Você está na página 1de 11

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

SERVIÇO SOCIAL

LAUDINEIA DE SOUZA SARTORE

RESENHA CRÍTICA

Eunápolis (Ba)
Outubro - 2011
LAUDINEIA DE SOUZA SARTORE

RESENHA CRÍTICA

Trabalho Interdisciplionar, individual, apresentado ao


Curso de Graduação em Serviço social da UNOPAR -
Universidade Norte do Paraná.

Prof. Adarly Rosana Goes, Lisnéia Rampazzo, Márcia


Bastos, Sérgio de Goes Barboza.

Eunápolis (Ba)
Outubro – 2011
“O poder não corrompe, o medo corrompe.
Talvez o medo de perder o poder”.

John Steinbeck.
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 04

DESENVOLVIMENTO 06

CRÍTICA 08

BIBLIOGRAFIA 10
04

INTRODUÇÃO

O título da obra a ser resenhada é “Legitimidade Popular e Poder


Público”, sendo que a resenha abrangerá aprenas o capítulo II , cujo sub título é
“Trajetoria do Serviço Social no Brasil”.

A obra foi publicada pela Editora Cortez, São Paulo, em 1988, cujo
autor é Raquel Raichelis.

Raquel Raichelis, cujo nome completo é raquel Raichelis


Degenszajn, é professora do Programa de estudos Pós-Graduados em Serviço
Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em 1971, possui
mestrado em Serviço social pela PUC-SP em 1986 e doutorado em Serviço Social
pela PUC-SP em 1997.

É professora assistente-doutora do Departamento de Fundamentos


do Serviço Social da Faculdade de Serviço Social da PUCSP, professora do
Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social da PUCSP, pesquisadora
do Instituto de Estudos Especiais da PUCSP nas áreas de gestão pública e políticas
sociais/ política de assistência social, consultora no campo da gestão pública,vice-
coordenadora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social da
PUCSP (2005-2007), Vice Reitora Acadêmica da PUCSP (2000-2004). Docente e
pesquisadora da área de Serviço Social nos seguintes temas: fundamentos teórico-
metodológicos do serviço social, trabalho e profissão, política pública de assistência
social, sociedade civil e processos de democratização, estado e política social,
gestão pública e controle social. Integra conselhos editoriais das Revistas: Serviço
Social e Sociedade, Em Pauta, Inscrita e Plurais, é autora de livros e artigos em
revistas especializadas nas áreas de Serviço Social e Ciências Sociais 1.

A mesma possuí 10 produções bibliográfica em 2008, 05 em 2009,


09 em 2010 e 03 em 2011.

1
http://www.pucsp.br/pos/ssocial/professor/professor_degenszajn.htm
Possuí 19 produções técnicas em 2008, 14 em 2009, 08 em 2010.

05

Orientações concluídas possui 02 em 2008, 04 em 2009.

Produção artística/culturais possuí 04 4m 2008 e 06 em 2009.

Escreveu diversas obras, dentre elas:

RAICHELIS, Raquel. 2000. “Desafios da gestão democrática das políticas sociais”.


In: Capacitação em serviço social e política social. Programa de Capacitação
Continuada para Assistentes Sociais. Módulo 3. Política Social. Brasília:
CFESS/ABEPSS/CEAD/UNB. Centro de Educação Aberta, Continuada, a Distância
– Cead.

______. 2005. Esfera pública e conselhos de assistência social – Caminhos da


construção democrática. 3.ª ed. São Paulo: Cortez.

____________; ROSA, Cleisa. M. M. 1982. “Considerações a respeito da prática do


serviço social em movimentos sociais – Fragmentos de uma experiência”. Revista
Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 8, Ano III, março.

____________; ____________. 1985. “O serviço social e os movimentos sociais –


Análise de uma prática”. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 19, Ano
VI, dezembro.

______; WANDERLEY, Luiz Eduardo. W. 2004. “Desafios de uma gestão pública


democrática na integração regional”. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo,
n. 78: Cortez, julho.

_________. GESTÃO PÚBLICA E A QUESTÃO SOCIAL NA GRANDE CIDADE.


Lua Nova, São Paulo, 69: 13-48, 2006

Sua obra “Legitimidade Popular e Poder Público”, trata da natureza


contraditória do serviço social, expondo os acontecimentos concernentes ao tema,
obedecendo a uma ordem cronológica de acontecimentos.

Mas o principal objetivo desse trabalho interdisciplinar e individual do


curso de Serviço Social da UNOPAR é fazer uma resenha crítica apenas do capítulo
II desta obra cujo sub-titulo é “Trajetória do Serviço Social no Brasil”.
06

DESENVOLVIMENTO

O capítulo II da obra “Legitimidade Popular e Poder Público”, da


autora Raquel Raichelis, trata da trajetória histórica do Serviço social no Brasil e
analisa sua trajetória como profissão.

Segundo o texto, seguindo a linha da história, o Serviço Social foi


criado para cumprir tarefas da sociedade capitalista, fazendo a intermediação entre
o Estado e a população, ou seja surgiu na forma de Assistência social prestada por
pessoas leigas da Igreja Católica, a partir do final da década de 20, essas pessoas
eram mulheres da sociedade, que realizavam o trabalho como uma espécie de obra
de caridade da social.

O texto cita a criação da primeira Escola de Serviço Social do Brasil


que ocorreu em São Paulo, às vésperas da ditadura militar, no ano de 1936.

