Você está na página 1de 164

10º ENCONTRO DE JOVENS CIENTISTAS

LIVRO DE RESUMOS E PROGRAMAÇÃO

Organização:
Rejâne M. Lira-da-Silva
Rosely C. Lira-da-Silva
David Santana Lopes
Mariana Rodrigues Sebastião

Universidade Federal da Bahia


Salvador, 22 a 25/10/2019
Reitor da Universidade Federal da Bahia
Prof. Dr. João Carlos Salles Pires da Silva

Vice-Reitor
Prof. Dr. Paulo Miguez

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação


Prof. Dr. Penildon Silva Filho

Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação


Prof. Dr. Olival Freire Júnior

Pró-Reitoria de Ensino de Pós Graduação


Prof. Dr. Olival Freire Júnior

Pró-Reitoria de Extensão
Profª. Drª. Fabiana Dultra Britto

Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento


Prof. Dr. Eduardo Luiz Andrade Mota

Pró-Reitoria de Administração
Profª. Drª. Dulce Maria Carvalho Guedes

Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas


Profª. Drª. Denise Vieira da Silva

Pró-Reitoria de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil


Profª. Drª. Cassia Virginia Bastos Maciel

Diretor do Instituto de Biologia


Prof. Dr. Francisco Kelmo dos Santos
COORDENAÇÃO GERAL
Profª. Drª. Rejâne Maria Lira da Silva (Instituto de Biologia/UFBA)

COMISSÃO ORGANIZADORA
• Ana Caroline Caldas de Almeida (Bióloga, Mestranda do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva/UFBA)

• André Luís Melo dos Santos (Médico, Secretaria de Saúde da Bahia)

• Profª. Dra. Bárbara Rosemar N. Araújo (Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Profissional de Atendimento Integrado
Bióloga da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAMB) da Secretaria de Saúde de Salvador; Professora de Ciências
Biológicas da UNIME, Lauro de Freitas).
• Prof. MsC. Bruno Pamponet Silva Santos (Universidade Estadual de Feira de Santana)

• Prof. MsC. Caio Vinícius de Jesus Ferreira dos Santos (Professor de Direito da UNIME, Lauro de Freitas; Doutorando
do Programa de Pós-graduação em Direito/UFBA)
• Prof. MsC. David Santana Lopes (Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Isa Malena Góes Cerdeira Araújo (Secretaria de Educação da Bahia)

• João Carlos Ferreira Lima (Engenheiro Químico, Mestrando do Programa de Pós-graduação em Engenharia Química/
UFBA)
• Prof. Jorge Lúcio Rodrigues das Dores (Secretaria de Educação da Bahia)

• Profª. MsC. Josefa Rosimere Lira da Silva (Secretaria Municipal de Educação de Salvador)

• Profª. MsC. Mariana Rodrigues Sebastião – Jornalista (DRT BA 4260) (Doutoranda Programa de Pós-graduação em
Ensino, Filosofia e História da Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Micheli Ferreira Fonseca Rocha (Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. MsC. Rafaela Santos Chaves (Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Rosely Cristina Lira da Silva (Química, Ooteca – Comércio e Serviços Ltda.)

• Profª. MsC. Therezinha Vasconcelos Santos Brasil (Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e
História da Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Dra. Yukari Figueroa Mise (Instituto de Saúde Coletiva/UFBA)

COMISSÃO CIENTÍFICA
• Ana Caroline Caldas de Almeida (Bióloga, Mestranda do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva/UFBA)

• André Luís Melo dos Santos (Médico, Secretaria de Saúde da Bahia)

• Profª. Dra. Bárbara Rosemar N. Araújo (Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Profissional de Atendimento Integrado
Bióloga da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAMB) da Secretaria de Saúde de Salvador; Professora de Ciências
Biológicas da UNIME, Lauro de Freitas)
• Prof. MsC. Bruno Pamponet Silva Santos (Universidade Estadual de Feira de Santana)

• Prof. MsC. Caio Vinícius de Jesus Ferreira dos Santos (Professor de Direito da UNIME, Lauro de Freitas; Doutorando
do Programa de Pós-graduação em Direito/UFBA)
• Prof. MsC. David Santana Lopes (Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Prof. MsC. Esiel Pereira Santos (Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de São Francisco do Conde)

• João Carlos Ferreira Lima (Engenheiro Químico, Mestrando do Programa de Pós-graduação em Engenharia Química/
UFBA)
• Prof. Jorge Lúcio Rodrigues das Dores (Secretaria de Educação da Bahia)

• Profª. MsC. Josefa Rosimere Lira da Silva (Secretaria Municipal de Educação de Salvador)

• Josenai da Silva Penha (Biotecnóloga, SENAI - Departamento Regional da Bahia, SENAI/DR/BA)

• Profª. MsC. Mariana Rodrigues Sebastião – Jornalista (DRT BA 4260) (Doutoranda Programa de Pós-graduação em
Ensino, Filosofia e História da Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Micheli Ferreira Fonseca Rocha (Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. MsC. Rafaela Santos Chaves (Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História da
Ciência/UFBA/UEFS)
• Profª. Rosely Cristina Lira da Silva (Química, Ooteca – Comércio e Serviços Ltda.)
• Profª. MsC. Silvanir Pereira Souza (Colégio Estadual Almirante Barroso, Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia da Bahia - Campus Santo Amaro, Santo Amaro, Bahia)
• Profª. Dra. Yukari Figueroa Mise (Instituto de Saúde Coletiva/UFBA)

ASSESSORIA DO EVENTO
• Carlos Gomes Alves (Estudante de Direito/UCSAL)

• Marglyn Anne Santana de Oliveira (Estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia/UFBA, Bolsis-
ta PERMANECER/UFBA)
• Nestor Barbosa de Oliveira Júnior (Estudante de Licenciatura em Ciências Biológicas/UFBA, Bolsista PIBIEX /UFBA)

ASSESSORIA DE IMPRENSA
- Mariana Rodrigues Sebastião – Jornalista (DRT BA 4260)

WEBDESIGN
- Mariana Rodrigues Sebastião – Jornalista (DRT BA 4260)
- Mariana Pimentel de Paula – Produtora Cultural

PROJETO GRÁFICO
- Mariana Pimentel de Paula – Produtora Cultural

1ª Edição – Salvador/Bahia, 2019


Direitos reservados aos autores, que permitem a reprodução de parte do Livro, desde que seja citada a fonte.
ORGANIZAÇÃO:

• Rejâne Maria Lira da Silva (UFBA)


• Rosely C. Lira-da-Silva
• David Santana Lopes (UFBA)
• Mariana Rodrigues Sebastião (UFBA)

PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO:


• Mariana de Paula – Produtora Cultural

CAPA:
• Mariana de Paula – Produtora Cultural

REALIZAÇÃO:
PROGRAMA SOCIAL DE EDUCAÇÃO, VOCAÇÃO E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA, Departamento de
Zoologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal da Bahia, Avenida Barão de Geremoabo,
nº 147, Campus Universitário de Ondina, Salvador, Bahia, 40.170-210. Tel.: (71) 3283-6564,
Fax: (71) 3283-6511. E-mail: encontrodejovenscienistasdabahia@gmail.com, Site: www.
encontrodejovenscientistas.wordpress.com.

PATROCÍNIO
• CNPq
• Pró-Reitoria de Extensão – Universidade Federal da Bahia

APOIO
• Sala Verde da UFBA
No ano de 2078 eu farei 75
anos. Se eu tiver filho, talvez
eles passem o dia comigo.
Talvez eles me perguntem
sobre vocês. Talvez me
perguntem porque vocês não
fizeram nada enquanto ainda
havia tempo para agir.

Greta Thunberg (2003-)


SUMÁRIO
Apresentação 12

14
1. Informações Gerais sobre o Evento
14
1.1. Título
14
1.2. Objeto
14
1.3. Objetivos
14
1.4. Justificativa
15
1.5. Método
15
1.5.1. Local de Realização
15
1.5.2. Período de Realização
1.5.3. Público-Alvo 15

1.6. Pulseiras de Identificação 15

1.7. Certificados 15

1.8. Avaliação 15

16
2. Informações sobre as Atividades
16
2.1. Entrega de Material
16
2.2. Abertura do Evento
2.3. Ciclo de Conferências “O Ser Humano da Ciência 16

2.4. Lançamento da Revista Jovens Cientistas 17

2.5. Lançamento do Vídeo-livro “Histórias de cada um(a) –


Vol. 3”. Lançamento de Jornal e Vídeos da Agência Agência Jovem de Notícias –
Escola Estadual de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, BA 17

2.6. Jovens Repórteres Científicos (Mostra de Vídeos) 17


2.7. Gabinete de Curiosidades Científicas (Experimentos) 17
2.8. Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo com Jogos sobre Ciências 17
2.9. Vida de Jovem Cientista (Apresentações Orais) 17

2.10. Premiação e Encerramento do Evento 17

3. Cronograma do Evento 18
4. Jovens Repórteres Científicos
(Quadro de Apresentações - Mostra de Vídeos) 20

5. Grande Angular
(Exibição e Apresentação Oral de Fotografia 25

6. Gabinete de Curiosidades Científicas


(Quadro de Apresentações - Experimentos) 27

7. Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo com Jogos sobre Ciências


(Quadro de Apresentações - Jogos) 32

8. Vida de Jovem Cientista


(Apresentações Orais) 35

9. Resumos - Jovens Repórteres Científicos (Mostra de Vídeos)


46

10. Resumos - Grande Angular (Exibição e Apresentação Oral de Fotografia) 66

11. Resumos - Gabinete de Curiosidades Científicas (Experimentos) 72

12. Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo com Jogos sobre Ciências 102

13. Resumos - Vida de Jovem Cientista (Apresentações Orais) 118


10º Encontro de Jovens Cientistas

APRESENTAÇÃO
E
stimados Estudantes, Professores, Conferencistas, Pais e demais participantes,

Estamos vivendo uma crise sem precedentes na história do nosso País e foi um grande esfor-
ço realizar este evento com e para vocês, mas conseguimos! Não há recurso para a educação,
para a Ciência, nem para a Tecnologia e por isso mesmo precisamos lutar!

Assim, é que temos o prazer de dar as boas vindas, em Salvador da Bahia, a todos os participantes
do Encontro de Jovens Cientistas (EJC), que esse ano está na sua décima edição. Este ano, volta-
mos a nos vincular diretamente às atividades da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT)
2019. Com o tema “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”,
a 16ª SNCT é o maior evento de popularização da ciência do Brasil. Coordenada pelo Ministério
da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, conta com a colaboração de universidades e
instituições de pesquisa; escolas; institutos de ensino tecnológico, centros e museus de C&T; enti-
dades científicas; fundações de apoio à pesquisa; parques ambientais, unidades de conservação,
jardins botânicos e zoológicos; secretarias estaduais e municipais de C&T e de educação; empresas
públicas e privadas; ONGs e outras entidades da sociedade civil.

Continuamos com a nossa meta: a Ciência como Cultura!

