Você está na página 1de 10

Atividade Pratica Física-Eletricidade

Engenharia de Produção – UNINTER

Marcos Antônio Alves Araújo RU 2380710

29 O efeito de um campo elétrico no


movimento de partículas
5- Qual o comportamento do ponto luminoso na tela de fósforo verde à
medida que a diferença de potencial entre as placas aumenta? Por quê?
O ponto luminoso se move para a esquerda. O ponto iluminado
(Indicador da movimentação de
cargas (-q)) sofre um desvio devido a influência do aumento de potencial do
campo elétrico.

6- Aumente a corrente elétrica do canhão de elétrons para 1ª,


clicando acima do dígito das centenas no controlador (o segundo visor
da esquerda para a direita). O que acontece com o ponto luminoso na
tela de fósforo verde?
Por quê?
O ponto luminoso se move p ara a direita. Aumentando a corrente
elétrica o s pontos iluminados ficam menos sensíveis ao efeitos do campo
elétrico

7- O que acontece com o ponto luminoso quando você aumenta a


energia cinética do feixe de elétrons?
Por quê?
O ponto luminoso se move para a direita.
Quanto maior for a energia cinética dos elétrons emitidos pelo canhão
de elétrons, menos sensíveis eles serão aos efeitos do campo elétrico
externo aplicado para tentar desviar sua trajetória.

9- Devolva o canhão d e elétrons arrastando para ao balcão d o


almoxarifado (Stockroom). Clique no almoxarifado para entrar e clique
duas vezes no canhão de elétrons para devolve -lo à prateleira. Clique
duas vezes na fonte de partículas alfa (Alpha Source) para seleciona
-la ou arraste-a para o balcão. Clique na seta verde Return to Lab para
voltar à bancada. Arraste a fonte de partículas alfa para a mesa,
colocando-a no mesmo lugar em que estava o canhão de elétrons.
Clique (On/Off) para abrir a janela da fonte de partículas.
Qual a posição do ponto luminoso na tela de fósforo?

No centro da tela.

10- Altere o campo elétrico de V (volts) pa ra kV (quilovolts) clicando


no botão acima da unidade (tem que aparece r uma mãozinha),
observe que o movimento do ponto luminoso enquanto você aumenta
a diferença de potencial d e 0 kV para - 5,9 kV, é pequeno. Qual o
lado que o ponto luminoso se deslocou?
O ponto luminoso se deslocou levemente para a esquerda.
11- Por que é necessário uma diferença de potencial maior para
mover as partículas alfa em relação ao feixe de elétrons?
Porque a energia das partículas alfa é muito maior do que a dos elétrons,
pois elas são maiores
tanto em massa quanto em carga.

12- Qual o comportamento do feixe quando mudamos o sinal para positivo?


Vemos que o feixe de partículas alfa se desloca para a direita.

13- Do que é formada uma partícula alfa?


Uma partícula alfa é o núcleo de um átomo de hélio, ou seja, tem 2 prótons.

30 Capacitores
Entender o armazenamento de energia potencial elétrica observando a
relação entre a fase de carga e descarga de um capacitor.

1 Introdução.
Capacitores são componentes que armazenam energia em u m campo
elétrico, acumulando desequilíbrio interno de carga elétrica. Eles são
constituídos de duas p lacas condutoras separadas por um material
dielétrico. A carga é armazenada nas placas condutoras. Porém, como
cada placa armazena cargas iguais, a carga total do dispositivo é sempre
nula.
A propriedade de armazenar energia elétrica sob a forma de campo
elétrico é denominada capacitância, e é medida em Farads(F). A
capacitância pode ser calculada dividindo -se a quantidade de carga
armazenada pela diferença de potencial entre as placas. Neste
experimento, examinaremos os diferentes capacitores e a voltagem
máxima em que eles operam

2 Procedimento Experimental.
1-Abra o Virtual Physics e clique em Capacitors na lista de experimentos. O
laboratório virtual vai abrir a bancada de circuitos elétricos (Circuits).

2- No momento que você abre o experimento existe um resistor e um


capacitor ligado a uma fonte de alimentação com 10V (chamado de
gerador de f unção), esta fonte está desligada. O resistor é utilizado
para aumentar o tempo de carga e descarga do capacitor.

3- Se observarmos o circuito temos um multímetro medindo a tensão


(voltagem) e um
osciloscópio também ligado ao capacitor. Para ligar o osciloscópio
clique em cima dele e arraste para não atrapalhar a visualização da
mesa de experimentos.
4- Precisamos medir a tensão e o tempo, usando um cronômetro,
anote e elevação de tensão a cada 10s. Para dar início ao experimento,
clique na prancheta do lado direito e selecione o item 6 , Charging
Capacitor. S eja rápido pois tem que medir a tensão cada 10s, talvez
precise de alguém para ajudar a cronometrar. Anote todos os dados até o
capacitor chegar em 10 V.

