Você está na página 1de 20

1

ÍNDICE
Introdução .......................................................................................................................................................................... 03

1. Estresse e Síndrome de Burnout: onde termina um e começa o outro?.......................................... 05

2. Erros que levam o colaborador ao Burnout................................................................................................... 10

3. Quais os benefícios dos programas que preservam a saúde mental dos trabalhadores?....... 14

Sobre a Vidalink ................................................................................................................................................................. 19

2
INTRODUÇÃO

3
A saúde mental dos colaboradores tem chamado cada
vez mais a atenção dos gestores de RHs e das empresas
como um todo – e não é para menos. Impulsionados
por jornadas exaustivas, tarefas “para ontem” e metas
agressivas para cumprir, casos de estresse, ansiedade Mas o que as empresas podem
e até da famosa Síndrome de Burnout estão cada vez
fazer para manter o seu colaborador
mais comuns entre os funcionários, comprometendo sua
mentalmente saudável? É isso o que
qualidade de vida e, claro, produtividade.
você irá descobrir agora neste e-book
exclusivo preparado pela Vidalink.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde),


o estresse crônico já atinge mais de 33 milhões de
colaboradores em todo o Brasil. Um dado alarmante que Boa leitura!
evidencia os efeitos nocivos causados pelo excesso de
trabalho e intensificados pela falta de interesse de boa
parte das organizações pelo tema.

4
1
Estresse e Síndrome de
Burnout: onde termina
um e começa o outro?

5
O estresse já é, infelizmente, um problema consolidado a carreira escolhida, profissão e ambiente de trabalho,
dentro da maioria das empresas brasileiras, pelos mais pode ser comum a todos nós, ainda mais em um mercado
diversos motivos. Apesar disso, o que tem chamado atenção competitivo, que exige dedicação, atualização constante
de uns tempos para cá é a sua relação direta com a famosa e cobra muito empenho. Porém, quando isso se torna
Síndrome de Burnout. excessivo e vem acompanhado de sintomas recorrentes,
deve-se considerar o diagnóstico da Síndrome de Burnout”,
Só que existem diferenças importantes entre um quadro e
afirma Luciane Vecchio, psicóloga clínica e especialista em
outro: o estresse nada mais é do que um cansaço físico e
RH.
mental associado não só à vida profissional, mas também
à vida particular de cada pessoa, provocando picos de 1.1 A Síndrome de Burnout em
irritabilidade e queda de produtividade.
detalhes
A Síndrome de Burnout, por sua vez, é o nível extremo do
Em alta de uns tempos pra cá, o termo Burnout foi cunhado
estresse, ligado diretamente ao trabalho. Ou seja, é um
pelo psiquiatra alemão Herbert J. Freudenberger, em 1974,
quadro mais grave, que resulta no esgotamento total do
após trabalhar por mais de 14 horas sem parar e “sentir
colaborador pelo excesso de tarefas realizadas, as jornadas
na pele” a estagnadora sensação de esgotamento físico
exaustivas de trabalho, a falta de suporte da empresa, entre
e mental provocada pelo excesso de trabalho. Não à toa,
outros fatores.
o transtorno já está classificado na OMS (Organização
“Sentir-se insatisfeito, em algum momento da vida, com Mundial da Saúde) como uma síndrome crônica, que traz
efeitos deteriorantes à saúde mental das pessoas.

