Você está na página 1de 52

Fascículo 028

Capa Fisica III.indd 1 03/01/2013 15:29:58


Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, seja eletrônico,
mecânico ou qualquer outro, sem a autorização prévia, por escrito, das editoras.

Direção Editorial: Clayton Lima


Autoria: Ricardo Augusto Gomes Jacob e
Ulisses Sampaio Castro
Revisão Pedagógica: Leandro Herston
Coordenação de Produção: Irapuan Moreira e Solange Gomes
Coordenação de Revisão: Adriana Josino
Projeto Gráfico e Capas: Eduardo Gomes
Imagem da Capa: Shutterstock
Pesquisa Iconográfica: Feliciano Magalhães Jr.
Ilustração: Maurício Magalhães
Editoração Eletrônica: Rachel Luzia
Revisão Editorial: Tatyanne Pereira
Impressão: Tecnograf Gráfica e Editora

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


Bibliotecária: Camila Stela Pereira Nunes CRB 3ª Região 861

C355 Jacob, Ricardo Augusto Gomes.


Física III / Ricardo Augusto Gomes Jacob e
Ulisses Sampaio Castro – Fortaleza: Smile Editorial, 2013.
1 v. ; 48 p. – (Coleção Pré-Universitário em Fascículos, 028)

Obra em fascículos.
ISBN 978-85-8002-506-4

1. Física III. Título.

CDD 530

Índice para catálogo sistemático:


1. Física 530

Ano 2013

NESTE VOLUME

CAPÍTULO 01
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Osciladores .......................................................................................................................................... 01

CAPÍTULO 02
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Introdução à Ondulatória....................................................................................................................... 07

CAPÍTULO 03
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Ondas Eletromagnéticas ........................................................................................................................ 21

CAPÍTULO 04
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Fenômenos Ondulatórios: Reflexão ......................................................................................................... 35

Editora Ipiranga Smile Editorial


Rua Pereira Filgueiras, 15 Rua Pereira Filgueiras, 15 ă Salas de 101 a 108 e 201
CEP: 60.160 -150 ă Fortaleza ă Ceará ă Brasil CEP: 60.160 -150 ă Fortaleza ă Ceará ă Brasil
ipiranga@editoraipiranga.com.br smile@smileeditorial.com.br

Capa Fisica III.indd 2 03/01/2013 15:30:00


Capítulo OSCILAÇÕES, ONDAS, ÓPTICA E RADIAÇÃO
01 Osciladores

03

Pêndulo Simples
01

Período e Frequência
L θ θMáx
Em nossas vidas existem vários eventos que se repetem.
Alguns eventos se repetem em um mesmo intervalo de tempo.
Por exemplo, as aulas de Física acontecem uma vez por semana.
Quando um evento se repete no mesmo intervalo de tempo,
dizemos que é um evento periódico. O evento que se repete é
chamado de ciclo. Neste outro modelo de oscilador, o período também é
Quando trabalhamos com eventos periódicos definimos as contado a partir de uma dada posição e corresponde ao tempo
grandezas Período e Frequência. necessário para percorrer todas as outras posições e voltar para
a posição inicial para reiniciar, e pode ser calculado por:

)
Período: tempo necessário para se realizar um ciclo. L L = comprimento do fio (m)
T =2 .  .
Frequência: número de ciclos realizados por unidade de tempo. g g = aceleração da gravidade (m/s2)

No Sistema Internacional de unidades a frequência é dada em


hertz (ciclos por segundo = hertz = Hz).
Pelas definições acima podemos concluir que: A equação dada é válida apenas na condição de Máx pequeno.

1 1
f= ou T =
T f

Há dois tipos de osciladores mecânicos básicos cujo período 01 (UFPR) Uma criança de massa 30,0 kg é colocada em um
é importante que saibamos calcular: o Oscilador Massa-Mola e balanço cuja haste rígida tem comprimento de 2,50 m. Ela
o Pêndulo Simples. é solta de uma altura de 1,00 m acima do solo, conforme a
figura abaixo. Supondo que a criança não se autoimpulsione,
podemos considerar o sistema “criança-balanço” como
02 um pêndulo simples. Desprezando-se a resistência do ar, é
correto afirmar:
Sistema Massa-Mola (Dado: g=10 m/s2)
2,50 m

Observe a figura:
M 1,00 m
Neste modelo de oscilador, 0,500 m
0
seja horizontal ou vertical, o
M 01) O intervalo de tempo para que a criança complete uma
período é o tempo necessário para
0 oscilação é de s.
a massa, saindo de uma extremi- 02) A energia potencial da criança no ponto mais alto em
dade, percorrer todas as posições M
relação ao solo é de 150 J.
e voltar para a posição inicial, e –A 0 +A
04) A velocidade da criança no ponto mais próximo do solo
pode de ser calculado por: é menor que 4,00 m/s.
08) Se a massa da criança fosse maior, o tempo necessário
para completar uma oscilação diminuiria.
)
m m = massa do bloco (kg)
T =2 .  . 16) A frequência de oscilação da criança depende da altura
K K = constante elástica da mola (N/m)
da qual ela é solta.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
01

AP. FÍSICA III.indd 01 03/01/2013 11:08:57


Resolução: Variações da aceleração da gravidade

Dados: 12
Z 10
]Pêndulo simples

aceleração (m/s2)
]m =30 kg 8
] 6
[L = 2, 5 m 4
]h =1m
] 2
] =
\ g 10 m/s
2 0
0 2000 4000 6000 8000 10000 12000
Aproveitaremos esta questão de pêndulo simples para relem- Altitude
brar rapidamente alguns conceitos básicos do estudo da mecânica. A) atrasará e para corrigir o problema deve-se aumentar L.
B) atrasará e para corrigir o problema deve-se diminuir L.
• Frase 01: Tempo de uma oscilação = período = T = ? C) adiantará e para corrigir o problema deve-se aumentar L.
Para um pêndulo simples temos: D) adiantará e para corrigir o problema deve-se diminuir L.
E) acabará parando em poucas horas.
L 2, 5
T =2 .  . & T =2 .  . & T = 2 .  . 25 .10–2 02 (FEI SP 2009) O relógio de pêndulo da casa de um aluno está
g 10
adiantando. Sua mãe, não sabendo o que fazer, pede ao aluno
T = 2 .  . 5 . 10 –1  T = s Frase correta que resolva a questão. O que o aluno deve fazer?
A) Aumentar a massa do pêndulo.
• Frase 02: Energia potencial gravitacional = EP = ? B) Diminuir a massa do pêndulo.
Pela mecânica temos: C) Aumentar o comprimento do pêndulo.
EP = m . g . h EP = 30 . 10 . 1 EP = 300 J D) Diminuir o comprimento do pêndulo.
E) Dar mais corda no relógio.
Frase incorreta

• Frase 04: Velocidade da criança no ponto mais baixo = VMáx = ?


Pela conservação da energia mecânica e considerando o plano
horizontal de referência a 0,5 m do solo (ponto mais baixo da COMPETÊNCIA 01
trajetória), temos: Compreender as ciências naturais e as tecnologias a elas associadas como
m . v2 construções humanas, percebendo seus papéis nos processos de produção
Emeci =Emecf & Ec i + Epi =EcF + Ep F & m . g . h = e no desenvolvimento econômico e social da humanidade.
2
v2
& g . h= & v = 2 . g . h & v = 2 .10 . 0, 5
2 LEITURA
& v = 10 m/s & Frase correta
O homem, desde que passou a constituir as sociedades,
sentiu a necessidade crescente de estabelecer padrões de
• Frase 08: O período de oscilação de um pêndulo simples não tempo universais. A hora de plantar e colher, os compromissos
sociais, os prazos usados nas transações comerciais, tudo
depende da massa e T = 2 .  . o & Frase incorreta.
L
demandava algum tipo de marcação cronológica que permitisse
g sincronismo das ações.
Antes da construção de relógios artificiais, a humanidade
• Frase 16: O período de oscilação de um pêndulo simples, bem valeu-se da regularidade observada em certos fenômenos
naturais, com destaque os astronômicos, para estabelecer
como sua frequência, independe da altura em que o corpo é
seus padrões para a determinação e medida do tempo: nestes
solto e T = 2 .  . o & Frase incorreta.
L termos, à rotação da Terra devemos o intervalo de tempo
g conhecido por 1 dia; às fases da Lua devemos a definição de
semana – período equivalente a 7(sete) dias – e do mês com
28 dias; à Translação da Terra devemos o conceito de ano, e
assim por diante.
01 A evolução da ciência e da tecnologia permitiram a cons-
trução de dispositivos cada vez mais precisos na marcação do
tempo. Todos eles baseiam-se na contagem de um evento,
natural ou artificial, que se repita de forma regular. A este
01 Uma família se muda do Rio de Janeiro para Teresópolis, evento periódico chamamos “base de tempo” do relógio.
cidade serrana que está a uma altitude de 800 m em relação Esta base de tempo normalmente é um oscilador de alguma
natureza: mecânico, elétrico, ou até atômico.
ao nível do mar. Na nova cidade, o relógio de pêndulo levado Nos relógios mecânicos, o oscilador normalmente é cons-
do Rio começa a apresentar uma alteração em seu funciona- tituído por um sistema massa-mola, ou no caso de alguns
mento. Lembrando que o período de oscilação de um pêndulo relógios, por pêndulos. Nos relógios elétricos (Quartz, por
L exemplo) o oscilador pode ser construído apenas com compo-
de comprimento L é dado por T = 2 .  . , em que g é a nentes elétricos, mas, por questões de precisão, é muito
g
comum que as oscilações deste sejam controladas por um
gravidade local e que o g varia com a altura de acordo com
cristal piezelétrico.
o gráfico a seguir, é correto estimar que o relógio:

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


02 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 02 03/01/2013 11:09:01


Estes cristais (como os de quartzo), quando estimulados por As pulseiras eram de brilhantes, e Santos Dumont
energia elétrica alternada, vibram em uma frequência fixa foi o primeiro a utilizar o couro. Como era sempre
(ressonância), definida pelo seu corte e lapidação, variando imitado, coube a ele a popularização do uso do
muito pouco com a temperatura ou mesmo com a oscilação da relógio no pulso, transformando o fato em moda, na
energia. Esta vibração amplificada eletronicamente aciona um época, quando os homens elegantes imediatamente
contador de tempo, onde se obtém relógios precisos (1/1.000 passaram a ostentá-lo.
milissegundos) e muito baratos. 1929 d.C. – Warren Alvin Morrison e Joseph Horton cons-
BREVE CRONOLOGIA DOS RELÓGIOS troem o primeiro relógio a cristal de quartzo.
1948 d.C. – O National Bureau of Standard (NBS), atualmente
3000 a.C. – Bastão Relógio de Sol. Estudos levam a crer
que o primeiro medidor de tempo, conhecido National Institute of Standards and Technology (NIST),
e realmente usado pelo homem, tenha sido um apresentou o primeiro relógio atômico mundial,
simples e rústico bastão fincado deliberadamente utilizando moléculas de amônia (NH3) como fonte
e conscientemente no solo. de vibrações.
2679 a.C. – Clepsidra. Um dos mais primitivos relógios 1957 d.C. – Max Hetzel (1921), da fábrica Hamilton, dos EUA,
hidráulicos. Antigos documentos relatam indícios apresenta o primeiro relógio de pulso eletrônico.
de que no reinado do imperador chinês Hoang-Ti, 1960 d.C. – As forças armadas americanas concebem o
no ano 2679 a.C., esse povo já conhecia e usava a projeto para o Global Positioning System (GPS),
Clepsidra. sistema de navegação que, como subproduto,
950 a.C. – Homero menciona em suas obras os períodos do permite a disseminação de tempo e frequência no
dia e do ano solar. mundo inteiro, com grande precisão.
580 a.C. – Atribui-se a Anaximandro de Mileto (610 a 547 1967 d.C. – A 13ª Conferência Geral de Pesos e Medidas
a.C.), importante filósofo grego, a introdução (CGPM) passou a considerar o padrão de Césio
de notável melhoria nos relógios de Sol, quando como base para a definição da unidade de tempo
constrói o primeiro quadrante solar, ou seja, os (segundo). Definição: o segundo é a duração de
mostradores. 9.192.631.770 períodos da radiação correspondente
250 a.C. – Surgem referências aos primeiros relógios de aos dois níveis hiperfinos do estado básico dos
areia, ampulhetas. átomos de Césio 133.
1380 d.C. – Surgem, na península itálica, os primeiros relógios 1970 d.C. – Começa a funcionar no Brasil, no Serviço da Hora
domésticos. do Observatório Nacional, o 1° padrão atômico de
1459 d.C. – A fita de aço é pela primeira vez aplicada nos Césio.
relógios como elemento motor, a mola. 1971 d.C. – Pesquisado e desenvolvido pela Optel Corporation,
1500 d.C. – Peter Henlein (1480-1542), de Nuremberg, Princeton, USA, surge a aplicação de um novo
inventa um relógio portátil. mostrador digital para relógios de pulso a quartzo,
1530 d.C. – Gemma Frisius (1508-1555) propõe que a longi- o Liquid Crystal Display (LCD).
tude no mar e em outros lugares pode ser deter- 1978 d.C. – Lançamento do primeiro dos 18 satélites que
minada com o auxílio de relógios portáteis. comporão o sistema GPS.
1582 d.C. – Galileu Galilei (1564-1642) descobre o isosincro- 2010 d.C. – O Dr. James Chin-Chou Wen, do NIST, desen-
nismo das oscilações do pêndulo. volve a segunda versão do relógio de lógica quân-
1587 d.C. – Começa em Genebra, Suíça, a fabricação de relógios. tica, usando um único átomo de alumínio (átomo
1610 d.C. – Inicia-se o uso dos vidros de proteção sobre os eletricamente carregado). Considerado o relógio
mostradores e ponteiros dos relógios portáteis, mais preciso do mundo, sua perda de um segundo
assim como a aplicação das miniaturas em esmalte, se dá a cada 3,4 bilhões de anos.
para a decoração das tampas das caixas.
Disponível em: <http://pcdsh01.on.br/histrelog1.htm> (Adaptado).
1640 d.C. – Galileu Galilei (1564-1642), com 76 anos e cego,
dita a seu filho e a seu aluno Vincenzo Viviani todos
os detalhes que permitiram a estes desenhar o
célebre relógio de Galileu, provido de um pêndulo.
1670 d.C. – O ponteiro de minutos começa a ser utilizado. 01
1726 d.C. – George Graham (1674-1751) inventa o pêndulo
com compensação a mercúrio.
1765 d.C. – Surge o ponteiro dos segundos.
1880 d.C. – O casal Curie (Pierre Curie (1859-1906) e Marie 01 (H02) A medição do tempo foi uma necessidade do homem
Curie (1867-1934)) descobre as qualidades piezo- desde muito cedo. Faz parte daquilo que chamamos “vida em
elétricas do Cristal de Quartzo. sociedade” e orienta praticamente todas as nossas ações no
cotidiano. Para medir o tempo, ao longo de sua história, o
1884 d.C. – O meridiano de Greenwich é aceito interna-
homem:
cionalmente como o ponto inicial na escala dos
meridianos para o cálculo das longitudes. A) sempre adotou padrões artificiais, independentes dos
1904 d.C. – Alberto Santos Dumont (1873-1932) solicitou a seu fenômenos naturais.
amigo joalheiro Louis-François Cartier (1875-1942) B) começou adotando padrões associados a fenômenos
que desenhasse um relógio adequado à aeronáutica. naturais periódicos.
Com sua orientação, Cartier construiu o primeiro C) começou adotando padrões associados a fenômenos
relógio de pulso masculino. Até então, somente naturais esporádicos.
mulheres usavam relógio no pulso, uma invenção D) desde o início se valeu do uso de artefatos mecânicos
da empresa suiça Patek-Philippe, em 1868. autônomos com engrenagens.
E) usou relógios que tinham uma base de tempo comum.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
03

AP. FÍSICA III.indd 03 03/01/2013 11:09:01


02 (H02) A evolução da tecnologia possibilitou o aumento 05 (UECE 2011.1) As frequências de vibração dos átomos em
expressivo da precisão dos instrumentos de medida de sólidos, à temperatura ambiente, são da ordem de 1013 Hz.
tempo. Hoje, usamos relógios de pulso com precisões que Considerando que no movimento de vibração cada átomo se
chegam a ser muitas milhares de vezes maiores que as que desloca linearmente, o tempo, em segundos, necessário para
realmente necessitamos normalmente. Tudo por conta do completar mil ciclos deste movimento é, aproximadamente:
avanço e consequente barateamento da tecnologia. O exame A) 10 –3.
cuidadoso da evolução dos relógios nos garante que:
B) 10 –10.
A) os relógios de pêndulo foram os primeiros a surgir, ainda C) 1016.
na antiguidade. D) 10 –16.
B) os primeiros relógios domésticos só vieram aparecer no
fim da Idade Moderna.
C) a relojoaria não teve importância para as navegações.
D) os relógios digitais com mostradores LCD são mais recentes
e, por isso, mais precisos que os relógios atômicos.
E) os relógios eletrônicos de pulso surgiram após a Segunda
Guerra Mundial.
03 (H01) Um relógio é composto por vários blocos com funções 06 (FATEC – MOD. ENEM – H01) O período de oscilação de
bem determinadas. Dentre eles destacam-se a base de tempo, L
a fonte de energia, o contador e o display. O pêndulo, o massa- um pêndulo simples pode ser calculado por T = 2 .  .,
g
-mola e o cristal de quartzo se prestam ao uso na função de: onde L é o comprimento do pêndulo e g a aceleração da
A) base de tempo. D) display.
B) fonte de energia. E) amplificadores. gravidade (ou campo gravitacional) do local onde o pêndulo
C) contadores. se encontra. Um relógio de pêndulo marca, na Terra, a hora
exata. Caso este relógio seja levado para a Lua:
A) atrasará, pois o campo gravitacional lunar é diferente do
01 terrestre.
B) não haverá alteração no período de seu pêndulo, pois o
tempo na Lua passa da mesma maneira que na Terra.
C) seu comportamento é imprevisível, sem o conhecimento
de sua massa.
D) adiantará, pois o campo gravitacional lunar é diferente do
terrestre.
E) não haverá alteração no seu período, pois o campo gravi-
01 (UERJ 2012) Uma pequena pedra amarrada a uma das extre- tacional lunar é igual ao campo gravitacional terrestre.
midades de um fio inextensível de 1 m de comprimento,
preso a um galho de árvore pela outra extremidade, oscila 07 (MACKENZIE 2001 – MOD. ENEM – H01) Comenta-se que
sob ação do vento entre dois pontos equidistantes e próximos o célebre físico e matemático Galileo Galilei, ao observar a
à vertical. Durante 10 s, observou-se que a pedra foi de um oscilação do lampadário da catedral de Pisa, na Itália, concluiu
extremo ao outro, retornando ao ponto de partida, 20 vezes. tratar-se de um movimento periódico, semelhante ao que
Calcule a frequência de oscilação desse pêndulo. hoje chamaríamos de pêndulo simples. Para tal conclusão,
teria medido o período do movimento, utilizando, como
02 (UFV MG – 2010) Um náufrago em uma ilha resolve fazer um unidade de medida para o tempo, seu próprio batimento
cronômetro utilizando um pêndulo simples oscilando com cardíaco. Se considerarmos um grande pêndulo simples, de
baixas amplitudes. Considere o módulo da aceleração da comprimento 10 m, oscilando num local onde g = 10 m/s2,
gravidade g = 10 m/s2. Para que esse pêndulo execute uma e que a frequência dos batimentos cardíacos é de 86 batidas
oscilação completa a cada segundo, o náufrago deve construir por minuto, o período do movimento desse pêndulo será de
um pêndulo com um comprimento de aproximadamente: aproximadamente:
A) 10 m. C) 0,25 m. A) 3 batidas. D) 12 batidas.
B) 1,0 m. D) 0,5 m. B) 6 batidas. E) 15 batidas.
03 (UFAL 2010) Um relógio de pêndulo é construído tal que o C) 9 batidas.
seu pêndulo realize 3600 oscilações completas a cada hora.
08 (UFLA 2003 – MOD. ENEM – H01) Os ponteiros de um
O relógio está descalibrado, de modo que o pêndulo oscila
em um Movimento Harmônico Simples de frequência igual a relógio do tipo cuco são movidos por um pêndulo simples.
1,25 Hz. Nessa situação, ao final de 3600 oscilações completas O pêndulo desses relógios possui um dispositivo para que
do pêndulo terão se passado: se ajuste seu comprimento de acordo com a estação do
ano. Considere um relógio cujo pêndulo tenha sido ajustado
A) 32 min. D) 52 min. para temperatura de 20°C. Para que esse relógio tenha um
B) 45 min. E) 56 min. funcionamento satisfatório num local onde a temperatura
C) 48 min. média no inverno é de 10°C e, no verão, 30°C, deve-se:
04 (UECE 2008) Um sistema massa-mola é preso ao teto. A A) no inverno diminuir o tamanho do pêndulo e no verão
partir do ponto de equilíbrio, faz-se a massa oscilar com aumentar.
pequena amplitude. Quadruplicando-se o valor da massa, B) no inverno e no verão aumentar o tamanho do pêndulo.
repete-se o mesmo procedimento. Neste caso, podemos C) no inverno e no verão diminuir o tamanho do pêndulo.
afirmar corretamente que a frequência de oscilação: D) no inverno aumentar o tamanho do pêndulo e no verão
A) é reduzida à metade. C) permanece a mesma. diminuir.
B) dobra. D) quadruplica. E) conservar o mesmo ajuste em todas as estações do ano.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


04 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 04 03/01/2013 11:09:01


09 (UFRS 2004 – MOD. ENEM – H01) A figura a seguir repre- TEXTO PARA AS QUESTÕES 12 E 13
senta seis pêndulos simples, que estão oscilando num mesmo
local. COMO MEDIR MASSAS NO ESPAÇO?
Como os astronautas fazem para medir a própria massa, por
(cm) P I II III IV V
exemplo, para controlar suas dietas? Uma balança comum é inútil,
25 pois seu funcionamento depende da existência de gravidade no
50
local, entretanto, no interior da nave, os objetos encontram-se
em situação de imponderabilidade. Então como fazem?
75
Eles usam um equipamento conhecido como Body Mass Measu-
100
ring Device (BMMD), o Aparelho de Medida de Massa Corpórea
(AMMC) que nada mais é do que um sistema massa-mola.
150 Nosso corpo evoluiu em um ambiente com gravidade. Em
condições de microgravidade, o corpo humano perde massa
200 muscular e cálcio dos ossos devido ao pouco esforço físico para
se mover e executar as tarefas diárias. Por isso, a NASA monitora
O pêndulo P executa uma oscilação completa em 2 s. Qual periodicamente essa perda de massa de seus astronautas.
dos outros pêndulos executa uma oscilação completa em 1 s?
A) I. D) IV.

spaceflight.nasa.gov
B) II. E) V.
C) III.
10 (UFU 2006 – MOD. ENEM – H01) Em um laboratório de
Física, um grupo de alunos, Grupo A, obtém dados, apresen-
tados na tabela a seguir, para a frequência (em hertz) num
experimento de Pêndulo Simples, utilizando-se três pêndulos
diferentes.