Um grupo de professores e estudantes há 15 anos tem se reunido na Universidade Federal da


Bahia, sob a nossa Coordenação, para executar o Projeto “Ciência, Arte & Magia”, que depois re-
cebeu o nome de Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica da Bahia e tem
realizado sonhos. Sempre me inquietei com a função social que deve ter a Universidade Pública
em nosso país e, ao percorrer um caminho de divulgação científica sobre os animais peçonhentos,
vi a necessidade de criar um caminho paralelo de vocação científica para crianças e adolescen-
tes. Não tem sido fácil, pois há quinze anos isso era absolutamente inovador numa Instituição
de Ensino Superior. Apesar do crescimento da Extensão Universitária em nosso País, dedicar-se
a estudantes da educação básica ainda é algo inovador. Logo no início tive o apoio do Dr. Isaac
Roitman, o idealizador do Programa de Bolsas de Iniciação Científica Júnior no Brasil, a quem
tenho grande apreço e admiração.

Hoje, não olho mais para trás, olho para frente e fico feliz com a grande teia que tecemos com este
Programa. Digo nós porque a construção de projetos educacionais nunca pode ser feita sozinha.
É necessário atrair, conquistar, convencer, brigar e principalmente acreditar. Desde 2004 o Pro-
grama Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica da Bahia tem uma rica história para
contar de mais de uma centena de Eventos Científicos e de Divulgação Científica, com livros e
capítulos de livros, artigos e resumos publicados, é institucionalizado como Componente Curricu-
lar da UFBA, no âmbito da Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade (ACCS), onde a cada
semestre temos o prazer de receber estudantes das diversas áreas do conhecimento para ajudar
a tecer um percurso, não só importante, mas necessário, o da Cultura Científica.

A nossa principal produção é, sem dúvida, testemunhar o crescimento dxs estudantes, que muitas
vezes chegam tímidxs e insegurxs, mas com brilho nos olhos e aqui se transformam movidos pelo
desejo pelo conhecimento. Mais de 800 jovens escolares passaram por nós e não importa quanto
tempo ficaram, nem as suas produções, todos fizeram algo de inovador com sua juventude e
energia. A eles e elas, o meu muito obrigada!

Às/aos Professoras (es), Diretoras (es) e Coordenadoras (es) Pedagógicas (os) da Educação Básica,
Orientandas (os) da Graduação e da Pós-graduação, Estagiárias (os) e Bolsistas, parceiras (os) nes-
ta jornada, a minha justa homenagem por acreditarem e construírem este sonho conosco.

12
Livro de Programação e Resumos

Espero que aproveitem a Programação que construímos juntos, que conta com 4 Conferências,
entre elas comemoramos o Ano Internacional das Línguas Indígenas e Ano Internacional da Ta-
bela Periódica, o laçamento do Vídeo-livro “Histórias de cada um(a)” e a produção de um projeto
inédito da Agência Jovem de Notícias na Comunidade Quilombola de São Francisco do Paraguaçu.
Foram 187 trabalhos inscritos, 77 Apresentações Orais, 47 Experimentos, 32 Vídeos Científicos,
25 Jogos e 8 Fotografias. Continuamos com a premiação dos melhores trabalhos nas categorias
Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio (Apresentação
Oral e Experimento para Estudantes e Orientadores), o melhor Vídeo Científico e melhor Jogo (Es-
tudante e Orientador) e uma premiação para a Instituição com a melhor qualidade de trabalhos.
E mais, continuamos como Evento afiliado da FEBRACE/USP (Feira Brasileira de Ciências e Enge-
nharia – Universidade de São Paulo, SP) e a equipe com o melhor trabalho vai lá nos representar
e representar a Bahia. É sempre uma honra!

Este ano, comemoramos o lançamento, durante o evento, de mais um número da Revista Jovens
Cientistas. Cada Revista representa um degrau que conquistamos em direção a um sonho que vi-
rou realidade: incentivar jovens cientistas, seja da educação básica ou do ensino superior, a criar
o gosto por comunicar suas pesquisas para o público em geral e incentivar esse mesmo público,
especialmente jovens, a ler sobre ciências.

Este Encontro reúne cerca de 700 participantes, de 40 Instituições de Ensino Público e Privado:
13 de Salvador (BA), Centro Educacional Colinas de Pituaçu, Centro Educacional Império do Saber,
Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salvador, Colégio Ana Tereza, Colégio Anglo-Brasileiro,
Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia, Colégio Estadu-
al Evaristo da Veiga, Colégio Estadual Henriqueta Catarino, Colégio Estadual Mário Costa Neto,
Colégio Estadual Ypiranga, Colégio Módulo, Escola Concept, Escola SEB Sartre (Unidade Itaigara),
Escola Djalma Pessoa (SESI – Serviço Social da Indústria), Escola Municipal Nova do Bairro da
Paz, Universidade Federal da Bahia, Universidade Católica do Salvador e Vigilância em Saúde
Ambiental/DVIS/SMS/PMSE. E 12 do interior da Bahia: Colégio Estadual Dr. Luis de Moura Bastos
(Dias D’Ávila, BA), Centro Educacional Maria Milza (Cruz das Almas), Centro de Educação Colibri
(Candeias, BA), Colégio Estadual do Salobrinho (ilhéus), Colégio Santo Antônio de Jesus (Santo
Antônio de Jesus, BA), Escola Municipal Cidade de Jequié (Jequié), Escola SEB Sartre, Unidade
Monet (Lauro de Freitas, BA), Escola Estadual de Primeiro Grau de São Francisco de Paraguaçu
(Cachoeira, BA), Faculdade Maria Milza (Cruz das Almas), Instituto Federal de Educação, Ciência
e Tecnologia da Bahia - IFBA (Campus Camaçari, BA), Instituto Federal da Bahia de Ciência e Tec-
nologia (IFBA) (Campus Santo Amaro, BA), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – Clube
Ciência Ativa (Jequié, BA), Universidade Estadual Santa Cruz (Ilhéus), Universidade Federal do
Recôncavo Baiano (Cruz das Almas). Além das parcerias incríveis com a Associação dos Remanes-
centes do Quilombo de Opalma – Engenho da Ponte (Cachoeira), ao qual desde já agradecemos
por terem aceitado o convite para participar.

Este é um Evento Científico, mas também Social Educativo e Cidadão. Aproveitem a Universidade
Federal da Bahia, que abre as portas para nós com 73 anos de história, orgulho de todos os que
moram na cidade do Salvador da Bahia, berço da Ciência e da Cultura na Bahia.

Profª. Drª. Rejâne Maria Lira-da-Silva


Coordenadora do 9º Encontro de Jovens Cientistas

13
10º Encontro de Jovens Cientistas

1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O EVENTO


1.1. Título: 10º ENCONTRO DE JOVENS CIENTISTAS DA BAHIA

1.2. Objeto: Trata de um Evento Científico voltado para a Educação Básica, em atendimento à Chamada
CNPq/MEC/MCTIC/SEPED Nº 27/2018 - Feiras de Ciências e Mostras Científicas, como um instrumento
para a melhoria da educação básica, bem como para despertar vocações científicas e/ou tecnológi-
cas e identificar jovens talentosos e talentosas que possam ser estimulados/as a seguirem carreiras
científico-tecnológicas. Tem a finalidade de promover a divulgação científica e tecnológica, com e
para jovens, refletindo e trocando as suas experiências do fazer ciência ainda na Educação Básica, ao
mesmo tempo, próximos de identificar suas vocações científicas. Tem a UFBA como polo Central, nu-
cleadora da criação, implantação e manutenção deste Evento, favorecendo o resgate da função social
da Universidade.

1.3. Objetivos:

1.3.1. Geral:
Divulgar as produções científicas de estudantes da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio da
Educação Básica, levando-se em conta a ARTICULAÇÃO INTERDISCIPLINAR do conhecimento científico
e tecnológico e da inovação.

1.3.2. Específicos:

Facilitar o acesso da população a temas científicos de interesse social;


Possibilitar o entendimento, por parte de crianças e adolescentes, da ciência dinâmica como algo
presente no dia-a-dia;

Ampliar a compreensão científica de fenômenos físicos, químicos, ambientais e sociais da região onde
os estudantes moram, adotando a CRIATIVIDADE como prática corrente do trabalho coletivo;

Possibilitar o contato com conhecimentos científicos pelos estudantes e suas famílias, gerando mudan-
ça de postura na adoção de novos comportamentos na educação dos filhos;

Promover na Comunidade uma visão sistêmica quanto à importância da formação de cidadãos alfa-
betizados cientificamente, ampliando sua compreensão do mundo, começando pelos fenômenos pre-
sentes em sua vida cotidiana.

1.4. Justificativa:

Um dos grandes desafios que se apresenta para Cientistas e Jornalistas atualmente é comunicar a
Ciência para a população em geral. Museus, Centros de Ciências, Exposições, Feiras de Ciências e Olim-
píadas, justamente as principais ferramentas utilizadas pelos cientistas, ocuparam os últimos lugares,
com uma frequência que variou entre nunca a quase nunca, entre uma pesquisa com jovens ibero-
-americanos. A Cultura Científica está imbricada em uma Educação Científica e Divulgação Científica
de qualidade, e é aí que Jornalistas, Cientistas e Professores de Ciências devem trabalhar em um só
lado. Nosso Evento é uma iniciativa do Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica
da Bahia que tem como meta o estímulo à vocação científica, em resposta ao fraco desempenho dos
estudantes brasileiros no e Índice de Desempenho da Educação Básica (IDEB) e no Programa Inter-

14
Livro de Programação e Resumos

nacional de Avaliação Escolar (PISA). Tem cumprido com o propósito do Programa “A Ciência é para
Todos”, uma vez que em dez anos de atividade desenvolvemos uma Educação Científica que tem como
base a Criatividade, tanto dos discentes, quanto dos docentes, no desenvolvimento das atividades em
questão. Este Evento é o resultado de que na sua didática deve o professor buscar desenvolver situa-
ções diversas, através de técnicas de ensino, que sejam, ao mesmo tempo, inteligentes, interessantes
e instigantes. A primeira tem a ver com a razão, a segunda, com admiração, e, a última, com indagação,
favorecendo ao aluno vivenciar experiências com estes elementos, de forma concomitante, trazendo,
assim, uma revitalização ao processo de ensino-aprendizagem, de forma dinâmica, interativa e lúdica.
É fundamental a interação educador/educando, mediada pelo conhecimento científico e pela realidade
histórico-social do estudante. Esta postura implica em duas funções básicas: a função incentivadora
e a função orientadora. Incentivadora, garantindo situações que estimulem a participação ativa do
estudante no desenvolvimento de seus projetos, e orientadora em relação ao seu objeto de pesquisa,
orientando-o para que possa criar e desenvolver seu próprio conhecimento. É assim que juntos esta-
mos vencendo o desafio da Educação Científica.

