Você está na página 1de 66

INICIAÇÃO AO

ESPORTE

Um Guia Prático para Animadores de


Atletismo para Crianças
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

“MINI-ATLETISMO IAAF”

- UMA ATIVIDADE DE EQUIPE PARA CRIANÇAS -

Primeira Edição: 2002


Charles Gozzolli ( FRA)
Elio Locatelli (IAAF)
Dieter Massin (GER)
Björn Wangemann (IAAF)

Segunda Edição 2006 revisada e alterada por: Charles Bozzoli (FRA);


Jamel Simohamed (IAAF); Abdel Malek El-Hebil (IAAF)

2
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Conteúdos

1. Introdução 06

2. Conceito do “Mini-Atletismo IAAF”

2.1 Objetivos
2.2 Principio de Equipe
2.3 Grupo por idade e programas de atividades
2.4 Materiais e equipamentos
2.5 Localização e duração

Instruções para Uso e Segurança

3. Provas

- Atividades para 7/8 anos de idade

3.1 Corrida de Velocidade / Corrida de Barreiras/Revezamentos


3.2 Corrida de “Resistência” de 8’
3.3 Fórmula Um
3.4 Salto Agachado pra Frente
3.5 Corrida de em Escada
3.6 Salto em Cruz
3.7 Salto com Corda
3.8 Salto Triplo dentro de uma área limitada
3.9 Lançamento de dardo para crianças
3.10 Lançamento ajoelhado
3.11 Lançamento em um alvo sobre uma barreira

- Atividades para 9-10 anos de idade

3.12 Corrida Progressiva de Resistência


3.13 Revezamento de Velocidade/Barreira/Slalom
3.14 Salto em Distância com Vara
3.15 Salto em Distância Exato
3.16 Lançamento Rotacional
3.17 Lançamento para Trás sobre a Cabeça

- Atividades para 11-12 anos de idade

3.18 “Fórmula em Curvas”: Corridas de Velocidade e Barreiras

3
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.19 “Fórmula em Curvas”: Revezamento de Velocidade


3.20 Corridas de Barreiras
3.21 Corrida de Resistência de 1000m
3.22 Lançamento do Dardo para Adolescentes
3.23 Lançamento do Disco para Adolescentes
3.24 Salto em Distância com Vara sobre uma Caixa de areia
3.25 Salto em Distância com Corrida Curta
3.26 Salto Triplo com Corrida Curta

4. Pontuação da atividade

4.1 Sistema de Pontuação


4.2 Pontuação das Provas de Corrida
4.3 Pontuação das Provas de Campo
4.4 Medição das Provas de Campo
4.5 Pontuação Final

5. Organização

5.1 Montagem
5.2 Formulários de Inscrição e Atividade
5.2.1 Formulário de Inscrição por Equipe
5.2.2 Formulários de Competição
5.3 Placar de Resultados
5.4 Identificação das Equipes / Layout do Local
5.5 Equipe/Staff Organizacional e Assistentes
5.6 Divulgação Oficial dos Resultados

6. Formulários e Tabelas

6.1 Lista de Equipamentos (9 equipes)


6.2 Organização dos locais de Provas
6.3 Formulários e documentos adicionais
6.4 Lista do Staff Organizacional

Anexos

1 – Rodízio dos Grupos nas competições do Mini Atletismo


2 – Segurança dos Participantes
3 – Amostra de Diploma

4
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

1. Introdução

Desde tempos imemoráveis, as crianças têm tido interesse em competir entre si e


em buscar comparar-se com outras. O Atletismo, com sua variedade de eventos,
proporciona uma excelente oportunidade para este tipo de interação entre pares.
Já que o Atletismo oferece uma ocasião especial para esse intercâmbio, os
responsáveis pelo nosso desporto tiveram a idéia de competições totalmente
apropriadas para crianças.

Na maioria das vezes, as competições de crianças neste esporte são um modelo


proporcional às competições de adultos. Esta padronização inadequada, que é
claramente contra as necessidades das crianças para um desenvolvimento
harmonioso. Leva também quase a um elitismo que é prejudicial à maioria das
crianças.

Após numerosas iniciativas de pesquisas e estudos sobre a situação atual, o


desafio da IAAF tem sido formular um novo conceito de Atletismo que é
unicamente trabalhado para desenvolver as necessidades das crianças.

Qualquer proposta nestas mesmas linhas devem constantemente levar em conta


(eventos, organização etc.) os seguintes requisitos:

⎯ Oferecer às crianças um Atletismo atraente


⎯ Oferecer às crianças um Atletismo acessível
⎯ Oferecer às crianças um Atletismo instrutivo

Além desses requisitos, o Projeto da IAAF deve absolutamente alcançar as


demandas dos organizadores da atividade, que é assegurar a sistemática
praticável das formas de atividade oferecidas.

No verão de 2001, o Grupo de Trabalho do “Mini-Atletismo da IAAF” tomou a


iniciativa e desenvolveu um conceito de evento para crianças que caracteriza uma
separação distinta do modelo adulto do Atletismo. O conceito foi a partir daí
entitulado “MINI-ATLETISMO DA IAAF” e é descrito nas demais páginas deste
documento.

Então, em 2005, a IAAF criou a política de atletismo global para Menores de 7 a


15 anos de idade. Esta política tem dois objetivos:

⎯ Tornar o Atletismo o esporte individual mais praticado nas escolas em todo


o mundo
⎯ Dar oportunidade a crianças de federações e outras a se prepararem para o
futuro no Atletismo de modo muito mais eficiente.

5
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Este avanço se baseia em m formas de atividade


e que são apropriadas a todas as
categorias de id dade e dass instituiçõe
es que implementamm este prog grama. Estas
competições são o as estruturas de organização para a prá
ática do Atletismo pelas
criançças – treina
amento de participante
p es, educaçã
ão dos técn
nicos, árbitrros etc.

2. Conceito
C o de “MINI-ATLETISMO IAA
AF”
O objetivo do “M
MINI-ATLET TISMO DA IAAF” é de espertar o interesse na
n prática do
d
s eventos e organiza
Atletissmo. Novos ação inovaddora darão condiçõess às crianças
descoobrir as attividades básicas:
b v
velocidade, corridas de resistêência, salto
os,
arrem
messos/lanççamentos eme qualquer lugar (e estádio, playground, ginásio, em
e
qualquer área disponível ao
o esporte etc.).
e

Os joogos de atlletismo darrão às cria


anças a op e de obter o maior dos
portunidade
beneffícios da prática
p do Atletismo, em termo os de Saúde, Educa ação e Autto-
Satisffação.

2.1 Objjetivos

Estess são os objetivos


o organizac
cionais do
o conceito de “MINI--ATLETISM
MO
IAAF””:

Que um gran
nde número
o de criançças possa estar ativo
o ao mesm
mo
mpo.
tem
Que possam ser experimentadas formas de movimento
os básicos e
va
ariados.
Que não só asa criançass mais forte es e velozes façam contribuiçõ
c es
pa
ara um bom m resultado..
Que as exigên ncias de ha
abilidades variem
v de acordo
a com
m a idade e o
req
quisito das capacidades coorden nativas.
Que se incremmente no prrograma um m espírito de
d aventuraa, oferecend
do
um
ma aproxim mação adequada do atletismo às crianças.
c
Que a estruturra e pontua
ação das attividades se
ejam simplees e basead
da
na
a ordem de posição da as equipes.
se de pouccos assisten
Que precis ntes e árbitros.
Que o atletissmo seja oferecido
o c
como uma a atividade de equipes
miistas (meninas e meniinos juntos)).

Os ob
bjetivos co
ontidos noss eventos do TLETISMO IAAF” são::
d “MINI-AT

Prommoção da saúde – Um dos principaisp o


objetivos d todas as
de a atividades
esporrtivas deve ser encoraajar as cria
anças a jog
gar e usar suas energ gias a fim de
d
prese
ervar sua saúde a lon ngo prazo. O Atletismmo é unicam mente desenhado pa ara
alcanççar este de
esafio por sua nature eza variada
a de práticca de ativid
dades e peela
forma
a física que sua prática
a requer.

6
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

A grande demanda das formas de jogos oferecida a crianças contribuirá para o


desenvolvimento geral e harmonioso.

Interação social – O “MINI-ATLETISMO DA IAAF” é um fator comprovado de


integração de crianças em uma experiência social. Os eventos por equipe, em que
todos contribuem para o jogo, são a oportunidade para que as crianças vivenciem
e aceitem suas diferenças. A simplicidade das regras e a natureza inofensiva dos
eventos oferecidos permitem às crianças desempenhar o papel de árbitros e
técnicos das equipes como um todo. Estas responsabilidades eles realmente
tomarão em momentos especiais quando eles puderem vivenciar a cidadania.

Caráter de aventura – Para serem estimuladas, as crianças precisarão perceber


que podem realmente vencer a prova em que tomarão parte. A fórmula escolhida
(equipe, provas, organização) planeja conduzir a atividade de forma imprevisível
até o última atividade. Este é um elemento que conduzirá a motivação das
crianças.

2.2 Princípio de Equipe

O trabalho em equipe é o princípio básico do “MINI-ATLETISMO IAAF”. Todos os


membros da equipe darão sua contribuição para os resultados, durante as provas
de corridas (revezamentos) ou como contribuições individuais para o resultado de
todas as equipes (em toda atividade). A participação individual contribui para o
resultado da equipe e reforça o conceito de que a participação de cada criança é
valorizada. Toda criança toma parte em todos os eventos que requer
especialização prévia. As equipes são mistas (compostas de até 5 meninas e 5
meninos, se possível)

2.3 Grupos de Idade e programas de atividades

O “MINI-ATLETISMO IAAF” ocorre com três grupos etários:

¾ Grupo I: crianças de 7 e 8 anos de idade.


