Você está na página 1de 9

RELATÓRIO SÍNTESE: EMPRESAS DO SEP

SECTORIALMENTE TUTELADAS PELO


MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS

AGOSTO DE 2016

 
EMPRESAS TUTELADAS PELO MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS 
SUMÁRIO EXECUTIVO 

 
 
O presente documento reporta os factos mais relevantes sobre as empresas do Sector Empresarial 

Público  tuteladas  pelo  Ministério  de  Geologia  e  Minas  que  resultam  da  avaliação  e  análise  dos 

documentos de prestação de contas do exercício económico de 2015.  

A  primeira  secção  caracteriza  e  avalia  as  empresas  tuteladas  pelo  sector  em  referência, 

relativamente a sua (i) dimensão, (ii) situação jurídica e operacional, (iii) conformidade do processo 

e documentos de prestação de contas, (iv) a natureza e dimensão das principais infra‐estruturas e 

recursos detidos e controlados e (v) desempenho económico e financeiro. 

 Na segunda secção se descrevem os principais desafios e oportunidades de melhoria das empresas 

do sector, enquanto na  terceira secção se apresenta o resumo da avaliação das demonstrações 

financeiras  efectuada  no  âmbito  do  processo  de  homologação  das  contas  do  SEP.  Segue‐se, 

finalmente, o relatório síntese de cada uma das empresas do sector que remeteu ao ISEP os seus 

documentos de prestação de contas do exercício económico de 2015. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

EMPRESAS TUTELADAS PELO MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS 

CARACTERIZAÇÃO  GERAL  DO  SECTOR  Importa  notar  que  apenas  uma  das  duas   
EMPRESARIAL  empresas (Endiama) reportou um resultado    
Total Total
O Ministério de Geologia e Minas tutela um  líquido positivo;  Demonstração dos Resultados Geol.Minas Geol.Minas
2015 2015
total de 2 empresas. Destas empresas, uma   Uma das empresas beneficiou de aportes  Unidade MKz
tem  a  sua  situação  operacional  financeiros do Estado, por via do ISEP, no  Prestação de Serviços
Outros Proveitos Operacionais
-
3.834
-
1.687
Subtotal 3.834 1.687
caracterizada como “activa” (50%) e a outra  valor  global  de  231  MAkz  (1.711  MUSD)  Custos com o Pessoal 4.928 3.491
(50%)  encontra‐se  em  “fase  de  como se apresenta no gráfico que segue:  Amortizações 760 466
Outros Custos e Perdas Operacionais 2.023 1.790
desenvolvimento  da  sua  capacidade  Subtotal 7.711 5.747
Resultados Operacionais - 3.877 - 4.061
operacional”.   Resultados Financeiros - 2.212 259
As  duas  empresas  do  sector  têm  a  sua  Resultados de Associadas e Subs.
Resultados Não Operacionais -
8.797
820 -
5.397
556
situação jurídica regularizada.  Resultados antes de Impostos 1.858 1.039
Resultados Líquidos 1.858 1.050
  Total Total
Balanço Geol.Minas Geol.Minas
PRESTAÇÃO  DE  CONTAS  (Processo  e  2015 2015

