Você está na página 1de 7

A Escala nos Mapas: uma pequena introdução

Prof. Jader Janer

...Naquele Império, a Arte da Cartografia atingiu uma tal


perfeição que o Mapa de uma só Província ocupava toda uma
Cidade, e o Mapa do Império, toda uma Província. Com o
tempo, esses Mapas Desmedidos não satisfizeram e os
Colégios de Cartógrafos levantaram um Mapa do Império que
tinha o tamanho do Império e coincidia ponto por ponto com
ele. Menos Apegados ao Estudo da Cartografia, as Gerações
Seguintes entenderam que esse extenso Mapa era Inútil e não
sem Impiedade o entregaram às Inclemências do Sol e dos
Invernos. Nos Desertos do Oeste subsistem despedaçadas
Ruínas do Mapa, habitadas por Animais e por Mendigos. Em
todo o País, não resta outra relíquia das Disciplinas
Geográficas.
(Suárez Miranda: Viajes de varones prudentes, livro quarto,
cap. XIV, Lérida, 1658) do livro de Jorge Luis Borges, "História
Universal da Infâmia")

Esse conto citado no livro de Jorge Luis Borges nos leva a pensar sobre a
cartografia, sobre os mapas e sobre um de seus elementos: a escala. De que
adiantaria fazer um mapa do Império que tivesse o tamanho do Império? Ele atenderia
aos objetivos da confecção de um mapa? Seria funcional? De fato isso é possível?

Sabemos que o mapa é uma representação de algum lugar, de uma parte de


uma localidade, de um país, de um continente e/ou inclusive do mundo como um todo
(veja, por exemplo, os Planisférios, são mapas que buscam representar a superfície
terrestre). Mas sempre que vamos representar algum lugar, uma das técnicas
utilizadas é a redução desse local, ou seja, para sua funcionalidade, o local que está
sendo representando, geralmente é ”desenhado” em um tamanho bem menor do que
é na realidade!

Por isso um dos elementos dos mapas (além dos outros que já vimos, como o
titulo, o subtítulo, a legenda e orientação) é a escala. Ela é um elemento fundamental,
pois, como é impossível fazer a representação dos lugares sem uma redução, a escala
irá orientar a relação entre o que está sendo representado e a representação
propriamente dita, ou seja, é a escala que faz a relação de tamanho entre a realidade
e o desenho, entre a realidade e o mapa.

Vamos fazer uma atividade que ajudará você a entender melhor o que estamos
dizendo:

- Escolha a tampa de uma mesa ou outra superfície qualquer de um objeto da sua


casa, o ideal é que ela seja quadrada. Escolheu? Agora faça o seguinte, conte quantos
palmos ela tem nas quatro direções:

. Se passar ou faltar um pouco não tem problema, pode arredondar. Agora faça um
desenho desse objeto da realidade, mas vamos fazer usando a seguinte regra:

Cada 01 palmo na realidade (tampa da mesa) vai ser igual a 1 cm no seu desenho,
pegue uma régua para isso. Faça o desenho! Conseguiu?

Fácil não? Digamos que a tampa da mesa que você escolher tenha dado 5 palmos
numa direção e 10 palmos na outra (isso nos dois lados), seu desenho será um
quadrado com 5 cm dos dois lados menores e 10 cm nos dois lados maiores!!! Viu
você fez a redução de algo da realidade para uma representação, mas fez isso usando
uma regra, essa regra é a escala (que aqui é 1 palmo= 1cm).

- Vamos a outra atividade: Vá até um dos quartos da sua casa. Calcule quantos passos
ele possui em cada direção. Conte! Vamos lá! Também arredonde se precisar!

Agora faça o desenho do contorno de seu quarto, mas usando a seguinte relação:

. Cada 01 passo na realidade (quarto) = 1 cm no desenho

Viu? Bem simples não é? Observe que essas “regras” estabelecem a relação entre o
tamanho do espaço (ou objeto) na realidade e o seu desenho (a representação).

Essa regra que faz a relação entre a realidade e o desenho é o que chamamos de
ESCALA.
E se você está achando estranho utilizar partes do corpo para medir, lembre-se
que durante muito, muito tempo várias regiões no mundo faziam isso, pois a
unificação dos sistemas de medidas é bem recente em nossa história. Até hoje alguns
países continuam usando esses nomes, por exemplo: pés e polegadas ainda estão
presentes em algumas áreas do mundo.

- Vamos a mais uma atividade. Escolha um livro qualquer (de preferência os de


formato quadrado). Agora use o seu polegar, vá colocando um do lado do outro e
veja quantos polegares tem em cada direção. Faça a representação desse livro usando
a seguinte escala:

. Cada polegada na realidade= 0,5 cm no desenho.

Veja ai, no livro que usei temos as seguintes medidas:


(14 polegares nessa direção e embaixo)

(18 polegares nesse lado


e no outro também)

Nesse caso a escala é 1 polegar = 0,5 cm, então teremos um desenho com 7 cm
(metade de 14) na parte de cima e debaixo e 9 cm em cada lado!

