Você está na página 1de 11

CONTEÚDOS PARA A PROVA - A1

BONS ESTUDOS
Sujeito e Predicado
Geralmente uma oração apresenta dois termos essenciais:
Sujeito e Predicado
Conceitos

 Sujeito: é o elemento (ser ou seres) de quem se declara algo. A palavra mais


significativa do sujeito é chamada de núcleo do sujeito, podendo ter um ou mais.
 Predicado: é tudo o que se diz sobre o sujeito. Todo predicado apresenta
um verbo, que geralmente concorda em número e pessoa com o sujeito.

Exemplo 1
João e Maria não se falaram.
Sobre quem algo foi declarado?
Sobre João e Maria.
Assim:
João e Maria: Sujeito
O que foi dito sobre o sujeito (João e Maria)?
Que eles não se falaram.
Assim:
não se falaram: Predicado
Verbo: falaram
Está concordando com o sujeito.
Exemplo 2
Laura gosta de banana.
Sobre quem algo foi declarado?
Sobre Laura.
Assim:
Laura: Sujeito
O que foi dito sobre o sujeito (Laura)?
Que ela gosta de banana.
Assim:
gosta de banana: Predicado
Verbo: gosta
Está concordando com o sujeito.
Exemplo 3
Os petistas sentiram muito a morte de Marisa.
Sobre quem algo foi declarado?
Sobre os petistas.
Assim:
Os petistas: Sujeito
 petistas: núcleo do sujeito
O que foi dito sobre o sujeito (Os petistas)?
Que sentiram muito a morte de Marisa.
Assim:
sentiram muito a morte de Marisa: Predicado
Verbo: sentiram
Está concordando com o sujeito.
Tipos de Sujeito

 Simples
 Composto
 Oculto
 Indeterminado
 Oração sem sujeito

Sujeito Simples
É aquele que apresenta um só núcleo.
A casa da estrada ainda é a mesma.
Qual o sujeito?
A casa da estrada
Qual o núcleo?
Casa
A mãe de Joana é uma jovem senhora.
Qual o sujeito?
A mãe de Joana
Qual o núcleo?
Mãe
Sujeito Composto
É aquele que apresenta mais de um núcleo.
Meu pai e minha mãe são muito importantes pra mim.
Qual o sujeito?
Meu pai e minha mãe
Qual o núcleo?
Pai e mãe
Várias bandas de forró e duplas sertanejas se apresentarão no aniversário da
cidade.
Qual o sujeito?
Várias bandas de forró e duplas sertanejas
Qual o núcleo?
Bandas e duplas
Sujeito Oculto
É aquele que está subentendido na desinência ou terminação verbal. Não está impresso,
mas é possível identificá-lo pela desinência verbal. Também conhecido como: implícito ou
desinencial.
Hoje decidi dizer algo gentil.
Qual o sujeito oculto?
Eu
Decidi – conjugação na 1ª pessoa do singular (eu)
Fizeste algo de errado?
Qual o sujeito oculto?
Tu  
Fizeste – conjugação na 2ª pessoa do singular(tu)
Sujeito Indeterminado
É aquele que não está explícito na oração, não sendo possível identificá-lo pela desinência
verbal.
Podem me chamar de molenga.
O verbo poder está flexionado na 3ª pessoa do plural (podem), mas não se refere a
nenhum sujeito nem expresso e nem oculto na oração.
Eles soletravam e liam alto.
1ª oração: Eles soletravam
2ª oração: e liam alto
Qual o sujeito da 1ª oração?
Eles
Qual o sujeito da 2ª oração?
Sujeito oculto (eles)
Sendo assim, não se trata de sujeito indeterminado.
Quando o Sujeito é indeterminado?
Pode ser indicado de duas formas:

 Com o verbo na 3ª pessoa do plural, sem que se possa ou se queira expressar o


sujeito.

Vinham cedo para a escola.


Faziam planos para o futuro.

 Com o verbo flexionado na 3ª pessoa do singular acompanhado pelo


pronome se, que funciona como índice de indeterminação do sujeito.