PÊNDULO FREQUÊNCIA
1 0,91
L
2 0,70
3 0,60

Esses resultados foram passados para um segundo grupo,


Foto retirada do site da NASA. Mostra uma astronauta no BMMD
Grupo B, que não compareceu à aula. Uma vez que os alunos executando as oscilações. O sistema astronauta + BMMD é o já
do Grupo B não viram o experimento, os integrantes desse conhecido sistema massa-mola, também conhecido como Oscilador
grupo formularam uma série de hipóteses para interpretar Harmônico. O movimento realizado pelo sistema é um movimento
os resultados das quais a única hipótese correta é que: harmônico simples (MHS).
A) a massa do pêndulo 1 é menor do que a massa do pêndulo
2 que, por sua vez, é menor do que a massa do pêndulo 3. A ideia consiste em fazer o astronauta oscilar junto com o equi-
B) a massa do pêndulo 1 é maior do que a massa do pêndulo pamento. Como o período do massa-mola depende da massa osci-
2 que, por sua vez, é maior do que a massa do pêndulo 3. lante, medindo o período de oscilação pode-se calcular a massa do
C) o comprimento L do fio do pêndulo 1 é maior do que o astronauta. Sendo M a massa do equipamento, m a do astronauta
comprimento do pêndulo 2 que, por sua vez, é maior do e k a constante elástica da mola do equipamento (conhecida),
que o comprimento do pêndulo 3. temos:
D) o comprimento L do fio do pêndulo 1 é menor do que M+ m M+ m K . T2
o comprimento do pêndulo 2 que, por sua vez, é menor T =2 .  . & T2 = 4 . 2 . & m= –M
K K 4 . 2
do que o comprimento do pêndulo 3.
E) o comprimento L do fio do pêndulo 1 é menor do que o
comprimento do pêndulo 2 que, por sua vez, é maior do
12 (MOD. ENEM – H01) O esquema simplificado representa um
que o comprimento do pêndulo 3.
Aparelho de Medida de Massa Corpórea (AMMC) existente
11 (UEG 2011 – MOD. ENEM – H07) Um técnico de laboratório na estação espacial internacional (ISS). Qual aproximada-
comprou uma mola de constante elástica 16 . 2 N/m. Para mente a constante elástica da mola sabendo que quando
confirmar o valor da constante elástica especificada pelo fabri- astronauta+cadeira somam 100 kg, sua frequência de osci-
cante, ele fez o seguinte teste: fixou a mola verticalmente no lação é de 0,5 Hz. (Use: = 3 e as informações do texto).
teto por uma de suas extremidades e, na outra extremidade, A) 100 N/m.
suspendeu um bloco com massa igual a 10 kg. Imediatamente B) 200 N/m.
após suspender o bloco, ele observou que este oscilava com C) 400 N/m.
frequência de 2 Hz. D) 900 N/m.
A partir do teste, o técnico verificou que a constante estava: E) 1000 N/m.
A) correta.
B) errada por 10%.
C) errada por uma dezena de unidades.
D) errada por uma ordem de grandeza.
E) errada por duas casas decimais.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
05

AP. FÍSICA III.indd 05 03/01/2013 11:09:01


13 (MOD. ENEM – H01) A frequência de oscilação natural do 17 (UFJF 2009) A figura abaixo mostra três massas penduradas
Aparelho de Medida de Massa Corpórea (AMMC) é: por fios presos ao teto. As massas serão postas para oscilar
A) maior para os astronautas de maior massa. e se movimentarão como pêndulos simples. No pêndulo 1,
B) maior para os astronautas de menor massa. da esquerda, o comprimento do fio é L e a massa é m. No
C) independente da massa do astronauta. pêndulo 2, do meio, o comprimento é L, mas a massa é 2 m.
D) diretamente proporcional ao período da oscilação. No pêndulo 3, da direita, o comprimento é 2 L e a massa é
2 m.
E) variável com a gravidade local.
14 (UFPB 2011 – MOD. ENEM – H01) Para agilizar o preparo
de massa de cimento, uma construtora adquire uma peneira
automática do tipo vaivém, conforme figura abaixo.
L L

2.L
m
2.m

2.m

Disponível em: <http://www.patentesonline.com.br>. Assinale a alternativa correta, quanto ao período de cada


Acesso em: 30 set. 2010. pêndulo:
O motor acoplado à peneira está programado para produzir A) Os três períodos serão distintos entre si.
um movimento de vaivém na peneira que simule um movi- B) Os períodos dos pêndulos 1 e 2 serão iguais, e diferentes
mento harmônico simples. Suponha que a peneira foi instalada do período do pêndulo 3.
sobre um terreno plano e que as suas bases estão fixadas ao C) Os períodos dos pêndulos 1 e 3 serão iguais, e diferentes
solo, de modo que toda a vibração na peneira seja exclusi- do período do pêndulo 2.
vamente produzida pelo motor. Dessa maneira, ao se ligar D) Os períodos dos pêndulos 2 e 3 serão iguais, e diferentes
o motor, constata-se que o movimento de vaivém periódico do período do pêndulo 1.
impresso à peneira se repete a cada 2 s e que a amplitude do E) Todos os pêndulos terão o mesmo período.
movimento é de 0,5 m.
18 (UFES 2005) Depósitos de metais preciosos (ouro, prata
Com base nessas informações: etc.) ou cavernas podem ser detectados usando-se aparelhos
A) o período do movimento de vaivém é de 4 s. sensíveis que medem a aceleração da gravidade local. Um
B) a frequência do movimento de vaivém é de 0,4 Hz. possível modo de medir a aceleração da gravidade local é
C) a distância entre as posições extremas do movimento da medir o período de um pêndulo simples. Em um levantamento
peneira é de 1 m. gravimétrico, utilizando um pêndulo simples, mediu-se, em
D) a velocidade máxima da peneira ocorre nos extremos da um ponto A, um período de T e, em um ponto B, um período
oscilação. 10 g
E) a energia cinética da oscilação é constante. de . T . A razão A entre os valores da aceleração da
9 gB
gravidade nos pontos A e B é de:
A) 10/9.
B) 100/81.
C) 9/10.
D) 81/100.
E) 81/10.
15 (INATEL) A figura a seguir mostra um pêndulo que pode
oscilar livremente entre as posições A e B. Sete segundos 19 (CEFET PR 2006) O período do Movimento Harmônico
após ter sido abandonado da posição A, o pêndulo atinge o Simples (MHS) de um sistema massa-mola:
ponto B pela quarta vez. O período do pêndulo é: A) depende da massa do ponto material em movimento.
A) 0,5 s. B) depende da amplitude de oscilação.
B) 7/3 s. C) independe da massa do ponto material.
C) 7/4 s. D) independe da constante elástica.
D) 1 s. E) independe da frequência de oscilação.
E) 2 s. 20 (UFVJM 2008) Um sistema massa-mola oscila horizontalmente
A B
sobre um piso sem atrito, com o dobro da frequência de um
pêndulo simples. O comprimento do pêndulo é de 1 m e a
16 (UNIFENAS) Um pêndulo de comprimento L oscila em MHS constante elástica da mola é de 4 N/m. Considere: g = 10 m/s2.
(Movimento Harmônico Simples). Caso exista dilatação térmica Com base nessas informações, assinale a alternativa que
que venha a aumentar em 21% o seu comprimento inicial, qual apresenta o valor correto da massa presa à mola.
é a porcentagem de aumento do período do pêndulo? A) 0,2 kg.
A) 13. D) 9. B) 0,4 kg.
B) 11. E) 6. C) 0,1 kg.
C) 10. D) 0,8 kg.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


06 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 06 03/01/2013 11:09:01


Capítulo OSCILAÇÕES, ONDAS, ÓPTICA E RADIAÇÃO
02 Introdução a Ondulatória

02

Classificação das Ondas


01
2.1 CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS QUANTO À
NATUREZA
Definição de Onda
A classificação das ondas pela natureza leva em consideração
a energia que a onda transporta.
Quando ouvimos a palavra onda, talvez a primeira lembrança
que nos vem a cabeça são as ondas do mar. Em nossas vidas as A) Ondas Mecânicas
ondas estão presentes de várias formas e em diversos momentos. As ondas mecânicas transportam energia mecânica (cinética +
potencial) através da vibração de matéria. Em uma corda a energia
Em vários casos, nem percebemos sua existência. O desconheci-
é transportada pela vibração da corda. Nas ondas do mar, o
mento das ondas pode ser perigoso, pois algumas ondas podem
transporte de energia é feito pela vibração da superfície da água.
ser prejudiciais ao corpo humano.
Nas ondas sonoras a vibração do ar transporta a energia.
Neste capítulo, vamos apresentar as ondas periódicas e
As ondas mecânicas não se propagam no vácuo, pois a ausência
algumas de suas características fundamentais.
de matéria impede sua propagação.

O que é uma Onda?


A onda é uma vibração que se propaga transportando
energia sem transportar matéria.

A vibração do alto-falante é transferida para o ar.


Observe na figura a seguir que um pedaço de isopor que A vibração se espalha pelo ar até chegar aos nossos tímpanos.
flutua na água não pode ser transportado pela onda, pois uma
onda não transporta matéria. B) Ondas Eletromagnéticas
As ondas eletromagnéticas transportam energia eletromag-
nética através da vibração de campos elétricos e magnéticos. Por
isso, as ondas eletromagnéticas se propagam no vácuo e nos meios
materiais. Exemplos: ondas de rádio, micro-ondas, infravermelho,
luz, ultravioleta, raios X e raios gama.

Disponível em: < http://www.freepik.com> (Adaptada).

Observe que existem três elementos fundamentais na defi- Cargas elétricas oscilam no interior da antena, gerando campos
nição de onda: vibração, propagação e transporte de energia. A elétrico e magnético oscilantes. Esses campos se “espalham” pelo
partir desses três elementos vamos classificar as ondas. meio até chegar a outra antena. Não existe vibração de matéria.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
07

AP. FÍSICA III.indd 07 03/01/2013 11:09:02


2.2 CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS QUANTO À C) Ondas Tridimensionais
VIBRAÇÃO A onda tridimensional propaga-se em várias direções em
A classificação das ondas quanto à vibração leva em conside- planos diferentes. A energia é transportada para vários pontos do
ração as direções dos movimentos de vibração e de propagação espaço. Exemplos: ondas sonoras, ondas luminosas etc.
de uma onda.
A) Ondas Transversais
OBSERVAÇÕES
As ondas transversais apresentam direção de vibração perpen-
dicular à direção de propagação. Exemplos: ondas em cordas, • Todas as ondas elétromagnéticas são também transversais
ondas na superfície de um líquido etc. e tridimensionais.
• As ondas sonoras no ar são mecânicas, longitudinais e tridi-
propagação
mensionais.

02
vibração

01 (PUC PR) Um rapaz e uma garota estão em bordas opostas de


A direção de vibração é perpendicular à direção de uma lagoa de águas tranquilas. O rapaz, querendo comunicar-
propagação. -se com a garota, coloca dentro de um frasco plástico um
bilhete e, arrolhado o frasco, coloca-o na água e lhe dá uma
pequena velocidade inicial. A seguir, o rapaz pratica movi-
B) Ondas Longitudinais mentos periódicos sobre a água, produzindo ondas que se
As ondas longitudinais apresentam direção de vibração igual propagam, pretendendo com isso aumentar a velocidade do
a direção de propagação. Exemplo: ondas sonoras. frasco em direção à garota. Com relação a esse fato, podemos
Propagação
afirmar:
Vibração
A) Se o rapaz produzir ondas de grande amplitude, a garrafa
chega à outra margem mais rápido.
B) O tempo que a garrafa gasta para atravessar o lago depen-
derá de seu peso.
C) Quanto maior a frequência das ondas, menor será o tempo
de percurso até a outra margem.
D) A velocidade da garrafa não varia, porque o que se trans-
A direção de vibração é igual a direção de propagação. porta é a perturbação, e não o meio.
E) Quanto menor o comprimento de onda, maior será o
aumento na velocidade da garrafa.
2.3 CLASSIFICAÇÃO DAS ONDAS QUANTO À
PROPAGAÇÃO 02 (CESGRANRIO) O pulso triangular, dado a seguir, se movi-
menta para a direita, ao longo de uma corda ideal. No instante
A classificação das ondas quanto à propagação leva em consi-
considerado, as velocidades dos pontos M e N da corda
deração a forma da onda se espalhar pelo meio.
podem ser representadas por:
A) Ondas Unidimensionais
A onda unidimensional propaga-se em apenas uma direção.
A energia é transportada para vários pontos contidos em uma M
N
mesma direção. Exemplo: onda em corda.
B) Ondas Bidimensionais
A onda bidimensional propaga-se em várias direções contidas
em uma mesma superfície. A energia é transportada para vários
A) D) M
pontos contidos em um mesmo plano. Exemplo: onda na super-
fície de líquidos. MN
N
Shutterstock

N
M
B) E)
N M

C) M

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


08 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 08 03/01/2013 11:09:05


03 (UFMG) As ondas eletromagnéticas, ao contrário das ondas C) As ondas sonoras e luminosas são enviadas diretamente
mecânicas, não precisam de um meio material para se dos equipamentos de gravação para os aparelhos de TV.
propagar. Considere as seguintes ondas: som, ultrassom, D) O som e a imagem são registrados a partir de uma câmera.
ondas de rádio, micro-ondas e luz. Sobre essas ondas é Esse registro é transformado em ondas eletromagnéticas.
correto afirmar que: Essas ondas são emitidas e recebidas pela rede elétrica
A) luz e micro-ondas são ondas eletromagnéticas e as outras da cidade. O aparelho de TV transforma essa onda nova-
são ondas mecânicas. mente em som e imagem.
B) luz é onda eletromagnética e as outras são ondas mecâ- E) O som e a imagem são registrados a partir de uma câmera.
nicas. Esse registro é transformado em ondas mecânicas. Essas
C) som é onda mecânica e as outras são ondas eletromag- ondas são emitidas e recebidas pela rede elétrica da
néticas. cidade. O aparelho de TV transforma essa onda nova-
D) som e ultrassom são ondas mecânicas e as outras são mente em som e imagem.
ondas eletromagnéticas.
TEXTO PARA A QUESTÃO 02
“COLHEITA DE ONDAS”
Estamos literalmente mergulhados em um mar de ondas
02 eletromagnéticas. Rádios, TVs, telefones celulares, redes de
computador, satélites artificiais e uma infinidade de outros equi-
pamentos emitem essas ondas continuamente. Agora, um grupo
de pesquisadores desenvolveu uma forma de coletar essa energia
do ar, transformando-a em eletricidade pronta para ser usada em
outros equipamentos. É mais um elemento da chamada “colheita
de energia”, um conceito que vem chamando a atenção dos pesqui-
sadores pela possibilidade de extrair energia do meio ambiente,
01 (DARWIN) Os aparelhos de TV fazem parte da nossa vida. disponível na forma de luz, vibrações, calor e ondas de rádio. Para
O uso desses equipamentos é tão simples e prático que a coletar a energia das ondas eletromagnéticas do ar, a equipe do
maior parte da população desconhece o seu verdadeiro Dr. Manos Tentzeris, da Universidade da Geórgia, nos Estados
funcionamento.
Unidos, criou um novo tipo de antena. As antenas foram fabricadas
por uma técnica de impressão por jato de tinta, que aplica tintas
condutoras sobre plástico ou papel. Isso permitirá que as antenas
sejam construídas junto com o aparelho que deverão alimentar.

Gary Meek

As antenas, projetadas para captar diversos compri-


mentos de onda, são impressas sobre plástico ou papel.

Disponível em: <http://www.inovacaotecnologica.com.br/


Marque a alternativa que explica corretamente o funciona- noticias/noticia.php?artigo=energia-ar-ondas-eletromagneticas&id
mento da TV. =010115110708&ebol=sim>. Acesso em: 20/07/2011.
A) O som e a imagem são registrados a partir de uma câmera.
Esse registro é transformado em ondas mecânicas, que 02 (DARWIN – MOD. ENEM – H23)Com base no texto:
se propagam apenas nos meios materiais. Essas ondas A) A energia captada pelas antenas na forma de ondas mecâ-
são emitidas e recebidas por antenas. O aparelho de nicas é transformada em energia elétrica.
TV transforma essa onda, que foi recebida pela antena, B) A energia captada pelas antenas na forma de ondas eletro-
novamente em som e imagem. magnéticas é transformada em energia elétrica.
B) O som e a imagem são registrados a partir de uma câmera. C) A energia captada pela movimentação do ar é transfor-
Esse registro é transformado em ondas eletromagnéticas, mada em energia elétrica.
que se propagam independente do meio material. Essas D) A energia captada na forma de luz é transformada em
ondas são emitidas e recebidas por antenas. O aparelho energia elétrica.
de TV transforma essa onda, que foi recebida pela antena, E) A energia captada pela movimentação das antenas é
novamente em som e imagem. transformada em energia elétrica.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
09

AP. FÍSICA III.indd 09 03/01/2013 11:09:06


03 (UFSC 2007 – ADAPTADA) Um candidato, no intuito de 06 (MOD. ENEM – H01) Durante uma entrevista na indefectível
relaxar após se preparar para as provas do vestibular, resolve rede internacional de notícias CMM, o repórter entrevista um
surfar em um dia de ótimas ondas para a prática deste esporte. famoso astrônomo sobre a espetacular explosão supernova
de uma estrela. Surpreendido pela descrição da magnitude

Shutterstock
da explosão, o repórter comenta: “O estrondo deve ter sido
enorme!”. Conhecendo-se o mecanismo de propagação de
ondas sonoras, pode-se argumentar que o som:
A) é detectado na Terra por ser uma onda elástica.
B) não é detectado na Terra por ser uma onda mecânica.
C) é detectado na Terra por radiotelescópios, pois é uma
onda eletromagnética de baixa frequência.
D) é detectado porque a onda eletromagnética transforma-se
em mecânica ao atingir a Terra.
Analise as proposições: E) não é detectado na Terra por ser uma onda eletromag-
I. A onda do mar que conduzirá o surfista não possui nética.
nenhuma energia.
TEXTO PARA A QUESTÃO 07

pt.wikipedia.coom
II. Ao praticar seu esporte, o surfista aproveita parte da
energia disponível na onda e a transforma em energia Recentemente o físico Marcos Pontes
cinética. se tornou o primeiro astronauta brasileiro
III. A lei da conservação da energia permite afirmar que toda a ultrapassar a atmosfera terrestre. Diaria-
a energia da onda do mar é aproveitada pelo surfista. mente existiam contatos entre Marcos e
IV. Se o surfista duplicar sua velocidade, então a energia a base, e alguns deles eram transmitidos
cinética do surfista será duas vezes maior. através dos meios de comunicação.
V. Tanto a energia cinética como a energia potencial gravita-
cional são formas relevantes para o fenômeno da prática
do surf numa prancha. 07 (UFPEL – MOD. ENEM – H01) Com base no texto e em seus
VI. Por ser um tipo de onda mecânica, a onda do mar pode conhecimentos, é correto afirmar que conseguíamos “ouvir”
ser útil para gerar energia para consumo no dia a dia. e “falar” com Marcos, porque, para essa conversa, estavam
Sobre as afirmações acima, é correto dizer que: envolvidas:
A) apenas as afirmativas I, III e V estão corretas. A) apenas ondas mecânicas – transversais – já que estas se
B) apenas as afirmativas III, IV e V estão corretas. propagam, tanto no vácuo como no ar.
C) apenas as afirmativas IV, V e VI estão corretas. B) apenas ondas eletromagnéticas – longitudinais – já que
D) apenas as afirmativas II, IV e V estão corretas. estas se propagam, tanto no vácuo como no ar.
E) apenas as afirmativas II, V e VI estão corretas. C) ondas eletromagnéticas – transversais – que apresentam
as mesmas frequência, velocidade e comprimento de
04 (UFLA 2008) A computação gráfica tem possibilitado ao
cinema usos e abusos de efeitos especiais, até sem observar onda, ao passar de um meio para outro.
e respeitar as leis da Física. Nos filmes de ficção científica, D) ondas mecânicas – transversais – que apresentam as
principalmente em ações interplanetárias, ocorrem explosões mesmas frequência, velocidade e comprimento de onda,
estonteantes, estrondos ensurdecedores, aliados a efeitos ao passar de um meio para outro.
luminosos empolgantes. Com relação aos efeitos especiais E) tanto ondas eletromagnéticas – transversais – que se
mostrados nos “filmes de ação” no espaço intergaláctico, propagam no vácuo, como ondas mecânicas – longitu-
pode-se afirmar que: dinais – que necessitam de um meio material para a sua
A) somente os efeitos sonoros não respeitam as leis da Física. propagação.
B) somente os efeitos luminosos não respeitam as leis da
Física. TEXTO PARA AS QUESTÕES 08 E 09
C) ambos os efeitos, luminosos e sonoros, não respeitam as Quando um violão é tocado,
Shutterstock

leis da Física. a percussão do músico sobre as


D) ambos os efeitos, luminosos e sonoros, respeitam as leis cordas produz vibrações que se
da Física. propagam na corda perturbando o ar
ao redor, gerando assim uma outra
onda que se propaga até nós, nos
permitindo ouvir as notas tocadas.

08 (MOD. ENEM – H01) Comparando a direção de vibração de


05 (MOD. ENEM – H01) O LASER e o RADAR são aplicações um ponto na corda próximo à boca do violão com a direção
tecnológicas que fazem o uso de ondas. Uma aplicação médica de propagação da onda na corda poderíamos dizer que esta
baseada em ondas de mesma natureza dos exemplos dados é: onda que se propaga na corda é:
A) o sonar. A) eletromagnética.
B) a ultrassonografia. B) tridimendional.
C) a radiografia. C) longitudinal.
D) a ecografia. D) transversal.
E) o estetoscópio. E) ionizante.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


10 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 10 03/01/2013 11:09:06


09 (MOD. ENEM – H01) Fazendo a mesma análise da questão 11 (MOD. ENEM – H01) Explosões solares como a mostrada
anterior, mas agora para o som que ouvimos oriundo do ocorrem frequentemente e delas recebemos calor, luz e partí-
violão, diríamos que estas ondas que ouvimos são: culas, mas não podemos ouvi-las devido ao som ser uma onda:
A) eletromagnéticas.
A) mecânica.
B) tridimendionais.
C) longitudinais. B) eletromagnética.
D) transversais. C) tridimensional.
E) ionizantes. D) transversal.
10 (MOD. ENEM – H01) A distância Terra-Lua é constantemente E) bidimensional.
monitorada a Laser com a ajuda de refletores deixados na
12 (MOD. ENEM – H01) A página da Internet do IG-USP, que
superfície da Lua pelos projetos Apolo e Lunokhod. Estes
refletores direcionais devolvem na mesma direção de inci- fala sobre terremotos, traz a seguinte definição:
dência os feixes Laser emitidos por diversos observatórios “Existem diversos tipos de ondas elásticas que são libe-
na Terra. Pelo tempo de retorno da onda luminosa é possível
radas quando ocorre um terremoto. Os tipos mais importantes
calcular a distância exata entre a Terra e a Lua naquele
momento. são: ondas P (ou primárias) – movimentam as partículas do
solo comprimindo-as e dilatando-as. A direção do movimento

Foto - Agência Espacial


Americana (NASA).
das partículas é paralela à direção de propagação da onda;
ondas S (ou secundárias) – movimentam as partículas do solo
perpendicularmente à direção da propagação da onda.”
Baseado nessas informações, um estudante poderá classificar
as ondas P e S, de modo fácil e correto, em ondas:
A) mecânicas e eletromagnéticas.
B) estacionárias e de matéria.
C) longitudinais e transversais.
D) luminosas e sonoras.
Reator instalado na Lua pelos astronautas da Apolo 11.
E) harmônicas e senoidais.
O que permite que os pulsos LASER se propaguem no espaço,
entre a Terra e a Lua, é o fato da luz ser uma onda:
A) mecânica.
B) eletromagnética.
C) longitudinal.
D) transversal.
E) bidimensional.
13 (UFMG) Um pescador em alto mar com seu barco parado
TEXTO PARA A QUESTÃO 11 aguarda pacientemente por bom peixe. Sabendo que
BBC-BRASIL, 18 DE ABRIL, 2012 - 11:55 seu barco em certo instante se encontra no ponto P da
(BRASÍLIA) 14:55 GMT onda (figura a seguir) e que a direção de propagação da
A agência espacial americana, a Nasa, divulgou imagens de onda na corda também está indicada na figura, assinale a
uma poderosa explosão solar que liberou plasma super aquecido alternativa em que estão representados corretamente a
da superfície do sol no espaço. A explosão foi registrada pela direção e o sentido do deslocamento do barco, no instante
espaçonave do Observatório de Dinâmica Solar, parte de uma mostrado.
missão de cinco anos focada no sol. Embora a tempestade não Direção de
tenha sido a mais forte do ano, fotos e vídeo da erupção solar propagação da onda
chamam a atenção pela propagação de plasma no espaço. Ejeções
de massa coronal (CMEs) extremamente fortes podem colocar
em risco astronautas e satélites no espaço, assim como redes de
energia, navegação e sistemas de comunicação na Terra. P
(NASA)

A) C)
Direção de Direção de
propagação propagação

P P

Direção de Direção de
B) propagação D) propagação
Erupção Solar
Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/portuguese/
P P
noticias/2012/04/120418_sol_rp.shtml>

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
11

AP. FÍSICA III.indd 11 03/01/2013 11:09:07


14 (FMTM 2006.1) Denomina-se onda o movimento causado
por uma perturbação que se propaga por um meio. As ondas
podem ser classificadas quanto à natureza, quanto à direção
de propagação e quanto à direção de vibração. Em relação à
direção de propagação, as ondas podem ser unidimensionais, 03
bidimensionais ou tridimensionais, e ficam perfeita e respec-
tivamente representadas por ondas:
Ondas Periódicas
A) em cordas, em superfícies de lagos e sonoras.
B) em metais, sonoras e eletromagnéticas.
C) luminosas, em metais e em cordas. Para entendermos melhor como se produz uma onda perió-
D) sonoras, eletromagnéticas e em cordas. dica, vamos a um exemplo. Observe a corda esticada da figura a
E) luminosas, em metais e em superfícies de lagos. seguir. Se puxarmos a corda do meio para cima, a seguir, puxarmos
para baixo e retornarmos a posição central inicial, podemos dizer
15 (UFV MG) Uma boia encontra-se no meio de uma piscina. que um ciclo foi feito na corda. A repetição desse ciclo em um
Uma pessoa provoca ondas na água, tentando deslocar a boia mesmo intervalo de tempo, produz na corda uma onda periódica.
para a borda. A chegada da boia à borda da piscina:
A) jamais ocorrerá. A B C
B) depende da frequência da onda.
C) depende da amplitude da onda.
D) depende da densidade da água.
E) depende da razão frequência/amplitude da onda.
TEXTO PARA A QUESTÃO 16

Observe que uma cópia do movimento feito pela mão é


transferida para a corda.