1.5. Método:
Atividades que envolvem a apresentação das produções dos Educandos, Educadores e Convidados:
Ciclo de Conferências “Ser Humano da Ciência”, Jovens Cientistas em Cena, Vida de Jovem Cientista,
Gabinete de Curiosidades Científicas, Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo com Jogos sobre Ciên-
cias, Mostra de Vídeos Científicos e Mostra de Fotografias.

1.5.1. Local de Realização:
Instituto de Biologia da UFBA, Hall e Auditórios 1 e 2 do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa (PAF 1),
Campus Universitário de Ondina, Salvador, Bahia.

1.5.2. Período de Realização:


22 a 25/10/2019 (terça-feira a sexta-feira).

1.5.3. Público-Alvo:
Jovens e adultos de Instituíções de Ensino (públicas e particulares) da Bahia, Associações de Quilom-
bolas, familiares e comunidade em geral.

1.6. Pulsera de identificação:


É pessoal e intransferível e deverá ser usado em toda a área do Evento.

1.7. Certificados:
De participação e apresentação das atividades específicas serão emitidos através da plataforma Even3
(https://www.even3.com.br/9encontrodejovenscientistas), 30 dias após o último dia do Evento.

1.8. Avaliação:
As atividades, como um todo, poderão ser avaliadas pelos participantes através de formulários pró-
prios e deverão ser entregues aos monitores do Evento.

15
10º Encontro de Jovens Cientistas

2. Informações sobre as Atividades


2.1. Entrega de material
Local: Foyer do Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 22/10/2019 (terça-feira)
Horário: 8h30 às 9h30

2.2. Abertura do Evento


Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 22/10/2019 (terça-feira)
Horário: 9h30 às 10h00

2.3. Ciclo de Conferências “O Ser Humano da Ciência”

Conferência de Abertura - “Os desafios da divulgação científica no Brasil”


Prof. Dr. Ivo Leite (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Coordenação de Popularização da
Ciência do MCTI)
Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 22/10/2019 (terça-feira)
Horário: 10h00 às 11h00
Moderadora: Profa. Dra. Rejâne M. Lira-da-Silva (Universidade Federal da Bahia)

“Ano Internacional das Línguas indígenas”


Cacique Ramon Tupinambá de Olivença (Território Indígena Tupinambá de Olivença, Ilhéus, BA)
Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 23/10/2019 (quarta-feira)
Horário: 11h00 às 12h00
Moderador: Prof. Jorge L. Rodrigues das Dores (Colégio Estadual Edvaldo Brandão - Secretaria de
Educação da Bahia)

“Bioeconomia”
Profa. Dra. Suzana Telles da Cunha Lima (Universidade Federal da Bahia)
Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 24/10/2019 (quinta-feira)
Horário: 11h00 às 12h00
Moderadora: Profa. Dra. Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo (Colégio Estadual Evaristo da Veiga
- Secretaria de Educação da Bahia)

“Ano Internacional da Tabela Periódica”


Prof. Dr. Jailson Bittencourt Andrade (Academia de Ciências da Bahia, Universidade Federal da Bahia)
Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 25/10/2019 (sexta-feira)
Horário: 14h00 às 15h00
Moderador: Prof. MsC. David Santana Lopes (Universidade Federal da Bahia)

16
Livro de Programação e Resumos

2.4. Lançamento da Revista Jovens Cientistas


Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 22/10/2019 (terça-feira)
Horário: 11h00 às 12h00
Profª. Drª. Rejâne Maria Lira da Silva (Editora-Chefe da RJC) e Mariana Rodrigues Sebastião (Diretora
de Redação da RJC)

2.5. Lançamento do Vídeo-Livro “Histórias de cada um(a) – Vol. 3”


Organizadoras: Profª. Drª. Rejâne M. Lira da Silva (Universidade Federal da Bahia), Profª. MsCª. Josefa
Rosimere Lira da Silva (Escola Municipal Nova do Bairro da Paz – Secretaria Municipal de Educação),
Marglyn Anne Santana de Oliveira (Universidade Federal da Bahia)

Lançamento de Jornal e Vídeos da Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de Primeiro Grau São
Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, BA
Profa. MsC. Mariana Rodrigues Sebastião (Universidade Federal da Bahia)
Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 25/10/2019 (sexta-feira)
Horário: 13h00 às 14h00

2.6. Jovens Repórteres Científicos


Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 22/10/2019 (terça-feira) - Horário: 13h00 às 15h50
Data: 24/10/2019 (quinta-feira) - Horário: 8h00 às 9h40

2.7. Gabinete de Curiosidades Científicas


Local: Hall do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa (PAF 1)
Data: 23/10/2019 (quarta-feira)
Horário: 8h00 às 11h00 e 13h00 às 17h00

2.8. Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo com Jogos sobre Ciências


Local: Hall do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa (PAF 1)
Data: 23/10/2019 (quarta-feira)
Horário: 8h00 às 11h00 e 13h00 às 17h00

2.9. Vida de Jovem Cientista - Comunicações Orais


Local: Auditório Externo do Instituto de Biologia e Auditórios 1 e 2 do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe
Serpa (PAF 1)
Data: 24/10/2019 (quinta-feira) - Horário: 8h00 às 11h00 e 13h00 às 17h00
Data: 25/10/2019 (sexta-feira) - Horário: 8h00 às 11h00

2.10. Premiação e Encerramento do Evento


Local: Auditório externo do Instituto de Biologia
Data: 25/10/2019 (sexta-feira)
Horário: 15h00 às 17h00

17
10º Encontro de Jovens Cientistas

3.
CRONOGRAMA
DO EVENTO

18
Livro de Programação e Resumos

19
10º Encontro de Jovens Cientistas

4. Jovens Repórteres Científicos


(Quadro de Apresentações Mostra de Vídeos)

22/10/2019 (TERÇA-FEIRA) - 13h às 17h


HORÁRIO
Local: AUDITÓRIO EXTERNO DO IBIO

12h30-13h00 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

13h00-13h05 JRC 01 – 7 NEWS - Autores: Gabriel Azevedo Cardoso¹, Fernando França


Almeida de Carvalho¹, Quézia Dias Souza¹ – Orientador: Jordan Santos
Mendes¹ – Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.

13h05-13h10 JRC 02 – A INFLUÊNCIA DO CLIMA NA ECONOMIA DE SALVADOR – Au-


tores: Darwin Santos da Silva, Humberto da Silva Fraga Santos, Rowena
Fruchter Zalcbergas – Orientadora: Michelle Santana Guimarães Véras
– Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

13h10-13h15 JRC 03 – A INFLUÊNCIA DO ESPORTE NA VIDA DO JOVEM CONTEMPOR


NEO – Autores: Bruna Machado Barros1, Rafael Vila Verde Barbosa1
– Orientadora: Andreia de Souza Nascimento Paixão2 – Instituição:
1Centro Educacional Maria Milza; 2Faculdade Maria Milza, Cruz das
Almas, Bahia.

13h15-13h20 JRC 04 – AS COISAS AQUI SÃO BEM MAIS DIFÍCEIS – Autoras: Adriele
Vasconcelos Sales¹, Sismailane Rosário dos Santos¹ – Orientadores:
Esther Verena Guimarães França², Wander Santana Prado Ribeiro²
– Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores de Opalma
no Quilombo Engenho da Cruz, em Opalma, Cachoeira, Bahia; ²ACCS
BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade: Programa
Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia, Universi-
dade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

13h20-13h25 JRC 05 – AS FOSSAS USADAS EM SÃO FRANCISCO DO PARAGUAÇU -


Autora: Camile Lima de Oliveira¹ – Orientadora: Mariana Rodrigues
Sebastião¹,² –Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual
de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia; ²Pro-
grama de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências,
Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

13h25-13h35 DISCUSSÃO

13h35-13h40 JRC 06 – ATÉ ONDE VAI O CONSUMISMO? – Autoras: Gabriela Perrone¹,


Luiza Paim¹, Maria Eduarda Azoubel¹, Maria Luiza Coutinho¹, Maria
Regina Bulos¹, Rebeca Araújo – Orientador: Wellington Marinho¹ – Insti-
tuição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

20
Livro de Programação e Resumos

13h40-13h45 JRC 07 – CAPOEIRA EM OPALMA - Autores: Caio dos Santos Amaro¹,


Mateus Amaro Sena da Conceição¹ – Orientadora: Vanessa Maria Almi-
rante dos Santos² - Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira, Bahia;
²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade: Pro-
grama Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia,
Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

13h45-13h50 JRC 08 – COLÉGIO ESTADUAL YPIRANGA CONTRA O DESPERDÍCIO DE


ALIMENTOS – Autoras: Ana Cláudia da Graça Furtado¹, Isabele Xavier da
Silva Bastos², Gabrielle Tereza dos Santos², Maria Thainá Mota da Silva²
– Orientador/a: Karla Oliveira Esquerre¹, Gláucio André Barbosa Gazar²
– Instituições: ¹Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia; ²Colégio
Estadual Ypiranga, Salvador, Bahia.

13h50-13h55 JRC 09 – CONSTRUINDO UM SONHO: COMO OCORRE A FORMAÇÃO DO


ATLETA DE BASE DO ESPORTE CLUBE BAHIA – Autor: Marcus Paulo de
Almeida Brandão¹ – Orientador: Andreia de Souza Nascimento Paixão2
– Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza; 2Faculdade Maria
Milza, Cruz das Almas, Bahia.

13h55-14h00 JRC 10 – DERRETIMENTO DAS CALOTAS POLARES – Autores: Arthur


Karam, Bernardo Azevedo¹, Cauã Fernandes¹, Daniel Rodrigues¹, Luís
Eduardo Senna¹ - Orientadora: Ana Liz Vieira Netto¹ – Instituição: ¹Colé-
gio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

14:00-14h10 DISCUSSÃO

14h10-14h15 JRC 11 – DESCARTE INADEQUADO DOS RESÍDUOS – Autores: Amanda


Lourenço Baptista¹, Bernardo Sento-Sé Valverde Ramos¹, Laércio
Marques Dias Júnior¹, Nathalia Sampaio Lerner Couto¹, Nina Rosa
Lorenzo Amoedo¹ – Orientadora: Ana Claudia Sokolonski¹ – Instituição:
¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

14h15-14h20 JRC 12 – DIA DE BELEZA – Autoras: Suelen Silva Carvalho¹, Emanuele


dos Santos Silva¹ – Orientadoras: Djaine Haila Silva Rocha², Fábia Silva
de Oliveira Junqueira² – Instituições: ¹Associação Beneficente dos Mo-
radores de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira,
Bahia²; ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade e Socie-
dade: Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica na
Bahia, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

14h20-14h25 JRC 13 – ECOTURISMO EM MUCUGÊ – Autoras: Gabriela Maia de


Moraes¹, Giovanna Sara Araújo Oliveira¹, Júlia Farias Azevedo¹, Maria
Eduarda Costa Taveiras¹, Sophia Queiroz Tavares¹ – Orientadora: Carla
Regina Nunes Costa¹ - Instituição: ¹Colégio Módulo, Salvador, Bahia.

