Você está na página 1de 17

1

Conteúdos
1.Introdução.............................................................................................................................3
1.1 Objectivo geral...................................................................................................................4
1.2 Objectivos específicos........................................................................................................4
1.3 Metodologia usada na produção do trabalho......................................................................4
2.Introdução aos objectivos do ensino de história....................................................................5
2.1Importância dos objectivos para o P.E.A (processo de ensino aprendizagem)....................5
2.2 Objectivos e finalidades do ensino.....................................................................................5
2.3 Diferenças entre os objectivos específicos e gerais, domínio cognitivo afectivo e
psicomotores............................................................................................................................6
2.4 Relação entre objectivos educacionais e os vários domínios..............................................6
3.Introdução do tratamento das funções didácticas em história................................................6
3.1 Identifique e defina as funções didácticas..........................................................................6
3.2 Finalidades do ensino Democrático....................................................................................7
3.3- Identifica e defina as funções didácticas...........................................................................7
3.4 Importância das funções didácticas no trabalho docente....................................................8
4.Métodos de ensino - aprendizagem em história.....................................................................8
4.1- Conceito do método de ensino..........................................................................................8
4.2- Caracterização de alguns métodos de ensino aprendizagem em história...........................8
4.3- Relação entre objectivo - conteúdos método no processo de ensino - aprendizagem........9
4.4 Factores que devem ser levados em conta na selecção dos métodos de ensino..................9
4.5- Importância do uso de vários métodos no processo de ensino e aprendizagem...............10
5.1- Identificação e caracterização dos métodos específicos de ensino de história.................10
5.3- Importância do método de pesquisa histórica..................................................................11
5.4- O ensino de história pela iniciação ao método de pesquisa histórica torna se fundamente
motivador para o aluno. fundamente......................................................................................11
5.5- Visita de estudo: Importância, Organização e seus tipos.................................................11
5.6 Relação entre visita de estudo e a importância da história local no ensino de história......13
6.1- Método por descoberta....................................................................................................13
6.2 Relação entre o método pela descoberta e a pesquisa histórica.....................................14
6.3 Pressupostos para a efectivação do método por descoberta...........................................14
7 Método progressivo, regressivo e genérico........................................................................14
7.1conceito de método progressivo, regressivo e genérico...................................................14
7.2 Importância dos métodos: progressivo, regressivo e genérico........................................15
2

8.Conclusão............................................................................................................................16
9.Referencias bibliográficas...................................................................................................17
3

1.Introdução.
A educação sempre foi preocupação dos povos desde a antiguidade até aos nossos dias.
O que sempre preocupou as sociedades não foi apenas a necessidade de educar mas sim,
tornar a educação mais sistemática e objectiva capaz de criar cada vez mais objectivos
céleres dessa comunidade. Lembremos que a educação passou por várias metamorfoses
desde a tradicional até a sistemática e, estas metamorfoses continuam nos dias de hoje,
portanto è uma actividade continua e dinâmica.

Educar e ensinar, ambas são preocupações dos povos que se convergem no instruir. Para
que estes se tornem claros e objectivos, è necessário que haja um instrumento
orientador, as didácticas educativas. Para os formandos em ensino de história, serve de
orientador, as didácticas de ensino de história pois que, este visa orientar os futuros
professores de história no ensino da cadeira em causa.

Para o caso especifico deste trabalho, iremos abordar os temas ligados com introdução
aos objectivos de ensino de história; tratamento das funções didácticas em história;
métodos de ensino-aprendizagem em história e; métodos específicos do ensino de
história.

Foi utilizado como primeiro método a leitura exploratória de materiais bibliográficos


referentes aos temas em estudo, possibilitando ter uma linha geral do conhecimento.

Logo em seguida, foi efectuada a leitura selectiva, verificando a relevância dos achados
e seleccionando os artigos que mais interessavam aos temas em estudo.

A leitura selectiva foi seguida pelo método analítico, no qual foram analisados os
achados e comparados entre si. O processo de leitura dos materiais foi finalizado por
meio de leitura interpretativa para relacionar o tema proposto com o objectivo do
trabalho.