documentos  de  prestação  de  contas)  –    Unidade: MKz

  Activo
CONFORMIDADE  Activo não corrente 55.876 45.190
 O  universo  reportado  de  trabalhadores  Imob. Corpóreo 28.770 29.422
Relativamente  ao  exercício  de  2015,  Imob. Incorpóreo 8 8
ascendeu  a  876  trabalhadores,  o  que  Investimentos e Subsidiárias e Associadas 18.625 4.960
manteve‐se  (2  empresas)  o  universo  de  Outros Activos Não Correntes 8.474 10.800
representa  um  aumento  de  1%  Activo Corrente 9.925 6.179
empresas  do  sector  que  submeteu  ao  ISEP 
relativamente  àquele  reportado  no  Contas Existências - 11
os seus documentos de prestação de contas  a receber 7.331 3.581
exercício  económico  transacto.  Note‐se  Disponibilidades 2.530 2.484
do  exercício  económico  findo  em  Outros Activos Correntes 64 103
que,  no  exercício  económico  em  Total do Activo 65.801 51.369
31.12.2015.  Ou  seja,  registou‐se  um  índice 
referência,  a  distribuição  da  força  de  Capital Próprio
de prestação de contas de 100%.  Capital 49 49
trabalho  por  género  foi  de  72%  para  Reservas 15.396 14.978
Da  análise  à  conformidade  do  processo  e  Resultados Transitados 14.360 18.578
homens e 28% para mulheres.  Resultados do Exercício 1.858 1.050
documentos  de  prestação  de  contas 
 O total de membros dos órgãos de gestão  Total Capital Próprio 31.663 34.655
resultaram as seguintes constatações:  Passivo
ascendeu a 10, sendo a maior parte (90%)  Passivo Não Corrente 2.274 2.528
 Cumprimento, por uma empresa (50%),  Provisões p/ Pensões 5 535
composta por homens.   Provisões p/ Outros Riscos e Encargos 2.269 1.993
do prazo legalmente estabelecido para a 
 Passivo Corrente
Os rácios económico‐financeiros do sector  Contas a pagar 31.864 14.186
prestação de contas;  30.410 10.630
revelam, face a 2014, perda de autonomia  OutrosEmpréstimos de CP 342 2.589
 Cumprimento  da  Obrigação  de  Passivos Correntes 1.112 968
financeira,  solvabilidade  e  liquidez,  Total do Passivo 34.139 16.714
apresentação  de  todos  os  documentos  Total Capital Próprio e Passivo 65.801 51.369  
estando a rentabilidade em níveis baixos;. 
de  prestação  de  contas  pela  totalidade   Indicadores Financeiros 2015 2014
 As  empresas  detêm  as  seguintes  infra‐ Autonomia Financeira (CP/A)
das empresas do Sector (100%);  48,1% 80,3%
estruturas  e  recursos  de  suporte  às  suas  Solvabilidade (CP/P) 92,7% 408,7%
  As principais reservas reportadas pelos 
respectivas actividades:   Liquidez Geral (Activos Corrente/Passivos Correntes) 31,1% 65,6%
auditores  externos  estavam  ligadas  às 
 Reservas diamantíferas estimadas  Rotação Activo (VN/A) 0 0,0%
áreas de (i) Contas a receber e a pagar  ROA (RO/Act.Não Financeiros) -13,9% -9,4%
em  cerca  de  mil  milhões  de  quilates,   ROE (RL/CP) 5,9% 4,0%   
(100%),  (ii)  Meios  Monetários  (50%), 
reservas de Ferro na Huíla (cerca de 600   
(iii)  Capital  e  Reservas  (50%),  (iv) 
milhões  ton.  em  Cateruca,  30  Dimensão da Força de Trabalho
Proveitos (50%) e (v) Resultados (50%).   Homens Mulheres
afloramentos  com  reservas  provadas  Trabalhadores
  635 241
com  4,2  biliões  de  ton.)  e  reservas  Conselho de Administração
ANÁLISE DO DESEMPENHO ECONÓMICO E  9 1
provadas no Kwanza‐Norte(300 milhões 
FINANCEIRO 
de ton. de minério de Ferro e 5 milhões 
Da  análise  efectuada  à  informação 
de ton. de Manganês); 
reportada  nas  demonstrações  financeiras 
 Edifícios, terrenos, viaturas, etc; 
das  empresas  em  referência  resultam  as 
 As  empresas  foram  responsáveis  pela 
seguintes observações: 
realização dos seguintes indicadores: 
 O valor global dos seus activos ascende 
 Transacção  de  8,3  milhões  de 
a  65.801  MKZ  (487,4  MUSD)  e 
quilates de diamantes (equivalente a 1,1 
representa  um  aumento  de  28% 
bilhões de USD, sendo o preço médio do 
relativamente  àqueles  reportados  no 
quilate de 133,3 U$D) 
exercício económico transacto. Note‐se 
 Produção industrial de diamantes 
que mais de 96% dos activos são detidos 
atingindo  uma  cifra  total  de  7,84 
por apenas uma empresa (ENDIAMA);  
milhões  de  quilates  (mais  0,75%  em 
   O  valor  global  dos  seus  proveitos 
relação a 2011) 
operacionais fixou‐se em 3.834 MKZ (28,4 
 Produção  artesanal  de  diamantes 
MUSD)  e  representa  um  aumento  de 
atingindo uma cifra total de 489 259,20 
127% relativamente àqueles realizados no 
quilates; 
exercício transacto.  
 Apresentação  dos  primeiros   
 O  resultado  líquido  global  é  positivo, 
resultados  qualitativos  e  quantitativos 
ascendeu  a  1.858  MKZ  (13,7  MUSD)  e 
do jazigo 40 A; 
representa  um  aumento  de  77%  face  ao 
 Operacionalização do projecto de 
realizado no exercício anterior.  
sondagem e análises laboratoriais. 