¾ Grupo II: crianças de 9 e 10 anos de idade.
¾ Grupo III: crianças de 11 e 12 anos de idade.

¾ Todas as atividades do grupo I e II se desenvolvem como atividades de


equipes.
¾ Para o GRUPO III, as provas são realizadas como provas de revezamentos
ou individuais, nas quais os grupos que competirem serão compostos de
duas partes iguais de uma equipe. Para mudar de uma configuração de
equipe para uma configuração individual das competições de Menores, os
grupos que são compostos de vários membros a partir das duas equipes

7
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

são formados para competir. A organização desta mudança significativa é


simples.

¾ Todas as crianças têm que competir várias vezes em cada um dos grupos
de atividades.

¾ A prova é organizada de acordo com o princípio de turnos, de modo a que


todas as equipes retorne às fases de todos os eventos. Para cada fase,
cada membro da equipe tem 1 minuto para competir (10 crianças = 10
minutos). Após as disciplinas diferentes dos grupos de provas
(velocidade/corrida/barreiras, arremessos/lançamentos e saltos) serem
realizados, todas as equipes juntas tomam parte na atividade de
Resistência no final.

Propostas de novas provas para os três grupos etários 7/8, 9/10 e 11/12 anos

Estas propostas para cada categoria de idade são adaptáveis. As crianças podem
ser organizadas em diferentes grupos de eventos (para as categorias mais novas
em particular quando elas são iniciantes).

A série completa de eventos deve ser realizada durante os diferentes eventos que
são oferecidos às crianças. Programas adicionais de atividade garantirão que as
crianças experimentem todas as formas variadas de movimentos do atletismo e
que sejam beneficiadas por uma educação física compreensível.

8
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Grupo Etários (anos) 7-8 9-10 11-12

Provas de Corridas/Velocidade
Velocidade/Barreiras. Corrida em vai e vem – Zig-zag X X
Fórmula em Curva: Corrida de Velocidade e Barreiras X
Formula em Curva: Revezamento em Velocidade X
Velocidade / Slalom X X
Barreiras X
Formula Um (Velocidade – Barreiras e Corridas Slalom X X
Corrida de Resistência de 8 minutos X X
Corrida Progressiva de Resistência X X
Corrida de Resistência de 1000m X

Provas de Saltos
Salto em distância com vara X X
Salto em Distância com Vara em um buraco de areia X
Salto com Corda X
Salto Triplo com Corrida Curta X
Salto agachado para frente X X
Salto Cruzado X X X
Salto em Distância com Corrida Curta X
Corrida em escada X X
Salto Triplo dentro de área limitada X X X
Salto em distância exato X X

Grupo de provas de lançamentos e arremessos.


Tiro ao alvo X X
Lançamento de dardo para adolescentes X
Lançamento de dardo para crianças X X X
Lançamento ajoelhado X X X
Lançamento do Disco para teens X
Lançamento para trás sobre a cabeça X X
Lançamento rotacional X X

Total de provas recomendado 8 9 10

9
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

2.4 Materiais e equipamentos.

Em alguns casos, são necessárias peças especialmente desenvolvidas


para a realização do programa “MINI – ATLETISMO IAAF”. Este equipamento
pode ser armado facilmente, transportado sem nenhum problema e montado e
desmontado rapidamente.

Se este equipamento não puder ser obtido por qualquer razão, o programa poderá
será realizado com materiais locais produzidos manualmente. O critério mais
importante que prevalece é que as propriedades e características dos materiais
definidos para o programa Mini Atletismo da IAAF sejam respeitadas.

2.5 Espaço e duração.

Os requisitos de espaço para realização do “MINI ATLETISMO IAAF” são


simples. Uma área plana (por exemplo, piso natural, grama ou asfalto de 60m x
40m) é suficiente.

A atividade se desenvolve dentro de um limite de tempo definido e uma


estrutura mínima. Especificamente, todo a atividade (= 9 equipes com 10 membros
cada) pode ser realizada em cerca de 2 horas, incluindo a distribuição oficial dos
resultados.

Dentro deste programa principal, eventos mais curtos podem ser conduzidos com
a combinação de 6 equipes e 7 provas (3 eventos de corridas, 2 de saltos e 2 de
arremessos). Neste caso, a duração da atividade não poderá ser superior a
1h15m, incluindo a cerimônia de premiação.

Instruções para Uso e Segurança

Os vários eventos são direcionados a uma categoria de idade específica. Eles são
apropriados para os grupos etários definidos no presente documento como uma prioridade.
Entretanto, animadores e líderes jovens têm que avaliar o nível real das crianças e estarem
em condições de oferecer-lhes as atividades mais apropriadas. Pode-se levar em
consideração, realizar uma primeira atividade com iniciantes de 9/10 anos de idade em
eventos destinados a categorias mais novas (7/8 anos de idade).

Esta proposta é válida para todas as categorias.

Em qualquer caso, é fortemente recomendado uma ampla gama de eventos em categorias


de idade, com eventos para as categorias mais jovens.
E.g: “Formula Um”, Salto Cruzado, Lançamento Ajoelhado pode ser proposto para a idade
de 9/10 anos, etc.

10
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3. Provas

– Atividades para 7/8 anos de idade –


3.1 Revezamento de Velocidade/Barreiras
Breve descrição: Revezamento combinado de corridas de velocidade e barreiras

Figura

Procedimento.

O equipamento é instalado conforme a figura acima. Duas raias são necessárias


para cada equipe: uma raia com barreiras e a outra sem barreiras. A primeira
distância é a distância da barreira e então os membros da equipe correm a
distância de velocidade como um revezamento normal. A prova é completada uma
vez que toda equipe tenha corrido tanto a distância de velocidade como a de
barreira. O revezamento é conduzido de forma que a troca seja feita com a mão
esquerda.

Pontuação
O ranking é avaliado de acordo com o tempo: a equipe vencedora será a que
tenha obtido o melhor tempo. As equipes seguintes são ranqueadas de acordo
com os seus tempos de chegada.

11
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Assis
stentes

Para uma orgaanização efficiente, se


e requer de
e um assisstente por equipe. Essta
pesso
oa tem as seguintes
s ob
brigações:

¾ Controlar o curso reg


gular da atividade.
¾ Tomar o tempo.
t
¾ Marcar a pontuação e registrar na súmulaa da atividad
de.

3.2 Corrida de
d “Resistê ência” de 8’
8
Breve
e descriçãoo: Corrida de
d 8 minutoos usando um
u percursso de cerca de 150m.

Figurra

Proce
edimento

Cada equipe temm que correer em um percurso de 150m (ve er figura accima) a parrtir
de umm determinnado pontoo. Cada membro da equipe ten nta correr em volta do d
percurso quanta ossível em 8 minutos. O comando de partida é dado
as vezes po oa
todas as equipess ao mesmo tempo (com a utiliza
ação de um
m apito ou por
p um tiro ded
pistola
a etc.).

Cada membro da equipe la arga com um cartão (b bola, pedaçço de papel, um pedaço
de ma
adeira, ou similar)
s que
e ele/ela tem
m que passsar para seu
u/sua equip
pe após cad
da

12
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

rodadda de um peercurso serr completad


da, e antes de iniciar novamente,
n ele/ela peg
ga
um no ovo cartão ou similar e assim po
or diante. Após
A 7 minnutos, o últiimo minutooé
anuncciado por outro
o apito ou
o tiro de pistola.
p Apó
ós 8 minuto os, um sinal final é daddo
indica
ando a concclusão da corrida.
c

Pontu
uação

Após ter terminaado o percu


urso, todoss os particip
pantes entrregam seuss cartões ao
os
assisttentes que então conntarão os pontos.
p So
omente rod dadas comp pletadas sãão
contadas; aquelaas que não
o completare em serão iggnoradas.

Assis
stentes

Para a organizaç ção eficientte da ativid


dade, pelo menos
m doiss assistente
es por equippe
serãoo necessário os. Eles se
erão respon nsáveis pela designaçção da linhaa de largadda,
assimm como parra manusear, coletar e contar os o cartões. Eles tamb bém deverã ão
registrar os ponttos na súmu ula da atividdade. Além
m disso, uma pessoa para
p a partid
da
é requ uerido para
a a cronom metragem e para dar outros
o sinais (último minuto
m e sin
nal
final).

3.3 Fórmula Um
Brevee descriçã ão: Revezzamento co omo uma combinaçã ão de corrridas rasa
as,
barreiiras e slalom
m-velocidade ou zig-zzag e outrass variaçõess pertinente
es.

Figurra

13
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Procedimento

A distância é de cerca de 60m ou 80m de comprimento e é dividida em uma área


para cada uma das corridas planas, corridas sobre barreiras e para corridas de
velocidade em torno de postes de slalom (ver figura). Uma argola flexível é
utilizada como o bastão de revezamento. Cada participante tem que iniciar com
uma cambalhota em um colchonete, ou outra variação.
“Fórmula Um” é uma atividade de equipe em que cada membro de equipe tem
que completar todo o percurso. Podem competir até seis equipes ao mesmo
tempo em um percurso.

Pontuação

O ranking é avaliado de acordo com o tempo: a equipe vencedora é aquela com o


melhor tempo. As equipes seguintes são ranqueadas de acordo com seus tempos
de chegada.

Assistentes

Para cada uma das áreas (barreiras, zig-zag) pelo menos dois assistentes são
necessários para montar o equipamento apropriadamente. Além dos atendentes
das equipes, dois assistentes adicionais são solicitados para servir como árbitros
nas zonas de passagem do bastão.

Uma pessoa também é necessária para dar a largada.

Finalmente, é necessário ter cronometristas na mesma proporção de equipes que


estejam participando da atividade. Os cronometristas também são responsáveis
pelo registro dos pontos nas súmulas da atividade.

