Você está na página 1de 5

Crescimanto e desenvolvimento Fetal

O desenvolvimento do feto desde o momento da relação sexual e concepção até o


nascimento.

Uma vez que o espermatozóide é depositado na vagina, ele viaja pelo cérvix até as
trompas de Falópio A concepção geralmente ocorre no terço externo da trompa. Um
único espermatozóide penetra no ovo e uma união das informações genéticas ocorre,
formando uma célula única chamada zigoto.

O zigoto passa os próximos dias viajando pela trompa de de Falópio e multiplicando


rapidamente o número de células por meio da divisão. Uma massa de células é formada
por esta divisão celular, cada uma com uma cópia dos genes que se tornarão o feto.
Massa de células na trompa de Falópio é chamada mórula. Com divisão celula
adicional, a mórula se torna uma concha externa de células com um grupo de células
internas. Esta etapa do desenvolvimento embrionário é chamada blastócito.O grupo
externo de células se torna a membrana que nutre e protege o grupo interno, que se
torna o feto.

O blastócito continua sua jornada pela trompa de Falópio e entre o sétimo e nono dia
após a concepção, se implanta no útero. Neste momento do ciclo menstrual da mãe o
endométrio (o revestimento do útero) cresceu, está altamente vascularizado e pronto
para receber o feto. O blastócito se adere ao endométrio onde será nutrido. A placenta e
a estrutura de apoio para a gestação se formam na fase de implantação. Estima-se que
até 55% dos zigotos nunca alcancem esta fase de crescimento. É comum quando há um
problema com o desenvolvimento embrionário ou fetal haver problemas com outros
tecidos que se desenvolveram ao mesmo tempo. Por exemplo, se uma criança apresenta
problemas de desenvolvimento renal é possível que a criança também tenha problemas
auditivos, uma vez que estes órgãos se desenvolvem ao mesmo tempo.

O estágio embrionário inicia no 15º dia após a concepção e continua até


aproximadamente a 8ª semana, ou até que o embrião tenha 3,8 cm de comprimento.
Durante este período as células do embrião não estão apenas se multiplicando, mas
estão assumindo funções específicas. Este processo é chamado diferenciação de tecidos
e é necessário para os diferentes tipos de células que formam um ser humano (tais como
células sangüíneas, células hepáticas, células nervosas, etc.). Há crescimento rápido e as
principais características externas começam a tomar forma. É neste período que a
criança em desenvolvimento está mais susceptível aos teratogênios (substâncias que
causam defeitos ao nascimento).

Alterações específicas por semana na fase embrionária:


Semana 3
 formação do coração;
 início do desenvolvimento do cérebro e da medula espinal;
 início do desenvolvimento do trato gastrointestinal;
 os teratogênios introduzidos nesta fase podem causar:ausência de um ou mais
membros coração fora da cavidade torácica.

Semanas 4 e 5
 formação do tecido que se transforma nas vértebras;
 formação do tecido que se transforma no maxilar inferior, osso hióideo e
cartilagem da laringe;
 início das estruturas do ouvido;
 maior desenvolvimento do coração, que agora bate em rítmo regular;
 movimento do sangue rudimentar pelos vasos principais;
 início das estruturas oculares;
 o cérebro já apresenta cinco áreas e alguns nervos cranianos estão visíveis;
 os brotos dos braços e pernas são visíveis com coxins das mãos e pés;
 os teratogênios introduzidos durante este período podem causar:
 onfalocele;
 fístulas transesofágicas;
 hemivértebra;
 catarata nuclear;
 olhos anormalm;ente pequenos;
 fendas faciais;
 ausência de mãos ou pés.

Semana 6
 formação do nariz;
 maior desenvolvimento cerebral;
 postura mais ereta;
 os maxilares já são visíveis;
 a traquéia se desenvolve com dois brotos dos pulmões;
 o lábio superior é formado;
 início da formação do palato;
 os ouvidos estão em formação;
 os braços e pernas se alongaram, sendo que os braços estão mais desenvolvidos
que a pernas;
 as mãos e os pés têm dedos, mas ainda podem estar palmados;
 a velocidade de crescimento do cóccix diminui;
 o coração está quase totalmente desenvolvido;
 a circulação fetal está mais desenvolvida;
 os teratogênios introduzidos nesta fase podem causar:
 anormalidades cardíacas ou aórticas graves;
 fenda labial;
 ausência do maxilar inferior.

Semana 7
 a cabeça está mais arredondada;
 os olhos se movem para a parte anterior da face;
 as pálpebras começam a se formar;
 o palato está quase completo;
 a língua começa a se formar;
 o trato gastrointestinal se separa do trato genitourinário;
 todos os órgãos essenciais já começaram, no mínimo, a se formar;
 teratogênios introduzidos neste período podem causar:
 defeitos do septo ventricular (DSV);
 estenose pulmonar;
 fenda labial;
 Micrognatia;
 Epicanto;
 cabeça pequena;
 genitália ambígua.