6
“Atendi alguns pacientes que se sentiam incapazes e se Em casos extremos de Burnout, percebe-se também a
isolavam dos demais, inclusive da família, percebendo-se ocorrência de outros transtornos mentais, como ansiedade
cada vez mais incompreendidos. Levantar-se da cama para generalizada e depressão – condições que tiram dos
ir à empresa passava a ter um peso gigantesco, como uma funcionários a capacidade de seguirem normalmente com a
punição. Muitos profissionais apresentam as sensações de sua rotina, prejudicando-os em todas as suas atividades.
inferioridade e ansiedade contínuas. É realmente doloroso e
esgotante”, afirma Luciane. 1.2 Quais os sintomas da Síndrome
de Burnout?
Além disso, o colaborador que enfrenta o problema
costuma ser visto de maneira equivocada pelas empresas, É importante que gestores e líderes de RH conheçam
o que leva ao agravamento do quadro. “Muitas vezes, ele é os sintomas da Síndrome de Burnout para diferenciá-
tido como o chato, o doente, aquele que só incomoda. Na la de quadros comuns de estresse. Essa diferenciação
verdade, seu grito por ajuda acaba abafado por uma cultura é fundamental, pois é o primeiro passo para ajudar o
de sucesso a qualquer preço. Um sujeito com Burnout não colaborador a tratar o problema e atenuar seus efeitos de
encontra mais sentido e propósito em seu trabalho, o que o forma adequada.
leva a desacreditar de suas competências e, no limite, de si
mesmo”, alerta a especialista.

7
Dentre os principais sintomas, destacam-se:

 Dores pelo corpo;  Problemas de apetite;


 Desmotivação para realizar o trabalho e atividades  Sentimento de desesperança;
cotidianas;  Falta de confiança em si;
 Problemas estomacais;  Esquecimentos;
 Falta de prazer em atividades que antes eram  Dificuldade de concentração;
prazerosas;  Enxaquecas;
 Percepção de que não consegue realizar as tarefas  Sensação de incapacidade para lidar com o trabalho;
com resultados satisfatórios;  Isolamento de pessoas;
 Faltas ao trabalho;  Insônia ou excesso de sono;
 Sensação de cansaço, mesmo após dormir bastante;  Uso excessivo de medicamentos, álcool e outras
 Dores de cabeça; drogas.

8
“ O colaborador que enfrenta a
Síndrome de Burnout costuma
ser visto de maneira equivocada
pelas empresas, o que leva ao
agravamento do quadro.


9
2
Erros que levam
o colaborador ao
Burnout

10
Muitas empresas cometem, sem saber, erros que
2.2 Aumentar excessivamente a
estimulam o surgimento da Síndrome de Burnout em seus
colaboradores. Isso acontece, muitas vezes, pelo fato de as
carga de trabalho
lideranças tratarem o problema como um tabu e também Hoje, com o enxugamento constante das equipes, muitos
por não saberem diferenciá-lo do estresse. colaboradores se veem “trabalhando por três”, o que é
totalmente prejudicial à sua saúde. Afinal, sobrecarga de
Essa mistura de preconceito com desinformação acaba
trabalho tende a causar, na maior parte das vezes, estresse
levando as organizações a um ciclo vicioso de práticas
e ansiedade. Cada funcionário, portanto, deve ter a sua
inadequadas, como as listadas a seguir:
quantidade de tarefas estipulada de acordo com sua carga
horária e possibilidades de entrega.
2.1 Falta de suporte
2.3 Não dar autonomia ao
A falta de suporte dos gestores de RH e da empresa
como um todo é crucial para que o funcionário se sinta
colaborador
desvalorizado em seu ambiente de trabalho, além de Gestores que delegam tarefas, mas que, em seguida,
um importante gatilho para o surgimento de problemas ficam “no pé” de seus subordinados não permitem que
relacionados à saúde mental. Vale lembrar que esse suporte eles desenvolvam o trabalho de maneira produtiva. Essa
pode ser dado por meio de uma simples conversa, uma falta de autonomia, aos olhos do colaborador, é como um
estrutura de trabalho adequada ou mesmo pelo pagamento sufocamento de seu potencial e de sua capacidade de
do salário em dia. propor soluções.

11
2.4 Colocar metas muito Cobranças frequentes só farão o colaborador se sentir
inseguro sobre o que está fazendo e extremamente ansioso
agressivas para atender às exigências.
Metas devem ser proporcionais à realidade da empresa,
por isso impor à equipe, ou a cada colaborador de forma
2.6 Fazer pressão constante
individual, objetivos muito difíceis de serem alcançados só
trará frustração para todos. Um pouco de pressão, até determinado ponto, é saudável.
Afinal, existem projetos e entregas que precisam ser
Cada pessoa tem um ritmo e um modo de trabalhar – e cabe
priorizados e demandam maior atenção. Porém, fazer com
às companhias entenderem isso o quanto antes na corrida
que essa tensão se torne uma constante na organização
por bons resultados.
prejudica a saúde mental de todo o time.