 

EMPRESAS TUTELADAS PELO MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS 
PRINCIPAIS DESAFIOS E OPORTUNIDADES DE MELHORIA 
 
A tabela que se segue caracteriza, por domínios de análise, os temas das principais questões que constituem desafios para as empresas 
do sector e respectivas recomendações com vista a superação dos mesmos. 
#  Domínio  Desafios Oportunidades de Melhoria
Coordenação da intervenção do poder político   Implementação de uma plataforma de 
(executivo) nos diferentes domínios da vida  conciliação/coordenação, periódica, dos diferentes 
das empresas do sector, nomedamente:  objectivos do Estado/Executivo nas empresas do sector; 
 Nomeação dos órgãos de gestão e de   Necessidade de actualização/clarificação das atribuições e 
fiscalização;  os limites (grau) de intervenção dos diferentes órgãos do 
 Estabelecimento da missão (papel), metas  Executivo nas empresas em referência; 
e objectivos;   
 Acompanhamento da actividade 
Governação Pública 
operacional. 
1  (Política) 
Remunerações e incentivos para os órgãos de   Concepção e implementação de uma política remuneratória 
 
gestão e fiscalização das empresas do sector  e de benefícios sociais para os membros dos órgãos de 
gestão e fiscalização das empresas do sector 
O papel das empresas do sector para execução   Necessidade de se estabelecer e/ou clarificar o papel de 
da estratégia pública de desenvolvimento  cada uma das empresas na execução da estratégia pública 
socio‐económico do país  de desenvolvimento socio‐económico do país 
Representação  feminina nos órgãos de gestão   Estabelecimento de políticas, metas e objectivos  de 
e fiscalização das empresas do sector  referentes à representatividade do género nos órgãos de 
gestão e fiscalização das empresas do sector 
 Necessidade de se clarificar o papel dos órgãos de gestão e 
de fiscalização das empresas; 
 Necessidade de se clarificar as competências dos membros 
dos órgãos de gestão e de fiscalização das empresas; 
 Necessidade de equilíbrio das competências 
(conhecimentos, atitudes e comportamentos) e valências 
dos membros dos órgãos de gestão e fiscalização das 
empresas 
Eficiência e eficácia no funcionamento dos 
2  Governação Corporativa    Formalização e implementação de critérios, processos e 
órgãos de gestão e de fiscalização 
procedimentos de identificação e recrutamento e/ou 
admissão de quadros competentes para os órgãos de 
gestão e fiscalização das empresas. 
 Formalização e implementação de  mecanismos (processos 
e procedimentos) de avaliação do funcionamento dos 
órgãos de gestão e fiscalização das empresas. 
 Celebração de contratos‐programa com os órgãos de 
gestão das empresas. 
 Revisão/redifinição/clarificação dos modelos de negócio 
das empresas do sector; 
 Revisão/redifinição estratégica no sentido (i) da sua 
orientação para o atendimento das necessidades e 
 
exploração das oportunidades proporcionadas pelo 
Estratégia 
3  Modelo de negócio e estratégia empresarial  mercado (interno e externo),  (ii) alinhamento com os 
 
objectivos e metas da política de desenvolvimento sectorial 
 
(desempenho económico, social e ambiental), em 
particular, e do país, em geral e (iii) optimização dos 
recursos e infra‐estruturas detidos e controlados pelas 
empresas 
 Aplicação das medidas propostas em 3; 
  Reestruturação das empresas que por razões estratégicas 
deverão permanacer na esfera de controlo do SEP, de 
 
molde a assegurar, tanto quanto possível, o 
4  Operações  Sustentabilidade das Operações 
autofinanciamento das operações; 
 
 Liquidação, extinção e privatização de empresas que, por 
razões estratégicas não mais deverão permanecer na esfera 
de controlo do SEP 
Prestação de contas pelo universo de   Apoio material, financeiro e institucional para o reforço do 
empresas que integram o sector  processo de prestação de contas das empresas do sector; 
 
Qualidade (fiabilidade) da informação   Formalização de penalizações e sanções pela não prestação 
 
reportada nas demonstrações financeiras das  de contas ou incumprimento da legislação a este respeito; 
Contabilidade e Prestação 
5  empresas que integram o sector   Normalização da contabilização de transacções e outros 
de Contas 
 Contabilização de transacções e outros  eventos entre o Estado e as empresas do Sector, 
 
eventos entre o Estado e as Empresas do  especificamente, (i) Investimentos Públicos, (ii) Subsídios e 
 
