Você está na página 1de 2

Atividade de Consolidação do Conhecimento

1.
Disponível em: <http://www.soubh.com.br/exposicoes/exposicao-ccbb-africa/>. Acesso em: 12 jul. 2018 (adaptado).

Texto 1
A frase em latim “Ex Africa semper aliquid novi”, do escritor romano Caio Plínio, dita
há 2.000 anos, significa “da África sempre há novidades a reportar”. A partir dessa
ideia, o curador alemão Alfons Hug montou a exposição “Ex Africa”, que conta com 18
artistas de oito países africanos e dois artistas brasileiros. A ideia da mostra é retratar a
produção artística africana sem estereótipos aos quais estamos acostumados, como
objetos de artesanato e referências iconográficas.
Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/>. Acesso em: 12 jul. 2018 (adaptado)

Texto 2
Até as vésperas da era colonial moderna era comum encontrar as imagens positivas
sobre a África. Árabes e europeus descreveram as formas políticas africanas altamente
elaboradas e socialmente aperfeiçoadas, entre as quais se alternavam reinos,
impérios, cidades-Estado, entre outras. Após a conferência de Berlim (1885), que
definiu a partilha colonial da África, essas imagens “simpáticas” começaram a
sombrear. Reinos e Impérios foram substituídos pelas tribos primitivas em estado de
guerra permanente, umas contra outras, para justificar e legitimar a Missão
Civilizadora, que até hoje alimenta o imaginário da África no Brasil.
VIEIRA, F. S. S. Do eurocentrismo ao afropessimismo: reflexão sobre a construção do imaginário “África” no Brasil.

Em Debate. PUC-Rio, n. 03, 2006 (adaptado)


A partir dos textos apresentados, avalie as informações a seguir.
I. A África tem sido pensada, por muitos, como um único país, compreendida de
forma monolítica, como se fosse formada por cultura única, ou, até mesmo, um
lugar de povos sem cultura alguma, o que contribui e reforça a exclusão social das
obras africanas do sistema das artes visuais.

II. Construídas sob a égide do clichê da miserabilidade, as clássicas representações


sobre a África, que retratam o continente como um celeiro da tradição, do
arcaísmo, da produção manufaturada e artesanal, são estereótipos que precisam
ser superados, por serem incompatíveis com a multiplicidade de expressões
artísticas africanas.

III. Os estereótipos sobre o continente africano foram construídos a partir de


interesses políticos, culturais e econômicos que sustentaram, durante séculos,
projetos de exploração e ações excludentes.

É correto o que se afirma em


a) I, apenas.
b) III, apenas.
c) I e II, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

Você também pode gostar