Você está na página 1de 52

Existe vida

fora da Terra?
Tem muita gente que ainda pensa que não. São pessoas que imaginam que nós, terrestres, somos os úni-
cos habitantes de um universo com mais de 6 trilhões de estrelas... Felizmente, isso está mudando.
Todos os dias, um número cada vez maior de pessoas em todo o mundo se conscientiza de que não
somente não estamos sós no Cosmos, como estamos sendo constantemente visitados por seres de
outros planetas. A Ufologia já descobriu que nossos visitantes são criaturas semelhantes aos humanos
na forma física e até na maneira de agir e pensar. Porém, são seres bem mais avançados do que nós, tec-
nológica, social e espiritualmente. Nossos visitantes observam tudo o que faze-
mos, monitorando nossos passos. Eventualmente, buscam contato conosco, sur-
gindo com suas naves sobre nossas cidades ou seqüestrando-nos de nossas casas.

Se você quer saber tudo sobre Ufologia,


leia e assine a Revista UFO, a única do Brasil
Revista Brasileira de Ufologia
Fevereiro 99 – Número 62 – Ano 15

Abdução: como é estar dentro de um disco voador?


14 Esta edição de UFO dá destaque ao importante tema das abduções, enfocando-as sob os
mais variados pontos de vista. O leitor verá desde uma análise do método de comunica-
ção telepático usado por ETs em seus raptos, até um estudo do envolvimento de militares
norte-americanos em seqüestros de humanos por alienígenas. Além desses, publicamos
vários artigos inéditos que desnudam a extensa e intrincada fenomenologia ufológica.

Artigos
20 Telepatia entre humanos e aliens
Os métodos de comunicação a bordo de UFOs
14
Afinal, os ETs são bons ou maus?
Ufologia tenta entender os objetivos de nossos visitantes
16
Militares em abduções alienígenas
Surge novo componente no enigma dos seqüestros
20
27 Quase morte se confunde com abdução
Casos de morte temporária assemelham-se a raptos
25
Mulher é seqüestrada por ETs no Rio
Abduzida desenvolve poderes paranormais após o fato 27
Aliens: esperança ou ameaça à Terra
Visitas de ETs trazem mais perguntas do que respostas
33
33 Extraterrestres na cultura popular
No Folclore, aliens são retratados como anjos e demônios 36
Seres espaciais registrados em Goiás
Figuras rupestres indicam convívio de índios com ETs
41

Seções
36 Contato Imediato 04
Ponto de Encontro 06
Busca de Respostas 08
Mundo Ufológico 10
Casuística Global 12
Encontros Cósmicos 46
Imprensa Ufológica 48
41 Fatos & Fotos 50

Fevereiro 99 03
A globalização chega à Ufologia
J
á não era sem tempo. E demorou um pouco. Mas finalmente da globalização e está irremedia-
chegou à Ufologia a tão aguardada globalização planetária velmente ultrapassado aquele ufó-
que já rege o funcionamento de tantos outros segmentos da logo que ainda não tem acesso à
sociedade humana. Hoje, pode-se encontrar num mesmo super- ela. Mas a globalização é mais am-
mercado produtos de literalmente dezenas de países. Os auto- pla ainda do que a rede mundial.
móveis que rodam nas estradas brasileiras vêm de pelo menos se- Ela representa a verdadeira inte-
te nações diferentes. Os programas de televisão que assistimos – gração da Ufologia em escala pla-
especialmente via cabo – são produzidos por pessoas das mais di- netária. Os congressos ufológicos
versas nacionalidades. Enfim, não há como fugir a isso: a globa- que hoje se realizam em qualquer

Luciane Bodaczny
lização chegou, irreversível e definitivamente. lugar do mundo são multinacio-
É evidente que os resultados disso são positivos para todos nais. Ou seja: é impossível reali-
nós. E agora, quando tal processo chega também à pesquisa ufo- zar-se um bom evento no setor
lógica, resta-nos apenas descobrir uma forma de usá-lo em nos- sem a presença de estudiosos de
so benefício, para o crescimento e modernização da Ufologia várias nacionalidades. A globalização
Brasileira. A forma mais visível dessa globalização começou a Hoje, como resultado de um
ser observada já há alguns anos, através da Internet. Pela rede sólido trabalho de divulgação de é positiva para
mundial que liga milhões de computadores em mais de 200 paí- nossa Ufologia, é praticamente todos nós. Resta
ses, ufólogos vêm intercambiando informações com muito mais impensável organizar-se um con- sabermos, no
velocidade, rapidez e qualidade. Embora o uso da Internet pelos gresso em qualquer país sem a
ufólogos brasileiros começasse ainda tímida, hoje, em 1999, ex- participação de um conferencista entanto, como
pressiva maioria desses estudiosos já têm neste veículo sua mais brasileiro. Outras nações da Amé- utilizá-la para
importante ferramenta de trabalho. rica do Sul não têm, ainda, a mes-
Com a Internet não se realizam apenas pesquisas e intercâm- ma representatividade que o Bra-
benefício de
bio. Mas se estruturam amizades sólidas – ainda que virtuais – e se sil. Mas estão caminhando para nossa Ufologia
encurtam distâncias. Ora, há 10 anos, se um caso ufológico ex- isso, pois deverão sofrer a globa-
lização que já nos atinge. A. J. Gevaerd,
pressivo ou uma conferência ocorresse na Europa, por exemplo, editor
nós, ufólogos brasileiros, só conheceríamos os detalhes meses de- Graças a esse fato, hoje temos
pois, graças a notícias eventualmente publicadas em algum bole- como absolutamente certo e inquestionável um fato sobre algo
tim mimeografado que chegasse às nossas mãos. Hoje, felizmen- que antes apenas desconfiávamos, quando tínhamos acesso à casu-
te, dias depois de ocorridos, tais fatos já podem ser pesquisados na ística mundial somente através da literatura especializada. Atual-
rede. Há casos extremos, como de congressos sendo transmitidos mente, por conta da globalização, sabemos que o Fenômeno UFO
online pela Internet, em tempo real. está igualmente presente em todos os países da Terra. Os ETs que
Outro exemplo de tal agilidade é a possibilidade, hoje garanti- nos visitam vão a todos os rincões do planeta. Seu interesse pelo gê-
da, de acompanharmos uma pesquisa ufológica em andamento, nero humano inclui as mais diversas raças e etnias que o compõe.
graças às notícias que seus investigadores publicam na Internet a Assim, é óbvio que, para entender as razões de nossos visitantes,
cada novo lance descoberto. Enfim, a Internet é o grande veículo temos também que pensar em termos globalizados.

Em nossa terceira edição em cores, algumas novidades poderão ser notadas. Ini-
cialmente, a revista passou por uma adequação de preço, subindo de R$ 5 para R$ 6.
Isso foi absolutamente necessário para que a publicação se mantivesse viável econo-
micamente. Como UFO não veicula publicidade externa em suas páginas (que man-
tém qualquer revista em todo o mundo), ela tem que sobreviver exclusivamente de
Abduções sua própria venda em bancas e entre assinantes. Assim, o aumento de preço foi efetu-
extraterrestres: ado para que a publicação pudesse continuar no nível de qualidade editorial e gráfica
atual. Com essa atitude, a relação entre o custo de produção e a vendagem da revista
como é estar fica equilibrada. Além disso, dinamizamos ainda mais as matérias, diversificando-
as, e desmembramos a nossa seção Mundo Ufológico, gerando um novo espaço cha-
dentro de um mado Casuística Global. A ilustração da capa desta edição foi feita por Jamil Vila No-
va, um dos mais talentosos artistas ufológicos do mundo, com base no fenômeno das
disco voador? abduções. Nossa tiragem continua estabilizada na faixa de 25 mil exemplares.

04 Fevereiro 99
Infelizmente, a TV Afinal, que tratamento O Fenômeno UFO é
brasileira refere-se à deve-se dar às provas ferramenta de mudança
Ufologia com descaso da existência dos UFOs de pensamento

D ecorridos 50 anos de Ufologia, que


tantas dúvidas tem trazido à Humani-
dade e, em particular, às potências domi-
À s vezes, a opinião pública e até mesmo
alguns pesquisadores fazem a seguin-
te interrogação: há alguma prova concre-
D espontando como um fato novo nessa
última metade do século, a Ufologia
tem encontrado grande resistência por par-
nantes, temos que nos posicionar de mane- ta da existência do Fenômeno UFO? E se te da cultura humana preestabelecida, que
ira séria e coerente a respeito do assunto. há tal prova, por que a Ciência ortodoxa rejeita a presença perturbadora dos ETs e
Em tempos passados, a Ufologia, ainda de- não admite sua veracidade? É verdade suas naves. O medo do mistério e, sobre-
sacreditada, tratava de algo incomum: a que na Ciência do Direito aparecem prin- tudo, do perigo parece estar por trás da in-
presença de ETs entre nós. Nesta fase, era cípios éticos e valores sociais aliados aos sistente má vontade do sistema em encarar
respeitada pelos pesquisadores que apre- procedimentos jurídicos que limi- de frente um fenômeno que surge for-
sentavam os resultados de seus estudos co- tam nos tribunais a prova e sua te, incontrolável e onipresente,
mo sendo dignos de serem lidos, escuta- efetiva produção. Porém, é mostrando-se potencialmente
dos ou mesmo relacionados entre os fatos praticamente aceito por to- capaz de desestabilizar toda
merecedores de crédito e que iriam alicer- dos os ordenamentos mo- a solidez aparente do nosso
çar o que hoje é uma realidade: a existên- dernos que qualquer meio edifício cultural, construí-
cia dos UFOs em nossos céus. lícito de obtenção e pro- do pedra sobre pedra, so-

Stephen McLain
Infelizmente, decorrido este meio sé- dução de prova deve ser frida e pacientemente
culo, graças a alguns programas popula- respeitado, com base no através dos tempos.
res da televisão brasileira, ainda não po- princípio jurídico da bus- Nossa História já vi-
demos erguer a cabeça e gritar bem alto: ca da verdade absoluta. veu episódios semelhan-
“Eis aqui a verdade! Tudo é Ufologia. É O volume das provas tes, quando alguns pionei-
real, podemos provar... Acreditem!” Isso da existência do fenôme- ros da Ciência expuseram
ocorre porque tais programas estão aí, no vem crescendo vertigi- leis, princípios e conceitos
mostrando um festival de besteiras e men- nosamente em quantidade e que contrariavam o sistema en-
tiras que objetivam apenas dois ou três qualidade, sobejando plena- tão oficial. Mas como a verdade
pontos no Ibope, não importando se apre- mente, demonstrando a existência sempre prevalece, cedo ou tarde, a mi-
sentam imagens ridículas de alguns pes- dos UFOs como realidade e verdade que noria que a aceita se torna maioria, e a mu-
quisadores que, a procura de uma proje- é. A essa altura da narrativa, poderia en- dança de consciência se torna um fato re-
ção na área profissional, aproveitam a tão o leitor questionar. Ora, se já é tão primível. Não temos dúvida de que em re-
oportunidade para levar ao ar histórias ab- grande o número de provas do fenôme- lação à Ufologia o processo é idêntico,
surdas de pedras milagrosas, UFOs com no, por que não admiti-lo publicamente com a vantagem de que agora essa meta-
escadas de cordas, ETs usando computa- como autêntico? Não é fácil tal resposta, nóia é menos sofrida porque o nível de
dores à beira de lagoas ou mensagens se- mas sem querer ser maçante na analogia, consciência e o poder de síntese e compre-
cretas formadas em montanhas que a sé- podemos raciocinar o seguinte: toda pro- ensão ajudam o homem atual a entender e
culos ali estão… va judicial é dirigida para um julgador acatar certas circunstâncias transcenden-
Está na hora de darmos um basta em to- convocado, geralmente pertencente ao tes nas quais está inserido, libertando-se,
da esta baboseira. A Associação Nacional poder público, sendo quase sempre de enfim, de radicalismos e preconceitos que
de Ufólogos do Brasil (ANUB), juntamen- um órgão singular ou no caso das cortes lhe toldavam outrora a razão.
te com pesquisadores sérios e honestos de apelação, um órgão colegiado, mas Em tempos conturbados de final de
deste país, precisa se posicionar e infor- com número limitado de membros. São século, ciclo e milênio, vivemos a era das
mar ao grande público em geral quem é os juízes de Direito. mudanças. A parábola que sustentou até
quem na Ufologia Brasileira. Devemos ir O destinatário da prova é, pois, o órgão hoje a base do conhecimento filosófico
a cada uma dessas emissoras, que levam judicial, designado pelo poder público ao da Humanidade agora se desvela na sua
informações desconexas ao telespectador, exercício constante da atividade jurisdici- verdadeira significação, substituindo os
e mostrar que temos coisas boas e verda- onal. No caso da Ufologia, qual seria o des- símbolos e despindo as formas que lhe
deiras a apresentar, que também darão al- tinatário das provas? Os governantes, os ocultavam a essência, por ser esta ainda
guns pontos no Ibope – porém de forma militares, os clérigos ou autoridades reli- incompreensível para as mentes e cons-
adequada, responsável e verdadeira. giosas de um modo geral, os cientistas orto- ciências do passado.
Reginaldo de Athayde, co-editor e doxos? Isso deve ser definido para que a Alonso Valdi Régis, bancário e
presidente do Centro de Estudos e disciplina ufológica progrida e as respos- consultor da Revista UFO
Pesquisas Ufológicas (CPU) tas que procuramos sejam encontradas.
Ronaldo Kauffman, advogado e
consultor da Revista UFO

Fevereiro 99 05
Nova UFO
Nova UFO os fatos do mundo – especialmente quan-
to à notícia de que haveria vida inteligen-
Escrevo para parabenizá-los pela ma- te em Europa, um dos satélites do planeta
neira com que UFO se supera a cada edi- Júpiter. Estou curioso para saber qual se-
ção. As entrevistas de peso que apresenta rá a próxima desculpa!
dão a credibilidade necessária a essa con- Robson Rodrigo Cruz
ceituada revista. O testemunho de pesso- Salto (SP)
as com qualificação e idoneidade com-
provadas atingem em cheio os céticos de Ufologia Esotérica
Ufologia Esotérica
plantão, fazendo-os repensarem suas
idéias e descrenças diante da existência É com prazer que acompanho a revis-
do inegável Fenômeno UFO. ta há muito tempo e só vejo melhorias a
Sérgio Alberto de Ávila Brandão cada dia, não só no aspecto visual, mas
Paraopeba (MG) principalmente em seu conteúdo de altís-
simo nível. UFO representa muito bem a
Sou um leitor assíduo dessa revista e Ufologia em nosso país. Sabemos que
gosto principalmente dos trabalhos escri- através do Centro Brasileiro de Pesqui-
tos pelos co-editores Claudeir Covo, Mar- sas de Discos Voadores (CBPDV) e das
co Antonio Petit e, destacando, o profes- entidades a ele coligadas podemos obter
sor Reginaldo de Athayde, que esteve em Parabéns à Equipe informações sérias e esclarecedoras so-
abril de 1998 realizando uma palestra em bre o assunto. É com maestria a forma co-
minha cidade. Apreciado por curiosos e
UFO pelo empenho e mo tratam a ponte existente entre a Ufo-
jornalistas, Athayde respondeu à altura determinação com que logia Científica e a chamada Ufologia
as indagações que lhe foram feitas, de- edita suas publicações. Espiritual ou Esotérica – fronteira esta
monstrando alto grau de conhecimento UFO leva a inúmeras muito delicada (se é que ela existe).
sobre o tema ufológico. Marilda Goulart Correia
José Arimatéia Nunes
pessoas dos mais sothis@nutecnet.com.br
Timon (MA) longínquos lugares
deste imensurável Brasil ETs atacam
ETs atacam emPaulo
em São São Paulo
Parabéns à UFO e aos seus co- trabalhos de ufólogos de
editores pelo novo visual gráfico e pelo Valeu a pena esperar pela nova UFO.
conteúdo da revista. Se já eram bons, fi- diversos países, o que a A qualidade da revista melhorou em to-
caram ainda melhores depois desta mu- transforma num veículo dos os sentidos, o que sem dúvida atrairá
dança! Nosso país, em muitos setores só- de informação que novos leitores. A diagramação – seguin-
cio-econômicos, amarga desde há muito do as modernas tendências aplicadas às
tempo a condição de subdesenvolvido.
colabora para a difusão revistas semanais de informação – tor-
Mas certamente podemos nos orgulhar e fundamentação dos nou a leitura mais agradável. E o que é
do sério desempenho que a Ufologia conceitos da Ufologia. melhor: não implicou na redução dos tex-
Brasileira vem demonstrando, expresso tos, que a meu ver sempre foram o seu
pelo trabalho de nossos pesquisadores e Samuel Selzeach ponto forte. Por isso tudo, ter meu artigo
pela publicação de uma publicação de Estrela (RS) publicado em suas páginas é para mim,
Primeiro Mundo, com matérias de gran- ao mesmo tempo, uma verdadeira honra
de teor explicativo, como a UFO. e um privilégio. Parabéns!
Ricardo Furtado Joris Cláudio T. Suenaga
Rio Grande (RS) O que
O que a NASA
a NASA esconde
esconde São Paulo (SP)

Quero elogiar a Revista UFO. Con- Concordo com a afirmação de João Vídeos
Vídeos ufológicos
ufológicos
fesso que fiquei com receio de elogiar Fernandes da Silva Júnior, autor do texto
muito a edição 60, temendo que a quali- da seção Busca de Respostas de UFO 60: Parabéns à Equipe UFO por mais es-
dade da publicação caísse nos números “É incrível a capacidade que a NASA ta inovação editorial. Acompanho a re-
seguintes. Mas vejo que ocorreu o inver- tem de esconder algumas verdades”. vista há 10 anos, desde PSI-UFO, e vejo
so: UFO 61 não me decepcionou e ainda Concordo também que todos os ufólogos que é realmente um feito uma publicação
conseguiu melhorar! Acho que agora, deveriam se unir para terem mais acesso do gênero estar viva durante um período
posso babar tranqüilo. ao que essa agência espacial realiza em de tempo tão longo. Comparando as pri-
Rodolpho G. Cardoso dos Santos segredo, pois se não houver tal união, ela meiras edições com a atual, podemos ob-
rgcs@zipmail.com.br sempre inventará histórias para acobertar servar uma grande evolução na qualida-

06 Fevereiro 99
Fale com a Revista UFO:
Caixa Postal 2182, 79008-970 Campo Grande (MS)
Fone: (067) 724-6700 – Fax: (067) 724-6707
Endereço eletrônico: redacao@ufo.com.br

de de apresentação dos textos, ilustra- dadosa das cartas e dos relatos que deci- que opera com recursos extremamente
ções, atualização das matérias e inter- direm publicar, evitando assim, absur- limitados. Por não veicular publicidades
câmbio na divulgação de trabalhos de dos do tipo “viu um objeto estranho a externas e nem receber ajuda de
pesquisadores de diversas partes do uma distância de cinco quilômetros, me- terceiros, a revista tem que sobreviver
mundo, ligados à Ufologia. Quanto aos dindo 120 metros por 30”. exclusivamente de sua venda. Assim,
vídeos, também houve uma ótima trans- Cyril G. P. Walter fomos forçados a adequar nosso preço
formação, dando um tratamento profis- Serra Negra (SP) de capa para podermos custeá-la.
sional aos mesmos. O acabamento do
produto em si também chama a atenção Quero deixar registrada minha suges- Errata
Errata
do consumidor, seja este ligado ao as- tão para que a UFO cresça ainda mais.
sunto ufológico ou não. Em minha opinião, a revista, apesar de Ao contrário do que foi publicado na
Edson Masaiti Kuniyasi ter melhorado bastante, ainda precisa ser reportagem Que surpresas Júpiter ainda
Arujá (SP) mais aberta a temas esotéricos e místicos, reserva aos ufólogos?, de autoria de Pe-
dando espaço para autores que tratem des- dro Raul Mercado de Medeiros (UFO
Círculos ingleses
Círculos Ingleses ses assuntos – a meu ver, tão importantes 60, página 25), Júpiter não possui 14 sa-
quanto a Ufologia dita científica. télites, mas 16: Métis, Adrastéia, Amal-
O novo visual da Revista UFO está o Mariza Carvalho téia, Tebe, Io, Europa, Ganímedes, Ca-
máximo! Vocês realmente fizeram um Rio de Janeiro (RJ) listo, Leda, Himália, Lisitéia, Elara,
trabalho maravilhoso. Gostei muito do ar- Ananke, Carme, Pasífae e Sínope. Além
tigo da edição 61 sobre os misteriosos cír- A revista melhorou bastante o trata- disso, Jápetus é uma das 18 luas de Sa-
culos ingleses e também achei interes- mento das matérias e o seu visual desde turno e não de Júpiter, como foi mencio-
sante os novos livros ufológicos. A Equi- UFO 60. Porém, continuo a reclamar do nado na mesma reportagem.
pe UFO está de parabéns! preço, que está alto. Lembro que outras
Lorena Maria R. da Frota publicações com mais páginas custam Na matéria Quando os ETs atacam se-
Campos Belos (GO) menos que a UFO. Talvez vocês deves- res humanos (UFO 60, página 38), onde
sem rever esta questão, pois tem gente se lê a citação referente ao Caso do Forte
Críticas e sugestões
Críticas e sugestões que não é rica para comprar a revista... de Itaipu, esclarecemos que o fato acon-
Joana da Silva Nunes teceu em Praia Grande, uma cidade do
Ao saber que o aspecto gráfico de São Paulo (SP) interior do Estado de São Paulo, e não nu-
UFO seria modificado fiquei muito entu- ma praia com mesmo nome localizada no
siasmado, pois sabia que seria um gran- Editor – A leitora notará que a município de São Vicente, como foi dito.
de passo para melhorar o nível de infor- revista sofreu um aumento de preço
mações da revista. A meu ver, no entan- desde a edição 61, o que com certeza a Na seção Fatos & Fotos (UFO 61, pá-
to, falta tratar com mais atenção o conte- deixará mais insatisfeita. Entretanto, gina 50), está incorreta a informação de
údo da publicação. Por exemplo, evitar não há nada que podemos fazer para que a fotografia publicada no lado supe-
tanto oba-oba na seção Ponto de Encon- reverter esta situação. UFO é uma rior direito foi enviada pelo leitor Ro-
tro e fazer uma copidescagem mais cui- publicação sem finalidades lucrativas dolpho Gauthier Cardoso dos Santos.