Viu, escala é muito, muito fácil! Você pode fazer várias atividades com as
crianças quando estiver trabalhando a representação espacial, elas podem medir a
tampa da carteira, um corredor da escola, uma sala de aula, um pátio, um caderno ou
livro qualquer. O importante é que ela perceba que a representação (ou o mapa) que
se faz entre a realidade e o desenho não é feito de qualquer forma, sempre tem uma
regra (escala) a ser seguida.
Mas desde que as unidades métricas se tornaram padrão no mundo, se
estabeleceu que elas também fossem utilizadas nos mapas. Por isso você, raramente
acha um mapa cuja escala usa as partes do corpo (pois esses variam de tamanho de
pessoa para pessoa, antigamente, por exemplo, se padronizava a partir das partes do
corpo de um rei ou uma rainha, não acredita? Leia o Box abaixo). Mas ao trabalhar
com as crianças, usar as unidades do corpo (palmos, passos, polegadas) é um recurso
importante para elas entenderem a escala (e a sua função no mapa, que é a relação
de tamanho entre o mapa e a realidade).

LEIA ISSO
A unidade de medida denominada polegada
foi criada pelo rei Eduardo I, da Inglaterra,
durante o século XVI. Sua origem está
ligada à medição utilizando o próprio
polegar, consistindo na largura entre a base
da unha e a ponta do dedo. A média do
polegar de um humano adulto corresponde a
aproximadamente 2,54 centímetros.

O que mudou com a admissão do sistema métrico foi apenas introduzir a


unidade métrica nos dois lados da escala. Veja: Vamos voltar ao seu livro, pegue a
régua. Quantos cm ele possui em cada direção. No caso do meu foi:

20 cm nessa direção
(30 cm nessa direção)
Agora vamos fazer a representação, mas usando a seguinte escala:
- Cada 01 cm na realidade = 0,5 cm no desenho (eu terei um desenho com 10 cm
numa direção –metade do 20 cm e com 15 cm de altura, metade do 30).

Escala é isso! Simples, não?!

Faça a medida do contorno do seu quarto e o represente na seguinte escala,


use uma fita métrica:

- Cada 01 metro no quarto = 01 cm no desenho.

Observe que ao utilizarmos as unidades métricas dos dois lados estamos


trabalhando de forma mais precisa. E é, exatamente, assim que os mapas trabalham.
Você já deve ter visto as escalas no mapa, geralmente, elas aparecem centralizadas na
parte debaixo do mapa.

Minha Localidade S

Legenda
Escala:

1:100 0000
Nesse mapa, por exemplo, a escala é 1:100 000 (Lê-se um por cem mil). Essa escala é
chamada de Escala Numérica. Para sabermos a relação entre a realidade e o desenho
basta acrescentarmos mesma unidade métrica dos dois lados. Nos mapas a primeira
parte representa o mapa e a outra a realidade.
Veja:

1: 100 000 – Isso significa que cada 1 cm nesse mapa= 100 000 cms na realidade.

Arrume as escalas abaixo:


a) 1:300 000
b) 1: 450 000

Se você quiser, pode mudar a unidade do lado da “realidade” para facilitar seu
entendimento, mas só depois que “arrumar” a escala. Para isso utilize os seus
conhecimentos sobre o sistema Métrico.
Por exemplo:
Num mapa com a seguinte escala: 1: 2 000 000
Arrumamos primeiro:
1cm no mapa = 2 000 000 cm na realidade isso quer dizer que:
1cm no mapa = 20 Km na realidade. (Podemos, utilizando o sistema decimal, trocar as
unidades, mas temos que primeiro colocar a mesma unidade de cada lado, só depois,
cortando ou acrescentando os zeros, ou a vírgula, do lado da realidade, pode-se ser
feito a troca. No caso, para passar de cm para km devemos cortar 5 zeros). Mas isso é
só se você quiser, poderíamos manter os zeros e os cm de cada lado, normalmente.

Agora você já sabe o que significa a escala no mapa. Quando ver aquele
número, já sabe como arrumar, ou como pegar uma realidade qualquer (como fez com
seu quarto) e fazer uma representação criando uma escala.
No conto que abre esse texto, quando os cartógrafos fizeram um mapa do
tamanho do reino, eles usaram uma escala também, só que 1:1 (cada 1 cm no mapa=
cm na realidade), por isso o mapa teve o mesmo tamanho do mundo real.
Mas antes de terminar, é importante lembrar que alguns mapas não trazem a
escala numérica, mas sim a escala gráfica. Calma! Não se preocupe, ela é tão simples
como a escala numérica. Observe:

Minha localidade S

Essa escala é direta, basta você medir quantos cm (ou outra unidade na régua)
tem o cada trecho da escala e você terá sua correspondência em km, por exemplo,
vamos supor que do Zero até o 50, você tem 1cm, isso significa que cada 01 cm no
mapa é igual a 50 km na realidade. Observe que o Km já está indicado na parte
superior. Bem fácil também não é?

(1 cm)
Dê uma passeada em vários mapas e descubra as suas escalas, ou seja, as
relações entre a representação e a realidade! E faça uma boa viagem por vários cantos
do mundo!