Você está na página 1de 1

EF

B7

ciência+saúde
Segunda-Feira, 28 de novembro de 2016
Robert Polidori

c FotogRaFIa
paisagem do rio
é tema de livro
de canadense
as mudanças da paisagem
carioca, em que a mata
atlânticaexuberantesecon-
funde cada vez mais com
favelas e construção civil,
são o novo foco de robert
Polidori, 64. o fotógrafo ca-
nadense lançou neste ano
“rio”, um dos dois livros
produzidos pelo instituto
moreira Salles com a edito-
ra alemã Steidl em come-
moração aos 450 anos da
cidade —o outro livro, tam-
bém“rio”,édemarcFerrez.
emambos,asimagensmos-
tram a presença forte da na-
tureza que circunda e mol-
Imagem do Cantagalo e Lagoa Rodrigo de Freitas, por Robert Polidori (2014); obra do canadense explora como a mata e a cidade do Rio se confundem da o espaço urbano do rio.

SOS Mata Atlântica faz 30 anos de ONG luta para


despoluir Tietê

olho nos rios e na costa brasileira


desde o início
EDgaR SILVa
DE SÃO PAULO

ONG ambiental quer evitar que rios das grandes cidades continuem a funcionar como esgotos Desde 1991, quando
conseguiu reunir 1,2 mi-
lhão de assinaturas atra-
Água consumida por vés de uma petição públi-
nós depende muito dos PELO VERDE ca, a ONG SOS Mata Atlân-
Com ação de ONG, destruição da mata atlântica é reduzida ao longo dos anos tica encampa o Projeto Ti-
serviços de filtragem etê, que completa 24 anos.
e proteção de nascentes Assinado pelo governo
1 A mata atlântica era Em 1990, a ONG As análises mais
das sobras de mata o bioma dominante
2 SOS Mata Atlântica,
3 recentes e
estadual de SP, a Sabesp
(Companhia de Sanea-
em quase todo o litoral em parceria com o Inpe e o precisas, que levam em mento Básico do Estado de
REINaLDo JoSÉ LoPES
brasileiro (e boa parte do Ibama, publicou a primeira conta fragmentos de MA São Paulo) e o BID (Banco
interior) quando os avaliação feita por satélite mata de tamanho menor, CE RN Interamericano de Desen-
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
europeus chegaram ao do que havia restado da indicam que resta 12,5% volvimento), durante a
país em 1500 mata. Na escala examina- da mata original, ainda PI PB
Evitar que os rios das gran- Eco-92, o projeto encontra-
des cidades brasileiras con- da então, havia restado que subdividida em PE se hoje na terceira de seis
tinuem a funcionar como es- apenas 8,8% do bioma poucos hectares fases. Até o momento, de
goto a céu aberto e lutar pela AC AL acordo com a Sabesp, fo-
aprovação de uma lei que pro- SE ram investidos US$ 2,6 bi-
BA
teja os ambientes costeiros RO TO lhões —entre aportes do
do Brasil estão entre os pró- governo do Estado, BID e
ximos objetivos da ONG am- MT Caixa Econômica Federal.
bientalista SOS Mata Atlân- DESMATAMENTO ZERO Em 1992, quando o pro-
tica, que está completando O último levantamento, que vale jeto foi iniciado, a propos-
30 anos de existência. para o período 2014-2015, indica DF ta era ousada, tendo como
que sete Estados estão no nível GO
“A gente viu os prefeitos objetivo reduzir até 1994
nessa última campanha pro- considerado de “desmatamento entre 50% e 60% o volume
metendo construir mais pos- zero” –derrubadas inferiores a 100 MG de poluição jogado no Ti-
hectares. A lista inclui São Paulo, ES
tos de saúde, enquanto uma etê. Na ocasião, o governa-
proporção enorme das doen- Goiás, Paraíba, Alagoas, Rio de MS dor Luiz Antônio Fleury Fi-
ças infecciosas do país têm a Janeiro, Ceará e Rio Grande do Norte lho chegou a afirmar que
ver com qualidade da água SP RJ “em torno de oito anos já
e saneamento básico”, diz será possível pescar”.
Mário César Mantovani, di- Malu Ribeiro, coordena-
retor de políticas públicas do dora da Rede das Águas da
CAMPEÕES HISTÓRICOS PR
órgão. “Em pleno século 21, SOS Mata Atlântica, apon-
não faz o menor sentido ficar Paraná, Minas Gerais e Santa Catarina Área de cobertura tou em outubro de 2012,
jogando esgoto em rio.” foram os Estados que mais desmataram original da mata em análise para a Folha,
A preocupação com a dis- desde o início do monitoramento atlântica algumas das razões que re-
SC
ponibilidade e qualidade da tardaram o andamento do
água pode parecer estranha Área remanescente projeto, desde o começo.
para uma ONG que leva o no- TAXA DE DESFLORESTAMENTO RS de mata atlântica “A falta de transparên-
me de um bioma ameaçado, ANUAL DA MATA ATLÂNTICA cia e a ausência de um pac-
mas as coisas, na verdade, to para gestão integrada da
estão intimamente ligadas. 180.000 bacia hidrográfica do Alto
Mais de dois terços da po- 160.000 Tietê –que engloba os 34
pulação brasileira vive na 140.000 83% municípios da região me-
mata atlântica, ou no que é a redução da média anual de tropolitana– na primeira
120 000
120.000
restou dela (apenas 12,5% desmatamento da época do etapa do projeto, associa-
100.000
da cobertura original do bi- primeiro levantamento até hoje da a seu uso político, com
oma ainda subsiste, a maior 80.000 a divulgação em ano eleito-
parte desse total espalhada 60.000 ral de que, em curto espa-
por milhões de fragmentos 40.000 ço de tempo seria possível
minúsculos de floresta). 20.000 beber água do rio, por pou-
Isso significa que a água co não fizeram com que ele
consumida por toda essa gen- caísse em descrédito.”
00

