Você está na página 1de 177

tradução:

Giancarlo Salvagni
2019
ÍNDICE

INTRODUÇÃO 1

1 - UNIDADE COM DEUS 2

2 - REALIDADE DO ESPÍRITO 11

3 - VER E OUVIR 20

4 – ERRO 29

5 - O EU QUE EU SOU 38

6 - A CONSCIÊNCIA DIVINA 47

7 – DEUS 55

8 - O MINISTÉRIO DA CURA 64

9 - UMA FORMA ELEVADA DE TRATAMENTO 73

10 - EXISTÊNCIA ESPIRITUAL 82

11 - A TOTALIDADE DE DEUS 91

12 - CONSCIÊNCIA DE DEUS 100

13 - CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL 110

14 - CONSCIÊNCIA DE CRISTO 119

15 - MEDITAÇÃO E CURA 127

16 - CURA E SILÊNCIO 135

17 - O CRISTO PRESENTE DE CRISTO 142

18 – O CAMINHO INFINITO 151

19 – O INFINITO INVISÍVEL 160

20 – DESDOBRAMENTO DA VERDADE 169

1
A PALAVRA DO MESTRE
Joel Goldsmith

INTRODUÇÃO
Em muitas partes do mundo, nos últimos vinte e cinco anos, surgiu o interesse pela
chamada Cura Espiritual em muitas universidades e igrejas.
É verdade que muitos daqueles que perseguiram esse interesse tocaram a verdadeira
Cura Espiritual. No entanto, aquilo que está sendo tão amplamente escrito sobre cura
espiritual é, na maior parte, cura psicológica, às vezes com uma fé em um Deus
desconhecido adicionada. A diferença entre esse tipo de cura e a cura espiritual é tão
vasta quanto a diferença entre a escuridão e a luz.
A cura psicológica é principalmente uma atividade da mente e do intelecto humanos. A
Cura Espiritual é a atividade das faculdades da Alma: é sempre realizada sem atividade
mental, sem a necessidade da presença física do paciente, muitas vezes sem a sua
cooperação, embora com o seu consentimento - e muitas vezes nem mesmo com isso.
Os Escritos do Caminho Infinito contêm a mensagem da Verdade, através da qual é
desenvolvida a Consciência Espiritual que cura, reforma, redime e salva. Esses escritos
são livros didáticos que podem ser usados por indivíduos, grupos ou organizações que
desejam praticar e promover a Cura Espiritual.
Este livro, A Palavra do Mestre, baseado nos ensinamentos do Mestre Cristo Jesus, foi
idealmente adequado ao propósito de servir como um manual para o ensino da Vida
Espiritual e da Cura Espiritual - e pode ser usado por qualquer denominação de igreja,
qualquer atividade universitária de cura, ou por qualquer outro grupo interessado neste
assunto.
Uma vez reconhecida a diferença entre a cura psicológica e da fé e a cura pela
Consciência Espiritual, uma nova era começará na história humana.
Joel S. Goldsmith

1 - UNIDADE COM DEUS


O ensino espiritual é um desdobramento da atividade do Espírito de Deus na Consciência
Individual, conforme revelado pelo Mestre Jesus Cristo. Todo professor espiritualmente

2
iluminado de todas as épocas reconheceu que, das profundezas do silêncio, das
profundezas do Interior Infinito, vem a alegria, a paz e a harmonia de nossas vidas
diárias.
O Caminho Infinito difere de muitos outros ensinamentos metafísicos. Nesses
ensinamentos, descobrimos que a ênfase é colocada no termo “pensamento errado”, e
aprendemos que nós, como buscadores, fomos responsabilizados por nossa doença ou
por nossa falta de cura. De alguma forma ou outra, foi o nosso pensamento errado que
foi o responsável. Mas isso não é verdade. O erro nunca é nosso. O erro estava aqui
muito antes de aparecermos na cena humana; e se não formos cuidadosos, se não
ajudarmos a erradicá-lo, ainda estará aqui para vitimar alguém, por muito tempo depois
de sermos removidos da cena humana. É sempre um erro impessoal, uma crença
universal.
Nós nunca podemos perder o verdadeiro ensinamento, depois que ele se tornou parte de
nosso próprio Ser. Uma vez que entendamos este ensinamento, uma vez que ele
realmente se torne uma parte de nós, não mais poderá ser perdido; e se o mundo inteiro
disser que estamos errados, nossa demonstração disso será a prova de que estamos
certos. Mas até o momento em que seja nosso, que saibamos que realmente o temos -
vamos mantê-lo dentro de nós mesmos. O Mestre disse ao leproso que foi curado: “não o
digas a ninguém” (Mateus 8:4). Depois que for realmente nosso, podemos ir e mostrá-lo
aos sacerdotes; mas até que esse tempo chegue, esperemos um pouco, para que ele se
solidifique dentro de nós.
Temos livros para ler que nos ajudam em nosso desenvolvimento - livros de natureza
espiritual, com assuntos espirituais. Nós temos as Escrituras. E mais e mais, devemos
estudar nossa Bíblia, porque a Bíblia é o Livro da Vida. Grande parte do mundo errou o
alvo ao ler a Bíblia de seus pontos de vista históricos e literários; mas ela é preenchida,
página por página, com o verdadeiro pão da vida, a verdadeira água e o verdadeiro vinho
da vida, se os seus ensinamentos forem discernidos espiritualmente. Não ajuda muito
recitar o Salmo 91 e depois pensar que, porque o memorizamos e recitamos , seremos
protegidos por seus ensinamentos. A Bíblia, como um livro, não é nossa proteção ou
nossa segurança. A Palavra é a proteção e a segurança. E quando conhecemos o
significado do Salmo 91 - quando realmente sabemos que é verdade que "aquele que
habita no abrigo secreto do Altíssimo" (Salmos 91:1) está protegido - fizemos dele o
nosso Salmo. A maior parte do Salmo 91 nos diz o que acontecerá quando tivermos
aprendido a permanecer no "abrigo secreto do Altíssimo". Essa primeira sentença é, sem
dúvida, a parte mais importante dele.
Quando aprendemos a permanecer na Verdade Espiritual, na Consciência Espiritual,
quando aprendemos a “orar sem cessar”, quando aprendemos a viver na atmosfera de

3
Deus como a Única Causa e Poder Criativo, quando aprendemos a viver na atmosfera do
Deus Onipresente, então, o restante do Salmo 91 se torna verdadeiro em nossa
experiência. Recitar que mil cairão à nossa esquerda e dez mil cairão à nossa direita, ou
que esses males não nos atingirão, não nos fará bem algum. Os males não chegarão
perto de nós quando tivermos cumprido a mensagem do Salmo 91, que é: habitar no
abrigo secreto do Altíssimo; habitar na Consciência de Deus; habitar na Consciência do
Deus como Presença Viva, como Poder Infinito, como a Verdade Ele Mesmo.
Quando habitamos em, com e através dessas verdades, de modo que elas se tornem a
própria incorporação de nosso Ser, quando, por exemplo, aceitamos a verdade de que
até o nosso corpo é o templo do Deus Vivo, não precisamos mais temer os males que
virão a nós. Isso significa, literalmente, que estamos tomando Deus como Uma Presença
e Um Poder, Todo o Poder e o Único Poder, que estamos reconhecendo nada menos do
que a Onipresença.
Universalidade da Verdade
Encontramos a confirmação desta Verdade tanto no Velho quanto Novo Testamento. No
Velho Testamento, lemos:
“Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti” (Isaías 26:3)
“Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Provérbios 3:6)
Encontramos ênfase na necessidade de reconhecer a Deus como a realidade do nosso
Ser por toda a Escritura. Quando voltamo-nos ao Mestre, o encontramos dizendo:
“Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma” (João 5:30)
“A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou” (João 7:16)
“O Pai, que está em mim, é quem faz as obras” (João 14:10)
E Paulo nos diz:
“Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” (Filipenses 4:13)
“Vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim” (Gálatas 2:20)
Isto é como o começo do Salmo 91: “aquele que habita no abrigo secreto do Altíssimo”.
Então as outras coisas - todas as coisas más - não se aproximarão dele, e todas essas
coisas boas acontecerão. Descobriremos que a Verdade em que estamos permanecendo
e que estamos permitindo habitar em nós se torna a fortaleza; torna-se a rocha. Nós não
precisamos de forros de aço em nossas Bíblias; nós não precisamos de uma armadura;
nós não precisamos de dinheiro no banco; nós não precisamos de uma herança de
títulos ou ações. Não estou dizendo que não devemos ter riqueza; o que estou dizendo é
que não precisamos disso. Chegamos a um nível da Consciência onde percebemos que

4
essa Verdade realmente se torna nosso escudo e broquel; torna-se nossa fortaleza;
torna-se nosso revestimento de aço; torna-se nossa conta bancária, nossa fonte de
suprimento e nossa própria oferta. Agora observe. De volta em Deuteronômio,
encontramos o primeiro mandamento:
“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua
força” (Deuteronômio 6:5).
De todo o seu coração, ame o Senhor. E não tenha outros deuses diante dele.
Reconheça apenas a Única Presença. Então nos voltamos para o Levítico, e lemos: “ama
o teu próximo como a ti mesmo” (Levítico 19:18). Temos aqui dois mandamentos do
Antigo Testamento que se tornaram o próprio fundamento do Cristianismo; quando Jesus
foi questionado sobre os mandamentos, ele deu aquele mesmo Primeiro Mandamento, e
então acrescentou a ele o segundo: “ama o teu próximo como a ti mesmo”. (Mateus
22:39). Ele fez dessas duas leis hebraicas o fundamento do Ensino Cristão.
Por que é necessário e importante para nós, em primeiro lugar, conhecer esses dois
mandamentos? E em segundo lugar, saber que eles são ensinamentos do Antigo, bem
como do Novo Testamento? Há uma razão muito importante para isso. É importante
conhecer os mandamentos, independentemente de onde eles vieram, porque eles
explicam o fundamento de todo o nosso trabalho, que é a Totalidade de Deus e a
universalidade dessa Verdade. Em outras palavras, tudo o que é verdade para Deus é
verdadeiro para o ser individual. Esse ser individual é todo e qualquer judeu, todo gentio;
é todo protestante e todo católico; é verdade para todo hindu e todo muçulmano; é para
toda pessoa no universo, branca, negra ou amarela. Se não aceitarmos a universalidade
desta Verdade, voltaremos a cair no erro que causou todas as guerras na história, e que
continuará a causar todas as futuras guerras, discórdias e doenças. Esse erro é a crença
de que somos algo separado e à parte de Deus; ou que, mesmo se não somos, outra
pessoa é.
No livro “Interpretação Espiritual das Escrituras” (Joel Goldsmith), você encontrará o local
em que repeti a Regra de Ouro do Sermão da Montanha, que é popularmente declarada:
“faça aos outros o que gostaria que fizessem a você” (Mateus 7:12). Mostrei neste livro, a
partir de registros que realmente existem, que este Código de Conduta não teve seu
começo nem na era cristã, nem mesmo na era judaica. Vai até onde existem manuscritos
registrados no tempo. Temos este ensinamento: “faça aos outros o que gostaria que
fizessem a você” nas Escrituras Hebraicas e nas Escrituras Orientais. Nós o repetimos na
literatura grega e nos escritos romanos. Desde o princípio, a filosofia repetiu o
ensinamento: “faça aos outros o que gostaria que fizessem a você”.

5
Estamos, então, a aceitar isso exclusivamente como um ensinamento cristão ou como
um ensinamento revelado por Deus aos homens ao longo das eras? Jamais
superaremos a estreiteza da religião ortodoxa até chegarmos a esse ponto de aceitar a
Deus como revelador de Seu Próprio Ser, revelando a Verdade sobre e para todos os
homens, em todas as escrituras.
É impossível para nós, como metafísicos, se recebemos um telefonema ou um telegrama
pedindo ajuda, sermos capazes de dar essa ajuda instantânea e espiritual, se pararmos
por um segundo que seja, para considerar se o chamado vem de um católico, de um
protestante, um judeu ou um hindu; se vem de um alemão, de um japonês, de um russo
ou de quem quer que seja o inimigo no momento. A menos que nosso pensamento
responda instantaneamente ao fato de que Deus é a Única Vida, que Deus é tudo o que
existe para o ser individual, e a menos que, em nosso coração e alma, acreditemos
verdadeiramente nisso, não poderemos ser curadores espirituais. Nós podemos fazer
alguma cura mental com um pouco de influência mental aqui e ali, mas nunca seremos
curadores espirituais, até que todo e qualquer pedido de ajuda desperte em nós um
sentido de Amor. Este é um sentimento de Amor que não vem como o amor por uma
pessoa. No curso normal dos acontecimentos, nunca saberemos um décimo daqueles
que nos pedem ajuda; nunca encontraremos um décimo das pessoas que nos pedirão
ajuda, quando alcançarmos essa Consciência Espiritual de Ser. As chamadas virão de
todo o mundo, e elas serão enviadas pelo correio, telegrama e telefone. Não saberemos
se é o chamado de um metafísico, se é de católico ou protestante, ou se é de um
prisioneiro em uma masmorra. E é melhor assim, uma vez que nossa resposta imediata
deve ser: “esse é o próprio Cristo de Deus que me aparece como um chamado individual
por ajuda, como pessoa individual ou como reivindicação individual. Tudo o que pode ser
aceito em minha Consciência é Deus - Deus, e o Cristo de Deus, que é Deus aparecendo
como o indivíduo, mesmo se essa aparência vem como pessoa, lugar ou coisa”.
Até que possamos permanecer nesse solo e nesse monte, não poderemos interpretar
com razão, “o lugar em que tu estás é terra santa” (Êxodo 3:5). Por que o lugar onde
estou é solo sagrado? Porque Eu estou aqui; é isso que o torna sagrado. Poderíamos,
com algum esforço de imaginação, perguntar quem é que está ali, ou qual é o seu nome,
raça, religião ou credo? Não nesta grande revelação de Deus - Deus aparecendo como
você e eu individuais. Isso rompe em nossa Consciência toda ênfase na religião, raça ou
fanatismo.
Lembremo-nos: como seres humanos, você e eu não somos mais Israel do que as
pessoas que andaram na Galiléia. Somente aqueles que, em alguma medida, chegam à
Consciência Espiritual, ao Despertar Espiritual, é que são Israel. Quando falamos de
Melquisedeque, sem mãe, sem pai, falamos de você e de mim, quando chegamos à

6
compreensão de nossa Verdadeira Identidade como Filhos de Deus, ou Deus
manifestado. Nenhum mortal poderia ser Melquisedeque; nenhum ser humano poderia
ser Melquisedeque; mas somente aquele que é maior do que Abraão, somente aquele
que é maior que todo ou qualquer grau de bem humano - em outras palavras, o Puro
Espírito. E nós somos Melquisedeque, quando reconhecemos que nunca nascemos e
que nunca morreremos; que somos o próprio Eu, a realidade e a substância do Ser de
Deus; e que Deus é a Substância e a Realidade do nosso Ser. Esse é Melquisedeque;
esse é o Cristo. Dizer que aquilo que aparece como qualquer indivíduo é algo menos que
a Totalidade é pecar contra o Espírito Santo.
É o mesmo pecado antigo que os hebreus tentaram perpetuar ao fazer com que todos se
tornassem hebreus antes de se tornarem cristãos. Não vamos repetir esses erros agora.
A única maneira de evitá-los é começarmos, aqui e agora, a esquecer o nosso
nascimento humano, esquecer o nascimento humano de todos na Terra, e ir direto ao
Centro do Ser, e aí reconhecer o Cristo, o Espírito, a Presença e Poder de Deus. Quando
fazemos isso, não curamos os seres humanos; nós não os enriquecemos, embora seja
assim que pode parecer para o mundo. O que fazemos é trazer à luz sua Identidade
Espiritual - aquilo que sempre esteve lá, mas que, como no incidente do filho pródigo,
parece ter desaparecido.
Abrindo a Consciência à Verdade
A leitura dos livros e o estudo das Escrituras é o primeiro passo do caminho pelo qual
abrimos nossa Consciência ao influxo da Verdade Espiritual. O segundo passo é a nossa
associação com aqueles que estão no Caminho, e especialmente com aqueles que
deram um passo mais além do que nós. Em si mesmos e por si mesmos, estes passos
não são o Espírito, mas eles nos conduzem de volta ao Reino de Deus, dentro de nosso
próprio Ser. Eles continuam nos lembrando de nossa Verdadeira Identidade, nos
resgatando de volta do mesmerismo do mundo que tentaria nos puxar para as crenças
da humanidade. Esses passos que tomamos são auxílios, e ajudam a nos manter no
Centro de nosso Ser, até que finalmente cheguemos àquele ponto em que poderemos
caminhar sobre as águas, sem ajuda externa.
O verdadeiro propósito de nosso trabalho é chegar àquele nível onde o Consolador pode
chegar até nós, não através de um livro ou de um professor, mas através do
desdobramento e revelação de nosso próprio Ser Interior. Nós, neste trabalho, devemos
evitar a necessidade da declaração que Jesus teve de fazer aos seus seguidores: “vos
convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós” (João 16:7). Em
outras palavras: “se você confia em mim como pessoa, se você insiste em vir a mim com
todos os pacientes que você não pode curar, ou com todas as súplicas que você não
pode atender, e continua me procurando para fazer isso por você, a plenitude desta

7
revelação não virá a você”. Devemos perceber nossa Verdadeira Identidade como a
Totalidade de Deus manifestada.
Há mais um passo, e esse passo é o passo da meditação. É na meditação e através dela
que nós, finalmente, tocamos o Reino de Deus dentro de nosso próprio Ser. Na maior
parte de nossas vidas, nós falamos sobre Deus; nós falamos sobre o Espírito; nós
falamos sobre a nossa Alma; e até falamos sobre o Cristo. Mas poucos de nós realmente
chegaram ao conhecimento de Deus, da Alma ou do Cristo. Para a maioria de nós, estes
ainda são termos para algo separado e à parte de nosso próprio Ser, algo que
esperamos, em última análise, realizar ou alcançar. Neste trabalho, tentamos, o quanto
antes, pôr fim a esse pensamento sobre Deus como separado e à parte de nosso Ser, a
esse contínuo falar sobre Cristo, ou oração a Cristo ou a Deus; e tentamos chegar o mais
rapidamente possível, à percepção, à realização de Deus - à Verdadeira Experiência de
Deus.
Sim, Deus pode ser experimentado Aqui e Agora. Deus é, de fato, uma Realidade, um
Ser Vivo. Deus não é algo distante. Como o poeta nos diz: “Deus está mais perto do que
nossa respiração, mais perto do que mãos e pés”. Não é necessário atravessarmos a
vida falando a respeito de Deus, orando pelo dia em que nos encontraremos com Deus –
algumas vezes até orando pelo dia em que morreremos para podermos encontrar com
Deus. Não, não, não! Deus pode ser percebido Aqui e Agora. Deus é uma Alma Viva.
Deus é um Ser Vivo. Deus é uma Luz Viva. Apesar de toda a universalidade e
impessoalidade de Deus, Deus pode se tornar íntimo e pessoal para nós. Por essa razão,
Abraão foi capaz de conhecer a Deus como Amigo, e Jesus foi capaz de conhecer Deus
como Pai. Muitos dos grandes mestres hindus perceberam Deus como Mãe, e os
metafísicos atuais se referem a Deus como Pai-Mãe. Todos eles revelam Deus de
maneira íntima e, ainda assim, como a Realidade Interior de nosso Ser.
Nem "Pensamento Correto" Nem "Pensamento Errado" É Poder
Neste trabalho, dependemos não tanto da verdade que conhecemos, mas da Verdade
que nos é revelada dentro de nosso próprio Ser. Assim, a mente humana se torna um
agente, uma via de conscientização; torna-se aquilo através do qual nos tornamos
conscientes, não é um poder criativo. Os pensamentos que pensamos não são poder
criativo. Nós não fazemos um poder do nosso próprio pensamento e de nossos próprios
pensamentos. “Todo o Poder é dado ao nosso Senhor, nele confiamos” (Martin Luther
King). Deus, o Ser Real, nosso Ser Real, é o Poder; e Ele se revela a nós por seus
próprios meios. “Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os
vossos caminhos são os meus caminhos, diz o Senhor” (Isaías 55:8). Se isso for
verdade, todo o pensamento que você e eu temos não constitui realmente um
pensamento espiritual. O que constitui a Consciência Espiritual, o Conhecimento

8
Espiritual, é o que nos vem da “Voz pequena e silenciosa” (1 Reis 19:12), a comunicação
que nos vem de Deus.
Assim, enquanto continuamos, muito menos falamos da Verdade, pensamos a Verdade,
lemos a Verdade, e recebemos muito mais a Verdade. Às vezes, essa transmissão vem
em palavras. Mas neste trabalho, um dos principais pontos que nos encontramos é que
nosso pensamento - até mesmo nossos bons pensamentos - não ajudará ninguém. Só
Deus, a Realidade Divina, é o nosso auxílio. E Deus se revela a nós - às vezes em
palavras, às vezes em pensamentos, às vezes em sentimentos. Às vezes sentimos a
própria Presença e Poder de Deus.
Reconhecer Deus Como a Fonte de Todo o Bem
Construir a Consciência da Onipotência, da Onipresença é o nosso trabalho. Lembremo-
nos sempre de executar cem vezes por dia, se necessário, o trabalho que está descrito
no capítulo sobre “Meditação” em “O Caminho Infinito” (Joel Goldsmith). É ao acordar de
manhã que começamos a reconhecer nossa Unidade com Deus, da mesma forma que a
onda é uma com o oceano. Vamos conscientemente nos lembrar da verdade de que “Eu
e meu Pai Somos Um” (João 10:30) e que esse Um é realmente Deus. Deus é tudo o que
existe, e tudo o que o Pai tem é nosso. Tudo o que Deus é, Eu sou. E então, vamos nos
lembrar de reconhecer Deus como a Fonte de Todo o Bem: se estamos recebendo
alguma forma de bem ou se estamos expressando alguma forma de bem, se é dinheiro
entrando, ou dinheiro saindo, se é a comida que comemos, se é um convite de um
amigo, se é a mesada semanal de um marido, pai ou herança - reconheçamos
imediatamente Deus como a Fonte.
Neste trabalho, chegamos a uma grande realização, a percepção de que nada que existe
aqui no reino da forma ou efeito é substância ou suprimento. Chegamos a ver, nesta
revelação, que é a Consciência do meu Ser, a própria Vida do meu Ser, a própria Alma,
que é o meu suprimento; e descobrimos que esse suprimento aparece externamente
como dólares, pacientes, estudantes, renda ou clientes, como oportunidades, vendas,
compras. Seja qual for a forma de existência humana que estamos experimentando,
Deus, o Espírito do nosso Ser, aparece exteriormente como essa forma. Portanto, não é
muito importante se um cliente se afasta ou se um paciente nos deixa; não estamos
preocupados com isso, porque Deus, a Substância do nosso Ser, está aparecendo
exteriormente a cada momento, na forma necessária à nossa demonstração ou
desdobramento.
O que acontece aqui neste mundo torna-se sem consequência. Não deveria haver razão
agora para não formarmos novos órgãos e funções do corpo, se isso for necessário para
o nosso desdobramento. É somente a crença universal que nos diz que uma mão não

9
pode crescer novamente, se precisarmos de uma. Quando as fortunas são eliminadas, as
pessoas saltam das janelas, porque acreditam que esse é todo o dinheiro que resta na
Terra. Elas se esquecem que a própria Inteligência que lhes trouxe o dinheiro o trará de
volta, de novo, de novo e de novo. Elas esquecem quantas vezes a moeda foi extinta no
mundo, desde a moeda romana até a moeda alemã. E ainda assim os homens seguiram
em frente e tornaram-se ricos novamente.
Não faz diferença o que acontece nesse assim chamado mundo externo - sua
consciência o formará de novo. Não faz diferença se uma bomba atômica o eliminar - sua
consciência o formará de novo. Deus é sua Consciência Individual, e a Consciência
Individual está sempre criando e revelando o seu próprio Ser como as formas infinitas
necessárias à sua demonstração ou desdobramento.
Então, se o seu bem está aparecendo para você hoje como um presente de alguém, ou
como um salário, por favor aprenda a olhar através dele, para a Fonte Real, para que
você não se torne dependente disso. Nunca se torne dependente disso. Nunca se torne
dependente de seu salário, de seu trabalho, de seus lucros, de seu marido ou de sua
esposa; mesmo quando eles podem ser a via através da qual seu bem está aparecendo
no momento. Aprenda a não ser dependente deles, mas a olhar através deles e ver Deus
como a Fonte do seu Bem, desdobrando-se para você.
Nós, em nosso trabalho, devemos encontrar nossa completa Unidade com Deus, para
que tudo o que o Pai tem manifeste-se como nossa experiência individual, independente
do que está acontecendo no mundo ao nosso redor - se explode ou não, ou se há ou não
chuva suficiente para as plantações. Precisamos encontrar nossa União com Deus.
Chamo a sua atenção para esta declaração do Mestre: “Eu tenho carne para comer que
não conheceis” (João 4:32). Independente do que parece estar acontecendo no mundo
exterior, eu tenho uma fonte interna de suprimento. É uma Substância Invisível, é a
Verdade. Mas aparece exteriormente como pães e peixes com os quais alimentar as
multidões. Aparece exteriormente como ouro com o qual pagar impostos. Aparece
exteriormente como corpos saudáveis, onde corpos doentes pareciam existir antes.
Lembremo-nos novamente que esta Substância, Deus, que é a Consciência Individual,
está sempre se expressando e se manifestando como as coisas deste mundo. Portanto,
nunca precisamos nos preocupar com o que acontece com as coisas do mundo.
Devemos viver e habitar no abrigo secreto do Altíssimo, habitar no conhecimento secreto
de que temos carne que o mundo não conhece, que temos dentro de nós uma fonte de
água que brotará para a vida eterna:
Eu, a Consciência Divina do meu Ser, sou a Substância Espiritual Infinita daquilo que
deve aparecer exteriormente como uma oportunidade, como uma venda, como uma

10
compra, como um lar, como um companheiro, como um marido, como uma esposa.
Independente de qual seja a aparente necessidade humana, esse Invisível Infinito do
meu próprio Ser está para sempre se manifestando na forma necessária, em todas as
formas, como todas as formas necessárias ao meu desenvolvimento.
Neste trabalho, aprendemos a habitar no lugar secreto do Altíssimo. Aprendemos a
permanecer na Consciência de Deus, desdobrando e revelando a Si Mesmo como nossa
experiência diária. Aprendemos a nos tornar completamente independentes do mundo, e
a perceber que todos os outros no mundo são tão independentes quanto, desde que
despertem para sua Verdadeira Identidade. O segredo é a Verdadeira Identidade.
"Conhece-te a ti mesmo", disseram os gregos. Encontre dentro do seu próprio Ser a
percepção de Deus como seu Ser, como sua Substância, como sua Vida, mente e corpo,
e então você descobrirá que o mundo inteiro é livre. À medida que os homens despertam
para isso, eles entram nessa mesma liberdade da limitação material, humana e mortal,
do senso de finitude. E tudo isso vem, não através do intelecto, não através da audição
intelectual, mas vem através - e somente através - do seu Discernimento Espiritual.

2 – A REALIDADE DO ESPÍRITO

A parte mais importante do nosso trabalho é encontrar a resposta para a pergunta: o que
é Deus? Enquanto pensarmos em Deus como algum tipo de super-homem sentado em
uma nuvem, um homem em uma cruz ou algum ser desconhecido e misterioso, não
traremos nem mesmo uma pequena quantidade de Poder Espiritual à nossa experiência.
Gratidão, apreciação e reconhecimento são uma parte natural da revelação e realização
espiritual. No entanto, poderíamos repetir de novo e de novo: “obrigado, Pai” a partir de
agora até o juízo final; mas a menos que realmente entendamos o que Deus é, a quem e
porque estamos agradecendo, essa expressão exterior será de pouco valor. O que é isso
que estamos reconhecendo? Em que estamos pensando? O que estamos buscando
como fonte e fundamento de nosso desenvolvimento? Deus, mas o que é Deus? Por
milhares de anos, Deus tem sido considerado como algo separado e à parte de nós.
Hoje, no entanto, não estamos mais dispostos a aceitar um Deus distante, porque
chegamos a entender que Deus é a Alma do nosso Ser; Deus é a Mente, o Espírito, a
própria Substância da qual somos formados. Deus é o Centro do nosso Ser. Deus é a
Consciência Infinita do nosso Ser. Nosso "obrigado, Pai" é, portanto, não apenas uma
expressão de gratidão, mas é um reconhecimento e compreensão de que o Pai, Deus, é
a Consciência Divina de nosso próprio Ser.

11
O valor desse reconhecimento é que tudo o que achamos ser verdade sobre Deus é
universalmente verdadeiro. É verdade sobre nós e é verdade sobre todos os indivíduos,
em todos os lugares e em todos os momentos. “Sua misericórdia dura para sempre”
(Jeremias 33:11). Essa Verdade é universal e eterna por todas as gerações. Quer
pensemos em pessoas que, para o nosso sentido humano das coisas, já morreram, ou
pensemos em pessoas que estão agora na Terra, ou que ainda estão por vir, lembre-se
disto: Deus é sua própria Consciência, e elas são sempre sob proteção divina, orientação
divina e iluminação divina. Não temos responsabilidade pessoal, portanto, com relação a
elas. Entender o que é Deus é ver Deus como a própria Vida do Ser Individual. Se
compreendêssemos Deus como a Vida do Ser Individual, nunca mais nos
preocuparíamos se alguém está, aparentemente, vivo ou morto; porque saberíamos e
entenderíamos a Vida como a Única Realidade.
A Percepção Consciente da Presença de Deus é Necessária
Isso nos leva a outro elemento muito importante neste trabalho. O único benefício que
obtemos de qualquer ensinamento da Verdade é através da atividade de nossa própria
Consciência. Portanto, a menos que entendamos cada palavra da Verdade que
declaramos, não estamos obtendo nenhum benefício dela. Devemos estar conscientes
da Verdade de todas as afirmações que usamos. Não devemos nos contentar em sermos
seres humanos subindo e descendo a rua, acreditando que há um Deus distante, com
quem podemos deixar nossos problemas.
Dizer levianamente: “oh, bem, vou deixar isso para Deus”, como se houvesse um Deus lá
fora para quem pudéssemos transferir nossos problemas, é de pouco valor. Mas
podemos deixar todos os nossos problemas para Deus, se, através de uma correta
compreensão da revelação da Verdade, nos elevamos a uma compreensão da
verdadeira natureza e caráter de Deus. Quando temos uma consciência plena da
Verdade do Ser, Deus se torna a própria atividade do nosso Ser, e então podemos deixar
tudo para Deus. Por si mesmas, as declarações “obrigado, Pai” ou “Eu e meu Pai somos
Um” não têm valor; mas a percepção consciente - nosso conhecimento pleno do
significado dessas afirmações - torna-as o Poder de Deus em nossa experiência.
A Consciência é Deus - sua Consciência e minha Consciência. Uma Consciência Infinita
e Indivisível, que aparece individualmente como sua e minha Consciência - isto é Deus. É
a atividade da minha e da sua Consciência que resulta no fruto de nossa experiência
diária harmoniosa. Não podemos nos sentar com uma mente entorpecida, sonolenta ou
sem pensamentos, e acreditar que existe um Poder Divino agindo em algum lugar para
nós. O Poder de Deus é a atividade da nossa Consciência. Esse Poder de Deus aparece
como a atividade de nossa Consciência. O Poder de Deus é nossa Consciência em ação,

12
e é a nossa Consciência quando está imbuída de Verdade, um conhecimento da
Verdade, e não meramente uma declaração da Verdade.
É nesse ponto que os estudantes da Verdade cometem alguns de seus maiores erros.
Eles acreditam que a recitação dessas Verdades é uma virtude ou tem poder. Esta é uma
suposição incorreta. Não é a atividade da mente humana que é poder; é a Consciência
imbuída de um conhecimento da Verdade que é Poder. Jesus disse: “E conhecereis a
Verdade, e a Verdade vos libertará” (João 8:32). Ele não disse simplesmente: “A Verdade
vos libertará”. Ele poderia ter dito exatamente isso. Um estudo das palavras do Mestre
mostra como ele era comedido em seu uso das palavras, e quão cuidadoso ele era em
sua escolha de palavras. Ele poderia ter poupado várias palavras, dizendo: "a Verdade
vai libertá-lo". Mas ele não fez isso. Ele se deu ao trabalho de dizer: “…conheça a
Verdade, e a Verdade os libertará”. Se quisermos seguir seus ensinamentos, devemos
nos tornar conscientes do significado das Verdades que lemos, e declararmos e
fazermos dessas Verdades uma parte ativa de nossa Consciência, de nossa percepção
consciente. Assim, elas trarão um “sentir” com elas, e essa sensação é o Poder
manifestado.
Uma vez que o Espírito é Deus, o Espírito é real. O Espírito é vital, é vivo. O Espírito é
plenitude. O Espírito é a Totalidade. Mas embora isso seja verdade, deve haver uma
percepção consciente da Realidade do Espírito. Nessa percepção consciente, temos o
Poder que produz as harmonias da nossa experiência cotidiana.
Mesmo antes de 1492, os oceanos existiam e, além dos mares, terras ricas e férteis. Mas
para aqueles que acreditavam que o mundo era plano, para aqueles que aceitavam
aparências como realidade, a extensão total do oceano era de apenas oito milhas. Eles
olhavam para fora e viam onde o céu e o oceano se encontravam e, é claro, vendo isso,
acreditavam que não poderiam ir além desse ponto. Esse senso limitado, baseado
inteiramente nas aparências, na verdade os prendia à limitação de sua própria terra e
águas próximas.
Por todo esse tempo, na verdade, nunca houve tal limitação. Nunca o céu tocou a água.
Os oceanos, os sete mares sempre estiveram abertos e livres para viagens, e, no
entanto, durante séculos, cada pessoa sentou-se em seu cantinho, prisioneira da ideia do
encontro do céu com o oceano no horizonte distante. Tudo isso foi mudado por um
homem que não se deixou cegar pelas aparências, mas que, ao se afastar das
aparências, chegou à conclusão de que o mundo não era plano, mas sim redondo. É
claro que, se o mundo é redondo, o céu não desce e toca a água, nem a água sobe para
o céu. O céu está sempre em seu lugar e a água está em seu próprio lugar. Nenhum
deles é uma barreira para o outro. Aquele homem, através da atividade da Consciência,
através de sua visão ilimitada, recusou-se a ser hipnotizado pela crença de todos. Ele,

13
capaz de pensar de forma independente, não hipnotizado e livre, captou a visão que lhe
permitiu navegar para a abertura de novos mundos.
Então, assim é conosco. Se nos sentamos e acreditamos nas crenças do mundo, só
porque as pessoas acreditaram nelas desde o início dos tempos, também somos
limitados. Hoje, a maioria de nós é limitada pelo nosso senso de corpo; acreditamos que
onde quer que estejamos neste momento, esta é a extensão do nosso ser. Na verdade,
essa limitação tem tão pouca base quanto a limitação imposta àqueles que acreditavam
que a Terra era plana. Alguns tiveram a percepção real de que não estão confinados a
um corpo. Nessa percepção, eles podem instantaneamente estar em qualquer lugar do
mundo: na verdade, eles já estão lá, só que não plenamente conscientes disso. Nós,
como Consciência Individual Infinita, podemos estar em qualquer lugar e em todo lugar
deste mundo; mas ainda não adquirimos a consciência desse fato.
Não deve demorar muito a prova de que não estamos no corpo. Vamos olhar para os
nossos próprios pés, e depois nos fazer duas perguntas: "esse pé sou eu?" ou "esse pé é
meu?" Vamos esperar, até termos uma resposta distinta dentro de nós mesmos. Não
vamos mais longe do que os nossos pés, para ver se podemos realmente nos encontrar
em nossos pés. Se não estivermos lá, pelo menos teremos descoberto que não estamos
confinados em algum lugar dentro de nossos sapatos, ou nos ossos e carne de nossos
pés. Através desse tipo de exercício, chegaremos à conclusão de que esse pé não sou
eu, mas é meu. Eu possuo meu pé, mas não estou no meu pé.
Vamos continuar a jornada e ir para as pernas. Estamos nas pernas ou são nossas
pernas? Eles não são nosso veículo, nossa possessão, nosso instrumento, o instrumento
que usamos neste momento para o propósito de caminhar? Vamos ter certeza de que
entendemos que não estamos fazendo isso apenas como um passatempo. Estamos
fazendo isso porque essa pequena ideia contém em si todo o Segredo da Vida, como foi
revelado por milhares de anos. O fato é que não somos corpo e não estamos em um
corpo.
Nós passamos das pernas por todos os membros do corpo, até alcançarmos os cabelos
mais altos da nossa cabeça. À medida que avançamos, não hesitemos em parar em
qualquer ponto ou em todos os aspectos, e nos perguntarmos se eu sou, ou se é meu: eu
estou lá? Eu estou nos músculos, nos nervos, no estômago ou no plexo solar? Eu estou
no coração, fígado ou pulmões? Eu estou mesmo no cérebro, ou é tudo isso meu? Tudo
isso é apenas um instrumento para meu uso? À medida que continuamos a busca para
encontrar em que parte do corpo estamos situados, buscando incansavelmente, a
revelação finalmente chega até nós: “Não consigo me encontrar neste corpo. Não há
uma partícula ou parte deste corpo em que eu possa me encontrar sepultado. Eu não
estou aí de jeito nenhum! Todo o tempo que eu pensei que isso era eu, mas era meu. Eu

14
pensei que, quando olhava no espelho, eu me via... Eu nunca o fiz. Eu via apenas o meu
corpo: Eu não estava lá”.
Devemos entender plenamente esta premissa básica, porque simplesmente repeti-la ou
concordar com o autor que não estamos no corpo não será de muito benefício para nós.
Nós, nós mesmos, devemos ter a consciência de que não existimos no corpo; que não
podemos ser encontrados dentro do corpo, apesar de podermos procurar, desde as
unhas dos pés até os fios de cabelos. Tendo chegado a essa conclusão, a próxima coisa
que devemos nos perguntar é: "já que eu não estou no corpo, onde estou?" Sim, esse é
o grande mistério! Onde estou? Quem sou eu? O que eu sou? De uma coisa teremos
certeza imediata: não estamos confinados nem mesmo a um quarto, e não estamos
confinados a um corpo.
A próxima coisa que deve chegar até nós é: “desde que eu estou consciente do meu
corpo, estou consciente desta sala, estou consciente deste edifício, estou consciente da
minha casa, estou consciente da minha família, de meus amigos e de meus negócios,
então parece-me que tudo o que eu descubro é que estou consciente disso, estou
consciente daquilo, eu estou consciente do outro. Então o que posso ser, senão
Consciência?
Seguindo essa linha, descobrimos que nosso negócio é nossa Consciência de negócios;
nossa casa é nossa Consciência do lar; nosso corpo é nossa Consciência do corpo.
Nenhuma dessas coisas existe separada ou à parte de nossa Consciência. Nenhuma
dessas coisas existe fora de nossa Consciência. Nenhuma dessas coisas existe fora do
governo e do poder de nossa Consciência. Aprendemos, além disso, que o corpo existe
apenas no ponto de vista da nossa Consciência. Se não estivéssemos conscientes do
corpo, não teríamos um corpo, ou não seria de nenhum valor para nós, porque não
seríamos conscientes disso e, portanto, seriamos incapazes de usá-lo.
Somente aquilo de que somos conscientes é importante em nossa experiência. Quando
não temos consciência do corpo, é como se não tivéssemos um corpo, e perdemos todo
o interesse nele. Se não tivermos consciência de nossa conta bancária, ela deixa de ser
útil para nós. Todo o dinheiro que poderíamos ter no banco seria inútil, se não
tivéssemos a consciência dessa conta bancária, onde está e qual é o seu propósito. Sem
essa conscientização, até mesmo uma conta bancária não teria valor para nós.
Se não temos uma percepção consciente da Presença e do Poder do Espírito, Ele não
faz nenhum trabalho de cura para nós. Essa é a razão pela qual uma pessoa é capaz de
fazer um trabalho de cura bem sucedido, enquanto outra falha. A única diferença é que
uma pessoa tem consciência do Espírito que faz o trabalho, enquanto que outra ainda
não alcançou essa percepção consciente do Espírito. É preciso uma percepção

15
consciente da Presença para fazer o trabalho. Tudo nesta vida depende da nossa
percepção consciente. É lógico, portanto, dizer que tudo o que existe para nós é a
Consciência. Tudo o que somos é Consciência.
Desenvolvendo Consciência Espiritual
Nosso grande propósito na vida deve ser o desenvolvimento e desdobramento de nossa
percepção espiritual, de nossa Consciência Espiritual. Para esse propósito, torna-se
necessário que comecemos com o conhecimento de que não somos pés, pernas ou
troncos, mas que somos um Estado de Consciência, aparecendo ao mundo como corpo.
Somos Consciência Infinita; nós somos Consciência Divina. Além da Consciência, não
somos nada, mas, como Consciência, somos infinitos. Isso devemos entender. É
absolutamente necessário primeiro entender que existimos como Consciência; e em
segundo lugar, tornarmo-nos conscientes da realidade desta existência.
Quando olhamos através de nossos olhos humanos e vemos apenas um tanto de ossos
ou tantos quilos de carne, então, é claro, não podemos nos satisfazer conosco mesmos,
nem com a vida. À medida que aprendemos, no entanto, através da nossa Consciência
Espiritual desenvolvida, nossa Consciência desperta, a contemplá-Lo como Ele é (Ele o
Ser, Deus), então começamos a ver que não somos carne e osso; nós somos
Consciência. Podemos ficar satisfeitos com essa semelhança. Essa é a razão pela qual
“O Caminho Infinito” nos ensina a nunca olhar para uma pessoa, mas a olhar através
dela, especialmente através dos olhos, onde podemos captar lampejos e vislumbres
daquela Luz, que é a Realidade do Ser. Somos Consciência: você é Consciência; EU
SOU a Consciência. Na proporção em que nos tornamos conscientes um do outro - como
realmente somos -, então nos confraternizamos uns com os outros, e cada um de nós
assume seu lugar de direito no esquema das coisas.
A cura física ou mental é baseada na crença de que existimos em algum lugar entre
nossos pés e nossa cabeça, e ela tenta fazer algo sobre uma existência física. A cura
espiritual tem uma base totalmente diferente. A cura espiritual depende de o indivíduo se
tornar conscientemente desperto sobre a verdade de não existirmos no corpo ou como
corpo, mas de existirmos como Consciência Divina Infinita.
Jesus não disse que ele era o corpo. Ele disse: “Eu Sou…a Vida” (João14:6). Ele não
disse que sabia a verdade. Ele disse: “Eu sou a Verdade” (João14:6). Quando
começamos a entender o que isso significa - Eu sou a Vida Eterna; Eu sou a Verdade -
então, também podemos ver que o corpo ou qualquer outra coisa - música, pintura,
escultura, literatura - pode ser o sujeito e o objeto de nossa Consciência (“A Arte de
Meditar” – J. Goldsmith); e podemos chegar ao conhecimento disso como isso é, e não
como parece ser para o sentido não-iluminado ou ignorante, mas como realmente é.

16
Aqui está a grande maravilha deste mundo e deste trabalho: há um Cristo. Quer lhe
chamemos o Cristo dos cristãos, Emanuel dos hebreus, ou Tao dos chineses, existe um
Cristo. Esse Cristo é Presença e Poder infinito e invisível. Na verdade, é a sede do nosso
Ser, o Centro do nosso Ser. É a Única Realidade Divina e Individual de cada um de nós.
Mas para experimentar a Presença e o Poder do Cristo, é necessário estar plenamente
consciente do Cristo como a realidade do nosso Ser, como a sede e a fonte de nossa
inteligência, nossa eternidade e nossa imortalidade.
A partir deste momento, será ainda menos do que inútil falarmos sobre o Cristo, ou sobre
Deus, ou sobre o Espírito, ou mesmo ler escritos inspiradores sobre Deus ou sobre o
Cristo. Temos passado milhares de anos ouvindo sobre Deus e orando a Deus,
esperando encontrar a Deus no próximo mundo. Deste ponto em diante, chegou a hora
da verdadeira realização e demonstração de Deus. Estamos fazendo uma reversão e
estamos reconhecendo o Eu Sou do Cristo. Estamos reconhecendo a Presença da Vida.
A Realização do Cristo Aparece Como Forma
No meu trabalho, o tratamento é sempre este: a percepção do Cristo. Quando me sento
pacificamente em silêncio, em um estado receptivo de Consciência, mais cedo ou mais
tarde, sinto algo dentro que sei ser a Presença Divina, o Cristo; e descubro que Ele, esse
Cristo, essa Presença, atende a esses apelos, sejam eles mentais, morais, físicos ou
financeiros. Ele mesmo entra nas relações humanas, trazendo a Paz onde havia conflito -
isto é, quando essa Paz é desejada. Muitas vezes as pessoas não querem a Paz do
Cristo. Elas querem que sua própria vontade humana seja satisfeita. Elas podem querer
ver uma luta resolvida amigavelmente, mas elas a querem resolvida em seus próprios
termos. Uma pessoa pode querer sua saúde, mas é só isso que ela quer, ela não quer o
caminho pelo qual o Cristo pode trazê-la. Em qualquer um que o Cristo toca, Ele sempre
dissolve os elementos da sensualidade, inveja, ciúme ou malícia. O Cristo muitas vezes
opera em nossa Consciência para dispersar até traços herdados ou ambientais que não
são condizentes com a Vida Espiritual; mas muitas pessoas não querem que isso
aconteça a elas. Elas querem manter seu desejo de poder, seu desejo por posse, por
dinheiro ou por outra coisa qualquer - e ainda assim, esperam obter sua cura também.
Elas querem a cura, mas não querem renunciar ao senso pessoal de si mesmos.
Isso não significa que, em nossa prática do Caminho Infinito, façamos uma tentativa de
descobrir o que está errado no pensamento de um indivíduo e, então, tentar corrigi-lo.
Não, não, não! Nunca seremos culpados por tentarmos descobrir qual erro se esconde
no pensamento de outra pessoa. Mas, permanecendo nesse sentido espiritual da
Verdade, Harmonia e Paz, qualquer que seja o sentido material ou mortal que exista
como um estado de pensamento é dissolvido. O tratamento, portanto, para tudo e

17
qualquer coisa, é “Paz, aquieta-te”. Isso é tudo. Apenas essas palavras, “Paz, aquieta-te!”
são suficientes, se vierem de um estado de Consciência que esteja em Paz, e que tenha
encontrado o Centro de seu Ser.
Se eu tentasse corrigir algo em sua mente ou corpo, o tratamento falharia. Se, no
entanto, eu esquecer o mundo e o que é chamado de forma, e encontrar o Centro do
meu Ser – encontrar “Minha Paz”, a realização do Cristo - então a resposta vem
rapidamente: “eu fui ajudado” ou “eu estou curado”. Não seria nada que eu conhecesse
ou qualquer poder que eu possuísse; seria este Cristo.
Se não temos essa Consciência da Presença do Cristo, nos falta o único elemento que
faz o trabalho de cura. O Cristo está sempre presente conosco; o Cristo é a Realidade do
nosso Ser; mas a necessidade é a percepção consciente da Presença do Cristo.
Desenvolvemos isso estudando e ouvindo a Palavra, nos reunindo com outros
estudantes do caminho e a revelação dentro de nosso próprio Ser, trazida através da
meditação. A leitura, a associação com os outros do caminho e a meditação nos levam a
esse estado de Consciência onde, de repente, vem a compreensão interior, e o Cristo se
desdobra e revela Sua Glória a nós.
Nossa Consciência da Verdade aparece exteriormente como forma. Este Cristo, que é
Espírito, aparece de forma tangível como forma. Pode aparecer como um novo coração
ou fígado ou pulmão para alguém; pode aparecer como um novo osso em seu corpo;
pode aparecer como marido, esposa ou companheiro; pode parecer como oportunidade;
pode aparecer como uma vaga de estacionamento na rua. Ele aparece nas menores
formas - um pequeno alfinete, se isso for necessário naquele momento; nós não nos
sentamos e tentamos formá-lo; não nos sentamos e suspiramos porque vamos precisar
do alfinete, do lugar de estacionamento ou de um novo pedaço de carne. Nossa única
responsabilidade é alcançar a Consciência da Presença do Cristo, a Consciência de
nossa Unidade com o Cristo. Aprofundamo-nos em nosso Ser Interior; sentimo-nos no
Centro; e dele flui a Infinitude de Deus. Nós não O dirigimos a nenhum lugar. Somos
apenas um centro de Paz, um centro de atividade do Cristo, um centro de Amor e um
centro de Vida. Quanto mais mantemos essa atitude continuamente, mais este Amor
aparece externamente como dinheiro, pacientes, estudantes, clientes ou qualquer que
seja a necessidade.
Nossa Consciência da Verdade aparece exteriormente como forma; mas não precisamos
delinear qual será essa forma. Devemos apenas viver, nos mover e ter nosso Ser no
Espírito - viver como Espírito, como Alma, como Consciência. Somos responsáveis
apenas por manter nossa Integridade Espiritual, e isso é alcançado e mantido no grau em
que vemos Alma, Espírito e Pureza, como a Vida e a Harmonia de cada indivíduo. Isso
significa todo indivíduo, não todo mortal.

18
Nós não estamos lidando com a imagem mortal. Nós não estamos olhando para ela e
tentando melhorá-la. Estamos olhando para a Realidade do Ser, com nossa Sabedoria
Espiritual, com nosso senso intuitivo. Quem, pesquisando, pode descobrir a Deus?
Ninguém. Nunca podemos encontrar Deus com o intelecto, nosso senso humano ou
nosso poder de raciocínio; nós encontramos Deus somente em nossa Consciência
Espiritual, interna e intuitiva. Em um momento de Consciência, algo dentro de repente
diz: “não, não sou eu, mas Ele. Eu sou Ele”. Algo dentro de nós dá a sensação de uma
Presença Divina, de Unidade. Quando percebemos isso, discernimos espiritualmente a
realidade do Ser do próximo - até mesmo do inimigo, já que nos é dito que realmente não
nos faz bem saber toda essa verdade apenas sobre nossos amigos; os escribas e os
fariseus faziam isso. Nós, que tomamos o nome do Cristo, devemos ver que isso é
verdade, até mesmo daquele que aparece ao sentido humano como nosso inimigo.
Muitos de nós pensam em um inimigo como pessoa, mas não temos inimigos maiores do
que a morte e a doença. Finalmente, devemos chegar a ver a Vida Eterna, para além e
através da imagem ilusória da morte e da doença, e então não vamos experimentar a
morte.
O mundo continuará experimentando a morte do corpo até que, na Consciência, supere a
crença da morte. Em outras palavras, enquanto tivermos consciência da morte, essa
consciência aparecerá na forma de morte. Nossa consciência interior aparece
exteriormente como forma. Quando temos a Consciência Interior da Vida Eterna, ela
aparece exteriormente como Imortalidade, Espiritualidade, Harmonia, Paz, Alegria, Poder
e Domínio.
O Mal, um Estado de Hipnotismo
O pensamento errado, então, aparece exteriormente como pecado, doença e morte?
Não, não aparece. Ele vem a nós apenas como uma aparência ou uma crença, e
aceitamos essa aparência ou crença como se fosse uma forma externa. Pode uma
pessoa hipnotizada, que acredita que há um poodle branco na sala do hipnotizador, por
acaso produzir um poodle branco lá? Não! Todo o pensamento hipnotizado do mundo
não produzirá um poodle branco. Só produzirá uma aparência ou uma crença que a
vítima afirma ser um poodle branco. O pensamento errado nunca produzirá pecado,
doença ou morte. Nós não somos criadores; Deus é o Princípio Criativo, e cria apenas à
sua própria imagem e semelhança. Nosso pensamento errado e o pensamento errado do
mundo, portanto, nunca produzirão pecado, doença ou morte. Esse pensamento errado
só objetivará a crença como um quadro ilusório, como o nosso “poodle branco”, e então
você olhará para ele e dirá: “como vou me livrar dele?” Não está nem aqui, então como
podemos nos livrar disso? Não existe algo como pecado, doença ou morte; e todo o
pensamento errado do mundo que podemos pensar não produzirá tais coisas. Mas a

19
crença universal em um eu separado de Deus produz esses quadros errôneos que
vemos, afirmando terem substância, lei e realidade; mas eles não têm. Todas essas
imagens são tão irreais quanto o poodle branco que o homem hipnotizado acredita estar
vendo. Lembremo-nos, ele não está vendo isso; ele acredita que ele está vendo isso.
Não há como remover esse poodle branco, exceto despertando o sujeito de seu estado
de hipnose. Como fazemos isso? Um com Deus é maioria. Se houvesse uma pessoa de
Visão Espiritual na platéia que pudesse rir e dizer, ou mesmo pensar, que não há um
poodle branco para se livrar, o homem hipnotizado acordaria do sonho. É somente
porque todos estão de acordo com ele - o cego guiando o cego - que isso acontece. Se
alguém conscientemente percebesse que está apenas testemunhando uma forma de
hipnose, tal percepção rapidamente o despertaria para o fato de que a hipnose não é um
poder. É uma crença em um poder separado da Única Vida.
Sempre que somos confrontados com qualquer forma de doença, pecado, morte, falta ou
limitação, vamos ser rápidos em perceber: “este é um quadro hipnótico, e eu não tenho
que fazer nada a respeito disso”. Desta forma, nós podemos muito bem ter uma cura
instantânea. Mesmo que a cura não seja instantânea, nossa permanência nessa Verdade
revelará a harmonia que já é, que já existe.
Devemos perceber que não há doença: existe apenas hipnose; Há apenas uma imagem
hipnótica aparecendo como doença. A cura espiritual não usa a Verdade para superar o
erro. Não usa o poder do bem para superar o poder do mal. Jesus respondeu ao homem
impotente: "levanta-te ... e anda" (João 5:8). Ele não estava usando um poder para curar
doenças; estava dizendo, com efeito: “não há nada a ser superado”. Ele não usou o
Poder de Deus para fazer alguma coisa a Pilatos ou afastar a crucificação. Ele disse: “tu
não terias poder algum contra mim, a não ser que te fosse dado de cima” (João 19:1).
Então ele deixou a crucificação prosseguir, e ele provou a Vida Eterna. Um curador
espiritual não é uma pessoa que desenvolve uma técnica de usar a Verdade para
superar o erro, ou de usar o tratamento para superar a doença. Um curador espiritual é
aquele Estado de Consciência que sabe que somente Deus é a Realidade de todo Ser, e
que qualquer outra coisa é um estado de hipnose. O reconhecimento de que ele está
lidando com um estado de hipnose, em vez de uma pessoa ou condição, é a Consciência
de Cura.

3 - VER E OUVIR
“Tendo Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar; e ajuntou-se
muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a
multidão estava em pé na praia.

20
E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: eis que o semeador saiu a semear.
E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e
comeram-na; e outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo
nasceu, porque não tinha terra funda; mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque
não tinha raiz.
E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em
boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.
E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Ele,
respondendo, disse-lhes: porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus,
mas a eles não lhes é dado; porque àquele que tem, se dará, e terá em abundância; mas
àquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado.
Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem
nem compreendem” (Mateus 13:1-13)
A Verdade Espiritual, quando é semeada na mente humana, no intelecto, não é eficaz.
Um grande número de pessoas com intelectos altamente desenvolvidos, muitos físicos e
cientistas, acreditam que Deus é um complemento necessário para uma vida equilibrada,
e que a prática da religião é desejável. Poucos tiveram uma experiência religiosa real,
pela qual sentiram a Presença e o Poder de Deus. A maioria desses intelectuais não
possui a Consciência Espiritual que faria de Deus uma realidade demonstrável; eles
estão convencidos de que Deus é uma necessidade, mas ainda não estão convencidos
sobre Deus.
A Verdade recebida através do intelecto, que permanece no nível da mente humana,
independente de quão lógico ou razoável possa parecer, não é Consciência Espiritual.
Mesmo que tenhamos ouvidos - e todos nós temos ouvidos, ouvidos físicos - não
ouvimos espiritualmente; mesmo que tenhamos olhos para ler todos os livros de
Sabedoria Espiritual que já foram escritos... Se somos incapazes de ouvir ou ver
espiritualmente, estamos errando o alvo; estamos perdendo todo o Caminho Espiritual. A
Verdade permanece uma semente, aquela semente espiritual que é lançada no solo
estéril da consciência material, da consciência mental ou da consciência intelectual, e
não pode brotar como fruto espiritual.
“E nelas cumpre-se a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis e não
compreendereis; e vendo, vereis, mas não percebereis” (Mateus 13:14)
Nisto você vê porque este ensino é um ensinamento inteiramente diferente de outros
ensinamentos metafísicos do mundo. O Caminho Infinito não é apenas um método de
adquirir um maior conhecimento da Verdade; não é apenas conhecer mais verdade. Esse
ensinamento não se baseia em nenhuma verdade que possamos conhecer

21
intelectualmente. Mesmo em nosso tratamento ou trabalho de cura, as verdades que
conhecemos com a mente humana ou as palavras que declaramos com nossos lábios
não são poder. Até chegarmos a ver que nossos bons pensamentos não são poder
espiritual, não veremos que nem mesmo o pensamento maligno do mundo é poder.
Há apenas Um Poder e esse Poder é a Consciência Espiritual. Deus, Consciência Divina,
“porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de
moderação” (2 Timóteo 1:7). Deus nos deu uma Consciência, um Espírito, um Senso de
Poder - não meras palavras para declarar. Quando somos confrontados com problemas
nossos ou de outros, não nos apressemos em tentar descobrir o que é verdadeiro ou o
que é falso sobre o problema. Não faz muita diferença o que a verdade é, ou o que a
mentira é. A mensagem da Verdade não fará o trabalho. Saber intelectualmente mais
verdades não ajudará. É o Espírito, a Consciência que mantemos, que faz o trabalho. É a
capacidade, ao olhar para um ser humano, de perceber aquilo que não é aparente para
os sentidos humanos, e, nessa percepção, ver, através do indivíduo, o Cristo de seu Ser.
Todo o nosso trabalho é o desenvolvimento da Consciência Espiritual. Não é saber mais
da Verdade.
“Porque o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mau grado com seus
ouvidos, e fecharam seus olhos, para que não vejam com os olhos, e ouçam com os
ouvidos, e compreendam com o coração e se convertam, e eu os cure” (Mateus 13:15).
Aqui está toda a história do mundo humano. Não quer que seus dólares, poder ou
posição sejam tirados dela. O mundo tem medo de ouvir esta mensagem, por medo de
que ela o convença de que a guerra não é uma necessidade, ou da desnecessidade de
pânicos e depressões. Ele se afasta de qualquer mensagem verdadeiramente espiritual,
por temer que possa ser convencido de sua verdade e, em seguida, teria que descartar
tais práticas antiéticas de negócios, como fraudes ou concorrência desleal. Os homens e
mulheres do mundo têm medo de aprender sobre a Verdade Espiritual, porque sabem
que, uma vez tocados pelo Espírito, nunca mais poderão fazer as mesmas coisas nos
negócios ou na vida familiar, nunca mais poderão ser os mesmos para suas famílias.
Aqueles que se voltam para esse caminho devem não apenas receber essa mensagem
através de seus ouvidos e através de seus olhos, mas devem estar dispostos a percebê-
la espiritualmente, e depois viver de modo a levá-la à expressão real.
“Mas, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque
ouvem. Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que
vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram” (Mateus 13:16,17).
Há muitas pessoas sinceras que se esforçam para captar algum grau de Consciência
Espiritual e, no entanto, não conseguem responder ao impulso espiritual. Elas podem

22
ouvir o que estamos dizendo ou ler o que escrevemos; e, no entanto, a Verdade não cria
raízes em sua Consciência. Elas querem sentir a vivificação do Espírito; elas têm um
amor profundo por Deus. Eu tenho visto muitas lágrimas derramadas por pessoas que
disseram desesperadamente: “eu vejo isto, eu ouço isto; mas por que não posso sentir
isto? por que não consigo entender isso dentro de mim?” Isso é uma tragédia. Isso é
triste. Mas enfim, essas pessoas, se puderem ser pacientes e persistentes em sua busca,
se permanecerem no Caminho, descobrirão que sua Consciência se abrirá, e
compreenderão espiritualmente o que agora ouvem apenas com os ouvidos e vêem com
os olhos .
Há aqueles, no entanto, que tiveram um vislumbre espiritual: “e eu, quando for levantado
da terra, todos atrairei a mim” (João 12:32). Estes descobrirão que todos aqueles que
tocam em suas vidas, em certa medida, serão elevados a essa Consciência também.
Quando somos alimentados inteiramente de dentro, podemos sair e “alimentar as
ovelhas”, alimentar os outros, alimentar aqueles que ainda não estão prontos para a
experiência. Beberemos a Verdade através dos olhos e dos ouvidos, até que ela nos
abra a Alma, a Consciência, a Consciência Espiritual; e depois, depois disso, estaremos
prontos para seguir em frente (por que a pressa? Santa Teresa D’Ávila nos diz que “não
há amor fino sem a *paciência*... – nota do trad. G. S.).
Parábola do Semeador
“Escutai vós, pois, a parábola do semeador. Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a
entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que
foi semeado ao pé do caminho” (Mateus 13:18,19).
Há muitos estudantes que são capazes de entender o Ensinamento Espiritual e seguir
fielmente o Caminho Espiritual, até que um problema real os afete - e quero dizer real no
sentido de profundidade, isto é, um problema de saúde, perda, falta ou limitação - e então
eles caem. É quando se torna evidente que a mensagem não tomou raízes
suficientemente profundas e que sua consciência não respondeu a ela. O Sentido
Espiritual não se desdobrou suficientemente para permitir que o estudante permaneça
firme até que a Verdade da mensagem seja provada.
“E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste
mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera” (Mateus 13:22).
Esta passagem não precisa de explicação, não é? Nosso próprio medo de escassez ou
limitação - o medo da perda de nossa riqueza, suprimento ou qualquer forma de
materialidade, ou o nosso medo do que pode acontecer ao nosso corpo, de modo que ele
possa perder sua sensação de bem-estar, sofrer ou morrer - esses são os medos que
sufocam o impulso espiritual e o destroem.

