Você está na página 1de 5

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA

SISTEMAS DE COMANDO E REGULAÇÃO


Trabalho Laboratorial 1

DISPOSITIVOS PARA A INSTALAÇÃO E PROTECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS

Objectivos:
1. Observar as partes constituintes dos dispositivos para o controlo eletromagnético e as
protecções dos motores eléctricos.
2. Comprovar experimentalmente o princípio de funcionamento dos dispositivos de controlo
eletromagnético.
3. Montar circuitos típicos de controlo e de força, sensíveis, assim como comprovar
experimentalmente o princípio de funcionamento dos mesmos.

Fundamento teórico
Um grande avanço no controle motor foi, sem dúvida, a introdução de dispositivos
electromagnéticos tais como contatores e relés, que necessitam para o seu funcionamento
somente uma pequena fracção dapotência que são capazes de manipular.
Contactor magnético: Um contactor magnético é um dispositivo que opera por meios
electromagnéticos para estabelecer e interromper circuitos de energia eléctrica repetidamente. As
principais partes de um contactor magnético são: um electroíman, os contactos e o sistema de
sopro. Os mesmos são capazes de realizar milhões de operações.
Tipos de contactos: Existem contactos de forca através dos quais circula a corrente de carga e
os contactos auxiliares os quais os quis se utilizam somente nos circuitos de controlo. Se
constroem de múltiplos pólos: duplos, triplos, etc. Existem contactores magnéticos de corrente
alternada e de corrente contínua. Estes últimos fabricam-se segundo a norma NEMA para
correntes de interrupção superiores aos 600A.
Estrutura do contactormagnético: Os contactores magnéticos de CA constam de um núcleo
laminado e com um isolamento entre lâminas para reduzir as perdas por correntes parasitas.
Existem núcleos de dos tipos: “C” e “E”. O tipo “C” possui duas colunas e o tipo “E” possui três
colunas enroladas pela bobina na parte central. Quando a bobina do contactor de CA se energiza,
a corrente magnetizante e o fluxo passam por zero, duas vezes em cada ciclo e a armadura tende
a abrir momentaneamente cada vez que o fluxo se inverte, este efeito conhece-se como vibração
do núcleo, causando ruído e uma redução da vida útil do equipamento; para eliminar o efeito da
vibração põe-se uma bobina auxiliar, chamada bobina ou pólo sombra; o qual não é mais do que
um laco ou anel em curto-circuito de material condutor formando uma espira na qual se induz
corrente alterna sob a acção do fluxo principal do contactor magnético. O resistor e o reactor de
bobina de sombra tem uma relação tal que a corrente induzida está atrasada aproximadamente
120° em relação ao fluxo principal, de modo que quando
fluxo principal passa por zero, a bobina de sombra contribui com o seu fluxo auxiliar de modo a
manter fechada a armadura do contactor magnético. Para evitar que o contactor magnético
permaneça fechado quando se desenergiza a sua bobina no seu núcleo se deixa um espaço de
ár; para os núcleos do tipo “E” se deixa na parte central, por isso a mesma é ligeiramente mais
curta que as restantes. A voltagem de conexão dos contactores magnéticos é de 65% do valor
nominal, para evitar que os mesmos se desenergizem devido a flutuações da tensão de linha.
Apaga-chispas (Mecanismo de sopro): Estrutura utilizada para interromper o arco, o que ajuda a
conseguir a extinção mais rapidamente. Além disso, este evita que o arco possa provocar um
curto-circuito entre os pólos do contactor.
Relés: Os mais importantes são o instantâneo e o de tempo. Os relés são dispositivos que operam
como resultado de uma mudança de estado em um circuito eléctrico ou por efeito da operação de
um dispositivo no mesmo ou outro circuito eléctrico. Os relés são projectados para responder à
tensão, velocidade, direcção da corrente e pressão. Eles podem ser usados para alcançar uma
sequência em um circuito de controle.
Relés instantâneos: Estes relés consistem de: uma bobina, um núcleo, uma armadura, e um
conjunto de contactos (múltiplos normalmente aberto e fechado). A operação de todos os
contactos neste relé é instantaneamente uma vez que a bobina é energizada.
Existem diferentes tipos de relés de tempo, os mais utilizados são os de mecanismos de relojería
e os de diminuição paulatina defluxo.
Relés de mecanismos de relógio: Esses relés têm um motor que faz accionar um conjunto de
contactos por um mecanismo de relógio, este tipo de relé tem contactos normalmente aberto com
tempo para fechar e normalmente fechado com tempo para abrir. Com estes relés pode-se obter
intervalos de tempo desde uns segundos ate horas.
Relés de diminuição paulatina de fluxo: Estes relés operam em corrente contínua e têm
contactos normalmente aberto com tempo para e normalmente fechado com tempo para fechar,
estes consistem em: um conjunto de contactos, uma bobina,uma armadura, uma camisa de cobre
e um núcleo. Com este tipo de relé pode-se alcançar atrasos de até 7 segundos.
Na instalação de motores eléctricos deve-se estar ciente de que devem ser devidamente
protegidos. Na prática, usam-se dois tipos básicos de protecção para esta finalidade: a de
sobrecarga e de curto-circuito.
Protecções contra sobrecarga: Essas protecções não disparam imediatamente, levam algum
tempo para desligar o motor da linha. Isso evita desligamentos desnecessários em caso de
variações de carga do motor próximas do valor da corrente nominal da máquina.
Na protecção contra sobrecargas são mais utilizados os térmicos, que são calibrados entre
1,15Inom ou 1,25Inom se o motor éde carcaça fechada ou aberta, respectivamente.
Protecções contra curto-circuito: Eles operam instantaneamente. Seleccionam-se entre 2 e 4
vezes a Inom, dependendo do tipo do motor e do método de arranque, os mais utilizados são os
fusíveis, disjuntores.
Equipamentos e instrumentos a utilizar:
 Contactores magnéticos,
 Relé instantâneo.
 Relé de tempo.
 Botoeira.
 2 Motores trifásicos.
 3Lâmpadas incandescentes.
 Fonte de alimentação de 380V.
 1 Chave de fenda.
 Cabos de conexões.

