Você está na página 1de 94

Manual de Operação

inter 3 ®

Ventilador Pulmonar Neonatal e Pediátrico

ATENÇÃO:

! Leia integralmente este manual antes de utilizar o inter®3 em pacientes.


Este equipamento pode sofrer alterações sem prévio aviso ao usuário.
Caso não esteja sendo usado um umidificador aquecido, ignore os passos
correspondentes ao mesmo. Ao utilizar outros equipamentos, verifique as
instruções fornecidas com os mesmos.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Apresentação

Apresentação

Este Manual de Operação contém as informações necessárias para a


correta utilização do ventilador pulmonar neonatal e pediátrico
Intermed®, modelo inter®3.

Utilize sempre o
Manual de
Operação para
Fabricante:
referência. Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda.
Avenida Cupecê, 1786
São Paulo - SP - Brasil - CEP 04366-000
Tel: (11) 5670 1300
Fax: (11) 5563 0008
www.intermed.com.br
CNPJ: 49.520.521/0001-69
I.E.: 110.663.323.118
Sugestões, dúvidas ou reclamações:
SAT - Serviço de Assistência Técnica:
(55 11) 5670-1340 ou pelo site: www.intermedbr.com

Registro do Produto no Ministério da Saúde:


Nome técnico: Ventilador Artificial
Nome Comercial: Ventilador inter®3
Número do Registro na ANVISA: 10243240001

Classificação do Produto
NBR IEC 60601-1/94 (e emenda), NBR IEC 60601-2-12/98
IEC 60601-1/1988 e IEC 60601-1-12/98:
Equipamento Classe I/ Energizado Internamente
Tipo B - IPX1 - Operação Contínua
Equipamento não adequado ao uso na presença de uma mistura
anestésica inflamável com ar, oxigênio ou óxido nitroso.

Responsável técnico:
Eng. Jorge Bonassa
CREA 137.189/D

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Índice

Índice

Capítulo 1: Introdução........................................................................7
Descrição ..............................................................................................8

Capítulo 2: Precauções e Notas ......................................................11

Capítulo 3: Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes ...........17


Painel Frontal......................................................................................18
Controles.............................................................................................19
Alarmes...............................................................................................24
Indicadores Visuais.............................................................................27
Displays ..............................................................................................30
Displays Analógicos............................................................................31
Outros Controles.................................................................................32
Painel Traseiro....................................................................................33
Conectores e controles do painel traseiro ..........................................34

Capítulo 4: Montagem ......................................................................39


Montagem do Pedestal .......................................................................40
Montagem do Conjunto.......................................................................41
Montagem da Válvula de Exalação ....................................................42
Montagem da IM300 - Jarra de Umidificação .....................................43
Montagem do Circuito Neonatal e Pediátrico .....................................44

Capítulo 5: Operação........................................................................45
Preliminares ........................................................................................46
Ventilação no Modo CMV ...................................................................48
Ventilação no Modo IMV.....................................................................50
Ventilação no Modo CPAP .................................................................51
Ventilação no Modo APRV .................................................................52

Capítulo 6: Solução de Problemas..................................................55

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Índice

Capítulo 7: Limpeza e Esterilização ................................................59


Ventilador............................................................................................60
Circuito do Paciente............................................................................61

Capítulo 8: Acessórios, Partes e Peças..........................................65


Circuito Paciente Neonatal e Pediátrico cód. 100.19000....................69
Válvula de Exalação - cód. 131.00313 ...............................................70
Jarra de Umidificação IM300 - cód. 134.00400 ..................................71
Vista Explodida ...................................................................................72

Capítulo 9: Manutenção Preventiva ................................................73


Teste de Verificação Funcional - TVF.................................................74
Teste de Verificação Funcional - TVF.................................................74
Manutenção Preventiva de Rotina......................................................78
Manutenção Preventiva Anual - MPA .................................................80

Capítulo 10: Especificações ............................................................81

Capítulo 11: Garantia........................................................................85

Anexo A: Simbologia e Terminologia .............................................87


Simbologia ..........................................................................................87
Terminologia .......................................................................................89

Anexo B: Serviço Técnico Autorizado............................................91

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 1: Introdução 7

1 - INTRODUÇÃO
Capítulo 1: Introdução

Neste Capítulo

„ Descrição
Utilize sempre o
Manual de Operação
para referência.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 1: Introdução 8

Descrição

„ O inter®3 é um ventilador pulmonar de fluxo contínuo, ciclado a tempo e


limitado a pressão, controlado por microprocessador e com circuitos
eletrônicos independentes para alarme e monitoração de pressão.

„ O inter®3 apresenta uma exclusiva Válvula de Exalação Dupla que


realiza o controle de pressão em ambas as extremidades do circuito do
paciente, eliminando oscilações, PEEP residual e risco de
sobrepressões, mesmo em freqüências e fluxos elevados. Essa válvula
incorpora a função das tradicionais válvulas de alívio (POP-OFF), com a
vantagem de dispensar ajustes e limitar tanto a pressão inspiratória
como a expiratória.

„ O inter®3possui um manômetro eletrônico com pontos luminosos que


indica o pico de pressão inspiratória a cada ciclo, facilitando a leitura da
monitoração da pressão e aumentando a precisão. No próprio
manômetro são indicados, em cores distintas, os limites ajustados para
os alarmes de baixa e alta pressão, permitindo a visão integrada dos
níveis de pressão na ventilação. A pressão média de via aérea é
continuamente indicada em um display digital.

„ Para assegurar um completo controle dos níveis de pressão durante a


ventilação, o inter®3 dispõe do alarme de alta pressão. Esse alarme
estabelece um limite de pressão que, ao ser atingido durante a fase
inspiratória, inicia a exalação e, durante a fase expiratória,
despressuriza o circuito do paciente através de um solenóide de
segurança.

„ O inter®3 apresenta, além dos modos convencionais de ventilação


neonatal e pediátrica (CMV/IMV/CPAP), o modo APRV (Airway
Pressure Release Ventilation). As modalidades Assistida/Controlada e
SIMV podem ser implementadas através de um módulo de sincronismo
opcional, utilizando o princípio de trigger por fluxo.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 1: Introdução 9

„ O inter®3
dispõe de um sistema "NO BREAK" empregando baterias

1 - INTRODUÇÃO
seladas recarregáveis, com autonomia de aproximadamente 2 horas no
modo CMV/IMV e 4 horas em CPAP.

„ O inter®3possui um sistema de proteção contra ajustes inadvertidos


através de um sistema de torque dos knobs que previne a alteração do
ajuste em caso de toques leves e não intencionais, bem como um
sistema que limita condições impossibilitando ajustes inadequados
(Exemplo: alto fluxo com baixo volume ou tempo expiratório insuficiente
- Relação I:E).

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 11

Capítulo 2: Precauções e Notas

Neste Capítulo:

„ Precauções
Sempre consulte „ Cuidado
o Manual de Operação „ Atenção

2 - PRECAUÇÕES
sobre os riscos e
cuidados „ Notas
associados ao
equipamento.
O inter®3 deve ser manuseado por pessoal qualificado e operado por
pessoal treinado sob a supervisão direta de um médico licenciado.

É necessária a LEITURA TOTAL DO MANUAL de Operação ANTES de


utilizar o inter®3 em pacientes.

A utilização do equipamento antes do completo entendimento das suas


características e funções resulta em condições de risco para o
operador, o paciente e o próprio equipamento.

Os parágrafos precedidos das seguintes palavras merecem especial


atenção:

CUIDADO: Indicam condições que podem afetar adversamente o


operador ou o paciente.

!
ATENÇÃO: Indicam condições que podem afetar ou danificar o
equipamento ou seus acessórios.

NOTA: Indica uma informação adicional para melhor compreensão do


funcionamento do equipamento.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 12

CUIDADO:

! „ Antes da primeira utilização e após a utilização em cada paciente ou


mais freqüentemente, se necessário, LIMPE o ventilador e DESMONTE
e ESTERILIZE as partes do circuito do paciente, conforme capítulo 7.

„ NÃO use o ventilador na presença de gases anestésicos inflamáveis,


sob risco de explosão.

„ Para prevenir danos internos ao ventilador e riscos ao paciente, sempre


utilize GÁS DE GRAU MÉDICO (seco e isento de contaminação).

„ Sempre CONECTE o ventilador a uma rede de alimentação elétrica com


SISTEMA DE ATERRAMENTO PARA PROTEÇÃO e tomada
compatível com o plugue do equipamento. NUNCA INUTILIZE O
CONTATO DE ATERRAMENTO NO PLUGUE, sob risco de choque
elétrico, comprometendo a segurança do operador do paciente, em
caso de falha no sistema de aterramento.

„ O ventilador não possui MONITOR DE OXIGÊNIO incorporado. Para


atendimento à NORMA ISO/DIS 7767 é recomendada a utilização do
monitor de oxigênio para monitoração da concentração do oxigênio
inspirado, no ramo inspiratório ou na conexão “Y” do paciente. O
monitor deve dispor de pelo menos um alarme de BAIXA
CONCENTRAÇÃO DE OXIGÊNIO, com sinal de MÉDIA PRIORIDADE,
cujo LIMITE INFERIOR não seja MENOR que 18%. A NÃO utilização de
um MONITOR DE OXIGÊNIO pode expor o paciente ao RISCO DE
HIPÓXIA em caso de falha na composição do gás inspirado.

„ Recomenda-se o uso do ventilador em conjunto com um MONITOR DE


VENTILAÇÃO (Intermed® tracer 5 ou equivalente) para monitoração do
volume expirado do paciente. O monitor deve incorporar um ALARME
DE BAIXO VOLUME MINUTO, com sinal de MÉDIA PRIORIDADE. A
NÃO utilização de um monitor de volume expirado pode expor o
paciente ao RISCO DE HIPOVENTILAÇÃO no caso de vazamentos não
detectados pelo alarme de mínima pressão inspiratória.

„ O ventilador deve ser utilizado com um UMIDIFICADOR AQUECIDO


(Intermed® misty 3 ou equivalente). A NÃO utilização de um sistema de
umidificação pode COMPROMETER A INTEGRIDADE do trato
respiratório do paciente, e propiciar o ESPESSAMENTO das mucosas e
o AUMENTO da RESISTÊNCIA das vias aéreas.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 13

CUIDADO:

! „ Utilize a fonte de alimentação elétrica interna (bateria interna do


equipamento) sempre que houver dúvida sobre a INTEGRIDADE DA
INSTALAÇÃO do condutor de aterramento para proteção.

„ Ao trocar os fusíveis, MANTENHA AS MESMAS ESPECIFICAÇÕES


(tipo e capacidade) para assegurar a proteção elétrica e evitar risco de
fogo. A CAPACIDADE DOS FUSÍVEIS depende da tensão selecionada:

Para 100V-120V utilize fusível de 400mA / 250V SB


Para 220V-240V utilize fusível de 200mA / 250V SB

„ O funcionamento do equipamento pode ser AFETADO pela utilização


próximo a equipamentos como desfibriladores e equipamento cirúrgico
de alta freqüência (diatermia).

„ Quando o ventilador estiver ligado ao paciente, um PROFISSIONAL


QUALIFICADO deve estar DE PRONTIDÃO para tomar as ações
necessárias sempre que um alarme ou problema ocorrer. Um ALARME
SONORO indica a ocorrência de uma situação que requer a atenção do
operador e NUNCA DEVE SER IGNORADO.

„ A desconexão do circuito do paciente representa risco de vida. Extrema


atenção deve ser dada para evitar essa ocorrência, através do AJUSTE
ADEQUADO DO ALARME de Baixa Pressão (LO PRESS) e constante
ATENDIMENTO QUALIFICADO ao paciente.

„ Em caso de reposição, utilize sempre ACESSÓRIOS, PARTES E


PEÇAS ORIGINAIS, caso contrário, o desempenho do equipamento e a
segurança do paciente e/ou usuário podem ficar comprometidas.