3 Análise e Conclusão

Tabela de carga do capacitor tensão em função do tempo:


Tabela de dados

Medida Tempo (s) Tensão (V)

1 0 0
2 10 111
3 20 205
4 30 300
5 40 399
6 50 495
7 60 590
8 70 683
9 80 780
10 90 868
11 100 960
12 110 10

5- Se precisarmos armazenar mais energia, temos que aumentar a


capacitância. Por quê?
Porque a quantidade de carga que será armazenada é limitada pela
capacitância.

6- Se precisarmos diminuir o tempo d e carga de um capacitor quais


os componentes que podemos alterar no circuito?
Podemos alterar o s resistores. A função do resistor R é controlar o tempo
de carga e descarga do capacitor. O tempo de carga depende
diretamente d o produto RC. O capacitor irá permitir a passagem de
uma quantidade determinada de corrente, para que o capacitor possa
se carregar.

Logo, se for acrescentado um resistor em serie no circuito , ele


aumentará o tempo de carga e descarga, pois a corrente teria uma maior
dificuldade para se encontrar ao capacitor.

7- Agora vamos descarregar o capacitor, clique no botão Reset Lab


no canto inferior da mesa.
Clique na prancheta do lado direito e selecione o item 7, Discharging
Capacitor, descarregando o capacitor, onde temo s um circuito de
descarga de um capacitor. Anote na tabela os valores da tensão a
cada 5s de tempo de descarga até chegar em 0V, em seguida
realize os gráficos da tensão em função do tempo.

Tabela de dados

Medida Tempo (s) Tensão (V)


1 0 10V
2 5 6,622
3 10 4,329
4 15 2,769
5 20 1,787
6 25 1,168
7 30 0,704
8 35 0,446
9 40 0,276
10 45 0,164
11 50 0,105
12 55 0,068
13 60 0,041
14 65 0,025
15 70 0,015
16 75 0,009
17 80 0,006
18 85 0,003
19 90 0,002
20 95 0,000
8- Porque nos aparelhos eletrônicos existe uma advertência para tomar
cuidado ao abrir?
Porque os capacitores podem estar carregados, onde mesmo desligado
pode ocasionar
acidentes como explosão do capacitor e choque elétrico.

4 Conclusão
Neste experimento, compreendeu-se a importância da con stante de
tempo na carga de um capacitor, em um circuito. Capacitores sã o
componentes que armazenam energia em um campo elétrico,
acumulando desequilíbrio interno de carga elétrica. Eles são
constituídos de duas placas condutoras separadas por um material
dielétrico. A carga é armazenada nas p lacas condutoras.
Porém, como cada placa armazena cargas iguais, a carga total do
dispositivo é sempre nula.

5 Referências
FÍSICA I - MECÂNICA Autor: Sears & Zemansky / Young & Freedman
Halliday, Resnick, Walker, Fundamentals of Physics, John W iley & Sons,
Nova York (1997), 5
ed. http://pt.wikipedia.org/wiki/Capacitor SCRIBD

32 Circuitos em Série e em Paralelo

A associação de resistores é muito comum em vários sistemas,


quando queremos alcançar um nível de resistência em que somente
um resistor não é suficiente. Qualquer associação de resistores será
representado pelo Resistor Eq uivalente, que representa a resistência
total dos resistores associados

1 Introdução.
A associação de resistores é muito comum em vários sistema s,
quando queremos alcançar um nível de resistência em que somente
um resistor não é suficiente. Qualquer associação de resistores será
representado pelo Resisto r Equivalente, que represe nta a resistência
total do s resistores associados.
Em uma associação em série d e resistores, o resisto r equivalente é
igual à soma de todos os resistores que compõem a associação. A
resistência equivalente de uma associação em série
sempre será maior que o resistor de maior resistência da associação.
Em uma associação em paralelo d e resistores, a tensão em todos os
resistores é igual, e a soma das correntes que atravessam os
resistores é igual à resistência do resistor equivalente (no que nos
resistores em série, se somava as tensões (V), agora o que se soma é a
intensidade (i)).
A resistência equivalente de uma associação em paralelo sempre se rá
menor que o resistor d e menor resistência da associação.

2.Procedimento Experimental.

1- Inicie o Virtual Physics e selecione Series and Parallel Circuits na lista de


experimentos. O
programa vai abrir a bancada de circuitos elétricos (Circuits).

2-Se observarmos a imagem acima a fonte de alimentação está


ligada e fornecendo 12 V DC, e conectada a o protoboard (matriz de
contatos). Neste experimento vamos montar nossos próprios circuitos.
Clique no símbolo do resistor e arraste para a área do circuito. Se
você quiser movimentar o resistor é só clicar no símbolo e quando
aparece um ponto azul você pode movimenta-lo. Para fazer as
conexões você clica n a extremidade d o resistor onde aparece um
ponto azul podendo conectar a outros dispositivos. Do lado direito
você tem um protoboard com os elementos do circuito.
3-No esquema, coloque cinco resistores em série utilizando o símbolo
do resistor no topo.
Comece conectando o primeiro resisto r à extremidade solta do
gerador de funções. Em seguida, arraste outro resistor e coloque o ao
lado da extremidade solta do primeiro resistor. Faça isso até ter cinco
resistores em série. Complete o circuito conectando o último resistor
à fonte de alimentação. 4-Altere a resistência dos resistores p ara os
valores encontrados na tabela abaixo. Assuma que o resistor R1 é o
resistor conectado ao lado positivo da alimentação e o resistor R5 é
o resistor conectado ao lado negativo.