Acredita-se em sua recuperação.


Brinca-se durante o recreio.
 
Oração sem Sujeito
É a oração que não atribui a nenhum ser o que se está afirmando. Isso ocorre quando o
verbo da oração é impessoal, apresentando-se conjugado na 3ª pessoa do singular.
Não houve chamada hoje.
 
Casos que ocorrem oração sem sujeito:

 Com o verbo haver no sentido de existir.

Há lugares interessantes nesta cidade.

 Com os verbos fazer, haver e ir referindo-se a tempo decorrido.

Faz meses que estive com ela.


Há dias que Manoel não liga pra mim.
Ia o período da safra de feijão.

 Com o verbo ser indicando tempo em geral

Era uma época de verões intensos.

 Com os verbos que denotam fenômenos da natureza: chover, ventar, nevar,


trovejar etc.

Ontem ventou muito.


Choveu forte hoje.
Verbos de ligação
São aqueles que ligam o sujeito a suas qualidades e características ou a seu estado.
O banho de mar era indizivelmente bom.
A gente não fica inválido ou invalidado.
Sujeitos: O banho de mar e A gente
Verbos: era e fica
Qualidades: indizivelmente bom e inválido ou invalidado
Função dos verbos: ligar o sujeito a suas qualidades
 
Principais verbos de ligação
SER= O carro é novo.
ESTAR= João está feliz.
PARECER= Joice parece cansada.
PERMANECER= A moça permanece aflita.
FICAR= Nicole ficou triste.
CONTINUAR= Diana continua feliz.
ANDAR= Cláudia anda nervosa.

 Podemos dizer que, de um modo geral, Predicativo do Sujeito é tudo aquilo que se
fala do sujeito.
 O predicativo do sujeito vem acompanhado do verbo de ligação.

 
Observações importantes
Alguns verbos podem aparecer como:

 Transitivos – precisa de complemento.


 Intransitivos – não precisa de complemento.
 Ligação

Para fazermos uma correta análise, é preciso verificar o contexto em que estes verbos
estão inseridos.
O homem anda depressa.

 Andar neste contexto significa modo, maneira que o homem anda.


 É um verbo de ação(portanto não poderá ser de ligação).
 Aqui andar é verbo intransitivo.

O homem anda preocupado.

 Nesse caso andar indica o estado em que o homem se encontra.


 Logo, trata-se de um verbo de ligação.

Ela continua feliz.

 Indica estado. Verbo de ligação.

Ela continua sua tarefa.

 Indica ação. Verbo transitivo direto.

 
Verbos Significativos
São aqueles que expressam ações do sujeito ou fenômenos da natureza.
Acomodava-me na areia como uma cama fofa.
Com um simples olhar João vigiava a casa.
Sujeitos: eu e João
Verbos: acomodava e vigiava
Acomodava e Vigiava: ações dos sujeitos
Função dos verbos: expressar ação do sujeito
Ontem choveu bastante.
O verbo choveu expressa um fenômeno da natureza.
 
Transitividade Verbal
É a propriedade de os verbos terem ou não complemento verbal.
Divide-se em: Transitivos e Intransitivos
 
Verbos Transitivos
O verbo que necessita de um complemento.
        Divide-se em:

 Transitivo Direto
 Transitivo Indireto
 Transitivo Direto e Indireto

 
Transitivo Direto
É o verbo que necessita de complemento ligado a ele sem auxílio de preposição.
Derrame o olhar.
Bento comprou uma carteira.
Verbos: derrame e comprou
Quem derrama, derrama alguma coisa/Quem compra, compra alguma coisa.
Portanto, os verbos derramar e comprar precisam de um complemento, mas não
precisam de preposição.
Assim, tratam-se de verbos Transitivos Diretos.
 
Transitivo Indireto
É o verbo que necessita de complemento ligado a ele por meio de preposição.
A felicidade depende de cada um.
Hoje pensei em coisas boas.
Verbos: depende e pensei
Quem depende, depende de alguma coisa/Quem pensa, pensa em alguma coisa.
Portanto, os verbos depender e pensar precisam de complemento e de preposição.
Assim, tratam-se de verbos Transitivos Indiretos.
 