Semana 8
 o embrião agora tem aspecto humano;
 as feições faciais continuam a se desenvolver;
 as pálpebras começam a se unir;
 as características externas do ouvido começam a tomar seu formato final, mas
ainda estão localizadas na parte inferior da cabeça;
 a parte externa dos genitais começa a se formar;
 a passagem anal se abre, mas a membrana retal está intacta;
 a circulação por meio do cordão umbilical está bem desenvolvida;
 os ossos longos começam a se formar;
 os músculos são capazes de se contrair;
 os teratogênios introduzidos neste período podem causar:
 abertura persistente na aurícula do coração;
 atrofia digital.
Neste momento o embrião já tem desenvolvimento suficiente para ser chamado de
feto.Todos os órgãos e estruturas encontradas em um recém-nascido a termo estão
presentes. O período de desenvolvimento fetal é um tempo de crescimento e
desenvolvimento adicional das estruturas que se diferenciaram durante o período
embrionário.

Semanas de 9 a 12
 o feto atinge o comprimento de 8,1 cm;
 a cabeça compreende quase metade do tamanho do feto;
 o pescoço já está presente;
 a face está bem formada;
 os ouvidos começam a ter uma aparência totalmente desenvolvida;
 as pálpebras se fecham e não reabrirão até a 28ª semana aproximadamente;
 os botões dentários aparecem;
 os membros são longos e delgados;
 os dedos estão bem formados;
 o feto pode fechar a mão;
 o trato urogenital termina seu desenvolvimento;
 os genitais parecem bem diferenciados;
 o fígado começa a produzir glóbulos vermelhos;
 os batimentos cardíacos fetais podem ser ouvidos com dispositivos eletrônicos.

Semanas de 13 a 16
 o feto atinge o comprimento de 15,2 cm aproximadamente;
 uma penugem chamada lanugo se desenvolve na cabeça;
 a pele fetal é quase transparente;
 outros músculos e ossos já se desenvolveram e os ossos se tornam mais duros;
 o feto se move ativamente;
 movimentos de sucção são feitos com a boca;
 o feto engole o líquido amniótico;
 o mecônio é formado no trato intestinal;
 há desenvolvimento adicional dos pulmões;
 as glândulas sudoríparas se desenvolvem;
 o fígado e o pâncreas começam a produzir suas secreções apropriadas.

Semana 20
 o feto atinge o comprimento de 20,3 cm;
 o lanugo cobre todo o corpo;
 a pele se torna menos transparente à medida que começa a haver depósito de
gordura;
 os mamilos aparecem;
 as sobrancelhas e cílios aparecem;
 as unhas aparecem;
 o feto está mais ativo com aumento do desenvolvimento muscular;
 geralmente ocorrem os primeiros movimentos fetais identificáveis (quando a
mãe sente o feto se mexer);
 os batimentos cardíacos fetais podem ser ouvidos com um estetoscópio.

Semana 24
 o feto atinge o comprimento de 28,45 cm;
 o feto pesa aproximadamente 500 gr;
 o cabelo está mais comprido;
 as sobrancelhas e cílios estão bem formados;
 todos os componentes oculares estão desenvolvidos;
 o feto apresenta o reflexo de preensão e sobressalto;
 a pele das mãos e pés está mais grossa;
 as impressões digitais estão se formando;
 os alvéolos estão se formando nos pulmões;
 todo o corpo está coberto de verniz caseosa (uma substância protetora
semelhante a queijo secretada pelo feto).

Semanas de 25 a 28
 o feto atinge o comprimento de 38 cm;
 o feto pesa aproximadamente 970 gr;
 rápido desenvolvimento cerebral;
 o sistema nervoso está suficientemente desenvolvido para controlar algumas
funções corporais;
 as pálpebras abrem e fecham;
 os testículos começam a descer para a bolsa escrotal se o feto for do sexo
masculino;
 o sistema respiratório, embora imaturo, já se desenvolveu ao pontoonde a troca
de gases é possível;
 um bebê nascido neste período pode sobreviver, mas as possibilidades de
complicações e morte permanecem altas.

Semanas de 29 a 32
 o feto atinge o comprimento de 38 a 44 cm aproximadamente;
 o feto pesa aproximadamente 2,12 kg;
 rápido aumento da quantidade de gordura corporal;
 aumento do controle do sistema nervoso central (SNC) sobre as funções
corporais;
 presença de movimentos respiratórios rítmicos;
 os pulmões ainda não estão totalmente maduros;
 a temperatura corporal fetal é parcialmente auto-controlada;
 os ossos estão totalmente desenvolvidos, mas ainda são macios e flexíveis;
 os testículos permanecem no canal inguinal;
 o feto começa a armazenar ferro, cálcio e fósforo.

Semana 36
 o feto atinge o comprimento de 40,6 a 48,6 cm aproximadamente;
 o feto pesa aproximadamente 2,36 a 2,81 kg;
 o lanugo começa a desaparecer;
 há aumento da gordura corporal;
 as unhas atingem a ponta dos dedos;
 aumento do controle do sistema nervoso central (SNC) sobre as funções
corporais;
 um bebê nascido com 36 semanas tem grandes chances de
sobrevivência, mas pode requerer algumas intervenções.

Semanas de 38 a 40
 um bebê é considerado a termo com 38 semanas;
 o feto pode atingir o comprimento de 48,2 a 53,34 cm;
 os meninos geralmente pesam mais que as meninas;
 o lanugo desapareceu totalmente exceto nos braços e ombros;
 as unhas ultrapassam a ponta dos dedos;
 pequenos brotos de mamas se apresentam em ambos os sexos;
 o cabelo agora está mais grosso e volumoso;
 a mãe fornece ao feto os anticorpos que o protegerão contra doenças;
 o feto preenche todo o útero.