Sector  (iii) transferências de capital; 
 Normalização Contabilística sobre Consolidação de Contas. 
6  Conformidade Legal  Cumprimento da legislação e regulamentação   Regularização dos órgãos sociais (gestão e fiscalização) das 
  a que as empresas estão sujeitas  empresas; 
 

 

EMPRESAS TUTELADAS PELO MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS 
RESUMO DA AVALIAÇÃO DO PROCESSO E DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 

 
O resumo da avaliação do processo e documentos de prestação de contas das empresas em referência é o que se apresenta na tabela 
que segue: 
 
 
Garantia de 
Evolução na 
Conformidade  Opinião de 
#  Empresas  Tempestividade  Reservas  Eliminação  Recomendação 
da informação  Auditoria 
das Reservas 
 
Com  Evolução  Homologação com 
1  ENDIAMA, EP  Incumprimento  Idónea  Reduzida 
reservas  significativa  reservas  
Com  Evolução  Homologação com 
2  FERRANGOL, EP  Cumprimento  Idónea  Reduzidas  
reservas  significativa  reservas 
 
 
 Tempestividade: Apenas uma das empresas (50%) observou os prazos legalmente estabelecidos para prestação de contas; 
 
 Garantia de Conformidade da informação: as duas (100%) empresas analisadas foram auditadas por empresas as quais se 
reconhece credibilidade e idoneidade; 
 
 Opinião de Auditoria: Os auditores das duas (100%) empresas analisadas emitiram opinião com reservas (qualificada) sobre 
as demonstrações financeiras; 
 
 Evolução na Eliminação das Reservas de Auditoria: Para as duas empresas (100%) notou‐se uma evolução significativa na 
eliminação das reservas 
 
 Recomendação: recomenda‐se a homologação com reservas das contas das duas empresas (100%). 

 
 
PARTICIPAÇÕES FINANCEIRAS DAS EMPRESAS DO SECTOR 

 As empresas do sector reportaram um total de 50 participações financeiras em outras empresas (Ver o detalhe no Anexo 
A) Informação referente aos Dados disponibilizados pelas empresas em 2014. 

 