Intransitivo
É aquele que não precisa de complemento, isto é, expressa uma ideia completa.
A bailarina dança.
Luan morreu.
Luan morreu de tanta tristeza.
Verbos: dança e morreu
Ambos não necessitam de complemento, pois já trazem um sentido completo.
Assim, tratam-se de verbos Intransitivos.
Objeto Direto
É o complemento que se liga ao verbo transitivo direto ou ao verbo transitivo direto e
indireto sem o auxílio de preposição.
Mariana varreu a casa.
Batista arrancou as ervas daninhas.
Objeto Indireto
É o complemento que se liga ao verbo transitivo indireto ou ao verbo transitivo direto e
indireto com o auxílio de preposição.
Você confiou-me teus segredos.
me: objeto indireto
teus segredos: objeto direto
Claudia gosta de jogar vôlei.
Termos da Oração relacionados ao Verbo
Nas orações há termos (palavras ou expressões) que se ligam a verbos.
São eles: 

 Objeto Direto
 Objeto Indireto
 Adjunto Adverbial

 
Objeto Direto
É o complemento que se liga ao verbo transitivo direto ou ao verbo transitivo direto e
indireto sem o auxílio de preposição.
Mariana varreu a casa.
Batista arrancou as ervas daninhas.
Há casos especiais de objeto direto.
 

 objeto direto preposicionado

Às vezes, o objeto direto pode vir acompanhado de preposição. Nesses casos, o verbo
continua sendo transitivo direto, mas a preposição passa a ser usada por necessidade
expressiva ou por outras razões, e não porque  o verbo exija.
Eu considerava a ti meu melhor amigo.
O guia a quem você contratou é experiente.
Os filhos amam a seus pais.
 

 objeto direto pleonástico

O objeto direto pode vir repetido numa oração por um pronome pessoal oblíquo átono,
com o objetivo de realçar uma ideia já expressa.
Após a enchente, os moradores ajudavam-se uns aos outros.
se: objeto direto
uns aos outros: O. D. Preposicionado
Meus pais, amo-os de uma forma especial.
meus pais: objeto direto
os: O. D. Preposicionado
A canção, a dupla apresentou-a no festival.
a canção: objeto direto
a : O. D. Preposicionado
Objeto Indireto
É o complemento que se liga ao verbo transitivo indireto ou ao verbo transitivo direto e
indireto com o auxílio de preposição.
Você confiou-me teus segredos.
me: objeto indireto
teus segredos: objeto direto
Claudia gosta de jogar vôlei.
 

 Objeto Indireto Pleonástico

O objeto indireto pode ser repetido em uma oração por um pronome pessoal oblíquo
átono, com o intuito de realçar uma ideia expressa antes.
A ti, confiei-te meus segredos.
a ti: objeto indireto
te: objeto indireto pleonástico
Aos amigos, enviei-lhes um convite.
os amigos: objeto indireto
lhes: objeto indireto pleonástico
Obs: os pronomes lhe e lhes são os indicados para um objeto indireto em 3ª pessoa.
 
Adjunto Adverbial
É um termo que se relaciona a um verbo, a um adjetivo ou a um advérbio, exprimindo
circunstância ou intensidade.

 Tempo (quando?): A televisão mostrou o show no dia seguinte.


 Lugar (onde?): Comprei uma camisa no shopping.
 Modo (como?): Viajou de avião.
 Negação: A emenda não foi aprovada.
 Afirmação: Virei, sim, com meus pais.
 Intensidade: O novo celular será bastante versátil
 Dúvida: O programa talvez seja representado.
 Causa (por quê?): A criança emagreceu de fome.
 Finalidade (para quê?): Trabalhou muito para o conforto da família.
 Companhia (com quem): O rapaz veio da loja com uma moça.
 Meio ou Instrumento (com quê?): Abriu a caixa com um canivete.
 Assunto (sobre o quê?): O americano falou sobre o meio ambiente.
  

