Você está na página 1de 12

https://questoes.grancursosonline.com.

br

Simulado
Criado em 16/10/2019 às 10:59:30

Matéria(s)/Assunto(s): Direito Tributário

1.O Código Tributário Nacional estabelece que o crédito não integralmente pago no vencimento é
acrescido de juros de mora, seja qual for o motivo determinante da falta, sem prejuízo da imposição das
penalidades cabíveis e da aplicação de quaisquer medidas de garantia previstas nesta Lei ou em lei
tributária. De acordo com o referido Código, os juros de mora são calculados

A) à taxa de 6% ao ano, no mínimo, não havendo incidência destes juros na pendência de consulta
formulada pelo devedor, dentro do prazo legal para pagamento do crédito.
B) à taxa de 3% ao mês, se a lei não dispuser de modo diverso, sendo que não haverá incidência
destes juros na pendência de consulta formulada pelo devedor.
C) à taxa de 1% ao mês, se a lei não dispuser de modo diverso, sendo que não haverá incidência destes
juros na pendência de consulta formulada pelo devedor, dentro do prazo legal para pagamento do
crédito.
D) pro rata die, à taxa de 18% ao ano, sendo que não haverá incidência destes juros somente nos
casos em que a resposta de consulta formulada seja favorável ao sujeito passivo.
E) com base na taxa SELIC, se a lei não dispuser de modo diverso.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:73

2.De acordo com o Código Tributário Nacional, a decadência e a prescrição tributárias ocasionam a
extinção do crédito tributário. De outro lado, a Lei Orgânica do Município de Manaus atribui
responsabilidade pessoal aos responsáveis pela ocorrência dessas duas causas extintivas do crédito
tributário. De acordo com a referida Lei Orgânica, ocorrendo a decadência do direito de constituir o
crédito tributário, ou a prescrição da ação de cobrá-lo,

A) o servidor municipal presumidamente responsável será afastado de suas funções, pelo prazo
mínimo de 90 dias, podendo este prazo ser quadruplicado, nos casos em que tiver havido indícios de
dolo, fraude ou simulação.
B) abrir-se-á processo administrativo disciplinar para apurar as responsabilidades, na forma da lei,
sendo que a autoridade municipal responsável pela ocorrência da decadência ou da prescrição
responderá, civil, criminal e administrativamente por essa ocorrência, cumprindo-lhe indenizar o
Município do valor dos créditos prescritos ou não lançados.
C) a autoridade municipal presumivelmente responsável, qualquer que seja seu cargo, emprego ou
função, e independentemente do vínculo que possuir com o Município, será sumariamente afastada de
suas funções, pelo prazo de 60 dias, podendo este prazo ser quadruplicado, nos casos em que tiver
havido indícios de dolo, fraude ou simulação, até que sejam apuradas as devidas responsabilidades.
D) o servidor municipal presumivelmente responsável, excetuado aquele cujo cargo seja de provimento
efetivo, será sumariamente afastado de suas funções, pelo prazo de 90 dias, podendo este prazo ser
duplicado, nos casos em que tiver havido indícios comprovados de dolo, fraude ou simulação, e até que
sejam apuradas as devidas responsabilidades.
E) abrir-se-á processo administrativo disciplinar para apurar a responsabilidade tão somente do Auditor
Fiscal de Tributos Municipais ou do Procurador Municipal, conforme o caso, sendo que a
responsabilização nas esferas civil, criminal e administrativa, bem como a obrigação de indenizar o
Município do valor dos créditos prescritos ou não lançados, fica restrita aos casos em que restar
comprovada a existência de dolo, fraude ou simulação.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:74

3.De acordo com o Código Tributário Nacional, a anistia

A) deve ser concedida necessariamente em caráter limitado, vedada sua concessão em caráter geral.
B) não se aplica aos atos que sejam praticados com dolo, fraude ou simulação pelo sujeito passivo.
C) é uma forma de extinção do crédito tributário.
D) abrange exclusivamente as infrações cometidas posteriormente à vigência da lei que a concede.
E) só pode ser concedida por meio de lei ou de decreto.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:79

1 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
4.Determinado Município constitui o crédito tributário relativo ao ITBI por meio de lançamento de ofício.
A Fazenda Pública desse Município, por meio de autoridade fiscal municipal, constatou que certo
contribuinte do ITBI, pessoa legalmente obrigada a prestar declaração para fins de lançamento do
imposto, fê-lo no prazo e na forma da legislação tributária. Instado pela referida autoridade a prestar
esclarecimentos a respeito das informações constantes da referida declaração, o contribuinte as
prestou de forma insatisfatória, no entender da citada autoridade fiscal. De acordo com o Código
Tributário Nacional, a referida autoridade fiscal

A) poderá efetuar o lançamento do referido tributo, de ofício.


B) deverá notificar o contribuinte a proceder ao lançamento por homologação, antecipando o
recolhimento do tributo, sem prévio exame da autoridade fiscalizadora.
C) poderá inscrever a obrigação tributária em dívida ativa municipal.
D) deverá promover a aplicação de penalidade cabível, ficando impedida, porém, de efetuar qualquer
lançamento de tributo, em razão da falta de informações satisfatórias a respeito da matéria tributável.
E) deverá encerrar os procedimentos de fiscalização e encaminhar o expediente à Procuradoria Fiscal
do Município, a fim de que tome as medidas judiciais cabíveis.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:85

5.Não são raros os conflitos de competência entre o ISSQN e o ICMS, no que diz respeito à inclusão de
serviços no campo de incidência do ICMS e à inclusão de mercadorias no campo de incidência do
ISSQN. Do mesmo modo, com alguma frequência, verificam-se conflitos entre o ITCMD e o ITBI, no
tocante à incidência destes impostos em relação a determinadas transmissões. De acordo com a
Constituição Federal, dispor sobre conflitos de competência, em matéria tributária, entre a União, os
Estados, o Distrito Federal e os Municípios é matéria que cabe

A) às emendas à Constituição Federal.


