Você está na página 1de 10

Faculdade de Educação

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NATURAIS E MATEMÁTICA

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Disciplina: Metodologia de Investigação Educacional

Tema: poluição ambiental por via urina em Xiquelene (Parque)

Discente: Marta Suzana Valoi

Docentes: Prof. Doutor Inocente Vasco Mutimucuio


Eng. Ercílio Langa

Maputo, Novembro de 2018


Índice
CAPITULO I.....................................................................................................................3
1. Introdução......................................................................................................................3
1.1. Formulação de problema........................................................................................4
1.2. Objectivos...............................................................................................................4
1.2.1. Objectivo Geral:...............................................................................................4
1.2.2. Objectivos Específicos:....................................................................................4
1.3. Perguntas da pesquisa.............................................................................................5
1.4. Justificativa.............................................................................................................5
CAPITULO II....................................................................................................................6
2. Revisão de literatura......................................................................................................6
2.1. Educação ambiental................................................................................................6
2.2. Poluição..................................................................................................................6
2.3. Fontes de poluição natural......................................................................................6
2.5. Tipos de poluição....................................................................................................6
CAPITULO III..................................................................................................................9
3. Metodologia...................................................................................................................9
3.1 Descrição do local de estudo...................................................................................9
3.2 Abordagem metodologia..........................................................................................9
3.3. Amostragem..........................................................................................................10
3.4. Instrumentos de recolha de dados.........................................................................10
3.4.1 Técnica de recolha de dados...........................................................................10
4. Referências bibliográficas...........................................................................................12

2
CAPITULO I

1. Introdução
A poluição por via urina esta sendo mais notória no nosso pais pois criando dificuldades
para as pessoas que tem frequentado vários lugares da nossa cidade mais farei o estudo
especificamente no praça dos combatentes mas conhecido por xiquelene, sabendo nós
que parque de Xiquelene é uma das terminais mas grandes da cidade de Maputo e várias
pessoas tem passado por lá e algumas vendem lá temos em média mais ou menos 300
mil pessoas por dia que passam daquele ponto. A educação ambiental foi mudada ao
longo de tempo interrelacionado a ideia de natureza e o modo de percebe-la, tem-se
acentuado a necessidade de levar em conta os vários aspectos que interferem nas
situações ambientais, incorporando as dimensões sócio e económicos, politicas, cultura,
e história de uma poluição. O presente trabalho visa tentar procurar as possíveis formas
de como sanar com esse problema. Poluição ambiental é qualquer acto depositado
propositadamente ou inconscientemente para danificar o nosso planeta e a nossa saúde.

O trabalho esta organizado nove temas que são o formulação de problema, objectivos
gerais e específico, justificativa, metodologia, pergunta da pesquisa, revisão de
literatura, definição de conceito, e por fim as lições aprendidas.

3
1.1. Formulação de problema
Sabendo que parque de Xiquelene é uma das terminais de semicolectivo de passageiro
tanto de partida como de chegadas de certas pessoas o cheiro nauseabundo acaba
interferindo na saúde dos que passam por lá porque não só por estar lá que podem correr
o risco de saúde porque além de passar as pessoas tem comprado alimentos que estão
expostos a urina fora isso quando chove e fica tudo inundado as pessoas tem de pisar
aquela água que escore por lá sem ter outra alternativa e correm o risco de ter diarreias,
cóleras, etc.

Desde o início da urbanização, a urina sempre teve um papel secundário em relação as


fases por ser considerado menos poluidora.

Porém, alguns países de união europeia começam a estudar formas de tratar a urina
antes de lança-lo ao meio natural, já que os resíduos de medicamentos, por exemplo em
grande quantidade na água podem causar alterações no sistema endócrino de animais,
causando mudanças na produção de harmónios.

O assunto foi abordado pelo coordenador de programas e surpreendente técnico da


Agencia das Águas Sena-Normandia, Jacques Lesavre. Ela esteve em Curitiba na
semana passada para ministrar aulas no curso de pós-graduação de Gestão Técnica do
meio Urbano (GT U) da Prontificação Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Com esse pormenor nos temos prevenir essa poluição ambiental. Antes que seja tarde de
mais.

1.2. Objectivos

1.2.1. Objectivo Geral:


Compreender o porque desta pratica sabendo que nesse parque tem sanitário.