23
“Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto,
e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta” (Mateus 13:23).
Não podemos esperar ser a boa terra que “produz cem, sessenta, trinta”, se tentamos
levar o Espírito aos assuntos da terra, semeando o Espírito com a carne. Nós devemos
ser aquela semente como o grão de trigo, que cai no chão e morre, antes que o fruto
espiritual possa aparecer. Nós devemos morrer diariamente, desistindo de qualquer
medo ou senso de materialidade. Podemos nos elevar acima das preocupações terrenas
para o Espírito, e observar as discórdias e os erros da existência humana
desaparecerem; mas tentar, por exemplo, usar o Espírito para propósitos materiais, é
perder o caminho. Não podemos e não devemos usar o Espírito para melhorar nossa
existência humana. O sentido humano da existência deve cair no chão e morrer. Nossa
oração deve ser a mesma oração que a do Mestre: “Glorifica-me com a tua Glória”. Em
outras palavras: mostre, através de mim e como eu, a Perfeição Espiritual, a Vida
Espiritual, a Paz Espiritual, a Harmonia Espiritual.
A mensagem do Mestre nunca foi para a glorificação da terra ou das coisas terrenas.
Buscar apenas tornar o corpo mais saudável ou mais rico no bolso seria glorificar a
humanidade, tornando-a maior e melhor humanidade, humanidade mais saudável.
Ninguém amava mais seu povo do que Jesus amava o povo hebreu de sua época.
Ninguém teria feito mais para trazê-los à sua Liberdade do que ele fez, e ainda assim, ele
não fez nenhum esforço para libertá-los, seja de Roma ou das igrejas materialistas. Ele
disse: “Meu Reino não é deste mundo” (João 18:36). A direção de seu propósito era
ensinar-lhes uma mensagem espiritual - uma mensagem que eles não poderiam
aprender através de seus ouvidos. E Jesus advertiu contra a “vã repetição”, ouvindo com
nossos ouvidos e falando com nossas línguas. Em vez disso, devemos ouvir a Voz
pequena e silenciosa e receber no ouvido interior a mensagem espiritual, a alegria do
Espírito. O objetivo não é colher alegria, paz e prosperidade apenas no corpo ou em
nossos assuntos humanos. Nosso objetivo é chegar à Paz Espiritual e a uma
Prosperidade Espiritual.
Libertação Espiritual
A paz alcançada através de tratados não traz a paz permanente. A única Paz genuína
que virá à terra virá através daqueles que estão despertos para a realidade espiritual e
que não mais buscam demonstração puramente material. Esses então serão capazes de
estabelecer o padrão que, em última análise, libertará a consciência humana. Foi-nos dito
que se houver apenas dez homens justos numa cidade, então essa cidade pode ser
salva. Embora isso ainda deva ser demonstrado, é razoável acreditar que, como
pequenos grupos aqui e ali concentram sua atenção no Desenvolvimento Espiritual e

24
Demonstração Espiritual, então, finalmente, a visão do “Meu Reino”, o Reino Espiritual,
se espalhará.
Se um pequeno livro como “O Caminho Infinito” pode atingir uma circulação mundial, sem
publicidade alguma, sem nem mesmo vendas em livrarias ou lojas de departamentos em
qualquer extensão, mas sendo toda essa atividade o fruto da semente a partir de dentro
de si mesma, não será possível que essa Semente de Cristo, da Espiritualidade, plantada
em nossa Consciência, possa - e irá - se espalhar por todo o mundo, se e quando
sairmos levando-a para o mundo?
Eu não acredito que qualquer ensinamento por si mesmo possa fazer isso pelo mundo,
mas o Espírito Vivo em nossa Consciência pode fazer qualquer coisa, tudo, pelo mundo.
Nenhum ensinamento, independente de quão nobre seja ou de que sentimentos
elevados possa despertar, pode elevar o mundo. É a Consciência por trás do
ensinamento que é Poder. Havia dezesseis anos de Consciência Curativa por trás do
livro “O Caminho Infinito”, antes de ser lançado para o mundo. A Consciência de Cura
nesse livro, independente de sua mensagem, é Poder, mas quão maior pode ser o
trabalho do Espírito do Cristo Ele Mesmo, quando está presente como uma Realidade em
nossa Consciência... Não outra mensagem sobre Cristo, mas o próprio Cristo se
manifesta como a Consciência do indivíduo. Então a mensagem se espalharia mil vezes
mais rápido, um milhão de vezes mais rápido do que se espalhou pelo Caminho Infinito,
através da Consciência de Cura pela qual o livro foi escrito. Quando o próprio Cristo se
manifesta na Consciência Individual, esse Cristo se espalha como uma tocha flamejante
de um para o outro, até que todos tenham sido tocados por sua Luz, acesos pelo
Espírito, pelo estudo da Sabedoria Espiritual ou pelo contato com uma Luz Individual.
Então, à medida que a Consciência Individual se inflama, a chama se espalha por toda
parte do mundo, de um para outro.
Eu sou um desses professores que espera milagres do Desenvolvimento Espiritual nos
próximos anos. Minha primeira Iluminação interna foi em 1928, e isso resultou em minha
prática de Cura Espiritual. Mas quando a segunda experiência chegou, houve um grau
ainda maior de Iluminação. Foi uma Iniciação Interior e uma concentração consciente,
com Poder Espiritual. Quando isso aconteceu, a Voz Interior revelou que haveria uma
obra de natureza espiritual no mundo e, nesse trabalho, uma parte deveria ser dada a
mim. A cada seis meses, desde aquela época, tem havido outra Iluminação e
desdobramento, e a cada vez uma mensagem chega, e uma parte para desempenhar
neste trabalho.
O trabalho que se desenvolveu dentro de mim trouxe a percepção de que, à medida que
a Mente e a Consciência dos homens despertarem, todo o mal mundano se desvanecerá
no nada. Até o presente momento, todas as grandes civilizações atingiram seu apogeu,

25
se desintegraram e foram destruídas. Isso pode acontecer novamente. Se isso não
acontecer de novo, entretanto, só pode ser evitado por aqueles que recebem a Semente
Espiritual em sua Consciência, permitem que ela se desenvolva, e então levam essa
Semente da Espiritualidade para o mundo.
Não há mais nada agora no intelecto ou no laboratório do físico que salvará o mundo. O
Salvador do mundo é o Cristo, a Consciência Espiritual, aquele Amor Divino que flui de
dentro. Na Consciência Espiritual desenvolvida, há um sentimento de Individualidade
Infinita tal, que ninguém gostaria de estar sujeito a outro ou fazer de outro subserviente a
si. A pessoa está sujeita apenas a Deus, a Divindade de seu Ser. Essa é a razão pela
qual, em nosso trabalho religioso, não temos uma organização. Cada aluno é
completamente livre, de modo que somente o Cristo de seu próprio Ser é o que exige sua
lealdade. Devemos estar dispostos a servir o Cristo um do outro, mas não devemos estar
dispostos a atender às pessoas. Nesta Consciência Espiritual desenvolvida, amamos
nosso próximo como a nós mesmos; nós cooperamos, e ainda assim, não estamos sob
qualquer cativeiro, qualquer jugo ou qualquer dívida, uns com os outros. Toda a nossa
fidelidade é ao Pai Interior, ao Cristo do nosso Ser Individual.
O Espírito - Uma Força Universal na Consciência dos Homens
Vamos meditar em “não por força, nem pelo poder, mas pelo meu Espírito” (Zacarias
4:6). Começamos com uma compreensão do Poder do Espírito. Temos fé e plena
confiança no Poder do Espírito: o Poder do Espírito para se expressar universalmente; o
Poder do Espírito para se manifestar como saúde, integridade, generosidade; o Poder do
Espírito para se manifestar como alegria, paz, domínio, harmonia. O Poder do Espírito é
um poder transformador, mudando este esquema mortal de existência e até mesmo
eliminando-o, se necessário.
Estamos familiarizados com o poder da eletricidade e conhecemos o poder da dinamite.
Nós conhecemos o poder do átomo. Agora, vamos perceber o Poder daquilo que é
invisível ao sentido humano, aquilo que o senso humano acha difícil aceitar. Vamos
chegar a uma compreensão do que significa o termo o Cristo, ou o Espírito. Vamos
realmente começar a sentir o Espírito e a conhecer Sua Presença, Seu Poder, Seu
Governo e Sua Lei. O Espírito é um Poder na Consciência dos homens - não apenas de
um homem, ou dois, ou três. Se é conhecer a Verdade que vai nos libertar, então
conheçamos a Verdade e sua universalidade. Passou-se o tempo para pensarmos no
Poder do Espírito apenas em termos de redimir nossa própria pequena existência
humana. Vamos nos voltar da preocupação indevida por nossa vida ou nosso corpo e
começarmos a ver e perceber o Poder do Espírito como uma Força Universal na
Consciência dos homens.

26
Que diferença podem fazer os próximos dez, quinze, vinte ou trinta anos de nossa
extensão humana? O que é tão importante neles que não devêssemos dedicar nosso
tempo e estudo somente às coisas do Espírito?
Vejamos se não podemos captar a visão do Mestre que era de Salvação Universal, uma
Presença e Poder Universais, que libertaria todos os homens do sentido material,
limitação material, falsos apetites, falsos desejos. Vejamos se não podemos começar a
entender que esse Infinito Espírito Invisível aparece como a saúde e a harmonia do
universo; que este Infinito EspíritoI, Substância, aparece como Graça Divina em todo o
mundo, para todo pensamento receptivo, para todos aqueles que são espiritualmente
conscientes.
Se, então, vemos Deus, o Espírito Divino do Universo, como uma Presença e Poder
Universais, isso incluirá dentro de si o bem de todo indivíduo, até mesmo o nosso próprio
bem. Essa foi a experiência de Jó em sua oração por seus amigos. Isso é desistir do uso
do Espírito, ou de Deus, para nossos propósitos pessoais ou nossa vantagem pessoal.
Isso é rezar pelo mundo. Eu vejo interiormente que somos espiritualmente Um em todo o
mundo; vejo que há uma irmandade invisível, uma ligação invisível, um fio invisível, que
vai de indivíduo a indivíduo em todo o mundo, tendo sua Fonte e Fundamento em Deus.
O próprio Espírito leva essa mensagem a todos os que são receptivos.
Esta mensagem é a mensagem que o Mestre nos deu. Indubitavelmente, por várias
centenas de anos, essa mensagem gerou grandes frutos: houve curas espirituais; houve
grande progresso; e ninguém pode negar que, até certo ponto, a Luz dessa mensagem
penetrou as mentes receptivas de homens e mulheres através dos séculos. A mensagem
do Cristo deu nascimento a ricos frutos em literatura, música e arte no mundo. O
Cristianismo é exemplo nas formas mais esclarecidas de governo, e seu Espírito
impregna os grandes documentos históricos, como a Magna Carta, a Declaração da
Independência, a Declaração de Direitos e a Constituição dos Estados Unidos. Não há
dúvida de que a mensagem do Cristo tem fermentado a Consciência humana ao longo
dos tempos, alcançando e transformando o pensamento receptivo.
Parece que, nestes tempos, chegou a hora, e a possibilidade está aqui, de uma maior
conscientização desse Poder Universal, que, até agora, tem sido usado com muita
frequência para ganhos pessoais. Mesmo nos dias antigos, essa mensagem espiritual
estava oculta do mundo em mosteiros e conventos, onde o sacerdócio podia possuí-la e
utilizá-la, mas era dada aos leigos com muita parcimônia.
Essa era parece ser a era em que grandes segmentos da população estão atingindo um
Estado de Consciência que é receptivo e responsivo a esta mensagem. Está penetrando
e permeando a Consciência e mostrando frutos. Em todo o mundo há um despertar

27
espiritual, há uma reunião espiritual, há uma ascensão espiritual. Eu posso ver que o que
é conhecido por qualquer um de nós hoje também é conhecido em todo o mundo por
outros de pensamento receptivo e responsivo. Quando medito, muitas vezes me torno
receptivo às ideias espirituais que estão sendo mantidas na Consciência em outro lugar.
Nós não sabemos, mas as coisas que estamos escrevendo estão sendo recebidas da
Infinita Consciência Divina, porque, em outro lugar, outras pessoas consagradas estão
sentadas em meditação, em Unidade Consciente com Deus, percebendo a própria
mensagem que podemos estar expressando.
De onde vêm essas ideias que estão encontrando seu caminho para estes escritos? Elas
saem do cérebro do autor? Elas saem de algum contato pessoal com Deus? Eu deveria
hesitar em pensar que isso é verdade. Não. É porque, no Céu e na Terra, há aqueles que
estão se dedicando à mensagem e à missão do Cristo. Onde e quando quer que os
seguidores consagrados do Cristo se encontrem, onde e quando quer que eles
contemplem a Verdade, onde e quando eles percebam a Verdade, essa Palavra se torna
a Palavra instantânea em nós - a Onipresente Palavra em nós.
Não existe tal coisa no Espírito como tempo ou espaço. Tampouco existe algo como
mentes diferenciadas. Existe apenas uma mente. Então esta mensagem, como acontece
em minha Consciência neste momento, está automaticamente acontecendo na
Consciência de todos os sintonizados na percepção do Cristo. Da mesma forma, tenho
certeza de que muito do que vem a mim é realmente a percepção consciente da mente
das almas consagradas no Céu e na Terra; e é meu desejo estar tão em sintonia com o
Infinito Invisível, ou com as ideias divinas que fluem através de todo Ser Espiritual, que
eu seja meramente um ponto de receptividade para eles.
Nós, de Uma Só Mente, somos reunidos para esta mensagem através da nossa leitura
deste livro. Isso significa que somos os únicos na Terra? Não. Isso significa que em todo
o mundo existem indivíduos e há grupos de dois ou três meditando e comungando juntos.
Esses grupos estão abrindo sua Consciência para o Cristo, buscando orientação e
direção. E quem pode dar isso a eles? Somente os espiritualmente Iluminados podem
fazer isso, aqueles que se sentam em meditação individual ou coletivamente, percebendo
o Espírito – o Espírito expressando Sua Integridade, Sua Força, Seu Poder, Sua
Proteção. Nós podemos disponibilizar esse Espírito para todos aqueles que elevarem
seus pensamentos a Ele. Nós podemos disponibilizar o Poder de Deus para as pessoas
de todo o mundo que se aproximam e dizem: “oh, Deus, ajude-me! Oh, Cristo, onde você
está?”
Cada pensamento desse tipo pode encontrar o Espírito e o Poder de Deus presentes
através da nossa realização, assim como estamos expressando isso através da
realização dos outros, seja no Céu ou na Terra. Assim, deixemos, em alguma medida, de

28
nos preocuparmos tanto com nossa própria demonstração, e vamos dedicar alguma
parte do nosso tempo cotidiano à percepção da Presença de Deus Universal, onde quer
que um indivíduo abra seu pensamento para qualquer conceito de Deus.

4 - ERRO
Nossa Unidade Consciente com Deus constitui nossa Unidade com todo Ser Espiritual e
Ideia Espiritual. A meditação deve resultar na Consciência da Presença de Deus. Esta
percepção consciente da Presença de Deus é o fundamento de toda a nossa
experiência.
Como Deus é Infinito Bem, e nosso Ser sendo conscientemente Um com Deus, isso
significa que somos conscientemente Um com o Infinito Bem. Sendo assim, não temos
que conseguir uma boa casa, um bom automóvel, uma boa esposa, um bom amigo ou
um bom instrutor, nós só temos que compreender a União com Deus, e Deus aparece
para nós: Deus se torna visível e manifesta-se para nós como o bom lar, a boa esposa, o
bom automóvel, ou o Bem em qualquer outra coisa que possa ser nossa necessidade do
momento.
Quando tentamos ajudar a nós mesmos ou aos outros através da Realização Espiritual, é
o Cristo que faz o trabalho; é o Cristo que dissipa a ilusão; é o Cristo que opera como
curador, reformador, fornecedor. Mas o que é o Cristo? O Cristo é nossa Consciência
Individual, quando essa Consciência foi liberada de seu medo, ódio ou amor ao erro.
Agora vamos colocar isso em forma prática e utilizável. Vamos supor que há uma sombra
na parede. Quando olhamos para ela, podemos ver que é uma sombra, e é claro que não
a odiamos, nem a tememos, nem a amamos. Se eu pensasse que aquela sombra era
algum tipo de presença maligna, eu poderia muito bem odiar ou temer; e se eu pensasse
que era uma pessoa, eu poderia amá-la. Conhecendo-a como sombra, no entanto, eu
não posso odiar, nem temer, nem amá-la: eu a observo com completa indiferença,
sabendo que sua única existência é como sombra - virtualmente nada, sem substância.
Quando sou chamado a pedir ajuda e reconheço que o problema, seja físico, mental,
moral ou financeiro, não tem mais substância do que essa sombra - que não é poder, não
é presença, não é realidade - essa atitude é o que determina minha capacidade de cura.
Isso constitui meu grau de Cristandade. Quando posso enfrentar qualquer forma de
doença, pecado, falta, limitação ou morte e tomo a mesma atitude em relação a ela que
faço em relação a essa sombra, sem desejo de apagá-la, nenhum desejo de vencê-la,
nenhum desejo de me livrar dela, superá-la ou elevar-me acima dela, nenhum desejo de

29
negá-la, mas meramente com a capacidade de olhar para ela e dizer: “você é uma
sombra, e daí?” - então a Harmonia é revelada.
Não temos nada a oferecer ao mundo, exceto nossa Integridade Espiritual, e essa
Integridade Espiritual é nossa capacidade de reconhecer o nada do erro. A Integridade
Espiritual não pode ser medida pelo número de livros que lemos ou pelo número de
virtudes humanas que possuímos. Na prática metafísica comum, é o hábito de negar
imediatamente o erro - se não em palavras, em pensamento; se não em pensamento, em
atitude; uma parede mental é construída contra ele. Neste trabalho, invertemos isso. Nós
não colocamos nenhuma parede mental contra uma sombra; somos totalmente
indiferentes a isso; divinamente indiferentes a isso, se você quiser. Não precisamos odiá-
la, temê-la ou amá-la, sabendo que ela existe apenas como a sombra de uma crença,
uma crença mortal, uma crença material, mas não tendo mais externalização ou
realidade do que uma sombra. A sombra não pode ser exteriorizada em uma realidade;
nunca pode ser mais do que uma sombra, sem substância. Não podemos externalizar um
erro. Em nosso estado hipnotizado, podemos pensar que vemos um poodle branco;
podemos pensar que vemos um pecado ou uma doença, ou mesmo que nós sentimos
alguém, mas nenhum desses erros tem qualquer existência como um objeto
exteriorizado, não existem como coisa: têm existência apenas como crença, sombra ou
aparência, sem substância no pensamento.
O grau em que podemos olhar para essa sombra e não sermos perturbados por ela, e
não termos que dizer imediatamente: “não existe tal coisa, não existe na realidade”,
constitui o nosso grau de Cristandade desdobrada. Não deve haver resistência ao erro,
pois o erro deve ser reconhecido como nada. A Integridade Espiritual, em um metafísico
que pensa em um pecado ou doença como algo que deve ser removido, consistiria em
sentar-se a noite inteira lutando contra ele, combatendo-o, declarando-se contra ele. Se
ele não fizesse isso, não haveria Integridade Espiritual nele, já que a crença de que o
erro realmente existe está em seu pensamento. Mas a Integridade Espiritual, para nós,
consiste na capacidade de dizer: “Eu estou com você, Eu estarei com você”. O Eu é
Deus. E esta verdade do nada do erro é onipresente onde estou e onde você está. É
eficaz se estivermos conscientes do nada e da não-substância do erro.
No lado positivo, poderíamos chamar isso de conhecer a Totalidade de Deus; contudo, o
perigo de dizer apenas “Deus é tudo” é que você ainda não explicou a aparição chamada
pecado, doença, morte, falta ou limitação. Qualquer igreja no mundo, independentemente
de quão ortodoxa ela seja, concordará que Deus é tudo; mas ao concordar que Deus é
tudo, também concorda que há algo além de Deus. Na abordagem metafísica, as
pessoas estão ainda mais dispostas a concordar que Deus é tudo; mas elas também têm
algo além de Deus, e esse algo é uma afirmação ou uma crença. Ambos vêem algo que

30
não é a totalidade de Deus: o cristão ortodoxo, com sua totalidade de Deus, está se
livrando de um pecado ou doença; o metafísico, com sua totalidade de Deus, está se
livrando de uma crença ou uma afirmação. O nome foi mudado, e talvez a mudança do
nome tenha ajudado a diminuir nosso medo dele. Parece ser muito mais fácil lidar com
um problema sabendo: “bem, isso não existe como um problema; é apenas uma crença,
sugestão ou aparência”. Mas você vê que, mesmo nesse reconhecimento, ainda existe a
Totalidade de Deus e mais algo. Agora vamos dar um passo adiante e chegar à
Totalidade de Deus e o nada. Alcançamos esse Estado de Consciência não declarando a
Totalidade de Deus, mas compreendendo o nada daquilo que estamos chamando de
nada. Nossa Integridade Espiritual, então, se manifesta em nossa capacidade de não
resistirmos ao erro, não nos declararmos contra ele, não colocarmos uma parede mental
contra ele, mas em nossa capacidade de responder com um despreocupado "e daí?", de
uma forma ou de outra. Outros podem encontrar uma linguagem mais elegante para dizê-
lo; mas ainda vai significar "e daí?"
Não Resistir ao Erro
“Concilia-te com o teu adversário” (Mateus 5:25)… não resistas ao mal” (Mateus 5:39).
Embora haja declarações nas Escrituras que contradizem isso, essas duas afirmações
representam a mais alta das Escrituras. "Conciliar-se com o seu adversário" e "não
resistir ao mal" são usados no mesmo sentido em que diríamos, quando confrontados
com o erro: “não monte uma parede mental contra ele; não estabeleça uma rebelião
mental contra ele; não estabeleça uma negação mental contra isso; mas aprenda a
esperar em silêncio”.
Nosso amor um pelo outro é muito grande. Quanto mais nos aprofundamos nesse
trabalho, mais aprendemos a amar nossos pacientes e alunos porque, à medida que os
conhecemos melhor, conhecemos bem as qualidades que eles realmente têm por trás de
seu exterior. Mas esse amor não se manifesta em piedade por causa de seus males;
manifesta-se na realização da irrealidade desses males. Provamos nossa consciência
dessa irrealidade no grau de nossa falta de resistência a eles, nossa falta de oposição a
eles, nossa falta de combatê-los.
“A batalha não é sua” (2 Crônicas 20:15)
“Estai quietos e vede o livramento do Senhor” (Êxodo 14:15)
“Peço-te que lhe abras os olhos e veja… e eis que o monte estava cheio de cavalos e
carros de fogo” (2 Reis 6:17)
Em outras palavras, abram-se nossos olhos para que possamos ver que não há inimigo;
não há oposição. Aqueles que são por nós são mais do que aqueles que são contra nós.

31
De fato, temos que percorrer toda a distância e ver que não há nada contra nós; mas
aquilo que nos parece um inimigo, na forma de pecado, doença, falta ou limitação,
representa o sentido universal que está sempre ao nosso redor. O segredo do trabalho
de cura é encontrado neste desdobramento particular, nesta lição particular. Se o erro
existe como realidade, todo metafísico é um criminoso, porque nenhum metafísico faz
nada a favor ou sobre o erro - não importa qual seja sua forma de prática. Ele não dá
remédio; ele não manipula; ele não massageia; ele não opera; e, portanto, na verdade,
ele estaria deixando o erro sozinho para se desenvolver e crescer e se multiplicar, se
fosse verdade.
Nossa Integridade Espiritual está no grau de nossa consciência do nada do que parece
ser pecado, doença, falta, limitação e todo o resto das discórdias da experiência humana.
Nós, no entanto, devemos praticar; devemos desenvolver a capacidade de olhar
diretamente para o erro de qualquer forma, e conseguir que esse processo de
pensamento não esteja em operação, nem permitir que ele se engaje em uma campanha
contra o erro. A Integridade Espiritual exige que desenvolvamos a capacidade de sentar
e concordar com nosso paciente e dar-lhe a garantia: “sim, estarei com você; Eu cuidarei
de você”. E certamente o faremos, de nenhuma maneira melhor do que não combater o
erro.
Embora a infecção e o contágio não sejam, em si mesmos, um perigo, a crença de que
eles são perigosos é poder, e torna as pessoas vítimas deles. A pessoa da Consciência
realizada de Cristo remove a evidência visível de infecção e contágio através de sua
Integridade Espiritual, que consiste em sua Consciência de que somente Deus é Poder,
Alma, Vida, e que essas outras coisas, chamadas infecção ou contágio, não são poder.
Da mesma forma, o mundo deu poder a balas e bombas, e no mundo, eles têm o mesmo
poder que a infecção e o contágio têm no mundo que não tem consciência de sua
Verdadeira Identidade.
Nosso entendimento deve incluir, acima de tudo, a percepção consciente de Deus como
o Único Poder. Essa é a capacidade de dizer a Pilatos: “Não poderias ter poder algum
contra mim, a não ser que te fosse dado do alto” (João 19:11); a capacidade de dizer à
bomba atômica: "tu não poderias ter poder algum"; a capacidade de dizer àqueles que
utilizariam ou lançariam a bomba atômica, "mesmo o seu pensamento maligno não tem
poder."
O Malfeito Não É um Poder
Sabemos que a prática do mal não é um poder, mas todos nós vimos pessoas
adoecerem e morrerem por malfeitos. Agora, o que realmente fez isso? O malfeito, por si
só, não tinha esse poder. A prática do mal é pensar errado ou pensar mal. Em si e por si

32
só, não tem poder, já que podemos ficar sentados aqui o dia todo e dizer: “ele está morto
e sabe disso; ele está morto e ele sabe disso”, mas isso não mudaria a vida. Poderíamos
dizer: “ele está doente; ele está doente; ele está doente"; mas não conseguimos produzir
uma doença com esse pensamento errôneo. Se, no entanto, pudéssemos induzir uma
pessoa a temer o malfeito, poderíamos matá-lo com isso. Isso foi feito repetidas vezes.
Se pudermos fazer uma pessoa temer o mal, podemos destruí-lo com ele. Isso fazia
parte do antigo ensinamento kahuna havaiano. Eles espalhavam a crença de que alguns
dos kahunas poderiam praticar o mal e matar. O resultado era que, se uma pessoa fosse
a um kahuna em busca de ajuda, o kahuna provavelmente perguntaria:
- Bem, agora, há alguém que o odeia ou inveja? Há alguém que deseja sua esposa, seu
marido ou seu dinheiro?
- Ah sim, sim, existe.
- Bem, nós teremos que nos livrar dele primeiro, e então você estará livre.
A pessoa que deveria ser eliminada sabia que seu inimigo tinha ido para o kahuna, e sua
crença no poder do kahuna era tão grande que ele começava a tremer e temer, e em
poucos dias estava morto.
Os maus pensamentos de indivíduos ou grupos são sem poder, a menos que nós,
individual e coletivamente, lhes demos poder. É uma impossibilidade dar poder a algo,
sem sofrer com a crença que você mesmo aceitou. Portanto, é sempre sua própria
crença que está fazendo o mal a você, e não os pensamentos de alguém sobre você.
O mundo está alimentando falsas crenças que são tão universais que constituem um
malfeito universal. Desde o momento da concepção, todos estão sob a crença teológica
universal de que o tempo de vida é setenta anos. Ao mesmo tempo, também estão sob a
crença médica de uma expectativa de vida de apenas sessenta ou sessenta e cinco
anos. Agora, essas crenças operam e agem sobre nós, a menos que nós
conscientemente percebamos:
Todo o Poder está na Inteligência Divina, no Amor Divino, na Consciência Divina do meu
Ser. O lugar onde eu estou é Terra Santa, já que Deus é a própria Mente e Vida de mim.
Portanto, nenhuma lei age sobre mim, exceto minha Consciência, que é a Lei para toda a
Criação. Nada pode me afetar, exceto no grau da minha reação a isso. Não é isso que
tem poder; é minha reação a isso que tem poder.
É nossa reação a toda pessoa, circunstância ou condição que é Poder. É como aquela
palavra “tentação”. Muitas pessoas se viram em apuros por causa da tentação. Eles
foram tentados com dinheiro; eles foram tentados pelo poder; ou eles foram tentados por
outra coisa. Mas a tentação em si não é poder. É nossa reação a isso que lhe dá poder.
Eis onde está o poder - em nossa reação a ele. Se uma pessoa puder aprender a ser

33
governada pela Consciência Divina de seu Ser, ela não reagirá a nada externo. Portanto,
ele não reagirá aos medos universais. Temer infecção ou contágio é reagir à crença
sobre eles. Temer o pensamento humano, seja o pensamento humano individual ou
coletivo, é simplesmente reagir a uma crença sobre ele. Mas estabelecer-se em Cristo,
estabelecer-se na Verdade significa chegar à conclusão:
Eu estou centrado em Deus. Nada pode entrar que possa de algum modo corromper ou
mentir. Eu e meu Pai Somos Um. Não há poder que me alcance de fora da minha
Consciência - nenhum poder bom e nenhum poder maligno. Todo o Poder está fluindo
através do meu próprio Ser. E não pode ser um poder maligno, uma vez que Deus é a
Vida, a Alma e a Consciência do meu Ser. Mesmo se houvesse um pensamento humano
maligno em mim, ou fluindo de mim, não prejudicaria ninguém, porque não seria poder, a
menos que a pessoa a quem foi dirigido lhe desse poder, reagindo a ele.
Qualquer tipo de erro representa o pensamento ou crença humana individual ou coletiva,
e nossa harmonia depende de nossas próprias reações a essas crenças – independente
de estarmos ou não lidando com depressões, doenças ou períodos nacionais de
desemprego. Se vemos que a doença não é um poder agindo sobre nós, mas que é uma
crença a ser desconsiderada, como a sombra na parede, então nos tornamos a Lei para
a sombra, e ela não pode fazer nada contra nós. E de qualquer maneira, nem poderia, a
menos que alguns de nós confundissem a sombra com um fantasma, e tivessem uma
convulsão.
A maioria dos livros principais do “Caminho Infinito” contém capítulos sobre "A Natureza
do Erro". Há pessoas que se opõem a essa ênfase na natureza do erro. A maioria dos
estudantes da Verdade gosta de dizer: “bem, isso não é real; por que se preocupar com
isso? ”Anos de prática, no entanto, revelaram que, se não nos incomodarmos com isso,
isso nos incomodará. É somente no grau, não de nossa negligência, mas de nossa
compreensão dele como nada, que estamos livres dele. Olhar para fora, do canto do
olho, e negligenciar a sombra nos deixa à mercê da crença nela; mas olhe diretamente
nos olhos e diga: “Eu conheço você; você é sombra”, isso é Consciência, isso é
entendimento que está enfrentando a situação. É por isso que tantas negações na
metafísica são tão inúteis. Nós adquirimos o hábito de dizer: “não há doença; não há
pecado; ah, isso não é real!”... Mas isso não faz nada por nós.
O Segredo da Cura é a Reação
Ajuda muito entrar em uma firme consciência da irrealidade do erro e perceber porque
isso é irreal, o que o torna irreal - que é irreal porque, em si e por si mesmo, nunca foi
nada. Nossa reação a isso é de onde o treinamento vem - não em fazer algo contra o
erro, mas em desenvolver nossa reação a ele para o nível em que podemos realmente

34
olhar para ele e dizer: “obrigado, sombra!” Tudo isso nos leva a até o ponto em que não
há resistência mental ao erro. É nesse ponto que este trabalho difere inteiramente de
muitos ensinamentos metafísicos. Estamos nos desenvolvendo a um ponto de não-
resistência ao erro.
Nós não procuramos uma pessoa por equidade, por isenção ou por justiça. Aí está
novamente o mal ou o erro em grande parte do ensino atual, especialmente quando as
pessoas têm casos legais. É prática ver o juiz ou o júri como se tivesse a Mente de Deus;
mas isso é uma impossibilidade, porque é uma tentativa de colocar qualidades espirituais
nos seres humanos, e isso não pode ter sucesso. Um resultado totalmente diferente é
alcançado, quando uma pessoa entra em um tribunal sabendo que não há juiz e não há
júri; existe somente Deus, manifestando Sua própria Individualidade, Deus expressando
Sua própria Presença, e não uma pessoa ou pessoas exibindo qualidades de Deus.
Freqüentemente a prática metafísica se reduz ao nível humano e tenta ver um ser
humano como se ele fosse espiritual. Um ser humano nunca será espiritual. Um ser
humano será sempre um ser humano, até que a Natureza Espiritual de seu Ser apague o
aspecto humano, e a própria Divindade se torne aparente.
Mais uma vez eu estou repetindo: observe que você não reage imediatamente e tenta
negar ou superar ou resistir ao erro, mas na presença de qualquer fase de erro, fique
quieto e ouça o desdobramento ou revelação da Verdade que virá para substituir a
aparência errônea. “Eu de mim mesmo nada posso fazer… (João 5:30). Pois os meus
pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos são os meus
caminhos” (Isaías 55:8). O pensamento humano não é poder, mesmo quando é bom. Na
presença de qualquer situação errônea, tente não pensar, mas escute bastante. Tome a
atitude de escuta e receptividade.
Quando chegamos a este ponto em pensamento, onde não começamos a negar a
sombra, mas onde conhecemos a irrealidade de todas as formas de pecado, doença e
morte, e sabemos que elas, em si e por si mesmas, não têm poder e nada podem fazer a
ninguém, exceto no grau de nossa resposta a elas, nós chegamos ao Cristo.
Independentemente das minhas necessidades na vida - seja uma nota de um dólar, um
táxi, um automóvel, uma casa, uma esposa, companheirismo, oportunidade, negócios,
um empregador ou empregado - é o Cristo que produzirá isto. O Cristo é Onipresente;
mas é o grau de minha Consciência do Cristo que proverá a necessidade. O grau de
minha Consciência da Presença de Deus aparecerá como qualquer coisa ou pessoa que
seja necessária em minha experiência.
Lembre-se de que Deus é Onipresente. “Para onde devo ir do teu espírito? (…) Se eu
fizer minha cama no inferno, eis que tu estás aí” (Salmos 139:8). Não há lugar para fugir.

35
Aqui e agora, Deus é. Onde eu estou, Deus está. Tudo o que Deus tem é meu. Mas
nenhum desses conhecimentos é benéfico para ninguém no mundo, exceto em
proporção à sua percepção consciente desta Verdade. Podemos ter um milhão de
dólares em nossos bolsos e não poder comprar o almoço com ele, se não tivermos a
consciência da presença desse dinheiro em nosso bolso - se não tivermos a consciência
de sua presença e do que pode fazer. Da mesma forma, é possível ter todo o Deus que
existe no mundo e, no entanto, adoecer e morrer, a menos que tenhamos a percepção
consciente absoluta da Presença do Espírito.
Desde o nosso começo como seres humanos, não tivemos essa percepção consciente
da Presença. Mesmo que tenhamos expressado isso - embora tenhamos dito: “oh, Deus
está em toda parte! Deus preenche todo o espaço! Deus está em toda parte! ”- ainda
assim, tivemos pecado, doença, falta e limitação, ao mesmo tempo em que temos feito
essas declarações, mostrando que as declarações são meras declarações, e não uma
questão de percepção consciente. Como afirmações, elas não têm absolutamente
nenhum valor.
Mas ter consciência de tais afirmações torna-se uma história diferente. Nessa
Consciência, eu não tenho que temer pecado ou doença, cálculos ou erros de cálculo de
ninguém. À medida em que aprendo a cultivar o ouvido atento e receptivo, enquanto
desenvolvo essa habilidade, esse poder de silêncio, enquanto mantenho o clima de
expectativa dentro do meu silêncio e da minha quietude e receptividade, de repente, sinto
algo que é como uma respiração profunda ou um suspiro; ou pode vir de alguma outra
forma, porque Deus aparece a cada um de maneira individual.
Às vezes o Espírito apresenta uma imagem, mas noventa e nove vezes em cem, aparece
a mim apenas como aquele pequeno suspiro, quase um suspiro profundo; e quando isso
acontece, é como se todo o meu corpo e braços fossem preenchidos apenas com um
calor calmante, ou uma corrente quente de água percorrendo todo o meu corpo: é a
percepção consciente, ou sentimento, da Presença de Deus. Pode ser uma leve
sensação de formigamento, mas mais frequentemente é apenas um pequeno suspiro.
Agora, isso, para mim, é uma percepção consciente da Presença de Deus. Isso é Deus
anunciando a Si Mesmo, declarando sua Presença, ou fazendo-me ciente de sua
Presença. Essa é a maneira de Deus me dizer que está comigo e tudo está bem.
Então observe o milagre. Observe o Espírito realizar todas as funções da minha
existência e da sua. É o Espírito que realiza todo o trabalho de cura. Não é meu alcance
do seu pensamento. Não são meus pensamentos ou declarações de Verdade sobre
você; é apenas minha capacidade de me sentar e me tornar Um com o Pai, e então
deixar o Infinito Espírito Invisível aparecer como qualquer cura ou influência corretiva que
possa parecer necessária.

36
Uma vez manifestado esse Espírito, ele aparecerá como qualquer necessidade do
momento: pode ser dólares; pode ser um lar; pode ser um livro para escrever ou
comprar; pode ser um professor para encontrar. Qualquer que seja a necessidade, o
cumprimento aparece logo após a realização, reconhecimento ou sentimento da
Presença ter se manifestado. Então o Espírito de Deus aparece tangivelmente como
forma; ou melhor, deixe-me colocar desta forma: a Consciência da Presença do Espírito
aparece de forma tangível como forma. O Espírito está presente o tempo todo, mas não
faz nada: é a percepção consciente dele que traz os resultados.
Estabelecendo a Consciência da Presença
A Consciência, ou a percepção consciente da Presença do Espírito, aparece em forma
tangível. A Consciência da Presença e do Poder de Deus aparece como realização -
como o cumprimento de tudo o que pode ser necessário em minha experiência e na sua.
De manhã, portanto, antes de sair de casa, espere até sentir aquele pequeno “clique” que
diz a você: “Eu estou em campo, Eu vou antes de você”. Não precisa dizer essas
palavras para você, mas significa exatamente isso: “Eu irei adiante de ti e endireitarei os
caminhos tortos. Eu cuidarei de todos os problemas do dia. Eu estarei fora, na estrada,
cuidando que as vias se mantenham abertas”. Essa percepção consciente da Presença
de Deus aparece como toda fase de experiência harmoniosa ao longo do dia. No entanto,
devido à influência hipnótica do pensamento e à crença universal, é necessário que
estabeleçamos e restabeleçamos nossa percepção consciente da Presença repetidas
vezes.
Uma vez que sintamos a Presença Consciente de Deus, não pensemos: "oh, agora estou
bem para todo o sempre". Você não está. Volte e tenha a sensação de novo à tarde, se
puder, e não se recolha sem ela à noite. Nunca se recolha sem ela à noite, por este
motivo: o sono é o estágio mais próximo da morte. Quando você dorme à noite, você
praticamente morre, exceto que a profundidade de sua morte não é tão profunda como a
própria morte, e então você volta dela pela manhã. O intervalo do sono é, na verdade,
apenas uma forma leve de inconsciência total, que é a morte. A palavra “morte” significa
totalidade da inconsciência e, portanto, o sono é a coisa próxima da própria morte (aqui,
a explicação do sono é bastante insatisfatória, não contempla o fenômeno do sonho,
muitas vezes vivido tão intensamente quanto o estado “desperto” – nota do trad. G. S.).
Ninguém neste caminho deve dormir em total inconsciência, ou morte. Antes de ir dormir,
primeiro estabeleça uma percepção consciente da Presença de Deus. Então você pode
deixar seu corpo dormir ou descansar, ou ficar acordado a noite toda; mas isso nunca o
incomodará, seja o que for. O corpo não dorme. Está tão morto acordado quanto
dormindo. É o nosso sentido de coisas que realmente dorme. Se fôssemos ficar

37
acordados vinte e quatro horas por dia na Consciência da Presença de Deus, o corpo
continuaria funcionando com a mesma regularidade e facilidade.
Quando você alcança a sensação da Presença de Deus, esse "clique", antes de se
recolher, você pode dormir ou você pode não dormir. Não faz qualquer diferença, mas se
você dormir, não será um sono inconsciente. Será um recostar-se na cama e um
descanso do corpo, mas a Consciência estará funcionando, mesmo que aparentemente
você esteja adormecido. Você descobrirá que, às vezes, recebe suas maiores
iluminações espirituais durante o sono, já que sua Consciência não está adormecida: é
apenas o seu corpo que está em repouso.
Estabeleça a Presença Consciente de Deus antes de se recolher, assim como você faz
antes de sair de manhã, e então você vai descobrir que suas noites podem ser tão bem
sucedidas, rentáveis e agradáveis como os seus dias. Suas noites serão períodos de
restauração de qualquer crença que você tenha de um cansaço, estresse ou qualquer
outra forma de esgotamento. Certifique-se disto: o Cristo, a Verdade, a Consciência
Divina, a percepção consciente da Presença de Deus, aparece como uma forma muito
tangível. Portanto, não faz diferença qual é a necessidade ou qual é a ocasião: que o
Espírito atue sobre ela. Deixe o Espírito realizar isso. Em seu estágio final de meditação,
não pense nenhum pensamento. Simplesmente perceba que Deus, Espírito, é
Onipresente como seu próprio Ser, e que sua Consciência desta Verdade traz o Espírito
em qualquer forma que seja necessária.

5 - O EU QUE EU SOU
No Caminho Espiritual, você será tentado, não cem vezes, mas mil vezes, a acreditar em
uma personalidade separada do Eu que eu sou; você será tentado a acreditar que você é
essa individualidade, ou que seu filho ou sua filha é uma individualidade separada e à
parte de Deus. Cada vez será um esforço lembrar: Eu sou Deus; Eu sou Ser Infinito: Eu
sou Infinita Individualidade. Então, quando você tiver alcançado essa percepção, poderá
descansar - mas apenas por alguns minutos, até que a próxima tentação apareça. Você
não resolverá todos os seus problemas por um acordo intelectual de que Eu sou Deus,
que Eu sou Infinito e, portanto, que Eu sou riqueza infinita e saúde infinita. Em última
análise, essa Verdade resolverá todos os seus problemas, mas não até que esteja
enraizada e fundamentada em sua Consciência Iindividual.
À medida em que a Inspiração flui, à medida em que a Luz entra, somos levados a um
Reino além deste mundo; é quase como viver em um sonho. Mas isso não é um sonho;
estamos vivendo na Realidade. No entanto, a dificuldade é que, de vez em quando,
descemos à Terra - chegamos à Terra porque nosso próprio corpo começa a fazer ruído,

38
ou o corpo de outra pessoa o faz. Então é que nos tornamos responsáveis pelo
restabelecimento, em nosso próprio pensamento, de nossa Verdadeira Identidade.
O segredo da discórdia e o segredo da harmonia estão na compreensão da Verdadeira
Identidade. Independente de quantos livros possamos escrever sobre isso, ou quantas
maneiras diferentes sejam apresentadas, o segredo é: “Eu” sou Deus, e não o homem.
Eu sou Consciência, e não corpo. Eu sou a Vida Eterna: Eu nunca nasci; nunca
morrerei”. Esta Verdade deve ser estabelecida em sua Consciência. Cada vez que o erro
atinge seu pensamento, de uma forma ou de outra, deve ser rejeitado com essa
realização final: Eu Sou a Consciência de Deus. Esse Eu é Infinito, Eterno e Todo-
inclusivo; o Eu inclui dentro de Si Mesmo toda ideia de correção. Mas lembre-se, Ele não
contém pensamento, nenhum sentimento, nenhum traço de nada menos que a Perfeição
final; e lembre-se, também, tudo o que Deus é, Eu Sou. “Eu e meu Pai Somos Um” (João
10:30).
Toda vez que chega uma chamada - não apenas uma ligação do paciente para o
praticante, mas uma chamada do mundo, uma reivindicação do mundo, uma crença do
mundo, seja no jornal, no rádio, no ar ou através de amigos - trabalhe até que o Eu esteja
conscientemente estabelecido como a Realidade do seu Ser; e assim, você sabe que
nada é verdade sobre você, salvo o que é verdadeiro do Eu.
Veja o que acontece depois, ao lidar com problemas. Os problemas desaparecem, pois
Eu não posso ter problemas. Minha Consciência, que é a Consciência de Deus, não pode
ter problemas, e essa Verdade elimina a crença de tudo que é contrário a si mesma. Isso
significa, para nós, que há trabalho a ser feito, assim como momentos de sentar-se nas
nuvens. Nós realmente temos trabalho a fazer no treinamento de nossa Consciência. E
isso implica em algo mais.
Todos nós, como seres humanos, temos traços de caráter construídos pelo nosso meio
ambiente, educação e experiência, que não se encaixam no Eu que eu sou; portanto,
torna-se necessário tomarmos a nós mesmos e aprendermos a governar e a controlar-
nos, para que possamos alinhar todas as coisas com o Eu que eu sou. Se, por natureza,
somos temerosos e duvidosos, se, por natureza, somos invejosos ou ciumentos, não
devemos tentar humanamente superar a nós mesmos; não seremos psicólogos e
diremos: "eu tenho esse traço maligno e devo substituí-lo por esse bom traço". Não quero
dizer isso. Mas quero dizer que, na constante percepção do Eu que eu sou,
reconhecemos o que parecem ser nossas fraquezas humanas e permitimos que essas
características se dissolvam e desapareçam.
Nós não substituímos uma qualidade humana ruim por uma boa; mas na percepção, na
realização do Eu que eu sou, aprendemos a deixar os traços humanos errôneos

39
desaparecerem. Não faça um esforço para se livrar deles; mas esforce-se para viver no
Eu que eu sou. Isso vai cuidar de tudo. No momento em que você tenta se livrar de uma
qualidade humana negativa, você se encontrará com dez vezes mais negatividade do
que antes.
Este ponto é bem ilustrado na história do rico hindu que estava alcançando os últimos
estágios da experiência humana. Ele percebeu que ele tinha vivido uma vida de
indulgência e que agora ele devia se preparar para encontrar seu Deus. E assim, com
toda a seriedade, ele foi visitar um grande mestre. Com uma cara séria, ele disse:
“mestre! Toda a minha vida eu quis conhecer a Deus, eu devo conhecer a Deus. Você vai
me ensinar sobre Deus?” Claro, o professor podia ver que esse homem não estava
interessado em Deus, mas que ele estava tentando comprar um cantinho do céu para si
mesmo. O mestre não queria perder tempo com esse tipo de pessoa; ele não lançaria
suas pérolas aos porcos. Então ele respondeu: “você tem uma impressão errada. Você
acha que Deus é algo difícil de encontrar. Você acha que precisa de um mestre para
ajudá-lo a encontrar Deus. Isso não é totalmente verdadeiro. Encontrar Deus é muito
simples. Basta ir para casa e encontrar um canto sossegado do seu quarto, e depois não
pensar em pássaros pretos, melros. Não pense em grandes bandos de melros; não
pense em pequenos bandos de melros; Não pense em uma dúzia, ou seis ou quatro
melros. Nem pense em um melro - nem mesmo um melro preto. Então, quando você tiver
conseguido eliminar todo o pensamento dos melros de sua consciência, você terá
encontrado Deus - Deus estará bem ali. ”Você sabe o que aconteceu, não sabe? Em vez
de não pensar em melros, o hindu rico deu à luz milhões e milhões de melros.
Muitos de nós já tiveram a mesma experiência. Ao tentar superarmos a sensualidade, ou
falso apetite, ou ganância, ao tentar livrarmo-nos de traços humanos errôneos,
descobrimos que eles se multiplicavam repetidas vezes. Não tente eliminar esses erros
por um ato da vontade, não se condene por quaisquer traços falsos ou negativos que
você possa ter, não se atormente. Fique satisfeito em vê-los evaporar em sua constante
Consciência do Eu que eu sou. Não tente se livrar de qualidades negativas; não tente se
livrar das qualidades ou traços humanos malignos. Fique satisfeito em vê-los se dissolver
e desaparecer por seu próprio nada, enquanto você permanece no abrigo secreto do
Altíssimo, enquanto permanece na Consciência do Eu que eu sou.
A Bondade Humana Não É Espiritualidade
Quanto mais você aprender a se identificar com o Eu que eu sou, em vez de se identificar
com o corpo e a experiência humana, mais qualidades espirituais você mostrará em sua
experiência. Se eu tentasse ser um ser humano muito bom, falharia. Mas se eu tento
esquecer a minha humanidade e permanecer no Eu que eu sou e perceber que Eu Sou
Deus, então Ele se afirma no corpo, nos pensamentos e nas ações que fluem.

40
Isso traz um ponto muito importante - muito difícil de perceber para a maioria das
pessoas. É preciso uma Vida Espiritual para revelar a você que esta é a Verdade: suas
boas qualidades humanas não são mais espirituais que as más. Sim, humanamente,
suas boas qualidades são melhores. É melhor ter boas qualidades humanas do que ter
más qualidades. Mas essas qualidades não são espirituais. O Espírito transcende toda a
bondade humana. O Espírito é algo completamente diferente da bondade humana.
Uma pessoa pode ser um bom e elevado tipo de ser humano hoje, e amanhã sucumbir a
alguma tentação e ser mau. A bondade humana pode se tornar má. Por exemplo, a
caridade pode se tornar má, e a segurança também. A previdência social pode ser um
obstáculo para os que estão no caminho espiritual, embora não seja necessário que seja
assim.
No momento em que uma pessoa sabia que ela tinha uma renda de cem dólares por
semana para a vida, se ela não estivesse bem fundamentada no Espírito, ela poderia
colocar sua dependência nessa renda, em vez de no Infinito Invisível. As pessoas me
disseram que os praticantes nunca deveriam ter que ganhar a vida na prática; eles
deveriam ter uma renda por fora, independente da prática. Isso está errado. Nada
poderia ser mais prejudicial para alguns praticantes do que ter uma renda privada,
porque então eles não confiariam no Espírito; eles estariam confiando em sua renda. É
tão incorreto confiar em uma renda para o seu sustento como é confiar em seus
pacientes. E, claro, você sabe que é absolutamente errado contar com seus pacientes ou
seus alunos para o seu sustento.
Não existe um praticante genuíno no campo metafísico ou espiritual, exceto aquele que é
dependente de Deus. O suprimento pode parecer vir de uma renda ou pode parecer vir
de um paciente ou de um estudante. É perfeitamente legítimo que venha de qualquer
uma dessas maneiras. Mas confiar nisso é o mal. Muitos praticantes que têm uma renda
independente tendem a confiar nessa renda, e não em Deus. Eles podem se enganar,
acreditando que estão confiando em Deus, mas a maioria deles está depositando sua
confiança em sua renda. Por outro lado, existem alguns praticantes e professores com
riqueza, que não sucumbiram à tentação de acreditar que essa riqueza é o seu
suprimento. Eles têm a consciência da verdade de que Deus é seu suprimento, e então,
sua riqueza não é prejudicial para eles. Mas, em geral, ter uma renda ou ter riqueza pode
levar, e muitas vezes leva, a depender dela em vez de confiar em Deus. Então você vê
que, às vezes, o bem humano pode trazer o mal em nossa experiência. Portanto, para
nós, torna-se de suma importância perceber que todo o Poder está em Deus. Todo o
Poder está no Espírito (muito relativo tudo isso... Ter renda à parte ou renda como
praticante oferece os mesmíssimos riscos de interpretação errada, não importa a fonte da
renda... – nota do trad. G. S.).

41
Às vezes, a crença de que o mal é poder, como, por exemplo, crença no poder dos maus
pensamentos, levará à crença oposta de que bons pensamentos também são poder: os
maus pensamentos são um poder para o mal; e bons pensamentos são um poder para o
bem. Não acredite nisso. Todos os bons pensamentos que as mães tiveram para seus
filhos não impediram que seus filhos experimentassem doenças, acidentes e morte.
Todos os bons pensamentos humanos que pensamos sobre nossas mães nunca podem
salvá-las da dor, da discórdia ou da doença. Todo o amor humano que poderíamos
conceder uns aos outros, bom a seu modo, não é o propósito espiritual, porque não é
poder. Não importa o quanto você ame sua mãe, sua irmã, seu irmão ou seu filho, esse
amor, em si mesmo, não é Poder Espiritual; do contrário, poderia ressuscitá-los dos
mortos ou levantar os doentes da cama.
Amor Espiritual e Amor Humano
O Poder Espiritual é algo separado e à parte do amor humano. O Poder Espiritual não é
algo que você possui para dar ou reter; é Dom de Deus e, quando realizado por você,
atua na experiência daqueles com quem você entra em contato. Você não vê que um
praticante não precisa amar humanamente seus pacientes para ajudá-los? Você não vê
que um praticante nunca deve amar seus pacientes ou seus alunos meramente no nível
humano de amor? O Amor deve ser o Amor de Deus e ser universal, impessoal e
imparcial; então, quando o paciente ou o estudante precisar de uma elevação, o Amor
Divino estará lá para levantá-lo, enquanto que o amor humano nunca poderia fazer isso.
Vamos lembrar que o ódio humano e o amor humano não são poderes. O ódio humano é
uma qualidade que todos nós queremos ver desaparecer do mundo e ser substituído pelo
amor humano. Nós que estamos no Caminho Espiritual, no entanto, devemos aprender a
elevar-nos acima do amor humano para o Amor Divino - aquele Amor que é impessoal,
imparcial e universal. Quase todo mundo no mundo está economizando dinheiro, tanto
quanto é capaz, para seus filhos, para seus netos, ou para aqueles que estão vindo
depois deles. Mas quantas dessas pessoas, exceto as poucas que estão na faixa dos
multimilionários, estão dividindo uma parte de sua riqueza com as crianças que não são
delas, ou os netos que não são seus? Quantas estão pegando uma propriedade de mil
dólares e dividindo metade dela em um sentido universal de amor? Não, não, não.
Geralmente a pessoa com um ou cinco ou dez mil dólares, deixa para uma, duas ou três
pessoas, em geral, seus próprios filhos ou netos. Não há senso de universalidade ou
amor divino nisso. É o mesmo que se estivéssemos tirando nossa renda e gastando
conosco mesmos e com nossa família. Não há nada de espiritual nisso, nada de amor
sobre isso. Isso indica um grau de egoísmo, não de amor.
Nós, em algum momento de nosso Caminho Espiritual, devemos começar com uma
soma de cinco por cento ou dez por cento de nossa renda, e aprender a gastá-lo em um

42
sentido universal, para gastá-lo em algo que não é benéfico para nós mesmos ou para
nossa família. Algo que seja universal: para educação ou religião, ou para os filhos
daqueles que não podem pagar as coisas, ou para órfãos ou idosos. Mas que seja para
algum propósito impessoal e imparcial. Mais cedo ou mais tarde, quando fazemos isso
com cinco por cento de nossa renda, ou dez por cento, nos veremos fazendo isso com
quinze por cento e vinte por cento. Há pessoas que estão dando oitenta por cento de sua
renda para algum propósito universal e impessoal, e ainda encontram o suficiente para si
e suas famílias.
O amor humano nos forçaria a tomar tudo o que temos e gastá-lo com nossos entes
queridos. O Amor Universal nos permite começar, pelo menos em um pequeno grau, a
sermos impessoais e imparciais com nosso dinheiro, percebendo, assim, que essa
riqueza não é nossa, é de Deus; e porque é de Deus, pertence ao mundo; pertence ao
mundo dos filhos de Deus.
O Amor Espiritual nos mostra como sermos impessoais e imparciais em nosso amor.
Mostra-nos como a chuva de Deus cai sobre o justo e o injusto. Mostra-nos como a
impessoalidade da Palavra de Deus é expressa. Mostra-nos porque podemos curar
pecadores e santos; e que às vezes é mais fácil curar os pecadores do que curar os
santos, porque o santo, em regra, representa um alto grau de egoísmo (???!!???
Depende muito do que se entende por “santo”... – nota do trad. G. S.). Veja isto, é um
dos pontos mais difíceis no Caminho Espiritual. O Amor Espiritual é muito diferente do
amor humano; o Amor Espiritual transcende o amor humano; e ainda assim, o Amor
Espiritual é manifestado no amor humano. É um mistério e um paradoxo.
Se todo estudante da Verdade no mundo começasse a expressar Amor Espiritual,
poderíamos elevar o mundo em uma geração. Mas temos que começar por nós mesmos,
pois o Eu é Deus. Somos nós que devemos expressar o Amor de Deus - não o amor do
homem, mas o Amor de Deus. Devemos expressar esse Amor universal, impessoal e
imparcial. Quando expressamos esse tipo de Amor, sabemos por que o ódio humano ou
o medo humano não é um poder. Como pode ser um poder sobre o Eu que sou, que é
Deus? Mas como posso estar reivindicando para mim mesmo esse Eu, a Cristandade,
quando toda a minha experiência está centrada em demonstrar as coisas somente para
mim e para minha família?
Neste trabalho, aprendemos a não atrair Amor para nós, mas deixá-lo fluir de nós.
Aprendemos que Deus não é um poder que está fora de nós mesmos e, no entanto,
Deus é Poder Universal. Deus não permite que Deus faça algo exclusivamente por uma
pessoa. Deus é uma Lei Universal que deve ser manifestada e expressa como você e
como eu individualmente, se quisermos afirmar que Eu sou Deus. Não podemos dizer
isso do “eu” pessoal. Não devemos fazer tal afirmação e depois negá-la na prática. Uma

43
vez que tenhamos feito a afirmação de que Eu sou Deus, temos que colocar nossa vida
em conformidade com ela. Se aceitamos esse ensinamento, aceitamos o fato de que o
Eu é Deus, então, cada um de nós precisa começar a viver como o Eu sendo Deus. Isso
significa deixar de viver para mim, ou tentar atrair o bem para mim; e, em vez disso,
começar a viver fora de mim e incluir o universo em meu Amor - não apenas minha
esposa, meus filhos ou meus netos.
O Eu que é Deus nunca critica, nunca julga, nunca condena; e quando parece fazer
essas coisas, não é com o propósito de julgar, criticar ou condenar; mas a fim de trazer à
luz o erro da situação, para que ela possa ser transformada. Ainda persiste um
ensinamento, em alguns movimentos metafísicos, de que há uma causa mental para os
efeitos físicos, como o ressentimento que causa o reumatismo, ou o ódio que causa o
câncer. Não digo isso como crítica, julgamento ou condenação, mas apenas para apontar
o erro do ensino. Nunca critique, julgue ou condene, apenas no sentido de criticar, julgar
ou condenar; mas use sua crítica, julgamento ou condenação como um poder
construtivo, com o propósito de expor o erro e corrigi-lo. O Eu que eu sou é a Fonte e o
Centro do Bem do mundo.
O Eu que eu sou é aquele ponto em que toda a Infinitude de Deus derrama a Si Mesma
para o mundo. Reverta-se. Pare de viver como um ser humano, utilizando as coisas de
Deus para seu próprio benefício. Veja-se como aquele lugar na Consciência através do
qual Deus se derrama para o mundo - para aquele mundo que ainda não está consciente
de sua Verdadeira Identidade. Assim como o farol é estabelecido para o benefício dos
navios que devem passar e ter o benefício de sua direção, nós também somos a Luz do
mundo, para que aqueles que ainda não estão conscientes de sua Verdadeira Identidade
possam ser iluminados em seu caminho.
O Espírito Revela a Si Mesmo no Silêncio
Quero, acima de tudo, enfatizar o fato de que o mal humano não é mau, e que o bem
humano não é bom; o mal humano não é poder e o bem humano não é poder. Agora,
quando somos chamados em alguma experiência pessoal ou de ajuda, lembre-se, em
primeiro lugar, que nenhuma quantidade de poder humano, nenhum bom pensamento
humano resolverá o problema. Há um Espírito no homem que faz o trabalho, o próprio
Espírito, aquele Espírito que é Deus. Podemos também nos acostumar com a ideia de
nos sentarmos pacientemente conosco mesmos, silenciosamente, até que o Poder do
Espírito venha e faça o trabalho. Nenhuma quantidade de boa vontade humana,
nenhuma quantidade de amor humano vai nos ajudar a levantar o fardo de outra pessoa,
espiritualmente. Nenhuma quantidade de bom pensamento humano vai nos ajudar a
curar doenças ou enfermidades de outra pessoa. É o Espírito de Deus, manifestado
como nossa Consciência Individual que realiza o trabalho, e devemos nos tornar

44
imbuídos desse Espírito. Fazemos isso em silêncio, em meditação, não sendo seres
humanos bons ou seres humanos morais, nem nos orgulhando do quanto somos bons.
Há um Espírito no homem: esse Espírito está no homem bom, e esse mesmo Espírito
está no pecador. “Deus não faz acepção de pessoas” (2 Atos 10:34). Deus é Onipotente
e Onipresente. Deus é nossa própria Consciência, aguardando nosso reconhecimento.
No momento em que nos voltamos para Ele, quer nos voltemos para Ele como um bom
ser humano ou um ser humano mau, Ele começa a manifestar-se, e, a partir daí, dissipa
todas as nossas qualidades do mal e muitas de nossas qualidades do bem.
Recebo cartas todos os dias da semana de pessoas que nunca conheci, me contando o
que a leitura do Caminho Infinito está fazendo por elas e como isso está afetando a
experiência delas. Essas cartas me dizem como as coisas que estavam erradas na vida
delas foram corrigidas, e como as coisas foram suavizadas em seus assuntos humanos -
físicos e corporais - desde a aplicação dessas Verdades. Elas estão, evidentemente,
entre aquelas pessoas que tomaram literalmente minhas palavras no capítulo sobre
“Meditação”, no Caminho Infinito, e, portanto, começaram a reconhecer sua Unidade com
Deus, da manhã à noite. Provavelmente, foram as pessoas que vislumbraram o
significado do capítulo sobre "Imortalidade", e viram que a imortalidade não significa
longevidade na carne. Significa a Eternidade da Consciência, mostrada como uma
experiência física. Ao incorporarem essas Verdades na Consciência, encontraram
expressão em sua experiência.
Vamos agora considerar o que é conhecido como a lei do karma. Muitas pessoas estão
aprisionadas, em seu próprio pensamento, às crenças de seu passado. Essa é uma das
crenças mais difíceis que temos de erradicar - essa crença de que nossa experiência
humana passada, mesmo aqui e agora neste plano, está agindo como uma lei para
impedir nosso desenvolvimento posterior. Em todo o nosso trabalho de tratamento,
vamos tratar dessa sugestão, especificamente. Saibamos que nenhuma experiência
humana pode encontrar expressão em nossa Vida Espiritual.
Quando você quiser ajudar alguém, medite. Tente perceber a Presença de Deus. Você
logo poderá realizar todo o trabalho de cura através da meditação, simplesmente ficando
quieto por dentro. Então, quando um problema surge - mental, moral, físico ou financeiro
- você resistirá à tentação de pensar pensamentos, fazer afirmações ou negações, ou
acreditar que de alguma forma o seu pensamento humano tem poder. Mantenha esse
entendimento de que seus pensamentos humanos não vão curar ninguém de nada. Não
importa quão bons sejam esses pensamentos, não importa quão poderosos pareçam ser,
eles são apenas poder humano.
Se você pode perceber que, na meditação, no silêncio e na confiança, há paz na
quietude, na alegria do silêncio, há a Presença de Deus a ser percebida, então você terá

45
aprendido todo o segredo dos profetas, dos santos e dos salvadores. O maior segredo do
mundo está na palavra silêncio. Esse silêncio significa a capacidade de sentar-se em paz
e deixar as Realidades Divinas se revelarem, deixar Deus falar, deixar o Espírito
expressar-se, deixar a Verdade se expressar. Isso não significa destruir os sentidos
humanos ou o intelecto humano. Significa utilizá-los, deixando-os ser uma via ou um
meio através do qual você se torna consciente da Presença de Deus. Na meditação,
numa quietude serena e pacífica, Deus se manifesta como Poder, como Presença, como
Cura e Suprimento; mas você vê que é Deus quem tem que fazer o trabalho. É Deus, a
Realidade Divina do nosso Ser, mostrando-se na Glória daquilo que parece ser uma
experiência humana maravilhosa.
Aprenda o significado de “Paz, aquieta-te”. Aprenda a deixar que isso atue como um
tratamento, e não seja meramente “paz, fique quieto” vindo através dos lábios, mas Paz
no corpo e na mente. Quanto mais você alcança esse estado reflexivo de pensamento -
essa calma interior, paz e equilíbrio - maior é o Poder do Espírito, que surge para
transformar seu mundo.
“Não sabes que Eu estou contigo? Sabe, também, que tudo o que tenho é teu”. Repetir
essas palavras meramente como afirmações, não é poder; e aprendemos um dia que
elas nem são verdadeiras. Essa tem sido a tragédia da religião organizada: aceitar tais
afirmações como Verdade, quando não foram provadas na experiência. As únicas
declarações verdadeiras se expressam para você no silêncio. Nesse silêncio, a própria
Verdade fala e se manifesta.
Um ministro pregar essas palavras ou um praticante dizê-las, isso não as torna
verdadeiras. É quando a Palavra está com você e dentro de você que ela é Poder.
Aqueles que registraram a Palavra nas Escrituras a receberam dentro de seu próprio Ser,
e é por isso que ela se tornou Água Viva; mas quando repetimos a Palavra de Deus
através dos lábios, é apenas uma citação. Vamos nos lembrar disso. Se você puder ouvir
as promessas que estão nas Escrituras dentro do seu próprio silêncio, elas serão uma
Lei para o seu Ser, como eram para Elias, Eliseu e Paulo, e todos os outros líderes
espirituais.
Você não pode encontrar Deus no intelecto. Deus é encontrado na Voz pequena e
silenciosa. E assim, deixe essa Voz proclamar-se a você, e então você vai descobrir que
você tem todo o Poder e toda a Presença que qualquer santo ou profeta já teve. Não é
seu poder, é o Poder de Deus. Queremos ser glorificados com a Glória de Deus. O que
precisamos é o Poder de Deus, expressando a Si Mesmo através de nós e como nós.