14
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

3.4 Saltos em
m Agacham mento paraa Frente
Breve
e descrição m dois pés para frente
o: Saltos em e, a partir da
d posição de
d
agach
hamento

Figurra

edimento
Proce

A pa artir de uma
u linha de larga ada, os participante
p es realizam m um salto
rã(aga achado),umm após outrro (salto paarado: salto
o com os do ois pés juntos e joelhos
flexionnados) O primeiro pa articipante da equipe e permanecce com ass pontas do os
dedoss na linha de
d largada. Ele/ela enttão se agaccha e salta pra frente o mais long ge
possívvel, aterrissando comm os dois pés.
p O asssistente ma arca o pon nto de qued da
mais próximo da a linha de largada
l sen
ndo marcad da a parte do corpo que
q fica ma ais
perto da linha de largada. O ponto de d queda, por
p seu turrno, torna-sse a linha de d
largadda do segu undo saltaddor da equipe, que re ealiza seu salto rã a partir dali. O
terceiro membro o da equipee a partir do
o ponto do segundo
s e assim suce essivamentte.
A ativvidade term
mina quando o o último membro
m daa equipe tivver saltado e o ponto de
d
queda a tenha sidoo marcado..

O pro
ocedimento total é repe
etido uma segunda
s ve
ez (segunda
a tentativa)

uação
Pontu

Cada membro de equipe compete. A distânccia total de e todos oss saltos é o


resultado da equuipe.
A ponntuação da equipe é baseada no melhor ressultado de duas
d tentativas.
A med strada em intervalos de
dida é regis d 1 cm.

stentes
Assis

Um asssistente por equipe é requerido para esta atividade


a e ela/ele tem
m que:
ular os proccedimentoss (linha de largada, queda)
- conttrolar e regu

15
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

dir a distânc
- Med cia total de cada tentattiva
- Registrar os po
ontos na súmula da atividade.

3.5 Corrida em
e Escada a
Breve
e descriçãoo: Corrida de
d ida e volta em uma
a escada

Figura
a

Proceedimento
Entre dois con nes marca adores em m uma disstância de e 9,5m afastado, um u
coordenador de escada é posicionad do no chão o a uma distância
d ig
gual entre os
coness (Ver figurra acima). Na largada a o participante perma anece em uma posiçã ão
de paassada (pos sição de larrgada) com
m a ponta de e seu pé naa linha de la
argada queeé
o níve
el com o primeiro cone e. Após o comando
c de
e largada, o participannte corre pa
ara
a escada, pula/c corre atravé
és da escad da (distância entre os degraus: 50cm)
5 o ma
ais
rápido
o possível e corre até o segundo o cone. Apóós ter tocad
do o cone com sua mã ão,
o partticipante vira rapidam
mente e corrre de volta pela escada até o prrimeiro con ne.
Quando tocar es ste cone o cronometris
c sta para o relógio.
r

Se o participantte deixar uma


u área da
d escada ou saltar foraf dela, a distância é
aumeentada em 1m pelo assistente e, no resppectivo con ne mais próximo
p (u
um
assisttente é pos
sicionado em cada cone). Neste modo o pa articipante é penalizaddo
por te
er corrido uma distância mais longa se a tarefa não tiver siido realizad da
aprop
priadamente e. Se dois erros
e forem
m cometidoss, a distânccia é aumen ntada em 2m
2
e assim sucessivvamente.

16
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Pontu
uação
A mellhor tentativ
va é registrada dentre dois.

Assisstentes
Para organizaçã ão eficientee nesta ativvidade, doiss assistente
es são requ
ueridos. Eles
terão as seguintees atribuiçõ
ões:
- Dar largada a atividade
a
- Controlar e reg
gular a ativid
dade
- Cron
nometrar o tempo
- Registrar os resultados naa súmula da a atividade.

3.6 Rebotes cruzados


Breve
e descrição
o: Saltos co
om os dois pés com mudança
m de
e direção.

Figurra

Proce
edimento

A parttir do centro
o da cruz de
d salto, o participante
p e salta para frente, parra trás e para
os lad
dos. Especiificamente, o ponto de e partida é o centro daa cruz para frente, entã ão
salta para trás para o centro, logo paraa a direita e novamente de volta para o
o; em seguida para a esquerda
centro e e novamentte volta para o centro; e,
finalm
mente, para trás novam mente e parra o centro..

17
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Pontu
uação

Cada membro da equipe te em 15 segundos de tempos de te entativa em que deve


levar a cabo tanttos saltos em
e dois péss seja possível. Cada quadro (fre ente, centro
o,
amboos os lados, atrás) é marcado
m comm um ponto o, de modo que em um ma volta
pode--se obter um
m máximo de d 8 pontoss. Das duass tentativass considera
a-se a de
maiorr pontuaçãoo.

Assis
stentes

Para esta
e ativida
ade se requ
uer um assistente por equipe com
m as seguin
ntes
obriga
ações:

- Dar a ordem de e partida


- Controlar e reg
gular o proccedimento
- Controlar o tem
mpo e conta ar o número
o de saltos
- Registrar a pon
ntuação na súmula da atividade

3.7 Salto com


m corda
Breve
e descrição
o: Pular corda (15 se
egundos)

Figurra

18
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Procedimento.

O participante se coloca com os pés paralelos na posição de saída segurando a


corda de salto atrás de seu corpo com ambas as mãos. Quando se dá a ordem, a
corda se leva para adiante da cabeça e para baixo à frente do corpo e o praticante
salta sobre esta. Este processo cíclico se repete tantas vezes seja possível em 15
segundos. Esta atividade está destinado exclusivamente ao grupo de idades I. As
crianças devem saltar com ambos os pés. Cada criança tem direito a duas
tentativas.

Pontuação.

Cada membro da equipe participa. Conta-se cada toque da corda sobre o chão.
O melhor resultado de cada membro de equipe se considera para a pontuação
final da equipe.

Assistentes.

Para uma eficiente organização desta atividade se requer de um assistente que


tem as seguintes obrigações.

™ Começar a atividade.
™ Regular os saltos e assegurar-se de que se realizem em forma correta.
™ Controlar o tempo.
™ Marcar a pontuação e registrar na súmula da atividade.

3.8 Salto Triplo dentro de uma área limitada


Breve descrição: Salto Triplo completado dentro de uma área limitada

Figura

19
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

A graade pode ser confe eccionada com tinta ou corda as; tambémm pode ser
s
substituída por aros: os pontos
p sãoo medidos a partir do
o centro de cada áre
ea
delimitada ou a partir
p do ce
entro de cad
da arco.

Proceedimentos
O parrticipante seleciona
s uma área de d Salto Trriplo adapta ada ao seuu nível. Apó
ós
efetuaar uma corrrida de impulsão de 5m m no máximmo, ele/ela completa um
u pulo, umma
passaada e salto o. A melhor de dua as tentativa
as é pontu uada. Cadaa pontuaçã ão
registrada e o melhor resulttado é retid
do para o to
otal da equipe.
Para as idades 7/8 anos, a atividade precisa se er realizadaa dentro de
e duas linhas
definid
das. Áreass de salto (tabela de pontos): 1m = 1 pon nto, 1,25m = 2 ponto os,
1,50mm = 3 pontoos.
Para as idades 9/10 anoss, a ativida ade poderá á ser realizzado em qualquer áre ea
seleciionada. Áreeas de salto (tabela de pontoss): 1,50m = 1 ponto, 1,80m = 2
pontoos, 2,15m = 3 pontos.

Pontuuação
O ran
nking é baseeado em re esultados: a equipe ve encedora se erá aquela com o maiior
númeero de pontoos. As demmais equipe es serão ran nqueadas de d acordo com
c a orde
em
de se
eus resultaddos. Os po ontos são concedidoss de acord do com o procedimen
p nto
regula
ar (9 equipe
es: 1º lugarr – 9 pontoss, 2º. Lugarr = 8 pontoss, etc.).

Assis stentes
Para a organizaç ção eficaz desta
d ativid
dade um asssistente é necessário
o. Ele/ela te
erá
as seg guintes atriibuições:
- conttrolar o curs
so regular da
d atividadee
- tomaar nota dos s resultadoss
- Classsificar e an
notar os ponntos na súmmula da ativvidade.

3.9 Lançameento do Darrdo para Crianças


C
Brevee descriçã
ão: Lançam
mento à distância coom um bra
aço; com dardos
d pa
ara
crianç
ças.

Figurra

20
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Procedimento.

O lançamento de dardo para crianças se realiza em uma área de 5m. Logo após
uma breve corrida de aproximação, o participante lança o dardo para a zona de
lançamento da linha limite (grupos por idades I e II lançam dardos leves, enquanto
que os do grupo III lançam dardos turbo (TURBO-JAV). Cada participante tem
duas tentativas.

Nota de segurança: Já que a segurança é vital na atividade de lançamento de


dardo para crianças, só se permite a presença dos assistentes na área de queda.
Está estritamente proibido lançar o dardo de volta para a área de lançamento.

Pontuação.

Cada lançamento se mede a 90º (ângulo reto) da linha de falta e se registra a


intervalo de 20cm (tomando-se o número maior quando a queda seja entre as
linhas). O melhor dos dois lançamentos de cada membro da equipe se considera
para a pontuação final.

Assistentes.

Esta atividade requer dois assistentes por equipe com as seguintes obrigações:

™ Controlar e regular o procedimento.


™ Avaliar a distância de queda do dardo (medição a 90o da linha de falta).
™ Levar o dardo de volta a área de lançamento.
™ Fazer a leitura da medição e registrar na súmula da atividade.

21
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

3.10 Lançame
ento Ajoelh
hado

Breve
e descriçãoo: Lançame
ento de me
edicine Ball à distância
a, com duass mãos, em
m
uma posição
p ajo
oelhada.