Em termos organizacionais, o trabalho apresenta duma forma sequenciada o índice dos


conteúdos abordados, introdução, objectivos do trabalho e metodologia usada, o corpo
do trabalho, conclusão e as referências bibliográficas.
4

1.1 Objectivo geral


 Este trabalho, tem como objectivo geral, capacitar e adoptar os formandos em
ensino de história de conhecimentos de ensino desta disciplina, para além de
lhes incutir em métodos, técnicas e estratégias do ensino de história.

1.2 Objectivos específicos.


 Distinguir os objectivos gerais dos específicos bem como das finalidades de
ensino;
 Indicar e interpretar as funções didácticas em história;
 Mencionar e descrever os métodos de ensino-aprendizagem em história e;
 Identificar e caracterizar os métodos específicos do ensino de história.

1.3 Metodologia usada na produção do trabalho.


 Revisão bibliográfica.
5

2.Introdução aos objectivos do ensino de história.

2.1Importância dos objectivos para o P.E.A (processo de ensino aprendizagem).


Quando são indicados resultados específicos, e mais fácil distinguir os objectivos que
valem mais a pena perseguir daqueles que não têm tanto valor. Isto quer dizer que na
base dos objectivos previamente definidos, o docente pode facilmente perceber sobre o
seu desempenho durante a aula e portanto poder melhor alguns aspectos que
possivelmente poderão folhar.

No entanto, Autores como Hannah e Michaelis (1985) citado por Golias (1999)
sintetizam algumas destas vantagens:

 Quando são indicados resultados específicos, è mais fácil distinguir os


objectivos que vale mais a pena perseguir daqueles que não tem tanto valor;
 As necessidades individuais dos alunos bem como as necessidades específicas
dos grupos podem ser mais propriedade identificadas, planificadas e avaliadas;
 As actividades de aprendizagem e e matérias de ensino podem ser seleccionados
e utilizados de modo a alcançar resultados claramente definidos;
 Avaliação dos resultados do ensino pode ser melhoradas porque e especificado
num comportamento observável ou um produto desse comportamento
 E mais fácil comunicar aos alunos e aos pais os resultados do ensino desejado.
 A operacionalidade dos programas pode ser melhorada porque são especificados
os objectivos claramente definidos;
 A planificação oficial e a tomada de decisões pode ser facilitados porque são
fornecidas mais dados sobre as necessidades adicionais, as forcas e fraquezas do
ensino.

2.2 Objectivos e finalidades do ensino.


Os objectivos de ensino “são também designados objectivos comportamentais ou objectivos operacionais,
são listagem de resultados específicos do ensino, indicadores do comportamento e da capacidade de

execução dos alunos” (Hannah, 1985 apud Golias, 1990:220).

Finalidades de ensino, “explicita os objectivos gerais que se pretende atingir a educação, que è
função de uma certo homem pela adesão a certos valores e a uma ideologia” (INDE/MINED, 2008).

Como podemos perceber na base destas obras acima citadas, podemos entender que os
objectivos de ensino diferem se das finalidades do ensino na medida em que os
6

objectivos de ensino são os resultados que almejamos alcançar numa determinada aula,
unidade, curso, etc. Ao passo que as finalidades de ensino são os valores e ideologias
que almejamos que sejam suscitados com os nossos objectivos gerais.

2.3 Diferenças entre os objectivos específicos e gerais, domínio cognitivo afectivo e


psicomotores.
Os objectivos gerais,” são aqueles previstos para um determinado grau ou ciclo, uma escola ou uma
certa área de estudo, e que serão alcançados ao longo prazo, este nível de objectivos tem um carácter
finalístico, referem se aquilo que o aluno será capaz de fazer após a conclusão da disciplina ou do curso”.

(GANI & UANICELA, 2015:24), ao passo que objectivos específicos “ são aqueles
definidos especificamente para uma disciplina, uma unidade de ensino ou uma aula”. “Consiste no

desdobramento e na operacionalização dos objectivos gerais”. (GANI & UANICELA, 2015:24);

Nesta senda, foi nos possível entender que os objectivos gerais diferem se dos
específicos na medida em que os gerais almejam ser alcançados num longo prazo, isto e,
são finalísticos algo contrário dos específicos que podem ser alcançados num curto e
médio prazo.