3.1 ELEMENTOS DE UMA ONDA PERIÓDICA


Para definirmos as grandezas envolvidas nas ondas periódicas,
vamos tomar um exemplo. Vamos pegar uma corda e realizar
quatro ciclos em sua extremidade. Para isso vamos começar
Quino, Toda Mafalda puxando a corda do meio para cima, depois para baixo e retor-
nando ao meio (posição de saída).
16 (FMTM MG) Com respeito às características das ondas,
observe as afirmações: Propagação
I. Unidimensionais são ondas que se propagam em um único
plano, como por exemplo, as que ocorrem na superfície
de um lago;
II. Ondas sonoras no ar atmosférico são exemplos de ondas
tridimensionais;
III. Ondas eletromagnéticas, como as de rádio, podem vibração
4o ciclo 3o ciclo 2o ciclo 1o ciclo
propagar-se no vácuo;
IV. Quando geradas em cordas de instrumentos sonoros, são
consideradas mecânicas quanto à natureza e longitudinais A) Período (T)
quanto à direção de propagação. É o tempo necessário para realizar um ciclo.

Está correto o contido apenas em: Exemplo: Para se gerar os quatro ciclos da onda do exemplo
anterior foram necessários 2 segundos. Determine o período de
A) I e II.
oscilação da onda.
B) I e III.
C) I e IV. 4 ciclos ) 2 s & 4 . T = 2 & T = 0, 5 s
1
D) II e III. 1 ciclo ) T
E) II e IV.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


12 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 12 03/01/2013 11:09:08


B) Frequência (f) D) Amplitude de Vibração (A)
É o número de ciclos que a onda descreve na unidade de É a distância entre o ponto de vibração mais distante e o eixo
tempo. Se o tempo estiver em segundos, podemos dizer que a de equilíbrio.
frequência é o número de ciclos que a onda executa a cada um Amplitude de vibração para ondas transversais:
segundo. A unidade de frequência é ciclos/segundo, comumente • Distância entre o eixo de equilíbrio e a crista;
chamada de Hertz (Hz) (1 Hz = 1 ciclo/s). • Distância entre o eixo de equilíbrio e o vale.

Propagação
Exemplo: Para se gerar os quatro ciclos da onda do exemplo
crista crista
anterior foram necessários 2 segundos. Determine a frequência A
de oscilação da onda. +A
Vibração
4 ciclos ) 2 s & 2 . f = 4 & f = 2 ciclos & f = 2 Hz
vale vale

1 s Eixo de equilíbrio
f ciclos ) 1 s

Amplitude de vibração para ondas longitudinais:


• Distância entre o ponto de equilíbrio e ponto de vibração
Podemos observar, através das definições de período e mais distante.
frequência, que:
+A
)
1 1 T " segundos A
f= ou T =
T f f " hetz (Hz)
Ponto de vibração mais distante para frente

Ponto de equilíbrio
C) Comprimento de Onda ( – letra grega lâmbda)
Ponto de vibração mais distante para trás

É a menor distância entre dois pontos da onda que vibram


com mesma velocidade, mesma direção e mesmo sentido (dois E) Velocidade de Propagação da Onda (V)
pontos que vibram em fase).
É a velocidade com que a vibração se propaga (espalha) por
Comprimento de onda para ondas transversais: um meio. A velocidade de propagação é constante para um meio
• Distância entre duas cristas consecutivas;
de densidade constante.
• Distância entre dois vales consecutivos;
Sendo V o módulo da velocidade de propagação da onda,
• Distância entre o início de um ciclo e o início do ciclo seguinte.
espaço
temos pela mecânica V = , que para ondas periódicas
tempo
Propagação O O temos:
crista crista
Relação Fundamental da Ondulatória


V= ou V = . f
Vibração
vale vale T
4 ciclo
o
3 ciclo
o
2 ciclo
o
1 ciclo
o

O A velocidade de propagação de qualquer onda eletromagnética


no vácuo é sempre igual a:
Comprimento de onda para ondas longitudinais:
• Distância entre duas compressões consecutivas; V = 3 . 105 km/s ou V = 3 . 10 8 m/s
• Distância entre duas rarefações consecutivas;
VLUZ_Sólidos < VLUZ_Líquidos < VLUZ_Gases < VLUZ_Vácuo
• Distância entre o início de uma compressão e o início da
compressão seguinte.
A velocidade de propagação de qualquer onda sonora no ar
Propagação é aproximadamente:
O O
Vibração
Vsom = 340 m/s

O VSOM Sólidos > VSOM Líquidos > VSOM Gases


Fonte vibrando com
frequência f Compressão Rarefação

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
13

AP. FÍSICA III.indd 13 03/01/2013 11:09:08


Cálculo do período T (tempo de 1 ciclo):
OBSERVAÇÕES
10 ciclos ) 20 s & 10 . T = 20 & T = 2 s
1
I. Velocidade de propagação da onda: é uma característica 1 ciclo ) T s
do meio, isto é, enquanto uma mesma onda estiver em um
mesmo meio a velocidade será a mesma. Cálculo da velocidade de propagação V:
Para ondas mecânicas a velocidade de propagação depende S 12
V= & V = & V = 2 m/s
exclusivamente do meio (independe da frequência). t 6
Exemplo: duas ondas sonoras de frequências f1=500 Hz e Amplitude = A = distância da crista ao ponto de equilíbrio = 15 cm.
f 2=1000 Hz ao se propagarem no ar terão a mesma veloci- Cáculo do comprimento de onda :
dade de propagação, aproximadamente 340 m/s.  
Para ondas eletromagnéticas a velocidade de propagação V = & 2= &  = 4 m
T 2
depende do meio e da frequência (exceto no vácuo).
Exemplo: duas ondas luminosas de frequências f1=4 . 1014Hz Alternativa C
e f 2=5 . 1014Hz ao se propagarem no vidro terão diferentes
velocidades de propagação. (Abordaremos esse assunto no 02 (UNESP 2007) A propagação de uma onda no mar da
volume 02 da apostila.) esquerda para a direita é registrada em intervalos de 0,5 s
e apresentada através da sequência dos gráficos da figura,
II. Período e Frequência: é uma característica da fonte, isto tomados dentro de um mesmo ciclo. Analisando os gráficos,
podemos afirmar que a velocidade da onda, em m/s, é de:
é, mesmo que a onda mude de meio, a frequência não será
alterada. O mesmo é válido para o período. O período e a A) 1,5.
frequência da onda são sempre iguais ao período e a frequên- B) 2,0.
C) 4,0.
cia da fonte que gerou essa onda.
D) 4,5.
E) 5,0.
III. Comprimento de Onda: depende da fonte e do meio.

 1kHz = 103 Hz (quilohertz)


 1MHz = 106 Hz (megahertz)
 1GHz = 109 Hz (gigahertz) 0 1 2 3 4 5
x (m)
o o
 1 A = 10 –10 m ( A = Angströn)
  = 10 –6 (= micro) Resolução

 m = 10 –3 (m= mili) Dados:


t = 0, 5 s
*Mesmo ciclo
V =?

01 (EFOA 2002) A ponta de um galho de árvore toca a superfície


Como o texto afirma que as fotos foram tomadas dentro do
de um lago e, quando a árvore balança com o vento, produz
ondas na superfície deste. Um pescador, próximo à arvore, mesmo ciclo, podemos concluir que a onda se desloca 1m de uma
observa que o galho oscila 10 vezes em 20 s e que cada osci- foto para a outra:
lação produz ondas com cristas cujos máximos estão 15 cm
acima da superfície do lago. O pescador observa ainda que
uma determinada crista de onda chega a um barco, afastado 'S = 1 m

12 m da ponta do galho, em 6,0 s. O período, a velocidade, a 't = 0,5 s


amplitude e o comprimento de onda são, respectivamente:
'S = 1 m
A) 6,0 s, 2,0 m/s, 15 cm, 12 m.
't = 0,5 s
B) 20 s, 0,50 m/s, 30 cm, 4,0 m.
C) 2,0 s, 2,0 m/s, 15 cm, 4,0 m. 'S = 1 m
D) 6,0 s, 0,50 m/s, 7,5 cm, 4,0 m. 't = 0,5 s
E) 2,0 s, 0,50 m/s, 7,5 cm, 12 m.

Resolução: 0 1 2 3 4 5
x (m)
Dados:
Z10 ciclos ) 20 s
]
] Altura da crista =15 cm S 1
[ V= & V= & V = 2 m/s
t 0, 5
] S =12 m
] t = 6, 0 s Alternativa B
\
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
14 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 14 03/01/2013 11:09:08


03 (FUVEST) Um grande aquário, com paredes laterais de vidro, 02 (MACKENZIE) Uma onda mecânica, que se propaga num
permite visualizar, na superfície da água, uma onda que se determinado meio com velocidade 1,50 m/s, apresenta as
propaga. A figura representa o perfil de tal onda no instante características da figura abaixo. A frequência dessa onda é:
to. Durante sua passagem, uma boia, em dada posição, oscila
para cima e para baixo e seu deslocamento vertical (y), em A) 1,00 Hz.
150 cm
função do tempo, está representado no gráfico. Com essas B) 1,25 Hz.
informações, é possível concluir que a onda se propaga com C) 2,50 Hz.
uma velocidade, aproximadamente, de: D) 5,00 Hz. 30 cm

A) 2,0 m/s. E) 10,00 Hz.


B) 2,5 m/s. Figura
C) 5,0 m/s.
D) 10 m/s. 03 (FUVEST) O som de um apito é analisado com o uso de um
E) 20 m/s. medidor que, em sua tela, visualiza o padrão apresentado na
figura abaixo. O gráfico representa a variação da pressão que
a onda sonora exerce sobre o medidor, em função do tempo,
em μs (1 μs = 10 –6 s). Analisando a tabela de intervalos de
5m 5m
5m 5m 5m 5m 5m frequências audíveis, por diferentes seres vivos, conclui-se
que esse apito pode ser ouvido apenas por:

Variação de
y (m)

pressão
Gráfico

t (s)
5 10 15 Tempo
10 μs

SERES INTERVALOS DE
Resolução VIVOS FREQUÊNCIA
Pela figura podemos medir o comprimento de onda a partir cachorro 15 Hz – 45.000 Hz
da distância entre duas cristas sucessivas:
ser humano 20 Hz – 20.000 Hz
sapo 50 Hz – 10.000 Hz
gato 60 Hz – 65.000 Hz
O=20m morcego 1000 Hz – 120.000 Hz

A) seres humanos e cachorros.


B) seres humanos e sapos.
C) sapos, gatos e morcegos.
Pelo gráfico podemos medir o tempo de 1 ciclo: D) gatos e morcegos.
E) morcegos.
y (m) Gráfico
t (s) TEXTO PARA AS QUESTÕES 04 E 05
 20
V= & V= & V = 2 m/s Para se estudar as propriedades das ondas num tanque de
5 10 15 T 10
1 ciclo água, faz-se uma régua de madeira vibrar regularmente, tocando
T = 10 s a superfície da água e produzindo uma série de cristas e vales que
se propagam da esquerda para a direita.
Alternativa A

03 Régua de
madeira

01 (PUC RJ) Morcegos podem produzir e detectar sons de Direção e sentido de propagação
frequência muito maiores do que as que o ouvido humano é
sensível. Para caçar insetos que fazem parte da sua dieta, uma
frequência típica usada é 100 kHz. Se a velocidade do som no 04 (UFMG) A régua toca a superfície da água 10 vezes em 5,0
ar, à temperatura ambiente, é de 340 m/s, o comprimento de segundos, e duas cristas consecutivas da onda ficam separadas
onda associado àquela frequência vale: de 2,0 centímetros. A velocidade de propagação da onda é:
A) 3,4 mm. A) 0,5 cm/s.
B) 3,4 cm. B) 1,0 cm/s.
C) 1,0 cm. C) 2,0 cm/s.
D) 2,9 mm. D) 4,0 cm/s.
E) 2,9 cm. E) 8,0 cm/s.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
15

AP. FÍSICA III.indd 15 03/01/2013 11:09:09


05 (UFMG) Se a régua passar a tocar a água 20 vezes em cada 03 (UNESP 2008) Os eletroencefalogramas são medições de
5,0 segundos, então essa mudança provocará uma alteração: sinais elétricos oriundos do cérebro. As chamadas ondas
cerebrais são usualmente classificadas como ondas  (delta),
A) na frequência da onda e em seu comprimento de onda.
com frequência até 4 Hz,  (teta), de 4 a 7 Hz, (alfa), de 7
B) na velocidade e na frequência da onda.
a 14 Hz e  (beta), acima de 14 Hz.
C) na velocidade da onda e em seu comprimento de onda.
D) no comprimento de onda, na velocidade e na frequência

amplitude (m)
da onda.

amplitude (m)
1 1
E) somente na frequência da onda. x (107 m) x (108 m)
3 6 3 6
–1 –1
Gráfico I Gráfico II
03
Analise os gráficos. Considerando que os gráficos I e II sejam
de ondas luminosas com velocidade c = 3 . 108 m/s, as quais
possuem a mesma frequência das ondas cerebrais, pode-se
concluir que seus comprimentos de onda correspondem,
respectivamente, a ondas:
A)  e . D)  e .
B)  e . E)  e .
01 (PUC RJ 2004) Uma caixa boia no mar enquanto as cristas C)  e .
das ondas passam por ela com velocidade V. A caixa é cons-
tantemente levantada e abaixada pelas ondas. A distância 04 (FUVEST 2010) Um estudo de sons emitidos por instru-
entre dois cumes sucessivos é de 2,0 m. Ela leva 2,0 s para mentos musicais foi realizado, usando um microfone ligado a
sentir a passagem de dois cumes sucessivos. A velocidade V um computador. O gráfico, reproduzido da tela do monitor,
das ondas é: registra o movimento do ar captado pelo microfone, em
função do tempo, medido em milissegundos, quando se toca
A) V = 10,0 m/s. uma nota musical em um violino.
B) V = 1,0 m/s.
C) V = 2,0 m/s.
D) V = 4,0 m/s.
E) V = 0,1 m/s.
02 (UFMG 2007) Bernardo produz uma onda em uma corda,
cuja forma, em certo instante, está mostrada na Figura I. Na
Figura II, está representado o deslocamento vertical de um 0 5 10 t (ms)
ponto dessa corda em função do tempo.
NOTA DÓ RÉ MI FÁ SOL LÁ SI
y(cm) Frequência
262 294 330 349 388 440 494
20 (Hz)
10
Dado: 1ms = 10 –3s.
0 25 50 75 100
x(cm) Consultando a tabela, pode-se concluir que o som produzido
– 10
pelo violino era o da nota:
– 20
A) dó. D) lá.
I
B) mi. E) si.
y(cm) C) sol.
20 05 (UFF) Ao iluminar a caverna, o espeleologista descobre um
10 lago cristalino e observa que a água de uma infiltração através
das rochas goteja periodicamente sobre o lago, provocando
0 0,25 0,50 0,75 pulsos ondulatórios que se propagam em sua superfície.
t(s)
– 10 Ele é capaz de estimar a distância (d) entre dois pulsos
– 20 consecutivos, assim como a velocidade (v) de propagação
dos mesmos. Com o aumento da infiltração, o gotejamento
II
aumenta e a quantidade de gotas que cai sobre a superfície
Considerando-se essas informações, é correto afirmar que a do lago, por minuto, torna-se maior. Comparando essa nova
velocidade de propagação da onda produzida por Bernardo, situação com a anterior, o espeleologista observa que:
na corda, é de: A) v permanece constante e d aumenta.
A) 0,20 m/s . B) v aumenta e d diminui.
B) 0,50 m/s . C) v aumenta e d permanece constante.
C) 1,0 m/s . D) v permanece constante e d diminui.
D) 2,0 m/s . E) v e d diminuem.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


16 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 16 03/01/2013 11:09:09


06 Leia o texto a seguir e responda a questão:
AM
Amaro Lima/Zé Maria
Qual será a frequência?
Em quantos hertz devo operar?
09 (MOD. ENEM – H01) Para se estudar as propriedades das
Qual o tipo de ausência que um radinho AM não possa
ondas num tanque de água, faz-se uma régua de madeira
suprir a frequência?
vibrar regularmente, tocando a superfície da água e produ-
Eu ligo o radio e nananana esperando você
zindo uma série de cristas e vales que se propagam da
Eu ligo o radio e nananana esperando você falar
esquerda para a direita.
Podemos afirmar que:
A) a frequência citada na canção refere-se a uma onda mecânica.
B) ao ligarmos o rádio sintonizamos uma onda eletromag-
nética e o som produzido é uma onda mecânica.
C) a velocidade de propagação de uma onda de rádio AM é Régua de
superior a de uma onda de rádio FM. madeira
D) as ondas utilizadas nas transmissões de rádio AM são de
mesma natureza das ondas de ultrassom.
E) as ondas de rádio AM não se propagam no vácuo.
Direção e sentido de propagação
07 (UEL 2009 – ADAPTADA – MOD. ENEM – H01) Os
morcegos, mesmo no escuro, podem voar sem colidir com
os objetos a sua frente. Isso porque esses animais têm a capa- Se a régua passar a tocar a água mais vezes a cada minuto,
cidade de emitir ondas sonoras com frequências elevadas, da então essa mudança provocará:
ordem de 120.000 Hz, usando o eco para se guiar e caçar. A) um aumento na frequência da onda e uma redução em
Por exemplo, a onda sonora emitida por um morcego, após seu comprimento de onda.
ser refletida por um inseto, volta para ele, possibilitando-lhe B) um aumento na velocidade e na frequência da onda.
a localização do mesmo. De acordo com as propriedades C) um aumento na velocidade da onda e uma redução em
apresentadas pelas ondas sonoras, podemos dizer que o som: seu comprimento de onda.
A) é uma onda mecânica do tipo transversal que necessita D) um aumento no comprimento de onda, na velocidade e
de um meio material para se propagar. na frequência da onda.
B) pode se propagar no vácuo, da mesma forma que as ondas E) um aumento somente na frequência da onda.
eletromagnéticas.
C) tem velocidade de propagação nos sólidos, em geral, TEXTO PARA AS QUESTÃO 10
menor do que nos gases. Um tsunami ou maremoto é uma série de ondas de água
D) tem velocidade de propagação nos gases independente causada pelo deslocamento de um grande volume de um corpo
da temperatura destes.
de água, como um oceano ou um grande lago. Devido aos imensos
E) é uma onda mecânica do tipo longitudinal que necessita
de um meio material para se propagar. volumes de água e energia envolvidos, tsunamis podem devastar
regiões costeiras. O Tsunami do Japão que ocorreu em 11 de
08 (FUVEST) As curvas A e B representam duas fotografias
março de 2011 alcançou uma magnitude de 9,0 na escala sismo-
sucessivas de uma corda na qual se propaga um pulso. O
intervalo de tempo entre as fotografias é menor que o período lógica e teve epicentro 130 km a leste de Sendai, no mar. Trata-se
da onda e vale 0,10 s. do mais forte sismo a atingir o Japão nos últimos 140 anos.
Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Tsunami#11_de_Mar.
(cm) C3.A7o_de_2011:_tsunami_do_ Jap.C3.A3o> (Adaptado).
0,03
Curva A
0,02
C Curva B
0,01 (m) 10 (EMESCAM 2011.2 – MOD. ENEM – H20) Suponha que em
0 1 2 3 4 alto-mar um tsunami tenha um comprimento de onda de
– 0,01 200 km, velocidade de 800 km/h e amplitude de apenas
– 0,02
40 cm. Um pesquisador num navio ancorado tenta detectar
– 0,03
a passagem da onda calculando o tempo decorrido entre o
deslocamento do navio do ponto mais alto até o ponto mais
Podemos afirmar que a velocidade de propagação da onda baixo imediatamente posterior durante a passagem da onda
na corda e a velocidade média do ponto C da corda, nesse do tsunami. O valor encontrado para esse tempo é:
intervalo de tempo, valem, respectivamente:
A) 37,5 minutos.
A) 0 m/s e 4 cm/s.
B) 30,0 minutos.
B) 0,2 m/s e 4 cm/s.
C) 4 m/s e 4 cm/s. C) 22,5 minutos.
D) 4 m/s e 0,2 cm/s. D) 15,0 minutos.
E) 0,2 m/s e 0,8 cm/s. E) 7,5 minutos.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
17

AP. FÍSICA III.indd 17 03/01/2013 11:09:09


11 (G1 CPS 2011 – MOD. ENEM – H17) Na Copa do Mundo de 13 (UFF – MOD. ENEM – H17) A velocidade de propagação de
2010, a Fifa determinou que nenhum atleta poderia participar uma tsunami em alto mar pode ser calculada com a expressão
sem ter feito uma minuciosa avaliação cardiológica prévia. V = g . h , onde g é a aceleração da gravidade e h a profun-
Um dos testes a ser realizado, no exame ergométrico, era didade local. A mesma expressão também se aplica à propa-
o eletrocardiograma. Nele é feito o registro da variação dos gação de ondas num tanque de pequeno tamanho. Considere
potenciais elétricos gerados pela atividade do coração. Consi-
a situação mostrada no esquema, onde uma torneira goteja,
dere a figura que representa parte do eletrocardiograma de
a intervalos regulares, sobre o centro de um tanque que tem
um determinado atleta.
duas profundidades diferentes.
Potencial Elétrico (V)

Identifique o esquema que melhor representa as frentes de


onda geradas pelo gotejamento.
A) D)

0,0 0,5 1,0 1,5


Tempo (S)

Sabendo que o pico máximo representa a fase final da diás-


tole, conclui-se que a frequência cardíaca desse atleta é, em B) E)
batimentos por minuto:
A) 60.
B) 80.
C) 100.
D) 120.
E) 140. C)
12 (UFRN 2005 – MOD. ENEM – H01) Do alto do prédio onde
mora, Anita observou que o caminhão tanque, que irriga
canteiros em algumas avenidas em Natal, deixava no asfalto,
enquanto se deslocava, um rastro de água, conforme repre-
sentado na figura a seguir. Tal rastro era devido ao vazamento 14 (MOD. ENEM – H17) Para um certo experimento no
de uma mangueira que oscilava, pendurada na parte traseira laboratório da escola, um professor procura entre seus
do caminhão. equipamentos um apontador laser. Para o experimento, ele
precisa usar o laser que emita luz na maior frequência que
ele puder encontrar. Depois de muito procurar, encontrou
quatro apontadores, cujas etiquetas de identificação traziam
os dados tabelados abaixo:

POTÊNCIA COMPRIMENTO
Sentido de deslocamento LASER
Caminhão (MW) DE ONDA (NM)
A 300 650
Considerando-se que a frequência dessa oscilação é cons- B 500 589
tante no trecho mostrado na figura, pode-se afirmar que a
C 900 532
velocidade do caminhão:
D 1000 405
A) permanece constante e o “comprimento de onda” resul-
tante da oscilação da mangueira está aumentando.
B) está aumentando e o período de oscilação da mangueira O professor:
permanece constante. A) deve escolher o laser A.
C) permanece constante e o “comprimento de onda” resul-
B) deve escolher o laser B.
tante da oscilação da mangueira está diminuindo.
D) está diminuindo e o período de oscilação da mangueira C) deve escolher o laser C.
permanece constante. D) deve escolher o laser D.
E) permanece constante e o período de oscilação da E) não há como escolher somente
mangueira diminui. com os dados fornecidos.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


18 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 18 03/01/2013 11:09:10


15 (MOD. ENEM – H17) Ainda levando em conta os dados da 17 (MOD. ENEM – H01) Até a década de 1970, ainda eram
questão anterior, e as informações do gráfico abaixo, concluí- comuns os rádios dotados de faixas de ondas curtas ou short
mos que os lasers A, B, C e D são respectivamente:
waves (SW) que operavam frequências entre 3 e 30 MHz. Para
acertar a sintonia, no dial (mostrador) dos rádios, as faixas
COMPRIMENTO
COR eram identificadas pelo comprimento de onda, diferente do
DE ONDA
AM e FM atuais, onde a identificação ocorre pela frequência.
Violeta 390 – 450 nm
As faixas mais comuns eram as de 49 m, 31 m, 25 m e 19 m.
Azul 450 – 490 nm

Stock.xchng
Verde 490 – 570 nm
Amarelo 570 – 590 nm

Laranja 590 – 620 nm

Vermelho 620 – 770 nm

A) vermelho, amarelo, verde e violeta.


