Você está na página 1de 5

Nome: Clésia Ginoca Salomão Macamo

Turma: A, 1o Ano

Curso: Contabilidade e Auditoria, Laboral

Introdução a contabilidade

I parte

1-As fases da constituição de uma empresa são:

 Fase institucional
 Fase de funcionamento ou de execução
 Fase de liquidação.

A fase de funcionamento ou de execução, na qual se desenvolve todo o processo de


transformação, ou seja, o da produção de bens de serviços, com vista à obtenção de certos
resultados. Esta è a fase mais longa na vida das empresas.

2- Contabilidade è uma ciência de natureza económica cujo objectivo è a realidade económica


passada, presente e futura de qualquer entidade pública ou privada, analisada em termos
quantitativos e por método especifico com o fim de obter informações económico-financeiro
indispensável à gestão desta entidade.

A contabilidade importante para o sector empresarial porque através dela a empresa sabe o valor
dos seus activos, passivos, receitas, custos e despesas, rentabilidade e lucratividade do negócio.

3- O objectivo das demonstrações financeiras è a de proporcionar informações sobre a posição


financeira, o desempenho e as alterações desta e que seja útil a um conjunto alargado de
utilizadores, para que os investimentos, a concessão dos financiamentos e a tomada de decisões
económicas passam a ser feitas de forma racional.

4- As 4 principais características qualitativas das demonstrações financeiras são:

 Compreensibilidade
 Relevância
 Fiabilidade
 Comparabilidade
Relevância: a informação è considerada relevante quando tiver a capacidade de influenciar as
decisões económicas dos utilizadores, ajudando a avaliar o impacto de eventos passados,
presentes e ou futuros, confirmando ou corrigindo das variações.

5-

N/O Contabilidade Contabilidade de


Financeira Gestão
1 Informação para o exterior (agentes externos) X
2 Apuramento dos resultados globais X
3 Elaborada à medida das necessidades da X
empresa e dos seus gestores
4 Orientada para resultados e obrigações fiscais X
5 Proporciona informações internas para os X
gestores
6 Informação detalhada para o planeamento e X
controle
7 Obrigatória X
8 Orientada para a eficiência da organização e X
para a tomada de decisão
9 Facultativa X
10 Limitada pelo sistema contabilístico e pelos X
critérios definidos legalmente

6- As demonstrações financeiras em Moçambique são apresentadas no fim de cada exercício


económico e dependendo das politicas da empresa, os gestores da empresa podem estabelecer
outros períodos mais curtos: semestre, trimestre, ou mesmo mês.

7- Utilizadores externos:

 Financiadores
 Investidores
 Fornecedores
 Clientes
 Concorrentes
 Estado
 Empregados

Utilizadores internos:

 Administradores e Directores
 Empregados
Os fornecedores estão interessados em informação que lhes permitam avaliar se os montantes
que lhes são devidos serão pagos na data de vencimento.

Clientes tem interesse em informação relacionada com a continuidade de uma entidade,


especialmente quando tem em envolvimento de longo prazo com a entidade ou estão delas
dependentes.

8- As categorias dos técnicos dos contas são:

Guarda-livros: è um agente comercial que processa dados e fornece informações utilizadas em


diferentes fins e para diferentes interessados.

Contabilistas: è um técnico com longa experiencia pratica, e consiste em montar, inspeccionar,


apreciar, dirigir ou supervisionar os serviços contabilísticos.

Auditores: são encarregados de examinar e apreciar as escrituras.

9- As funções da contabilidade são:

 Função registo: que consiste no registo das operações que provam as variações
patrimoniais. Esta função tem duas fases: a de montagem que tem a ver com o
estabelecimento do circuito documental pelos vários sectores de actividade da empresa, a
fase de funcionamento que compreende a escrituração propriamente dita.
 Função controlo: è através desta função que se pode apreciar se a situação económica e
financeira e boa ou ma, analisar a forma como os resultados são obtidos e fazer a
comparação entre os valores previstos.
 Função avaliação: permite-nos conhecer os custos dos produtos ou serviços produzidos
com vista a determinação correcta do preço de venda.
 Função previsão: permite a elaboração o orçamento global da empresa e dos orçamentos
parciais.

10- O objectivo da normalização contabilística è de estabelecer um sistema de princípios, normas


e praticas contabilísticas que tratam uniformemente as mesmas situações independentemente da
unidade económica em que se verifiquem.

Vantagens da normalização contabilística:

Para os técnicos de contas: passam assim a dispor de um código de regras e procedimentos

Para o sector pedagógico: proporciona orientações menos discutíveis.

11-os instrumentos de suporte da normalização são:


Instrumentos contabilísticos: tem o carácter técnico material, são todos meios ou objectos
utilizados na contabilidade para o processamento da informação contabilística, por exemplo: os
livros, máquinas de calcular, impressos entre outros.

12- O papel do Sistema de Contabilidade para o Sector Empresarial é de estabelecer um sistema


que integra o Plano Geral de Contabilidade de Grande e Média Dimensão, e o Plano Geral para
as pequenas e demais empresas, baseado nas normas internacionais de relato financeiro,
aplicável as grandes e médias empresas e o PGC-PE o Plano Geral de Contabilidade para as
pequenas e as demais empresas.

13- O papel das Normas Contabilísticas de Relato Financeiro è de servir de base para a
preparação que devem ser entendidas sempre que aplicável e com as necessárias adaptações, com
referencias extensivas ao Sistema de Contabilidade para o Sector Empresarial em Moçambique.

14- Os elementos do quadro concepcional são:

 Balanço
 Demonstração de resultados
 Demonstração do fluxo de caixa
 Demonstração das alterações no capital próprio e as notas descritivas
 Informações adicionais
 Mapas suplementares

15- Os Princípios contabilísticos são

 Apresentação apropriada e cumprimento das disposições do PGC-NIRF


 Continuidade das operações
 Base contabilística do acréscimo
 Materialidade
 Compensações
 Frequência do relato
 Informação comparativa
 Consistência de apresentação

Compensação: a entidade não deve fazer compensação entre activos e passivos ou entre
rendimentos e gastos, excepto quando for exigido ou permitido por uma Norma.

Base contabilística do acréscimo: os efeitos das transacções e de outros acontecimentos são


recebidos quando ocorrem e soa registados na contabilidade e relatados nas demonstrações
financeiras dos períodos a que dizem respeito.

16- As demonstrações financeiras obrigatórias de acordo com o PGC-NIRF e o PGC-PE são:

 Balanço
 Demonstração de resultados
 Demonstração do fluxo de caixa
 Demonstrações nas alterações no capital próprio e as notas descritivas
 Informações adicionais
 Mapas suplementares