Você está na página 1de 7

3

Mapa de Karnaugh

1. Introdução
A simplificação de expressões booleanas através da aplicação das Propriedades e
Teoremas da Álgebra Booleana pode ser um processo trabalhoso, incômodo e nem sempre conduzir
aos resultados esperados. Isto porque, além de ser exigida muita prática, pode ser muito difícil
determinar o conjunto exato de propriedades e teoremas a utilizar. Uma outra desvantagem é que
freqüentemente é difícil dizer se uma expressão foi reduzida a sua forma mais simples.

O Mapa de Karnaugh fornece um método gráfico de agrupar expressões com fatores


comuns e conseqüentemente de eliminar variáveis não desejadas. O Mapa de Karnaugh, que pode
também ser descrito como um arranjo especial de uma Tabela da Verdade, apresenta um
determinado número de células cada uma das quais separada de suas vizinhas por uma unidade de
distância (uma variável) entre os termos booleanos. O próprio nome mapa vem do fato de ser ele um
mapeamento biunívoco (termo a termo) a partir de uma Tabela da Verdade.

Este método gráfico de representação de funções e de aplicação sistemática do processo de


simplificação algébrica permite a fácil determinação das formas mínimas soma de produtos e
produto de somas. Neste estudo será abordada a simplificação de funções na forma de soma de
produtos.

Sua aplicação é particularmente interessante sobre funções de no máximo 4 variáveis.

37
2. Definição
n
Um Mapa de Karnaugh é uma matriz com 2 células, onde n é o número de variáveis do
problema e onde cada célula está associada a um produto (mintermo) da soma de produtos. Para
duas variáveis, por exemplo, o mapa de Karnaugh é um conjunto de 4 células, já que existem 4
produtos (mintermos) associados.

As células do Mapa de Karnaugh são arranjadas de forma que produtos logicamente


adjacentes sejam, também, graficamente adjacentes. Dois produtos são logicamente adjacentes
quando diferem pelo estado lógico de apenas uma única variável. Os produtos abaixo, por exemplo,
são logicamente adjacentes pois diferem apenas pela variável A.
X •Y e X •Y ,
O diagrama abaixo ilustra a correspondência entre o Mapa de Karnaugh e a Tabela Verdade
para o exemplo geral de um problema de duas variáveis.

Tabela Verdade Mapa de Karnaugh

X Y F Y
X 0 1
0 0 a
0 1 b 0 a c
1 0 c
1 1 d 1 b d

Mintermos Produtos

Y Y
X 0 1 X 0 1

0 m0 m2 0 X .Y X .Y

1 m1 m3 1 X .Y X .Y

Os valores anotados dentro dos quadrados devem ser cópias dos valores anotados na coluna
referente à variável de saída da Tabela Verdade. Existe, portanto, um quadrado no mapa para cada
fileira na Tabela de Verdade. Estes quadrados do Mapa de Karnaugh são denominados células.
Em torno das bordas do Mapa de Karnaugh, estão os valores das duas variáveis de entrada.
A variável Y está ao longo do topo do mapa e variável a X de cima a baixo do lado esquerdo, como
coordenadas.
O diagrama abaixo mostra este mapeamento para a função F qualquer:

Tabela Verdade Mapa de Karnaugh

X Y F Y
 X 0 1
0 0 1
0 1 0 0 1 0
1 0 1 
1 1 1  1 1 1

A célula no canto inferior esquerdo do mapa acima tem as coordenadas X=1 e Y=0.
Esta célula corresponde à fileira na Tabela de Verdade onde X=1 e Y=0 e F=1.