21
10º Encontro de Jovens Cientistas

14h25-14h30 JRC 14 – ENERGIA SOLAR: O BRASIL COMO UM PAÍS EM POTENCIAL


– Autora: Nathalia Gualberto Alves de Jesus¹ – Orientadora: Camilla
Hetenhausen¹ – Instituição: ¹CAT- Colégio Ana Teresa, Salvador, Bahia.

14h30-14h40 DISCUSSÃO

14h40-14h45 JRC 15 – ENTRE A LEI E A DOR: FEMINICÍDIO, LEGISLAÇÃO E POLÍTICAS


PÚBLICAS – Autoras: Júlia Camelyer Gonzaga¹, Lívia Kaori Corrêa Lima¹,
Luiza de Amorim Miranda¹, Mariana Bitencourt Fonseca¹, Mariana
Perruso Lyrio¹, Paloma Maíra Schaeber Busch¹ – Orientadora: Juliana
Oliveira Lesquives¹ - Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador,
Bahia.

14h45-14h50 JRC 16 – EVIDENCIANDO A EVOLUÇÃO DAS CIÊNCIAS FORENSES NO


BRASIL - Autora: Paola Gomes Pereira¹ – Orientadora: Priscila Paula
Varjão Santiago Rosendo¹ – Instituição: ¹CAT- Colégio Ana Tereza, Salva-
dor, Bahia.

14h50-14h55 JRC 17 – F.A.L.L.A.X. – Autores: Bernardo Maia Coelho¹, Diana Simões


Silva Santos¹, Rafael Silveira Póvoas¹ – Orientador: Ian Fraser¹ – Institu-
ição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

14h55-15h00 JRC 18 – FUTEBOL É COISA DE MENINA – Autoras: Hevelin Neves dos


Santos¹, Luana Rodrigues dos Santos da Silva¹ – Orientadoras: Jéssica
Rebouças Silva², Marglyn Anne Santana de Oliveira² – Instituições: ¹As-
sociação Beneficente dos Moradores de Opalma no Quilombo Engenho
da Cruz, em Opalma, Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade
Curricular em Comunidade e Sociedade: Programa Social de Educação,
Vocação e Divulgação Científica na Bahia, Universidade Federal da
Bahia, Salvador, Bahia.

15h00-15h05 JRC 19 – JORNAL OPALMA – A VIVÊNCIA EDUCACIONAL DOS JOVENS


DE OPALMA – Autoras: Josiele Santos Otílio de Jesus¹, Paloma de Jesus
Lima Santos¹ - Orientadores: Caira Hereda Pinheiro², José Vitor Araújo
Rosa Ribeiro² – Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira, Bahia;
²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade: Pro-
grama Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia,
Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

15h05-15h15 DISCUSSÃO

15h15-15h20 JRC 20 – JULIANA DE OPALMA – Autora: Juliana Ferreira da Cruz


Santos¹ – Orientadoras: Êmile Almeida Moura Santos², Roberta Maciel
de Matos² – Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores de
Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira, Bahia;
²ACCS BIOA82 Atividade Curricular em Comunidade e Sociedade: Pro-
grama Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica, Universi-
dade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

22
Livro de Programação e Resumos

15h20-15h25 JRC 21 – O RIO PARAGUAÇU ESTÁ SOFRENDO EM SÃO FRANCISCO


Autor: Caio Carvalho de Jesus¹ – Orientadora: Mariana Rodrigues Se-
bastião¹,² –Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de
Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia; ²Programa
de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Univer-
sidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

15h25-15h30 JRC 22 – QUATRO PALHACINHOS NO REINO ENCANTADO DE OPALMA


- Autores: Alice dos Santos Conceição¹, Brayn Andrade Bispo¹, Enzo de
Jesus Salis¹, Kathelen Ayla Santana Ferreira¹ – Orientadoras: Ingredy
Piton Barreto², Luma Mello Silva² – Instituições: ¹Associação Beneficen-
te dos Moradores de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma,
Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade
e Sociedade: Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação
Científica na Bahia, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

15h30-15h35 JRC 23 – RADAR OPALMA: INSEGURANÇA ESCOLAR – Autores: Fábio dos


Santos Souza¹, William Cruz Lima Correira¹ – Orientadores: Paulo Davi
Santana², Marglyn Anne Santana de Oliveira² – Instituições: ¹Associação
Beneficente dos Moradores de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz,
em Opalma, Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em
Comunidade e Sociedade: Programa Social de Educação, Vocação e Di-
vulgação Científica na Bahia, Universidade Federal da Bahia, Salvador,
Bahia.

15h35-15h40 JRC 24 – SÃO FRANCISCO DO PARAGUAÇU ESTÁ NA BAÍA DO IGUAPE


– Autora: Maria Luiza Sacramento Sanches¹ – Orientadora: Mariana
Rodrigues Sebastião¹,² – Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Es-
cola Estadual de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira,
Bahia; ²Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das
Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

15h40-15h50 DISCUSSÃO

22/10/2019 (TERÇA-FEIRA) - 13h às 17h


HORÁRIO
Local: AUDITÓRIO EXTERNO DO IBIO

8h00-8h30 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h30-8h35 JRC 25 – INVESTIGANDO O ÍNDICE DE DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NA


COMUNIDADE DO DOIS DE JULHO/CENTRO – Autoras: Ana Claudia da
Graça Furtado¹, Daniela Amorim Aparecido², Kimberlyn Diandra Ba-
zzana Del Cid², Marisa Jheymille da Silva Cabral² – Orientadoras: Karla
Oliveira Esquerre¹, Maysa Conceição Cavalcante Lima – Instituições:
¹Universidade Federal da Bahia; ²Colégio Estadual Ypiranga, Salvador,
Bahia.

23
10º Encontro de Jovens Cientistas

8h35-8h40 JRC 26 – INVISÍVEIS: UMA LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA – Autores:


Bianca Saba¹, João Arthur Netto¹, Lara Doria¹, Mariana Duarte¹, Thaís
Frank¹ – Orientadores: Fábio Mutti¹, Ian Fraser¹ – Instituição: ¹Colégio
Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

8h40-8h45 JRC 27 – JORNAL MUCUGÊ – Autores: Alice Andrade Lima Leal¹, Ana
Maria Marques de Queiroz Branco¹, Daniel Fernandes da Cunha Vas-
concelos¹, Lívia Novais Ribeiro¹, Thiago Sousa Quadros de Andrade¹
– Orientadora: Carla Regina Nunes Costa¹ – Instituição: ¹Colégio Módulo,
Salvador, Bahia.

8h45-9h00 JRC 28 – PASSADO, PRESENTE E FUTURO: O SOL NO COTIDIANO DO


BAIANO – Autora: Marcela Bacelar Leite¹ - Orientadora: Michelle Santa-
na Guimarães Véras¹ – Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

8h45-9h10 DISCUSSÃO

9h10-9h15 JRC 29 – PEIXES NA REDE: INFLUENCIADORES DIGITAIS NA SOCIEDADE


CONTEMPOR NEA – Autores: Beatriz Salustino Sobral¹, Clara Baruch
Figueiredo de San Galo¹, Letícia Parcero Souza¹, Maria Luiza Vianna
Pereira Aragão¹, Rodrigo Mineiro Ribeiro¹ – Orientadores: Alexandre
Carvalho Pitta¹ e Ian Fraser¹ – Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro,
Salvador, Bahia.

9h15-9h20 JRC 30 – PESQUISA AVALIATIVA DO PROJETO “MENINAS NA CIÊNCIA DE


DADOS” – Autoras: Ana Claudia da Graça Furtado¹; Bianca dos Santos
Carvalho²; Adriele Souza³ – Orientadora: Karla Oliveira Esquerre¹ – In-
stituições: Universidade Federal da Bahia¹, Salvador, Bahia; Colégio Es-
tadual Henriqueta Martins Catharino², Salvador, Bahia; Colégio Estadual
Evaristo da Veiga³, Salvador, Bahia.

9h20-9h25 JRC 31 – TODA FORMA: DIVERSIDADE SEXUAL, HOMOFOBIA E AU-


TOACEITAÇÃO – Autores: Gabriela Becker Lepikson, João Paulo Duplat
Alves dos Santos, Laura Pitangueira Maciel, Maria Belazzi de Carvalho,
Maria Isabel Vieira Seijo Figueiredo, Sofia Silveira Póvoas, Orienta-
dora: Juliana Oliveira Lesquives - Instituição: Colégio Anglo-Brasileiro,
Salvador, Bahia.

9h25-9h30 JRC 32 – TRANSPORTE PÚBLICO: UM DIREITO DE TODOS – Autoras:


Júlia Santos Magalhães, Kamilla Hera da Silva Pereira, Marina Athayde
Alves, Marina Santos Vitória Cerqueira, Rebeca de Aguiar Brito –
Orientadora: Juliana Oliveira Lesquives – Instituição: Colégio Anglo-
Brasileiro, Salvador, Bahia.

9h30-9h40 DISCUSSÃO

T O TAL: 32 VÍDEOS.

24
Livro de Programação e Resumos

5. Grande Angular
(Exibição e Apresentação Oral de Fotografia)

22/10/2019 (TERÇA-FEIRA) - 15h50 às 17h


HORÁRIO
Local: AUDITÓRIO EXTERNO DO IBIO

15h50-15h55 GA 01 – A IMPORT NCIA DA FEIRA LIVRE EM CRUZ DAS ALMAS E SEUS


ASPECTOS ECONÔMICOS – Autores: Bruno Fabiano Santos1, Natan
Antônio Caldas Ribeiro1 – Orientador: Vanderlei Oliveira do Nasci-
mento2 – Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade
Estadual da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

15h55-16h00 GA 02 – AS VÁRIAS ÁFRICAS CACHOEIRENSES – Autoras: Iasmin Jesus


de Santana1, Maria Santana Lordêlo Santos1 – Orientador: Filipe
Arnaldo Cezarinho2 – Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza,
2Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

16h00-16h05 GA 03 – DIFICULDADES ENCONTRADAS POR PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


FÍSICA – Autoras: Alana Conceição de Jesus1, Geiciane de Souza Sena1
– Orientador: Roque Sérgio Barbosa Oliveira2 – Instituições: 1Centro
Educacional Maria Milza, 2Universidade Estadual de Feira de Santana,
Cruz das Almas, Bahia.

16h05-16h10 GA 04 – O QUE ESTÁ ESCURECENDO AS NOSSAS PANELAS? – Autor: Caio


Carvalho de Jesus¹ – Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹,² –
Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de Primeiro
Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia; ²Programa de Pós-
graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade
Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

16h10-16h25 DISCUSSÃO

16h25-16h30 GA 05 – PODEMOS USAR A ÁGUA DA CHUVA PARA FAZER TUDO? –


Autora: Maria Luiza Sacramento Sanches¹ – Orientadora: Mariana Ro-
drigues Sebastião¹,² – Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola
Estadual de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira,
Bahia; ²Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia e História das
Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

16h30-16h35 GA 06 – POR QUE A ÁGUA TRATADA ÀS VEZES CHEGA AMARELADA OU


ESBRANQUIÇADA NA MINHA COMUNIDADE? – Autora: Camile Lima de
Oliveira¹ Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹,² – Instituições:
¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de Primeiro Grau São
Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia; ²Programa de Pós-graduação
em Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade Federal da
Bahia, Salvador, Bahia.

