Você está na página 1de 3

Hebreus 4:14-16

14 Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de
Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos,
15 pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim
alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.
16 Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos
misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade.

O trecho anterior fala sobre o descanso reservado aqueles que buscam a Deus, também fala sobre a
palavra de Deus que penetra a ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas e conhece o
coração do homem e sobre esse Deus que conhece todas as coisas. Tudo, absolutamente tudo, está
claro diante de Deus, esse é o Deus que conhece as profundezas do coração humano, mas é incrível
o fato de que ainda assim podemos nos achegar a Ele com confiança.

Muitos ainda tem medo de chegar diante de Deus, orando, ou confessando algo de errado que
fizeram, olham a Deus como um deus punitivo e vingativo e esse sentimento vem com o pecado.
Quando lemos a história da queda do homem no jardim do Éden, vemos que a primeira reação do
homem com relação a Deus foi de medo, Adão falou a Deus “Ouvi teus passos no jardim e fiquei
com medo”. E nossa reação natural visto que Deus é santo e todo poderoso é o medo de chegar
diante de Deus. Mas o Senhor nos deu acesso a Ele, através de Jesus Cristo.

De acordo com a Lei de Moisés, os sacerdotes trabalhavam no tabernáculo e depois no templo,


oferecendo sacrifícios e louvores a Deus e ensinando as Escrituras ao povo. O sumo sacerdote tinha
algumas funções especiais:

Chefiar os sacerdotes
Oferecer sacrifícios especiais como representante da nação toda
Consultar a Deus em favor da nação
Uma vez por ano, no Dia da Expiação, o sumo sacerdote entrava na área restrita do templo,
chamada de lugar Santíssimo, para oferecer um sacrifício especial a Deus. Diante da Arca da
Aliança, o símbolo da presença de Deus, o sumo sacerdote oferecia o sangue de um sacrifício por
seus pecados e os pecados de todo o povo durante esse ano. Assim, todos os pecados seriam
perdoados (Levítico 16:32-34). Somente o sumo sacerdote podia entrar no lugar Santíssimo.

No passado o Sumo sacerdote tinha uma função muito importante, levar as pessoas a Deus, era ele
que entrava na presença de Deus, no lugar santíssimo, era ele que oferecia o sacrifício em favor do
povo. Quando o livro de Hebreus nos fala sobre Jesus ser o sumo sacerdote vemos que Jesus foi
muito além do que qualquer sumo sacerdote humano já tenha conseguido ir.
Um sacerdote entrava no santo dos santos uma vez ao ano para oferecer um sacrifício por todo o
povo, era um sacrifício provisório e imperfeito. Jesus foi um sumo sacerdote perfeito, entrou no
céus de uma vez por todas e se ofereceu como sacrifício perfeito.
O tabernáculo, assim como posteriormente o templo eram apenas uma réplica do tabernáculo do
céu, quando vemos a descrição do céu que João faz no livro de Apocalipse fica claro a referência
dos detalhes que foram passados para Moisés, os sumos sacerdotes adentraram a réplica, a sombra
do que havia no céu e se tornaram um sinal do que haveria de acontecer. Jesus consegue através do
seu sacrifício, santidade e poder entrar no próprio lugar da habitação de Deus.
Porque então devemos nos apegar com firmeza a fé que professamos? Porque o próprio filho de
Deus, o sumo sacerdote perfeito adentrou os céus e acabou com toda a forma de separação que
havia. Podemos orar a Deus sabendo que temos esse direito concedido por Cristo. Não precisamos
passar por intermediários, ou que outros orem por nós, o próprio Cristo, Filho de Deus nos garante
isso.

Jesus conhece nossas fraquezas


O mais incrível desse trecho é entender que Jesus nos conhece e se importa conosco, ele não é um
ser poderoso e distante, alguém que olha para a terra com seu binóculos e diz está tudo correndo
com normalidade. Não Jesus Cristo se fez homem, habitou entre nós, sentiu as limitações que um
ser humano sente, frio, fome, tristeza, angústia, tentação, mas em tudo isso Jesus nunca pecou. Por
isso o seu sacrifício se torna tão precioso, Ele sendo Deus, santo, separado do pecado, perfeito, todo
poderoso, esvazia-se do seu poder e se faz um de nós. O termo Compadecer significa “sofrer com”.
Expressa o sentimento por outro de quem também já experimentou o mesmo sofrimento. Jesus pode
entender como nos sentimos, simplesmente porque ele já passou por tudo isso, mas diferente de nós,
sem nunca pecar.

Talvez alguém possa olhar para Deus e ter medo, porque sempre entendeu Deus como aquele Deus
vingativo, pronto a punir, ou outros possam ter em nutrição c mente que devem chegar diante de
Deus só de vez em quando para não perturbá-lo, ou ainda busquem alguém que tenha uma oração
mais forte. O texto nos traz uma doce verdade, podemos nos achegar diante de Deus com confiança,
porque temos a Cristo. Se tenho a Cristo, não tenho porque temer chegar diante de Deus, se tenho a
Cristo a porta está aberta para mim. Veja que o texto não diz que preciso ir à igreja para me achegar
a Deus, ainda que a Bíblia nos incentive a fazer parte da igreja, também não diz que preciso fazer
promessas a Deus (como fazer uma caminhada de tantos km – história promessa Cris que iria até a
igreja fora da Cidade de a pé), através de Jesus podemos ter confiança ao chegar diante de Deus,
sabendo que somos aceitos pela fé em Cristo Jesus.