EMPRESA NACIONAL DE DIAMANTES DE ANGOLA, E.P. 
Criada em Janeiro de 1981,   Reservas diamantíferas estimadas em cerca  Demonstração dos Resultados 2015 2014
como  concessionária  de mil milhões de quilates.  Unidade MKz
exclusiva  dos  direitos   Edifícios Administrativos, onde funcionam a  Prestação de Serviços - 0
mineiros  no  domínio  dos  Sede e as subsidiárias;   Outros Proveitos Operacionais 1.536 1.427
diamantes,  a  Endiama  é  a   Base  logística  integrada  para  Subtotal 1.536 1.427
sucessora  da  Diamang,  desenvolvimento da subsidiária Enditrade;  Custos com o Pessoal
Amortizações
4.720
690
3.273
377
uma companhia de capitais   Complexo desportivo, no Dundo de suporte  Outros Custos e Perdas Operacionais 1.950 1.688
mistos,  criada  em  1917,  à  actividade  do  Grupo  Desportivo  Sagrada  Resultados Operacionais - 5.824 - 3.911
em  pleno  período  da  Esperança;  Resultados Financeiros 1.588 376
Resultados de Associadas e Subs. 8.797 5.397
vigência  da  colonização  portuguesa  em  Angola,    Viaturas  ligeiras  de  transporte  de  carga  Resultados Não Operacionais - 850 - 420
tendo  funcionado  até  1986.  Os  estatutos  da  para apoio às actividades da empresa;  Resultados antes de Impostos 3.682 1.442
empresa  foram  aprovados  pelo  Decreto  nº  30‐   Resultados Líquidos 3.682 1.442  
A/97  de  25  de  Abril,  e  o  seu  objecto  social  DIMENSÃO FINANCEIRA DA ACTIVIDADE  Balanço   2015 2014
compreende  as  actividades  de  prospecção,  Em 2015, os Proveitos Operacionais da empresa  Unidade: MKz
reconhecimento,  exploração,  transforamçaõ  e  cresceram na ordem dos 8%, fixando‐se em 1.536  Activo
comercialização de diamantes.   milhões  de  Akz.  Estes  proveitos  realizados  são  Activo não corrente
Imob. Corpóreo
54.173
27.089
39.602
27.724
  provenientes  das  Comissões  de  comercialização  Imob. Incorpóreo 8 8
FACTOS SOBRE A ACTIVIDADE OPERACIONAL  de  diamantes  (100%).  A  empresa  registou  um  Investimentos e Subsidiárias e Associadas 18.623 1.069
Outros Activos Não Correntes 8.453 10.800
A actividade da empresa compreende as funções  aumento  do  seu  resultado  líquido,  em  cerca  de  Activo Corrente 8.687 4.816
de concessionária do Estado Angolano no sector  155%,  passando  de  1.424  milhões  de  Akz  em  Existências - 11
Contas a receber 6.437 3.075
diamantífero (beneficiando de uma remuneração  2014, para 3.682 milhões de Akz em 2015.  Disponibilidades 2.219 1.731
de  1%  sobre  o  valor  dos  diamantes    Outros Activos Correntes 30
Total do Activo 62.860 44.418
comercializados)  e  a  gestão  de  participações  OBJECTIVOS/METAS 
sociais  nas  empresas  subsidiárias  e  associadas  Tendo  como  missão  a  gestão  sustentável  do  Capital Capital
Próprio
0 0
(obtendo  remunerações  através  da  distribuição  sector  diamantífero,  a  Endiama  definiu  os  seus  Reservas 15.396 14.978
Resultados Transitados 15.440 19.266
de dividendos).   objectivos de onde se destacam:  Resultados do Exercício 3.682 1.442
Em 2015, foram implementadas, dentre outras, as   Contribuir  para  o  desenvolvimento  da  Total Capital Próprio 34.518 35.686
seguintes acções:  indústria diamantífera;  Passivo
No âmbito da actividade mineira   Inserir  a  actividade  diamantífera  nacional  Passivo Não Corrente 1.236 1.385
Provisões p/ Pensões 5 535
 Conclusão  do  Diagnóstico  às  200  nas  diferentes  fases  da  fileira  do  diamante  Provisões p/ Outros Riscos e Encargos 1.230 849
concessões  mineiras  (projectos)  de  (prospecção,  exploração,  lapidação  e  Passivo Corrente 27.107 7.347
Contas a pagar 25.692 5.933
diamantes constituídas em Associações em  joalharia);  Empréstimos de CP 342 531
participação  entre  a  Endiama‐EP  e   Desenvolver  parcerias  estratégicas  com  Outros Passivos Correntes 1.073 882
Total do Passivo 28.343 8.732
empresas nacionais;  vista à capacitação técnico‐profissional dos  Total Capital Próprio e Passivo 62.860 44.418  
 Acompanhamento  de  empresas/projectos  quadros nacionais; 
mineiros,  com  realce  na  participação  das   Contribuir  para  o  desenvolvimento  da   Indicadores Financeiros 2015 2014
Autonomia Financeira (CP/A) 54,9% 80,3%
Assembleias  de  sócios  realizadas  no  indústria nacional de joalharia;  Solvabilidade (CP/P) 121,8% 408,7%
Catoca, Cuango e Somiluana;    Assegurar  a  exploração  sustentável  do  Liquidez Geral (Activos Corrente/Passivos Correntes) 32,0% 65,6%
 Foram exportados 8,2 milhões de quilates.  diamante;  Rotação Activo (VN/A) 0 0,0%
No âmbito da exploração e venda de diamantes   Erradicar  a  exploração  e  comercialização  ROA (RO/Act.Não Financeiros) -13,9% -9,4%
 Transacção  de  9,0  milhões  de  quilates  de  ilegal de diamantes;  ROE (RL/CP) 10,7% 4,0%

diamantes (equivalente a 1,16 bilhões de USD)                                                                                                                                                                                                