2.4 Relação entre objectivos educacionais e os vários domínios.


Os objectivos educacionais “são os resultados desejados e previstos para acção educativa, em que o
educador espera alcançar com as actividades pedagógica” (Libaneo 1992), esta se relaciona com
os vários domínios na medida em que para o seu alcance envolve vários intervenientes
dos diferentes domínios como a sociedade, as politicas vigentes, dentre outros que lhe
subsidiam com as suas ideias para a sua concretização.

3.Introdução do tratamento das funções didácticas em história.


As funções didácticas são de primordial importância no processo de planificação das
aulas visto que estas ajudam na organização e na operacionalização do plano de aula
para o alcance dos objectivos previamente estabelecidos.

3.1 Identifique e defina as funções didácticas.


Funções didácticas “são etapas do processo completo da aquisição das qualidades duma
personalidade, isto è, são orientações para o professor poder dirigir um processo completo da

aprendizagem” (GANI & COSSA, 2015:59).


7

Como ficou claro na base destes autores, entendemos funções didácticas sendo etapas
ou frases do processo de ensino e aprendizagem que na sua essência realizam se não
rigidamente de forma sequenciadas, mas sim interligada.

As funções didácticas, estão em um número quatro (4) interligadas sequencialmente


como nos tranquiliza Libaneo (1992) que são:

 Introdução e Motivação;
 Mediação Assimilação;
 Domínio Consolidação e
 Controle e avaliação.

3.2 Finalidades do ensino Democrático.


São finalidades do ensino democrático segundo GANI & COSSA, 2015:18), as
seguintes:

a) Assegurar a transmissão e assimilação do conhecimento e habilidades;


b) Assegurar o desenvolvimento das capacidades e habilidades intelectuais sobre a
base dos conhecimentos científicos que formam o pensamento crítico e
independente;
c) Assegurar uma organização da escola em que os processos de gestão e
administração e os de participação democrática de todos os elementos
envolvidos da vida escolar estejam engajados para o atendimento da função
básica da escola, o ensino.

Como se pode perceber, o ensino democrático, visa em geral permitir aos alunos para
com que se expressem de forma elaborada os conhecimentos que correspondem aos
interesses maioritários da sociedade e de inserir-se activamente nas lutas sociais.

3.3- Identifica e defina as funções didácticas


Funções didácticas “são etapas do processo completo da aquisição das qualidades duma
personalidade, isto è, são orientações para o professor poder dirigir um processo completo da

aprendizagem” (GANI & COSSA, 2015:59).

Como ficou claro na base destes autores, entendemos funções didácticas sendo etapas
ou frases do processo de ensino e aprendizagem que na sua essência realizam se não
rigidamente de forma sequenciadas, mas sim interligada.
8

As funções didácticas, estão em um número de quatro (4), interligadas sequencialmente


como nos tranquiliza Libaneo (1992) que são:

 Introdução e Motivação;
 Mediação Assimilação;
 Domínio Consolidação e
 Controle e avaliação.

3.4 Importância das funções didácticas no trabalho docente.


Como nos referimos na questão anterior, que as funções didácticas são as etapas que o
docente irá observar durante a leccionação da sua aula. São de primordial importância
pelo facto de que orientam o professor para consolidar conscientemente as regularidades
do processo de aquisição, portanto a motivação da aprendizagem, consolidação dos
resultados, integridade do processo de aquisição e a estrutura clara de um processo de
aulas (GANI & COSSA, 2015:59).

4.Métodos de ensino - aprendizagem em história.


Para o alcance de qualquer objectivo traçado pelo homem, são usados caminhos
específicos que estimulam o seu sucesso.

4.1- Conceito do método de ensino.


Na sua etimologia, método quer dizer caminho para chegar a um fim. Em definição,
método de ensino è “um conjunto de acções, pessoais, condições externas e procedimentos utilizados
intencionalmente pelo professor para dirigir e estimular o professor de ensino em função da aprendizagem

dos alunos” (Libaneo, 1992).

Como já nos ficou claro, entendemos métodos de ensino sendo, os caminhos usados
pelo professor para o alcance dos objectivos no processo de ensino e aprendizagem.

4.2- Caracterização de alguns métodos de ensino aprendizagem em história.


Tal como em outras disciplinas, em história também existem vários tipos de métodos
que nos permitem alcançar os objectivos preconizados.