Debate
A companho as ocorrências ufológicas desde os
primeiros alardes. Em minha opinião, no en-
tanto, não podemos datar com certeza o início das
aparições de discos voadores pelo mundo afora e
até no Brasil? Pelo que podemos ver, esses fenô-
menos já não são mais tão noticiados pelos meios
visitas de UFOs à Terra, pois somente neste século de comunicação. Assim, a Ufologia que tantos de-
o homem tomou conhecimento de que estava sen- fendem estaria caminhando inevitavelmente para a
A Ufologia, do observado. Por outro lado, é interessante notar a obscuridade diante do público desinteressado e ca-
espantosa estimativa apresentada pelo editor de da vez mais cético. Mas na verdade esse público
nas últimas UFO de que, em 1977, a cada 15 minutos alguém não tem culpa! A Ufologia, em seus 50 anos de exis-
cinco décadas, via um UFO. Além disso, a crescente popularidade
do tema na Imprensa é responsável por tornar o as-
tência, não apresentou nada de concreto sobre seu
alvo de estudo e dificilmente este quadro se altera-
não mostrou sunto público e polêmico em todo o mundo. rá futuramente, caso métodos pouco científicos de
nenhum fato Mas pergunto: quais seriam as estimativas atu- pesquisa continuem sendo empregados.
almente? Mais de 20 anos depois da data mencio- Israel Ferreira Lima
concreto nada pelo editor, como estaria hoje a freqüência de Guarulhos (SP)

Fevereiro 99 07
A procura
A Busca da verdade
da Verdade os vendo surgirem de dentro de arquivos neurológicos gerados nas vítimas des-
antes secretos, aquelas informações que sas experiências. As pesquisas revelam

É inquestionável que todos nós, ufólo-


gos, lutamos para repassar ao públi-
co fatos verdadeiros sobre o Fenômeno
órgãos governamentais possuem.
Não vivemos mais na fase da infân-
cia. A Humanidade terrestre está progre-
que a maioria dos raptos alienígenas
ocorrem quando as pessoas adormecem
ou quando acordam. Há ainda as que são
UFO. Mas como conseguir esse intento dindo a passos largos e por isso não pode levadas quando estão no meio de longas
quando outras pessoas estão empenha- continuar subjugada a governos repres- viagens. Nesses três casos, a Psiquiatria
das em ocultar verdades e desacreditar sivos. Vivemos na era da comunicação e encontra soluções bem lúcidas, correla-
os fatos? São tantas as informações pro- mesmo assim as informações ufológi- cionando os supostos eventos de abdu-
positadamente desencontradas que inva- cas são negadas. Isso dá origem a um ção com os já exaustivamente estudados
dem diariamente os sites ufológicos! As grupo de pessoas que ganha dinheiro às distúrbios do sono.
informações ufológicas são peças im- custas de notícias falsas. E assim, os ufó- Outra característica marcante deste
portantes no intricado quebra-cabeças logos continuam caçando informações estudo é a que demonstra que o contato
da pesquisa casuística e fenomênica, e aqui e ali. Contentando-se com verdade- humano com nossos irmãos cósmicos
os trabalhos de pesquisa realizados por iras migalhas! são iniciados ainda na infância, fato
ufólogos sérios são um grande apoio no João Fernandes S. Júnior, que causa, nos contatados, algum tipo
qual devemos nos sustentar para tentar Grupo Espírita de Pesquisa Ufológica, de trauma no decorrer de suas vidas, ge-
buscar uma compreensão maior e mais Rua Maria do Céu 72, Km 11, ralmente causado por seus pais. Pode-
abrangente do assunto. Insustentável 26250-140 Nova Iguaçu (RJ) se explicar este fato através das tórridas
também se torna a posição dos governos relações sexuais exemplificadas em ca-
envolvidos, visto que possuem vastas sos como o de Antonio Vilas Boas e sua
quantidades de informações sobre a ca- Aliens, demônios
Aliens, demônios ou ilusão?
ou ilusão? amante extraterrestre.
suística ufológica e não a divulgam ao A primeira história sensacional de
público, como deveriam.
Que relação existe entre os discos vo-
adores e a segurança nacional dos
O fenômeno dos discos voadores apre-
senta uma quantidade significativa
de perguntas sem respostas objetivas. O
abdução ocorreu com Betty e Barney
Hill, em 1961. A fatídica experiência
desse casal mobilizou a mídia america-
EUA? Embora para os humanos o mo- número de avistamentos de supostas na- na, e por conseqüência o mundo. Betty e
mento atual seja de grande avanço na ves extraterrestres, cada vez maior, e a Barney haviam perdido 2 horas de suas
área tecnológica, para os seres extrapla- falta de provas irrefutáveis que possam vidas durante um passeio de carro. Atra-
netários tudo o que hoje existe na Terra ratificar e até explicar esse intenso tráfe- vés de sonhos aterradores, os dois come-
é, deveras, ultrapassado. Se eles real- go aéreo chegam a criar um paradoxo çaram a recordar o rapto, a imobilização
mente quisessem invadir nosso planeta, em relação ao assunto. E dentre todas as de seus corpos e a execução de uma sé-
já o teriam feito há muito tempo. Os go- suas peculiaridades, a maior – geral- rie de exames físicos realizados por pe-
vernos são eleitos pelo povo e para o po- mente alvo de ferozes críticas – é certa- quenos seres cinzas e de longos narizes
vo – e se nós, os eleitores, somos os res- mente a abdução. (aparentemente, os greys de hoje fize-
ponsáveis por colocar no poder pessoas Uma apreciação isolada dos diver- ram plástica…).
em que confiamos, por que estas não tra- sos relatos de pessoas abduzidas nos dá Certamente, não é por coincidência
zem a verdade a público? Somente uma uma forte impressão de haver distúrbios que vários detalhes da vida deste casal
união significativa dos grupos ufológi- possam ser vistos no filme Invaders
cos civis com os militares trará bons re- Os povos da Terra from Mars [Invasores de Marte], de
sultados à ordem mundial. 1953, e a descrição física dos aliens –
Os povos da Terra têm o direito de sa- têm o direito de saber principalmente os enormes olhos – te-
ber o que ocorre no planeta que habitam. o que ocorre no nha surgido numa sessão hipnótica doze
É evidente que, além da visita à Terra de dias após a exibição de um episódio da
seres muito evoluídos, também aqui vêm planeta que habitam. série The Other Limits [A Quinta Di-
outros que moralmente são tão falíveis É evidente que, além mensão], em que um alienígena idênti-
quanto os terrestres. Em um mundo em co ao relatado pelo casal Hill era retrata-
que a tecnologia ultrapassa a ficção, não
da visita à Terra de do. Após uma infinidade de pesquisas e
há mais lugar para as práticas de despis- seres muito evoluídos, sessões hipnóticas, foi descartada a pos-
tamento efetuadas por militares a fim de também aqui vêm sibilidade de uma farsa em relação à ex-
desacreditar o Fenômeno UFO. Somente periência do casal, pois eram pessoas ín-
a verdade tirará o homem da ignorância e outros seres que tegras e realmente acreditavam no que
das trevas interiores! Por que os grupos moralmente são tão contavam. O doutor Benjamin Simon,
paracientíficos não fazem uma pressão terapeuta e hipnotizador que cuidou do
maior sobre os seus respectivos gover-
falíveis quanto os caso, chegou à conclusão de que o casal
nos? Com isso, todos lograriam benefíci terrestres havia realmente compartilhado uma ex-

08 Fevereiro 99
Abduções são obra de seres considerados extraplanetários.
No passado, tais criaturas eram chamadas de anjos ou demônios.
periência psíquica, as mulheres ter-
uma espécie de sonho. restres. Além disso, vá-
Com algumas exce- rios anjos e gigantes
ções, as abduções ocor- extraterrestres tam-
ridas a partir de 1962 bém são encontrados
são praticamente idên- em relatos bíblicos.
ticas ao caso Hill. Os Como se vê, os fervo-
pequenos e horrorosos rosos religiosos não
seres extraterrestres, são tão descabidos em
que mais parecem fe- suas associações. Ao
tos humanos, continu- contrário, têm até ba-
am raptando, cons- ses históricas para
trangendo e abusando comprová-las. Tam-
dos pobres seres da bém, antes da Era
Terra. Se por um lado Espacial, os greys
nossos raptores estão eram encontrados em
aprimorando a criação fábulas e tidos como
de entes híbridos e a duendes maléficos ou

Jamil Vila Nova


utilização de material seres elementais.
genético para projetos A verdade por trás
de colonização extra- de todas as abduções
galáticos, por outro é não é física, mas psi-
inegável seu descaso cológica. Tanto é as-
para com nosso mundo. Não há nada de ro da noite, e procurou justificar seus re- sim que a Ufologia séria se ocupa cada
novo em relação a isso. Nenhuma previ- ceios criando mitos e fantasias que, vez menos dos casos relacionados à apa-
são contra uma doença futura ou contra com o tempo, ganharam formas através rência dos seres alienígenas. Os abduzi-
catástrofes que possam permitir uma de- da invenção da escrita. dos são, em sua maioria, pessoas ínte-
fesa de nossa parte contra tais seres. gras (excetuando-se os espertos de plan-
O que atualmente é visto como abdu- Anjos e demônios – Para muitos re- tão) que merecem uma atenção especial,
ção – devido à era tecnológica em que ligiosos, os greys são demônios. A asso- pois o estudo de seus casos não nos colo-
vivemos e a presença incisiva de um ciação é reforçada pela aparência que cará em contato com qualquer espécie
conceito cada vez mais real da existên- ambos possuem: seres deformados, com extraterrestre, mas nos ajudará a enten-
cia de vida fora da Terra –, em tempos enormes olhos e cabeças desproporcio- der melhor esse sombrio labirinto que é
passados era interpretada de uma outra nais etc. Santo Agostinho chamava-os o cérebro humano.
forma. O homem sempre teve medo do de “animais aéreos”. Para ele e seus con- Jorge Saturnino de Moraes,
que lhe pareceu desconhecido, do escu- temporâneos, os demônios desciam do Travessa Lopes 23, Cidade Nova,

Contraponto

É claro que ninguém é obrigado a acreditar na


existência de discos voadores. Mas, antes de
negá-los, é necessária uma ponderação e uma re-
discos voadores sem uma prévia ponderação e
reflexão, sem o devido respeito à consciência alhe-
ia. E negar por negar, qualquer pessoa sabe fazer.
flexão. As pessoas que não os admitem geralmen- A negação obstinada e simples é característica per-
te dividem-se em dois tipos. No primeiro estão tinente e quase um dom em alguns indivíduos me-
Aceitar aquelas que negam simplória e sinceramente a nos avisados, arrogantes devido às suas convic-
existência dos UFOs, no sentido de ingenuidade. ções. Portanto, nesta inversão de papéis, as pesso-
amplamente Estas não têm bases que lhes sustentem tal crença. as que não aceitam a presença dos UFOs devem sa-
os UFOs é tão No segundo grupo, estão aquelas que negam impe-
rativa e veementemente o Fenômeno UFO.
ber muito bem o que estão dizendo pois, em caso
contrário, estarão expondo-se ao ridículo.
ruim quanto Estas não acreditam neles, simplesmente. Tais Eloir dos Santos, adaptado de sua obra
negá-los por pessoas muitas vezes tornam-se ridículas, mos- Discos Voadores – Um mito que já foi longe demais,
trando que seus horizontes não são mais amplos que pode ser obtido no endereço: R. Desemb.
completo do que o pequeno mundo que as cerca. Negam os Motta 943, 80250-060 Curitiba (PR)

Fevereiro 99 09
Numa entrevista recente, o ator Leonard Nimoy – o famoso doutor Novos aliens
Novos aliens em em Porto
Porto Rico Rico
Spock – fez a surpreendente revelação de que o governo dos Esta-
dos Unidos patrocinava a série Jornada nas Estrelas. O dinheiro
era dado por Washington para que os diretores não apresentas-
U m grupo ufológico de Porto Rico, no
Caribe, alega ter contatado extrater-
restres durante uma vigília ufológica rea-
sem nos episódios seres alienígenas ‘muito semelhantes’ aos que lizada em 7 de novembro passado. Se-
têm sido observados em todo o mundo. “Éramos patrocinados pa- gundo noticiado, 15 membros do UFO
ra mostrar em nossos filmes criaturas bizarras e medonhas no lu- Investigative Center of Puerto Rico, con-
gar dos verdadeiros ETs de forma humanóide”, admitiu. duzidos por Frederico Alvarez, manti-
veram contatos com ETs na área da Flo-
resta Nacional de El Yunque, quando pa-
ra lá se dirigiram a fim de realizarem
Nova
Surge novaliderança na Ufologia Italiana
força Ufologia Italiana uma observação noturna. O grupo insta-
lou-se em Monte Brito, entre o pico e as

U m novo grupo ufológico desponta


na dianteira da já bastante ativa
Ufologia Italiana. Trata-se do Centro
a promoção de eventos internaci-
onais de Ufologia, dois dos quais já
ocorreram com o apoio da prefeitura
torres de televisão. De repente, um mem-
bro da equipe começou a gritar extrema-
mente nervoso, tremendo muito e falan-
Accademico Studi Ufologici (USAC), local. Neste ano, o chamado Meeting do estranhamente.
sediado na província de Occhiobello, Ufologico Anno II foi realizado de 19 Alvarez dividiu o grupo em duas par-
próximo à Ferrara. O país já tem gran- a 22 de novembro, com a presença de tes, por precaução, e mandou uma delas
des expoentes no setor, capitaneados Antonio Ribera, da Espanha, e o edi- – de sete pessoas – de volta à estrada que
de um lado pelo pioneiro Roberto Pi- tor de UFO A. J. Gevaerd, além de dá acesso ao local. Um pouco mais tarde,
notti, do Centro Ufologico Nazionale uma dúzia de estudiosos italianos. membros desse grupo ligaram pelo celu-
(CUN), e de outro pelo estigmatizado A principal área de atuação do lar avisando que estavam tendo contatos
Giorgio Bongiovanni. USAC concentra-se nas abduções ali- com ETs. Nervosos, diziam: “Estão
Disputando um dos públicos mais enígenas. O centro já catalogou cente- aqui! À nossa frente”. Ao perguntar-lhes
interessados em Ufologia do mundo, nas de casos italianos e europeus, de- como isso estava ocorrendo, Alvarez ou-
o USAC estabeleceu uma linha de ati- monstrando a proliferação do fenô- viu como resposta apenas um estranho
vidades notadamente científica, espe- meno. “Somente em nossa região, re- som vindo do telefone. Mais tarde, ao en-
cialmente porque seus integrantes são gistramos em quatro anos cerca de 70 contrar o grupo, todos estavam visivel-
quase todos professores ou acadêmi- abduções extraterrestres”, declarou à mente transtornados, sem conseguir fa-
cos. Dirigido pelo químico Sebastia- UFO o especialista Antonello Lupino. lar e chorando muito. Quando Alvarez e
no Di Gennaro, o USAC já tem 20 O endereço da entidade para contatos sua equipe tornaram a reunir os mem-
anos de vida. Mas foi somente no ano é: Via Baccanaza 13, 45030 S. M. bros do grupo de pesquisa, vários conta-
passado que o centro resolveu iniciar Maddalena (RO), Itália. ram ter visto alienígenas na estrada. “As
criaturas pararam e se comunicaram te-
lepaticamente conosco. Mas nós lhes pe-
dimos para que não chegassem muito
perto”, declarou Nestor, um dos inte-
grantes.
Os sete porto-riquenhos que partici-
param da inusitada experiência perma-
neceram no local, paralisados por uma
força desconhecida durante aproxima-
damente três minutos. Então as criaturas
observadas entraram em um campo pró-
ximo e desapareceram na escuridão.
Embora carregando câmeras e equipa-
mentos de vídeo, os membros da entida-
de ufológica não conseguiram obter ima-
Arquivo UFO

gens. Um deles tinha um par de binócu-


los, mas sequer pôde usá-los. “A emoção
foi tão grande que nem conseguíamos ra-
INTEGRANTES do USAC (a partir da esquerda): Antonello Lupino, Mirko Bisi, ciocinar”, declararam. Este estado emo-
professor Sebastiano Di Gennaro (presidente do grupo) e Carlo Morsiani cional tem sido freqüentemente associa-
do a observações de UFOs.

10 Fevereiro 99
Astronauta
Astronauta reconhece
reconhece ETs
alienígenas

F inalmente, Edgar Mitchell resolveu


se pronunciar sobre os UFOs. Astro-
nauta da missão Apollo 14 e doutorado
pelo Massachusetts Institute of Techno-
logy (MIT), Mitchell – que foi o sexto ho-
mem a pisar na Lua – disse que os UFOs
são reais e têm sido tratados como assun-
to ultra secreto pelo governo dos EUA há
décadas. Em uma entrevista ao jornal
londrino The Times, Mitchell pediu para
que o presidente Bill Clinton dissesse a
verdade sobre os extraterrestres. O as-
tronauta também convocou outras auto-
ridades norte-americanas a se pronunci-

Fotos Arquivo UFO


arem, alegando que o Congresso dos
EUA garantiria imunidade a altos oficia-
is de todas as armas que resolvessem que-
brar seu juramento para contar o que sa-
bem sobre o assunto.
Mitchell quer que Washington reco- A BARRAGEM ilegal do contatado Urandir, que dá acesso ao Projeto Portal
nheça publicamente o que descreve co-
mo “um longo período de pesquisas e co-
nhecimento da vida extraterrestre”. Dis-
Suposto contatado
contatado acionado pelo Ibama depreda a Natureza
se que tem 90% de certeza de que milha-
res de relatos sobre UFOs feitos em todo
o mundo, desde 1940, referem-se a na-
U randir Fernandes de Oliveira, que
alega ter sido escolhido pelos ETs
para dirigir a vida de seus inúmeros se-
Ao mesmo tempo, por ter sido
construída de forma inadequada, a bar-
ragem impediu a piracema – a subida
ves de outros planetas. “Embora alguns guidores terrestres, está sendo aciona- dos peixes para as cabeceiras de rios,
depoimentos possam ser ilusões e fenô- do pelo Ibama por ter causado danos na época da desova.
menos naturais, a maioria dos casos per- ecológicos irreversíveis em mananci- “Os prejuízos ambientais resul-
manece sem explicação”, declarou. O as- ais próximos à bacia hidrográfica do tantes dessa irresponsabilidade são
tronauta comentou ainda, numa confe- Pantanal. O auto proclamado escolhi- tremendos”, declarou o vizinho de
rência realizada recentemente em Con- do já foi alvo de muitas denúncias nes- Urandir e também fazendeiro Lúcio
necticut, que os pilotos dos UFOs têm ta revista, porém sempre a respeito de Valério Barbosa. Lúcio, que necessita
forma humanóide. “Mas tais seres não suas fraudes no campo ufológico. atravessar o rio para chegar à sua pro-
se parecem com nenhuma raça da Terra. O desacreditado paranormal e as- priedade, teve seu acesso impedido
Isso é muito alarmante”. sumido contatado, já flagrado várias com a elevação do nível do Rio São Je-
Mitchell afirmou também que exis- vezes realizando truques de mágica rônimo. Tal manancial deságua no
tem muitos militares e pessoal ligados às para simular diálogos com alieníge- Rio Taboco, que forma parte da bacia
agências de Inteligência dos EUA dis- nas, construiu uma barragem ilegal so- pantaneira. Todo o sistema fica com-
postos a virem a público a qualquer mo- bre o Rio São Jerônimo, que dá acesso prometido com a construção da barra-
mento sobre o assunto. “Estas pessoas à sua fazenda, onde instalou o chama- gem, o que evidencia o completo des-
estão convencidas e algumas até têm pro- do Projeto Portal. Tal ato causou o respeito do suposto contatado para
vas de que o governo norte-americano imediato alagamento de áreas próxi- com a natureza – a mesma que ele ale-
vem escondendo a verdade sobre os dis- mas com a elevação do nível do rio. ga defender em seu projeto.
cos voadores por mais de 50 anos. Mas
muitas delas estão sob juramento e têm
receio de falar a verdade”, completou.
O astronauta goza de uma sólida reputa- A mesma equipe de ufólogos Cerca de 70% dos grupos bra-
ção nos meios ufológicos, científicos e que realizou o I Fórum Mundial sileiros de pesquisas ufológi-
militares dos EUA, e a empregou para ga- de Ufologia, em Brasília, de 7 a cas funcionam informalmen-
rantir que o objeto acidentado em Ros-
well, em 1947, era realmente uma nave 14 de dezembro de 1997, pre- te, sem registro civil. Mas já
extraterrestre. Como se houvesse algu- para-se para realizar a segun- foi pior: há 10 anos, eram 90%
ma dúvida a respeito... da edição, no fim deste ano. os grupos nestas condições.

Fevereiro 99 11
UFOsvistos
vistos
emem Singapura
Singapura Naveé visto
UFO é vista por centenas
por centenas Disco voador deslumbra
UFO deslumbra
durante chuva
durante chuva de meteoros
de meteoros de
depessoas
pessoasna Argentina
na Argentina multidão
multidão nana Índia
Índia

Em 18 de novembro, às 03:25 h, Na noite de 5 de novembro, um Em 11 de novembro, aproxima-


várias testemunhas relataram ter UFO apareceu sobre três cidades damente às 17:30 h, Gaurav Ha-
visto UFOs em Singapura. Simon e sua ir- argentinas. O objeto cruzou o céu nas pro- mish, membros de sua família e alguns
mã Joanna estavam em um campo da Hill víncias de Neuquén e de Rio Negro na- vizinhos – incluindo seu professor da fa-
View Avenue, no centro da cidade, obser- quela noite, de acordo com o depoimento culdade –, estavam em Malad Evershi-
vando a chuva de meteoros, quando vi- de numerosas testemunhas nas referidas ne Nagar, um subúrbio à oeste de Bom-
ram o fenômeno. “Após termos acompa- cidades. O objeto pôde ser visto também baim, quando todos observaram um
nhado os meteoros, notamos um que era por moradores de Cipolletti e General Ro- UFO muito brilhante no céu. Gaurav dis-
bem estranho. ca, na região do se que “a estranha luz chamou minha
Ele permane- Alto Valle, Rio atenção porque brilhava atrás de algu-
ceu no céu por Colorado e de mas nuvens, tal como o Sol”. O brilho do
uns 4 segundos Viedma. Até na objeto tinha muita intensidade. Seu ta-
e brilhava mui- Patagônia hou- manho era considerável e estava quase a
to, parecendo ve registros de pino no céu. “O UFO poderia ser com-
que estava des- observações. parado a um grande espelho no céu, re-
cendo”, afir- Na cidade de fletindo os raios do Sol”, complemen-
mou Simon. Carmen de Pata- tou. Gaurav disse ainda que uma multi-
Segundo os gones o UFO foi dão nas ruas observou o UFO até às
Arquivo UFO

irmãos, o objeto visto viajando 07:00 h da manhã do dia seguinte.


era de cor laran- de nordeste à su-
ja escuro, tinha a deste.
forma arredon- CRESCERAM mundialmente os relatos de ob- José Luis Caça
Caça aajato
jato intercepta
intercepta objetoobjeto
dada e desapare- servações de UFOs durante o ano passado Mazzone, um não identificado
não identificado na China
na China
ceu antes que Si- oficial da cidade
mon pudesse pegar seus binóculos. “Foi de Villa Chocsin, disse ter visto o fenôme- Em 19 de outubro, quatro esta-
muito estranho, pois os meteoros dura- no pairando sobre o Lago Ramos Mexia e ções militares na província de
vam uns 2 segundos e aquela luz laranja o descreveu como sendo uma esfera de fo- Hubei, China, relataram a presença de
vinha de onde os bólidos apareciam, mas go com uma cauda, que ficou por vários um blip não identificado em seus rada-
não era tão brilhante e desapareceu na es- minutos no horizonte. Em Rio Negro, vá- res. Um objeto desconhecido estava so-
curidão”, disse Joanna. Noutra parte de rios policiais alegaram ter registrado o ob- brevoando uma escola militar de treina-
Singapura, testemunhas observaram uma jeto ao longo da rodovia. Na ponte sobre o mento aéreo em Xangzhou naquele ins-
esfera cinzenta. Rennie relatou que ele, Rio Homenimi, testemunhas disseram tante. Assim que as autoridades deter-
sua esposa e filhos estavam em East Coast que o UFO tinha uma cor azulada muito minaram que o intruso não era avião mi-
Beach, às 03:15 h, quando viram um UFO forte e que mudava para o amarelo. De litar ou civil, o coronel Li, comandante
não muito brilhante, que se movia da es- acordo com os relatos, parece que o objeto da base, ordenou que um jato Jianjiao 6
querda para a direita em uma linha reta. foi visto entre 21:15 e 21:30 h. fosse enviado para interceptar o UFO.
Quando os tripulantes do caça subi-
ram para 4.400 m, o objeto abruptamente
se elevou, evitando que o jato se aproxi-
Navios
Naviosdisparam contra
disparam UFO no
contra UFOSri Lanka
no Sri Lanka masse. “O objeto parecia que estava
brincando com o avião: sumia e reapa-
Na noite de 18 de novembro, diversos navios de guerra da Marinha do Sri recia por cima dele”, disse um dos tripu-
Lanka abriram fogo contra supostos UFOs que sobrevoavam o Oceano lantes. Vendo ser impossível alcançar o
Índico, na região de Point Pedro, costa norte do país. De acordo com o jornal Hin- UFO, o piloto pediu permissão à torre pa-
du Times, “ainda permanece um mistério a identidade da aeronave desconheci- ra atirar, mas teve o pedido negado, e lo-
da detectada na região. Não se sabe qual seria o tipo de aparelho voador obser- go após pararam de perseguí-lo, pois o
vado, nem seu propósito ou origem”. O brigadeiro Sunil Tenakkoon, porta-voz combustível começou a faltar. Foi nesse
militar da Marinha, disse que, embora as luzes não fossem conhecidas, ainda não instante que o UFO desapareceu. O obje-
existe prova definitiva de que possa vir a ser um UFO. “Logo, sem tal conclusão, to foi avistado por cerca de 140 pessoas
não é possível afirmar se se tratava de um avião, um helicóptero ou um objeto voa- que o descreveram como tendo forma de
dor não identificado”, disse Tenakkoon. Todos os avistamentos ocorreram à noi- cogumelo, com uma cúpula em cima e
te. Portanto, somente luzes puderam ser vistas. uma base plana rodeada de luzes brilhan-
tes que ficavam piscando.