Dimensão da Força de Trabalho Homens Mulheres
o  que  representou  um  crescimento  4  FIABILIDADE DA INFORMAÇÃO REPORTADA NAS 
relativamente  ao  período  homólogo.  Destas  DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS  Trabalhadores 591 219
transações,  934  mil  quilates  foram  obtidos  do  A  fiabilidade  da  informação  reportada  nas  Conselho de Administração 5
 
mercado artesanal. 
demonstrações  financeiras  da  instituição  está 
  No âmbito da gestão da actividade não mineira 
 Logística  Integrada  –  Está  unidade  de  afectada  pela  reserva  reportada  pelo  auditor 
negócio  assumiu  a  responsabilidade  de  Deloitte  &  Touche  sobre  as  rubricas  de  (i) 
prestar  apoio  logístico  aos  operadores  Investimento  em  subsidiárias  e  associadas,  (ii) 
artesanais e semi‐industriais para além de  Contas a receber – Provisões e (iii) Resultados em 
contactos  na  busca  de  potenciais  filiais  e  associadas  –  Dividendos.  Nota‐se  que 
investidores.  foram,  igualmente,  reportadas  49  ênfases  sobre 
 Clínica  Sagrada  Esperança  –  Assegurou  a 
várias  rubricas.  Estes  factos  são  susceptíveis  de 
prestação  dos  mais  variados  serviços 
médicos  e  medicamentosos  dos  comprometer as análises e avaliações da situação  Outros Indicadores Operacionais 2015 2014

trabalhadores afectos ao sector bem como  (saúde) económica e financeira da empresa e do     Área Total (m3) N/D 81.615.577


   Nº de Concessões existentes 200 200
dos potenciais clientes.  desempenho das suas operações.     Projectos existentes (Prospecção) em Actividade 12 18
.       Projectos existentes (Exploração) em Actividade 13 12
INFRA‐ESTRUTURAS E RECURSOS DE SUPORTE A  DISTRIBUIÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO   Venda de Diamantes (milhões de quilates) 9.019 8.791
OPERAÇÃO  Receita Bruta de Diamantes (Milhões USD) 1.182.417 1.317.458  
A  actividade  da  empresa  é  suportada  pelas 
seguintes infra‐estruturas e recursos: 
 
 
 ESTRUTURA ACCIONISTA 
 

 
 

 

Empresa Nacional de Ferro de Angola – FERRANGOL, E.P. 
A  FERRANGOL  é  uma  Empresa  de  direito  DIMENSÃO FINANCEIRA DA ACTIVIDADE   
angolano,  criada  por  Decreto  nº44/81  do  Em  2015,  os  proveitos  operacionais  da  empresa 
Demonstração dos Resultados 2015 2014
Conselho  de  Ministros  e  que  tem  como  objecto  aumentaram na ordem dos 785%, ultrapassando 
social  a  exploração  de  minérios  de  Ferro  e  2 mil milhões de Akz. A maior parte dos proveitos  Unidade MKz
Outros Proveitos Operacionais 2.298 260
Manganês, tendo, para tal, absorvido os activos e  é derivada dos subsídios à exploração recebidos  Subtotal 2.298 260
os  passivos  da  Companhia  Mineira  Lobito  e  da  do  OGE  (por  via  do  ISEP),  do  arrendamento  de  Custos com o Pessoal 208 218
Companhia de Manganês de Angola. A empresa,  residências e do aluguer de equipamentos.  Amortizações 70 89
em conjunto com a AUSTROMINERAL promoveu,  A empresa registou uma deterioração acentuada  Outros Custos e Perdas Operacionais 73 102
de  1981  a  1986,  a  reabilitação  das  minas  de  da sua situação líquida, passando de um prejuízo  Resultados Operacionais 1.947 - 150
Kassinga  para  explorar  o  minério  de  Ferro  de  de ‐392 milhões de Akz em 2014, para um prejuízo  Resultados Financeiros - 3.800 - 117
Resultados Não Operacionais 29 - 136
médio teor (40‐50%), durante 10 anos, mas não  de ‐1824 milhões de Akz em 2015. 
Resultados antes de Impostos - 1.824 - 403
chegou,  a  haver  produção,  em  função  da   
Resultados Líquidos - 1.824 - 392  
continuidade do conflito armado que assolava o  OBJECTIVOS/METAS 
país.   A Ferrangol tem como  missão desempenhar um  Balanço   2015 2014
Em  2005,  transformada  em  Empresa  Pública  papel  preponderante  no  relançamento  e  Unidade: MKz
(E.P.), a empresa foi relançada e posteriormente  diversificação da actividade mineira, contribuindo  Activo
Activo não corrente 1.703 5.589
empossado o seu 1º Conselho de Administração.   para o desenvolvimento sustentável de Angola.   Imob. Corpóreo 1.680 1.698
A  empresa  possui  uma  subsidiária  (a  Ferrangol  No  Plano  estratégico  para  2012‐2016  da  Investimentos e Subsidiárias e Associada 2 3.890
Pesquisa  e  Produção)  e  3  participadas  (a  AEMR,  Ferrangol, estão plasmados diversos objectivos e  Outros Activos Não correntes 21 -
Activo Corrente 1.238 1.363
SA, a SOMEPA, Lda e a LAFECH, Lda).  metas, de onde se destaca:  Contas a receber 894 507
A  empresa  está  localizada  nas  províncias  de   Fomentar  a  exploração  diversificada  de  Disponibilidades 311 753
Luanda (sede), Kwanza‐Norte e Huíla;  recursos minerais;  Outros Activos Correntes 33 103
   Contribuir a médio prazo para o aumento de  Total do Activo 2.941 6.951