„ O TESTE DE VERIFICAÇÃO FUNCIONAL (TVF), especificado no


2 - PRECAUÇÕES

Capítulo 9 - Manutenção Preventiva - deve ser realizado pelo operador,


ANTES DA PRIMEIRA UTILIZAÇÃO e pelo menos UMA VEZ POR
MÊS, ou quando existirem DÚVIDAS sobre o funcionamento do
ventilador. Caso sejam detectados problemas durante o TVF, o
ventilador deve ser RETIRADO DE USO para Manutenção Corretiva.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 14

CUIDADO:

! „ NÃO UTILIZE o ventilador EM DESACORDO COM AS


ESPECIFICAÇÕES contidas no manual até que seja realizada a
manutenção apropriada. Contate a Intermed® ou o Serviço Técnico
Autorizado.

„ Siga as instruções para a limpeza do equipamento e esterilização dos


acessórios, conforme instruções contidas no Capítulo 7.

„ O ventilador é um equipamento de suporte de vida. NUNCA confie sua


MANUTENÇÃO A PESSOAL NÃO AUTORIZADO. Em caso de
problemas ou dificuldade, contate a Intermed® ou o Serviço Técnico
Autorizado.

„ Perigo de choque elétrico: NÃO DESMONTE O GABINETE do


ventilador. Em caso de problemas ou dificuldade, contate a Intermed®
ou o Serviço Técnico Autorizado.

„ NÃO TENTE REMOVER OS BOTÕES de controle PEEP e INSP


PRESS. O correto posicionamento e ajuste dos botões de controle é
feito durante a montagem por pessoal técnico especializado e
equipamentos apropriados. O ajuste inadequado representa RISCO AO
PACIENTE. Em caso de problemas ou dúvidas contate a Intermed® ou o
Serviço Técnico Autorizado.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 15

ATENÇÃO:

! „ NÃO ESTERILIZE O VENTILADOR. Os componentes internos não


são compatíveis com as técnicas de esterilização.

„ O FILTRO DE AR localizado no painel traseiro deve ser


VERIFICADO ANTES DE CADA USO ou periodicamente DURANTE
O USO. Retire a água condensada no copo do filtro localizado no
painel traseiro para evitar que entre no equipamento,
comprometendo seu funcionamento.

„ Para os acessórios que requerem esterilização, a MÁXIMA


TEMPERATURA não deve exceder 54ºC (130ºF) para esterilização
em óxido etileno (ETO) e 121ºC (250ºF) para esterilização em
autoclave a vapor, de forma a evitar danos ao material.

„ Agentes ESTERILIZANTES QUE INCORPOREM fenol, cloreto de


amônia dimetil e soluções com concentração maior que 2% de
glutaraldeido PODEM CAUSAR DANOS aos componentes plásticos.

„ A MANUTENÇÃO do inter®3 deve ser realizada por SERVIÇO


TÉCNICO Autorizado da Intermed®.

2 - PRECAUÇÕES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 2 Precauções e Notas 16

NOTAS:

! „ Os esquemas de circuitos, lista de componentes, descrições


técnicas, instruções de ajuste e calibração e demais informações
necessárias para manutenção do equipamento podem ser fornecidos
mediante solicitação.

„ O ventilador é um equipamento médico que deve ser utilizado por


pessoal qualificado sob a supervisão direta de um médico.

„ O tempo de carga requerido para plena carga da bateria interna, a


partir do nível mínimo de carga (completamente descarregada), é de
10 HORAS. Em um período de 3 HORAS é atingido um nível de
carga em torno de 70%. A bateria é projetada para atingir uma média
de 500 ciclos de carga e descarga.

„ A bateria é automaticamente carregada através de um circuito


interno, enquanto o equipamento estiver conectado através do cabo
de alimentação a uma fonte elétrica de corrente alternada externa,
mesmo estando desligado.

„ A vida útil da bateria irá depender de diversos fatores, como número


de ciclos de carga e descarga, tempo de utilização e condições
ambientais. Desta forma, devem ser realizadas as manutenções
preventivas programadas, pelo menos uma vez ao ano, para
assegurar a autonomia especificada para o equipamento.

„ Os tubos do circuito paciente fornecidos pela Intermed® atendem aos


requisitos de citotoxidade, irritação, sensibilidade e
hemocompatibilidade.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 17

Capítulo 3: Controles, Monitores, Indicadores


e Alarmes

Neste Capítulo

É importante
„ Painel Frontal
estar „ Painel Traseiro
familiarizado „ Controles
com todos os
controles do „ Alarmes
inter®3. „ Indicadores Visuais
„ Displays
„ Displays Analógicos
„ Outros Controles
„ Conectores e controles do painel traseiro

3 - CONTROLES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 18

Painel Frontal

inter 3 INTERMED

PRESSURE cmH 2O
EXP TIME s I : E RATIO
15 20 25 30 35
MEAN
10 40
APNEA/
LO PRESS HI PRESS
5 50 INSP TIME s RATE bpm
ALARMS
0 60
DELAY s
14
-5 10 18 70
RESET MANUAL
CYCLE
6 22

PEEP INSP PRESS MODE


OFF POWER

NOTE: CPAP BATTERY


READ GAUGE
TO SET PRESS CMV/IMV/
APRV INOP

Figura 3-1 - Painel Frontal do inter®3

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 19

Controles

MODE
MODE
CPAP

A chave MODE permite ligar o equipamento e selecionar os modos de


CMV/IMV/
APRV ventilação. Apresenta as seguintes posições:

- CPAP
- CMV/IMV/APRV

Podem ocorrer as seguintes situações:

POSIÇÃO DA
FONTE DE ENERGIA EQUIPAMENTO BATERIA
CHAVE MODE

STAND BY,
CPAP ou Conectado à tensão alternada
LIGADO e ENERGIZADO recebendo
CMV/IMV/APRV (AC)
carga

3 - CONTROLES
LIGADO e ENERGIZADO STAND BY,
CPAP ou Conectado à tensão contínua
pela fonte de corrente não recebendo
CMV/IMV/APRV (DC) externa
contínua carga

LIGADO e ENERGIZADO
pela bateria interna, até Consumo de
CPAP ou Desconectado de fontes de
que a carga atinja o limite carga, sem
CMV/IMV/APRV alimentação elétrica externa
crítico e o ventilador se recarga.
torne inoperante

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 20

Podem ser selecionados os seguintes modos de ventilação:

„ CPAP

O ventilador opera no modo CPAP, ou seja, mantém a PEEP constante


no circuito respiratório e o paciente pode respirar espontaneamente
através do fluxo contínuo. Os alarmes e o manômetro eletrônico
mantém suas funções e os displays são desativados.

„ CMV/IMV/APRV

O ventilador opera no modo CMV, IMV ou APRV:

No modo CMV o ventilador envia os ciclos mandatórios segundo os


parâmetros ajustados de Tempo Inspiratório (INSP. TIME), Freqüência
(RATE), Pressão Expiratória (PEEP), Pressão Inspiratória
(INSP.PRESS.) e Fluxo. O paciente com esforço inspiratório pode
respirar espontaneamente através do fluxo contínuo, durante os
intervalos entre os ciclos enviados pelo ventilador.

O modo IMV é obtido basicamente através da programação de


freqüências respiratórias menores, permitindo maiores intervalos para
respiração espontânea.

O modo APRV é uma variação do CPAP pelo qual, de forma


intermitente, a PEEP é diminuída e posteriormente restituída permitindo
a renovação da capacidade residual funcional (CRF) do paciente.
Esse modo pode ser utilizado através da programação de ciclos
controlados (freqüência RATE e duração INSP.TIME), na qual o
ventilador cicla com a pressão Inspiratória (INSP.PRESS.) abaixo da
PEEP. Ou seja, o ventilador cicla com pressão negativa em relação à
linha de base (ver Figura 5.1).

No modo CMV/IMV/APRV todos os controles, displays e indicadores


visuais permanecem ativos.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 21

INSP TIME s INSP. TIME

O controle INSP.TIME determina o tempo inspiratório de um ciclo


respiratório fornecido pelo ventilador no modo CMV/IMV/APRV. Durante
o modo APRV o controle INSP.TIME estabelece a duração da liberação
de pressão.

ESCALA: 0,10 a 3,00 segundos

RATE bpm RATE

O controle RATE determina a freqüência dos ciclos respiratórios


fornecidos pelo ventilador no modo CMV/IMV/APRV. Durante o modo
APRV o controle RATE determina a freqüência dos ciclos de liberação
de pressão.

ESCALA: 1 a 150 bpm (breaths per minute)

3 - CONTROLES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 22

PEEP
PEEP

O controle PEEP determina o nível de pressão durante a fase


expiratória ou a pressão constante nas vias aéreas no modo CPAP. O
botão do controle deve ser ajustado observando-se a leitura da pressão
na escala do manômetro eletrônico.

ESCALA: 0 a 30 cmH2O

INSP PRESS INSP PRESS

O controle INSP.PRESS. determina o nível de alta pressão durante a


fase inspiratória no modo CMV/IMV. Durante a APRV, ao ser ajustada
abaixo do nível da PEEP, a pressão ajustada em INSP.PRESS.
determina o nível da pressão de liberação. O botão do controle deve ser
ajustado observando-se a leitura da pressão na escala do manômetro
eletrônico.

ESCALA: 0 a 70 cmH2O

NOTA:

! No modo CMV/IMV o controle INSP.PRESS. estabelece um limite de


pressão que poderá não ser atingido durante o ciclo respiratório. Isto é,
dependendo da própria mecânica respiratória do paciente (resistência
das vias aéreas e complacência) e dos parâmetros ajustados (fluxo e
tempo inspiratório), a pressão inspiratória resultante pode situar-se
abaixo do limite pretendido. Portanto um aumento da pressão
inspiratória só será verificado com o aumento do tempo inspiratório e/ou
fluxo. É aconselhável ajustar o limite INSP.PRESS. mesmo quando a
ventilação não está sendo limitada à pressão. Para tanto, deve-se
reduzir o limite de pressão INSP.PRESS. girando o botão no sentido
anti-horário, até observar qual limite coincide com a máxima pressão
inspiratória.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 23

MANUAL
CYCLE
MANUAL CYCLE

Esta tecla permite que seja iniciado um ciclo inspiratório nos modos
CMV/IMV/APRV ou CPAP, com duração determinada pelo tempo de
acionamento da tecla, limitado a 5 segundos, mesmo que a tecla
permaneça pressionada.

RESET

Esta tecla permite apagar os indicadores visuais de alarme LO PRESS


e HI PRESS após ter cessado a condição que ativou o alarme. Os
indicadores visuais de alarme permanecem acesos até que seja
acionada a tecla RESET.

SILENCE

A Tecla SILENCE permite desativar o alarme sonoro por 60 segundos,


podendo reativá-lo dentro deste intervalo ao ser acionada novamente.

3 - CONTROLES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 24

Alarmes

DELAY s
10 15
DELAY s
5 20
O controle DELAY determina o intervalo de tempo dentro do qual o
OFF
alarme LO PRESS - led vermelho - não é acionado. Ou seja, o alarme
só será acionado se, após o intervalo de tempo ajustado, a condição de
baixa pressão inspiratória persistir.

ESCALA: 4 a 24 segundos

LO PRESS
LO PRESS - alarme de baixa pressão inspiratória

O controle do alarme LO PRESS pode ser ajustado de duas formas


distintas:

I- Alarme de Baixa Pressão Inspiratória: Deve ser ajustado abaixo


do pico de pressão inspiratória. Se a pressão não atingir o valor
ajustado, o alarme sonoro e visual será acionado decorrido o
tempo estabelecido pelo controle DELAY.

II- Alarme de Baixa Pressão Expiratória: Deve ser ajustado abaixo


da PEEP. Se a pressão cair abaixo do valor ajustado, o alarme
sonoro e visual será acionado decorrido o tempo estabelecido
pelo controle DELAY. Essa forma de ajuste é indicada na
ventilação com CPAP nasal, quando se torna difícil detectar os
movimentos respiratórios do paciente através da oscilação da
pressão proximal.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 25

HI PRESS
HI PRESS (ALARM) - alarme de alta pressão

O controle HI PRESS determina o limite máximo de pressão durante


toda a ventilação. O ajuste do alarme HI PRESS deve ser feito
visualizando-se o led vermelho no manômetro.