12 Fevereiro 99
UFO
Discopersegue avião comercial
voador persegue
nos
aviãoEstados Unidos
nos Estados Unidos UFOs brilhantes
Objetos perto de
brilhantes naPuerto
costa Vallarta
do México
Ainda no dia 18 de novembro, Três UFOs luminosos e brancos apareceram às 21:00 h do dia 26 de se-
um UFO foi visto “caçando” um tembro, ao sul da localidade de Las Vegas, no Estado de Nayarit, e perto
avião em plena luz do dia em West Virgi- de Puerto Vallarta, no México. As luzes, exceto por alguns momentos em que pis-
nia. O fato foi testemunhado por várias cavam, eram constantes e ficaram paradas por uns 35 minutos antes de sumirem.
pessoas. Jerry F. e sua filha estavam em Enquanto iam embora, moveram-se lateralmente e passaram pela costa mexica-
Cross Lanes quando perceberam um bri- na por mais 5 minutos, quando então desapareceram. Em poucos segundos, sur-
lho estranho no céu. “Minha filha e eu es- giram por alguns instantes perto do local onde foram vistas pela primeira vez.
távamos saindo de casa, aproximada-
mente às 08:00 h, quando vimos aquilo
acontecer”, disse Jerry, que sempre sai a
essa hora para levar a menina à escola e se- UFOs nono
Luzes norte da Austrália
norte da Austrália UFO luminoso
UFO luminosovisto na Eslovênia
visto na Eslovênia
guir para o trabalho. “Quando entrei na
garagem, olhei para o céu para ver um A Austrália continua sendo um Na quinta-feira, 29 de outubro,
avião passando – um Boeing 727. De re- hot spot para observações de às 19:30 h, a rádio eslovena VAL
pente, a uma distância muito pequena de- UFOs, especialmente a parte leste do país, 202 relatou um avistamento ufológico em
le, um disco prateado apareceu, passou Queensland. Em 8 de novembro, às 02:30 Ljubljanska Barje, perto de Ljubljana, ca-
por cima do avião e fez movimentos de h, a senhora Mary Harvey levantou-se da pital do país. De acordo com o repórter da
zig-zag. Enquanto se movia, o Sol refletia cama em sua casa em Alice Springs, norte emissora, “um estranho objeto luminoso
brilho nele, intensamente”, declarou. da Austrália, e foi para fora, quando viu foi visto pairando sobre os pântanos à oes-
Jerry disse ainda que, de repente, sur- uma luz branca muito brilhante no céu. te da nação”. O locutor também infor-
gira um caça a jato da Força Aérea dos Mary disse ao ufólogo australiano Keith mou que uma estação de tevê havia envia-
EUA (USAF), vindo do leste. O avião em Douglas que viu o que parecia ser uma bo- do uma equipe para filmar o objeto, mas
forma de delta foi em direção ao UFO e, la prateada e brilhante. “Observei isso não se sabe ainda do resultado. Segundo
neste momento, o objeto parou de perse- por uma hora, sem que o objeto emitisse testemunhas, o objeto observado era pra-
guir o avião de passageiros, que se distan- ruído algum. teado e brilhava
ciou. O UFO então começou a brilhar mais Aquela coisa fi- muito.

Cortesia Wendelle Stevens/UFO Photo Archives


fortemente e disparou em linha reta para ci- cou quase sobre Alguns dias
ma, sumindo antes do caça alcançá-lo. a minha cabeça, depois, em 1° de
“Eu nunca vi nada igual a isso antes”. quando então novembro, dois
subiu em linha homens na mes-
reta e desapare- ma área viram
Disco triangular
UFO triangular é é ceu”, declarou. uma bola de fo-
avistado
avistado nana Colômbia
Colômbia Alguns dias go brilhante de-
depois, num sá- saparecer atrás
Em 14 de novembro, às 23:00 h, bado à noite, 14 de um morro.
um UFO descrito como sendo de novembro, às Eles disseram
azulado e tendo formato triangular foi vis- 19:40 h, várias ter visto o objeto
to sobre a cidade de Riohacha, na Colôm- testemunhas de EM 1998, avistamentos de UFOs foram re- apenas por al-
bia. O fenômeno foi testemunhado por Breakfast Cre- gistrados em mais de 150 países do globo guns instantes,
muita gente, embora estivesse chovendo. ek, em Brisba- mas o suficiente
O objeto podia ser visto claramente a uma ne, viram duas luzes brilhantes lado a lado para perceber que era quase duas vezes o
altitude de cerca de mil metros, numa tra- no céu. Tinham cor branca e eram do tama- tamanho da Lua. O país vive momentos
jetória controlada. A testemunha J.C.M. nho de uma moeda de 5 centavos, vista à de agitação ufológica, e não longe dali, no
relatou que o objeto era diferente dos mete- distância. “Num dado momento, uma luz outro lado do Mar Adriático, toda a costa
oros observados durante a chuva que ocor- pareceu cruzar-se sobre a outra, e então leste da Itália também tem registrado fenô-
rera na mesma semana. Em um outro inci- ambas desapareceram”, disse John, uma menos. Próximo de Ravenna, um esqua-
dente recente no país, perto de mesma lo- das testemunhas. Ainda perto de Brisbane, drão de UFOs foi avistado no dia 18 de no-
calidade, um objeto foi visto ao pé da Sier- em 8 de novembro, às 03:35 h, Anthony vembro passado. Diversos moradores da
ra Nevada. O UFO pairou a baixa altitude Tinnis estava dirigindo pela Rodovia Bru- localidade de Conselice, durante a chuva
por um bom tempo. Era muito brilhante, ce, em Strathpine, quando viu um objeto de meteoros, observaram as naves cruza-
de cor azul, mas de repente acelerou e su- não identificado. O UFO tinha a cor cinza rem o céu. Por volta das 21:30 h, três jo-
miu em alta velocidade. Infelizmente, não metálico e tons em azul fluorescente, com vens notaram um grupo de esferas que via-
foi feito nenhum registro fotográfico. forma arredondada e um aro ao redor dele. java do norte para o sul.

Fevereiro 99 13
Contatos

Comunicação telepática entre


humanos e extraterrestres

Sabe-se que os abduzidos


são tratados telepaticamente
a bordo de discos voadores,
mas de que maneira tal
comunicação é estabelecida?

Dr. David Jacobs, Ph.D.

A
Ufologia já documentou fartamente que humanos, quando levados para
bordo de UFOs, se comunicam com os ETs por telepatia. Não se sabe exa-
tamente como se dá tal processo. E embora não seja habitual entre os ter-
restres, parece ser o vigente entre nossos visitantes. Tais seres parecem ter mais
versatilidade para se comunicar conosco quando usam telepatia, em vez de
comunicação falada. Possuem bocas, mas estas não são usadas para a criação
do som e ficam quase sempre fechadas.
Também não existem evidências de que os extraterrestres possuam orga-
nismos para a produção do som – tais como cordas vocais. Por outro lado,
embora os abduzidos sempre vejam um pequeno orifício no lugar onde deveri-
am existir os ouvidos dos alienígenas, estes aparentemente não servem para a
Jamil Vila Nova

audição. Também apuraram os especialistas em abduções que os tais seres não


possuem um sistema respiratório pelo simples motivo de que nunca tenham
demonstrado aos abduzidos possuir respiração definida. Sem órgãos auditivos

14 Fevereiro 99 ufo
e de produção sonora, não se sabe o quanto é “recebido” diretamente em sua mente, municação alienígena, mas sim para tradu-
podem escutar e, conseqüentemente, falar como ordens que vêm de alguém. Outro zi-la ao pesquisador com todos os detalhes,
– embora haja a possibilidade desses seres aspecto interessante deste estudo é que a devido à sua distração enquanto conta a con-
possuírem algum tipo de sistema auditivo transmissão telepática é desativada tão versa que teve com seus raptores. Por esse
capaz de captar sons. Por exemplo, quando misteriosamente como é iniciada. Os motivo, usam frases como “alguma coisa
um abduzido cria uma resistência psicoló- abduzidos não relatam os procedimentos assim” ou “palavras desse tipo”, demons-
gica e um distúrbio, isso atrai a atenção dos pelos quais os alienígenas cessam as trando que a imprecisão acontece na fase
alienígenas, mesmo que não estejam olhan- comunicações, mas parece que para as pesquisador-abduzido, não na fase abduzi-
do para suas vítimas. Também, quando um vítimas manterem um contato telepático do-alienígena.
abduzido fala, os alienígenas raptores fre- com esses seres é necessário possuir um
qüentemente se viram e olham para quem artefato neurológico alienígena em seu corpo Objetivos da abdução – Os abduzidos
está falando. Tudo isso indica o uso da tele- – o famoso implante, tão falado na Ufologia. freqüentemente dizem que não se recor-
patia, mas os pesquisadores ainda não são A comunicação entre alienígenas e hu- dam ter utilizado suas vozes como meio de
capazes de dizer se nossos visitantes têm manos é um tema específico e complexo da comunicação, mas em alguns casos a em-
algum senso auditivo ou não. Ufologia. Em nosso trabalho de acompa- pregam para gemer ou gritar. Às vezes as
Embora a telepatia seja um método de nhamento dos abduzidos, quando os ques- utilizam procurando descobrir através de
comunicação, existem boas evidências de tionamos sobre o significado da expressão perguntas aos seus raptores o que lhes acon-
que os extraterrestres possuam também “comunicação telepática”, estes geralmen- tecerá, por quanto tempo continuarão na-
uma cultura de escrita. Como relatado por te dizem que recebem uma “impressão” di- quele lugar e algumas informações sobre o
vários abduzidos que estiveram a bordo de retamente em suas mentes, que automatica- seqüestro e seus objetivos. Quase nunca re-
UFOs, é possível verificar dentro dessas na- mente se converte em palavras. Há também cebem respostas para estas perguntas, e
ves materiais de leitura, tais como livros, pa- relatos de abduzidos de diferentes naciona- quando sim, as mesmas são emitidas sob
péis e outras representações gráficas de lin- lidades que passaram pelo mesmo proces- forma telepática. A conversação pode ser di-
guagem. Também podem ser vistos símbo- so, demonstrando que os alienígenas têm a reta ou paliativa.
los nas paredes e em equipamentos de con- capacidade de traduzir uma mensagem tele- Dentro dos procedimentos de abdução,
trole do veículo. Deste modo, embora não pática para o idioma que a vítima fala. Na os seres pedem às suas vítimas para que ti-
possamos saber de tudo o que ocorre numa maioria das vezes, o seqüestrado não tem rem suas roupas, as conduzem até uma sala
sociedade alienígena, talvez essas observa- dificulada- ou mesa de aspecto cirúrgico e as fazem se-
ções sejam um tipo de linguagem extrater- des para en- gui-los, anunciando quando é hora de irem
restre sem palavras ou uma certa represen- tender a co- embora. Freqüentemente, os abduzidos são
tação gráfica simbólica, usada como um
meio de comunicação.
Através de diversos estudos sobre tele-
patia realizados durante 30 anos de pesqui-
sa, e com o aumento do nosso conhecimen- Quem é David Jacobs
to sobre a ação de alienígenas na Terra, é Professor Para o estudioso, os extraterrestres
possível fazer algumas pequenas generali-
de História desenvolvem um programa bem espe-
zações e especulações sobre as conseqüên-
Arquivo UFO

Americana cífico na Terra. Há alguns anos, quando


cias da comunicação para a sociedade que
na prestigi- lançou seu livro Secret Life [A Vida Se-
com certeza compõem. E qualquer um que
ada Uni- creta], provocou amplos debates na co-
possua um estudo mais profundo sobre o
versidade munidade ufológica mundial ao revelar
Fenômeno UFO terá que se deparar com a
característica da telepatia como sendo uma de Temple, Filadélfia, David Jacobs é que programa era esse. Tal livro se en-
das mais distinguidas da cultura alienígena. considerado um dos mais bem informa- contra publicado no Brasil, pela Editora
dos estudiosos do fenômeno das abdu- Rosa dos Tempos [Veja nosso encarte].
Como a telepatia é acionada – É
ções em todo o mundo. Após ter traba- No ano passado, Jacobs provocou
desconhecido o modo como a telepatia é lhado pessoalmente com mais de mil ab- mais uma comoção no meio ufológico,
ativada no cérebro. Existe uma pequena duzidos, muitos dos quais tratou sob desta vez intensificando e aprofundan-
evidência de que cada ser humano tenha hipnose, Jacobs considera ter descober- do o debate sobre as razões que levam
uma capacidade pouco explorada para se to a razão pela qual os extraterrestres os ETs a desenvolverem seu projeto.
comunicar telepaticamente. Não se sabe se nos visitam tão insistentemente. Isso ocorreu quando seu novo livro The
a telepatia nos abduzidos pode ser Em sua visão – polêmica porém res- Threat [A Ameaça] foi lançado.
artificialmente estimulada por peitada em todo o mundo – os
Arquivo UFO

manipulações e alterações neurológicas ou alienígenas buscam nos ter-


por implantes colocados em seus cérebros. restres algo que lhes é muito
O que quer que cause o fator determinante precioso: material genético pa-
deste fato, nada impede que a transmissão ra ser usado em processos de
entre humanos e alienígenas seja criação de novas espécies.
acompanhada desde o início das abduções. Sua teoria tem procedência.
Esses seres podem iniciar as comunicações “Em 99% dos casos de abdu-
telepáticas com os abduzidos antes mesmo ção de humanos para bordo
de estarem diante dos mesmos, pois as de UFOs, os raptores os sub-
vítimas dessas experiências relatam que metem a exames médicos e ex-
sempre sabem que têm que se levantar da traem de suas vítimas materi-
sua cama, descer pelas escadas de sua casa, al genético”, explica.
ir para fora e esperar ou fazer algo que lhes

Fevereiro 99 15
alertados para o fato de que não serão ma- pesquisadores. Já a comunicação entre di- ços ou nomes entre si, e tentar verificar su-
chucados, de que não permanecerão lá por versos abduzidos dentro da mesma nave, as experiências mais tarde. Se isso ocorres-
muito tempo e que tudo ficará bem. Embo- seqüestrados em locais diferentes, merece se, o ufólogo teria um subsídio excepcional
ra os seres alienígenas não falem muito so- consideração neste estudo. para trabalhar com seus abduzidos. Mas es-
bre suas metas e propósitos, as conversas Estes abduzidos, quando se encontram tes parecem conscientes de que esquecerão
que ocorrem entre eles e os abduzidos são nas mãos dos mesmos raptores, às vezes do fato ocorrido mais tarde e não lhes ocor-
quase sempre centralizadas nestes assun- com alguma surpresa, geralmente podem rerá a idéia de tentar encontrar a pessoa
tos. É notório que os raptores tentem acal- conversar entre si. A comunicação entre hu- com que conversaram na nave para verifi-
mar suas vítimas, muitas vezes sem suces- manos dentro do UFO pode ser feita por te- car o fato futuramente. Muito disso tem a
so, mas em geral conseguindo o intento atra- lepatia ou pela voz, ou seja: não escolhem ver com o efeito da abdução na memória do
vés de algum tipo de controle da mente. qual meio utilizarão para realizar o proces- abduzido e está além da compreensão atra-
so comunicativo. Há casos registrados e vés de uma pesquisa superficial.
Comunicação entre os aliens – Para pesquisados em que eles articulam a boca
manter o desenvolvimento e o avanço cien- mas, por alguma razão ainda desconhecida, Telepatia indireta – Freqüentemente,
tífico daquilo que os pesquisadores estão simplesmente se fazem entender melhor os abduzidos relatam que conseguem inter-
habituados a chamar de “sociedade aliení- “trocando pensamentos”, numa estrutura ferir na comunicação entre dois ou mais ali-
gena”, a comunicação telepática entre esses comunicativa a qual não estão habituados. enígenas e entre outros humanos com alie-
seres deve ser, pela lógica e necessidade, O investigador então deve estar orientado nígenas. Embora seja difícil para eles pre-
muito precisa. Devem conduzir avançadas para definir se estão conversando por tele- cisar o que estão dizendo, geralmente com-
equações científicas e matemáticas ou con- patia ou pela voz. preendem o contexto da discussão que
ceitos extremamente sofisticados. Exati- Durante essas conversas, o assunto aqueles mantêm – que na maioria das vezes
dão, clareza e flexibilidade devem ser abso- principal dos abduzidos gira em torno de diz respeito ao modo como os seres tratarão
lutamente essenciais para seu sucesso soci- uma solução para que possam fugir do os abduzidos, quais os procedimentos da
al no mundo de onde provêm ou ainda para UFO e de seus algozes. Às vezes procuram próxima etapa de abdução ou os aspectos
executar suas viagens e missões na Terra descobrir o que os alienígenas tentarão fa- psicológicos do raptado. Em alguns casos,
e/ou outros planetas onde atuem. Deste mo- zer com eles. Noutras, um abduzido tenta os humanos podem especificar qual diálo-
do, a comunicação claramente definida en- acalmar o outro ou tranqüilizá-lo dizendo go ocorre entre os seres, demonstrando que
tre esses seres deve ter todos os mesmos que os aliens não o machucarão e o liberta- a comunicação pode ser recebida por todos
pré-requisitos que a língua humana possui, rão em breve. Eles estão na verdade fazen- os abduzidos que estejam por perto. No en-
embora em formato telepático. do o trabalho dos alienígenas, talvez até a tanto, não sabemos se os alienígenas priva-
Somos capazes de entender seus co- seu comando, sem saberem. Ainda perma- tizam suas conversas através de “sussurros
mandos, seus desejos, suas motivações e nece em dúvida se isso ocorre por compai- mentais” ou outros dispositivos, ou se per-
seus procedimentos, mas muitas áreas ain- xão extraterrestre ou humana… mitem que os abduzidos os ouçam mental-
da são um mistério para nossa inteligência Embora esses tipos de conversas pare- mente de propósito. Além desse fato, não
e só podem ser compreendidas através de çam razoáveis, na verdade elas são frus- há evidências de que os abduzidos possam
uma comunicação direta com os abduzidos trantes para o pesquisador, pois muito rara- penetrar nas mentes dos extraterrestres atra-
ou por dedução posterior realizada pelos mente os abduzidos irão trocar seus endere- vés da telepatia – portanto, existem li-

Afinal, os
S
empre que é abordado o tema das filme diferente, O dia em que a Terra pa-
abduções por UFOs, tanto em leitu- rou, com uma imagem de ETs bondosos, do
alienígenas ras quanto em conversas ocasionais
ou entrevistas formais na Imprensa, as per-
tipo pró-religioso, dispostos a acalmar os
infantis terrestres e ensinar-lhes o caminho
são bons guntas que mais recebo são estas: “O se-
nhor acha que os ocupantes dos UFOs são
do bem. Que a presença de extraterrestres
na vida dos abduzidos causa uma grande
bons ou maus?” e “Eles vêm para ajudar quantidade de danos psicológicos, além de
ou maus? ou para causar danos?”. A resposta que
dou para ambos os questionamentos é que
uma quantidade relativamente menor de da-
nos físicos, isso está fora de dúvida. No en-
nunca tive provas que apoiassem a idéia de tanto, tais danos parecem ser um subprodu-
que os extraterrestres sejam maus, inimi- to não intencional de seus próprios progra-
A principal gos maléficos ou seres propensos à destrui- mas de investigação de nossa Humanidade.
preocupação da ção e à conquista da Terra ou da Humanida- Também é verdade que tais seres têm
de. O filme Independence Day, em minha ocasionado vários benefícios na vida de al-
Ufologia ainda é opinião, foi apenas mais uma produção de guns abduzidos, e isso talvez possa ser atri-
definir se os ETs Hollywood, dessas que misturam os mons- buído à aceitação e à força espiritual dessas
tros tradicionais com a idéia de super cien- pessoas. A capacidade de superação do trau-
representam algum tistas, porém super repelentes. ma e a habilidade de aprendizagem através
perigo ou se são Mas por outro lado, também não tenho de experiências desagradáveis é um talento
provas de que os ocupantes dos UFOs se- precioso inerente aos seres terrestres. Nin-
amistosos jam seres essencialmente benignos, que guém pode abordar melhor este ponto do
vêm à Terra para nos ensinar a maneira de que uma pessoa que tenha vivido pessoal-
nos amarmos uns aos outros ou cuidarmos mente uma experiência de abdução por se-
Budd Hopkins de nosso meio ambiente. Neste caso, há um res extraterrestres. Em particular, apresento

16 Fevereiro 99
mites nas habilidades demonstradas tão o que conhecemos como liberda-
por humanos. Mas há evidências que de de pensamento simplesmente desa-
sugerem que o contrário pode ser ver- pareceria. Embora isso possa ser con-
dade, ou seja, os alienígenas enten- siderado terrível nas sociedades de-
dem perfeitamente o que os raptados mocráticas, poderia ser uma norma
estão pensando, o tempo todo. vigente numa sociedade alienígena.
Por exemplo, quando uma abdu- Suas conseqüências seriam enormes.
zida foi forçada a segurar um bebê hí- Individualidade e singularidade desa-
brido a bordo de uma nave, num caso pareceriam. As características espe-
que investigamos, ela ameaçou jogá- ciais de Psicologia, roupas, afeto e ex-
lo ao chão, mas os aliens sabiam que pressão – que são tão importantes para
ela não faria isso e, portanto, nem de- a individualidade humana –, poderiam
ram atenção à sua revolta. Noutro ser bem menores numa sociedade em
exemplo, quando um abduzido se que a característica própria do indiví-
preocupa com um membro de sua fa- duo é questão secundária sobre as ne-
mília que também foi raptado com cessidades de todos.
ele no mesmo UFO, os aliens irão di- Na prisão e outras instituições,
zer-lhe que nada acontecerá, mesmo por exemplo, a identidade é sistema-
que o abduzido não revele seu medo ticamente extraída dos membros (de-
interior. Portanto, tais seres parecem tentos) para que possam ser controla-

Dossier Alieni
ter mais poderes de comunicação te- dos por pessoas que os moldam da
lepática do que os abduzidos e os con- maneira que querem. Numa socieda-
trolam aberta e completamente. de alienígena, isso não seria necessá-
As conseqüências da comunica- rio pois os habitantes nasceriam me-
ção telepática entre alienígenas é um ponto MUITAS VEZES os extraterrestres se lhores do que numa cultura privada, como a
de grande interesse dentro da questão ufo- utilizam de aparelhos especiais para nossa. Sua identidade seria refletida primei-
lógica. As evidências que temos até hoje de- comunicar-se com os abduzidos ramente pelas tarefas que realizariam den-
monstram dois possíveis padrões para a ca- tro deste grupo. A necessidade da identida-
racterização da sociedade alienígena. O pri- alienígenas, enquanto tem lógica e racio- de parece ser a causa primordial para que os
meiro é baseado na idéia da telepatia total, nalidade em comum com as ações huma- conhecidos greys [seres cinzas] não tenham
em que todos os pensamentos podem ser nas, deveria por necessidade ser profunda- nome ou características pessoais que os dife-
monitorados por outros seres. O segundo é mente diferente. Por exemplo, através dos renciem entre si. Eles se parecem, se vestem
baseado na telepatia limitada, na qual so- pensamentos telepáticos o conceito de pri- e agem exatamente igual entre si e, princi-
mente pensamentos selecionados podem vacidade seria diverso daquele entre os hu- palmente, pensam da mesma forma que se-
ser monitorados por nossos visitantes. manos. us companheiros. Parecem ter certas ativi-
Segundo o primeiro padrão, aquele que Como resultado, nesse tipo de instituição dades que os deixam individualmente satis-
denota a totalidade da ação telepática dos um ser seria forçado a dividir todas as suas feitos – quando brincam com os abdu-

ao leitor o caso da jovem que escreveu o tex- errado, bom ou mau, não planeta. O que teríamos
to a seguir. Ela é uma psicoterapêuta, mãe pode ser adaptado de algu- a ganhar desses seres,
de família e reside na cidade de Nova York. ma forma para eles. senão a compreensão
Passou por terríveis momentos nas mãos de “São muito diferentes de de nossa própria natu-
alienígenas e soube como resistir aos trau- nós, não apenas fisicamente reza como uma espécie,
mas sofridos. Tenho admiração por sua cla- mas também em sua com- usando-os como uma
reza, ressonância espiritual e uma grande preensão, motivos, metas e forma de comparação?
gratidão pela comovente eloqüência de su- objetivos. São preparados A minha curiosidade
as palavras. para trabalhar a partir de acerca deles é dividida,
um conjunto de crenças ou assim como é o meu des-
Arquivo UFO

necessidades que não pode- gosto, confusão e temor.