B) violeta, verde, amarelo e vermelho.
C) vermelho, violeta, amarelo e verde.
Adotando a velocidade da luz como 3 . 10 8 m/s, a frequência
D) violeta, vermelho, verde e amarelo.
aproximada da faixa de 31 m, em MHz, é de:
E) amarelo, verde, violeta e vermelho.
A) 28.
16 (MOD. ENEM – H01) A luz visível é uma onda eletromagnética,
B) 16.
que na natureza pode ser produzida de diversas maneiras. Uma
delas é a bioluminescência, um fenômeno químico que ocorre C) 12.
no organismo de alguns seres vivos, como algumas espécies D) 9,7.
de peixes e alguns insetos, onde um pigmento chamado lucife- E) 5,5.
rina, em contato com o oxigênio e com uma enzima chamada
luciferase, produz luzes de várias cores, como verde, amarela
e vermelha. Isso é o que permite ao vaga-lume macho avisar,
para a fêmea, que está chegando, e à fêmea indicar onde está,
além de servir de instrumento de defesa ou de atração para
presas.
osfundamentosdafísica.com

TEXTO PARA A QUESTÃO 18

POLICIAIS APREENDEM SEIS CELULARES EM


PRESÍDIO DE TREMEMBÉ
Uma possível forma de coibir o uso de telefones celulares nos
presídios é blindar os prédios com “gaiolas de Faraday”, ou seja,
malhas metálicas com aberturas de tamanho igual ou menor que
o comprimento das ondas de rádio utilizadas pelos telefones. Os
telefones celulares no Brasil operam na faixa entre 800 MHz e
1200 MHz.
Folha de São Paulo, 13/5/2003

18 (UNIUBE 2003 – ADAPTADA) Calcule qual deve ser o


tamanho máximo das aberturas da blindagem. Considere:
velocidade da luz V=3,0 . 108 m/s.
A) 2,5 cm
Vaga-lumes emitindo ondas B) 25 cm
eletromagnétricas visíveis
C) 37 cm
As luzes verde, amarela e vermelha são consideradas ondas
D) 2,5 m
eletromagnéticas que, no vácuo, têm:
E) 60 cm
A) os mesmos comprimentos de onda, diferentes frequências
e diferentes velocidades de propagação. 19 (UFMG) Daniel brinca produzindo ondas ao bater com uma
B) diferentes comprimentos de onda, diferentes frequências varinha na superfície de um lago. A varinha toca a água a cada
e diferentes velocidades de propagação. 5 segundos. Se Daniel passar a bater a varinha na água a cada
C) diferentes comprimentos de onda, diferentes frequências 3 segundos, as ondas produzidas terão maior:
e iguais velocidades de propagação.
D) os mesmos comprimentos de onda, as mesmas frequên- A) comprimento de onda.
cias e iguais velocidades de propagação. B) frequência.
E) diferentes comprimentos de onda, as mesmas frequências C) período.
e diferentes velocidades de propagação. D) velocidade.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
19

AP. FÍSICA III.indd 19 03/01/2013 11:09:10


20 (PUC SP 2006) Observe na tabela a velocidade do som ao se I. As ondas oceânicas são criadas por uma série de fatores
propagar por diferentes meios. (atração gravitacional, atividade submarina, pressão
atmosférica), mas sua origem mais comum é o vento.
MEIO VELOCIDADE II. As ondas não representam o movimento da água, mas, ao
Ar (0 C, 1 atm)
o
331 invés disso, demonstram o movimento da energia através
da água.
Água (20 C)
o
1482 III. A amplitude das ondas oceânicas não depende da inten-
sidade do vento.
Alumínio 6420
IV. As causas mais comuns de tsunamis são os terremotos
Suponha uma onda sonora propagando-se no ar com frequên- submarinos.
cia de 300 Hz que, na sequência, penetre em um desses V. A menor frequência das ondas geradas pelo vento,
meios. Com base nisso, analise as seguintes afirmações: conforme a tabela, é de 0,05 Hz.
I. Ao passar do ar para a água, o período da onda sonora VI. O maior comprimento de onda possível de um tsunami,
diminuirá. conforme a tabela, é de 2000 Km.
II. Ao passar do ar para a água, a frequência da onda aumen- São verdadeiras, somente as opções:
tará na mesma proporção do aumento de sua velocidade.
A) I, II, III, IV e V. D) I, II e IV.
III. O comprimento da onda sonora propagando-se no ar
B) I, II, IV e V. E) I, II, IV, V e VI.
será menor do que quando ela se propagar por qualquer
C) II, III, IV e VI.
um dos outros meios apresentados na tabela.
Somente está correto o que se lê em: 24 (UFSCAR 2007) No passado, quando os motoristas aden-
travam em um túnel, começavam a buzinar em tom de brin-
A) I. D) I e II. cadeira, pelo simples prazer de ouvir ecoar o grande ruído
B) II. E) II e III. produzido. Mais recentemente, engenheiros constataram que
C) III. tais sons produzem ondas estacionárias que podem afetar a
21 (FUVEST 2000) Uma onda eletromagnética propaga-se estrutura dessas construções.
no ar com velocidade praticamente igual à da luz no vácuo
(c = 3 . 10 8 m/s), enquanto o som propaga-se no ar com
velocidade aproximada de 330 m/s. Deseja-se produzir uma
onda audível que se propague no ar com o mesmo compri-
mento de onda daquelas utilizadas para transmissões de rádio
em frequência modulada (FM) de 100 MHz (100 . 106 Hz).
A frequência da onda audível deverá ser aproximadamente de: 10 m
A) 110 Hz. D) 10 8 Hz.
B) 1033 Hz. E) 9 . 1013 Hz. O carro esquematizado está com sua buzina localizada exata-
C) 11000 Hz. mente no centro do arco que delimita o túnel, cujo diâmetro
é 10 m. Se a buzina emite o som da nota Lá (440 Hz), e se a
22 (UFPEL 2007) No mundo em que vivemos, estamos rodeados
de fenômenos físicos. Um desses fenômenos é as ondas, nas velocidade de propagação do som no ar é 340 m/s, o número
quais vivemos imersos, seja através do som, da luz, dos sinais de comprimentos de onda que o som percorrerá até atingir
de rádio e televisão etc. Com base nos seus conhecimentos o teto do túnel é, aproximadamente:
sobre Ondas e sobre a propagação delas em meios elásticos, A) 2,5. D) 5,5.
analise as afirmativas abaixo. B) 3,5. E) 6,5.
I. A velocidade de propagação de uma onda não se altera C) 4,5.
quando ela passa de um meio para outro.
25 (UFRRJ 2008) Na infância de nossos pais, era comum que
II. Nas ondas longitudinais, as partículas do meio vibram na
eles se divertissem com uma brincadeira chamada chicotinho
mesma direção de propagação da onda.
queimado. A diversão começa quando uma corda é colocada
III. A frequência de uma onda não se altera quando ela passa
no chão e se balança a extremidade em ziguezague, provo-
de um meio para outro.
cando, assim, a formação de ondas em sua extensão. O desafio
IV. O som é uma onda eletromagnética, pois, se propaga no vácuo.
consiste em ficar pulando a corda sem pisá-la. Suponha que
V. As ondas eletromagnéticas são sempre do tipo transversal.
a seguinte configuração, se forme na corda sobre o chão,
Dessas afirmativas estão corretas apenas: durante uma brincadeira.
A) I, II, III e V. D) III e IV.
B) I, II e IV. E) III, IV e V. 20 cm
C) II, III e V.
23 (DARWIN) Um tsunami e uma onda oceânica normal possuem
a mesma composição, mas há algumas diferenças entre as Disponível em <http://www.prosiga.br> (Adaptado).
duas ondas.
Observe a tabela abaixo. Considerando que as cristas e os vales sejam simétricos e
que os 5 pulsos mostrados na figura se formaram no tempo
ONDA GERADA PELO VENTO X TSUNAMI de 40 s, o comprimento de onda, a velocidade, a frequência
Característica da onda Onda gerada pelo vento Tsunami e o período, para esta configuração serão, respectivamente:
800 a A) 20 cm, 0,025 m/s, 0,125 Hz e 8 s.
Velocidade da onda 8 a 100 km/h B) 20 cm, 0,05 m/s, 0,125 Hz e 8 s.
1000 km/h
C) 40 cm, 0,025 m/s, 0,25 Hz e 4 s.
Tempo entre duas 10 min a D) 40 cm, 0,05 m/s, 0,25 Hz e 4 s.
5 a 20 segundos
cristas consecutivas 2 horas E) 40 cm, 0,05 m/s, 0,125 Hz e 8 s.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


20 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 20 03/01/2013 11:09:10


Capítulo OSCILAÇÕES, ONDAS, ÓPTICA E RADIAÇÃO
03 Ondas Eletromagnéticas

Reflexão
Difração
Onda Teoria
Ondulatória Polarização
As ondas eletromagnéticas (ou radiações eletromagnéticas) são aquelas x λ
E v Interferência
que conseguem se propagar nos meios materiais e no vácuo. Elas são z Refração
emitidas por cargas elétricas oscilantes e a energia que elas transportam é Energia
y B Dispersão
chamada Energia Radiante. Radiante
A Energia Radiante apresenta características ora de onda ora de corpús- Pacotes de energia
culo, dependendo do fenômeno que estiver se processando.
Emissão
Partícula Teoria Absorção
(fótons) Corpuscular Efeito
fotoelétrico
01

O Espectro Eletromagnético

O Espectro Eletromagnético é a organização das ondas eletromagnéticas conhecidas em função da frequência ou do compri-
mento de onda.

Frequência (Hz)
1024 1022 1020 1018 1016 1014 1012 1010 108 106 104 102

Raios gama Raios X ultravioleta Luz infravermelho micro-ondas TV Ondas de rádio

Raios γ Raios x U-V Visível Infravermelho TV Rádio

Raios Gama
Raios X Maior f Menor 
Raios Ultravioleta
f = 7, 5 .1014 Hz
ZVioleta )
]  = 4 .10–7 m
] Anil
]
]] Azul
Luz [ Verde
] Amarelo
]
] Alaranjado
f = 4, 6 .1014 Hz
)
]
\ Vermelho  = 6, 5 .10–7 m

Raios Infravermelhos Menor f Maior 


Ondas de Rádio
No vácuo todas estas radiações viajam com a velocidade de 300000 km/s (3 . 108 m/s). Na maior parte das questões, consideramos
a velocidade das ondas eletromagnéticas no ar igual a 3 . 108 m/s.
A frequência de uma onda é sempre constante. Logo, temos neste espectro uma infinidade de ondas, cada qual com sua frequência
característica.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
21

AP. FÍSICA III.indd 21 03/01/2013 11:09:10


02
UM POUCO M AIS SOBRE ALGUM AS ONDAS
Equação de Planck
ELETROMAGNÉTICAS
Raios Gama – radiação de altíssima frequência emitida por
Em 1900, Max Planck (1858-1947) desenvolveu um modelo núcleos atômicos instáveis (radioativos). É a mais penetrante de
matemático para a emissão de radiação eletromagnética, que se todas e causa sérios danos aos tecidos vivos mesmo com baixo
ajustava perfeitamente aos dados experimentais. Para isso, teve de tempo de exposição. Apesar disso, se bem direcionada e em
admitir que a emissão de energia não era contínua. No modelo de dosagens controladas pode ser usada na radioterapia contra
Planck, a radiação era emitida e absorvida em pequenos pacotes alguns tipos de câncer. É também utilizada no controle de
de energia, denominados quanta, dando origem ao nome Teoria qualidade de soldas (gamagrafia) e na irradiação de alimentos,
Quântica. visando sua conservação por mais tempo. É importante
A teoria de Plank teve como base duas hipóteses sobre a salientar que uma substância radioativa não pode ser “desli-
origem da radiação emitida pelas partículas na superfície dos gada”, uma vez que, emite radiação continuamente e, por isso,
corpos aquecidos: deve ficar protegida por blindagens adequadas.
1. As partículas oscilantes, que emitem radiação, podem ter
Raios X – menos penetrantes que os raios gama, mas não
apenas determinadas quantidades de energia, com valores menos perigosos. São gerados por elétrons desacelerados
discretos. violentamente. Atravessam facilmente materiais pouco densos,
2. As partículas oscilantes emitem radiação em unidades discretas como os tecidos moles do corpo, mas podem ser barrados por
denominadas quanta (plural de quantum), às quais mais tarde materiais mais densos, como os ossos e dentes, por isso são
Einstein atribuiu o sugestivo nome de fótons, que significa usados em tomografias e radiografias, scanners de bagagens
“partículas de luz”. e cargas em aeroportos. Foram descobertos por Wilhelm
As partículas emitem os quanta de radiação (ou fótons) Röntgen nos últimos anos do século XIX e revolucionaram a
“saltando” de um nível de energia para outro. Se os saltos se dão pesquisa e a medicina através da radiografia, que foi a primeira
entre níveis imediatamente adjacentes, a quantidade de energia ferramenta de diagnóstico por imagens. Note-se ainda que as
fontes de raios X são equipamentos elétricos de alta tensão,
emitida, isto é, a energia de um fóton é dada por:
que não representam perigo quando desligados.
Equação de Planck – EFóton = h . f

ananindena.com.br
Anodo Catodo

Efóton " Energia do fóton (Joule)


*h " Constante de Planck " h= 6, 626 .10 –34
J. s
f " frequência da onda (Hertz)

O ponto principal da teoria de Planck foi a brilhante ideia dos


níveis de energia quantizados ou estados quânticos. Isso marcou Ampola de raios X (Tubo de Coolidge)
o nascimento da teoria quântica.
Ultravioleta – menos energéticos que os anteriores, mas
ainda com potencial danoso aos seres vivos. Assim como
OBSERVAÇÕES os raios gama e X, pode desalojar elétrons de seus orbitais
(ionizante), podendo induzir mutações. A exposição prolon-
• A intensidade da luz depende do número de fótons. Quanto
gada a eles pode induzir o câncer de pele e a catarata. Por
maior a intensidade da luz emitida por uma fonte, maior é
seu potencial danoso às células, tem alto poder bactericida.
o numero de fótons emitidos. Compõe parte da radiação solar que chega à Terra, mas sua
• A cor da luz depende da energia de um fóton (que depende quantidade é drasticamente reduzida pela camada de ozônio
da frequência). Quanto maior a frequência da onda, maior na alta atmosfera. Seus fótons excitam facilmente materiais
a energia do fóton. fluorescentes e fosforescentes (leia um pouco mais sobre isso
no próximo SAIBA MAIS) que devolvem essa energia na forma
Luz “fraca” Poucos fótons de radiações visíveis, permitindo o seu uso em itens de segu-
rança de ingressos, cédulas e títulos, bem como na investigação
policial ajudando a revelar vestígios de fluidos corporais numa
cena de crime ou em objetos coletados na investigação.

Infravermelho – radiação de baixa energia emitida pela


Luz “forte” Muitos fótons matéria. Tudo emite infravermelho proporcionalmente à
quarta potência de sua temperatura absoluta (Lei de Stefan-
-Boltzmann); quanto mais quente o corpo, maior sua emissão
térmica. É invisível ao olho humano, mas pode ser captada
por câmeras especiais, permitindo a formação de imagens
térmicas como as obtidas com equipamentos de visão noturna.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


22 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 22 03/01/2013 11:09:14


Também são usados em câmeras fotográficas e filmadoras
para reforçar imagens feitas com pouca luz e em controles
remotos de TVs, reprodutores de dvd, blu-ray etc. São também 01 Uma emissora de rádio transmite na frequência de 100 MHz,
usados em fisioterapia na forma de feixes direcionados para o com potência de 150 kW.
local das lesões, com o intuito de aquecer o local e acelerar a
A) Qual a energia em joules de cada fóton emitido?
recuperação dos tecidos.
B) Quantos fótons são emitidos por segundo, pela antena
dessa emissora?

Resolução:
A) Pela equação de Planck, a energia de cada fóton é:
Efóton = h . f  EFóton = 6,626 . 10 –34 . 100 . 106
Efóton = 6,626 . 10 –26 J

B) Como E = P . t, a energia emitida em cada segundo pela


emissora é, em joules:
E = 150 . 103 . 1  E = 150 . 103 J
LEDs infravermelhos de um controle remoto
flagrados acesos por uma câmera de celular. Pela hipótese da quantização da energia de Planck, temos:
Micro-ondas – têm comprimentos de onda pequenos E = n . EFóton.
quando comparadas as demais ondas usadas nas telecomuni- Portanto:
cações. Por isso atravessam facilmente a nossa atmosfera e são E 150 .103
utilizadas nas telecomunicações de longa distância. Nos fornos n= & n= & n = 2, 26 .1030 fótons
EFóton 6, 626 .10–26
de micro-ondas, são emitidas na frequência certa para serem
absorvidas pelas moléculas de água no alimento, aumentando a
sua agitação e gerando calor. Também são utilizadas em radares
e na radioastronomia.
04
Observe na linha do tempo a seguir alguns eventos
marcantes envolvendo as descobertas e início da exploração
das ondas eletromagnéticas.
1666 – decomposição da 01 Radiações pouco absorvidas pelo ar, utilizadas para a secagem
luz branca – I. Newton de tintas, para aquecimento de tecidos vivos em medicina,
1600 para aumentar detalhes em fotografias tiradas em condições
adversas de iluminação:
A) os raios X.
B) os raios infravermelhos.
1700
1800 – infravermelho –
W. Herschel
C) os raios cósmicos.
D) os raios ultravioletas.
E) os raios gama.
02 (UFMG) Raios X e ondas de rádio estão se propagando
1800
no vácuo. Os raios X têm comprimento de onda igual a
1890 – ondas de rádio – 1801 – ultravioleta –
H. Hertz J.W.Ritter 7,2 . 10 –11 m e as ondas de rádio, comprimento de onda igual
a 3,0 m. Sejam E(x) a energia dos fótons de raios X, E(r) a
1893-1896 – energia dos fótons da onda de rádio e V(x) e V(r), respectiva-
transmissões de rádio: 1895 – raios X –
G. Marconi / A. Popov / W. Röntgen mente, as suas velocidades de propagação. Com base nessas
L. Moura
informações, é correto afirmar que:
1905 – primeira 1900
1900 – teoria dos quanta A) E(x) > E(r) e V(x) = V(r).
transmissão de ópera – – M. Planck
L. Forest B) E(x) = E(r) e V(x) = V(r).
1900 – raios gama – C) E(x) > E(r) e V(x) > V(r).
P. Villard
1914-1918 – 1a Guerra
Mundial – uso militar
D) E(x) = E(r) e V(x) > V(r).
dos rádios e telégrafos 1920 – início das
sem fio. transmissões comerciais 03 (UFOP) A velocidade de propagação da luz violeta
a
1939-1945 – 2 Guerra
pela W. Westighouse.
(Rádio KDKA de
(VÁCUO = 0,410 m) em um bloco de vidro é igual a 80% do
Mundial – início do uso Pittsburgh) seu valor no vácuo. Então, a razão entre as energias de um
de radares.
fóton dessa luz no vidro e no vácuo é igual a:
1979 – início da
1946 – forno de
telefonia celular (Japão A) 0,80
micro-ondas
e Suécia), 1983 nos B) 1,00
EUA e 1990 no Brasil.
C) 1,25
D) 1,80

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
23

AP. FÍSICA III.indd 23 03/01/2013 11:09:14


No retorno, os elétrons vêm efetuando saltos menores e devol-
vendo a energia sob a forma de radiações menos energéticas
e visíveis ao olho humano.
COMPETÊNCIA 06

Stock.xchng
Apropriar-se de conhecimentos da física para, em situações-problema,
interpretar, avaliar ou planejar intervenções científico-tecnológicas.

LEITURA
INCANDESCÊNCIA, FLUORESCÊNCIA E
FOSFORESCÊNCIA
A esta altura, já sabemos que a matéria é formada por
átomos. Os elétrons, na eletrosfera dos átomos, podem mudar
de nível energético efetuando os chamados “saltos quânticos”.
Sabões em pó e cremes dentais que prometem um “branco
Ao passar para um nível energético superior, o elétron absorve
mais branco” recebem aditvos fluorescentes que absorvem
energia (que pode vir sob várias formas) e, ao voltar para um
ultravioleta e devolvem como luz azulada.
nível energético inferior, o elétron devolve a energia absorvida
sob a forma de fótons, visíveis ou não, dependendo do salto.
Fosforescência – como na fluorescência, os elétrons
O intevalo entre a excitação e o retorno do elétron ao seu nível
absorvem energia das radiações incidentes, sobretudo do
de origem é denominado tempo de relaxação.
ultravioleta, e saltam para níveis mais energéticos. Entretanto,
diferente da fluorescência, o tempo de retorno (relaxação) é
longo, podendo chegar a várias horas, o que faz o material
energia
brilhar por mais tempo. Materiais fosforescentes podem ser
encontrados em mostradores de relógio, nas telas de televisão,
em interruptores etc.
níveis energéticos

fóton
fóton
fóton

fóton

Incandescência – ocorre quando


Shutterstock

a energia necessária para o elétron


“subir” vem do calor; quanto mais
aquecido, maiores são os saltos e maior
o número de saltos possíveis; o número 02
de frequências emitidas vai ao infinito,
pois, no estado sólido, os átomos estão
relativamente próximos: seus elétrons 01 (H22) Um aluno comprou pela internet uma lanterna de “luz
realizam saltos quânticos tanto nos negra”. Muito alegre ao recebê-la pelo correio, apagou as luzes
e saiu pela casa iluminando as coisas com seu novo brinquedo.
níveis do seu átomo de origem como
Ao iluminar suas apostilas, percebeu que as partes grifadas
nos níveis dos átomos vizinhos. Daí o
com marca texto brilhavam intensamente. Isso acontece
número gigantesco de possibilidades. porque a tinta dos marcadores de texto é:
Fluorescência – ocorre quando a substância emite luz se A) fosforescente. D) quimioluminescente.
exposta a uma radiação da alta energia como ultravioleta, raios B) fluorescente. E) bioluminescente.
X, raios gama ou partículas de alta energia, como as presentes C) incandescente.
na radiotividade e em aceleradores de partículas. Na fluores- 02 (H22) Meteoritos são pequenas rochas que vagam errantes
cência, a energia absorvida pelo elétron provoca um salto de no espaço e, uma vez atraídas pela gravidade terrestre,
várias camadas acima, mas, na volta, o elétron efetua saltos entram em nossa atmosfera. Normalmente elas não emitem
menores, emitindo fótons diferentes e de energias menores. luz própria, mas, devido a imensa fricção com a atmosfera,
A emissão de luz se extingue logo que cessa a ação do agente passam a emitir luz, tornando-se visíveis por um curto espaço
excitador, ou seja, o tempo de relaxação é muito curto. de tempo até serem totalmente consumidas pelo atrito.
Numa lâmpada fluorescente, por exemplo, o vapor Ganham popularmente o apelido de “estrelas cadentes”.
de mercúrio é excitado pelos elétrons da corrente alter- O fenômeno que explica a emissão de luz pelos meteoritos
nada, emitem radiação ultravioleta. Os elétrons do reves- descritos no texto é a:
timento interno do vidro da lâmpada recebem estes A) incandescência. D) fosforescência.
fótons UV e com sua energia saltam vários níveis acima. B) fluorescência. E) radioatividade.
C) quimioluminescência.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


24 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 24 03/01/2013 11:09:14


04

Taxa de fotossíntese
01 (UNIFESP 2003) O gráfico mostra a taxa de fotossíntese em função do comprimento
de onda da luz incidente sobre uma determinada planta em ambiente terrestre. Uma
cultura dessa planta desenvolver-se-ia mais rapidamente se exposta à luz de frequência,
em terahertz (1012Hz), próxima a (Considere: a velocidade da luz V = 3 . 108 m/s):
A) 460. D) 700.
B) 530. E) 1380. 450 500 550 600 650 700
C) 650.
Comprimento da onda (10–9m)

02 (FGV 2004) Há atualmente no mercado alguns modelos muito compactos de rádios transmissores portáteis, com alcance de até
3 km. Sua frequência de operação abrange a faixa dos 462 MHz a 467 MHz, de onde são estabelecidos 14 valores de frequência,
denominados canais. Uma vez que as ondas de rádio são ondas eletromagnéticas como as de luz, a velocidade de propagação no
ar aproxima-se de 3,0 . 108 m/s. Pode-se concluir que a faixa de comprimentos de onda utilizada por estes aparelhos está compre-
endida entre:
A) 0,2 m a 0,3 m. D) 0,5 m a 0,6 m.
B) 0,3 m a 0,4 m. E) 0,6 m a 0,7 m.
C) 0,4 m a 0,5 m.
03 (DARWIN) O diesel, combustível extraído do petróleo, é uma mistura de hidrocarbonetos de cadeias longas de composição
aproximada de C13 a C17, cujo uso provoca vários problemas ambientais, dentre eles, a emissão de partículas de carvão causada
pela sua queima incompleta, a intensificação do efeito estufa e a emissão de dióxido de enxofre.
No Brasil, as pesquisas de produção do biodiesel, combustível produzido a partir de óleos vegetais de mamona, soja, girassol,
babaçu, dendê, pequi, entre outras oleaginosas, têm se intensificado, visando aproveitar o potencial agrícola nacional. O biodiesel,
além de ser obtido de fonte renovável, pode ser utilizado em motores a diesel sem nenhuma modificação. Diferentemente do
diesel, o biodiesel emite menos partículas de carvão e não emite dióxido de enxofre.