Medidas de segurança:
 Não realizar nenhuma conexão nos circuitos sem a autorização e orientação do professor.
 Não tocaras partes energizadas do circuito.
 Não golpear nem apoiar-se aos instrumentos e motores.
Técnica de operação:
1. Primeiramente o professor mostrará a forma de arme e desarme do contactor magnético, assim
como as distintas partes que o compõe. Posteriormente os estudantes praticam como armar e
desarmar o mesmo.
2. Mostrar aos estudantes um relé instantâneo e para comprovar seu funcionamento montar-se-
ão seguintes circuitos:

Fig. 1 Circuito a montar para comprovar o funcionamento do relé instantâneo.


3. Mostrar aos estudantes um relé de tempo e explicar o princípio de funcionamento enfatizando
as partes que o compõem e as formas de ajustar o tempo desejado. Para comprovar seu
funcionamento montar-se-á o seguinte circuito:
Fig. 2 Circuito a montar para comprovar o funcionamento do relé de tempo.

4. Mostrar aos estudantes as protecções térmicas.


5.Mostrar aos estudantes as protecções contra curto-circuito.
6. Mostrar aos estudantes uma botoeira.
7. Montar o seguinte circuito:

Fig.3
8. Montar o seguinte circuito:

Fig. 4

Relatório a apresentar:
O relatório de laboratório será realizado individualmente tomando como base os dados obtidos
durante o desenvolvimento do laboratório. Esse relatório deverá conter:
1. Título do laboratório.
2. Objetivos do mesmo.
3. Desenvolvimento.
4. Esquemas e circuitos empregados.
5. Descrição do princípio de funcionamento de cada um dos dispositivos empregados na prática.
6. Explicar o princípio de funcionamento dos circuitos montados e concluir se realmente executara
mas sequências de operação para as que foram desenhados.
7. Tirar conclusões.
Bibliografia: 1. Notas das aulas.
2. Chilikin M. Accionamento Eléctrico (página)

Eng. Albertino Nassone