Figurra

edimento.
Proce

O pa
articipante ajoelha-se no colchonnete (ou ou utro tipo de superfície mole) send
do
que à frente de eve haver objeto
o molee elevado (por exem mplo, um co olchonete de
d
espumma ou de salto).
s O participante
p reclina-se para trás (tencionado o corpo)) e
lança a bola (1 kg) a maioor distância, utilizando
o ambas ass mãos sob bre a cabeçça.
Depois do lançamento o pa articipante pode cair para
p frente sobre o colchonete qu
ue
coloca
ado para prroteção.

Nota sobre na a segurannça: A bolla nunca deve ser lançada de d volta ao os


participantes. Ac
conselha-se
e que se levve de volta
a ou se faça
a rolar para
a o setor pa
ara
o próxximo lançad
dor.

uação.
Pontu

a participante tem du
Cada uas tentativvas. A med
dição se re
egistra em intervalos de
d
20cm (tomando o número maior qua ando a que
eda seja entre as linh 9 o
has) e a 90

22
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

ulo reto) da
(ângu a linha limitte. A melhor das dua
as tentativa
as de cada
a membro da
d
equipe é a que se
s considerra para na pontuação
p f
final.

Assis
stentes.

Esta
a atividade requer
r doiss assistente
es por equip
pe com as seguintes
s o
obrigações:
:

™ Controlar e regular o procedime


ento.
™ Avaliar a distância de queda da
a bola (meddição a 90o da linha lim
mite).
™ Levar o fa
azer rodar a bola nova
amente à lin
nha limite.
™ Levar a pontuação e registrá-lo
o na súmulaa da atividade.

3.11 Lançame
ento ao alvo sobre um
ma barreira
a.

Breve
e descrição
o: Lançame
ento ao alvvo com um braço

Figurra

edimento.
Proce

O laançamento ao alvo é realizado a partir de e uma área a de 5m. Uma


U barreiira
vertica
al é colocada a uma altura
a de 2,,5m, com a área alvo colocada no
n chão 2,5 5m
após a barreira (ver figura acima). O objeto dessignado é laançado ao alvo sobre ea
barreiira quando o participante arreme
essa a partirr de uma de
eterminadaa distância da
d
barreiira. Quatro linhas de arremessos necessita am ser marcadas: 5m m, 6m, 7m ou o
8m de distância a da barreira alta. Caada particip
pante tem direito
d a trrês tentativas

23
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

para alcançar o alvo com o objeto do lançamento. Em cada tentativa, um


participante pode escolher arremessar de qualquer uma das quatro linhas;
potencialmente mais pontos podem ser ganhos de acordo com a elevação da
distância da barreira.

Pontuação
Se o objeto cair na zona do alvo ou ao menos sobre suas bordas, considera-se
como uma tentativa válida. Os pontos se registram por cada acerto (lançamentos
desde os 5m = 2 pontos, 6m = 3pontos, 7m = 4 pontos, 8m = 5 pontos). Se o
objeto é lançado sobre o sarrafo, mas não acerta o alvo, se considera um ponto.
Cada participante tem três tentativas, a soma destes se considera para a
pontuação final da equipe.

Assistentes.

Para organizar esta atividade se requer um assistente com as seguintes


obrigações

™ Controlar e regular o procedimento da atividade (distância de lançamento e


acertos).
™ Marcar a pontuação e registrar na súmula da atividade.

24
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

– Atividades para 9/10 anos de idade –


3.12 Corrida Progressiva de Resistência
Breve descrição: Corrida longa em uma distância pequena marcada em
velocidade progressiva.

Figura

Portão fechado: 5’ de acordo com o planejamento da atividade

Procedimento

Cada membro da equipe tem que correr em volta todo o percurso de cerca de
100m e sempre que possível em uma passada progressiva (ver figura acima e as
tabelas de Velocidade/Tempo abaixo). Cada rodada completada em um percurso
marca um ponto para a equipe. Todas as rodadas completadas por todos os
membros da equipe são registradas.

25
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Pontuação

O resultado da equipe é baseado no total de rodadas individuais realizadas pela


equipe.

Assistentes

Pelo menos 4 assistentes por equipe são necessários para organizar esta
atividade. Um será responsável pela Tabela Velocidade/Tempo, um para o
“abrir/fechar o portão” e os outros cuidarão das voltas completadas e o registro na
súmula da atividade.

Instruções de uso

Desenhando uma Tabela da Corrida, abrindo o portão 5´ nos intervalos de tempo


para a corrida

Tabela de Velocidade Exemplo de Tabelas

Corrida Corrida
Velocidad Tempo Abertura Abertura
Velocidad Velocidad
e Km/h Seg./100m do Portão do portão
e/Volta e/Volta
8km/h 45” 12km/h 30 sec. 10km/h 36 sec.
9km/h 40” 12km/h 1:00 10km/h 1:12
10km/h 36” 13km/h 1:27 11km/h 1:45
11km/h 33” 13km/h 1:54 11km/h 2:18
12km/h 30 14km/h 2:19 12km/h 2:48
13km/h 27 14km/h 2:44 12km/h 3:18
14km/h 25 15km/h 3:07 13km/h 3:45
15km/h 23 15km/h 3:30 13km/h 4:12
16km/h 22 16km/h 3:52 14km/h 4:37
17km/h 21 16km/h 4:14 14km/h 5:02
18km/h 20 17km/h 4:35 15km/h 5:25
19km/h 19 18km/h 4:55 15km/h 5:48
20km/h 18 19km/h 5:14 16km/h 6:10

NB: Estas tabelas são apresentadas como um exemplo: de 10 a 19km/h


O tempo para uma distância de 100m é completada para tornar as coisas mais
fáceis.
Os participantes correm duas voltas em cada velocidade de passada, exceto para
o sprint final no término da corrida. De acordo com o nível das crianças, os
animadores escolherão a fórmula de corrida apropriada. A pontuação será
baseada no número de voltas completadas (1 ponto por volta).

26
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

3.13 Corrida de
d velocidaade – barre
eiras e slalom – pista
a.
Brevee descrição mento com combinaçã
o: Revezam ão de corrid
da rasa, ba
arreiras e ziig-
zag.

Figurra

Proce
edimento.

A esttação é orrganizada conforme indicado na n figura acima.


a Duaas raias sãão
necesssárias paraa cada equuipe: uma raia
r com baarreiras e a outra semm barreiras. A
prime
eira distância é a distâ
ância da ba
arreira combinada com m os postes de zig-zaag,
então
o os memb bros da equipe corrrerão a disstância de velocidad de como um u
Revezzamento reegular.
A ativvidade é coompletada uma vez que cada membro da equipe tenha t corrid
do
tanto as distâncias rasas quanto
q as distâncias
d c
com zig-zag
g/barreiras.. Uma argo
ola
maciaa (bastão de
d revezam mento) é carregada na a mão esqu uerda e passsada à mã ão
esqueerda do corrredor que recebe
r cada vez.

Pontu
uação.

O raanking é avvaliado seg gundo o teempo: a eqquipe venceedora é a que obtenh ha


meno or tempo no
o percurso total. As seguintes eq quipes se classificarã
c ão segundo oa
ordemm de tempoo. Se houveer menos eq quipes de diferentes
d g
grupos de id
dades do quue
raias disponíveis
s, a classifficação será de acord
do com a colocação
c f
final de cad
da
equipe.

27
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Assis
stentes.

a uma orga
Para anização eficiente,
e é necessário
o um assisstente por equipe. Essta
pesso
oa tem as seguintes
s ta
arefas:

- Controlar e reg
gular o dese
enrolar da atividade.
a
- Tom
mar o tempo o.
- Marccar a pontu
uação e reggistrar os po
ontos na sú
úmula da attividade.

3.14 Salto em Distância com vara


Breve
e descrição
o: Salto em
m distância utilizando uma
u vara

edimento.
Proce

A parrtir de uma área de approximação o de 5m ( a linha de sa


aída sendo marcada por
p
um coone ou mas stro) o participante co eção a um buraco/pne
orre em dire eu/colchão. A
impulssão deve reealizar-se com
c uma perna (saltadores destrros devem pegar a vaara
com a mão direita acima). Fixando a varav no solo, o saltad
dor deverá ir
i em direçã
ão
ao ob
bjetivo (colc
chonete ou pneus).

Os objetivos se distribuem
m conforme a figura accima, o prim
meiro objeto alvo send
do
colocaado a 1 metro da ma arca. Reco
omenda-se não deixar cair a va ara durante o
salto. A vara não
o pode ser maior que 2m.
2

28
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Pontuação.

Cada participante tem duas tentativas. Se o participante cai dentro do objetivo 1


correspondem 2 pontos; se a queda ocorre dentro do objetivo 2 correspondem 3
pontos; e assim por diante (objetivo 3 (= 4 pontos), objetivo 4 (= 5 pontos) e
objetivo 5 (= 6 pontos). Quando ao cair, toca na borda do colchonete ou pneu, o
salto considera-se “válido”. Se ao cair, uma das pernas fica dentro do colchonete
ou pneu e a outra fora, se desconta um ponto. Para esta atividade, as crianças
terão direito a três tentativas. Os árbitros precisam avisar aos participantes dessas
regras.

Assistentes.

Para esse evento se requer um assistente quem tem as seguintes obrigações:

™ Controlar a altura e amplitude da empunhadura.


™ Controlar a correta impulsão.
™ Marcar a pontuação e registrar na súmula da atividade.

3.15 Salto em Distância Exato


Breve descrição: Corrida de aproximação de salto reduzida para distância com
requerimentos de precisão.

Figura

29
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Procedimentos

A partir de uma área de corrida de aproximação até 10m, no máximo, os


participantes completam um salto em distância com requerimentos relativos à
precisão da impulsão na saída e a queda.