B) à lei ordinária.
C) às Resoluções do Senado Federal.
D) à lei complementar.
E) às emendas às Constituição Estaduais e às leis orgânicas municipais, conforme o caso.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:90

6.Autoridade tributária municipal constatou que o contribuinte “Lavanderia Roupa Limpa Ltda.”
efetivamente infringiu a legislação tributária municipal do ISSQN. Não obstante isso, a referida
autoridade, mesmo depois de ter analisado detidamente a lei tributária que define infrações e comina
penalidades para os fatos comprovadamente praticados pelo contribuinte, continuava em dúvida
quanto à natureza da penalidade aplicável e, também, quanto à graduação dessa penalidade. De
acordo com o Código Tributário Nacional, aquela autoridade deveria interpretar a mencionada lei
tributária municipal

A) de maneira mais favorável à Fazenda Pública, o que significa interpretá-la de maneira mais
desfavorável ao acusado.
B) de maneira mais favorável ao acusado.
C) com equidade, ainda que isso resultasse na dispensa do pagamento de tributo devido.
D) de maneira mais desfavorável ao acusado, no tocante à natureza da penalidade aplicável, e de
maneira mais favorável, porém, em relação a sua graduação.
E) e maneira mais favorável ao acusado, no tocante à natureza da penalidade aplicável, e de maneira
mais desfavorável, porém, em relação a sua graduação.
Fonte: FCC / 2019 / FCC Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno do Amazonas - AM / Auditor Fiscal de Tributos Municipais / Questão:91

7.Relativamente às diligências de fiscalização, a autoridade que as realizar ou as presidir deverá,


segundo o Código Tributário Nacional, lavrar os termos fiscais necessários para documentá-las. Estes
termos, de acordo com este mesmo Código, deverão I. ser lavrados, necessariamente, em um dos livros
contábeis exibidos, se exibidos. II. documentar o início do procedimento, na forma da legislação
aplicável, sendo que esse termo fixará prazo máximo para a conclusão das referidas diligências. III.
quando lavrados em separado, ser entregues, por cópia autenticada, pela autoridade que proceder ou
presidir as referidas diligências, à pessoa sujeita a fiscalização. IV. ser firmados por, no mínimo, três
autoridades, de diferentes níveis hierárquicos. Está correto o que se afirma APENAS em

A) I e IV.
B) I, II e IV.
C) III e IV.
D) II e III.
E) III.
Fonte: FCC / 2018 / FCC Secretaria Municipal de Administração de São Luís - MA / Auditor Fiscal de Tributos I / Questão:51

2 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
8.De acordo com o Código Tributário Nacional, as leis, os tratados e as convenções internacionais, os
decretos e as normas complementares que versem, no todo ou em parte, sobre tributos e relações
jurídicas a eles pertinentes, estão compreendidos

A) na expressão “legislação tributária”.


B) no conceito de “crédito tributário plenamente constituído”.
C) na definição de “fato gerador”.
D) na noção de “lei complementar”.
E) na concepção de “norma tributária inadimplida”.
Fonte: FCC / 2018 / FCC Secretaria Municipal de Administração de São Luís - MA / Auditor Fiscal de Tributos I / Questão:53

9.O Código Tributário Nacional estabelece que a legislação tributária, observada a disciplina nele
estabelecida, regulará, em caráter geral, ou especificamente em função da natureza do tributo de que
se tratar, a competência e os poderes das autoridades administrativas em matéria de fiscalização da
sua aplicação. De acordo com o citado Código, a legislação tributária mencionada

A) aplica-se, inclusive em relação aos impostos sobre o patrimônio, às pessoas que gozem de
imunidade tributária ou de isenção de caráter pessoal.
B) não se aplica às pessoas naturais, relativamente a determinados impostos sobre serviços.
C) aplica-se às pessoas naturais e jurídicas, relativamente a determinados impostos sobre serviços,
exceto quando gozarem de imunidade tributária de caráter pessoal.
D) só se aplica às pessoas naturais, relativamente a determinados impostos sobre serviços, se elas
forem contribuintes do imposto.
E) aplica-se às pessoas jurídicas, relativamente a determinados impostos sobre serviços, exceto
quando, sem revestir a condição de contribuinte do imposto, revistam a condição de responsável
tributário.
Fonte: FCC / 2018 / FCC Secretaria Municipal de Administração de São Luís - MA / Auditor Fiscal de Tributos I / Questão:58

10.Um contribuinte do ISSQN deixou de efetuar o lançamento do tributo por homologação, conforme
determinava a lei do Município em relação ao qual ele era o sujeito passivo. A autoridade fiscal que
realizou os trabalhos de fiscalização, que culminaram com a apuração dessa irregularidade, constatou
que o referido contribuinte agiu dolosamente, com a nítida intenção de sonegar o tributo. De acordo
com o Código Tributário Nacional, a autoridade administrativa municipal terá um prazo

A) decadencial, de cinco anos, para efetuar o lançamento do imposto devido, contado do primeiro dia
do exercício seguinte àquele em que o lançamento puder ser efetuado.
B) prescricional, de dois anos, para efetuar a cobrança do imposto devido, contado da data em que se
comprovou a sonegação.
C) de homologação tácita da atividade de autolançamento, por decurso de prazo, contado da data da
ocorrência do fato gerador.
D) revisional, de um ano, para efetuar o lançamento do imposto devido, contado da data em que se
comprovou a sonegação.
E) prescricional, de 48 meses, para efetuar a cobrança do imposto devido, contado da data em que se
comprovou a sonegação.
Fonte: FCC / 2018 / FCC Secretaria Municipal de Administração de São Luís - MA / Auditor Fiscal de Tributos I / Questão:62

11.O ITCMD

A) é devido em favor do Estado do domicílio do donatário, no caso de doações de bens móveis.