25
10º Encontro de Jovens Cientistas

16h35-16h40 GA 07 – REFLEXÕES SOBRE O ATUAL ESTADO DOS RIOS IMBASSAY E


JACUÍPE A PARTIR DA ANÁLISE DE FOTOS ANTIGAS E RECENTES DO
MUNICÍPIO DE DIAS D’ÁVILA, BA – Autores: Maria Eduarda de Sousa
Santa Rita, Wallacy Pereira dos Santos, Pedro de Jesus Santos Neto –
Orientadoras: Edilza Santana Bomfim e Flávia Luciana Oliveira da Silva
– Instituição: Colégio Estadual Dr. Luís de Moura Bastos, Dias D’Ávila,
Bahia.

16h40-16h45 GA 08 – ROCHAS SEDIMENTARES: DECLIVES E MONTANHAS – Autora:


Renata Martins Lima¹ – Orientador: Jordan Santos Mendes¹ – Institu-
ição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.

16h45-17h00 DISCUSSÃO

T O TAL: 08 Fo togr af i as.

26
Livro de Programação e Resumos

6. Gabinete de Curiosidades Científicas


(Quadro de Apresentações de Experimentos com pôster)

23/10/2019 (QUARTA-FEIRA)
HORÁRIO 8h00 às 11h e 13h às 17h
Local: Hall do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa (PAF 1)

EXP 01 – A FOLHA DA OLIVEIRA COMO PREVENTORA E AUXILIADORA NA CURA DE DOEN-


ÇAS – Autor: Arthur Bueno Silva1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 - Instituição:
1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 02 – A MOBILIDADE INTELIGENTE EM CRUZ DAS ALMAS -BA – Autores: Maria Clara
Daltro Bastos1, Beatriz Costa Assunção Pires1, Elias de Araújo Dias1 – Orientador:
Vanderlei Oliveira2 - Instituição: 1Centro Educacional Maria Milza; 2Universidade do
Estado da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

EXP 03 – A QUÍMICA DA BELEZA - Autores: Abner Lorêto de Lima1, Victoria Yasmim Lima
de Jesus1, Victoria Marques Almeida1 – Orientadoras: Edna Sousa Matos1, Cristianne
Braga Gibaut1 – Instituição: 1Centro Educacional Colinas de Pituaçu, Salvador, Bahia.

EXP 04 – A RECICLAGEM DE EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS PARA AUXILIAR NA IRRIGA-


ÇÃO DE PEQUENAS CULTURAS – Autor: Kevin Sidney Silva de Souza1 – Orientador: Lucas
Nogueira1 – Instituição: 1Colégio Estadual Assis Chateubriand, Salvador, Bahia.

EXP 05 – A UTILIZAÇÃO DO MILHO E DO SISAL PARA CONTENÇÃO DO VAZAMENTO DE


PETRÓLEO – Autor: Hagmar Tinoco Moreira1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Junior1 –
Instituição: 1Colégio Sartre Escola SEB, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 06 – ANÁLISE COMPARATIVA DO LIMONENO COMO BIOCOMBUSTIVEL - Autores:


Diogo Ferreira1, Leonardo Baratto1, Icaro Solla1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
– Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 07 – ANÁLISE MICROBIOLÓGICA E QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO


EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REDE PÚBLICA NA CIDADE DE ILHÉUS-BA – Autores:
Samuel Cardoso Cidade¹, Gabriel Nascimento dos Santos² – Orientadores: Therezinha
Vasconcelos Santos Brasil¹; Miríades Augusto da Silva²; Luana Alves dos Santos²; Thiago da
Silva Nascimento² - Instituições: Colégio Estadual de Salobrinho¹; Universidade Estadual
de Santa Cruz², Ilhéus, Bahia.

EXP 08 – AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA ADSORÇÃO DO DIÓXIDO DE CARBONO PELO FIL-


TRO COMPOSTO DE MESOCARPO FIBROSO DO COCOS NUCIFERA (L. Var. Nana) – Autoras:
Alexia Ananda Santana Simões1, Lilian Fonseca dos Santos Divino1 – Orientadores: Elbert
Reis Dias1, Marcelo Barroso Barreto3 – Instituições: 1Escola SESI Djalma Pessoa; 2Univer-
sidade Católica de Salvador4, Salvador, Bahia.

27
10º Encontro de Jovens Cientistas

EXP 09 – BATERIA DE GRAFENO – Autora: Maria Fernanda Nascimento Moraes¹ – Orien-


tadores: Márcio Lisboa Correia¹, Luciana Licínio¹ – Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade
Itaigara, Salvador, Bahia.

EXP 10 - BIOPLÁSTICO DA TANGERINA – Autoras: Eduarda Lima Coutinho¹, Maria Eduarda


Santos de Menezes¹ – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior¹ – Instituição: ¹ Escola SEB
Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 11 – BOIA CADEIRANTE – Autores: Carlos Henrique Queiroz Pena Filho¹, Luca Brandão
Guimarães¹, Marcela Versoza Martinez¹, Matheus Matos de Mesquita¹, Valentina Guimarães
Dantas¹ - Orientadora: Caroline Dóres Freitas¹ – Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro,
Salvador, Bahia.

EXP 12 – CANUDOS SUSTENTÁVEIS – Autores: Alecsandro da Silva Pinto¹, Amanda Bueno


Silva¹, Julia Gimenez Lervolino¹ – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior¹ - Instituição:
¹Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 13 – CÁPSULA DE INSULINA: BAUHINKA FORFICATA NO COMBATE A DIABETES – Au-


tores: Juan Pedro Reis e Ygor Silva Nogueira Guimarães – Orientador: Jorge Bugary Teles
Júnior - Instituição: Colégio Sartre _ Escola SEB, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 14 – CARREGADOR CINÉTICO - Autor: Guilherme Gonçalves de Britto¹ – Orientadores:


Márcio Lisboa Correia¹, Luciana Licínio¹ - Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara,
Salvador, Bahia.

EXP 15 – COMO ECONOMIZAR ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE DOMÉSTICO – Autor:


Guilherme Soares Cerqueira Chabi¹ – Orientador: Marcus Vinicius Fraga Lobo² – Institu-
ições: ¹Centro Educacional Maria Milza; ²Faculdade Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia.

EXP 16 – CONTROLADORA DE FRUTAS MIDI – Autoras: Natielle Oliveira Souza Barbosa¹,


Maria Eduarda Santos dos Santos¹ – Orientador: Helson Lucas da Silva Santos² – Institu-
ições: ¹Colégio Ana Tereza, ²Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

EXP 17 – CRIAÇÃO DE REPELENTE A PARTIR DE PRODUTOS NATURAIS – Autoras: Gabriele


Santos Pinheiro1, Ana Paula Santos Pinheiro1, Gabriela Santos Galiza1, Graziela Pereira
Santana1 – Orientadoras: Allena Lyra Araújo1, Rosana Lopes Lima Fialho2 – Instituições:
1Colégio Estadual Evaristo da Veiga; 2Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

EXP 18 – DA BOT NICA AOS FITOCOSMÉTICOS: PRODUÇÃO DE COSMÉTICOS A BASE DE


PLANTAS - Autoras: Graziele Alves L. dos Santos1, Júlia dos Santos Barros1, Amanda Je-
sus B. dos Santos3, Sofia dos Santos Barros1 , Caroline Vasconcelos Fernandes1 – Orienta-
doras: Rosana Dantas2, Elaine C. M. Cabral Albuquerque2 – Instituições: 1Colégio Estadual
Henriqueta Martins Catharino, Salvador, Bahia; 2Universidade Federal da Bahia, Programa
de Pós-Graduação em Engenharia Industrial (PEI), Salvador, Bahia.

EXP 19 – DACHS FISIO – Autora: Nayara Macedo Machado1 – Orientadora: Isa Malena Góes
Cerdeira1 – Instituição: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Salvador, Bahia.

28
Livro de Programação e Resumos

EXP 20 – DESABAMENTOS DE BARRAGENS – Autores: Alice Sturaro1, Bernardo Leal1,


Marina Santos1, Miguel Valente1 – Orientadora: Ana Claudia Sokolonski1 – Instituição:
1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 21 – DESVENDANDO CRIMES – Autores: Raissa Gonçalves Silva Freitas1, Sara Ro-
drigues dos Santos1 – Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2 – Institu-
ições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães; 2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/SMS/
PMS, Salvador, Bahia.

EXP 22 – DESVENDANDO O SUOR - Autoras: Ana Luiza Cerqueira Cavalcante1, Raphaely


Karolayne Silva Santos1 – Orientadora: Isa Malena Góes Cerdeira1 – Instituição: 1Colégio
Estadual Alfredo Magalhães.

EXP 23 – DIAGNÓSTICO DO MIELOMA MÚLTIPLO ATRAVÉS DO TESTE DO PEZINHO – Auto-


ra: Beatriz Rodrigues Fernandez1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição:
Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 24 - ECO REGULADOR – Autores: Isadora Cardoso1, Henrique Monteiro1, João Bento1;
Maria Eduarda Marques1 – Orientadora: Juliana Abenhusen1 – Instituição: 1Colégio
Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 25 – ENERGIA LIMPA E ACESSÍVEL – Autoras: Rebeca Celina Lacerda Conceição1,


Aretha Morais de Oliveira Rodrigues1, Natalia Santos de Jesus1 – Orientadoras: Cristianne
Braga Gibaut1, Edna Sousa Matos1 – Instituição: 1Centro Educacional Colinas de Pituaçu,
Salvador, Bahia.

EXP 26 – ENGENHARIA COM PAPEL – Autor: Gabriel Pinheiro Marques1 – Orientadores:


Marcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1 – Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itai-
gara, Salvador, Bahia.

EXP 27 – FÍSICA SUSTENTÁVEL: PEDALADAS ECOLÓGICAS – Autor: Adriano Carvalho


Simões Guimarães1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB
Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 28 – GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA PARA ALIMENTAÇÃO DE RESIDÊNCIAS REPRE-


SENTADAS EM MAQUETE – Autores: Carlos Miguel Soledade dos Santos1, Elias Reuel dos
Santos Sena1, João Luís Souza de Santana1, Juliana Pereira do Nascimento1, Lucas Car-
doso1 – Orientadores: Leandro de Oliveira Cedraz1, Edilza Santana Bomfim1 – Instituição:
1Colégio Estadual Dr. Luiz de Moura Bastos, Dias D’Ávila, Bahia.

EXP 29 – KOMBUCHA – Autoras: Laiza Machado Brito Garcia de Castro1, Maria Clara San-
tana do Espírito Santo1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola
SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 30 – MULUNGU E SEUS EFEITOS ANTIBIÓTICOS – Autores: Guilherme Santos


Niekraszewicz1, Maria Fernanda Barbosa Pereira1 – Orientador: Jorge Bugary Teles
Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

29
10º Encontro de Jovens Cientistas

EXP 31 – NOTE DIAPER PROJECT – Autores: Alice Nunes¹, Enzo França¹, Emanuel Castro¹ –
Orientador: Dan Loureiro Nascimento¹ – Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.