46
6 - A CONSCIÊNCIA DIVINA
“Eis que estou sempre convosco até o final dos tempos” (Mateus 28:20). “Eu estou
sempre convosco” porque Eu sou Deus. Eu, Deus, a Consciência Divina do meu Ser
Individual, está sempre comigo. Não poderia estar em outro lugar e ainda ser a
Consciência do meu próprio Ser; nem poderia estar separado ou à parte da Consciência,
pois sem Consciência não haveria Ser; não haveria "Eu" ou "eu". Eu, a Consciência
Divina, estará comigo, enquanto eu existir como indivíduo. Enquanto houver continuidade
em meu próprio Ser, Deus, a Consciência Divina, estará comigo. De fato, “Eu” é tudo o
que existe para mim, manifestando a Si Mesmo, sua Glória, como meu Ser Individual.
Não existe “Eu” e "eu". Há apenas “Eu” manifestando-se, expressando a Si Mesmo como
eu. A Palavra, Consciência Divina, torna-se carne como eu individual.
Essa Unidade é o segredo da Imortalidade, da Vida Eterna. Provavelmente, é o motivo
da palavra “sempre”: “eu estou sempre convosco”; Eu estarei com você “até o fim do
mundo” - o mundo que Jesus superou. “Eu venci o mundo” (João 16:33). Há um fim para
o mundo: o mundo não é imortal; o mundo não é eterno; o mundo não durará para
sempre. O que é este mundo que chega ao fim? De fato, não é realmente um mundo. As
coisas que são de Deus são eternas e imortais, e este mundo que “eu venci” não é um
mundo, mas um falso sentido do mundo, uma imagem falsa, uma crença sobre o mundo.
Jesus, nem mesmo como o Cristo, jamais superou tudo o que realmente existiu. Ele só
conseguia superar um falso sentido sobre a realidade, uma crença falsa sobre isso.
Portanto, até que todas as falsas crenças sejam erradicadas, até que o mundo tenha sido
superado dentro de nós, este Cristo estará presente para superá-lo. Quando o mundo for
superado, então será descoberto, não que haja um Cristo presente para superá-lo, mas
que Eu sou esse Cristo.
Onde quer que você vá, sob todas as circunstâncias e condições, lembre-se de que “Eu
estou sempre com você”. Eu, sua Consciência de sua própria Identidade, sempre esteve
com você. Você talvez se lembre de quando estava no jardim de infância, na escola
primária, no ensino fundamental e no ensino médio. Sempre houve esse Eu olhando
através deste mundo da experiência. Você sempre esteve lá, observando e
experimentando. Se não houvesse você lá, não haveria observação; não teria havido
experiência. Você se viu na doença e na saúde; você se viu na infância e na maturidade;
você assistiu a si mesmo se casar; você assistiu a si mesmo nos negócios e em casa.
Eu, minha Identidade, a realização do meu Verdadeiro Ser, sempre esteve aí,
observando tudo o que faço, ao longo do dia. Eu até mesmo sei quando me deito para
descansar à noite. Eu também estou lá para me adormecer e me deixar descansar. Eu
estou sempre presente. Eu estou sempre aí.

47
Até as pessoas que sentem que estão morrendo, fazendo a passagem, são conhecidas
por dizer: “Eu estou morrendo! Eu estou indo! Eu estou indo para casa. Eu estou indo
para o Pai”. Sempre esse Eu esteve lá como Identidade Consciente e como testemunha
até da própria morte, mostrando que deve ter havido uma parte de “Eu ”ou “eu” que
sobreviveu até mesmo à experiência de morrer, uma vez que estava consciente da
própria atividade da passagem. Portanto, não estava morrendo, ao menos a morte como
a entendemos, mas apenas fazendo uma passagem consciente de uma forma de
experiência para outra. Siga isto cuidadosamente, porque esta é a revelação da
continuidade consciente da experiência, e nesta percepção desperta da continuidade
consciente, está a sua capacidade de se demonstrar a Eternidade e a Imortalidade. Este
Eu - que é realmente Deus, ou o Filho de Deus, chamado o Cristo - está sempre com
você. Ainda que você ande sobre as águas, estará com você; as águas não o afogarão.
Ainda que você atravesse o fogo, as chamas não o queimarão. Eu sempre estarei como
testemunha de tudo o que está acontecendo; e se você aceitar isso como tal, Eu serei o
Salvador, o Cristo, ou a influência da cura para toda e qualquer experiência. Quando
você traz esse Eu em sua meditação, mantenha-o sob a luz dessa Identidade
Consciente, continuidade consciente de Identidade, e observe o desdobramento da Ideia
Divina como Imortalidade, Eternidade, Harmonia e Perfeição.
A Mensagem da Verdade Não Cura
Deve haver tal grau de desdobramento espiritual que, quando um pedido de ajuda vem, a
percepção da Paz vem no mesmo momento, e vem sem esforço consciente. Quando é
necessário recorrer ao processo de lembrar a mensagem da Verdade, mesmo que a
liberação venha, a cura permanente nem sempre vem com ela. Aqui está a prova da
mensagem do Caminho Infinito: a mensagem da Verdade não cura. Você pode passar
pelo processo de conhecer a Verdade tanto quanto quiser, e pode trazer alívio para as
pessoas; mas a cura real, especialmente a cura daquilo que o mundo chama de uma
condição séria, é realizada através de uma realização espontânea e instantânea da Paz,
no momento em que o chamado chega, e às vezes até mesmo antes que o chamado
apareça.
Isso levanta a questão: Como alcançamos esse estado de Paz quando uma chamada
chega até nós? Significa, na verdade, viver, mover e ter nosso Ser naquela Consciência
que é um estado de Paz. Isso significa que, ao levantar de manhã até se recolher à noite,
estamos nos treinando para não aceitar sugestões vindas da crença mortal universal.
Significa tomar as afirmações do Mestre e torná-las práticas, mesmo quando elas são tão
absurdas para o sentido mundano, como não processar seu vizinho, ou se ele quiser sua
capa, dê a ele toda a roupa. Todos esses ditos do Mestre - “não resistais ao mal” (Mateus
5:39) ou “aqueles que levantam a espada perecerão pela espada” (Mateus 26:52) -

48
devem ser incorporados em nossa Consciência. Devemos aprender que, em nosso
íntimo, não devemos nos opor, não lutar e não combater; mas devemos permanecer
firmes na percepção de Cristo, da Onipresença, do Amor Divino, como Princípio de Cura
do universo. Essa Consciência Crística pode ser alcançada, mas geralmente só é
possível aprender a mensagem correta da Verdade como base para esse Estado de
Consciência.
Duas cartas escritas aos alunos ilustram a importância da mensagem correta da Verdade
junto com suas limitações:
“Ficou evidente para mim, na primeira leitura de sua carta, que ainda falta uma coisa. No
que se refere a saber a Verdade, você conhece a Verdade. Você conheceu toda a
Verdade que há para ser conhecida quando você diz: "Eu Sou". Quando você pode
perceber que seu corpo é uma manifestação de tudo o que Eu Sou, você está
conhecendo a Verdade. Entretanto, você incluiu em sua declaração da Verdade a velha
crença errônea de que seu corpo manifesta seu pensamento. Isso não é verdade.
Visto que Deus fez tudo o que foi feito, e tudo o que Deus fez é bom, isso não deixa claro
para você que o seu corpo é um corpo feito por Deus e, portanto, é perfeito? Você não
pode mudar essa perfeição, mesmo com o seu pensamento. O que você tem falado
como seu corpo não é seu corpo, mas o conceito mortal do corpo. É uma crença
universal, não pertencendo a você.
Agora, vamos ao centro da questão. É necessário que você experimente o sentimento
real da Presença de Deus, que você sinta o "clique", a resposta, ou ainda que você ouça
a Voz pequena e silenciosa. Este deve ser o seu trabalho a partir de agora. Leia um
pouco, mas leia apenas para dar um impulso ao seu pensamento e depois medite. Fique
em silêncio. Pratique isso apenas por curtos períodos - cinco, seis ou sete minutos -, mas
retorne a ele várias vezes durante o dia. Volte-se para dentro e peça ao Pai que Se
revele a você. Diga ao Grande Interior: “Fala, Pai, teu servo escuta”.
Esta segunda carta é para uma praticante que encontrou uma resposta em seu próprio
Ser Interior para o “Caminho Infinito” e meus outros escritos; mas ela tem sido tão
treinada nos processos mentais de conhecer a Verdade e repetir afirmações, que é difícil
para ela fazer a transição para o nível onde o estudante não pensa pensamentos para
curar - ele passa simplesmente a serenar e sentir!
“Eu estou trabalhando com você. Isso significa que, todos os dias, levo você para o meu
trabalho, não apenas quando medito, mas também conforme as aulas e palestras se
desdobram. É natural que a Verdade que se desdobra como a minha Consciência possa,
ao mesmo tempo, se desdobrar para você, que é receptiva e responsiva a este trabalho.
Isso, você vê, é o processo que acontece quando você trata os outros e eles recebem
uma cura. Você não os trata realmente, no sentido de enviar pensamentos para eles.

49
Este trabalho não é uma transferência de pensamento. Você não transfere seus
pensamentos para ninguém – seja enviando bons pensamentos ou pensamentos de
Verdade para eles. Mas como você é receptiva, e Deus, a Consciência, se desdobra para
você como Verdade, aqueles que alcançam você por ajuda recebem essa Verdade. Às
vezes, eles a recebem em uma mensagem ou palavra: às vezes eles realmente recebem
a mesma ideia que você está pensando; e outras vezes eles simplesmente vêem a saúde
restaurada. Mas quer elas recebam uma ideia de você ou de Deus, ou se a Verdade
simplesmente se manifesta como um corpo saudável, é isso que aconteceu: a Verdade
se desdobrando como a sua Consciência se manifestou como a Consciência do seu
assim chamado paciente.
Portanto, é natural que a Verdade que se desdobra como a minha Consciência se
desdobre ao mesmo tempo para você, receptiva e responsiva a este trabalho. Isto,
naturalmente, trará a você aquela “Paz de Deus que excede todo entendimento”
(Filipenses 4:7), e uma maravilhosa sensação de quietude, felicidade e confiança.
Todos os problemas se dissolvem à medida que essa Consciência se desdobra. Os
problemas não podem desaparecer, exceto quando a Consciência se desdobra. As
Escrituras dizem: “Nenhum sinal será dado” (Mateus 12:39), e então diz: “Estes sinais se
seguirão” (Marcos 16:17). Isso significa que não tocamos piano antes de termos aulas de
piano; mas se formos fiéis em nosso estudo do piano, a capacidade de tocar se seguirá.
Isto é verdade sobre a demonstração de existência harmoniosa. Em proporção ao nosso
Discernimento Espiritual das Leis da Vida e do Espírito, somos capazes de produzir uma
vida diária harmoniosa.
Você está reconhecendo problemas como crenças universais, independente de sua
natureza. Você está se recusando a lidar com eles de qualquer outra maneira, e é claro,
você está se voltando para Deus para perceber a Paz que vem de dentro. Tudo isso está
correto. Em seu trabalho, independente da natureza do trabalho ou da natureza do
problema, quando você entra em meditação, ou o que você pode chamar de tratamento,
certifique-se de fazer o contato dentro de você.
Fique quieta até sentir a resposta interior. Vem, às vezes, como uma Voz pequena e
silenciosa, e outras vezes como a percepção da Presença de Deus, um reconhecimento
de que Deus está em campo. Lembre-se sempre de que não é aquilo que ocorre como
atividade da mente humana que é o Poder de Cura, mas o contato real ou a percepção
de Deus. É o contato em si, a própria realização da Presença de Deus que cura. Não faz
diferença que problema levamos para o silêncio, contanto que recebamos o "clique" de
resposta, ou a Consciência da Presença de Deus.
Isso não mostra, novamente, o que quero dizer com o fato de que a Verdade deve ser
estabelecida em sua Consciência como um Princípio? Caso contrário, independente da
palavra que você disser a um paciente ou a um aluno, ela não será registrada. Deve
haver um estado estabelecido de Consciência dentro de você. Então, ele se comunica

50
com seus pacientes ou alunos e, surpreendentemente, mesmo que você não o expresse,
mesmo que você não diga nada sobre isso, eles o recebem. O simples fato de que é um
estado estabelecido de sua Consciência torna-se evidente para eles.
Não Há Transferência do Pensamento na Cura Espiritual
Este trabalho não é a transferência de pensamento. Portanto, nunca em seu tratamento,
nunca, tentando ajudar alguém, tente levar seus pensamentos a ele. Nunca tente
impressioná-lo com a Verdade. Nunca use a palavra "você" em um tratamento. Nunca
diga “você é espiritual”, ou “Deus está com você”. Nunca faça nada que tenha a
tendência de agir como um tratamento que é transferido de um indivíduo para outro.
Quando você cai nesse hábito, você está no campo do tratamento mental, você está no
reino da mente sobre a mente, ou mente sobre a matéria. Isso não é Cura Espiritual.
Toda essa Verdade, como a conhecemos hoje, teve seu início na transferência do
pensamento e na sugestão mental - uma mente transmitindo ideias ou pensamentos para
outra mente. Nos primeiros dias, como ajuda na transferência de pensamento, o corpo
também era manipulado. O praticante esfregava o topo da cabeça do paciente ou
sentava-se joelho a joelho com o paciente, ou medula espinhal com medula espinhal.
Alunos e trabalhadores, durante este estágio experimental, acreditavam que através do
canal magnético da medula espinhal ou através de algum contato físico, os pensamentos
do praticante seriam transferidos para a mente e corpo do paciente.
Muita prática metafísica teve seu início neste tipo de tratamento. Ele serviu a um
propósito como primeiro passo que leva ao segredo da demonstração da Cura Espiritual
de Jesus. Era uma ponte, possivelmente uma ponte necessária, permitindo-nos ir do
reino da mente para o reino da Alma. Ele serviu como um trampolim, mas no final,
descobriu-se que existe um domínio mais elevado do que o da mente - o reino da Alma,
do Espírito ou de Deus - que nos leva de volta ao Reino Interno. Nesse campo, achamos
que não é necessário transferir o pensamento do praticante para o paciente, porque
existe apenas Uma Consciência. Tudo o que está acontecendo em minha Consciência
como Verdade deve estar ocorrendo em sua Consciência como Verdade, já que há
apenas Uma Consciência e Uma Atividade. Você pode perguntar: “Não seria verdade,
então, que qualquer pensamento maligno em minha mente pudesse se transferir para
sua mente?” A resposta é: “Não, já que o mal ou erro não é um poder, e não pode
transmitir-se ou mover-se de onde está”.
Por exemplo, suponha que eu realmente acredite que duas vezes dois são cinco. Tal
crença falsa na verdade não tem realidade, não tem substância e não tem poder. Seu
conhecimento de que duas vezes dois são quatro seria sua proteção contra minha crença

51
de que duas vezes duas são cinco, e isso, por si só, impediria qualquer crença errônea
de sua consciência.
Da mesma forma, então, a sua compreensão de que a Vida é Eterna, que a Vida é
Perfeita e Espiritual, seria sua proteção contra qualquer malfeito individual ou coletivo
que tentasse impressionar você com a crença de que você está doente ou pobre. Não
está claro que o conhecimento da Verdade é a proteção contra qualquer crença de erro?
Por exemplo, a criança que não sabe que duas vezes dois são quatro pode, por algum
tempo, ser enganada e aceitar a crença de que duas vezes dois são cinco; mas no
minuto em que ela começa a brincar com blocos ou outros objetos, ela logo descobre que
duas vezes dois são quatro e, através da experiência, essa crença errônea seria expulsa.
Na verdade, já a primeira percepção que nos vem de Deus como Vida Individual é para
nós, a partir de então, uma proteção contra qualquer crença em contrário, seja individual
ou coletiva.
No tratamento, na oração e na meditação - independente da natureza da necessidade,
independente da pessoa com quem você esteja trabalhando - lembre-se de manter seus
pensamentos entre você e Deus, e não tente transmiti-los ao seu paciente ou para outra
pessoa. Você logo provará que, se você mantiver o contato entre o seu eu exterior e seu
Ser Interior, isto é, entre você e Deus, não é necessário projetar seu pensamento, e você
nem terá que saber quem está doente, ou quando, ou onde. A cura será provocada
apenas pelo pensamento do paciente sobre você, meramente por ele alcançar sua
Consciência. O contato com você será o agente de cura, uma vez que você estará
sempre vivendo, se movendo e tendo o seu Ser como Consciência Divina. Você não
aceitará nenhuma sugestão de um eu separado de Deus, mas manterá em todos os
momentos sua constante e consciente Unidade com Deus. Então você terá experiências
como a que o Mestre teve com a mulher que tocou a bainha de seu manto. Mesmo que
ele não soubesse conscientemente que ela estava procurando ajuda, ela recebeu ajuda.
O criado do centurião certamente não sabia que qualquer tratamento estava sendo
procurado para ele; contudo, embora estivesse a quilômetros de distância, recebeu sua
ajuda. Você e eu sabemos que ele não estava esperando ajuda ou esperando por cura;
nem esperava receber bons pensamentos do Mestre; nem o Mestre lhe enviou bons
pensamentos. É mais do que provável que Jesus tenha dito algo assim ao centurião:
“Sua fé curou seu servo. Você teve seu servo em sua Consciência; você trouxe a si
mesmo e seu servo para esta Consciência Crística; e de acordo com sua fé ou
entendimento, assim seja, para você e seu servo”. Essas pessoas podem não estar
cientes do fato de que a ajuda foi solicitada; eles podem não saber nada sobre oração ou
tratamento. No entanto, aquela pessoa que vem a você, à sua Consciência, encontrará
ajuda para os membros de sua família. Quando alguém lhe pede ajuda, essa pessoa está

52
em sua Consciência, quando você está se percebendo como a Consciência do Cristo;
portanto, toda a atividade ocorre não do praticante para o paciente, ou até para o parente
do paciente, mas como a atividade do Cristo como Consciência Individual. Cristo é
Consciência Individual; a Verdade é a Consciência Individual. Esta Verdade,
expressando-se como minha Consciência, torna-se sua Consciência e a Consciência de
todos aqueles que se voltam para você.
Encontre a sua Paz, a quietude e o silêncio do seu Ser Interior, e deixe que isso faça a
cura funcionar para você. Não tente ajudar tentando alcançar o pensamento dos seus
pacientes. Não tente levá-los a entender alguma verdade, ou até mesmo desejar que
eles entendam alguma verdade, porque se eles pudessem entender, entender toda a
Verdade que você lhes poderia dar, eles ainda poderiam não ser curados. Não é
entender a Verdade que cura: é o estado divino da Consciência Espiritual que cura; e
aquele que tem esse Estado de Consciência é um praticante.
Quando o praticante sente uma elevação, uma sensação de liberdade, o paciente
responderá. É verdade que ainda existem alguns casos que não são curados ou
atendidos. Deve haver cada vez menos desses casos com o passar do tempo; no
entanto, ainda parece haver alguns, e eu, por exemplo, não resolvi esse enigma. Eu sei
que, sempre que a cura acontece, é porque o praticante sentiu essa sensação de Paz, de
Unidade, do Ser Divino. Quando entendemos que não precisamos alcançar nossos
pacientes, que a cura deles não tem nada a ver com transferir pensamentos para eles ou
pensar neles, percebemos, então, que a cura tem a ver apenas com nosso próprio
relacionamento com Deus. Você pode pensar que estou enfatizando e repetindo isso
demais; mas não estou enfatizando e nem repetindo muito, porque, desde agora até o
final dos tempos, você será tentado a alcançar algum paciente. Você será tentado a
dizer: “oh, se ele estivesse aqui apenas para que eu pudesse explicar isso a ele”... Você
será tentado a pensar no tempo e no espaço como algo relacionado à cura; eles não têm
nada a ver com a cura. A cura tem a ver apenas com o seu grau de Unidade Consciente
com Deus.
Ensinando Cura Espiritual
Ao ensinar a Cura Espiritual, o primeiro passo que deve ser enfatizado é alcançar a
percepção consciente da Presença de Deus - o estudo e, finalmente, a incorporação de
tais ideias como são expressas em O Caminho Infinito no capítulo “Meditação”. Viver na
percepção consciente da Presença de Deus é a Consciência de Cura. Isso requer
esforço consciente. No começo, é necessário que cada um de nós perceba
conscientemente nossa Unidade, percebendo conscientemente o nada de algo separado
ou à parte da Unidade que Eu Sou. Através da Graça, através da gratidão, através do
reconhecimento de Deus como a Fonte, a Presença e o Poder, através do

53
reconhecimento consciente de Deus como a Lei, Poder e Ser Divino de nossa
experiência, damos o primeiro passo que leva à obtenção da Consciência da Unidade.
Este também é o primeiro passo que deve ser dado aos nossos pacientes e aos nossos
alunos. Devemos ajudá-los a alcançar a Unidade Consciente com Deus: dar-lhes um
programa semelhante ao delineado no “Caminho Infinito”, ou tal como é mostrado em
todos os meus outros escritos, e ajudá-los a desenvolver a capacidade de reconhecer
Deus como a Fonte Onipresente.
Então, é claro, o segundo passo que os alunos devem aprender é a necessidade de
meditação, de silenciosa reflexão e introspecção. Ao fazer isso, é necessário que eles
comecem como nós, com algum assunto, alguma ideia, e depois pensem sobre isso -
pensem nisso. Mesmo que não haja oportunidade para sentar-se no silêncio, a princípio,
se o estudante formar o hábito de levar uma declaração espiritual à Consciência e
ponderar por cinco, seis ou sete minutos, ela desenvolverá nele a capacidade de se
concentrar em um pensamento ou uma ideia. Isso leva naturalmente ao próximo passo,
que é a meditação, ou a capacidade de ouvir aquela “pequena e silenciosa Voz”.
O terceiro passo é ensinar ao aluno a natureza do erro. A Cura Espiritual não pode ser
realizada enquanto houver no pensamento a crença de que existe um poder a ser
superado. Enquanto o estudante ou praticante acredita que há um pecado ou uma
doença a ser curada ou superada, ele não pode realizar o Poder do Cristo. O Poder do
Cristo é a realização da Unidade. É a percepção da Verdade de que Eu sou Ele, e que
não há pecado ou doença a ser superada. O Poder do Cristo não é o da verdade sobre o
erro; não é o bem sobre o mal. O Poder do Cristo é a consciência individual de Uma
Presença e Um Poder. Essa é outra razão pela qual não há necessidade de transmitir
pensamentos de praticante para paciente, uma vez que não há nada no pensamento do
paciente que precise ser corrigido, superado ou curado. O praticante que acredita que
existe um pensamento ou condição no paciente a ser superado ou curado não está
praticando a Cura do Cristo. A Cura do Cristo é: “o que te impede? Levante-te, pega tua
cama e anda”. Em outras palavras, não há poder para impedir que a harmonia do seu
Ser se manifeste.
O poder de Cristo é o reconhecimento de que mesmo Pilatos não tinha poder, exceto o
que era derivado de Deus. É o reconhecimento da perfeição instantânea e infinita Aqui e
Agora; e, portanto, compreender a natureza do erro é conhecer o nada absoluto daquilo
que aparece como erro.
Como um termo descritivo, usamos palavras como “hipnotismo” ou “sugestão” ou
“aparência” - qualquer termo que nos mostre que aquilo que está aparecendo para nós
como um erro não é um erro, e não deve ser combatido. Se nós simplesmente dissermos
erro é hipnotismo, e então tentarmos superar o hipnotismo, podemos também ter tentado

54
superar o câncer ou o consumo. Não, a razão para mudar o nome de uma doença para a
palavra “hipnotismo” ou “mesmerismo” ou “sugestão” é transmitir ao nosso pensamento o
fato de que não temos que batalhar, porque nada não é nada mais que nada. Portanto, a
natureza do erro é de suprema importância para nós, uma vez que a natureza do erro
nos revela que não há erro. Conhecer a natureza do erro não é descobrir o que causou a
doença, garanto!
Nosso quarto passo, ao trazer à luz esta verdade e ensiná-la aos estudantes, é o ponto
importantíssimo de que o mundo visível é o resultado ou o produto do mundo invisível.
Deus, a Consciência Divina do Ser, é o Princípio, Substância e Causa de toda a Criação,
incluindo nossa experiência diária. Deus, nossa Consciência Divina, aparece para nós
como o dinheiro que precisamos, o transporte de que precisamos, o trabalho, a venda, a
compra ou a vaga de estacionamento de que precisamos. Nós não tentamos demonstrar
essas coisas. Nossa única demonstração consiste na percepção de Deus, nossa própria
Consciência, como a Causa, Substância e Lei de toda forma; e então deixamos que
essas coisas sejam adicionadas a nós, sabendo que o Pai Celestial, a Consciência
Divina Interior, suprirá a nossa necessidade.

7 - DEUS
Quando dizemos: "Eu Sou Deus" ou "Eu sou uma lei para o meu universo", não estamos
dizendo que um ser humano é Deus ou que um mortal é espiritual. Nunca esqueça que
seria absurdo tentar espiritualizar o homem mortal, ou fazer Deus sair de um ser humano.
Esse tem sido um dos erros da religião ao longo dos tempos - separar um indivíduo e
torná-lo Deus, tomando alguma pessoa, algum ser humano, e fazendo dele um Deus. A
verdade é que só Deus é Deus; mas Deus é a Individualidade, a Identidade e a
Realidade de cada um de nós, quando superamos nosso senso de humanidade. Muitas
vezes, quando você vê pessoas que trabalham do ponto de vista do “Eu Sou”, você as
achará confusas, andando por aí dizendo: “eu sou Deus”. Elas são as mesmas pessoas
que estão passeando com uma bolsa vazia, corpo doente, ou um par de óculos, e ainda
assim eles continuam dizendo: "eu sou Deus". Você pode ver como isso é ridículo,
porque isso não é Deus. Eu Sou Deus.
O Eu é O Ser Universal, Infinito, Onipresente, e é a Realidade do seu Ser e do meu,
quando o sentido humano do eu foi superado. Você não eleva o sentido humano para
torná-lo imortal ou espiritual. Essa é a razão pela qual os tratamentos que dizem “você é
espiritual”, “você é perfeito” ou “você é rico” são de tão pouco valor. Tais afirmações não
são verdadeiras. Se elas fossem verdade, você não acharia necessário repeti-las. Você
pode imaginar Rockefeller ou um Carnegie ou qualquer homem de reconhecida riqueza,

55
andando por aí dizendo: "eu sou rico?" E você quase nunca ouve uma pessoa saudável
dizer: "eu sou saudável". Quando você faz essas afirmações, é porque você acredita que
é o oposto; você está tentando se enganar, acreditando que você é algo que realmente
não é. Quando você simplesmente repete as palavras: "eu sou Deus", isso não é
verdade; mas quando você ouve essas palavras dentro de você, Isso é Verdade. Isso é
Deus anunciando a si mesmo como a Realidade do seu Ser. Quando você ouve uma Voz
dizendo: "não sabeis que Eu Sou Deus?" Você ouviu a Verdade; e ao ouvir a Verdade,
tudo o que é humano, tudo o que é mortal desaparece. Pelo menos desaparece em
alguma medida; e à medida que, cada vez mais, você ouve a Voz pequena e silenciosa,
haverá cada vez menos humanidade a ser dissipada.
Isto é confirmado na declaração do Mestre: “Eu venci o mundo” (João 16:33). Ele não
disse: “eu melhorei-me nos bens deste mundo”, ou “eu melhorei a saúde deste mundo ou
a riqueza deste mundo”. Ele disse:“ Eu venci o mundo”. E novamente você encontrará a
mesma ideia em sua declaração: “meu reino não é deste mundo” (João 18:36). “Meu
Reino” - o Reino de Cristo, o Reino Espiritual - não é do mundo humano. Você não pode
trazer o Cristo para o mundo humano, mas pode vencer o mundo humano e encontrar
esse Reino de dentro, onde o Cristo é o Rei.
Em nossa passagem favorita de Lucas, você encontrará: “Por todas essas coisas as
nações do mundo buscam” (Lucas 12:30) - coisas para comer, coisas para vestir e coisas
para possuir. Quais são as nações do mundo? Quem são as pessoas do mundo? Não
são aqueles cuja consciência está centrada nas coisas, as pessoas que vivem em uma
atmosfera de coisas, adquirindo coisas ou precisando de coisas - coisas, coisas, sempre
coisas? As nações do mundo estão buscando essas coisas; mas não você - não "vós,
meus discípulos", vós de Consciência Espiritual. Você não está buscando coisas; você
está buscando a Consciência de Deus como a Realidade do seu Ser. Isso é tudo o que
você pode buscar neste trabalho, e essa atitude alcança sua meta na declaração de
Paulo: “vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Quando você diz:“ Cristo vive em
mim”, isso não é um falar mortal. O mortal, o ser humano, o planejador, desapareceu da
existência, e você se tornou a testemunha da atividade do Cristo - da Vida de Cristo.
Você está agora observando o trabalho de Cristo em você, através de você e como você.
Você está deixando de lado a humanidade e vivendo em sua Cristandade, quando não
está pensando, planejando, se preocupando, temendo, duvidando - em outras palavras,
quando a mente humana está menos ativa como um aparato pensante, e mais ativa
como um Estado de Consciência. Quando o seu pensamento é o testemunho de Deus
em ação, observando a revelação de Deus, então você está vivendo mais a Vida de
Cristo e menos a vida humana. Quanto mais você acha necessário planejar seus dias,
semanas, meses e anos - quanto mais você tem que pensar na sua vida - mais a

56
humanidade está em evidência, e menos a espiritualidade. Por outro lado, você está
vivendo sua Cristandade no mesmo grau em que acha que seu trabalho lhe é dado para
fazer todos os dias, sua provisão fornecida e toda a sua atividade se desdobrando de um
modo normal e natural; e quando isso acontece, você pode dizer: “Eu, Deus, é a
realidade do meu Ser”. Você alcançou um lugar na Consciência onde você entende o
significado de “Eu Sou Deus”. Este Eu, que se torna a Lei para o seu Ser, não é o
pensamento consciente de você ou eu. É a Consciência Divina de nosso Ser, revelada
no grau em que o pensamento racional, no sentido de planejar e lutar, desaparece da
existência.
Deus é Individualidade Infinita
Nós não nos aniquilamos ou destruímos nossa individualidade dessa maneira; nós a
aumentamos. Mas, neste ponto, devemos entender que Deus é Infinito em Sua
Individualidade e que, portanto, Deus está expressando essa Individualidade como você
ou eu individuais. Ainda é Deus, mas é Deus aparecendo como você ou como eu. Sendo
isso verdade, você pode dizer: "Eu venci o mundo", ou "Eu e meu Pai Somos Um", ou
“vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”, ou “Eu sou o Caminho” - qualquer coisa que
lhe dê essa sensação do Eu, e que, ao mesmo tempo, subordinará o sentido de
individualidade humana, sem glorificá-la:
“E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo
antes que o mundo existisse” (João 17:5). Glorifica-me com toda a Tua Glória: que tudo o
que eu sou, ou faço seja Deus em manifestação – e não a glorificação de meu
conhecimento pessoal, consciência ou realização.
Ser glorificado com a Glória de Deus não deixa espaço para glorificarmos o ser humano
e nem chamar esse Deus de humanidade, ou mesmo chamá-lo de espiritual. A
humanidade não é para ser espiritualizada; a humanidade é para ser superada. Nunca
será necessário superar qualquer coisa de natureza espiritual. Mas você deve superar
este mundo; você deve superar a individualidade pessoal. Você deve entender o Mestre
quando ele diz: “Eu, de mim mesmo, nada posso fazer” (João 5:30). Ele estava se
afastando de seus próprios poderes pessoais, ou pensamento consciente, e
reconhecendo: “O Pai que habita em mim, ele faz as obras” (João 14:10). Esse Pai
interior é o Eu, o Eu Sou, ou a Realidade do Ser.
Só Deus é Deus! Este é o ensinamento do “Caminho Infinito”: Só Deus é Deus, o homem
não é Deus. O Caminho Infinito nunca ensina que o homem é Deus. Mas sendo Deus
Infinito, Deus aparece como Infinita Individualidade - Deus aparece como a totalidade de
você e de mim quando vencemos o mundo. Quando superamos a tentação de nos

57
preocuparmos com aquele pequeno "eu", quando não estamos mais pensando nesse
pequeno eu, então podemos dizer: "Eu Sou Deus", porque então é realmente verdade.
Até aqui, nossa atenção no mundo tem sido centrada em pessoas e coisas. Não fazia
diferença de que forma as coisas apareciam. A ênfase sempre foi na saúde, riqueza,
harmonia, lar ou companheirismo. A transformação que é necessária agora é uma
completa reviravolta, com o pensamento focado em nossa Consciência e a capacidade
de deixar essa Consciência fluir em qualquer forma que seja necessária para o nosso
desenvolvimento.
Nós não pensamos em nada, nem em qualquer pessoa, nem em qualquer demonstração.
Nada do que aparece no mundo da forma é nossa preocupação. Isso não significa que
estamos eliminando pessoas ou coisas de nossa experiência. Pelo contrário, como a
preocupação com as pessoas e coisas deste mundo diminui, geralmente nos
encontramos com mais delas; só que agora as utilizamos no seu sentido correto. Por
exemplo, se um anel vier até mim, eu o uso e o desfruto, mas não há senso de posse,
nenhuma sensação de ser meu, ou nenhum sentido de desejá-lo. Apenas vem, eu uso e
gosto disso. Agora, a mesma coisa pode acontecer com roupas, amigos ou parentes.
Pode ser verdade sobre o casamento. Seja o que for que a Consciência me traga, eu uso
e desfruto. Mas não há senso de possessão, nenhuma sensação de precisar de alguma
coisa, de exigir qualquer coisa ou de desejar qualquer coisa. Há apenas a percepção de
que Deus, como minha Consciência, está aparecendo para mim em todos os momentos,
em todas as formas necessárias à minha experiência, observando como a Consciência
se desdobra de um dia para o outro. Desta forma, todo poder é colocado na Consciência,
e não nas coisas.
Nós tomamos o primeiro mandamento e percebemos que Todo o Poder está em Deus - a
Consciência do meu Ser - e porque a natureza de Deus ou Consciência é Inteligência
Infinita e Amor Divino, Ele não apenas conhece nossa necessidade antes de nós, mas
tem o Amor necessário para fornecer o que for necessário para o nosso
desenvolvimento. Portanto, quando estamos centrados na verdade de que “Eu e meu Pai
Somos Um”, o Pai é revelado como a Consciência Infinita, Divina e Espiritual do Ser
Individual. Sua natureza é Sabedoria Infinita, é Amor Divino; e, portanto, está sempre
derramando-se como minha experiência diária harmoniosa. Deus, minha Consciência,
aparece para mim todos os dias, na forma necessária para o cumprimento daquele dia.
Deus É Plenitude
A palavra “plenitude” – tornar pleno - é importante para nós. Estamos sempre plenos;
somos sempre um Estado de Realização, que é Deus se realizando como nosso Ser
individual. É Deus cumprindo Sua Glória, Sua Graça, Seu Poder e Domínio como nossa

58
experiência individual. Nós devemos chegar àquele ponto em que Deus se derrama
como nós, através de nós, em nós e por nós; e Deus deve se tornar uma Realidade Viva.
Há um ensinamento que afirma que Deus é Mente Divina, uma substância sem forma, e
que nós impressionamos nossos desejos nesta mente, e então nossos desejos se
manifestam na forma. Este ensinamento faz de Deus um veículo através do qual
podemos obter o que queremos. A abordagem do Caminho Infinito é o inverso disso. Em
nosso trabalho, não temos desejos, nem necessidades, nem ambições; não temos nada
para impressionar na Mente Divina. Não estamos pensando no que precisamos, porque
não sabemos o que precisamos. Nós não sabemos onde devemos estar amanhã. Não
temos ideia, além disso, de qual lugar estamos destinados a preencher no esquema
espiritual da existência. Portanto, nossa atitude é o contrário de qualquer ensinamento
desse tipo que usaria Deus. A Inteligência ou Consciência Divina, sendo Sabedoria
Infinita e Amor Divino, conhece nossa necessidade, e porque a Natureza de Deus é se
realizar como nosso desenvolvimento individual, ela faz todas as coisas necessárias,
sem que estejamos conscientes do que precisamos, queremos ou desejamos, ou onde
deveríamos estar.
Essa não é uma atitude de “deixar isso por conta de Deus”, pois isso envolveria um
senso de separação de Deus. É antes o entendimento de que, como Deus é minha
própria inteligência, sou sempre governado de maneira inteligente. Como Deus é a Lei
Divina do meu Ser, então a minha experiência está sempre expressando Amor Divino,
Perfeição, Harmonia ou Bem. Como Deus é Infinitamente Bom e tudo o que o Pai tem é
meu, essa Infinitude de Bem está se derramando em expressão como minha experiência.
Esse ensinamento não é fatalismo; não é uma aceitação resignada que “aconteça o que
acontecer, foi Deus”; ou “eu aceitarei o que Deus me enviar”. Tal atitude é dúbia, é
dualidade. Este caminho é a afirmação e reafirmação das grandes verdades:
“Eu e meu Pai Somos Um” (João 10:30)
“Tudo o que eu tenho é teu” (Lucas 15:31)
“O lugar em que tu estás é terra santa” (Êxodo 3:5)
Deus está sempre se cumprindo como nossa experiência individual. Então, nessa
Consciência, podemos dizer: “que a Verdade se manifeste segundo a Tua Vontade, uma
vez que a Tua Vontade é tão somente da natureza da Sabedoria Infinita e do Amor
Divino”. Você vê a diferença? Há um Deus. Deus é. A Harmonia é. Não podemos criar
essa harmonia com nosso pensamento, mas através do pensamento, podemos nos
tornar conscientes do fato de que Deus é uma Lei Infinita, que Deus é um Princípio
Divino Infinito expressando-se para sempre como a Harmonia, Sabedoria, Inteligência e
Amor em nossa experiência.

59
Isso é conhecer a Verdade, e a Verdade nos liberta. Conheça a Verdade. Não se
preocupe com as coisas do mundo - sejam elas casa, dinheiro, emprego ou
oportunidade. Preocupe-se apenas com a percepção de que Deus está se cumprindo
como sua experiência individual; que Deus, a Consciência do seu Ser, está sempre
aparecendo como a forma necessária para o seu desenvolvimento. Mantenha firme o
pensamento em Deus; continue pensando continuamente na Fonte e na Substância, e
não no efeito em que ou como Deus deve aparecer.
Onipresença, Onipotência e Disponibilidade Eterna de Deus
O segredo deste princípio com o qual estamos trabalhando - chamado de Princípio de
Cristo - é a Onipresença, a Onipotência e a disponibilidade constante de Deus. Toda a
mensagem do Caminho Infinito pode ser resumida nas palavras: a Onipotência, a
Onipresença e a eterna disponibilidade de Deus. Isso é tudo. Uma vez que você tenha
atingido a Consciência da Presença de Deus, você pode pegar todos os escritos do
Caminho Infinito e jogá-los fora, ou doá-los. Você não mais precisará deles, porque você
terá a essência de seu ensino: a compreensão da Natureza Infinita de Deus, Sua
Onipotência e disponibilidade constante.
Este sentido da Presença e do Poder de Deus é o Princípio que você desejará dar a seus
filhos, ou que seu paciente ou aluno desejarão dar a seus filhos. Deve ser incorporado na
Consciência da criança de manhã à noite, e da noite para a manhã. Nunca se deve
permitir que uma criança durma sem uma lembrança consciente de Deus como
Onipresente de uma forma ou de outra. Aqueles que querem que seus filhos cresçam em
um melhor senso de humanidade do que essas últimas poucas gerações
experimentaram, terão de fazer isso por outros meios além do ensino humano, além de
um código de conduta puramente humano. Eu não acredito que as crianças possam ser
ensinadas em moral ou ética apenas através de códigos humanos. Mas a pessoa que
uma vez capta a Consciência da Presença de Deus nunca mais terá qualquer desculpa
para violar qualquer princípio moral ou ético da vida.
O verdadeiro Princípio da Vida é este: o que é seu virá até você. Seu próprio Estado de
Consciência sempre será manifestado como sua experiência, e nenhum homem pode
tirar isso de você. Nenhum homem pode tirar sua Consciência de você mais do que ele
pode levar seu conhecimento de matemática ou música de você.
Quanto maior a Consciência de Deus que você alcança, maior o grau de coisas
desejáveis e pessoas que aparecerão em seu mundo exterior. Essas coisas e pessoas
serão sua própria Consciência aparecendo para você. Olhando para o seu atual estado
de coisas, você pode dizer: “então eu tenho um estado muito pobre de consciência”. Isso
pode ser verdade. Nesse caso, cabe a você reconhecer isso e alterá-lo. Cabe a você

60
mudar isso. “Buscai primeiro o reino de Deus” (Mateus 6:33) - a percepção consciente de
Deus. Busque essa Consciência de Deus e torne-a uma Consciência sempre crescente.
Deus está aqui em sua Infinitude, mas nós alcançamos essa Consciência apenas em
uma medida. Qual é a medida, depende de nós.
Todos na Terra têm, potencialmente, a mesma Consciência de Jesus Cristo. É Infinita,
está aqui, e está nos esperando. A questão é: estamos dispostos a dedicar-nos às horas
de devoção? Estamos dispostos a fazer o esforço necessário para o treino de estarmos
conscientes da Presença de Deus, em vez de procurarmos alguma forma na qual Deus
apareça? Eis todo o segredo: depende de nós! Se pudermos confiar inteiramente no
Princípio, na Consciência, poderemos alcançar a Consciência do Cristo.
Nenhum homem poderia roubar, depois de ter alcançado a Consciência de Deus como
seu suprimento. Nenhum homem jamais mataria, se uma vez ele chegasse à
Consciência de Deus como Vida Eterna, como a Vida do Ser Individual. Apenas a crença
de que alguém tem uma vida própria é que leva a pessoa a matar, mesmo em
autodefesa. Até mesmo matar em autodefesa é um reconhecimento de que temos uma
vida própria que está em perigo. Tal coisa não seria possível, se a Verdade de que Deus
é a Vida Eterna fosse percebida. Você não pode destruir a Vida Eterna; nenhuma bala ou
bomba pode destruir isso. A Consciência de que Deus é a realidade do nosso Ser dissipa
toda condição que leva ao pecado, à doença e à morte. A causa dos problemas do
mundo é a sensação de separação de Deus. O antídoto para os problemas do mundo é a
percepção consciente de Deus como Onipresente, Onipotente e Onisciente - a Realidade
do Ser.
Quando adoramos pessoas e personalidades - quer o façamos na forma de caráter
religioso, nacional ou internacional -, estamos lançando as bases para nossa própria
destruição. Somente na medida em que podemos perceber Deus como uma Presença
Universal, como uma Presença Impessoal e Imparcial, como a Vida de todos, como a
Mente e a Alma de todos, como a Consciência de todos os seres, podemos superar as
condições deste mundo.
Não é o ensinamento de Um Só Deus, Deus Onipotente e Onipresente, o único
ensinamento religioso que pode acabar com as disputas entre as igrejas, acabar não
apenas com a guerra religiosa, mas com todas as outras guerras? O antídoto para a
guerra é a percepção de Deus como Poder e Presença Individual, Deus como nossa
experiência individual. Essa percepção traz uma Consciência do Poder Espiritual. Uma
vez que nós, como indivíduos, provemos que existe um Poder Espiritual que cura nossos
males, faltas e limitações pessoais, nós começaremos a ver que existe um Poder
Espiritual que pode superar qualquer mal na sociedade humana.

61
Deus Aparece como Professor, Curador e Salvador
A Consciência é Infinita. A Consciência se manifesta como Ser Individual - seu Ser e meu
Ser. Se eu lhe disser que a Consciência se manifestou como meu Ser particular e como
meu estado particular de Consciência, e que essa Consciência através de mim ou como
eu está transmitindo a você esta Verdade, você provavelmente concordará. Se você
puder se sentar em seu escritório ou em casa e ajudar alguém, você concordará que a
Consciência se transmitindo a você como Verdade, como Poder Espiritual, foi o que lhe
permitiu ajudar seu paciente, vizinho, amigo ou parente. Agora, deixe-me levar isso um
passo adiante e mostrar-lhe que a Consciência está se manifestando como Ser Individual
dentro da minha Consciência e da sua. Portanto, a cada momento do dia e a cada
momento da noite, Deus está se comunicando a você, dentro de você, de um modo
individual, em algum sentido individual de pessoa ou poder, como orientação e direção, e
como um agente de cura, bem como um agente de apoio e suprimento. Em nenhum
momento você está sem seu professor e curador. Deus está se manifestando em sua
Consciência como professor e como curador. Onde quer que você vá, com ou sem um
ser humano, com ou sem um livro, você está carregando em sua Consciência a
manifestação do próprio Ser como professor, curador, fornecedor, protetor, salvador.
Se aparece dentro de você como a ideia de alguma personalidade do passado, presente
ou futuro, se lhe parece ser um professor ou ensinamento externalizado, se isso lhe
aparece como uma promoção ou um investimento, lembre-se disto: Deus é Onipresente
em sua Consciência como forma individual, com individualidade própria. Em todos os
momentos e em todos os lugares, Deus está presente em você como seu professor,
como seu ensinamento, como seu companheiro, como seu tudo nesta existência.
Neste momento, estou pensando mais particularmente em termos de professor e
curador, já que o que lhe aparece externamente como professor ou ensinamento não é
nada disso. O professor e o ensino são Deus manifestando em sua própria Consciência
como uma Ideia Divina. Sempre esteve presente em sua Consciência, aguardando seu
reconhecimento, e sempre estará lá, manifestando-se em qualquer forma que seja
necessária, na medida em que você estiver disposto a reconhecer Deus manifesto como
uma Ideia Divina dentro de você, e não temer se essa Divina Ideia aparecer para você de
alguma forma que você nunca experimentou antes.
A Consciência nunca morre. A Consciência de todo e qualquer indivíduo nunca morre. A
Consciência Individual nunca desaparece da face do globo. Portanto, aquela Consciência
que é conhecida como Jesus Cristo ou Krishna ou Buda - aquela Consciência que é
conhecida como qualquer grande luz ou caráter espiritual religioso - é Onipresente dentro
de você, e pode aparecer a você a qualquer momento, se você abrir sua Consciência.

62
Pode tomar a forma de palavras ou pensamentos. Mas não se surpreenda se lhe parecer
uma pessoa, como a própria imagem e semelhança de algum Ser Espiritual.
A Consciência pode aparecer a você como a forma do que você considera ser Jesus
Cristo ou qualquer outro grande líder espiritual, mas não será a forma de nenhum deles,
como suas formas eram conhecidas na Terra. Será a sua forma como Deus a fez, e será
visível para você na proporção de sua interpretação dela. Se você tem sido um cristão
desde o nascimento, pode aparecer a você na forma que você viu nas pinturas ou
imagens do Mestre, Cristo Jesus. Por outro lado, se você foi criado no ensino hindu, pode
tornar-se visível para você como Krishna ou Buda. Se você veio pelo judaísmo, pode
parecer o que o mundo chama de Moisés.
Qualquer que seja a forma, seria meramente sua interpretação do Cristo - da
Consciência de Cristo. Pode vir a você como alguém que você nunca conheceu ou nunca
ouviu falar - algum professor antigo ou moderno. E, por outro lado, pode não vir na forma
de uma pessoa: pode vir como ideias, palavras ou declarações. Mas em seu próprio
pensamento, não limite as formas de expressão; e não descarte nada como impossível,
porque Deus é Infinito, e Deus tem um modo de aparecer infinitamente. A Bíblia é cheia
de referências a Deus como Luz, mas também enfatiza o fato de que Deus é a Verdade.
Portanto, Deus também pode aparecer como um sentido ou declaração da Verdade ou
como uma sensação de Luz. Mas é bom lembrar que Deus, a Verdade, sempre apareceu
na Terra como um indivíduo. Deus pode aparecer para nós de qualquer forma.
Deus é Ser Individual Infinito. Deus é Onipresente como sua Consciência Individual. Essa
Onipresença pode aparecer para você de qualquer forma que sua Consciência possa
aceitar. Não limite a forma em que a Verdade, a orientação, a saúde, a cura podem
chegar até você, porque Deus é Infinito em sua atividade; Deus é Infinito em forma e
aparência.
Aceite a Verdade de que Deus pode aparecer para você individualmente: Deus pode
aparecer para você em sua própria Consciência; Deus pode aparecer como professor,
curador, salvador; Deus pode aparecer como direção, sabedoria, orientação. Aceite a
Deus, em qualquer forma em que Ele possa aparecer em sua Consciência, quando você
estiver no silêncio. Não tenha medo de qualquer visita interna. Quanto maior o grau de
desdobramento que você recebe nesta obra, maior será a revelação interior de uma
natureza individual que vem a você. Você receberá seu desdobramento individual de
Deus, e Deus aparecerá para você de maneira individual.
No que me diz respeito, a cura das doenças, a cura do pecado e a cura da pobreza são
apenas a prova de que a mensagem da Onipresença é verdadeira. A cura do corpo não é
a principal função desse ensinamento; o propósito deste ensinamento é tornar Deus

63
evidente e real para você individualmente, como uma experiência viva. Deus é uma
experiência viva. Deus é uma pessoa e um poder vivos - não uma “pessoa” em nosso
sentido de pessoa - mas Deus é uma Individualidade Infinita a ser realizada por cada um
de nós.
Podemos viver e nos mover e ter o nosso ser vinte e quatro horas por dia na Consciência
de Deus. Este é o propósito deste trabalho. A saúde, a riqueza, a harmonia, a paz e a
alegria sempre acompanham a Consciência da Presença de Deus.
Abraão chamou Deus de “Amigo”. E Jesus chamou Deus de “Pai”. Ramakrishna chamou
Deus de “Mãe Kali”; os Quakers chamam Deus de “Pai-Mãe” (os profetas chamavam
Deus assim... – nota do trad. G. S.). Seja qual for a forma que essas pessoas tenham
percebido de Deus, eles perceberam não como um nome, mas como uma experiência
real, à qual deram o nome “Pai”, “Amigo”, “Pai-Mãe”, ou “Mãe”. Foi uma experiência real
que teve lugar em sua Consciência, como a descida do Espírito Santo no Pentecostes,
uma experiência à qual eles deram o nome de “Deus” ou “Pai-Mãe”.
O que temos feito em nossa vida religiosa tem sido meramente dizer os nomes “Pai”,
“Mãe”, “Deus” e “Cristo” - sem realmente ter tido a experiência de Deus em nosso Ser
Interior - tudo isso não é mais do que uma casca vazia. O propósito e a mensagem do
Caminho Infinito é fazer de Deus uma Realidade Viva, de modo que, fechando os olhos
ou abrindo os olhos, você sempre terá a sensação e sentimento dessa Presença Divina,
guiando e instruindo você.

8 - O MINISTÉRIO DA CURA
Minha Unidade com Deus é minha Unidade com a Totalidade Espiritual. O único lugar
onde a doença não tem realidade e onde ela desaparece está no Sentido Espiritual da
Vida - nesse Sentido Espiritual Intuitivo da Vida que você sente quando está em silêncio,
quando está tocando a Realidade. Nesta Vida, não há pecado, nem doença, nem falta,
nem limitação, nem guerra. Não há nada acontecendo neste Sentido Espiritual da Vida
que não seja o Bem Espiritual. Essa é a razão pela qual digo que a maior parte do nosso
trabalho deve ser feita silenciosamente, e não de forma audível. Dar a uma pessoa que
pediu ajuda uma enxurrada de verdades metafísicas, para mim, não é senão um
disparate. Para mim, a única maneira de responder a um pedido de ajuda é dizer: "vou
ajudá-lo imediatamente". Tão rápido quanto possível, volte para aquele silêncio, onde
você pode sentir a própria Presença de Deus, onde você pode discernir a Realidade.
Então o paciente estará livre. Se eu tivesse uma dor de cabeça e um praticante me
dissesse: “Agora, você sabe que não é real; claro que você não tem dor de cabeça”, eu
estaria inclinado a responder: “oh, vá pular no lago! Eu quero liberdade! Eu não quero

64
muita conversa!” Se o praticante realmente acreditasse que a dor de cabeça não era real,
eu seria curado muito antes que ele pudesse me assegurar de sua irrealidade. Não é o
quanto somos lentos em expor essas verdades metafísicas que ajudarão alguém. É o
reconhecimento dentro da Realidade Espiritual. Isso você toca em algum lugar dentro de
seu próprio Ser, e quando o faz, toda a imagem humana se desvanece e você começa a
ver a Realidade Divina.
Devemos deixar o hábito de contar e repetir testemunhos. Os testemunhos são legítimos
quando são usados para exemplificar algum ponto da prática espiritual. Você pode
ilustrar um certo Princípio e usar um testemunho de cura como um exemplo, mas, além
disso, abandone o hábito de testificar, sejam suas próprias curas ou aquelas pelas quais
você pode ter sido responsável, seja de outras pessoas que você ouviu falar.
Há outro ponto importante a ser considerado no trabalho de cura: este ministério é
provavelmente a mais sagrada de todas as relações humanas. A explicação completa
dessa afirmação se desdobrará à medida que você continuar o trabalho. É um
relacionamento sagrado e, por essa razão, as confidências nunca devem ser violadas.
Em primeiro lugar, não devemos mencionar os nomes de nossos pacientes ou
estudantes, nem revelar quem são, a menos que essas informações sejam conhecidas
por sua própria vontade. Nunca discuta os problemas de um paciente com outro, mesmo
quando são de marido e mulher ou quando o problema é de mãe e filho. Nunca fique
tentado a discutir sobre uma pessoa com outra. Não é bom e pode ser prejudicial.
O Ministério da Cura Requer uma Vida Dedicada
Neste trabalho em que os pacientes confiam tanto na ajuda dos profissionais,
especialmente em casos que envolvem dor ou medo, é necessário que o profissional
aceite a responsabilidade total e esteja a serviço de seus pacientes. Por esse motivo,
duas coisas são importantes na conduta do consultório. Um é nunca deixar o telefone ser
ocupado por mais de dois ou três minutos e, se possível, não mais do que um minuto. A
linha telefônica de um praticante deve ser mantida aberta. Um paciente não deve
telefonar para um praticante e encontrar um sinal de ocupado uma vez, duas vezes, três
vezes. Tal demora cria um sentimento humano de irritação ou medo que não é propício
para a cura. Certamente, é impossível para um profissional ocupado manter sua linha
telefônica aberta o tempo todo. Mas se houver muitas chamadas para um telefone, ele
deve ter dois. A casa de um praticante é seu escritório - apenas uma filial, isso é tudo.
Um praticante não tem mais um lar no antigo sentido da palavra. De muitas formas, ao
entrar neste trabalho, a pessoa desiste da sua vida pessoal.
O segundo ponto a ser enfatizado é a importância de um praticante estar ao alcance de
seu telefone. Um praticante não deve estar longe de sua casa para compromissos

65
sociais; e se ele achar necessário estar ausente, deve haver alguma provisão para deixar
uma mensagem sobre onde ele está e onde ele pode ser encontrado. Em outras
palavras, isso é um ministério; e quando alguém entra, deve estar disposto a desistir da
sua vida pessoal.
Na medida do possível, essa dedicação deve se tornar a regra de vida do praticante, a
fim de manter sua própria Consciência em um alto nível. A única coisa que cura é a
capacidade de manter essa Consciência, e isso não é feito, se estivermos nos
entregando excessivamente a atividades sociais – criando vínculos sociais e entretendo
amigos e conhecidos. O ensinamento do Mestre é muito claro neste ponto. Ao entrar no
Ministério de Cura, alguém desiste de tudo por Cristo - até mesmo pai, mãe, irmã, irmão,
marido, esposa. Isso não significa que eles desistam no sentido de tirá-los da vida, mas
são relegados a um lugar secundário, que é o legítimo deles. A prática deve vir primeiro,
e então, se sobrar algum tempo para marido ou esposa, ele ou ela pode tê-lo; mas você
pode ter certeza de que não será muito.
Isso parece difícil, não é? Parece difícil. Mas, na verdade, é assim que um Ministério de
Cura é realizado. É o modo como a pessoa deve viver, se considerar isso como um
Ministério, e não apenas como um passatempo.
Ao trabalhar com pacientes, especialmente durante períodos de dor e medo, encorajo os
pacientes a me telefonarem com frequência: me ligue em uma hora; me ligue de volta em
vinte minutos; me ligue de volta em duas horas. Quando trabalho pela primeira vez com
uma pessoa, particularmente com uma pessoa que me procura com alguma reclamação
da natureza da dor ou do medo, encorajo ligações frequentes, especialmente durante a
noite. Eu fiz um trabalho em que o telefone tocou a cada vinte minutos durante toda a
noite. Eu vi a crise passar em muitos casos - na verdade, curas realizadas - através
dessa busca persistente de ajuda.
Outro aspecto deste trabalho é o manuseio do correio. Desde o dia em que o correio
aéreo foi inaugurado, eu usei o correio aéreo para todas as cartas que tiveram que
percorrer mais de trezentos quilômetros. Quando um paciente ou qualquer pessoa
escreve para um praticante, ele está realmente esperando por uma resposta. É um
trabalho incompleto até que ele receba essa resposta. Ele pode obter sua cura muito
antes de obter a resposta. Mas não é uma questão de cura; é uma questão de cortesia e
consideração. Por essa razão, nossa parte é preparar nossas respostas o mais rápido
possível e tomar as providências necessárias para que elas sejam entregues o mais
rápido possível. Se parecer prudente não esperar que uma carta de correio aéreo seja
entregue, envie um telegrama ou faça uma ligação telefônica. Deixe seu paciente saber o
mais rápido possível que ele está sendo cuidado, que o trabalho está em andamento.
Isso tudo faz parte do Ministério de Cura - parte de seu serviço. É o tipo de serviço que é

66
exigido de toda pessoa que espera trabalhar nesse campo. Digo isso principalmente para
o benefício daqueles que virão a você em busca de ajuda, mas também digo isso para
seu próprio bem. Se você espera ser bem sucedido neste trabalho, siga estas sugestões.
Ninguém jamais será bem sucedido neste trabalho se seu coração e sua alma não
estiverem nele. E se o coração e a alma estiverem nele, ele desejará buscar a mais alta
forma de serviço que existe.
A Necessária Maturidade Espiritual
Você ficará surpreso se eu lhe disser que uma das grandes fontes de nosso problema
como indivíduos - até mesmo como estudantes neste caminho - é o fato da recusa em
crescermos espiritualmente e nos tornarmos adultos espirituais? Aliás, homens e
mulheres até se recusam a crescer humanamente e agir como adultos. Um adulto é uma
pessoa que chegou ao estado de consciência em que ele é um indivíduo em seu próprio
direito, não é mais dependente de mãe e pai, irmã e irmão, e não transfere essa
dependência nem para seus filhos. Um adulto é alguém que, mesmo humanamente,
deve ser capaz de se manter de pé, e não ser um parasita mental, fixando-se aos mais
velhos ou a seus filhos. Quantas pessoas existem, mesmo neste trabalho, que ainda são
sustentados ou parasitas, apoiando-se na mãe ou pai, filhos ou filhas, irmãos ou irmãs, e
depois se perguntam por que eles não alcançam a sua liberdade.
Espiritualmente, isso é ainda mais importante. Toda demonstração neste trabalho é
baseada no grau de realização da Verdade de que Eu e meu Pai Somos Um. Agora,
pergunte a si mesmo: “quão sério eu acredito - até que ponto acredito - que Eu e o Pai
Somos Um? Até que ponto estou completamente inclinado, dependendo ou confiando
nessa Verdade, ou até que ponto estou esperando algo, algum entendimento, algum
apoio, alguma companhia de mãe, pai, marido, esposa, filho? Não estou falando de
desfrutar de nossos relacionamentos com nossos parentes e familiares; eu estou falando
sobre o grau em que estamos ligados a eles. Ou os tornamos subservientes a nós e não
lhes damos sua liberdade, ou, por outro lado, não aceitamos nossa liberdade deles.
Muitos dos nossos problemas individuais no mundo vêm do nosso fracasso em manter
nossa Integridade Espiritual. No mundo de homens e mulheres, as pessoas nem sequer
mantêm sua integridade humana. Os pais não se libertarão de seus filhos, ou os filhos
não se libertarão de seus pais. Há muito de apegar-se a relacionamentos que há muito
serviram ao seu propósito, em vez de se libertarem deles. As aves estão melhor do que
nós; eles empurram seus jovens para fora do ninho e os liberam para voar. Nós não
damos liberdade a nossos filhos, se pudermos evitá-lo; nós raramente os libertamos. E é
raro que o marido ou a esposa recebam a liberdade e independência a que têm direito.
Há um apego excessivo às relações humanas, uma retenção, talvez por causa do ciúme
ou do medo - na maior parte do tempo, eu acho que é medo.

