Você está na página 1de 14

MERCADO

DA CERVEJA
ARTESANAL
no e s t a do do Pa ra ná
FICHA
TÉCNICA
REALIZAÇÃO
SEBRAE/PR
Serviço Brasileiro de Apoio
à Pequena Empresa no Paraná

VITOR ROBERTO TIOQUETA


Diretor-superintendente

JULIO CEZAR AGOSTINI


Diretor de Operações

JOSÉ GAVA NETO


Diretor de Administração e Finanças

ANDREIA CLAUDINO
Coordenadora Estadual do Agronegócio

JOEL FRANZIM JUNIOR


Gerente da Regional Centro

DANIELE MARTINS MACHADO


Gestora do Projeto Estadual
de Cervejarias Artesanais

ANALISTA DE INFORMAÇÃO
Flyx Consultoria e Treinamento ltda.

VALIDAÇÃO DA METODOLOGIA E INFORMAÇÕES


JANETE PROBST MUNHOZ
LIA MAURA CALDAS
MARCIA CRISTIANE GRUBA

ESPECIALISTA SOBRE MERCADO DE CERVEJA


ANUAR ABDUL TARABAI
CARLOS ALBERTO COIMBRA DE MANUEL
ALEXANDRE WILLERDING

PARCERIA
PROCERVA
Associação das Microcervejarias do Paraná

Faculdade Guairacá
SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO SUPERIOR GUAIRACÁ LTDA - SESG
Realizado com 83% das cervejarias artesanais do
Paraná, o estudo foi uma parceria do Sebrae/PR
(Projeto das Cervejarias Artesanais) a Associação
A das Microcervejarias do Paraná (PROCERVA) a
Faculdade Guairacá.
PRE Com o principal objetivo de mapear as empresas,

SEN
o estudo feito entre outubro e novembro de 2018,
identificou a localização das mesmas, o perfil
socioeconômico dos empresários, principais
TA estilos produzidos, capacidade produtiva
instalada, canais de distribuição, entre outras

ÇÃO informações do setor.


MERCADO
BRASILEIRO

Em 2018 o número total de cervejarias atingiu a 889 cervejarias, sendo


210 novas fábricas, o que representa um crescimento de 23% do setor.

Tratando-se de de registro de produtos, 2018 também apresentou


grande volume. Foram concedidos aproximadamente 6.800 registros
para cerveja/chope. Este segmento apresentou o maior número de
registros. Os dados foram apresentados pelo Ministério da Agricultura,
Pecuária e Abastecimento (Mapa).

No que tange o mercado regional, o Sul continua sendo a região com o


maior número de cervejarias, seguido por Sudeste, Nordeste,
Centro-Oeste e Norte. Confira os principais dados deste mercado e
entenda como o Paraná posiciona-se nele.
CERVEJARIAS
NO PARANÁ

Número de cervejarias artesanais


por regiões do Paraná

41% Em dezembro de 2018, o Paraná


totalizou 93 cervejarias. Isso
representa um crescimento de
38,8% comparado a 2017 em que o
estado tinha 67 cervejarias.

L A Região Leste concentra o maior


número de cervejarias artesanais
E seguida por Região Norte, Centro,
23%
S Oeste, Sul e por fim Sudoeste.
21% Demonstrando assim, o potencial
T destas regiões no empreendimento
de cervejarias artesanais.
E
N 8%
C
O E 4%
R N 3%
T T O
E R E S
O S U S
T L U
E D
O
E
S
T
E
EM
PRE
O estudo nos mostrou que grande parte dos negócios
no ramo de cervejarias do Paraná começam de forma
organizada através de sociedades. Esses empresários
SÁ possuem alto nível de escolariedade e grande
diversidade de faixa etária sendo 56% entre 25 a 40

RI anos e 44% acima dos 40 anos.