Durante a fase inspiratória, ao ser atingido o limite estabelecido pelo


alarme HI PRESS, o ventilador interrompe a fase inspiratória, ciclando
para a fase expiratória PEEP, acionando o alarme sonoro e visual HI
PRESS.

Durante a fase expiratória, se a pressão permanecer além do limite


estabelecido pelo controle HI PRESS, é acionada uma válvula solenóide
que corta toda a alimentação pneumática do ventilador, abrindo ambas
as vias da Válvula de Exalação, conduzindo o ventilador à condição
inoperante e acionando o alarme sonoro e visual INOP. Não é cortado o
fluxo contínuo proveniente do fluxômetro, mas apenas as pressões que
acionam a Válvula de Exalação.

O ventilador retorna da condição de INOP devido ao alarme de HI


PRESS após 5 segundos e, se novamente a condição de HI PRESS for

3 - CONTROLES
violada, é reiniciada a lógica do alarme. Dessa forma pode ocorrer um
ciclo a cada 5 segundos, ou seja, na freqüência de 12 ciclos por minuto,
limitado pela pressão estabelecida pelo alarme HI PRESS, sempre
acionando a indicação sonora e visual INOP.

ESCALA: 5 a 70 cmH2O

! ATENÇÃO:

A condição de INOP acima descrita pode ser acionada se,


inadvertidamente, o alarme de alta pressão HI PRESS for posicionado
abaixo da PEEP ajustada.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 26

INOP INOP - Ventilador Inoperante

Indica que o ventilador não está operando, permanecendo inativos os


controles eletrônicos e pneumáticos. A condição de INOP pode ser
gerada nas seguintes situações:

I. Violação do limite HI PRESS durante a fase expiratória.


O limite de pressão estabelecido pelo alarme HI PRESS, ao ser
atingido durante a fase inspiratória, imediatamente inicia a fase
expiratória, retornando a pressão ao nível estabelecido pelo controle
PEEP. Entretanto, se mesmo assim a pressão não cair abaixo do
limite estabelecido por HI PRESS, será acionada uma válvula
solenóide de segurança que irá cortar a alimentação pneumática do
ventilador, abrindo ambas as vias da válvula de exalação. Nesse
caso, a condição de INOP irá persistir por 5 segundos. Após esse
período, o ventilador retorna da condição de INOP e, se novamente a
condição de HI PRESS for violada, repete-se a lógica do alarme.

! ATENÇÃO:

A condição de INOP acima descrita pode ocorrer se, inadvertidamente,


o alarme de alta pressão HI PRESS for posicionado abaixo da PEEP
ajustada.

II. Falha eletrônica.


Nessa situação o ventilador não irá retornar da condição de INOP.

III. Falta de energia elétrica.


Se a bateria interna atingir o nível de carga crítica o ventilador será
conduzido à condição de INOP.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 27

Indicadores Visuais

POWER
POWER
Pode indicar duas situações, dependendo da cor do led:
- VERDE: indica que o ventilador está sendo alimentado pela rede de
corrente alternada (AC). Nessa situação, a bateria interna está
sendo continuamente carregada. Permanece aceso sempre que o
ventilador estiver ligado à rede elétrica.
- AMARELO: indica que o ventilador está sendo alimentado por uma
fonte de corrente contínua (DC) externa. Esta fonte alternativa pode
ser ligada através do conector (opcional) ALT DC PWR SOURCE
12-14V no painel traseiro. Nessa situação, a bateria interna não está
sendo carregada.

BATTERY

Em conjunção com o indicador POWER, o indicador BATTERY exibe a


BATTERY condição de uso da bateria interna e do circuito de carga da mesma:

POWER BATTERY CONDIÇÃO


VERDE/ Ventilador sendo alimentado pela rede de

3 - CONTROLES
VERDE LARANJA/ tensão alternada e bateria interna sendo
VERMELHO carregada
VERDE/ Ventilador sendo alimentado pela fonte
AMARELO LARANJA/ alternativa (DC) e bateria interna em
VERMELHO stand by
VERDE/
Ventilador sendo alimentado pela bateria
APAGADO LARANJA/
interna
VERMELHO
LARANJA Indica que a fonte de alimentação foi
INTERMITENTE comutada automaticamente para a
APAGADO
E ALARME bateria interna. Acione a tecla RESET
SONORO para continuar a operação normal.
VERMELHO
A bateria interna atingiu o nível mínimo.
INTERMITENTE
APAGADO Ligue o equipamento a uma bateria
E ALARME
externa ou à rede elétrica AC.
SONORO
VERMELHO Condição anormal. Circuito de carga
VERDE
INTERMITENTE e/ou bateria interna inoperantes.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 28

Além de indicar a condição de uso da bateria interna, o indicador


BATTERY também é utilizado para monitorar o nível de carga da bateria
interna:

COR NÍVEL DE CARGA


VERDE Pleno
LARANJA Médio
VERMELHO Baixo

A autonomia da bateria interna é associada a cada cor de led e irá


depender dos parâmetros ajustados no ventilador. Como referência, são
indicados os valores de tempo obtidos nas seguintes condições:

Modo: CMV/IMV/APRV
Freqüência Respiratória: 30 rpm
Tempo Inspiratório: 0.75 s
Volume: 700ml

COR DURAÇÃO DA CARGA


VERDE entre 60 e 90 minutos
LARANJA entre 15 e 60 minutos
VERMELHO menos que 15 minutos

ATENÇÃO:

1. Ao ocorrer a comutação para bateria interna, o alarme sonoro é


acionado e o indicador BATTERY pisca na cor laranja para informar
a comutação de fonte de alimentação. Acione a tecla RESET para
anular o alarme e retornar o indicador BATTERY à sua função de
monitoração do nível de bateria. Ao ser atingida a condição de baixa
carga, o indicador de bateria assume a cor vermelha e, de forma
intermitente, pisca e aciona o alarme sonoro. Esse alarme não pode
ser silenciado através da tecla SILENCE.

2. Para máxima autonomia durante o transporte, a bateria deve estar


totalmente carregada. Conecte o ventilador na rede elétrica por pelo
menos 10 horas, em funcionamento ou não, preferencialmente em
até 48 horas antes do transporte. Após este período pode ocorrer
uma queda na carga dependendo do estado da bateria.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 29

3. Para situações em que o tempo de transporte exceda 2 horas,


conecte o ventilador em uma fonte externa (bateria de 12 Volts ou
acendedor de cigarros do carro). Para isso utilize o cabo opcional
apropriado (ver nesse capítulo: ALT DC PWR SOURCE).

NOTA:

! O tempo requerido para plena carga da bateria, a partir do nível mínimo


de carga (completamente descarregada) é de 10 HORAS. Em um
período de 3 HORAS é atingido um nível de carga em torno de 70%.

PRESSÃO DE PICO - MANÔMETRO

O led verde indica a pressão de pico do ciclo controlado/assistido. A


indicação é mantida por até 60 segundos, na ausência de outro ciclo
mandatório nesse período.

! PRESSÃO BAIXA (LO PRESS) - MANÔMETRO

O led laranja no manômetro Indica o valor ajustado de pressão para o


alarme de baixa pressão (LO PRESS).

3 - CONTROLES
PRESSÃO ALTA (HI PRESS) - MANÔMETRO

O led vermelho no manômetro indica o valor ajustado de pressão para o


alarme de alta pressão (HI PRESS).

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 30

Displays

I : E RATIO
I:E RATIO

Pode indicar duas situações:

I - O led permanece iluminado continuamente com um bip sonoro,


indicando que a programação do Tempo Inspiratório (INSP. TIME) e
Freqüência (SET RATE), resultou em uma condição onde o tempo
expiratório é menor que o tempo inspiratório, portanto a relação I:E
entre os tempos inspiratório e expiratório é menor que 1 (E < 1).

II - O led apresenta iluminação intermitente, indicando que a inversão da


relação I:E atingiu o limite 3:1 (E < 0.33), isto é, o tempo inspiratório
ocupa ¾ da duração do ciclo respiratório (inspiração + expiração). Ao
ser atingida essa situação, é acionado um alarme sonoro e limitado o
tempo inspiratório.

EXP TIME s EXP TIME

Apresenta a indicação digital do tempo expiratório calculado pelo


microprocessador em função do tempo inspiratório (INSP.TIME) e
freqüência (RATE) programados no modo CMV/IMV/APRV. Permanece
desligado no modo CPAP.

MEAN
MEAN

Este indicador apresenta a pressão média nas vias aéreas (em cmH2O).

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 31

Displays Analógicos

MANÔMETRO ELETRÔNICO

A medida da pressão da via aérea, tomada na conexão "Y" do paciente,


é realizada através de um transdutor piezoelétrico, que transforma o
sinal de pressão em sinal elétrico. Esse sinal é apresentado em um
display linear composto de leds na cor verde correspondentes à pressão
medida.
Desde -5 até 40 cmH2O, cada ponto corresponde a 1 cmH2O e, a partir
deste valor até 70 cmH2O, a 2 cmH2O.
Nos modos controlados, o manômetro mantém aceso o led
correspondente ao pico de pressão inspiratória a cada ciclo mandatório.
Além da pressão, o manômetro indica os valores ajustados para os
alarmes de LO PRESS e HI PRESS, através de leds distintos.

ESCALA: -5 a 70 cmH2O

Incremento de:
1 cmH2O para -5 a 40 cmH2O
2 cmH2O para 40 a 70 cmH2O

3 - CONTROLES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 32

Outros Controles

INTERMED
BLENDER - % OXIGÊNIO
AI R - O BLEN D ER
2

% O XYG EN A válvula de mistura ar-oxigênio (BLENDER) permite o ajuste da FiO2


50
60
70 utilizada na ventilação.
40 80
30 90
21 100
ESCALA: 21 a 100% O2

! ATENÇÃO:

O BLENDER possui alarme sonoro e sistema de segurança na


ocorrência de baixa pressão de ar ou oxigênio. A pressão nominal de
entrada dos gases para funcionamento do blender é de 3,5 kPa x 100.
Se a diferença de pressão de entrada entre o ar e o oxigênio for maior
que 1 kPa x 100, uma válvula interna é aberta para suprir a deficiência
do gás com baixa pressão, interligando as vias de entrada de ar e
oxigênio e acionando um alarme sonoro. Nesse momento o blender
perde a função e a porcentagem de oxigênio na mistura irá depender
das pressões de entrada de cada gás.

FLUXÔMETRO

O fluxômetro posicionado na lateral do ventilador permite o ajuste do


fluxo contínuo utilizado durante a ventilação. A leitura do fluxo ajustado
deve ser feita visualizando-se a posição do topo do cursor em relação à
escala graduada.

ESCALA: 0 a 50 L/min (BTPS)

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 33

Painel Traseiro

US PATENT 5,303,699
ALARM SIGNAL DRIVING & FRESH GAS INPUT 3,5 (±1,5) kg/cm2
BR PATENT PI 9001602-5
LOUDNESS INTERFACE

ALT DC PWR SOURCE


INTERMED 12-14V = 1.5A
AV CUPECÊ 1786
São Paulo - SP - Brasil
FAN TEL: (55 11) 5670-1300 EXHAUST
Fax: (55 11) 5563-0008
www.intermedbr.com

Registro ANVISA nº 10243240001


WARNING:
Resp. Téc.: Eng. Jorge Bonassa DO NOT
CREA 137.189/D
OBSTRUCT

WARNING:
INTER 3 NEONATAL-PEDIATRIC VENTILATOR
- FIRE RISK. REPLACE FUSE AS MARKED.
- WATER IN AIR SUPPLY CAN CAUSE MALFUNCTION 100V~ 120V~ 220V~ 240V~ VOLTAGE FUSE TYPE
IPX1 Type B OF THIS EQUIPMENT

3 - CONTROLES
0.31A 0.26A 0.14A 0.13A 100-120V 400mA/250V SB
Class 1 - EXPLOSION HAZARD IF USED IN THE PRESENCE OF 50/60Hz

!
FLAMABLE ANESTHETICS. 220-240V 200mA/250V SB
S/N ______________________________

Figura 3-2 - Painel Traseiro do inter®3

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 34

Conectores e controles do painel traseiro


MÓDULO DE ENTRADA DE FORÇA
120

O módulo de entrada de força incorpora o conector para ligação do


cabo de alimentação, o porta-fusível e o seletor de tensão. O cabo de
alimentação deve permanecer conectado e seguro através do suporte
de fixação.
Para selecionar a tensão de alimentação e/ou troca dos fusíveis retire a
tampa do porta-fusível, empurrando a lingüeta de trava com uma chave
de fenda pequena.