3 Análise e Conclusão
Tabela de dados Resistor Resistência (homs)
1 100
2 200
3 200
4 2000
5 2000

6-Utilizando o multímetro, no modo para medir a corrente e a diferença


de potencial passando em
cada resistor. No esquema, o símbolo p ara o multímetro contém as letras
DMM (digital voltmeter) no meio. Clique e arraste a extremidade
vermelha para um dos lados do resistor. Ela deve travar no local
adequado. Clique e arraste a extremidade preta para o outro lado do m
esmo resistor para medir a queda de tensão no resistor. Você pode ler
a tensão e a corrente no painel do multímetro amarelo. Para medir a
corrente, mude o multímetro de VDC para IDC. Anote seus dados na
tabela abaixo. Quando utilizamos no modo amperímetro no laboratório
virtual as duas pontas de prova ficam juntas, ou seja, ele mede a
corrente que passa por aquele ponto. Já o voltímetro mede a tensão
entre dois pontos, por isso ele deve estar conectado em cada um
dos lado s do resistor.

Resistor Resistência (homs) Tensão (V) Corrente (A)


1 100 0,267 0,003
2 200 0,534 0,003
3 200 0,533 0,003
4 2000 5,333 0,003
5 2000 5,333 0,003

7-Em seguida, utilizando os mesmos resistores com seus respectivos


valores monte um circuito em paralelo.

8- Utilizando o voltímetro na escala V DC e o amperímetro I DC


realize a s medidas de tensão e correntes em ca da um dos 5 resistores
usados no item 4 d a tabela. Faça as medições e preencha a tabela abaixo.

Resistor Resistência (homs) Tensão (V) Corrente (A)


1 100 11,75 0,117
2 200 11,75 0,059
3 200 11,75 0,059
4 2000 11,75 0,006
5 2000 11,75 0,006

9-Qual grandeza que permanece constante e o que varia no circuito em


série?
A corrente é mantida constante e a voltagem é variada ao longo de cada
resistor.

10-O que permanece constante e o que varia no circuito em paralelo?


A voltagem é mantida constante e a corrente que passa sob cada resistor é
variada.

11- Resumindo qual a diferença de um circuito em série e um circuito em


paralelo?
No circuito em série a co rrente é a mesma e o que é varia a
voltagem. No circuito em paralelo a
voltagem é a mesma e o que varia é a corrente.

12- Dê um reset no experimento e monte um circuito com 3


lâmpadas em série. O símbolo para lâmpada é um círculo branco com
um x no meio. Ligue a s lâmpadas em 50V. Verifique se acendem. Se
retirar uma lâmpada, o que acontece?
O circuito estando e m sé rie se tirarmos uma das lâmpadas do
circuito, a outra lâmpada apaga -se instantaneamente. Num circuito
elétrico, os elétrons deslocam -se do polo positivo (+) para o polo
negativo (-). Ao retirar uma das lâmpadas do suporte, o fluxo de
elétrons no fio elétrico é
impedido.

13-Dê um reset no experimento e ligue 3 lâmpadas em paralelo com


a fonte de alimentação em 50V. O que acontece com o brilho das
lâmpadas? O que acontece se você retirar uma lâmpada sem
interromper o circuito?
A luminosidade das lâmpadas é muito maior do que quando ligadas em
série.

As lâmpadas funcionam de forma independente uma da outra, se uma das


lâmpadas é retirada, a
outra lâmpada continua acesa.

4 Conclusão

Concluímos que a montagem de um circuito depende de sua finalidade e


que cada um possui uma particularidade em um circuito em série obtemos
um único valor de corrente ao longo do circuito e que os valores da
diferença de potencial e da resistência são inversamente proporcionais
entre si, já em um circuito em paralelo o valor da diferença de
potencial é constante em todo o circuito e que os valores da
corrente e d a resistência são
proporcionais entre si.
Concluímos também que para realizarmos uma correta m edição do
valor da corrente, em circuito em série, utilizando o amperímetro
devemos utilizá -lo em série e devemos utilizar o voltímetro em
paralelo para registrarmos um correto valor da voltagem em um circuito em
paralelo.

5 Referências
1 – HALLIDAY, David; HESNICK, Robert; W ALKER, Jearl. Fundamentos de
Física. Vol. 3, 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1996. p. 114, 138, 141.

2 – Associação de Resistores. Disponíve l em:


<http://www.efeitojoule.com/2008/07/associacao-de-resistores.html>.

3 – YOUNG, Hug D.; FREDMAN, Roger A. Física III: eletromagnetismo. 12.


ed, São Paulo: Pearson Addison W esley, 2009.p. 169.

2
4
6
8
10
12
0
0.002
0.003
0.006
0.009
0.015
0.025
0.041
0.068
0.105
0.164
0.276
0.446
0.704
1.168
1.787
2.769
4.329
6.622
10
TEMPO ( S)
TENSÃO (V)
Descarregand
o o Capacitor
Tensã  16 páginas