Você está na página 1de 10

ISA S75.

01-1985 (1995):
Equações de Vazão para
Dimensionar Válvulas de
Controle

requerido aproximado (CV ). Este


procedimento é explicado melhor no
1. Escopo Apêndice A.
A vazão instantânea de um fluido através
Esta norma apresenta equações para
de uma válvula de controle é uma função
prever a vazão de fluidos compressíveis e
do seguinte (quando aplicável):
incompressíveis através de válvulas de
a) Condições de entrada e saída:
controle. As equações não pretendem ser
1. Pressão
usadas quando o fluido for multifásico,
2. Temperatura
lamas densas, sólidos secos ou líquidos
3. geometria da tubulação
não newtonianos. Além disso, a previsão de
b) Propriedades do liquido
cavitação, de ruído e de outros efeitos não
1. Composição
é parte desta norma.
2. Densidade
3. Pressão de vapor
2. Introdução 4. Viscosidade
5. Tensão superficial
As equações desta norma são baseadas 6. Pressão crítica
no uso de fatores de capacidade c) Propriedades do gás ou vapor
determinados experimentalmente obtidos de 1. Composição
teste de válvulas de controle de acordo com 2. Densidade
os procedimentos da norma ANSI/ISA 3. Relação dos calores específicos
S755.02, Procedimento de Teste de d) Propriedades da válvula de controle
Capacidade de Válvula de Controle. 1. Tamanho
As equações são usadas para prever a 2. Curso da haste ou rotação do
vazão instantânea de um fluido através de disco
uma válvula quando todos os fatores, 3. Geometria do caminho da vazão
incluindo aqueles relacionados com o fluido
e sua condição de vazão, são conhecidos.
Quando as equações são usadas para
selecionar um tamanho de válvula, é
geralmente necessário usar fatores de
capacidade associados com a condição
totalmente aberta ou especificada para
prever um coeficiente de vazão da válvula

61
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

3. Nomenclatura

Descrição
CV Coeficiente de vazão da válvula
d Diâmetro da entrada da válvula
D Diâmetro interno da tubulação
Fd Modificador do tipo da válvula
FF Fator de relação da pressão crítica do líquido, adimensional
FL Fator de recuperação de pressão do líquido de uma válvula sem conexão anexa,
adimensional
FLP Produto do fator de recuperação de pressão do líquido de uma válvula com conexão
anexa e o fator da geometria da tubulação, adimensional
Fp Fator de geometria da tubulação, adimensional
FR Fator de número de Reynolds, adimensional
Fs Fator de vazão laminar, adimensional
g Aceleração local da gravidade
Gf Densidade relativa (gravidade específica) do líquido nas condições a montante.
Relação da densidade do líquido à temperatura de vazão para a densidade d'água a
15,6 oC (60 oF ), adimensional
Gg Densidade relativa (gravidade específica) do gás em relação à densidade do ar, ambos
nas condições padrão. Igual à relação do peso molecular do gás para o peso molecular
do ar, adimensional
k Relação dos calores específicos, adimensional
K Coeficiente de perda de pressão de um dispositivo, adimensional
KB Coeficiente de Bernoulli, adimensional
Ki Fatores de altura da velocidade para uma conexão de entrada, adimensional
M Peso molecular, unidade de massa atômica
N1, N2, ... Constantes numéricas para as unidades de medição usadas
p1 Pressão estática absoluta a montante, medida em dois diâmetros nominais a montante
do conjunto válvula-conexão
p2 Pressão estática absoluta a jusante, medida em seis diâmetros nominais a jusante do
conjunto válvula-conexão
P Pressão diferencial, p1 - p2
pc Pressão absoluta termodinâmica crítica
pr Pressão reduzida, adimensional
pvc Pressão absoluta aparente na vena contracta
q Vazão instantânea volumétrica
qmax Vazão instantânea máxima (condições de vazão chocada) a uma dada condição a
montante
Rev Número de Reynolds da válvula, adimensional
Tc Temperatura absoluta termodinâmica crítica
Tr Temperatura reduzida, adimensional
T1 Temperatura absoluta a montante, em kelvin (K) ou grau Rankine (oR)
U1 Velocidade na entrada da válvula
w Vazão instantânea em massa ou peso

62
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

Descrição
x Relação da queda de pressão para a pressão absoluta de entrada (P/P1),
adimensional
xT Fator de relação das quedas de pressão, adimensional
xTP Valor do fator xT para conjunto válvula-conexão, adimensional
Y Fator de expansão, relação do coeficiente de vazão para um gás e para uma líquido
para o mesmo número de Reynolds, adimensional
Z Fator de compressibilidade, adimensional
1 (gama) Peso específico, para as condições a montante
 (mi) Viscosidade absoluta
ni) Viscosidade cinemática, centistoke
rô) Densidade