04

06

08

09
05
01

03

07
90

99

02

13

15
94

96

98
88

89

95

12
85

91

93
92

97

10

11
87

14
86

20
20

20

20

20

20
20

20
19

19

19

19

20

20

20
19

19

19

19

19

20

20

20

20
19

19

19

20
19

19
19

te depende, em larga medida, O projeto prevê cone-


dosserviçosdefiltragemepro- xões de 1,5 milhão de pes-
teção de nascentes prestados soas à rede de esgoto, 200
de graça pelas sobras de ma- ambiental para o cotidiano Mata Atlântica —um mode- da devastação caiu 83%, e se- servindo apenas para carre- mil ligações domiciliares,
ta. De quebra, a maioria das das pessoas, conseguiu mos- lo que seria replicado com te Estados registraram des- gar esgoto. “É ilusão achar 1.250 km de redes coleto-
projeções científicas aponta trar que não é só coisa de sucesso para acompanhar a matamento zero no último que vamos transformar esses ras e 580 km de intercep-
para um aumento dos eventos quem está preocupado com devastação da Amazônia. atlas, divulgado em 2015. rios no Tâmisa, com paisa- tores. Malu explica que,
climáticos extremos —como bichinho e plantinha.” “Nos anos 1980, as pesso- Há dez anos, graças, em gens bucólicas nas margens, apesar de invisível, essa fa-
secas e enchentes, por exem- as achavam que o processo parte, aos esforços da ONG, mas dá para melhorar muito se é vital para o projeto.
plo— ligados ao aquecimento RENASCENÇA de desmatamento da mata foi aprovada uma lei fede- a situação com tratamento de O trecho do Tietê que
global nas próximas décadas, Já nos primeiros anos após atlântica era algo que já fa- ral voltada especificamente esgoto”, diz Mantovani. está dentro da capital de
o que torna ainda mais impor- a sua criação, a SOS Mata zia parte da história, que ti- para proteger o bioma. Hoje, um dos projetos da São Paulo tem 203 km de
tante o papel da cobertura Atlântica também foi respon- nha basicamente termina- Uma das próximas bata- ONG, o Observando os Rios, extensão e recebe, por
vegetal para domar as águas. sável pelo primeiro sistema do. O atlas mostrou que esse lhas tem a ver com os cha- incentiva grupos de cidadãos meio dos afluentes, as car-
Chamar a atenção pa- de monitoração do desmata- processo ainda estava acon- mados rios de classe 4 —equi- —de escolas a associações de gas de esgoto não tratado
ra essas conexões é um dos mento por satélite no Brasil, tecendo”, afirma Márcia Hiro- valentes ao curso do Tietê na moradores —a acompanhar de toda a bacia hidrográ-
trunfos históricos da ONG, em parceria com o Inpe e com ta, diretora de gestão do co- capital paulista, caracteriza- a qualidade da água de sua fica que abrange a região
diz Mantovani. “A gente o Ibama, criando o Atlas dos nhecimento da organização. dos pela virtual ausência de região, por meio de um kit metropolitana.
conseguiu trazer a questão Remanescentes Florestais da Trêsdécadasdepois,oritmo vida animal em suas águas, de análises químicas.