EXP 32 – O QUE TEM POR TRÁS DE UM SITE? – Autora: Rannyeveli Silva dos Santos Cer-
queira1 – Orientadora: Isa Malena Góes Cerdeira2 – Instituição: 1Colégio Estadual Alfredo
Magalhães.

EXP 33 – OS GATOS E OS MICROORGANISMOS – Autoras: Yasmin Silva Souza1, Danielle


Vitoria de Jesus Cerqueira1 – Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2 –
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães; 2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/
SMS/PMS, Salvador, Bahia.

EXP 34 – PÔNTICOS DENTÁRIOS CONFECCIONADOS COM HIDROXIAPATITA PRODUZIDA A


PARTIR DA CASCA DO OVO – Autora: Gabriela Moraes Santana1 – Orientadores: Marcelo
Barroso Barreto1, Elbert Reis Borges3 – Instituições: 1Escola SESI Djalma Pessoa, 2Uni-
versidade Católica de Salvador, Salvador, Bahia.

EXP 35 – PURIFICASOL: MODELO ALTERNATIVO DE PURIFICADOR E AQUECEDOR DE


ÁGUA USANDO GARRAFA PET E RADIAÇÃO SOLAR – Autores: Gabriel Borges de Oliveira1,
Gustavo Andrade de Souza Pessoa1, João Vitor de Jesus Anunciação1, Marcos Teixeira
Júnior1, Matheus Sande Souza1 – Orientadores: Davi Ferreira Barreto1, Marluce Malta1 –
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antônio de Jesus, Bahia.

EXP 36 – QUAL É O MEU SEGREDO? – Autoras: Daniela Gomes dos Santos1, Letícia Araújo
de Oliveira1 – Orientadora: Luciene Santos Carvalho1 - Instituição: 1Instituto Federal da
Bahia, Campus Camaçari, Camaçari, Bahia.

EXP 37 – QUIOSQUE ECOLÓGICO E EDUCATIVO – Autores: Alice Neves Monteiro de Lima1,


Eduardo Maciel Carrillo1, Iris Ribeiro Martins1, Miguel Linhares Barroso1 – Orientadora:
Regina Oliveira1 - Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 38 – SABONETE CICATRIZANTE PARA DIABETES – Autoras: Maria Paula Pereira de


Souza1, Ana Júlia Espinosa1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: 1Es-
cola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 39 – SEMENTES MAIORES PRODUZEM PLANTAS MAIORES? – Autoras: Ruane Lima1,


Maria Eduarda Silva1, Júlia Bijos1 – Orientadoras: Allena Lyra2, Karla Oliveira Esquerre3
– Instituições: 1Colégio Estadual Evaristo da Veiga, Salvador, Bahia; 2Universidade Federal
da Bahia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Industrial (PEI), Salvador, Bahia.

EXP 40 – SISTEMA DE ALERTA DE TSUNAMIS – Autores: Marçal Santos Huoya1, Átila Dou-
rado Barbosa1, Isabella Afonso Pereira1, Tarso Mello de Oliveira1 – Orientadora: Juliana
Abbehusen1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 41 – SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS: COMO MARTE PODE


SERVIR DE BASE PARA UM SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO ESPACIAL – Autor: Luiz Virgílio Bar-
reto Martello Filho1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB
Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

30
EXP 42 – SISTEMA FECHADO DE AUTOIRRIGAÇÃO PARA AGRICULTURA FAMILIAR –
Autores: Anna Júlia Borges Dantas1, Giovana Cronemberger Cavalcanti1, Letícia Brasil
Radelsberge1r, Luana Dutra Pinheiro1, Lucas Lopes Nunes1, Sofia Santana de Abreu1 –
Orientadora: Juliana Abbehusen1 - Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 43 – SOLAR SUBWAY – Autoras: Larissa Ferreira Carneiro1, Luana Brasil Radelsberg-
er1, Manuela Hering Macedo Castineira1, Maria Clara Bulcão Cappio1 – Orientadora: Ana
Cláudia Sokolonski1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 44 – TRACKBAN, DISPOSITIVO PARA PRECAVER A PERDA DE CRIANÇAS E ADOLES-


CENTES – Autores: Felipe Marques dos Santos Abreu1, João Pedro Oliveira dos Santos
Silva1, Rodrigo Carvalho da Silva1 – Orientadora: Lílian Alves de Almeida1 – Instituição:
1Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.

EXP 45 – TRACKING BRACELET – Autores: Gabriel Queiroz Jorge da Silva1, João Arthur
Pereira Fernandes1, Luna Peixoto de Jesus Carvalho1, Maria Carvalho Fedulo1 – Orienta-
dor: Danilo Barbosa Ribeiro1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

EXP 46 – USO DE ONDAS LUMINOSAS NA DETECÇÃO DE LESÕES E ESTRUTURA DE NERVOS


DO CORPO HUMANO – Autores: Henrique Alcântara Borges1 – Orientador: Jorge Bugary
Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

EXP 47 – UTILIZAÇÃO DE GEORREFERENCIAMENTO E GRAFOS PARA ANÁLISE DAS UNI-


DADES DE SAÚDE DE CAJAZEIRAS – Autores: Lucas Emanuel Simões Cerqueira¹, Vitória
Regina Santos da Paixão² – Orientador: Jorge Lúcio Rodrigues das Dores¹ – Instituição:
¹Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia, Salvador, Bahia.

T O TAL: 47 EX P ER I MENTOS.
10º Encontro de Jovens Cientistas

7. Ciência Lúdica: Brincando e Aprendendo


com Jogos sobre Ciências
(Quadro de Apresentações com pôster)

23/10/2019 (QUARTA-FEIRA)
HORÁRIO 8h00 às 11h e 13h às 17h
Local: Hall do Pavilhão de Aulas Reitor Felipe Serpa (PAF 1)

CL 01 – A FAZENDA DAS FRAÇÕES – Autor: William Meneses¹ – Orientador: Michel


Ferreira Lima¹ – Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

CL 02 – A MOBILIDADE INTELIGENTE EM CRUZ DAS ALMAS-BA – Autores: Maria Clara


Daltro Bastos1, Beatriz Costa Assunção Pires1, Elias de Araújo Dias1 – Orientador:
Vanderlei Oliveira2 –Instituição: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade do
Estado da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

CL 03 – BARALHO INORG NICO – Autor: Emanuel Arlan Sousa Silva Ferreira1 – Orien-
tadora: Luciene Santos Carvalho1 - Instituição: 1Instituto Federal da Bahia, Campus
Camaçari, Camaçari, Bahia.

CL 04 – C.A.V.R. - CONTRA ATAQUE AO VÍRUS DA RAIVA – Autores: Alex Tanan Matos


Almeida1, Artur Dourado Barbosa1, Lucca Macário Kolbe1, Malu Maia Coelho1,
Maria Eduarda Portela Shimizu1 – Orientadora: Juliana Abbehusen1 – Instituição:
1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

CL 05 – CARTAS NA MESA: JOGANDO COM A SUSTENTABILIDADE – Autoras: Karin


Beatriz Silva de Souza1, Laila Kimberli de Oliveira Santana1, Maria Eduarda Mene-
zes do Nascimento1, Ana Luisa Nogueira dos Santos1 – Orientadoras: Daniele dos
Santos Lima2, Ana Rosa do Carmo Iberti1 –Instituições: 1Escola Municipal Cidade de
Jequié; 2Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, Bahia.

CL 06 – DEFESA IMUNE: O JOGO DE CARTAS – Autor: Kevin Santos Fernandes1 – Ori-


entador: David Santana Lopes1 – Instituição: 1Universidade Federal da Bahia

CL 07 – DISCUTINDO E APRENDENDO: A IGUALDADE DE GÊNERO – Autores: Davi


Levingston Andrade Leão Neto1, Letícia Pereira Morais Silva1, Natália Rodrigues de
Oliveira1, Melissa Aleluia Pires1, Sara Yasmin Santos Souza1 – Orientadora: Uilma
Silva Santos1 – Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

CL 08 – ENSINO DA QUÍMICA DOS SANEANTES ATRAVÉS DO SCRATCH – Autoras: Ana


Beatriz Santos de Jesus¹, Brenda Larissa de Souza Marques¹, Laís Bastos Pinheiro²,
Rafaela Liliane Silva de Menezes² – Orientadores: Alzira Melo¹, Raony Maia Fontes² –
Instituições: ¹Colégio Estadual Henriqueta Martins Catharino; ²Universidade Federal
da Bahia, Salvador, Bahia.

32
Livro de Programação e Resumos

CL 09 – FOOD IMPACT - Autores: Cauan Pacheco Bonfim do Nascimento1, Cayllon


Pereira Serra Cerqueira1, Everton de Miranda Teixeira1, Iago Borges de Assis1 –
Orientador: Ícaro Andrade Santos1 – Instituição: 1Centro Educacional Império do
Saber, Salvador, Bahia.

CL 10 – GASOLINA OU ÁLCOOL, O QUE DEVEMOS USAR? – Autores: Guilherme de


Castro Vita1, João Vitor de Andrade Lima1, Júlia Cangussu de Oliveira Ferreira
Santos1, Laura Nossa1, Nicole Rocha1 – Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira
Figueiredo Santana1 – Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.

CL 11 – “HISTORIKA” E “TRENFO” – Autores: João Vicente Freire1, Pedro Henrique de


Matos Oliveira Santos1 – Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1 –
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador, Bahia.

CL 12 – INCLUSÃO NA MOBILIDADE URBANA ATRAVÉS DA ANÁLISE MICRO E MAC-


ROACESSIBILIDADE – ESTUDO DE CASO DO VALE DA MURIÇOCA E ENGENHO VELHO
DA FEDERAÇÃO – Autoras: Carollyne Santos Dourado1, Maria Isabel Bonfim dos San-
tos1, Polyana Cerqueira Machado1, Adriana Silva Santana1, Priscila Naiara Santos
Andrade1 – Orientadoras: Cecília Peixoto da Silva1, Silvia Miranda2 – Instituições:
1Colégio Estadual Mário Costa Neto; 2Universidade Federal da Bahia, Programa de
Pós-Graduação em Engenharia Industrial (PEI), Salvador, Bahia.

CL 13 – JOGO DE ESCOLHAS DO SEXISMO – Autores: Felipe Sobral1, Guilherme Mat-


tedi1, Lara Lima1, Maria Clara Silva1, Vitor Reis1 – Orientadora: Guacira Caval-
cante1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

CL 14 – JOGO PEDAGÓGICO INCLUSIVO PARA CRIANÇAS COM TEA (TRANSTORNO DO


ESPECTRO AUTISTA) – Autoras: 1Camilly Oliveira Brito da Silva, 1Isabella Bramont –
Orientador: Leandro Menezes1 – Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

CL 15 – NA TRILHA DO DESCOBRIMENTO – Autores: Elaine Pires Souza1, Fabrício


Gabriel Souza Lima1, Maria Luiza Ferreira Santana1, Raquel de Jesus Pinheiro1,
Salmo de Jesus Santos1 – Orientadora: Josefa Rosimere Lira da Silva1 – Instituição:
1Escola Municipal Nova do Bairro da Paz, Salvador, Bahia.