Seleção de Tensão:

Para selecionar a tensão puxe a coroa de seleção de tensão, posicione


a indicação da tensão desejada na posição frontal e a insira novamente
no porta-fusível. Ao recolocar a tampa, a tensão selecionada ficará
visível na janela da tampa.

ATENÇÃO:

! Ao selecionar a tensão de alimentação, sempre verifique se os fusíveis


utilizados são os corretos para a tensão selecionada.

Troca de Fusíveis:

Os fusíveis são inseridos diretamente na tampa do porta-fusível. Ao


substituir os fusíveis observe a especificação correta de acordo com a
tensão selecionada:

TENSÃO FUSÍVEL
100V, 120V 400mA / 250 V SB
200V, 240V 200mA / 250 V SB

ATENÇÃO:

! Substitua os fusíveis somente


especificações (tipo e capacidade).
por outros com as mesmas

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 35

ALT DC PWR SOURCE


12-14V 2A
ALT DC PWR SOURCE

O conector de entrada de fonte externa de corrente contínua (DC)


permite que seja conectado ao ventilador uma fonte com tensão entre
12 e 14 VDC e capacidade de corrente de 1,5A. Essa fonte externa
deve ser ligada através de cabo apropriado, de acordo com os pinos do
conector:
PINO LIGAÇÃO
2 1 PÓLO NEGATIVO (-)
1 3
2 TERRA (GND)
3 PÓLO POSITIVO (+)

O inter®3 dispõe de um cabo de ligação opcional (cód. 031.00613) para


ser ligado no conector do acendedor de cigarros de automóveis
(ambulância). Para modelos especiais, contate a Intermed® ou Serviço
Técnico Autorizado.
SIGNAL INTERFACE
SIGNAL INTERFACE

O conector SIGNAL INTERFACE se destina exclusivamente à ligação

3 - CONTROLES
de equipamentos e/ou acessórios originais Intermed®. O conector
utilizado é do tipo DB9 e apresenta as seguintes ligações:

PINO LIGAÇÃO
1 Não utilizado
2 Não utilizado
3 Trigger
5 4 3 2 1

9 8 7 6 4 Trigger
5 Terra digital (GND-D)
6 Terra digital (GND-D)
7 Terra analógico (GND-A)
8 Terra analógico (GND-A)
9 Sinal Analógico de Pressão

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 36

ALARM
LOUDNESS

ALARM LOUDNESS

O controle ALARM LOUDNESS permite o ajuste de volume do alarme


sonoro, do nível mínimo ao máximo, não permitindo silenciar o alarme.
Para ajustá-lo utilize uma chave de fenda pequena.

DRIVING AND FRESH


GAS INPUT: 3.5 ( +- 1.5) Kg/cm
2

DRIVING AND FRESH GAS INPUT

A entrada da mistura ar e oxigênio proveniente do blender é feita


através de um filtro coalescente que remove partículas sólidas de até
0,3µm e de até 0,75µm dos aerosóis líquidos em suspensão na mistura
gasosa.
A mistura ar/oxigênio é utilizada tanto para a ventilação do paciente
como para acionamento do sistema pneumático.

EXHAUST WARNING:
EXHAUST
DO NOT
OBSTRUCT
Todo o escape de gás utilizado nos circuitos de controle pneumático é
canalizado para o ambiente através da saída EXHAUST, de forma a
prevenir o aumento da concentração de oxigênio no interior do
equipamento.

! CUIDADO:

Nunca obstrua a saída EXHAUST, sob risco de comprometer o


funcionamento do ventilador e a segurança do paciente.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 3 - Controles, Monitores, Indicadores e Alarmes 37

FAN

Sistema de ventilação forçada que fornece ar ambiente ao interior do


equipamento para evitar uma possível concentração de oxigênio. Seu
funcionamento pode ser observado no interior do painel traseiro pela
movimentação da hélice.

ATENÇÃO:

! Em caso de falha no sistema de ventilação forçada, verifique a


existência de obstrução na entrada de ar no painel traseiro. Caso o
problema não seja resolvido, remova o equipamento para manutenção o
mais breve possível.

3 - CONTROLES

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 39

Capítulo 4: Montagem

Neste Capítulo

„ Montagem do Pedestal
A correta „ Montagem do Conjunto
montagem do „ Montagem do Circuito Neonatal e Pediátrico
inter®3 é „ Montagem da Jarra de Umidificação
fundamental
para o perfeito „ Montagem da Válvula de Exalação
funcionamento
do equipamento.

ATENÇÃO:

! A desembalagem, montagem e o início da operação deste equipamento


devem ser realizados por técnico qualificado da Intermed® ou Serviço
Técnico Autorizado, conforme instruções contidas neste capítulo.

Caso não esteja sendo usado um umidificador aquecido, ignore os


passos correspondentes ao mesmo. Ao utilizar outros equipamentos,
verifique as instruções fornecidas com os mesmos. 4 - MONTAGEM

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 40

Montagem do Pedestal

1. Fixe a coluna inferior à


base do pedestal com os
parafusos e arruelas de
pressão utilizando a chave
Allen.

2. Uma as colunas superior e


inferior através do encaixe.

3. Fixe os parafusos.

Figura 4.1. Montagem do pedestal do inter®3

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 41

Montagem do Conjunto

1. Fixe o inter®3 sobre o suporte


superior do pedestal, utilizando os
parafusos e arruelas de pressão. A
parte frontal do inter®3 deve ficar
levemente inclinada para cima.
2. Coloque o cabo de força do
equipamento no suporte traseiro.
Encaixe o Blender no suporte
frontal do pedestal, posicionando-o
acima do encaixe e deslizando-o
para baixo.
3. Conecte as mangueiras de entrada
de Ar e O2 (provenientes da rede)
no Blender.
4. Interligue a saída do Blender
(Air/O2 Outlet) e a entrada de ar do
inter®3 (painel traseiro) utilizando
a mangueira apropriada.
5. Encaixe a base do umidificador no
trilho frontal do pedestal,
posicionando-o acima do encaixe
e deslizando-o para baixo.
6. Coloque o cabo de força do
umidificador no suporte traseiro do
pedestal.

4 - MONTAGEM

Figura 4.2. Montagem do conjunto

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 42

Montagem da Válvula de Exalação

131.00319
130.01362

131.00320

Figura 4.3. Montagem da Válvula de Exalação

1. Insira o parafuso no corpo da válvula de exalação.


2. Posicione corretamente cada diafragma de silicone na cavidade da válvula
com o relevo da borda para o lado de dentro da válvula.
3. Encaixe cuidadosamente o corpo da válvula de exalação na saída
localizada na lateral do inter®3 com o orifício central (conexão da linha
proximal) voltado para a frente.
4. Rosqueie o parafuso finalizando com um aperto firme.
5. Conecte a mangueira de fluxo de ar (proveniente do equipamento) na
entrada (Í INSP) da válvula de exalação.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 43

Montagem da IM300 - Jarra de Umidificação

Figura 4-4. Jarra de Umidificação IM300.

1. Ajuste corretamente o anel de


vedação no canal da borda da
jarra

2. Posicione o prato de metal


sobre a jarra com o relevo
134.00411
central voltado para fora.

3. Posicione corretamente a trava


e gire-a no sentido horário até o
travamento total.

4. Encaixe a jarra na base do


umidificador, puxando a trava e
deslizando a jarra com uma leve
134.00404
pressão até o encaixe total.

5. Para desencaixar, puxe a trava


do umidificador, liberando a
jarra.

134.00403 6. Mantenha a entrada de água


sempre fechada com o pino
apropriado.

NOTA: Leia sempre as instruções


134.00402 contidas no equipamento. Em caso
de dúvidas, consulte o manual do
umidificador ou a Intermed®.
4 - MONTAGEM

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 4 - Montagem 44

Montagem do Circuito Neonatal e Pediátrico

Figura 4.5. Circuito neonatal e pediátrico


100.19000
100.00107
100.00114
131.00313

100.00113
100.19003

100.00105

100.00104
100.19003
100.19003

100.19002

100.19105
100.19003

1. Conecte a mangueira de 450 mm no bocal de


entrada (IN) do umidificador e na conexão
INSP (to Humidifier) da válvula de exalação.
134.00400
2. Instale o cotovelo na saída (OUT) do
134.00000 - 100/120VAC umidificador.
134.00000C - 220/240VAC
3. Faça dois ramos compostos por uma
mangueira de 600 mm, um coletor de água e
outra mangueira de 600 mm.
4. Instale a extremidade de um dos ramos no
cotovelo (ramo inspiratório) e a extremidade
de outro ramo na conexão EXP (from patient)
da válvula de exalação (ramo expiratório).
5. Una os ramos através da conexão Y do
paciente.
134.00070
6. Conecte o termômetro ou o sensor de
temperatura do umidificador no ramo
inspiratório do Y do paciente.
7. Conecte o tubo da linha de pressão proximal
no orifício central do Y e no orifício central da
válvula de exalação.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 45

5 - OPERAÇÃO
Capítulo 5: Operação

Neste Capítulo

„ Preliminares
„ Ventilação no Modo CMV
Conheça todos „ Ventilação no Modo IMV
os recursos e „ Ventilação no modo CPAP
obtenha o
máximo „ Ventilação no Modo APRV
desempenho
®
do inter 3.

ATENÇÃO:

! A operação deste equipamento deve ser iniciada por técnico qualificado


da Intermed® ou Serviço Técnico Autorizado, conforme instruções
contidas neste capítulo.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 46

Preliminares
1. Antes de utilizar o equipamento pela primeira vez e antes e após o
uso em cada paciente, ou mais freqüentemente se necessário, limpe
o ventilador e esterilize o circuito do paciente e o umidificador,
conforme Capítulo 7.

2. Monte o circuito do paciente conforme Figura 4-5. Certifique-se de


que as conexões estejam corretamente ajustadas.

3. Conecte o ventilador às redes de ar comprimido e oxigênio,


ajustando ambas as pressões em 3,5 kPa x100 (50 psi).

!
ATENÇÃO:

Use sempre válvulas reguladoras de pressão ao ligar o ventilador às


redes de ar e oxigênio.

4. Ligue o ventilador e umidificador à rede elétrica AC com sistema de


aterramento para proteção, observando as tensões indicadas nos
equipamentos.

5. Ligue o ventilador (chave POWER no painel traseiro) observando o


acendimento dos leds POWER (cor verde) e BATTERY no painel
dianteiro.

! NOTA:

Ao ligar o ventilador à rede elétrica, os leds POWER (cor verde) e


BATTERY são acionados no painel dianteiro. Nesta condição, a bateria
interna está sendo carregada e o seu nível indicado através da cor do
led BATTERY (ver capítulo 3 - Indicadores Visuais). Em caso de
interrupção na energia da rede elétrica, apenas o indicador BATTERY
permanecerá aceso e o ventilador passará a ser alimentado através do
sistema de bateria interna. Caso o ventilador esteja conectado à fonte
de corrente contínua externa, o indicador POWER acende na cor
amarela e a bateria interna permanece em stand by, sem ser carregada.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 47

6. Preencha a jarra do umidificador com água destilada e esterilizada e


ajuste o controle de aquecimento na posição adequada. Em caso de

5 - OPERAÇÃO
dúvida, consulte o Manual do equipamento.

CUIDADO:

! Monitore constantemente a temperatura do gás nas vias aéreas.