B) poderá ser progressivo, a despeito da inexistência de disposição expressa autorizando a
progressividade das alíquotas do ITCMD no texto constitucional.
C) é devido em favor do Estado do donatário para o caso de doações de imóveis localizados no exterior,
desde que o donatário seja domiciliado no Brasil.
D) é devido em partes iguais aos Estados envolvidos, sempre que haja pluralidade de domicílios civis.
E) poderá ser cobrado concomitantemente com o ITBI na hipótese de transmissão de bens móveis.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Auditor Substituto de Conselheiro / Questão:90

12.Compreende-se no campo de incidência do ISSQN

A) os serviços definidos em lista constante de lei complementar prestados por um concessionário de


serviços públicos contratados no regime de parceria público-privada na modalidade “concessão
administrativa” cuja remuneração seja inteiramente paga pelo parceiro público.
B) a construção de edifício destinado à venda, realizada pelo incorporador imobiliário.
C) a parcela cobrada pelo vendedor pela entrega da mercadoria por ele comercializada até o domicílio
do comprador, situado no mesmo Município.
D) a obra de construção civil de um porto localizado em país estrangeiro financiada por entidade de
crédito brasileira executada por empreiteira brasileira.
3 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
E) os serviços prestados pelos conselheiros de administração de empresas públicas e sociedades de
economias mista.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Auditor Substituto de Conselheiro / Questão:91

13.A isenção de ISSQN sobre a prestação de serviços públicos objetos de contrato de Parceria Público
Privada concedida por lei pelo próprio Município que seja o parceiro público é

A) medida conveniente e oportuna, pois não faz sentido tornar o serviço público municipal mais
oneroso por conta do ISSQN que poderia ser arrecadado pelo próprio Município.
B) inconstitucional, pois depende de convênio firmado entre os Municípios.
C) constitucional, pois o Município tem o poder de tributar bem como o de isentar do ISSQN,
observados, dentre outros, os princípios da legalidade, isonomia, capacidade contributiva e o interesse
público.
D) constitucional, pois na falta de disposição de lei complementar dispondo sobre os procedimentos
relativos à concessão de benefícios, os Municípios têm a competência plena para concedê-los mediante
lei.
E) inconstitucional, independentemente da edição de lei ordinária municipal ou do interesse público
relativo à modicidade tarifária do serviço público objeto da Parceria Público Privada.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Auditor Substituto de Conselheiro / Questão:92

14.Acerca das imunidades tributárias, é correto afirmar que

A) a imunidade dos templos de qualquer culto abrange o local de culto e também imóveis de
propriedade da entidade religiosa locados a terceiros, desde que o aluguel reverta em benefício da
atividade religiosa.
B) as entidades fechadas de previdência privada estão amparadas pela imunidade, devido à natureza
assistencial.
C) são aplicáveis exclusivamente em relação aos impostos.
D) a imunidade relativa às operações com petróleo, combustíveis e minerais alcança os tributos em
geral, compreendendo impostos e contribuições.
E) a imunidade recíproca beneficia as empresas públicas e sociedades de economia mista.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Auditor Substituto de Conselheiro / Questão:93

15.Suspendem a exigibilidade do crédito tributário

A) o depósito do montante que o contribuinte entende devido, até o valor depositado.


B) a liminar concedida em mandado de segurança.
C) o oferecimento de fiança bancária no curso do processo de execução fiscal.
D) a decisão proferida pelo STF, com trânsito em julgado, relativa à inconstitucionalidade do tributo
objeto de questionamento.
E) o arrolamento de bens suficientes à satisfação do crédito tributário exigível pela Prefeitura.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Auditor Substituto de Conselheiro / Questão:94

16.Considerando a natureza jurídica específica dos tributos, é correto afirmar que

A) a destinação do produto da arrecadação é essencial para definir todas as espécies de tributos.


B) a vinculação de receitas tributárias é inerente a algumas espécies tributárias, como acontece com as
contribuições de interesse de categorias profissionais ou econômicas.
C) as taxas e as contribuições de melhoria têm receita vinculada, necessariamente.
D) é possível diferenciar um imposto de uma contribuição pela vinculação ou não de receitas
tributárias, pois os impostos nunca podem ter receita vinculada.
E) a contribuição de melhoria é um tributo que tem receita vinculada, ou seja, o produto arrecadado
tem que necessariamente ser revertido para custear a obra pública que gerou a valorização imobiliária.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:91

17.Acerca do Imposto sobre a Transmissão Inter Vivos por ato oneroso de bens imóveis − ITBI, é
correto afirmar que

A) não há incidência tributária de ITBI na transmissão de bens imóveis decorrente de integralização de


capital social pelo sócio, por não haver subsunção deste fato à respectiva hipótese de incidência.
B) nunca incide sobre transmissão de bens imóveis decorrente de fusão, incorporação ou cisão de
pessoa jurídica.
C) há isenção em caráter geral nas hipóteses de reversão do patrimônio da pessoa jurídica para os
sócios em virtude de extinção da pessoa jurídica.
D) se a atividade preponderante da adquirente for a locação de bens imóveis ou arrendamento
mercantil não haverá imunidade na transmissão de imóveis decorrente de integralização de capital
social.
4 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
E) se a atividade preponderante da adquirente for a compra e venda de bens imóveis haverá imunidade
na transmissão de imóveis decorrente de fusão, incorporação ou cisão de pessoa jurídica.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:92

18.A partir do poder regulamentar do Chefe do Executivo são editados decretos regulamentares e
regulamentos. O decreto regulamentar em matéria tributária

A) tem por finalidade suprir omissões legais relativas à hipótese de incidência.