Os pontos são registrados como se seguem (as várias áreas são definidas
previamente).
- área de queda : os pontos são dados de acordo com o alvo alcançado em uma
posição instável (área no. 3 = 3 pontos).

- se cair com os dois pés em uma posição de pé, 1 ponto adicional é concedido

- se uma impulsão precisa for dada: + 2 pontos = na área de impulsão


+ 1 ponto = em áreas definidas +/- 10cm
0 ponto = fora da área de impulsão

Pontuação

Cada membro da equipe terá três tentativas. Cada ponto é registrado. O melhor
resultado de cada membro da equipe é contato para o total da equipe.

Assistentes

Um assistente por equipe é requerido para esta atividade. A pessoa tem que:
• Controlar a precisão do impulso
• Controlar a precisão da queda
• Contar os pontos de cada participante
• Contar e registrar os pontos na súmula da atividade.

30
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

3.16 Lan
nçamento Rotacionaal
Brevee descrição mentos a alvos variado
o: Lançam os, com mo
ovimento ro
otacional.

Figurra

Proce
edimento.

A área completa a entre duaas traves(ouu entre doiss postes dee gol de futebol) dividde-
se emm três zonaas de igual medida: zona
z esqueerda, centra al e direita.. Partindo da
d
posiçã
ão lateral parada
p e nu
uma distânccia de 5m frrente à zonna central, o participannte
lança uma bola (ou objeto similar) de lado com o braço estendido, pa ara a rede ou
o
trave de futebol (de modo o similar ao
o lançamen nto do disco ou voleio o de lado ded
uma raquete
r dee tênis). Ca
ada particip
pante tem duas
d tentattivas de lannçar o objeeto
atravé
és da zon na que me elhor correesponda a seu braço o de lanççamento (p por
exemplo: um lan nçador canhhoto tentará
á lançar o objeto
o para na zona essquerda).

Pontu
uação.

Se o participante destro laança o obje


eto atravéss da zona direita
d obte
erá 3 pontoos.
Serãoo registrado
os 2 pontoss para lança
amentos attravés da zona
z centra
al e 1 ponto

registrado para lançamento
l os através da
d zona essquerda. See a extremid dade de umma
área for
f atingida a, o maior ponto
p é concedido. Para lançadorres canhotoos, os pontos
são re n seqüênccia reversa.
egistrados na

Se um m lançadorr não acerttar a zona de objetivvo (ao ladoo, acima ouu abaixo) ou
o
ultrap
passa a linh
ha limite, te
em direito a um lançam
mento extra
a para obte
er pontuaçã
ão.
O me elhor das duas
d tentativas de ca ada membro da equip pe se conssidera para a
pontuação final.

31
M
MINI-ATL
LETISMO IAAF / CBAt
CB - Guia
ia Prático

Assis
stentes.

Esta atividade requer dois assistentess por equip


pe com as seguintes
s obrigações:

™ Controlar e regular o procedimeento.


™ Levar ou fazer
f rolar a bola nova
amente à linha limite.
™ Marcar a pontuação e registrar na súmulaa da atividad de.

3.17 Lançame ento para trras


Breve
e descrição
o: Lançameento do me
edicine ball à distância
a, para trás..

Figurra

edimento.
Proce

O paarticipante coloca-se com as pernas


p para
alelos, calccanhares sobre
s a linh
ha
limite e de costaas para a área
á de que eda. Colocca-se a bola a abaixo oss joelhos e a
frente
e do corpo com
c ambass as mãos e braços esstendido. O participantte flexiona os
joelhoos (para contrair os músculos da as coxas) e rapidamen nte estende e as pernass e
os braaços para lançar
l a bo
ola para trás sobre a cabeça,
c a maior
m distância possívvel
na áreea de qued da. Depois do lançam mento o participante pode
p pisar a linha limite
(ou seeja, passadda de costas). Cada pa articipante tem
t duas teentativas.

32
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Pontuação.

A medição se registra a um ângulo de 90º (ângulo reto) da linha limite e


registrada em intervalos de 20cm (tomando o número maior quando o medicine
ball cai entre os intervalos). A melhor das duas tentativas de cada membro é a que
se considera para o total da equipe.

Assistentes.

Esta atividade requer dois assistentes por equipe com as seguintes obrigações:

™ Controlar e regular o procedimento.


™ Avaliar a distância de queda da bola (medição a 90o da linha limite) e levar
a bola de volta.
™ Marcar a pontuação e registrar na súmula da atividade.

33
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

– Atividades para 11/12 anos de idade –


3.18 Fórmula em curva: Corridas de Velocidade/Barreiras

Breve descrição: Revezamento combinado de velocidade e barreiras canto ou


curvas.

Figura

Procedimento

São necessárias duas raias para cada equipe: uma sendo a perna de
passagem/velocidade e a outra sendo a 2ª. Perna de barreira.
Todos os membros das equipes se reúnem 10m atrás da área de passagem. O
primeiro participante inicia correndo a volta plana em direção ao primeiro mastro,
contorna o mesmo antes de correr a etapa sobre as barreiras, em direção ao
segundo mastro, ele retornará correndo em direção à equipe. Ao entrar na área de
passagens, ele/ela entrega a argola (bastão de revezamento) ao seu/sua colega,
que corre a mesma etapa até que ele passe o bastão ao terceiro membro da
equipe, e assim sucessivamente.
O corredor que recebe começa a correr a etapa na área de passagem.
O cronômetro é ativado quando o primeiro participante tiver passado a linha de
chegada (entrada da área de passagem) e é parado quando o último membro da
equipe cruza a linha de chegada (entrada da área de passagem), uma vez que ele
/ela tenha completado a etapa.

Pontuação
O ranking é avaliado de acordo com o tempo de chegada da equipe vencedora. As
equipes seguintes são ranqueadas de acordo com seus tempos de chegada.

34
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Assistentes
Para uma organização eficiente, é necessário um assistente por equipe. Esta
pessoa tem as seguintes tarefas:

- Controlar e regular o desenrolar da atividade.


- Tomar o tempo
- Classificar e registrar os pontos na súmula da atividade.

3.19 “Fórmula Curva”: Revezamento de Velocidade


Breve descrição: Evento de Revezamento de velocidade em cantos ou curvas

Figura

Procedimento

São necessárias duas raias para cada equipe: uma com uma área de passagem e
outra sem.
Todos os membros das equipes se reúnem a 10 metros de distância da área de
passagem. O primeiro participante inicia a corrida na distância em direção ao
primeiro mastro, contornando-o antes de correr em uma linha reta, então contorna
o segundo mastro e corre de volta em direção à equipe. Entrando na área de
passagem, ele/ela passa o anel-macio (bastão de revezamento) para seu/sua
colega de equipe, que corre a mesma distância até que ele/ela passe o anel para
um terceiro membro da equipe e assim sucessivamente.
O corredor que receber o bastão iniciará a correr a distância (de frente = a
distância) na área de passagem.

35
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

O cronômetro é acionado quando o primeiro participante passa pela linha de


largada (entra na área de passagem) e parado quando o último membro da equipe
cruza a linha de chegada (entra na área de passagem) uma vez que ele/ela tenha
completado a distância.

Pontuação
O ranking é avaliado de acordo com o tempo de chegada da equipe vencedora. As
equipes seguintes são ranqueadas de acordo com a ordem de seus tempos.

Assistentes
Para uma organização eficiente, um assistente por equipe é necessário. Esta
pessoa tem as seguintes tarefas:
- Controlar e regular o desenrolar da atividade
- Registrar o tempo
- Classificar e registrar os pontos na súmula da atividade.

3.20 Corridas com Barreiras


Breve descrição: Corridas sobre barreiras a intervalos regulares

Figura

Procedimento

A distância entre as barreiras são conforme o desenho acima.

36
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Este é um evento de equipe no qual cada participante corre individualmente.

O participante se coloca em uma posição de pronto antes da linha externa para


sair quando o sinal de largada é dado, ou na batida de palma seguida do sinal de
“pronto”. Ele completa a distância cruzando a linha de chegada o mais rápido
quanto possível e dado um resultado individual.

Dois participantes correm simultaneamente em duas distâncias paralelas ao sinal


de partida.

A distância é marcada com 4 barreiras a intervalos de 7m.

A linha externa e a primeira barreira + em 10m separado/ Última barreira e a linha


de chegada = distância de 9m.

Pontuação

O ranking é baseado na soma dos resultados obtidos por toda a equipe; a equipe
vencedora será aquela com o melhor tempo. As equipes seguintes são
ranqueadas de acordo com seus tempos de chegada.

Assistentes
Para esta atividade, um cronometrista experiente é requerido para cada raia.

Uma pessoa tem que dar o sinal de largada.

Os cronometristas também terão de registrar os pontos na súmula da atividade.

37
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.21 Corrida de Resistência de 1000m


Breve descrição: Corrida de 1000m por equipe

Figura

Procedimento

Cada equipe terá de correr 5 vezes em um percurso de cerca de 200m (ver figura
acima) a partir de um dado ponto claramente dado.
Todos os tempos de cada membro de equipe é registrado.
A distância é realizada a partir de dois pontos de diâmetro da largada no percurso,
duas equipes mais bem localizadas em cada ponto.

Pontuação
A pontuação da equipe é a soma dos resultados individuais.

Assistentes
2 assistentes por equipe são necessários para a organização da atividade.

Somente 4 equipes poderão completar a mesma distância de uma vez, e isso


implica em que alguns assistentes em outras estações ou líderes de equipes
sejam disponibilizados.

38
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.22 Lançamento do Dardo para Adolescentes


Breve descrição: Lançamentos com um braço estendido para distância/precisão
com um Dardo apropriado.

