Você está na página 1de 2

1.

Apresente as principais características das políticas


educacionais em cada período da histórica republicana do Brasil,
destacando principalmente os períodos de 30 e 70.
Desde a proclamação da República no Brasil em 1889, as políticas
educacionais brasileiras passaram por diversas situações relevantes que podem ser
relacionadas ao período histórico do país.

Na Constituição de 1891, foi estabelecido que os ensinos superior e


secundário ficariam a cargo da União e a educação elementar e profissional ficaria a
cargo dos Estados.

Algumas reformas ocorreram após esse período até meados do fim da


Primeira Guerra Mundial, porém sem grandes alterações relevantes.

A partir da década de 1920, começa a ganhar força o movimento do Escola


Nova, que contribuiu para se repensar o modelo educacional no país e favoreceu o
início de importantes mudanças naquela época, culminando em 1932, quando foi
divulgado o "Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova" que, em termos gerais,
defendia a laicidade, gratuidade, obrigatoriedade e coeducação no ensino público
brasileiro.

Em 1934, foi promulgada a primeira Constituição que incluía em seu texto um


capítulo inteiro relacionado à educação, trazendo o compromisso de criação do
Plano Nacional de Educação e trouxe dispositivos dirigidos à educação, como a
gratuidade para o Ensino Primário, percentuais mínimos a serem investidos em
educação pela União e pelos Estados, dentre outros.

Já em 1937, após a instauração do Estado Novo e início da ditadura de


Getúlio Vargas, é retirado do Estado a responsabilidade de prover educação pública
e é implantado um sistema de educação que visa formar cidadãos-trabalhadores,
em essência, para servir os interesses econômicos do Estado, através de leis e
decretos que ficaram conhecidos como Reforma Capanema.

Após o fim do Estado Novo, foi anunciada a Constituição de 1946 que atribuiu
à União a função de legislar sobre as bases da Educação, afirmando, dentre outros
pontos, o princípio que a Educação é um direito de todos e a liberdade de oferta de
ensino escolar pela iniciativa privada.
Em 1961, foi aprovada a primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação
(LDB) que, após diversos debates relacionados ao assunto, instituiu que a Educação
se voltava para a valorização da pessoa humana, previu quatro níveis para a
organização escolar e estabeleceu disciplinas obrigatórias em caráter nacional,

Porém, em 1964, com o golpe militar e a consolidação da ditadura até 1985,


os direitos constitucionais até então estabelecidos foram suprimidos e, em 1971,
através da sanção da Lei de Diretrizes e Bases nº 5.692/71, foi revogada a LDB de
1961. Esta nova LDB instituiu o 1º, 2º e 3º Graus e disciplinas voltadas a
manipulação ideológica da sociedade. Com isso, não houveram avanços
satisfatórios em termos educacionais até 1988, quando foi promulgada a
Constituição de 1988.

Em 1985, houve a transição da ditadura militar para o Estado Democrático de


Direito através da celebração da Constituição de 1988.

Você também pode gostar