Você está na página 1de 22

AULA 1

Unidade Curricular: Física das Construções

Docente: Msc. Nádia Farinha


TEMAS: Térmica dos edifícios
 Aspectos Introdutórios;
 Condições de conforto térmico;
 Critérios para estabelecer condições de conforto termo-
higrométrico;
 Aspectos Introdutórios
A sensação térmica de cada individuo reflete o equilíbrio térmico global do
corpo com o ambiente, sendo assegurado pelo sistema termorregulador do
corpo humano que ativa mecanismos de controlo para combater condições
de desconforto.
Conforto térmico é o estado mental que revela satisfação com o
ambiente térmico”, porquanto resulta da combinação de uma ampla
gama de parâmetros individuais e ambientais. Os parâmetros
individuais estão associados a condições específicas de cada indivíduo,
como o metabolismo, o trabalho realizado e o isolamento térmico do
vestuário. Desta maneira, para atingir o conforto térmico é necessário
proporcionar um ambiente confortável à maioria das pessoas que nele
permanecem, sendo que existem vários índices para determinar o nível
de conforto térmico.
O conforto térmico é reconhecido como não sendo um conceito exato,
que não implica uma temperatura exata. O conforto térmico depende de
fatores quantificáveis–temperatura do ar, velocidadedoar, humidade, etc.
e de fatores não quantificáveis–estado mental, hábitos, educação, etc.
Assim, as preferências de conforto das pessoas variam consoante a sua
aclimatização particular ao ambiente local.
Segundo a ASHRAE, Conforto Térmico é um estado de espírito que reflete a
satisfação com o ambiente térmico que envolve a pessoa. Se o balanço de
todas as trocas de calor a que está submetido o corpo for nulo e a temperatura
da pele e suor estiverem dentro de certos limites, pode-se dizer que o homem
sente ConfortoTérmico.

ASHRAE: American Society of Heating,


Refrigerating and Air Conditioning Engineers
 Formas de Trocas de calor
• Condução: a condução de calor dá-se entre dois corpos que estejam em
contacto, ou entre uma zona de um corpo para outra zona do mesmo corpo
e, é um mecanismo que envolve a transferencia de energía cinética de
moléculas a temperatura mais elevada para moléculas a temperatura mais
baixa. Uma barra metálica aquecida numa extremidade, rápidamente fica
quente na outra extremidade. A transferência de calor dá-se sem transporte
de matéria.
Convecção: na convecção, o calor transmite-se por partículas do meio, que
se movimentam de um local para outro. Ocorre com líquidos e gases.
Convecção natural (ou convecção livre) é a que acontece sem ação de
agentes externos. O movimiento dá-se pela diferença de temperatura entre
partículas. Na convecção forçada o movimento é provocado
predominantemente pela ação de agentes externos como ventiladores.
Radiação: é a transmissão de energia através do espaço. Este proceso de
transmissão do calor não depende da presença de um meio material,
podendo ocorrer através do vácuo. A energia solar, por exemplo, chega
até nós dessa forma. A energía transmitida deste modo é denominada
energía radiante e apresenta-se na forma de ondas eletromagnéticas,
assim como as ondas de rádio, as micro-ondas, a luz visível, a radiação
ultravioleta (UV), os raios X e os raios gama. A transferencia de calor por
radiação geralmente envolve a faixa do espectro conhecida por
infravermelhos. Qualquer objeto liberta energía radiante.
Objetos a uma maior temperatura libertam mais energia radiante que
objetos a uma menor temperatura.
O balanço térmico no corpo humano é função da energia produzida no
interior do corpo e das perdas térmicas para o exterior.
As trocas do corpo com o ambiente se dão por:
 Condução, através do contato com os elementos de contorno;
 Convecção e radiação, entre a superficie do corpo e superficies
envolventes;
 Respiração e evaporação (da superficie da pele).
Regulação térmica do corpo humano
O estado de neutralidade térmica depende fundamentalmente dos seguintes
fatores:
• Dependentes do ambiente:
Temperatura do ar;
Temperatura radiante média;
Velocidade do ar;
Humidade relativa do ar.
• Dependentes do tipo de ocupação:
Nível de atividade; Tipo de vestuário.
Ábaco psicrométrico simples
Critérios para estabelecer condições de conforto termo-higrométrico
Existem varios índices termo-higrométricos que procuram traduzir, através de
uma única variável, sendo que dois deles foram percursores, nomeadamente a
temperatura efetiva e a temperatura resultante.
Temperatura efetiva (ET) - fatores ambientais incluídos: temperatura,
humidade e velocidade do ar. É a temperatura uniforme de um compartimento
imaginário, no qual a velocidade do ar é nula, onde o ocupante troca a mesma
quantidade de calor sensível, que no ambiente considerado. Na temperatura
efetiva corrigida (CET) é ainda considerado o efeito da radiação térmica (das
superficies do contorno) – reações instantâneas.
Temperatura resultante (RT) – inclui a avaliação da temperatura, humidade,
velocidade do ar, temperatura resultante da radiação da envolvente.
Temperatura uniforme de um compartimento imaginário, a uma humidade
relativa de 50%, no qual o ocupante troca a mesma quantidade de calor, por
radiação, convecção e evaporação, que no ambiente considerado.
Nomogramas | Temperatura efetiva e Temperatura Resultante
θa – temperatura seca do ar
Hra – Humidade relativa do ar
θwb - Temperatura humida do ar
Va – Velocidade do ar
Exemplo de aplicação
Determine as temperaturas efetiva e resultante dos ambientes caracterizados
pelas seguintes condições de temperatura e humidade:

a)θa=25ºC; HRa=65%; Va=1m/s


b)θa=30ºC; HRa=68%; Va=1m/s
c)θa=35ºC; HRa=70%; Va=1m/s
1º: Determinar as temperaturas húmidas que correspondem à temperatura seca
e humidade do ar. Utilizar o diagrama psicrométrico:
2º: Utilizando a temperatura seca e a temperatura húmida, assim como a
velocidade do ar, e definir a temperatura efetiva (ET) e temperatura
resultante (RT).
Resposta:
a) ET=21ºC; RT=22ºC;
b) ET=26ºC; RT=27ºC;
c) ET=30,5ºC; RT=32ºC;
Obrigada pela atenção dispensada!

Você também pode gostar