67
No caminho espiritual, não há nada mais satisfatório no mundo do que as relações entre
amigos, companheiros, estudantes ou pacientes; nem há algo mais reconfortante do que
o entendimento que pode surgir entre um homem e uma esposa neste trabalho. Mas
esse entendimento deve basear-se principalmente em nosso reconhecimento de nossa
Unidade com Deus como o principal relacionamento. Quando estabelecemos na
Consciência nossa Unidade com Deus, nos tornamos Um com todos e podemos ter os
relacionamentos mais satisfatórios - e ainda assim não haverá dependência de qualquer
pessoa como tal.
Podemos tomar o trabalho de um praticante como exemplo. Um praticante que se torna
dependente de um paciente para apoio ou renda, logo perderia todo o seu Dom de Cura.
Se um praticante se tornasse dependente de sua prática para viver, perderia seu Dom de
Cura. Isso não significa que os praticantes não possam derivar sua vida dessa fonte; eles
muito bem podem; mas a dependência deles destruiria sua eficácia como praticantes. A
menos que um curador possa estabelecer em sua consciência diária de que “Eu e o Pai
Somos Um” e “tudo o que é meu é teu”, e, nesta percepção, liberte o paciente, haverá
novamente o apego ao relacionamento, o que é prejudicial tanto para praticante quanto
para paciente.
O mesmo princípio se aplica à relação entre professor e aluno. No momento em que um
professor se torna dependente de um estudante para qualquer coisa no mundo, ambos
estão perdidos, já que o único relacionamento verdadeiro é a sua Unidade em Cristo -
sua Unidade por causa do relacionamento divino de Unidade com Deus. Minha Unidade
com Deus constitui minha União com todos que já passaram por aulas comigo. Mas é
uma Unidade tão bela que não há dependência, e não há interdependência - apenas um
cordial, "Olá" e um amistoso "até logo".
Cada um de nós deve estabelecer sua Liberdade dentro de sua própria Consciência. A
Liberdade não é uma característica humana, é uma qualidade espiritual. É uma atividade
de Deus, uma qualidade e uma quantidade de Deus; é da Natureza de Deus. Portanto,
somente na Alma, no Espírito, podemos encontrar nossa Liberdade.
Descobrimos que nossa saúde também é uma qualidade espiritual. A saúde não está no
corpo, e é por isso que não estamos curando as condições do corpo, já que a saúde não
é uma qualidade ou atividade do corpo. A saúde é uma atividade da Alma, que o corpo
reflete. No momento em que encontramos nossa Liberdade da Alma, encontramos a
liberdade do corpo.
Da mesma forma, a liberdade econômica não é encontrada em dólares e não é
encontrada no casamento; e descobrimos que não é encontrada em investimentos. A
liberdade econômica é encontrada na Alma. A liberdade econômica é uma qualidade e

68
uma atividade da Alma. Se você fizer um contato consciente com a sua Alma, dentro das
profundezas do seu Ser Interior, você terá encontrado a sua liberdade financeira. É
verdade que pode parecer vir de um marido ou esposa ou de um investimento. Pode
parecer que vem através da prática, através do Ministério de Cura, mas isso será apenas
o aparente - a aparência. Na realidade, será proveniente da Alma.
Portanto, se nossa renda for cortada de alguma direção, não há nada a temer, porque,
como a Alma é Infinita, não apenas em sua capacidade, mas também em sua expressão,
novas fontes de renda se desdobrarão imediatamente de outra direção. Nenhuma pessoa
jamais encontrará sua liberdade econômica, mais do que encontrará sua liberdade física,
até encontrar sua Liberdade na Alma, no Espírito, em Deus - em sua Unidade Consciente
com Deus.
Muito poucas pessoas estão dispostas a crescer - para se desenvolverem em maturidade
emocional, mental e espiritual. Dentro de si, na verdade, elas não querem ser livres. Por
muitos anos tenho assistido a essa parada da vida humana, e sei quantas pessoas se
apegam às mesmas circunstâncias das quais poderiam ser libertadas, se realmente
desejassem a liberdade e estivessem dispostas a pagar o preço da Liberdade.
Primeiro de tudo, nos apegamos a um senso físico de vida. Em outras palavras, temos
medo do que vai acontecer com o corpo. De fato, a Bíblia nos diz que a menos que
percamos nossa vida, não a encontraremos. Em outras palavras, a menos que percamos
a sensação física da vida - essa sensação de vida no corpo - não encontraremos nosso
Senso Espiritual de Vida. Temos que perder nosso sentido material de existência, a fim
de encontrar o incorpóreo ou espiritual. Isso não nos separa do nosso corpo, mas nos
separa do falso conceito de corpo.
Você nunca perderá seu corpo, desde que seu corpo e você são Um. Seu corpo é
meramente sua Consciência em forma, e você não pode separar a Consciência de sua
forma. Você nunca perderá seu corpo. Mesmo que você decida morrer algum dia,
descobrirá que não perdeu seu corpo. Ainda estará bem aí com você - exatamente onde
você está. Você não vai deixar para trás. Quando concordamos - mesmo em uma medida
dentro de nós mesmos - em estarmos livres do sentido corpóreo do corpo, de não mais
ter medo do que acontece com o corpo, começamos a encontrar alguma medida de
Liberdade.
Temos que concordar, além disso, que não nos importamos com o que acontece com
nossos dólares, já que os dólares não constituem suprimento. Dólares são apenas a
forma como o suprimento aparece. Se não houvesse dólares, haveria cenouras, ervilhas
ou galinhas. Mas realmente não faz diferença em que forma o suprimento aparece. Se
você tem a Consciência do Suprimento, você terá Abundância, não importa a forma que

69
ela possa tomar. Se você toca aquele lugar dentro de sua Consciência em que você
percebe que sua própria Consciência é a Essência e Substância de toda forma, então
você não terá que se preocupar com um corpo físico ou um dólar material; e nessa
Consciência virá a Liberdade das dependências e interdependências humanas. Nós nos
formamos de nossas crenças. Nós nos fixamos à vida de alguém, sentindo que a vida é
vazia, a menos que estejamos perto de algum ser humano. Esperamos ter mãe por perto,
ou pai, filho, filha, marido ou esposa; e nós mesmos nos agarramos. Mas quando você
encontrou sua União com Deus, que maravilhosa sensação de Liberdade vem! Ao
descobrir essa Unidade com Deus, você se encontra em harmonia com todos no mundo,
em um relacionamento bonito e satisfatório. Cada um compartilha o melhor lado de si
com você, e mantém o pior lado longe de você. Seus associados vêm até você com tudo
o que há de melhor em si, e compartilham o melhor com você. Observe, enquanto
aprende a encontrar essa sensação de Liberdade.
Liberte o Paciente
Neste ponto, estamos indo um passo além na Vida Espiritual, do que foi dado talvez por
qualquer outro ensinamento que conhecemos. A razão pela qual isso é possível, é
porque não temos organização ou qualquer coisa a qual possamos pertencer; não temos
regras e, portanto, cada um de nós pode deixar o outro completamente livre em Cristo.
Se existe uma organização, ou se pertencemos a uma organização, há um sentido
limitante de obrigação que diz: “eu devo apoiar isso, ou isso depende de mim. Esta igreja
precisa do meu apoio, ou eu preciso do apoio da igreja”. Mas você não vê que somente
quando você chegou a algum Desdobramento Espiritual em que não há apego a uma
pessoa ou coisa, nenhuma dependência de pessoa ou coisa, você está livre para
encontrar sua própria e plena Liberdade Espiritual?
Toda pessoa que entra na prática deve entender o significado da Liberdade Espiritual.
Nunca, nem por um minuto, acredite que qualquer paciente que tenha procurado ajuda
esteja obrigado a voltar para você amanhã ou na próxima vez que precisar de ajuda.
Quando um paciente pedir ajuda hoje, liberte-o. Se você nunca mais ouvir falar dele, ou
se ele nunca mais voltar a você, ele não violou nada, porque você não tem laços com ele.
Você não tem o direito de ter vínculos com um paciente ou um estudante. Eles são livres;
eles estão livres em Cristo: eles são livres para vir; e eles estão livres para ir. Todos os
pacientes devem ser libertados no minuto em que você tiver concluído o tratamento. Ele
é livre. Nenhum paciente deve relatar a você, se ele não quiser; ele não precisa lhe
avisar se não quiser voltar; ele não tem que lhe pagar; ele não precisa fazer nada por
você.
Neste trabalho, é muito sábio, na medida do possível, não pensar nas pessoas como
devendo pelo trabalho da semana passada ou pelo trabalho do último mês. Que ninguém

70
te deva nada. O que alguém lhe paga hoje está pago. Se, no entendimento dele, existe
uma obrigação e ele quer pagar algo mais na próxima semana ou no próximo mês, isso é
assunto dele. Mas em seu pensamento, liberte-o. Não guarde livros que mostrem que
alguém lhe deve dinheiro na semana passada. Tal contabilidade é um negócio muito ruim
no ministério de cura. Ninguém deve nada a você, exceto hoje; e se ele não pagar, ele
não deve isso a você. Você não o mantém em cativeiro mental e nem em escravidão
econômica. Isso significa que, seja qual for o dinheiro que entra hoje, é o suprimento do
seu dia, e o que não entrou, não tem nada a ver com você. Você não vai depender do
maná de ontem. Em sua própria Consciência, você está vivendo do maná que flui hoje.
Naturalmente, haverá muitos dias em que fluirá mais do que você pode usar naquele dia.
Isso não impede que você o coloque no banco e o use amanhã, na próxima semana ou
no próximo ano. O ponto importante é: não mantenha vínculo com seu paciente. Não o
traga em cativeiro como "meu paciente" ou "meu aluno", e não o mantenha em servidão
econômica, dizendo: "ele ainda me deve oito dólares". Ele não lhe deve oito dólares ou
oitocentos dólares. O trabalho de cada dia é completo em si mesmo: se é pago, é; e se
não for pago, não é. Lembre-se de que seu suprimento está vindo do Infinito de seu
próprio Ser.
Se você puder soltar o grampo mental que tenta prender seu paciente a você, você terá
mais Liberdade. Que experiência libertadora é apenas saber que tudo de bom é de Deus,
e que você não precisa se preocupar se seu paciente vai mudar de prática, se seu aluno
vai encontrar um novo professor ou se está preocupado com qualquer outro tipo de
mudança.
Minha Unidade com Deus constitui minha Unidade com todos os seres e ideias
espirituais, e quanto mais eu puder realizar minha constante União com Deus, mais belas
amizades eu terei. Muitas pessoas não são livres para viver suas próprias vidas. Alguém
tem um grampo mental sobre eles. Agora, quebre essa escravidão. Não deixe ninguém o
amarrar em cativeiro e não segure ninguém em cativeiro. Deixe todo mundo em seu
mundo livre. Se você não pode aceitar sua Liberdade em Cristo - se você não pode
aceitar sua Liberdade em sua Filiação Divina com Deus, esse relacionamento que existe
entre você e o Infinito Ser Interior, então você não irá muito longe neste Caminho
Espiritual.
Encontre o Reino Interior
Chegamos agora ao ponto mais importante de todo Ensinamento Espiritual: não tente
encontrar o Bem Espiritual na cena humana, mas, o mais rápido possível, entre em
meditação. Entre nesse silêncio, naquele lugar onde você pode comungar com Deus, e lá
contemplar a Realidade. Na crença da vida humana, você não encontrará Deus ou

71
Espiritualidade. É verdade que a vida humana é uma crença e um sonho, mas apenas
dizer que não é real não significa se livrar dela. Algo ainda tem que ser feito, e esse é o
ponto que é negligenciado pela maioria dos metafísicos. Esse algo é encontrar sua Base
Espiritual dentro de você. Encontre o Centro do seu próprio Ser, onde você comunga
com Deus, com a Realidade Divina, e sinta esse calor acolhedor, sinta essa gentil
Presença; e então, toda e qualquer forma de erro será dissipada. Não faz diferença se a
discórdia tem sido na forma de pecado, doença, falta, limitação, desemprego, infelicidade
ou qualquer outra coisa. Tudo desaparece se, e quando, você toca aquele Centro dentro
de você.
Por que você acha que eu gasto tanto tempo em meditação? Certamente, não é porque
quero fechar os olhos e me afastar do mundo. Não tenho medo de enfrentar o mundo,
mas sei que no mundo humano não tenho poder para fazer nada sobre uma situação
humana. Não faz diferença o quanto eu sei. Sei que alguns de vocês me ouviram dizer:
“não há uma palavra da Verdade em todos os meus livros, ou em todos os outros escritos
metafísicos que já foram impressos”. A razão é que, quando é enviada ao mundo, já não
é mais Verdade. É a verdade sobre a Verdade. A Verdade é aquilo que Eu Sou. A
Verdade é algo que eu sinto, sinto e toco dentro do meu próprio Ser. É onde Deus e Eu
nos tornamos Um. É esse ponto na Consciência onde eu desapareço e só Deus se torna
Real. É aí que a cura acontece, e esse é o único lugar.
A razão pela qual estamos gastando tempo aprendendo a Verdade e lendo sobre a
Verdade é apenas porque é uma maneira de nos conduzir para fora do sentido humano
das coisas, em direção ao Sentido Espiritual. Mas o verdadeiro objetivo de ler sobre a
Verdade e ouvir sobre a Verdade é nos levar de volta ao Reino de Deus dentro de nós
mesmos, onde sentimos o contato, onde sentimos esse gentil “o que quer que seja” –
que nós chamamos de Deus, ou o Cristo... "Vivo; não mais eu, mas Cristo vive em mim”
(Gálatas 2:20): eu poderia dizer isso a partir de agora até o juízo final, eu poderia gravá-
lo em um disco e tocá-lo direto, mas isso não o tornaria efetivo. Há de ter um sentimento,
algo dentro que realmente sinta a Vida de Cristo. Então, quando você sente isso, o erro
se dissolve, desaparece. Caso contrário, não há nada além de cura psicológica.
Agora veja, não há nada de errado em ser curado psicologicamente. Isso está
perfeitamente bem. Nem há nada de errado em ser curado medicamente. Mas em nosso
trabalho, o objetivo é a obtenção do Ser Espiritual, da Realidade Espiritual; e essa é a
razão pela qual não estamos preocupados com a cura médica ou psicológica. Estamos
lidando com a Cura que é alcançada quando alcançamos uma percepção consciente,
uma realização do Ser Espiritual Real. Essa coisa que chamamos de "Espírito, ou Deus"
não existe apenas como palavras ou pensamentos. Deus realmente existe. Que ninguém

72
duvide disso. Existe realmente Deus, um Deus que você pode conhecer, sentir,
comungar e estar com ele. Ele está derramando a Si Mesmo em expressão. E isso cura.
Portanto, quando digo a uma pessoa: “Eu estou com você, Eu te ajudarei, não se
preocupe, já estou trabalhando”, não me refiro a nada humano, porque não há nada
humano que eu possa fazer. Eu aprendi anos atrás que Jesus estava certo quando disse:
“Eu de mim mesmo nada posso fazer”. Ele sabia disso e eu sei disso. Mas existe essa
coisa dentro de você; existe esse ponto de contato, no qual a experiência humana se
desvanece; todo o poder humano desaparece; e há apenas um maravilhoso sentimento
de proximidade, intimidade e Unidade. É algo que faz você sorrir. Você pode até não ter
um bom motivo para sorrir, mas traz um sorriso ao seu rosto como se você estivesse
dizendo: "tudo bem, Pai, eu sei que você está aí". Isso é tudo. Mas isso dissolve o erro.
Agora, sabendo disso, por que falhamos? É somente porque não temos uma percepção
suficiente da nossa Unidade, e não permanecemos nessa Consciência. Essa é a única
razão. Se pudéssemos entrar mais nela e permanecermos nela, teríamos muito mais
curas.
Ao tocarmos este Centro de nosso Ser, obtemos uma resposta - a Vida, o Fogo - vai na
frente e faz o trabalho de cura; e esse é o tipo de trabalho de cura que estamos tentando
fazer. Não é olhar para um ser humano e dizer: “bem, você está doente, mas eu vou
deixar você bem”; ou “eu vou me voltar para Deus e ver o que Deus pode fazer a respeito
disso”. É um olhar para longe da imagem humana, um afastamento completo da imagem
humana, tocando o Centro do seu Ser. Então o trabalho está feito.

9 - UMA FORMA ELEVADA DE TRATAMENTO


Devemos chegar à conclusão de que somos adultos, e que devemos ser capazes de nos
manter em pé sem depender de alguém ou de alguma coisa. Essa independência
espiritual é alcançada através da realização de nossa Unidade com Deus:
“Eu e meu Pai Somos Um”. Essa Unidade com o Pai constitui a minha Unidade com todo
Ser e ideia espiritual. Portanto, não preciso buscar o meu bem nem me preocupar com o
meu bem, porque a minha União com Deus constitui o meu Bem. Constitui a Lei da
Atração, trazendo para mim tudo o que é necessário para o meu desenvolvimento, para a
revelação do meu Verdadeiro Ser, para a minha experiência diária. Bem onde estou,
Deus está. Bem onde estou, a Totalidade de Deus está. Essa constante Presença de
Deus me faz independente de pessoa, lugar, coisa, circunstância, condição ou
relacionamento. Onde quer que eu esteja, a Plenitude de Deus está se revelando. O
lugar onde eu estou é Terra Santa. Bem aqui, agora mesmo, a Totalidade de Deus é

73
manifestada como minha experiência individual, e a Consciência dessa Verdade é a Lei
para essa experiência. Eu e o Pai Somos Um. Nesta Unidade está minha auto-
completude. Eu sou, portanto, auto-mantido; Eu sou auto-sustentado. O Ser que Eu Sou,
a Realidade de mim, me mantém e me sustenta, me apóia, me ensina, me ilumina e me
enriquece.
Esta Verdade é uma Luz para o meu caminho. Essa Verdade é minha salvação. A
Consciência dessa Verdade - a percepção consciente dessa Verdade - me liberta da
dependência humana. Eu estou no mundo, mas não sou dele. Eu gosto de todas as
experiências, todos os relacionamentos, todas as alegrias, todos os companheirismos
que fazem parte da Criação Espiritual de Deus. E assim, sou livre. Todos aqueles com
quem entro em contato são livres - livres para se divertirem uns com os outros, mas não
para se agarrarem a qualquer sentido de escravidão, físico, mental, moral ou econômico.
Cada um é livre em Cristo. Eu encontro minha Liberdade em Cristo. Eu encontro minha
liberdade econômica, minha liberdade política, minha liberdade física, minha liberdade
moral em Cristo, no Espírito, na Alma - não em qualquer dependência externa.
Deus me supriu, no princípio, com tudo e todos necessários para o meu
desenvolvimento, e esta é uma Verdade Universal. Isso é Verdade para todos, em
proporção à Consciência da Identidade Espiritual de cada um e sua Unidade com Deus.
“Nunca te deixarei, nem te desampararei” (Hebreus 13:5). É verdade que não posso
escapar do meu Ser. Eu sempre estarei comigo. Eu poderia viajar o mundo ao redor, mas
eu nunca conseguiria escapar de mim, porque Eu me levo comigo onde quer que eu vá.
“Eu nunca te deixarei, nem te desampararei”. O Eu de mim, o Eu em mim que é Deus,
está sempre onde eu estou.
Leve conscientemente essas Verdades à mente de vez em quando, especialmente se
você se encontrar enredado na crença humana de que é dependente de mãe, pai, irmã,
irmão, marido ou esposa; ou se você esquecer a sua Unidade com Deus e acredita que
depende do seu trabalho, da sua posição, do seu paciente ou do seu aluno. Nunca deixe
que esses laços humanos se prendam a você. Lembre-se de que Eu e o Pai Somos Um.
Nesta Unidade está a sua completude e sua totalidade:
Deixa tudo por minha causa. Deixa mãe, irmã, irmão, pai; deixa toda dependência
humana e encontra a tua totalidade em Mim, em Cristo, na Vida; descobre que Eu Sou
todas as coisas para ti. Eu sou teu professor, teu curador. Eu, a Consciência Divina do
teu Ser, nunca te deixarei, nem te abandonarei.
Toda Cura É Instantânea
As curas dependem da sua reação ao pedido de ajuda. Esta é a Lei em todos os casos.
Não há mal neste mundo; não há pecado, nem doença. Não há poder no mundo que
possa fazer qualquer coisa, causar qualquer coisa ou ser qualquer coisa. A única causa é

74
Deus, sua Consciência Divina. Esse é o Único Princípio Criativo que existe no universo, e
tudo que Ele pode criar é bom. Seus sofrimentos são causados não por qualquer coisa
que esteja no mundo, mas pela sua reação a apelos errôneos. Este é o Princípio da Cura
científica. Independentemente do chamado que vem a você, a cura está de acordo com
sua reação a ele. Se você aceitar o chamado como sendo sério, algo que requer
atenção, ou algo que deve ser superado ou destruído, essa reação a ele torna impossível
uma cura instantânea. Por outro lado, se você está alerta quando a chamada chega, e
não reage dessa maneira, mas imediatamente percebe: “Eu e meu Pai Somos Um” - e
realmente temos essa Consciência - então a cura acontece.
É por isso que você nunca pode ajudar ninguém cinco minutos depois que o pedido de
ajuda chegar. Lembre-se disso! Todo Trabalho de Cura deve ser feito quando a chamada
toca sua Consciência, porque é sua reação a ela que determina a cura. Você não pode
dizer: "estou muito ocupado para dar um tratamento", porque então você reconheceu o
poder do erro e seu tratamento não será eficaz. Toda cura está no ponto de contato. É
claro que é absolutamente verdade que, se você estiver, ou quando estiver, no auge da
Consciência Espiritual e esses chamados surgirem, você encontrará instantaneamente a
afirmação. Se você não estiver nessas alturas espirituais, o chamado virá uma segunda
vez, uma terceira, uma décima, uma vigésima vez, ou uma milésima vez, se a sua
consciência não estiver pronta - se não estiver naquele nível elevado onde ela não reage
a alegações erradas.
Cada vez que um apelo se apresenta ao seu pensamento, seja na forma de um telefone,
telegrama, carta ou visita a um paciente, ele deve ser atendido naquele mesmo
momento. Se eu estivesse sentado aqui neste minuto e algum problema de um paciente
chegasse ao meu pensamento, ele deveria ser atendido imediatamente. Mesmo que eu
estivesse falando com você, deveria atender a essa queixa quando ela se apresenta ao
meu pensamento. Não adianta dizer: "quando estiver sozinho esta noite, darei um
tratamento". Um tratamento está sempre no ponto de contato. Quando a súplica toca a
Consciência do praticante, é quando o tratamento tem que acontecer. Isso explica por
que é tão possível cuidar de cem casos por dia como cuidar de três. Se uma centena de
casos puder ser trazida à sua Consciência, então cem casos podem ser atendidos
naquele momento, quando forem trazidos à sua Consciência. Na verdade, eles devem
ser atendidos naquele momento. Não há elemento de tempo na cura. Toda cura é cura
instantânea. O praticante pode ter que fazer mil tratamentos, mas a cura ocorre em um
desses tratamentos. Não existe cura gradual; Toda cura é instantânea. Um caso é
atendido ou não é atendido. Quando é cumprida, é completamente satisfeita, embora
possa demorar uma semana ou um mês até que todas as evidências desapareçam e que
o paciente descubra que está completamente curado. Mas a cura ocorre no momento do
contato.

75
Por exemplo, uma pessoa pode ter uma ferida, pode pedir ajuda e pode ser
instantaneamente curada; mas pode levar três dias ou mais para a nova pele se formar,
de modo que ele possa dizer: "Bem, isso está completo agora". Não está completo
quando a evidência atesta sua completude; está completo no momento em que o “clique”
acontece. A cura ocorre no momento do contato. Mas quando isso acontece, nesse
instante de contato, a partir de então, não faz diferença se a evidência inteira desaparece
em um minuto, ou se gradualmente desaparece ao longo de duas ou três semanas. Foi a
Consciência da Verdade no momento do contato que determinou a cura.
Dê a cada chamada feita a você uma resposta instantânea. Nunca, nunca, pense em
termos de “devo dar a essa pessoa um tratamento hoje à noite”. Atenda todas as queixas
no momento em que lhe forem apresentadas. Nunca pense em dar um tratamento mais
tarde. Se o trabalho fosse feito no momento do contato, seria um desperdício de tempo
pensar nisso uma hora a partir daquele momento. Você pode nunca ter que pensar nisso
novamente. Você deve entender que o trabalho de cura é feito por um estado de
Consciência no momento do contato, não em um momento futuro. Caso contrário, a cura
dependeria do tempo, do esforço humano ou do pensamento humano; e a cura não
depende de nenhuma dessas coisas; depende apenas de tocar o Cristo. Quando a
alegação toca o Cristo, a cura acontece. Se você estiver andando pela rua e se tornar
consciente de qualquer forma de discórdia, encontre-a imediatamente em sua
Consciência, e depois caminhe e esqueça-a. Se isso voltar ao seu pensamento,
encontre-o novamente. Cada vez que se apresenta, você o encontra. Como? Por não
reagir a isso! Esse é o segredo da cura - sem reação.
Nenhuma Reação ao Erro
Você está convencido de que ninguém morre? Não se engane. Não diga: “oh, eu sei que
a vida é imortal; mas é claro, você sabe que existe algo como fazer a passagem”. Não,
fazer a passagem é apenas um termo mais gentil para morrer. Isso não significa que não
haja muitas pessoas que experimentam o que chamamos de “morte”, mas isso não é
uma necessidade. A Vida é Eterna, aqui e agora. A Vida é Imortal, aqui e agora. Todo o
mundo pode acreditar que a morte é uma necessidade, mas o que o mundo está
pensando sobre a morte, ou o que ele está fazendo sobre isso não é sua preocupação.
Sua preocupação é ser a Luz do mundo, na medida em que você conhece a Verdade de
que Deus é Vida e, portanto, a Vida é Imortal e Eterna. Deixe toda reivindicação da morte
que vem a você bater contra aquela parede. Não reaja a isso; não se preocupe, nem
tenha medo pelo seu paciente.
Isso não significa que não devemos ter compaixão. Nós não estaríamos neste trabalho a
menos que tivéssemos uma grande medida de compaixão. Nós não estaríamos
dedicando nossa vida ao Ministério de Cura, se não quiséssemos ajudar. Mas como

76
podemos ajudar? Por simpatizar humanamente, sentindo pena de nossos pacientes?
Não, por não reagir. Não reaja. Tenho certeza de que esse é o significado do
ensinamento do Mestre: "”não resistir ao mal” (Mateus 5:39), “concilia-te com o teu
adversário” (Mateus 5:25), “guarda a tua espada” (João 18:11). Não reaja. Não admita
que há um poder que você tem que lutar ou combater. Então, quando alguém lhe fala
sobre um problema, você não reage a ele; você não tem medo dele não ser curado ou da
condição não ser satisfeita; você não reconhece que há algo que precisa ser curado ou
que precisa ser cumprido.
Na realidade, a morte não tem poder. Então, se uma pessoa disser: "estou morrendo",
você não ficará excessivamente perturbado. Essa indiferença à aparência ou falta de
reação a ela é a Consciência de Cura. A reação de Jesus a Pilatos foi: “tu não terias
poder algum contra mim, exceto que te foi dado de cima” (João 19:11). Essa é uma
reação correta. Sua resposta deve ser sempre de tal natureza que mostre uma completa
falta de ódio, amor ou medo do erro. Se você não odeia, teme ou ama erros, você não
reage a isso.
Muitas vezes surge a tentação de dizer: “ah, aqui está algo sobre o qual devo fazer
alguma coisa. Assim que terminar este jantar, entrarei e darei um tratamento”; mais cedo
ou mais tarde, todos nós devemos alcançar o lugar onde nada nos tenta ou encontra uma
resposta dentro de nós. O trabalho de cura bem-sucedido depende apenas da falta de
resposta. A cura deve ser feita no ponto de contato, no momento do contato; e quando é
assim, você não terá que dar um tratamento depois.
Erro de qualquer forma não é uma coisa, nenhuma pessoa, nenhuma circunstância,
nenhuma condição. Mas ela se apresenta a você como pessoa, lugar, coisa,
circunstância ou condição, e é aí que você tem que estar espiritualmente alerta. Quando
se apresenta, você deve imediatamente cuidar disso. Instantaneamente dissolva-o, não
reagindo a ele com qualquer medo, ódio ou amor. É muito simples - apenas três
palavras: medo, ódio, amor. Não reaja com medo, ódio ou amor; e o problema será
atendido. Quando não conseguimos atender aos problemas - e não afirmo que estamos
satisfazendo-os 100% -, é porque reagimos ao problema com medo, ódio ou amor.
Portanto, nunca se engane. Quando você falhar, saiba porque você falha. E não tenha
medo disso, porque é uma oportunidade de se levantar e começar tudo de novo, com
uma compreensão maior. Quando você não atende um caso instantaneamente, é
porque, consciente ou inconscientemente, você respondeu com ódio, medo ou amor ao
erro. Por favor acredite em mim: é a reação que conta. É sua reação a um pedido de
ajuda que determina se haverá uma cura e se será uma cura rápida ou uma cura lenta.
Na verdade, não há cura lenta. Todas as curas são instantâneas; mas se você a encontra

77
no momento do primeiro tratamento ou do último, depende de como você mantém um
estado de Consciência que não reage.
Esses dois pontos contêm o Princípio da Cura de Cristo. Se, primeiro, pudéssemos
sempre manter essa Unidade Consciente com Deus - aquela idéia de nossa Completa
Unidade, auto-manutenção, auto-sustento - vivendo continuamente nessa Consciência,
e, em segundo lugar, pudéssemos não reagir às reivindicações que vêm de fora, não
haveria mais nada para nós fazermos.
A questão é frequentemente levantada: “você tem que ser solicitado antes de trabalhar
para alguém?” Em outras palavras, “é necessário que uma pessoa peça ajuda antes de
lhe dar ajuda?” De um modo geral, sim. Ou um indivíduo, ele mesmo, deve pedir ajuda,
ou alguém deve pedir por ele. Em outras palavras, quem precisa ou deseja ajuda deve
ser levado à Consciência do praticante. Algum parente ou amigo pode ser o único a pedir
a ajuda, mas ao fazê-lo, ele está levando o paciente à Consciência do praticante ou
trazendo o problema para a Consciência do praticante. De uma forma ou de outra, deve
haver um pedido de ajuda.
Muitas vezes, quando lhe pediam ajuda, o Mestre dizia algo como: “Você acredita que eu
posso fazer isso? Você tem fé?” Até mesmo a pergunta não era suficiente. Tinha que
haver um pouco mais do que o pedido; tinha que haver algum grau de fé. Mas,
curiosamente, as curas ocorrem sem ela. Todos nós já tivemos parceiros de negócios ou
parentes ou amigos que estavam doentes, mas que não se voltaram para a Verdade, e
nós, nós mesmos, trabalhamos para eles, porque suas vidas tocaram as nossas em
algum momento. E eles tiveram curas através desse trabalho. Isso acontece com
freqüência.
A situação ideal é quando alguém realmente quer a Cura Espiritual e pede por ela. O fato
de eu não ter sido solicitado, no entanto, não me impediria de saber a Verdade. Sempre
que tomo conhecimento de qualquer forma de erro, se me toca chegando no rádio, lendo
sobre isso nos jornais ou ouvindo amigos, parentes ou pacientes discutindo sobre isso -
não importa quem, o quê, por quê - no momento em que a sugestão de erro toca minha
Consciência, estou alerta para atendê-la naquele momento. Eu não espero. Eu não
espero ser convidado. Eu atendo. A pessoa envolvida pode não se beneficiar do meu
trabalho: a medida de sua receptividade ou capacidade de resposta à Verdade é sua
própria demonstração. Quando ela especificamente pede ajuda, no entanto, é mais
provável que ela receba. Mas nunca espere ser solicitado a ajudar. Nunca, nunca. No
momento em que você se torna consciente do erro - o momento em que qualquer
sugestão de erro chega à sua Consciência - faça algo a respeito, e faça isso naquele
mesmo instante. E, lembre-se, o fazer é a sua falta de resposta ou reação na forma de
ódio, medo ou amor ao erro. Não reaja com ódio, medo ou amor.

78
Lidando com a Sugestão de uma Causa para o Erro
Não tenha medo do medo. Não tenha medo da ignorância. Não tenha medo do pecado.
Eles não são poder. O pecado não é um poder para o mal, mas o pecado também não é
um poder para o bem. Você não pode obter prazer do pecado mais do que você pode
obter punição, uma vez que você tenha percebido que não é poder. Não seja unilateral,
dizendo: “o pecado não pode fazer nada para mim; não pode causar nenhuma condição
má”, sem, ao mesmo tempo, perceber que o pecado também não pode dar prazer algum.
O pecado não pode enriquecê-lo e não pode empobrecê-lo. O pecado não pode punir,
mas também não pode causar prazer. O pecado é uma crença falsa, uma ilusão, uma
falsa sensação de realidade, não tem poder para lhe dar prazer ou dor.
Às vezes, ao ajudar as pessoas, pode chegar a você o pensamento de que há algo
operando do “outro lado”. Tenho certeza de que a maioria dos praticantes, em algum
momento, teve casos em que receberam diretamente a impressão de forças do mal
trabalhando do outro lado - isto é, daquilo que chamamos de “aqueles que já passaram”
(mortos). Uma coisa que você pode fazer é lidar com essa sugestão do ponto de vista de
não odiar, temer ou amar o erro, não dar poder, não reagindo a isso, mas concordando
que não é um poder e não tem poder. Não existe tal coisa como o mau ou o bom poder
sendo transmitido de uma pessoa para outra, estejam eles neste plano de consciência ou
em qualquer plano de consciência. Uma vez que cada um é conscientemente Um com o
Pai, cada um é automantido e auto-sustentado. Portanto, não há pensamento parasitário;
não há pensamento de atração; não há pensamento de propensão que possa funcionar
como lei. Através disso, você deixa de lado essa fase particular do karma.
Se algo lhe é revelado em seu trabalho como uma possível causa de desarmonia, não
hesite em tratá-lo como causa nenhuma. Talvez esteja sendo revelado a você qual é a
causa aparente. E se for, trabalhe, mas lidando com isso da mesma forma que a crença
no karma. Atenda-a instantaneamente com o reconhecimento: “bem, isso também não é
causa, tampouco pode ter qualquer poder”. Não lide com isso como se agora você
descobrisse alguma nova forma de erro - não há novas formas, mesmo que a alegação
seja “legião”. Toda reivindicação deve ser tratada da mesma maneira. O praticante
percebe que “Eu e meu Pai Somos Um”. Esse é o relacionamento que existe, o único
relacionamento que anula o karma ou a crença em qualquer causa separada de Deus.
Uma Ideia Divina Contém Dentro de Si Mesma o Poder da Realização
Pode surgir uma questão quanto ao tratamento correto para o sucesso em algum
empreendimento específico, como, por exemplo, uma produção teatral. Claro, você deve
perceber que não há nenhum tratamento que alguém possa dar que faça de um
espetáculo próspero, se não há razão para ele existir ou ser bem sucedido. O tratamento

79
para qualquer peça ou para qualquer livro deve seguir essa mesma linha: contém uma
Ideia Divina? É uma expressão ou é o símbolo de uma expressão de Amor, Verdade ou
Beleza? Ela contém em si mesma alguma aparência de uma Ideia Divina? Se assim for,
a Inteligência Divina que a trouxe à frente salvou um remanescente, e esse
remanescente é sempre um representante grande o suficiente para torná-lo produtivo,
bem-sucedido e frutífero (“remanescente” é uma referência àqueles que foram poupados
e salvos por Elias, por Deus, que “não dobraram seus joelhos a Baal” – nota do trad. G.
S.). Você pode aplicar essa Verdade a uma imagem em movimento; você pode aplicá-lo
a um jogo; você pode aplicá-lo a um livro; você pode aplicá-lo a um ensino. Se um
ensinamento tem em si a semente da Verdade, do Amor, do Serviço, de qualquer Bem,
então esse ensinamento deve ser frutífero, porque a Mente que o formou, a Mente que
deu expressão a ele, também salvou um remanescente daqueles que são essenciais
para seu reconhecimento, apoio e frutificação.
Esse mesmo tipo de tratamento se aplicaria também ao trabalho de um praticante ou de
um professor. Se um praticante ou um professor está imbuído do Cristo, se dentro de sua
atividade ou Ministério há uma Ideia Espiritual, um Poder Espiritual, se dentro da
Consciência desse praticante ou professor há a manifestação da Ideia Divina, então, a
mesma Mente que apresenta a Ideia Divina como praticante ou professor também se
cumpre como fruto - o remanescente daqueles que estão ali para reconhecer essa
atividade, para apoiá-la e responder a ela. Você se lembra da história do remanescente
que foi salvo por Elias. O remanescente não foi realmente salvo por Elias; o
remanescente foi salvo por Deus e pela mensagem de Deus. Não fazia diferença se Elias
ou Eliseu o proclamassem, ou se hoje um praticante ou professor está revelando isso. Se
é uma mensagem da Verdade, então a mesma Mente ou Inteligência que produziu a
ideia também fornece aqueles que não se ajoelham a Baal. Ela também fornece aqueles
que são receptivos e responsivos à mensagem. Isso é importante. Se você vai produzir
um filme ou uma peça, ou se você vai escrever um livro, ou se você vai dar ao mundo
uma nova apresentação da Verdade, pergunte a si mesmo: Existe alguma Ideia Divina
nela? Representa alguma Ideia Espiritual de Vida, Verdade, Beleza, Harmonia, Serviço?
Essas perguntas se aplicam, seja com você atuando em um hotel, um resort de verão ou
uma pensão, ou você estabelecendo uma escola. A forma particular da atividade não é
importante. A questão importante é: a atividade é a incorporação e apresentação de uma
Ideia Divina? Se for, tem em si a semente do sucesso, pois a Mente que formou a ideia,
que a trouxe à Consciência, a faz frutificar.
Sempre a Mente salvou um remanescente daqueles receptivos e responsivos a toda
Ideia Divina. Você pode aplicar isso a todo e qualquer tipo de atividade. Se representar
uma ideia de serviço, se for simbólico de alguma Ideia Espiritual, ela se concretizará. Por
outro lado, você não pode aceitar uma ideia antiga e desgastada e esperar que ela

80
prospere. Tampouco você pode produzir uma peça ou um filme e esperar um tratamento
espiritual para ajudá-la, se ela não tiver dentro de si o Poder de Realização.
O Tratamento Individual
No momento em que um apelo é trazido à Consciência do praticante, o praticante o
conhece, e isso se torna individual para a pessoa que o trouxe para o praticante. Se você
vem até mim e diz: "estou com dor de cabeça", conheço isso instantaneamente em meu
pensamento e não reajo a isso como se fosse algo de natureza maligna, e você recebe a
resposta, tornando-a individual. É individual, quer você receba ou não a resposta, pelo
fato de ter chegado a um praticante e levado a solicitação a ele. Seja como for que a
Verdade esteja ativa na Consciência do praticante, torna o tratamento individual para a
pessoa que trouxe a solicitação a ele. Da mesma forma, se você disser: “meu filho está
doente”, o tratamento se torna pessoal ou individual para a criança, porque você trouxe a
criança e a reivindicação da criança para a Consciência do praticante. O praticante não
precisa saber o nome do paciente ou o nome da solicitação ou o nome da doença.
Não importa o nome que o paciente ou você possa dar à doença, você não tem garantia
de que é o nome correto. Mesmo um médico muitas vezes não sabe o que é a doença,
porque às vezes um diagnóstico está totalmente errado. Os registros dos hospitais
mostram que apenas quarenta e cinco por cento das mortes verificadas por uma autópsia
são o resultado da doença para a qual o paciente estava sendo tratado. Esses são
registros oficiais - registros médicos. Portanto, quando um paciente lhe diz qual é a sua
queixa, se ele fez um exame médico completo, ele pode estar correto, mas ele pode não
estar. O que vai acontecer, então, no caso dos outros cinquenta e cinco por cento dos
nomes incorretos da doença dados pelos pacientes? Se não houve um exame físico
completo, eles poderiam estar apenas dez ou vinte por cento corretos. Nesse caso, você
estaria oitenta por cento errado em seus tratamentos, se seu tratamento dependesse de
saber o nome da doença, porque você estaria tratando a coisa errada.
Sejamos claros sobre isso. Muito poucas das alegações que são trazidas para um
praticante são diagnosticadas. Portanto, há pouca chance de um paciente dar a ele o
nome correto da doença. Na melhor das hipóteses, o paciente diz: "meu estômago dói".
Se você conhecesse todos os diferentes tipos de doenças que podem acontecer a um
estômago, saberia como é ridículo direcionar um tratamento para o estômago ou
qualquer coisa ao redor do estômago. E com que frequência os pacientes são tratados
por doenças cardíacas, quando sofrem de dores de gases ou indigestão.
Não é apenas desnecessário saber o nome da doença, mas você não precisa do nome
do paciente. O nome que um paciente lhe dá pode não ser o nome dele. Pode ser um
nome artístico, um pseudônimo, um apelido ou um nome assumido de outra forma. Uma

81
mulher casada quase sempre usa o nome do marido. Exigir o nome é ridículo. Pare com
esse absurdo. Em primeiro lugar, não há doença. Em segundo lugar, não há uma pessoa
que tenha uma doença. Então, qual é o significado do nome? Existe uma afirmação de
um eu separado de Deus. Existe uma reivindicação de uma identidade separada de
Deus. Existe uma afirmação de uma condição à parte de Deus. Mas seu nome é legião.
Tem forma infinita e uma infinita variedade de nomes. Então pare de lidar com nomes e
enfrente a doença como sugestão. É com isso que você está lidando - sugestão.
Conheça-a instantaneamente, quando ela chega ao pensamento. Se você conhecê-la
naquele momento, seu conhecimento se traduzirá em Harmonia na consciência do
paciente.
Nunca tente fazer um tratamento pessoal. Nunca o direcione para qualquer um. Satisfaça
a solicitação em sua própria Consciência, quando ela é apresentada a você, mas não a
identifique com uma pessoa. A pessoa obterá o benefício do tratamento, mesmo que
você não entenda como isso é realizado. O próprio fato de você tê-lo levado para dentro
de sua Consciência o liga a ele. Mas, quer você entenda isso no momento ou não, por
favor acredite nisto: Toda solicitação, toda sugestão, deve ser conhecida em sua
Consciência no momento do contato. Não adie a cura nem por cinco minutos.

10 - EXISTÊNCIA ESPIRITUAL
A meditação é valiosa, mesmo se a meditação durar apenas um ou dois minutos -
mesmo que sejam apenas alguns minutos tomados para esse fim durante a hora do
meio-dia. É importante, além disso, nunca se recolher, nunca ir para a cama, assim como
um ser humano; porque então você não teria nada mais do que uma noite de sono
humano, que poderia ou não ser repousante. Adquira o hábito de nunca fazer nada sem
primeiro abrir a Consciência para o influxo do Espírito, de nunca se engajar em nenhuma
atividade humana sem primeiro abrir a Consciência para esse influxo. Nunca comece
qualquer atividade humana - seja no começo do dia, seja preparando uma refeição, se
está indo para o mundo dos negócios, se está realizando tarefas domésticas, ou se está
se recolhendo para um cochilo ou para uma noite de sono - sem especificamente abrir a
Consciência para o influxo do Espírito.
Por um tempo você pode não obter nenhum resultado; isto é, você pode não estar
consciente de nenhum resultado. Mas você nunca abrirá sua Consciência para Deus sem
obter um resultado, mesmo que no momento você não esteja ciente do resultado. Em
outras palavras, você pode meditar, abrir sua Consciência e não sentir resposta. Não
deixe que isso te perturbe. Isso não tem nada a ver. Eu continuei assim durante oito
meses, meditando cinco e seis vezes por dia, sem nunca ter qualquer resposta, durante

82
todo esse tempo. Claro, eu o fiz sozinho, por conta própria. Eu não recebi meus
ensinamentos internos até que a meditação tivesse sido realizada com sucesso. Eu só
encontrei o meu professor interior quando descobri a capacidade de “ficar quieto e saber
que Eu sou Deus” (Salmos 46:10). Para você, será muito mais simples.
Conforme você continua meditando - especialmente quando você tem a oportunidade de
fazer isso com outras pessoas que têm a habilidade de meditar, isso se tornará cada vez
mais simples, e você sentirá a resposta muito mais rapidamente. Mas não desanime se
parecer que não há resposta, se você parecer não ser mais espiritual depois da
meditação do que antes, ou se não obtiver qualquer resposta. Lembre-se de que, antes
de você, houve centenas de gerações de pessoas que viveram no mundo exterior,
completamente no reino do efeito. Essa é a herança de um ser humano, e é isso que
você deve superar. Com o tempo, se perseverar, você se encontrará automaticamente no
Centro de seu próprio Ser; e desse ponto em diante, você se sentirá como uma via
através da qual todo o Espírito se derrama continuamente. Você quase pode sentir como
isso flui do Centro do seu Ser.
Lembre-se de não se preocupar demais com os seres humanos. Você não está no plano
humano da existência. Isso não significa que você deva se tornar frio e sem coração. Isso
não significa que, se alguém precisar de comida, você deve dar-lhe um tratamento e reter
a comida. Se alguém precisa de roupas, não as retenha porque você é tão metafísico. Eu
não quero dizer isso. Quero dizer que mesmo sofrendo agora, não aceite a aparência
como a realidade, mas sempre permaneça firme no plano interno, percebendo a
Presença de Deus.
Continuidade da Identidade Individual
Agora chegamos a outra questão: “você acredita que estaria vivendo como um indivíduo,
se nunca tivesse experimentado o nascimento humano?” Independentemente do que
possa pensar agora, pondere essa ideia nas próximas semanas. O que teria acontecido
com você, se você não tivesse nascido humanamente? Onde você estaria? O que você
estaria fazendo? Podemos lhe dar uma visão geral do que você pode experimentar
depois que o mundo disser que você está morto. Na realidade, você nunca estará morto,
mas pode chegar um momento em que o mundo acreditará que você está morto; e seria
sensato para você ter alguma ideia do que você fará, onde, quando e como.
“Antes que Abraão fosse, Eu sou” (João 8:58). Isso significa que Jesus sempre existiu
como uma Entidade e Identidade Real, Individual, antes da existência humana de
Abraão. Significa que, antes de Abraão, você existia como indivíduo, como Entidade
Espiritual, como Identidade Espiritual. Deus, ao se manifestar individualmente, não
poderia começar a se expressar em um determinado momento em determinado lugar. A

83
manifestação de Deus de seu próprio Ser sempre existiu. A manifestação de Deus de
seu próprio Ser existe desde o início dos tempos, desde que o próprio Deus começou -
não que Deus já tenha começado, porque Deus é sem tempo e sem espaço, Deus é
Infinito; Deus é Eterno. Mas Deus é eternamente expresso; Deus é eternamente
manifestado, e tem sido, desde que Deus é Deus. Essa manifestação, essa expressão, é
você e sou eu. Nada pode ser acrescentado a Deus, e nada pode ser tirado de Deus.
Deus tem sido e é totalmente manifestado desde o Princípio. Portanto, se você é o Ser
de Deus, em qualquer forma, a Identidade de Deus, ou a Individualidade de Deus, antes
de Abraão, você tem uma Identidade Consciente. Eu tenho uma Identidade Individual
Consciente desde que Deus a tem. E isso é para sempre. Por esse mesmo sinal: “Eu
estou convosco todos os dias, até o final dos tempos” (Mateus 28:20). Em outras
palavras, enquanto Deus for Deus, Deus individualizará a si mesmo, ou se expressará
individualmente, como Ser Individual - Ser Espiritual. Você vê como é inútil olhar para um
ser humano e começar a pensar sobre sua idade ou sua condição? Essa imagem diante
dos olhos é a ilusão do sentido humano.
O fato de termos sido reunidos de todas as partes do mundo, representando quase todas
as religiões, com diferentes graus de educação e de diversas origens, é indicação
suficiente de que em algum lugar do caminho nos tocamos na Consciência. Nós
existimos antes desta experiência. Como poderíamos ser de uma só Mente, de um só
Espírito e Consciência, se em algum lugar, de alguma forma, não nos tocássemos na
Consciência? Uma vez que você perceba a verdade de sua Individualidade Imortal, de
que você existiu, preexistiu, co-existiu, desde que Deus começou, e que você irá
individualizar a Vida que é Deus para a eternidade, você começará a compreender o
Universo Espiritual e a Existência Espiritual.
Então, virá a compreensão de porque estamos nesse Caminho Espiritual, por que fomos
atraídos juntos. Não pode ser para o propósito de desenvolver um coração que bate um
pouco mais normalmente, de acordo com os padrões do mundo, ou que dez ou cem
dólares por semana devem ser adicionados à nossa renda, ou que devemos encontrar
uma casa mais confortável para viver. Certamente não foi para esse fim que chegamos a
este estudo, embora o efeito deste estudo seja uma melhor saúde, mais felicidade, um
maior senso de paz interior, provavelmente um melhor lar para se viver, e talvez um
sentido maior de suprimento. Estes serão alguns dos efeitos do nosso estudo. Mas o
verdadeiro propósito é nos despertar para a nossa Verdadeira Identidade; para nos
despertar, para que, quando despertarmos, o vejamos como Ele é e fiquemos satisfeitos
com a Sua semelhança. O “Ele”, a quem devemos ser despertados e que devemos
reconhecer, é nossa própria Identidade Espiritual como Cristo - nossa Identidade como o
Filho de Deus, como a Imagem Espiritual e Semelhança de Deus.

84
É nosso Ser Individual - nossa Identidade Espiritual – que deve ser despertada. Essa
Identidade existe e coexiste com Deus desde o Princípio. Essa Identidade Individual
continuará a ser individual, você e eu, até o fim do mundo, isto é, até que todos os
conceitos mortais desapareçam e percebamos o Universo Espiritual. Essa foi a visão de
João. Essa foi a visão de Paulo, que escreveu sobre a “casa não feita por mãos, eterna
nos céus” (2 Coríntios 5:1). Essa Identidade Espiritual é o Eu que existiu durante todo o
tempo e que continuará a existir por todo o tempo que virá.
De acordo com os valores humanos, todos nós valorizamos a maternidade, a paternidade
e os relacionamentos entre pais e filhos, mas sabemos, por experiência própria, que nem
sempre são tão belos quanto às vezes são retratados. Por muitos anos, eu mesmo não
consegui descobrir nenhuma razão para ter nascido. Outros podem não ter tido essa
experiência, mas em um período da minha existência, eu tive que encontrar alguma
razão para viver. Além disso, quando olhei, fiquei imaginando por que outros homens e
mulheres viviam trabalhando oito horas por dia, nove, dez horas por dia, com a única
recompensa de um lugar para dormir e, por fim, um buraco para entrar (um túmulo). Não
parecia muito justificável ou significativo. Agora eu vejo o que a Vida pode ser, quando é
levantada acima do sentido mortal, humano, finito, físico - quando a Consciência se
expande, e captamos a visão uns dos outros como sendo espirituais. Encontramos uma
alegria no companheirismo humano até então desconhecida. Isso vem quando estamos
vendo através da Luz Espiritual, não através do vidro escuro da humanidade. Por causa
desta visão, estou mais do que nunca convencido de que a amizade espiritual, o
companheirismo espiritual, seria parte de nossa existência, mesmo sem o processo do
nascimento humano. Na verdade, sei pelo companheirismo interior que experimentei, que
todos os que existiram como indivíduos - como Deus se manifestando como Ser
Individual - todos esses ainda existem. Eles não apenas existem, mas também
comungam conosco. Não estamos cientes disso até abrirmos o Centro Espiritual de
nosso Ser e encontrá-los ali; não temos consciência de sua existência, porque eles não
existem como mortais; eles não existem como seres humanos; eles nem sequer existem
como espíritos mortos, ou os espíritos dos mortos. Eles existem, como eu existo, como
seres individuais, mas como seres individuais que sempre estiveram vivos e nunca
morreram. Nesse plano superior de Consciência, você nunca encontrará aqueles que
viveram e morreram; eles sempre foram imortais. Você os encontra em sua Imortalidade,
e não no sentido de humanidade.
O trabalho curativo, que é a prova do nosso trabalho e da correção da mensagem, torna-
se mais fácil, menos laborioso e muito mais frutífero, pois percebemos a natureza
espiritual do Eu que você é e o Eu que sou, conforme nós aprendemos a abandonar essa
sensação física de existência. Agora tudo isso pode parecer abstrato, ou absoluto, mas
por favor, acredite em mim, não é. É possível aqui mesmo, no nível em que você está

85
agora e onde estou agora; e é trazido à manifestação e expressão no grau em que você
e eu percebemos que nossa função neste trabalho não é meramente tornar um corpo
físico mais confortável fisicamente, ou tornar um bolso material rico mais rico. À medida
que você se eleva acima desse estágio do trabalho, você não centrará mais seu
pensamento no plano material de satisfação - no plano físico, mental ou mesmo
financeiro. Então você começará a pensar no significado espiritual do Ser Individual e no
Suprimento Espiritual, e você encontrará um mundo inteiramente novo. Esse novo mundo
vai aparecer aqui como um humano melhorado. Ele aparecerá como um corpo
melhorado ou como um bolso aprimorado; mas não será uma coisa melhorada e você
saberá. Você considerará esses efeitos externos sem importância, porque você saberá
que eles são apenas a tradução da Lei Divina em termos humanos.
Ao abrir sua Consciência para o influxo, você descobrirá que o Espírito realmente irá
adiante de você e fará por você aquilo que você esperava fazer humanamente. Em última
análise, você descobrirá que raramente tem muito a fazer humanamente - que sempre o
Espírito vai adiante de você para endireitar os caminhos tortos, para abrir e fazer aquelas
coisas que, até agora, você pensou que tinha que fazer. O Espírito é uma Realidade. O
Espírito é Poder. Até agora, apenas dissemos isso; mas agora nós realmente temos que
aceitá-lo e observá-lo no trabalho. O Espírito é Deus. O Espírito é Verdade; O Espírito é
Onipresente, Onisciente e Onipotente. Uma vez que temos o sentimento consciente da
Presença, Ela vive nossas vidas por nós. Mas deve haver a Comunhão Consciente. Deve
haver a Unidade Consciente, ou Consciência. Deve haver um despertar consciente da
Presença, e tudo ocorre através da abertura da Consciência à Verdade, através da
meditação, de uma forma ou de outra.
Não Há Predestinação em Deus
Às vezes, a pergunta é feita: “você acredita que cada um de nós deve passar por certas
experiências durante nossas vidas, que certas imagens se apresentam a nós ou são
destinadas a nós, de acordo com um padrão preordenado, até mesmo para a experiência
de nossa vida, entrando em alguma forma de trabalho da Verdade, em um determinado
momento? ”
Não, não acredito que existam tais padrões ou imagens. Deus é Espírito, e Deus não tem
consciência das imagens humanas. É uma impossibilidade que Deus possa acreditar que
temos que ser atropelados por um automóvel, ou que devemos ficar doentes com uma
certa doença. É impossível acreditar que Deus ordena que devemos nos casar, sermos
infelizes; ou que devemos trabalhar duro, fielmente, honestamente, sinceramente,
acumular algum grau de competência financeira, e então ter um pânico ou uma
depressão ou algo além do nosso próprio controle que acabe com isso para nós. Não,
nessas coisas eu não acredito, e nem acredito que Deus ordene que algumas crianças

86
venham ao mundo saudáveis e abastadas, e que outras venham ao mundo atingidas
pela pobreza ou deformadas.
Deus é Individual, Consciência Espiritual. Se estivéssemos conscientes disso, então
nossa experiência seria Deus experimentando a Si Mesmo como nós, e nossa vida não
conteria nada além da Harmonia de Deus. A experiência do Filho Pródigo é a que eu
frequentemente me refiro. O filho provavelmente se cansou de receber todo o bem do
pai, e queria sair e fazer um nome para si mesmo. Esse estado de consciência é a nossa
humanidade. A humanidade é o "filho pródigo", vagando pela vida, alegando ser Mary,
Joe ou Joel. Estabelece uma entidade separada, e cria para si todas as experiências
pelas quais ela passa. No entanto, é realmente Deus manifestado, todo o tempo. A prova
disso é que todos, na história do mundo, que tocaram a Consciência de Deus foram
libertos desses padrões mortais - foram libertos do pecado, da doença, da falta, da
limitação, e a Vida para tal pessoa assume um padrão completamente diferente - um
padrão de liberdade, plenitude, abundância e felicidade.
Algumas pessoas, no entanto, que já tocaram a Consciência de Deus, tiveram outras
formas de sofrimento vindo sobre elas, talvez porque depois aceitaram um conceito
limitado de vida e partiram para reformar o mundo. Ao fazê-lo, eles provocaram
perseguição e crucificação. Se cada um de nós percebesse essa Consciência de Deus e,
ao mesmo tempo, libertasse a outra pessoa para perceber isso também, então os líderes
religiosos de nosso mundo não teriam que passar por tais lutas. Se eu tentasse atrair
multidões para essa mensagem pregando nas esquinas das ruas, eu poderia ter uma
recepção muito desagradável, porque estaria tentando levar o Espírito à mente humana,
que é antagônica a ela.
Por outro lado, se eu permanecer no Centro de meu Ser, se eu me sentar em meu
escritório ou em casa e descansar contente em minha Unidade Consciente com Deus,
um aqui, outro ali e dois ou três de outro lugar são atraídos para mim; e assim como um
remanescente daqueles que não haviam se curvado a Baal foi salvo por Elias, também
encontro o remanescente que meu estado de Consciência atraiu para mim. Então não há
antagonismos, nem argumentação - apenas um estado de receptividade.
Eu não acredito que os problemas humanos tenham algo a ver com Deus e, por essa
razão, eles não são preordenados. Eles são apenas preordenados do ponto de vista da
humanidade. Se adotarmos o roubo como meio de subsistência, é preordenado que
acabaremos na cadeia, se vivermos o suficiente. Mas esse é um padrão que atraímos,
não aquele que Deus determinou. Há um exemplo notável disso no homem, Starr Daily.
O clímax preestabelecido para o padrão que ele estabelecera era uma sentença de
prisão de vinte anos; contudo, um toque do Cristo anulou todo o padrão humano. Três
anos após o momento de sua realização em Cristo, ele foi libertado em liberdade

87
condicional, mesmo com um conselho de liberdade condicional afirmando que ela nunca
poderia ser condicional. Um padrão humano nunca é ordenado espiritualmente, nem é
ordenado para ser permanente, mesmo humanamente; é apenas uma questão de
quando e quão logo o Cristo vem.
O tema desta mensagem é: Identidade Espiritual, Atividade Espiritual, Poder Espiritual;
seu desenvolvimento dentro de nosso próprio Ser; e a necessidade de tocar em nós
mesmos aquele Centro Espiritual do qual fluem a Atividade Espiritual e o Poder
Espiritual. Uma vez que esse Centro Espiritual tenha sido tocado e o Poder do Espírito
tenha sido liberado, Ele realmente vive a Si Mesmo como nossa experiência. O que
Paulo diz se torna literalmente verdade: “vivo; não mais eu, mas Cristo vive em mim”, ou
o Mestre, “eu, de mim mesmo, nada posso fazer”… “Minha doutrina não é minha, senão
daquele que me enviou”. A essência desta mensagem é que o Pai está realmente
vivendo nossa vida, fazendo todas as coisas e sendo tudo.
Sinceridade e Integridade São Pré-requisitos para a Busca de Deus
Espiritualidade, no entanto, não aparece em um dia, em uma semana ou em um mês.
Sim, é verdade que Saulo de Tarso se tornou Paulo em um clarão ofuscante. Mas
lembre-se do número de anos que Saulo de Tarso passou estudando a Verdade sob a
orientação de um Mestre Espiritual (o então Saulo foi instruído no Judaísmo, orientado
por Gamaliel, o mais famoso e conceituado rabino de seu tempo – nota do trad. G. S.).
Que sua orientação espiritual tenha ou não sido correta, não é o fator significativo. O que
é significativo é que Saulo estava faminto de Deus, que Saulo estava tão interessado em
Deus que estava disposto a ser parte na perseguição e assassinato de outros, em nome
do que ele considerava a Verdade. Havia uma devoção interior à Verdade ou a Deus.
Então, conosco: o importante é o motivo e a intenção. Se persistirmos em seguir um
estudo religioso ou metafísico para algum bem material que estamos buscando, nunca
seremos um Paulo; nunca teremos a experiência da iluminação. Se, no entanto, estamos
com fome de Deus, se estamos interessados em aprender a Verdadeira Natureza da
Causa, ao invés de demonstrar efeito, então realmente não faz diferença se nós
perseguimos esse caminho como um católico romano, como um hebreu, como um
protestante, ou como seguidor de alguns dos numerosos movimentos metafísicos:
alcançaremos a meta - a Realização. Nossa busca nos levará de um estágio de
Consciência a outro; pode até nos levar de uma igreja para outra, ou de um ensinamento
a outro, mas, no final, nos levará para fora do sentido humano da religião. Basta pensar
em quão maravilhoso é o fato de um homem que estava tão interessado no judaísmo,
como Saulo, seria aquele a destruir a crença de que era necessário ser judeu antes que
alguém pudesse se tornar cristão. A Luz em sua Consciência era tão plena que o
Judaísmo desvaneceu-se em sua visão do Cristianismo.

88
Se pudéssemos aprender toda a Verdade contida em todas as escrituras do mundo, isso
ainda não nos levaria à Experiência Espiritual. Mas enquanto estivermos no caminho da
busca do Espírito e do Modo de Vida Espiritual, quanto mais nos associarmos com os
que estão no caminho, melhor será. Quanto mais pudermos estar juntos na Comunhão
do Espírito - seja sob a forma de assistir a palestras, aulas ou reuniões de grupo - mais
útil será. Tal Comunhão leva ao Desdobramento da Consciência, a menos que alguém
tente cristalizar essas associações em uma organização, de modo que o Espírito se
perca na forma exterior. É lamentável que ainda seja necessário ter tão pouca
organização quanto o Caminho Infinito para manter a mensagem impressa, publicada e
gravada. Isso requer alguma organização, mas tenho certeza de que nunca se tornará
uma organização como igreja, com membros da igreja, e por esta razão: eu anseio com
toda a intensidade do meu Ser por ver cada indivíduo livre em Cristo. Eu anseio ver cada
indivíduo tão Uno com Deus que sejamos apenas companheiros uns dos outros no
caminho – ajudantes, quando um de nós escorrega um pouco ou precisa de
encorajamento.
Portanto, nunca entremos em tais passatempos humanos como julgamento, crítica ou
condenação um do outro, porque cada um de nós terá que bancar seu próprio
Desenvolvimento Espiritual, de maneira individual. A maneira que eu trabalho
exteriormente pode não agradar a todos vocês, mas essa é minha Demonstração
Individual, então deixe-me ter a liberdade de ver e fazer as coisas do meu próprio jeito
(ou seja, precisamos ver com aceitação e benevolência as limitações da condição
humana, até mesmo de Joel Goldsmith. É preciso dar tempo ao tempo... Tudo tem seu
tempo, como diz o Eclesiastes, mas, nesse caso, o sentido é o tempo de Deus. Críticas
que eu mesmo fiz a algumas passagens antigas não se aplicam a este volume...
Entendo, portanto, que o autor tinha que ter sua liberdade para amadurecer alguns
pontos de seu próprio trabalho, no seu próprio tempo; posteriormente, nós colhemos os
frutos. – nota do trad. G. S.). Cada um de vocês, por sua vez, fará coisas com as quais
alguns dos outros alunos podem não concordar. Que cada um tenha o privilégio de
resolvê-lo e até mesmo de falhar, se for necessário. O fracasso pode servir a um
propósito muito bom em revelar as coisas incorretas que podemos estar fazendo. Em vez
de criticar ou julgar ou condenar, vamos nos apoiar mutuamente nessa atividade.
Ninguém poderia estar neste trabalho por qualquer motivo, senão o Desenvolvimento
Espiritual. Fazer o contrário seria uma violação da Integridade Espiritual. Não podemos
vestir o Manto e depois violar sua ética, ensinamentos ou moralidade. Qualquer violação
desse tipo será um bumerangue. No mundo, os homens podem mentir, trapacear, roubar
ou defraudar, e suas más ações podem não voltar a eles por um longo período de tempo;
mas não é assim com alguém que está no Caminho Espiritual.