O ventilador está pronto para operar. Os modos de ventilação são


apresentados a seguir:

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 48

Ventilação no Modo CMV

1. Selecione o modo de ventilação MODE: CMV/IMV/APRV

2. Ajuste o fluxo entre 0 e 50 L/min, observando a posição do topo do


cursor na escala graduada do fluxômetro.

3. Ajuste o tempo inspiratório entre 0,10 e 2,90 segundos, observando


a indicação do display digital INSP.TIME localizado acima do botão
de controle.

4. Ajuste a freqüência entre 1 e 150 rpm, observando a indicação do


display digital RATE bpm localizado acima do botão de controle.
Verifique o tempo expiratório e Relação I:E, indicados nos displays
digitais, de acordo com os valores ajustados de tempo inspiratório e
freqüência. Proceda a novos ajustes, se necessário.

5. Obstrua o "Y" do circuito e ajuste a PEEP e a pressão inspiratória


INSP.PRESS. girando os respectivos botões no sentido horário e
verificando a indicação no manômetro. O led correspondente ao
pico de pressão inspiratória permanece aceso a cada ciclo,
facilitando a visualização.

6. Posicione o controle do alarme LO PRESS 5 cmH2O abaixo do pico


de pressão e o alarme HI PRESS 5 cmH2O acima. O ajuste dos
alarmes deve ser feito visualizando os leds no manômetro.

ATENÇÃO:

! O alarme de alta pressão HI PRESS interrompe a fase inspiratória ao


ser atingida a pressão ajustada. Portanto deve ser posicionado de forma
a não limitar a alta pressão inspiratória durante o ciclo normal.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 49

7. Ajuste o tempo de DELAY do alarme de baixa pressão inspiratória

5 - OPERAÇÃO
entre 6 e 24 segundos. O valor ajustado deve sempre ser maior que
o tempo do ciclo respiratório, obtido da seguinte forma:

Tciclo = 60 s / RATE rpm

Exemplo:
Se RATE = 10 rpm,
Tciclo = 60 s / 10 rpm = 6 s

8. Pressione a tecla RESET para eliminar toda a informação visual


resultante de condições de alarme geradas durante a programação
do equipamento. Verifique a ocorrência de algum alarme e altere a
programação, se necessário.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 50

Ventilação no Modo IMV

Para o modo IMV proceda como anteriormente descrito, observando


que neste caso deve-se programar a freqüência respiratória RATE
permitindo intervalos para a respiração espontânea entre os ciclos
controlados.

A programação dos alarmes LO PRESS e DELAY deve ser feita


conforme descrito anteriormente.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 51

Ventilação no Modo CPAP

5 - OPERAÇÃO
1. Selecione o modo de ventilação MODE: CPAP

2. Ajuste o fluxo (entre 0 e 50 L/min) observando a posição do topo do


cursor na escala graduada do fluxômetro.

3. Obstrua o "Y" do circuito do paciente e ajuste a pressão expiratória


girando o botão PEEP no sentido horário, observando a indicação no
manômetro, até atingir o nível desejado.

Durante o CPAP, o alarme LO PRESS deve ser ajustado com o Alarme


de Baixa Pressão Expiratória:

- Posicione o alarme 2cmH2O abaixo da PEEP ajustada de forma a


detectar uma queda do nível da PEEP

4. Pressione a tecla RESET para eliminar toda a informação visual


resultante de condições de alarme geradas durante a programação
do equipamento. Verifique a ocorrência de algum alarme e altere a
programação, se necessário.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 52

Ventilação no Modo APRV


O APRV é um modo de ventilação na qual, analogamente ao CPAP, é
mantida uma pressão contínua na via aérea, intercalando-se,
entretanto, períodos onde o nível de pressão é reduzido (ver figura 5.1).

Dessa forma, adicionalmente à ventilação obtida pelos ciclos


espontâneos do paciente, ocorre a ventilação devido à mudança
intermitente do nível de pressão durante a APRV1.

Estudos clínicos demonstraram que o nível de suporte ventilatório


obtido com o APRV é semelhante ao obtido com o IMV, com uma
redução significativa do pico de pressão inspiratória2.

A programação do APRV no inter®3 deve ser feita da seguinte forma:

1. Selecione o modo de ventilação MODE: CMV/IMV/APRV

2. Ajuste o fluxo, entre 0 e 50 L/min, observando a posição do topo do


cursor na escala graduada do fluxômetro.

3. Ajuste a freqüência dos intervalos de alívio de pressão no controle


RATE observando a indicação no display digital acima do botão de
controle.

4. Ajuste a duração dos períodos de alívio de pressão no controle


INSP.PRESS. observando a indicação no display digital acima do
botão de controle.

5. Obstrua o “Y” do circuito do paciente e ajuste a PEEP no nível


desejado, observando a indicação no manômetro eletrônico. Este
será o nível de pressão a partir do qual ocorrerão os alívios de
pressão.

1
Downs JB, Stock MC: Airway Pressure Release Ventilation: a new concept in ventilatory support.
Crit Care Med 15:459, 1987.
2
Rasanen J, Cane RD, Downs JB et al: Airway Pressure Release Ventilation: A Multicenter Trial.
Anesthesiology 71:A1078, 1989.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 53

6. Ajuste a pressão inspiratória INSP.PRESS. abaixo da pressão

5 - OPERAÇÃO
expiratória (até zero, se desejado), girando o botão no sentido anti-
horário e verificando a indicação do manômetro durante a fase
inspiratória. Este será o nível de liberação de pressão.

ATENÇÃO:

Para facilitar o ajuste das pressões, o manômetro indica a pressão


expiratória PEEP durante o tempo expiratório (led EXP.TIME
permanece aceso), e a pressão de alívio INSP.PRESS. durante o tempo
inspiratório (led INSP. TIME permanece aceso).

7. Posicione o alarme HI PRESS 5cmH2O acima da PEEP ajustada.

8. Posicione o alarme LO PRESS 5 cmH2O abaixo da PEEP ajustada.

9. Ajuste o tempo de DELAY do alarme LO PRESS entre 5 e 20


segundos. O valor ajustado deve ser sempre maior que o tempo do
ciclo respiratório, obtido da seguinte forma:

Tciclo = 60 s / RATE rpm

Exemplo: Se RATE = 10 rpm


Tciclo = 60 s/10 rpm = 6 s

10. Pressione a tecla RESET e elimine toda a informação visual


resultante de condições de alarme geradas durante a programação
do equipamento. Verifique a ocorrência de algum alarme e altere a
programação, se necessário.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 5 - Operação 54

APRV
INTER 3 - INTERMED

14,00

P 12,00
R
E
S 10,00
S
U 8,00
R
E
6,00
(cmH20)
4,00

2,00

0,00

-2,00

TIME (s)

Figura 5.1: Curva de pressão na ventilação com liberação de pressão


das vias aéreas (Airway Pressure Release Ventilation - APRV).

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 6 - Solução de Problemas 55

Capítulo 6: Solução de Problemas

Neste Capítulo

„ Matriz de solução de problemas

Alguns

6 - PROBLEMAS
problemas
podem ser
resolvidos
pelo próprio
usuário.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 6 - Solução de Problemas 56

PROBLEMA POSSÍVEL CAUSA AÇÃO CORRETIVA

1. Falta de energia elétrica e 1. Mantenha o ventilador


bateria interna conectado à rede elétrica
descarregada. por um período de 10
horas para permitir a
recarga total da bateria.
ALARME DE
VENTILADOR
INOPERANTE 2. A pressão na via aérea 2. Verifique a causa do
(INOP) durante a fase expiratória aumento da pressão na via
atingiu o valor ajustado no aérea durante a fase
Alarme de Alta Pressão expiratória; assegure-se
(HI PRESS). que o alarme não esteja
ajustado em um valor
abaixo da PEEP.

1. Alteração da mecânica 1. Reavalie os parâmetros


respiratória do paciente: ventilatórios (tempo
aumento da resistência inspiratório, fluxo, pressão
e/ou diminuição da inspiratória, PEEP).
complacência.

2. Obstrução / acúmulo de 2. Desobstrua/aspire a via


ALARME DE secreção no tubo aérea e/ou o tubo
ALTA PRESSÃO endotraqueal e/ou via endotraqueal.
(HI PRESS) aérea do paciente.

3. Obstrução no ramo 3. Elimine a obstrução no


expiratório do circuito do ramo expiratório e/ou na
paciente e/ou na válvula válvula de exalação.
de exalação.
4. Alarme ajustado 4. Reavalie o ajuste do
incorretamente. alarme.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 6 - Solução de Problemas 57

PROBLEMA POSSÍVEL CAUSA AÇÃO CORRETIVA

Hélice do ventilador
1. Falha no sistema de 1. Contate o Serviço técnico
no painel traseiro
ventilação forçada Autorizado
não gira

1. Vazamento no circuito do 1. Localize e elimine o


paciente e/ou tubo vazamento.
endotraqueal.

2. Alteração da mecânica 2. Reavalie os parâmetros


respiratória do paciente: ventilatórios (tempo
diminuição da resistência inspiratório, fluxo, pressão
e/ou aumento da inspiratória, PEEP).
complacência.

3. Obstrução no ramo 3. Localize e elimine a


inspiratório do circuito do obstrução.
ALARME DE
paciente.
BAIXA PRESSÃO
(LO PRESS)
4. Desconexão do circuito do 4. Reconecte o circuito do
ajustado para
paciente. paciente.
detecção de
baixa pressão
5. Diafragma da válvula de 5. Troque ou reposicione o
inspiratória
exalação danificado ou diafragma.
(ver capítulo 5).
montado incorretamente.

6. Alarme ajustado 6. Ajuste o alarme LO PRESS


incorretamente. entre a PEEP e o menor
valor de pico de pressão
inspiratória dos ciclos.

7. Tempo de DELAY menor 7. Ajuste um tempo de


que o período entre dois DELAY maior que a soma
ciclos consecutivos. dos tempos inspiratório e
expiratório.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 6 - Solução de Problemas 58

PROBLEMA POSSÍVEL CAUSA AÇÃO CORRETIVA

ALARME DE
BAIXA PRESSÃO
(LO PRESS)
1. Todas as condições
ajustado para 1. Idem.
anteriores exceto “2”.
detecção de baixa
pressão expiratória
(ver Capítulo 5).

1. A relação I:E atingiu o 1. Diminua o tempo


limite 3:1 (I:E > 1:0.3), ou inspiratório e/ou diminua a
ALARME DE
seja, o tempo inspiratório é freqüência respiratória
RELAÇÃO I:E
3 vezes maior que o para aumentar o tempo
expiratório. expiratório;

ALARME BATERIA 1. O ventilador comutou a 1. Pressione a tecla RESET


(BATTERY) - led fonte de alimentação para a para continuar a operação
laranja piscando bateria interna. normal.

ALARME BATERIA 1. A bateria atingiu o nível 1. Ligue o ventilador à rede


(BATTERY) - led mínimo de carga. elétrica ou a uma fonte de
vermelho piscando 12VDC externa.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 7 - Limpeza e Esterilização 59

Capítulo 7: Limpeza e Esterilização

Neste Capítulo:

AAdurabilidade
durabilidadedos dos
„ Ventilador
componentes
componenteseeaa „ Circuito do Paciente
segurança
segurançado do
paciente
paciente
„ Umidificador
dependem
dependem da da
limpeza
limpezaee
esterilização
esterilização
adequadas.
adequadas.

!
CUIDADO:

7 - LIMPEZA
„ Antes de utilizar o equipamento pela primeira vez e após a utilização
em cada paciente ou mais freqüentemente, se necessário, LIMPE o
ventilador e DESMONTE e ESTERILIZE as partes do circuito do
paciente.

„ Após a esterilização, enxágüe e seque apropriadamente os


componentes para eliminar quaisquer substâncias químicas
residuais.

!
NOTA:

Caso não esteja sendo usado um umidificador aquecido, ignore os


passos correspondentes ao mesmo. Ao utilizar outros equipamentos,
verifique as instruções fornecidas com os mesmos.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 7 - Limpeza e Esterilização 60

Ventilador

Limpe e desinfete o exterior do ventilador, exceto o painel de controles,


com agente germicida ou bactericida apropriado.