Comrpimento de onda (m)


10–13 10–12 10–11 10–10 10–9 10–8 10–7 10–6 10–5 10–4 10–3 10–2 10–1 1 10 102 103 104 105
Raios Gama Raios X Ultravioleta Infravermelho Micro-ondas Ondas de rádio
Distante Próximo Próximo Distante LF
Visível
Fonte física UHF VHF SW MW LW
Transições Vibrações e Rotações e
Desintegração Transições Transições eletrônicas torções inversões Aceleração circular de elétrons em
nuclear eletrônicas profundas eletrônicas mais externas moleculares moleculares campos elétricos e magnéticos

Produção prática
Reatores nucleares,
isótopos radioativos Tubo de Lâmpada Aquecedores Equipamento Equipamento Equipamento de
(por exemplo cobalto-60) raios X solar Luz elétrica elétricos de micro-ondas de radar transmissão de sinais

4 x 10–7 m 7 . 5 x 10–7 m

A fração da energia solar incidente na superfície do planeta na forma de luz visível que, em parte, é temporariamente absorvida, é
posteriormente reemitida em direção ao espaço interplanetário na forma de radiação infravermelha. No entanto, ao se encontrar
com determinadas substâncias, como compostos de carbono, existentes na atmosfera, reflete-se e retorna em parte à superfície da
Terra. Esse fenômeno denomina-se efeito estufa. O aumento de compostos de carbono no ar intensifica o efeito estufa, aquecendo
ainda mais o planeta. Em relação ao assunto, assinale a afirmativa correta.
A) A radiação reemitida pela superfície do planeta tem menor comprimento de onda que a incidente.
B) A radiação incidente na superfície do planeta possui maior frequência que a reemitida.
C) Os fótons da radiação incidente são menos energéticos que os da reemitida.
D) A luz visível incidente transforma-se em radiação infravermelha devido ao fenômeno de reflexão na superfície do planeta.
E) O efeito estufa viola o princípio de conservação de energia, por isso o planeta se aquece.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
25

AP. FÍSICA III.indd 25 03/01/2013 11:09:16


04 (UFES 2005) Os raios ultravioleta B, abreviados por UVB, TEXTO PARA A QUESTÃO 07
atingem camadas mais profundas da pele e causam, além da
vermelhidão, a inibição da síntese de proteínas, das mitoses TECNOLOGIA TERAHERTZ PROMETE CELULARES
e várias outras alterações celulares. Esses raios são parcial- QUE ENXERGAM ATRAVÉS DAS PAREDES
mente bloqueados pela camada de ozônio; no entanto, com
A radiação na frequência terahertz (THz) há muito é vista
a diminuição dessa camada, a penetração dos raios UVB tem
aumentado, o que gera uma elevação potencial da incidência como a salvação da lavoura para a área médica, por ser não ioni-
de câncer de pele. zante, ou seja, não produz danos aos tecidos vivos. Essas mesmas
ondas podem ser aplicadas também na área de telecomunicações.
O professor Kenneth O (Universidade do Texas) e sua equipe
construíram um gerador de ondas THz que, segundo eles, poderá
transformar os telefones celulares em aparelhos capazes de ver
através das paredes, madeira, plásticos, papel e outros objetos.
O espectro electromagnético caracteriza as ondas de acordo
com sua frequência, seu comprimento de onda e sua energia. Por
exemplo, ondas de rádio AM e FM, micro-ondas usadas pelos
O tempo que se pode ficar exposto ao Sol sem sofrer queima- telefones celulares, ou o comprimento de onda infravermelha,
duras causadas por radiação ultravioleta pode ser calculado usada pelos equipamentos de visão noturna.
com base no fator de proteção solar (FPS), que é utilizado Já a banda terahertz do espectro eletromagnético, uma faixa de
para a classificação dos filtros solares. Dos processos físicos comprimento de onda entre as micro-ondas e o infravermelho, é
abaixo, qual é o utilizado nos protetores solares para proteger bem mais complicada, e só recentemente foi construído o primeiro
o ser humano dos raios ultravioleta?
gerador portátil de ondas terahertz.
A) Efeito Doppler. D) Refração. Disponível em: <http://www.inovacaotecnologica.com.br/
B) Interferência. E) Emissão. noticias/noticia.php?artigo=celulares-enxergam-atraves-
C) Absorção. -paredes&id=010110120419>Acesso em: 04/05/2012.
05 (UFES 2007.1) Sabendo que uma lâmpada de vapor de sódio
emite preferencialmente luz na cor laranja-amarelada, ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO
= 600 nm, pode-se afirmar que um fóton emitido por essa
lâmpada apresenta uma energia de: Comprimento de Energia Frequência
onda O(m) E (eV) f (Hz)
(Dados: h = 6,6 . 10 –34 J . s, c = 3 . 10 8 m/s e 1 nm = 10 –9 m)
A) 1,1 . 10 –39 J. D) 4,4 . 10 –9 J. 1021
10–12
B) 2,2 . 10 –29 J. E) 5,5 . 1019 J. 106 Raios J
C) 3,3 . 10 –19 J.

Raios x 1018
10–9 10 3

Ultravioleta
06 (DARWIN – MOD. ENEM – H22) Nos últimos anos a disputa 1015
Visível
entre as marcas de sabão em pó tem feito os fabricantes 10–6 10 0
Infravermelho
adotarem novas tecnologias em suas fórmulas. As fórmulas
mais recentes possuem Branqueadores Ópticos. São substâncias
fluorescentes que, aplicadas ao produto, confere tonalidade Terahertz 1012
branca. Ao lavar a roupa, partículas do branqueador se 10–3 10–3
prendem no tecido. Em contato com a luz, tais partículas dão a
sensação de que a roupa ficou mais branca do que estava antes Terahertz
de ser lavada (dando origem ao termo branco mais branco).
O funcionamento das partículas baseia-se no fato: 109
10 0
10–6
A) das partículas fluorescentes serem brancas, refletindo dessa
forma a luz branca.
B) das partículas fluorescentes absorverem a luz, possibili-
tando maior reflexão da luz branca. 106
C) das partículas fluorescentes absorverem a radiação ultra- 10 3
10–9
violeta emitida pelo sol, o que promove a excitação dos Ondas de rádio
elétrons do material fluorescente e a emissão de fótons.
D) das partículas fluorescentes absorverem a radiação infra- 103
vermelha, concentrando o calor nas fibras do tecido, 10 6
10–12
proporcionando assim maior luminosidade.
E) das partículas fluorescentes refletirem com maior inten-
sidade a luz branca, portanto o brilho das roupas é mais 108
10–14 100
intenso.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


26 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 26 03/01/2013 11:09:16


07 (DARWIN – MOD. ENEM – H01) A partir do texto e do A emissora de TV utiliza ondas eletromagnéticas para sua
espectro eletromagnético dado, coclui-se que: transmissão e recepção e possui uma frequência de vibração.
A frequência emitida das ondas da emissora de TV é:
A) as ondas THz são mais interessantes para a medicina do
A) inferior à da radiodifusão e superior à das micro-ondas.
que as ondas de raios X, pois transportam muita energia.
B) inferior à das micro-ondas e superior à dos infravermelhos.
B) as ondas THz são ionizantes, isto é, podem retirar elétrons
C) inferior à da luz visível (faixa preta) e superior à da radio-
do material, deixando o material ionizado.
difusão.
C) as ondas THz possuem propriedades diferenciadas das
D) inferior à da luz visível (faixa preta) e superior à dos
demais ondas do espectro, que proporcionam às ondas raios X.
dessa faixa de frequência um bom poder de penetração E) inferior à das ultravioletas e superior à das micro-ondas.
nos materias.
D) as ondas THz são facilmente refletidas pelos materiais,
09 (PUC PR 2009 – MOD. ENEM – H22) A produção de
possibilitando o uso das ondas nos aparelhos de ultrassom.
alimentos, sua conservação e distribuição são, de longa
E) as ondas de THz podem ser utilizadas em tratamentos de
data, problemas estratégicos a serem resolvidos com a
câncer devido ao seu poder de destruição das células. máxima urgência, pois, como se sabe, o crescimento popu-
TEXTO PARA A QUESTÃO 08 lacional é mais acelerado do que o da disponibilidade de
alimentos. A simples produção de alimentos não é tudo. Se
A TV é um veículo democrático. Ali está uma grade de
não houver meios adequados para conservá-los e distribuí-
programas à disposição de quem ligar o aparelho: num casarão -los, o problema mundial não irá somente persistir, mas será
ou numa choupana. A TV está obrigada a fornecer de tudo, como severamente agravado. Um dos processos que vem sendo
uma boa padaria: do pãozinho ao brioche. Informar e entreter utilizado com esse propósito é a irradiação de alimentos, que
com responsabilidade. E bem informar e entreter com bom nível é aplicada para aumentar o tempo de prateleira dos alimentos
é educar. Acima de tudo o que a TV não deve fazer é deseducar, e destruir os micro-organismos patogênicos (causadores de
informando errado com parcialidade e distorção. doenças) e deteriorantes (responsáveis pela decomposição
Manoel Carlos, autor da telenovela dos alimentos). Segundo a Organização das Nações Unidas
Mulheres Apaixonadas para a Agricultura e Alimentação (FAO), cerca de 25% de
toda a produção mundial de alimentos se perde pela ação de
08 (CPS – MOD. EMEM – H01) Analise o quadro a seguir: micro-organismos, insetos e roedores. O processo de irra-
diação consiste em submeter os alimentos, já embalados ou a
DENOMINAÇÃO DA ONDA granel, a uma quantidade controlada de radiações ionizantes.
ELETROMAGNÉTICA Os principais tipos de radiações ionizantes são as radiações
Raios cósmicos alfa, beta, gama, raios X e nêutrons. As radiações ionizantes
1023 podem ser classificadas como partículas (ex: radiação alfa,
10–14 beta e nêutrons) e como ondas eletromagnéticas de alta
1022
10–13 frequência (radiação gama e raios X). Os tipos de radiações
1021 Raios gama ionizantes utilizados no tratamento de materiais se limitam
10–12 aos raios X e gama de alta energia e também elétrons
1020
10–11 acelerados. A radiação gama e os raios X são semelhantes
1019 Raios x às ondas de rádio, às micro-ondas e aos raios de luz visível.
10–10 Eles formam parte do espectro eletromagnético na faixa de
1018
10–9 curto comprimento de onda e alta energia. Os raios gama e
Comprimento de onda em metro (m)

1017 X têm as mesmas propriedades e os mesmos efeitos sobre


10–8
1016 Ultravioleta os materiais, sendo somente diferenciados pela sua origem.
Frequência em Hertz (Hz)

10–7 Sobre o espectro eletromagnético, assinale a alternativa


1015
10 –6 correta:
1014
10–5 A) A velocidade das ondas eletromagnéticas no vácuo é de
Infravermelho
1013 aproximadamente 3,0 . 10 8 m/s e a região dos raios X do
10–4 espectro corresponde a comprimentos de onda entre
1012
10–3 10 –8 m e 10 –13 m. Isso significa que a frequência dessa
1011 Micro-ondas radiação está compreendida no intervalo de 10 a 10 –5 Hz.
10–2
1010 B) As ondas sonoras, os raios X, os raios gama são todos
10–1 manifestações do mesmo fenômeno de radiação eletro-
109
TV, FM 100 magnética diferenciadas pelo comprimento de onda.
108 C) Quando os raios gama passam do ar para o alimento, não
101 há alteração na velocidade de propagação dessas ondas.
107 Radiodifusão
102 D) A radiação gama, os raios X e todas as demais radiações
106 do espectro eletromagnético não precisam de um meio
103
105 Radiofrequência material para se propagar.
104 E) Os raios X têm frequência diretamente proporcional
104
105 ao comprimento de onda quando não há alteração nas
103 características do meio.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
27

AP. FÍSICA III.indd 27 03/01/2013 11:09:16


10 (FUVEST 2011 – MOD. ENEM – H17) Em um ponto fixo do O ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO
espaço, o campo elétrico de uma radiação eletromagnética COMPRIMENTO DE
tem sempre a mesma direção e oscila no tempo, como mostra TIPO DE RADIAÇÃO
ONDA NO VÁCUO (nm)
o gráfico abaixo, que representa sua projeção E nessa direção
fixa; E é positivo ou negativo conforme o sentido do campo. Raios cósmicos e raios
0,01 a 0,1
gama
E Raios X 0,1 a 200
UV-C 200 a 290
Raios Ultravioleta (UV) UV-B 290 a 320
0
UV-A 320 a 400
Luz visível 400 a 700
Infravermelho (IV) 700 a 5 . 104
0 2 4
tempo (10–16 s) Micro-ondas 5 . 104 a 1 . 107
Ondas de rádio 1 . 107 a 1 . 1013
Figura II
RADIAÇÃO FREQUÊNCIA
ELETROMAGNÉTICA F (HZ) As informações constantes na tabela e no quadro dão suporte
Rádio AM 106 à afirmação que:
TV (VHF) 108 A) os comprimentos de onda das radiações infravermelho,
micro-onda 1010 da luz visível e dos raios ultravioleta UV-A são menores
que 3,1 . 10 –7m.
infravermelha 1012
B) a radiação UV de maior frequência só penetra até a
visível 1014 termosfera.
ultravioleta 1016 C) os protetores solares devem ser produzidos de modo a
raios X 1018 nos proteger principalmente dos raios UV-C.
D) a radiação visível é praticamente toda barrada na mesos-
raios 1020 fera.
E) a radiação UV-B penetra mais profundamente na atmos-
Consultando a tabela acima, que fornece os valores típicos fera que o infravermelho.
de frequência f para diferentes regiões do espectro eletro-
magnético, e analisando o gráfico de E em função do tempo, 12 (MOD. ENEM – H22) As fotos mostram algumas bananas
é possível classificar essa radiação como: iluminadas por luz branca e as mesmas bananas no escuro,
iluminadas apenas por uma lanterna ultravioleta (luz negra).
A) infravermelha.
B) visível.
C) ultravioleta.
D) raio X.
E) raio gama.
11 (MOD. ENEM – H17) A figura mostra como se comportam
as várias faixas de frequência presentes na radiação solar.

entrada da radiação solar


infravermelho, visível e ultravioleta: λ > 320 nm

ultravioleta de alta potência: λ < 290 nm


ultravioleta: λ entre 290 e 320 nm

500 km
penetração na superfície da Terra

penetração até ~ 50 km

penetração até ~ 200 km

termosfera

110
altura acima da superfície terrestre (km)

100
A observação atenta das fotos mostra que as bananas maduras
90 85 km brilharam mais que as verdes quando expostas ao ultravioleta.
80 mesosfera Uma explicação plausível para este fato poderia ser:
70 A) uma maior taxa de reflexão do ultravioleta pelas bananas
60 maduras.
50 km B) uma incandescência provocada pelos raios UV nas bananas
50
40 maduras.
estratosfera
30 C) a emissão maciça de infravermelho pelas bananas maduras
irradiadas com ultravioleta.
20 10-16 km
troposfera D) as bananas maduras têm uma maior concentração de
10
nível do mar substâncias fluorescentes.
Terra
E) ao amadurecer as bananas se tornam levemente
Figura I radioativas.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


28 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 28 03/01/2013 11:09:16


Stock.xchng
13 (UEL 2009 – MOD. ENEM – H22) A irradiação para a conser- 16 (UFES 2006.2) Junto com a TV
vação de produtos agrícolas, tais como batata, cebola e maçã, digital, temos hoje as telas planas
consiste em submeter esses alimentos a doses minuciosa- feitas com semicondutores. Para
mente controladas de radiação ionizante. Sobre as radiações fazer as telas são necessários dispo-
ionizantes, estamos corretos ao afirmar que: sitivos emissores de luz (diodos) de
A) sua energia, ao incidir sobre um alimento, pode atravessá- três cores.
-lo, retirando elétrons dos átomos e das moléculas que o
Considerando que a energia do fóton é associada à cor, a
constituem. alternativa que apresenta uma ordem crescente de energia é:
B) as micro-ondas, os raios infravermelhos e ultravioletas
são exemplos de radiação ionizantes. A) azul, verde e vermelho. D) vermelho, verde e azul.
C) as fontes radioativas utilizadas para irradiar alimentos e B) verde, azul e vermelho. E) vermelho, azul e verde.
contribuir para sua conservação são de natureza diferente C) verde, vermelho e azul.
das utilizadas na radioterapia. 17 (UFES 2008) A cintilografia é um procedimento que avalia o
D) por impregnar os alimentos, o uso dessas radiações causa estado interno de alguns órgãos e tecidos do corpo humano,
sérios danos à saúde do consumidor. utilizando a injeção, na corrente sanguínea, de radioisótopos
E) a irradiação de alimentos e a radioterapia são os únicos que emitem raios gama. Sabendo que o comprimento de
usos pacíficos para fontes radioativas. onda dos raios gama de um específico radioisótopo é de
1,5 . 10 –11metros, determine o valor da energia, em joule, do
14 (MOD. ENEM – H22) Os raios X são emissões eletromagné- fóton correspondente. A resposta correta é:
ticas de natureza semelhante à luz visível. Seu comprimento de
onda vai de 0,05 ângström (5 pm) até centenas de angströns (Dados: h = 6,6 . 10 –34 J . s e c = 3 . 10 8 m/s)
(1 nm). Apesar de sua grande utilidade, os raios X são uma A) 3,30 . 10 –53. D) 7,58 . 1013.
forma de radiação ionizante, isto é, eles podem expulsar B) 9,90 . 10 –45. E) 3,03 . 1052.
elétrons dos átomos íons e radicais livres que podem provocar C) 1,32 . 10 –14.
reações químicas anormais dentro das células. Levando em
conta a interação entre os raios X e os tecidos vivos: 18 (UFJF 2007) Sendo h a constante de Planck e supondo a ocor-
rência da transição eletrônica de um elétron que se encontra
A) um organismo pode ficar exposto a essa radiação por num orbital atômico com energia Ex para outro com energia
longos períodos sem sofrer graves consequências, pois Ey (Ex > Ey), pode-se afirmar que, nessa transição:
as ondas de raios X são de mesma natureza que as ondas
A) há a emissão de radiação com frequência f = (Ex – Ey)/h.
luminosas.
B) há a absorção de radiação com frequência f = (Ey– Ex)/h.
B) Scanners de raios X não fazem efeito em equipamento de
C) há a absorção de radiação com frequência f = Ex /h.
metal pesado, como motores, pois estes não são consti-
D) há a emissão de radiação com frequência f = Ex /h.
tuídos de matéria orgânica.
E) há tanto a emissão de radiação com frequência
C) profissionais que trabalham com exposição contínua às
f = (E x – Ey)/h, quanto a absorção de radiação com
radiações X devem realizar suas atividades atrás de uma
frequência f = (Ey–Ex)/h.
proteção de chumbo, pois esta o isolará totalmente do
contato com a radiação.
D) o corpo humano pode sofrer danos quando exposto
por um tempo muito longo a este tipo de radiação, pois
trata-se de uma onda mecânica que transporta grande
quantidade de energia.
E) os íons produzidos podem ocasionar uma quebra no 03
DNA da célula. Esta, com uma cadeia de DNA danificada,
pode morrer ou o DNA pode desenvolver uma mutação,
causando a formação de uma célula cancerígena. Efeito Fotoelétrico

No mundo atual, onde muito se fala sobre fontes alternativas de


energia, a energia fotovoltaica tem um papel de destaque. A base
teórica para tal fonte energética foi exposta de forma correta por
Albert Einstein em 1905.
Segundo Eintein, cada fóton cede toda sua energia a um único
elétron do metal. Parte dessa energia é usada para “desligar”
15 (UFMG 2007) Nos diodos emissores de luz, conhecidos como o elétron do seu átomo. A essa parcela ele denominou função
LEDs, a emissão de luz ocorre quando elétrons passam de um trabalho do material. O restante da energia do fóton incidente
nível de maior energia para um outro de menor energia. Dois que foi cedida ao elétron, estará na forma de energia cinética do
tipos comuns de LEDs são o que emite luz vermelha e o que fotoelétron.
emite luz verde. Sabe-se que a frequência da luz vermelha é
menor que a da luz verde. Sejam verde o comprimento de onda Radiação
da luz emitida pelo LED verde e Everde a diferença de energia eletromagnética
entre os níveis desse mesmo LED. Para o LED vermelho, EFóton = h . f v
essas grandezas são, respectivamente, vermelho e Evermelho.
Considerando-se essas informações, é correto afirmar que: Fotoelétron

A) Everde > Evermelho e verde > vermelho.


B) Everde > Evermelho e verde < vermelho.
C) Everde < Evermelho e verde > vermelho.
D) Everde < Evermelho e verde < vermelho. Elétrons
livres

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
29

AP. FÍSICA III.indd 29 03/01/2013 11:09:16


Equação de Einstein para o efeito fotoelétrico: A) Haverá ou não emissão de fotoelétrons?
Teremos emissão de fotelétrons se EFóton > W.
EC_máx = EFóton – W EC_máx = h . f – W EFóton = h . f
V 4 & EFóton = h .  &
V
V = . f & f =
h = 6, 626 .10–34 J.s 
*f = frequência da radiação incidente (Hz) & EFóton = 6, 63 .10–34 .
3 .108
&
W = função trabalho do material (J) 400 .10–9
& EFóton = 4, 972 .10 J
–19

Como h e W são constantes, podemos representar grafica-


mente a variação da energia cinética do elétron em função da 1 eV ) 1, 6 .10–19 J
frequência da radiação incidente em um mesmo material pelo 3 & EFóton , 3, 11eV
EFóton eV ) 4, 972 .10–19 J
gráfico a seguir:
Comparando as funções trabalho fornecidas, com a energia
ECmáx do fóton calculada, podemos concluir que a condição será
satisfeita apenas para o Lítio.

B) EcMáx = ?
Calcularemos a EcMax apenas para o Lítio. Nos outros
casos não ocorre efeito fotoelétrico.
0 f EcMáx = EFóton – W  EcMáx = 3,11 – 2,3  EcMáx = 0,81 eV
f0
–w

05
Para EC_máx = 0, temos f = f0.

EC_máx = h . f – W
01 (UFPR 2008) O efeito fotoelétrico foi descoberto experi-
0 = h . f0 – W mentalmente por Heinrich Hertz em 1887. Em 1905, Albert
Einstein propôs uma explicação teórica para esse efeito, a
W
f0 = qual foi comprovada experimentalmente por Millikan, em
h 1914. Essa comprovação experimental deu a Einstein o prêmio
f0 = frequência de corte
Nobel de Física de 1921. Em relação a esse efeito, assinale a
alternativa correta.
Observando o gráfico, pode-se concluir que:
A) O efeito fotoelétrico ocorre quando um elétron colide
Se f < f0 & O elétron não será arrancado. com um próton.
*Se f = f0
& O elétron será arrancado, mas v = 0. B) A teoria de Einstein considerou que a luz nesse caso se
comporta como uma onda.
Se f > f0 & O elétron será arrancado com v > 0.
C) Esse efeito é observado quando fótons atingem uma
superfície metálica.
D) Esse efeito é utilizado para explicar o funcionamento de
fontes de laser.
01 Luz de comprimento de onda 400 nm incide sobre superfícies
E) Inexistem aplicações tecnológicas desse efeito em nosso
de lítio, berílio e mercúrio, cujas funções de trabalho valem, cotidiano, pois ele ocorre somente no nível atômico.
respectivamente, 2,3 eV, 3,9 eV e 4,5 eV. Determine para 02 (UFRN 2008) Quando há incidência de radiação eletromag-
cada metal: nética sobre uma superfície metálica, elétrons podem ser
A) se haverá ou não emissão de fotoelétrons; arrancados dessa superfície e eventualmente produzir uma
B) a energia cinética máxima dos fotoelétrons, para essa corrente elétrica. Esse fenômeno pode ser aplicado na cons-
radiação. trução de dispositivos eletrônicos, tais como os que servem
Z para abrir e fechar portas automáticas. Ao interagir com a
]I eV =1, 6 .10 J
–19

superfície metálica, a radiação eletromagnética incidente se


Dados: [h = 6, 63 .10 J . s
] –34

comporta como:
]1nm =10 m
–9

] A) onda, e o fenômeno descrito é chamado de efeito


\ V =3 .10 m/s
8
fotoelétrico.
Resolução: B) partícula, e o fenômeno descrito é chamado de efeito
Z = 400 nm fotoelétrico.
]
] WL = 2, 3 eV C) partícula, e o fenômeno descrito é chamado de efeito
[ termiônico.
] WB =3, 9 eV D) onda, e o fenômeno descrito é chamado de efeito
] W = 4, 5 eV
\ M termiônico.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


30 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 30 03/01/2013 11:09:17


03

COMPETÊNCIA 01
Compreender as ciências naturais e as tecnologias a elas associadas como 01 (MOD. ENEM – H01) Acerca das ondas eletromagnéticas, e
construções humanas, percebendo seus papéis nos processos de produção
e no desenvolvimento econômico e social da humanidade. de acordo com a leitura do texto, está correto afirmar que:
A) as transmissões de AM ocorrem em frequências maiores
que as de FM.
LEITURA B) há vários canais de TV com frequências superiores às do
FM comercial.
FREQUÊNCIAS DE RÁDIO
C) rádio-controles usam frequências inferiores às das trans-
Uma onda de rádio é uma onda eletromagnética propagada missões de AM.
por uma antena. As ondas de rádio têm diferentes frequên- D) As telecomunicações ocorrem geralmente em frequências
cias e, ao sintonizar um receptor de rádio em uma frequência superiores às visíveis.
específica, é possível captar um sinal.
E) frequências acima dos 100 MHz não se prestam a trans-
Luz
100 kHz 1 MHz 10 MHz 100 MHz 1 GHz 10 GHz 100 GHz visíve
el missões comerciais.
02 (UFRS – H01) Assinale a alternativa que preenche correta-
mente as lacunas do parágrafo abaixo.
VLF LF MF HF VHF UHF SHF EHF