2.5 Cobrar em excesso 2.7 Manter jornadas exaustivas


Fazer cobranças exageradas só contribui para o aumento
Jornadas exaustivas são um grande fator de estresse para
de casos de estresse, ansiedade e Burnout nas equipes. É
os profissionais. Embora, muitas vezes, sejam necessárias
claro que o acompanhamento das tarefas realizadas precisa
para “dar conta” de demandas grandes, elas deixam os
ser feito de perto pela liderança, só que em momentos
times, quase que inevitavelmente, em condições altamente
adequados, como em reuniões semanais ou quinzenais, ou a
estressantes.
partir da entrega de relatórios de desempenho, por exemplo.

12
2.8 Não ter um programa de bem- está se sentindo na empresa apenas reforçam a ideia de
desvalorização.
estar e saúde mental na empresa
A falta de benefícios corporativos focados no bem-estar
mental do funcionário tem relação direta com o aumento
2.10 Ter um ambiente inadequado
dos quadros de estresse. Portanto, cabe às empresas de trabalho
oferecer um serviço interno ou externo que dê amparo
O ambiente físico também conta bastante para que os
às questões de saúde mental, seja por meio de subsídios
funcionários desenvolvam problemas de saúde mental em
de medicamentos ou do apoio de coaches, psicólogos e
decorrência do trabalho.
psiquiatras, por exemplo.
Um local mal organizado, com iluminação inadequada,
equipamentos e mobiliário que prejudiquem a sua saúde
2.9 Falta de reconhecimento e
física pode promover, a curto e médio prazos, casos de
valorização do colaborador estresse, ansiedade e Burnout.

Um colaborador que não se sente reconhecido no ambiente


de trabalho está a alguns passos de desenvolver um
quadro de estresse e/ou ansiedade. Não passar feedbacks
e não conversar com ele sobre seus resultados e como ele

13
Quais os benefícios dos

3 programas que preservam


a saúde mental dos
trabalhadores?

14
Adotar medidas que deem suporte ao colaborador, focando principalmente no aspecto psicológico,
oferece uma série de benefícios que se estendem também às empresas.

Dentre as principais vantagens, destacam-se:

Sob o ponto de vista do colaborador: Sob o ponto de vista da empresa:

 Aumento da produtividade;  Diminuição do índice de turnover;


 Melhora da performance na execução de tarefas;  Redução do absenteísmo;
 Aumento do engajamento;  Queda do presenteísmo;
 Sentimento de pertencimento à empresa;  Melhora do ambiente de trabalho, deixando-o mais leve e produtivo;
 Melhora do clima organizacional;  Redução de custos;
 Aumento da autoconfiança;  Diminuição do número de acidentes de trabalho;
 Melhora da sensação de bem-estar;  Aumento do grau de retenção;
 Bom relacionamento entre os colaboradores;  Melhora das vendas;
 Aumento da motivação para trabalhar;  Aumento da lucratividade;
 Conquista de melhores resultados.  Maior busca da empresa por outros talentos;
 Reconhecimento da empresa pelo mercado;
 Aumento da competitividade.

