suba os braços juntos até a altura do
ombro, como se quisesse empurrar algo para
frente, e abaixe a cabeça no meio dos braços
Parte interna da coxa

Sentada, junte os dois pés e dobre os joelhos.


Coloque as mãos para trás, apoiadas no chão,
e sinta alongar a parte interna da coxa. Segure
por 30 segundos.
Parte de trás da perna

Sentada, com a coluna bem reta, dobre uma


perna e deixe a outra esticada ao lado do
corpo.

Puxe o ar e, quando soltar, tente pegar o pé


que está esticado. Segure por 30 segundos e
repita com o mesmo lado.
Coluna
Deitada de barriga para cima, com as pernas
esticadas, abrace uma perna para o lado, para
não apertar a barriga, e sustente por 30
segundos.

Estique a perna dobrada e faça o mesmo com


a outra perna. Na mesma posição do exercício
anterior, abrace as duas pernas para o lado,
para não apertar a barriga. Sustente por 30
segundos.
Sentada com o joelho no apoio, coloque o
bumbum no pé e, sem descolá-lo, soltar o ar,
vá abaixando a coluna, indo para frente.

Sustente por 30 segundos. Para sentir alongar


a coluna é importante que não descole o
bumbum do pé.
Alimentação

A gestação ​não​ é um período adequado para


você fazer dietas exageradamente restritivas
para perder peso.

Por outro lado, também não significa que você


tem que “comer por dois” como muito se fala
por aí.

Existe um aumento do seu peso sim, e ele é


normal, principalmente a partir da metade da
gestação.

A quantidade exata de quilos que é saudável


ganhar depende do corpo de cada mulher
Mas se você manter sua alimentação
balanceada ​e fazer todos os exames com o
seu médico não há com o que se preocupar.

Substituir alimentos processados por opções


mais ​naturais​ é uma ótima escolha.

Alimentos mais saudáveis ajudam no


desenvolvimento e fortalecimento do bebê e
evitam doenças, tanto na gestação quanto no
pós-parto, ​permitindo que o parto aconteça
mais tranquilamente​.

E se possível, procurar as orientações de um


nutricionista desde o início da gravidez, vai
ajudar muito você.
Sobre as ​restrições​, é recomendado por
profissionais você evitar:

- Álcool

- Carnes mal passadas

- Adoçantes a base de sacarina, ciclamato de


sódio e estévia.

- Leites e derivados não pasteurizados.

É recomendado também limitar a quantidade


de café para 2 ou 3 xícaras.

E não se esqueça de ​perguntar​ pro seu


médico se você tem que limitar o consumo de
algo a mais com base nos seus exames.
Passo 4:

Últimas Preparações

Tá chegando a hora do parto e a curiosidade


de ver a carinha do seu filho pela primeira vez
vai estar gigantesca.

Temos que ter algumas coisas preparadas e


organizadas, para sair tudo como planejado.

E também conhecer os sinais do nosso corpo,


e agir de acordo com ele.
Mala da maternidade

A mala da maternidade é algo muito importante


de se fazer com antecedência, para no dia já
estar tudo prontinho.

Vamos listar alguns itens importante aqui, e na


hora de fazer você confere.

Uma dica é botar alguns itens sobrando,


principalmente os que podem sujar.

Mas lembre-se de ser objetiva, não tem porque


encher de coisa e virar uma bagunça.

Ah, e é importante separar as coisas dos


adultos das coisas do bebê.
Mala da mamãe

● 2 ou mais camisolas, ou pijamas com


abertura na frente
● Roupão
● Calcinhas confortáveis
● Meias
● Sutiãs de amamentação
● Absorventes para os seios
● Produtos de higiene pessoal
● Chinelo
● Muda de roupa
● Sacola para roupas sujas
Mala do bebê

● 6 Body
● 6 Calças com pé (mijões)
● 6 Macacões
● 6 pares de meia
● Paninhos de boca
● 2 casaquinhos com botões na frente (para
não ter que passar pela cabeça)
● Xale ou cobertor
Mala do parceiro

Para a pessoa que for te acompanhar.

● Pijama
● Produtos de higiene pessoal
● Cueca/calcinha
● Muda de roupa
● Sapatos confortáveis
● Chinelo
● Celular e carregador
Sinais do início de trabalho
de parto

Perda do tampão mucoso

A perda do tampão não indica que você vai


entrar em trabalho de parto no mesmo dia.

Ele apenas indica que será em breve. Pode ser


no dia, nos próximos dias ou até duas
semanas.

Então quando ele romper, você já pode ficar


atenta aos outros sinais.
Você percebe que isso aconteceu com a saída
de uma secreção espessa, gelatinosa e
esbranquiçada pelo canal vaginal.
É normal essa secreção conter vestígios de
sangue. Nesses casos, ela adquire uma cor
marrom, vermelha ou rosada.

Mas caso o volume de sangue for grande, é


preciso que você procure imediatamente o
médico.
Rompimento da bolsa

Esse sinal geralmente é notado pela mulher


quando ela percebe o escorrimento de um
fluido claro.

Esse fluido, que é o próprio líquido amniótico,


tem coloração amarela clara, turva ou
transparente.

Pode, também, conter alguns traços


esbranquiçados e não costuma possuir cheiro.

Mesmo a bolsa rompendo, talvez você não


esteja sentindo contrações e não tenha entrado
efetivamente em trabalho de parto ainda.

Nesse caso, a orientação de já ir ou não para o


local do parto vai ser dada pelo profissional que
está te acompanhando.
Contrações ritmadas

Quando as contrações se tornam mais intensas


e frequentes é o sinal que você está entrando
em trabalho de parto.