Índices
1 Condições a montante
2 Condições a jusante
s Não turbulenta
T Turbulenta

. Constantes numéricas para equações de vazão de líquido

Constante Unidades usadas nas equações


N w q p, P d, D 1
3
N1 0,0865 - m /h kPa - - 
0,865 - m3/h bar - - 
1,00 - gpm psia - - 
N2 0,00214 - - - mm - 
890 - - - in - 
N4 76 000 - m3/h - mm - centistokes
17 300 - gpm - in - centistokes
N6 2,73 kg/h - kPa - kg/m3 -
27,3 kg/h - bar - kg/m3 -
63,3 lb/h - psia - lb/ft3 -
Para converter m 2/s para centistokes, multiplicar m 2/s por 106.
Para converter centipoise para centistoke, dividir centipoise por Gf.

63
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

4.3. Fator de geometria da tubulação


4. Fluido incompressível – O Fator de geometria da tubulação Fp
vazão de líquido não volátil considera as conexões ligadas à entrada ou
saída da válvula que perturbam a vazão,
A vazão instantânea de um líquido afetando a capacidade da válvula. Fp é
através de uma dada válvula de controle é realmente a relação do coeficiente de vazão
uma função da pressão diferencial (P1 – P2) de uma válvula com a conexão anexada
quando o líquido não vaporiza parcialmente para o coeficiente de vazão (CV ) de uma
entre a entrada e a saída da válvula. Se há válvula instalada em uma tubulação reta do
formação de bolhas temporariamente mesmo diâmetro que o da válvula.
(cavitação) ou permanentemente (flashing), Para máxima exatidão, Fp deve ser
esta relação não é mais válida. [A seção 5 determinado pelos procedimentos de teste
trata das equações de vazão aplicadas especificados na norma S75.02. Onde os
quando há grande vaporização). Na região valores estimados são permitidos, Fp pode
de transição entre vazão de líquido não ser determinado pela seguinte equação:
vaporizando e vazão totalmente chocada, a
vazão instantânea real é menor que a 1
Fp  (3)
prevista pelas equações desta seção e da
seção 5. A cavitação que ocorre nesta
 KC 2v
1
região de transição pode produzir dano N2d 4
físico à válvula ou à tubulação e
equipamentos associados. (O Apêndice B mostra a derivação
matemática de Fp ).
4.1. Equações para vazão turbulenta Em muitos casos, os tamanhos nominais
As equações para determinar a vazão da válvula e da tubulação (d e D) podem ser
instantânea de um líquido vazando através usados nas eqs. 3, 5, 6 e 7 sem erro
de uma válvula sob condições turbulentas, significativo.
sem vaporização são: O fator K é a soma algébrica dos
coeficientes da velocidade efetiva de todas
as conexões colocadas na válvula mas não
p1  p2
q  N1Fp C v a inclui. Por exemplo,
Gf
(1)  K  K 1  K 2  K B1  K B2 (4)
q Gf
Cv  onde K1 e K2 são os coeficientes de
N1Fp p1  p 2
resistência das conexões de entrada e
saída respectivamente e KB1 e KB2 são os
w  N6Fp Cv (p1  p 2 )1 coeficientes de Bernoulli para as conexões
(2) de entrada e saída, respectivamente. Os
coeficientes de Bernoulli compensam as
w
Cv  variações na pressão resultantes das
N1Fp (p1  p 2 ) 1 diferenças na área do jato e velocidade.
Quando os diâmetros das conexões de
entrada e saída são idênticos, KB1 = KB2 e
os dois fatores se anulam na eq. 4. Quando
4.2. Constantes numéricas os diâmetros da entrada e saída são
diferentes, KB é calculado como:
As constantes numéricas N são
escolhidas para acomodar as unidades de 4
medição usadas nas equações.  d
K B  1   (5)
D

64
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

q Gf
A conexão mais comumente encontrada Cv 
N1FR p1  p 2
é o redutor padrão, curto, concêntrico da
tubulação. Estas conexões têm pouco
estreitamento e sua perda de pressão não
excede à de uma contração repentina com w  N 6 FR C v (p 1  p 2 ) 1
uma entrada levemente arredondada. Nesta (10)
base, se não se tem os valores
w
experimentais para os coeficientes de Cv 
resistência K1 e K2, os valores aproximados N1FR (p 1  p 2 ) 1
podem ser calculados como segue:
Somente redutor de entrada: Note-se a ausência do fator de geometria
da tubulação, Fp , nas eqs. (9) e (10). Para
2 a vazão não turbulenta, o efeito dos
 d 2 