O advérbio e a locução adverbial são, sintaticamente, adjuntos adverbiais.


Ah, essas pequenas coisas, tão cotidianas, tão prosaicas, às vezes, de que se
compõem meticulosamente a tessitura de um poema...
tão: adjunto adverbial de intensidade
às vezes: adjunto adverbial de tempo
meticulosamente: adjunto adverbial de modo
Agente da Passiva
 
É o termo da oração que pratica a ação expressa pelo verbo na voz passiva.
As coisas não querem mais ser vistas por pessoas razoáveis.
Raquel foi pedida em casamento por seu melhor amigo.
Obs: Os verbos Transitivos Indiretos, Intransitivos e de Ligação não admitem a voz
passiva.
 
 
Termos da Oração relacionados aos NOMES
Existem também os termos que se ligam aos nomes, determinando-os, caracterizando-os,
completando seu sentido.
São eles: 

 Adjunto Adnominal
 Complemento Nominal
 Predicativo do Sujeito
 Predicativo do Objeto
 Aposto
 Vocativo

Adjunto Adnominal
É o termo da oração que modifica o substantivo, caracterizando-o ou
determinando-o. Os artigos, os adjetivos, os pronomes e os numerais podem
exercer tal função.
“E para ironizar as próprias dores”.
as: artigo
próprias: pronome
dores: substantivo
Nossa amizade durou longos anos.
Nossa (pronome)está modificando o substantivo amizade
longos (adjetivo) está modificando o substantivo anos.
Portanto: nossa e longos são adjuntos adnominais.
O poeta inovador enviou dois longos trabalhos ao seu amigo de infância.
O poeta inovador: sujeito
Enviou: verbo transitivo direto e indireto
dois longos trabalhos: objeto direto
ao seu amigo de infância: objeto indireto
 

 Na oração acima, os substantivos poeta, trabalhos e amigo são núcleos,


respectivamente, do sujeito determinado simples, do objeto direto e do objeto
indireto. Ao redor de cada um desses substantivos agrupam-se os adjuntos
adnominais:
 o artigo" o" e o adjetivo inovador referem-se a poeta;
 o numeral dois e o adjetivo longos referem-se ao substantivo trabalhos;
 o artigo" o" (em ao), o pronome adjetivo seu e a locução adjetiva de infância são
adjuntos adnominais de amigo.
 Observe como os adjuntos adnominais se prendem diretamente ao substantivo a
que se referem, sem qualquer participação do verbo.
  

Complemento Nominal
É o termo da oração que completa nomes, isto é, substantivos, adjetivos e
advérbio, e vem preposicionado.
A moça tinha pavor de lugares altos.
pavor: substantivo
de lugares altos: complemento nominal
O estagiário estava satisfeito com o serviço.
Satisfeito: adjetivo
com o serviço: complemento nominal
A fábrica ficava longe do centro.
longe: advérbio
do centro: complemento nominal
 
Predicativo do Sujeito
É o termo presente no predicado que atribui características ao sujeito.
Eu sou uma menina bela.
eu: sujeito
sou: verbo de ligação
uma menina bela: predicativo do sujeito
menina: núcleo do predicativo do sujeito
 
Predicativo do Objeto
É o termo que atribui características ao objeto direto ou ao objeto indireto do
predicado.
As garotas gostam de bonecas coloridas.
As garotas: sujeito
gostam: verbo transitivo indireto
de bonecas: objeto indireto
coloridas: predicativo do objeto
 
Aposto
É o termo da oração que explica, esclarece, resume ou identifica o nome ao qual
ele se refere: substantivo, pronome.
Aquele é o grande Hagar, o terrível!
Michael Jackson, famoso cantor americano, morreu aos 50 anos.
Voltou à casa da praia, seu refúgio predileto.
 
Vocativo
É o termo da oração que serve para invocar ou chamar um interlocutor. Não faz
parte do sujeito nem do predicado. O vocativo deve aparecer sempre separado por
vírgulas.
Amada, não penses muito!
Meu Deus, por que me abandonaste?
Não se vá, meu amor!