B) vincula, via de regra, seus destinatários, mas os contribuintes podem questionar judicialmente as
normas insertas no decreto, se estas extrapolarem os dizeres da lei.
C) admite apontar fatos geradores previstos na hipótese de incidência se valendo da analogia para
ampliar a incidência legal.
D) pode, por força do serviço, regular prazos prescricionais diversos daqueles já fixados pelo CTN.
E) pode regulamentar a norma constitucional tributária pois todas elas já têm eficácia plena.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:94

19.Sobre as garantias e privilégios do crédito tributário, considere: I. Existe presunção iure et iure de
fraude à execução a alienação de bens após a citação do devedor no processo de execução fiscal. II. A
penhora de bem imóvel em sede de execução fiscal por débito tributário federal gera a indispo
nibilidade deste bem imóvel. III. O crédito tributário não prefere aos créditos extraconcursais, mas se
decorrente de fato gerador ocorrido no curso do processo de falência são con siderados
extraconcursais. IV. As multas tributárias não gozam da mesma preferência do crédito decorrente do
tributo, ficando em último lugar, após os créditos quirografários. Está correto o que se afirma APENAS
em

A) I e II.
B) III e IV.
C) I, II e III.
D) I, III e IV.
E) II, III e IV.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:95

20.Em investigação policial foi identificada empresa ”fantasma”, não constituída regularmente, que era
utilizada para fazer lavagem de dinheiro decorrente de corrupção em aquisição de produtos por
determinado Município. Esta “empresa” fazia a venda de materiais de construção ao Município com
preços superfaturados. Relativamente a fatos geradores decorrentes destas operações,

A) não haverá obrigação tributária, pois nunca houve efetivamente os fatos geradores.
B) não haverá obrigação tributária, pois a pessoa jurídica não está regularmente constituída nos termos
da lei civil.
C) haverá obrigação tributária da empresa, pois a capacidade tributária passiva independe da pessoa
jurídica estar regularmente constituída.
D) haverá obrigação tributária integral para o Município, na qualidade de responsável tributário, porque
a pessoa jurídica não está regularmente constituída.
E) haverá obrigação tributária com responsabilidade solidária entre o Município e o representante legal
da empresa pela infração de lei.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:96

21.A anistia de caráter geral

A) pode alcançar infrações cometidas posteriormente à vigência da lei que a concedeu, desde que
concedida em caráter específico.
B) somente tem lugar diante da denúncia espontânea da infração, sendo dispensada lei para sua
concessão, pois refere-se à obrigação tributária acessória.
C) tem lugar para perdoar crédito tributário cujo fato gerador foi praticado com dolo, fraude ou
simulação pelo sujeito passivo ou por terceiro em benefício daquele, desde que expressamente
veiculada por lei do ente competente para instituir o tributo.
D) se concede apenas mediante requerimento comprovando preenchimento de determinados requisitos
legais já discriminados no Código Tributário Nacional e despacho da autoridade administrativa
competente.
E) não se aplica a atos qualificados em lei como crimes ou contravenções e aos que, mesmo sem essa
qualificação, sejam praticados com dolo, fraude ou simulação pelo sujeito passivo ou por terceiro em
benefício daquele.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:97

22.Acerca do arrolamento fiscal de bens e da indisponibilidade de bens é INCORRETO afirmar que

5 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
A) o arrolamento fiscal de bens gera a indisponibilidade dos bens arrolados.
B) a indisponibilidade de bens decretada pelo juiz no curso da execução fiscal só tem lugar se o
devedor, devidamente citado, não pagar nem apresentar bens à penhora no prazo legal e não forem
encontrados bens penhoráveis.
C) o arrolamento fiscal de bens é procedimento administrativo para acompanhamento do patrimônio
suscetível a ser indicado como garantia de crédito tributário.
D) não cabe arrolamento fiscal de bens se a responsabilidade do sujeito passivo por débito tributário
não exceder a R$ 2.000.000,00, ainda que a dívida seja superior a 30% do seu patrimônio conhecido.
E) a indisponibilidade de bens decretada em sede de execução fiscal limitar-se-á ao valor do total
exigível, devendo o juiz determinar o imediato levantamento da indisponibilidade dos bens ou valores
que excederem esse limite.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:98

23.A propriedade de um bem imóvel por três proprietários com frações distintas gera

A) três fatos geradores distintos, um para cada proprietário.


B) três fatos geradores distintos, um para cada proprietário, mas com solidariedade entre eles.
C) um fato gerador, mas com três sujeitos passivos, cada um responsável proporcionalmente à sua
fração, sem solidariedade.
D) um fato gerador, com três sujeitos passivos solidários entre si pelo todo, por interesse comum
consistente na transmissão do bem imóvel.
E) um fato gerador, com três sujeitos passivos que somente serão devedores solidários se houver
expressa disposição legal neste sentido ou se eles tiverem expressamente assim convencionado.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - RJ / Procurador da Procuradoria Especial / Questão:100

24.De acordo com a Constituição Federal, a competência tributária para instituir o ICMS é dos Estados
federados e do Distrito Federal. Relativamente a este imposto e, considerando a disciplina estabelecida
no Código Tributário Nacional,

A) a atribuição da função de arrecadar o ICMS pode ser cometida à pessoa jurídica de direito privado e
isso não constitui delegação de competência.
B) os Estados não poderão delegar sua competência tributária a nenhuma outra pessoa, mas poderão
delegar aos Municípios a atribuição de fiscalizá-los, não podendo essa atribuição ser revogada sem a
anuência do município que recebeu essa atribuição.
C) o não-exercício da competência tributária pelo Estado defere-a, primeiramente, à União e, caso essa
competência não seja por ela exercida, defere-a aos Municípios localizados no território do Estado que
não a exerceu.
D) a competência para legislar sobre ele é tanto dos Estados como dos Municípios que se encontram
nesse Estado, em razão de uma parte do produto da arrecadação desse imposto pertencer a esses
Municípios.
E) a competência para instituir esse tributo poderá ser delegada aos Municípios localizados no território
desse Estado.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor Conselheiro Substituto / Questão:26

25.De acordo com o Código Tributário Nacional, são causas de extinção, de suspensão de exigibilidade
e de exclusão do crédito tributário, respectivamente, nessa ordem,

A) a decisão administrativa irreformável, assim entendida a definitiva na órbita administrativa, que não
mais possa ser objeto de ação anulatória; o depósito do seu montante integral; a anistia.
B) o parcelamento; a consignação em pagamento, nos termos do disposto no § 2º do artigo 164 do
CTN; a moratória.
C) a anistia; as reclamações e os recursos, nos termos das leis reguladoras do processo tributário
administrativo; a decisão judicial passada em julgado.
6 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
D) a moratória; a concessão de medida liminar ou de tutela antecipada, em outras espécies de ação
judicial; a isenção.
E) a isenção; a prescrição; a concessão de medida liminar em mandado de segurança.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor Conselheiro Substituto / Questão:29