Figura

Procedimento

O lançamento é realizado a partir de uma área de aproximação de 5m. O


participante lança o dardo o mais longe possível (= 30m) em linha com marcações.
Se o dardo cair além de 30m de distância, dentro de uma área-alvo de 5m de
largura, um bônus de 10m é dado.

A performance será diretamente registrada a partir de uma marca fora ou a partir


de uma fita de medição colocada no solo. Cada resultado individual de cada uma
das três tentativas é registrada.

Pontuação.

O melhor resultado de cada membro de equipe será registrado e incluído nos


outros resultados da equipe. A performance total da equipe é então considerada.

Assistentes

Um assistente é requerido para a atividade e ele/ela será responsável por:


- controlar e regular o desenrolar da atividade.
- marcar a pontuação e registrar os pontos na súmula da atividade.

39
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.23 Lançamento do Disco para Adolescentes


Breve descrição: Lançamento rotacional para distância e precisão usando um
disco apropriado (“Ludidisc”)

Figura

Procedimento

A partir de uma área de aproximação de 3m, o participante lança, com um


momento rotacional, um objeto achatado que seja fácil segurar. O objeto de
lançamento tem que cair dentro de uma área delimitada (10m de largura no
máximo). O participante atinge um lançamento na maior distância possível ( acima
de 30m) ao longo de uma linha definida com marcações. Se os Discos de
Adolescentes caem além de 30m de distância, dentro de uma área-alvo de 5m de
largura, um bônus de 10m é dado.

A medição é feita a partir da marca mais próxima feita pela queda do disco a um
ângulo reto feito por uma trena. ao longo da linha da área de queda.
Cada participante terá duas tentativas, ambas sendo medidas e registradas.

Nota de Segurança: Como a segurança é crítica na prova de Lançamento do


Disco, somente os assistentes são autorizados a estar na área (de queda) dos
lançamentos. É estritamente proibido o lançamento do disco antes do sinal de
início ser dado.

40
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Pontuação

Cada lançamento é medido a 90º (ângulo reto) da linha de lançamento. O melhor


das duas tentativas de cada membro da equipe contribui para o total da equipe. O
último é comparado aos outros para fins de ranking desta prova.

Assistentes

Esta atividade requer dois assistentes por equipe. Eles terão as seguintes
obrigações:

- Controlar e regular os procedimentos.


- Marcar a distância onde o disco cai (90º medido da linha de lançamento).
- Trazer o disco de volta à linha de lançamento.
- Medir e registrar os pontos na súmula da atividade.

3.24 Salto em Distância com Vara sobre buracos de areia


Breve descrição: Saltar a uma distância sobre um obstáculo usando uma vara,
com a queda em um buraco de areia.

Figura

Procedimento

A partir de uma área de aproximação de 10m no máximo (marcas de queda


obrigatórias: um cone, uma barreira ou uma fita), o participante corre através de
um aro/pneu/colchonete colocado antes do buraco de areia. A impulsão deve ser
realizada com salto com uma perna (saltadores destros – dão o impulso com o pé
esquerdo – tendo que segurar a vara com a mão direita acima). Fixando a vara

41
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

pra frente perto da linha de impulsão e forçando-a no solo, o participante então


“monta” na vara e passa sobre o obstáculo montado, forçando-o a atingir um salto
em altura básico. Então ele/ela tem que cair dentro do objeto alvo (pneus ou
colchonetes).

Os objetos alvo estão mostrados na figura acima (o primeiro objeto alvo é


colocado a 1 metro além da caixa).

O participante tem que cair com os dois pés (para evitar qualquer risco de lesão).
A vara deve ser segura com ambas as mãos (!) como acima até a completa
queda. Finalmente, mudar a forma de segurar a vara durante o salto é proibido.

Pontuação
Cada participante tem direito a duas tentativas. Se ele/ela cai dentro do objeto
no.1, é concedido 1 ponto; se a queda ocorre dentro do objeto no. 2, 2 pontos são
dados; e assim sucessivamente (objeto no. 3 (= 3 pontos), objeto no. 4 (= 4
pontos). Quando tocar a extremidade de um pneu/colchonete no momento da
queda, o salto é considerado “válido”. Se, na queda, ambas as pernas ficarem
dentro dos pneus/colchonetes será dado um ponto. Quando ambos os pés ficam
fora dos pneus/colchonetes, o participante terá direito a uma tentativa extra para
fazer o salto correto. Tocar o obstáculo é penalizado com um ponto.

Assistentes

Requer-se um assistente para esta atividade e esta pessoa tem as seguintes


tarefas:

- Controlar a altura e a largura da “grade”


- controlar a queda correta
- Medir e registrar os pontos na súmula da atividade

42
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.25 Salto em Distância com Corrida de Aproximação curta


Breve descrição: Salto por distância

Figura

Para as categorias mais velhas, uma trena com medida regular pode ser
colocada ao longo da caixa de areia para obter resultados mais precisos.

Procedimento

Cada participante inicia o mais próximo da área de impulsão, toma uma


impulsão de 10m (marcada com um cone ou um sarrafo) e se lança com um
impulso em uma área de 50cm de largura. Ele/ela completa um salto e cai nas
áreas designadas marcadas antecipadamente e a areia com os cones e/ou
buracos.
Área 1 dá 1 ponto; área 2 dá 2 pontos e assim por diante.

Pontuação

Cada membro da equipe tomar parte na atividade. Todos os resultados de um


participante são registrados. A melhor de suas tentativas é computada para o
total da equipe. A soma dos resultados individuais contribui para o total da
equipe.

Assistentes

Para uma organização eficiente, um assistente por equipe é requerido. Ele/ela


tem que:
- controlar e regular os procedimentos
- marcar e registrar os pontos na súmula da atividade.

43
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

3.26 Salto Triplo com Corrida de Aproximação Curta

Breve descrição: salto triplo após tomar uma área impulsão muito curta.

Figura

Procedimento

Cada membro da equipe terá três tentativas.


Após uma impulsão limitada a 5m, o participante completa um salto triplo (um
pulo, uma passada, um salto e uma queda com os dois pés). A medição é tomada
a partir do ponto de queda (calcanhar) que esteja mais próximo da área de
impulsão com uma trena esticada ao longo da área de queda.

Pontuação

O melhor resultado de cada participante é marcado e registrado para o total da


equipe.

Assistentes

Para uma organização eficiente, um assistente é requerido para esta atividade.


Ele/ela terá as seguintes tarefas:
- Controlar e regular os procedimentos (pulo, salto, queda com os dois pés)
- Anotar os resultados
- Registrar os pontos na súmula da atividade.

44
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

1. Pontuação dos eventos.

4.1 Sistema de pontuação.

O sistema de pontuação do MINI-ATLETISMO IAAF é simples e não requer


qualquer sistema de computação, ou qualquer conhecimento especifico
relacionado às regras do Atletismo. Somente uma pessoa é necessária para
manter o placar de pontos uma atividade de 9 equipes. Os resultados são simples
o bastante para serem divulgados dois minutos após o término do última atividade.
Nenhuma tabela de cálculo é requerida.

Resumindo, o esquema de pontuação é baseado nas seguintes normas:

¾ A pontuação máxima depende do número de equipes competindo em um


grupo etário. Por exemplo, com 9 equipes participantes, o melhor obtém 9
pontos, o segundo 8 pontos, o terceiro 7 pontos, e assim por diante, até a
última equipe com 1 ponto.

¾ Imediatamente após a conclusão de um evento em particular, o resultado


total é transferido e mostrado no placar.

¾ Se duas ou mais equipes tiverem um resultado igual, aquelas equipes


terão a mesma pontuação para aquela posição. A equipe seguinte é
ranqueada na posição subseqüente correspondente ao nível das equipes.

¾ A ganhadora da atividade é a equipe que lograr o maior número de pontos


ao finalizar todas as disciplinas.

4.2 Pontuação dos eventos de corrida.

Nos eventos de corrida, o tempo corresponde ao resultado obtido .


Nas provas individuais de 11/12 anos, o tempo é registrado e adicionado ao
resultado da equipe.

4.3 Pontuação dos eventos de campo.

Nos eventos de saltos e lançamentos, cada participante tem de competir em todas


as disciplinas com o correspondente número de tentativas. A soma total do melhor
desempenho pessoal de cada membro da equipe é o resultado da equipe nestes
eventos. O registro e a pontuação dos resultados são feitos nas súmulas da
atividade.

45
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

4.4 Medição dos eventos de campo.

No “MINI-ATLETISMO IAAF” o procedimento de medição (diretamente lido na


trena de medição esticada no solo) é usado para os grupos etários I e II, e III. A
distância é sempre medida a um ângulo de 90º (ângulo reto) a partir da linha de
lançamento ao ponto onde o objeto (bola, dardo etc.) cai. Quando o objeto cai
entre medições se credita o número maior.

4.5 Pontuação geral.

Um “Placar de Resultados” é usado para que se tenha um registro rápido e a


pontuação final.

Quaisquer materiais podem ser utilizados como o placar que indica a pontuação
das equipes em todos os eventos.

Imediatamente depois de terminada uma disciplina, as súmulas de cada estação


são recolhidas para que os assistentes de cada evento façam os cálculos e
apresentem ao assistente do placar para seu posterior conferência. Tão logo seja
finalizada uma disciplina por todas as equipes e os respectivos resultados sejam
escritos no placar, a ordem de colocação das equipes nessa disciplina é
determinada. Os resultados são registrados de maneira legível e de fácil
visualização. Logo depois de completar todas as disciplinas, somente os pontos
do ranking final de cada equipe são somados, indicando assim a posição final de
cada equipe em concordância com a pontuação final. O ganhador é a equipe com
a maior pontuação.