FACTOS SOBRE A ACTIVIDADE OPERACIONAL  receitas do Estado por via dos impostos;  Capital Próprio


Capital 49 49
Com uma actividade já com alguma relevância, a   Contribuir para a diversificação da economia,  Resultados Transitados - 1.080 - 688
FERRANGOL  efectuou  diversas  actividades  de  reforçando a contribuição do sector mineiro;  Resultados do Exercício - 1.824 - 392
onde se destaca:   Criação de emprego directo e indirecto;  Total Capital Próprio - 2.855 - 1.031

 Acompanhamento  das  actividades  de   Redução  das  importações  de  ferro  e  aço  e  Passivo
Passivo Não Corrente 1.039 1.143
implementação  do  Projecto  Minero‐ aumento das exportações de excedentes de  Provisões p/ Outros Riscos e Encargos 1.039 1.143
Siderúrgico de Kassinga e Kassala‐Kitungo;  produtos  siderúrgicos  e  de  concentrados  Passivo Corrente 4.757 6.839
 Acompanhamento  da  actividade  de  minerais;  Contas a pagar 4.719 4.696
prospecção e pesquisa de ouro nas minas de   Diversificar  as  fontes  de  financiamento  e  Empréstimos de CP - 2.057
Outros Passivos Correntes 39 86
M´Popo e Chipindo;  reforço dos meios e competências internas.  Total do Passivo 5.796 7.982
 Inauguração da Geangol, S.A. subsidiária que                                                                                                Total
                                                                                                        
Capital Próprio e Passivo 2.941 6.951  
irá realizar pesquisa, prospecção e prestação  FIABILIDADE DA INFORMAÇÃO REPORTADA NAS 
 Indicadores Financeiros 2015 2014
de serviços mineiros;  DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS  Autonomia Financeira (CP/A) -97,1% -14,8%
 Transformação  da  Ferrangol  em  A  fiabilidade  da  informação  reportada  nas  Solvabilidade (CP/P) -49,3% -12,9%
Concessionária Nacional para o ouro; 
demonstrações  financeiras  da  instituição  está  Liquidez Geral (Activos C./Passivos C 26,0% 19,9%
 Outras  actividades  relacionadas  com  as  Rotação Activo (VN/A) 0,0% 0,0%
subsidiárias  FERRANGOL  P&P  SA,  SOMEPA  afectada  pelas  reservas  reportadas  pelo  auditor  ROE (RL/CP) 63,9% 38,0%
 
LDA e LAFECH LDA.  Deloitte & Touche sobre as rubricas de (i) Contas 
  a  pagar  (Subsídios),  (ii)  Investimentos  em 
Dimensão da Força de Trabalho Homens Mulheres
INFRA‐ESTRUTURAS E RECURSOS DE SUPORTE A  subsidiárias e associadas, (iii) Contas a Receber – 
Trabalhadores 44 22
OPERAÇÃO  Entidades  Relacionadas  e  (iv)  Outros  Activos  Conselho de Administração 4 1
A  actividade  da  empresa  é  suportada  pelas  Correntes  –  Proveitos  a  facturar.  Nota‐se  que 
seguintes infra‐estruturas e recursos: 
foram,  igualmente,  reportadas  ênfases  sobre  as 
 Infra‐estruturas  ‐  Edifícios  em  Luanda  e 
Namibe, 2 terrenos em Luanda, 2 residências  rubricas Resultados Transitados e Demonstrações 
na Jamba Mineira e 3 casas em:   financeiras.  Estes  factos  são  susceptíveis  de 
o Kassala‐Kitungo  (Kwanza  Norte)  comprometer as análises e avaliações da situação 
–  que  possui  reservas  provadas  (saúde) económica e financeira da empresa e do 
de  300  milhões  de  Ton.  de  desempenho das suas operações. 
minério de Ferro e 5 milhões de   
Ton. de Manganês 
 