1.2.2. Objectivos Específicos:


Verificar o nível de preservação do parque;

Propor medidas de mitigação;

Enunciar o impacto das práticas de urinar em lugares públicos.

4
1.3. Perguntas da pesquisa
Que praticas nos como educadores ambientais juntamente com o conselho municipal
temos de fazer para a redução ou o combate dessa prática?

Será que os indivíduos que fazem essa prática têm noção de que estão a praticar uma
das segundas práticas de poluição?

Será que sabem que a poluição ambiental por via urine pode ser prejudicial a saúde
pública?

1.4. Justificativa
De acordo com o artigo 49 de resolução 15/2004 sobre a postura camarária proíbe que
se urine ou que optem por práticas de fetalismo a céu aberto porem na cidade de Maputo
esta medida e totalmente ignorada aliado a este contexto, o conselho municipal diz não
haver justificação para tais práticas.

Rute Masinga da recepção de fiscalização de conselho municipal de Maputo afirma


haver sanitários em todas as paragens só que esta sobre a custódia dos sectores privados.

Por ainda não ter deparado nas minhas leituras com artigos, trabalhos de pesquisa ou
relatórios que visam sobre o contributo que os diferentes projectos de poluição
ambiental por via urina optei em fazer o estudo com alguns vendedores do xiquelene
parque os transportadores e os passageiros que passam por la dia pois dia.na aria
académica com esse trabalho, espera se despertar interesse dos académicos de áreas de
educação ambiental e afins em empreender estudos dos diferentes projectos
implementados em Moçambique e em particular na cidade de Maputo, de forma a obter
se a influência a nível. (Ambiental).

5
CAPITULO II.

2. Revisão de literatura
Neste capítulo são discutidos os conceitos básicos relacionados com o assunto
investigado, na pesquisa de alguns autores. Procura se explicar o termo poluição e
edução ambiental.

2.1. Educação ambiental


Foi mudando ao longo do tempo inicialmente relacionado a ideia de natureza e o modo
de percebe-la, têm-se acentuado a necessidade de levar em conta os vários aspectos que
interferem nas situações ambientais, incorporando as dimensões sócio económicos,
política, cultura, e história de uma poluição. (Vadagua)

A educação ambiental se constitui numa forma abrangente de educação que se propõem


atingir todos os cidadãos através de um processo pedagógico participativo permanente
que procura incutir no educado uma consciência critica sobre a problemática ambiental,
compreendendo se como critica a capacidade de captar a génese e a evolução de
problemas ambientais. (Ambiente Brasil)

2.2. Poluição
Segundo Arlindo Hidro Pinho a poluição é qualquer acto depositado propositadamente
ou inconscientemente para danificar o nosso planeta e a nossa saúde.

Para Mariana Araguaia a poluição é uma actividade que degrada o meio ambiente,
afectando as características físicas ou químicas de determinado ecossistema.

2.3. Fontes de poluição natural


As fontes de poluição natural podemos destacar as chuvas, erosão das margens e dos
rios, salinização de vegetais.

2.5. Tipos de poluição


Segundo Rodolfo F. Alves Pena ele generaliza as seguintes poluições atmosférica, dos
solos, das águas, visuais e sonora.

Poluição Atmosférica ocorre pela emissão de poluentes no ar pelas práticas tais como a
emissão de realização pelas chaminés das indústrias e veículos em geral.

6
Poluição dos solo esse tipo de poluição interfere tanto na qualidade agrícola do extracto
superficial da terra como na permanência dos seres vivos que nele habitam.

Poluição das águas essa poluição ocorre pelo acúmulo de resíduos e poluentes nos
cursos de água como rios, lagos, bacias hidrográficas em geral e também os mares e
oceanos.

Poluição sonora é vista como o ex-sexo de barulho no espaço das cidades e também em
algumas áreas industriais pode gerar problema de saúde, além de dificultar a
comunicação e o bem-estar da população.

Poluição visual é causada pelo excesso e publicidade, cartazes em geral e outras formas
de transformar as paisagens no âmbito social.

CAPITULO III

3. Metodologia
O presente capitulo mostra os procedimentos que foram usados para a realização deste
estudo, partindo da descrição do local do estudo, amostragem, tipo de estudo,
instrumentos de recolha de dados, o modo de procedimento de dados.