K 1  0,5 1  (6) redutores acoplados diretamente à válvula
 D2 
 1  ou de outras conexões que provocam
distúrbio na vazão, é desconhecido. Por
Somente expansor de saída: isso, a eq. (3) se aplica apenas à vazão
turbulenta.
2 Testes mostram que FR pode ser
 d 2 
K 2  1,01  (7) encontrado usando o número de Reynolds
 D2  da válvula e a Fig. 1. O sombreado em
 2
torno da curva central indica o
Quando o redutor e o expansor têm o espalhamento dos dados de teste e a faixa
tem o mesmo tamanho: de incerteza da vazão instantânea prevista
no regime não turbulento.
2 O número de Reynolds da válvula é
 d2  definido como:
K 1  K 2  1,5 1  2  (8)
 D 
 
N4 Fd q FL2 C2v
Re v  4 1 (11)
 FL C v N2 d 4
4.4. Equações para vazão não
turbulenta O modificador do tipo da válvula, Fd, na
Vazão não turbulenta ocorre em fluidos eq. (11) relaciona os dados dos testes de
de alta viscosidade ou baixas velocidades. vários tipos de válvulas com os diferentes
Nestas circunstancias, a vazão instantânea raios hidráulicos, de modo que uma única
através de uma válvula é menor que para curva representa todos os tipos testados.
vazão turbulenta e o fator do número de (Ver Apêndice D para valores
Reynolds, FR, deve ser introduzido. FR é a representativos de Fd). Deve-se ter cuidado
relação da vazão instantânea não turbulenta em usar a curva na Fig. 1 para tipos de
para a vazão instantânea turbulenta prevista válvulas para os quais não foi estabelecido
pelas eqs. (1) ou (2). As equações o fator Fd.
correspondentes para vazão não turbulenta
se tornam, respectivamente: O termo sob o radical na eq. (11)
considera a velocidade de aproximação.
Exceto para válvula esfera de grande
p1  p 2 abertura ou borboleta, este termo tem
q  N1FR C v somente um pequeno efeito no Rev e
Gf
geralmente pode ser omitido.
(9) A vazão instantânea através de uma
válvula é uma função da velocidade do jato

65
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

na vena contracta e a área do jato neste pressão de vapor do líquido. A vazão


local. Esta velocidade é uma função da chocada é acompanhada pela cavitação ou
queda de pressão através do orifício da pelo flacheamento (flashing). Se a pressão
válvula e também da velocidade de entrada a jusante é maior que a pressão de vapor
da válvula ou velocidade de aproximação. O do líquido, ocorre cavitação; se a pressão a
fator da velocidade de aproximação está jusante é igual ou menor que a pressão de
incluído no coeficiente de vazão da válvula. vapor, ocorre flacheamento. Esta relação
A maioria das vazões nas válvulas de entre a vazão instantânea e a queda de
controle de um processo é turbulenta, com pressão para uma válvula típica é mostrada
números de Reynolds da válvula maiores na Fig. 2.
que 104, onde o fator do número de
Reynolds é igual a 1. Quando o regime da
vazão é questionável, eq. (11) deve ser
usada para achar Rev. Para informação
adicional sobre vazão não turbulenta, ver
Apêndice E e F.

. 2. Vazão instantânea de líquido versus queda de


pressão para uma válvula típica (pressão a
montante e pressão de vapor constantes).

. 1. Fator do número de Reynolds. 5.1. Equações para vazão chocada


de líquido
As equações para determinar a máxima
vazão instantânea de um líquido sob
5. Fluido incompressível – condições chocadas para válvulas em
vazão chocada de líquido tubulações retas, ambas com o mesmo
diâmetro, são:
volátil
Vazão chocada é uma vazão instantânea p1  p vc
q  N1FL C v
limitada ou máxima. Quando as condições Gf
de entrada (a montante) são fixas, pode-se (12a)
aumentar a vazão instantânea diminuindo a
qmax Gf
pressão a jusante. Porém, há um ponto em Cv 
que, mesmo diminuindo a pressão a N1FL p 1  p vc
jusante, a vazão não aumenta mais – esta (10)
vazão é chamada de chocada. Com a vazão onde
de líquido, a vazão chocada ocorre como p vc  FFp v (13a)
resultado da vaporização do líquido, quando
dando
a pressão dentro da válvula cai abaixo da