O cálculo de resultados é um processo de avaliação visível e transparente para


todos os participantes e interessados. Todos aqueles envolvidos na atividade
podem manter-se atualizados quanto ao desempenho das equipes consultando as
posições em curso no placar durante a atividade. A contínua exposição dos
resultados durante as atividades é a chave para manter o entretenimento
excitante.

5 Organização.

5.1 Montagem e desmontagem.

Os seguintes conselhos devem ser levados em consideração na realização do


“MINI-ATLETISMO IAAF”, para que a atividade seja transcorra facilmente:

¾ Todo o equipamento deve ser deixado o mais próximo possível do local


onde a atividade se realiza.

46
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

¾ Devem estar disponíveis de quatro a seis pessoas que conheçam como


foi organizado o plano de montagem. Um chefe – organizador
supervisiona e controla a montagem e desmontagem.

¾ Estas seis ou oito pessoas devem estar divididas de acordo com os


eventos selecionados (deve- se dar prioridade as provas de Corridas).

¾ Um ”plano de montagem” é necessário ser elaborado para facilitar a


organização.

¾ Uma vez concluída a montagem, deve-se dar as boas-vindas às crianças


que chegam. Após uma pequena introdução relativa ao desenvolvimento
básico da atividade, uma sessão comum de aquecimento é organizada
por 10 minutos no máximo, preferivelmente ao som de uma música.

¾ Finalizado o aquecimento, identificam-se as equipes; as crianças são


então distribuídas nas distintas estações e, em cada uma destas, se dão
breves instruções específicas para a condução do primeiro exercício.

5.2.Formulários de inscrição competições.

5.2.1 Formulários de inscrição das equipes.

Para que uma atividade transcorra tranquilamente, uma pré-inscrição das equipes
participantes é essencial. As provas são selecionadas de acordo com o número de
pré-inscrições. Na chegada das equipes ao local, os cartões das equipes com os
nomes relacionados são entregues aos assistentes para o registro dos pontos.

47
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

5.2.2 Formulário de Atividade

Para facilitar o bom desenrolar da atividade, os formulários – identificados abaixo


– são produzidos como originais. Eles poderão ser fotocopiados conforme
requerido pelo organizador.

A) Formulários de Eventos para os “Eventos de Corridas” (VELOCIDADE /


RESISTÊNCIA)

EQUIPE/COR: GRUPO:

Equipe Velocidade/barreiras Velocidade/Slalom “Fórmula 1”

Mini Atletismo IAAF

Neste formulário pode-se registrar até quatro equipes. Abaixo do cabeçalho “Nº”
se registra o número da equipe, indicando o número de raias que serão
necessárias na pista.

É altamente recomendado que cores distintas sejam selecionadas para os


números de cada equipe, para identificá-las. A cor de cada equipe é anotada no
formulário da atividade, e é também indicada no placar.

Também se elabora uma lista dos eventos de corrida em ordem seqüencial no


formulário da atividade.

Para a corrida de resistência, a cor, específica para cada equipe, deve ser bem
sinalizada.

O resultado de cada equipe é transferido diretamente para o placar assim que a


atividade seja concluído.

48
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

B) Formulários de “Eventos de Campo” (SALTOS / LANÇAMENTOS).

SALTOS/LANÇAMENTOS

EQUIPE/COR: GRUPO :

Melhor
Primeiro nome 1. tentativa 2. tentativa
performance
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Total da Equipe:
Mini Atletismo IAAF

Os formulários para estes dois grupos de eventos são idênticos. Entretanto,


os pontos discutidos daqui para frente, devem ser levados em consideração.

Todos os resultados devem ser lançados nos formulários da atividade,


assegurando que a cor de cada equipe e a atividade realizado seja realmente
mencionado. O melhor resultado selecionado assim como a pontuação obtida pela
equipe (soma dos resultados individuais) é mencionado no formulário.

a) O título “Grupo” significa grupo etário da equipe que está realmente


competindo. É necessário ser especificado no caso em que haja várias
categorias de idade competindo.
b) Somente os nomes dos membros da equipe (primeiro nome e último
nome) são mencionados nos Formulários de Equipe, para que se ganhe
tempo sem interferir com a divulgação dos resultados.

Os títulos, 1ª Tentativa e 2ª. Tentativa, referem-se, obviamente, à primeira e


segunda tentativas de um dado exercício. Ambas as tentativas não são deverão
ser realizadas imediatamente após a outra. A melhor performance é registrada na
última coluna abaixo do título “Melhor Performance”.

49
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Finalmente, o total das melhores performances de cada membro da equipe é


incluído no item “Total da Equipe”.

5.3 PLACAR DE RESULTADOS

Como em competições formais de Atletismo, é necessário um placar. Ele deve ser


instalado no centro da área da atividade a fim de manter continuamente visível a
todos. O placar é um elemento significante para cativar o interesse das crianças.
O placar deve estar sempre atualizado com os resultados disponíveis rapidamente
após a conclusão de cada atividade. Ele deve seguir o exemplo abaixo.

50
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Exemplo de Placar de resultados – 7/8, 9/10 anos de idade

Figura

Salto agachado para Frente

Lançamento Ajoelhado

Lançamento para Trás


Salto com Corda

Rebote Cruzado
Salto com Vara
Fórmula Um

Resistência

Ranaking
Barreiras

Rotação
Slamom

Escada

Pontos
Dardo
Alvo
Resultado
Vermelho
Pontos
Resultado
Amarelo
Pontos
Resultado
Verde
Pontos
Resultado
Azul
Pontos
Resultado
Laranja
Pontos
Resultado
Branco
Pontos
Resultado
Marrom
Pontos
Resultado
Violeta
Pontos
Resultado
Pontos

51
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

5.4 Identificação das Equipes / Traçado do local.

¾ A identificação das equipes é essencial: Ela pode ser feita com camisetas
coloridas de treino (números) ou peças de roupa ou braceletes para os
capitães das equipes. Isto garante uma apresentação idêntica de cada
equipe e uma marca útil para os organizadores.

¾ O lay out do local é de grande importância: o limite da área de atividade


deve ser claramente marcado. Cada estação de evento necessita ser
delimitada (com blocos, garrafas plásticas etc.). É necessário tomar
algumas precauções para assegurar a qualidade da atividade e a
segurança de todos os participantes e do público.

5.5 Pessoal de organização (Staff e assistentes).

Tal como nas competições padronizadas de atletismo para adultos, a atividade de


“MINI-ATLETISMO IAAF”, requer ajudantes – assistentes/monitores, que têm o
dever de assegurar que a atividade se conduza sob certas regras e
procedimentos.

Entretanto, além de suas atribuições como oficiais, os assistentes têm que apoiar
as crianças e agir como motivadores durante a atividade. Toda decisão que seja
tomada objetiva tornar a atividade mais agradável para as crianças.

Este princípio de aproximação implica a criação de um corpo de oficiais


especializados em tal audiência.

O staff consiste dos seguintes indivíduos:

¾ O “Organizador da atividade”, que tem que supervisionar e atuar de


forma comprometida durante toda a atividade como o principal
comunicador e responsável por resolver os problemas. Ele/ela anuncia
as alterações das estações de eventos

¾ O “Chefe de Placar de Resultados”: ele atua como um secretário geral,


controlando os formulários, distribuindo ou colocando os assistentes e
preparando a divulgação dos resultados.

¾ Um “Árbitro de Partida e dois “Cronometristas” são necessários para a


seção de corridas de velocidade/resistência. Estas pessoas também
podem ajudar na montagem e desmontagem.

¾ Requer-se um ou dois assistentes para supervisionar os regulamentos,


para que a ordem e a segurança sejam cumpridas .

52
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

5.6 Divulgação Oficial dos Resultados

A cerimônia de premiação é um “DEVER ” absoluto para qualquer atividade do


“MINI/ATLETISMO IAAF”.

Para um efeito positivo máximo, o anúncio deve ser feito imediatamente – não
mais de dois minutos após a atividade ter sido completado. Cada equipe e cada
criança deve deixar a atividade tendo conhecimento dos resultados gerais e
compreendendo o quanto o esforço individual contribuiu para aquele resultado.

Toda a criança participante recebe um diploma como prêmio.

A Divulgação Oficial dos Resultados é também a melhor oportunidade de


agradecer os auxiliares oficial e publicamente.

53
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

6 Formulários e Tabelas.

6.1 LISTA DE EQUIPAMENTOS (9 EQUIPES).

EVENTO EQUIPAMENTO
Corrida:
Velocidade/barreira 3 cronômetros, 12 barreiras, 6 postes, 3 aros/bastões
9 postes de slalom (adicionais ao equipamento de
Velocidade /slalom
velocidade/ barreiras)
9 barreiras, 10 postes de slalom, 3 colchonetes, 1
Fórmula 1
cronômetro, aproximadamente 30 cones/marcadores
9 postes de escanteio, 20 súmulas / fichas por menino. 1
Resistência
cronômetro.
Saltos:
2 varas, 6 colchonetes, 1 fita de marcação, cone para o
Vôo com vara
corredor.
Saltos com corda 1 corda, 1 cronômetro.
Salto rã 1 colchonete, 1 sarrafo.
Rebote cruzado 1 colchonete para rebote cruzado, 1 cronômetro
Escada de
1 escada de velocidade, 1 cronômetro, 2 cones
velocidade
Lançamentos:
2 postes (afastados 2,50m) 1 sarrafo ou corda, 2 bolas
Tiro ao alvo
aerodinâmicas.
2 dardos moles, 2 dardos turbo, 1 trena de medição (40m),
Dardo para crianças
cones por metro.
Lançamento 2 medicine ball (1 kg), 1 trena de medição (20m), 1
ajoelhado colchonete de ginástica
Lançamento para
2 medicine ball (1 kg), 1 trena medição (20m)
trás
Lançamento 2 bolas, 2 discos para crianças, 1 bola de futebol, fitas
rotacional marcação.
Área de
2 medicine ball, 1 corda
recuperação
Todas as estações devem estar sinalizadas com números
para indicar a ordem sucessiva das disciplinas; deve-se
Observação.
preparar uma pasta por equipe com todos os formulários da
atividade e um plano das estações

54
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

6.2 COMPOSIÇÃO DAS ESTAÇÕES DA ATIVIDADE

Organização da área de atividade

Todo Organizador de Evento idealizará as instalações para um


evento, após a análise dos diferentes fatores que tenham sido levados em
consideração. Segurança e facilidade na mobilização dos grupos de
crianças são os fatores decisivos para a organização das estações dos
eventos.