Infravermelh
ho As emissoras de rádio emitem ondas ........, que são sinto-
nizadas pelo radiorreceptor. No processo de transmissão,
Nos Estados Unidos, a FCC (Federal Communications
Commission) é o orgão regulador da radiodifusão. O órgão essas ondas devem sofrer modulação. A sigla FM adotada
equivalente no Brasil é a ANATEL. Ao ouvir uma estação por certas emissoras de rádio significa .......... modulada.
de rádio, o locutor anuncia: “você está ouvindo a 91.5 FM”. A) eletromagnéticas – frequência.
Isso quer dizer que você está ouvindo uma estação de rádio B) eletromagnéticas – fase.
transmitida por um sinal FM na frequência de 91.5 megahertz. C) sonoras – faixa.
Megahertz significa “milhões de ciclos por segundo”, então D) sonoras – fase.
“91.5 megahertz” significa que o transmissor da estação de
E) sonoras – frequência.
rádio oscila numa frequência de 91.500.000 ciclos por segundo.
As bandas de frequência mais comuns são:
• rádio AM – 535 kilohertz a 1.7 megahertz;
• rádio de ondas curtas – 5.9 megahertz a 26.1 megahertz;
• canais de TV – 54 a 88 megahertz do canal 2 até o 6; 05
• rádio FM – 88 megahertz a 108 megahertz;
• canais de TV – 174 a 220 megahertz do canal 7 até o 13.
Um aspecto interessante das ondas de rádio é que cada
tecnologia wireless (sem fio) tem a sua pequena faixa de banda
disponível. Existem centenas delas. Exemplos:
• controle remoto de garagens, sistemas de alarmes, etc: em
torno de 40 megahertz;
• telefones sem fios: 40 a 50 megahertz;
• babá eletrônica: 49 megahertz; 01 (UFPEL 2006) No ano de 2005, comemorou-se o centenário
• carros de controle remoto: em torno de 75 megahertz; dos trabalhos de Einstein sobre Relatividade, Efeito Fotoelé-
• colares para localização de animais selvagens: 215 a 220 trico e Movimento Browniano, razão pela qual este ano foi
megahertz. chamado de “Ano Mundial da Física”. O que poucos sabem é
Por que a banda da rádio AM vai de 550 a 1.700 kilohertz que Einstein recebeu o Prêmio Nobel de Física, em 1921, por
enquanto a banda da rádio FM vai de 88 a 108 megahertz? Estas explicar o Efeito Fotoelétrico, introduzindo o conceito de fóton
escolhas são aleatórias e estão relacionadas com a história. A (quantum de luz). Atualmente o efeito fotoelétrico é usado
rádio AM é mais antiga do que a FM. As primeiras transmissões direta ou indiretamente em muitas situações do cotidiano, tais
de rádio aconteceram em 1906 e a alocação de frequências para como abertura e fechamento automático de portas, câmeras
a rádio AM ocorreu nos anos 20 (antes mesmo da fundação da fotográficas digitais etc.
FCC). Nesta época, as rádios e a capacidade dos equipamentos
eletrônicos eram muito limitadas, por isso a rádio AM só O efeito fotoelétrico consiste na emissão de elétrons por uma
captava baixas frequências. A rádio FM foi criada com o objetivo superfície metálica, quando sobre ela incide um feixe de luz. É
de transmitir música em alta fidelidade e sem a interferência correto afirmar que os elétrons emitidos por essa superfície
de eletricidade estática. A primeira estação foi construída em metálica possuem uma energia que depende:
1939, mas a rádio FM só se tornou popular na década de 60. A) da intensidade da luz.
Por isso, as frequências da rádio FM são mais altas.
Marshall Brain. “HowStuffWorks - Como funcionam as ondas de rádio”. B) da velocidade da luz.
Publicado em 01 de abril de 2000, atualizado em 22 de janeiro de 2008. C) da frequência da luz.
Disponível em: <http://informatica.hsw.uol.com.br/ondas-de-radio1.htm>. D) do tempo de exposição à luz.
Acesso em: 07 de abril de 2010.
E) da frequência e da intensidade da luz.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
31

AP. FÍSICA III.indd 31 03/01/2013 11:09:17


TEXTO PARA A QUESTÃO 02
PAINEL REDUZ EM 50% CUSTO DE ENERGIA
SOLAR FOTOVOLTAICA
Um novo mecanismo que foca luz em pequenas áreas de
material fotoelétrico poderia tornar a energia solar para aplicação 04 (UFRGS – ADAPTADA – MOD. ENEM – H22) Atualmente
em residências e comércios mais barata que a das distribuidoras. há várias aplicações tecnológicas para o efeito fotoelétrico,
Sistemas iniciais, que podem ser feitos pela metade do preço dos das quais podemos citar as fotocopiadoras, alguns sensores
de alarmes e as células fotovoltaicas. O efeito fotoelétrico,
painéis solares convencionais, devem chegar ao mercado no fim
descoberto e explicado no início do século XX, consiste:
desse ano, segundo Brad Hines, fundador da Soliant Energy, empresa
A) no choque elástico entre partículas leves e núcleos.
da Califórnia que desenvolveu os novos módulos. B) na produção de raios X quando há choque de elétrons
em uma placa de metal.

Stock.xchng
C) na produção de luz por modificação energética de um
sistema atômico.
D) no desalojamento de elétrons de uma substância por
incidência de radiação eletromagnética.
E) na emissão de fótons devido a elétrons emitidos por
substâncias radioativas.
05 (UFRGS – ADAPTADA – MOD. ENEM – H22) Quando ilumi-
namos uma placa metálica, a emissão de fotoelétrons exige
que:
A) a luz incidente tenha uma frequência maior que um deter-
minado valor.
Concentrar a luz solar com espelhos ou lentes em uma pequena B) a luz incidente tenha um comprimento superior a um
área reduz os custos da energia solar em parte por diminuir a determinado valor.
quantidade necessária do material fotoelétrico, que é caro. C) este material esteja próximo à temperatura de fusão.
A Soliant desenvolveu um concentrador solar que segue o sol D) a luz incidente tenha intensidade superior a um valor
determinado.
durante o dia, mas é mais leve e menos vulnerável. O sistema se
E) o material não esteja ligado à Terra.
encaixa em uma estrutura retangular e é montado no telhado com
os mesmos equipamentos que um painel convencional – ainda 06 (MOD. ENEM – H08) Leia o texto abaixo (baseado em
assim, custará metade de seu preço. Um segundo design que está matéria publicada no jornal Folha de São Paulo) para responder
a questão a seguir.
sendo desenvolvido, concentrando mais luz e utilizando melhor a
fotoeletricidade, pode custar apenas um quarto do preço. “O cientista David Faiman, de uma universidade de Israel,
a fim de melhorar a eficiência dos painéis formados por células
02 (DARWIN) De acordo com o texto e com os princípios da fotovoltaicas, resolveu concentrar a luz proveniente do Sol
Física, analise as frases a seguir: utilizando um enorme espelho côncavo. A luz refletida é
I. O funcionamento das lentes e dos espelhos é explicado com captada pelo painel, gerando, em seus terminais, corrente
base na teoria ondulatória da radiação eletromagnética. elétrica.
II. A transformação da energia solar em eletricidade através luz solar
do efeito fotoelétrico é explicada pela teoria ondulatória
da radiação eletromagnética.
painel fotovoltaico
III. A retirada de elétrons de um material através do efeito
fotoelétrico depende da intensidade da luz incidente.
IV. A energia obtida pelo material fotoelétrico depende da espelho côncavo
frequência da radiação incidente.
Está correto o contido apenas em:
A) I e II.
B) II e III. Em cada célula fotovoltaica que compõe o painel ocorre
C) I e III. a absorção da luz e a produção de uma pequena corrente
D) I e IV. elétrica, que pode ser aproveitada.”
E) I, II, III e IV. Segundo Faiman, o uso do painel auxiliado pelo espelho
03 (UFOP 2002.1) O efeito fotoelétrico consiste na retirada de côncavo reduz sensivelmente o custo da geração do kWh.
elétrons da superfície de um metal por radiações eletromag- Pelos seus cálculos, cada 1 kWh vindo da queima de combus-
néticas. Para arrancar um elétron da superfície de um deter- tíveis fósseis custa US$ 0,10, enquanto o custo do kWh
utilizando o espelho e o painel fotovoltaico é por volta de
minado metal, é necessária uma energia mínima, denominada
US$ 0,07.
função trabalho. A função trabalho do sódio é 2,30 elétron-Volt.
Se ele for iluminado com luz de frequência 1,00 . 1015 Hz, a Indique a alternativa que melhor indica a transformação de
energia máxima dos elétrons arrancados será igual a: energia que ocorre nos painéis fotovoltaicos:
(Dados: 1eV = 1,6 . 10 –19 J; h = 6,63 . 10 –34 J . s) A) Energia química em energia elétrica.
A) 6,63 . 10 –19 J. B) Energia cinética em energia luminosa.
B) 3,68 . 10 –19 J. C) Energia potencial elétrica em energia luminosa.
C) 2,95 . 10 –19 J. D) Energia nuclear em energia elétrica.
D) 2,30 . 10 –19 J. E) Energia luminosa em energia elétrica.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


32 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 32 03/01/2013 11:09:17


07 (MOD. ENEM – H23) A exploração de um determinado 10 (MOD. ENEM – H17) Analise a figura que apresenta a distri-
recurso energético numa região depende da disponibilidade buição de incidência de radiação solar no Brasil em Wh/m2 . dia.
desse recurso no local, da regularidade de sua ocorrência, do
impacto ambiental gerado, dentre outros fatores. Levando
em conta apenas a inclinação do eixo de rotação da Terra e
a latitude, é possível afirmar que a geração de energia elétrica
a partir de celulas fotovoltaicas (painéis solares) terá chance
de produzir mais em:
A) Natal (RN). D) Florianópolis (SC).
B) Salvador (BA). E) Porto Alegre (RS).
radiação solar
C) Rio de Janeiro (RJ). Wh/m2 . dia
08 (MOD. ENEM – H22) As chamadas lentes fotocromáticas – 5900 – 6100
aquelas que escurecem na presença de sol – têm o seu escu- 5700 – 5900
recimento graças à presença de cristais de cloreto de prata 5500 – 5700
(AgCl) impregnados ao vidro da lente. Quando submetidos 5300 – 5500
à presença de radiação ultravioleta, íons Ag+ são reduzidos 5100 – 5300
a prata metálica (Ag0), enquanto os íons cloreto (Cl-) são 4900 – 5100
oxidados a cloro elementar. É a prata metálica a responsável 4700 – 4900
pelo escurecimento da lente. A equação abaixo ilustra essa 4500 – 4700
reação:
CABRAL, F; LAGOA, A . Física 1. 2004 (Adaptada).
AgCl  Ag + Cl –
De acordo com a distribuição mostrada no mapa, são regiões
com muito potencial para a exploração da energia gerada por
painéis fotoelétricos:
A) a Amazônia, os pampas gaúchos e o Pantanal Matogrossense.
B) o Nordeste, o litoral de Santa Catarina e o sul do Ceará.
C) toda a região Centro-Oeste e todo o nordeste brasileiro.
D) o Centro-Sul do Ceará, o sudeste do Piauí e o extremo
De acordo com o exposto acima: norte de Minas Gerais.
E) o oeste da Amazônia, o noroeste de Minas Gerais e o
A) a incidência de luz não interfere nas espécies químicas
litoral nordestino.
presentes na lente.
B) no escuro, o equilíbrio se desloca para a esquerda, ocasio- 11 (UDESC 2011 – MOD. ENEM – H22) Quando investigava a
nando formação de AgCl, que escurece a lente. natureza eletromagnética da luz, em 1887, Heinrich Hertz,
C) quanto maior for a incidência de luz sobre a lente, mais estudando a produção de descargas elétricas entre duas
o equilíbrio se desloca para a direita, gerando mais prata superfícies de metal em potenciais elétricos diferentes,
metálica, que escurece a lente. observou que uma faísca proveniente de uma superfície gerava
D) o calor do Sol, provoca reações na lente que a levam a uma faísca secundária na outra. Porém, essa faísca era difícil
escurecer. de ser vista, então Hertz colocou um obstáculo para impedir
E) uma vez escurecida, a lente só volta a clarear se for resfriada. que a incidência direta da luz sobre o sistema ofuscasse sua
observação. Isso causou uma diminuição da faísca secundária.
09 (FATEC 2008 – MOD. ENEM – H17) Com a descoberta
Depois de uma série de experiências, ele confirmou que a luz
de que um corpo aquecido podia emitir calor em forma de pode gerar faíscas elétricas, principalmente a luz ultravioleta.
radiação térmica, Max Planck realizou pesquisas nessa área, Mais tarde, outros pesquisadores concluíram que a incidência
sendo que seu trabalho é considerado o marco do surgimento de luz sobre uma superfície metálica faz com que ocorra
da física quântica. Radiação é uma energia, sob forma de onda, emissão de elétrons. Einstein, em 1905, desenvolveu uma
emitida pelos corpos devido à sua temperatura. É dessa forma teoria simples e revolucionária para explicar, então, o efeito
que o calor e a luz do Sol chegam à Terra. Alguns tipos de
fotoelétrico.
radiação atravessam nosso corpo, comprimento de onda
por volta de 10 –10 m. Outros não conseguem e são retidos A Figura representa esquematicamente um aparato experi-
na superfície, comprimento de onda por volta de 10 –8 m, mental que pode ser usado para produzir e verificar o efeito
tornando-se nocivos à nossa saúde. A figura a seguir mostra fotoelétrico. No interior do tubo de vidro transparente, onde
uma escala de frequência e as radiações. há vácuo, encontram-se dois eletrodos metálicos A e B afas-
comprimento de onda tados um do outro. Esses luz
em metros (O) eletrodos estão ligados tubo de vidro vedado ultravioleta
10–11 10–10 10–9 10–8 10–7 10–6 10–5 10–4 10–3 10–2 10–1 100 101 102 103
entre si, externamente, A B
infravermelho

através dos elementos


micro-ondas

vácuo
ultravioleta
raios J

raios x

II
representados, simboli-
AM
visível

FM
TV

I
camente, como I e II.
1020 1019 1018 1017 1016 1015 1014 1013 1012 1011 1010 109 108 107 106 Para que o efeito fotoelétrico seja detectado quando o
frequência eletrodo B for iluminado por luz ultravioleta, os elementos I
em Hertz (f) e II devem ser, respectivamente:
A faixa de frequência que é nociva à nossa saúde corresponde, A) galvanômetro e lâmpada ultravioleta.
no gráfico à: B) fonte de ddp constante e amperímetro.
A) raios gama. D) raios ultravioleta. C) voltímetro e fonte de ddp alternada.
B) micro-ondas. E) raios infravermelhos. D) diodo e potenciômetro.
C) ondas de rádio. E) voltímetro e amperímetro.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
33

AP. FÍSICA III.indd 33 03/01/2013 11:09:18


12 (ENEM 2010 – H23) Deseja-se instalar uma estação de 15 (UNIMONTES 2006) Um feixe de raios X de 1486,4 eV
geração de energia elétrica em um município localizado no incide sobre uma superfície metálica arrancando elétrons
interior de um pequeno vale cercado de altas montanhas de das camadas superficiais, fenômeno conhecido como efeito
difícil acesso. A cidade é cruzada por um rio, que é fonte de fotoelétrico. Os elétrons liberados no processo podem viajar
água para consumo, irrigação das lavouras de subsistência e distâncias curtas, fornecendo, assim, informação sobre a
pesca. Na região, que possui pequena extensão territorial, a composição e sobre os tipos de ligação entre os átomos, na
incidência solar é alta o ano todo. A estação em questão irá superfície (entre 5 e 10 nm de profundidade). De acordo com
abastecer apenas o município apresentado. Qual forma de isso, é correto afirmar que:
obtenção de energia, entre as apresentadas, é a mais indicada A) a energia de ligação dos elétrons no átomo é maior que
para ser implantada nesse município de modo a causar o a energia dos raios X.
menor impacto ambiental? B) a energia dos raios X não influencia na remoção dos
A) Termelétrica, pois é possível utilizar a água do rio no elétrons da superfície.
sistema de refrigeração. C) os elétrons são mais energéticos que os raios X.
B) Eólica, pois a geografia do local é própria para a captação D) a energia dos raios X é maior que a energia de ligação de
desse tipo de energia. alguns elétrons no átomo.
C) Nuclear, pois o modo de resfriamento de seus sistemas 16 (DARWIN) Painéis solares fotovoltaicos são dispositivos
não afetaria a população. utilizados para converter a energia da luz do Sol em energia
D) Fotovoltaica, pois é possível aproveitar a energia solar que elétrica. Os painéis solares fotovoltaicos são compostos por
chega à superfície do local. células solares, assim designadas já que captam, em geral, a
E) Hidrelétrica, pois o rio que corta o município é suficiente luz do Sol. Estas células são, por vezes, e com maior proprie-
para abastecer a usina construída. dade, chamadas de células fotovoltaicas, ou seja, criam uma
diferença de potencial elétrico por ação da luz (seja do Sol
13 (MOD. ENEM – H23) A luz solar chega à terra de três ou não). As células solares contam com o efeito fotovoltaico
formas: luz infravermelha (calor), luz visível e ultravioleta. A para absorver a energia do sol e fazem a corrente elétrica
luz ultravioleta é classificada em três categorias: UVA (315 fluir entre duas camadas com cargas opostas.
a 400 nm), também conhecida como luz negra, que causa
o bronzeamento, UVB (280 a 315 nm), que causa danos

Stock.xchng
na forma de queimaduras solares, UVC (100 a 280 nm),
que é filtrada pela atmosfera e nunca nos atinge. 99% da
radiação UV do sol ao nível do mar é UVA. É o UVB que
causa a maioria dos problemas relacionados à exposição
ao sol: coisas como o envelhecimento, rugas, câncer etc.

Uma das coisas interessantes sobre a radiação UV é que ela é


refletida ou absorvida por diferentes superfícies. Foi assim que
pesquisas criaram os protetores solares, eles absorvem essa
radiação, logo protegem nossos corpos dessa radiação nociva.
Quando usamos protetores solares, ainda conseguimos um
bronzeamento, porque eles:
A) absorvem UVB, mas não absorvem UVA e infravermelho.
B) absorvem UVA e infravermelho, mas não absorvem UVB.
C) absorvem UVA, UVB e infravermelho. O desenvolvimento das células fotovoltaicas foi possível graças
D) não absorvem UVA, UVB e infravermelho. a Albert Einstein, que em 1905, divulgou a explicação correta
para o efeito fotoelétrico. Na visão de Einstein, cada fóton
E) absorvem UVB e infravermelho, mas não absorvem UVA.
cede toda sua energia h . f a um único elétron do metal. Parte
dessa energia é usada para “desligar” o elétron do seu átomo.
A essa parcela de energia ele denominou função trabalho do
material (W). O restante da energia do fóton incidente estará
na forma de energia cinética do elétron retirado da placa.

Com base no texto, marque a alternativa INCORRETA:


14 (UFC 2007) O efeito fotoelétrico, explorado em sensores, A) Em dias nublados teremos um número menor de fótons
células fotoelétricas e outros detectores eletrônicos de luz, incidentes, logo a energia fornecida pela central fotovol-
refere-se à capacidade da luz de retirar elétrons da superfície taica será menor.
de um metal. Quanto a este efeito, pode-se afirmar que: B) Radiações eletromagnéticas de menor comprimento de
A) a energia dos elétrons ejetados depende da intensidade onda retiram elétrons da placa metálica com mais facili-
da luz incidente. dade.
B) a energia dos elétrons ejetados é discreta, correspon- C) Quanto maior o número de células fotovoltaicas, maior
dendo aos quanta de energia. quantidade de energia que poderá ser fornecida pelos
C) a função trabalho depende do número de elétrons painéis solares.
ejetados. D) a principal deficiência do sistema fotovoltaico é a impos-
D) a velocidade dos elétrons ejetados depende da cor da luz sibilidade de gerar energia elétrica durante a noite.
incidente. E) Quanto maior a função trabalho do material que constitui a
E) o número de elétrons ejetados depende da cor da luz placa metálica, maior será a energia fornecida pelo sitema
incidente. fotovoltaico.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


34 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 34 03/01/2013 11:09:18


Capítulo OSCILAÇÕES, ONDAS, ÓPTICA E RADIAÇÃO
04 Fenômenos Ondulatórios: Reflexão

• 1a Lei : O ângulo de reflexão é igual ao ângulo de incidência.


i=r
• 2a Lei : O raio incidente, o raio refletido e a normal pertencem
01 ao mesmo plano.

Definição de Reflexão
03
Uma onda propagando-se num meio sofre reflexão quando,
após incidir num outro meio de características diferentes, volta a
se propagar no meio original. Reflexão de Ondas em Cordas
Na reflexão, o módulo da velocidade de propagação da onda
não se altera, pois ela continua a se propagar no mesmo meio em
que estava. Como a frequência também é constante, pois é caracte- 3.1 CORDA COM EXTREMIDADE FIXA
rística da onda, logo, o comprimento de onda não varia na reflexão.

Reflexão: a velocidade, a frequência e o comprimento de Onda


onda são constantes. incidente

O processo de reflexão altera a direção e o sentido da onda


(apenas o sentido em alguns casos). Logo, ao representarmos a Onda
refletida
reflexão de uma onda focaremos nossa atenção nessa alteração.

Para uma corda com extremidade fixa, observe que a onda


Em todo processo de reflexão parte da energia da onda é
incidente está com um vale a frente. Devido as forças de ação e
absorvida. Essa parcela absorvida faz com que a amplitude da
reação entre a parede e a corda, a onda refletida está com uma
onda seja alterada.
crista a frente (o vale foi transformado em crista pela ação e
reação). Quando isso ocorre dizemos que a onda sofreu inversão
de fase.
02
Abordaremos a aplicação prática da reflexão de ondas em
cordas no capítulo de cordas vibrantes no volume 02 da apostila.
Leis da Reflexão
3.2 CORDA COM EXTREMIDADE LIVRE
Na figura a seguir temos uma representação simplificada da
reflexão de uma onda. Como o comprimento de onda não é
alterado, na maior parte das vezes não representamos as frentes
de onda. Onda
incidente
Raio Raio
incidente refletido

Normal λ
Onda
λ refletida

i r

Frente Frente
de onda de onda Para uma corda com extremidade livre, observe que a onda
refletida
incidente
incidente está com um vale a frente. A onda refletida também está
Superfície
Refletora com um vale a frente (não tivemos ação e reação). Quando isso
ocorre dizemos que a onda não sofreu inversão de fase.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
35

AP. FÍSICA III.indd 35 03/01/2013 11:09:19


04 06

Reflexão de Ondas Sonoras


01 Quando uma onda sofre reflexão numa superfície:
Persistência acústica: tempo que o som permanece no sistema A) sua frequência se mantém constante, mas se alteram seu
auditivo. A persistência acústica do ouvido humano é de 0,1 s. comprimento de onda e sua velocidade.
Uma pessoa consegue ouvir dois sons separadamente, desde B) alteram-se frequência, comprimento de onda e velocidade.
que os receba em intervalos de tempo maiores (ou iguais) a 0,1 s. C) mantêm-se constantes frequência, velocidade e compri-
Esse fato possibilita ao observador perceber o fenômeno mento de onda.
da reflexão do som em três níveis: eco, reverberação e reforço. D) alteram-se a frequência e o comprimento de onda, mas
Considere t o intervalo de tempo para que o som que foi a velocidade se mantém constante, pois não há mudança
emitido pelo observador e refletido pelo obstáculo seja recebido do meio de propagação.
pelo mesmo. E) a frequência e a velocidade mantêm-se constantes,
alterando-se o comprimento de onda.
Oi? 02 (UFCE) A figura mostra duas fotografias de um mesmo pulso
Vs Vs que se propaga numa corda de 15 m de comprimento e densi-
dade uniforme, tencionada ao longo da direção x. As fotogra-
fias foram tiradas em dois instantes de tempo, separados de
1,5 s. Durante esse intervalo de tempo o pulso sofreu uma
reflexão na extremidade da corda que está fixa na parede P.
d Observando as fotografias verificamos que a velocidade de
propagação do pulso na corda, suposta constante, é de:
Observe que se considerarmos a V Som = 340 m/s e o
A) 4 m/s.
t = 0,1 s, podemos calcular a distância da parede: v P
B) 6 m/s.
S 2.d C) 8 m/s. x (m)
V= & 340 = & d =17 m 0 3 6 9 12 15
t 0, 1 D) 10 m/s.
E) 12 m/s. x (m)
Assim, definem-se: 0 v3 6 9 12 15
• Eco: ocorre quando t  0,1 s. Logo, para se ter o eco,
a distâcia da parede deve ser maior ou igual a 17 m, para
VSom=340 m/s e considerando apenas uma reflexão. O obser- 03 (UFU MG) Um estudante de Física se encontra a uma certa
vador ouve separadamente o som direto e o som refletido. distância de uma parede, de onde ouve o eco de suas palmas.
• Reverberação: ocorre quando t  0,1 s. O observador Desejando calcular a que distância se encontra da parede, ele
recebe o som refletido quando o som direto está-se extin- ajusta o ritmo de suas palmas até deixar de ouvir o eco, pois
guindo. Há um p rolongamento da sensação auditiva. este chega ao mesmo tempo em que ele bate as mãos. Se o
ritmo das palmas é de 30 palmas por minuto e a velocidade
• Reforço: ocorre quando t  0. O observador ouve o som
do som é de aproximadamente 330 m/s, a sua distância da
direto juntamente com o som refletido. Há somente um
parede é de:
aumento da intensidade sonora.
A) 360 m.
B) 300 m.
C) 330 m.
D) 165 m.
01 (PUC RS) Um sonar que se encontra num barco de pesca em E) 110 m.
repouso em relação à água do mar emite um ultrassom de
frequência 40 kHz, o qual se reflete num cardume e é captado
pelo sonar 2,0 s após sua emissão. Supondo a velocidade do
ultrassom na água do mar de 1,5 . 103 m/s, a distância aproxi- 06
mada do navio ao cardume, é:
A) 1,00 . 103 m. D) 3,00 . 103 m.
B) 1,50 . 103 m. E) 3,50 . 103 m.
C) 2,50 . 103 m.