66
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

p1  FF p v 5.3. Fator de recuperação de pressão


qmax  N1FL C v combinado do líquido, FLP
Gf
ou (14a) Quando uma válvula é instalada com
qmax Gf redutores ou outras conexões, a
Cv  recuperação de pressão do líquido na
N1FL p1  FF p v combinação válvula-conexão não é mesma
que a da válvula sozinha. Para cálculos
As equações para determinar a máxima envolvendo vazão chocada, é conveniente
vazão instantânea de um líquido sob tratar o fator de geometria da tubulação Fp
condições chocadas para válvulas com e o fator para a combinação válvula-
conexões são: conexão como um único fator FLP . O valor
de FL para a combinação é então FLP/Fp ,
onde
p1  p vc
qmax  N1FLP C v FLP p1  p 2
Gf  (15b)
Fp p1  p vc
ou (12b)
Para máxima exatidão, FLP deve ser
q Gf determinado usando os procedimentos de
C v  max teste especificados na norma ANSI/ISA
N1FLP p1  p vc
S75.02. Quando os valores estimados são
permitidos, pode-se usar a seguinte fórmula
onde para obter FLP com exatidão razoável:
p vc  FFp v (13b)
dando FL
FLP  (16)
K 1FL2C2v
p1  FF p v 1
qmax  N1FLP C v N2 d4
Gf
Nesta equação,
ou (14b) Ki é o coeficiente de perda da coluna de
qualquer conexão entre a tomada de
qmax Gf pressão a montante e a face de entrada da
Cv 
N1FL P p1  FFp v válvula apenas e vale

Ki = K1 + KB1 .
5.2. Fator de recuperação de pressão
do líquido, FL 6. Fluido compressível – vazão
O fator de recuperação de pressão do de gás e vapor
líquido, FL, se aplica a válvulas sem
conexões associadas. Este fator leva em A vazão instantânea de um fluido
conta a influência da geometria interna da compressível varia como uma função da
válvula em sua capacidade, na vazão relação da pressão diferencial para a
chocada. Sob condições de vazão de não pressão absoluta de entrada (p/p1),
evaporação, este fator é definido como: designado pelo símbolo x. Em valores de x
próximos de zero, a equação nesta seção
pode ser traçada para a equação de
p1  p 2 Bernoulli para fluidos incompressíveis
FL  (15a)
p1  p vc newtonianos. Porém, valores crescentes de
x resultam em efeitos de expansão e

67
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

compressão, que requerem o uso de fatores xM


apropriados de correção. w  N8FpC vp1Y
T1Z
6.1. Equações para vazão turbulenta ou (19)
A vazão instantânea de um gás ou vapor w T1Z
Cv 
através de uma válvula pode ser calculada N8Fpp1Y xM
usando qualquer uma das seguintes
formulas:
x
q  N9Fp C vp1Y
w  N6FpCv Y xp11 MT1Z
ou (17) ou (20)
w q MT1Z
Cv  Cv 
N6Fp Y xp11 N9Fpp1Y x

Note que o valor numérico de x usado


x
q  N7FpCvp1Y nestas equações não pode exceder o limite
Gg T1Z de choque (FKxTP), independente do valor
ou (18) real de x.

q Gg T1Z
Cv 
N7Fpp1Y x

6.2. Constantes numéricas


As constantes numéricas N são escolhidas para acomodar as unidades de medição
usadas nas equações.

. Constantes numéricas para equações de vazão de líquido

Constante Unidades usadas nas equações


N w q p, P 1 T1 d, D
N5 0,00241 - - - - - mm
1 000 - - - - - in
N6 2,73 kg/h - kPa kg/m3 - -
3
27,3 kg/h - bar kg/m - -
63,3 lb/h - psia lb/ft3 - -
3
N7 4,17 - m /h kPa - K -
417 - m3/h bar - K -
o
1360 - scfh psia - R -
N8 0,948 kg/h - kPa - K -
94,8 kg/h - bar - K -
o
19,3 lb/h - psia - R -
N9 22,5 - m 3/h kPa - K -
2250 - m 3/h bar - K -
7320 - scfh psia - oR -
q é em pé cúbico por hora medido @ 14,73psia e 60 oF ou metro cúbico por hora medido @ 101,3 kPa e 15,6
oC