Em Historia, tal como nas outras cadeiras, a selecção dos métodos dependem da
tipologia da matéria a ser leccionada bem como dos objectivos que pretende alcançar.
GANI & UANICELA (2015:62), sugerem nos alguns métodos usados em história que
passamos a descrever:
9

 Método de observação – consiste em criar condições em que os alunos através


da observação alcancem os objectivos preconizados;
 Método de elaboração conjunta – em que professor estabelece uma conversação
discussão com a classe a leccionar;
 Método expositivo – o professor expõe os conhecimentos aos alunos isto e, os
alunos encontram se apenas no estado passivo de simples receptores de
conhecimentos e existe menos colaboração. E um método mais antigo e que e
menos produtivo nas didácticas actuais;
 Metodo de trabalho independente – em que o professor da exercícios em que
cada estudante duma forma singular procura resolve-los sem ajuda dos outros. E
o inverso do método de trabalho em grupo;
 Método de comparação – nesta, o professor procura relacionar factos através de
comparações para o alcance dos objectivos preconizados.

4.3- Relação entre objectivo - conteúdos método no processo de ensino -


aprendizagem.
A questão de relação objectiva - conteúdos método no processo de ensino aprendizagem
explica-se pela sua interdependência. E visível que a escolha do método a ser usado e
definido por objectivos a serem alcançados e a tipologia dos conteúdos que serram
leccionando por mais que nalguns casos o método influi na determinação de objectivos
e conteúdos.

Nesta senda, LIBANEO (1990) deixa a possibilidade de se dizer que “o conteúdo determina
o método pois que è base informativa concreta para o alcance dos objectivos preconizados portanto, o
método pode ser um conteúdo quando è também objecto de assimilação, ou seja requisito para
assimilação activa dos conteúdos”.

Em fim, o método, os objectivos e os conteúdos tem uma relação de interdependência.

4.4 Factores que devem ser levados em conta na selecção dos métodos de ensino.
Como em qualquer actividade da vida humana, a que considerar alguns factores ou
acções que tornam mais eficaz e produtiva.

Nesta, na selecção dos métodos, segundo Haidyt, (2006) a que ter em consideração os
seguintes factores:

 Adequação aos objectivos definidos;


10

 Ter em conta a natureza do contudo seleccionado;


 As características dos alunos e;
 As condições físicas e o tempo disponível.

4.5- Importância do uso de vários métodos no processo de ensino e aprendizagem.


CANDIDA PROENCA (1990) defende o uso de vários métodos no processo de ensino
e aprendizagem como alicerce que permite atingir mais facilmente a consecução dos
objectivos preconizados.

Na verdade para o alcance de um determinado fim, neste nosso caso educativo, a fusão
de métodos duma forma lógica e sapiente e impensável com o fito de atacar os
conteúdos em todos os seus parâmetros, para atingir os seus objectivos.

E verdade que por exemplo se pretendemos produzir milho na machamba duma forma
eficaz, vários caminhos podem ser usados desde a utilização de canteiros, a irrigação o
uso de adubos e fertilizantes dentre outros para a produção efectiva do milho. Portanto
no ensino - também, podemos fazer a fusão do método expositivo, pesquisa histórica,
elaboração conjunta, etc. Para o alcance de um determinado objectivo.

5.1- Identificação e caracterização dos métodos específicos de ensino de história.


“A iniciação do método de pesquisa histórica; visita de estudo, método por descoberta; os métodos

progressivos, regressivo e genéricos” são alguns métodos específicos descritos pela


PROENCA (1989) que facilitam a realização do processo de ensino e aprendizagem.

 No método da pesquisa histórica, o aluno aprende e procura clarificar e avaliar


documentos, utilizar, indicias, dicionários e enciclopédias, construir e consultar
ficheiros, ler gráficos; series, quadros estatísticos, escalas e mapas ou elabora um
dossier portanto, o aluno, vai a procura dos conhecimentos;
 Visita de estudo, em termos gerais, consiste em deslocar os alunos do seu
ambiente habitual para presenciar de perto o local de ocorrência um determinado
facto histórico.
 Método por descoberta, consiste em uso de métodos activos em que os alunos
são inseridos a descoberto de novos conteúdos históricos em coordenação com o
método de pesquisa histórica.
11

 Os métodos progressivo, regressivo e genérico são usados de forma


complementar ao longo do estado de historia e ligam se com todos os métodos
fundamentais.

5.3- Importância do método de pesquisa histórica.