Resolução:
Dados:
tECO = 2, 0 s 01 (MOD. ENEM – H01) Na reflexão de uma onda sonora, que
* V =1, 5 .10
1s 1s d incide perpendicularmente numa superfície parcialmente
3
m/s
absorvente da onda, certamente se altera:
d= ?
A) a frequência.
S 2.d B) o comprimento.
V= & 1500 = & d =1500 m
t 2 C) a velocidade.
Alternativa B D) a direção de propagação.
E) a amplitude.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


36 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 36 03/01/2013 11:09:22


02 (UNIFESP 2008) A figura representa um pulso se propagando 05 (DARWIN) Leia o texto a seguir:
em uma corda. Pode-se afirmar que, ao atingir a extremidade
dessa corda, o pulso se reflete: O ULTRASSOM NA MEDICINA
O uso do ultrassom para diagnóstico na medicina é a mais
complicada e interessante das aplicações de princípios físicos.
As frequências utilizadas para o diagnóstico por ultras-
som variam entre 1 MHz e 10 MHz. A velocidade das ondas
de ultrassom nos tecidos humanos é da ordem de 1540 m/s,
próxima à velocidade do som na água.
Durante um exame por ultrassom, um breve pulso de
A) se a extremidade for fixa e se extingue se a extremidade ultrassom é emitido por um transdutor constituído por um
for livre. cristal piezoelétrico.
B) se a extremidade for livre e se extingue se a extremidade O pulso de ultrassom assim enviado através do corpo é
for fixa. parcialmente refletido nas diferentes fronteiras do corpo e
C) com inversão de fase se a extremidade for livre e com a detectado de volta pelo mesmo transdutor, que transforma o
mesma fase se a extremidade for fixa. pulso sonoro (vibração mecânica) em pulso elétrico analoga-
D) com inversão de fase se a extremidade for fixa e com a mente a um microfone. Os pulsos elétricos podem ser, então,
mesma fase se a extremidade for livre. visualizados num monitor de vídeo.
E) com mesma fase, seja a extremidade livre ou fixa. Considere um pulso de ultrassom propagando-se através do
abdômen, conforme o esquema mostrando na figura a seguir.
03 (UNIFESP 2008) A figura representa um pulso se propagando
em uma corda. Pode-se afirmar que, ao atingir a extremidade Nas várias fronteiras do corpo, parte do pulso de ultrassom
dessa corda, o pulso se reflete: é refletida. O tempo decorrido entre a emissão do pulso e
o retorno do eco é proporcional à distância percorrida até a
superfície refletora; além disso, a intensidade do pulso refle-
tido depende principalmente da diferença de densidades dos
materiais da fronteira.
v Pulso incidente Parede abdominal

Vértebra
Transdutor Ecos
Pulso
v
Pulso refletido Ecos
Intensidade

A-scan
Analise cada assertiva e marque Verdadeiro (V) ou Falso (F):
( ) Quando o pulso atingir a extremidade fixa, a parede será
forçada para cima. Tempo
( ) Pelo Princípio da Ação e Reação, a parede reagirá e B-scan
forçará a corda para baixo.
( ) A ação da corda sobre a parede tem ação desprezível Atualmente, temos a apresentação da imagem numa forma
devido a grande inércia da parede. bidimensional, na qual cada reflexão é representada por um
( ) A reação da parede sobre a corda, devido à pequena ponto. A posição de cada ponto é determinada pelo atraso
inércia desta, provocará a inversão do pulso.
no recebimento do eco, e o brilho de cada ponto depende da
A sequência correta é: intensidade do eco.
A) V, V, F, F. D) F, F, F, F.
B) V, F, V, F. E) F, V, V, F.
C) V, V, V, V.
04 (DARWIN) Radar é o uso de ondas de rádio para detectar e
monitorar diversos objetos. A função mais simples do radar é
informar a distância em que se encontra um objeto. Para isso,
ele emite uma onda de rádio concentrada e fica atento a algum
eco. Se houver um objeto no caminho dessa onda, ele refletirá
uma parte da energia eletromagnética e ela irá ricochetear de
volta para o dispositivo de radar. As ondas de rádio se movem Transdutor 1
através do ar a uma velocidade constante (a velocidade da luz =
300.000 km/s), sendo assim, o dispositivo de radar pode Tecido 1 Tecido 1
Tecido 2
calcular a distância do objeto com base no tempo que o sinal B-scan Vértebra
de rádio leva para retornar. Um determinado radar registrou
um tempo de eco de 2 milisegundos. Marque a alternativa
que mostra o valor correto da distância entre o radar e objeto
refletor.
A) 100 km D) 400 km
B) 200 km E) 500 km 2 cm 3 cm 2 cm
C) 300 km

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
37

AP. FÍSICA III.indd 37 03/01/2013 11:09:23


Na figura anterior, uma série de transdutores pode ser 08 (MOD. ENEM – H02) Automóveis, estúdios de gravação,
usada simultaneamente de modo a fornecer uma imagem salas de apresentação e até alguns restaurantes lançam mão
bidimensional de uma secção do corpo. de forrações acústicas para aumentar o conforto auditivo dos
O ultrassom é considerado um grande avanço na medicina seus ocupantes. Sons diversos propagando-se de maneira
e, em muitos casos, dispensa uma exploração cirúrgica com seus aleatória produzem poluição sonora no ambiente, que torna-
riscos inerentes, além de dores e custo. Além disso, é conside- -se desagradável, podendo atrapalhar o entendimento entre
rado um método não invasivo e sem evidências de toxicidade, as pessoas ou até, em períodos prolongados, causar cansaço
ao contrário do que acontece com os raios X. mental e irritação.
Considerando o transdutor 1, qual o tempo de eco relativo à As forrações utilizadas nas paredes citadas no texto visam
vértebra? reduzir drasticamente:
A) 9,1 . 10–5 s D) 9,1 . 10–3 s
A) a reflexão do som.
B) 4,5 . 10 s
–5
E) 1,8 . 10–4 s
B) a velocidade do som.
C) 4,5 . 10–3 s
C) a frequência das ondas sonoras.
06 A acústica é um dos ramos da Física que desafia arquitetos de D) a polarização do som.
muitas épocas. A preocupação com a reflexão do som deve ser E) o comprimento de onda das ondas sonora.
tão importante quanto aspectos visuais e estáticos. As frases
a seguir descrevem fenômenos ligados à reflexão do som em
ambientes. 09 (DARWIN – MOD. ENEM – H01) Os oceanos e mares
I. Quando assistimos a um show em um ginásio, é comum cobrem cerca de 70% da superfície do Globo e os seus
ouvirmos um mesmo som mais de uma vez, como se o fundos não estão diretamente acessíveis à observação
cantor repetisse o final das palavras. humana. De fato, a 100 m de profundidade toda a radiação
II. Quando vamos a uma igreja é comum ouvir o som, mesmo
eletromagnética emitida à superfície já foi absorvida (em
depois que o padre terminou sua fala, como se o som
continuasse, sem interrupção, mesmo depois do padre particular a luz visível) e o homem apenas pode investigar
ter parado de falar. diretamente estas zonas mediante custosos meios submer-
III. Ao entrarmos em um elevador conversando, temos a síveis e usando luz artificial. Foi apenas a partir de 1920 que
impressão que o som dentro do elevador fica mais intenso, a propagação do som na água passou a ser usada de forma
com se estivéssemos gritando, mesmo sem alterar o volme corrente na medição da profundidade dos oceanos. Este
de nossa fala. desenvolvimento só foi possível porque, ao contrário das
Marque a alternativa que associa de forma correta a frase ao ondas eletromagnéticas, o som sofre na água uma atenuação
fenômeno acústico: muito menor. O princípio das sondas batimétricas acústicas
A) I  reverberação, II  eco e III  reforço. (e também do sonar, de sound navigation and ranging) é
B) I  eco, II  reverberação e III  reforço. bastante simples, encontrando-se ilustrado na figura a seguir.
C) I  reforço, II eco e III  reverberação.
Inicialmente é emitido um impulso sonoro por um dispositivo
D) I  reverberação, II  reforço e III  eco.
instalado no navio. A sua frequência dominante é normal-
E) I  reforço, II  reverberação e III  eco.
mente de 10 kHz a 30 kHz. O sinal sonoro propaga-se na
água em todas as direções até encontrar um obstáculo, que
pode ser o fundo do mar (nas sondas batimétricas) ou um
objeto (caso do sonar). O sinal sonoro é então refletido (o
eco) dirigindo-se uma parte da energia de volta para o navio,
onde é detectado por um hidrofone. O intervalo de tempo
07 (ENEM CANCELADO 2009 – H01) A ultrassonografia, entre o impulso e a recepção do eco, pode ser convertido
também chamada de ecografia, é uma técnica de geração
em distância ou pro-
de imagens muito utilizada em medicina. Ela se baseia na
reflexão que ocorre quando um pulso de ultrassom, emitido fundidade (h), desde
pelo aparelho colocado em contato com a pele, atravessa que seja conhecida a
a superfície que separa um órgão do outro, produzindo velocidade média de
ecos que podem ser captados de volta pelo aparelho. propagação do som na
Para a observação de detalhes no interior do corpo, os água. Em uma medição
pulsos sonoros emitidos têm frequências altíssimas, de até obteve-se um tempo h
30 MHz, ou seja, 30 milhões de oscilações a cada segundo. de eco igual a 0,2 s.
A determinação de distâncias entre órgãos do corpo humano Considerando a velo-
feita com esse aparelho fundamenta-se em duas variáveis cidade de propagação
imprescindíveis: da onda sonor a na
A) a intensidade do som produzido pelo aparelho e a frequên- água igual a 1500 m/s,
cia desses sons. a profundidade do leito
B) a quantidade de luz usada para gerar as imagens no do oceano na região
aparelho e a velocidade do som nos tecidos. considerada é igual a:
C) a quantidade de pulsos emitidos pelo aparelho a cada
segundo e a frequência dos sons emitidos pelo aparelho. A) 300 m.
D) a velocidade do som no interior dos tecidos e o tempo B) 150 m.
entre os ecos produzidos pelas superfícies dos órgãos. C) 100 m.
E) o tempo entre os ecos produzidos pelos órgãos e a quan- D) 75 m.
tidade de pulsos emitidos a cada segundo pelo aparelho. E) 50 m.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


38 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 38 03/01/2013 11:09:24


10 (UFRN 2007 – MOD. ENEM – H01) Informações diagnós- 12 (CEFET PR – MOD. ENEM – H01) Ocorre, durante uma
ticas sobre a estrutura do corpo humano podem ser obtidas tempestade, um único relâmpago de curta duração nas
pela ultrassonografia. Nessa técnica, um pulso de ultrassom proximidades de um observador. O som que acompanha o
é emitido por um transdutor através do corpo e é medido o fenômeno (trovão) parece durar vários segundos. O fato desta
intervalo de tempo entre o instante da emissão desse pulso
e o da recepção dos pulsos refletidos pelas interfaces dos sensação sonora perdurar durante esse intervalo de tempo
órgãos internos. A figura a seguir representa um exame de é explicado porque:
ultrassonografia, no qual o transdutor colocado na altura do A) ocorrem múltiplas reflexões da onda entre objetos
pescoço de um paciente, cujo diâmetro da artéria carótida se (prédios, árvores, etc).
deseja medir, emite pulsos com velocidade de 1,5 . 105 cm/s.
B) as nuvens, sempre presentes, forçam as reflexões múlti-
Mostram-se, também, os tempos em que os pulsos refletidos
pela pele do paciente e pelas paredes anterior e posterior da plas da onda sonora.
sua carótida foram detectados. C) sendo um som muito intenso ocorre reverberação sonora
no canal auditivo do observador.
Transdutor
D) como a fonte das ondas é extensa, teremos a origem do
som em diferentes distâncias até o observador.
E) pela intensidade sonora, todos os objetos vibrarão e
Pele
continuam emitindo a onda sonora.
5 x 10–6 s
13 (UFPA 2009 – MOD. ENEM – H02) Em determinados auditó-
Pulsos Pulso
refletidos emitido rios ou teatros, o espectador sente dificuldade na audição das
falas ou das músicas, por conta principalmente do fenômeno
15 x 10–6 s
acústico conhecido como reverberação, que faz as ondas
sonoras, ao serem refletidas, chegarem aos nossos ouvidos
Carótida com intervalos menores que 0,1 s, que é o tempo médio que
o ouvido humano guarda um determinado som. Para mini-
mizar o problema num determinado ambiente, a providência
35 x 10–6 s
necessária é:
A) revestir as paredes com tecidos espessos de lã.
É correto afirmar que o diâmetro da carótida do paciente, na B) tornar as paredes planas e lisas, eliminando relevos.
altura do pescoço, mede: C) usar amplificadores de som e um número maior de caixas
A) 0,15 cm. acústicas.
B) 1,5 cm. D) elevar o nível do forro.
C) 0,25 cm. E) fazer desníveis no piso.
D) 2,25 cm.
E) 3,0 cm. 14 (FATEC 2010.2 – MOD. ENEM – H17) O eco é um fenômeno
sonoro que ocorre quando o som reflete num obstáculo e é
11 (MOD. ENEM – H01) Teatros devem ser projetados com
percebido pelo ouvido humano, depois de um intervalo de
um cuidado especial aos parâmetros acústicos. Dimensões
tempo superior a 0,10 s. Júlia, Marina e Enrico estão brin-
e formatos das paredes, bem como os materiais empregados
nas forrações e decoração, interferem no comportamento cando em frente a um obstáculo e se encontram distanciados
das ondas sonoras no recinto. A figura mostra um corte conforme a figura a seguir.
esquemático de uma sala de apresentação, indicando onde
devem ser usados materiais absorventes ou refletores.
Marina

Enrico
lo

Júlia
cu
stá

superfícies
Ob

superfícies absorventes
refletoras
plateia
15 m
18 m
20 m

Uma boa explicação para a disposição dos materiais indicada


Estando eles não alinhados e considerando a velocidade do
na figura seria que, além do som direto do palco, a plateia deve
som, no ar, de 340 m/s, quando Enrico emite um som, o eco
receber muito som refletido pelo teto e nenhum som vindo
do fundo da sala, pois os primeiros geram: pode ser escutado perfeitamente apenas por:
A) reforço ao passo que os últimos, ecos. A) Júlia.
B) ecos ao passo que os últimos, reforços. B) Júlia e Marina.
C) reverberação ao passo que os últimos, reforços. C) Marina.
D) ecos ao passo que os últimos, reverberação. D) Enrico.
E) ecos ao passo que os últimos não interfeririam no espetáculo. E) Enrico e Júlia.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
39

AP. FÍSICA III.indd 39 03/01/2013 11:09:24


15 (DARWIN – MOD. ENEM – H01) Quando uma orquestra 17 (CESGRANRIO) Uma gota cai no ponto O da superfície da
sinfônica submete-se a executar peças musicais ao ar livre água contida em um tanque. O ponto O dista 2,0 cm da parede
sem nenhum tipo de amplificação eletrônica, pensamos AB, estando muito mais distante das outras.
em acústica ambiental, e logo em um equipamento muito
importante, que “ajuda” a direcionar e distribuir o som da
maneira que desejar. Este equipamento é a concha acústica. A B
Em apresentações de orquestras ao ar livre ou mesmo em
teatros fechados a concha acústica tem papel de melhorar 2 cm
a audibilidade dos instrumentos para os músicos e público. O
As condições climáticas são fatores que sem dúvida inter-
ferem no comportamento do som ou da onda sonora
independente se há concha acústica ou não, se tratando A queda da gota produz uma onda circular que se propaga com
neste caso de som ao ar livre. Direção do vento, veloci- velocidade de 20 cm/s. Qual das figuras propostas representa
dade do vento, umidade relativa do ar e temperatura são a onda observada na superfície, 0,15 s depois da queda da
alguns dos fatores que interferem na propagação do som. gota? (As setas representam os sentidos de propagação em
cada caso.)
A B
A) A B D)

o o

A B A B
B) E)
Disponível em: <http://www.diariodeourinhos.com.br/painel
o o
/imagens/img_noticias/MAQUETE%20CONCHA%20
AC%C3%9ASTICA%20st.jpg>.
O funcionamento da concha acústica baseia-se no fênomeno:
A) da disperção. D) do eco.
B) da reverberação. E) da refração. A B
C)
C) da reflexão.
o

18 (PUC SP) Uma corda tensa, de comprimento igual a 30 m, tem


16 (FGV 2008) A figura mostra um pulso que se aproxima de um extremo fixo num poste. A outra ponta é segura pela mão
uma parede rígida onde está fixada a corda. Supondo que a de uma pessoa. Num determinado instante, a pessoa dá um
superfície reflita perfeitamente o pulso, deve-se esperar que pulso para baixo e a deformação por ele provocada caminha
no retorno, após uma reflexão, o pulso assuma a configuração até o poste, reflete-se e retorna ao ponto de origem. Sendo
indicada em: o tempo gasto no processo de ida e volta 6 s, a velocidade de
propagação da onda na corda tem valor:
V
A) 10 m/s
B) 8 m/s
C) 5 m/s
A) D) 4 m/s
V E) 2 m/s

B)
V

05
C) V

Reflexão de Ondas luminosas; A cor dos corpos

D) V
Provavelmente você já ouviu falar que um espelho gera a
imagem de um objeto a partir da reflexão. Da mesma forma que
sabemos que enxergamos os objetos, pois os mesmos refletem a
luz. Observe que certas reflexões geram imagens enquanto outras
V permitem apenas que vejamos os objetos que não geram luz. A
E)
partir desses exemplos, podemos concluir que exitem mais de
uma forma de reflexão da luz.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


40 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 40 03/01/2013 11:09:24


5.1 TIPOS DE REFLEXÃO DA LUZ 5.2 A COR DOS CORPOS
A) Reflexão Ordenada ou Especular De modo geral, ao nos referirmos à cor de um objeto, estamos
Quando a luz incide em uma superfície polida, a reflexão supondo que ele esteja sendo iluminado com luz branca (luz solar
matém uma certa ordem dos raios refletidos. A manutenção dessa ou luz de uma lâmpada comum). É importante lembrar que a luz
branca do sol ou de uma lâmpada comum é constituída pela super-
ordem permite a visualização de uma imagem.
posição das cores do espectro. Dessa forma, quando um corpo
recebe a luz do sol, podemos dizer que ele está sendo iluminado
com todas as cores do espectro luminoso ao mesmo tempo.
A luz refletida pelo objeto que chega aos olhos do observador,
determina a cor pela qual o mesmo verá o objeto.
Feixe Feixe
Portanto, podemos destacar:
incidente refletido

Quando um objeto é iluminado com luz branca, ele absorve


algumas cores do espectro dessa luz e reflete outras. A cor
com que o objeto é visto será determinada pelas cores que
ele reflete de forma desordenada.
Feixe Feixe
incidente refletido
Luz Luz branca Luz
Luz branca branca azul

• Ocorre nas superfícies polidas. Observador Observador


• Temos a visualização de imagens na superfície refletora.
Exemplo: espelhos.
Corpo branco Corpo azul
Ricardo Jacob

O observador vê o corpo branco O observador vê o corpo azul

Luz Luz branca Ausência


Luz branca verde de luz

Observador Observador

Corpo verde Corpo negro


O observador vê o corpo verde O observador vê o corpo preto
“não recebe luz”

Luz Luz Ausência


Estudaremos a reflexão da luz em espelhos planos e esféricos Luz azul azul azul de luz
no volume 03 da apostila.
Observador Observador

B) Reflexão Desordenada ou Difusa


Quando a luz incide em uma superfície rugosa, a irregularidade Corpo branco Corpo vermelho
da superfície promove um espalhamento dos raios refletidos, O observador vê o corpo azul O observador vê o corpo preto
“não recebe luz”
impedindo a formação de imagem.

Tendo em vista essas ideias, podemos concluir que:


• um objeto que dizemos ser “de cor branca” é aquele que,
sendo iluminado com luz branca, reflete todas as cores do
espectro, não absorvendo praticamente nenhuma;
• um objeto preto é aquele que absorve toda a luz (de todas as
cores) que incide sobre ele e, assim, não envia nenhuma luz
para nossos olhos;
• se um objeto que se apresenta branco (ao ser iluminado com
luz branca) for colocado em um quarto escuro e iluminado
com luz de uma só das cores do espectro (luz monocromática),
ele se apresentará, a nossos olhos, com a cor daquela luz.
Por exemplo: se esse objeto for iluminado com luz monocro-
mática azul, ele refletirá essa luz (pois reflete todas as cores)
• Ocorre nas superfícies rugosas. e, assim, nós o veremos com a cor azul.
• Não há formação de imagens. O que enxergamos é a própria Concluímos, então, que a cor de um objeto depende não
superfície do objeto. apenas de sua natureza, mas também da cor da luz com que é
• Podemos chamar a reflexão difusa apenas por difusão. iluminado.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
41

AP. FÍSICA III.indd 41 03/01/2013 11:09:25


C) a camiseta e a palavra gravada no peito se apresentarão na
cor azul.
D) a camiseta se apresentará azul, mas as letras da palavra
Já sabemos que maioria das superfícies dos materiais gravada desaparecerão.
mostram propriedades de reflexão/transmissão seletiva e a E) tanto a camiseta como a palavra gravada ficarão com a cor
imagem que vemos de um determinado objeto depende da luz negra.
que nele incide, bem como das propriedades de reflexão/trans-
missão do objeto observado. Deste modo, a nossa percepção 03 (UNIFENAS) Dois espelhos planos E1 e E2 são associados
de cor depende não só do objeto observado mas também da formando um ângulo de 90º, conforme a figura. Um raio de
quantidade/qualidade de luz que o ilumina. luz incide no espelho E1 com ângulo de incidência de 30º.
O valor do ângulo  é:
Por isso, câmeras fotográficas e filmadoras, por exemplo,
têm uma regulagem chamada “equilíbrio de branco”, onde A) 30º.
pode-se regular a sensibilidade da câmera para diferentes fontes B) 45º. E2
de iluminação, conforme o espectro de emissão de cada uma. C) 60º.
D
Isso compensa comprimentos de onda que parecem muito ou D) 75º.
pouco em cada tipo de luz. E) 90º.’
Observe a sequência de fotos

Foto: Prof.
Ulisses Castro

Elas foram tiradas com a mesma câmera, uma após a outra,


E1
com iluminação natural do Sol, mudando apenas a regulagem do
equilíbrio de branco: A para dia ensolarado, B para dia nublado
(correta), C para luz fluorescente e D para luz incandescente.
Comparando A, C e D com a correta (B), percebemos que,
para um dia ensolarado A, a câmera acrescentou vermelho
07
para compensar a quantidade de radiação azul disponível com
céu limpo. Nas fotos C (fluorescente) e D (incandescente),
percebe-se que há o acréscimo de azul, um pouco para ilumi-
nação fluorescente e muito para a ilumunação incandescente,
onde predominam os tons alaranjados e vermelhos.

07

01 (UFMG) A figura mostra a bandeira do Brasil de forma 01 (UFRN) A coloração das folhas das plantas é determinada,
esquemática. principalmente, pelas clorofilas a e b – nelas presentes –, que
são dois dos principais pigmentos responsáveis pela absorção
da luz necessária para a realização da fotossíntese. O gráfico a
seguir mostra o espectro conjunto de absorção das clorofilas
I a e b em função do comprimento de onda da radiação solar
III
II
visível.