Limpe o painel de controles com uma gaze umedecida em álcool


isopropílico 70%.

!
ATENÇÃO:

„ NUNCA esterilize o ventilador.

„ NUNCA coloque o ventilador em solução líquida.

„ NUNCA use abrasivos sobre a superfície do ventilador.

„ NUNCA permita a entrada de líquido na parte interna do ventilador.

„ NUNCA utilize álcool para limpeza do fluxômetro, pois o acrílico pode


apresentar fissuras e as inscrições podem ser danificadas.

„ NUNCA utilize álcool para limpeza do painel traseiro, pois as


inscrições podem ser danificadas.

„ A DESINFECÇÃO é um processo capaz de destruir os


microorganismos patogênicos, mas NÃO é capaz de destruir os
esporos. Os esporos são destruídos apenas através da
ESTERILIZAÇÃO.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 7 - Limpeza e Esterilização 61

Circuito do Paciente

Material Processos
Tubos (Silicone) L, EQ, AC, ETO
códs. 131.01301, 131.01302
Tubo de Pressão Proximal (Silicone) L, EQ, AC, ETO
códs. 100.00117
Conector “Y” (Polisulfona) L, EQ, AC, ETO
cód. 100.00106
Cotovelo (Polisulfona) L, EQ, AC, ETO
códs. 100.00116
Coletor de Água (Polisulfona) L, EQ, AC, ETO
códs. 100.00118
Corpo da Válvula de Exalação (Polisulfona) L, EQ, AC, ETO
cód. 131.00319
Diafragma da Válvula de Exalação (Silicone) L, EQ, AC, ETO
cód. 130.01362
Copo da Jarra de Umidificação (Polisulfona) L, EQ, AC, ETO
cód. 134.00411
Base da Jarra de Umidificação (Alumínio) L, EQ, AC, ETO
cód. 134.00403
Anel de Vedação da Jarra de Umidificação - Flange L, EQ, AC, ETO
(Silicone)
cód. 134.00404

7 - LIMPEZA
Anel de Trava da Jarra de Umidificação L, EQ, AC, ETO
(Polisulfona)
cód. 134.00402
Termômetro de Mercúrio (Policarbonato) L, D, EQ
cód. 100.00115
Sensor de Temperatura (ABS) DS
cód. 134.00070

Legenda:

L : Lavagem
DS : Desinfecção a seco
D : Desinfecção por Imersão
EQ : Esterilização Química por Imersão
AC : Autoclave
ETO : Óxido Etileno

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 7 - Limpeza e Esterilização 62

LAVAGEM

ANTES de qualquer processo de desinfecção ou esterilização, deve ser


feita a lavagem por imersão em solução neutra com detergente
enzimático, à temperatura entre 35º e 65ºC, por aproximadamente 10
minutos. Enxágüe com água destilada ou filtrada para eliminar as altas
concentrações de substâncias químicas utilizadas. Deixe secar em
ambiente limpo antes de proceder com a desinfecção ou esterilização.

DESINFECÇÃO A SECO

Para a desinfecção a seco utilize uma gaze umedecida em álcool


isopropílico 70%.

ATENÇÃO:

! „ NÃO utilize as seguintes soluções para limpeza e/ou desinfecção:

Fenol (>5%) Hidrocarbonos Clorados


Cetonas Hidrocarbonos Aromáticos
Formaldeído Ácidos Inorgânicos
Hipoclorito Compostos Quaternários de Amônia

Essas soluções podem causar trincas nos componentes de Polisulfona


ou desintegração dos tubos de silicone. Não utilize essas soluções nos
processos de lavagem que precedem a esterilização em autoclave e
pasteurização, pois podem acelerar a deterioração dos materiais.

DESINFECÇÃO POR IMERSÃO

Para a desinfecção química por imersão utilize solução de Glutaraldeído


2% (Cidex®) por um período de 40 MINUTOS. Enxágüe com água
destilada e esterilizada para eliminar as altas concentrações de
substâncias químicas utilizadas. Deixe secar em ambiente limpo.
INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14
Capítulo 7 - Limpeza e Esterilização 63

ESTERILIZAÇÃO QUÍMICA POR IMERSÃO

Para a esterilização química por imersão utilize solução de


Glutaraldeído 2% (Cidex®) por um período de 12 HORAS. Enxágüe com
água destilada e esterilizada para eliminar as altas concentrações de
substâncias químicas utilizadas. Deixe secar em ambiente limpo.

AUTOCLAVE
A esterilização em autoclave de autovácuo deve obedecer aos
seguintes parâmetros:

Condição Pressão Temperatura Tempo*


o o
RÁPIDA 220kPa (32 psi) 134 C (272,7 F) 4 minutos
NORMAL 96kPa (14 psi) 120oC (248oF) 15 minutos

* Tempo de esterilização nas condições de temperatura e pressão.

ETO - ÓXIDO DE ETILENO (C2H4O)


A esterilização por gás Óxido de Etileno deve ser feita à temperatura de

7 - LIMPEZA
54oC (129,2oF)

!
ATENÇÃO:

Após a esterilização por Óxido de Etileno, aguarde entre 24 e 48 horas


antes de utilizar o material, para permitir a aeração e saída dos resíduos
de gás.

!
ATENÇÃO:

As partes submetidas à esterilização sofrem degradação natural devido


às características dos processos utilizados. Desde que corretamente
processados, as partes do circuito podem ser reutilizadas sem que se
comprometam as propriedades mecânicas dos materiais.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 65

Capítulo 8: Acessórios, Partes e Peças

Neste Capítulo:

„ Acessórios, Partes e Peças


„ Vista explodida
Utilize
sempre
acessórios
e peças
originais

8 - PARTES E PEÇAS

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 66

CUIDADO:

! „ Em caso de reposição, utilize sempre acessórios, partes e peças


originais, caso contrário, o desempenho do equipamento, a validade
da garantia e a segurança do paciente e/ou usuário podem ficar
comprometidas.

„ O ventilador não possui MONITOR DE OXIGÊNIO incorporado. Para


atendimento à NORMA ISO/DIS 7767 é recomendada a utilização do
monitor de oxigênio para monitoração da concentração do oxigênio
inspirado, no ramo inspiratório ou na conexão “Y” do paciente. O
monitor deve dispor de pelo menos um alarme de BAIXA
CONCENTRAÇÃO DE OXIGÊNIO, com sinal de MÉDIA
PRIORIDADE, cujo LIMITE INFERIOR não seja MENOR que 18%. A
NÃO utilização de um MONITOR DE OXIGÊNIO pode expor o
paciente ao RISCO DE HIPÓXIA em caso de falha na composição do
gás inspirado.

„ Recomenda-se o uso do ventilador em conjunto com um MONITOR


DE VENTILAÇÃO (Intermed® tracer 5 ou equivalente) para
monitoração do volume expirado do paciente. O monitor deve
incorporar um ALARME DE BAIXO VOLUME MINUTO, com sinal de
MÉDIA PRIORIDADE. A NÃO utilização de um monitor de volume
expirado pode expor o paciente ao RISCO DE HIPOVENTILAÇÃO
no caso de vazamentos não detectados pelo alarme de mínima
pressão inspiratória.

„ O ventilador deve ser utilizado com um UMIDIFICADOR AQUECIDO


(Intermed® misty 3 ou equivalente). A NÃO utilização de um sistema
de umidificação pode COMPROMETER A INTEGRIDADE do trato
respiratório do paciente, e propiciar o ESPESSAMENTO das
mucosas e o AUMENTO da RESISTÊNCIA das vias aéreas.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 67

Acessórios, Partes e Peças

Os acessórios, partes e peças do ventilador inter®3 são listados a seguir


e apresentados nas figuras 8.1 a 8.4.
CÓDIGO DESCRIÇÃO

131.10000 VENTILADOR inter®3


Inclui:
131.02500 Pedestal (exclusivo para produtos Intermed®)
131.00950 Blender c/ Mangueiras de Ar e O2 (completo)

ACESSÓRIOS OBRIGATÓRIOS
100.19000 Circuito Paciente Neonatal/Pediátrico de Silicone

ACESSÓRIOS OPCIONAIS
134.00000 Umidificador Misty 3 - 100/120VAC
134.00000C Umidificador Misty 3 - 220/240VAC
134.00070 Sensor de Temperatura
134.00400 Jarra de Umidificação IM300
138.01000 Válvula Reguladora de Pressão de Ar*
138.02000 Válvula Reguladora de Pressão de Oxigênio*

PARTES E PEÇAS
131.00000 inter®3 (apenas o ventilador)
8 - PARTES E PEÇAS

131.02500 Pedestal
131.00950 Blender c/ Mangueiras de Ar e O2 (completo)
130.01400 Blender s/ mangueiras

* partes não ilustradas

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 68

CÓDIGO DESCRIÇÃO

PARTES E PEÇAS (cont.)


408.00003 Mangueira de Ar
408.00002 Mangueira de Oxigênio
130.01421 Mangueira de O2 650 mm - 90/90
131.02420 Braço Articulado com suporte
100.00105 Coletor de Água
100.00104 Cotovelo 90o 22mmMx22mmF
131.00313 Válvula de Exalação Completa
130.01362 Diafragma da Válvula de Exalação
131.00319 Corpo da Válvula de Exalação
131.00320 Parafuso de Fixação da Válvula de Exalação
100.00113 Conexão “Y” Circuito Neo/Ped
100.00114 Termômetro
100.19003 Tubo Circuito Neo/Ped 600 mm
100.19002 Tubo Circuito Neo/Ped 45 mm
100.00107 Tubo Linha Proximal Circ. Neo/Ped c/ conectores
134.00411 Copo da Jarra de Umidificação IM300 (completo)
134.00402 Anel de Trava (Flange da jarra)
134.00404 Anel de Vedação (Silicone)
134.00403 Prato da Jarra de Umidificação (Alumínio)
Cabo de alimentação externa - 2 metros
031.00622
(ALT DC PWR SOURCE 12-14V)

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 69

Circuito Paciente Neonatal e Pediátrico cód. 100.19000

100.19000
100.00107
100.00114
131.00313

100.00113
100.19003

100.00105

100.00104
100.19003
100.19003

100.19002

100.19105
100.19003

134.00400

134.00000 - 100/120VAC
134.00000C - 220/240VAC

8 - PARTES E PEÇAS

134.00070

Figura 8.1 - Circuito Paciente Neonatal e Pediátrico

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 70

Válvula de Exalação - cód. 131.00313

131.00319
130.01362

131.00320

Figura 8.2 - Válvula de Exalação

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 71

Jarra de Umidificação IM300 - cód. 134.00400

134.00411

134.00404

134.00403

134.00402
8 - PARTES E PEÇAS

Figura 8.3 - Jarra de Umidificação IM300

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 8 - Acessórios, Partes e Peças 72

Vista Explodida
A figura 8.4. apresenta a vista explodida do inter®3, com fins ilustrativos,
não devendo ser utilizada para manutenção ou substituição de partes e
peças internas.

GABINETE

FLUXÔMETRO

TRANSFORMADOR
PAINEL
TRASEIRO
VÁLVULA
REGULADORA
SOLENÓIDES BATERIA

PLACAS
DE
CIRCUITO
CABOS
DE LIGAÇÃO

MOTHER
BOARD
VÁLVULA
DE
EXALAÇÃO

PAINEL
FRONTAL

Figura 8.4. Vista explodida do inter®3.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 73

9 - MANUTENÇÃO
Capítulo 9: Manutenção Preventiva

Neste Capítulo:

„ Teste de Verificação Funcional - TVF


Siga „ Manutenção Preventiva de Rotina
corretamente „ Manutenção Preventiva Anual - MPA
o plano de
Manutenção
Preventiva

ATENÇÃO:

!
Para evitar o desgaste prematuro do equipamento e se obter um
desempenho seguro e dentro das especificações requeridas, devem ser
realizados:

„ Manutenção Preventiva de Rotina


Deve ser realizada DIARIAMENTE ou antes de cada uso, conforme
instruções neste capítulo.