Sempre que possível è de incontestável importância incutir os alunos ao método de
pesquisa histórica uma vez que torna os alunos agentes activos do processo educativo
em que, os alunos por si só, vão atrás do conhecimentos em fontes orais ou escritos,
sintetizam-nas e tiram conclusões o que lhes torna mais motivados no processo da sua
aprendizagem.

PROENCA (1989), “defende que o ensino de história pela iniciação ao método de pesquisa histórica
torna-se profundamente motivador para o aluno, pois, o coloca perante a necessidade de procurar

informações e soluções”.

5.4- O ensino de história pela iniciação ao método de pesquisa histórica torna se


fundamente motivador para o aluno. fundamente.
Bem, tudo o que e da autoria do esforço do próprio aluno goza um papel preponderante
na motivação. A procura, a descoberta de novos conceitos e factos pelo aluno não esta
alie de criar uma motivação permanente no aluno em prosseguir com os seus estudos em
documentos históricos.

MENDES (1987), “defende que o documento histórico permite desenvolver nos alunos atitudes de
interrogação, de reflexão e de pesquisa”. Estes são os pressupostos pedagógicos que,
favorecem a utilização de técnicas como trabalho de grupo que permite criar um novo
tipo de relações na escola, favorecendo o diálogo entre o aluno e o professor e
contribuindo para a socialização dos alunos através da preparação colectiva da pesquisa,
do trabalho sobre os documentos, feito em pequenos grupos, de entrevistas que se
podem fazer a pessoa mais idosa.

5.5- Visita de estudo: Importância, Organização e seus tipos.


De acordo com JOAO (1983:110), a visita de estudo e uma forma de ligação entre a
escola e o meio que suscita a actividade dos alunos, podemos assim afirmar que pode
também ser designada aula execução.
12

5.5.1Importância.

Ainda segundo JOAO (1983:110-113), compreende se que a visita de estudo tem um


impotente papel informativo nos aspectos concernentes ao conhecimento e respeito pela
preservação do património histórico-cultural, e ajuda ainda para o desenvolvimento de
várias outras capacidades no domínio do espírito de observação e de pesquisa assim
como da sociabilidade, já que permite uma melhoria das relações aluno/aluna e
professor/aluno.

Nesta senda, pode ter a função de concretizar e aplicar conhecimentos já adquiridos,


culminando o estudo de um tema para alem da recolha de dados e informações que
esclareçam e motivem um trabalho em curso.

5.5.2- Organização da visita do estudo;

Em termos organizacionais, a visita de estudo, deve ser organizada e planejada em


conjunto com os alunos. O professor deve definir em primeiro lugar o que pretende com
a visita (GANI & COSSA, 2015:72).

Normalmente, as visitas de estudos como afima JOAO (1983:110-112) devem estar ou


constar na planificação do trabalho lectivo de cada disciplina. Neste caso, deve se
respeitar 3 fases essenciais: Preparação, Realização; Exploração e Avaliação.

5.5.3- Tipos de visita de estudo.

De acordo com PROENCA (1990:198), existem três tipos de visita de estudo.

 Visita de estudo dirigido ou guiada – trata se de uma visita de estudo orientada


por professor ou monitor;
 Visita de estudo livre – os alunos munidos de um roteio ou ficha de trabalho vão
livremente, sós ou em grupo visitar os locais indicados pelo professor. Este tipo
de visita permite uma aquisição de forma motivadora do conhecimento sobre o
assunto em estudo.
 Visita do estudo mista – a primeira parte da visita e orientada pelo professor e
em seguida os alunos vão sozinhos complementar a visita com auxílio de um
roteio ou material de orientação. E tida como o combinação da visita guiada com
a visita livre
13

5.6 Relação entre visita de estudo e a importância da história local no ensino de


história.
A visita de estudo e a história local no ensino da história tem uma relação de
interdependência notado que não seria possível estudar a história local sem efectuar uma
visita ao meio circundante e por sua vez só se faz uma visita de estudo se existir um
local histórico capaz de nos fornecer dados sobre um determinado facto histórico.

Neste âmbito de acordo com NETO (1972:86),” que não basta estudar a história, e
necessário adequar a história estudada com o meio circundante”.