IV 100
azul
80 violeta
Sob luz branca, uma pessoa vê a bandeira do Brasil com a parte
Absorção (%)

vermelho
I branca, a parte II azul, a parte III amarela e a parte IV verde. 60
Se a bandeira for iluminada por luz monocromática amarela,
a mesma pessoa verá, provavelmente: 40
verde
A) a parte I amarela e a II preta. 20
B) a parte I amarela e a II verde.
C) a parte I branca e a II azul. 0
D) a parte I branca e a II verde. 400 500 600 700

02 (PUC PR 2005) Um rapaz usa uma camiseta que exposta Comprimento de onda (nm)
à luz do sol se apresenta totalmente verde com a palavra
PUCPR gravada no peito com letras azuis. O rapaz entra Com base nessas informações, é correto afirmar que, para
então numa sala iluminada por luz monocromática azul. realizar a fotossíntese, as clorofilas absorvem, predominan-
Certamente: temente:
A) a camiseta parecerá preta e a palavra gravada se apresen- A) o violeta, o azul e o vermelho, e refletem o verde.
tará na cor azul. B) o verde, e refletem o violeta, o azul e o vermelho.
B) a camiseta e a palavra se apresentarão com as mesmas C) o azul, o verde e o vermelho, e refletem o violeta.
cores vistas à luz do sol. D) o violeta, e refletem o verde, o vermelho e o azul.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


42 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 42 03/01/2013 11:09:31


02 Quando um objeto é iluminado, ele absorve algumas cores 05 (ENEM – H17) Sabe-se que o olho humano não consegue
do espectro da luz incidente e reflete outras. A cor com que diferenciar componentes de cores e vê apenas a cor resul-
o objeto é visto será determinada pelas cores que ele reflete. tante, diferentemente do ouvido, que consegue distinguir,
Baseado no que foi exposto, analise as afirmações: por exemplo, dois instrumentos diferentes tocados simulta-
I. Um objeto branco, iluminado com luz verde, reflete a cor azul. neamente. Os raios luminosos do espectro visível, que têm
II. Um objeto vermelho, iluminado com luz branca, reflete a comprimento de onda entre 380 nm e 780 nm, incidem na
cor vermelha. córnea, passam pelo cristalino e são projetados na retina.
III. Um objeto preto é aquele que absorve todas as cores. Na retina, encontram-se dois tipos de fotorreceptores, os
IV. Um objeto de vidro transparente azul tem essa cor porque cones e os bastonetes, que convertem a cor e a intensidade
da luz recebida em impulsos nervosos. Os cones distinguem
reflete todas as cores.
as cores primárias: vermelho, verde e azul, e os bastonetes
As afirmativas corretas são: diferenciam apenas níveis de intensidade, sem separar
A) I e II. D) III e IV. comprimentos de onda. Os impulsos nervosos produzidos
B) I e III. E) II e IV. são enviados ao cérebro por meio do nervo óptico, para que
C) II e III. se dê a percepção da imagem. Um indivíduo que, por alguma
deficiência, não consegue captar as informações transmitidas
pelos cones, perceberá um objeto branco, iluminado apenas
por luz vermelha, como:
A) um objeto indefinido, pois as células que captam a luz
estão inativas.
B) um objeto rosa, pois haverá mistura da luz vermelha com
03 (MOD. ENEM – H17) Leia o texto a seguir: o branco do objeto.
C) um objeto verde, pois o olho não consegue diferenciar
A FOTOSSÍNTESE componentes de cores.
A fotossíntese é o processo através do qual as plantas, D) um objeto cinza, pois os bastonetes captam luminosidade,
seres autotróficos e alguns outros organismos transformam porém não diferenciam cor.
energia luminosa em energia química, processando o E) um objeto vermelho, pois a retina capta a luz refletida
dióxido de carbono e outros compostos (CO2), água (H2O) pelo objeto, transformando-a em vermelho.
e minerais, em compostos orgânicos, e produzindo oxigênio 06 (UFF – MOD. ENEM – H01) Para comprovar, em caráter
gasoso (O2). rudimentar, o funcionamento de um periscópio, constrói-se
um dispositivo utilizando-se uma caixa preta e dois espelhos
oxigênio oxigênio planos. Em duas laterais opostas da caixa são feitas aberturas
e, em cada uma das regiões I e II, coloca-se um espelho
plano. Um feixe de luz, proveniente de uma fonte, incide
glicose perpendicularmente à lateral da caixa, seguindo o trajeto
parcialmente representado na figura a seguir. Identifique a
energia solar opção que melhor representa a correta colocação dos espe-
lhos, permitindo o funcionamento do periscópio:
gás ESQUEMA DA FOTOSSÍNTESE
carbônico
I Luz

água + sais minerais

Pela teoria da reflexão da luz, sabemos que enxergamos um II


corpo pela luz que ele reflete. De acordo com o texto, uma
árvore verde:
A) D)
A) absorve principalmente a luz verde para realizar a fotossíntese.
B) absorve mais a radiação verde em suas folhas.
C) reflete a luz verde e utiliza as demais frequências para
realizar fotossíntese.
D) não utliza radiação solar para a fotossíntese.
E) realiza fotossíntese apenas na ausência de radiação verde.
04 (UFTM 2012 – MOD. ENEM – H01) Com o intuito de B) E)
preservar o meio ambiente e, também, fazer economia, em
edificações de algumas regiões do país, têm sido utilizadas
caixas de leite longa vida ou de sucos, que são aluminizadas
em seu interior, para fazer a forração de telhados e, com isso,
conseguir temperaturas mais agradáveis. Essa utilização se
justifica por causa: C)
A) das correntes de convecção.
B) da refração dos raios solares.
C) da difusão do calor por toda a superfície.
D) da troca de calor do interior com o meio exterior.
E) do fenômeno da reflexão da radiação solar.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
43

AP. FÍSICA III.indd 43 03/01/2013 11:09:32


07 (MOD. ENEM – H01) A cor de uma superfície quando iluminada 10 (G1 CPS 2010 – MOD. ENEM – H01) O uso de cores claras
por luz branca ocorre pela combinação dos fenômenos de: na pintura das paredes externas de uma casa é uma prática
A) absorção e reflexão. que contribui para o conforto térmico das residências, pois
B) reflexão e refração. minimiza o aquecimento dos ambientes internos. Além disso,
C) decomposição e refração. essa atitude diminui os gastos de energia com ventiladores ou
D) decomposição e dispersão. aparelhos de ar condicionado. A escolha de tintas de cores
E) dispersão e difusão. claras se justifica, pois, na interação da radiação solar com
essa tinta, predomina o fenômeno de:
08 (MOD. ENEM – H01) A radiação solar incide sobre a superfície
terrestre e, dependendo da sua composição, de sua forma, A) refração.
da cor, entre outros fatores, varia a parte da energia que é B) absorção.
absorvida pelos materiais que constituem a superfície. Nos C) condução.
grandes centros urbanos, onde a absorção é significativa, D) convecção.
ocorre, com certa frequência, desconforto térmico dos cida- E) reflexão.
dãos. A parte da radiação que é refletida pela superfície dá
origem a um conceito criado pelos cientistas conhecido como 11 (PUC CAMP 2000 – MOD. ENEM – H01) O texto a seguir
albedo. O albedo é um número adimensional que varia de 0 tem quatro expressões maiúsculas que se referem ao fenô-
(nada é refletido) e 1 (tudo é refletido). Assim, uma superfície meno de reflexão da luz ou ao fenômeno de refração da luz.
de albedo 0,5 indica que ela é capaz de refletir metade da
energia solar que incide sobre ela. A figura a seguir mostra Estamos numa manhã ensolarada. A LUZ DO SOL ATRA-
um quadro ilustrando diversas superfícies urbanas e seus VESSA A ÁGUA DA PISCINA (1), ILUMINANDO O FUNDO
respectivos intervalos de albedo. (2) que parece estar mais acima. Na sala, a luz do sol, que
Albedo de materiais urbanos Telhados de alta PASSA PELA VIDRAÇA (3), é ESPALHADA PELAS PAREDES
reflexividade BRANCAS (4), tornando a sala ainda mais clara.
Telhados Telhado 0,60 - 0,70
rugosos vermelho/marrom A reflexão da luz é o fenômeno principal correspondente às
0,10 - 0,15 0,10 - 0,35 expressões:
Pinturas Pinturas
coloridas brancas
A) 1 e 2.
0,15 - 0,35 0,50 - 0,90 B) 1 e 3.
C) 2 e 3.
D) 2 e 4.
E) 3 e 4.
12 (UNESP – MOD. ENEM – H01) Muitas vezes, ao examinar
Asfalto
Concreto Grama Árvores uma vitrina, é possível observar não só os objetos que se
0,05 - 0,20
0,10 - 0,35 0,25 - 0,30 0,15 - 0,18 encontram em exposição atrás do vidro, como também a
imagem de si próprio formada pelo vidro, A formação dessa
Com base nessas informações, uma boa alternativa para imagem pode ser explicada pela:
combater o desconforto térmico dos grandes centros urbanos
A) reflexão parcial da luz.
seria:
B) reflexão total da luz.
A) incentivar o emprego de telhados de alta refletividade para C) refração da luz.
aumentar o albedo. D) transmissão da luz.
B) sempre que possível usar asfalto no lugar do concreto, para
E) difração da luz.
diminuir o albedo.
C) diminuir as áreas verdes, já que os albedos de gramados e 13 (MOD. ENEM – H22) Observe as fotos:
árvores costumam ser altos.
D) incentivar o uso de pinturas coloridas nas edificações, pois
Prof. Ulisses Castro

Prof. Ulisses Castro

elas refletem mais a luz do sol do que pinturas brancas.


E) incentivar a ocupação das áreas suburbanas, para diminuir
a concentração populacional nos grandes centros urbanos.
09 (UCS 2012 – MOD. ENEM – H22) O camaleão é um animal
que possui capacidade mimética: pode trocar a coloração de
sua pele para reproduzir a cor da superfície com a qual está As duas fotos foram tiradas de uma mesma vidraça; a da
em contato. Do ponto de vista do comportamento de ondas esquerda, pelo lado de dentro e a da direita, pelo lado de
eletromagnéticas, a pele do camaleão tem a propriedade de: fora. Nelas é fácil observar que pelo lado de dentro vê-se
A) gerar ondas com todas as frequências desejadas pelo nitidamente o que está fora, enquanto pelo lado de fora vê-se
animal. apenas o reflexo do que está fora, não sendo possível ver o
B) mudar suas propriedades de absorção e reflexão das ondas. interior do ambiente. Uma boa explicação para este fato é que:
C) absorver apenas os comprimentos de onda e refletir apenas A) o vidro transmite bem a luz apenas em um sentido.
as frequências. B) o vidro é mais transparente para a luz artificial do interior
D) absorver apenas as frequências, mas refletir os compri- do que para a luz natural vinda de fora.
mentos de ondas. C) a vidraça mostrada nas fotos é translúcida.
E) produzir e emitir ondas com diferentes velocidades no D) a vidraça reflete igualmente dos dois lados, mas por fora
vácuo, mas mesmo comprimento de onda e mesma há mais luz para ser refletida.
frequência. E) o vidro é opaco para a luz natural.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


44 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 44 03/01/2013 11:09:32


14 (MOD. ENEM – H22) A luz emitida pelo vapor incandescente 16 (UFRGS) A figura a seguir representa as secções E e E’ de
de um elemento químico pode ser separada em raios de dife- dois espelhos planos. O raio de luz I incide obliquamente no
rentes cores, com o uso de um prisma de cristal, revelando espelho E, formando um ângulo de 30º com a normal N a ele,
uma série de linhas que caracterizam a substância. Quando e o raio refletido R incide perpendicularmente no espelho E’.
observamos o céu a olho nu, a nossa galáxia, Via Láctea,
é apenas um borrão. Se utilizarmos um binóculo comum,
observamos que esse borrão é constituído por milhões de
pontos de luz separados. Se utilizarmos instrumentos cada N
vez mais potentes, observaremos que as galáxias apre-
I R
sentam uma grande variedade de cores e luminosidades. E’

Por exemplo: as galáxias elípticas são vermelhas, e as galá- 30o

xias espirais são azuis. Sobre o assunto, assinale a alternativa


correta: E
A) A luz azulada das galáxias espirais, cuja temperatura é 0

mais baixa, tem frequência mais elevada se comparada à


luz das galáxias elípticas, que é avermelhada. Que ângulo formam entre si as secções E e E’ dos dois
espelhos?
B) A luz azulada das galáxias espirais, cuja temperatura é
mais alta, tem frequência mais elevada se comparada à A) 15º. D) 60º.
luz das galáxias elípticas, que é avermelhada. B) 30º. E) 75º.
C) A luz azulada das galáxias espirais, cuja temperatura é C) 45º.
mais alta, tem frequência mais baixa se comparada à luz 17 É comum observamos em filmes com submarinos a utilização
das galáxias elípticas, que é avermelhada. do periscópio (figura 1). A imagem observada pelo marinheiro
D) A luz azulada das galáxias espirais, cuja temperatura é mais é mostrada na figura 2.
baixa, tem frequência mais baixa se comparada à luz das
galáxias elípticas, que é avermelhada.
E) A luz azulada das galáxias espirais, cuja temperatura é mais
alta, tem a mesma frequência da luz das galáxias elípticas,
que é avermelhada.

Figura 1 Figura 2
Disponível em: <www.portogente. Disponível em: <www.farm3.static.
15 (UNESP 2010) Um professor de física propôs aos seus alunos com.br/arquivos/id_591_peris- flickr.com/2074/1716931471_64f64
que idealizassem uma experiência relativa ao fenômeno copio01.jpg> 73c40_o.jpg>
luminoso. Pediu para que eles se imaginassem numa sala
Podemos construir um periscópio rudimentar utilizando
completamente escura, sem qualquer material em suspensão
dois espelhos planos e uma caixa de papelão. Observe figura
no ar e cujas paredes foram pintadas com uma tinta preta
abaixo.
ideal, capaz de absorver toda a luz que incidisse sobre ela.
Em uma das paredes da sala, os alunos deveriam imaginar 45º

uma fonte de luz emitindo um único raio de luz branca que


incidisse obliquamente em um extenso espelho plano ideal,
capaz de refletir toda a luz nele incidente, fixado na parede
oposta àquela na qual o estudante estaria encostado (observe 45º
a figura abaixo).
espelho
De acordo com as leis da Física, marque a alternativa que
mostra de forma correta a trajetória da luz até os olhos do
observador:
A) 45º
C) 45º
raio de luz

fonte de luz

olho do estudante 45º 45º

Se tal experiência pudesse ser realizada nas condições ideais


propostas pelo professor, o estudante dentro da sala: B) 45º D) 45º
A) enxergaria somente o raio de luz.
B) enxergaria somente a fonte de luz.
C) não enxergaria nem o espelho, nem o raio de luz.
D) enxergaria somente o espelho em toda sua extensão.
E) enxergaria o espelho em toda sua extensão e também o 45º 45º
raio de luz.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
45

AP. FÍSICA III.indd 45 03/01/2013 11:09:32


18 Presença indesejável sobre os alimentos, as moscas são
também fonte de inspiração. Um bom exemplo disso é
“Mosca na sopa”, de Raul Seixas, gravada em 1973. Associe
os trechos em negrito da letra, coluna 1, com o fenômeno
físico a estes correspondente, coluna 2.

TRECHO DA LETRA FENÔMENO FÍSICO

Onda mecânica que se pro-


paga em meio deformável
Eu sou a mosca
ou elástico, longitudinal-
que pousou
1 a mente, e estimula as células
em sua
ciliadas, produzindo o po-
sopa.
tencial de ação nas células
nervosas.

Fotorreceptor constituído
por um sistema autônomo
Eu sou a mosca
de focalização, controlando
no seu quarto a
2 b automaticamente a quanti-
zum-zum-zum-
dade de fótons incidentes Do ponto de vista energético, o alto-falante tem como função:
bizar.
e formando uma imagem
A) transformar energia elétrica em energia eletromagnética
invertida.
através da interação entre campos magnéticos.
B) transformar energia mecânica em elétrica através da
Água mole em Devido a uma diferença na
pedra dura altura (desnível), o fluido interação entre campos elétricos.
3 c C) transformar energia elétrica em energia mecânica através
tanto bate até que escoa causando uma ener-
fura. gia potencial gravitacional. da interação entre campos elétricos.
D) transformar energia mecânica em energia elétrica através
As moléculas da superfície da interação entre campos gravitacionais.
Olha do outro de um líquido estão subme- E) transformar energia elétrica em energia mecânica através
lado agora eu tô tidas a uma força não nula da interação entre campos magnéticos.
4 d
sempre junto de mantendo-as ligadas, sendo
você. possível associar uma ener- 20 (DARWIN – MOD. ENEM – H01) Em 1893, o padre, cientista e
gia potencial de superfície. engenheiro gaúcho Roberto Landell de Moura testa a primeira
transmissão de fala por ondas eletromagnéticas, sem fio.
Todavia, o primeiro mundo reconhece o cientista Guglielmo
Assinale a alternativa que contém a associação correta das
Marconi como o “descobridor do rádio”. Marconi, realizou em
colunas.
1895 testes de transmissão de sinais sem fio pela distância de
A) 1 – d; 2 – a; 3 – c; 4 – b. 400 metros e depois pela distância de 2 quilômetros. Em 1896
B) 1 – b; 2 – a; 3 – c; 4 – d. Marconi adquiriu a patente da invenção do rádio, enquanto
C) 1 – a; 2 – b; 3 – d; 4 – c. Landell só conseguiria obter para si a patente no ano de 1900.
D) 1 – d; 2 – c; 3 – a; 4 – b. Desde então, as rádios fazem parte de nossas vidas, levando
E) 1 – b; 2 – c; 3 – a; 4 – d. informações e alegria. O esquema a seguir ilustra o “caminho”
19 (DARWIN – MOD. ENEM – H18) O som e a música sempre da informação entre o radialista e o ouvinte. O informação
fizeram parte da vida do homem. A evolução tecnológica produzida pelo radialista é captada pelo microfone, trabalhado
permitiu que os equipamentos de som se tornassem portáteis, por dispositivos eletrônicos e enviada pelas antenas. A seguir,
permitindo o uso desses equipamentos das mais diversas a informação será captada por algum rádio e transformada
formas e momentos. Apesar de tanta evolução, um dos prin- em algo que possamos ouvir.
cipais atores da sonorização, o alto-falante, pouco mudou, do
ponto de vista funcional.
Stock.xchng

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


46 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 46 03/01/2013 11:09:35


A alternativa que mostra a ordem correta dos tipos de energia 21 (DARWIN) De acordo com o texto e com os princípios da
envolvidos em um processo de radiodifusão, do momento em Física, analise as frases a seguir:
que o radialista fala ao momento que o ouvinte ouve, é:
I. A água que circula pelo cano A tem maior temperatura
A) energia eletromagnética, energia elétrica, energia mecâ- que a água que circula pelo cano B.
nica, energia elétrica e energia eletromagnética. II. As ondas de infravermelho que refratam no vidro têm a
B) energia mecânica, energia elétrica, energia eletromagné- frequência alterada.
tica, energia elétrica e energia mecânica. III. A principal forma de propagação de calor entre o vidro e
C) energia mecânica, energia eletromagnética, energia os canos de cobre é a condução térmica.
eletrica, energia eletromagnética e energia mecânica. IV. O fenômeno da absorção do infravermelho pelas aletas
D) energia elétrica, energia eletromagnética, energia elétrica, deve ser explicado pela teoria corpuscular.
energia eleltromagnética e energia elétrica. Está correto o contido apenas em:
E) energia mecânica, energia eletromagnética e energia A) I e II. D) I e IV.
mecânica. B) II e III. E) I, II, III e IV.
TEXTO PARA A QUESTÃO 21 C) I e III.
22 A irradiação para a conservação de produtos agrícolas,
O AQUECEDOR SOLAR
tais como batata, cebola e maçã, consiste em submeter
Um sistema básico de aquecimento de água por Energia Solar esses alimentos a doses minuciosamente controladas de
é composto de coletores solares (placas) e reservatório térmico radiação ionizante. Sobre a radiação ionizante, considere
(Boiler). as afirmativas.
As placas coletoras são responsáveis pela absorção da radiação I. A energia da radiação incidente sobre um alimento pode
solar. Quando os raios do sol atravessam o vidro da tampa do atravessá-lo, retirando elétrons do átomo e das moléculas
coletor, eles esquentam as aletas que são feitas de cobre ou que o constituem.
alumínio e pintadas com uma tinta especial e escura que ajuda II. As micro-ondas e os raios infravermelho e ultravioleta
na absorção máxima da radiação solar. O calor passa então das são exemplos de radiação ionizante.
III. As fontes radioativas utilizadas na conservação de
aletas para os tubos (serpentina) que geralmente são de cobre.
alimentos são de mesma natureza das utilizadas na
Daí a água que está dentro da serpentina esquenta e vai direto
radioterapia.
para o reservatório térmico. IV. Por impregnar os alimentos, o uso de radiação ionizante
O reservatório térmico é como uma caixa-d’água especial causa sérios danos à saúde do consumidor.
que cuida de manter quente a água armazenada no aquecedor
Assinale a alternativa correta.
solar. Esses cilindros são feitos de cobre, inox, ou polipropileno e
depois recebem um isolante térmico. A maioria dos modelos de A) Somente as afirmativas I e II são corretas.
B) Somente as afirmativas I e III são corretas.
reservatório térmico vem com sistema de aquecimento auxiliar
C) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
elétrico, mas podem ser fabricados com sistema auxiliar a gás ou
D) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
até mesmo sem esse recurso. E) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
Em sistemas convencionais, a água circula entre os coletores
23 Um trecho da música Quanta, de Gilberto Gil, é reproduzido
e o reservatório térmico através de um sistema natural chamado
no destaque a seguir.
termossifão. Nesse sistema, a água dos coletores fica mais quente
e, portanto, menos densa que a água no reservatório. Assim a água Fragmento infinitésimo,
Quase que apenas mental,
fria “empurra” a água quente gerando a circulação. Esses sistemas
Quantum granulado no mel,
são chamados da circulação natural ou termossifão. Quantum ondulado do sal,
Mel de urânio, sal de rádio
respiro
(suspiro)
CAIXA-D’ÁGUA Qualquer coisa quase ideal.
As frases “Quantum granulado no mel” e “Quantum ondulado
saída de consumo do sal” relacionam-se, na Física, com:
para instalação
em desnível BOILER A) conservação de Energia.
(reservatório térmico)
registro
B) conservação da Quantidade de Movimento.
registro p alimentação C) dualidade partícula-onda.
de água fria
D) princípio da Causalidade.
registro
E) conservação do Momento Angular.
A tubulação
de cobre 24 (UFF) Para observar alguns tipos de tumores em tecidos
válvula animais utilizando-se ultrassom, o comprimento de onda
anticongelamento cavalete
p sonora –  – deve ser menor que o tamanho típico dos
registro dreno de boiler e caixa tumores, isto é,  deve ser menor que 3,0 . 10 –4 m. Consi-
p consumo derando que a velocidade de onda sonora nesses tecidos
(quando utilizado como
horizontal de nível)
animais é, aproximadamente, 1,4 . 103 m/s, a frequência do
B
COLETORES
ultrassom deve ser maior que:
SOLARES A) 2,1 . 107 Hz. D) 3,4 . 102 Hz.
registro de dreno B) 4,7 . 106 Hz. E) 4,2 . 10 –1 Hz.
dos coletores C) 1,2 . 104 Hz.

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


FÍSICA III – Volume 01
47

AP. FÍSICA III.indd 47 03/01/2013 11:09:36


AULA DE COMENTÁRIOS DOS EXERCÍCIOS
DE REVISÃO E APROFUNDAMENTO

BLOCO 01
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
* C C A B A C D E D D D
13 14 15 16 17 18 19 20
B C E C B B A C

01:* 2Hz

BLOCO 02
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
B B E A C B E D C B A C
13 14 15 16
B A A D

BLOCO 03
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
B C B C D B E D A E D D
13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24
C D A C D B B C A C E E
25
E

BLOCO 04
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
C E B C C C C C D C B D
13 14 15 16 17 18
A E B D C A

BLOCO 05
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
C D C D A E A C D D B D
13 14 15 16
A D D E

BLOCO 06
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
E D C C A B D A B B A D
13 14 15 16 17 18
A E C D E A

BLOCO 07
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12
A C C E D A A A B E D A
13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24
D B C B B A E B D B C B

Ciências da Natureza e suas Tecnologias


48 FÍSICA III – Volume 01

AP. FÍSICA III.indd 48 03/01/2013 11:09:36


Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, seja eletrônico,
mecânico ou qualquer outro, sem a autorização prévia, por escrito, das editoras.

Direção Editorial: Clayton Lima


Autoria: Ricardo Augusto Gomes Jacob e
Ulisses Sampaio Castro
Revisão Pedagógica: Leandro Herston
Coordenação de Produção: Irapuan Moreira e Solange Gomes
Coordenação de Revisão: Adriana Josino
Projeto Gráfico e Capas: Eduardo Gomes
Imagem da Capa: Shutterstock
Pesquisa Iconográfica: Feliciano Magalhães Jr.
Ilustração: Maurício Magalhães
Editoração Eletrônica: Rachel Luzia
Revisão Editorial: Tatyanne Pereira
Impressão: Tecnograf Gráfica e Editora

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


Bibliotecária: Camila Stela Pereira Nunes CRB 3ª Região 861

C355 Jacob, Ricardo Augusto Gomes.


Física III / Ricardo Augusto Gomes Jacob e
Ulisses Sampaio Castro – Fortaleza: Smile Editorial, 2013.
1 v. ; 48 p. – (Coleção Pré-Universitário em Fascículos, 028)

Obra em fascículos.
ISBN 978-85-8002-506-4

1. Física III. Título.

CDD 530

Índice para catálogo sistemático:


1. Física 530

Ano 2013

NESTE VOLUME

CAPÍTULO 01
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Osciladores .......................................................................................................................................... 01

CAPÍTULO 02
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Introdução à Ondulatória....................................................................................................................... 07

CAPÍTULO 03
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Ondas Eletromagnéticas ........................................................................................................................ 21

CAPÍTULO 04
Oscilações, Ondas, Óptica e Radiação
Fenômenos Ondulatórios: Reflexão ......................................................................................................... 35

Editora Ipiranga Smile Editorial


Rua Pereira Filgueiras, 15 Rua Pereira Filgueiras, 15 ă Salas de 101 a 108 e 201
CEP: 60.160 -150 ă Fortaleza ă Ceará ă Brasil CEP: 60.160 -150 ă Fortaleza ă Ceará ă Brasil
ipiranga@editoraipiranga.com.br smile@smileeditorial.com.br

Capa Fisica III.indd 2 03/01/2013 15:30:00


Fascículo 028

Capa Fisica III.indd 1 03/01/2013 15:29:58