7
Importa referir que para efectivação do presente trabalho de pesquisa, recorreu se a
análise documental e da literatura para dar suporte a fundamentação teórica, entrevista
semi-estruturada e aplicação da observação participante auxiliada pela matriz o
FUTURO ROBADO.

3.1 Descrição do local de estudo


O presente estudo foi realizado no município da cidade de Maputo, concretamente no
merca xiquelene (parque).

Importa salientar que o parque e vista como terminal de varias rotas até para os caros
que vêm das províncias.

3.2 Abordagem metodologia


O presente estudo configura se como uma abordagem descritiva exploratória. Segundo
Marconi e Lacatos (2007), a pesquisa discretiva busca descrever um fenómeno ou
situação em detalhe, especialmente o que esta ocorrendo, permitindo abranger, com
exactidão as características de um individuo, uma situação ou grupo, bem como
desvendar a relação ente os inventos. Já a pesquisa exploratória é aquela que faz a
tentativa de proporcionar maior familiaridade com o problema que esta a ser estudado.

O estudo revê instrumentos de recolha de dados a analise documental, entrevista de


natureza semi-estrutural.de acordo com Goil (2002) a analise documental é um tipo de
instrumento de recolha de dados, que se vale de documentos primeira mão que ainda
não tiveram tratamento analítico como: regulamentos gravação, diários projectos, etc. e
das segundas mãos que já tiveram algum tratamento científico como é o caso de
relatórios de pesquisa, projectos, relatórios de entre outros documentos. Quanto a
entrevista, Gil (2002), defini se com um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma
delas obtenha informação a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação
de natureza profissional, enquanto, observação participante é aquela que permite ver,
identificar, obter provas a respeito do fenómeno que se deseja estudar, permitindo
monitorar os acontecimentos tomar registo do comportamento do publico-alvo (Marconi
e Lacatos).

3.3. Amostragem
Neste estudo usou se a amostragem não probabilística por conveniência. Segundo Yin
(2001), a amostragem não probabilística por conveniência de seleccionar os elementos
de amostra obedecendo critérios que convém ao pesquisador. O presente estudo foi

8
realizado na cidade de Maputo, no mercado xiquelene (parque) abrangendo 6 pessoas
dais quais 2 vendedores ambulantes. Nesta, foram seleccionadas por uma amostragem
não probabilística por conveniência, 2 fiscais, e 2 cidadãos que passavam pelo parque
tendo a amostra culminando com 6 indivíduos.

3.4. Instrumentos de recolha de dados


A recolha de dados, foi feita com recurso a análise documental, entrevista e observação
participante auxiliada pela matriz o FUTURO ROUBADO.

3.4.1 Técnica de recolha de dados


3.4.1.1. Análise documental

Com a base na análise documental faz se a interpretação do projecto de estudo de


educação ambiental citada acima. Os quais foram confrontados com a revisão de
literatura, com vista a satisfação do primeiro objectivo do presente estudo, o qua,
pretendia identificar o tipo de educação ambiental levado a cabo pelo projecto de estudo
de educação ambiental levado aos vendedores do mercado.

4. Referências bibliográficas
ALLAMN, I.B. Introdução a métodos de amostragem. Universidade de santa cruz.2012.
Acessado em: nbcgb. Br/lec/download/ivan/AulosComum/Aula2.pdf em 05 de
Novembro de 2015.
9
AMANCIO, T.C.D.Educação ambiental: uma problematização critica deste
conceito.2008

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 2002.

JACOB, P. Pesquisa acção: conceito e finalidade. Contribuída.2000. Acessado em:


http://www.educaremrevista.ufpr.br/arquivos 16/irineu engel.pdf. em 14 de Dezembro
de 2015.

MELAZO, G, C. Percepção ambiental e educação ambiental: uma reflexão sobre as


relações interpessoais e ambientais no espaço urbano. Olhares e trilhas. Vol VI. 2005.

MICOA. Manual do educador ambiental. Maputo. 2009.

ROSSI. E., GAION, P.P., Salvador, N.N.B. Educação ambiental: comparação entre três
estudos de caso. São Carlos.2012.

10