38
Primeiramente, vamos obter as expressões da função anterior diretamente da Tabela
Verdade, segundo as técnicas conhecidas:

• Expressão na forma Produto de Somas • Expressão na forma Soma de Produtos

X Y F X Y F
0 0 1 0 0 1 
0 1 0  0 1 0
1 0 1 1 0 1 
1 1 1 1 1 1 

Z = X+Y Z = X.Y + X.Y + X.Y

Recorrendo-se aos teoremas já estudados vamos tentar reduzir a expressão na forma


Soma de Produtos:
XY + XY + XY = XY + XY + XY + XY
Y ( X + X ) + X(Y + Y) = Y ⋅ 1 + X ⋅ 1= X + Y
Z = X+Y

Do procedimento anterior, obteve-se a forma reduzida (ou mínima) da equação Soma de


Produtos que, neste caso, corresponde à própria equação na forma Produto de Somas.

Retornando-se ao Mapa de Karnaugh para os possíveis produtos de uma função na forma


Soma de Produtos, é possível se constatar que o procedimento de simplificação anterior consistiu em
agrupar os mesmos como mostrado:

Produtos Mapa de Karnaugh

Y Y
X 0 1 X 0 1

0 X .Y X .Y 0 1 0

1 X .Y X .Y 1 1 1

Observando-se a forma como foram agrupados os produtos no mapa à esquerda constata-se


que, para o grupo vertical, a variável comum ( Y ) permaneceu na equação da função enquanto que
as variáveis diferentes ( X e X ) foram eliminadas. O mesmo pode ser constatado da observação dos
termos do grupo horizontal, onde foram eliminadas da equação da função as variáveis diferentes
( Y e Y ) e mantida a variável comum ( X ).

Fazendo-se um paralelo entre os agrupamentos de produtos com o mapa anterior à direita, é


possível se perceber que apenas seus “1’s” forma utilizados na simplificação da função. Mais, é
possível se perceber que uma análise do valor das variáveis em cada grupo é suficiente para se
determinar sua utilização ou não na equação da função.

De fato, observando-se o grupo de “1’s” vertical constata-se que a variável Y possui sempre
o mesmo valor (Y = 0), indicando que a mesma deve ser mantida na expressão. Já a variável X
assume valores diferentes em cada célula do grupo (X = 0 e X = 1) indicando que deve ser eliminada.
O mesmo pode ser constatado da observação dos “1’s” do grupo horizontal, onde a variável X foi
mantida, por assumir um único valor (X = 1), e a variável Y foi eliminada, por assumir diferentes
valores (Y = 0 e Y = 1).

39
3. Regras de agrupamento das células
O Mapa de Karnaugh usa as seguintes regras para a simplificação das expressões pelo
agrupamento de células adjacentes que contêm 1's (uns).

• Os grupos não podem incluir nenhuma célula que contenha um 0 (zero)

A A
B 0 1 B 0 1

0 0 0

1 1 1 1 1

Errado Certo

• Os grupos podem ser horizontais ou verticais, mas não diagonais.

A A
B 0 1 B 0 1

0 1 0 1

1 1 1 1 1

Errado Certo

n
• Os grupos devem conter 1, 2, 4, 8 ou, em geral, 2 células.
1
Isto é, se n = 1, um grupo irá conter dois 1’s já que 2 = 2.
2
Se n = 2, um grupo irá conter quatro 1’s já que 2 = 4.

A AC
B 0 1 B 00 01 11 10

0 1 0 1 1 1

1 1 1

Certo Errado

A AC
B 0 1 B 00 01 11 10

0 1 1 0 0 0 0 1

1 1 1 1 1 1 1 1

Errado Errado

40
• Cada grupo deve ser tão grande quanto possível.

AC AC
B 00 01 11 10 B 00 01 11 10

0 1 1 1 1 0 1 1 1 1

1 1 1 1 1 1

Certo Errado

Obs: No segundo caso, nenhuma lei boolena foi quebrada. No entanto, não foi obtida a função mínima.

• Cada célula que contém um deve pertencer a menos em um grupo.

AC AC
B 00 01 11 10 B 00 01 11 10

0 1 1 0 1 1

1 1 1 1

Errado Certo

• Os grupos podem se sobrepor.