68
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

válvula. Ele também varia com a geometria


6.3. Fator de expansão Y da tubulação e com as propriedades
termodinâmicas do fluido. Os fatores
O fator de expansão Y considera a
envolvidos são xT (seção 6.5), xTP (seção
variação na densidade de um fluido quando
6.6) e Fk (seção 6.7).
ele passa da entrada da válvula para a vena
contracta e a variação na área da vena
6.5. Fator de relação de queda de
contracta quando a queda de pressão é
alterada (coeficiente de contração). pressão, xT
Teoricamente, Y é afetado por todos os Para máxima exatidão, o fator de relação
seguintes parâmetros: de queda de pressão, xT, deve ser
1. Relação da área de passagem para a estabelecido usando os procedimentos de
área de entrada do corpo teste especificados na norma ANSI/ISA
2. Geometria interna da válvula S75.02. Valores representativos de xT para
3. Relação da queda de pressão, x válvulas são listados no Apêndice D. Estes
4. Número de Reynolds valores representativos não são tomados
5. Relação dos calores específicos, k como reais; os valores reais devem ser
As influências dos três primeiros itens obtidos do fabricante da válvula.
são definidas pelo fator xT . Dados de teste
indicam que Y pode ser tomado como uma 6.5. Fator de relação de queda de
função linear de x, como mostrado na pressão com redutores ou outras
seguinte equação para uma válvula sem
conexões, xTP
nenhuma conexão anexa:
Quando a válvula é instalada com
x redutores ou outras conexões, o fator de
Y  1 (21) relação de queda de pressão do conjunto
3FK x T
(xTP) é diferente daquele com a válvula
isolada (xT). Para máxima exatidão, o fator
com limites (1,0 > Y > 0,67) xTP, deve ser estabelecido usando os
Para uma válvula com conexão anexa, xT procedimentos de teste especificados na
é substituído por xTP. norma ANSI/ISA S75.02. Valores estimados
Para todos os objetivos práticos, o efeito são permitidos, usando-se a seguinte
do número de Reynolds pode ser equação:
desprezado no caso de fluidos
compressíveis. O efeito da relação dos
 
calores específicos, k, é considerado na  
seção 6.7. xT  1 
x TP  2 2  (22)
Fp  x TK iCv
6.4. Vazão chocada  1
 N d4 
Se todas as condições são mantidas  5 
constantes e a relação da pressão
diferencial (x) é aumentada pela diminuição
da pressão a jusante (p2), a vazão Nesta equação,
instantânea mássica aumentará até um xT é o fator de relação de queda de
limite máximo. As condições onde o valor de pressão para uma dada válvula instalada
x excede este são conhecidas como vazão sem redutores ou outras conexões,
chocada. O choque ocorre quando o jato do Ki é a soma dos coeficientes de
fluido na vena contracta atinge sua máxima velocidade de entrada (K1 + KB1) do
área transversal na velocidade sônica. Isto redutor ou outra conexão anexada à entrada
ocorre em relações de pressões (p/pvc) da válvula.
maiores que 2,0.
O valor de x no início das condições de
vazão chocada varia de válvula para

69
ANSI/ISA S75.01: Equações de Vazão para Válvulas de Controle

Esta correção para xT é usualmente


desprezível se d/D é maior que 0,5 e CV /d2 p1
é menor que 20, onde d é dado em pr  (24)
pc
polegadas.
Ver Apêndice H para a derivação de xT.
T1
Tr  (25)
6.7. Fator de relação dos calores Tc
específicos, Fk
A relação dos calores específicos de um As pressões e temperaturas críticas para
fluido compressível afeta a vazão a maioria dos fluidos e as curvas para
instantânea através de uma válvula. O fator determinação de Z podem ser encontradas
Fk leva em conta este efeito. Fk tem um na literatura técnica de dados físicos.
valor de 1,0 para o ar em temperaturas e
pressões moderadas, onde sua relação de
calores específicos é 1,40. A experiência e
a teoria indicam que, para o
dimensionamento da válvula, Fk pode ser
considerado uma função linear de k, como:

k
Fk  (23)
1,40

6.8. Fator de compressibilidade, Z


As eq. (18), (19) e (20) não contem um
termo para o peso específico real do fluido
nas condições a montante. Em vez disso,
este termo é inferido da pressão e
temperatura de entrada, baseando-se na
leis dos gases ideais. Sob algumas
condições, o comportamento do gás real
pode se desviar muito do ideal. Nestes
casos, o fator de compressibilidade, Z, deve
ser introduzido para compensar esta
discrepância. Z é uma função da pressão
reduzida e da temperatura reduzida. Para
uso neste trabalho, pressão reduzida pr é
definida como a relação da pressão
absoluta real de entrada para a pressão
absoluta termodinâmica crítica para o fluido
em questão. A temperatura reduzida T r é
definida de modo semelhante. Tem-se:

70