26.A constituição do crédito tributário é fundamental para que se possa exigir o seu pagamento pelo
sujeito passivo. De acordo com o Código Tributário Nacional, a constituição do crédito tributário

A) deve ser feita a partir do momento do surgimento da obrigação tributária, sob pena de ocorrer a
prescrição do direito de a Fazenda Pública promover seu lançamento.
B) é de competência exclusiva das autoridades administrativa e judicial.
C) C) é feita por meio do lançamento, em relação ao tributo, mas, em relação à penalidade pecuniária
por inobservância de obrigação acessória, não o é.
D) é feita por meio de uma das quatro formas de lançamento previstas no CTN: lançamento de ofício,
lançamento contábil, lançamento por homologação e lançamento por declaração.
E) é procedimento administrativo que verifica a ocorrência do fato gerador da obrigação, identifica o
contribuinte e o responsável, calcula o montante do tributo devido e determina a matéria tributável.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor de Controle Externo - Área Finalística Controle Externo / Questão:60

27.Uma pessoa jurídica de direito público promoveu três lançamentos de ofício distintos em relação a
um mesmo sujeito passivo. No tocante ao primeiro desses lançamentos, o sujeito passivo ofereceu
reclamação (impugnação ao lançamento), de conformidade com o processo administrativo fiscal
instituído por aquela pessoa jurídica de direito público. Em relação ao segundo lançamento, houve
depósito judicial parcial da quantia questionada, com a finalidade de discutir na esfera judicial,
posteriormente, a matéria objeto do lançamento. Em relação ao terceiro lançamento, como o sujeito
passivo tinha a intenção de quitar o crédito tributário constituído, esse sujeito passivo ofereceu veículos
como forma de pagamento da importância reclamada pela Fazenda Pública. Considerando o exposto
acima e o que dispõe o Código Tributário Nacional a respeito dessa matéria, é correto afirmar que

A) a reclamação (impugnação) referida no enunciado é forma de exclusão do crédito tributário.


B) o oferecimento dos veículos em pagamento constitui uma forma prevista no CTN como sendo de
extinção do crédito tributário, desde que a lei estabeleça a forma e as condições como isso deve ser
feito.
C) o depósito efetuado pelo sujeito passivo, em relação ao segundo lançamento, não suspendeu a
exigibilidade do crédito tributário.
D) a impugnação ao lançamento de ofício, por meio da reclamação apresentada, suspende a
exigibilidade do crédito tributário, desde que acompanhada de liminar em mandado de segurança ou de
liminar ou de tutela antecipada em outras espécies de ação judicial.
E) o depósito parcial efetuado, ao ser convertido em renda, suspenderá a exigibilidade do crédito
tributário.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor de Controle Externo - Área Finalística Controle Externo / Questão:61

28.De acordo com o Código Tributário Nacional − CTN, a restituição total ou parcial de tributo, qualquer
que seja a modalidade adotada para seu pagamento, e ressalvadas as exceções previstas na legislação
para pagamento de tributo por meio de estampilha,

A) será feita ao contribuinte, independentemente de prévio protesto, e ao responsável, mediante


prévio protesto, nos casos de erro na determinação da alíquota aplicável ao cálculo de determinado
imposto.
B) será feita ao sujeito passivo que tiver comprovado ter efetuado o pagamento indevido, mesmo nos
casos que comportem, por sua natureza, transferência do respectivo encargo financeiro e haja prova de
transferência desse encargo a terceiro.
C) será feita ao contribuinte, independentemente de prévio protesto, e ao responsável, mediante prévio
protesto, nos casos de erro na identificação do sujeito passivo e de reforma, anulação, revogação ou
rescisão de decisão condenatória.
D) será feita ao contribuinte, independentemente de prévio protesto, e ao responsável, mediante
prévio protesto, nos casos de erro na identificação do sujeito passivo e de reforma, anulação, revogação
ou rescisão de decisão condenatória.
E) dará lugar à restituição, na mesma proporção, dos juros de mora e das penalidades pecuniárias,
salvo as referentes a infrações de caráter formal não prejudicadas pela causa da restituição.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor de Controle Externo - Área Finalística Controle Externo / Questão:63

29.Um determinado sujeito passivo desenvolveu, de maneira inexata, a atividade de lançamento por
homologação de tributo do qual é contribuinte: o ISSQN. Ficou comprovado, no devido procedimento de
fiscalização, que a referida inexatidão ocorreu em razão de prática dolosa do sujeito passivo, que emitiu
documento fiscal consignando nele valor de prestação de serviço inferior ao valor efetivamente
pactuado com seus clientes. A prática infracional, que levou à sonegação parcial do tributo, ocorreu no
7 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
dia 03 de setembro de 2013. Considerando as informações acima e o disposto no Código Tributário
Nacional, é correto afirmar que o prazo

A) para homologação tácita do lançamento, pelo decurso do prazo quinquenal, será contado a partir da
data da ocorrência do fato gerador do tributo referido no enunciado.
B) prescricional para realização do lançamento, que é de cinco anos, será contado a partir da data da
ocorrência do fato gerador do tributo referido no enunciado.
C) para homologação tácita do lançamento, pelo decurso do prazo quinquenal, será contado a partir do
primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento puder ser efetuado.
D) decadencial para realização do lançamento, que é de cinco anos, será contado a partir do primeiro
dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento puder ser efetuado.
E) prescricional para realização do lançamento, que é de cinco anos, será contado a partir do primeiro
dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento puder ser efetuado.
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor de Controle Externo - Área Finalística Controle Externo / Questão:64

30.O Código Tributário Nacional, no Capítulo V do Título I do seu Livro II, trata das diversas modalidades
de responsabilidade tributária. De acordo com esse código,