È através desta que os alunos podem desenvolver trabalhos criativos em espécies de


relatórios, inseri-los na perspectiva histórica e também sem deixar de lado a sua
identidade ao grupo em que lhe pertence, transmitindo lhe atitudes de cidadania.

Importa vincar que hoje, a preocupação è tornar o ensino de história um veiculo de


inteira ligação com a realidade do meio de forma a criar uma aprendizagem mais coesa
do aluno.

6.1- Método por descoberta.

Para Dewey citado por MENDES (1987), “o conhecimento é uma actividade dirigida que não
tem um fim em si mesmo, mas está voltado para a experiência ” A educação tem como finalidade
propiciar à criança condições para que resolva por si própria os seus problemas, e não as
tradicionais ideias de formar a criança de acordo com modelos prévios.

Dewey formulou uma filosofia educacional empírica que propôs a aplicação do método
por descoberta em situações de aprendizagem que se caracterizam por continuou
experiencia. Considerou a aquisição do saber como fruto da reconstrução da actividade
humana a partir de um processo de reflexão sobre a experiência continuamente
repensada ou reconstruída. “Toda experiência em desenvolvimento faz uso de experiências passadas
e influi nas experiências futuras” MENDES (1987).

O indivíduo, portanto, constrói o novo conhecimento estabelecendo conexões com


conhecimentos adquiridos no passado. Não há conhecimento sem construção. A melhor
aprendizagem ocorre quando o aprendiz assume o comando da pesquisa.
14

6.2 Relação entre o método pela descoberta e a pesquisa histórica.

Analisando as sugestões de Dewey citado por MENDES (1987), leva nos a perceber que
existe uma relação de interdependência entre o método por descoberta e a pesquisa
histórica uma vez que a descoberta de novos conhecimentos só è possível na base das
pesquisas de fontes históricos quer orais ou escritas. Portanto, não existe a pesquisa
histórica que não resulte na descoberta de novos conhecimentos.

Por fim, pode se dizer que a descoberta de novos conhecimentos em que os alunos são
submetidos nas metodologias actuais, resulta do conhecimento e aplicação do método
de pesquisa científico.

6.3 Pressupostos para a efectivação do método por descoberta.

GANI & COSSA (2015:75), sublinham que para a realização do método por descoberta
e indispensável a inserção do aluno no método de pesquisa histórica; a existência de um
vasto equipamento intelectual; o domínio de conhecimentos históricos; e o domínio de
outras ciência que aplica alguns contributos.

Neta senda, nos tornou claro que o sucesso do método por descoberta perpassa pela
pesquisa histórica que por sua vez não dispensa a existência de várias fontes históricas
desde orais, escritas e matérias.

Por sua vez, o sucesso da pesquisa histórica que è o alicerce do método por descoberta
exige o domínio de um diversificado campo de conhecimentos histórico bem como de
outras ciências auxiliares de história que tem cota parte no tema em estudo.

7 Método progressivo, regressivo e genérico.

Estes métodos são de profunda importância uma vez que procuram abordar as fontes
históricas quer do presente para o passado ou do passado para o presente para além de
efectuar relações entre a causa e os efeitos de um determinado conhecimento.

7.1conceito de método progressivo, regressivo e genérico.

Método progressivo, baseia se na sequencia cronológica dos acontecimentos históricos,


desde os mais antigos aos mais recentes.
15

Método regressivo, consiste no estudo da história, partindo do período contemporâneo para os


mais antigos.

Método genérico, fundamenta se na explicação do processo histórico com base na relação


causa/efeito entre os acontecimentos. Esta sempre presente na qual se ordena os acontecimentos
duma forma inter-relacionada.

7.2 Importância dos métodos: progressivo, regressivo e genérico.

O movimento progressivo-regressivo se constitui como uma forma de compreender o sujeito, na


medida em que busca se amparar em análises que percorrem as sínteses totalizadoras, tanto das
singularidades como do colectivo. Visa o movimento de totalização histórica da singularidade
na intersecção da totalidade histórica geral, uma esclarecendo a outra, ambas imbricadas, porém
irredutíveis,

[...] pois a totalidade dialéctica deve envolver os actos, as paixões, o trabalho e a necessidade,
bem como as categorias económicas; ela deve colocar ao mesmo tempo, o agente ou o evento
no conjunto histórico, definindo-o em relação à orientação do futuro, e determinar exactamente
o sentido do presente enquanto tal (MACIEL, 1986, p. 164).