15
Quais iniciativas melhoram a Não à toa, esse modelo de trabalho, muito impulsionado
pela tecnologia, já é realidade em vários países, sendo
saúde mental do colaborador? adotado de forma integral em muitos casos.
Uma empresa pode investir em diversas iniciativas para
promover a saúde mental de seus funcionários – desde
3.2 Day off
medidas simples do dia a dia até ações mais complexas,
que exigem pesquisa e estudos aprofundados. Confira: O dia de folga, conhecido no mundo corporativo como day
off, é feito na data de aniversário do funcionário, mas pode
ser aplicado em qualquer dia determinado pela empresa,
3.1 Home office como uma forma de valorizar o profissional e conceder a ele
um descanso importante.
O home office já uma das modalidades presentes em boa
parte das empresas porque tende a influenciar diretamente
na produtividade e no bem-estar dos colaboradores. Afinal, 3.3 Horários flexíveis
a possibilidade de trabalhar de casa, além de dar maior
Esse modelo de trabalho permite que os horários se
autonomia ao colaborador, ajuda a mantê-lo mais próximo
adequem ao colaborador, e não o contrário, saindo do
da família e disponível para resolver questões pessoais.
padrão das “9h às 18h. Afinal, algumas pessoas trabalham

16
melhor pela manhã, enquanto outras à tarde ou ao final a saúde mental em dia. Esse passo deve ser adotado com
do dia. Considerar, portanto, o período no qual cada treinamentos de lideranças, abordando os aspectos que
colaborador desempenha melhor a sua função é uma forma uma gestão preocupada com o bem-estar humano precisa
de valorizá-lo da forma como ele espera. ter na organização.

“Tobogãs e piscinas de bolinha podem ser boas formas


3.4 Benefícios corporativos de desestressar e gerar ambientes mais descontraídos e
descolados, embora não sejam suficientes. Ações de cuidado
Os benefícios corporativos devem suprir diversas esferas,
com os colaboradores devem ser expandidas a níveis mais
como a saúde física e mental do colaborador, assim como a
profundos, levando em conta as necessidades individuais
sua vida financeira e pessoal. Subsídios em medicamentos
de cada colaborador. Ou seja, um verdadeiro olhar para o
e incentivos para a compra de alimentos saudáveis e a
ser humano precisa ser incentivado”, recomenda Luciane
prática de exercícios físicos, por exemplo, são iniciativas
Vecchio, psicóloga clínica e especialista em RH.
importantes.

3.6 Apoio profissional para a


3.5 Gestão humanizada
saúde mental do colaborador
Uma gestão humanizada é parte das ações que uma
Também é válido oferecer suporte psicológico ao
empresa deve ter para que seus colaboradores mantenham
colaborador, de forma a acompanhar sua saúde mental de

17
forma preventiva e corretiva. “Algumas empresas já contam Luciane Vecchio salienta também que deixar preconceitos
com equipes de psicólogos que estão a postos para cuidar da e tabus de lado é essencial: “A atenção precisa ser mais
saúde emocional do seu capital humano e isso tem gerado próxima, não deixando passar despercebido um colaborador
resultados excelentes”, afirma a psicóloga. que demonstre sintomas de exaustão constante, por exemplo.
O funcionário desmotivado não deve ser visto como uma
Por meio de seu Plano de Bem-Estar, a Vidalink oferece
pedra no sapato, mas como um alerta de que algo pode não
suporte e monitoramento à adesão dos colaboradores
estar funcionando bem.”
das empresas aos tratamentos de saúde mental. O plano
ajuda a identificar mudanças que podem comprometer os
resultados. Para saber mais, clique aqui.

Qual é o papel das empresas e dos


gestores?
Diante de todos os riscos trazidos aos colaboradores e
empresas por transtornos como ansiedade, estresse e
Síndrome de Burnout, é necessário investir, principalmente,
na prevenção. Esse é o melhor caminho quando pensamos
em qualidade de vida e bem-estar dos colaboradores.

18
Fundada no ano 2000, a Vidalink já possui mais de
200 clientes corporativos, entre empresas nacionais e
multinacionais, dentre eles, Embraer, IBM e Telefonica.
Unindo tecnologia e bem-estar, a Vidalink se consolida com
a maior WellTech do Brasil sendo a única a oferecer o Plano

Sobre a
de Bem-estar, benefício corporativo com coberturas que
incluem alimentação saudável, saúde mental e subsídio em

Vidalink medicamentos. Tudo isso amparada pela CVS Health, maior


empresa de saúde do mundo.

Nos acompanhe nas redes sociais:

19
20

Você também pode gostar