OS
26%

18%
1

17%
0

10%
4 NÚMERO 2
DE SÓCIOS
4% +5

21%

31% 6% 62%

PÓS GRADUAÇÃO MÉDIO SUPERIOR


OU MESTRADO COMPLETO COMPLETO

ESCOLARIDADE

28%
20%
17% 16%
5% 11%
3%
20 - 24 25 - 29 30 - 34 35 - 39 40 - 44 45 - 50 50 +
FAIXA ETÁRIA
EM
PRE

RI
OS

39%
23%
17%
14%
6%

0 1-3 3-5 5-7 +7

TEMPO DE ATUAÇÃO

O tempo de atuação no setor cervejeiro


evidência conhecimento e interesse no ramo. HOBBY QUE VIROU NEGÓCIO 39%
Assim 39% das empresas estudadas
possuem acima de 7 anos de mercado. O INVESTIR EM NÉGOCIO 36%
maior percentual já possui alguns anos de
existência, o que caracteriza um mercado
duradouro.
OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO 9%

Os resultados também apontam que a


MUDAR DE ÁREA 16%
grande maioria, ou seja, 39,06% iniciou como
hobby e virou um negócio, seguidos dos MOTIVO DE ENTRAR NO RAMO
investidores, que representam 35,95%.
Outros 15,62% queriam fazer algo diferente.
E a menor parte, com 9,37%, motivou-se 4%
+16
exclusivamente na oportunidade de ganhar
dinheiro.
20%
10 - 15
Tratando-se de um negócio em plena
expansão, foi analisada a empregabilidade 6%
5 - 10
do setor. 42,20% das cervejarias pesquisadas
no Paraná tem entre 1 e 5 colaboradores. 42%
1 - 5

26%
0

NÚMERO DE COLABORADORES
PRODUÇÃO
CERVEJEIRA

A cerveja tipo Pilsen é de longe a mais


produzida entre as cervejarias
pesquisadas, com 23,07% da produção,
seguida da Indian Pale Ale (IPA) com
WITIBIER 3% 19,23%, American Pale Ale (APA) com
PILSEN 23% 16,92%, Lager e Weiss com 13,07%, Porter
com 4,61%, Witbier com 3,07%, Stout e
LAGER 13% Red Ale com 2,30%. Red Lager, Golden
Strong Ale, Abadia e outras com menor
WEISS 13% consumo somam 2,36%. Sendo
produzidas na maior parte dos
GOLDEN STRONG BEER 2% empreendimentos sobre demanda, dada
sua capacidade produtiva.
ABADIA 2%
De acordo com as pesquisas, a
RED ALE 2% capacidade produtiva instalada e a
produção mensal (em litros) das
RED LAGER 2% cervejarias do Paraná possuem números
bem equilibrados.
APA 16% Das 64 cervejarias pesquisadas, 28,12%
possuem capacidade produtiva que varia
IPA 19%
de 1.000 a 5.000l. Já em questão de
PORTER 5% produção, 29,68%estão entre 2.001 e
5.000l mensais e, por fim, 21,90% estão
STOUT 2% acima dos 20.001l.

30%

20%

10%

5%
ATÉ 500L 501 - 1.000L 1.001 - 2.000L 2.001 - 5.000L 5.001 - 10.000L 10.001 - 15.000L 15.001 - 20.000L + 20.001L

PRODUÇÃO MENSAL

6% 28% 15% 15% 23% 7% 6%

ATÉ 1.000L 1.001 - 5.000L 5.001 - 10.000L 10.001 - 20.000L 20.001 - 50.000L 50.001 - 100.000L + 100.001L

CAPACIDADE PRODUTIVA
PRODUÇÃO
CERVEJEIRA

A produção da cerveja ocorre, em


sua grande maioria, em fábrica
própria, correspondendo a 90,19%
dos entrevistados. Porém 9,81%
responderam que utilizam fábricas
de terceiros para produzir ou

66%
complementar a produção mensal
caso necessário. Vale ressaltar ainda
que 29,41% responderam que
envasam também para ciganos. ENVASE EM BARRIL

O envase da produção ocorre,


na grande maioria, em barris
seguido de garrafas. Já na
frequência de produção, a semanal
é a mais operada de acordo com
31% 2%
ENVASE EM ENVASE
as demandas. GARRAFA EM LATA

90%
FABRICAÇÃO
PRÓPRIA
53%
PRODUÇÃO SEMANAL 25%
DIÁRIA

9% 12%
MENSAL QUINZENAL
FOR
NE
CE
DO
RES

4%
REGIONAL

24%
ESTADUAL

36%
NACIONAL

34% MATÉRIA PRIMA


INTERNACIONAL

50%
REGIONAL

20%
ESTADUAL

28%
NACIONAL

1% EMBALAGENS
INTERNACIONAL E RÓTULOS

Os fornecedores representam elo importante na cadeia


produtiva da cerveja artesanal. Dos produtores de cerveja, a
grande maioria compram de fornecedores de outros estados ou
importam seus insumos.