Demarcar as áreas de saltos, arremessos e corridas com


bandeiras/mastros pode ser levado em consideração.

55
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

6.3 Formulários e documentos adicionais

Ranking de Corrida de “Resistência “ “8”

Pontos
Equipe / Cor Posição
(1 por bola)
1
2
3
4
5
6
7
8
9

MINI ATLETISMO DA IAAF


Lista da Equipe

Equipe: Cor:

Primeiro Nome Nome


1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
MINI ATLETISMO DA IAAF

56
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Súmula para eventos de Velocidade, Saltos e Arremessos – 11/12 anos de


idade

Equipes: Cores:

Grupo Tentativa 1 Tentativa 2 Tentativa 3 Melhor pontuação


A
A
A
A
TOTAL A
B
B
B
B
B

TOTAL B

OBS:
Se as crianças de 11/12 anos já tiverem experiência com os tipos de eventos
destinados a categorias mais novas, a atividade entre oponentes nos eventos para
esta categoria de idade deve ser mudada.

O grupo etário competindo em cada estação de evento consiste de 2 equipes mais


uma metade, como se segue:

6 equipes: AB CD EF: A1 com B1, A2 com B2, etc.


9 equipes: ABC DEF GHI A1 com B1, A2 com C1, B2 com C2 etc.
Os resultados parciais são colocados no placar geral.
Com relação ao Revezamento e corridas individuais, as equipes permanecem
juntas.

57
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Placar de resultados: Eventos para 11-12 anos

E E E E E E E E E E Classifi
TOTAL
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 cação
Equipe
A1
A2

Total A

B1
B2

Total B

C1
C2

Total C

D1
D2

Total D

E1
E2

Total E

F1
F2

Total F

G1
G2

Total G

H1
H2

Total H

I1
I2

Total I

58
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Resistência Progressiva e Corridas de Residência de 1000m

Formulário de Resultados de equipe

Resultado de Resultados Progressivos


Equipe
Resistência de 1000m de Resistência
1
2
3
4
5
6
7
8
9

Formulários de Equipe com resultados individuais nos eventos

Evento
EQUIPES / CORES

Grupo Último Nome Primeiro Nome Resultado/Evento


A
A
A
A
A
Total A
B
B
B
B
B
Total B

59
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

6.4 Lista do Staff Organizacional (9 Equipes)

Função /disciplina Por Estação Total

Coordenador 1 1

Assistente por equipe 1 9/6

Locutor 1 1

Assistente de placar de resultados 1 ou 2 1 ou 2

Cronometrista 2/3 2/3

Árbitro de partida 1 1

Primeira atividade de lançamento 2 2

Segunda atividade de lançamento 2 2

Terceira atividade de lançamento 2 2

Primeira atividade de saltos 1 1

Segunda atividade de saltos 1 1

Terceira atividade de saltos 1 1

Corrida de resistência (*)

TOTAL 25

(*) Os árbitros podem desempenhar diversas funções durante a atividade.

(*) Participantes ou pais podem muito bem atuar como auxiliares


acompanhantes dos adultos.

60
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

ANEXO 1

Grupos rotativos nas Competições de Mini Atletismo

Exemplo de organização das tabelas da atividade

Organização de um meeting: 6 equipes de participantes de 11 a 12 anos


tomas parte em uma atividade de 7 provas.

Equipe Grupo 1ª seqüência 2ª seqüência 3ª seqüência 4ª seqüência 5ª seqüência 6ª seqüência 7ª seqüência


Velocidade
A A1 Barreiras Dardo Medicine Ball Vara Triplo Resistência
Revezamento
Velocidade
A2 Barreiras Medicine Ball Dardo Triplo Vara Resistência
Revezamento
Velocidade
B B1 Barreiras Dardo Medicine Ball Vara Triplo Resistência
Revezamento
Velocidade
B2 Barreiras Medicine Ball Dardo Triplo Vara Resistência
Revezamento
Velocidade
C C1 Dardo Medicine Ball Vara Triplo Barreiras Resistência
Revezamento
Velocidade
C2 Medicine Ball Dardo Triplo Vara Barreiras Resistência
Revezamento
Velocidade
D D1 Dardo Medicine Ball Vara Triplo Barreiras Resistência
Revezamento
Velocidade
D2 Medicine Ball Dardo Triplo Vara Barreiras Resistência
Revezamento
Velocidade
E E1 Vara Triplo Barreiras Dardo Medicine Ball Resistência
Revezamento
Velocidade
E2 Triplo Vara Barreiras Medicine Ball Dardo Resistência
Revezamento
Velocidade
F F1 Vara Triplo Barreiras Dardo Medicine Ball Resistência
Revezamento
Velocidade
F2 Triplo Vara Barreiras Medicine Ball Dardo Resistência
Revezamento

61
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Tabela Rotativa para 5 Equipes – 7/8 e 9/10 anos de idade


(Exemplo)
Equipes Evento 10 Evento 10’ Evento 10 Evento 10’ Evento 10 Evento 10’ Evento 10
Velocidade/
Equipe 1 F1 Dardo M.Ball Cross Vara Resistência
Barreiras
Velocidade/
Equipe 2 F1 M.Ball Dardo Vara Cross Resistência
Barreiras
Velocidade/
Equipe 3 Cross Vara F1 M.Ball Dardo Resistência
Barreiras
Velocidade/
Equipe 4 Vara Cross F1 Dardo M.Ball Resistência
Barreiras
Velocidade/Barrei
Equipe 5 M.ball Dardo Cross Vara F1 Resistência
ras

Tabela para 6 equipes – 7/8 & 9/10 (exemplo de tabela organizacional)

Rotação de 6 equipes

Atividade com 6 equipes consistindo de 10 participantes

Cronômetro 10’ 20’ 30’ 40’ 50’ 60’ 70’

Equipe

1 Corrida 1 Corrida 2 Cross Vara m.ball Vortex Resistência


2 Corrida 1 Corrida 2 Vara Cross Vortex M.Ball Resistência
3 Cross Vara M.ball Vortex Corrida 1 Corrida 2 Resistência
4 Vara Cross Vortex M.Ball Corrida 1 Corrida 2 Resistência
5 M.ball Vortex Corrida 1 Corrida 2 Cross Vara Resistência
6 Vortex M. Ball Corrida 1 Corrida 2 Vara Cross Resistência

62
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

Rotação das estações de eventos: 9 equipes – 7/8 & 9/10 anos de idade
(exemplo)

Equipe 1º. 2º. 3º. 4º. 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Velocidade Velocidade Velocidade


1 Escada Cross Vara Dardo Rot MB Back Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


2 Cross Vara Escada MS Back Dardo Rot Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


3 Vara Escada Cross Rot MB Back Dardo Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


4 Dardo Rot MB Back Escada Cross Vara Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


5 MB Back Dardo Rot Cross Vara Escada Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


6 Rot MS back Dardo Vara Escada Cross Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


7 Escada Cross Vara Dardo ROt Ms back Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


8 Cross Vara Escada MS Back Dardo ROT Fim
F1 F1 F1

Velocidade Velocidade Velocidade


9 Vara Escada Cross Rot MB Back Dardo Fim
F1 F1 F1

63
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

ANEXO 2

Segurança dos Participantes

A segurança permanece a principal preocupação do Organizador de Evento das


Competições do Mini Atletismo.

Instruções Gerais:
- Instalações seguras
- Nenhum equipamento perigoso (objetos de arremessos, postes)
- Árbitros experientes
- respeitar os procedimentos de organização

Eventos Regras de segurança


Velocidade / Revezamento Chão não-escorregadio, bastões/anéis e
marcadores seguros
Barreiras / Revezamento Chão não-escorregadio, bastões/anéis
seguros e barreiras ultrapassáveis
Fórmula 1 Tapete macio, marcadores e barreiras
seguras, chão não escorregadio
Barreiras Chão não escorregadio, barreiras
ultrapassáveis, área ampla em torno da
área de chegada
8,1000, Prog. De Resistência Pista sem riscos, crianças devem ser
observadas
Saltos sobre um buraco de areia Troca da areia do buraco, pequeno
corredor, nenhum objeto perigoso
enterrado na areia
Salto Corredor curto, domínio de técnica de TJ.
Solo suave e não escorregadio
Vara Máximo de 2,50m de distância, nenhuma
vara perigosa, queda em local suave , ex.
área de areia, o mínimo de domínio de
técnica
Lançamento do Dardo Dardo apropriado (sem perigo),
organização do grupo, recomendações
apropriadas
Lançamento rotativo Objetos apropriados para lançamento,
organização do grupo, recomendações
apropriadas
Lançamento do Medicine Ball Bola com o peso apropriado, área de trás
livre (para perda ou equilíbrio)

64
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

ANEXO 3

Amostra de Diploma

Texto em português

MINI ATLETISMO

CERTIFICADO

________________________________________________________

_________________________________________________________

participou , com sucesso, juntamente com sua equipe, na atividade Mini


Atletismo

65
MINI-ATLETISMO IAAF / CBAt - Guia Prático

________________________
Cidade/data

________________________________
Assinatura

66