A) os tutores e curadores respondem solidariamente pelos tributos devidos por seus tutelados ou
curatelados, nos atos em que intervierem ou não, ou pelas omissões de que forem responsáveis,
independentemente da possibilidade de exigência do cumprimento da obrigação principal pelo
contribuinte (“responsabilidade por sucessão”).
B) a pessoa jurídica de direito privado que resultar de fusão, transformação ou incorporação de outra
ou em outra é responsável pelos impostos devidos a partir da data do ato pelas pessoas jurídicas de
direito privado fusionadas, transformadas ou incorporadas (“responsabilidade a posteriori”).
C) o adquirente ou remitente é pessoalmente responsável pelos tributos relativos aos bens adquiridos
ou remidos (“responsabilidade por sucessão”).
D) a responsabilidade é pessoal ao agente quanto às infrações em cuja definição o dolo genérico do
agente seja elementar (“responsabilidade por sucessão”).
E) a responsabilidade é excluída pela denúncia espontânea da infração, acompanhada, se for o caso, do
pagamento do tributo devido, dos juros de mora, de multa de mora e de atualização monetária,
calculados até a data do pagamento (“denúncia espontânea ou autodenúncia”).
Fonte: FCC / 2015 / FCC Tribunal de Contas Municipal - GO / Auditor de Controle Externo - Área Finalística Jurídica / Questão:45

31.No processo de interpretação e integração da legislação tributária

A) é vedada a aplicação da analogia que amplie o aspecto material da hipótese de incidência, porque
em Direito Tributário vigora a regra da estrita legalidade.
B) não existe vedação legal expressa para aplicação da analogia, mas, ao contrário, é legalmente
admitida para o imposto sobre serviços de qualquer natureza − ISS, na interpretação do rol de serviços
tributáveis.
C) o uso da equidade é proibido expressamente no Código Tributário Nacional, diante da regra da
irretroatividade da lei tributária e do princípio da igualdade.
D) não existe uma ordem de preferência legal para aplicação de ferramentas de interpretação.
E) não se aplicam os princípios gerais de direito privado, tendo em vista que o Direito Tributário é ramo
do direito público.
Fonte: FCC / 2014 / FCC Câmara Municipal de São Paulo - SP / Procurador Legislativo / Questão:43

32.Considerando a capacidade tributária passiva,

A) o menor absolutamente incapaz não pode ser sujeito passivo da obrigação tributária, mas seu
representante legal o será na qualidade de responsável tributário.
B) o pródigo, interditado civilmente, pode ser sujeito passivo da obrigação tributária, mas não pode ser
considerado contribuinte, sendo seu curador o responsável tributário.
C) o menor relativamente incapaz pode ser sujeito passivo da obrigação tributária desde que seu
representante legal o tenha assistido na prática do fato gerador.
D) a pessoa jurídica, para ser contribuinte, depende de estar regularmente constituída, com inscrição
de seus atos constitutivos na junta comercial ou perante o ofício de registro civil das pessoas jurídicas.
E) o louco, interditado civilmente, pode ser sujeito passivo da obrigação tributária na qualidade de
contribuinte, mas seu curador é responsável solidariamente com o mesmo pelos atos em que intervier
ou pelas omissões de que for responsável.
Fonte: FCC / 2014 / FCC Câmara Municipal de São Paulo - SP / Procurador Legislativo / Questão:44

33.Relativamente aos tributos municipais, é correto afirmar que

A) o imposto sobre serviços de qualquer natureza − ISS deve ser aplicado em valor fixo anual para
todos os serviços.
8 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
B) a fixação da base de cálculo do imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana − IPTU não
se submete à anterioridade nonagesimal, embora tenha que se submeter à anterioridade anual.
C) é inconstitucional fixar para o imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana − IPTU a
mesma base de cálculo do imposto sobre a transmissão de bens imóveis por ato oneroso inter vivos −
ITBI.
D) o dinheiro arrecadado com os impostos municipais são receitas vinculadas às despesas que
estiverem previstas na Lei Orçamentária Anual, não podendo ser desviado para outro fim.
E) todos os impostos de competência do município podem ter alíquotas progressivas de acordo com a
base de cálculo.
Fonte: FCC / 2014 / FCC Câmara Municipal de São Paulo - SP / Procurador Legislativo / Questão:45

34.Sobre dívida ativa é correto afirmar que

A) todo crédito tributário não pago e vencido ingressa automaticamente na dívida ativa e já pode ser
decretada a penhora de bens do devedor.
B) após a inscrição do crédito tributário em dívida ativa não cabe mais o seu parcelamento, por serem
atos excludentes entre si, ou seja, a inscrição em dívida ativa decorre do não pagamento do débito, ao
passo que o parcelamento pressupõe que haverá pagamento.
C) a inscrição em dívida ativa depende de prévia previsão do débito na Lei Orçamentária Anual.
D) somente após a inscrição do crédito tributário em dívida ativa é que o mesmo se torna exigível
judicialmente.
E) inscrição do crédito tributário em dívida ativa é causa de interrupção do prazo prescricional de cinco
anos para cobrar o crédito tributário.
Fonte: FCC / 2014 / FCC Câmara Municipal de São Paulo - SP / Procurador Legislativo / Questão:46

35.A partir do conceito legal de tributo, é possível afirmar que a multa NÃO é espécie de tributo porque
o tributo

A) tem que ser instituído mediante lei, ao passo que a multa não se reveste desta obrigatoriedade.
B) é cobrado mediante atividade administrativa vinculada, enquanto a multa pode ser aplicada de
forma discricionária pelo poder público.
C) não é sanção por ato ilícito e a multa é sanção pecuniária por prática de ato ilícito.
D) é prestação pecuniária compulsória, ao passo que a aplicação da multa não é compulsória,
dependendo de condenação administrativa.
E) pode ser objeto de compensação, anistia e remissão, ao contrário da multa, que só pode ser objeto
de anistia.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:31