Nós
Nós terrenos
Terrenos
mos entender. Os extrater- “Mas o que decidi
“Nós, terrenos, temos posse, talvez devi- restres não vão nos ensinar em minha vida e repito
do à nossa biologia, de uma qualidade hu- como amar nossos amigos todos os dias é que, de-
BUDD HOPKINS, autor do
manitária inata que muitas vezes é traduzi- humanos ou como ajudar pois de conhecer os ali-
livro Intruders, um dos
da por um profundo apego espiritual. Esta nosso planeta. Não acredito enígenas de perto e pas-
maiores bestsellers
é a base do nosso senso moral, dos senti- que tenham o grande poder sar por suas mãos, eu
sobre Ufologia
mentos de proteção, afinidade, amor e res- de resgate que alguns dese- própria desejo mergu-
ponsabilidade que temos pelo próximo, se- jariam. Creio que são ape- lhar no meu humanis-
ja por uma criança ou mesmo pelo planeta. nas seres com um conjunto de princípios di- mo, no meu cuidado com os outros se-
De minhas experiências com extraterres- ferentes, atuando na Terra. res humanos, na preservação da vida
tres fui levada a acreditar que, na totalida- “Portanto, temos que assumir a res- no nosso planeta e no zelo para com a
de, seus paradigmas são radicalmente dife- ponsabilidade por nós mesmos e por cada própria Terra. Talvez essa seja a ver-
rentes dos nossos e que o sentido de certo e um de nossos semelhantes que vivem nesse dadeira lição a aprender”.

Tradução de Mário Fontão, da Equipe UFO

Fevereiro 99 17
zidos, empenham-se em diálogos pessoais desconhecido o grau em que esses seres po- um abduzido invade a mente de um aliení-
e fazem perguntas. Toda a atividade de per- dem aplicar e manipular a telepatia, mas o gena, também pode sentir seu comporta-
sonalidade e individualidade desses seres é método de comunicação sugere uma mu- mento emocional. Embora seja possível
dirigida com o objetivo da abdução, de mo- dança mais profunda nas diferenças entre a que a telepatia restrinja as emoções que pos-
do clínico e imparcial. sociedade humana e a alienígena. sam ser transmitidas e/ou recebidas desses
Por causa da singularidade, da indivi- Na sociedade humana, muito da quali- seres, as evidências sugerem que os aliens
dualidade e do senso próprio das pessoas, dade de vida é dependente do mecanismo não possuem uma vida emocional muito in-
uma mentalidade generalizada seria consi- de audição. Numa sociedade baseada na te- tensa. Podem ter prazer, mas não se sentem
derada uma função potencial e tornar-se-ia lepatia, por exemplo, os alienígenas não te- extremamente felizes. Podem ficar irrita-
até mais importante do que a criatividade e riam perdido sua habilidade auditiva, mas dos, mas não extremamente furiosos. Po-
a iniciativa humanas. Os interesses do gru- provavelmente desenvolveram capacida- dem até gostar de outros companheiros,
po passariam a ser mais importantes do que des comunicativas telepáticas como parte mas não amá-los.
os individuais, como os dos aliens que são normal da sua evolução genética. Assim,
mais públicos e menos privados do que uma sociedade surda não teria o benefício Mundo insensível – Com um campo
nós. Portanto, o governo ou a hierarquia da do mundo estético que existe com a audi- restrito de emoções – acompanhado da fal-
autoridade vigente viria a ser superior, com ção. Toda a música e dança – que enchem a ta de audição, barulho, narizes ou bocas –,
o indivíduo subordinado às necessidades nossa vida de várias maneiras – e as mais uma sociedade extraterrestre seria um pou-
do grupo e não às suas próprias. Nessa at- importantes formas de arte não existiriam co menos colorida do que a nossa. Pode-
mosfera, os pensamentos pessoais seriam numa sociedade telepática. Isso significa mos até especular que a intensidade de emo-
opostos aos do grupo e os pontos de vista também que os alienígenas não poderiam ções, baseada na interação dos alienígenas,
poderiam ser até impensáveis. ter senso estético geneticamente determi- seria limitada. Sua habilidade em apreciar
Os seres extraterrestres, segundo nos- nado ou emoções profundas satisfeitas por atividades culturais baseadas na interação
sas investigações, teriam uma pequena ou de sensos e emoções (arte, estética e o mun-
quase nenhuma habilidade para serem re- do do entretenimento) pode ser também de-
beldes quanto ao grupo, ou fazerem algo Abduzidos levados de finida e limitada. Deste modo, os aspectos
contra a sociedade a qual pertencem. Sub- locais e em condições da sociedade humana que geram prazer –
missão e verdade absoluta passariam a ser tais como uma risada, uma vibração positi-
as normas consideráveis. Se isso ocorresse
diferentes podem, va, entusiasmo etc – podem ser incompre-
na sociedade terrestre, tal fato permitiria à dentro de um UFO, ensíveis ou até inexistentes para estes seres.
Humanidade proceder pacífica e harmoni- conversar entre si. Neste mundo insensível, a estrutura social
osamente, sem que os sentimentos dos ou- seria exaltada mas teria menos vida do que
tros fossem feridos ou violados. A comunicação entre na sociedade humana, e talvez fosse muito
Um segundo cenário envolvendo a tele- humanos a bordo de menos interessante e estimulante do que a
patia sugere que a sociedade dos ETs possa nossa. Sem alegria, raiva e amor, é incerto
ser baseada na moderação ou telepatia par-
uma nave se dá tanto se eles apreciam o mundo estético.
cial. Neste caso, é provável que os alieníge- por telepatia quanto Numa sociedade baseada na telepatia e
nas tenham mais controle de suas habilida- com o uso da voz. De num limite emocional restrito, pode ser difí-
des, pois seria difícil imaginar todo o pen- cil experimentar o que chamamos de amor.
samento “aberto” para qualquer pessoa. alguma forma, parece Sem o senso do amor próprio que vem da in-
Existem reações que sugerem que esse tipo que os ETs estipulam dividualidade, os alienígenas podem ter
de comunicação não é essencial para a so- uma capacidade pequena de possuir esse
brevivência do grupo. Por exemplo, o baru-
como deve ser o sentimento. Certamente têm a habilidade de
lho feito pela reflexão de outros seres pode- mecanismo de diálogo deduzi-lo nos abduzidos através de estímu-
ria atrapalhar uma dada comunicação. É im- los dos neurônios – e essas vítimas freqüen-
perativo e necessário que os alienígenas te- notas rítmicas e melodias produzidas por temente cometem o erro de achar que isso é
nham um mecanismo que ligue e desligue tons e batidas. É importante entender que o recíproco. Sabe-se que em naves para onde
suas habilidades telepáticas, ou ao menos visual normal desses seres sugere a surdez abduzidos são levados existem pelo menos
as aumentem ou diminuam quando preci- e a audição na comunicação telepática. dois tipos de seres, um mais alto e seme-
sem ou queiram. Sem a habilidade crítica Ao contrário dos humanos, que geral- lhante aos humanos, e os mais baixos, cin-
para filtrar o que não é desejado, a agilidade mente gesticulam para se expressar, os alie- zas e de cabeça grande. Em geral, são os pri-
para formular tarefas corretas e eficientes nígenas não utilizam suas mãos para expri- meiros que mandam em todas as operações
seria impedida. mir algo: simplesmente usam expressões realizadas, sendo que os greys parecem obe-
vagas e tênues que os humanos também po- decê-los como operários eficientes.
Penetração de mentes – Todavia, a dem usar. Cinismo, ironia, sarcasmo e dra- Embora os seres mais altos, mais pare-
habilidade de penetrar nas mentes de outros ma parecem ser emoções limitadas para os cidos com os humanos, possam mostrar um
seres ou interferir em seus pensamentos, em alienígenas, e a expressão de uma comuni- certo senso de amizade ou até parecer gos-
qualquer nível, mudaria automaticamente o cação através dos movimentos faciais é qua- tar de seus abduzidos, existem poucas evi-
conceito de privacidade numa sociedade ex- se inexistente. Os abduzidos relatam não dências de que sejam capazes de amar da
traterrestre telepática. Embora os alieníge- ter jamais observado o uso de linguagem forma humana. Não tendo essa habilidade,
nas tivessem uma vida interior mais priva- corporal por parte de seus raptores, embora mais uma vez fica evidente que não gozam
da, seu senso e habilidade de expressão indi- essa característica possa ter sido incorpora- do sentido de amor próprio como os ho-
vidual seriam comprometidos. Qualquer da em suas transmissões telepáticas sem mens. Sua inabilidade para amar também
que seja o grau de telepatia, tais mudanças que pudessem perceber. sugere que o seu sentimento de moralidade
contribuiriam ativamente para uma socie- A telepatia e a vida emocional alieníge- e consciência pode ser muito diferente. Isso
dade mais comum e menos individual. É na também merecem uma análise. Quando demonstra certa deficiência de atributos de

18 Fevereiro 99
personalidade, especialmente grama de reprodução. Por essa ra-
nos seres menores, os greys, e a zão, os alienígenas tentam sempre
cooperação firme que desen- solucionar o problema usando re-
volvem entre si. Tal fato tam- cursos psicológicos.
bém permite que sua aparente Após um caso de abdução, as ví-
ética ou moral desapareça quan- timas descrevem uma situação na
do abduzem uma pessoa contra qual sentem que ainda têm poderes
sua vontade, num ato de agres- telepáticos que parecem persistir
são. Para eles, parece que os por uma semana ou duas após a ex-
fins justificam os meios e o con- periência. Eles relatam que são capa-
ceito de consciência não pare- zes de “ler” a mente de outras pes-
ce muito importante em suas soas e saber o que estão pensando.
atividades de abdução. Embora experiências em laborató-
Os alienígenas também pos- rio com abduzidos nessas condições
suem o sentido da visão, mas é ainda não tenham sido feitas, e por
difícil avaliar – e até duvidoso essa razão suas habilidades foram
– se possuem também alguma desconsideradas, uma quantidade
forma de arte baseada nela. Tal- suficiente deles afirma que os pes-
vez isso seja a explicação por- quisadores deveriam prestar aten-

Claudio Aboy/Conosca Mas


que peças de decoração como ção nestas capacidades telepáticas,
quadros, pinturas e desenhos pois as vítimas sempre ficam per-
quase nunca são vistos a bordo turbadas e algumas vezes até ame-
de UFOs. Cores fortes, que cau- drontadas com tais poderes e não
sam reações emocionais nos querem saber o que os outros estão
humanos, são quase inexisten- pensando. Elas relatam que após al-
tes dentro destas naves. Além gumas semanas essas habilidades
disso, os abduzidos relatam desaparecem.
pouquíssimo sentido de estéti- Disso tudo que vimos acima, e com
ca em seu interior. Os quartos, base num intenso programa de in-
as salas, os equipamentos, corredores e a seres híbridos, ou seja, aqueles resultantes vestigação, concluímos que os alienígenas
maior parte dos aparelhos dentro de discos do cruzamento de abduzidos com extrater- possuem uma sociedade que é baseada em
voadores são apenas e exatamente funcio- restres, seguindo um experimento de pro- diferentes determinantes, bem diversas das
nais, clínicos e desprovidos de expressões criação que parece ser o verdadeiro centro humanas. Tal sociedade parece ser grupal e
artísticas. Os pequenos greys e a maioria das atividades extraterrestres em nosso pla- ter um trabalho orientado. É uma sociedade
dos seres mais altos se vestem identica- neta. É extremamente significante que os sem cores, literalmente: tem menos diver-
mente entre si (se é que vestem alguma coi- híbridos pareçam ser a ponte que liga os ali- sões, entretenimento e conteúdo estético do
sa), e parece que moda é um conceito não enígenas aos humanos na aparência física e que a humana.
muito importante para eles… na forma de comunicação. Enquanto os hí-
bridos que se parecem mais com extrater- Respostas definitivas – Os extrater-
restres se comunicam por telepatia, os que restres que nos visitam tão insistentemente
Procedimentos neurológicos – Isso se assemelham mais aos humanos podem moldam sua vida a uma rotina de serviços e
nos leva a concluir que seu pouco sentido falar verbalmente, além de também se co- trabalhos no qual o aspecto individual é su-
estético os induz a ver que o mundo da arte municar por telepatia. Quando falam com a bordinado ao senso coletivo. Privacidade e
e do design humanos não são de seu conhe- boca, são mais expressivos do que os ou- expressão individual são praticamente ine-
cimento ou não são entendidos por esses se- tros alienígenas, embora não se saiba o por- xistentes ou fortemente reprimidas num am-
res. O conhecimento completo da Psicolo- quê deles terem a aparência e as habilida- biente assim. A telepatia ao mesmo tempo
gia humana também pode estar além da seu des de comunicação mais parecidas com as isola e aproxima os alienígenas em modos
entendimento. Eles talvez possam ficar humanas. diferentes dos membros da Humanidade
sempre à par disso, compreender algo da Os híbridos que vivem numa sociedade terrestre. Em sua sociedade, os humanos po-
motivação humana, mas sem saber de ver- dominada pelos aliens possuem suas vidas deriam sentir-se como os próprios alieníge-
dade o seu significado. Isso não quer dizer ditadas pela cultura dominante. Entretanto, nas. É claro que a qualidade de vida desses
que não possam usar a emoção humana pa- os abduzidos descreveram ter presenciado seres e a forma de sua instituição como um
ra seus próprios propósitos e benefícios, co- brigas e desavenças entre os alienígenas e todo é formada por regras delineadas pela
mo têm feito efetivamente em seus proce- os híbridos, atos que refletem as diferenças telepatia, que a nós só cabe especular e
dimentos neurológicos e de visualização. entre uma sociedade com mais habilidades aguardar que o tempo dê respostas definiti-
O mundo do entretenimento, dos espor- de audição e muito mais sentimentos. Qual vas às nossas perguntas.
tes ou qualquer outra área que dependa de será o resultado final desta mistura de ex-
fortes emoções talvez não exista para os ex- traterrestres ainda desconhecida?
traterrestres. Sua sociedade é provavel- Num caso de abdução específico que David M. Jacobs, Ph.D., é professor de
mente insensível e centralizada no traba- investigamos, um alienígena disse a um ab- História da Universidade de Temple, na
lho, na obediência e no sentido de grupo. duzido que tinha dificuldades em controlar Filadélfia, e diretor do International Center
Os entretenimentos e a música, que são ba- os híbridos por causa dos seus sentimentos for Abduction Research. Seu endereço é:
seados na audição, seriam inexistentes. e isso constituía um sério problema para 607 E. Gravers L.A., Wyndmoor, PA 19038.
Outro ponto importante de discussão eles. Disse-lhe também que não sabia que Estados Unidos. Este texto foi traduzido por
diz respeito a telepatia entre os chamados isso iria acontecer quando iniciou seu pro- Thiago Luiz Ticchetti, da Equipe UFO.

Fevereiro 99 19
20 Fevereiro 99
Fevereiro 99 21
22 Fevereiro 99
Fevereiro 99 23
24 Fevereiro 99
Fevereiro 99 25
22 Fevereiro 99
Fenômeno

Mulher é seqüestrada por ETs


e desenvolve paranormalidade
Uma abduzida de Valença, no interior do Rio de Janeiro, recebe de
seres alienígenas o dom de perceber doenças em pessoas
Marco Antonio Petit, co-editor

O
Estado do Rio de Janeiro, apesar de Minutos depois, Raquel parou e, ao sária a realização de uma hipnose para que
ser um dos menores de nosso país, olhar para trás e para o alto, em direção às possamos ter uma idéia mais completa de
sempre foi responsável por uma montanhas, notou a presença de um objeto tudo que aconteceu durante aquela noite.
expressiva parcela da casuística ufológica voador de forma oval que emitia uma in- Na mesma época em que ela teve suas expe-
nacional. Desde que o jornalista João Mar- tensa luz de cor rosa. A testemunha ficou co- riências com UFOs, estavam sendo regis-
tins e o fotógrafo Ed Keffel voltaram da mo que hipnotizada olhando para o objeto, tradas várias observações em uma fazenda
Barra da Tijuca com polêmicas fotos sobre e apesar de ser inverno e estar muito frio, situada a poucos quilômetros da parte urba-
o assunto, documentando um disco voador Raquel começou a suar muito. Ela teve a na da cidade de Valença. A principal teste-
nos céus da cidade, a presença de UFOs e sensação de que estava sendo sugada pelo munha destes fatos é a médica Maria José
seus tripulantes tem sido marcante neste aparelho. Segundo narrou, “era como se o Carlos de Freitas, proprietária da fazenda.
Estado, sendo que um dos municípios mais mundo tivesse parado. Parecia existir ape- As primeiras experiências registradas na-
ricos em manifestações ufológicas é sem quele local aconteceram em 1992, quando
nas eu e o UFO”. A enfermeira não se re-
dúvidas Valença, a cerca de 200 km da
corda de ter visto o objeto partir. Depois de uma estranha luz de cor amarela que brilha-
cidade do Rio de Janeiro. As visitas de
UFOs àquela cidade, nos últimos anos, têm um tempo, que não sabe precisar, retornou va como ouro foi vista por Maria José du-
sido tão significativas que foi fundado um à sua casa e tomou um banho. Sem enten- rante várias noites, sobre o terreno situado
grupo de pesquisas para acompanhar e der por que, Raquel, embora se consideran- atrás de sua casa. Mas foi na noite do dia 21
investigar os fenômenos, o Grupo de do uma pessoa temerosa, resolveu voltar so- de junho de 1996 que os fenômenos come-
Estudos Ufológicos de Valença (GEUVA). zinha ao local onde tinha avistado o UFO çaram a ficar mais impressionantes.
Vários de seus membros, inclusive, já naquela mesma noite, mas o objeto já não
tiveram experiências com naves estava mais lá.
extraterrestres. Dois dias depois de sua experiência, a
Em 1996, este autor e o pesquisador Ale- testemunha reparou a presença de um es-
xandre Bomfim, ambos membros da Asso- tranho hematoma na parte interior de VERA LÚCIA:
ciação Fluminense de Estudos Ufológicos um de seus braços. Raquel não se re- poderes
(AFEU), estiveram em Valença a convite da cordava de nada que justificasse a paranormais
diretoria do GEUVA para participar de in- existência daquela marca ali. O após contato
vestigações que já estavam em andamento. hematoma ficou visível por du- com aliens
Nesta ocasião, pudemos constatar quão im- as semanas, até que desapare-
pressionante é a casuística local. Um dos ca- ceu progressivamente. Duran-
sos mais extraordinários que nos foi narrado te os dias seguintes à sua expe-
ocorreu poucos meses antes de nossa visita, riência, a enfermeira passou a
com a enfermeira Raquel Alves Marques. acordar no meio da noite e sen-
No dia da experiência, a testemunha havia tir dificuldade em voltar a dormir.
chegado em sua residência no final da tarde Esses sintomas nos fizeram questionar
e sentiu, pouco tempo depois, uma vontade se ela teria vivido algo mais que sua memó-
incompreensível de voltar a sair para dar ria não teria registrado? Poucas semanas de-
uma volta pelo bairro onde mora, como se pois, Raquel voltou a avistar um UFO du-
estivesse sob interferência de uma “outra rante uma viagem entre as cidades de Três
vontade”. Apesar de suas filhas terem insis- Rios e Valença, também no Rio de Janeiro.
tido muito para acompanhá-la, Raquel não O fato aconteceu nas proximidades da loca-
Arquivo UFO

permitiu e acabou saindo realmente sozi- lidade conhecida como Rio das Flores e,
nha. Depois de andar poucos minutos pelas desta vez, seu marido e suas filhas também
ruas do local, acabou por entrar na estrada observaram o fenômeno.
que liga Valença à cidade de Rio Preto (RJ). O caso de Raquel apresenta alguns pon-

Fevereiro 99 27
Nesta ocasião, quando chegava à sua ca- em forma de disco emitindo luz vermelha. lógicas sobre a cidade, assim como a atual
sa de carro, a médica notou mais uma vez a Mas desta vez, ao contrário dos casos presidente do grupo, a senhora Suely Made-
presença daquela luz de cor amarela. O ob- anteriores, o UFO apresentou uma ira, que no último dia 31 de agosto obser-
jeto estava pairando sobre o mesmo ponto velocidade bem maior, levando a vou um UFO emitindo uma luz intensa so-
onde já vinha sendo observado desde 1992. testemunha a brincar com o fato – “Eles bre um morro. O objeto era semelhante a
Como seus filhos ficaram com medo, ela en- estavam em meio a uma operação de uma fogueira, mas começou a ganhar altura
trou prontamente em sua residência com emergência”. Nesta mesma noite, as luzes e apresentava movimento vertical. Em da-
eles e depois dirigiu-se sozinha para fora da da casa de uma conhecida sua – que fica a do momento, o UFO alterou sua trajetória e
casa. O UFO começou então a se movi- poucos quilômetros de distância de sua começou a aproximar-se de Suely.
mentar, até posicionar-se bem em frente à propriedade – apresentaram uma forte Casos como esse são comuns no inte-
residência. Pouco depois, ainda naquela variação, justamente na hora em que o
rior do Rio. Quando o UFO aproximou-se
mesma noite, por volta das 23:00 h, Maria aparelho estaria sobrevoando a região, logo
após se afastar da fazenda de Maria José. da presidente do GEUVA, ela chamou sua
José observaria dois objetos de forma dis- sobrinha para também testemunhar a apa-
cóide emitindo uma luz vermelha e sobre- Estivemos com algumas pessoas daquela
localidade, que nos descreveram fenômenos rição. O disco voador chegou a alterar vá-
voando lentamente sua propriedade. Um de-
les chegou a liberar uma espécie de fumaça semelhantes aos observados pela médica. rias vezes sua coloração, apresentando
branca pela parte inferior. Não foi constata- Uma delas nos garantiu que os UFOs muitas um brilho laranja e, em alguns momentos,
do qualquer ruído que pudesse ser atribuído vezes pareciam surgir inicialmente por cima amarelado. Cerca de 10 minutos depois
aos discos voadores, que foram observados das propriedades da região. de começar a ser observado por Suely, o
à curta distância. Mas para a proprietária da fazenda, o fa- objeto foi se afastando até desaparecer em
to mais preocupante desta história foi a mor- profundidade no céu. Uma de suas irmãs,
UFOs causam medo – Na noite do dia te, até hoje sem explicação, de quatro be- além de seu cunhado, também observa-
29 de julho de 1996, a médica teve outro zerros encontrados um ao lado do outro den- ram o UFO. Seu caso é um entre muitos
avistamento importante. Desta vez, ela tro do curral, no início de 1996. Segundo que pudemos constatar em meio à intensa
estava se dirigindo pela estrada que passa Maria José, o veterinário que examinou os casuística ufológica local.
em frente à sua propriedade, quando teve a animais não teria encontrado nada que jus-
oportunidade de observar a mesma luz tificasse sua morte, sugerindo como causa a Vítima de abdução – O relato mais im-
amarela pairando bem acima da casa prin- queda de um raio. A testemunha nos garan- pressionante que ouvimos em Valença, no
cipal de sua fazenda. A médica parou seu tiu, entretanto, que na noite em que os ani- entanto, é o da professora Vera Lúcia Gui-
carro e ficou observando o objeto com mais morreram não havia notado nada nes- marães Borges. Sua primeira experiência
receio, mas poucos minutos depois ele te sentido. Inclusive, o curral fica a poucos ufológica teria ocorrido no início da década
desapareceu. Alguns dias após este fato, metros de distância da casa principal da fa- de 50, quando ainda era criança. O fato
também à noite, Maria zenda. Segundo o pes- aconteceu no início de uma noite, quando
José percebeu quisador Luciano Fra- brincava na calçada com um prima, em fren-
novamente o mesmo ga Ribeiro, que faz par- te a casa de sua avó. De repente, a rua foi ilu-
objeto pairando sobre te da diretoria do minada intensamente por uma luz azulada
o terreno atrás de sua GEUVA, desde a déca- que transformou a noite em dia. Neste mo-
casa. Desta vez, no da de 40 já se registra- mento, segundo Vera, passava um carro pe-
entanto, ele começou a vam relatos de discos la rua e aluz do UFO era tão intensa que o
se aproximar lenta- voadores nos céus de motorista, impressionado, parou o veículo
mente e a ficar cada Valença. Luciano é para observar o fenômeno. Vera não teve co-
vez maior, até que a também testemunha ragem de olhar para cima mas, segundo dis-
testemunha passou a das manifestações ufo- se, sua prima teve. Ela declarou que algo
ter medo e correu para
chamar sua irmã, que
mora em uma outra
casa dentro da mesma
propriedade. Segundo
a testemunha, muitas
vezes durante os
avistamentos, tal luz amarela se
transformava em um objeto discóide que
passava a emitir uma intensa luz vermelha.
“Quando os UFOs aparecem, geram uma
forte interferência na televisão”, disse-
nos. A imagem – normalmente limpa e
Fotos Marco Antonio Petit/AFEU

firme, captada por uma antena parabólica


que fica no terreno atrás da casa – parece
que se torna distante no fundo do tubo,
apresentando um efeito de chuvisco.
“Numa das noites, cheguei a ouvir
várias vozes falando em uma língua
desconhecida através da televisão”,
completou a médica Maria José. Poucos
dias antes de nossa chegada à fazenda, NO DETALHE, a médica Maria José de Freitas. Acima, a área de sua fazenda, onde
havia ocorrido uma nova aparição de nave discos voadores e luzes misteriosas têm sido observados com regularidade