89
Uma pessoa que abriu sua Consciência para a Verdade Espiritual, paga uma pesada
penalidade por qualquer erro consciente ao qual se entregue - mesmo pelos erros que
comete. Um erro honesto lhe trará um grau de sofrimento, já que esse erro deve ser
apontado a ele, para que ele mude. Mas o erro consciente - ambição por lugar ou
posição, ganância por dinheiro, cobiçar a carne - aceito enquanto veste este Manto,
carrega consigo um preço alto. Vamos, como indivíduos, viver de acordo com o nosso
senso mais desenvolvido de Direito Espiritual. Não pense por um minuto que afirmo que
estou ou que qualquer pessoa que conheço está cumprindo a Plenitude do Cristo. Nossa
responsabilidade é fazer o esforço para viver de acordo com o nosso senso mais
desenvolvido de Bem Espiritual. Enquanto estivermos fazendo isso, estamos no caminho
certo. É somente quando descemos desse nível, e, através de alguns meios humanos ou
de algum desejo humano, nos encontramos em conflito com a ação do Espírito, que o
problema desce sobre nós.
O Espírito é uma ação libertadora, e nos liberta de conceitos materiais e formas materiais
de existência; mas essa atividade pode ser aterrorizante, quando ataca a qualidade
oposta da desonestidade espiritual. Eu acho que é por isso que eu uso tanto o termo
Integridade Espiritual. Podemos fazer muitas coisas humanamente que podem não
parecer certas para o mundo; mas quando estamos no Caminho Espiritual, é necessário
viver de acordo com o nosso mais alto desenvolvimento, nosso mais elevado senso de
Bem Espiritual. Então não precisamos temer o que o homem mortal pode fazer conosco;
não temos que temer o passado, o presente ou o futuro. Aqui, também, nossa história
como seres humanos pode nem sempre estar de acordo com nossa Herança Espiritual.
Portanto, vamos aprender a não julgar de acordo com as aparências. Não nos
preocupemos muito com a história humana do outro. Nós saímos de diversas origens de
pecado ou pureza, doença ou saúde, e ignorância ou sabedoria. Mas, embora o pecado
seja tão escarlate, ele ficará branco como a neve, quando tocarmos o Nível Espiritual da
Consciência.
Um dos grandes pecados de uma organização é que, muitas vezes, depois de aceitar um
indivíduo em Cristo, ela passa a descobrir seu passado e a julgá-lo. Em vez de trabalhar
através de um sentido de perdão e compreensão, ela ainda aplica o mesmo código de
conduta humana ou castigo humano ou ação humana como antes. Mesmo nesse
Caminho Espiritual, cometemos erros humanos. Isso foi feito repetidas vezes no
Ministério Protestante, no Ministério Católico, no Ministério Hebraico. E todos nós
sabemos, no Ministério Metafísico, quantas pessoas de bem foram sujeitas à tentação ao
longo do caminho e caíram.
Portanto, não adotemos a atitude do mundo - crítica, julgamento ou condenação. Em vez
disso, vamos ver se não podemos trabalhar juntos, e com nossa Iluminação, elevar uns

90
aos outros, de modo a tornar impossível a qualquer um cair no esquecimento novamente.
Em outras palavras, embora haja um senso de humanidade entre nós, não julguemos
humanamente. Não vamos agir como o mundo humano age. Não trabalhemos do ponto
de vista da expulsão ou do ostracismo. Vamos, antes, tomar a atitude de que somos
todos Um; e, portanto, nosso propósito é a elevação, não a punição ou a excomunhão.
Este é um ponto muito importante. Lembre-se disto, porque é somente esse Estado de
Consciência que saberá perdoar um inimigo, perdoar aqueles que nos usam
inoportunamente, que, em outras palavras, cumprirá a doutrina cristã de “amar uns aos
outros”, não somente seus amigos e seus vizinhos, mas amar aqueles que o perseguem
e o odeiam. Amar! Amar! Amar! Perdoar! Perdoar! Perdoar! E então, finalmente, alcançar
aquele estado de Consciência no qual você não mais levanta a espada mental da crítica,
julgamento ou condenação. Quando esse tempo chegar, sua Consciência terá se tornado
a Luz do mundo, porque nela não há amor, ódio ou medo do erro.

11 - A TOTALIDADE DE DEUS
O propósito primordial de nosso trabalho é trazer adiante nossa Verdadeira Identidade
como Espírito, como Deus Manifesto, como Vida, individualmente expressa em toda a
Harmonia e Perfeição da Vida. Nós, em nosso trabalho, não tentamos apenas
transformar pessoas doentes em pessoas saudáveis, ou pessoas pobres em pessoas
ricas. Melhorar a humanidade não é o nosso principal objetivo. O fruto do nosso trabalho
é melhorar a saúde e o suprimento, mas a melhoria das condições materiais não é o seu
objetivo. Estes são apenas os “sinais a seguir”. O objetivo primário é revelar Deus como
Ser Individual, revelar que não há Deus e o homem, mas que existe somente Deus, Deus
aparecendo como você e eu individuais, para revelar que “Eu e meu Pai Somos Um”.
Não são ambos um Deus mais você, mas desde que Deus é infinito, e Deus é tudo,
então Deus deve se expressar, se manifestar como você e como eu.
Nesta Unidade, não há lugar para pecado, doença, falta ou limitação. Não há espaço
para a guerra ou para a concorrência desleal. Não há espaço para os males do
capitalismo ou os males do comunismo. Só há espaço para a compreensão do
Verdadeiro Ser - a compreensão do que significa ser Deus manifestado individualmente,
em toda a Glória de Deus. Você se lembrará da oração do Mestre: “e agora glorifica-me
tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo
existisse” (João 17:5). Pense no que significaria se pudéssemos estar aqui e agora em
toda a Glória de Deus. Pense em como seria impossível faltar alguma coisa se
mostrássemos a Totalidade de Deus, se estivéssemos mostrando a Verdade dessa
afirmação: "filho ... tudo o que tenho é teu". Segundo as Escrituras, é verdade que tudo o
que o Pai tem é seu e meu. Uma vez que você e eu começamos a mostrar essa

91
Totalidade de Deus, quão impossível seria para qualquer forma de inveja, ciúma, malícia
ou rivalidade entrar em nossa experiência diária. E esse é o objetivo deste trabalho. O
Caminho Infinito não é meramente para o propósito de criar seres humanos melhores,
mas para revelar a Totalidade de Deus como você e eu individuais.
Em todas as religiões há promessas de Onipresença. Temos que dar um passo adiante;
temos que demonstrar Onipresença. Para nós, a Presença de Deus deve se tornar uma
Realidade Viva; Deus deve tornar-se tão real para você e para mim quanto somos reais
um para o outro. Em última análise, deve ser tão possível sintonizar-se com Deus quanto
sintonizar-se com seu praticante ao telefone. Deus, através deste estudo, através da
meditação, e através da inspiração, deve tornar-se, não uma palavra sobre a qual
falamos, nem um ser a quem oramos, mas um Companheiro Real em nosso caminho,
através da vida.
O objetivo deste trabalho é tornar Deus real - tornar Deus tão real para você e para mim
como foi para Abraão, Jacó, Moisés, Eliseu, Elias, Jesus, João, Paulo ou Pedro. Deus se
torna uma Realidade Viva Absoluta - uma Presença, um Poder, um Companheiro, um
Curador, um Provedor. Nós não encontraremos Deus nos livros e não encontraremos
Deus nas igrejas. Livros e igrejas são apenas as vias que nos permitem abrir nossa
Consciência para o influxo. Deus finalmente será revelado onde Jesus disse que seria
revelado - dentro: “O Reino de Deus está dentro de vós” (Lucas 17:21)… “Eu, de mim
mesmo nada posso fazer” (João 5:30)… o Pai que habita em mim, Ele faz as obras”
(João 14:10). Onde está o Pai? Dentro de mim. Claro, isso não significa dentro deste
corpo. Deus não está em nosso corpo físico, mas Deus está dentro de nós, no sentido de
que Deus é nosso próprio Ser. Deus não está separado ou à parte de você ou de mim.
Neste caso, a palavra “dentro” não significa realmente dentro de alguma parte do corpo,
como o cérebro ou o coração: significa que Deus não é algo exterior ou separado ou à
parte de nosso próprio Ser. Deus não está separado ou à parte da nossa Consciência. E
em breve veremos muito claramente que Deus é nossa Consciência.
O Homem Não É um Reflexo
A maioria dos ensinamentos metafísicos nos chamaria de "homem". Seus sinônimos para
a palavra "homem" incluem ideia, imagem, semelhança, reflexão, expressão. Quase
todos eles ensinam que você é uma ideia de Deus, mas o ensinamento do Caminho
Infinito não concorda com esse conceito. Ele se apóia na plenitude do desenvolvimento
do Mestre, na plenitude de sua compreensão de que, em sua humanidade, ele, de si
mesmo, nada poderia fazer:
“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (João 14:6)
“Eu, de mim mesmo, nada posso fazer” (João 5:30)

92
“O Pai que habita em mim, Ele faz as obras” (João 14:10)
“Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe?” (João 14:9)
“Eu e o meu Pai Somos Um” (João 10:30)
Você já viu o Um? Segure um dos seus dedos - apenas um dedo, e não dois. Pense
naquele dedo como o símbolo da unidade expressa pelo “Eu e meu Pai”.
Lembre-se sempre: Eu e o Pai Somos Um. A menos que você possa concordar com esse
ensinamento de Unidade, entendê-lo e sentir a retidão dele, você nunca será capaz de
dar o próximo passo e perceber: tudo o que Deus é, Eu sou; tudo o que o Pai tem é meu.
Agora, segure dois dos seus dedos e observe que não importa o quão próximos vocês
possam trazê-los, você não tem um, ou Unidade. Você ainda tem dois pontos. Enquanto
você tiver dois, estará se esforçando para reuni-los, ou esperando que um deles ore ao
outro, ou que um deles seja digno do outro. Mas se você pode concordar que Eu e o Pai
Somos Um, tanto quanto um dedo é um, então você vai descobrir que tudo o que o Pai é,
Eu sou, e tudo o que o Pai tem é meu; você entenderá que quando você ora, acreditando
que você já tem, você já tem. Dois dedos representam Deus e você. Um dedo é o nosso
símbolo - Deus se manifesta como você. É o Verbo feito carne - não o Verbo e carne,
mas o Verbo feito carne.
A base do nosso trabalho é a Onipresença. Não é uma coisa presente junto com outra
coisa. É Onipresença - "Eu e meu Pai Somos Um". Nesta Unidade está sua completude.
Nesta Unidade, Deus se manifesta como você e eu individuais, em toda a Sua Glória.
“Glorifica-me tu com a Tua Glória”. O primeiro conceito importante que deve ser mudado
ao vir de qualquer ensinamento metafísico para o Caminho Infinito é que você não é uma
ideia; você não é um reflexo. Olhe para um reflexo de si mesmo na parede e pergunte a
si mesmo se você gostaria de ser esse reflexo.
Nós não somos reflexos; nós não somos ideias; você e eu somos a Vida Eterna. Se
fôssemos diferentes da Vida Eterna, haveria uma lei, um Deus, uma coisa, agindo sobre
nós, ao passo que: Eu sou o Caminho, Eu sou a Lei. Foi-me dado Domínio sobre as
coisas do mar, sobre as coisas da terra, sobre as coisas do ar e sobre as coisas do céu.
Nessa Unidade está o Domínio - o Domínio de Deus manifestado como você e eu
individuais. Você deve estudar isto com muito cuidado, voltando-se para o Pai Interior, e
orando por Luz e Orientação sobre este ponto, porque nesta revelação repousa toda a
demonstração de harmonia.
No momento em que você acredita que existe algum outro poder - algum poder fora de si
mesmo, separado de si mesmo - que pode agir sobre você, mesmo se você acredita que
é um bom poder, está se expondo à possibilidade de seu oposto, um mau poder. Não há
poder agindo sobre você. Vida, Deus ou Alma é o Único Poder. Deus, Alma, Espírito e

93
Verdade são a Realidade do seu Ser. Se existe apenas uma Vida, e essa Vida é a sua
vida, então Deus é a Sua Vida. Se existe apenas uma Mente, então Deus é a Sua Mente.
Deus é sua Alma. Deus é o seu Espírito. É-nos dito que até “o seu corpo é o templo do
Espírito Santo” (1 Coríntios 6:19). O que mais há para você além de Vida, Mente, Alma,
Espírito e Corpo? E tudo isso é Deus - Deus infinitamente manifestado em toda a Sua
Glória como você e como eu.
A história do mundo, e certamente a história do mundo religioso, contradiz qualquer
desses ensinamentos. Mas a história tem muito pouca prova de harmonia para nos
oferecer. Temos apenas que olhar para a história do mundo para encontrar um registro
contínuo da crença de que somos algo separado e à parte de Deus. Por todos os lados
há guerras e outras condições caóticas. Se houver alguma esperança para nós como
indivíduos, ela terá que ser encontrada na mensagem e na missão do Mestre; e essa
mensagem e essa missão não devem ser mal interpretadas. A própria Palavra deve ser
suficiente. Devemos aceitar como nosso Princípio as palavras do Mestre, não como um
ensinamento aplicado a um indivíduo de dois mil anos atrás, mas como um Princípio de
Vida que podemos seguir. Nesse ponto de Unidade, de Unidade Consciente com Deus,
repousa a base de tudo o que está por vir.
A Mente Humana É uma Via de Consciência
Um segundo ponto importante na mensagem do Caminho Infinito também está em
desacordo com a maior parte do ensino do mundo metafísico: a mente humana não é
poder. O pensamento humano não é poder. Até mesmo o bom pensamento humano não
é poder. Aqueles que tentaram se curar com bom pensamento humano testificarão o fato
de que não é um agente de cura muito grande. Se somos dependentes do pensamento
humano de um praticante, estamos em uma situação muito precária. Você sabe que
muitos praticantes, em algum momento, provam ser muito humanos. Se esse for o caso,
quando você precisar de ajuda, como conseguiria sua ajuda? Se o praticante estivesse
dormindo quando a ligação chegasse, que esperança haveria para o paciente? Não, o
pensamento humano não é um poder. O pensamento humano não pode fazer duas
vezes dois tornar-se quatro. O princípio da matemática estabelece esse fato. O
pensamento humano não pode violar o princípio da matemática, fazendo duas vezes dois
tornarem-se cinco. Os pensamentos de Deus não são seus pensamentos e seus
pensamentos não são os pensamentos de Deus. “Qual de vós, tendo pensado, pode
acrescentar um côvado à sua estatura?” (Mateus 6:27).
Se, no tratamento, usarmos a mente humana para tornar um coração, fígado ou pulmão
saudável, poderemos alcançar nosso objetivo. Mas amanhã é outro dia, e por que um ou
outro desses órgãos não ficaria doente amanhã, mesmo tendo sido restaurado para a
saúde hoje? No próximo mês é outro mês, no próximo ano, mais um ano, e antes de

94
percebermos, os anos somam setenta. Depois disso, é claro, não adianta rezar por um
bom coração, fígado ou pulmão; é muito tarde. Até as Escrituras nos dizem isso. Tem
sido dito que o estudo da metafísica previne a morte prematura, mas o que é uma morte
oportuna? Se você acredita na oportunidade da morte, você pode orar por um bom
coração depois de setenta, oitenta anos ou qualquer que seja a sua concepção de um
período de vida adequado? Não, a menos que realmente aceitemos o Mestre com sua
Palavra e entendamos que a Vida que é Deus é nossa Vida Individual, então estaremos
orando a cada mês, ou a cada ano, por um coração, pulmão, fígado, vaso sanguíneo ou
por qualquer outra coisa renovada.
Só há uma maneira de evitar a necessidade de repetir demonstrações ano após ano, e
isso é voltar, primeiro, à base deste trabalho: “Eu e meu Pai Somos Um”, e, portanto,
tudo o que o Pai é Eu Sou, e tudo o que o Pai tem é meu. Precisamos realmente confiar
na Verdade, e obter uma Consciência tão desperta dela, que ela se torne uma parte tão
importante do nosso Ser que seja uma segunda natureza para nós (modo de expressão
didático... na verdade, a rigor, trata-se da primeira natureza... – nota do Trad. G. S.).
Então, não precisamos mais fazer demonstrações semana após semana, mês após mês.
Em segundo lugar, um ponto importante, devemos captar a visão de que a mente
humana não é um poder - seja para o bem ou para o mal. Se entendermos que não é um
poder para o mal, nunca devemos temê-lo; nunca devemos temer malfeitos; nunca
devemos temer os pensamentos ou crenças individuais ou coletivos do mundo.
Há apenas uma razão pela qual qualquer um de nós já experimentou o pecado, a
doença, a morte, a falta ou a limitação, que é a crença universal humana na morte. Existe
uma crença universal, uma crença humana, de que podemos viver apenas setenta anos,
e, de acordo com a lei médica e as estatísticas de seguro, isso está correto, porque a
expectativa de vida média é de aproximadamente apenas setenta a setenta e cinco anos.
Há uma crença universal em se resfriar por pegar friagem. Existe uma crença universal
na infecção e contágio de certos germes. Existe uma crença universal em vitaminas e
calorias. Existe uma crença universal em tudo e qualquer coisa sob o sol, exceto o Poder
e a Presença de Deus. Isso não é tão universal. Há apenas alguns de nós tentando
manter firme nossa fé e confiança nessa Verdade.
Se entendermos que a mente humana é uma via de consciência, não cometeremos o
erro de tentar eliminar a mente humana; mas ficaremos muito gratos por tê-la para usar
como um caminho de Consciência. Através desta mente e seus pensamentos, podemos
nos tornar conscientes da Verdade do Ser; podemos nos tornar conscientes das belezas
e generosidades do mundo. É através do pensamento que nos tornamos conscientes um
do outro. Através do pensamento, Deus, a Verdade, se comunica a mim e a você.
Através do pensamento, nos tornamos receptivos às Ideias Divinas, às Ideias Espirituais

95
da vida. Portanto, não estamos tentando negar ou eliminar o pensamento ou a mente
humana, mas vamos utilizá-los como um dos caminhos dados a nós para a expressão
harmoniosa da experiência cotidiana. No entanto, não vamos usar essa mente como um
poder; não vamos usar essa mente para demonstrar saúde, riqueza ou oportunidade:
vamos simplesmente usar essa mente para nos tornarmos conscientes da saúde e da
riqueza que já existem como o estado natural de nosso Ser. Este ensinamento não pode
ser construído sobre a velha metafísica, porque nenhuma quantidade de pensamentos
humanos trará saúde ou riqueza. Somente Deus pode fazer isso, e Deus é a Verdadeira
Vida do nosso Ser.
Diferença Entre Prece e Tratamento
Seguiremos agora para outro ponto em que há falta de concordância - talvez não
discordância, mas na qual há uma diferença na linguagem e uma diferença na aplicação.
No Caminho Infinito, a oração e o tratamento não são a mesma coisa. O tratamento não
é sinônimo de oração; a oração não é sinônimo de tratamento. Neste ensinamento, o
tratamento é a Verdade que você e eu conhecemos, a Verdade que pensamos,
declaramos ou afirmamos, em contradição com o erro que se apresenta. Em outras
palavras, quando digo que Deus é a Lei e a Realidade do meu Ser, que Deus é minha
Vida, minha Alma, quando digo que Deus, a Vida que é Deus, é a Eternidade e a
Imortalidade do meu Ser, quando digo que Cristo é a Lei do meu Ser, e não há uma lei
material para agir sobre mim, quando declaro ou afirmo minha Unidade com Deus,
quando declaro ou afirmo o nada, a não realidade de qualquer forma de erro, isso é
tratamento. Em alguns ensinamentos metafísicos, isso seria considerado oração, mas
não em nosso trabalho.
No Caminho Infinito, afirmações e negações não foram totalmente eliminadas. Não
eliminamos completamente afirmações e negações, mas não pensamos nelas como
oração; eles são tratamento, uma afirmação ou reafirmação da Verdade dentro do nosso
próprio pensamento. O propósito do tratamento é lembrar-nos da Verdade do Ser,
elevando-nos assim ao nível onde a oração é possível.
A oração é a Palavra de Deus que nos vem. A oração não é algo que fazemos. A oração
não é uma expressão de qualquer coisa para que Deus ouça. A oração não é uma
petição nem é uma afirmação. A oração é realmente a Palavra de Deus que vem a nós. É
a “Paz, aquieta-te” (Marcos 4:39), que é expressa dentro de nossa Consciência. É uma
garantia que nos vem para dentro, que diz: “Fique quieto e saiba que Eu Sou Deus. Eu
estou em campo. Fique quieto e veja a Salvação do Senhor”. Quando um praticante ou
um professor lhe disser: “Fique quieto e veja a Salvação do Senhor”, isso é tratamento,
não oração. Vocês está sendo lembrado de alguma Verdade, cujo propósito é trazer uma
certa quietude em seu pensamento, uma certa quietude e uma capacidade de ser

96
receptivo, de modo que você possa ouvir dentro de você uma voz dizendo: “Este é o
caminho, andai por ele” (Isaías 30:21).
Mas quando você ouve essa Voz dentro do seu próprio Ser - e quando eu digo ouvir, não
necessariamente significa ouvir audivelmente, é ouvir no sentido de tornar-se consciente,
sentir, essa é a Palavra. Se você se torna consciente de Algo que está se agitando
dentro de você, se você se torna consciente de uma sensação de Paz descendo sobre
você, isso é oração; essa é a Palavra que vem à sua Consciência. Isso é Comunhão.
Oração, ou Comunhão, é a relação existente entre Deus, o Pai e Deus, o Filho. É a
relação entre o Ser Infinito Universal e você. É infinito, ainda que individualizado em
expressão. Essa é a relação que torna possível ouvir e receber Orientação Divina, Cura
Divina, Direção Divina, Proteção Divina ou o que for necessário em sua experiência.
Eu sei, pela minha própria experiência, que a cura ocorre para o meu paciente quando
algo dentro de mim diz: “Tudo está bem”; ou “Eu estou no campo”; ou “não se preocupe,
Eu também estou lá”. Para o Mestre, veio: “eu, de mim mesmo, nada posso fazer” (João
5:30). Em outras palavras, embora o Pai e Eu sejamos Um, essa parte de mim que
aparece para o mundo como ser humano não é realmente a Presença ou o Poder de
Deus. A Presença e Poder de Deus é aquilo que é invisível aos seus olhos, mas é muito,
muito visível e audível aos seus sentidos espirituais. Quando estou quieto, quando estou
silencioso, quando sou receptivo, essa segurança vem a mim. Às vezes vem em
palavras, às vezes em citações, às vezes em pensamentos originais, às vezes apenas
em um sentimento de bem-estar; e então sei que tudo está bem com aqueles que me
pediram ajuda. Emerson chamou-lhe a "Superalma". É realmente Onipresença - a
Presença e o Poder Infinitos de Deus, conscientemente realizados.
Deus é Onipresente; Deus está sempre presente. Mas é nossa percepção consciente
disso que faz o trabalho. Não é simplesmente o fato de que Deus é Onipresente. Deus é
Onipresente em todos os campos de batalha do mundo, exatamente onde os homens
estão sendo mortos. Que Deus é Onipresente, que Deus estava, na realidade, no campo
de batalha, não ajudou aqueles que precisavam de ajuda. Não, é necessária a percepção
consciente da Presença de Deus para tornar Deus disponível em qualquer necessidade
que possa existir. Nunca pense por um minuto que há algum lugar no mundo que não
esteja cheio da Presença de Deus; mas nunca pense por um momento que isso será de
grande ajuda para você, exceto em proporção à sua percepção consciente dessa
Verdade. É a percepção consciente que é Oração. Orar e repetir o Salmo 23 ou o 91º
Salmo, ou expressar todas as verdades metafísicas que você conhece, tais como: “eu
sou rico, e eu sei disso”, ou “eu estou bem”, e “estou bem e sei disso”, não fará o
trabalho. Alguns de vocês sabem o que pode estar acontecendo com você no exato
momento em que está fazendo essas declarações. Repetir palavras não faz o trabalho.

97
Pode elevar seu pensamento àquele lugar onde o trabalho pode ser feito, àquele lugar
onde você tem uma percepção consciente da Presença de Deus.
Bem aqui está um ponto de demarcação entre isso e muito do trabalho metafísico no
mundo. O Caminho Infinito é um desdobramento que diz que você e eu, assim como
Jesus, Moisés e Elias, devemos ter uma percepção consciente da Presença de Deus.
Não nos fará bem andar por aí dizendo: “Deus é amor e Deus está presente, Deus é
amor e Deus está presente”. A menos que e até que realmente sintamos a Presença de
Deus, a menos que possamos nos elevar a um Estado de Consciência em que Deus se
torne tangível, visível e evidente em nossa própria experiência, tudo está no reino do
tratamento, e não da oração.
O tratamento está correto em seu lugar, e todos vocês que estão familiarizados com
meus escritos sabem que uma quantidade considerável de espaço é dada ao assunto do
tratamento. Eu sou muito completo no ensino do tratamento; porque acredito que, em
certos estágios de nossa experiência, não é necessário apenas tratar, mas esse
tratamento constitui o próprio alicerce de nossa compreensão da Verdade. Pelo menos, é
a mensagem da Verdade, sobre a qual podemos construir a estrutura do Entendimento
Espiritual.
Conhecer a mensagem correta da Verdade é um bom fundamento para a Revelação, o
Desdobramento e o Discernimento Espiritual da Verdade, a Consciência Espiritual da
Verdade. Naturalmente, depois de um tempo, você não terá mais necessidade de
tratamento do que tem para declarar ou repetir a tabela de multiplicação. Quando você
tem a oportunidade de conhecer o produto de 12 vezes 12 = 144, pensa nisso
imediatamente, sem esforço consciente.
Não importa o quanto você aprenda de tratamento em qualquer trabalho metafísico, não
importa quão perfeito você se torne ao declarar a Verdade como ela é encontrada nos
escritos do Caminho Infinito, por favor, não tenha muita fé nela, ou você pode tropeçar e
cair. Não é a declaração da Verdade que faz o trabalho; é a Realização Interna da
Verdade. Não é quanto você pode declarar Deus, afirmar Deus ou peticionar a Deus. Não
é quantas declarações da Verdade você conhece. Pelo contrário, é muito melhor para um
estudante usar duas ou três declarações como lembretes da Verdade, meditar sobre
elas, ponderá-las; e então descanse, e deixe Deus fazer o trabalho. Deixe a Consciência
Espiritual se desdobrar.
Toda essa repetição de declarações da Verdade é auto-hipnose - auto-sugestão.
Ninguém nunca tem que usar força ou poder neste trabalho. Nada é mais verdadeiro do
que "não pela força nem pelo poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos"
(Zacarias 4:6) - não pelo poder físico, não pelo poder mental, mas pelo Meu Espírito.

98
Independentemente de quanto você pode declarar que Eu e o Pai Somos Um, isso não
tem nenhum poder real, a menos que você saiba o que o Pai é, e a menos que você
saiba quem Eu sou. Duas coisas devem ser conhecidas: quem sou Eu? O que é Deus?
Em última análise, no final, saberemos que eles são Um. Mas até que tenhamos chegado
a esse ponto, não aceitemos cegamente alguma declaração sobre Deus, ou sobre nós
mesmos.
Essa palavra “Eu” contém todo o segredo da Escritura Hebraica. Essa palavra Eu contém
todo o segredo da antiga Escritura Hindu. Essa palavra Eu contém o segredo da
revelação do Mestre. Somente através desse entendimento da palavra Eu, você pode
entender que “Eu e meu Pai Somos Um” ou “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”. E
sem esse entendimento, que bem teria algum tratamento? Que bem teria qualquer
tratamento que não envolvesse em si a Sabedoria da Verdade? Supõe-se que um
tratamento é a personificação da Verdade ou expressão da Verdade. A menos que
saibamos a verdade sobre o Eu, a menos que saibamos a verdade sobre o Pai, a menos
que saibamos a verdade sobre o corpo, um tratamento realmente não valerá o tempo que
for necessário para obtê-lo. Mesmo um tratamento mental, até mesmo uma declaração
da Verdade deve ser literalmente verdadeira para ser um pouco eficaz; e, para levar à
Consciência da Verdade, um tratamento deve ser uma declaração de Verdade.
As Coisas Profundas de Deus Reveladas Através da Meditação
Agora chegamos ao assunto da meditação. Se você seguir a via do Caminho Infinito,
aprenderá muito sobre meditação e sua prática. Sem isso, você está meramente vivendo
como um ser humano e, como tal, você está sujeito a todas as condições da
humanidade, assim como qualquer ser humano do mundo. Quando, no entanto, você
desenvolve a capacidade de meditar, de abrir sua Consciência para o influxo do Espírito,
então você tem a consciência da Presença do Espírito, de Deus, da Vida, da Verdade e
do Amor com você, da manhã até noite e da noite até a manhã. É essa percepção
consciente que é sua proteção e sua segurança.
Deus é Infinito Bem. Mas esse Bem só é experimentado pelo reconhecimento consciente,
ou percepção consciente da Presença e do Poder de Deus. Portanto, ao seguirmos as
instruções do capítulo sobre “Meditação” no Caminho Infinito, descobriremos que, desde
o despertar da manhã até a noite, nunca por um momento deixamos Deus fora de nossa
Consciência. Nós fazemos de Deus o Centro da nossa Consciência, a própria atividade
de nossa Consciência. Quando fazemos isso, algo acontece com a maioria de nós.
Pouquíssimos de nós que estivemos neste trabalho a qualquer tempo têm permissão
para dormir uma noite inteira. De alguma forma, somos despertados com outro lembrete
da Presença e do Poder de Deus; e é esse lembrete no meio da noite que muitas vezes
prova ser uma bênção para nossos amigos e familiares e pacientes, pois nessa quietude

99
e silêncio da noite é mais fácil receber essa percepção consciente da Presença Divina e
do Poder Divino. Naturalmente, isso abençoa todos aqueles que fazem parte de nossa
Consciência.
À medida que preenchemos nosso pensamento, nossa Consciência, com essa
percepção de Deus, uma coisa extraordinária nos acontece. Uma maior sensação de
quietude desce sobre nós, uma maior sensação de Paz. Com a realização da Presença
de Deus, temos a confiança de que tudo está bem e sabemos por quê. Não podemos
escapar de Deus, uma vez que fizemos de Deus a Realidade do nosso Ser. Isso torna
possível a meditação mais profunda. É nessa meditação profunda que realmente
aprendemos as coisas profundas de Deus. Existem coisas profundas de Deus a serem
conhecidas, e essas coisas profundas de Deus são mostradas em nossa experiência. Por
exemplo, não nascemos para sermos apenas homens de negócios e donas de casa.
Todos nascemos para um Propósito Espiritual - realizar uma função espiritual, ser uma
parte do Plano de Deus. No entanto, no grau em que nos apegamos ao mundo humano,
não somos parte das obras de nosso Pai. E essa é uma das razões pelas quais estamos
neste trabalho - para voltar para a casa do Pai. Em vez de vivermos essa experiência
pródiga, em vez de ganharmos a vida com o suor da testa, um dia desses retornaremos à
casa do Pai e à Consciência do Pai, e lá encontraremos um anel de jóias e um manto de
púrpura - descobrindo que nada temos a fazer, a não ser nos aquecermos no Amor do
Pai.

12 - CONSCIÊNCIA DE DEUS
Conhecer nossa Verdadeira Identidade é resolver todo problema da assim chamada
existência humana. Na verdade, não estamos vivendo uma existência humana. Nossa
existência é espiritual e divina, mas porque não conhecemos nossa Verdadeira
Identidade, ela ficou cheia de discórdia e desarmonia. Se sei que eu sou Eu, e que sou
Infinito Ser, nunca pode se intrometer um pensamento de falta, limitação, discórdia,
desarmonia, ciúme, malícia ou luxúria. Quando sei que eu sou Eu, e que esse Eu é o
Infinito, a Totalidade de Deus sendo manifestada, a Palavra feito carne, então só posso
perceber que sou auto-sustentável e auto-mantido.
Algum dia todos nós admitiremos que que o “Eu” é autocriado:
Eu, a própria Consciência do meu Ser, me formou antes de eu estar no útero. Eu não
teria estado lá se a Consciência Divina do meu Ser não estivesse expressando a Si
Mesma exatamente dessa maneira. “Eu”, a Consciência Divina de meu Ser, formou meu
corpo à sua própria imagem e semelhança, como meu veículo de expressão. Eu não
posso ser mais separado do meu corpo do que posso ser separado da minha vida. Meu

100
corpo é a forma em que minha vida está aparecendo. Meu corpo é uma expressão da
minha Identidade. Meus pais não criaram isso. “Eu” criei. Minha Consciência o criou e
minha Consciência o mantém agora em sua forma atual. Se minha Consciência
mudasse, meu corpo mudaria. Se minha Consciência de suprimento mudasse, meu
suprimento mudaria. Sempre, a Consciência está formando seu próprio corpo, à sua
própria imagem e semelhança. Minha Consciência do lar tornou-se minha casa, o que
quer que ela seja. Minha Consciência do trabalho, de uma prática, de saúde, expressa-se
como minha casa, meu trabalho ou negócio, minha prática, minha saúde ou minha
riqueza.
Aqueles que entendem este princípio e viram algumas das favelas ou guetos da cidade
de Nova York compreenderão que somente o estado de consciência das pessoas que
vivem neles criaram esses guetos. Na cidade de Chicago, onde, não há muitos anos
atrás, havia planícies abertas e as pessoas poderiam ter construído qualquer tipo de casa
que quisessem naquelas planícies, favelas e guetos cresceram. Na Califórnia, com todos
os seus amplos espaços abertos, ar puro e claro e sol brilhante, também há áreas de
favelas. Toda cidade, toda aldeia, toda cidade tem suas favelas. De onde elas vêm? As
pessoas as trazem com elas. Primeiro, eles carregam a ideia do lar em sua consciência,
e então constroem exteriormente aquilo que já foi construído em sua consciência. As
pessoas, com conceitos limitados de lares e casas, plantam esses conceitos limitados
onde quer que vão viver e, quando se deslocam de um lugar para outro, carregam
consigo suas favelas. Por quê? Porque as suas consciências condicionam o seu modo
de vida. É verdade que muitas pessoas emergiram das favelas, mas são as pessoas que
eliminaram as favelas de suas Consciências. Até que haja uma mudança na Consciência
do lar, não há mudança nas condições externas.
Há momentos em que nos perguntamos por que continuamos iguais neste ano, como no
ano passado ou no ano anterior. Às vezes nos perguntamos por que, depois de anos no
caminho metafísico, nenhuma mudança chegou. Há apenas uma razão para isso: nossa
consciência não se expandiu. Permanecemos no mesmo nível de consciência e, como
nossa consciência não se expandiu, as condições para nós não mudaram e nem
melhoraram. Você pode provar isso por si mesmo. Nada em seu mundo exterior mudará,
a menos que, e até que, uma mudança ocorra primeiro em sua Consciência.
Sua Consciência é Seu Suprimento
Na verdade, a Consciência é Deus. Deus é Consciência Individual. Deus é a sua
Consciência e a minha. Se nós reconhecermos e aceitarmos esta Verdade neste minuto,
e a cada dia nos lembrarmos: “Minha experiência diária não está surgindo da minha
formação humana limitada, da minha educação limitada ou do meu ambiente familiar
limitado; mas a minha experiência diária é a expressão ou a emanação da Consciência

101
Divina que é Deus”, constataremos muitas mudanças ocorrendo em nossa experiência.
Estaremos, então, trazendo a Harmonia de Deus, ao invés da desarmonia e discórdia do
limitado sentido humano finito.
Não é culpa sua nem minha que tenhamos transportado guetos de um tipo ou de outro
conosco. Isso é porque não fomos ensinados desde o princípio que Deus é a nossa
Consciência, e que podemos experimentar a Infinitude de Deus meramente
reconhecendo essa Verdade. Se tivéssemos sido ensinados que o Princípio demonstrado
pelo Mestre, ao alimentar as multidões, é um princípio sempre Presente e Onipotente,
aqui e agora, nossas vidas seriam diferentes. Não devemos nos preocupar, temer,
duvidar e pensar em como nos daríamos bem. Não deveríamos nos preocupar se o
mercado de ações está subindo ou descendo, ou se o mercado de gado está em alta, já
que saberíamos que tudo isso existe como efeito - o efeito de nossa própria Consciência,
quando percebemos Deus como nossa Consciência.
Jesus tinha apenas alguns pães e alguns peixes e, ainda assim, com aqueles poucos
pães e peixes, alimentou as multidões. Se ele não provou mais nada, provou isto: que a
substância não estava na quantidade de peixe e pão que ele tinha, mas no Espírito que
animou toda a existência. Há alguns anos, eu estava sob a extrema necessidade de
aprender a natureza do suprimento. No ponto do fundo do poço, fui forçado a fazer minha
demonstração de suprimento. Essa é uma das razões pelas quais posso dizer a você que
não tenha medo de seus problemas. Trabalhe neles. Muitas vezes eles provarão ser
suas maiores bênçãos. Você não reconhecerá a verdade disso enquanto seus problemas
estiverem com você, mas, mais tarde, você dirá: "oh, o que eu teria sido, ou onde eu
estaria, se não fosse pela profundidade desse problema!" É a profundidade de nossos
problemas que nos força a cavar mais fundo neste oceano da Verdade. Muito raramente
vamos muito longe neste caminho sem algum impulso, e esse impulso geralmente é um
problema. Isso foi verdade no meu caso. Quando o problema foi mais profundo e a falta
foi maior, percebi que meu suprimento não era encontrado em pessoas, em notas de
dólar ou em pacientes (peço que o leitor considere como deve ter sido difícil para ele, que
nasceu e cresceu no “make living” do “american way of life” – “fazer a vida” no estilo
americano materialista. Se esses conceitos e a influência da Christian Science Church
foram problemas em livros anteriores, neste livro vemos uma superação absoluta e uma
Consciência muito clara sobre o assunto, genuinamente espiritual! – nota do tradutor G.
S.):
Consciência é meu suprimento. Minha própria Vida, meu próprio Ser, é meu suprimento.
Onde quer que eu esteja, esse Princípio me mantém e me sustenta; e onde quer que eu
esteja, tudo o que Deus é deve ser. Essa Consciência que Eu sou, essa Consciência do

102
meu Ser, é meu suprimento, e aparece exteriormente como pães e peixes, ou dólares,
automóveis e apartamentos.
Deus É Sua Consciência Individual
Em cada página de meus escritos, você encontrará este princípio: a Consciência, ou
Deus, é a substância real daquilo que aparece como forma. Sempre se soube que Deus
é a Substância de tudo o que aparece. Sempre se soube que Deus é a Fonte de todo
suprimento. Então, em que este ensinamento difere de outros ensinamentos? Em parte,
nisso: Deus é a sua Consciência, em vez de algo aqui ou lá em cima. Este é o cerne da
Mensagem do Caminho Infinito. Sua mais importante revelação é que Deus não é algo
distante, mas que Deus é a sua própria Consciência. Quando você compreende isso,
encontrou o segredo da Vida. A partir daí, tudo se desdobra, se manifesta e se revela.
Sua própria Consciência aparece como seu Eu; como sua alegria, prosperidade e
sucesso; como sua felicidade, lar e todos os seus relacionamentos – seja social,
financeiro, comercial.
Quando você conhece a Natureza de Deus, a Natureza da Onipresença, quando você
sabe que Deus é Consciência Divina, Consciência Individual, sua Consciência e minha,
você realmente compreendeu tudo o que o Mestre nos pediu, quando ele disse: “buscai
primeiro o Reino de Deus e sua justiça; e todas estas coisas vos serão acrescentadas”
(Mateus 6:33). Descubra o que Deus é e onde está Deus. Descubra a Natureza de Deus.
Esse é todo o seu dever na vida. Você não tem mais nada a fazer. Você não tem nada no
mundo para demonstrar. Se você está lendo este livro com visão interior, você pode,
neste momento, parar de trabalhar em qualquer problema. Aceite apenas um problema: o
que é Deus? Qual é a natureza de Deus? Qual é o Princípio da Vida?
Quando você encontrou a resposta para a pergunta “o que é Deus?”, quando você
realmente chegou àquele lugar onde você pode dizer: "eu sei agora que Deus é Vida
Individual, Mente, Alma, Consciência"; então você descobre que não tem mais
problemas. Tendo encontrado Deus como Onipresença, como a verdadeira Realidade do
seu Ser, você também encontrará Deus em Sua infinita forma e variedade, que incluirá
transporte, notas de dólar, cenouras ou batatas. Aparece em todas as formas, uma vez
que Deus não é uma pessoa. Deus é a Substância Eterna, Imortal e Onipresente do
universo. Deus fez tudo o que foi feito. Fora de quê? Deus, sendo tudo, Deus deve ter
feito tudo o que foi feito de Si Mesmo.
Se você puder encontrar Deus como Consciência - e mais especialmente, se você puder
encontrar Deus como sua Consciência - então você encontrará Deus aparecendo em
todas as formas que Deus assume: marido, esposa, amigo, empregado, e até mesmo
inimigo. Marque minhas palavras; até seu inimigo. É por isso que você tem que amar

103
seus inimigos tão profunda e sinceramente quanto ama seus amigos, porque Deus é a
própria Substância, Lei e Princípio daqueles a quem você acredita serem seus inimigos.
Na verdade, eles não são seus inimigos em tudo. Um inimigo é um conceito falso que
você manteve de alguém. Na verdade, a maioria de nós mantém falsos conceitos um do
outro e do mundo. Isso é muito fácil de entender, se pararmos para pensar sobre o que
estamos realmente vendo no universo. Para começar, Deus fez tudo o que foi feito, e
tudo que Deus não fez não foi feito. Tudo o que Deus fez, no entanto, é bom. Portanto,
se o que estamos vendo não está de acordo com esse padrão, não é porque há algo de
uma natureza errônea no mundo, mas porque nós, individualmente ou coletivamente,
estamos mantendo um falso conceito da criação, e um do outro.
Comece com esta prática simples: primeiro, descubra o que é Deus; então, encontre
onde Deus está. Quando você descobre que Deus é a Consciência de seu próprio Ser,
quando você descobre que Deus é sua própria Consciência, você encontra todas as
formas como Deus aparece. Você então encontrará Deus se desdobrando - a
Consciência se manifestando, revelando a Si Mesma - como a sua experiência diária.
Nunca se esqueça disto: o que aparece como nossa experiência finita diária é o nosso
senso de limitação, aparecendo como falta de educação, falta de oportunidade, ou falta
de um ambiente satisfatório. Tudo isso está aparecendo como nossa experiência diária
limitada. Quando, no entanto, começamos a perceber essa grande Verdade do Ser, de
que não estamos limitados ao sentido finito da consciência, que não estamos limitados
ao nosso senso pessoal de existência, mas sim que Deus, a Consciência Infinita do
nosso Ser é a Fonte e a forma da nossa vida, então, observe os milagres que começam
a ocorrer em nossa experiência.
O Tratamento do Praticante É Sempre Autotratamento
A crença mundial de uma individualidade à parte de Deus, de uma vida separada de
Deus é tão forte que muitos praticantes que eu conheci estão sob um sentimento de
peso, que vem do fato de que eles nem sempre vivem em um nível tão alto de
Consciência Espiritual que sejam capazes de rirem-se deste hipnotismo mundial. O
praticante sincero deve sentar-se ocasionalmente, às vezes com freqüência, e fazer
algum tratamento sério. Deixe-me ser muito claro sobre este ponto: este tratamento
nunca é um tratamento da outra pessoa. Eu nunca na vida dei um tratamento a ninguém.
Eu nunca fiz um tratamento para qualquer pessoa na terra. Eu nunca levei o nome do
paciente para o meu pensamento ou o nome da doença. No que me diz respeito, não
acredito que me faria bem saber o nome da doença; e eu não acredito que os pacientes,
eles mesmos, saibam os nomes; e estou convencido de que nem os médicos sabem o
nome da doença. De fato, seria muito melhor se eu não soubesse o nome, já que nosso
trabalho não está no reino de curar corpos físicos ou doenças físicas. Nós concordamos

104
nesta obra que Eu e o Pai Somos Um: e este é o Espírito, é Deus. A única Verdade,
portanto, que deve ser conhecida é a Verdade sobre Deus. Deus, sendo Infinito, inclui
tudo o que aparece como você ou eu, e esse tratamento exclui todas as doenças.
Na cena humana há altura, largura, profundidade, mas tudo isso é apenas uma falsa
sensação do que realmente está acontecendo, já que o Espírito não conhece altura,
largura ou profundidade. Não existe tal coisa como um Espírito tridimensional. O Espírito
é Vida Infinita e Eterna, e embora se expresse individualmente, não se exprime como
forma finita: portanto, não há elemento espacial ou elemento de tempo no tratamento. No
tratamento, somos absolutos, no sentido de que Deus é absolutamente tudo e em todos,
e através de tudo e como todos. Somos absolutos no sentido de que nosso tratamento
começa com Deus e termina com Deus. Nunca chega ao nível humano. Nunca toma
conhecimento de qualquer fase da experiência humana. Nunca tenta acalmar as ondas
do oceano. Apenas diz: “Paz, fique quieto” - não para as ondas, mas para nossa crença
de que existe uma condição finita em qualquer lugar.
Meu tratamento é sempre um auto-tratamento. Todo o meu trabalho começa com a
palavra "Deus". Eu posso traduzir essa palavra. Eu posso reinterpretar isso. Por exemplo,
quando as pessoas vêm com reivindicações de natureza mental, em vez de usar a
palavra “vida”, posso usar a palavra “mente” e perceber que Deus como mente está
sempre expressando Sua Inteligência, Sua Infinita Sabedoria, Onipresença e Orientação.
Mas sempre mantenho meu tratamento bem no nível de Deus e lá fico. Eu começo com
Deus e termino com Deus. Nenhum ser humano e nenhuma condição humana jamais
entraram em meu tratamento. Por quê? Porque se o fizessem, meu tratamento não
estaria de acordo com o tratamento do Mestre. A orientação do Mestre sobre o
tratamento era: “não vos preocupeis com a vossa vida, com o que comereis ou com o
que haveis de beber” (Mateus 6:25). Certamente, o pensamento humano está buscando
suprimento extra. Ele está procurando mais alguns anos para adicionar à data na lápide.
Certamente, o mundo humano, as nações do mundo, estão buscando facilidades na
matéria.
Portanto, neste trabalho, não estamos tentando apenas adiar uma data em uma lápide.
Não estamos apenas tentando dar-lhe um corpo saudável por alguns dias ou semanas
ou meses extras. Não estamos aqui para ajudá-lo a aumentar seu suprimento em dez
dólares por semana, cem ou mil. Nosso trabalho é revelar a você que Deus é sua Vida
Imortal e, portanto, sua Vida não está sujeita à morte, acidente, pecado ou doença.
Nosso trabalho é mostrar que Deus é Onipresente. Em outras palavras, você é a própria
Presença de Deus, e você não está mais sujeito a condições materiais do que Deus está.
Somente a crença de que você é algo separado e à parte de Deus pode fazer com que
você continue de ano em ano com as mesmas velhas dores, carências e limitações. No

105
momento em que você alcança o menor vislumbre da Verdade de que "Eu e meu Pai
somos Um" (João 10:30), que Deus é realmente a Vida de seu ser individual, é uma coisa
maravilhosa.
Alcance um pequeno vislumbre, um pequeno grão da Verdade de que Deus é a sua Vida,
Deus é a sua Consciência, e você descobrirá que não tem vida pessoal, seja para ganhar
ou para perder. A única Vida que você tem é Deus, Vida automantida e auto-sustentável.
Você encontrará o milagre que essa visão traz à sua experiência. Deixe Deus se
expressar como você. Deixe Deus, a Consciência Divina do seu Ser, surgir como sua
experiência diária, enquanto você assiste. Torne-se um observador de Deus vivendo sua
experiência diária, e veja quão grande e quão Infinita ela é.
O Limiar de uma Nova Era Espiritual
O Caminho Infinito não é um movimento organizado: não tem filiação, não tem lucros,
não tem obrigações financeiras. Mas é um movimento; e é um movimento que está se
espalhando pelo mundo. Eu não quero dizer necessariamente apenas meu trabalho; meu
trabalho é apenas parte de algo que está acontecendo em todo o mundo, de várias
formas, em muitos aspectos, em muitos países. Eu não sei o motivo disso. Só sei que,
por volta de 1924, o mundo passou de um estado muito mental e mecânico de
consciência para o início de um movimento espiritual, um movimento que, finalmente,
abrangerá o mundo inteiro. Em outras palavras, estamos chegando a uma era espiritual.
Isso não significa necessariamente que não haverá outra guerra ou que não haverá
bombas atômicas. Pode ser. Essas coisas podem acabar com grande parte do
pensamento materialista do mundo. Pode ser que a nova era espiritual seja fundada no
remanescente, naqueles que permanecem após o holocausto. Nunca duvide, pois
estamos no começo de uma era espiritual. Estamos no começo de uma era na qual a
aquisição de coisas ou pessoas será de muito pouca importância. A constatação será de
que Eu e meu Pai Somos Um, e o lugar onde Eu estou é terra santa; e, portanto,
exatamente onde estou, tudo o que o Pai tem é meu. Eu vou viver aqui no meu senso de
completude, e você viverá lá, e nenhum invejará ou brigará com o outro. Há sinais de que
essa idade já está definitivamente aqui.
Como parte dessa Ascensão Espiritual, digamos que eu, em meu modo individual, tive
um pequeno vislumbre disso e, através disso, atraí para mim aqueles que estão prontos
para esse ressurgir do Espírito, neste momento particular. Em muitas partes do mundo,
no entanto, outros também sentiram essa mesma onda do Espírito. Outros captaram
essa visão do Espírito e estão atraindo para si pequenos grupos e, em alguns casos,
grupos muito grandes. O que aconteceu é que não apenas o materialismo falhou, mas o
mentalismo também falhou.

106
Vamos admitir que Deus existe. Deus “é”, e Deus é Onipresente. Se nossos afazeres
diários não revelam a plenitude da harmonia, saúde, plenitude, felicidade, paz e alegria, é
somente porque ainda não usamos esse Poder Espiritual. Falar ou ler sobre isso não vai
fazer isso. Falar sobre isso, ler sobre isso e se reunir em grupos são apenas passos do
caminho. Cada um deve fazer o que eu tenho feito: provar isso, demonstrá-lo, mostrar
que Deus é, e que Deus está disponível aqui e agora. Há apenas uma maneira pela qual
isso pode ser feito: primeiro, o reconhecimento de Deus como Onipresente - o
reconhecimento de Deus como a Alma ou a Consciência de seu Ser e do meu; e,
segundo, a confiança em Deus. Por exemplo, se você tem algumas compras simples
para fazer amanhã, em vez de sair de casa e dizer: “bem, eu terei que fazer compras
nesta loja, naquela loja e na outra loja, e espero não ter que ir para a quarta ou quinta”,
dedique alguns segundos para a compreensão da Presença, desse Poder Espiritual.
Sente-se por um momento de meditação, não para pensar sobre coisas materiais, mas
para pensar sobre a Presença de Deus, e então espere até sentir aquele “clique”, aquela
pequena garantia da Presença de Deus. Se você fizer isso, você encontrará os artigos
que deseja comprar tão rapidamente e sem esforço, que terá a maior parte do dia
restante para estudo, meditação e comunhão.
Por este método simples, cada experiência da sua vida familiar, das coisas mais simples
às mais complexas, torna-se fácil, pacífica e bem-sucedida. Você sabe que Deus é. Você
declara que Deus é. Agora prove isso. Sente-se e tenha a sensação da Presença de
Deus, e observe como Ele vai adiante de você para endireitar os caminhos tortos. Veja
como Ele abre as faixas de tráfego para você, quando você está dirigindo. Veja como Ele
faz todas as coisas para você em sua experiência - como Ele até muda a atitude de
outras pessoas em relação a você, muda o relacionamento delas com você e o seu para
com elas. As coisas que você e eu não podemos fazer humanamente, Ele pode fazer por
você, desde que você o sinta. Esse é o segredo. Existe “Algo” chamado Deus. Deus é.
Mas Deus só está disponível para você e para mim em proporção ao nosso contato com
Ele. Tem que haver um contato. Você tem que estar dentro e ser essa Consciência de
Deus para alcançá-lo.
Não Há Transferência de Pensamento no Tratamento
Embora usemos tratamentos, o tratamento é a menor parte do nosso trabalho. O
tratamento é usado apenas com o propósito de nos prepararmos para que possamos
sentir Deus - sentir a Presença de Deus, obter a percepção consciente da Presença de
Deus. Você nunca precisa pensar em seu paciente. Você nunca precisa pensar em suas
crenças, porque a Mente Onisciente já sabe qual é o seu problema, e no momento em
que você a contatou, ela prossegue e cumpre sua missão. Você pode perguntar: “mas
como esse tratamento chega ao meu paciente?” O fato de seu paciente ter pedido ajuda

107
o tornou parte de sua Consciência. Existe apenas uma Consciência, e se você
conscientemente se aproxima do pensamento de um praticante, você está em sua
Consciência. É assim que os pacientes recebem sua ajuda. Nosso trabalho não consiste
na transferência de pensamentos.
Nosso trabalho é entrar em contato com Deus, a Única Vida, e depois deixar que a Vida
se expresse em mim e em você. É verdade que você pode pedir ajuda a um curador ou
pedir ajuda por telefone ou telegrama. De fato, em um certo estágio da Consciência, você
achará possível apenas pensar em seu praticante e imediatamente receber sua ajuda.
Não será necessário nem mesmo escrever, telegrafar ou telefonar, mas apenas pensar
nele, e a ajuda estará lá. A razão é que, ao pensar nele, você se sintonizou com a
Consciência de Deus - não com a consciência humana. Portanto, seja o que for da
Verdade que esteja se manifestando como a experiência do praticante, automaticamente
se torna sua experiência.
Quando você se volta para um praticante, você não está se voltando para uma pessoa. O
praticante como pessoa não pode fazer nada mais por você do que você pode fazer por
si mesmo, a menos que ele tenha atingido uma medida maior da Consciência Crística do
que você. Se ele não atingiu alguma medida do Cristo, ele não pode ajudá-lo. Essa é a
razão pela qual um praticante faz um melhor trabalho de cura do que outro; é por isso
que um praticante obtém melhores resultados que outro. Não é que Deus seja diferente
em diferentes casos. É só que um praticante alcançou um desdobramento maior da
Consciência de Deus e, portanto, surgem maiores resultados. É por isso que o trabalho
do Mestre resultou em mais curas do que o de seus discípulos. De fato, os discípulos
nunca hesitaram, quando falharam em um caso, em trazê-lo ao Mestre. Por quê? Foi o
mesmo Deus, foi a mesma Verdade, foi a mesma Consciência... Mas o Mestre alcançou
uma maior Consciência dela. Cada indivíduo no mundo tem acesso à mesma
Consciência Crística a que Jesus teve acesso. A diferença está no grau de Cristandade
alcançado e mantido por Jesus em comparação com o alcançado e mantido por você e
por mim.
Alguns praticantes dedicam toda a sua vida ao Ministério de Cristo - manhã, tarde e
noite, e a noite toda. Eles não têm outro interesse. Eles desistiram de sua vida social;
eles desistiram de sua preocupação com os bens deste mundo; eles desistiram de sua
preocupação com a vida familiar. Todo o seu coração, alma, mente e corpo estão neste
ministério. É natural que tais praticantes produzam frutos maiores do que o praticante
que divide seu dia em três partes, dando uma parte para o ministério, uma parte para a
vida social e familiar e a terceira parte para o sono.

108
Onipresença
Uma prática bem sucedida requer uma vida dedicada ao reconhecimento e realização da
Onipresença:
Onipresença é a Presença em tudo. Onipresença é Toda a Presença. A Totalidade está
onde eu estou. Portanto, nunca há necessidade de buscar uma pessoa, circunstância ou
condição para qualquer coisa necessária ao meu desdobramento. Tudo o que Deus é, Eu
sou. Nesta Presença, na própria Presença do Eu Sou, está o cumprimento de tudo o que
Deus é. Deus se realiza em toda a sua Plenitude, em toda a sua Totalidade e na sua
Integridade, como a própria Presença que Eu Sou. Nesta Consciência da Onipresença,
não há necessidade de temer nem o homem e nem as circunstâncias, uma vez que a
proteção total do Pai acompanha esta Onipresença. Não há necessidade de buscar fora
o suprimento, porque, nesta Onipresença, está a Presença de todo suprimento de Deus.
Essa Onipresença é a Presença em todos os filhos de Deus; e isso me garante
companheirismo, amizade, associações e relacionamentos corretos. Eu não preciso
procurar fora do meu próprio Ser por qualquer pessoa, companheirismo, associação ou
relacionamento, uma vez que a Onipresença é a Plenitude da Divindade corporalmente.
Onipresença é o Poder Total de Deus, e esse Poder é o Bem; esse Poder é Amor. Nós
não o dirigimos ou orientamos humanamente, mas percebemos a Sua Presença e
permitimos que Ela faça o seu trabalho. Foi essa Onipresença que permitiu ao profeta
hebraico orar: "peço-te que lhe abras os olhos, para que veja” (2 Reis 6:17). Ele não orou
por mais guerreiros, por mais tropas, nem por um suprimento maior de nada, mas apenas
para que os olhos de seu servo fossem abertos.
Independente do que a necessidade possa parecer, Deus é Onipresente como
realização. Não será bom você orar por isso. Apenas ore: “abre os olhos do teu servo”,
para que quando esses olhos estiverem abertos, você possa ver que - Aqui e Agora -
está tudo o que você precisa para o cumprimento da sua experiência. Lembre-se: “antes
que Abraão existisse, Eu sou” (João 8:58)… “ eis que estou convosco todos os dias, até
o final dos tempos” (Mateus 28:20). Nós não O buscamos; nós não imploramos por Ele,
nós não suplicamos por Ele. Nós apenas percebemos a Sua Presença, e esperamos até
que a sensação de segurança venha. Então você saberá que esta sua Consciência é a
Substância de todas as formas. Essa sua Consciência aparece exteriormente como a
proteção que você precisa, os dólares que você precisa, o lar, os amigos ou
companheiros, a saúde, ou o renovado coração, fígado ou pulmão. Sempre é essa
Consciência que está aparecendo exteriormente. Nossa oração é: "Abra meus olhos para
que eu possa contemplar a Realização e a Onipresença".

109
13 - CONSCIÊNCIA INDIVIDUAL
O Princípio da Vida, que todos devemos aprender, é que não podemos ter alguma coisa
até que tenhamos primeiro a consciência dessa coisa. Se nos dessem um milhão de
dólares, provavelmente não conseguiríamos mantê-lo, a menos que, de alguma forma,
tivéssemos desenvolvido a consciência de um milhão de dólares. Essa é uma das razões
pelas quais as fortunas são perdidas. Aqueles que herdam fortunas, até mesmo algumas
das pessoas que as ganham, não podem mantê-las, porque, se não há uma consciência
de riqueza por trás da herança ou da acumulação de uma fortuna, ela será dissipada
mais cedo ou mais tarde, de uma forma ou de outra. O mesmo princípio se aplica a todas
as situações. Para ter uma bela casa, é necessário ter a consciência de um belo lar. Sem
isso, um lar seria apenas uma casa, e seu dono poderia ou não decorá-la e mobiliá-la
com bom gosto, ou tudo poderia ser fornecido por outra pessoa, em conformidade com a
moda vigente da época. O Princípio da Vida – “O” Princípio da Vida - é a Consciência.
Precisamos ter a consciência de uma coisa para ter a própria coisa.
O primeiro passo neste trabalho é alcançar a Consciência da Presença de Deus. Existem
muitas maneiras de fazer isso. Um método é delineado no Caminho Infinito, no capítulo
sobre “Meditação”, no qual, ao despertar pela manhã, você se enche com a Consciência
da Verdade, com a percepção da Presença de Deus. Então, ao longo do dia, você deve
continuar a reconhecer e perceber a Presença e a Totalidade de Deus. Se você está
recebendo ou desembolsando dinheiro, esteja você comendo ou bebendo, sempre
reconheça Deus como a Fonte. Reconheça a Deus, reconheça ao Cristo como a
Realidade do seu Ser. Se você insistir nisso durante o dia e a noite, mesmo que por
breves períodos, descobrirá que, em pouco tempo, seu pensamento se tornará tão
espiritualizado que sua experiência exterior será transformada.
A declaração: “eu vivo; não mais eu, mas Cristo vive em mim”, (Gálatas 2:20) é o
suficiente para tornar a vida de alguém um sucesso. Se ao menos pudéssemos alcançar
a visão nessa declaração, se pudéssemos captar o significado inspirador, o significado
interno ou esotérico dessas palavras, essa declaração seria um fundamento suficiente
para uma vida bem-sucedida.
Consciente percepção da Presença de Deus, portanto, é o primeiro passo do
desenvolvimento da Consciência Espiritual e de uma Vida que flui a partir da
Espiritualização da Consciência. Comece a desenvolver essa Consciência, tomando uma
declaração da Bíblia, ganhando uma consciência real de seu significado interno através
da meditação, e depois levando-a consigo ao longo do dia. Seguindo esta prática, você
logo terá uma compreensão clara do que o Mestre quis dizer, quando ele disse aos
discípulos que queriam lhe dar comida: “Eu tenho carne para comer que não conheceis”

110
(João 4:32), e o que ele quis dizer, quando ele disse à mulher junto ao poço: “A água que
eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna” (João 4:14).
Em outras palavras, esta Consciência da Verdade, essa Realização do Cristo, é carne
espiritual e bebida espiritual - o vinho espiritual e a água espiritual - e, tendo-a, você
nunca terá fome e nunca terá sede. Mas cada um de nós deve realizá-lo como uma
atividade em sua própria Consciência, porque a menos que haja essa atividade
ocorrendo na Consciência, apenas sentar-se em uma cadeira e esperar por Deus ou por
Cristo para fazer algo pode resultar em uma espera longa e monótona.
É bastante simples dizer: “Eu e meu Pai Somos Um” e repeti-lo cem vezes; mas apenas
dizer ou repetir isto não é isto. De fato, isto já é Verdade; mas mesmo sendo verdadeiro,
não é suficiente. Deve haver uma percepção consciente disso. Humanamente, é claro,
uma declaração como “Eu e meu Pai Somos Um” é ridícula. Não faz sentido. Mas se
pudermos obter o senso de Unidade e realmente alcançarmos a percepção de que o Eu
de Deus e o “Eu” de mim são o mesmo Eu, que o "Eu" de mim e o "Eu" de você são o
mesmo Eu - se conseguirmos isso, teremos realizado toda a demonstração do Mestre. Já
era quase o fim do seu ministério, quando ele revelou que “aquele que me vê, vê o Pai”
(João 14:9). Agora, efetivamente, devemos obter essa mesma Consciência. Caso
contrário, teremos uma vida separada e à parte de Deus, uma vida que pode nascer e
uma vida que pode morrer, uma vida que pode estar doente e uma vida que pode mudar.
Se, no entanto, tivermos a Vida que é Deus, não experimentaremos uma mudança de
vida, um fim de vida ou a decomposição da vida. Se temos a Vida que é Deus, nossa
demonstração de Eternidade e Imortalidade está completa.
Realidade e Irrealidade
A próxima coisa que devemos trazer à lembrança consciente é a natureza daquilo que
nos parece um erro. No mundo metafísico, o erro é entendido como uma negação da
verdade, uma contradição da verdade ou o oposto da verdade. Acima de tudo,
entendemos que seja ilusão ou não-realidade. Muitos alunos interpretam mal as palavras
“não-realidade”, “irrealidade” e “irreal”. Quando eles declaram que o pecado ou doença é
irreal, eles acreditam que isso significa que o pecado ou doença é inexistente e, portanto,
eles o ignoram. Dizer que o pecado e a doença são irreais não significa que eles sejam
inexistentes. Isso não significa que não haja algo que apareça como pecado ou doença,
mas significa que essa aparência não tem nenhuma das qualidades da Realidade.
O significado da palavra “irrealidade”, neste sentido, não é a definição comumente aceita
da palavra. O termo é usado aqui como é usado em filosofia. O significado da palavra
"Realidade", neste sentido, significa aquilo que é permanente, aquilo que é eterno, aquilo
que é infinito, aquilo que sempre foi e sempre será. Nesse sentido da palavra, você

111
compreenderia instantaneamente a natureza irreal da doença. Houve um tempo em que
a doença não existia e haverá um tempo em que ela não existirá. Não é real, porque não
tem substância para se manter ou sustentar. Existe apenas como um sentido finito, como
um sentido falso, da mesma forma que duas vezes dois são cinco - não como realidade,
não como entidade ou identidade; mas como uma aparência, crença ou ilusão, ou um
falso senso de matemática.
Isso é de vital importância para nós, porque o mundo inteiro está tentando se livrar do
pecado e da doença como se fossem realidades, como se tivessem uma existência real.
O ministério está tentando curar os pecadores e remover o pecado. O mundo da
medicina está tentando remover doenças e muitas vezes ele consegue. Mas esse não é
o nosso trabalho nem o nosso mundo. “Meu Reino não é deste mundo” (João 18:36). Se
nós, como metafísicos, abordamos o assunto do pecado e da doença como se eles
existissem como realidade, como se esperássemos fazer algo sobre eles, ou usássemos
algum poder ou força para removê-los, então estamos no mesmo nível de consciência
que o mundo material ou mental. Agora lembre-se, o Trabalho Espiritual não está nesse
nível. Você encontrará, no meu livro “Interpretação Espiritual das Escrituras” e em outros
escritos do Caminho Infinito, uma exposição completa da natureza do erro, e
especialmente a natureza da crença material e mental como distinta da Realidade
Espiritual.
Suponha que um praticante comece com a premissa de que seu paciente realmente tem
uma doença ou um pecado - marque minhas palavras - ele não será capaz de trazer uma
cura, porque não há uma centelha de Verdade Espiritual em qualquer declaração ou
pensamento que afirme que uma pessoa tem qualquer condição que não faz parte do Ser
de Deus, porque o Ser de Deus é tudo.
Se você vai se colocar na verdade de que “Eu e meu Pai Somos Um”, por favor, entenda
e imediatamente reconheça que o que você está vendo com seus sentidos é uma falsa
sensação de realidade; você não está apenas assistindo os trilhos se unirem, mas
realmente acreditando que eles o fazem (ilusão de ótica de que os trilhos do trem se
juntam no horizonte). No ministério de cura do Caminho Infinito, nosso ponto de vista é
Deus - Deus Onipresente, Onisciente, Onipotente; Deus, a Vida de todos os seres; Deus,
o Espírito e a Alma do Ser Individual. Portanto, tudo é perfeição. Deixemos toda crença
ou aparência atacar esse muro espiritual, contra a Consciência Espiritual que
construímos, e então diremos a toda e qualquer forma de erro o que o Mestre disse: “tu
não terias poder algum contra mim, se não te fosse dado de cima” (João 19:11). Nós
mantemos esse muro contra toda crença ou aparência que possa se opor a ela. Nós não
dizemos: "o que causou isso?" ou "o que posso fazer sobre isso?" Não, nossa resposta
é: “o que te impediu? Pega tua cama e anda”.