„ Teste de Verificação Funcional - TVF


Deve ser realizado pelo menos MENSALMENTE ou quando
existirem dúvidas sobre o funcionamento do ventilador.

„ Manutenção Preventiva Anual


Encaminhe ANUALMENTE o equipamento para verificação, ajuste e
calibração, através da Intermed® ou Serviço Técnico Autorizado
(vide Anexo B - Serviço Técnico Autorizado).

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 74

Teste de Verificação Funcional - TVF


O TVF é um teste que permite verificar o funcionando do ventilador de
acordo com as especificações.

O TVF deve ser realizado pelo operador, pelo menos uma vez por mês,
ou quando existirem dúvidas sobre o funcionamento do ventilador.

Caso sejam detectados problemas durante o TVF, o equipamento deve


ser retirado de uso para manutenção corretiva.

! CUIDADO:

„ O ventilador deve estar DESCONECTADO DO PACIENTE para


realização do TVF.

„ O VENTILADOR que NÃO estiver funcionando DENTRO DAS


ESPECIFICAÇÕES CONTIDAS NO MANUAL NÃO DEVE SER
UTILIZADO até que seja realizada a manutenção apropriada. Contate a
Intermed® ou o Serviço Técnico Autorizado.

„ O ventilador é um equipamento de SUPORTE DE VIDA. NUNCA


CONFIE sua manutenção a PESSOAL NÃO AUTORIZADO. Em caso
de problemas ou dificuldade, contate a Intermed® ou o Serviço Técnico
Autorizado.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 75

9 - MANUTENÇÃO
1. CONDIÇÕES INICIAIS

1.1. O ventilador deve estar desconectado do paciente;


1.2. Conecte o ventilador à rede elétrica e pneumática (pressões de ar e
oxigênio a 3,5 kPa x100);
1.3. Monte o circuito do paciente, conforme descrito no Capítulo 4, e
obstrua a conexão para o paciente;
1.4. Ajuste os controles do ventilador:

Modo CMV/IMV/APRV

Alarme de baixa pressão


-5 cmH2O
(LO PRESS)
Alarme de alta pressão
70 cmH2O
(HI PRESS)
Retardo
6s
(DELAY)
Pressão inspiratória
20 cmH2O
(INSP PRESS)
Pressão expiratória
0 cmH2O
(PEEP)

Fluxo 10 L/min

Freqüência
20 rpm
(RATE)
Tempo inspiratório
1.0 segundos
(INSP TIME)

2. SEQÜÊNCIA DE TESTES

2.1. Alarme de Baixa Pressão (LO PRESS):


- Gire o botão de controle do início até o final da escala, observando o
acendimento dos leds de cor laranja na escala do manômetro desde
-5 até 55 cmH2O;
- Retorne o ajuste do alarme para 25 cmH2O, e verifique que o alarme
sonoro é acionado e o indicador visual de alarme se mantém aceso;
- Reduza o ajuste do alarme para 15 cmH2O e verifique que o alarme
sonoro não é mais acionado; verifique que o indicador visual de
alarme permanece aceso; acione a tecla RESET e verifique que a
indicação visual é apagada.
- Retorne o alarme LO PRESS para -5 cmH2O.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 76

2.2. Alarme de Alta Pressão (HI PRESS):


- Gire o botão de controle do início até o final da escala, observando o
acendimento dos leds de cor vermelha na escala do manômetro
desde 5 até 70 cmH2O;
- Retorne o ajuste do alarme para 15 cmH2O, e verifique que o alarme
sonoro é acionado a cada ciclo respiratório e que o indicador visual
de alarme se mantém aceso;
- Aumente o ajuste do alarme para 25 cmH2O e verifique que o
alarme sonoro é interrompido; verifique que o indicador visual de
alarme permanece aceso; acione a tecla RESET e verifique que a
indicação visual é apagada;
- Retorne o alarme HI PRESS para 70 cmH2O.

2.3. Alarme inoperante (INOP):


- Aumente a PEEP para 20 cmH2O; reduza o alarme de alta pressão
HI PRESS para 15 cmH2O, ou seja, abaixo da PEEP; observe que é
acionado o alarme sonoro e visual; verifique também que a pressão
indicada no manômetro é aliviada até zero por aproximadamente 5
segundos, devido ao acionamento da válvula de segurança.
Verifique que, após este período, o ventilador tenta restabelecer seu
funcionamento.
- Retorne o alarme HI PRESS para 70 cmH2O e a PEEP para zero;
verifique que o alarme sonoro é interrompido e o indicador visual de
alarme HI PRESS permanece aceso até que seja acionada a tecla
RESET;

2.4. Alarme de Relação I:E (I:E RATIO):


- Selecione o modo CMV mantendo a freqüência respiratória em 20
rpm;
- Ajuste o controle INSP. TIME para 1.60 segundos e verifique que o
indicador visual do alarme I:E RATIO acende.
- Aumente o tempo inspiratório INSP.TIME para 2.30 segundos e
verifique que o indicador do alarme I:E RATIO pisca; retorne o
tempo inspiratório INSP TIME para 1 segundo e verifique que o
indicador não é mais acionado.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 77

9 - MANUTENÇÃO
2.5. Pressão inspiratória (INSP PRESS):
- Gire o controle de pressão inspiratória no sentido anti-horário até o
início do curso e verifique no manômetro que, durante os ciclos
respiratórios, a pressão inspiratória é limitada em 0 cmH2O
(+2cmH2O);
- Gire o controle de pressão inspiratória no sentido horário até o final
do curso e verifique no manômetro que, durante os ciclos
respiratórios, a pressão inspiratória é limitada em torno de 70
cmH2O (±3 cmH2O); reajuste o controle de pressão para 20 cmH2O.

2.6. Pressão expiratória (PEEP):


- Mude para o modo CPAP e gire o controle PEEP do início até o final
do curso e verifique no manômetro que a pressão expiratória varia
de zero (±1 cmH2O) até 30 cmH2O (±3 cmH2O); reajuste o controle
de pressão expiratória para o início do curso.

2.7. Bateria
- Desligue o ventilador, selecionando a posição OFF na chave MODE,
mantendo-o ligado à rede elétrica;
- Verifique que os leds POWER e BATTERY permanecem acesos
(indicando que a bateria está sendo carregada);
- Ligue o ventilador e verifique que os indicadores continuam acesos;
- Desconecte o plugue da tomada da rede, e verifique que o indicador
POWER se apaga e o BATTERY pisca na cor laranja acompanhado
pelo alarme sonoro.
- Pressione a tecla RESET e verifique que o alarme sonoro é
interrompido e o indicador visual BATTERY permanece aceso de
acordo com o nível da bateria interna (ver Capítulo 3: Controles).
- Reconecte o plugue na tomada e observe que o indicador POWER
acende.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 78

Manutenção Preventiva de Rotina


Diariamente ou antes do uso:

- Verifique a existência de água no copo do filtro de entrada localizado


no painel traseiro; retire a água em caso afirmativo abrindo o dreno
localizado na parte inferior do copo;
- Verifique a integridade das mangueiras de alimentação de ar e
oxigênio, bem como do cabo de alimentação elétrica.
- Verifique a integridade do circuito do paciente; elimine possíveis
vazamentos decorrentes da montagem ou substitua o circuito, se
necessário;
- Verifique o nível de carga da bateria interna. Caso necessário,
mantenha o ventilador ligado à rede elétrica até que a bateria atinja
carga plena;
- Verifique o estado geral do equipamento para assegurar que o
mesmo não tenha sofrido avarias que comprometam seu
funcionamento seguro.
- Verifique o estado de limpeza do equipamento, procedendo de
acordo com o Capítulo 7 se for requerida limpeza;
- Esterilize o circuito do paciente de acordo com o Capítulo 7 e/ou
procedimentos da instituição;

ATENÇÃO:

! Solicite auxílio técnico da Intermed® ou Serviço Técnico Autorizado


em caso de dúvidas ou problemas.

Mensalmente:

- Realize o Teste de Verificação Funcional - TVF.

Anualmente:

- Solicite a Manutenção Preventiva Anual - MPA, incluindo


verificação, ajuste e calibração do equipamento através da
Intermed® ou do Serviço Técnico Autorizado.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 79

Manutenção da Bateria interna:

9 - MANUTENÇÃO
- A bateria interna é do tipo chumbo-ácida selada e não requer
manutenção específica, além dos cuidados para assegurar as
condições adequadas de carga e armazenamento.
- A recarga da bateria interna é realizada por um circuito eletrônico
incorporado ao ventilador, sempre que estiver ligado à rede elétrica,
inclusive enquanto o ventilador estiver em uso.
- Para o ventilador não utilizado regularmente, a bateria interna deve
ser recarregada pelo menos uma vez a cada dois meses e,
obrigatoriamente, antes da sua utilização. Para isso, conecte o
ventilador à rede elétrica.
- O nível máximo de carga é atingido em até 10 horas, dependendo
do nível atual de carga da bateria. Após um período de 3 horas, é
obtido um nível de carga em torno de 70%. Para verificação do nível
de carga, visualize o indicador BATTERY no painel frontal (ver
Capítulo 3 - Controles).

ATENÇÃO:

! - Não armazene o ventilador por períodos prolongados sob


temperaturas superiores a 27oC, ou sem recarga da bateria por
períodos superiores a dois meses, o que pode diminuir a vida útil da
bateria, projetada para atingir uma média de 500 ciclos de carga e
descarga.

- A vida útil da bateria depende das condições de uso do ventilador


(freqüência e tempo de uso do ventilador e/ou da bateria interna,
condições ambientais de temperatura e umidade, etc).

Troca da Bateria Interna

- Somente a Intermed® ou o Serviço Técnico Autorizado podem


verificar o estado da bateria interna e dos circuitos de carga, bem
como a troca da bateria interna pelo menos uma vez por ano,
durante a Manutenção Preventiva Anual - MPA.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 9 - Manutenção Preventiva 80

Manutenção Preventiva Anual - MPA


A Manutenção Preventiva Anual - MPA é um serviço exclusivo oferecido
pela Intermed para prolongar a vida útil do equipamento e garantir seu
funcionamento seguro, dentro das especificações originais e dos
requisitos das normas NBR IEC 60601-1/1994 e emendas, NBR 60601-
1-12/98, IEC 60601-1/1988 e IEC 60601-1-12/98.

A MPA consiste basicamente no ajuste, calibração e verificação de


todas as funções do equipamento e troca de peças defeituosas, que
apresentem desgaste ou deterioração pelo uso.

A verificação, ajuste e calibração são realizados pela Intermed® ou pelo


Serviço Autorizado com equipamentos de medição rastreáveis a
padrões metrológicos reconhecidos internacionalmente, e em
conformidade com os requisitos da norma do Sistema da Qualidade
série ISO 9000/2000.

A realização da MPA deve seguir as seguintes condições:

1. O cliente deve enviar o equipamento para realização da MPA à


Intermed® ou ao Serviço Autorizado da Intermed após 12 meses
de utilização do equipamento. Em caso de dúvidas contate a
Intermed ou o Serviço Autorizado;

2. A MPA deve ser realizada nas instalações da Intermed® ou por


Serviço Autorizado, sendo o frete responsabilidade do cliente;

3. Quando realizada dentro do período de GARANTIA, serão


aplicáveis as condições estabelecidas no Capítulo 11.

4. A MPA se restringe ao equipamento, excluídos os acessórios.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 10 - Especificações 81

Capítulo 10: Especificações

Neste Capítulo:

„ Especificações

ESPECIFICAÇÕES

10 - ESPECIFICAÇÕES
Utilize
sempre
o Manual de CLASSIFICAÇÃO
Operação (NBR IEC 60601-1/1994 e emendas, NBR IEC 60601-2-12/98, IEC
para
referência.
60601-1/1988 e IEC 60601-1-12/98)

Equipamento Classe I/ Energizado Internamente


Tipo B - IPX1 - Operação Contínua
Equipamento não adequado ao uso na presença de uma mistura
anestésica inflamável com ar, oxigênio ou óxido nitroso.