28 Fevereiro 99
como um enorme holofote era res-
ponsável pela claridade. Vera ficou Os alienígenas zinhos, Vera Lúcia sentiu uma for-
te dor de cabeça ao entrar numa de-
tão assustada com o fenômeno que terminada casa. Ela prontamente
começou a chorar, sendo consola-
da por uma vizinha que também ha-
que transmitiram disse à sua tia que alguém naquela
residência estava doente, justa-
via observado o objeto – “É a
‘Mãe do Ouro’, menina. Fique
poderes à Vera mente com este mesmo tipo de pro-
blema. Mais uma vez a menina foi
tranqüila”, disse-lhe a mulher [Se- repreendida por ficar falando bes-
gundo vários autores, a expressão teiras, mas logo em seguida a dona
Mãe do Ouro – assim como Mãe da casa confirmava as palavras de
d’Água – refere-se a uma lenda de Vera Lúcia, informando que sua fi-
nossos antepassados, que procu- lha estava no quarto com uma forte
ravam descrever miticamente um dor de cabeça!
fenômeno que não podiam com- Diante de tão estranha feno-
preender. Veja livro O Povo do menologia, Vera Lúcia passou a
Espaço, no encarte desta edição]. ser levada por seus familiares a
A segunda experiência de Vera psiquiatras, centros espíritas etc,
Lúcia com UFOs aconteceu pouco sempre na busca de solução para o
tempo depois, também na casa da que consideravam um problema.
avó, onde foi criada. Ela era uma Mas os fenômenos continuaram e,
Ilustrações Dário Silva
criança muito medrosa e, na noite de alguma maneira incompreensí-
deste fato, acordou sentindo von- OS SERES eram morenos. O homem tinha traços vel até mesmo para ela, havia ad-
tade de ir ao banheiro. A residência orientais e cabelo curto e a mulher não se aproximou quirido a capacidade de sentir ou
em que estava era muito ampla: muito, mas era bastante bonita. Ambos fizeram uma visualizar doenças e problemas de
seu quarto ficava na parte da frente espécie de exame médico em Vera Lúcia saúde em outras pessoas. Diante
da casa, junto à sala, e o banheiro da incompreensão de seus famili-
estava nos fundos da mesma, depo- ares, durante muito tempo ela re-
is da cozinha. Por estar com medo de ir sozi- aquilo não passava de mais uma de suas bo- solveu ficar em silêncio, até que com o pas-
nha até o banheiro, Vera Lúcia tentou acor- bagens e que todos deveriam dormir. Vera sar dos anos, já adulta, começou a utilizar
dar sua avó, mas esta, apesar de ter sido des- Lúcia foi então para sua cama, mas ainda suas faculdades para ajudar pessoas. Um
pertada, permaneceu em seu quarto recla- se sentia como se todo seu corpo estivesse dos casos mais impressionantes de que se
mando com a menina, alegando que não ha- repleto de eletricidade. Teve muita dificul- recorda aconteceu em 1973, época que Ve-
via motivo para aquele tipo de comporta- dade para dormir, pois algo de muito estra- ra Lúcia dava atendimento em um centro
mento de sua parte. Diante disso, acabou nho havia realmente acontecido com ela. espírita de sua cidade.
por ir sozinha e, ao voltar ao quarto, foi pro- Aproximadamente uma semana após, a O fato aconteceu com a senhora Ivanir
gressivamente apagando todas as luzes que testemunha notou o surgimento de uma es- da Silva, que estava com uma intensa he-
havia acendido para chegar ao banheiro. pécie de queimadura na parte esquerda de morragia, já desfalecida. Testemunhando
Quando passava pela sala, ao olhar pa- seu quadril. E nos dias seguintes começa- aquele fato, Vera Lúcia sentiu vontade de
ra a porta, notou uma luz através do vidro ram a surgir na perna esquerda algumas colocar a mão sobre o estômago da mulher
que ficava por cima da mesma. Inicial- manchas roxas, que ficaram altas e se trans- e depois sobre um copo com água. Naque-
mente, Vera Lúcia pensou que alguém es- formaram em caroços que doíam muito. le momento, misteriosamente, seu braço
tivesse com uma lanterna, mas logo per- Ela então foi levada por sua avó a vários mé- começou a vibrar e a hemorragia parou,
cebeu que esta idéia era infundada, devi- dicos, que não chegavam a qualquer con- voltando aquela senhora a recobrar seus
do a altura em que a luz estava. Amedron- clusão sobre o estado de saúde da menina. sentidos. Depois de aproximadamente um
tada, a testemunha pensou em seguida tra- Com o passar do tempo, aquelas marcas fo- mês, dona Ivanir a procurou para dizer que
tar-se da iluminação de um poste da rua, ram desaparecendo sem deixar qualquer seu médico – o doutor Paulo Pentagna – ha-
mas o mesmo não ficava naquela posição. vestígio, até que, dois meses depois, a teste- via perguntado a ela o que teria acontecido
Logo em seguida, para sua surpresa, aque- munha começaria a vivenciar um outro tipo com a úlcera que, segundo ele, devido à
la luz começou a aumentar sua intensida- de fenômeno. Novos fatos iriam tornar os gravidade, só teria solução com uma cirur-
de, penetrando na sala e vindo em sua dire- fenômenos ainda mais complexos. Naque- gia. Assim, gradativamente, as faculdades
ção, até que a menina caiu no chão parali- la ocasião, sua avó havia recebido a visita paranormais de Vera Lúcia se tornaram
sada, como que desmaiada. Depois da lu- de uma conhecida da família, e como era muito conhecidas em sua cidade, e com o
minosidade desaparecer, Vera Lúcia con- costume, principalmente no interior, as cri- tempo ela passou a receber cada vez mais
seguiu finalmente gritar por sua avó e anças tomavam a bênção dos visitantes, bei- pessoas em sua própria casa, até que esta
acordou todos que estavam na casa. jando-lhes as mãos. situação fosse ficando insustentável. Ela,
O caso foi tão marcante para a testemu- que já que tinha que cuidar de sua própria
nha que, anos mais tarde, a mesma resolveu Bênção incômoda – Para desgosto de família e de sua vida particular, foi forçada
submeter-se a uma hipnose regressiva. Po- sua avó, a menina se recusou a pegar na a dedicar parte de seu tempo a terceiros.
rém, mesmo antes de fazê-la, Vera Lúcia mão da visitante e receber sua bênção, ale- Mas ao contrário de alguns supostos
ainda se recordava que, ao ser tocada pela gando que a mesma estava muito doente. paranormais, videntes e contatados que di-
avó, que tentou levantá-la do chão, sentiu De fato! Cerca de um mês depois, a famí- zem possuir poderes superiores, Vera Lú-
como se existissem várias fagulhas atingin- lia de Vera Lúcia recebera com surpresa cia nunca cobrou um centavo para tentar
do seu corpo. Ela disse para sua avó que es- um telegrama comunicando o falecimento ajudar as pessoas, ficando gratificada sim-
tava se sentindo muito mal, mas esta mais da mulher, que sofria de tuberculose – fato plesmente com um sorriso ou um agrade-
uma vez a repreendeu, declarando que tudo que a avó da menina desconhecia. Pouco cimento quando, de alguma maneira, con-

Fevereiro 99 29
seguia ajudar aqueles que necessi- VERA LÚCIA (esq.) com Suely
tavam. Várias vezes chegou a rece- Madeira. A primeira, após ter
ber pedidos de ajuda de profissio- contato com ETs, desenvolveu
nais da área médica em casos mais paranormalidade. A segunda,
desesperadores, nos quais um di- após vários avistamentos, é
agnóstico urgente se fazia neces- pesquisadora do fenômeno
sário. Em uma dessas ocasiões,
ela foi chamada às pressas ao pron- em Volta Redonda (RJ), onde os
to socorro da cidade para ver uma médicos procuraram sanar a gra-
menina que havia sido picada apa- ve hemorragia em suas pernas.
rentemente por uma cobra. Os mé- Após de fazerem um rápido exa-
dicos precisavam rapidamente dar me, chegaram à conclusão de que
soro à menina, pois sua perna já es- só a amputação das mesmas sal-

Arquivo UFO
tava inchada e apresentava diver- varia o acidentado. Fátima, a ir-
sos machucados que dificultavam mã da vítima, ligou para Vera Lú-
uma identificação definitiva. cia pedindo a ela que “olhasse”
Apesar da evidente pressão para seu irmão, ainda que à dis-
que recebeu, quando conseguiu relaxar nóstico novamente. Muitas vezes, era difí- tância, a fim de ver o que estava aconte-
um pouco, Vera Lúcia percebeu que na ver- cil para ela ser a responsável por levar às cendo. Neste momento, Ivan ainda estava
dade a menina havia sido picada por um es- pessoas notícias e informações sobre esta- consciente, desesperado e dizendo que
corpião, e informou isso ao médico que dos patológicos graves – isto para não fa- não queria morrer. Depois de se concen-
atendia a criança – cujo nome conhece- larmos de algumas percepções ligadas aos trar, Vera Lúcia “percebeu” que seu pri-
mos, mas por questões óbvias não pode- seus próprios familiares. mo também estava com uma hemorragia
mos revelar neste artigo. Talvez o caso mais triste seja o da mor- interna, comunicando o fato à sua amiga
te de seu primo, o senhor Ivan Borges Tole- Suely Trindade. Durante duas horas, ten-
Picada de escorpião – Pouco tempo do. No dia 27 de novembro de 1990, ele so- tou comunicar-se por telefone com os mé-
depois, chegava ao pronto socorro a mãe freu um acidente de carro na cidade de Bar- dicos do hospital, sem sucesso. Às 18:15
da menina, com a informação que em sua ra Mansa (RJ). Tendo as duas pernas to- h daquele dia, sua prima ligou novamente
propriedade os escorpiões realmente pro- talmente esmagadas, foi levado para o hos- dando a notícia que Ivan havia falecido
liferavam. Vera Lúcia acertava seu diag- pital da Companhia Siderúrgica Nacional, por causa de uma hemorragia inter

E
quando de repente a TV começou a chi-
Seviciada ram 18:00 h e Suely sentia que algo
não ia bem. Estava nervosa e sozinha, ar como se estivesse faltando luz na trans-
pois a filha Daniele dormia noutro missora. Um som eletrizante, longínquo,
por aliens: quarto, enquanto o esposo, um capitão avia- agudo e penetrante invadiu a casa. Teve me-
dor da Força Aérea Brasileira (FAB), viaja- do e olhou para a porta a fim de verificar se
Um caso real ra para Porto Alegre onde deveria demorar- realmente estava fechada. Suely lembrou-
se por alguns dias. Sua úni- se da janela e correu para
e doloroso ca companhia era seu enor-
me cão de guarda Veludo.
trancá-la, pois sabia que al-
go não estava normal.
Na ânsia de livrar-se da soli- Ao lembrar-se da filha,
dão, Suely ligou a televisão tentou correr mas não con-
Uma mulher de e ficou ouvindo a novela na seguiu. Pela fresta da janela
cozinha. Veludo, que na- adentrava uma luz azulada
Fortaleza passa por quela hora sempre grunhia à que apoderava-se dos qua-
uma terrível experiência espera de comida, enco- tro cantos da cozinha. Um
lheu-se no canto do alpen- cheiro pavoroso de enxofre
envolvendo abuso dre de onde, vez ou outra, le- causou-lhe náuseas e ela
Arquivo UFO

sexual e abdução vantava o focinho e deixava procurou mover-se, mas es-


Suely intrigada. tava paralisada. Tentou gri-
de uma forma ainda O cão já não era mais o tar, mas seu grito não tinha
pouco conhecida feroz animal que depois das REGINALDO de Athayde, repercussão, então viu-se
18:00 h circulava a casa, presidente do CPU, co- envolvida pela estranha luz
pela Ufologia dando-lhe a certeza de que editor da Revista UFO e que agora dava-lhe uma
tinha um guardião de fibra. um dos pioneiros da gostosa sensação de con-
Preocupada com o irritante Ufologia Brasileira forto e tranqüilidade, tiran-
silêncio, abriu a porta e pro- do-lhe todo o medo que sen-
Reginaldo de Athayde curou por algo que fosse responsável por tia. A mulher notou que algo tentava sinto-
aquela mudança de comportamento no tem- nizar seu cérebro, pois ouvia estalidos pare-
po e nos animais, mas foi em vão. Nada de cidos com aqueles de um rádio quando se
novo apresentava-se em volta da casa. procura uma estação. “Não temas! Nada te
“Não estou gostando disso”, resmungou, faremos! És uma privilegiada… Somos de

30 Fevereiro 99
na, supostamente não diagnosticada pelos O que está por trás da companheiro. Ambos eram altos e esta-
médicos devido à gravidade dos ferimen- vam usando uma espécie de macacão pra-
tos nas pernas. inusitada capacidade teado, ligeiramente fosforescente. Eles
O que haveria por trás desta inusitada da testemunha em não moviam os lábios, mas Vera Lúcia,
capacidade de Vera Lúcia, desenvolvida diagnosticar doenças, que só conseguia movimentar os olhos, de
após seus fenômenos ufológicos e que , alguma maneira sentia que podia confiar
trouxe para ela tantas alegrias e também inclusive à distância? neles. Segundo ela, os seres transmitiam
tristezas? Anos atrás, ela e Suely Trindade Seria um presente dos muita paz. A mulher manteve certa distân-
viajaram até a cidade de São Tomé das Le- cia da menina, ainda flutuando, enquanto
tras (MG) e lá conheceram casualmente o extraterrestres ou uma o homem se inclinou sobre seu corpo. Ti-
advogado e ufólogo Ubirajara Franco Ro- conseqüência do nha em uma de suas mãos uma espécie de
drigues [Principal investigador do Caso aro de luz, como se fosse um grande anel
Varginha e co-editor de UFO], que estava
contato? De qualquer com um brilho dourado.
também de passagem pela cidade. Vera Lú- forma, é notável
cia sentiu que Ubirajara poderia ajudá-la a Aro de luz dourada – O estranho ser
entender alguns dos mistérios de sua vida aproximou o aro de luz do quadril de Vera,
e pediu seu auxílio. O ufólogo então con- menina havia ficado totalmente paralisa- deixando o mesmo durante um bom tempo
vidou ambas a irem até à cidade de Vargi- da, embora ainda pudesse observar o sur- nesta posição. Em seguida, foi passando o
nha (MG) para que pudesse estudar me- gimento de dois seres que aparentemente aparelho sobre seu corpo até chegar à cabe-
lhor o caso. Chegando lá, o pesquisador re- pareciam ter atravessado a porta da sala. ça, lá permanecendo o objeto durante um
alizou uma série de testes buscando aferir Ubirajara, através de hipnose, descobriu período maior. Na seqüência dos aconteci-
as capacidades mentais de Vera Lúcia, que as criaturas – um homem e uma mu- mentos, a criatura voltou a posicionar
mas foi apenas através da realização de lher – se aproximaram de Vera Lúcia flutu- aquele misterioso aparelho sobre o quadril
uma hipnose regressiva que a verdade co- ando, sem tocar o piso da sala. O homem de Vera Lúcia e, em seguida, foi acercando
meçou a surgir, revelando outros detalhes era moreno, tinha traços orientais e apre- o mesmo sobre seu corpo, sem tocá-lo. Le-
referentes à noite em que ela havia caído sentava cabelo negro, tão colado à cabeça vou-o até a posição de seus pés, retornan-
no chão da casa de sua avó, depois de ser que quase parecia uma toca. Já a mulher, do o instrumento mais uma vez até seu qua-
atingida por aquela misteriosa luz. que apresentava a mesma cor de pele, ti- dril, quando então se levantou e, junta-
Descobriu o ufólogo que, ao cair no nha um cabelo mais cheio e aparentava mente com a criatura feminina, foi se afas-
chão sobre o lad o direito de seu corpo, a também os mesmos traços orientais de seu tando lentamente. Os dois seres desapare-

e precisamos de ti… Estamos usando a TV muito longe, mas não adianta lhe dizer de mos! Agora você é nosso contato…”,
para contato”, disse uma estranha voz em onde. Não temos nomes e sim códigos. Um disseram ao desaparecerem de vez. A
sua cabeça. Suely, estática, sentiu que mãos dia vocês saberão o porquê de nossa pre- sintonia desfez-se lentamente e a luz
desconhecidas apalpavam seus pés e mas- sença. Você não foi a primeira e não será a azulada que havia envolvido a cozinha
sageavam seus tornozelos. Depois, acarici- última a ser contatada por nós”. foi se esvaindo, enquanto lá fora o
avam suas coxas e sua vagina, subindo até “Gostaria de vê-los”, pensou Suely, re- estridente silvo voltou a encher os
as axilas e voltando aos seios. Onde toca- cebendo a resposta de imediato. “Você vai ouvidos, até ir desaparecendo.
vam, deixavam uma vibração esquisita. nos ver. Entretanto, não somos os seres que Veludo grunhia na porta tentando
Suely notou que estava sendo deitada você verá, pois não podemos nos deixar en- abri-la, enquanto Suely, como que acor-
no chão, ficando suspensa alguns centíme- xergar como realmente somos!”, exclamou dando de um sonho, correu em direção
tros do solo. Alguém tirou sua calcinha e o visitante. Nesse instante, uma fumaça es- ao quarto da filha para verificar que a
abriu sua vagina, penetrando alguma coisa verdeada foi surgindo na sala e, dentro de- mesma dormia calmamente. Passaram-
metálica, morna e vibratória. Foi rápido, la, três seres foram se formando. se seis horas e a TV voltara a funcionar,
embora sua ânsia fosse de que aquela expe- apresentando o Jornal da Meia Noite. A
riência não terminasse. Depois, algo ou al- Aguardado retorno – Era uma linda mulher estava suada e sentia-se leve,
guém virou-a de costas e introduziu em seu mulher de aproximadamente 1,50 m, que meio zonza e sem saber se realmente tu-
ânus um objeto que a levou a uma estranha possuía um corpo bem delineado e vestia do aquilo havia acontecido. Voltou à co-
sensação de leveza. Agora, uma luz pene- uma roupa cinza e bem justa. “Ela olhava zinha e viu que tudo estava como havia
trava em seu cérebro e ela nada mais via – para mim com uma penetração incrível. deixado. Sua calcinha estava estendida
apenas ouvia alguém falar ao seu redor. Parecia que ia dominar meus pen- em uma cadeira, o que deu-lhe a certeza
Aos poucos foi voltando ao normal, sem en- samentos”, declarou Suely. Mais atrás, de que alguém a havia tirado e que tudo
tretanto conseguir se mexer. Estava tonta e vinham dois seres com aspectos másculos. aquilo não tratava-se de um sonho, e
seus olhos ardiam, quando ouviu dentro de Tinham aproximadamente dois metros de sim de um contato com seres de outro
seu cérebro a mesma voz que a saudara no altura, eram fortes, morenos e vestiam planeta. Quem sabe?
início: “Terminou. Você está livre, mas vol- roupas esverdeadas, com cintos largos,
taremos a procurá-la um dia…” botas e luvas amarelas. Estes seres usavam o
Menos tensa e confiante em seus pes- que Suely pensou tratar-se de pisto-las, de Reginaldo de Athayde, presidente
quisadores – na falta de termo melhor –, Su- formato comprido e metálico. Não sorriam, do Centro de Estudos Ufológicos (CPU),
ely perguntou mentalmente quem eram, o mas transmitiam uma sensação de é co-editor de UFO. Seu endereço é:
que queriam, seus nomes e origem. A res- segurança e confiança. Aos poucos foram se Rua Franklin Távora 351, Centro,
posta veio de forma inusitada: “Somos de desfazendo e a mulher não pôde mais vê- 60150-110 Fortaleza (CE).

Fevereiro 99 31
ceram em seguida, juntamente com a pró- MARCO ANTONIO PETIT, autor deste
pria luz que havia atingido e derrubado a artigo, acaba de lançar seu novo
menina. Logo após este fato, ela conse- livro, Terra – Laboratório Biológico
guiu finalmente gritar chamando sua avó, Extraterrestre, no qual expõe suas
que ajudou-a a se levantar do chão. Tinha pesquisas da casuística ufológica
terminado neste ponto sua interessante ex- fluminense. Em sua obra, Petit
periência. Depois dessa noite, Vera teve al- defende a tese de que os ETs

Arquivo UFO
guns avistamentos que podem ou não estar sejam criadores de raças através da
relacionados a este misterioso encontro. manipulação de material genético
Numa noite, quando ela e sua prima – a
mesma que também estava presente em cie humana, tanto no as-
seu primeiro avistamento – andavam em pecto espiritual como tam-
direção à casa de sua mãe, ambas observa- bém no social. Existem evi-
ram no céu, por trás de uma nuvem, uma dências que este mesmo
grande claridade que Vera Lúcia pensou grupo de civilizações possa
ser inicialmente gerada pela Lua. Pouco estar relacionado ao pró-
tempo depois, no entanto, sua prima aler- prio aparecimento do ho-
tou para o fato de a Lua estar visível em mem no planeta Terra.
um outro ponto do céu. Logo em seguida, Hoje, Vera Lúcia não
elas e outras pessoas que estavam na rua parece ter dúvidas sobre a
puderam observar a presença de um objeto reza do Fenômeno UFO, e prin- origem de seus poderes e
em forma de charuto, que de repente desa- cipalmente nos motivam a bus- que de alguma forma foi
pareceu. Nesta época ela tinha apenas 12 car seu sentido, ou seja, o que preparada pelos visitantes
anos de idade. existe de maior por trás de muitas destas ex- daquela noite para uma missão de amor e
periências. É evidente que estamos sendo fraternidade. Conheci Vera a mais de 10
Sensação gostosa – A última expe- visitados por diferentes civilizações, que anos, a partir do amigo e ufólogo Ubirajara
riência que Vera Lúcia teve com os UFOs certamente chegam ao nosso planeta com Rodrigues. Trata-se de uma pessoa simples
aconteceu já na década de 80, em compa- objetivos diferenciados. Algumas destas ra- e honesta, sempre pronta a ajudar seus se-
nhia de outra testemunha, desta vez o seu ir- ças podem ser perigosas para o próprio des- melhantes, que somente agora começou a
mão. De repente, ambos tiveram uma sen- tino de nossa Humanidade, outras pratica- divulgar a totalidade de sua história. Não
sação “muito gostosa” em seus ouvidos, mente parecem ignorar nossa espécie, co- podemos provar que suas capacidades espe-
conforme descreveu a este autor. Segundo a mo se estivessem apenas de passagem pela ciais foram realmente um presente deixado
testemunha, “era como se milhares de pe- Terra ou no máximo fazendo algum tipo de por seres alienígenas mas, conhecendo o va-
quenos cristais estivessem batendo uns nos pesquisa superficial sobre seus recursos mi- lor de suas percepções, não ficaria surpreso
outros”. Os dois irmãos olharam para o céu nerais e nossas formas de vida. No entanto, se ela mais uma vez estivesse certa...
juntos e perceberam um objeto semelhante de maneira definitiva, parece existir um gru-
a uma aliança de brilhantes, uma espécie de po formado por várias civilizações cujos re-
anel de luzes saindo de trás de um morro. O presentantes não são muito diferentes do ho- Marco A. Petit, presidente da Associação
objeto pairou por cima dos dois e logo depo- mem que está na Terra. A presença destes Fluminense de Estudos Ufológicos (AFEU), é
is desapareceu, desfazendo-se no céu como seres no planeta pode ser comprovada des- co-editor da Revista UFO. Seu endereço é:
num passe de mágica. Casos como o de Ve- de as mais remotas eras, sempre acompa- Caixa Postal 62.603, Agência Botafogo,
ra Lúcia nos fazem refletir sobre a real natu- nhando e interferindo na evolução da espé- 22252-970 Rio de Janeiro (RJ).