112
Nunca se esqueça disso. Se você esquecer todo o resto, não esqueça este ponto,
porque você pode curar, e qualquer pessoa no mundo pode curar, se você puder ver um
único vislumbre da Verdade de que não pode haver Deus e nem realidade no pecado ou
doença. No começo, você pode apenas curar ou melhorar as coisas menores, ou as
chamadas coisas menores da vida. Mas à medida que você constrói essa Consciência, à
medida que você se torna mais e mais consciente do erro como irrealidade - um não-
poder, uma não-força, uma entidade ou identidade inexistente, uma forma sem
substância, a cura se torna coisa muito, muito simples.
Tudo o que é necessário, depois disso, é observar que você não aceite nenhum
preconceito ou parcialidade do mundo. Nunca acredite que essa verdade não seja
igualmente verdadeira para católicos, judeus, protestantes, hindus ou muçulmanos;
porque se você não vir sua universalidade, perderá sua visão. A menos que você possa
ver Deus como a realidade de todo Ser, a menos que você possa ver que nenhum
pecado, doença ou limitação difere de outro, que todos existem como ilusão - a menos
que você possa ver isso, você estará perdido. Se você pode ver que Deus, em sua
Infinita e Eterna Onipotência, Onisciência, Onipresença, é a Vida do Ser Individual, e se
você pode mostrar grandeza o suficiente para incluir o universo inteiro nessa Vida, então
você começou seu Ministério de Cura. Mas se você aceitar, em seu pensamento,
qualquer diferença ou distinção entre uma raça ou outra, uma nacionalidade, uma
religião, um credo, um movimento metafísico ou outro, então você estará perdido. Não há
distinção ou diferença: somos todos Um em Cristo Jesus.
Consciência É a Substância de Todas as Formas
Deus é Consciência. Deus é a sua Consciência e a minha Consciência. Deus é
Consciência Individual, e essa Consciência é o Princípio Criativo do Universo. Esta
Verdade deve estar firmemente estabelecida dentro de nós, por esta razão: como seres
humanos, fomos criados na crença de que a substância e a realidade estão no mundo da
forma. Em outras palavras, fomos ensinados a respeitar, digamos, por exemplo, o
dinheiro - amá-lo, odiá-lo ou temê-lo. Pelo menos nos ensinaram que há um grande valor
nisso, porque o mundo está lutando por isso, e lutando muito: não só quer ter dinheiro
para as despesas correntes, mas quer tê-lo para acumular e guardar - muitas vezes
“onde a traça e a ferrugem consomem” (Mateus 6:19). Há uma sensação de segurança,
de bem-estar, de expansão, quando alguém tem dinheiro suficiente. Eu estou falando
agora do mundo, mas também de você e de mim, antes de ganharmos alguma
consciência desta Verdade; e apesar do nosso progresso no caminho, pode até haver
ainda um pouco do pensamento do dinheiro em nós.
A Consciência de Cristo é um Estado de Consciência no qual qualquer forma, como tal,
se torna sem importância; é um estado em que nenhuma tentativa é feita para obter,

113
adquirir ou alcançar qualquer forma, mas na qual é reconhecida a Verdade de que, seja
qual for e onde quer que seja a necessidade, a resposta aparece. Desde que o lugar
onde eu estou é terra santa, e tudo de Deus está aqui, então Deus se manifesta como
qualquer forma que seja necessária, em qualquer momento particular. Quando você
puder ver isso, não fará diferença para você o que está acontecendo aqui no mundo. Não
haverá tentativa de adquirir dinheiro, casas, automóveis, transporte ou aviões. Não quero
dizer que podemos não tê-los. Nós os teremos e abundantemente. Não há nada errado
ou pecaminoso em ter dinheiro - até milhões de dólares. Não há nada de errado em
possuir iates e diamantes, ou desfrutar de todos os luxos que podem ser oferecidos. De
fato, creio que teremos uma abundância maior de coisas e poderemos desfrutá-las como
uma dispensação mais permanente, quando, ao invés de alcançá-las, nos afastarmos e
percebermos: “Essa Consciência que é Deus é o Princípio Criativo de tudo, e aparecerá
em qualquer forma que seja necessária para mim no momento”.
O sentimento de separação de Deus é a causa de todo pecado, doença, morte, falta e
limitação. A realização da Unidade Consciente com Deus restaura a harmonia, a paz, a
alegria e a abundância. Em vez de tentarmos adquirir algo aqui fora no mundo, ou
acreditarmos que a proteção e a segurança são encontradas fora de nós mesmos, se
ganharmos o senso de Deus como nossa Consciência Individual, como nossa Vida
Eterna, desta Verdade como a “Rock of Ages” (“Rocha das Eras”, ou “Rocha dos
Tempos” - é uma referência a Jesus Cristo, a partir de citações do Velho Testamento, a
saber, Êxodo 17:6 e Isaías 26:4 – nota do tradutor – G. S.) e depois relaxarmos - nós
encontraremos nossas vidas se desdobrando harmoniosamente todos os dias. Se for
uma posição que precisamos, teremos. Se for uma casa, nós a teremos. Certamente, à
medida que avançamos nesta Consciência, nossos negócios, nosso lar, nossos
relacionamentos crescem melhor e progressivamente. Eu não quero dizer isso no sentido
de desejar, ou "esfregar a lâmpada", e ter a terra aberta com milagres amanhã. Isso pode
acontecer, tenho certeza, mas essa não tem sido minha experiência. Meu próprio
desdobramento foi gradual, um desdobramento lento e constante dessa Verdade. Mas eu
nunca tive pressa. Não me preocupei se ganhei ou não independência financeira ontem,
hoje ou amanhã. Mas isso eu ganhei, mesmo que lentamente: consegui uma Consciência
da Verdade de que Deus é o Espírito e a Substância do meu Ser; e que Deus está
sempre se revelando e se desdobrando como tudo que é necessário em minha
experiência. Aprendi a verdade em Lucas 12: 22-32, onde nos é dito que não pensemos
em nossa vida, no que devemos comer ou o que devemos beber, ou com que nos
vestiremos. Nessa passagem, nos é dito que olhemos para os lírios e os pássaros e,
finalmente, nos é lembrado: “Vosso Pai sabe que necessitais dessas coisas... pois é do
agrado do Pai dar-vos o Reino”.

114
Todos os ensinamentos que diferenciam Deus como algo separado de nosso próprio Ser
apenas prolongam nossa busca. Quando voltamos aos ensinamentos do Mestre e
descobrimos que o Reino de Deus está dentro de nós, e trazemos nossos olhos das
nuvens e começamos a procurar dentro de nós mesmos - dentro de nosso próprio Ser,
dentro de nossa própria Consciência - cedo ou tarde nós chegamos à conclusão: “ora, eu
tenho procurado fora por Deus, e todo esse tempo Eu e meu Pai Somos Um”. Quando
você descobre isso e começa a relaxar, então esta Lei de Deus começa a se desdobrar;
esta Verdade, esta Substância começa a se desdobrar. Enfim, vem o desdobramento de
que Deus é a Consciência Individual, e a Consciência é a Substância de todas as formas.
Então vemos por que não é necessário pensar em nada do que podemos precisar. Tudo
o que temos a fazer é tocar em Deus, tocar o Centro do nosso Ser, encontrar Deus,
perceber Deus como a Consciência, como a Alma do nosso Ser; e depois aprender a
deixar fluir.
Agora observe isto: Deus, sua Consciência, é a substância de tudo que aparece em seu
mundo; e Deus está sempre se manifestando e se expressando como essas formas.
Jesus disse a Pedro para tirar ouro da boca do peixe. Poderia ele ter feito isso se Deus,
sua própria Consciência de suprimento, não fosse a Substância do que parece ao sentido
humano como ouro? Moisés tirou o maná do céu - de sua própria Consciência. Então,
sua própria Consciência de suprimento deve ter sido a Substância daquilo que apareceu
a seu mundo como maná. Jesus resgatou o mundo; mas deve ter sido sua própria
Consciência da Onipresença de Deus que apareceu exteriormente como seu resgate.
Sua Consciência aparecerá de boa vontade exteriormente como seu maná, como sua
água, como seu vinho, como sua carne. “Eu tenho carne para comer, a qual você não
conheceis” (João 4:32). Essa carne é Substância Divina, e essa Substância é a
Consciência do meu Ser. De agora em diante, quando o mundo diz que não há carne, ou
não há água, ou não há vinho, minha compreensão dessa Verdade é que eu tenho a
Substância de toda forma, que minha Consciência é a Substância de toda forma; de um
jeito ou de outro, vai me aparecer como o maná ou a carne, a água, o automóvel, ou um
assento num avião, num trem ou uma vaga de estacionamento. Qualquer que seja a
necessidade do momento, minha Consciência aparecerá como essa forma.
Minha Consciência não atrairá alguma forma deste do mundo para mim. Minha
consciência não atrairá o seu dinheiro para mim. Minha Consciência aparecerá como
dinheiro para mim. Se, no momento, isso parece vir através de você, posso assegurar-lhe
que não vem de você. Observe e veja se algum dinheiro que você gasta para o
Desenvolvimento Espiritual já saiu do seu próprio bolso. Não importa quanto você gaste,
dê ou contribua, observe e veja no final do ano se realmente saiu do seu bolso. Eu posso
lhe dizer, com anos e anos de experiência, que nem um centavo disso virá de você. Pode

115
vir através de você, mas não virá de você. De um jeito ou de outro, isso será feito para
você.
Tudo o que acontece em sua experiência deve acontecer como uma atividade consciente
de sua própria Consciência. A menos que você conscientemente traga a Verdade para
sua própria Consciência, a Verdade não será benéfica para você. É como ter uma grande
conta bancária no banco do outro lado da rua e não saber que está lá. Você pode ser um
milionário com uma conta corrente e ter fome em sua casa, a menos que tenha
consciência da presença dessa conta bancária. Assim é com a Verdade; tem que ser
uma parte de sua Consciência ou não será benéfica para você. Portanto, temos a
declaração do Mestre sobre a Verdade. Não se trata simplesmente que a Verdade os
liberte. Isso não é o que ele disse. Ele disse: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos
libertará” (João 8:32). Essa é a Verdade do Ser. Mas você deve conhecer esta Verdade;
você deve se lembrar conscientemente disso, estar ciente, tornar isso uma atividade
consciente em seu pensamento, e então você a traz à manifestação.
Volte-se para Dentro
Deus é a Verdade, mas Deus deve ser conhecido. “Buscai primeiro o Reino de Deus ... e
todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). Você busca, você procura;
você faz desta Verdade uma atividade consciente do seu Ser; e então ela deve se
manifestar, porque a Verdade e sua manifestação não são duas coisas separadas. A
Verdade e sua manifestação são Um. Você não pode ter a Verdade em sua Consciência
sem expressá-la como todas as formas necessárias à sua realização. Não existe tal coisa
como Deus e homem. Existe apenas Deus aparecendo como - a Palavra feita carne. Não
existe a Verdade e a demonstração. A Verdade, mantida na Consciência, é
demonstração. A Verdade é a Substância de todas as formas. Portanto, conheça a
Verdade, e a Verdade aparecerá a você como a forma necessária para todas as suas
experiências. Mas deve ser uma atividade desperta de sua Consciência. É por isso que
você não pode sentar-se passivamente dizer: “que Deus faça isso”. Qualquer coisa que
esteja no mundo externo não é permanente; portanto, você não pode tê-la para sempre.
Entretanto, uma vez que você conscientemente perceba que Deus é Consciência, que
Verdade é Consciência, que a Verdade é a Substância de toda forma, então, quando
você tem a Verdade, você tem a forma, desde que elas são Um. Mais uma vez voltamos
ao nosso ensino da Unidade. Você não pode ter a Verdade e uma demonstração da
Verdade. Você só pode ter a Verdade manifesta ou expressa como demonstração. Mas
elas são Um. Onde quer que você encontre a Verdade, você a encontra manifestada
como forma.
Por esta razão, temos a instrução “orai sem cessar” (Tessalonicenses 5:17). Temos que
orar sem cessar, até que a Consciência se transforme; até morrermos diariamente para o

116
ser humano que éramos, sem um senso de separação de Deus, até que renasçamos do
Espírito e que nossa Consciência seja preenchida com a lembrança da Presença de
Deus. Ao longo do dia, devemos reconhecer tudo isso. Então, nós trazemos essa
atividade desperta da Consciência para a forma como efeito, como o que é chamado de
demonstração - demonstração - como comida, roupa, lar, companheirismo e todas as
outras coisas que são necessárias.
Nunca saia e tente encontrar um amigo, um marido ou uma esposa, dinheiro ou trabalho.
Não busque essas coisas. Vá para dentro. Perceba Deus como a Substância do seu Ser,
como a natureza real do seu Ser. Perceba Deus como Lei, como a Vida Eterna. Perceba
que “eu vivo; não mais eu ...” É o Cristo que vive - o imortal, o Eterno Cristo dentro de
você. Então você descobre que a atividade desperta de sua Consciência aparecerá como
todas as formas de bem. Não volte para sua velha metafísica. Não tente demonstrar algo
ou alguém de fora. Se você se pegar pensando em querer algo lá fora, pare
imediatamente. Não alcance o exterior, mesmo mentalmente, por pessoa, lugar, coisa,
circunstância ou condição. Uma vez que você está neste caminho, não há uma pessoa,
lugar ou coisa que valha a pena ir atrás dessa maneira, porque, ainda que você consiga
aquilo que está procurando, isso se transformaria em pó em suas mãos. Está tudo bem
para a pessoa que não está neste caminho, que pensa que quer honras, lugar, posição
ou dinheiro. Depois de pegá-los, ela ainda amarra a si mesma a esses farrapos e acha
que tem algo em suas mãos: não consegue ver que eles já se transformaram em
farrapos ou poeira.
Nesse caminho, no entanto, no momento em que você adquire alguma coisa do mundo
exterior, você deve reconhecer o que você tem como nada, porque mesmo um vislumbre
dessa Verdade faz dessas coisas do mundo exterior um nada. E, no entanto, ninguém no
mundo pode ser tão apreciativo quanto nós somos do bem que vem a nós, quando vem,
quando acontece, como a realização dessa Verdade. Em outras palavras, seja a menor
coisa que vem para mim, ou a maior coisa, eu aprecio, eu gosto. Eu gosto das coisas
boas da vida. Eu gosto de vê-las se desdobrar. Eu gosto de vê-las aparecer, mas apenas
por uma razão: eu sei que não há mais nenhuma atividade mental ou qualquer tentativa
de alcançá-las. O que vier, vem como a Graça de Deus. Esta forma de vida é viver pela
Graça. Isso é viver sem pensar. Isso é viver para que toda a Vida, toda a Beleza e todo o
Bem venham como o Dom de Deus, como a Graça de Deus. É um belo modo de vida,
porque você tem tudo para tornar a vida plena e completa, mas você o tem apenas com o
amor e a alegria que as pessoas encontram ao dar a você. Você não tirou nada de
ninguém nem privou ninguém de nada, mas ao receber algum bem de ou através de uma
pessoa, você se alegra com o conhecimento de que seu próprio bem também foi
aumentado. É um belo modo de viver - esse viver através da Graça:

117
“Vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Cristo, agora, é a Substância Invisível, e
meu mundo é o Cristo ou Substância Invisível que aparece exteriormente como forma. A
Palavra se torna carne. Cristo, a Lei e a Substância Interior, torna-se visível ou tangível
exteriormente.
Você percebe o significado deste princípio? Você vê a sua maravilha e beleza? Cristo, a
Substância Invisível; Cristo, a Palavra; Cristo, a Consciência Espiritual Infinita do meu Ser
aparece de forma tangível e visível como forma.
Tudo o que está acontecendo no interior torna-se visível externamente. Não é necessário
transmiti-lo ao mundo. Na verdade, é impossível esconder esse bem; você não pode
esconder o Cristo. Uma vez que você tenha tomado o Nome e a Natureza do Cristo, e
depois de ter aceito esta carne “que não conheceis” como a Realidade do seu Ser, a
Substância Invisível, a Infinita Substância Invisível, ela aparecerá exteriormente em toda
a sua plenitude, mesmo como a alegria e brilho em seu rosto.
Espírito é Realidade. O Espírito é a Substância subjacente daquilo que é permanente, o
que é eterno e imortal. Se queremos a saúde eterna, se queremos a substância e o
suprimento eternos, só podemos obtê-los como Espírito. E assim, o Espírito, ou
Consciência Divina, agora se torna a realidade. Se você tem consciência da realidade do
Espírito, você não precisa se preocupar com as formas, se elas vêm ou vão. Realmente,
não faria diferença se Jesus fosse crucificado e enterrado em um túmulo, porque sua
Consciência de Si Mesmo como Espírito o fez reaparecer imediatamente na mesma
forma. A Crucificação só provou a Realidade do Espírito.
Assim é conosco, cada um de nós deve lembrar que não é importante demais tentar
salvar nossas próprias vidas: nossas vidas já estão salvas. Sua Vida é Espírito, e se, por
qualquer razão, parecer estar perdida ou enterrada, não acredite, e não se perturbe por
isso. Você se levantará do túmulo. Nunca houve sepultura que pudesse confinar o
Espírito, a Consciência, a Vida Eterna, o Cristo. E assim, a Consciência do Espírito se
torna sua Consciência da Vida Eterna, da Vida Imortal, da Substância Eterna, do
suprimento e de todo bem. Então deixe o Espírito ser uma Realidade para você. Comece
a ver e sentir o Espírito, do qual você atrai seu universo, do qual você extrai sua
experiência diária.
Deus é Espírito. Espírito é Alma. Alma é Consciência - sua e minha, individualmente. E
desse grande Invisível, esse Infinito Invisível, vem toda a forma. Então, façamos do
Espírito uma realidade, e deixemos de usar a palavra Cristo como se Cristo fosse algo de
2.000 anos atrás - algo separado de nós. Cristo ainda é o Bebê; e Cristo ainda está
nascendo na manjedoura da nossa crença humana, do nosso pensamento humano. Sim,
Cristo é uma Realidade Viva e é a Substância de todas as formas. Mas marque isto:

118
somente a nossa percepção consciente da Presença de Cristo faz com que Ele apareça
como forma visível. Não pense que este é o trabalho de um homem preguiçoso. Não
pense que orar sem cessar significa fazer um pouco de trabalho mental por dez minutos
pela manhã e outros dez à noite. "Orar sem cessar" significa o que diz: é viver
constantemente e continuamente no Espírito.

14 - CONSCIÊNCIA DE CRISTO
“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não como a dá o mundo, eu vos dou” (João
14:27). Na cena humana, temos que ganhar o nosso bem. Temos que ser dignos disso;
nós temos que ser merecedores disso. Temos que trabalhar para isso e trabalhar duro
para isso. No mundo humano, estamos constantemente fazendo um esforço físico ou
mental para trazer algo de bom em nossa experiência. Porém, a promessa é: "a Minha
Paz vos dou". Mas essa Paz prometida não vem do uso de esforço físico ou mental, nem
vem daquelas coisas que o mundo pode dar, como dinheiro, posição, ou lugar.
Em nosso Trabalho de Cura, não usamos meios físicos, mas hoje existem muitos
estudantes de metafísica que ainda usam muito esforço mental. No Caminho Infinito, no
entanto, estamos aprendendo a elevar-nos acima da necessidade de um trabalho mental
até mesmo de cura, a ponto de a cura vir pela Graça, como a Paz de Cristo. Por
exemplo, se me pedissem ajuda, e então imediatamente começasse a pensar
pensamentos, conhecer a Verdade ou fazer declarações da Verdade, isso seria um
esforço mental. Naturalmente, conhecer a Verdade é a nossa base, o nosso começo
neste trabalho. Nós sabemos a Verdade. Lembramos o que aprendemos sobre o
tratamento, começando com Deus e seguindo até a percepção de Deus. É verdade que
isso foi um esforço mental; mas essa mensagem correta da Verdade forma a base do
nosso trabalho, porque, sem ela, nosso Trabalho de Cura poderia ser o resultado de uma
fé cega ou ignorante. Há muitas ocasiões em que uma fé cega pode não ser forte o
suficiente para resistir às sugestões do mundo.
Se, no entanto, você conhece a Verdade do Ser, você sabe que Deus é Vida Individual e
que, portanto, a vida do indivíduo é tão permanente quanto a Vida que é Deus, você sabe
que a Mente Divina, ou Deus, é a Mente do Indivíduo e, portanto, não pode haver
aberração mental ou lapso de inteligência; você sabe que Deus, a Alma Divina, é
também a Alma do Indivíduo. Você sabe, também, que não pode haver pecado; o pecado
não pode existir como uma realidade, não pode existir como parte inerente ou duradoura
do Ser Individual. Quando você realmente sabe que seu suprimento não pode ser
descoberto no mundo, em moedas ou notas de dólar, mas que seu suprimento é sua

119
própria Consciência - Deus, sua própria Consciência - aparecendo para você em forma
visível, então você tem o conhecimento prático da Verdade, que é a base da cura.
Quando você absorveu a mensagem da Verdade, ou o conhecimento da Verdade, e
quando você fixou isto firmemente como base, você chega a um nível na Consciência
onde você não mais pensa ou requer pensamentos para trazer sua demonstração. A
experiência diária torna-se sua através da Graça, através da Paz de Cristo. Esse estado
de Paz é instaurado, não por algo que você faz ou pensa, mas por algo que o Cristo é, e
faz.
A Realidade do Cristo
Lembremo-nos disto: existe Algo chamado o Cristo. O Cristo não é apenas um nome
dado a alguma coisa intangível ou nebulosa. O Cristo é uma Realidade Divina, é uma
Presença Viva, é Onipresente. Está exatamente onde você está e exatamente onde
estou. Cristo não é uma pessoa. Cristo é um Princípio. É um Princípio da Vida. É um
Princípio de Deus, que forma a Realidade do seu Ser. Mas, por causa da experiência do
filho pródigo, entendemos o que é o poder físico, entendemos o que é poder mental; nós
sabemos o que é trabalhar duro, por nós mesmos; mas ainda não aprendemos a ficar
serenos e deixar o trabalho para o Cristo. Nós nos tornamos, pela crença, separados do
próprio Cristo do nosso Ser. É quase como se vivêssemos em uma casa com as
persianas desenhadas e nos acostumássemos a andar na escuridão, penumbra ou em
uma sala artificialmente iluminada. Com o passar do tempo, nós realmente
esqueceríamos que há algo como a luz do Sol, e que, do lado de fora das nossas
sombras desenhadas, está o sol, brilhante e quente. Em nossa humanidade, fizemos
exatamente isso. Nós tivemos as persianas desenhadas - nossas cortinas mentais. Isto é
o que Jesus quis dizer, quando disse: “tendo olhos, não vedes? e tendo ouvidos, não o
ouvis?” (Marcos 8:18). Essas faculdades espirituais foram fechadas, de modo que não
estamos cientes do fato de que, além do alcance de nossa humanidade, existe a
Divindade de nosso Ser, chamada de Cristo, o Espírito de Deus no homem.
Passo a passo, em nosso estudo, em nossa prática e em nossa associação uns com os
outros, desenvolvemos uma Consciência deste Poder Invisível Infinito ou Presença,
chamada de Cristo. Descobrimos que existe uma Presença Real conosco, que realiza
nosso trabalho por nós; Ele realiza através de nós; Ele executa como nós. Foi isso que
possibilitou Paulo dizer: “vivo; não mais eu, mas Cristo vive em mim”. Lembre-se de que
“Ele realiza aquilo que me é dado a fazer”, ou como o salmista diz: “Ele aperfeiçoa aquilo
que me diz respeito” (Salmos 138:8). Esse é o Cristo, e Cristo é o Princípio ou Espírito de
Deus presente em você como, digamos, sua integridade, sua lealdade, sua fidelidade,
sua confiabilidade. Essas são qualidades que você reconhece estarem presentes em
você; e você as reconhece, não porque as tenha visto ou ouvido, mas devido ao efeito

120
delas na sua experiência. Sua honestidade e integridade conquistaram para você o
respeito de seus associados de trabalho. Sua lealdade e sua fidelidade fizeram de você
bom cidadão, bom marido ou esposa, bom filho. Esses são os efeitos das qualidades de
integridade, lealdade, fidelidade, honestidade e confiabilidade. Mas há algo ainda maior
do que qualquer uma delas, algo maior do que todas juntas, e esse algo é a percepção e
o reconhecimento consciente deste Cristo, que pode e irá criar essas qualidades em nós,
mesmo se, e quando, elas parecem faltar.
O Cristo em nós é nossa Inteligência Divina, nossa Sabedoria Espiritual. Esta não é
sabedoria humana: a sabedoria humana pode cometer erros; a sabedoria humana pode
ser enganada. Nossa sabedoria humana é frequentemente baseada na experiência
passada ou no senso comum; mas o Cristo - essa Intuição Espiritual, essa Sabedoria
Espiritual, Orientação e Poder - nunca comete erros; e nos leva a fazer coisas que,
humanamente, podemos não achar sábias, ou que humanamente nem pensamos em
fazer. Podemos nem saber que passo devemos dar; mas esse Cristo, abrindo nossa
Consciência, dá o passo por nós, antes mesmo de estarmos conscientes de sua
necessidade.
Cristo é uma realidade. Cristo é aquele do qual você pode depender: você pode abrir seu
ouvido e ouvi-lo e, através dele, encontrar sua inspiração, sua orientação, sua direção.
Cristo é uma Consciência de Cura; e quando somos chamados para a cura de nós
mesmos ou de outros, se tocamos esse Cristo, não há mais necessidade de confiar em
declarações de Verdade ou em qualquer atividade. Este “Algo”, chamado de Salvador,
Princípio da Salvação, Presença de Cura, ou o Cristo que Cura, assume o controle. Ele
restaura, renova, constrói e reconstrói.
Cristo é uma Realidade. Cristo não é apenas um nome, um termo para alguma coisa
intangível. Não, Cristo é tão tangível em sua experiência quanto qualquer coisa que você
possa ver ou tocar. É tão real quanto um professor pessoal ou um livro - só que muito
mais. Se todos nós pudéssemos conhecer a Realidade, a Onipresença e a Onipotência
de Cristo, entenderíamos porque toda a nossa confiança pode ser colocada nele; e
entenderíamos que Ele vai adiante de nós, para fazer tudo o que é necessário que
façamos. Mas o Cristo é ainda mais que isso! É uma influência unificadora. Cristo é o
cimento, a influência unificadora, que nos une na compreensão.
Cristo é um fio invisível nos unindo, mas não só nós: Ele une todos os homens e
mulheres em todo o mundo, independentemente de sua raça, religião, credo ou região.
Todos aqueles que têm a intenção de ver o Reino de Deus manifestado na Terra são
mantidos juntos conosco, através deste fio do Cristo.

121
A Disponibilidade do Cristo
Você deve se lembrar de que, antes dos dias de cura metafísica, talvez fosse necessário
consultar um médico pessoalmente para restaurar sua saúde. Agora, através do seu
estudo da Verdade, você aprendeu que pode permanecer em casa ou fazer uma viagem
à Europa, África ou Ásia, e através de seu praticante, que pode estar em uma parte
totalmente diferente do mundo, você pode experimentar uma cura. Para você, não há
nada de misterioso nisso; mas para um médico ou um não-metafísico, é o mistério mais
profundo do mundo, que uma pessoa possa se sentar em uma sala em uma extremidade
da cidade e, através de seu trabalho, curar alguém do outro lado da cidade. Não é
nenhum mistério para você, porque lhe foi ensinado o Primeiro Princípio da Verdade, que
é que não somos mentes separadas, que não somos nem mesmo corpos separados. Há
apenas uma mente, e há apenas um corpo, e esse é o corpo de Cristo. Mesmo que
pareça infinitamente como seu corpo e meu corpo, ainda é o único corpo, e esse corpo é
Cristo. Há apenas uma Mente, o Instrumento de Deus, aparecendo individual e
infinitamente como sua mente e minha mente, mas é uma e a mesma Mente. Portanto,
não faz diferença se você me pede ajuda ou pede a alguém em Nova York ou na Cidade
do Cabo: você está chamando a Única Mente, que é a Mente do seu próprio Ser.
Isso a maioria de nós entende; mas você já percebeu que isso é apenas uma faceta da
Onipresença do Cristo? No passado, muitos de nós fomos ensinados a acreditar que é
necessário estar presente fisicamente, a fim de recebermos um ensinamento espiritual.
Hoje, à luz de nosso maior desdobramento, sabemos que você não apenas pode pedir
ajuda à distância e recebê-la, mas elevando-se ainda mais na consciência, pode até
mesmo ser ensinado espiritualmente, enquanto está sentado em sua própria casa ou
durante uma viagem à Europa. Por que não? Não é o seu corpo que está sendo
ensinado. Não é o seu cérebro que está recebendo a Verdade. É a sua Consciência, e
você já aprendeu que sua Consciência não está no seu corpo. Você já aprendeu que
você existe como Consciência. Você existe como essa Única Mente, e essa Mente não
está confinada ao seu corpo. Mas esta grande Verdade tem mais do que um valor
abstrato. Você achou isto bem prático no trabalho de cura, tão prático que alguns,
durante suas viagens, às vezes, conectaram ou telefonaram ao seu praticante pedindo
ajuda, e a receberam. Agora você vai descobrir que, sempre e onde quer que você abra
sua consciência para a Verdade, você a encontrará lá com você. Você pode estar em um
trem, em um navio afundando, ou em um avião caindo, mas se você abrir sua
consciência para a Verdade, você a encontrará lá. Cristo é o fio que existe entre o que
parece ser um número infinito de homens e mulheres. Se o Cristo, a Verdade, está em
qualquer lugar do mundo, então está onde quer que você esteja. Esse fio invisível, essa
Onipresença invisível, torna a Verdade disponível para você.

122
Isso explica como algumas das grandes curas - quero dizer, grandes curas espirituais -
ocorreram nos casos em que aqueles que foram curados não eram estudantes da
Verdade. Alguém se aproximou, rezou para seu conceito de Deus com um grande
anseio, uma grande intensidade, uma grande fé ou uma grande necessidade. Pode não
ter sido fé; pode não ter sido esperança; pode não ter sido nem mesmo um sentimento
religioso. Pode ter sido algo como: "oh, Deus, me ajude!" Algo como isso poderia ter
trazido ajuda. Naquela abertura da Consciência, o Cristo registrou-se (ora, apesar das
críticas do autor ao jeito “tradicional” de oração, essa é a situação comumente chamada
de Misericórdia de Deus – nota do trad. G. S.).
Onde estava aquele Cristo? Estava ali mesmo. Bem onde você está e exatamente onde
eu estou, o Cristo está. Hoje, os principais cientistas do mundo reconhecem que o tempo
e o espaço não são realidades. O mesmo lugar que estou ocupando, você está
ocupando. Você não pode ser localizado no tempo ou no espaço, porque você é Mente,
você é Vida Eterna, você é Espírito, Alma. É apenas enquanto pensa em si mesmo como
o corpo que vê no espelho e pensa que esse corpo é você, que você pode pensar em si
mesmo como sendo separado dos outros. Mas quando você para e usa a palavra “Eu”,
você certamente sabe que “Eu” é o Ser ou Consciência. A Consciência é Onipresente; e,
portanto, o Eu que eu sou, que é o Eu que é você, é Onipresente. Onde quer que você
esteja, está em sua plenitude. Nunca se esqueça disso. Não há um pouco ou uma parte
de Deus aqui. Deus, a Infinitude da Inteligência, do Amor e da Vida, é expresso em
todos, é expresso em toda a Sua Perfeição, exatamente onde eu estou e exatamente
onde você está, desde que somos a mesma Consciência.
Abra sua Consciência a qualquer momento, em qualquer lugar e sob qualquer
circunstância, e veja se a Verdade não está exatamente onde você está, pronta para se
comunicar com você. Uma vez que você teve a experiência desse tipo de iluminação,
você então saberá que, onde quer que a Consciência esteja - e não faz diferença onde,
no tempo e no espaço, possa parecer - é onde esta Verdade está disponível. Todos
aqueles que estão neste caminho, todos aqueles que estão abrindo sua Consciência
para esta Verdade têm toda a Verdade disponível para eles Agora.
Em todo o mundo, neste exato segundo, há pessoas que estão abrindo sua Consciência
para o Poder Espiritual, que podem desempenhar algum papel na paz mundial, na
prosperidade e harmonia universais. Quando eles abrem sua Consciência para essa
Verdade, ela está fluindo para eles. Isso não significa que estamos enviando para eles.
Significa que estamos recebendo, neste momento, da mesma Fonte da qual eles estão
recebendo, e que a Fonte é o Cristo. Quando você começar a entender o Cristo
impessoal, você entenderá o fio, o fio invisível que nos une, não apenas todos nós, mas
especialmente todos os homens inclinados a este caminho espiritual.

123
Se você sentir a necessidade de alguma Verdade para a cura de si mesmo ou de alguma
outra pessoa, não é necessário passar por nenhum processo mental de pensamento.
Apenas abra sua Consciência para a Luz, para a Verdade, para a Graça, para a Paz que
ultrapassa todo entendimento, para a Paz do Cristo. À medida que você aprende a fazer
isso, a doença será dissipada e a cura virá, seja sua ou de outra pessoa.
Você pode fazer o mesmo para o suprimento. Não se sente e pense em provisão; não
leve em consideração o fornecimento. Nós não demonstramos suprimento; mas onde
quer que pareça haver uma ausência de alguma forma, podemos nos sentar e abrir
nossa Consciência para a Presença de Cristo, para a revelação do suprimento, como fez
o profeta hebreu quando ele pediu ao Pai que abrisse os olhos de seu servo para que ele
pudesse ver. Quando os olhos do servo foram abertos, ele viu o suprimento ao redor
dele. Então, isso é conosco. Na verdade, não há falta, nem limitação. Na realidade, não
há mais falta de dólares em uma sala do que falta de ar. A oferta está aqui em seu infinito
e em sua abundância. Podemos, no entanto, achar necessário orar para que o Pai abra
nossos olhos, para que possamos contemplá-lo, porque, embora tenhamos olhos, nem
sempre vemos. Então o Pai, o Cristo, essa Presença gentil, essa Influência, abrirá
nossos olhos e veremos que toda a sala está cheia de notas de um dólar ou notas de
milhões de dólares, ou seja qual for a necessidade. Abra sua Consciência para essa
Verdade - esse influxo de Cristo. Deixe o Cristo mostrar-lhe os dólares, ou seja o que for
que você possa precisar.
Até certo ponto, usamos o pensamento. Usar o pensamento, no entanto, pode ser
comparado a uma escada ou ponte que nos leva ao lugar onde não precisamos mais de
tal ajuda; o pensamento nos leva a esse ponto em que abrimos nossa Consciência e
então deixamos que tudo flua dela. Quando abrimos nossa Consciência para a Verdade,
lembre-se de que a mesma Verdade que está sendo revelada a nós também está sendo
revelada a todos aqueles que têm sua Consciência aberta. Isso faz de nós um grupo
unido em todo o mundo - um grupo unido daqueles que não buscam nada para si
mesmos, mas que buscam apenas a Iluminação para o mundo.
A Paz que “Eu te dou” não é a paz que o mundo dá; não é o tipo de paz que qualquer
organização estabelecida com o propósito de trabalhar em direção a um mundo pacífico
pode dar. A Paz que “Eu dou” só pode vir quando você abre a sua Consciência, não por
algo para si mesmo, mas por Luz - Luz para o mundo, para seu paciente, para seu aluno,
para sua nação – para que a Glória de Deus possa brilhar sem cessar. Esse é o
verdadeiro propósito do Cristo. Não é para glorificar você ou eu com qualquer coisa de
natureza material. O propósito do Cristo não é mostrar uma infinidade de saúde e
riqueza; é revelar a Glória de Deus:

124
Que eu seja glorificado com a Glória de Deus. Não me dê saúde para que eu possa
mostrar o quão forte e bem eu estou. Não me dê abundante suprimento apenas para que
eu possa dizer: “veja o que meu entendimento fez por mim”. Dê-me saúde e dê-me
riqueza, não para mim ou para minha glória ou para meu entendimento, mas apenas
como evidência para o mundo do que é a Infinita Glória de Deus, quando abro minha
Consciência para isso. “E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela
glória que tinha contigo antes que o mundo existisse” (João 17:5).
O Cristo Nos Une
É um milagre e um mistério, mas esse fio de ouro, ou fio de prata, realmente existe. Na
realidade, é claro, nem ouro nem prata; não é nem tangível nem real ao sentido humano
de substância. É tão invisível e intangível para nossos sentidos físicos quanto o próprio
Espírito. No entanto, ele nos une em uma união indissolúvel, de modo que sempre que
um vidente, sábio, profeta ou qualquer indivíduo ganha algum vislumbre da Verdade,
esse vislumbre da Verdade automaticamente se torna disponível e viaja de um para outro
tão rápido quanto a velocidade da luz, ou mais rápido. Cada um nesse fio recebe a
mesma luz e a mesma intuição, a mesma orientação e a mesma direção.
Não há novas verdades. Por favor, acredite em mim, em toda a minha experiência eu
nunca encontrei uma Verdade que eu não tenha visto declarada nas escrituras antigas.
Eu nunca conheci uma Verdade que não possa ser encontrada na filosofia antiga. Ainda
não encontrei nada que seja novo em nenhum dos ensinamentos metafísicos. Tudo o
que é, sempre foi; e tudo o que é agora, sempre será. Ela está sempre disponível, mas
toca a Consciência - entra na Consciência em algum momento específico - e depois se
espalha. Agora está se espalhando pelo mundo. Aqueles que são incapazes de
compreendê-la com a fibra interior de sua Consciência não a compreenderão. Não é
sensato para a mente humana; mas, nunca, nada que seja espiritual é. Se aquilo que é
espiritual e verdadeiro fosse sensato para a mente humana, toda pessoa sensata teria
uma compreensão da Verdade Espiritual, mas sabemos que esse não é o caso, talvez
porque a Sabedoria do Mundo Espiritual seja loucura para os homens. A Verdade
Espiritual é encontrada apenas na Consciência daqueles que se elevaram acima do
senso comum ou da mera inteligência humana. Quantos hebreus viram o Cristo
ressuscitado depois da crucificação? Se todos os da Terra Santa o tivessem visto, então
o Judaísmo como um todo teria sido suplantado pelo Cristianismo, porque, tendo visto tal
evidência, eles não poderiam tê-lo negado; eles teriam que aceitá-lo. Mas muito poucos
dos hebreus viram o Cristo ressuscitado ou ascendido. Somente aqueles que já haviam
subido acima do senso humano, acima da inteligência humana. Somente aqueles poucos
hebreus que já haviam atingido uma medida da Consciência do Cristo, que estavam em

125
sintonia com o Invisível Infinito, que faziam parte desse cordão universal de prata -
apenas eles o viram; e eles formaram o núcleo do que é agora o Cristianismo.
Assim é hoje. A Revelação inspirada da Verdade Espiritual é tão prática que, em três
quartos de século, milhares, centenas de milhares experimentaram a cura do corpo, da
mente e da alma. Eles experimentaram a regeneração física, mental e moral. Você não
pensaria, com este Cristo visível no mundo hoje, que o mundo inteiro seria um seguidor
do Cristo? Mas há muito poucos que seguem o Cristo, que aprenderam a se apoiar no
Infinito Invisível e confiar nele.
"Eu Escolhi Você"
O Cristo não apenas ressuscitou; o Cristo foi levantado. Está acima de qualquer senso de
limitação. Mas o Cristo deve ser percebido. O Cristo não pode simplesmente ser
pregado: o Cristo deve ser realizado. Quando Ele toca a sua Consciência e a minha, Ele
nos torna Um com cada indivíduo no céu, na terra ou abaixo da terra. Nos faz Um com
toda a Vida. A partir desse momento, estamos sempre recebendo do Infinito Invisível.
Você ficaria surpreso em saber que não só vem de professores humanos que falam a
Palavra para você, mas vem de professores invisíveis, professores escondidos dentro de
sua própria Consciência. Há, neste momento, dentro de sua própria Consciência, o
Mestre, o Revelador, porque desde que sua Consciência é Infinita, nada pode existir fora
de sua Consciência. Portanto, abrindo sua Consciência para o Infinito Revelador, para o
Infinito Mestre, o Infinito Curador, você se descobre Um com Ele. Você se encontra Uno
com este Princípio Universal e o encontra atuante e operando em sua experiência.
Ninguém pode influenciar o Cristo. Ninguém pode pedir nada ao Cristo. Ninguém pode
decidir o que gostaria de fazer ou ser, ou qual parte gostaria de interpretar no mundo. É o
Cristo que determina isso para nós. Tudo o que podemos fazer é abrir nossa Consciência
para o seu influxo e então deixar que Ele tenha o Seu caminho conosco. Isso fará de
alguns de nós praticantes, alguns professores, alguns pesquisadores, alguns escritores.
Outros não levarão a fundo esse Trabalho Espiritual, mas Ele pode nos iluminar nos
caminhos do mundo, para que possamos desempenhar um papel mais construtivo nos
assuntos humanos. Muitos grandes homens e mulheres foram inspirados pelo Cristo;
certamente George Washington e Benjamin Franklin eram. Ao longo da história, sempre
houve aqueles que foram inspirados pelo Cristo, que os levou ao papel particular que
deviam desempenhar nos eventos mundiais. Joana d'Arc é um exemplo de uma jovem
simples que, sob inspiração divina, desempenhou um papel significativo em uma fase da
história humana. Ela não poderia ter escolhido essa parte em particular. Ninguém pode
escolher ser uma Joana d'Arc, um Benjamin Franklin, um Abraham Lincoln, um George
Fox, ou quem quer que seja que age sob orientação divina ou inspiração divina neste

126
mundo humano. “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós” (João
15:16).
É sempre o Cristo que toca a Consciência e prevalesce pelo reconhecimento. O ser
humano nunca procura o Cristo. O Cristo já tocou sua Consciência e a minha em algum
grau, e somente a profundidade da densidade da humanidade impede que ela entre em
plena e completa manifestação. Mas nos tocou. Ela já se manifestou em nós e para nós e
através de nós, e nos levou através de cada passo que tomamos para nos levar ao nosso
presente estado de desenvolvimento. O mesmo Cristo que nos trouxe até este ponto nos
levará mais longe. Tudo o que se espera de nós é que sejamos receptivos e responsivos
a Ele, que o reconheçamos aberta e conscientemente. Reconheça a Presença de Cristo,
e você pode ter certeza de que, em um grau cada vez maior, ela se apoderará de você:
ela se revelará cada vez mais em sua experiência, levando-o a qualquer lugar que você
possa ocupar no plano espiritual.
Como Identidade Espiritual, somos parte do plano de Deus. Somos parte de um Princípio
Universal Divino, que é o Princípio Criativo deste Universo Espiritual, o Princípio
governante, que está sempre em perfeita operação. Neste Universo Espiritual, não há
pecado, nem doença, nem discórdia, nem guerra. Tudo o que existe é perfeita Harmonia,
Paz e Amor. Este mesmo estado de Paz pode e deve ser desfrutado por todos na Terra.
Não há monopólio dele; nenhuma pessoa ou grupo de pessoas o inventou ou criou. Mas
desce sobre aqueles que, de uma maneira ou de outra, abrem sua Consciência para ele.
Onde quer que estejamos - na terra, no céu ou embaixo da terra - somos Um, e somos
Uma Só Consciência. Temos apenas que pensar um no outro, e instantaneamente,
qualquer que seja a Verdade que se manifesta em um, imediatamente se torna disponível
para todos aqueles que o contatam e sintonizam com ele. Assim, devemos nos levar para
a eternidade. Por quê? Não será através de qualquer poder humano, mas por causa do
Cristo e da abertura de nossa Consciência para o Cristo, que corre ao longo deste fio
espiritual invisível, tornando-nos todos da família da fé. E assim é. Não é que não
abençoemos todo o mundo da mesma forma que abençoamos uns aos outros, isto é,
abençoemos aqueles de nós que são da família da fé; mas é apenas que muitas das
pessoas do mundo não estão dispostas, neste momento, a abrirem sua consciência para
sentirem esse fio invisível que nos une, nos tornando Um em Cristo Jesus.

15 - MEDITAÇÃO E CURA
A meditação é o segredo de todo esse trabalho. Se você conseguir captar a visão do
Caminho Infinito, descobrirá que a meditação é responsável por pelo menos noventa por

127
cento desse sucesso. Você descobrirá que a meditação não é apenas aquilo que abre a
Consciência, a meditação é o modo e os meios de levar o Cristo à manifestação.
Muitas pessoas têm medo da meditação porque acham que ela sempre esteve
intimamente associada ao Oriente. No Ocidente, em nosso mundo ocidental, não existe
tal prática como a meditação, exceto entre os Quakers (isso não é verdade... Temos
muitas linhagens e místicos contemplativos em toda a história do Cristianismo... – nota
do trad. G. S.). Eles praticaram, é claro, a meditação desde o início de sua organização.
Mas, além deles e dos vários grupos orientais, a meditação é praticamente desconhecida
no mundo ocidental. No entanto, a meditação é o seu ponto de contato com a Divindade.
O Reino de Deus está dentro de você, e é dentro de você mesmo que você deve
encontrar Deus. Pois, embora você possa ser levado de volta ao Reino por meio de
professores e ensinamentos ou mesmo livros, eles servem apenas a um propósito, pois
eles o conduzem de volta às profundezas do seu próprio Ser, e é lá que você deve
encontrar Deus, através da meditação.
As organizações desempenham uma função valiosa no mundo, mas essa função deveria
ser fornecer um professor ou um livro que ajudaria os alunos a encontrar o Reino de
Deus dentro de seu próprio Ser. Além de professores e livros, as organizações também
podem fornecer um lugar onde os alunos podem ir para meditação e comunhão,
enquanto estão no estágio de transição; enquanto buscam a Deus, buscam o Reino.
A meu ver, não há razão para que algumas organizações religiosas não existam para
sempre. Eu não vejo nenhuma razão, na nossa era, para que elas fossem extintas. Mas
eu digo que o propósito delas, na fase inicial de nossa busca por Deus, é nos fornecer
livros, mestres, ensinamentos, serviços ou o que for que precisemos para nos ajudar a
encontrar o Reino de Deus. A função de uma igreja ou organização é nos conduzir ao
Reino de Deus. Então, quando tiver revelado Deus para nós, terá servido a seu
propósito, e devemos estar livres para seguir nosso caminho, dentro ou fora da igreja, da
maneira que escolhermos.
O trabalho do Caminho Infinito é revelar o Reino de Deus dentro do seu próprio Ser. Eu
nunca conheci ninguém que tenha alcançado a plenitude da realização de Deus, mas em
medida e grau, estamos progredindo mais, ano após ano. Por essa razão, então, é certo
que eu lhe diga e compartilhe com você todas essas coisas sobre a Verdade, como tenho
feito. Mas se eu não ajudá-lo a alcançar a capacidade de meditar, você não chegará ao
passo final de encontrar Deus face a face. E é isso que você deve fazer. Você tem que
encontrar Deus. Você tem que encontrar Deus face a face.

128
O Propósito da Meditação
Portanto, não praticamos a meditação apenas para nos sentarmos quietos, ou apenas
para obter uma atenção firme e centrada naquilo que chamamos de Deus. Nossa
meditação é com o propósito de encontrar um silêncio interior, de modo que a Presença
e o Poder de Deus possam se manifestar em nossa Consciência Individual; e então isso
nos permite viver nossas vidas como Paulo viveu a sua. "Vivo, não mais eu, mas Cristo
vive em mim”. Através da meditação, você encontrará a Presença e o Poder do Cristo, e
Ele viverá sua experiência. Lembre-se disso: não é sábio passar muito tempo em
meditação, não é sábio ficar sentado por uma hora ou duas. Isso pode entorpecer a
percepção, em vez de aguçá-la. Pode demorar um pouco até conseguirmos o silêncio ou
quietude; mas quando o fizermos, e sentirmos esse silêncio, vamos levantar-nos e
encerrar a meditação. Normalmente, devemos ser capazes de nos encontrar nesta
quietude e neste silêncio em dois, três ou quatro minutos. Às vezes, pode levar dez ou
quinze minutos, se a pressão do lado de fora for muito forte. Mas, ao final de dez ou
quinze minutos, deveríamos ter alcançado uma sensação de Paz Interior. Então, depois
de ter levado mais um minuto ou dois para deixar essa Presença se manifestar ou se
anunciar, deveríamos cuidar de nossos negócios.
Em outras palavras, a meditação não é um fim em si mesmo. É um meio para um fim. É
meramente um veículo através do qual alcançamos uma Consciência da Presença de
Deus. Há algumas pessoas que usam a meditação como um fim em si. Tudo o que elas
querem fazer é sentar-se por uma ou duas horas ou três no silêncio. Não faça isso. Use a
meditação como um meio para um fim, como o meio de ficar quieto por um momento
para sentir a Presença de Deus, e isso é tudo.
Se você tem um problema, seja seu próprio ou do paciente, não leve o problema com
você para a meditação. Quando você faz um tratamento, o propósito do seu tratamento é
lembrar-se da Verdade do Ser, e assim elevar-se a um estado de receptividade, a um
grau de Consciência em que você pode ficar quieto e deixar que a mente que estava em
Cristo Jesus também esteja em você.
Quando você recebe o sinal de que você tocou essa mente, ou que essa mente o tocou,
quando você ouve aquela resposta que diz a você: "tudo está bem" ou "está feito" ou
"estou aqui", quando você sente que um peso saiu do seu ombro, ou quando você sente
uma sensação de leveza dentro de si, esta é a evidência de que Ele está com você. Este
é Aquele que realiza o que lhe é dado fazer - aquela Presença gentil, aquele Cristo
Interior, esse Espírito de Deus. Uma vez que você tenha sentido esse “clique”, é como se
você O tivesse libertado; e então, como ondas de rádio, Ele sai e cobre o mundo inteiro,
de modo que o que quer que seja alcançado por você, é alcançado por aquele Espírito,
que foi contatado ou percebido. É como se você tivesse pressionado uma tecla

129
telegráfica aqui e, no instante seguinte, a mensagem fosse recebida do outro lado, em
Nova York, Londres ou Paris.
No momento em que você toca essa Chave Interior, esse Ser Interior, ela percorre o
mundo todo, para aperfeiçoar e executar o que é necessário para o cumprimento de sua
demonstração. Se for necessário fazer um contato com alguém na Ásia para trazê-lo até
você, será necessário. Se for necessário fazer um contato com alguém da casa ao lado,
se um professor ou um livro for necessário, ou se for para protegê-lo do perigo ou para
abrir a estrada para você quando você estiver dirigindo, Ele fará todas as coisas.
Construindo uma Fundação Espiritual para o Trabalho de Cura
Este ensino tem um propósito primordial: levar você a um lugar de contato real com a
Presença e o Poder de Deus. A mensagem da Verdade lhe dá uma base sólida sobre a
qual construir o Espírito ou a Consciência da Verdade. De fato, depois de ter construído
essa Consciência da Verdade, uma vez que você tenha tocado o Cristo, pode esquecer
tudo sobre a mensagem da Verdade. Quando você realmente sentir a Presença, então
não fará diferença se você alguma vez use um tratamento, ou se você já aprendeu o que
é um tratamento. Os grandes videntes espirituais de todos os tempos tiveram o Espírito,
mas muito poucos deles sabiam qual era a mensagem da Verdade. Em nossos dias, a
mensagem da Verdade serve para aqueles de nós que não nasceram com o Espírito
plenamente desenvolvido. serve como fundamento. Mas depois de termos construído
nossa fundação, depois de levantarmos a superestrutura do Espírito daquele templo que
não é feito com as mãos, esse Entendimento Espiritual, então, se quisermos, poderemos
descartar o tratamento ou a mensagem da Verdade.
Na maior parte do meu trabalho de cura, muito pouco da mensagem é usada, mas até
agora não consegui eliminar totalmente o tratamento. Eu nunca fui capaz de deixar
passar um único dia sem um tratamento de alguma forma, sobre algum assunto. Ele
desempenha um papel cada vez menos importante no meu trabalho de cura, mas uma
parte cada vez maior no trabalho de ensino. Há muitos estudantes da Verdade que não
foram bem fundamentados na mensagem. Eles não sabem qual é o Princípio que eles
estão tentando demonstrar. Eles não sabem qual é a base da nossa Existência Espiritual.
Chegou a hora em que todos os alunos devem saber mais sobre esse Princípio. Se você
não conhece a base que forma o seu tratamento, então seu tratamento é de pouco valor.
Se você não conhece a premissa de que Deus é a Realidade do seu Ser, que tudo o que
é verdadeiro em Deus é verdade em você, e que somente aquilo que é verdadeiro em
Deus é verdadeiro em você, você não tem base espiritual. E, no entanto, quão poucos
praticantes conhecem esse Princípio! Por essa razão, eu oro, e oro diligentemente, fiel e
sinceramente, para que todos aprendam a mensagem da Verdade - aprendam o
Princípio no qual este trabalho se baseia.

130
Depois de ter aprendido a mensagem da Verdade, medite até que você realmente tenha
percebido uma Consciência Interior, um sentimento da Presença. Quando você tem essa
Consciência, você tem a capacidade de cura. “Eu, de mim mesmo, nada posso fazer”,
mas quando você captou a Consciência dessa Presença, você tem com você essa
Presença que pode sair e curar qualquer tipo de doença. A Consciência do Cristo pode
superar qualquer fase de falta ou limitação. Pode tornar qualquer tipo de relacionamento
harmonioso - família, comunidade, nacional ou internacional. Ele pode fazer todas essas
coisas por você, já que é a própria Mente ou Princípio que curou e alimentou as
multidões de antigamente. Isso foi feito, não apenas pelo Mestre, mas as mesmas coisas
foram feitas por Moisés, Elias, Eliseu e muitos outros profetas e videntes.
Obtenha a Consciência da Presença de Deus; ganhe o sentimento consciente desta Voz
Interior, deste Eu Interior, desta Paz Interior, e então observe o que acontece. Ela atende
a própria pessoa em quem você está pensando. Vai diretamente para a parte do corpo
afetada, e cura, altera ou corrige. Ele vai até os confins da Terra. Ele encontra os ossos,
a medula, toda a estrutura de cima a baixo. Quem? O Cristo - quando você o alcançou,
quando você o sentiu, quando você o tocou, e quando Ele tocou você por dentro. Então
você pode dizer: “ah, Ele faz as coisas que me são dadas a fazer. Ele aperfeiçoa aquilo
que me preocupa. Vai adiante de mim para endireitar os caminhos tortos. Ele caminha ao
meu lado. Ele vem por trás como retaguarda”. Ele, de quem estamos falando, é o Cristo,
Aquele que realiza todas as coisas. Não estamos falando de um Ele em um livro ou de
um Ele a quem você ora - não existe tal Ele. O único Ele que existe, é um que você
contata dentro do seu próprio Ser. Esse é o único lugar em que você pode entrar em
contato. O Reino de Deus está dentro de você. “Eu, de mim mesmo, nada posso fazer…
o Pai que habita em mim, Ele faz as obras”. Há um princípio que cura, que salva, que, de
fato, é um Modo de Viver Espiritual. Existe um Princípio que viverá sua vida
perfeitamente para você, que o levará a pastos verdes.
Que aqueles que estão emergindo do conceito tradicional de Deus usem o pensamento
correto e usem declarações da Verdade da maneira que quiserem usá-las. Mas você que
chegou a este ponto deveria começar agora a tocar, ou ser tocado, por aquele Cristo, por
aquele Poder e Presença Interiores. “Deixe esta Mente estar em você”, “haja em vós a
mesma mente que havia também em Cristo Jesus” (Filipenses 2:5). A única maneira pela
qual você pode ser tocado pelo Cristo e deixar essa Mente estar em você é abrir sua
Consciência e deixá-la entrar. Quando ela diz “deixe”, isso realmente significa deixar.
Deixe entrar!
Abra a Consciência. Aprenda a manter seu ouvido aberto em suas meditações, de modo
a permitir que Ele entre. Espere até senti-lo dentro de si e, de repente, estará bem ali -
talvez sobre seu coração. Então você poderá dizer: “Ele aperfeiçoa aquilo que me diz

131
respeito. Ele cumpre aquilo que me é dado a fazer”. Você O conhecerá, porque de quem
você está falando é Aquele que você realmente contatou internamente, aquele que você
realmente percebeu e sentiu.
Você começa a ver a importância da meditação neste trabalho? Na meditação, você se
afasta da imagem o tempo suficiente para permitir que Ele, aquela Mente que também
estava em Cristo Jesus, entre. Apenas fique quieto. Apenas fique em silêncio por tempo
suficiente, e algum dia você descobrirá que Deus se revela, não apenas no silêncio, mas
como silêncio. Deus é o Grande Silêncio. É um Sentimento, uma Consciência, um Estado
de Ser - um maravilhoso e alegre Estado de Ser.
Nem Bons Nem Maus Pensamentos São Poder
O Cristo não é uma atividade mental. Não pode ser induzido por nenhum tipo de legado
mental. É inútil tentar expressá-lo por pensamentos; pensamentos não vão fazê-lo. O
pensamento não é poder: bons pensamentos não são poder, e maus pensamentos,
pensamentos errôneos, não são poder. Eles não vão machucar ninguém, exceto o
indivíduo que lhes dá poder. Não se trate de nada. O único tratamento que é legítimo é
um tratamento que leva seu pensamento à percepção de Deus como Onipresente, e
resulta na sensação de Sua Presença. Seu tratamento nunca é contra o reumatismo, seu
tratamento nunca é contra ressentimento, desonestidade ou injustiça. Se você se
esforçar demais contra essas qualidades, provavelmente irá engendrá-las. Quanto mais
uma pessoa luta contra a inveja, a desonestidade e outras características indesejáveis,
mais delas ela vai encontrar. Quando você trata, trate para sentir a Presença de Deus,
para a percepção da Presença de Deus como seu Ser Individual. E quando você tiver
tratado, seja paciente por um tempo, e deixe esse sentimento vir. Os maus pensamentos
do mundo não são poder. O mal não é um poder. O pecado, em qualquer forma, não é
um poder, não é uma presença; e seu reconhecimento disso é o agente de cura.
Quando dizemos que a doença é uma ilusão, isso não significa que a ilusão está lá fora
no tempo e no espaço, e que você, como praticante ou metafísico, está sendo chamado
a destruí-la. Não há ilusão lá fora. A ilusão está na mente daquele que acredita nela, e
esse é o único lugar onde ela precisa ser destruída. Você nunca remove malefícios de
ninguém; não há nenhum para remover. Isso é uma crença, e é seu reconhecimento da
verdade de que existe apenas como uma crença que é sua habilidade de cura. Não saia
do seu próprio Ser para curar alguém. Não há nada de errado com o paciente. Você está
mantendo uma crença falsa sobre ele. Corrija isso em seu próprio pensamento. Esse
mal, então, esse pensamento errado, não é um poder; existe apenas como falso sentido;
e o seu reconhecimento disso como um falso sentido é a capacidade de cura – e não
reconhecer verdades sobre isso, saber que é mentira, que isso não é verdade ou que

132
não existe em mente. Há apenas uma coisa que é necessário conhecer no Trabalho de
Cura, e essa é a não-existência de qualquer forma de erro como uma entidade ou poder.
Da mesma forma, um bom pensamento não é poder. Se um bom pensamento fosse
poder, não creio que nenhum de nós, quando crianças, perderia nossos pais; e tenho
certeza de que os pais nunca perderiam um filho, porque tudo o que teriam que fazer
seria pensar bons pensamentos suficientes e acabar com todo esse absurdo de pecado,
doença, morte e prisão. Pensar bons pensamentos, no entanto, não o fará. Bons
pensamentos e Verdade são totalmente diferentes. A Verdade não é um pensamento e
não é uma afirmação. A Verdade é um Estado de Consciência. É um estado de
Consciência, uma compreensão do não poder daquilo que aparece como bons
pensamentos e maus pensamentos. É um toque do Cristo. Isso é Verdade. Verdade e
Cristo são sinônimos. Portanto, a Verdade não é nada que você possa ler em um livro. A
Verdade não é nada que você possa ouvir com seus ouvidos. A Verdade é o Cristo, e o
Cristo é essa Consciência Interior. Portanto, quando você tem essa Consciência Crística,
você não tem apenas bons pensamentos; você tem o poder da Mente que estava em
Cristo Jesus, sem nenhum pensamento. Se isso envia um pensamento para você, isso é
bem, isso é bom; mas lembre-se, é Ele, o Cristo, que realiza qualquer bem, e não o
pensamento. É tão essencial perceber que bons pensamentos não são poder quanto é
perceber que maus pensamentos não são poder. Então você nunca confiará no
pensamento ou terá medo do pensamento.
Agora, vamos ver como isso funciona na prática. Suponha que você estivesse
inconsciente e não pudesse pensar e, conseqüentemente, não pudesse alcançar seu
praticante. Você está sem esperança nesse caso? Não, se você está vivendo, se
movendo e tendo o seu Ser em Deus. Você descobrirá que, mesmo inconsciente, isso
não faria qualquer diferença; que o Poder de Deus, com ou sem pensamento, é sua
proteção. Nunca se esqueça disso. Se você se torna dependente de um pensamento,
está se tornando dependente de um efeito. Poderia haver um pensamento, se não
houvesse mente? Você está dependendo da mente ou do pensamento? É a Mente que é
Onipresença, não pensamento. Aprenda a confiar na Verdade: Eu já Sou. Nada pode
impedi-lo. Isso não é um pensamento: isso é a Verdade. Se vivemos com a Verdade por
tempo suficiente, ela se torna um estado estabelecido de Consciência.
Consciência e Mente Não São Sinônimos
O sentido de Consciência vai um passo bem mais alto do que o senso comum da palavra
consciência, já que a Consciência se torna uma percepção consciente sem um processo
ou esforço ou procedimento mental. É como dizer que estamos conscientes de nossa
integridade, mas sem que tenhamos consciência de tê-la desenvolvido ou causado.
Estamos conscientes da integridade; estamos cientes da integridade, mas nunca

133
pensamos conscientemente nisso, exceto quando ela está ausente. Assim, a
Consciência não é apenas sinônimo de percepção, mas muito mais: é um senso
estabelecido de percepção, sem um processo. Em meus escritos, faço uma distinção
entre a palavra “Consciência” e a palavra “mente”. Entendida corretamente, a mente não
é sinônimo de Deus, porque a mente implica um processo mental ou atividade mental da
consciência, uma atividade mental da percepção, que, claro, não é Deus. Deus
simplesmente é. Corretamente falando, a mente, então, seria um agente humano e não
poderia ser sinônimo de Deus. Por outro lado, Deus é Consciência e, como a
Consciência é percepção sem um processo, é um termo muito mais abrangente do que a
mente. A mente pode ser pensada como uma faceta da Consciência, como um
instrumento ou atividade de Deus, Consciência, mas nunca como Deus (no entanto,
muitas vezes ele mesmo usa a palavra “Mente” com o sentido de Deus... Por isso, passei
a usar a letra maiúscula nas traduções... Mas o termo é certamente inadequado e gera
muita confusão! Eu não o usaria de forma alguma, a não ser no sentido humano. Por isso
este parágrafo é muito importante e merece toda a atenção – nota do trad. G. S.).
Muitas pessoas acreditam que os pensamentos são coisas, e que o pensamento pode
mudar a cena humana. Neste ensinamento, quando dizemos que "pensamentos não são
coisas", queremos dizer que o pensamento não é um princípio criativo. Independente do
quanto você pensa, você não pode criar nada com o seu pensamento. Tudo o que você
pode fazer com o seu pensamento é tornar-se consciente daquilo que é. Com o seu
pensamento, ou através do seu pensamento, você se torna consciente de que duas
vezes dois são quatro, ou se torna consciente do céu azul, do oceano, da alta montanha
ou do vale profundo; mas seu pensamento não criará essas coisas. Você pode se tornar
consciente, pelo menos em parte, da própria Presença e Poder de Deus. Mas você está
criando a Presença e o Poder de Deus? Você pode criar a Presença e o Poder de Deus?
Não! Deus é a Inteligência Infinita e Onisciente que conhece a sua necessidade muito
antes de você, e é de Seu agrado dar-lhe o Reino. Portanto, você não deve pensar
naquilo que precisa, mas deixe que esta Mente Onisciente, Vida, Verdade, Amor, Alma,
saiba qual é a sua necessidade sem que você diga, e permita que Ela tenha o prazer de
provê-la a você. Então você se torna um observador da atividade de Deus, a Consciência
Divina de seu Ser, no trabalho.
Deus não é um pensamento. Deus é Realidade Divina, Ser Divino. Enquanto penso na
Verdade, penso em religião ou penso em Deus, a Ideia Divina se manifesta e, através do
pensamento, tomo consciência disso. Eu criei Deus? Eu criei a Verdade? Você já criou
Amor ou Vida? Não, essas são Ideias Divinas. São Realidades Divinas que existem
desde antes do início dos tempos, e nos tornamos conscientes delas. Lembre-se sempre
de que não há uma coisa manifesta no mundo, não há uma Verdade manifesta no

134
mundo, não há uma Ideia Divina no mundo que você possa criar. Mas você pode se
tornar consciente de toda Verdade e toda Ideia. E isso é realizado através da meditação.