AC AC
B 00 01 11 10 B 00 01 11 10

0 1 1 1 1 0 1 1 1 1

1 1 1 1 1 1

Certo Errado

• Os grupos podem envolver células em torno do mapa.


Assim, a célula mais à esquerda em uma fila pode ser agrupada com a célula mais à direita ou a
célula superior em uma coluna pode ser agrupada com a célula inferior.

AC AC
B 00 01 11 10 B 00 01 11 10

0 1 1 0 1 1

1 1 1 1 1 1

Errado Certo

41
• Deve haver tão poucos grupos quanto for possível, desde que esta regra não contrarie
alguma das regras precedentes.

AC AC
B 00 01 11 10 B 00 01 11 10

0 1 1 1 1 0 1 1 1 1

1 1 1 1 1 1

Certo Errado

Resumindo

• Não são permitidos zeros.


• Não são permitidos grupos na diagonal.
• Somente potências de 2 no tamanho do grupo.
• Os grupos devem ser tão grandes quanto possível.
• Cada um deve estar em pelo menos um grupo.
• Sobreposições são permitidas.
• Permitidos grupos em torno do mapa.
• Poucos grupos permitidos, se isto não violar qualquer das regras acima.

4. Regras de extração das funções simplificadas

A extração da expressão booleana simplificada do Mapa de Karnaugh é realizada como


descrito no procedimento detalhado a seguir.

• Cada grupo representa um termo em uma expressão na forma Soma de Produtos


que será obtida.

• Os valores de todas as variáveis nas células de cada grupo devem ser verificados
e os termos da expressão obtidos da seguinte maneira:

 Se uma variável tiver o valor “1” em cada célula de um grupo, então o termo
para esse grupo incluirá essa variável.

 Se uma variável tiver o valor “0” em cada célula de um grupo, então o termo
para esse grupo incluirá a negação dessa variável.

 Se uma variável tiver o valor “0” em algumas células de um grupo e o valor


“1” em outras células do grupo, então o termo para esse grupo não incluirá
essa variável.

42
Exemplo 1

Considere o seguinte mapa.

A
B 0 1

0 1

1 1 A função mapeada é: Z = f ( A, B) = AB + AB

Em referência ao mapa acima, nós podemos agrupar os dois “1´s” adjacentes. Dentro da
célula adjacente somente a variável A não está mudando e poderá ser escrita diretamente na
expressão. Já que a variável B muda para B ela é eliminada. A expressão pode ser escrita como:

Z=A
Usando a simplificação algébrica, temos:
Z = f ( A, B) = AB + AB
Z = f ( A, B) = A(B + B)
Z = f ( A, B) = A.1
Z = f ( A, B) = A

Exemplo 2

Considere a expressão Z = f ( A, B) = A.B + A.B + A.B mapeada no mapa de Karnaugh:

A
B 0 1

0 1 1

1 1

Usando as regras da simplificação e o método de extração, pelo agrupamento de pares de


1´s como mostrados acima, a resposta simplificada é obtida usando as seguintes etapas:

• Note que dois grupos podem ser formados para o exemplo dado acima, tendo-SE em mente que
os maiores conjuntos retangulares que podem ser feitos consistem em dois 1´s. Note que um 1
pode pertencer a mais de um grupo.
• O grupo vertical, consiste em dois “1´s” que correspondem a A = 0 e B = 0 e a A = 1 e B = 0.
Posto em uma outra maneira, todos os quadrados neste exemplo que correspondem à área do
mapa onde B = 0, independente do valor de A. Assim quando B = 0 a saída deverá ser 1.
A expressão da saída conterá o termo B
• O grupo horizontal corresponde à área do mapa onde A = 0. O grupo pode ser definido como A .
Isto implica que quando A = 0 a saída é 1.
• Conseqüentemente, a saída é igual a 1 para B = 0 ou A = 0. Logo a expressão simplificada é:

Z = A +B

43