Quando Jesus morreu, o véu do templo foi rasgado de cima até em baixo. Isso não aconteceu
somente na terra, o véu era um símbolo do afastamento de Deus e os homens, mas pelo sacrifício de
Cristo, toda a barreira entre Deus e os homens causada pelo pecado, todo o afastamento se foi, agora
você tem a graça de se achegar diretamente ao trono de Deus.

Sammy Tippit “Nossa confiança na oração se estabelece em nossos corações porque Deus é cheio
de graça. A graça é o seu favor a nós concedido, simplesmente por causa do seu amor por nós.
Ele nos recebe em seu trono, não pelo nosso merecimento, mas por causa da sua graça derramada
sobre nós em Cristo Jesus. Muitos tem lutado com o equilíbrio entre santidade e graça de Deus. Os
cristãos parecem estar divididos entre dois campos, santidade ou graça. Há uma contínua tensão
entre esses dois pontos de vista. Um homem me disse certa vez “Se eu tiver que optar por um dos
dois, eu fico do lado da graça”. Mas nós nunca devemos optar por qualquer dos dois lados.
Precisamos de uma visão equilibrada de Deus. Santidade e graça são dois lados diferentes da mesma
moeda. Uma moeda não é legítima sem os dois lados. Uma visão desequilibrada de Deus é um
conhecimento ilegítimo da natureza de Deus.
A característica que separa a religião idólatra e a oração pagã no Novo testamento é a graça. Somos
salvos pela graça, guardados pela graça, e continuaremos a crescer pela graça.”
Alguém pode olhar para Deus e dizer Nós precisamos de ajuda, mas cada um de nós tem outra
coisa: temos pecados. E, portanto, no íntimo dos nossos corações, sabemos que não merecemos o
socorro que precisamos. E, assim, nos sentimos aprisionados. 
Eu preciso de socorro para viver minha vida, enfrentar a morte e lidar com a eternidade — ajuda
com minha família, minha esposa, meus filhos, minha solidão, meu trabalho, minha saúde, minhas
finanças. Eu preciso de socorro. Mas eu sei que não mereço a ajuda de que preciso. 
Então, o que posso fazer? Posso tentar negar toda essa necessidade e ser um super-homem que não
precisa de ajuda. Ou posso tentar sufocar tudo e lançar a minha vida em um mar de prazeres
sensuais. Ou ainda posso simplesmente dar lugar à paralisia do desespero. 
Mas Deus declara sobre essa conclusão sem esperança: Jesus Cristo se tornou um Sumo Sacerdote
para destruir esse desespero com a esperança; humilhar aquele super-homem ou supermulher; e
resgatar aquele miserável afogado. 

Por Causa de Cristo agora nós podemos nos aproximar com toda a confiança. Os cristãos devem
aproximar-se corajosamente de Deus em oração, porque dele é o trono da graça e nosso Sumo
Sacerdote se assenta à sua direita, intercedendo por nós. A promessa é de que receberemos
misericórdia:
Misericórdia é uma compaixão que se expressa ao ajudar uma pessoa em necessidade.
Lamentações 3:19-24
Lembro-me da minha aflição e do meu delírio, da minha amargura e do meu pesar.
Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim.
Todavia, lembro-me também do que pode dar-me esperança:
Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são
inesgotáveis.
Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade!
Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nele porei a minha esperança.

Nosso Deus é um Deus de misericórdia, podemos ter a certeza de que as suas misericórdias duram
para sempre, são inesgotáveis. Podemos nos aproximar de Deus sabendo que vamos encontrar
compaixão e misericórdia. Não importa o quão longe alguém esteja de Deus, a sua misericórdia está
ao alcance, a prova disso é que nos alcançou, a prova definitiva da misericórdia de Deus é que ele
entregou Jesus na cruz quando nós ainda éramos pecadores.

Mas também encontraremos graça: Esse favor imerecido. Seria loucura pensar em um súdito chegar
diretamente a um rei. Se alguém quiser falar com a rainha da Inglaterra vai ter que primeiramente
ter um assunto muito importante e de seu interesse e em segundo lugar passar por muita gente antes
de chegar até ela, isso se conseguir ter uma audiência.
Já é uma demonstração da graça o fato de que agora temos livre acesso a Deus. Por isso precisamos
deixar o medo de lado, todas as dúvidas sobre como podemos orar, ou da nossa falta de poder para
chegar a Deus e entender que não são as orações mais bonitas, ou as mais piedosas que alcançam o
coração de Deus, mas a palavra mediadora de Jesus, a sua ação que faz com que possamos chegar
com confiança diante de Deus.

Oramos muito pouco, e cremos muito pouco no poder de Deus, esse versículo nos lembra que
apesar de sermos falhos e fracos, nunca foi pela nossa força ou poder, nem por algo de especial que
tenhamos, mas sim porque Jesus abriu o caminho até Deus e por meio dele agora temos acesso ao
pai

Você também pode gostar