32 Fevereiro 99
Confronto

Visitas alienígenas: ameaça ou


esperança para o planeta Terra ?
A presença cada vez mais constante de seres extraterrestres em nosso
planeta inspira mais perguntas do que respostas
L. Subramanyan

M
uito tem sido dito sobre as visitas de ou automóveis, a construção de casas ou até o início dos anos 30, quando Hitler sur-
alienígenas à Terra. Relatos de con- apartamentos etc, podem dar incremento a giu no quadro final do período de incuba-
tatos isolados e esporádicos propor- tais gráficos – mas todas as transformações ção e, em pouco tempo, disseminou o holo-
cionam notícias sensacionais à Imprensa, naturais, cósmicas, humanas e sociais se- causto. Tudo isso levou um período de cer-
mas estas são rapidamente esquecidas e guem leis diversas daquelas de proporcio- ca de 50 anos. Na mesma linha de raciocí-
têm pouco efeito duradouro sobre nosso nalidade linear. Contudo, as importantes nio, os efeitos destrutivos da revolução in-
comportamento e nossa vida diária. Aque- mudanças são hiperbólicas, ou seja: a quan- dustrial só foram reconhecidos na metade
les que levam a problemática dos discos vo- tidade é extremamente baixa para um pe- do século passado. Thoreau, Emerson, Wag-
adores a sério estão engajados principal- ríodo relativamente longo. Mas elas ga- ner, Steiner, Mahler etc, nos alertavam con-
mente em tentar provar a presença de seres nham impulso repentino e tornam-se ex- tra a implacável exploração da natureza há
extraterrestres em nosso planeta. Já os céti- plosivas, se não tivermos controle. 130 anos, mas só agora o chamado Movi-
cos não dão importância ao assunto e o des- Observações feitas por estudiosos mos- mento Verde está sendo levado a sério. E
denham, enquanto os indecisos esperam tram que o período de baixo crescimento de mesmo assim, hoje o “gráfico verde” está
por evidências que considerem mais palpá- mudanças – uma espécie de período de in- ainda no período de incubação, não tendo
veis antes de decidirem no que acreditar. cubação – é mais duradouro para desenvol- alcançado seu ponto de explosão.
Essas são todas posições naturais que pode- vimentos positivos do que para negativos. Agora, consideremos a situação dos
mos adotar quanto ao Fenômeno UFO, mas Wilhelm II, da Alemanha, tornou-se kaiser avistamentos de UFOs. O recente aumento
são muito perigosas para a Humanidade. em 1888 e propagou os ideais nazistas que na freqüência destas ocorrências indica que
Todas as mudanças e desenvolvimentos explodiriam o mundo décadas mais tarde. o período de incubação, que tem se estendi-
que atingimos na Terra, no dia a dia, podem Mas estes ideais não foram levados a sério do por séculos ou talvez milênios, está fi-
ser representados por gráficos em que uma
coordenada mostra a quantidade de tais mu-
danças e, a outra, o progresso no transcorrer
do tempo. É assim que podemos analisar
em quantos itens diferentes tivemos algum
crescimento, em uma dada quantidade de
tempo. Mas, antes de atribuirmos importân-
cia a qualquer tipo de melhora que tenha-
mos em nossas vidas, temos de estar alerta
sobre como isso interferirá em nossa rotina
habitual. Normalmente, tendemos a procu-
rar por uma mudança mais ou menos linear
e tangível, o que significa ter desenvolvi-
mentos regulares e constantes, sem sobres-
Wendelle Stevens/UFO Photo Archives

saltos à nossa existência.


Num exemplo clássico, se a mortalida-
de infantil permanece na taxa de 5% ano
após ano, isso não é um problema para
uma investigação urgente ou melhoria drás-
tica no sistema de saúde vigente. Mas se é
de 5% em um ano, 6% no outro, 7% no ter-
ceiro e assim por diante, mostrando um
crescimento tangível de 1% ao ano, isso se
torna alarmante. Noutro exemplo, as esta- OS UFOs parecem cada vez mais ousados, sobrevoando com desenvoltura áreas
tísticas sobre a produção de refrigeradores residenciais. Antes, preferiam lugares desertos, remotos e pouco populosos

Fevereiro 99 33
nalmente chegando ao fim. Não sabemos travenção estruturada. Essa evolução desi- genas permanecerem imperceptíveis. Mas
quando o ponto de explosão – aqui repre- gual não precisa ser única e restrita ao nos- se isso estiver acontecendo propo-
sentado por um contato definitivo com as so planeta. É grandemente possível que pe- sitadamente, por intenção de nossos visi-
civilizações que nos visitam – será alcança- lo menos algumas das civilizações aliení- tantes, então isso implica em que estejam
do. Isso pode ocorrer dentro dos próximos genas que nos visitam tenham relativamen- gradualmente preparando-nos para um
anos ou da próxima década, ou quem sabe te baixos valores morais e espirituais, ape- contato aberto. Em cada caso, tal contato é
ainda só daqui há alguns séculos. De qual- sar de sua altíssima tecnologia. As evidên- inevitável e talvez eminente!
quer forma, devemos estar preparados para cias até agora acumuladas sugerem que qua-
essa eventualidade. tro diferentes tipos de aliens estejam obser- Tipo 3 – Os relatos de mutilação em
Tal contato definitivo será a vinda à Ter- vando a Terra, entre aqueles que são mais animais e seres humanos, colhidos por
ra de uma ou mais civilizações que já alcan- ou menos benevolentes, amantes da paz e investigadores da temática ufológica em
çaram elevados graus de evolução. Mas is- moralmente mais avançados. Vejamos: todo o mundo, praticamente prejudicam a
so será positivo ou negativo? Para tentar- imagem de total benevolência deste
mos compreender a questão, temos que le- Tipo 1 – Este grupo de civilizações em terceiro grupo de civilizações em visita à
var em consideração que mesmo entre nós, aproximação da Terra estaria ciente do Terra. Se essas mutilações ou operações
terrestres, existem diferenças marcantes. constante avanço de nossa tecnologia militar são somente para fins de estudo e pesquisa,
Por exemplo, a maioria dos contatos já man- e capacidade de defesa global, sendo por que os alienígenas deixariam provas de
tidos entre os diversos povos nativos de nos- aperfeiçoada dia a dia. Se tais seres tivessem tais atividades para os terrestres
so planeta têm sido até aqui desastrosos, a intenção de nos escravizar e explorar, descobrirem? Certamente não seria um
embora todas as partes pertençam ao gêne- deveriam fazê-lo neste instante, pois quanto problema difícil para estes seres
ro Homo sapiens. As hordas de bárbaros da mais eles esperam, mais difícil fica terem esconderem os corpos de suas vítimas com
Idade Média destruíram largamente muitas sucesso em tal empreitada – ainda que suas mais eficácia, além de agirem de uma
comunidades desenvolvidas e pacíficas, e o armas sejam incomparavelmente superiores maneira mais discreta. Pessoas e animais
explorador urbanizado terminou na panela às nossas. Sua reticência em tomar uma simplesmente desaparecem com relativa
do caçador primitivo. A crueldade comerci- atitude, de qualquer forma, mostra um freqüência sem deixar qualquer traço, e são
al exterminou as sociedades simples, a cobi- desejo de observar e avaliar a raça humana. logo esquecidos. Mas os aliens (pelo
ça e o fanatismo de certas culturas destruí- menos este grupo) parecem tentar avisar-
ram outras, e assim por diante. Às vezes, Tipo 2 – Embora reticentes, este grupo nos sobre suas atividades. Sua sutil
mesmo uma cultura altamente desenvolvi- de civilizações monitorando a Terra não se mensagem seria um aviso?
da é dizimada, como na confrontação entre esconde completamente de nós.
as nações hispânicas e ameríndias. Deliberadamente ou talvez por acidente, Tipo 4 – Alguns dos relatos da ação de
O que podemos esperar, então, de um esses seres se deixam ver com mais e mais alienígenas em nosso planeta indicam que os
eventual encontro entre terrestres e aliení- freqüência a cada dia. Se isso estiver se seres pertencentes a este quarto grupo são
genas? Uma coisa é certa: a partir do mo- dando por casualidade, tal fato significa capazes de se comunicar por telepatia. Em nossa
mento em que foram eles que nos descobri- que o crescimento da população humana e experiência terrestre, essa avançada faculdade
ram e não nós a eles, seu estágio de evolu- sua distribuição pelo planeta, associados mental estaria habitualmente – mas não
ção tecnológica deve obrigatoriamente ser ao aumento em nosso necessariamente – associada a conhecimentos
maior do que o nosso. No entanto, isso não interesse pelos esotéricos e integridade moral.
significa que nossos visitantes tenham, ne- UFOs, torna cada HOJE já se tem Algumas pessoas afirmam ter
cessariamente, um equiparado grau de evo- vez mais por certo que estamos recebido mensagens
lução moral ou espiritual. Ao olharmos pa- difícil para sendo visitados telepáticas ou canalizadas
ra dentro de nosso próprio planeta, por os aliení- por uma grande de extraterrestres, e
exemplo, vemos que nosso desenvolvi- quantidade de praticamente todas elas
mento moral não progrediu com o civilizações são avisos exortando-
avanço de nosso conhecimento tec- nos a elevar nossa
nológico, ao longo das últimas dé- moralidade e aceitar
cadas. Na verdade, nossa moral os princípios de
e espiritualidade têm se dete- amor e unidade
riorado com nosso avan- cósmica. Algumas
ço técnico. mensagens nos
O progresso fe- instruem a preservar
nomenal em nos- nossa natureza como
sas condições tec- s en d o p ar te d o
nológicas durante processo de criação, em
esse século tem si- vez de destruí-la
do acompanhado estupidamente a troco
passo a passo pelo de ganhos a curto prazo.
aumento da crimina- Levando em con-
lidade e da cor- sideração todas estas
Dossier Alieni

rupção, pelo nas- informações, temos


cimento e cres- um universo de con-
cimento da má- jecturas a fazer. No
fia internacio- caso específico
nal e de outras dos grupos 3 e 4,
formas de con-
Múltiplos visitantes, múltiplas intenções parece que nós

34 Fevereiro 99
temos ainda que apressar uma tentativa de nará se são merecedoras da vida eterna ou Hinduísmo e o Budismo de hoje são for-
análise da situação. O aparentemente deli- do reino dos céus. Rezam as religiões que o mas derivadas das referidas leis cósmicas.
berado plantio de provas de procedimentos juiz de tal processo será um ser intangível e A disseminação de Sanatana Dharma trás
de mutilação, somados aos avisos telepáti- remoto, imensamente superior a nós – em de volta ao mundo o que ele perdeu.
cos que pessoas no mundo inteiro recebem, geral, tal ser é referido como Deus, o cria- Como um compêndio de tratados de éti-
carregam um sentido mais profundo do que dor supremo de todas as coisas. Talvez por ca, Sanatana Dharma não contradiz qual-
imaginamos. Parece que os ETs estariam isso, tentando livrar-se dessa sina, boa por- quer das outras religiões mais novas do
tentando nos passar uma mensagem como centagem dos terrestres tem colocado sua mundo. Contudo, dá uma explicação racio-
a que foi recebida por tantos canalizadores existência muito em dúvida. nal para as leis da espiritualidade, em vez
em todo o planeta, que pode muito bem ser Mas agora, face a uma eventual chega- de apresentá-las como dogmas a serem
exemplificada como a apresentada abaixo: da dos visitantes extraterrestres ao nosso acreditados sem fé. Sua descrição do Cos-
planeta, os juízes do processo poderão ser mos está em conformidade com as perspec-
“Temos observado a Terra por outros. Poderão ser criaturas visíveis e pal- tivas da Ciência – o que não pode ser dito
longo tempo. Vocês têm sabedoria páveis de nosso próprio universo, ainda de outras religiões. Ela, contudo, não exige
para diferenciar entre o bem e o que não da Terra. A côrte onde isso se daria crença na evidência da observação científi-
mal e o potencial para serem bons. pode estar na próxima esquina e o dia do jul- ca. Seu conceito de Criador e criação é, de
Mas estão se inclinando gradual e gamento pode ser qualquer dia de nossas vi- modo geral, panteístico. O inventor dessa
irrecuperavelmente para o mal. Pe- das. As leis cósmicas já foram, por um certo religião é inerente a todas as partes do Cos-
lo tempo em que vocês permanece- tempo, a religião de todos os povos neste mos e transcende todas as suas dimensões.
ram isolados, pudemos tolerar sua planeta. Ela era baseada em axiomas deri- As coisas que vemos, sentimos e tocamos
decadência e ainda lhes demos tem- vados da lógica pura e do conhecimento ci- são manifestações daquele Ser eterno.
po para se desenvolverem. Mas ago- entífico. Seu conceito racional era aplicado Nessa analogia, Sanatana Dharma tam-
ra vocês começaram a viajar pelo bém entra na questão ufológica, já que o Li-
espaço e se tornaram uma ameaça Uma reformulação vro dos Vedas é repleto de citações de pas-
às nossas civilizações. Assim, seu sagem de UFOs nos tempos remotos. Essas
tempo para procederem este desen- moral em todos os níveis naves eram chamadas pelos hindus, há dois
volvimento está se esgotando. Se de nossa sociedade é ou três mil anos, como vimanas, que signi-
mudarem sua forma de agir e acei- fica objetos ou veículos resplandecentes.
tarem as leis cósmicas, teremos pra- necessária. No dia
Uma atenta análise desta obra pode levar
zer em recebê-los em nossa comu- em que tivermos um ao leitor uma compreensão bem mais ativa
nidade como irmãos. Se não, sere- contato aberto com do que representa o Fenômeno UFO para a
mos forçados a frear suas ativida- Humanidade de hoje e o que podemos espe-
des drasticamente ou até mesmo a ETs, mesmo que nem rar para o futuro breve. O aumento gradati-
destruí-los. Depende de vocês deci- todos os cidadãos do vo e intenso no número de avistamentos de
direm se nosso encontro levará à co- UFOs e contatos com seres extraterrestres
operação ou a uma confrontação, planeta tenham
é proporcional ao aumento no interesse que
da qual vocês não sobreviveriam”. atingido a integridade temos por assuntos que se refiram ao apri-
Esse é apenas um exemplo de mensa- espiritual apropriada, moramento humano em geral. A partir do
momento que abrimos nossas mentes para
gem extraterrestre – existem muitos outros. seremos capazes de os UFOs, e ao mesmo tempo em que cres-
E se nossa interpretação dela é correta, de- mostrar nossa cemos espiritualmente, passamos a dar
vemos agir imediatamente. Uma reformu- bem maior atenção à questão.
lação moral em todos os níveis de nossa so- determinação
Embalados nessa irreversível ruptura de
ciedade é imensamente necessária. No dia valores, em que passamos a nos sentir mais
em que pudermos vislumbrar um contato a todas as dimensões cósmicas e nenhuma cósmicos e menos terrestres, resta-nos co-
aberto com os alienígenas, mesmo que to- descoberta científica poderia afetar sua vali- nhecer as chaves deste mistério e tentar, se-
dos os cidadãos do planeta não tiverem atin- dade. Por outro lado, todas as invenções mo- não decifrá-lo, pelo menos reconhecer suas
gido o status moral e a integridade espiritu- dernas da Ciência têm eminentemente con- regras. E a mais importante de todas é o fato
al exigidos por eles, poderemos pelo menos firmado esse conceito. inevitável e inquestionável de que, cedo ou
ser capazes de mostrar que um grande nú- Algumas delas contribuíram para me- tarde, teremos que conviver com outras civi-
mero de indivíduos atingiram isso e, tam- lhorar o entendimento de seus axiomas, lizações do Universo, e quando isso ocorrer
bém, que outros estão sinceramente enga- uma vez que muitas afirmações da religião teremos que estar preparados para não ser-
jados em lutar por tal evolução. Com certe- cósmica por si só levam a um melhor co- mos dizimados como foram os incas, quan-
za, tais civilizações terão condições de ava- nhecimento de Astrofísica, Física Nuclear do os espanhóis chegaram à América. Tal-
liar nossos esforços. Só assim poderemos e algumas outras áreas de ponta. Essas leis vez a dizimação não seja bélica, mas cultu-
sobreviver ao tal Dia D e barganhar pela cósmicas não estão mortas e foram codifi- ral. Mesmo assim, estaríamos fadados a de-
nossa existência por mais tempo. cadas para serem inseridas em obras histó- saparecer da face da Terra.
Agir moral, espiritual e eticamente tem ricas da Humanidade, como por exemplo o
sido a tônica de todas as religiões e outras for- Livro dos Vedas, da Índia antiga. A palavra
mas de associação positiva de nosso planeta, veda significa sabedoria ou conhecimento L. Subramanyan é engenheiro e
mas nunca foi levada suficientemente a sério e a tal religião cósmica é referida no livro diplomata em missão na Organização das
pelos seus praticantes. Quase todas as reli- como Sanatana Dharma, que significa lei Nações Unidas (ONU). Seu endereço é:
giões tradicionais têm em sua pregação um cósmica. Os vedas foram expulsos da Euro- Deutzer Str. 7, D-45896 Gelsenkirchen,
chamado dia do juízo final, quando se anali- pa e do Oriente Médio e finalmente encon- Alemanha. Este texto foi traduzido por
sará a vida eterna das pessoas e se determi- traram residência permanente na Índia. O Alexandre Pereira Novais, da Equipe UFO.

Fevereiro 99 35
Folclore

Alienígenas e naves espaciais


presentes na cultura popular
A tradição cultural de todos os povos da Terra é repleta de lendas e mitos
em que extraterrestres são tratados como duendes, fadas e até anjos
Cristina Santillo

A
s lendas e mitos das tradições popu-
lares de meio mundo narram, já de
tempos incontáveis, estórias de seres
não humanos como os folletti, que seriam du-
endes ou espíritos de índole bizarra, criados
pela fantasia popular. Alguns são anões, ou-
tros elfos, mas todos de aspecto e comporta-
mento muito parecidos com os pequenos ali-
enígenas atuais, protagonistas de encontros
de aproximação e raptos de humanos. Ana-
lisaremos neste artigo, em rápida seqüência,
as histórias mais significativas desses seres,
partindo de muito tempo atrás.
Nas tribos africanas dos pigmeus há a
lenda dos akka, que seriam seus antigos e
míticos progenitores. Estes seres teriam
apenas 40 cm de altura e uma formação cor-
pórea graciosa. Sua cabeça apresentaria vá-
rias protuberâncias, os ombros seriam mais
estreitos do que a cintura e teriam ainda um
longo pescoço. Segundo a lenda pigméia, a
pele desses seres seria queimada pelo Sol e
sua cabeça recoberta por um escudo que imi-
taria pequenos chifres. Os pigmeus acredi-
tam que os akka teriam o hábito de importu-
nar as belas mulheres que se banham nos ri-
os, as quais, para evitarem ser violentadas e
gerar filhos disformes, usam como disfarce
um pênis fictício.
Tais histórias, de fundo sexual e procria-
tivo, ainda que sobre seres mal formados, fa-
zem lembrar as atividades nas quais estari-
am trabalhando os já famosos greys – aliení-
genas de cor de pele cinza, envolvidos prin-
cipalmente na criação de uma raça híbrida,
segundo defendem vários autores especia-
listas no tema das abduções. Essa lenda afri-
cana é bastante singular, especialmente no
que diz respeito a uma possível identifica-
POVO DO ESPAÇO, é como
John Meikle/MJ Graphics

ção destes seres. Sua tipologia coincide com


são chamados os pequenos
a descrição das criaturas avistadas e depois
humanóides extraterrestres vistos
capturadas em Varginha, Minas Gerais, em
em vilarejos rurais, por pessoas que
20 de janeiro de 1996 [Veja edição UFO
não compreendem sua origem
Especial 13]. Elas teriam cabeça com três
protuberâncias lembrando chifres, além de

36 Fevereiro 99
olhos bastante atrativos. Uma outra história Uma outra característica desses seres mi- res para tentar seduzi-las. Outro duende se-
interessante é aquela dos duendes de origem tológicos é seu interesse por mulheres jo- melhante, residente nos Alpes, seduziria as
italiana, particularmente a lenda dos juffri. vens. Os cauzietti, anões peludos com apro- belas jovens fazendo-as desaparecer para,
Contam os antigos que estas criaturas vive- ximadamente 20 cm de altura, adoram ater- logo em seguida, brincar de procurá-las.
riam nos cantos das estradas e se divertiam rorizá-las roubando-lhes seu bordado. Já os Este é um fenômeno que não tem nada de di-
montando armadilhas para os viajantes. Em fajetti, da Calábria, Itália, invadem as casas vertido, cuja interpretação pode esconder
geral, tais armadilhas seriam buracos camu- dos camponeses durante à noite e se diver- raptos praticados por alienígenas. Alguns ca-
flados que as pessoas não poderiam ver e, as- tem ao provocar uma ensurdecedora bagun- sos de contatos imediatos com ETs foram de
sim, neles cairiam. Às vezes, os juffri se ma- ça. Às vezes, escondem as coisas e importu- fato concluídos com o desaparecimento defi-
terializavam e começavam a falar muito ve- nam jovens – sempre mulheres. O Follat en- nitivo da vítima.
lozmente, provocando uma perda de direci- tra embaixo das saias das jovens para espiar
onamento nas pessoas que os observavam. suas pernas. E o Gambastorta – que signifi- Areia nos olhos – Na cidade de Reggio,
As vítimas dessa conversa hipnótica não per- ca pernas tortas – esconde os objetos, faz ti- na Calábria, acreditava-se que o Fuddettu
cebiam o tempo passar e somente quando os lintar os vidros das casas e desloca as telhas. passasse seu tempo brincando com as
juffri paravam de falar é que viam que muito Este interesse particular dos duendes crianças que dormiam, colocando-as em
tempo havia decorrido. por mulheres jovens poderia estar relacio- posições muito estranhas. As abduções de
Esta lenda também nos faz lembrar algu- nado à herança sexual dos seres humanos e, crianças nos dias atuais, segundo
mas características típicas dos seqüestros ali- de maneira específica, pelo sexo feminino. descoberto pelos ufólogos, se dão com as
enígenas, as chamadas abduções – em parti- Hoje se trabalha com a hipótese de que os ali- mesmas sendo encontradas dormindo em
cular aquelas descritas no livro Missing Ti- ens usariam as mulheres que abduzem como posições e lugares diferentes daqueles nos
me, de Budd Hopkins. Uma dessas caracte- quais haviam se deitado na noite anterior.
rísticas é o vazio temporal e o aparente poder L’Omino della Rena (homenzinho da rena)
hipnótico que os aliens têm sobre a mente hu- é outro duende que faz as crianças
mana, além do fato de que estes seres de- dormirem, porém com um artifício pouco
monstram capacidade de atrapalhar o so- agradável: lança em seus olhos um
no das pessoas, molestar moças, pro- pouco de areia, forçando-os a fechá-
vocar pesadelos e mal estar físico. los. Essa fábula não poderia ser a
lembrança mal interpretada da
Sonhos inquietantes – No atividade conduzida por
Brasil existe a lenda dos aneros. alienígenas, caracterizada pela
Acredita-se que estes seres colocação dos já tão discutidos
perturbariam o repouso dos implantes? A irritação nos
viajantes e provocariam neles olhos é um dos tantos sintomas

Cristina Santillo
desorientação. O Barabahen, que os ufólogos já catalogaram
na Itália, também é fonte de como sintoma de pós-abdução.
sonhos bizarros e inquietantes. Na Itália existe também a an-
O Batibal, nas Filipinas, inibe a tiga lenda do Omino del Sonno
respiração de quem dorme. O (homenzinho do sono), que é um
Calcarot se sentaria sobre o peito ser que se comporta exatamente co-
das pessoas que estão dormindo, mo o citado anteriormente, porém
atrapalhando-lhes o sono. Um também invadindo as casas através
comportamento parecido é aquele do das paredes ou de portas fechadas. Os sal-
Carchett, na Suíça, que na maioria das vanelli, igualmente italianos, hipnotizam su-
vezes provocaria sonhos angustiantes, as vítimas para induzi-las a praticar atos estra-
roubando as cobertas dos infelizes que DUENDES, gnomos, elfos e uma varie- nhos e impensados. Possuem uma enorme ca-
escolhe para atormentar. Um exemplo da dade de outros seres míticos são to- beça, mãos e pés disformes e sua altura é de
semelhança dessa lenda com a vida real dos criaturas de baixa estatura que, pouco mais de um metro. Os salbanelli, ao
pode ser observada no depoimento do filho segundo o folclore, têm poderes hip- contrário, possuem aproximadamente 75 cm
do famoso abduzido norte-americano Whit- nóticos e seqüestram suas vítimas. de altura, uma estrutura corporal muito fina e
ley Strieber: “Enquanto eu dormia, tive a Alguns são descritos como tendo pele magra, e se divertem assustando o gado, inva-
sensação de que alguma coisa ou alguém cinza, tal como os greys da Ufologia.... dindo as casas dos camponeses para aterrori-
tirava as minhas cobertas, e algum tempo zar as crianças na hora de dormir e, finalmen-
depois vi o mesmo rosto daquele ser do meu provedoras de material para reprodução, em te à noite, perturbando os viajantes.
sonho reproduzido na capa do livro do meu uma espécie de programa de manipulação O Grogach possui as dimensões de uma
pai, Communion”. genética. Isso tem sido comprovado ao lon- criança: cabeça grande e corpo flexível, de-
Todas essas lendas folclóricas apresentam go das últimas décadas, através de intensos vido – imagina-se – à falta da coluna verte-
fortíssimos pontos em comum com os aspectos estudos da problemática das abduções por bral. O Wichtlein, um anão minerador da re-
mais importantes da atividades de interferência extraterrestres. gião do Piemonte, na Itália, possui um corpo
alienígena na vida de seres humanos. As conse- Na região da alta Itália existe há muitos delicado, com pernas pouco desenvolvidas
qüências verificadas por estudiosos de abduções séculos a crença na existência de uma cria- e uma cabeça pontiaguda sobre a qual usa
indicam quase sempre distúrbios relacionados à tura em forma de fada que seria uma mistura sempre um chapéu negro. Vogghee Lino,
fase do sono. O fato do fenômeno provocar pesa- de duende e elfo. Essa criatura é chamada com 30 centímetros de altura, é um duende
delos relacionados a premonições de grandes ca- Zampa di Gal (perna de Gal) e era comum de aspecto agradável, mas quase totalmente
tástrofes também é bastante típico dos raptos ali- que se colocasse na entrada do Vale de Gêno- calvo. Os salvani são feios e deformados e à
enígenas dos dias atuais. va e esperasse a passagem de jovens mulhe- noite se agitam intensamente impedindo o