Quanto ao fornecimento de embalagens e rótulos, os


respondentes afirmaram a dificuldade de se conseguir barril
novo a um preço acessível, informando apenas um fornecedor
no Rio Grande do Sul e outro em São Paulo. Já o fornecimento
de garrafas é de fácil aquisição dentro do estado do Paraná.
DISTRIBUIÇÃO

5% 16% 18%

OUTROS DISTRIBUIDOR REPRESENTANTE

6%

29%
33% 36%
RESTAURANTES
VENDA DIRETA E BARES

23%

19%
EMPÓRIOS
40% 11%
SUPERMERCADOS

QUANTIDADE DE RÓTULOS NO ÚLTIMO ANO DISPONÍVEL PARA CONSUMO

38%
32%
18%
7% 3%

ALCANCE ALCANCE ALCANCE ALCANCE ALCANCE


LOCAL REGIONAL ESTADUAL NACIONAL INTERNACIONAL
DIVULGAÇÃO Ao longo do estudo, notamos que a
E INOVAÇÃO quantidade de rótulos/tipos de cervejas
comercializados são grandes. Também
percebemos que a maior parte das
cervejarias possuem venda própria e apenas
5% utilizam lojas on-line, e-commerce e
delivery é um diferencial que ainda pode ser
explorado. Quando questionados em que
locais sua cerveja pode ser encontrada para
consumo, o item mais citado foi
“restaurantes e bares” com 36%, seguindo de
venda direta ao consumidor com 33,33%. Os
respondentes afirmaram que possuem
cervejas sendo exportadas, ainda que em
pequena escala. O alcance regional é o de
maior resposta.

43% | INOVAÇÃO NA PRODUÇÃO Para divulgação de seus produtos, as


cervejarias artesanais utilizam combinação
de mídias, com destaque para as redes
9% | INOVAÇÃO EM MARKETING sociais Facebook e Instagram. Quando
questionados sobre implementação de
ações de inovação nos últimos 12 meses,
2% | INOVAÇÃO EM SERVIÇOS 27% do total de respondentes afirmaram
não ter implantado nenhuma ação, e 43%
mencionaram que realizaram inovação em
seu processo de produção.
16% | INOVAÇÃO EM PRODUTOS

27% | SEM INOVAÇÃO NO ÚLTIMO ANO


31%
30%

14%
12% 7%

2%
1%
0,5% 0,5%

E P A F S I B F N
V A P E I N L A Ã
E N L I T S O C O
N F I R E T G E
T L C A A S B D
O E A S G O I
S T T R O V
O I A K U
S V M L
O G
S A
MAIS
INFORMAÇÕES

57%
POSSUI VÍNCULO COM
DIFICULTADORES DE
ALGUMA ASSOCIAÇÃO
CRESCIMENTO

89%
CONHECE A PROCERVA
38% | TRIBUTAÇÃO

22% | INCENTIVOS FISCAIS

62% PARTICIPOU 14% | FALTA DE RECURSOS


DE ALGUM CONCURSO

13% | FALTA DE PLANEJAMENTO

50%
FOI PREMIADO
4% | CONHECIMENTO TÉCNICO

EM CONCURSO

4% | COMERCIALIZAÇÃO

2% | LESGISLAÇÃO

95%
CONHECE CONHECE
O SEBRAE
MAIS
INFORMAÇÕES

14%
43%
GESTÃO EMPRESARIAL

MISSÃO TÉCNICA

17%
INTERNACIONAL

INOVAÇÃO
10%
MISSÃO TÉCNICA
NACIONAL

1%
COMERCIALIZAÇÃO
EM QUAL ÁREA O
SEBRAE PODERIA
11%
1% AUXILIAR?
PROCESSOS
PRODUTIVOS
SEM INTERESSE

34%
21%
13%
11%
4%
3% 3% 3% 3%
1%
CURSOS PROJETO SELO QUALIDADE EMPRETEC CERTIFICAÇÃO SEBRAETEC PLANEJAMENTO PROJETO ALI CONSULTORIA NAO UTILIZOU
CERVEJARIAS

SERVIÇOS SEBRAE UTILIZADOS

Concluímos que os maiores empecilhos para o crescimento do ramo cevejeiro é a tributação


e a falta de incentivos fiscais. O mercado das cervejarias artesanais no Paraná tem se
potencializado, abrindo possibilidades de outros empreendimentos, como turismo
gastronômico e cervejeiro.