Conforme a autora naquela época o Serviço Social também era visto


como um departamento especializado em ação social, realizando ação preventiva
junto aos trabalhadores e nesse ínterim, as mulheres e crianças eram o alvo
prioritário de ação do Serviço social, principalmente durante a guerra onde foram
separadas de seus esposos.

Como dito anteriormente, a criação da profissão de Serviço Social


não partiu das demandas das classes trabalhadoras, mas sim, das necessidades
que o Estado e a classe dominante tinham de controlar o operariado, evitando
conflitos e garantindo a produção.

Então o Serviço Social era vinculado ao Estado e às empresas


privadas e seus profissionais eram assalariados e subordinados, prestando serviços
à classe trabalhadora, mas visando aos interesses da classe burguesa.

Com a implementação do capitalismo surge a necessidade da


criação de instituições humanizadoras que venha a atender às necessidades sociais
dos operários e então são criadas as instituições SESI, SESC, SINAI, LBA e outras.
07

O objetivo da criação dessas instituições era beneficiar os


trabalhadores produtivos e atender aos considerados como improdutivos, como
aposentados, acidentados, etc.

O texto não cita, mas a LBA era comandada pela primeira dama e
seus primeiro objetivo era ajudar às famílias dos pracinhas, ou seja, dos soldados
que estavam servindo na guerra.

Como essas instituições prestavam serviços diversos surgiu a


necessidade de as mesmas recrutarem profissionais do Serviço Social para servirem
de instrumento de incentivo à adesão a ordem vigente.

Ou seja, os profissionais do Serviço Social eram recrutados para


criar um elo harmonizante entre capital e trabalho, entre a classe dominante e a
classe de operários, no caso, a classe dominada que não poderia em hipótese
alguma se rebelar, e deviam ser mantidas sob controle pelos profissionais do
Serviço Social.

Com a crescente demanda ocorre a expansão das Escolas de


Serviço Social no Brasil para atender à necessidade cada vez maior de pessoal
capacitado na área.

Conforme citado no texto, no início da década de 60 ocorrem


transformações importantes no Serviço Social e dentre as mudanças destaca-se os
projetos de desenvolvimento de comunidades, ocorrendo também a incorporação de
propostas metodológicas como as de Paulo Freire, relacionadas à educação.

Com o aumento dos membros participantes da classe operária,


automaticamente também os problemas sociais cresceram e os profissionais de
Serviço Social passaram a ser considerados especialistas na área das “Relações
Humanas”, sendo incorporados às instituições privadas executoras das políticas
sociais e a partir desse momento os profissionais de Serviço Social viram-se
obrigados a atualizar-se para atender às novas demandas, não mais adotando as
práticas assistenciais e tradicionais, buscando novos métodos e estratégias de ação
que atenção à eficácia exigida pelas instituições e pelo Estado autoritário.

08

CRÍTICA

Trata-se de uma obra muito bem recomendada e de suma


importância para os que estão ingressando na profissão tendo em vista a vasta
experiência da autora, de onde pode-se colher informações importantíssimas para o
crescimento profissional na área do Serviço Social.

O Capítulo II, tema dessa resenha, conta resumidamente a história


do surgimento do serviço social no Brasil, dando inicio a uma reflexão sobre a
natureza contraditória da profissão desde o princípio de sua criação, bem como as
mudanças ocorridas tanto nas metodologias utilizadas pelo profissional, como em
seus objetivos profissionais, que divergem com o que ocorria no principio de sua
fundação.

Como não tive acesso à obra por completo, mas apenas ao capítulo
supracitado, pareceu-me pouco profundo, ou seja, faltou detalhes e um
aprofundamento maior sobre a história do Serviço Social no Brasil, bem como uma
linha do tempo, onde pudéssemos estar ligando épocas a acontecimentos.

Mas as apresentações de que trata o texto leva-nos a compreender


as idéias básicas sobre a história do surgimento dessa profissão, apesar de exigir
alguns conhecimentos prévios sobre alguns fatos históricos, bem como mostra-nos
as imensas possibilidades de trabalhos a serem realizados na profissão de Serviço
Social.

Sugeriria, portanto, à autora, humildemente, dentro de minha


ignorância, pois ainda encontro-me no segundo semestre da graduação em Serviço
Social, e a mesma já doutora e mestra no assunto, além de super experiente, que
tivesse se aprofundado mais nesse capítulo sobre a história do Serviço Social,
fazendo do mesmo uma verdadeira viagem no tempo, onde pudéssemos nos
localizar em tempo e espaço em cada ação, caso ou mudança ocorrida
historicamente no contexto da profissão de Serviço social.

09

Mas num todo, o capítulo é muito esclarecedor e aumentou em


muito os conhecimentos sobre a carreira do profissional em Serviço Social que antes
era uma simples obra assistencialista e atualmente possui metodologias próprias de
ação de suma importância, pois o campo de trabalho ampliou-se, e hoje esse
profissional tornou-se essencial em todas as áreas sociais, econômicas,
educacionais, etc.
10

BIBLIOGRAFIA

RAICHELIS, Raquel. Legitimidade Popular e Poder Público. São Paulo. Cortez.


1988.

SITE:

http://www.pucsp.br/pos/ssocial/professor/professor_degenszajn.htm. Acesso em
12/10/2011.

Você também pode gostar