Os números variam, mas se você está sentindo


3 contrações a cada 10 minutos​, e essas
contrações duram 40 segundos ou mais, você
já pode ir se preparando.

Existem vários ​aplicativos​ que podem te


ajudar nessa contagem.

É só pesquisar “contração temporizador” ou


algo parecido que você vai encontrar.

Recomendamos olhar os comentários antes de


baixar, para saber se o que as pessoas
acharam quando usaram.
Dilatação do colo uterino

Esse sinal vem junto com as contrações e não


é muito perceptível para a mulher, geralmente.

O profissional que está te acompanhando vai


realizar o exame de toque e verificar quantos
centímetros seu colo uterino já dilatou.

Essa dilatação é necessária para a expulsão do


bebê no parto normal, aumentando, em média,
1 cm por hora.

Começa o período expulsivo e a dilatação total


do colo do útero pode atingir 10 centímetros.

É a hora em que a mulher geralmente sente a


vontade incontrolável de fazer força.
Passo 5:

Durante o Parto

O parto é um momento que marca para sempre


a vida de uma mulher.

Você terá a chance de experimentar sensações


e sentimentos que podem te fortalecer como
mulher e como mãe.

Além disso, o trabalho de parto favorece o


amadurecimento do pulmão e do sistema de
defesa natural do organismo do bebê.
Então, mesmo que seu parto tenha que ser
uma cesariana, é importante para você e seu
bebê passar pelo trabalho de parto.

Posições

Você tem o ​direito​ de escolher a posição que


vai ter seu filho.

E não precisa escolher antes e ficar apenas


nela.

Observar bem o seu corpo e se movimentar


experimentando posições vai te ajudar
bastante.

Vamos falar um pouco sobre cada uma para


você entender melhor.
Litotômica

Você pode estar acostumada a ver as mulheres


deitadas para o parto, que é a posição
litotômica.

Ela é indicada, principalmente, no caso de o


médico precisar controlar junto da mulher a
saída do bebê.

O ponto negativo é que a gravidade não vai


estar a seu favor, então talvez seja necessário
mais força.
De cócoras

Mas outras posições podem ser bastante


vantajosas, como a de cócoras.

Ela é ótima porque facilita a saída do bebê,


abre mais espaço na pelve. Além da gravidade,
que agora vai estar a seu favor.

Talvez seja necessário um preparo físico da


mulher, então se você tem essa em mente é
bom já ir treinando antes.
Quatro apoios

A de quatro apoios, é boa, principalmente, para


a mulher que está sentindo muita dor lombar ou
tem hemorroidas.

Essa posição vai aliviar a tensão na sua lombar


e você vai poder receber massagens nela.

A mulher que apresenta hemorroida, vai ser


beneficiada com o alívio nessa região também.
Sentada na banqueta

Você senta em uma banqueta projetada para o


parto, que tem um buraco no meio por onde o
bebê passa.

O acompanhante pode ficar atrás lhe dando


apoio e você pode relaxar se amparar nele
entre as contrações
Deitada de lado

Pode ser uma posição confortável para você, e


é boa para descansar entre as contrações.

Na hora do puxo você levanta uma perna e


suspende, ou pede para alguém segurar.

Permite boa oxigenação fetal e bom controle da


força, diminuindo as chances de laceração do
períneo.
Práticas que ajudam

Pode parecer besteira, mas inúmeros


profissionais apontam para a importância da
respiração.

Você prestar atenção na respiração e ​respirar


profundamente​ vai melhor muito seu
processo.

Vai te acalmar, relaxar as tensões musculares


e te dar maior foco.
Caminhar e movimentar-se​ podem diminuir o
tempo do parto.

Tomar banho de chuveiro ou banheira ​é um


ótimo método para aliviar a dor.

Beber água e comer alimentos leves​ dão


mais força e energia para você e seu bebê.
A cesárea

A cesárea pode ser importante e necessária


para salvar a vida da mulher e da criança.

Mas não é muito indicado ela ser uma opção


de parto, e sim uma ​indicação médica​.

Como no caso de o bebê estar atravessado, ou


quando o cordão ou a placenta está fora do
lugar e impedindo a saída da criança.

Pode ser indicada pelo médico, também,


quando a mãe sofre de uma doença grave,
entre outras razões.
A cesariana é uma cirurgia de grande porte que
pode apresentar riscos para a mulher e para o
bebê se for realizada sem a necessidade.
Intervenções Médicas
Assim como a cesária, as intervenções
médicas podem salvar a sua vida e a do bebê
no caso de complicações.

Mas elas não precisam ser realizadas na


maioria dos casos.

Grande parte das mulheres que tiveram


experiências ruins durante o parto relatam o
abuso dessas técnicas.

Por isso é tão importante o que discutimos


no Passo 1, onde te sugerimos conhecer a
pessoa que vai te ajudar.

É preciso que essa questão esteja bem


esclarecida entre as pessoas que vão te ajudar
no parto.
Assim, as intervenções vão ser feitas ​apenas
se necessário.

Se for necessário, o profissional deve lhe dizer.


Então é muitíssimo importante a relação de
confiança que mencionamos no começo do
livro.
Obrigado!

Muito obrigado pela confiança de ter lido até


aqui!

Espero, de verdade, ter te ajudado de alguma


forma nessa jornada.

Mas não pare por aqui!

Pesquise bastante sobre todos os assuntos


que envolvem maternidade.

Mas sempre de fontes confiáveis!

Assim, você vai se sentir cada vez mais segura


e seu bebê vai ser muito feliz e saudável.
Ah! E se você quiser conhecer o trabalho da
equipe do Mamãe Completa, as pessoas que
me ajudaram a escrever esse livro, você pode
clicar aqui.

Muito obrigado pela atenção e até breve!