16 - CURA E SILÊNCIO
A partir do momento em que um paciente pede ajuda, a responsabilidade pela cura recai
sobre o praticante. É responsabilidade do praticante viver, mover-se e ter o seu Ser na
Presença Divina e como Presença Divina. E sua vida deve ser vivida de acordo com esse
padrão. Ele deve ter crescido nesse Estado de Consciência no qual ele percebe
plenamente sua Unidade com Deus, de modo que ele não procura por pessoa, lugar ou
coisa por nada, e nunca permite que coisas como inveja, ciúme, malícia ou luxúria
entrem em sua Consciência.
Nós não nos colocamos como curadores de doenças; somos seguidores do Caminho
Espiritual da Vida, no qual, se você busca primeiro o Reino de Deus, todas estas outras
coisas serão adicionadas a você. É uma coisa maravilhosa que um grão dessa Verdade
faça tantas maravilhas. Muitas vezes as pessoas que não estão no caminho espiritual
podem ser facilmente curadas por um praticante. No entanto, até mesmo o Mestre
encontrou aqueles que ele não podia curar, por causa de sua incredulidade. Muitas vezes
ele perguntou às pessoas se elas acreditavam que ele poderia curá-las. Quando ele falou
de crença e fé, ele realmente quis dizer uma crença e fé mostrada em ações. Ele sabia
quantos são convidados para a festa espiritual e quão poucos chegam: estão ocupados
demais com outros compromissos.
Nenhum praticante pode assumir a responsabilidade de trazer uma cura, se o paciente
estiver continuamente preenchendo sua mente com os prazeres e atividades deste
mundo. Se o paciente insiste em ouvir o rádio ou assistir televisão de manhã até a noite,
ou sentado em uma mesa de jogo ou mesa de bar, hora após hora, ele está se
separando de seu bem, porque, tendo ouvidos, não consegue ouvir o que o Espírito está
dizendo. Ele não conseguiria uma cura se estivesse sentado à entrada de sua porta,
porque não estaria em casa. “Tendo olhos, não vedes, tendo ouvidos, não ouvis.”
Certamente o paciente não ouve ou vê, se está tão ocupado com coisas mundanas que
não tem tempo para ouvir a Voz do Senhor, que é como um trovão no silêncio. Em tais
casos, o paciente não deve culpar o praticante.
O praticante não pede cooperação no sentido de insistir que o paciente siga um curso de
ação prescrito e estabelecido pelo praticante. Não se pede ao paciente que leia tantas
páginas em um livro, que compre um livro, dê dízimo ou vá a uma certa igreja. O
praticante simplesmente diz: “solte tudo e deixe isso cair aos meus pés, desde que você

135
sinta que este é o seu caminho, e que você pode ser ajudado; solte tudo; Eu cuidarei
disso".
O praticante assume a responsabilidade, mas ele não garante a cura. Isso não está na
âmbito do praticante. Eu me lembro bem quantas vezes eu não recebi a cura de
praticantes - mesmo bons praticantes, consagrados - e depois aprendi alguma lição que
eu preferiria ter recebido do que a cura - uma lição que poderia não ter sido aprendida, se
eu não tivesse que ficar perto da Verdade. Nós, nós mesmos, não podemos julgar a
razão pela qual a cura de alguém demora, porque é lenta ou porque ela não vem. Pode
muito bem ser que exista algo direcionando esse indivíduo aos reinos mais elevados, e
talvez esse atraso possa ser o meio para um desdobramento maior. Isso, no entanto, não
deve ser um álibi para o fracasso. Devemos arcar com a responsabilidade por cada cura
e, se ela não vier, só podemos reconhecer: "bem, se eu tivesse dado um passo mais alto,
poderia ter conseguido" (sim, mas “fiz o melhor que eu pude naquele momento” – nota do
trad. G. S.).
Por outro lado, nós, que aceitamos as palavras do Mestre, devemos lembrar o que ele
disse: “E, se ninguém vos receber... sacudi o pó dos vossos pés” (Mateus 10:14). Há
muitos que vêm a nós e gostariam de ser curados por nós, mas eles não estão nos
recebendo. Eles não estão nem ouvindo e nem tentando entender a mensagem. Tudo o
que eles estão interessados é: “quando vou conseguir essa cura? quando a dor vai
parar?” Nosso trabalho não é primariamente uma agência de cura. Esse não é o nosso
trabalho. Nosso trabalho é mostrar o Reino de Deus e deixar que essas outras coisas
sejam acrescentadas.
O Espírito Santo
Em nosso desenvolvimento atual, parece que precisamos de olhos para ver e ouvidos
para ouvir, mas esses sentidos são necessários apenas em nosso presente e limitado
conceito de vida. No momento em que nos tornamos uma Consciência mais elevada,
descobriremos que estamos conscientes de todo o universo, sem a ajuda dos sentidos
de ouvir, ver, saborear, tocar ou cheirar.
O Espírito Santo é aquela percepção espiritual ou Real Consciência Espiritual. Quando
você espiritualmente discernir qualquer coisa, você pode se referir a isso como o Espírito
Santo ou a descida do Espírito Santo. O Espírito Santo é um termo religioso ou bíblico
para chegar à percepção da Consciência Espiritual. Sua percepção espiritual, sua
Consciência Espiritual, deve revelar o Cristo a você, porque, com seus sentidos físicos de
ver, ouvir, provar, tocar ou cheirar, você não poderia estar ciente disso. Esse sentido
mais elevado, que é, na verdade, a Iluminação Espiritual, é necessário.

136
Até certo ponto, todo metafísico tocou ou provou o Espírito Santo. Todo metafísico que já
realizou alguma cura, necessariamente, tocou o Espírito Santo, pois toda cura é feita
através do Discernimento Espiritual. Eu quero dizer Cura Espiritual. Toda Cura Espiritual
é feita através do Discernimento Espiritual. Através do Sentido Espiritual, você produz a
cura. Esse é o Espírito Santo. Sem esse Sentido Espiritual, você estaria simplesmente
vendo algo e acreditando no que estava vendo. A Cura Espiritual é o Discernimento, a
Visão Interior, que permite à pessoa olhar para a humanidade mortal pecadora e dizer:
“aqui está o Cristo”. É o que permitiu ao Mestre dizer: “Pai, perdoa-lhes; porque eles não
sabem o que fazem ” (Lucas 23:34), porque ele podia ver até o coração, através da
aparência. Quase todo pessoa no mundo tem olhos e pode ver a humanidade com todas
as suas fragilidades e defeitos, mas o importante é: tendo olhos, você pode realmente
ver? Quando você tem olhos que realmente vêem, não há mais nenhuma crítica,
julgamento ou condenação do pecado; e o que é mais importante, não há medo da
doença. Quando somos chamados por ajuda, a maioria de nós começa a pensar
automaticamente. Nós temos um pensamento de algum tipo; pode ser uma afirmação ou
pode ser uma negação, mas algum tipo de pensamento vem. Agora, façamos
exatamente o inverso daquilo que normalmente faríamos quando ajuda nos é solicitada.
Lembremo-nos da base deste trabalho: “eu, de mim mesmo, nada posso fazer”(João
5:30)… “Qual de vocês, tomando o pensamento, pode acrescentar um côvado à sua
estatura?” (Mateus 6:27). Os pensamentos de Deus não são seus pensamentos. Seus
pensamentos não são pensamentos de Deus. Agora, quando alguém pede ajuda, a
primeira coisa que digo a mim mesmo é: “bem, Joel, pelo menos você sabe o suficiente
para saber que você, você mesmo, não pode fazer nada a respeito”. Isso impede
qualquer tolice de acreditar que um ser humano pode curar qualquer coisa ou alguém.
Agora, o que fazemos? Para onde vamos daqui? “O Pai que habita em mim, ele faz as
obras” (João 14:10). Então nos voltamos para dentro e ouvimos o Pai. Se o Pai der o
tratamento, a cura ocorre. Se o Pai dá o tratamento, o maná vem do céu, a água flui das
rochas, os mortos são ressuscitados. Quando os seres humanos dão o tratamento, têm
que ser dado duas vezes, três vezes, quatro vezes, às vezes setenta vezes sete; mas se
o Pai der o tratamento, é isso. Está feito.
Para Curar Sem Argumento, Escute
Quando você se senta para dar um tratamento, diga: “Pai, dá o tratamento em vez de
mim”. Então, em vez de pensar pensamentos, escute. Pode ser que, em alguns casos,
você realmente se torne consciente de algum pensamento ou de alguma citação. Mas
isso não segue necessariamente, e não desanime se isso não acontecer com você. Em
minha própria experiência, noventa e nove vezes em cem, não ouço nada. Há um
sentimento por dentro, uma sensação de liberação - eu chamo de "clique". É quase como
se um peso tivesse saído dos meus ombros, ou uma sensação de leveza aparecesse em

137
meu peito. Para mim, esse é o sinal da percepção consciente da Presença de Deus; esse
é o sinal de que Deus está em campo e meu trabalho está terminado.
Esse tipo de cura é chamado de “cura sem argumento” ou “cura sem tratamento”. É
muito mais simples do que usar argumento ou tratamento. No entanto, mesmo se você
atingir a capacidade de curar sem palavras ou pensamentos, isso não significa que você
não irá usar o tratamento na ocasião. Todos nós temos que fazer isso em algum
momento ou outro. No decorrer de sua prática, você pode ter que fazer muitos
tratamentos, mas nunca mais dará um tratamento a um paciente.
Deixe-me lembrá-lo que todos os tratamentos são auto-tratamentos neste trabalho.
Nunca dê um tratamento a um paciente, em nenhuma circunstância. Posso esclarecer
este ponto para você, se você tentar pensar em como você trataria, ou que tipo de
tratamento você daria a um animal. Você esperaria que um gato ou um cachorro
captasse seu pensamento ou reagisse a ele? Suponha que você esteja cuidando de um
jardim. Você daria um tratamento para as flores e plantas? Você daria um tratamento
para o jardim ou para a terra? Não, você se dá o tratamento sobre as plantas. Assim é o
trabalho com seus pacientes. Se você vai dar um tratamento, dê o tratamento para si
mesmo, sobre o seu paciente. Sempre honre seu paciente, reconhecendo que, na
verdade, ele é o Cristo Vivo, o Filho do Deus Vivo e, portanto, não precisa de tratamento.
Se você vir alguma evidência de pecado ou doença ou falta ou limitação sobre ele, você
é o único culpado. O erro está em você; corrija em você mesmo. Dê a si mesmo o
tratamento sobre seu paciente. Reconheça a si mesmo: “Pai, aqui está o Cristo, mas eu
estou vendo o Cristo de um modo limitado, mortal e materialmente. Me dê a verdadeira
visão sobre esse indivíduo”.
Se você se deparar com uma condição de paralisia, por exemplo, deve perceber: “Espere
um momento; a Mente Divina é a fonte de toda ação e, portanto, não é possível que o
corpo esteja paralisado, inativo ou ativo”. Você tem uma prova disso ao olhar para a sua
mão. Sua mão permanecerá onde está, a menos que você a mova. Não pode se mover
por si mesma. Nenhuma parte do seu corpo pode se mover sozinha. Todo o corpo é
controlado pela mente ou inteligência. Portanto, o sentimento ou sensação não está no
corpo; está na mente; está na consciência. É o mesmo com outros órgãos e funções do
corpo. A pressão sanguínea e o coração, em si e por si mesmos, nunca podem ser sub-
ativos ou superativos. Quando parecem funcionar anormalmente, é apenas porque o
mundo humano aceitou a crença de que há vida e poder no corpo.
Vamos supor que alguém lhe diga que é pobre. Não reconheça a pobreza dele, mas,
dentro de você mesmo, saiba imediatamente que ele é um herdeiro comum com Cristo
em Deus; tudo que Deus tem, ele tem. Sempre dê o tratamento sobre a aparência para si
mesmo. Lembre-se, aqui fora é apenas o Cristo. Estamos mantendo a Visão Espiritual

138
que diz: "Tu és o Cristo", ou "quem os homens dizem que eu sou - Cristo, ou a
humanidade mortal doente e pecadora?" O que acontece externamente é determinado
pelo Estado de Consciência Espiritual que é mantido. Se existe uma consciência que
olha e vê a humanidade mortal doente, pecadora e pobre, então nada muda. A mesma
foto antiga continua se repetindo ano após ano. Mas quando a Consciência contempla
somente o Cristo, então pode-se dizer: “Eu não acredito em aparências, Eu não julgo
pelas aparências; com este Espírito Santo, ou Visão Espiritual Interior, sei que aqui está
o Cristo, o Filho do Deus Vivo”. Então as mudanças começam a acontecer.
Deixe o Cristo Interpretar-se
Neste trabalho, não somos tanto curadores quanto somos expansores de Consciência,
abrindo a Consciência para a natureza de nosso verdadeiro Ser. Todo o segredo é:
“quem dizem os homens que eu sou?... E vós, quem dizeis que eu sou?” (Marcos 8:27,
29). Se você é um homem mortal, você dirá :“ele é apenas um dos antigos profetas
hebreus que voltam à Terra”. Mas se você foi tocado pelo Espírito Santo, se você
desenvolveu um pouco de Discernimento, você olhará bem através daquela figura
humana e dirá: “tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16:16). Essa é uma
Verdade Universal. Não foi apenas a Verdade sobre Jesus, mas é a Verdade sobre você,
sobre mim e sobre todos. Não faz diferença o que os seres humanos aparentam ser. No
Coração e Alma do seu Ser, eles são o Cristo. Quando começamos a nos ver dessa
maneira, finalmente, chegamos ao ponto onde não precisamos usar tratamento.
Há uma diferença entre a cura através do tratamento ou do argumento e a cura pela
Consciência Espiritual. Quando você usa argumentos ou tratamento, você está
expressando algo que é Verdade, mas que você não sabe que é verdade. Não há nada
de errado nisso, desde que você saiba o que está fazendo e por quê. Não há nada de
errado em lembrar a si mesmo: “Eu sou o Espírito, Eu sou a Alma, Eu sou aquele ponto
de onde Deus brilha, Deus é a Vida do meu Ser”. Não há mal algum nisso, desde que
você não repita: “Eu sou espiritual; Eu sou espiritual”, ou recite a oração do Pai Nosso
vinte e cinco ou cem vezes. Desde que você esteja simplesmente lembrando-se de sua
Verdadeira Identidade, ou da Verdade do Ser sobre Deus, o homem e o universo, essa
forma de tratamento será legítima, e acabará levando a uma expansão da Consciência,
na qual o tratamento é desnecessário.
Noventa e nove vezes em cem, a minha própria forma de tratamento é apenas o
fechamento dos olhos e uma atitude de escuta. Às vezes não presto atenção ao que foi
dito no telefone. Eu estou ouvindo para obter esse sentimento de Consciência, e quando
eu entendo isso, o paciente obtém os resultados. Não faz nenhum bem para o paciente
dizer que uma certa parte do corpo está causando problemas, porque não entendo isso
em minha Consciência. Conforme o paciente está descrevendo seu problema, seja

139
pessoalmente, por telefone, correio ou telegrama, estou ouvindo aquela Voz pequena e
silenciosa - para que o Cristo interprete a Si Mesmo para mim. O Cristo é, mas para mim
- isto é, para os meus olhos humanos – Ele parece ser a humanidade doente e pecadora.
Não adianta eu sentar e dizer: “ah, não, eu sei que você é espiritual; Eu sei que você é o
Filho Perfeito de Deus”. Eu não realizarei nada com isso, e duvido que você também.
Mas se eu deixar o Cristo interpretar o que está lá fora para mim, então haverá uma cura.
Se um paciente pedir ajuda, em vez de repetir muitas palavras, eu paro por um momento,
para que haja quase um vácuo criado, e então o Cristo interpreta a Si Mesmo.
Você é o Cristo. Portanto, Ele é o que você é, interpretando a Ele Mesmo em mim,
através da Visão Espiritual. No momento em que surge um apelo, uma queixa, em vez de
responder a ela com uma afirmação ou negação, reverta isso com “o que é isso para
mim! Eu não posso, por mim mesmo, fazer nada, não importa o quanto meu pensamento
seja bom. E agora, Pai, assume!” Deixe o Cristo interpretar a situação para você, e então
virá o sentido espiritual disso. Logo você receberá uma ligação do seu paciente dizendo:
“ah, é realmente maravilhoso. Eu me sinto bem."
Nem você nem eu, com toda a verdade que conhecemos, com todos os livros que lemos,
podemos mudar aparências materiais ou curar doenças. Nós devemos ser muito
honestos sobre isso. Não há nada que nós, intelectualmente, possamos fazer a respeito
delas que seja poderoso o suficiente para trazer curas. Mas há Algo, e esse Algo pode
ser chamado de Espírito Santo. Você pode chamar isso de “Discernimento Espiritual” ou
“Consciência Espiritual” ou “o Pai Interior” - qualquer coisa que você goste. É algo que é
maior do que qualquer grau de humanidade, mas é necessário que você abra sua
Consciência para esse Algo. Ser capaz de curar através do Espírito é uma forma mais
elevada de Trabalho de Cura do que curar por meio de argumentos mentais, porque leva
você para aquele lugar onde, em última análise, você aprende a viver sem pensar. Você
aprende a viver sem pensar naquilo que você deve comer ou no que você deve beber, ou
em como você deve se vestir.
Comece agora a praticar ficando quieto, sem fazer afirmações ou negações. Isso não
significa que você tentará esvaziar seus pensamentos, porque você não pode fazer isso.
Sente-se e reflita sobre a ideia de Deus, se quiser, mas não faça afirmações ou
negações sobre seus pacientes. Reflita sobre a ideia de Deus enquanto pede ao Cristo
que interprete a cena para você. Você pode pedir ao Cristo para interpretar a Verdade
sobre os seus parentes que estão aqui ou que seguiram a passagem, se é isso que você
está interessado. O Cristo pode revelar a Verdade sobre as situações do mundo,
assuntos nacionais, assuntos locais. O Cristo trabalha em todo e qualquer nível dos
assuntos humanos; nós não podemos fazer isso humanamente. É somente este Espírito
Interior que pode interpretar a cena. Ele a interpreta para mim, não dizendo algo para

140
mim, mas me dando aquele sentimento da Presença Divina. Então o Cristo é libertado; é
como se Ele saltasse para o mundo inteiro e tocasse em tudo que fosse parte da
demonstração. Nós não o dirigimos ou o enviamos para qualquer pessoa. Nós nos
sentamos e percebemos isto, e então, já que Ele é a Mente Onisciente, ele vai para
aquele mesmo lugar e faz exatamente aquilo que é necessário que Ele faça.
Não teremos sucesso se estivermos apenas tentando salvar a vida de um ser humano.
Se tentarmos nos apegar àquele senso de vida humano, nós o perderemos. Estejamos
dispostos a liberarmos o sentido humano da vida e nos tornarmos receptivos ao sentido
divino, ao sentido infinito da Vida Eterna. Vamos parar de pensar em uma vida enjaulada
em um pequeno corpo. “Solte-o e deixe-o ir” (João 11:44), essa é a resposta. Solte
qualquer coisa, solte qualquer condição e deixe ir. Não a segure nas mãos do tratamento.
Não a segure nas garras da afirmação. Solte-a e deixe-a ir. E isso vai desaparecer.
Veja a Corda Como uma Corda
Isso pode ser resumido por uma ilustração da Escritura Hindu do homem que entrou em
seu banheiro e ficou muito assustado quando viu uma cobra. Quando seus olhos se
acostumaram à semi-escuridão e ele olhou mais de perto, viu que não era uma cobra,
mas uma corda enrolada. Ele perdeu o medo; a cor voltou ao rosto dele; e tudo estava
normal. Por mais estranho que isso pareça, mesmo para aqueles de nós que são velhos
alunos no ensino da Verdade, a cobra que você está olhando é uma corda. Aquela
condição má para a qual você está olhando, não é uma condição má, e sua tentativa de
livrar-se dela é o que a está perpetuando. Você deve liberar a condição, seja ela qual for.
Solte-a e deixe-a ir, e então você terá harmonia; a cobra desaparece e apenas a corda
permanece. Cada um de nós, neste trabalho, é tentado a acreditar que há alguma
condição a ser removida ou alterada.
Cada um de nós às vezes é tentado, a tentar curar algo, superar algo ou se livrar de algo.
Eu nunca conheci ninguém neste trabalho que não tenha estado sob essa tentação em
algum momento ou outro. E em sucumbir a essa tentação está o nosso fracasso. Não
existe melhor tratamento de cura no mundo do que a lembrança da cobra e da corda: a
cobra não é uma cobra, mas uma corda. Você pode estar pensando: "quando você diz
isso, você está praticamente dizendo que a doença é algo bom". Não, eu não disse que a
cobra era uma corda. Eu disse que o que você viu como uma cobra era uma corda. Não
havia cobra ali para ser uma corda. Eu não digo que a doença é de Deus. Eu digo que o
que você olhou e disse ser doença, é de Deus. Isso é bem diferente. O que você está
vendo como uma cobra - em outras palavras, a miragem – é, na verdade, uma corda.
Então, onde você está vendo pecado e doença, ali, na verdade, a Presença de Deus
está, mas através do sentido finito, você está vendo isso incorretamente.

141
Deixe que o Cristo, isto é, a Consciência Espiritual, interprete a serpente e a corda, e
diga a você, “isso não é uma serpente; isso é uma corda”. Não removerá uma cobra; não
vai curar uma cobra - ou cálculos biliares também. Não vai curar o câncer ou o consumo.
Ele irá interpretar esta cena espiritual para você e lhe dizer: “pare de se preocupar. Pare
com o medo. Deus é tudo o que existe, e aquilo mesmo pelo qual você está se
esforçando para se livrar e superar não está lá”.
Todo o propósito do uso da mensagem da Verdade é desenvolver a Consciência
Espiritual. Como você pode saber quando alcançou a Consciência Espiritual? Somente
quando você pode olhar para uma corda e ver uma corda; quando você pode olhar para
toda e qualquer pessoa e ver o Cristo, em vez de ver um ser humano doente ou pecador.
Quando você puder fazer isso, você saberá que o seu próprio Cristo está assumindo o
seu eu pessoal. Quando você puder olhar para uma pessoa sem inveja, ciúme, malícia,
luxúria, ódio, ganância ou vingança, você terá desenvolvido a Consciência Espiritual,
porque você saberá, então, que essa pessoa é o Cristo, que você é o Cristo, e que
ambos são a Plenitude da Divindade corporalmente. Então você saberá que tem a visão
de Cristo ou o Espírito Santo. Você poderá olhar para este mundo sem medo, e perceber:
Não há poder lá fora, exceto o Poder que vem de Deus. Todo o Poder é dado a mim. O
Domínio foi dado a mim no Gênesis, e é minha culpa se eu não o tiver levado desde o
Gênesis até o Apocalipse. É o Domínio sobre as coisas da terra, da água, dos céus e de
tudo que existe no mundo. Este domínio é meu, em virtude da percepção de que Deus é
a Única Presença e o Único Poder. Deus é o Único Princípio Criativo.
Uma vez que você solta a condição e a libera, através do entendimento de que mesmo
aquilo que está aparecendo como sua cobra, em particular, é a própria corda vista
através do sentido finito, então você começa o desenvolvimento da Consciência
Espiritual. Então você pode perder tudo no mundo e achar literalmente Verdade que tudo
o que o Pai tem - de Harmonia, Paz, Alegria, Poder e Domínio - é teu.

17 - O CRISTO SEMPRE PRESENTE


Existe um poder chamado Espírito, ou o Cristo, e Ele faz o trabalho. Falar sobre o Cristo
não trará Deus ou o Cristo para dar suporte ao seu problema. O Cristo deve ser
percebido, sentido, realizado. Então podemos realmente dizer: “Eu posso deixar isso com
Deus. Eu posso deixar isso com a Verdade”. Conforme nos convencemos de nossa
Consciência da Verdade, essa convicção, que é a percepção, a realização, faz a
demonstração.

142
Nosso objetivo é desenvolver essa Consciência, essa Consciência da Verdade, esse
senso de Onipresença. À medida que isso é desenvolvido, não trabalhamos mais
especificamente em problemas; de fato, nós não temos problemas específicos em que
trabalhar. A vida começa a se desdobrar de maneira normal e harmoniosa. Temos
apenas que nos manter nessa atmosfera do Espírito para que esse fluxo venha, o fluxo
da Vida Divina. Quando somos confrontados com problemas, então é necessário
voltarmo-nos para dentro de nós mesmos, até termos aquele sentimento da Presença.
Conforme você pensa em Deus, a Vida Única, Onipresente como sua própria Vida, Deus,
a Única Mente, Onipresente como sua própria Mente, você não terá o sentido de
dualidade, ou mesmo o senso habitual de Deus como onipresente - Deus e você aqui em
algum lugar, separado e à parte dele. Ao pensar na Onipresença, pense nisto como seu
próprio Ser - a Totalidade de Deus, a Infinitude de Deus, Onipresente como seu Ser
Individual. Então não há senso de separação ou divisão.
O Cristo é algo que está controlando o seu Ser e o seu destino. Tudo o que você precisa
fazer é perceber esse Cristo, ou obter a Consciência dele, já que todo mundo o possui.
Você não o tem dentro de você, e você não o tem fora de você: você o tem como Ser.
Quando você fala sobre a atividade do Cristo, você não está falando sobre dentro e fora.
Se agisse apenas dentro de nossa Consciência, não haveria nenhum alcance de um para
outro. É dentro e é fora.
O Que É Pecado?
No ensino espiritual, é claro, não existe pecado em si, porque existe somente Deus,
expressando Seu Ser Infinito. O pecado, portanto, é um termo humano, e define, mais ou
menos, uma violação de um código de conduta. Corretamente falando, o pecado é a
violação de qualquer lei. Essa lei pode ser uma lei moral, ou pode ser uma lei legal, na
medida em que consideramos roubar um pecado. Se entendêssemos nossa Identidade
Espiritual, tudo fluiria; e se o fizéssemos, não haveria necessidade de possuir bens
pessoais ou propriedades pessoais. Nesse caso, você seria bem-vindo ao que quer que
eu tivesse, e eu seria bem-vindo ao que quer que você tivesse; e isso é tudo que haveria
sobre isso. Seria um reconhecimento de que “a terra é do Senhor e toda a sua plenitude”
(Salmos 24:1) e “Filho… tudo o que eu tenho é teu” (Lucas 15:31).
O Mestre reconheceu isso quando caminhou pelo campo, colhendo milho. Quando ele foi
repreendido por isso, ele se referiu a Davi no templo, comendo os pães ritualísticos, o
que era também contra as regras: suponho que ele quis dizer que o milho no campo era
para uso dos discípulos ou de qualquer outra pessoa que precisasse.
Outro código de conduta humano está relacionado ao casamento. O casamento foi
estabelecido como uma instituição humana, porque é uma proteção para a sociedade

143
contra a natureza imprevisível de homens e mulheres. Tais leis são projetadas para
proteger homens, mulheres e especialmente crianças. Sob o Domínio Espiritual, não
haveria necessidade dessas leis, pela simples razão de que, sob o governo do Espírito,
ninguém jamais faria algo contrário ao Direito Espiritual.
Isso nos deixa a pergunta: "então, o que é pecado?" Se esquecermos a lei humana e
considerarmos apenas o governo espiritual, teremos que dizer que pecado é algo que
nos leva para fora do Governo de Deus, governo por Intuição ou Lei Espiritual. Em outras
palavras, o pecado viola a Verdade da Unidade Espiritual. Se desejássemos dinheiro,
isso seria pecado, pois isso seria uma violação da Verdade Espiritual da Onipresença, a
Unidade de Deus, aparecendo como a plenitude do Ser Individual. Acreditar que estamos
separados e à parte da infinidade de nosso suprimento seria um pecado; seria um
pecado contra o Espírito Santo; seria mesmo um pecado desejar suprimento. De fato, o
desejo de qualquer forma seria pecado, porque seria um reconhecimento de menos do
que Autocompletude - e, é claro, o “Ser”, escrito com um “S” maiúsculo realmente
significa Deus ou toda a Completude, Aqui e Agora, individualmente expresso. Qualquer
sentido, então, de falta ou limitação é pecado.
Qualquer sentimento de separação do bem seria pecado. Você poderia dizer que
qualquer infelicidade seria pecado, uma vez que seria baseado em uma sensação de
nossa própria incompletude; e a Verdade Espiritual revela que já estamos completos.
Somos a plenitude da Glória de Deus. Se dissermos: "Eu sou a plenitude da Glória de
Deus evidenciada", e então estivermos infelizes, ou desejarmos alguma coisa ou alguém,
anularemos o senso de completude, e nisso pecaremos. Nós somos ensinados que a
palavra “pecado” vem da palavra grega que significa “errar o alvo” - perder a marca da
Perfeição Espiritual. Isso é exatamente o que isto indica, que o pecado é qualquer
sentido que nós mantemos de uma separação do bem.
Deus Aparece Como...
Vamos considerar a palavra “Deus” em relação à causa e efeito. Para ilustrar, vamos
pensar em um piano de mogno. Não diríamos que há mogno no piano: o mogno é
formado ou aparece como um piano. Ou podemos tomar como outra ilustração uma
caneta-tinteiro de ouro maciço. Mais uma vez, não diríamos que há ouro na caneta-
tinteiro. Não, o ouro é formado como uma caneta-tinteiro. Você pode dizer que há tinta na
caneta. Sim, mas a tinta e a caneta-tinteiro não são uma e mesma coisa. Se você diz,
Deus, na verdade, é como dizer que há tinta na caneta, ou gás no tubo de gás. Você tem
duas substâncias. Portanto, nesse sentido, não há Deus em nenhum efeito. Essa é a
objeção ao termo “Deus no homem”... Certamente, não existe Deus no homem.

144
Quando Jesus falou do “Pai em mim”, ele não estava fazendo de si mesmo algum tipo de
tubo oco no qual Deus estava localizado. Ele não quis dizer essa afirmação em um
sentido literal. Era seu modo de se referir a Deus como Sua Consciência, Deus como
Seu Ser, Deus como Sua Vida; mas não Deus em sua vida, não Deus em seu corpo,
nem mesmo Deus em sua mente. Como você pode obter o infinito em qualquer coisa? É
literalmente impossível enfiar o Infinito em qualquer coisa. Você não poderia ter o Infinito
neste mundo inteiro; mas o Infinito pode abraçar o mundo, ou o Infinito pode aparecer
como o mundo.
Afirmar que Deus aparece como Ser Individual é ter Deus e o Ser Individual como Um. É
como dizer que qualquer que seja a qualidade do ouro, essa é a qualidade da caneta-
tinteiro, já que o ouro e a caneta-tinteiro são inseparáveis e indivisíveis. Eles são Um,
como essência ou substância, a caneta-tinteiro aparecendo como a forma na qual o ouro
foi moldado; ou na ilustração do piano, tudo o que o mogno é, o piano de mogno deve
ser, já que mogno e piano são um só. Mas você certamente não diria: "há mogno no
piano". A única maneira de dizer isso seria se você tivesse um piano e depois colocasse
um pedacinho de mogno nele. Mas então, necessariamente, você não teria um piano de
mogno. Nem você pode dizer: "Eu e meu Pai somos Um", se você simplesmente quer
dizer que há um pouco de Deus em algum lugar em nós. Deus, Vida Infinita, aparece
individualmente como a Vida do seu Ser e do meu. Deus, Vida, não está em sua vida;
nem está Deus, Vida, em seu corpo. Mas Deus é a Substância do seu Ser. Deus não é
visível; Deus não é definível; Deus não é um ser, pessoa, essência ou substância
limitada. Deus é a Totalidade ou Infinitude do Ser Espiritual. Que ninguém tente definir o
que é Deus, porque isso não pode ser feito. Na mesma base, que ninguém tente
raciocinar sobre o que é o homem. Não pode ser feito. Isso é brincar com palavras e se
enganar a respeito de qualquer esperança de encontrar o Céu ou a Harmonia. A única
maneira de você conhecer Deus é através do Sentido Espiritual. A única maneira de você
conhecer o homem é através do Sentido Espiritual. Tentar raciocinar a Verdade,
compreendê-la com a mente ou imaginá-la é pura tolice, e apenas anula seu propósito.
Consciência Espiritual, o Sétimo Sentido
Não é que aceitemos algo cegamente, mas certamente não devemos buscar a Deus por
meio do raciocínio intelectual. As coisas de Deus são loucura para o homem; isto é, para
o homem mortal. “Deixai-vos do homem, cuja respiração está em suas narinas; pois de
que modo ele deve ser considerado?” (Isaías 2:22). Não olhe para um homem mortal e
espere encontrar Deus. Se você fizer isso, você não encontrará cura, porque o Mundo
Espiritual não cura os seres humanos. O Ensino Espiritual revela o Filho de Deus, o Ser
de Cristo, e não o faz através do raciocínio ou pensamento humano. O Filho de Deus é
revelado através da Intuição Espiritual. Não se permita ser enganado sobre as

145
maravilhosas glórias do Céu na Terra por uma confiança no intelecto. Você não pode
alcançar o Paraíso na Terra com o processo de pensamento. Além dos cinco sentidos
físicos, além do sexto sentido que chamamos de intuição, existe um sétimo sentido que
opera mesmo acima da intuição - o sétimo sentido é o Discernimento Espiritual ou a
Consciência Espiritual.
É por isso que, em nosso tratamento, em vez de expressarmos declarações, escutamos
essa Voz pequena e silenciosa, e ela nos revela o Ser Espiritual - Deus aparecendo
como indivíduo. Como ele é? Eu nunca o vi com meus olhos, mas senti-o em meu íntimo.
Eu senti o Ser de Deus de muitas pessoas, muitas vezes. Se esse Trabalho de Cura
pudesse ser feito humanamente ou com o pensamento humano, não haveria tão pouco
dele no mundo e, em vez de algumas dezenas de praticantes, teríamos milhões deles.
Jesus, ele mesmo, não poderia treinar mais do que alguns para sair e fazer o Trabalho
de Cura. Por quê? Porque precisavam de um poder especialmente desenvolvido. E esse
poder é o Poder do Espírito, não da mente humana.
João teve uma maravilhosa visão do Céu. Ele viu o Céu enquanto estava aqui na Terra,
enquanto estava aqui conosco. Ele viu um universo incorpóreo; isto é, um mundo sem
estrutura física. Ele viu isso através do Sentido Espiritual. Ele foi capaz de ver o que nos
parece como um universo estrutural daquilo que existe, e ele o viu como ele é, em toda a
sua perfeição. Ele viu isso com o sétimo sentido, a Consciência Espiritual. Sua visão
revelou que este é um Universo Espiritual, que somos Seres Espirituais e que esse corpo
é espiritual. Este corpo é o templo de Deus, o templo do Espírito Santo, exatamente
como é descrito no Novo Testamento. Este corpo é o templo de Deus, e é indestrutível.
Não é o nosso corpo que envelhece ou muda. Nosso corpo é tão indestrutível e espiritual
quanto era antes de Abraão, e como será até o fim dos tempos. A mudança ocorre não
em nosso corpo, mas no conceito humano de corpo.
Removendo Falsos Conceitos
Todos, até certo ponto, estão sob o apelo ou crença da consciência humana. Lembre-se,
no entanto, de que você não tem uma mente humana própria, nem uma consciência
humana. A mente humana ou estado humano de consciência é um senso universal de
separação de Deus. Na verdade, existe apenas uma Mente, o Instrumento de Deus. Mas
há um sentido falso ou limitado dessa mente, que chamamos de mente humana ou
consciência humana. Não é realmente mente ou consciência, mas um sentido limitado da
Consciência Infinita. Através desse sentido limitado, você olha para o corpo e vê as
mudanças que esse sentido limitado representa.
Vamos supor, por exemplo, que você veja um diamante e, olhando para ele, você o
confunda com um cristal de rocha. No entanto, o tempo todo é um diamante. Onde o

146
cristal existe? Em lugar algum, não há cristal. O que você está chamando de cristal
representa um conceito finito ou falso de um diamante perfeito. Você aceita seu conceito
da pedra como verdade até que um joalheiro avalie a pedra e lhe diga que é um
diamante. O que acontece com o seu cristal? Nunca houve um cristal: a pedra é agora e
sempre foi um diamante. Seu cristal desapareceu. Mas de onde desapareceu, já que
nunca teve existência? Não havia realmente nada a desaparecer, já que nunca houve um
cristal; a única existência do cristal era como uma crença ou um falso sentido.
Da mesma forma, nos é dito que toda a experiência mortal - tudo o que vemos, ouvimos,
saboreamos, tocamos e cheiramos - é ilusão, ou um conceito falso. Isso significa que
existe um mundo real e um mundo irreal? Não. Significa que este mundo é o mundo que
foi visto por João, exceto que João subiu acima do conceito finito, de modo que ele não o
via mais através da percepção equivocada que confundiria um diamante com um cristal.
Essa é a base da Cura Espiritual. A pessoa que se chama paciente é, na verdade, o
Cristo, a Presença de Deus, o homem espiritual, em toda a plenitude, toda a glória, do
Ser e Identidade Espirituais; na verdade, é Deus manifestado. Assim como você estava
falsamente vendo o diamante como um cristal de rocha, você vê essa imagem universal
do homem mortal, “o homem cuja respiração está nas narinas” e que, de acordo com
Isaías, “não deve ser considerado”. Sua primeira reação é tentar curar esse homem. No
momento em que você procura fazer isso, é como se dissesse: "eu gostaria de
transformar esse cristal em um diamante". Mas você não pode fazer isso, porque não há
um cristal ali. O diamante já é um diamante. A cura ocorre quando você, você mesmo,
reconhece que o paciente não está lá fora como um indivíduo a ser curado. O paciente é
um conceito falso na crença universal. No minuto em que você conhece essa Verdade,
seu paciente deve ser curado. Em última análise, seu paciente é curado por saber essa
Verdade. Às vezes, quando você conhece a Verdade pela primeira vez, ele é curado;
mas às vezes, por uma razão ou outra, você tem que saber cem vezes.
Entre muitos metafísicos, persiste a crença de que você deve curar algo ou alguém, ou
mudá-lo, reformá-lo ou corrigi-lo. A única cura, reforma ou correção que deve ser feita é
aquela que é feita no pensamento do observador. Isso significa em seu pensamento e
em meu pensamento. Se pudéssemos entender este ponto, então, independente do
nome ou da natureza de qualquer forma de erro - e o erro realmente não tem mais
existência do que a cobra na corda ou o diamante aparecendo como cristal - a cura seria
instantânea. Algum dia, nós, que permanecemos nisso por tempo suficiente,
desenvolveremos esse Sentido Espiritual o suficiente para provocar curas rápidas, e até
mesmo curas instantâneas, já que tudo o que isso requer é essa Consciência.
Há apenas uma coisa que nos obrigará a abstermo-nos de dar a alguém um tratamento:
percebermos instantaneamente que, não importa qual seja a imagem, não é verdade,

147
visto que Cristo, o Homem Espiritual, o Filho de Deus, é tudo isso está aí. Quando essa é
sua reação, você tem cura instantânea ou rápida. Nada menos que isso é a Cura
Espiritual. A Cura Espiritual não está usando o Poder de Deus para se livrar do pecado
ou da doença. O Poder Espiritual é a percepção de Deus, Onipresente como Ser
Individual. Uma vez que você possa reconhecer que Deus é Onipresente como Ser
Individual, você nunca dará um tratamento para a aparência, mas instantaneamente
estará alerta para reconhecer: "eu não sou enganado pelas aparências".
Cristo interpreta a Si Mesmo. A visão do Caminho Infinito é que não saímos pelo mundo
tentando corrigi-lo ou melhorá-lo. Não tenhamos medo do mundo ou de qualquer
sentimento de que o mundo precise de poupança ou reforma, já que tudo isso tem a ver
com o conceito universal de um mundo. Não nos é pedido que deixemos o mundo; nos é
pedido para estarmos no mundo, mas não sermos dele. Devemos estar no mundo, mas
não devemos ser parte de seus medos, seus ódios, suas inimizades ou seus ciúmes.
“Vós sois a luz do mundo” (Mateus 5:14). Ninguém pode ser uma “Luz do mundo” que
tenha qualquer medo, dúvida, crítica, julgamento, ódio, inveja, ciúme ou malícia. A “Luz
do mundo” é aquele indivíduo que, através do Discernimento Espiritual, viu que o
universo é espiritual, perfeito e harmonioso. Isso, ele só pode ver ou sentir através de
uma Luz Espiritual Interior ou Discernimento Espiritual.
A tentativa de reformar, governar ou controlar a vida de outras pessoas não funcionará.
Você não estava pronto para o Ensino Espiritual e eu não estava pronto para isso até a
hora chegar; e ninguém poderia apressar essa prontidão pregando a nós, empurrando
livros para lermos, ou deixando-os na mesa, esperando que os pegássemos e os
lêssemos. O que somos chamados a fazer é não pregar o Evangelho no sentido de sair
por aí e falar dele, mas de pregar o Evangelho no sentido de vivê-lo, mostrando o que ele
está fazendo em nossa experiência. Então, surpreendentemente, não precisamos contar
a ninguém sobre isso. Eles podem ver isso em todo o nosso Ser; e, certamente, eles
podem ver qualquer saúde ou suprimento que mostramos. Então, nós nunca precisamos
falar. Quando encontrarmos o nosso Deus em segredo, esse segredo será gritado dos
telhados.
Vamos, então, começar com esse conhecimento. Deixe nosso relacionamento com Deus
ser sagrado e secreto. Deixe que isso se manifeste exteriormente apenas através do
aparecimento da Nova Harmonia do nosso Ser e do nosso corpo. Não apenas
abençoamos o mundo dessa maneira, mas também abençoamos todo o Movimento
Espiritual. O mundo está com fome de Verdade. É apenas encontrar alguém que a veja,
para que, então, também possa encontrá-la.

148
Poder Espiritual
O Poder Espiritual é um Poder que é gerado ou manifestado através da nossa
Consciência de Deus como Um Poder. Um Poder, o Bem - esse é o Único Poder. Em
outras palavras, o Poder Espiritual vem com o seu reconhecimento - não que você vá dar
um tratamento para remover a cobra da corda, mas que a corda é uma corda, e não há
cobra lá. Você não precisa fazer uma oração ou dar um tratamento para remover uma
cobra, quando o tempo todo é uma corda. Isso é Poder Espiritual. Na experiência
individual, então, isso significa que, à medida em que andamos pelo mundo percebendo
Deus como a Natureza Infinita de nosso Ser, não olhamos para o mundo nos esforçando
para salvá-lo, modificá-lo ou reformá-lo. Nosso Poder Espiritual consiste em olhar através
do ser humano, para a Divindade no Centro de seu Ser e, assim, saudar o Cristo como
Ser Individual. Você nunca tem que dizer isso em voz alta. Você não precisa mencioná-lo
a ninguém. Em uma loja, em um bonde, em um automóvel ou onde quer que você esteja;
se você não prestar atenção às aparências externas, sempre vai perceber Cristo, Deus,
como o Centro de Todo o Ser, a Realidade de Todo o Ser, e perceber que, por trás dessa
máscara, está o homem real, o homem da criação de Deus, que é o Poder Espiritual.
É quase incrível, quando você pensa nas experiências de alguns dos primeiros
trabalhadores e percebe quantas pessoas eles curaram, enquanto andavam pelas ruas.
Eles não esperavam serem convidados a fazer um tratamento. Assim que encontravam
deformidade, desonestidade ou alcoolismo, olhavam diretamente para o Centro do Ser e
lá viam o Cristo. Eles sabiam que o que estava aparecendo como ser humano era um
conceito falso, uma ilusão, uma ilusão exterior. A aparência exterior não os enganava; e
dessa forma eles traziam cura.
Essa é exatamente a mesma maneira em que um orador ou professor, numa palestra,
traz cura para seu público. Ele não tem pena de alguém que vê na audiência, que esteja
pecando ou doente; ele não reconhece o erro, dizendo: "bem, agora, vamos apenas
trazer Deus aqui para fazer algo sobre isso". Esse não é um estado curativo de
consciência. Esse não é o estado de Consciência de Cristo. O estado de Consciência de
Cristo olha direto através do pecador e através da doença e diz: “o que te impede? Pega
tua cama e anda”. Ela vê o Ser Espiritual onde o falso conceito parece estar, e sabe que
o falso conceito não está lá. Você se lembra do exemplo da miragem no deserto? A
pessoa que vê uma miragem no deserto, como se fosse uma realidade a ser superada,
tem medo de seguir adiante, atravessando aquilo que parece ser água. Aquele que
reconhece que a miragem é apenas uma crença no pensamento, uma ilusão de ótica,
dirige seu carro diretamente, e não presta atenção à água na estrada.
Quando você começa a perceber que, como Deus é o Único Princípio Criativo do
universo, você não está lidando com a humanidade pecaminosa, doente ou agonizante,

149
então você tem a visão de Paulo. O Ser Espiritual é a casa não feita com as mãos, eterna
nos céus. Você lida apenas com esse conceito falso que reconhecemos ser uma
completa ilusão no pensamento mortal, e não uma entidade ou identidade lá fora. Então
você é a “Luz do mundo”. Então você é o Cristo que cura. Então você traz Poder
Espiritual para sustentar este mundo.
Quando um praticante pode trazer a cura de muitas centenas de pessoas através da
Consciência Individual, você não consegue perceber o que aconteceria se houvesse um
milhão deles? Pense no que um milhão de praticantes poderia fazer - um milhão de
praticantes, todos motivados pelo Poder Espiritual, isto é, pelo poder de reconhecer que
Deus é o Centro de todo Ser, a Realidade de todo Ser. Nós lemos em jornais e revistas
sobre o Poder Espiritual e sobre o uso do Poder Espiritual nesta era. Nunca usaremos
nada disso, no entanto, se pensarmos nele como um bom poder que vamos aplicar a
uma pessoa ou condição má. Essa é uma idéia tão ignorante quanto orar a Deus para
reformar um homem mau ou oferecer uma oração para curar uma criança doente. É um
monte de bobagens. Se Deus soubesse alguma coisa sobre o homem mau ou a criança
doente, Ele teria feito algo sobre isso muito antes que alguém fizesse alguma oração.
O Poder Espiritual está na Consciência de Deus Onipresente, como a Presença
aparecendo como Ser Individual. Você pode começar a utilizar o Poder Espiritual a
qualquer momento que desejar. Tudo o que você precisa fazer é adotar o primeiro
mandamento de Moisés e o mandamento que Jesus acrescentou a ele, que também é
um mandamento do Antigo Testamento, revisado. Existe apenas Um Poder. Não
reconheça nenhum outro poder além de Deus, e veja Deus como Onipresente, como
todo Ser Individual. Reconheça que o Bem é o Único Poder, e o mal não é um poder. O
mal não existe como poder, mas como uma ilusão. O segundo mandamento, "ama a teu
próximo como a ti mesmo", significa que, se você acredita que você mesmo é espiritual,
ou que sua mãe é, ou que seu filho é, você deve "amar seu próximo" - e isso significa o
mundo inteiro - com o mesmo Amor. Saiba que Deus é tanto a Realidade do Ser dessa
pessoa quanto o próprio Ser dessa pessoa. Em outras palavras, saiba que Deus é a
Realidade do Ser Universal, e que não há ser separado ou à parte do Ser de Deus. Então
você está utilizando o Poder Espiritual. Quando você se senta em sua casa, para fazer
esse trabalho pela manhã, provavelmente pensa nele, no Poder Espiritual, em relação a
si mesmo, sua família, seus colegas de trabalho, seus amigos ou qualquer pessoa com
quem você tenha contato pessoal; e é certo que isso deveria ser assim. A menos que
possamos realmente começar a ver essa Verdade operando em nosso círculo imediato,
não a veremos operar no círculo mais amplo. Devemos ser capazes de demonstrá-lo
aqui onde estamos, antes de podermos esperar vê-lo demonstrado nos lugares
longínquos ou nos problemas mais profundos da existência humana (talvez seja quase
impossível não sermos movidos pelo nosso amor aos entes queridos, mas é preciso

150
muito cuidado: o Evangelho nos adverte contra orarmos apenas por nossos parentes,
amigos e conhecidos... Penso que não devemos começar a manhã centrados somente
em pensamentos egoístas, definidos apenas pela palavra “meu”... E acho, pessoalmente,
muito estranha essa cobrança dessa “capacidade de demonstrar”: ora, quem demonstra,
“eu”??? Pontos a considerar com prudência – nota do trad. G. S.).
Algum tempo durante o dia ou algum tempo durante a noite, sente-se e pense seriamente
nessa grande Verdade de amar o próximo como a si mesmo, reconhecendo Deus como
a Vida de Todo Ser Espiritual, reconhecendo a Única Mente que governa a Criação
Espiritual. Permaneça com sua visão de Deus como a Realidade Verdadeira, Presença e
Poder de toda a Criação Espiritual, e então deixe que a Verdade governe o que
chamamos de conceito ou condição exterior.
O Poder Espiritual começa com um indivíduo e, na verdade, termina aí. Se nós utilizamos
o Poder Espiritual para a percepção de Deus como Onipresença, descobrimos então que
Ele aparece aqui, ali e em outro lugar, e gradualmente, se espalha, até que Sua Luz
elimina as trevas na face da Terra.

18 - O CAMINHO INFINITO
O Caminho Infinito tem dois pontos fundamentais que são básicos no seu ensino. Um é a
Natureza de Deus como Ser Individual, Deus como seu Ser. A menos que percebamos
essa ideia de Unidade, perderemos essa premissa espiritual básica - de que não há Deus
“e” você. A única maneira pela qual podemos perceber a Unidade é entender a Deus
“como” você. Esse é o primeiro ponto no ensino do Caminho Infinito. A Vida que é Deus é
a sua Vida Individual; portanto, sua Vida é tão imortal quanto a Vida a que chamamos
Deus. Essa é a razão pela qual estou sempre tão otimista em dizer que ninguém no
mundo jamais morreu ou fez a passagem em qualquer momento na história do mundo.
Se tivesse, teria uma vida própria para perder, desistir; mas Deus é Vida. Deus é a Vida
Eterna e Deus é Um. Portanto, a Vida é Uma Só, e isso significa sua vida e a minha.
Antigas crenças teológicas instilaram um senso de dualidade na maioria de nós. Todos
aqueles que não nasceram em algum movimento metafísico ou outro e todos aqueles
que têm algum tipo de experiência em igrejas foram ensinados a olhar para um Deus no
céu para ser adorado, ou a pensar em Deus como algo separado e à parte de seu próprio
Ser. Certamente, para todas essas pessoas, é quase um sacrilégio dizer que Eu e o Pai
Somos Um, que existe apenas um Ser e que esse Ser é Deus. No entanto, se
entendermos esse ponto, captaremos toda a mensagem do Mestre. Esse foi o conjunto
de seus ensinamentos - Unidade. “Eu e meu Pai Somos Um” - o Pai dentro de mim, não
um Pai distante, mas um Pai dentro de mim. “O Reino de Deus está dentro de você”.

151
Lembre-se do significado de “dentro” como usado neste contexto. Isso não significa tinta
em uma caneta ou água em um copo. Isso realmente significa que Deus é a Vida, a
Mente, a Substância, o Espírito, a Alma do seu Ser; sim, até mesmo a substância do seu
corpo. A questão surge então: “como pode ser isso?” Tal questão é levantada, é claro,
somente porque estamos pensando em Deus de maneira ortodoxa. Se fôssemos
entender Deus como Consciência, então não haveria mais uma questão de dualidade.
Nós somos Consciência; sabemos que tudo o que existe para nós é a Consciência. Se
eu tenho um corpo, ou melhor, se estou consciente de ter um corpo, deve ser por causa
da Consciência. Se estou absolutamente consciente que existe um universo, só posso
conhecê-lo através da Consciência que Eu Sou. Esta não é uma consciência que eu
tenho, porque, nesse caso, haveria um “eu” e uma “consciência”. Se isso fosse verdade,
haveria essa separação. A Consciência que Eu Sou descreve isso corretamente. Eu Sou
um estado de Consciência. Como Consciência, sou consciente de mim mesmo, da minha
Individualidade, do meu Ser, do meu corpo, do meu trabalho, do meu lar, do meu
universo. Exceto como Consciência, eu não poderia estar ciente deles. Cada um de nós
tem uma Consciência própria, e existe uma Consciência que se manifesta como Ser
Individual. Essa é a explicação da Unidade como ensinada no Caminho Infinito, e é a
mesma explicação dada por Jesus e por todo grande Mestre que captou a visão da
Unidade. Se você está buscando a Deus, se está buscando a Verdade, se está buscando
o bem em qualquer forma, se está orando por algo, pode saber que está se desviando do
ensino da Unidade, você está vagando sem direção. Há apenas uma maneira de saber
que você está na direção: permanecendo na Unidade, e é quando você pode dizer: “Eu já
Sou. Tudo o que o Pai tem é meu. Tudo o que Deus é, Eu sou”. Somente quando você
faz um reconhecimento do seu Presente Infinito, da sua Identidade Real como Um com o
Pai - somente então você pode saber que está seguindo este ensinamento. Se você tem
um desejo, se você tem uma consciência de escassez ou se tem um senso de limitação,
há apenas uma maneira de enfrentá-lo: volte para o reconhecimento de que tudo o que o
Pai tem é meu; tudo o que Deus é, Eu Sou.
O segundo ponto da mensagem do Caminho Infinito é a natureza do erro. Ao longo de
todos os meus escritos, você encontrará capítulos sobre a natureza do erro. Neste
trabalho há apenas um erro, que chamamos de hipnotismo, sugestão ou aparência.
Podemos lidar com toda a cena humana chamando-a de hipnotismo, pois é uma
sugestão que está sendo apresentada aos nossos cinco sentidos, uma sugestão que,
para os nossos sentidos, é uma entidade ou identidade. Se, no tratamento, no Trabalho
de Cura, você reconhecesse rapidamente que qualquer fase de limitação ou qualquer
fase de pecado, discórdia, doença, desemprego ou qualquer fase de insuficiência é uma
sugestão, então você teria uma cura rápida, já que a natureza do erro é ilusão. Não
existe como realidade.

152
Quando você entende esses dois pontos da mensagem do Caminho Infinito, o resto não
é difícil. O problema é que, por milhares de anos, aceitamos a crença universal de um eu
separado de Deus. Agora estamos nos treinando para nos reconhecermos como a
própria Presença de Deus, como Deus manifesto, como a Palavra se fez carne. Não há
realidade para a doença. Você não precisa encontrar uma causa para isso e não precisa
encontrar um remédio para isso. Você apenas tem que reconhecer sua natureza como
uma ilusão ou sugestão inexistente.
O mundo precisa concordar com o princípio básico de que Eu e meu Pai Somos Um;
tudo o que Deus é, Eu Sou; tudo o que o Pai tem é meu. Esta é a Unidade - o Eu Único,
a não-dualidade. Então devemos chegar a um acordo de que o erro de qualquer
natureza, independente de sua forma - pecado, doença, medo, falta, limitação, guerra -
representa apenas um conceito falso e finito do mundo tal como é. Em 1932, descobri
que todos os livros metafísicos estavam errados e que afirmavam que o erro está em
nosso pensamento, que devemos procurar em nosso pensamento para descobrir o que
é. O erro não está em nosso pensamento; o erro está no pensamento universal, e nós
simplesmente o aceitamos. Uma pessoa o aceita na forma de pecado, outra na forma de
doença, outra na forma de falta e limitação. Mas, de qualquer forma, é uma crença
universal.
Qual é a base de uma prática bem sucedida? Existem apenas três coisas: Primeiro, “Eu e
o meu Pai somos Um”. Independente da sua aparência, do seu passado ou dos seus
pecados, toda pessoa é Deus manifestada. O segundo ponto é que todo erro,
independente de seu nome ou natureza, é apenas um falso sentido do real; todo erro é
impessoal. O erro não é mais pessoal do que o que é bom. Nunca se esqueça disso,
caso você esteja inclinado ou tentado a pensar que algum indivíduo é bom. Ninguém na
história do mundo foi ou é o que pode ser chamado de bom. O maior Mestre de todos
disse: “por que me chamas bom? Não há bom senão um, isto é, Deus” (Mateus 19:17).
Dê crédito a quem o crédito pertence. Você é apenas o veículo para o Bem de Deus. O
terceiro ponto é que todo erro e todo bem são universais. Não importa quem seja o
pecador ou o pecado, não aceite o pecado como sendo dele. Satan, o mal, o erro, são
tão impessoais em qualquer indivíduo quanto o bem era impessoal no Mestre ou em
qualquer outra pessoa que já tenha encarnado. Esse é um dos pecados - glorificar as
pessoas. Como podemos glorificar as pessoas, quando sabemos que todo o bem que
existe no mundo é o Bem Universal, e que todos podem ser um caminho para esse Bem
Universal? É uma questão de abrir a Consciência e deixá-la fluir para a expressão. Isso é
tudo.

153
Oração
Um tratamento é uma declaração ou afirmação da Verdade e, por essa razão, não o
chamo de oração. A oração é aquela que ocorre após o tratamento ter sido dado e a
Verdade sobre Deus e a natureza do erro individual terem sido declaradas. Quando
alguém se senta numa disposição receptiva e responsiva, de repente ele sente o "clique"
anunciando a Presença de Deus. Isso é oração.
A oração vem somente quando você está em silêncio, e não está expressando verdade
alguma, quando você não está pensando a Verdade, ou declarando a Verdade. Por que
declaramos a Verdade, afirmamos a Verdade ou fazemos um tratamento? A razão é que
este lembrete da Verdade do Ser nos eleva mais a Consciência, para onde, em certo
grau, podemos superar o medo da condição. Na verdade, o que fizemos foi revelar tanta
Verdade dentro de nosso próprio Ser que perdemos muito do medo da condição; e,
finalmente, podemos nos sentar em silêncio e orar.
A oração é ouvir a Voz pequena e silenciosa, e a oração é Comunhão. A oração é a
capacidade de receber da Infinitude do nosso próprio Ser, que é Deus. E quando
fazemos isso, a Presença de Deus se anuncia - aquela Presença de Deus, esse Cristo -
e Ela faz o trabalho. Isso é o que realmente cura. O tratamento não cura nada; apenas
nos eleva a um estado de Consciência onde podemos ser receptivos à Verdade
Espiritual. “Receptivo” significa “receber”. Recebê-lo de onde? De Deus, que é o Centro
do nosso Ser. É da Fonte Infinita dentro de nós que sentimos “Paz, aquieta-te” ou ouve:
“Não sabes que Eu estou contigo? Eu estou sempre contigo”. Ou, se não ouvirmos nada
- se apenas sentirmos aquele grande brilho interior, ou o“ clique ”, ou aquela respiração
profunda - isso também está bem. Essa é a Presença de Deus, o Cristo anunciando a si
mesmo e fazendo o trabalho.
Ilustrações que Revelam o Princípio
Você não pode curar nada com um efeito. Portanto, em um tratamento, nunca use as
palavras que você ouviu ou leu. Mas, se você puder pegar esses três pontos principais e
depois expressá-los com suas próprias palavras de uma maneira original, se puder
encontrar alguma maneira de pensar sobre a Unidade usando ilustrações além do Lago
Erie, as Cataratas do Niágara, o sol e os raios solares ou as ondas e o oceano, então
isso será muito mais poderoso para você. Esses exemplos tornam a ideia da Unidade
muito clara. Isso, eu sei, porque, por muitos anos, tenho visto os efeitos. Eu vi o trabalho
que foi feito no mundo através do reconhecimento da Verdade encontrada nestes
exemplos; mas posso prometer-lhe que o trabalho será ainda mais eficaz quando você
puder encontrar ilustrações que sejam originais.