36.NÃO é competência municipal a instituição de

A) imposto sobre a transmissão de bens imóveis por ato inter vivos a título oneroso.
B) imposto sobre a propriedade territorial urbana.
C) contribuição social dos servidores municipais para custeio de regime previdenciário próprio.
D) contribuição de melhoria.
E) contribuição de interesse de categorias profissionais ou econômicas.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:32

37.Em virtude de imunidade, o Município NÃO pode instituir

A) impostos sobre patrimônio não relacionado com atividades essenciais dos templos de qualquer
culto.
B) imposto sobre a transmissão de bens ou direitos incorporados ao patrimônio de pessoa jurídica em
realização de capital.
C) taxa sobre serviço de coleta de lixo domiciliar prestado para a União relativamente a seus imóveis.
D) contribuição de melhoria por obra pública municipal que gere valorização imobiliária a imóveis de
domínio do Estado.
E) impostos sobre patrimônio, renda e serviços de empresas públicas exploradoras de atividade
econômica.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:33

38.Através de Resolução, o Senado Federal

A) disporá sobre conflito de competência, em matéria tributária, entre a União, os Estados, o Distrito
Federal e os Municípios.
B) fixará as alíquotas máximas e mínimas do imposto sobre serviços de qualquer natureza.
C) regulará a forma e as condições como isenções, incentivos e benefícios fiscais serão concedidos ou
revogados pelo Município em relação ao imposto sobre serviços de qualquer natureza.
9 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
D) fixará alíquotas mínimas do imposto sobre a propriedade de veículo automotor.
E) determinará medidas para que os consumidores sejam esclarecidos acerca dos impostos que
incidam sobre serviços.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:34

39.Ao instituir o imposto sobre serviços de qualquer natureza o Município elenca na lei o rol de serviços
tributáveis por este imposto. Tratando-se de serviço semelhante, mas não previsto expressamente
nesta lei, o Município

A) não poderá sofrer a incidência deste imposto porque é vedada a analogia que resulte na exigência
de tributo não previsto em lei.
B) poderá sofrer a incidência deste imposto em virtude da interpretação analógica, aplicável em casos
de equidade.
C) deverá sofrer incidência deste imposto por equidade, já que não se admite interpretação que resulte
na dispensa do pagamento de tributo devido.
D) está obrigado a tributar para evitar caracterização de renúncia de receita, desde que não altere o
conteúdo e o alcance dos conteúdos legais.
E) poderá sofrer a incidência deste imposto se o serviço não for objeto de tributação por imposto de
competência do Estado, pois neste caso caberá a aplicação da analogia.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:35

40.Contra um menor absolutamente incapaz foi lavrado um auto de infração e imposição de multa
constituindo crédito tributário relativo a negócio que o menor praticou sem estar devidamente
representado. Esta exigência tributária, em tese, está

A) errada, já que se trata de negócio juridicamente nulo.


B) correta, pois a validade jurídica dos atos efetivamente praticados e os efeitos dos fatos efetivamente
ocorridos são irrelevantes para a definição do fato gerador, não havendo impedimento, portanto, para
que o negócio celebrado seja fato gerador de tributo.
C) correta, desde que o negócio jurídico venha a ser ratificado pelo representante legal do menor, no
âmbito civil, hipótese em que será válido juridicamente.
D) errada, pois a lei tributária não pode alterar a definição e formas de direito privado, utilizados,
expressa ou implicitamente para definir ou limitar competências tributárias.
E) correta, pois a autoridade administrativa pode desconsiderar atos ou negócios jurídicos praticados
com a finalidade de dissimular a ocorrência do fato gerador do tributo ou a natureza dos elementos
constitutivos da obrigação tributária.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:36

41.A moratória

A) é causa de exclusão do crédito tributário.


B) é admitida apenas em caráter geral, em virtude do princípio da igualdade tributária.
C) deve ser concedida por lei do ente político competente para a instituição de tributo, significando
dilação do prazo para pagamento do crédito.
D) não comporta imposição de penalidade em caso de revogação por dolo ou simulação do beneficiado,
por apenas excluir o crédito tributário, que depois volta a ser exigível.
E) pode ser concedida pela União, quanto a tributos de competência dos Estados, do Distrito Federal ou
dos Municípios dentro de plano de incentivo socioeconômico de determinada região, não havendo
necessidade de concessão simultânea de isenção federal.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:37

42.O pagamento do crédito tributário I. não resta ilidido pela imposição de penalidade por
descumprimento da legislação tributária; II. relativamente à última parcela, importa em presunção de
pagamento quando parcial, das prestações anteriores em que se decomponha; III. por meio de cheque
somente extingue o mesmo se for ao portador, emitido pelo próprio devedor e da praça da sede do
ente tributante; IV. pode ser consignado extrajudicialmente em estabelecimento bancário oficial,
cabendo ao devedor notificar o ente tributante do depósito, que deverá ser recusado expressamente no
prazo de quinze dias, sob pena de aceitação e extinção definitiva do crédito; V. quando indevido, gera
ao sujeito passivo o direito à restituição, ainda quando o pagamento tenha se dado independentemente
de prévio protesto, desde que requerido administrativa ou judicialmente no prazo legal. É correto o que
se afirma SOMENTE em

A) I e V.
B) II e IV.
C) III e V.
D) I, III e V.
E) II, III e IV.
10 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:38

43.Sobre as causas de extinção do crédito tributário é correto afirmar que a

A) compensação de créditos tributários é admitida apenas com créditos de mesma natureza, devendo
lei do ente competente disciplinar as condições específicas para o caso, pois a autorização já vem pelo
Código Tributário Nacional.
B) transação enquanto causa de extinção do crédito tributário acontece no âmbito administrativo
perante a autoridade administrativa competente, estando autorizada diretamente pelo Código
Tributário Nacional.
C) anistia e a remissão extinguem o crédito tributário quando previstas em lei específica do ente
tributante e devem ser realizadas mediante despacho fundamentado de autoridade administrativa
competente, desde que o sujeito passivo preencha os requisitos da lei do ente político competente.
D) tutela antecipada em sede de ação anulatória de débito fiscal extingue o crédito tributário sob
condição suspensiva de ulterior confirmação em sede de decisão judicial irrecorrível.
E) dação em pagamento para extinção do crédito tributário pode ser feita na forma e condições
estabelecidas em lei.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:39

44.Segundo o Código Tributário Nacional, a denúncia espontânea

A) é causa de extinção do crédito tributário.