Fevereiro 99 37
sono dos camponeses. Continuando, o Sang- dias e belas pelas suas, doentes. Ainda não é Outra fábula digna de nota é aquela que
manelli possui aproximadamente 60 cm de claro o motivo pelo qual os antigos acredita- narra a estória dos anões gigantes – seres
altura, formação corpórea muito magra e vam que as fadas estivessem para extinguir- que em uma noite raptaram a filha de um ri-
uma coloração palidíssima, quase espectral. se. Entretanto, é interessante notar o fato de co camponês, colocando em seu lugar uma
Estes duendes também se agitam na zona ru- que, para muitos raptados, era relatado a ne- criatura de sua espécie. No dia seguinte, os
ral durante a noite, fazendo sinistras brinca- cessidade urgente desses seres cruzarem a pais da garota não conseguiam explicar co-
deiras com os pobres peregrinos que por ven- sua raça com a humana, a fim de eliminar a mo, de uma hora para outra, a pele da meni-
tura estiverem de passagem por lá. fraqueza genética existente em seus genes. na havia se tingido de cinza e seus olhos de
Para algumas mulheres levadas à bordo negro, quase cor de carbono. Após vários
Lembranças fragmentadas – Todas de UFOs, foram mostradas imagens de cri- anos, a estranha criatura que havia crescido
essas descrições se aproximam muito anças greys como uma forma de solicita- de maneira selvagem e era capaz apenas de
daquelas que representam os chamados greys, rem sua ajuda. Esses seres pareciam a elas ações maquiavélicas, desaparecera para
alienígenas acinzentados com enorme cabeça, estar agonizantes e moribundos, realmente sempre.
corpo esguio e baixa estatura. O necessitando de seu amparo. Muitos pes-
comportamento dos salbanelli, pelo que quisadores alegam que os aliens estejam co- Fadas e anões gigantes – Assim como
testemunham suas vítimas, é facilmente locando em funcionamento um programa esta fábula popular revela analogias com o
associável aquele dos supostos visitantes de hibridização de humanos com extrater- fenômeno das abduções, outras lendas
extraterrestres de hoje. Alguns pesquisadores restres, devido ao eminente perigo da ex- apresentam semelhanças com o
afirmam que os implantes, quase sempre tinção de sua espécie. Talvez por proble- comportamento e interferência dos
inseridos no cérebro dos raptados, possuem mas ligados à poluição em seu mundo, ou alienígenas em nossa realidade. Acredita-se
justamente esse objetivo: provocar por uma desordem genética, a raça dos que a presença dos chamados e míticos
lembranças fragmentadas de suas visitas. greys estaria em fase de decadência. gnomos influa sobre o pensamento e
Algumas pessoas referiram-se ao fato de conhecimento dos homens. Seria o caso de
terem sofrido estranhas operações no cérebro Robert L. Stevenson, que escreveu a obra Dr.
Jekyll e Mr. Hyde, que fala justamente desses
e, em conseqüência, terem adquirido novos
seres que teriam a capacidade de prever
conhecimentos e uma personalidade diferente. eventos futuros. Como não associar a eles,
Como se sabe, os implantes são geralmente então, a capacidade psíquica dos alienígenas
inseridos nos abduzidos como parte do citados pelas vítimas de raptos? Outras
programa que os alienígenas executam de características ainda consideradas próprias
controle e monitoramento de suas vítimas. de algumas fadas, gnomos ou duendes são
Outro aspecto deste grande conjunto de aquelas miméticas. Lendas européias que
mitos é o pavor sentido pelas crianças du- atribuem a certos seres a capacidade de
rante a noite. Conta-se que os shaquos rap- transformarem-se em animais, como os
tam meninos e meninas deixando em seu lu- puca, de origem irlandesa, ou o Massarot e o
gar um duende decrépito e idoso. Os serval, Telchnyii, na Grécia, que podem transmutar-
do nordeste da Itália, desejam assemelhar- se em qualquer objeto que queiram, animado
se ao homem e – conta a lenda – freqüente- ou inanimado.
mente trocam suas crianças recém-nascidas Outra análise interessante desses fatos
pelas humanas. Este tipo de substituição é pode-se fazer tomando-se o relato da expe-
um aspecto encontrado inúmeras vezes nas riência de um jovem que chamaremos de Mi-
principais atividades dos greys. Já nas len- ke, que foi raptado por ETs e teve seu depoi-
das do leste da Rússia aparece a figura do mento relatado no livro Close Extraterres-
Cattivora, um gênio maléfico com olhos hip- trial Encounters, de Richard Boylan. O rela-
nóticos e mãos dotadas de longas unhas pon- to de Mike apresenta uma analogia com a fá-
tiagudas, adaptadas para agarrar crianças. bula escocesa Thomas e o Bandolim. Tho-
Acredita-se também que, dentro de algu- mas, o protagonista da fábula, desaparece
mas cavernas, habitem perigosas criaturas inexplicavelmente durante um belo dia de
verão. Na realidade, foi raptado pela prince-
que saem durante a noite para raptar meni- sa dos elfos e permaneceu preso em seu rei-
nos e meninas perdidos, a fim de devorá-los. no por sete anos, como seu servo. Mas no
Na calada da noite se agitam outras criaturas momento de ser libertado, foi orientado a
também inquietantes, como as bruxas- obedecer fielmente a regra do silêncio e ja-
Cristina Santillo

vampiro, que se encostam nos berços dos re- mais revelar o que lhe passara. Antes de par-
cém-nascidos para sugar-lhes o sangue. Na tir, porém, a rainha doou a Thomas um fruto
região de Trento, também ao norte da Itália, encantado como recompensa pelos serviços
conta-se a história de um duende que tem a durante os tais sete anos. “A doação que te
faculdade de provocar vertigens e visões ofereço”, disse a rainha, “te trará fama eter-
nos seres que se aproximam da gruta onde na e fará com que o nome Thomas Learmont
habita. Aprisiona qualquer um que ouse pi- seja lembrado durante o tempo em que a
sar sobre a sua pegada e, em alguns casos, Escócia existir”.
rouba a alma das pessoas. A lenda ainda dá conta de que a rainha
Antigamente se cogitava que, sendo um O MONSTRO de Hopkinsville (EUA), dos elfos deu mais instruções a Thomas.
povo em extinção, as fadas procurassem re- observado por uma família em 1955. “Agora você deve voltar ao seu mundo, mas
produzir-se juntando-se aos seres humanos. Em muitos países este ser também já antes ouça bem o que eu tenho para te dizer:
Porém, na falta de representantes masculi- foi visto rondando casas. Seu com- ‘chegará um tempo em que te chamarei de
nos disponíveis, substituíam as crianças sa- portamento lembra o mito do Salbanelli volta e você deverá obedecer ao meu cha-

38 Fevereiro 99
mado, aonde quer que esteja’. Mandarei al- humanóides em que estes usam uma espécie defesa e até transporte ao seu portador].
guns mensageiros, que você reconhecerá de capacete em forma de cone. Esse Existe ainda a lenda das sereias, que
imediatamente, pois não pertencem ao teu utensílio – podemos especular – poderia ser poderiam representar a mistificação de
mundo”. Por fim, a lenda informa que Tho- um tipo de antena transmissora utilizada criaturas de macacão ou escafandro anfí-
mas, voltando seu olhar diretamente para os como meio de comunicação com sua nave. bio, lembrando as escamas dos peixes, ou
olhos da rainha, ao receber as instruções, dis- Tal capacete cônico poderia também conter ainda em forma de robô ou andróide anfí-
se que a obedeceria. Segundos após, foi to- um fone ou um outro instrumento para ser bio, enviados para executar observações
mado por uma inesperada sonolência e uma mantido sempre junto aos ouvidos. científicas nas nossas bacias hidrográfi-
névoa branca descida do céu o envolveu. Qu- Algumas lendas narram que os gnomos, cas. Nesse ponto, podemos criar um para-
ando despertou, encontrou-se deitado à som- quando perdem seu chapéu, perdem tam- lelo entre as sereias e alguns humanóides,
bra de uma grande árvore e com a sensação bém seus incríveis poderes sobrenaturais. como aqueles observados em todo o mun-
de que a sua permanência na terra dos elfos Realmente, se pensarmos na hipótese de do. Num caso específico, ocorrido em
não tinha sido nada mais do que um sonho. que nossos antepassados tenham visto os 1954 na localidade de Parravicino
Daquele momento em diante, Thomas mesmos alienígenas que vemos hoje, eles d’Erba, Itália, a criatura além de estar
começou a fazer profecias que se revelaram poderiam ter entendido que, através desses usando um macacão de escamas, apre-
exatas e tornou-se famoso em toda a Escó- radiotransmissores, os gnomos se comuni- sentava a parte inferior de seu corpo côni-
cia. Graças aos presentes que recebeu dos no- cassem entre si e que, perdendo o tal chapéu, ca e em um único bloco, igual ao de uma se-
bres e ricos pelas suas advertências e acon- seriam privados de tais capacidades [Há ain- reia.
selhamento, construiu uma torre onde pôde da dezenas de casos em que seres extrater- Segundo o que acreditavam os anti-
viver. Ainda segundo a lenda, todos os anos restres são vistos fora de sua nave carregan- gos marinheiros, as sereias eram interes-
ocorria uma grande festa na torre e, durante do uma bola de luz ou de cristal, que teria a sadas no líquido seminal e no sangue hu-
uma delas, um serviçal entrou correndo e as- capacidade de proporcionar comunicação, mano. Essas criaturas teriam a capacida-
sustado por ter visto dois cervos brancos saí- de de, com seu canto melódico e hipnóti-
rem juntos da floresta em direção à vila. To- co, obrigar homens e mulheres a mante-
dos na festa acharam o fato muito estranho, rem relações sexuais com elas. Se é ver-
pois os animais da floresta nunca tinham saí- dade que os alienígenas responsáveis pe-
do em direção à estrada e muito menos em los raptos às vezes parecem interessantes
dupla, o que era considerado uma verdadei- para certos raptados, aparentemente por
ra raridade. Porém, Thomas sabia que não motivo de reprodução, é ainda possível
eram criaturas terrenas, mas sim os dois men- que o mito das sereias represente a lem-
sageiros enviados pela rainha dos elfos para brança ancestral de raptos alienígenas no
chamá-lo. Feliz, acompanhado pelos cer- passado. Um outro elemento típico das es-
vos, voltou-se para a floresta e deixou para tórias de fadas e magos é aquele da vari-
atrás sua vila. nha mágica ou de condão, utilizada para
Confrontando a experiência de Mike produzir magias, encantamentos e prodí-
com a história acima, podemos definir ele- gios.
mentos precisos referentes ao fenômeno das O escritor Whitley Strieber, já menci-
abduções. Vejamos a seguir um resumo do onado, durante seus encontros com ali-
depoimento de Mike: “Estava em um local e ens, teria observado que tais seres porta-
levantei-me para voltar para casa, junto de vam um bastão muito sutil, como uma ba-
meu irmão, quando vi alguns movimentos en- queta da cor de estanho. Segundo Strie-
tre os arbustos. Era um jovem cervo que vi- ber, os seres usavam tal bastão como ins-
nha em nossa direção mas, quando olhei ao trumento para produzir algum efeito ain-
redor, percebi que estávamos rodeados por da não determinado [O mesmo tem sido re-
mais de uma dúzia deles, também jovens, latado por inúmeros abduzidos em todo o
que nos fixavam diretamente nos olhos”. Co- mundo, que observam seus raptores ma-
mo vemos, o relato de Mike se assemelha ao nejar estranhas varetas]. Em outras pala-
de Thomas. E continua: “Meu irmão falou vras, objetos semelhantes a estes se en-
‘eles chegaram’, como que já sabendo do contram também descritos às vezes como
que se tratava. Eu também senti que sabia armamento alienígena, noutras como ins-
quem eram e que aquelas criaturas não po- trumentos usados para exames médicos
Cristina Santillo

deriam ser cervos, mas sim extraterrestres. feitos nos raptados.


Ainda que eu não me considere um grande
estudioso da natureza, sei que ver uma dúzia Tubo metálico – Num exemplo clás-
de cervos num mesmo local é algo muito in- sico, em 23 de julho de 1947, o agrimen-
sólito. Tudo que aconteceu estava presente sor José Higgins foi abordado por três se-
na minha memória, porém fragmentado”. res muito altos que desceram de uma nave
espacial que estacionou próximo de onde
Os instrumentos dos duendes – trabalhava junto aos seus comandados,
Segundo a tradição dos gnomos, estes sempre na localidade conhecida como Colônia
usam um curioso e característico chapéu em O GNOMO de Imjarviim (Finlândia), Goio-Bang, próxima da cidade de Pitan-
forma de cone. Identicamente, ainda que não visto por lenhadores e fazendeiros, é ga (PR). Um dos seres apontou em sua di-
seja muito freqüente, na casuística de contatos uma criatura mítica com poderes reção um tubo metálico, que depois usou
imediatos com extraterrestres existem hipnóticos. Diz a lenda que seqüestra para desenhar sete círculos concêntricos
muitos testemunhos de encontros com suas vítimas para “roubar-lhes o sono” no chão. Em 28 de nono tubo metálico.

Fevereiro 99 39
Também na França, há descrições de cos atribuídos a seres sobrenaturais e pre- Assim, reiteramos que o programa de ab-
eventos similares em que ETs aparecem por- sentes em nossas tradições populares, não duções conduzido pelos alienígenas utili-
tando bastões ou tubos. Em 1954, um ho- seriam os mesmos instrumentos descritos zando-se da raça humana é vasto, complexo
mem viu um pequeno ser usando um esca- pelos abduzidos dos dias de hoje, portados e não se limita apenas a manipulações gené-
fandro e manuseando um objeto afunilado por extraterrestres. Não seriam tais objetos a ticas ou cruzamentos de raças. Tudo indica
semelhante a uma barra metálica. A teste- característica de uma fase particular de even- que a ‘agenda de trabalho’ de nossos visitan-
munha foi paralisada em meio às suas ativi- tos que tanto nossos antepassados quanto os tes ainda não está terminada. Ao mesmo tem-
dades e recobrou os movimentos apenas abduzidos atuais tenham vivido? po, dada a notável diversidade no transcor-
após o ET partir. Em Valensole, também na rer do ‘nosso’ tempo e tempo ‘deles’, parece
França, temos a ocorrência de 1° de julho de O nosso tempo e o deles – Feitos estes que os alienígenas têm efetuado esses expe-
1965, em que uma testemunha viu um obje- interessantes paralelos entre os mitos relacio- rimentos há séculos – mas isso é estimado
to ovalado pousado no solo, do qual saíram nados ao que chamamos carinhosamente de apenas com base na nossa medida do tempo.
duas pequenas criaturas. Um dos seres se vi- Povo Pequeno e as aparentes características Se pensarmos que, no mundo de nossos visi-
rou bruscamente para a vítima, apontando dos alienígenas, tais analogias passam a ser tantes, o tempo pode passar de maneira bem
contra ela uma espécie de lápis que a parali- muito consistentes para serem consideradas diferente (mais veloz ou mais lento), aquilo
sou por diversos minutos. apenas fruto da casualidade – tanto em núme- que para nós é um século pode, para eles, tal-
Na Suécia, em 1967, dois rapazes vi- ro quanto em circunstâncias. Pode-se conclu- vez, ser apenas um dia.
ram um objeto luminoso e um ser com apro- ir que as interferências alienígenas, conforme Não podemos esquecer ainda que a lógi-
ximadamente 1,30 m de altura. A criatura investigações sendo conduzidas em todo o ca de nossos visitantes pode ser muito dife-
tinha uma grande cabeça, andava com mo- mundo, não são um fenômeno novo nem re- rente da nossa. Os seres humanos que os vi-
vimentos bruscos, quase saltitando e le- presentam episódios exclusivamente de nos- ram, ao longo dos séculos, os descrevem in-
vando nas mãos um tubo brilhante. Na Bél- sos dias. Na realidade, parece que este tipo de vadindo suas casas, interferindo em suas vi-
gica, em janeiro de 1974, uma testemunha interferência – abduções, criações de híbri- das e depois desaparecendo através de pare-
viajando de carro contou que, inexplica- dos, implantes etc – tem sido conduzido pelo des – um comportamento que nos parece iló-
velmente, parou o veículo e viu dois seres mesmo grupo de inteligências extraterres- gico. A observação mais relevante na inter-
dirigindo-se para o seu lado. Um deles em- tres, pelo menos nos últimos séculos. pretação que fazemos desses fatos é, talvez,
punhava um objeto curto e semelhante a Os mitos e tradições populares indicam a de que nos tempos antigos não se buscava
uma régua, com uma ponta em forma de pi- que aquilo que os antigos chamavam de fa- explicações óbvias ou científicas a qualquer
râmide, que mantinha apontado para o car- das e gnomos são as mesmas criaturas que custo, mas aceitava-se os eventos paranor-
ro. A testemunha ouviu um som irritante e nós hoje chamamos de alienígenas. Os re- mais apenas pelo que eram. Por isso nos
sentiu uma suave dor na cabeça que durou centes estudos por parte de ufólogos de todo vem à mente a figura de nossa querida e ter-
até quando os dois desconhecidos se dis- o mundo e a difusão de livros e informações na avó, que sempre nos contava bonitas his-
tanciaram, voltando a entrar no UFO. inerentes às abduções, têm permitido a mui- tórias de duendes que, em determinadas noi-
Estes casos são apenas alguns exemplos tíssimas pessoas reconhecer que viveram ex- tes, sentavam- se aos pés de nossas camas pa-
de um vasto universo casuístico que apre- periências parecidas com a de nossos ante- ra fazer-nos companhia.
senta analogia no que diz respeito aos nume- passados. Esse fato faz com que, erronea-
rosos seres mitológicos saídos de livros de mente, tenhamos a impressão de que as ati-
tradições populares ou folclóricas. Em to- vidades alienígenas estejam se intensifican- Cristina Santillo é articulista da revista
dos estes episódios, as criaturas empunham do nos últimos tempos. Porém, em nosso pa- italiana Dossier Alieni. Seu endereço é: Via
objetos estreitos, longos e semelhantes a tu- recer, é justamente a ampla e abrangente di- Salaria 222, 00198 Roma. Este texto foi
bos. Em vista disso, temos que nos pergun- fusão e circulação de notícias sobre o assun- publicado na referida revista e traduzido por
tar se as varas de condão ou os bastões mági- to que agiganta a realidade dos raptos. Ana Luiza J. Palumbo, da Equipe UFO.

Uma experiência reveladora agora em vídeo


Uma série de experiências
extraordinárias – e também
polêmicas – deu-se com o italiano
Giorgio Bongiovanni. Há mais de 10
CUPOM PARA PEDIDO
anos, ao ver uma criatura que Desejo receber pelo correio o vídeo Segredo de Fátima – A História de
imaginou tratar-se da Virgem Maria, Giorgio Bongiovanni, pelo qual envio um cheque anexo ou vale postal
durante uma visita à Fátima (Portu- de R$ 29,50, nominal a Rafael Cury, para: Caixa Postal 1366, Centro,
gal), Giorgio passou a receber 80001-970 Curitiba (PR). Informações pelo fone: (041) 354-7367.
inexplicáveis estigmas em seu
corpo. Ele crê ter uma missão na Nome:
Terra, que irá desenvolver sob
orientação de ETs. Admirado em
Endereço:
todo o mundo, Giorgio conduz sua tarefa Bairro: Fone:
com dedicação e entusiasmo. Sua história e missão já
podem ser conhecidas no Brasil através deste vídeo. CEP: Cidade: Estado:
Formato VHS (NTSC). Preço unitário: R$ 29,50

40 Fevereiro 99
Fevereiro 99 41
42 Fevereiro 99
Fevereiro 99 43
44 Fevereiro 99
Fevereiro 99 45
Luzes sobre plantação de no acostamento da rodovia para melhor pazes que estavam em sua companhia, re-
Luzes sobre plantação observar as evoluções do objeto que, em tornavam de um baile quando de repente
arroz
de arrozem São
em São Paulo
Paulo dado momento, parou a 300 m de altura todos viram surgir no céu uma intensa luz
do solo, permanecendo por algum tempo amarela que fez com que ficassem muito

E m 23 de junho de 1998, recebi um tele-


fonema do senhor Pedro Ligabo So-
brinho informando-me sobre avistamen-
no local. Conta a testemunha que, logo a
seguir, o UFO subiu lentamente até desa-
parecer no céu.
assustados e saíssem correndo em direção
às suas casas, cada um seguindo uma es-
trada de terra. Estamos averiguando os fa-
tos de objetos luminosos. Pedro reside na Nessa mesma região, próximo à fa- tos até o momento.
Fazenda Santana do Rio Abaixo, na zenda de Pedro, existe uma plantação de Basílio Baranoff (capitão da
Estrada do Lambari, próximo à cidade de milho da Granja Itambí. Numa madruga- Reserva da FAB e consultor de UFO),
Jacareí (SP). O local é palco de avista- da indeterminada, o jovem Edson Ferrei- Rua Euclides Miraguaia 581/42,
mentos regulares. Jacareí fica a 16 km de ra, morador do local, e mais outros dois ra- 12245-550 São José dos Campos (SP)
São José dos Campos, onde ocorreu uma
onda ufológica com a presença de 21 obje- ABAIXO, o pesquisador e capitão re-
tos nos céus da cidade, em maio de 1986. formado da Aeronáutica Basílio Bara-
Pedro relatou que, em uma noite de noff, à frente da plantação de arroz
abril do ano passado, aproximadamente dos irmãos Pedro e João Bosco Liga-
às 20:00 h, avistou um objeto luminoso bo (no detalhe, a partir da esquerda)
emitindo uma intensa luz amarela fluo-

Arquivos de Basílio Baranoff


rescente e realizando evoluções em linha
reta sobre suas plantações de arroz. Poste-
riormente, o senhor Pedro também obser-
vou, por diversas vezes, várias faixas so-
bre o arrozal que chegavam a medir cerca
de 200 m de comprimento por 2 m de lar-
gura, as quais tornaram o tamanho dos pés
de arroz bem inferior ao seu normal, devi-
do ao amassamento que sofreram. Essas
faixas comumente surgem no local quan-
do há ocorrências de avistamentos de obje-
tos luminosos não identificados.
O irmão de Pedro, senhor João Bosco
Ligabo, também observou UFOs na re-
gião. Ele deslocava-se com seu veículo há
quatro anos atrás pela Rodovia Dutra, em
direção a Jacareí, quando próximo ao qui-
lômetro 165, aproximadamente às 23:00
h, avistou um enorme objeto emitindo
uma luz amarelada sobre a plantação de
seu irmão. João até chegou a parar o carro

Vivências
Os ufólogos brasileiros são privilegiados por terem como pioneira nesta área a pro-
fessora Irene Granchi. Reconhecida mundialmente como uma das primeiras estudio-
sas a padronizar técnicas de pesquisa ufológica, dona Irene é também fonte de inspira-
ção para ufólogos de todas as idades – principalmente aqueles nascidos nos anos 60 e
Arquivo UFO

Uma vida 70. Incansável investigadora e divulgadora da verdade sobre os UFOs, dona Irene ven-
ceu os mais diversos e pesados obstáculos que encontrou à sua frente, em seus mais de
que é exemplo 50 anos de Ufologia. Como mulher, dona de casa e professora, iniciar uma carreira nes-
para ufólogos ta área, ainda mais em 1947, foi realmente um feito. Vencer preconceitos e limitações
passou a ser rotina diária dessa senhora – hoje com 84 anos e ainda lúcida –, que é viva referência internacional na pes-
do mundo quisa ufológica. Não só os estudiosos brasileiros a reverenciam por sua coragem, determinação e persistência: ufólogos
do mundo inteiro a respeitam tanto quanto ao seu inspirador, o próprio doutor J. Allen Hynek. O legado de dona Irene é
inteiro valiosíssimo e deve ser explorado por todos aqueles realmente engajados em conhecer a verdade sobre os UFOs.