CONTROLES

%Oxigênio 21 a 100%

Fluxo 0 a 50 L/min

Modo OFF, CMV/IMV/APRV, CPAP

Tempo inspiratório 0.10 a 3.00 s

Freqüência 0 a 150 rpm

Pressão expiratória(PEEP) 0 a 30 cmH2O

Pressão inspiratória (PIP) 0 a 70 cmH2O

Retardo do alarme 6 a 24 s

Ciclo manual máx. 5 s

Reset sonoro máx. 60 s

Reset visual
INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14
Capítulo 10 - Especificações 82

DISPLAYS DIGITAIS

Pressão média 00 a 70 cmH2O

Tempo expiratório 0.10 a 59.9 s

Tempo inspiratório 0.10 a 3.00 s

Freqüência 1 a 150 rpm

DISPLAYS ANALÓGICOS

Manômetro -5 a 70 cmH2O

Pressão de pico 0 a 70 cmH2O

Alarme de baixa pressão -5 a 55 cmH2O

Alarme de alta pressão 5 a 70 cmH2O

ALARMES

Baixa pressão -5 a 55 cmH2O

Alta pressão 5 a 70 cmH2O

Inversão de Relação I:E < 1:0.30

Carga Baixa (Bateria)

Ventilador inoperante

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 10 - Especificações 83

INDICADORES

Fase inspiratória led verde

Fase expiratória led verde

Inversão de Relação I:E led vermelho

Controle Alarme Baixa Pressão led laranja

Controle Alarme Alta Pressão led vermelho

10 - ESPECIFICAÇÕES
Alarme de Baixa Pressão led vermelho

Alarme de Alta Pressão led vermelho

Alarme silenciado led vermelho

Alimentação elétrica led verde/amarelo

Bateria led verde/laranja/vermelho

Inoperante led vermelho

ENTRADA ELÉTRICA

100VAC - 0,31A / 120VAC - 0,26A


Tensão/Corrente 220VAC - 0,14A / 240VAC - 0,13A
50/60Hz

Bateria interna 12 VDC 2,2 A/h

Bateria externa 12 - 14 VDC 2A


para 100/120V: 400mA/250V SB
Fusíveis
para 220/240V: 200mA/250V SB

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 10 - Especificações 84

ENTRADA PNEUMÁTICA

Ar e Oxigênio 3,5±1,5 kPa x100 (50±20 psi)

DIMENSÕES

Ventilador Altura (A) : 15 cm

Largura (L) : 23 cm

Profundidade (P) : 26 cm

PESO

Ventilador 5 Kg (somente o ventilador)

(BLENDER) Misturador Ar/O2

Pressão de entrada ar/O2 3,5±1,5 kPa x 100

FiO2 21 a 100%

Fluxo 1 a 100 L/min

Precisão 3%
sempre que a diferença entre
Alarme (sonoro)/ bypass a pressão de entrada de ar e
O2 exceder 1 kPa x 100

Fluxo de escape 9 L/min @ 3,5 kPa x 100

Dimensões 7,6 x 3,8 x 7,4 cm

Peso 0,65 kg

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Capítulo 11: Garantia 85

Capítulo 11: Garantia

Os produtos da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. são


garantidos contra defeitos de material e fabricação e atendem às
características publicadas. A garantia e assistência técnica são
asseguradas pela Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. e seu
Leia atentamente Serviço Autorizado em todo o território nacional e nos países onde
as condições de
garantia. Em caso exista Serviço Autorizado instituído.
de dúvidas ou
problemas, solicite
sempre o auxílio do A responsabilidade pela garantia é limitada à troca, reparo e mão de
representante obra, a critério do fabricante, para as partes que apresentem defeito ou
autorizado.
não atendam às características publicadas durante o período de
garantia.

A garantia não cobre defeitos causados por acidente, uso inadequado,


condições de uso, instalação ou esterilização inadequadas, serviço,
instalação, operação ou alteração realizados por pessoal não autorizado
ou desqualificado.

11 - GARANTIA
Peças sujeitas a desgaste ou deterioração normal pelo uso, condições
de uso adversas, uso inadvertido ou acidentes, não são cobertas pela
GARANTIA.

O período de garantia estabelecido é de 12 meses para o equipamento


e 60 dias para os acessórios, desde que mantidas suas características
originais, contados a partir da data de entrega do equipamento ou
conforme condições contratuais específicas que tenham sido
acordadas.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo A - Simbologia 87

Anexo A: Simbologia e Terminologia

Simbologia
1. O significado dos símbolos normalizados, impressos no
equipamento, é apresentado a seguir:

Símbolo Norma Descrição


IEC60601-1:1994
Símbolo No. Corrente alternada
417-5032
IEC60601-1:1994
Símbolo No. Corrente contínua
417-5031

IEC60601-1:1994
Símbolo No. Terminal de aterramento para proteção
417-5019
IEC60601-1:1994
Terminal de aterramento geral,
Símbolo No.
incluindo o funcional.
417-5017

IEC60601-1:1994
Protegido contra gotejamento de água
IPX1 Símbolo No.
(equipamento à prova de pingos).
529

!
IEC60601-1:1994
Atenção! Consultar DOCUMENTOS
Símbolo No.
ACOMPANHANTES
348

IEC60601-1:1994
Símbolo No. EQUIPAMENTO DE TIPO B
ANEXO A - SIMBOLOGIA

878-02-02
IEC60601-1:1994
Símbolo No. Tensão elétrica perigosa
878-03-01

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo A - Simbologia 88

2. O significado dos símbolos normalizados, impressos na embalagem


do equipamento, é apresentado a seguir:

Símbolo Norma Descrição

ISO 780:1997(E) FRÁGIL: O conteúdo da embalagem é


Símbolo frágil, portanto, deve ser manuseado
No. 1 com cuidado.

ISO 780:1997(E) ESTE LADO PARA CIMA: Indica a


Símbolo posição do lado de cima da
No. 3 embalagem.

ISO 780:1997(E) PROTEGER CONTRA LUZ SOLAR: A


Símbolo embalagem deve permanecer ao
No. 4 abrigo da luz solar.

ISO 780:1997(E) PROTEGER CONTRA CHUVA: A


Símbolo embalagem deve permanecer ao
No. 6 abrigo da chuva.

ISO 780:1997(E) EMPILHAMENTO MÁXIMO: Indica o


3
Símbolo máximo número de embalagens
No. 14 idênticas que podem ser sobrepostas.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo A - Simbologia 89

Terminologia
Os principais termos utilizados nesse manual, definidos pela norma IEC
60601-1/1994 e IEC 601-1/1988, são apresentados a seguir:

1 - DOCUMENTOS ACOMPANHANTES
Documentos que acompanham o equipamento ou um acessório, que
contém todas as informações importantes para o usuário, o operador
e o instalador ou montador do equipamento, relativos principalmente
à segurança.

2 - EQUIPAMENTO DE CLASSE I
Equipamento no qual a proteção contra choque elétrico não se
fundamenta apenas na isolação básica, mas incorpora ainda uma
precaução de segurança adicional, consistindo em um recurso de
conexão do equipamento ao condutor de aterramento, para proteção
pertencente à fiação fixa da instalação, de modo a impossibilitar que
partes metálicas acessíveis possam ficar sob tensão, na ocorrência
de uma falha da isolação básica.

3 - EQUIPAMENTO À PROVA DE PINGOS


Equipamento dotado de um gabinete que o protege contra a entrada
de líquido em queda livre, em quantidade tal, que possa interferir
com a operação satisfatória e segura do equipamento.

4 - EQUIPAMENTO DE TIPO B
Equipamento que proporciona um grau de proteção especial contra
choque elétrico, particularmente quanto à:
- Fuga de corrente admissível;
- Confiabilidade da conexão de aterramento para proteção (se
existente).

5 - TERMINAL DE ATERRAMENTO PARA PROTEÇÃO


ANEXO A - SIMBOLOGIA

Terminal conectado às partes condutivas de um equipamento de


classe I, para fins de segurança, e previsto para ser conectado a um
sistema de aterramento externo para proteção, através de um
condutor de aterramento para proteção.

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo B: Serviço Técnico Autorizado 91

Anexo B: Serviço Técnico Autorizado


A relação abaixo pode sofrer alterações sem prévio aviso. Em caso de
dúvida, consulte a Intermed®:

São Paulo - região metropolitana / capital


Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda.
Avenida Cupecê, 1786
São Paulo - SP - Brasil
CEP 04366-000

Central Técnica: (11) 5670-1340


Central de Vendas: (11) 5670-1350
Fax: (11) 5562-5461

site: www.intermedbr.com
e-mail: intermed@intermebr.com.br

Sugestões, dúvidas ou reclamações:


SAT - Serviço de Assistência Técnica:0800 770 335 78
ou pelo site www.intermed.com.br

São Paulo - interior


Inter CTI Comércio e Serviços Ltda.
Rua Rui Barbosa, 1023
Centro - Ribeirão Preto - SP
CEP: 14015-160
Telefax: (16) 635-9745
E-mail: intercti@netsite.com.br
B: SERVIÇO TÉCNICO

Rio de Janeiro / Espírito Santo


Bio Care Material Médico Hospitalar Ltda.
Avenida das Américas, 10101 - loja 101 sl. 201,202, 203 e 204
Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22793-082
Tel.: (21) 3326-0806
Fax: (21) 3326-0805
E-mail: biocare@biocaremedical.com.br

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo B: Serviço Técnico Autorizado 92

Minas Gerais
Salles & Martins Material Médico Hospitalar Ltda.
Avenida Carandaí, 149 - Funcionários
Belo Horizonte - MG
CEP: 30130-060
Telefax: (31) 3287-3638
E-mail: vendas@sallesemartins.com.br

Bahia / Sergipe
Engmed Engenharia Eletrônica Aplicada à Medicina Ltda.
Rua Araújo Bastos, Quadra 07 - Lote 100
Pituaçu - Salvador - BA - Brasil
CEP: 41740-200
Tel: (71) 461-1191
Fax: (71) 461-1436
E-mail:engmed.andre@terra.com.br

Nordeste 1: Pernambuco / Alagoas / R. Gde. do Norte / Paraíba


Kesa Comércio e Serviços Técnicos Ltda.
Rua José Higino, 145 - Madalena
Recife - PE
CEP: 50610-340
Telefax:(81) 3445-5582
E-mail: kesa@kesa.com.br

Nordeste 2: Ceará / Maranhão /Piauí


Tecnolife Equipamentos Médicos Ltda.
Av. da Universidade, 2056- sala A - Benfica
Fortaleza - CE - Brasil
CEP: 60020-180
Telefax: (85)252-3013
E-mail: tecnolife@tecnolife.com.br

Norte: Pará / Amapá / Acre / Roraima / Rondônia


BLB Eletrônica Ltda.
Rua Domingos Marreiros, 738
Belém - PA
CEP: 66055-210
Telefax: (91) 224-9800
E-mail: blb@supridad.com.br

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo B: Serviço Técnico Autorizado 93

Intermed Centro-Oeste: Distrito Federal / Mato Grosso do Sul /


Mato Grosso / Goiás / Tocantins
QE 26, Conjunto C - Casa Nova
Bairro Guará II - Município Guará
Brasília - DF
CEP 71060-030
Telefax: (61) 568-0122
SAC: 0800 644 9003
Cel.: (61) 9964-5413
E.mail: ricardospacheco@bol.com.br

Sul: Paraná / Santa Catarina / Rio Grande do Sul


Medicell Comercial Técnica Ltda.
Rua Treze de maio, 843 - São Francisco
Curitiba - PR
CEP: 80510-030
Telefax: (41) 365-6955
E-mail: magda.rovere@medicell.com.br

Medicell Comercial Técnica Hospitalar Ltda.


Rua Dona Vicentina Goulart, 125 - Estreito
Florianópolis - SC
CEP: 88095-240
Telefax: (48) 240-0221
E-mail: medicell.sc@medicell.com.br

B: SERVIÇO TÉCNICO

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14


Anexo B: Serviço Técnico Autorizado 94

INTERMED inter®3 Manual de Operação cód. 806.00022 Rev. 14