 Equipamento  de  Carga  e  Transporte  – 
Diversas máquinas de grande porte para uso   
mineiro e viaturas ligeiras   
   
ESTRUTURA ACCIONISTA  DISTRIBUIÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO 

 
   
 
 
 
 
 

   
 

Anexo A ‐ LISTA DAS PARTICIPAÇÕES FINANCEIRAS DAS EMPRESAS DO SECTOR 
DE GEOLOGIA E MINAS 
     
   
   
Empresa‐Mãe  Participada 
Nome  Nome  % Part.  Tipo de Part. Obj. Social 
SODIAM ‐ Socied. De Com. De 
99%  Subsidiária  Comercialização dos diamantes 
Diamantes de Angola 
Endiama Pesquisa e Produção  99%  Subsidiária Prospecção, pesquisa, Avaliação, exploração e tratamento de diamantes
Clínica Sagrada Esperança  90%  Subsidiária  Prestação de todos os serviços de clínica médica e cirúrgica, enfermagem 
ALFA5 ‐ Segurança Industrial e 
45%  Associada  Serviços de segurança 
Patrimonial 
Endiama Mining  99%  Subsidiária Garantir a gestão eficaz dos projectos mineiros 
Exploração de diamantes de alta qualidade que são basicamente usados 
SDM ‐ Soc. De Desenv. Mineiro  50%  Associada 
para a fabricação de jóias. 
Sociedade Mineira do Lucapa  100%  Subsidiária  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Catoca  33%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Chitotolo  45%  Associada  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Luó 30%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Cuango  41%  Associada  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
BAI  1,5%  Associada Prestar serviços financeiros de reconhecido valor para os clientes.
BCI  1%  Associada Prestar serviços financeiros de reconhecido valor para os clientes.
Sociedade Mineira do Luminas  47%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Luemba  N.D.  Associada  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Lapi  N.D.  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Lumuanza  41%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Camafuca  37%  Associada  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira Uari 51%  Subsidiária Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Outr. Inv.  Prospecção, pesquisa, Avaliação, exploração e tratamento de recursos 
Ferrangol Pesquisa e Produção  1% 
Financ.  minerais 
Bolsa de Valores e Derivativos de  Outr. Inv.  Adiministrar e manter a realização a realização de operações de compra e 
4% 
Angola  Financ.  venda de valores imobiliários em mercado livre e aberto. 
Endiama  ENDITRADE  99%  Subsidiária Serviços de procurement
Sociedade Mineira do Fucaúma  38%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Luarica  40%  Associada Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Camutwe  N.D.  N.D.  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Gango  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Alto Cuilo  N.D.  N.D.  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Cacuilo  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Luachise  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Sende  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Massongue  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Cacuala  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Chiri  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Sagamina  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do 
N.D.  N.D.  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Camuanzanza 
Sociedade Mineira da Damba  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Chimbongo  N.D.  N.D.  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Tchingofo  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Luana  39%  Associada  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Lola  N.D.  N.D. Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Sociedade Mineira do Dongo  N.D.  N.D.  Produção, exploração e comercialização de diamantes 
Angola Air Charter  N.D.  N.D. Transporte Aéreo
Sociedade de aviação ligeira  N.D.  N.D. Transporte Aéreo
Transdiam  N.D.  N.D. Transporte Aéreo
Liziria,Lda  51%  Subsidiária N.D.
Intertransport Center  N.D.  N.D. Transporte Aéreo
Transnordeste  N.D.  N.D. Transporte Aéreo
Prospecção, pesquisa, Avaliação, exploração e tratamento de recursos 
Ferrangol Pesquisa e Produção  99%  Subsidiária 
minerais 
Ferrangol  Implementação do Projecto Integrado Minero‐siderúrgico de Kassinga e 
AEMR  40%  Associada 
Kassiala‐Kitungo 
SOMEPA  30%  Associada Implementação do Projecto Integrado de Eploração de Ouro em M'popo
 

 

Anexo B – LISTAGEM DE EMPRESAS SECTORIALMENTE TUTELADAS PELO 
MINISTÉRIO DE GEOLOGIA E MINAS 
 
Natureza  Situação 
 #  Empresa 
Jurídica  Operacional 
1  ENDIAMA  E.P  Activa 
2  FERRANGOL  E.P  Fase de arranque 
SODIAM ‐ Sociedade de 
3  S.A  Activa 
Comercialização de Diamantes