Você está na página 1de 2

Por volta do século 16 a alimentação cotidiana na AÇAFRÃO

África, que foi incorporada à comida brasileira pelos O açafrão é uma especiaria vermelho-cor dourada
escravos, incluía arroz, feijão, sorgo, milho e cuscuz. A derivada da flor do açafrão (Crocus sativus). Utilizados
carne era predominante de caça (antílopes, gazelas, principalmente como tempero e coloração de pratos na
búfalos e aves). Os alimentos eram preparados assados, cozinha, o açafrão também tem inúmeros benefícios à
tostados ou cozidos. Como tempero utilizava-se saúde o que o torna uma das ervas mais poderosas da
pimentas e óleos vegetais como o azeite-de-dendê. natureza.
A alimentação dos escravos nas propriedades ricas
incluía canjica, feijão-preto, toucinho, carne-seca,
laranjas, bananas, farinha de mandioca e o que
conseguisse pescar e caçar; e nas pobres era de farinha,
laranja e banana.
AZEITE DE DENDÊ
Os temperos utilizados na comida eram o açafrão, o O azeite de dendê, azeite de dendém ou óleo de palma
óleo de dendê e o leite de coco. O cuscuz já era é um óleo popular nas culinárias africana e brasileira e,
conhecido na África antes da chegada dos portugueses também, no candomblé. É produzido a partir do fruto
ao Brasil, e tem origem no norte da África, entre os da palmeira
berberes. conhecida como
No Brasil, o cuscuz é consumido doce, feito com leite e dendezeiro (Elaeis
leite de coco, a não ser o cuscuz paulista, consumido guineensis),
com ovos cozidos, cebola, alho, cheiro-verde e outros originária do oeste
legumes. O leite de coco é usado para regar peixes, da África.
mariscos, arroz-de-coco, cuscuz, mungunzá e outras
iguarias.
COENTRO BABOSA
Embora de origem incerta, sabe-se que os antigos Babosa Aloe succotrina e Aloe vera são espécies de
egípcios já a utilizavam para embalsamar os corpos e plantas conhecidas
como planta medicinal (a ele se popularmente
atribuíam propriedades como babosa, gel
digestivas, calmantes e, quando natural e aloés.
usado externamente, para alívio São nativas do
de dores das articulações e norte de África.
reumatismos).

COMINHO MANJERICÃO
Os cominhos são de O manjericão (também
origem do chamado de alfavaca,
Mediterrâneo Oriental e alfavaca cheirosa ou
do Egito. Hoje em dia basilicão) (Ocimum
são cultivados na África basilicum) é uma planta
do Sul e nos Países do perene que mede
Oriente Médio, Índia e aproximadamente 60 cm
México. de altura, sendo originária da Ásia e África.

ALECRIM ARRUDA
Em templos e igrejas, o alecrim é queimado como Uma crença popular de raiz
incenso desde a antiguidade. Na africana, remontando aos
Igreja Ortodoxa grega, o seu tempos coloniais, dita que os
óleo é utilizado até aos nossos homens usem um pequeno
dias, para unção. galho de folhas por cima de
Nos cultos de religiões afros, uma orelha, ou que um galho
como umbanda e candomblé, é utilizado em banhos e das mesmas seja mantido no ambiente, para espantar
como incenso. maus espíritos.
ESPADA DE SÃO JORGE GARRA DO DIABO
Para as religiões afro-brasileiras, a Um fazendeiro de origem alemã, que se instalou na
Sansevieria trisfasciata é conhecida África do Sul, passou a cultivar essa planta e a exportou
por espada-de-ogum (quando tem para a Europa, difundindo o
coloração verde) ou espada-de- seu uso como suporte no
oxóssi (bicolor, com bordas tratamento de doenças
amarelas), possuindo o poder de reumáticas ou degenerativas
afastar vibrações negativas e outras das articulações, tendinites e
forças do mal. outros tipos de dores como
dor de cabeça, lombalgia e
dores menstruais.

MACAXEIRA URUCUM
A macaxeira desempenha um papel vital na segurança A China, a Índia, o Peru, o Quênia e toda a África
alimentar das economias Tropical Úmida
rurais dos países da África implementaram, na década de
subsaariana devido à sua 1980 a cultura do urucum,hoje
resistência à seca, baixa muito usado como tempero,
fertilidade do solo e embora suas origem ser
pragas. americana.

LEITE DE COCO Gengibre


Seu uso culinário é fundamental e típico no sul da Índia, Planta originária da Ásia, de raízes aromáticas, utilizada
mais especificamente no Kerala e na cozinha como condimento. Foi posteriormente introduzida no
Thailandesa. Por aqui, nos trópicos americanos, ele é Japão, nas Antilhas, na
fundamental na cozinha América do Sul e na África
baiana e em muitos doces ocidental pelo seu sabor
típicos da confeitaria forte hoje é muito
afrobrasileira. apreciado pelos africanos.

PIMENTA
Povos africanos
trouxeram traços para a
culinária, como o gosto
por temperos fortes,
especialmente o azeite
de dendê e as pimentas.