CL 16 – PENSE, NÃO SURTE – Autoras: Beatriz Rodrigues1, Lohana Andrade1, Maria


Eduarda Barreto1, Marianna Borges1, Marianne Reis1 – Orientadores: Andréa Mas-
carenhas1, Davi Ferreira Barreto1 – Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus,
Santo Antônio de Jesus, Bahia.

CL 17 – RECIQUIZ – Autores: Eduarda Braga Simões1, Giovanna Deoclecio Meira1,


Lucas Motta de Lacerda1, Marina Oliveira de Souza Aquino1, Sofia Mello Costa1 –
Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira Figueiredo Santana1 – Instituição: 1Colégio
Módulo, Salvador, Bahia.

CL 18 – SAÚDE EM PAUTA – Autoras: Pamela Rebeca Miranda Brito1, Leonara Raissa


O. dos Santos1 – Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2 – Institu-
ições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães; 2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/
SMS/PMS, Salvador, Bahia.

33
10º Encontro de Jovens Cientistas

CL 19 – SOCORRO A VISTA – Autores: David Emanuel Silva de Almeida1, Davi Santos


Nascimento1 – Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2 – Institu-
ições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães; 2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/
SMS/PMS, Salvador, Bahia.

CL 20 – SIMBIONTES: PROPOSTA DE UM JOGO DIDÁTICO PARA ESTUDANTES DA


EDUCAÇÃO BÁSICA – Autores: Anderson Conceição dos Santos1, Maiana Gonzaga
dos Reis1, Ítalo Gabriel da Cunha Santos1 – Orientadora: Aidil Gonçalves Garcez1 –
Instituição: 1Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salvador, Salvador, Bahia.

CL 21 – TITÃGENESIS: COLONIZANDO A LUA DE SATURNO – Autor: 1Luiz Eduardo


Pontes Esquivel – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB
Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

CL 22 – UM JOGO SOBRE A OBESIDADE – Autores: Filipe Matos de Mesquita1, Maria


Fernanda Oliveira de Azevêdo1, Pedro Bitencourt Fonsêca Carvalho1, Raquel Bar-
bosa Oliveira da Silva1 – Orientadora: Caroline Dóres Freitas1 – Instituição: 1Colégio
Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

CL 23 – UP! - PENSAR ALTO É RACIOCINAR MATEMATICAMENTE – Autor: Flávio Luís


Álvares Santarém1 – Orientadora: Silvanir Pereira Souza1,2 – Instituições: 1Colégio
Estadual Almirante Barroso, 2Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da
Bahia – Campus Santo Amaro, Santo Amaro, Bahia.

CL 24 – XADREZ DO MUNDO ANTIGO – Autoras: Sophia Chediak Souza1, Gabriela An-


drade Mattos1 – Orientador: Jordan Santos Mendes1 – Instituição: 1Escola Concept,
Salvador, Bahia.

CL 25 – APOLLO 4151 – Autora: Nayara Sacramento Pereira1 – Orientadores: Márcio


Lisboa Correia2, Luciana Licínio2 – Instituição: Colégio Sartre Escola SEB, Salvador,
Bahia.

T O TAL: 25 Jog os

34
Livro de Programação e Resumos

8. Vida de Jovem Cientista


(Quadro de Apresentações Orais)

24/10/2019 (QUINTA-FEIRA) - 8h00 às 11h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 1 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

8h00-8h20 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h20-8h30 VJC 01 – A ANÁLISE DO USO DA ÁGUA EM AMBIENTE DOMÉSTICO NA


CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS - Autoras: Mara Carine Santos da Con-
ceição de Santana1, Geovana Costa Silva1 - Orientador: Eduardo dos
Santos Lopes2 – Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Unias-
selvi, Cruz das Almas, Bahia.

8h30-8h40 VJC 02 – A VIABILIDADE DA EXTRAÇÃO DA CUMARINA E QUERCETINA


DA SEMENTE DA AMBURANA CEARENSIS – Autora: Sophia Nogueira
Costa Farias¹ – Orientador/a: Márcio Lisboa Correia², Luciana Licínio² -
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador, Bahia.

8h40-8h50 VJC 03 – A CULTURA INDÍGENA ATRELADA À SUSTENTABILIDADE – Au-


toras: Lorrane Moreira do Nascimento e Maria Eduarda Fialho Gouveia
de Araújo – Orientadora: Laís Beldel – Instituição: Colégio Ana Tereza,
Salvador, Bahia.

8h50-9h00 VJC 04 - A ESPETACULARIZAÇÃO DAS FESTAS POPULARES NA CIDADE


DE SALVADOR/BA – Autora: Kamilly Mendes de Oliveira¹ - Orientador:
Aisllan Damacena Souza da Silva¹ - Instituição: ¹Colégio Ana Tereza,
Salvador Bahia.

9h00-9h10 VJC 05 – A IMPORT NCIA SOCIAL E ECOLÓGICA DOS CATADORES DE


RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE SANTO ANTÔNIO DE JESUS – BA. –
Autores: Camille Souza Costa Santos1; Nathany Santana de Assis1, Luiz
Gustavo Brandão Ferreira1 – Orientadores: Davi Barreto1; Marluce
Malta1 – Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antônio
de Jesus, Bahia.

9h10-9h40 DISCUSSÃO

9h40-9h50 VJC 06 – A INFLUÊNCIA DA CARÊNCIA EMOCIONAL NO TRATAMENTO


DE CRIANÇAS HOSPITALIZADAS – Autoras: Amanda Bueno Silva1, Julia
Gimenez Lervolino1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Junior1 – Institu-
ição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

9h50-10h00 VJC 07 – A ONU E OS SEUS REFLEXOS NO MUNDO GLOBALIZADO


- Autora: Maria Clara de Araújo Rios1 – Orientadora: Synara Silva1 –
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

35
10º Encontro de Jovens Cientistas

10h00-10h10 VJC 08 - A PERCEPÇÃO DOS GÊNEROS MUSICAIS AO LONGO DAS


DÉCADAS E SUAS INFLUÊNCIAS NO COMPORTAMENTO DA VIOLÊNCIA
NO BRASIL - Autora: Mayara Cavalcanti Moraes1 - Orientador: Jorge
Bugary Teles Júnior1 - Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet,
Lauro de Freitas, Bahia.

10h10-10h20 VJC 09 – A PULSEIRA DA AJUDA - “PDA” PULSEIRA DA AJUDA - Au-


tores: Marcos Adriano Guimarães Torres¹, Milla Vitória Oliveira Passos²
– Orientador/a: Márcio Lisboa Correia³, Luciana Licínio³ – Instituição:
Colégio Sartre_Escola SEB, Unidade Itaigara, Salvador, Bahia.

10h20-10h30 VJC 10 – A VIOLÊNCIA CONTRA MULHER NO BRASIL E OS DANOS


NEUROPSICOLÓGICOS - Autora: Ludmila Oliveira de Jesus1 – Orientado-
res: Márcio Lisboa Correia2, Luciana Licínio2 – Instituição: Escola SEB
Sartre, Unidade Itaigara, Salvador, Bahia.

10h30-11h00 DISCUSSÃO

24/10/2019 (QUINTA-FEIRA) - 8h00 às 11h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 2 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

8h00-8h20 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h20-8h30 VJC 11 – ABUSO SEXUAL INFANTIL – Autores: Karina Bittencourt1,


Luana Silva1, Thiago Mira1 – Orientadora: Ana Cláudia Sokolonski1 –
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

8h30-8h40 VJC 12 – ADMINISTRADOR DE ENERGIA ELÉTRICA RESIDENCIAL –


Autores: Anna Luiza Sousa Feijó1, Isabela Oliveira Sampaio1, Ricardo
Augusto Almeida Santana1 – Orientadora: Estefane Bahia da Silva1 –
Instituição: 1Colégio Nossa Senhora da Luz, Salvador, Bahia.

8h40-8h50 VJC 13 – ANÁLISE CLÍNICA DO TRATAMENTO PARA HIDROCEFALIA CON-


GÊNITA – Autor: Gabriel Barbosa Gomes1 – Orientador: Jorge Bugary
Teles Júnior1 – Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro
de Freitas, Bahia.

8h50-9h00 VJC 14 – ANÁLISE DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS RIOS IMBASSAY E


JACUÍPE NO MUNICÍPIO DE DIAS D’ÁVILA – Autores: Abimael Uanderson
Soares Cristovão1, Elén Cristina Cardoso Lima1, Iralice Vitoria Oliveira
Bastos Piedade1, Júlia Alves Silva1, Miriam de Assis Felipe1 – Orien-
tadores: Flávia Luciana Oliveira da Silva1, Mateus da Silva Carvalho1
– Instituição: 1Colégio Estadual Dr. Luís de Moura Bastos, Dias D’Ávila,
Bahia.

9h00-9h10 VJC 15 – “AG”- ANEL GATILHO – Autora: Giovanna Fontes Bulhões¹


Orientador/a: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Linício1 – Instituição:
1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador, Bahia.

36
Livro de Programação e Resumos

9h10-9h40 DISCUSSÃO

9h40-9h50 VJC 16 – ANÍSIO TEIXEIRA – VIDA, OBRA E REVOLUÇÃO DO ENSINO NO


BRASIL – Autores: Matheus Correia1, Daniel Miranda1 – Orientador:
João Marcelo Ramos da Rocha1 – Instituição: 1Centro de Educação
Colibri, Salvador, Bahia.

9h50-10h00 VJC 17 – ANNA BENITE: CIÊNCIA TAMBÉM É PARA MULHERES NEGRAS


Autoras: Maria Luiza Nascimento1, Michelle Silva1 – Orientadora: Kelly
Meneses Fernandes1 – Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares,
Camaçari, Bahia.

10h00-10h10 VJC 18 – APLICAÇÕES PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS


MÚLTIPLAS DE HOWARD GARDNER – Autora: Ana Maria da Silva de
Jesus1 – Orientador: João Marcelo Ramos da Rocha1 – Instituição:
1Centro de Educação Colibri, Salvador, Bahia.

10h10-10h20 VJC 19 – ATERROS AQUÁTICOS? – Autores: Antônio Medrado de Al-


cântara Neto1, Bianca Nery Barreto1, Clara Silva Greck1, Davi Gomes
Ávila1, Giulia Freitas1 – Orientadora: Carla Regina Nunes Costa1 – Insti-
tuição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.