46 Fevereiro 99
Envie seu relato para UFO:
Caixa Postal 2182, 79008-970 Campo Grande (MS)
Fone: (067) 724-6700 – Fax: (067) 724-6707
Endereço eletrônico: redacao@ufo.com.br

juntamente com minha família, saí o mais


Naves amedrontam
UFO amedronta
mães
mães no Paraná
no Paraná
rápido que pude da fazenda, em direção
ao hospital da cidade. Lá chegando, os mé-
J á faz mais de dois anos que este fato
aconteceu e que venho tentando es-
quecê-lo. Não me lembro o dia, mas sei
dicos examinaram David e disseram que que ocorreu no mês de setembro de 1995,
não havia problema com sua saúde. Lem-
E m 10 de julho de 1997, presenciei
uma cena assustadora em minha fa-
zenda, onde estava descansando junta-
bro-me claramente das palavras do médi-
co: “Ele está dormindo como um anjo”.
quando ainda morava em Ponta Grossa
(PR). Pela janela da cozinha de minha resi-
dência avistei, enquanto preparava o jan-
mente com minha família. Neste dia tudo Depois do acontecido, resolvi vender a tar de minha família, por volta das 19:40
parecia normal, até que senti a ausência fazenda. Meu marido não entendeu o por- h, algo em que não pude acreditar. Era um
do caçula David, de 4 anos, e fui procurá- quê de minha atitude, mas consegui con- objeto oval com mais ou menos 10 m de
lo. De repente, a vencê-lo de que se- diâmetro e 3 m de altura, a aproximada-
100 m de onde eu ria o melhor a fa- mente 50 m de distância de onde eu esta-
estava, vi várias lu- zer. Não contei na- va. Observei-o apenas por alguns segun-
zes vermelhas pis- da a ninguém, tal- dos, enquanto estava parado, até que de re-
carem, além de vez por isso não pente ele se afastou em uma velocidade es-
um ruído que me consiga me acal- pantosa – tempo em que pude sentir que
perturbava, mas mar. E quando lem- minha visão ficou ofuscada por fortes lu-
ao mesmo tempo bro-me do ocorri- zes coloridas emitidas pelo UFO.
me atraía. Movida do, fico com muito As luzes misteriosas eram tão inten-
por curiosidade, medo desse estra- sas que até fizeram com que eu derrubas-
aproximei-me do nho objeto reapa- se a panela em que estava fazendo comi-
local onde as luzes recer. Além disso, da, assustando muito minhas três filhas
se encontravam, desde o ano passa- que presenciaram meu nervosismo. Não
quando então pu- do David anda fa- contei nada sobre este acontecimento a
lando sobre assun-
David

de observar um ob- elas nem ao meu marido, que só ficou sa-


jeto ovóide subin- tos estranhos. Diz bendo do fato mais tarde, e ainda, depois
do ao céu. Segun- DESENHO que o menino David fez, após que irá para outros que soube do ocorrido, passou a me olhar
dos depois, aquilo ter estado nas proximidades de um dis- planetas e até che- com um misto de pena e curiosidade. Por
desapareceu no co voador segundo relato de sua mãe gou a desenhar al- esse motivo, não pude agüentar ser vista
meio das nuvens. gumas gravuras es- como louca ou como uma pessoa de ima-
Não percebi se havia alguém dentro, quisitas que me as- ginação fértil. Assim, resolvi nunca mais
pois uma forte luz ofuscou minha visão. sustam muito. Escrevo à Revista UFO por- tocar no assunto com ele. No entanto, é
Apenas vi meu filho caído ao chão, apa- que sei que vocês acreditam em seres ex- com alívio que finalmente tomo cora-
rentemente desmaiado, no momento em traterrestres e também porque não agüento gem para escrever a pessoas que sei que
que dirigi meus olhos para o lado oposto mais guardar isso somente para mim. acreditarão em mim!
de onde havia visto a tal nave. A seguir, de- Nome reservado Nome reservado
sesperada, carreguei-o em meus braços e, Curitiba (PR) Curitiba (PR)

Pontos fantasmas
Pontos misteriosos em Diamantina
em Chapada Chapada Diamantina
O jovem leitor Leonel Luis Lencioni Ferreira, de apenas 15
anos, enviou à Revista UFO uma série de fotografias que tirou pró-
ximo à Chapada Diamantina (BA), em junho de 1996. Nas fotos apa-
recem pequenos pontos curiosos, que nos chamaram a atenção. Infe-
lizmente, no entanto, os pontos são bastante diminutos e quase im-
Leonel Luis Lencioni Ferreira

perceptíveis. Mesmo assim, em pelo menos um das fotos podem ser


notados. Leonel é um entusiasta da Ufologia e, em sua carta, nos es-
creveu que está “inteiramente envolvido pela História de nossa cri-
ação e evolução, sobretudo a interferência que o ser humano ter-
restre sofreu por parte de seres alienígenas”. Leonel conjectura que
tal interferência pode ser benéfica ou maléfica. Seu endereço é: Rua
Comendador João Lopes 172, 12280-000 Caçapava (SP).

Fevereiro 99 47
sobre o assunto e uma em Português]. Nele,
Uma obra aprofundada dose cavalar de pa- Martín analisa os prin-
sobre um dos aspectos ciência para examiná- cipais casos registra-
mais polêmicos da Ufologia lo tantas vezes quan- dos no Caribe, compa-
tas forem necessárias. rando-os com ocor-
Mesmo assim, talvez rências verificadas
N o ano de 1996, um fenômeno agitou o
mundo todo durante vários meses, e
ainda em 1998 podia-se sentir suas conse-
não chegue à conclu-
são alguma. Porém,
noutros países. Sua in-
vestigação é in loco e
há um atalho que pode Martín percorreu vas-
qüências. Foi o Chupacabras, um tema po-
ser seguido. E este ata- tas distâncias para cole-
lêmico que teve início nos países do Cari- lho é justamente o li-
be – especialmente Porto Rico – e esten- tar pessoalmente depo-
vro do pesquisador imentos contundentes
deu-se por toda a América Central, che- que não somente é a
gando ao Brasil e espalhando-se pelo pla- que dão conta de que a
principal referência suposta criatura não é
neta. A Imprensa, como sempre faz nesses no assunto Chupaca-
casos que reúnem componentes extre- um mito ou apenas fru-
bras no mundo, como
mos, agiu com uma veia sensacionalista também é o ufólogo Ficha técnica: to de imaginação fértil.
raramente vista. Jornais de todo o mundo que primeiro exami- É esse tipo de ma-
– entre outros meios de comunicação – fi- nou a questão com len- La Conspiración terial que o autor uti-
zeram com que as populações de várias na- tes científicas: Jorge Chupacabras liza para apresentar
ções acreditassem estar sendo invadidas Martín, editor-chefe Jorge Martín várias teorias que ex-
por um monstro alado e peludo, com chi- da publicação porto- Edición Cedicop, 1998 plicam a origem do
fres e presas. Uma criatura horrenda, pre- riquenha Evidéncia 230 páginas, US$ 30,00 monstro e sua atua-
tensamente originada de outros mundos. Ovni e representante ção. O livro pode ser
O que há de verdade e o que há de men- de UFO em seu país. encomendado dire-
tira por trás dos milhares de alegados ata- La Conspiración Chupacabras é, de lon- tamente com Martín, escrevendo-se para
ques do tal Chupacabras em pelo menos ge, o trabalho mais completo, elaborado e o endereço: Cedicop, P. O. Box 29516,
40 países do mundo, onde o fenômeno foi minucioso sobre o polêmico tema. San Juan, Puerto Rico 00929-0516. O
registrado? Para tentar responder a esta O livro, lançado no ano passado, já es- preço é de 30 dólares e aceitam-se cartões
pergunta, o leitor deverá munir-se de um tá sendo traduzido para vários idiomas Visa e Mastercard internacionais. Escre-
assombroso calhamaço de informações [Infelizmente, não está prevista edição va em Inglês ou Português. Vale a pena!

Publicações
Amaluz, 70 e 71, novembro e Fate Magazine, 8 a 11, agos- Informativo NAVE, 4, outubro fach 2361, D-58473 Lüdens-
dezembro de 1998. Editor: Dani- to a novembro de 1998. Editor: de 1998. Editor: Emanuel Para- cheid, Alemanha.
el Dzegar. Av. Tietê 618, Casa 6, Terry O’Neil. P. O. Box 64383 St. nhos. Caixa Postal 69,42700-
01417-020 São Paulo (SP). Paul (MN), 55164-0383 EUA. 000 Lauro de Freitas (BA). Más Allá, 115 e 116, setem-
bro e outubro de 1998. Editor:
Anomalies, 4, outubro de Flying Saucer Review, 3, ou- Informe Pesquisas Ufológi- Javier Sierra. Gobelas 15, Zip
1998. Editor: Yves Bosson. Boi- tono de 1998. Editor: Gordon cas, 17, outubro de 1998. Edi- 28023 Madri, Espanha.
te Postale 57, La Plaine, 13244 Creighton. P. O. Box 162, High tor: José Carlos Rocha Júnior.
Marseille Cedex 01, França. Wycombe, Bucks, HP13 5DZ, Rua Doutor Ruy Vicente de Mel- Realidade UFO, 15, novem-
Inglaterra. lo 1273, Cidade Universitária, bro de 1998. Editor: Rosandro
Ciências Paralelas, 1, outu- 13084-050 Campinas (SP). B. Minuzzi. Rua Dr. Rivota 1118,
bro de 1998. Editor: Salvato Cla- II Giornale dei Misteri, 323 e 97700-000 Santiago (RS).
udino. Av. Cruzeiro do Sul 3153, 324, setembro e outubro de International UFO Reporter,
Conj. 54, 02031-200 São Pau- 1998. Editora: Laura Bei. V. Mas- 3, inverno de 1998. Editor: Jero- Safira Estrela, 8, setembro
lo (SP). saia 98, 50134 Firenze, Itália. me Clark. 2457 W. Peterson Ave- de 1998. Editor: Carlos Raposo.
nue, Chicago (IL), 60659 EUA. Caixa Postal 37666, 22642-
Dossier Alieni, 13, agosto de Informativo CIPAR, 81, 2° se- 970 Rio de Janeiro (RJ).
1998. Editor: Maurizio Baiata. V. mestre de 1998. Editor: Emma- Journal für UFO Forschung,
Monte Penna 51, 00012 Gui- nuel Sanchez. Cx. Postal 3001, 4, agosto e setembro de 1998. Mufon UFO Jornal, 366 e 367,
donia Montecelio, Roma. 85015-970 Guarapuava (PR). Editor: Gerald Mosbleck. Post- outubro e novembro de 1998.

48 Fevereiro 99
Um livro que expõe nhas de desinforma- tante o FBI emprega-
ção quanto ao assun- va esforços, pessoal e
os segredos mais bem to? Certamente muito recursos para tentar
guardados do mundo pouco, se comparado destruir a credibili-
com a CIA. dade do fenômeno

Jde mundo
á é bem conhecido dos ufólogos do
inteiro o fato de que as agências
Inteligência de diversos países ocu-
Pois o livro de
Nick Redfern vem jus-
tamente esclarecer es-
através da ridiculari-
zação sistemática
das pessoas que admi-
pam-se da investigação e acobertamento sa diferença e mostrar tiam ter tido expe-
de informações sobre o Fenômeno UFO. ao leitor que o FBI tam- riências. E, num ex-
Por tratar-se de um assunto que de certa bém mantém inces- tremo mais grave, fa-
forma compromete a segurança nacional santes atividades de zia o mesmo com ufó-
e interna de alguns países mais avança- pesquisa ufológica e logos – muitas vezes
dos, estas nações – capitaneadas pelos promove vastas e alta- destruindo suas vi-
Estados Unidos – empregam suas agênci- mente destrutivas cam- das e carreiras.
as para descobrirem o que podem sobre o panhas de ridiculari- Ficha técnica: Pois é isso que o
assunto, de forma a tentar controlá-lo e zação do assunto. leitor verá documen-
melhor utilizar tais informações em suas Em tese, a diferen- The FBI Files tado em The FBI Fi-
campanhas de desinformação. ça entre a ação da CIA (UFO Top Secret Exposed) les: um conjunto de
Quando o tema é acobertamento ufo- e do FBI na questão Nicholas Redfern evidências que com-
lógico, o organismo de Inteligência que dos discos voadores é Simon & Schuster, 1998 provam a ação do Bi-
vem imediatamente à mente é a temida e que a primeira atua fo- 340 páginas, US$ 28,00 rô para evitar a todo
poderosa CIA – a Agência Central de Inte- ra dos EUA, enquanto custo que a verdade
ligência dos Estados Unidos. Sabe-se que a outra age domesticamente, dentro de sobre os UFOs venha à tona. Redfern con-
ela mantém convênios secretos com enti- seu território. Mas não é só isso: o Birô seguiu reunir numa só obra uma quanti-
dades similares em muitos países, de for- tem uma linha de ação nefasta para teste- dade assustadora de documentos do FBI
ma a controlar a manifestação ufológica munhas oculares de manifestações ufoló- que comprovam sua tão reprovável atitu-
em todo o planeta. Mas e sobre o FBI – o gicas e, em especial, para ufólogos de al- de. Por isso, o autor está de parabéns pelo
Birô Federal de Investigação? O que se sa- gum destaque. Embora hoje tal atuação es- zeloso trabalho e pela admirável cora-
be sobre sua atuação na pesquisa e campa teja arrefecida, no passado não muito dis- gem de vir a público.

Recebemos & Agradecemos

Editor: Walter H. Andrus Jr. 103 UFO Aktuellt, 3, outubro de UFO Norge, 1 e 2, outubro e no- Surge uma nova revista na
Oldtowne Road, Seguin (TX), 1998. Editor: Clas Svahn. Sten- vembro de 1998. Editor: Mentz Itália: UFO, editada pela
78155-4099 EUA. bockens väg 21, 175-65 Järfäl- D. Karbo. Strandgattan 221, competente equipe do ufólogo
la, Suécia. 5005 Bergen, Noruega. Giorgio Bongiovanni.
Notiziario UFO, 21, outubro
de 1998. Editores: Roberto Pi- UFO Informe, 46 a 48, setem- UFO Színes, 10, outubro de
notti e Maurizio Baiata. Via Mon- bro a novembro de 1998. Editor: 1998. Editor: Szucs Robert.
te Penna 51, 00012 Guidonia Alexandre Calandra. R. 880, n° 1126 Böszörményi út 16/b, Bu-
Montecelio, Roma, Itália. 10, 88220-000 Itapema (SC). dapest, Hungria.

Observador, 1, outubro de UFO, 1 e 2, outubro e novembro Universus, 48 a 50, outubro a


1998. Editor: Emerson Magno de 1998. Editor: Giorgio Bongio- dezembro de 1998. Editores: O.
F. de Andrade. R. Maria Rita Pei- vanni. Via Molino 1824, 63019 Azevedo e P. Salotti. Av. das Amé-
xoto 67, Mangabeira, 58057- Porto Sant’Elpidio a Mare, Itália. ricas 1155/1413, Barra,
532 João Pessoa (PB). 22631-000 Rio de Janeiro (RJ).
Ufómagazin, 82 a 85, julho a
Terzo Millennio, 4 e 5, setem- outubro de 1998. Editor: Gábor UFO Contact, 2 e 5, fevereiro e
bro e outubro de 1998. Editor: Gi- Ta r c a l i . 1 1 3 8 N é p f ü r d ö maio de 1997. Editor: Giuseppe
orgio Bongiovanni. Via D’Aragona UTCA15/D, H-1138, Budapes- De Pietro. Via S. Angelo di Brolo
10, 20132 Milão, Itália. te, Hungria. 6, 00132 Roma, Itália.

Fevereiro 99 49
Invasão de discos voadores na Itália
Todas as fotos são cortesia da revista UFO
A recém lançada re-
vista UFO italiana, de
Giorgio Bongiovanni, 1 2
traz em sua segunda edi-
ção uma coleção de fotos
de naves sobre diversos
pontos da Itália. Várias
delas são bastante inte-
ressantes, como as publi-
cadas nessa seção. A foto
1, de uma nave contra o
pôr do Sol, foi obtida na
localidade de Frontone,
em 9 de junho de 1996. A
foto 2 mostra um UFO
sobre uma base aérea ita- 3 4
liana não identificada. A
foto 3, obtida em plena
luz do dia, foi tirada num
subúrbio de Padova, em
19 de agosto de 1997. Por
fim, a foto 4 mostra um
objeto cilíndrico no céu,
registrado pelo piloto Gi-
ancarlo Cecconi, em 18
de junho de 1979.

Eventos
21 a 27 de fevereiro
13 a 16 de fevereiro
8th International Las Vegas UFO
VII Conferência Internacional de Ufologia Congress & Film Festival
XVII Congresso Brasileiro de Ufologia Científica
Organizado por Bob e Terry
Organizado por Rafael Cury, des- Friedman (Canadá), Budd Hop- Brown, no River Palms Resort, em
ta vez a realizar-se em Porto Alegre kins (EUA) e Jorge Martín (Porto Ri- Laughlin (Nevada), EUA. Confe-
(RS), no Hotel Plaza San Raphael. O co). Contatados nacionais convida- rencistas confirmados: Wendelle Ste-
evento dá continuidade à série, sem- dos: Lúcio Valério Barbosa, Emmanu- vens (EUA), Brad Steiger (EUA),
pre mantida em Curitiba (PR). Confe- el Sanchéz, Paul Louis Laussac. Inter- Graham Birdsall (Inglaterra), Peter
rencistas nacionais convidados: Aldo nacionais: Giorgio Bongiovanni (Itá- Sorenson (Inglaterra), Roberto Pi-
Novak, Claudeir Covo, Marco A. Pe- lia), Sixto Paz (Peru), Travis Walton notti (Itália), Johsen Takano (Japão),
tit, Ricardo Varela, Eustáquio Patou- (EUA), Marleen Lopéz (Porto Rico). Michael Hesemann (Alemanha), Do-
nas, Hernán Mostajo, Romio Cury, Informações: Rafael Cury, Núcleo de nald Ware (EUA), Enrique Rincón
Ernesto Bono e A. J. Gevaerd. Inter- Pesquisas Ufológicas (NPU), Caixa (Costa Rica), Leo Sprinkle (EUA)
nacionais: Fábio Zerpa (Argentina), Postal 1366, 80001-970 Curitiba etc. Informações: Bob Brown, 9975
Jorge Alfonso Ramirez (Paraguai), (PR). Fone: (041) 354-7367. E-mail: Wadsworth Parkway, K2-274, West-
Fernando Bañol (México), Stanton rafael. cury@ avalon.sul.com.br. minster, CO 80021, EUA. Fone: 001
(303) 543-9443.

50 Fevereiro 99
Livros do outro mundo
Terra – Laboratório Biológico Extraterrestre é um livro O Povo do Espaço é uma obra didática e detalhada so-
surpreendente e revelador que mostra ao leitor como bre um aspecto da Ufologia ainda pouco explorado. Trata
nossas origens estão intimamente ligadas aos seres ex- do Folclore Extraterrestre, ou seja, os registros históricos
traterrestres que nos visitam há milênios. O livro investi- de como os povos da Terra têm convivido com ‘povos do
ga e prova que tais visitantes criaram a raça humana ter- espaço’ ao longo de nossa existência. Essa interação entre
restre através de uma intensa intervenção no código ge- humanos e extraterrestres – milenar e sutil – é a chave pa-
nético de criaturas simiescas na- ra as respostas que buscamos sobre os alieníge-
tivas de nosso planeta. nas. Com este livro é possível compreen-
Mais que isso, o livro Obras inéditas que der porque nossos ancestrais se refe-
analisa todas as fases riam a mistérios
do processo de cria-
mostram a pesquisa aéreos e ter-
ção de nossa raça, dos discos voadores restres que
dando explicações ra- de forma séria não conhe-
cionais para a contí- ciam como
e profunda
nua observação de lendas, mi-
UFOs em todo o mundo, tos e supersti-
que nada mais representam ções que per-
do que visitas de nossos “criado- manecem vivas até
res”, examinando os resultados de suas experiências. os dias presentes.
O autor, Marco Antonio Petit, é diretor da Associação O autor nos remete a uma análise
Fluminense de Estudos Ufológicos (AFEU) e um dos mais dos motivos que levaram seres de outros mundos a virem
experientes estudiosos do Fenômeno UFO do país. Suas à Terra relacionar-se com os seres humanos. Paulo de Car-
pesquisas relacionando discos voadores à origem da Hu- valho-Neto é um antropólogo e folclorista de renome
manidade foram premiadas em 1979, no Primeiro mundial que cunhou sua vasta experiência através de
Encontro Nacional de Teses Ufológicas. uma carreira notável. Autor de muitos livros sobre sua es-
Com uma carreira brilhante que inclui mais de 500 vi- pecialidade, ingressou na Ufologia como resultado de
gílias e centenas de conferências no Brasil e exterior, Pe- sua própria busca pela verdade, ao ver que explicações
tit também apresenta em seu livro importantes fatos da folclóricas para as crendices populares que investigava ori-
Ufologia Brasileira e Mundial – em especial o Caso Vargi- ginavam-se da observação de manifestações ufológicas.
nha, do qual tomou parte como A busca por uma explicação
um de seus principais investiga- para fenômenos que se observa
dores. Entre outros temas está e não se compreende ainda é pa-
também a casuística ufológica ve- drão de comportamento para o
rificada pelo autor na Serra da Be- homem atual. Hoje, no entanto,
leza, Rio de Janeiro, onde obser- temos novas ferramentas para
vou e fotografou UFOs várias ve- explorar o desconhecido, mes-
zes – algumas das fotos estão pu- mo que ainda mantenhamos nos-
blicadas em cores em sua obra. sos mitos. Este livro é uma delas.
Novos vídeos ufológicos
A Revista UFO trouxe para o Brasil os mais recentes lançamentos
ufológicos em vídeo da Europa. São produções de altíssima
qualidade, selecionadas entre as melhores da atualidade

Evidências Incontestáveis – Parte 1 Evidências Incontestáveis – Parte 2


Uma super produção do Segundo vídeo da série
ufólogo alemão Michael de Michael Hesemann
Hesemann reunindo (à esquerda a primeira
dezenas de filmagens de edição), esta parte
UFOs em todo o mundo, apresenta dezenas
feitas nas décadas de de filmagens colhidas
50 a 80. Inúmeras entre os anos de 1990
seqüências são inéditas e 1992. Igualmente,
no Brasil. É o maior inúmeras seqüências
documentário do são inéditas no Brasil.
gênero já produzido. Assim como o anterior,
UFOs aparecem em este é um vídeo de
pleno vôo no céu, no grande qualidade
espaço, na Lua e até gráfica e valor
pousados. documental.

Código: VD-08 Código: VD-09


Preço: R$ 29,70 Preço: R$ 28,30

Os alienígenas estão chegando Quando os ETs invadem os céus


Esta é a primeira Um documentário que
produção do ufólogo aborda em profundidade
inglês Graham Birdsall uma das faces mais
a chegar ao Brasil. O complexas da casuística:
vídeo faz uma profunda a observação de UFOs
análise do alarmante perseguindo aviões civis,
crescimento na comerciais e militares,
casuística ufológica detectados por radar.
mundial. Este é um Também de Graham
documentário premiado Birdsall, o vídeo mostra
mundialmente que fatos nunca revelados e
mostra impressionantes aponta que precauções
imagens, testemunhos, os governos tomam para
fatos e evidências barrar uma ‘invasão’
surpreendentes. alienígena.

Código: VD-10 Código: VD-11


Preço: R$ 29,60 Preço: R$ 27,90

Lançamentos que você não pode perder


Faça seu pedido através do cupom localizado no encarte desta edição