B) é uma forma de anistia do crédito tributário.
C) exclui a incidência dos juros de mora.
D) está afastada se realizada após início de procedimento de fiscalização.
E) alcança apenas a penalidade e não o crédito tributário.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:40

45.O Município possui autonomia para o exercício da sua competência tributária, inclusive para
concessão de isenção relativamente a seus tributos. Sobre este fato deve ser considerado que

A) a isenção enquanto causa de exclusão do crédito tributário depende unicamente da decisão política
municipal, bastando a lei municipal concessiva.
B) o Código Tributário Nacional foi derrogado pela Lei de Responsabilidade Fiscal relativamente à
disciplina da isenção, considerada atualmente renúncia de receita e não mais causa de exclusão do
crédito tributário.
C) a isenção é renúncia de receita e, como tal, além dos requisitos para sua concessão, previstos no
Código Tributário Nacional, deve também prever as exigências previstas na Lei de Responsabilidade
Fiscal quando for em caráter não geral.
D) a previsão da Lei de Responsabilidade Fiscal de exigência de medidas específicas para concessão de
isenção é inconstitucional por ferir a autonomia municipal e também dos demais entes federados.
E) a concessão de isenção deve vir prevista na lei orçamentária anual para poder ser efetivada,
devendo, portanto obediência à anualidade tributária.
Fonte: FCC / 2010 / FCC Prefeitura de Teresina - PI / Procurador Municipal / Questão:41

46.Considere: I. As contas anuais prestadas pelo Chefe do Poder Executivo. II. As contas dos
administradores da Administração Indireta. III. A legalidade dos atos de admissão de pessoal. O controle
exercido pelo Tribunal de Contas sobre I, II e III, respectivamente, possui natureza

A) opinativa, decisória e decisória.


B) decisória, decisória e decisória.
C) opinativa, opinativa e opinativa.
D) opinativa, opinativa e decisória.
E) decisória, decisória e opinativa.
Fonte: FCC / 2006 / FCC Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes - PE / Auditor de Tributos / Questão:31

47.Sobre discriminação de competências tributárias, é correto afirmar que

A) a União pode invadir as competências tributárias dos entes políticos, para instituir impostos
cumulativos, com fato gerador e base de cálculo já relacionados na Constituição Federal no exercício da
competência residual.
B) os Estados-membros podem conceder parcelamento, isenções e anistia de tributos municipais.
C) a União poderá instituir impostos extraordinários, compreendidos ou não em sua competência
tributária, na iminência ou no caso de guerra externa.
D) a União e os Estados-membros podem instituir contribuição de intervenção no domínio econômico.
11 de 12
https://questoes.grancursosonline.com.br
E) a União pode conceder isenções de caráter geral, em relação aos tributos municipais, distritais e
estaduais.
Fonte: FCC / 2006 / FCC Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes - PE / Auditor de Tributos / Questão:56

48.Por ato do Poder Executivo, poderá ser reduzida ou restabelecida a alíquota

A) da contribuição de melhoria, sem observar o princípio da anterioridade nonagesimal (noventena).


B) da contribuição de interesse das categorias profissionais ou econômicas, que não obedecerá ao
princípio da anterioridade e da legalidade.
C) do imposto sobre a renda, sem observar ao princípio da legalidade.
D) do imposto sobre propriedade territorial rural, sem observar o princípio da irretroatividade.
E) da contribuição de intervenção no domínio econômico sobre combustíveis, sem observar o princípio
da anterioridade.
Fonte: FCC / 2006 / FCC Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes - PE / Auditor de Tributos / Questão:57

49.Um Município do Estado de Pernambuco lançou Taxa de Fiscalização Sanitária em relação a um


prédio de propriedade da União Federal, localizado no referido município, onde funciona uma repartição
pública federal. Essa taxa é

A) indevida, pois o Município não pode fiscalizar a União Federal.


B) inconstitucional, em face da imunidade tributária da União Federal.
C) ilegal porque a União Federal é imune de taxas.
D) válida e a União Federal deve pagá-la, salvo se houver isenção por lei municipal.
E) ilegal, porque somente o Estado tem competência para criar taxas.
Fonte: FCC / 2006 / FCC Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes - PE / Auditor de Tributos / Questão:58

50.As resoluções do Senado são consideradas fontes primárias do Direito Tributário, porque, dentre
outras atribuições, poderá estabelecer

A) as alíquotas máximas e mínimas do imposto sobre serviços de qualquer natureza.


B) as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aplicáveis às operações e
prestações, interestaduais e de exportação.
C) as alíquotas máximas do imposto sobre propriedade de veículos automotores.
D) normas gerais em matéria tributária, definindo tributo e suas espécies.
E) as alíquotas mínimas do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou
Direitos (ITCMD).
Fonte: FCC / 2006 / FCC Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes - PE / Auditor de Tributos / Questão:59

Gabarito
1-c 2-b 3-b 4-a 5-d 6-b 7-d 8-a 9-a 10-a 11-b 12-a 13-e 14-a 15-b 16-b 17-d 18-b 19-e 20-c 21-e 22-a 23-
d 24-a 25-a 26-e 27-c 28-e 29-d 30-c 31-a 32-e 33-b 34-d 35-c 36-e 37-b 38-d 39-a 40-b 41-c 42-a 43-e
44-d 45-c 46-a 47-c 48-e 49-d 50-b

Atenção: Não deixe de lançar suas respostas no sistema. Só assim você conseguirá controlar as questões que já resolveu, mantendo o
seu histórico, e atualizar suas estatísticas, permitindo que você acompanhe sua evolução nos gráficos de desempenho.

12 de 12