Ao buscarmos o duplo movimento que vai da singularidade à universalidade, retornando a esta


singularidade, sempre dentro da perspectiva histórica (passado/futuro), podemos estabelecer
uma síntese horizontal, que é relativa à temporalidade, e uma vertical, relativo a singularidade
na multiplicidade (MAHEIRIE, 1994).

A compreensão, diferente de algo abstracto e isolado, ocorre concretamente, sendo um


momento da praxis que transforma tanto o objecto como o sujeito que o estuda, situando-os em
sua condição objectiva e subjectiva de devir. Na medida em que a condição humana é entendida
como dialéctica, torna-se impossível ao pesquisador ausentar-se da relação com o seu objecto.

Nesse sentido, para garantir a objectividade da pesquisa, os princípios ou a perspectiva teórico-


metodológica da qual o pesquisador parte, devem ser elucidadas e compreendidas como parte da
pesquisa.

Para a elaboração da compreensão são necessários dois momentos específicos. O


primeiro da cumplicidade ou analítico regressivo, e o segundo, da criticidade ou
histórico genético. A descrição fenomenológica é fundamental para a efectivação do
método. Partindo da premissa de que ser e aparecer são a mesma coisa, a descrição tem
por finalidade trazer a tona a situação do ponto de vista do sujeito que a retrata,
contextualizando-a na existência do mesmo com toda sua significação e vivência.
Resulta num exercício de "olhar com o olhar do outro", o que, ao mesmo tempo,
esclarece para o sujeito e para o pesquisador o fenómeno vivido.
16

8.Conclusão.
Para que o processo de ensino de história tenha resultados satisfatórios, è necessário que
antes de nada, os professores desta cadeira tenham profundos conhecimentos científicos
e da pedagogia em geral e em particular a didáctica de história.

A democratização do ensino, por um lado, aumenta a probabilidade para o alcance dos


objectivos preconizados, visando um ensino para todos com prioridade a participação
conjunta na delineação dos objectivos educacionais. Nisto, a escola è responsável por
incutir o espírito do mutualismo, respeito e solidariedade na vida das comunidades.

O sucesso educativo, não só depende do professor, mas sim da convergência


significativa e produtiva entre o professor, aluno, matéria a ser medida, uso de métodos
claros que satisfazem os objectivos desejados para além da intervenção positiva da
comunidade em que este tem lugar. O sucesso no processo de ensino de história
depende de todos os intervenientes deste processo e uma coordenação permanente entre
as políticas educativas e a realidade dos alunos no terreno.

O professor representa as normas e condutas aceitáveis pela mesma sociedade e cabe


lhe transmitir as novas gerações com todo rigor, amor e paciência com a sua prática
lectiva, portanto, o professor de história deve procurar se adaptar as vivências da
sociedade em que estiver inserido.

O processo de ensino activo, induz-nos aos objectivos extremamente positivos,


centrando o ensino no aluno, principal objecto do ensino, devendo prioridade sempre
que possível a pesquisa histórica vector primordial da descoberta de novos
conhecimentos.
17

9.Referencias bibliográficas.
GOLIAS, Manuel. Educação Básica: Temáticas e Conceitos, Maputo, 1999.

HAIDT, Regina Célia C. Curso de Didáctica Geral. 8ª Edição, Ática, são Paulo, 2006.

INDE/MINED. Plano Curricular do Ensino Básico: Objectivos, estrutura, planos de


Estudos e Estratégias de Implementação. Maputo, 2008.

JOÃO, Maria Isabel. Didáctica de Historia. UEM. Maputo, 1983.

LIBANEO, José Carlos. Didáctica Geral. São Paulo. 1992.

LOBO NETO, F.J. da S.” Ensino personalizado ou Individualizado” Psicologia


Educacional. Rio de Janeiro. 1972.

PROENÇA, Maria Cândida. Didáctica de História - textos complementares, Livros


Horizontes. 1989

MENDES, José M Armando. História com ciência - fontes, Metodologias e teorização.


Coimbra Editora.1987.

PROENÇA, Maria Cândida. Didáctica de História. Universidade Aberta. 1990.

GANI, Nazir & COSSA, Ermelindo. Didáctica de História II. Beira: UCM. 2015.

Você também pode gostar