154
Por exemplo, observei como as pessoas perderam o medo do pecado e da doença, do
alcoolismo, das drogas, no momento em que captaram o significado da ilustração do
poodle branco. Na minha juventude em Nova York, havia um ato de vaudeville, em que
um hipnotizador dizia às pessoas que ele hipnotizava: “agora você vê aquele poodle
branco ali, nós não queremos isso no palco. Vá atrás dele e mande-o embora. Com essa
sugestão, o sujeito fazia um grande esforço para tirar o cão do palco, e na maioria dos
casos, conseguia com alguns empurrões. O poodle branco fez grandes coisas para mim;
foi uma ilustração muito útil.
Lembro-me que um dia tive um paciente no consultório, a quem tentava, sem sucesso,
explicar a natureza ilusória do erro. Eu não estava indo muito bem. De repente, o
hipnotizador de vaudeville voltou ao meu pensamento, e depois de contar a ele sobre seu
ato, eu disse ao paciente: “Agora, suponha que tenhamos um homem lá em cima no
palco que não consegue tirar aquele poodle do palco, ele simplesmente não sai.
Suponhamos que esse homem hipnotizado olhasse para a platéia, visse um de seus
amigos metafísicos e o chamasse: “ah, você pode me ajudar! Dê-me um tratamento para
me livrar do meu poodle branco!” Que tipo de tratamento seria esse? Seria apenas uma
risada, não seria? Um sorriso e, "obrigado, Pai, não há poodle branco" (nessa caso, seria
necessário despertar o paciente... – nota do trad. G. S.).
Essa é a natureza do erro. O erro não existe, não está lá, é um estado de hipnotismo.
Sabemos disso por causa de todos os nossos anos de cura das chamadas doenças
incuráveis. Não existe uma forma de doença que não seja possível curar neste trabalho.
Em nossa percepção da Verdade, sabemos que o erro existe apenas como um poodle
branco - um poodle branco inexistente ou um estado de hipnose - e o agente de cura é a
percepção de que estamos lidando não com um poodle branco, mas com hipnose. Tente
isso quando você é chamado para curar qualquer coisa. Imediatamente veja se você não
pode dizer para si mesmo: “não, eu não vou tentar me livrar do poodle branco, porque
não há poodle branco. Não há nada aqui além de hipnotismo”. Fique firme e veja se você
não terá curas maravilhosas. Prove em seu Trabalho de Cura que não há doença - que
tudo o que aparece para você como doença é um estado de hipnotismo. Se você puder
fazer isso uma vez, terá provado o Princípio. Daí em diante, é apenas o grau em que
você pode manter essa visão que fará com que você tenha sucesso neste trabalho. Se
pudermos sair e fazer este Trabalho de Cura através da nossa compreensão deste
Princípio, então o mundo inteiro virá até nós.
Nenhum praticante de Cura Espiritual tem o direito de ser um praticante, a menos que
tenha recebido alguma medida de Iluminação que lhe revele a Totalidade de Deus.
Todos dirão que Deus é tudo e que esse é o segredo, e é. Mas você não entende o
significado da Totalidade de Deus, a menos que você possa ver que a Totalidade de

155
Deus exclui a possibilidade de haver qualquer realidade para o erro. Você não pode ter a
Totalidade de Deus e um pecado ou uma doença. Não se engane, é impossível.
Tratamento
Meditação não é uma necessidade. Se você acha que a meditação é uma necessidade,
então você está deixando Deus fora da meditação. A meditação é apenas um caminho,
um veículo que nos ajuda a chegar ao nível em que ouvimos essas revelações e
desdobramentos da Verdade, e que somos capazes de sentir a Presença de Deus. Mas
se, depois de termos feito o contato, não pudermos meditar, podemos nos dar bem, ter
muitas curas e ter uma vida tão satisfatória. Nada é necessário para a nossa experiência
no reino de um efeito, nem mesmo a meditação, nem mesmo o tratamento. Se você não
pudesse se dar um tratamento, poderia ser curado. Se você ficou inconsciente neste
segundo momento, você seria curado, mesmo sem tratamento ou alguém lhe dando um
tratamento. Por quê? Você está vivendo na Consciência da Totalidade de Deus, e isso
age como um tratamento, esteja você consciente ou inconsciente, esteja você acordado
ou dormindo.
É por isso que continuo a me referir à instrução de “orar sem cessar”. Se você está
orando, se está sabendo dessa Verdade o tempo todo, não faz diferença alguma se você
faz um tratamento neste momento em particular ou em outro momento. Você está
sempre vivendo em seu tratamento. Você não precisa declará-lo repetidamente. Se doze
pessoas entrassem em seu escritório em uma, duas ou três horas, você não teria que
parar doze vezes para dar a cada uma delas um tratamento. O fato de você estar vivendo
em seu tratamento é o tratamento. Tudo o que existe para esta situação é Deus, e
qualquer outra aparência é a sugestão de um poodle branco; ou você pode pensar nisso
como a cobra na corda, exceto que não há cobra na corda; é uma corda. Se alguém
pensar rapidamente em qualquer uma dessas ilustrações, o tratamento estará completo,
ali mesmo. Isso é tratamento, mas não é o tipo de tratamento que muitos metafísicos
chamam de tratamento. Em outras palavras, não é sentar e ensaiar muitas declarações
da verdade, afirmando isso e negando aquilo, e então dizendo que Deus conecta os
ossos quebrados e os une ou algum outro tipo de pensamento positivo.
Embora seja verdade que muitas dessas coisas constituem tratamento, a mais alta forma
de tratamento é quando, depois de ter aprendido tudo isso, você não precisa mais
ensaiar, mas apenas resumir tudo em uma frase: “bem, isso deve ser o poodle branco”.
Em outras palavras, você está dizendo: “essa é apenas uma sugestão hipnótica, apenas
um estado de mesmerismo”. Então, estale os dedos para ela, isso já foi. No entanto, eu
não aconselho ninguém a dar esse tipo de tratamento de uma frase até que ele conheça
a substância que pertence a um tratamento.

156
Você deve chegar ao ponto de poder dizer a si mesmo: “bem, se houver algum erro, é
simplesmente a sugestão hipnótica de um poodle branco. Agora, eu não vou dar um
tratamento para me livrar de um poodle branco que eu sei que não existe. Nem vou dar
um tratamento para as pulgas no poodle branco”. Sim, até mesmo as pulgas, porque
depois de ter um poodle branco, você pode muito bem aceitar tudo o que acontece!
Depois de ter aceito o homem como mortal, você tem nascimento, acidente, pecado,
medo, doença, mudança de vida, velhice, decomposição, insanidade, morte. Mas o
homem mortal é inexistente, então por que dar um tratamento para qualquer tipo de
homem mortal ou qualquer parte de seu corpo? Se você acabar com o homem mortal,
então você não terá mais nada para tratar. É profunda e, no entanto, é a mais simples
das verdades.
A Limitação das Palavras para Expressar a Verdade
Vamos considerar o termo "reflexo". O brilho que vemos no centro do diamante vem
através de cada faceta do diamante. Podemos dizer que as facetas refletem o brilho que
está dentro, mas, é claro, a faceta não é uma coisa à parte do próprio diamante. Então,
na verdade, o brilho do diamante é tanto uma parte do diamante quanto as facetas. No
entanto, nos referimos às facetas do diamante como refletores do brilho interno. Da
mesma forma, é verdade que Deus é uma Substância Infinita, e que essa Substância
toma forma como um único corpo. Mas lembre-se disto: existe apenas uma mente e
apenas um corpo. Essa mente e corpo se expressam individualmente como você e como
eu. Reflexo é um termo que às vezes é usado para indicar o fato de que o corpo é
individual no sentido de ser seu corpo ou meu corpo. Dizemos que seu corpo ou meu
corpo é o Corpo de Deus, o Corpo Infinito, infinitamente expresso ou infinitamente
refletido. Há apenas um corpo da mesma maneira em que há apenas um diamante. O
diamante pode ter cem facetas diferentes, mas o diamante e o brilho são realmente Um.
Não há 100 diamantes para um único diamante: existe apenas um. Todo o brilho, todo o
esplendor do diamante, no entanto, é refletido em cada faceta, porque não há como
essas facetas serem separadas ou divididas umas das outras. Eles são todas Um.
Usando a palavra “reflexo”, não no sentido de um reflexo no espelho, mas no sentido de
“reflito integridade, lealdade, honestidade ou fidelidade”, não é, de fato, incorreto. No
entanto, tal afirmação não é verdadeira. Conforme expresso pelo Mestre, na linguagem
espiritual da Bíblia, a afirmação correta é: “Eu sou o Caminho, Eu sou a Verdade, Eu sou
a Vida”. Poderíamos, da mesma forma, dizer: “Eu sou Integridade, Lealdade,
Honestidade ou Fidelidade”. Mas afirmar essa Verdade dessa forma, não seria muito
inteligível para o mundo, e então assim dizemos: “Eu expresso Integridade, Lealdade ou
Fidelidade; ou Eu reflito isto”. A verdade é que eu realmente não estou refletindo nada. É
realmente o que constitui o meu ser e o seu. É tudo Um.

157
Deixe-me adverti-lo para não se preocupar demais com o uso das palavras. As palavras
são projetadas para transmitir ideias, mas é difícil expressar a Verdade Espiritual na
linguagem humana. Foi o grande mestre espiritual, Lao-Tse, que disse de fato: “Se você
pode nomeá-lo, não é Deus. Se você pode defini-lo, não é Deus” (“o que se diz do Tao
não é o Tao” – Lao Tzu – nota do trad. G. S.). Isso é verdade. Nada que você possa
saber sobre Deus é Deus, já que o conhecedor da Verdade é o próprio Deus. No entanto,
continuamos ensinando o que é Deus, embora, na verdade, seja impossível ensinar o
que Deus é, desde que Eu Sou. Mas esse mesmo Eu Sou é você quando você está
dizendo “Eu Sou”. Em última análise, tudo o que pode ser conhecido sobre Deus é que
Eu Sou Ele. Essa é a Verdade básica. Sempre o conhecedor, aquele que está
conhecendo a Verdade, é a Verdade que está sendo conhecida. Mas transmitir essa
Verdade através de palavras apresenta dificuldades.
O uso da palavra “transparência” também induz a interpretações errôneas. Normalmente,
quando pensamos na palavra “transparência”, pensamos em um painel de vidro limpo
deixando a luz do Sol passar, e chamamos esse vidro de transparência clara para o Sol.
Se o copo estiver sujo, dizemos que é uma transparência fraca. Se eu falasse de mim
mesmo como uma transparência para Deus e significasse isso nesse sentido, estaria
errado, porque o Sol e o vidro são duas coisas separadas. Mas Deus e eu não somos
duas coisas separadas; e, portanto, nesse sentido, eu não seria uma transparência para
Deus. Você se lembra da declaração de Jesus: “por que me chamas bom? não há bom
senão um só, isto é, Deus?” Nesse sentido, Jesus era a clara transparência através da
qual a Bondade de Deus era mostrada ao mundo. Como em qualquer forma, as palavras
têm suas limitações. Essa é a razão pela qual o ensinamento mais profundo é sem
palavras.
Deus é a Realidade do Ser - a soma total da Realidade do Ser. O "Eu" individual é aquele
no qual a Totalidade de Deus se torna evidente para você. Nesse sentido, Deus, a
Realidade, que é meu Ser incorpóreo e invisível, aparece exteriormente para você como
o que você chama de inteligência, integridade, lealdade, fidelidade, gratidão, apreciação,
cooperação. Nesse sentido, sou uma transparência através da qual essa Luz do Ser de
Deus está fluindo. Se você usar a palavra transparência no sentido de existir um Deus e
um “eu”, e Deus derramando, você estará errado. Mas se você pode ver integridade,
espiritualidade, inteligência, amor, como qualidades de Deus, e, então, se você diz: “que
maravilhosa transparência para o Bem esse indivíduo é”, você não tem dualidade mais
do que você tem dois quando você está expressando fidelidade ou confiança. Não há
dois de você, você e a fidelidade. A fidelidade é, na verdade, uma qualidade do seu
caráter, da sua natureza. Está entranhado; é inerente a você. Isso constitui o seu Ser.
Não é errado dizer: "você é uma transparência maravilhosa para a Verdade", porque isso

158
não significa que a Verdade é algo separado de você, mostrando-se através de: significa
que você é uma evidência visível de uma qualidade invisível.
Com o suficiente da Luz dessa Verdade, estaremos no lugar onde, independente de
qualquer fase de erro que encontrarmos, podemos apenas estalar nossos dedos e dizer
“xô”, e pensar no poodle branco. Então, seremos uma tal transparência para a Verdade
do Ser que nos curaremos automaticamente. Observe isto. Se, por qualquer período de
tempo, você puder manter esse Estado de Consciência no qual não aceita qualquer fase
ou qualquer aparência de erro, mas imediatamente reconhece: “eu não tenho que dar um
tratamento a um poodle inexistente”, você estará fazendo um maravilhoso trabalho de
cura.
Você pode dizer: "bem, eu vou curar todos os meus próprios males?" Eu não sei. Ainda
parece necessário que nos ajudemos uns aos outros. É claro que, com essa percepção,
muitas coisas se esclarecerão para nós e, com o gradual desdobramento da
Consciência, todas elas se esclarecerão. Mas com problemas que são particularmente
irritantes, parece que ainda temos que ligarmos uns para os outros e emprestarmos a
Luz um para o outro por um tempo. Algum dia, vivendo continuamente nessa
Consciência, sem nunca nos entregarmos a fofocas, boatos ou rumores falsos, e sem
nunca aceitarmos a aparência como realidade, chegaremos ao nível em que nossa
própria carne desaparecerá completamente.
Assim como o Mestre advertiu alguns de seus seguidores a não contarem a ninguém
sobre as coisas que eles tinham visto, então eu lhes aviso que não falem sobre isso. Não
fale sobre isso a ninguém por semanas ou meses por vir. Coloque isso em sua
Consciência; pratique isso; treine-se nisso. Você agora sabe qual é o Princípio. Você só
tem que olhar e sorrir para o poodle branco que não existe, e você terá a soma total da
prática dessa Verdade. Mas isso deve ser praticado. Desenvolva essa Consciência de
não amar, odiar ou temer erros de qualquer nome ou natureza. Mantenha isso dentro do
seu próprio Ser. Trabalhe com ela toda vez que você for confrontado com um erro, seja
ele seu, de algum amigo, paciente ou parente. Não diga a ele o que você está fazendo.
Leve isso para o silêncio do seu próprio Ser.
O menino Jesus foi levado ao Egito e mantido lá por um tempo. Então, vamos levar
nosso Cristo ao Egito. Vamos levar nossa Verdade para o profundo silêncio, para o
abrigo secreto do Altíssimo, e vamos mantê-lo lá. Lembre-se do que estou dizendo
agora. Você está lidando com um Princípio que o mundo ridicularizaria se o ouvisse.
Então não diga. É tão simples que você irá demonstrá-lo de forma bonita, simples e fácil,
e o mundo se perguntará sobre o que você está fazendo. Depois de ter provado isso,
estará tudo bem em falar sobre isso, mas não até que seja realmente uma parte do seu
Ser.

159
19 - O INFINITO INVISÍVEL
A meditação é nossa preparação para o influxo do Espírito. É o período durante o qual
percebemos nossa Unidade com o Infinito. Essa percepção nos dá a própria Presença do
Espírito, com a qual enfrentamos o dia. Temos sido inclinados a acreditar que, uma vez
que Deus é Onipresente, sempre e em todo lugar presente, isso é tudo que existe para a
Vida Espiritual e para a garantia de ter o Ser de Deus à mão. Mas tal suposição é
contradita por um estudo da história do mundo.
A Onipresença de Deus é inútil para qualquer um, exceto em proporção à sua Unidade
Consciente com ela, sua sintonização consciente, seu sentimento consciente e
percepção dela. Sem isso, saímos para a rua como seres humanos: podemos chegar ao
nosso destino, ou não podemos; podemos pegar gripe, ou não podemos; podemos ficar
doentes ou não. Todas essas coisas estão acontecendo com pessoas de todo o mundo;
mas estão acontecendo com as pessoas porque elas estão saindo para o mundo sem
fazer um contato consciente com a Fonte Infinita, com o Poder Infinito. A promessa é:
“Aquele que habita no abrigo do Altíssimo” (Salmos 91:1) - habite, habite e habite no
abrigo secreto do Altíssimo. Aquele que habita ali, aquele que vive e se move e tem seu
Ser no Espírito, é protegido dos chamados males do mundo.
“Orai sem cessar” (Tessalonicenses 5:17). Entre no Santuário Interior e encontre sua
Comunhão ou União com Deus. Um estudo das Escrituras sobre o tema da oração
mostrará a você qual é a importância da oração; e então um estudo dos escritos
metafísicos modernos lhe mostrará a natureza da oração. Suponho que sabemos mais
sobre a oração nesta época do que a maioria daqueles que foram responsáveis por
escrever a Bíblia; pelo menos, sabemos mais sobre como revelar a natureza da oração.
Muitos deles podem ter sabido sobre a verdadeira oração dentro de seu próprio Ser, mas
seu conceito de oração, orar a Deus por algo, não fez muito bem ao mundo. A ideia
moderna de oração, que é a Comunhão Individual com Deus, é o que poderia ser
chamado de "oração eficaz". Em algumas das igrejas ortodoxas de hoje, a ideia
metafísica da oração deve ser encontrada. Há pensadores mais modernos na igreja
ortodoxa hoje do que nunca antes; assim como hoje existem mais pessoas no mundo
que realmente acreditam na possibilidade de Comunhão Consciente com Deus.
A Comunhão Consciente com Deus é puro Misticismo. A palavra “Misticismo” assusta
algumas pessoas, porque elas não entendem seu verdadeiro significado. Entretanto,
quando a palavra é entendida corretamente, não há nada de estranho ou perturbador
nisso. Um Místico é aquele que conscientemente sintoniza com Deus, que
conscientemente recebe transmissões do Pai Interior. Um Ensinamento Místico é
qualquer ensinamento que estabeleça a possibilidade de comunicação individual com
Deus, a Comunhão Individual com Deus, a capacidade de receber transmissões de

160
Deus. A oração moderna - a oração como a conhecemos hoje - é uma Unidade
Consciente com Deus. Qualquer coisa que traga a realização da Unidade Consciente,
qualquer coisa que traga o Espírito real à nossa Consciência, é oração e meditação.
Nossa meditação é uma quietude, um silêncio, um estado de receptividade, no qual
abrimos nossa Consciência para a transmissão do Espírito. Então, quando o Espírito
responde - quando recebemos o impulso que nos dá aquele sentido ou consciência de
que Deus está presente - o Espírito que tocamos vive nossas vidas. Quando os três
hebreus passaram pela fornalha ardente, um quarto estava lá com eles (Daniel, cap. 3 –
nota do trad. G. S.). Aquele quarto foi o Cristo, ou a Presença Consciente do Espírito de
Deus. Se os três hebreus não estivessem conscientes da Presença de Deus, não haveria
Presença de Deus visível ou tangível. Era a consciência deles da Presença que era a
proteção deles. Moisés estava consciente da Presença de Deus, e essa Consciência foi
mostrada como maná do céu, a abertura do Mar Vermelho e a água da rocha.
Lembre-se sempre de que “eu, de mim mesmo, nada posso fazer”; mas a Presença de
Deus comigo pode fazer todas as coisas. “Eu e meu Pai Somos Um… mas meu Pai é
maior do que eu”. Para alguém imbuído da Presença de Deus, todas as coisas são
possíveis, seja curando, suprindo ou protegendo - todas as coisas são possíveis. No
entanto, confiar apenas na crença cega de que Deus fará alguma coisa, ou que em
algum lugar no espaço há um Deus para fazer isso, é uma coisa perigosa. Mas se você
alguma vez sentir - realmente sentir - a Presença e o Poder de Deus, então tudo o que
Deus é está exatamente onde você está. Sem entender isso, você tem apenas uma fé ou
uma crença, e geralmente é uma fé cega na Presença de Deus. Deve haver uma
percepção consciente da Presença de Deus, a fim de ter disponível o Poder, a Atividade,
a Segurança e a Proteção de Deus.
É nossa percepção consciente da Verdade que age como nossa Presença Salvadora ao
longo do dia. Esse é o Quarto Invisível que está conosco (referência à história de Daniel,
capítulo 3, já citada). O Infinito Invisível estará sempre com você em sua Consciência, em
sua Consciência da Presença. A meditação é uma maneira de perceber a Presença de
Deus; e, a princípio, é quase o único caminho que temos. Depois de ter feito o seu
contato e ter tido sua primeira consciência da Presença de Deus, e depois disso ter sido
repetido várias vezes em sua meditação, você finalmente chega a um nível em que Deus
virtualmente nunca está ausente ou separado de você. Quero dizer com isso que você
nunca está fora dessa percepção consciente.
Estabelecer e Manter Sua Unidade Consciente
Outra palavra sobre este assunto de meditação. Você pode estar meditando para si
mesmo, ou pode ser por um amigo ou um paciente. Você vai se lembrar disso? Se você

161
quiser ajudar alguém com qualquer problema que ele possa ter, quando se sentar para
meditar, esqueça imediatamente esse indivíduo. Solte o nome da pessoa ou a afirmação
específica e, em sua meditação, entre para fazer esse contato com Deus. Não pense no
paciente ou no problema dele; pense apenas em seu próprio contato; solte o caso ali
mesmo. Esse contato com Deus é a Presença de Deus, trabalhando em, ou através, ou
sobre esse problema para trazer a harmonia de Seu Ser. Seu contato é a Presença que
sai para fazer a correção; e se o paciente está sentado na sala com você, ou se ele está
do outro lado da Terra, não faz diferença. Você não tem que direcionar seu pensamento
para a pessoa ou para o problema.
Isso é claramente declarado no meu livro “União Consciente Com Deus”: “minha Unidade
Consciente com Deus constitui minha Unidade com todo ser e ideia espiritual”. Quando
medito, não estou pensando em ninguém individual ou coletivamente. Eu sento e faço
meu contato com Deus. Eu sinto a resposta. Eu sinto esse toque do Infinito. Eu sinto toda
a onda do Espírito fluindo através de mim. Mas note isto: que o contato com Deus é
também o contato com você, individual e coletivamente, já que em Deus somos todos
Um. Por exemplo, podemos usar o sistema de telefonia. Se eu quiser falar com você
através de um telefone em sua casa, não posso fazê-lo a menos que eu faça primeiro
contato com o escritório central. Quando chego ao centro, tenho acesso a todo e
qualquer telefone do mundo, através do meu contato com o escritório central. Eu posso
estar sintonizado em sua casa ou em qualquer outra casa. De fato, posso estar
sintonizado em vinte milhões de lares - mas apenas fazendo primeiro contato com a
central. Então, meu contato com a central estabelece meu contato com todos que estão
sintonizados na central. Da mesma forma, na medida em que Deus é Infinita Consciência
Divina, minha Unidade percebida como a Consciência Una constitui a minha Unidade
com a sua Consciência, porque é Uma e Mesma Consciência. Nunca tenho que projetar
um pensamento em sua direção. Nunca tenho que informar a Infinita Consciência do seu
problema, ou qual a solução que parece ser. Tudo o que tenho a fazer quando você diz
"ajude-me", é sintonizar a Única Consciência. Aquela Única Consciência, que é a
Sabedoria Infinita, conhece o que, quem, por que, e como.
Tente isso para qualquer um, com qualquer problema que apareça - apenas medite.
Encontre sua Unidade; e assim que você sentir essa resposta, solte a coisa toda e deixe
ir. Então, veja que maneiras maravilhosas Deus tem de resolver seu problema, se a
necessidade é uma soma de dinheiro ou um ingresso na ferrovia. Seja o que for,
sintonize-se com o Infinito; mas não diga ao Infinito que você precisa de dinheiro ou de
um ingresso. Pode acontecer que o Infinito saiba que você precisa de algo mais ou que
você deve ir em outra direção.

162
A cura da mente, corpo, alma, espírito, negócios e relacionamentos humanos é uma
parte importante do nosso trabalho; e esse método de cura é, em última análise, o
caminho mais elevado. Temos passado por todos os processos mentais de tratamento,
mas lembre-se de que este é o passo final que faz o trabalho depois que todo o
tratamento foi feito. Estabeleça e mantenha sua Unidade Consciente, e tudo o que você
precisa fluirá automaticamente para você, como regra, antes que você saiba que precisa
dela. Nós, no Caminho Espiritual, não estamos interessados apenas na saúde e no
sucesso humanos normais e naturais. A saúde, a riqueza e o sucesso que desejamos -
harmonia, paz e alegria - são aqueles que alcançamos através do Espírito, através de
Deus. Nós trazemos isto para nossa experiência através da atividade da Verdade em
nossa Consciência.
O momento mais importante em sua vida é quando você faz um contato consciente com
Deus. Nada maior que esse momento jamais entrará em sua vida. A realização de sua
Unidade Consciente com Deus será a demonstração suprema, a realização máxima de
sua experiência. Dizem-nos que reis e imperadores teriam dado todas as suas posses
terrenas para essa realização. Eles o fariam, mas não conseguiriam, porque todo o seu
pensamento estaria em um mundo de poder, dinheiro, lugar, posição e honra - tudo o que
tem a ver com o mundo externo. E Deus não é alcançado dessa maneira.
Antes de se recolher, sente-se tranquilamente em meditação e conscientemente sinta
esta Presença. Se, depois de cinco minutos, ou seis ou sete, você não tiver alcançado a
percepção, esqueça, e vá para a cama. Se você acordar no meio da noite, tente
novamente nessa hora. Depois de ter realizado isso, você entra em uma experiência
totalmente nova; você entra em um novo plano de Consciência. Esta quarta dimensão é
o Infinito Invisível. A quarta dimensão é a transcendental, aquela que ninguém pode
conhecer através dos sentidos, a visão, audição, degustação, toque ou olfato. É
literalmente o abrigo secreto do Altíssimo, e esse lugar é encontrado em sua
Consciência.
Efeitos da Unidade Consciente
Quando você tocou essa Presença, quando você a sentiu, pode desistir de toda
preocupação e todo medo, pelo resto de sua vida. Todas as suas preocupações ficaram
para trás. Você encontrou a lâmpada de Aladim. Mas isso é melhor que a lâmpada de
Aladim, porque você nem precisa desejar. De fato, você nem precisa saber o que você
quer! Você senta em silêncio e toca aquela Presença. Ela responde e diz, literalmente:
"Eu estou aqui, estou em campo. Eu nunca te deixarei, nem te abandonarei. Se andares
pelas águas, não te afogarás. Se passares pelo fogo, as chamas não se levantarão
contra ti. Se caminhares pelo vale da sombra da morte, nem um pouco da morte tocará

163
em ti. Caminha por todos os vales do teu agrado. Minha Presença vai adiante de ti.
Minha Presença está contigo”.
Mas lembre-se, você só tem essa garantia quando fez o seu contato com Ele, Deus, a
Presença - quando Ele responde, e você sente aquele “clique” no seu sistema, aquela
energia que entra, a Voz pequena e silenciosa, ou qualquer outra forma de resposta.
Para cada um de nós é algo diferente e, às vezes, é diferente a cada dia.
Se você fizer esse contato, digamos, pela manhã, antes de sair de casa, pode ter certeza
de que o seu contato com Ele, Deus, é o seu contato com tudo o que é necessário para o
seu desdobramento naquele dia. Se é uma pessoa, ela estará lá; se for um lugar ou uma
coisa, estará lá; se é uma cura, se é harmonia, se é alegria ou paz, ou se é uma vaga de
estacionamento - seja lá o que for, qualquer que seja a forma em que tenha que aparecer
para você - estará lá. Sua Unidade Consciente com Ele constitui sua Unidade com tudo
"isso" que é necessário à sua experiência. Mas lembre-se, isso vem apenas como a
atividade de sua própria Consciência. Você agora entende que, quando um praticante é
solicitado por ajuda, é a Consciência do praticante que faz o trabalho?
Você entende que não há um Deus distante? Você entende que não é nada mais nem
menos do que a Consciência do praticante - que conhece sua Unidade com Deus e,
desse modo, perdeu todo o ódio, medo ou amor ao erro? Na medida em que seu
praticante tocou conscientemente a Presença, na medida em que seu praticante não
odeia, teme ou ama erros, nesse grau, a cura ocorrerá. Se isso não fosse verdade, se
houvesse alguma força ou poder externo fazendo o trabalho de cura, você poderia pedir
ajuda a qualquer praticante e obter os mesmos resultados. Mas agora todos sabem que
você deve ter um praticante que tenha alguma medida de Consciência da Presença de
Deus, que, em algum grau, tenha perdido o medo, o ódio ou o amor do erro, e que a
Consciência desse praticante, que é a Consciência de Deus, é que faz o Trabalho de
Cura. Não adiantará pedir ajuda ao “homem da rua”, a menos que ele também seja
estudante dessa obra; porque senão, sua consciência não está imbuída desse Cristo. Ele
poderia dizer de manhã até a noite: “vivo; não mais eu, mas Cristo vive em mim”, e não
teria sentido nada. Mas no momento em que ele está ciente disso, ele começa a mostrá-
lo através de suas obras de cura - pela expressão da Harmonia e da Paz ao seu redor.
O sucesso inevitavelmente segue a Consciência imbuída do Cristo, o Espírito de Deus.
No momento, então, que você fez do Cristo, ou o Espírito e a Presença de Deus, uma
realidade, no minuto em que você tocou e sentiu aquele impulso dentro de você, então
você está no seu caminho para o sucesso. Não faz diferença qual é o seu negócio ou
qual é o seu trabalho; você começa a ter sucesso nisso, bem onde está. Então, se
necessário, você será graduado de sua posição atual para outro trabalho. Mas começará
fazendo de você um sucesso onde você está. Ele vai te levar em frente, a partir desse

164
ponto, o Cristo vai adiante de você, e atrai para você qualquer coisa ou alguém
necessário ao seu desenvolvimento; mas você deve fazer o contato consciente. Seu
sucesso na vida é o resultado da atividade de sua Consciência. Seu praticante e
professor são apenas ajudas no caminho, até que você seja levado de volta ao Reino de
Deus, dentro de seu próprio Ser.
Há uma diferença entre o sono depois que você sentiu o contato consciente e o sono que
vem apenas de deitar na cama e ir dormir. Há quase tanta diferença quanto entre viver e
morrer, porque o sono, que faz parte de todo ciclo de vinte e quatro horas, é quase uma
extinção. Mas o sono que vem depois da percepção da Presença de Deus não é sono de
forma alguma. É um descanso do corpo, mas a Consciência está funcionando
exatamente como se você estivesse bem acordado. Nesse estado, seus olhos estarão
fechados, e você parecerá estar dormindo: mas, na verdade, sua Consciência estará
aberta, e então você descobrirá que as idéias mais maravilhosas de sua vida virão até
você. É quando a Inspiração Divina vem. É quando as grandes lições da Vida são
aprendidas.
Vale a pena, mesmo que você tenha que praticar essa Consciência de Deus por seis
meses ou um ano antes de alcançá-la, porque, lembre-se, quando você tiver alcançado,
você terá resolvido todos os problemas da existência. Um por um, todos os problemas da
existência humana desaparecerão. Oh, pode ser que você acorde alguma manhã e
descubra que não está completamente no Céu, mas, pelo menos, descobrirá que está no
Caminho para o Céu, e que, pouco a pouco, os erros desaparecerão e problemas serão
resolvidos sem muita ansiedade e complicações. As coisas boas da vida são
experimentadas sem qualquer esforço, sem pensar naquilo que você deve comer ou
beber, ou em vestir-se.
Uma Realização Consciente da Presença de Deus
Muitos estudantes tornam-se tão envolvidos nos deveres funcionais de um metafísico
que esquecem de fazer o Reconhecimento Consciente de Deus, para tornar-se uma Lei
para sua experiência a cada dia. Eu nunca me permiti nem mesmo por um dia esquecer
o meu trabalho. Lembro-me conscientemente, nem sempre da mesma maneira, porque
não tenho fórmula para isso, quando começo o dia - e geralmente isso acontece antes
mesmo de eu sair da cama; e se não, então, logo depois, quando estou sentado em uma
cadeira - começo com uma percepção consciente da Palavra:
Eu sou Deus. Eu sou infinitamente bom. Eu sou Consciência, Vida, Ser. Este Eu é o Eu
que eu sou e, por tudo o que sou, Eu sou. Tudo o que Deus é, Eu sou. Tudo o que o Pai
tem é meu. Toda a sabedoria, orientação, direção, amor espiritual, vida espiritual, alma
espiritual, todo o amor de Deus e do homem, tudo o que Deus conhece do Amor,

165
constitui o Amor do meu Ser. É esse Amor Divino que o indivíduo precisa. Constitui meu
Amor pelo Deus Universal; e assim, constitui o meu Amor por toda a humanidade, por
todos os que encontro. E isso imediatamente me lembra que esse Amor deve incluir tanto
o inimigo quanto o amigo.
Deus é a atividade do meu dia. Deus é a atividade do meu trabalho, e, portanto, é Deus,
a Infinita Sabedoria, que está traçando o programa do meu dia. É a Única Inteligência
operando universalmente, que traz à minha mesa o que é necessário para eu fazer. Eu
sei que o próprio Deus, Alma, ou Consciência que me formou, salvou para mim toda a
sua atividade e todos os seus frutos, toda a sua recompensa. Eu sei que, por causa
dessa Verdade, nunca dependo do homem cuja respiração está em suas narinas. Eu
nunca sou dependente da boa vontade de qualquer homem, mulher ou criança. Todo
meu bem flui de dentro para o exterior. O Reino de Deus, de Integridade e Harmonia,
está dentro de mim; e no grau de minha compreensão disso, posso multiplicar pães e
peixes para todos aqueles que ainda não estão cientes do fato de que eles também são
uma lei de multiplicação. Eu percebo também que, porque Deus é Infinito, meu Ser é
Infinito, uma vez que Eu e o Pai Somos Um. Portanto, nessa Infinitude do Ser, incluo todo
o Bem de Deus e, por causa desse Infinito, não há lugar para erro, mal ou negação de
qualquer espécie. Portanto, não há leis para agir sobre mim.
Deus é a Lei para o meu Ser. Deus é o Princípio Divino do meu Ser. E, portanto, essa Lei
é uma lei para o meu universo. Mas nada fora de mim, seja do passado, do presente ou
do futuro, pode agir sobre mim como lei, mesmo para o bem. Nada existente no reino do
efeito pode agir sobre mim ou sobre meus assuntos como lei, desde que Deus é o Único
Legislador. Deus, a Consciência Divina do meu Ser, a Alma de mim, é a Única Lei para a
minha experiência. Portanto, independente do que o mundo possa chamar de lei de
causa e efeito, lei do karma, independente do que o mundo possa chamar de lei das
estrelas e dos planetas, nada disso é lei para o meu ser, seja para o bem ou para o mal,
pois o meu bem é derivado da infinitude do meu próprio Ser, que é Deus. Eu não me
apóio em meu próprio entendimento, ou na compreensão de qualquer homem, mas na
Infinitude de Deus, derramando-se através de meu Ser Individual.
Sei que esse Poder do Amor, que é Deus, é uma Lei de atração e, portanto, só pode
atrair para mim aqueles a quem posso amar e aqueles que podem me amar, aqueles a
quem posso servir e aqueles que podem me servir, desde que somos Um em Cristo.
Porque Deus é uma Lei Universal do Amor, somente o Amor está se expressando
através de todos na Terra. Portanto, todos os homens, todos homens em todo o mundo,
não apenas deste mundo, mas também do que chamamos de mundo daqueles que já se
foram e mundo daqueles que ainda não nasceram - todos se tornam uma Lei do Amor e
da Vida para o meu Ser.

166
Nosso trabalho de proteção não é se esconder em uma concha em algum lugar e dizer:
"erro, você não pode me alcançar!" Nosso trabalho de proteção é a percepção de Deus
como Mente, Vida e Alma Individuais; mas também a Vida, Mente e Alma de todos os
seres. Isso nos mostra o nada absoluto de aparências como acidentes, doenças e
malfeitos. Percebemos que Deus governa não apenas minha condução, mas que Deus
comanda cada roda, que Deus é o único motorista de automóvel em qualquer lugar do
mundo - ou piloto de avião ou capitão de navio. A percepção de que Deus é a mente de
cada indivíduo e está presente em toda parte - isso é trabalho protetor. Isso é um
trabalho protetor, porque é uma declaração para toda crença do erro: “tu não terias poder
algum contra mim, a não ser que te fosse dado de cima”. Estabeleça isso em seu
pensamento todos os dias.
Estabeleça em sua Consciência a grande Verdade de que Deus é a Única Presença e o
Único Poder; e que toda essa crença humana em um eu separado de Deus é ilusão -
sem presença, substância, lei, realidade, causa ou efeito. Estabeleça isso. Se você não o
estabelecer, não espere demonstrá-lo. Você só pode trazer como demonstração aquilo
que você está ativamente consciente. Isso não significa, no entanto, que você deve andar
o dia todo murmurando declarações de Verdade. Mas isso significa que, em algum
momento do dia, você deve ativamente e conscientemente trazer essas Verdades do Ser
à luz. Não deve haver razão para as pessoas neste caminho experimentarem os erros da
existência humana. Até certo ponto, às vezes, todos estão sob a crença humana, por
causa da universalidade da crença. Mas a experiência deve ser leve, não deve ser de
longa duração; e não deve ser trágica.
Importância da Percepção Diária
Neste trabalho você deve aprender que é a atividade de sua Consciência que produz sua
demonstração. A coisa a fazer é tomar a Verdade conscientemente, aprender a aplicá-la
em sua experiência e, a cada dia, colocá-la realmente em prática em sua Consciência.
Perceba-a, afirme-a para si mesmo. Lembre-se de sua Verdadeira Identidade, de sua
Unidade Consciente com Deus, da qualidade ilusória de qualquer coisa de natureza
negativa; e mantenha isso, não apenas por um dia, uma semana ou um mês, mas
constantemente. Mesmo depois de trinta e dois anos neste trabalho, eu não permitiria
que um dia passasse sem conhecer conscientemente a Verdade. Mesmo que não seja
necessário que eu pense sobre o suprimento – e parece que ele vem por conta própria, o
suficiente para cuidar de todas as minhas necessidades - no entanto, nunca vejo dinheiro
sem pensar: “obrigado, Pai; reconheço a Fonte, a Fonte Infinita desse Bem, e conheço o
propósito e o uso daquilo que aparece como efeito”. Sempre, a cada vez, a cada dia, dou
reconhecimento a isso, e estou confiante de que essa percepção consciente da Verdade
é a atividade que surge como manifestação e expressão.

167
Mais uma vez, vamos perceber isso: não existe Verdade e manifestação. A Verdade que
você conscientemente mantém não produz uma manifestação do bem. A Verdade que
você mantém em sua Consciência aparece como seu bem. A Verdade que você
conscientemente nutre em sua Consciência aparece exteriormente, tangivelmente,
visivelmente, como seu bem. Não existe tal coisa como a oportunidade produzida pela
Verdade. Não existe saúde produzida pela Verdade. A Verdade, mantida em sua
consciência invisivelmente, aparece visivelmente como saúde, riqueza, harmonia,
relacionamentos felizes, paz, alegria, domínio. Isso é extremamente importante, não
pode haver Verdade e manifestação. Há Verdade mantida em sua Consciência,
aparecendo visivelmente como manifestação. Se você não está mantendo a Verdade em
sua Consciência, você não pode ter a manifestação, porque a Verdade e a manifestação
são inseparáveis e indivisíveis.
Depende de você quanto de demonstração você tem, se a demonstração é de dinheiro,
de companheirismo, de casa, de sucesso - independente do que seja. Não faz diferença
em que negócio você está, ou qual é sua atividade. O sucesso, a harmonia, a paz e a
alegria estarão lá, e estarão lá infinitamente, se você apenas nutrir a Verdade Infinita
ativamente em sua Consciência. Essa Verdade, que é mantida em segredo, aparece
visivelmente. A Verdade, mantida como a atividade da Consciência, aparece
visivelmente. A Verdade, mantida como a atividade da Consciência, aparece como o
maná visível e tangível de hoje. Nós não vivemos do maná de ontem. Não há nada de
errado em usar o que acumulamos no passado, seja de dinheiro ou de reputação, mas
não é necessário. Cada dia é uma Unidade em si mesmo; cada dia é um dia em si
mesmo. Se você começasse hoje sem nada, isto é, nada tangível ou visível, e se você
entendesse a Verdade conscientemente, essa Verdade logo apareceria como sua
necessidade de hoje.
Nunca se preocupe com as coisas que você teve ontem, mas não tem hoje. Nunca se
incomode com as oportunidades do passado que você perdeu. Nunca se preocupe com
os anos que os gafanhotos comeram. Não se preocupe nem mesmo com os anos de
seus pecados passados ou com sua juventude desperdiçada. Nem se arrependa de não
ter conhecido esta Verdade dez anos atrás. Hoje é o único dia em que você vive. Você
não pode viver ontem e é uma perda de tempo tentar. Você não pode viver amanhã,
porque, surpreendentemente, nenhum de nós jamais vê o amanhã. É sempre hoje. E é
sempre esse momento. E é sempre neste momento que eu sou o cumprimento de Deus.
É sempre neste momento que Deus está aparecendo infinitamente como meu Ser
Individual. Isso é tudo que eu tenho que me preocupar. Tudo o que tenho que me
preocupar é com a alegria, a paz, a harmonia e o domínio deste momento. E se eu vivo
continuamente nesta Consciência, neste momento, então cada momento que se segue

168
será tão bem sucedido e jubiloso quanto este - um desdobramento constante e contínuo
do Bem.

20 – DESDOBRAMENTO DA VERDADE
Não podemos ter Consciência da Verdade e demonstração; nem podemos ter uma
Consciência da Verdade antes da demonstração, nem a demonstração antes da
Consciência da Verdade. Primeiro, deve haver a Consciência da Verdade, e então, com
ela, vem a demonstração, porque toda demonstração é a própria Verdade evidenciada -
o Infinito Invisível se torna visível; o Verbo se torna carne. Não há lapso de tempo ou
espaço entre a Palavra e a carne. A Palavra se torna carne instantaneamente. A Verdade
se torna demonstração instantânea, porque a demonstração é a Verdade manifestada.
Nada acontece em nosso mundo exterior, exceto como a manifestação e expressão de
nossa Consciência; e se a Verdade não está ativa em nossa Consciência, então nossa
demonstração não é a atividade da Verdade. Se o nosso pensamento permanece estéril
da Verdade, por mais frutífero que seja nas coisas materiais, não pode produzir frutos
espirituais. Se semearmos na carne, colheremos corrupção. Se semearmos no Espírito,
colheremos os frutos do Espírito.
Lembremo-nos disso: nossa Consciência Individual é, na verdade, Consciência de Deus.
Deus é nossa Única Consciência. Portanto, toda demonstração, toda manifestação, é
expressa pela Consciência de Deus. É necessário, no entanto, que saibamos dessa
Verdade para tornar isso evidente. Toda harmonia em nossa experiência é o resultado
direto da atividade da Verdade em nossa Consciência. Esta atividade da Verdade não
consiste meramente em fazer afirmações da Verdade, ou em vãs repetições da Verdade,
ou em repetidas afirmações da Verdade. Essa não é a atividade da Verdade na
Consciência. A atividade da Verdade na Consciência é uma Consciência da Verdade do
Ser. À medida que aprendemos a pensar em Deus, em Deus em Suas infinitas formas e
variedades, em Deus Onipresente e especialmente em Deus como Consciência
Individual - sua Consciência e minha -, então a Infinitude de Deus aparece.
O Caminho Infinito da Vida é, na verdade, uma entrada para a quarta dimensão da Vida,
na Consciência Espiritual. O sentido pessoal da vida dá lugar à Vida Universal. No
sentido pessoal da vida, cada um de nós está vivendo sua própria experiência, e cada
um de nós está interessado em encontrar alguma maneira - material, mental ou espiritual
- para enriquecer essa experiência. Mas o Caminho Infinito não inclui tal egoísmo. O
Caminho Infinito da Vida se torna o nosso modo de vida, quando entramos no Caminho
Espiritual. Nesse caminho, não vivemos por nós mesmos; não estamos mais
preocupados com nossas próprias demonstrações particulares. Deixamos tudo isso para

169
trás, na realização da grande verdade de que Deus nos criou à sua imagem e
semelhança, para seu próprio propósito. A Consciência Divina Universal manifestou-se
individualmente como você e como eu para Sua Glória, para Seu propósito e para Seu
uso.
O maior pecado do mundo, para os que estão no Caminho Espiritual, é o desejo - até
mesmo o desejo pelo bem - já que esse caminho é a realização da Graça. Tudo o que o
Pai tem é meu - "não por força, nem por poder, mas pelo meu Espírito" - pela Graça, por
um Poder Interior. Por isso, não há necessidade de desejar nada, nem ninguém. Não há
necessidade de se mudar para cá ou para lá. Se descansarmos nesta Paz Interior, se
aprendermos a viver nesta Consciência Interior de “tudo o que eu tenho é teu”… “é do
agrado do Pai dar-vos o Reino”, surpreendentemente, o que quer que seja feito é feito —
a venda que deve ser feita é feita, a compra que deve ser feita é feita, o movimento que
deve ser feito é feito; mas sempre sem pensar, sempre sem planejamento preocupado.
Isso não nos deixa com uma vida de inação ou uma vida "não-nada". Pelo contrário, é
uma vida muito vital, uma vez que todos os dias, de fato, a cada hora de cada dia, o
Espírito está nos movendo para mais e mais graus de desdobramento; nos movendo
para lugares mais importantes, maiores atividades, para um trabalho mais significativo.
Às vezes as pessoas criticam o fato de que o Caminho Infinito enfatiza a questão do erro.
“Se Deus é tudo, por que você não o deixa sozinho e esquece esse negócio de erro?”
Mas essas mesmas pessoas freqüentemente falham, quando tentam se curar com “Deus
é tudo, e Deus é amor”. É importante entender a natureza do erro e saber como lidar com
isso. Ninguém experimentaria pecado, doença ou falta, se não fosse por alguma
reivindicação de um poder separado de Deus. Na verdade, não há poder separado de
Deus. Então, por que alguém está doente? Por que alguém morre? É porque há uma
força negativa operando como lei que nos leva ao pecado, doença, falta, limitação e
guerra. É somente quando entendemos o que é, que somos capazes de anulá-lo.
O que é essa lei? Qual é essa afirmação de um eu separado de Deus que opera como
pecado, doença, falta e limitação? Na verdade, é o nosso poodle branco, que se
apresenta para nós através de sugestão hipnótica ou crença no mundo. Onde começou?
Não sabemos. Eu só sei que neste nosso mundo, há algo operando que resulta em
pecado, doença, falta, limitação, falsos desejos, falsos apetites e, finalmente, a própria
morte. Isso afirma estar presente como um poder - como um poder de doença, um poder
de morte, um poder de infecção ou contágio. Mas através desta Revelação da Verdade,
entendemos e sabemos que, por mais horrível que seja a aparência, na verdade é um
poodle branco inexistente; é a cobra inexistente na corda. É nosso reconhecimento desse
fato que resulta em cura. Nunca esqueça isso. Nunca se esqueça de que você não está
no propósito de superar doenças ou morte. Seu trabalho é entender que o que aparece

170
como pecado, doença ou morte não é nada mais do que um quadro ilusório causado pela
crença universal de um eu separado de Deus; e sua convicção da natureza ilusória da
imagem é o Poder de Cura. Paz, a Paz de Cristo, é aquele estado de Paz que reconhece
que o cumprimento absoluto de Deus está aqui onde eu estou e onde você está. Nós não
temos que buscar acima ou afora, qualquer coisa ou alguém; mas lembre-se, como o
poeta John Burroughs disse: “o que é meu próprio virá a mim”. Temos apenas que sentar
e esperar, e nossa própria vontade virá até nós. Enquanto estamos sentados e
esperando, é claro, também deveríamos estar trabalhando. O trabalho que fazemos é o
trabalho que nos é dado para fazer, a cada momento de cada dia. Qualquer que seja seu
nome, qualquer que seja sua natureza, qualquer que seja o chamado, fazemos esse
trabalho sem desejar que seja algum outro trabalho, sem desejar estar em algum outro
lugar. Vamos desistir de todo senso de desejo, exceto o desejo de realizar Deus. Esse é
o único desejo legítimo que devemos ter.
Nosso Propósito de Vida
Nossa vida, neste estágio de desenvolvimento, deve tornar-se impessoal. Devemos estar
dispostos, neste ponto, a aceitar “Minha Graça” ou “Minha Paz” - aquela Paz que vem do
Cristo - em vez da paz que o mundo pode nos dar. O mundo ainda pode nos dar um tipo
de paz: provavelmente poderia nos cercar com mais bens do mundo. Esse seria um tipo
de paz que o mundo poderia dar. No nosso estágio, porém, devemos ser capazes de
dizer: “essa não é a paz que estou procurando. Eu estou procurando a Paz que vem de
Cristo. Eu estou procurando por aquela Paz que vem pela Graça, não por esforço,
desejo, manipulação mental, trapaça, traição, mentira ou engano, mas aquilo que vem a
mim como a Graça de Deus, como o Dom de Deus”.
Devemos estar no mundo, mas não sermos dele. Devemos desfrutar de tudo e de
qualquer pessoa que esteja no mundo; mas ao apreciá-los, não devemos entrar nas
intrigas do mundo, nem empregar os métodos do mundo. Não é necessário usar as
armas do mundo. Não é necessário usar os caminhos do mundo. Podemos alcançar a
harmonia de nossa existência sem utilizar as armas do mundo ou os caminhos do
mundo. Tudo o que devemos fazer - nosso único objetivo de viver - é mostrar os efeitos,
ou o caráter absoluto, do Poder desse Princípio. É por isso que estamos vivendo. É por
isso que estamos aqui. Não estamos aqui simplesmente para ganhar a vida, para comer
três refeições por dia, para dormir à noite ou para criar uma família. Todas essas
atividades humanas são incidentais em relação ao propósito principal, que é mostrar
Deus como o tema central do universo, Deus como o Princípio de toda a existência, Deus
como a Glória da Vida Individual. Esse é o nosso propósito aqui, e esse é o propósito da
declaração: “A minha Paz vos dou; não como o mundo dá”. Não há espaço na Vida
Espiritual, no Modo Infinito de Vida, para a glorificação pessoal. Não há espaço para

171
acreditar que uma pessoa tenha qualquer poder que seja negado a outra. O Poder é
Universal; o Poder é Onipresente; o Poder é Eu Sou. Tudo o que é necessário para que
esse Poder se torne evidente como nossa existência é a nossa percepção, nossa
realização dessa Verdade, nossa consagração para este propósito.
Tudo isso leva à quarta dimensão, que é a Consciência Espiritual. Leva a esse Reino,
onde começamos a perceber esta grande Verdade do Ser:
Eu sou a Vida e a Luz do mundo. Eu sou a Vida Eterna. Eu sou a Verdade. Eu sou o Pão
e Eu sou a Água. Eu sou o Pai, Eu sou o Filho e Eu sou o Espírito Santo. Eu, no meu Ser
Infinito, sou tudo o que Deus é, pois Deus conferiu a mim e a você seu próprio Ser, sua
própria Glória, sua própria Vida, como minha vida e como sua vida. Esta é uma Verdade
Universal. Eu sou a Substância Divina do universo. Eu sou a Substância da qual o mundo
é formado. Eu sou a Consciência Divina. Deus é a Única Realidade, a Única
Consciência, o Único Eu, e Eu sou Aquilo; e Eu sou Aquilo em toda sua Glória, em toda
sua Perfeição. Eu sou a Mente do Universo. Eu sou a Alma do Universo. Eu sou a Infinita
Individualidade de todos os seres. Portanto, meu universo contém apenas Deus em sua
forma infinita, Deus em sua infinita variedade - Deus, minha Consciência, aparecendo
para mim como a harmonia da minha experiência diária. Se Eu não fosse tudo isso,
então haveria um "Eu" e um "eu", mas Eu e o Pai Somos Um.
A parte maravilhosa deste trabalho é que aqueles que estão prontos para receber este
desdobramento através de você estão sempre sendo preparados para você. No devido
tempo, eles virão até você como pacientes, ou como estudantes, e você revelará a eles
aquilo que já está estabelecido como sua Consciência. Nunca será capaz de dar-lhes
nada de novo ou algo que você conheça que eles já não saibam. Muitas e muitas vezes,
na minha experiência, tentei compartilhar essa Verdade com pessoas que não estavam
preparadas para isso, e posso lhe dizer que elas nunca foram capazes de compreendê-
la. Eles estavam tão inconscientes de seu significado quando partiram como quando
vieram. Somente aqueles que já haviam sido preparados através do desdobramento de
sua própria Consciência foram capazes de dizer: “eu recebi algo da experiência”. Sim,
eles o fizeram, porque a fogueira já havia sido preparada dentro deles e tudo que fiz foi
riscar o fósforo.

O Bem É o Efeito da Atividade da Verdade na Consciência


Todo o bem que esperamos em nossa experiência, de agora em diante, devemos
esperar vir até nós como resultado da atividade da Verdade em nossa Consciência. Isso
dá um novo significado à afirmação: “o Reino de Deus está dentro de você” ou à verdade
de que todo bem deve se desenvolver dentro de nosso próprio Ser. Veja como seria tolo

172
sentar-se e dizer: “O Reino de Deus está dentro de mim”; e depois parar nesse ponto?
Seria inútil, mesmo que você repetisse essas declarações cem vezes. Vê quão tolo seria
apenas dizer: “bem, todo o meu bem deve se desdobrar de dentro de mim”? Não pode se
desdobrar de dentro, se houver apenas esterilidade espiritual dentro de você. O Reino de
Deus está dentro de você, e todo o Bem deve se desdobrar de dentro de sua própria
Consciência, mas, por favor, certifique-se de entender o que isso significa. Todo o Bem
se desdobra de dentro da sua Consciência da Verdade. A atividade da Verdade em sua
Consciência aparece exteriormente como a harmonia de sua experiência diária: aparece
como sua saúde, como sua riqueza, como sua companhia, aparece como sua esposa,
seu marido ou seu amigo.
Como a Salvação é individual, cabe a você, como indivíduo, produzir a quantidade de
harmonia que você gostaria de experimentar, pela medida da atividade da Verdade em
sua Consciência. Repetir a Verdade, ler a Verdade ou ouvir a Verdade não é
necessariamente a atividade da Verdade em sua Consciência. É verdade que isso tudo
faz parte e serve como ajuda ao longo do caminho. De fato, toda vez que você abre um
livro de Inspiração Espiritual ou Escritura, você está tornando a Verdade ativa em sua
Consciência. Toda vez que você assiste a uma palestra, toda vez que você assiste a uma
aula que é baseada na Verdade Espiritual, você está tornando e mantendo a Verdade
ativa em sua Consciência. Mas essas são apenas vias que levam ao final, e essa é a
atividade real da Verdade como sua Consciência. Nesse estágio do desdobramento,
você pondera essas afirmações da Verdade, medita sobre elas, e vê através da
mensagem delas, o Espírito. Quando você lê a Bíblia e você lê que Deus salvou um
remanescente de 7.000 para Elias, em vez de dizer: “isso não foi uma bênção para
Elias?”, você lê de novo e de novo, até descobrir que o Princípio é que Deus, Minha
Consciência Individual, também salvou para mim tudo o que é necessário - o número
completo, a totalidade de todo o necessário para o meu desenvolvimento. Essa é a
atividade da Verdade como Consciência.
Mantenha a Verdade Ativa na Consciência
Deus é a Única Consciência, e é Infinito. Desse Infinito, aparece a forma infinita e a
variedade deste universo, mas Deus é Consciência Individual, o que significa que Deus é
a sua Consciência. Portanto, sua Consciência Individual é Infinita. Dessa Consciência
deve aparecer sua experiência diária; e essa experiência deve ser infinitamente boa,
infinitamente harmoniosa, alegre e próspera. A menos que você possa perceber,
reconhecer e reivindicar Deus como sua Consciência, você não pode reivindicar uma
infinidade de Bem em sua experiência. A menos que você possa entender que Deus
aparece como sua Consciência Individual, você nunca poderá produzir a plenitude da
eternidade e da imortalidade, ou a infinitude do Ser Divino. Fora da sua Consciência,

173
surge o seu universo. E desde que Deus é sua Consciência, seu universo é infinito; e é
infinitamente bom. Torna-se seu dever e seu privilégio lembrar-se desta Verdade todos
os dias. É necessário que você reconheça a cada dia que, por causa da Natureza Infinita
de sua Consciência, não há lei fora de sua Consciência. Não há crença fora de sua
Consciência que possa entrar para corromper ou fazer uma lei. Nada pode agir sobre
você para o bem ou para o mal, exceto Deus, Deus aparecendo como sua Consciência
Individual; e isso se torna uma Lei para o seu universo. Isso faz de você o mestre do seu
destino, através do domínio dado por Deus.
Não é que eu, de mim mesmo, seja alguma coisa, mas através de Deus, todo Domínio é
dado a mim sobre tudo na terra, abaixo da terra e acima da terra. Todas as coisas são
possíveis para mim através do Cristo, através desta Verdade da percepção de Deus
como meu Ser Real. A menos que você faça disso uma Lei para si mesmo através da
realização consciente, você permite que as crenças do mundo manipulem você, ajam
sobre você como se realmente fossem leis. Eles não são leis: são crenças, crenças do
mundo, são crenças universais; e elas vão se impor a você, se você não estiver alerta, se
você não orar sem cessar, se você não tornar a Verdade ativa em sua própria
Consciência.
Mantenha a Verdade ativa em sua Consciência: esta é sua defesa contra os
pensamentos e as coisas deste mundo. Lembre-se, o pensamento individual ou coletivo
não é poder em si mesmo. É poder apenas quando você, por ignorância, permite que
seja um poder. As Escrituras não dizem que não há males no mundo, mas diz que esses
males não virão perto de você, se você viver e mover-se e ter seu Ser nesta Consciência
Divina da Verdade. “Aquele que habita no abrigo secreto do Altíssimo” - aquele que
habita nesta secreta e sagrada Consciência da Verdade - encontra nela uma defesa
segura, uma fortaleza e uma rocha. Esta Verdade, mantida em sua Consciência, torna-se
a rocha sobre a qual você está. Torna-se a fortaleza, e assim, a Palavra de Deus se torna
sua proteção.
Para Cada Um de Nós, um Trabalho é Dado
A Palavra de Deus é sua defesa certa, mas é sua força ofensiva também. A Palavra de
Deus se torna a sua própria Vida e Ser. Você não precisa dessa Palavra para ser
revestido de aço. Você não precisa dessa Palavra como um túnel subterrâneo. Você não
precisa dessa Palavra como concreto. Você precisa desta Palavra estabelecida em sua
Consciência. Você precisa desta Palavra de Deus com você da manhã à noite, e da noite
à manhã. Você precisa de sua segurança e proteção continuamente.
Você precisa da associação daqueles que estão nesse caminho. Você precisa da
cooperação de todos aqueles que estão viajando na mesma direção em que você se

174
encontra. E você precisa lembrar de que, porque Deus é Infinito em Ser, Deus
estabeleceu você de tal maneira que você pode mostrar sua infinitude sem infringir o bem
de outra pessoa. Você não precisa odiar ou temer, bater ou competir com outra pessoa.
Deus, ativo como sua Consciência, e Deus, manifestando-se como a Consciência de seu
próprio Ser, é sua demonstração; e por causa disso, você sempre será bem sucedido em
seu trabalho particular e em seu caminho particular.
Para cada um de nós é dado algum trabalho. Ao entrar nesta quarta dimensão, quando
sua Consciência é aberta para Luz e Orientação, essa orientação interior certamente
direciona você para o seu trabalho. Para um, é em um campo, e para outro é em outro
campo. Cada um tem seu próprio trabalho individual - um trabalho que pode ser realizado
onde quer que estejamos. Quando surge a necessidade de estarmos em algum outro
local, as circunstâncias nos levam a esse lugar. Nós nunca precisamos procurá-lo mais
do que precisamos desejá-lo.
Toda a mensagem da quarta dimensão é a seguinte:
“Eu tenho carne para comer que não conheceis” (João 4:32). Eu tenho um manancial de
água viva dentro de mim - não a água que o mundo dá. Não, esta água vem do Espírito;
vem da Alma. Eu tenho carne - uma Substância que você não conhece. E essa carne é
minha própria Consciência. Não tenho mais que buscar pelo homem cuja respiração está
em suas narinas, ou mesmo para o livro de um homem ou para as escrituras do homem.
Esses são dados a mim apenas como guias, para me ajudar a alcançar o Centro do meu
próprio Ser, onde eu posso descansar e dizer:
Pai, eu estou em casa. Agora eu vou viver pela Graça. “Tudo o que tenho é teu ... a
minha Paz te dou” - esta Paz Interior, esta Substância Interior. Eu tenho carne que o
mundo não conhece. Eu não tenho que lutar pelos bens do mundo, ou lutar pelo
reconhecimento do mundo. Onde eu estou, tudo que Deus é, Eu sou. O lugar onde eu
estou é terra santa.
Esta é a atividade da Verdade - a Palavra - constantemente mantida em minha
Consciência:
A Palavra da Verdade é o meu abrigo secreto do Altíssimo. Isso me leva ao longo das
águas mansas. Se eu fizer minha cama no inferno, Ele está lá. Enquanto ando pelo vale
da sombra da morte, Ele está lá. E Ele – este Ele - é a Divindade da minha Consciência.
É o Eu Interior que faz de mim a descendência de Deus, e não do homem. É Isso dentro
de mim que reconhece que Eu não nasci de mulher. O Eu que eu sou é uma Consciência
Infinita, Divina, que formou esse corpo para Seu próprio uso, como um veículo para
realizar o propósito de Deus na Terra.

175
Desista o mais rápido que puder do sentido pessoal da existência. Pare de acreditar que
“não posso fazer isso” ou “meu entendimento não é suficiente para isso” ou “é tarde
demais no meu estágio de vida” ou “sou jovem demais para embarcar nisso”. Quando
você diz “Eu”, fale essa palavra como você faria com a palavra Deus. Então todas as
coisas são possíveis para você, através do Deus que você é. “Eu, de mim mesmo, nada
posso fazer… minha doutrina não é minha, senão a dele que me enviou” (João 5:30,
João 7:16). Através do Cristo, você pode fazer todas as coisas. Como a descendência de
Deus, você é um co-herdeiro com Cristo, de todas as riquezas celestiais. Portanto, não
fale como homem. Fale como Ser de Cristo, como o Filho de Deus, ou como Deus se
manifestou como o seu próprio Ser. Mantenha essa Consciência da Verdade: é sua
responsabilidade manter a Consciência plena dessa Verdade, a ponto de tornar sua
Consciência uma proteção segura contra os argumentos do mundo.
E agora, lembre-se disto: “Minha Paz eu vos dou - não como o mundo a dá”. Pare de
procurar por algum bem que o mundo lhe dê. Bem Aqui e Agora, pare de procurar algum
bem que o mundo tenha para lhe dar, seja fama ou fortuna. Volte-se para dentro e esteja
disposto a aceitar a Graça e a Paz que Deus tem - essa Paz Espiritual. Então fique de
lado e observe o que Ele faz por você neste mundo.
“A Minha Paz Eu te dou”.

____________________________
tradução: Giancarlo Salvagni, 2019
reikibahia@gmail.com

176

Você também pode gostar