10h20-10h30 VJC 20 – AUSÊNCIA DE ESCRITORAS NEGRAS NAS ESCOLAS DE CRUZ


DAS ALMAS, BA – Autoras: Damilli Victória de Castro da Silva¹, Luane
Hellen Carvalho Braga1 - Orientador: Jefferson Gomes Bingre2 – In-
stituição: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade Federal do
Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

10h30-11h00 DISCUSSÃO

24/10/2019 (QUINTA-FEIRA) - 13h às 17h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 1 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

12h30-13h00 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

13h00-13h10 VJC 21 – AUTOMAÇÃO POR ARDUINO DA IRRIGAÇÃO DE UMA HORTA


ESCOLAR COMUNITÁRIA – Autores: Lucas Almeida Pereira1, Beatriz
Gomes Nogueira1, Jessica Santana Ribeiro1 – Orientador/a: Maurício
de Souza Bandeira1, Lilian Alves de Almeida1 – Instituição: 1Escola
SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.

13h10-13h20 VJC 22 – AUTOMEDICAÇÃO: UM RISCO À SAÚDE DA TERCEIRA IDADE


– Autora: Letícia ngelo dos Santos¹ – Orientadora: Camilla Hettenhau-
sen Costa Marcondes Godoy² – Instituição: ¹Colégio Ana Tereza-CAT,
Salvador, Bahia.

37
10º Encontro de Jovens Cientistas

13h20-13h30 VJC 23 – BIOGÁS: PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL – Autores: João


Paulo Moinhos Berenguer1, Fernanda Oliveira Velame1, Louise Victoria
Sanches Barbosa1, Gabriela Vicente Juliano1, Gabriela Vieira Costa
Cattai1 – Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira Figueiredo Santana1 –
Instituição: 1Colégio Santíssimo Sacramento (Sacramentinas), Salvador,
Bahia.

13h30-13h40 VJC 24 – BUEIRO ECOLÓGICO – Autoras: Maria Clara Guimarães Dou-


rado1, Maria Eduarda Costa Primo Coelho1, Maria Eduarda de Oliveira
Carneiro1 – Orientador: Uelen Oliveira Moura1 - Instituição: 1Colégio
Nossa Senhora da Luz, Salvador, Bahia.

13h40-13h50 VJC 25 – CAMINHOS PARA COMBATER A ESCRAVIDÃO NO BRASIL –


Autoras: Vitória Bianca da Silva Pinto1, Isabelle Maria Nascimento
Silveira1 – Orientador: Jefferson Gomes Bingre2 – Instituições: 1Centro
Educacional Maria Milza, 2Universidade Federal do Recôncavo da
Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

13h50-14h20 DISCUSSÃO

14h20-14h30 VJC 26 – COLETA DA SOLIDARIEDADE – Autores: Ana Victória Malta1,


Beatriz Ramos Oliveira1, Beatriz Ribeiro de Oliveira1, Beatriz Santos
do Espírito Santo1, Mateus Teixeira Gabriel1 – Orientador/a: Marluce
Malta1; Davi Ferreira Barreto1 – Instituição: 1Colégio Santo Antônio de
Jesus, Santo Antônio de Jesus, Bahia.

14h30-14h40 VJC 27 – COMO SE PROTEGER DOS PROBLEMAS DA RADIAÇÃO ELETRO-


MAGNÉTICA NAS TECNOLOGIAS UTILIZADAS NO COTIDIANO – Autores:
Cauã Pereira da Silva e Silva1, Ian Gustavo Souza Nunes1, Luís Felipe
Silva dos Santos1 – Orientador: Marcus Vinícius Fraga Lobo2 Insti-
tuições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade Federal da
Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

14h40-14h50 VJC 28 – CONSTRUINDO HISTÓRIAS E ESTIMULANDO A LEITURA –


Autores: Enzo David Peuonzo Ferreira1, Gabriel Improta de Andrade1,
João Gabriel Marinho Gomes Emiliano1, João Marcos Costa Pereira1,
Júlia Silva Ribeiro1 – Orientador/a: Davi Ferreira Barreto1, Andréa
Mascarenhas1 – Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo
Antônio de Jesus, Bahia.

14h50-15h00 VJC 29 – COPO PRODUZIDO A PARTIR DA CASCA DO COCO – Autores:


Antônio Honorato de Castro Vita1, Bernardo Conduru Lins de Faria1,
Miguel Rêgo de Castro1, Maria Helena Souza de Oliveira1, Maria Laura
Cordeiro Fonseca1 – Orientadora: Paloma Bagano Paiva1 – Instituição:
1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.

15h00-15h10 VJC 30 – DEMOCRACIA... E ISSO EXISTE? – Autores: Daniel Kolbe1,


Vinícius Pereira1 – Orientador: Fábio Mutti – Instituição: Colégio Anglo-
Brasileiro, Salvador, Bahia.

15h10-15h40 DISCUSSÃO

38
Livro de Programação e Resumos

15h40-15h50 VJC 31 – DEPRESSÃO EM ADOLESCENTES E O IMPACTO NO DESEN-


VOLVIMENTO DO INDIVÍDUO EM ESTUDANTES DE DOIS COLÉGIOS PAR-
TICULARES DE CRUZ DAS ALMAS-BA – Autoras: Maria Gabrielle Queiroz
Silveira1, Ariani dos Santos Oliveira2 – Orientador: Jefferson Gomes
Bingre2 – Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade
Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

15h50-16h00 VJC 32 – É DE COMER? AS PANCS, SUAS RELAÇÕES COM VALORES


TRADICIONAIS E POSSIBILIDADES DE USO NA DIETA ALIMENTAR – Au-
toras: Isabelle Vitória Barcelos1, Luane Ferreira1 – Orientadora: Karole
Pereira1 – Instituição: 1Escola SESI Reitor Miguel Calmon, Salvador,
Bahia.

16h10-16h20 VJC 33 – É MATO? PANCs E SUAS PERPECTIVAS DE USO PARA UMA


ALIMENTAÇÃO DIFERENCIADA – Autoras: Gabriela Rodrigues1, Sofia Al-
meida1, Thaísla Ferreira1 – Orientadora: Karole Pereira1 – Instituição:
1Escola SESI Reitor Miguel Calmon, Salvador, Bahia.

16h20-16h30 VJC 34 – ECO CANETA - Autores: Mariana Portela Gomes1, João Paulo
Oliveira Santana1, Liz Fraga Sampaio1, Samarah Moura Vallari1 –
Orientadora: Carla Regina Nunes Costa – Instituição: 1Colégio Módulo,
Salvador, Bahia.

16h30-17h00 DISCUSSÃO

24/10/2019 (QUINTA-FEIRA) - 13h às 17h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 2 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

12h00-13h00 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

13h00-13h10 VJC 35 – EDUCAÇÃO ESTÉTICA COMO REDEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO


AO TEATRO EM SALVADOR – Autores: Luana da Costa Oliveira1, Mailane
Castro dos Santos1, Ricardo Leite Alves1 – Orientadora: Fabiane Lima
Santos1 – Instituição: Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.

13h10-13h20 VJC 36 – ENERGIAS QUE MOVEM MINHA ESCOLA: CONSTRUÇÃO DE UM


MODELO DE AEROGERADOR DE EIXO HORIZONTAL – Autores: Diana
Matos da Conceição1, Renan da Conceição Fonseca1, Eliel Reuel dos
Santos Sena1, Bruna Rosario Gomes1, Janderson Julião dos Santos1 –
Orientadores: Leandro de Oliveira Cedraz1, Mateus da Silva Carvalho1
– Instituição: 1Colégio Estadual Doutor Luis de Moura Bastos, Dias
D’Ávila, Bahia.

13h20-13h30 VJC 37 – ENGENHARIA REVERSA E SUA APLICABILIDADE NA ATUALI-


DADE - Autor: Roberto Silva do Couto1 – Orientador: Marcus Vinícius
Fraga Lobo2 – Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Facul-
dade Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia.

39
10º Encontro de Jovens Cientistas

13h30-13h40 VJC 38 – ESCAVADEIRA HIDRÁULICA SUSTENTÁVEL – Autores: Davi


Moreira1, Gabriel Costa Silva1, João Victor Dórea1 – Orientadora:
Bárbara F. Rocha Silva1 – Instituição: 1Colégio Nossa Senhora da Luz,
Salvador, Bahia.

13h40-13h50 VJC 39 – ESTRELA DA VIDA: A UTILIZAÇÃO BENÉFICA DA CARAMBOXI-


NA – Autores: João Pedro Carvalho1, Nicole Barros1, Talita Marina Nó-
brega1 – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 – Instituição: Escola
SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

13h50-14h20 DISCUSSÃO

14h20-14h30 VJC 40 – ESTUDO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO ENSINO MÉDIO


EM UMA UNIDADE DE ENSINO SITUADA NO RECÔNCAVO BAIANO: DA-
DOS PRELIMINARES SOBRE O PROCESSO DE ESCUTA DOS ESTUDANTES
– Autores: Guilherme Lima Alves1, Mikelly Militão Melros1 – Orienta-
dor: Francisco Silva de Souza1 – Instituição: 1Colégio Adventista da
Bahia, Cachoeira, Bahia.

14h30-14h40 VJC 41 – GAMES: A INFLUÊNCIA DO “HORMÔNIO DA LUTA E DA FUGA”


– Autoras: Aline Santana Barbosa¹, Maria Clara Pimentel¹ – Orientador:
Eduardo dos Santos Lopes² – Instituições: 1Centro Educacional Maria
Milza, 2UNIASSELVI, Cruz das Almas, Bahia.

14h40-14h50 VJC 42 – GARRAFA BIODEGRADÁVEL – Autoras: Ana Beatriz Machado


de Castro1, Maria Clara de Souza Guimarães1, Maria Luiza Cardoso da
Paz de Lira Medeiros1, Mariana Domingues Vila-Flor1, Sophia Costa
Carvalho1 – Orientadora: Paloma Bagano Paiva1 – Instituição: 1Colégio
Módulo, Salvador, Bahia

14h50-15h00 VJC 43 – GELADINHO PROBIÓTICO FERMENTADO A PARTIR DO KEFIR


LÁCTEO – Autores: Fernando Macedo de Almeida Neto1, Giovanna Liz
Rocha Silva1, Gustavo Luís Oliveira Barros1, João Vitor Souza Silva1,
Luiz Henrique Rebouças Queiroz1 – Orientadoras: Alba Cristina Bar-
bosa de Jesus1, Marina de Jesus Santos1 – Instituição: 1Colégio Santo
Antônio de Jesus, Santo Antônio de Jesus, Bahia.

15h00-15h10 VJC 44 – GERAÇÃO SMARTPHONE: PERFIL DE USO DE APLICATIVOS


POR ADOLESCENTES DE ENSINO MÉDIO E JOVENS UNIVERSITÁRIOS DE
DUAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO NO RECÔNCAVO DA BAHIA – Autora:
Mikelly Militão Melro1 – Orientador: Francisco Silva de Souza1 – Insti-
tuição: 1Colégio Adventista da Bahia, Cachoeira, Bahia.

15h10-15h40 DISCUSSÃO

15h40-15h50 VJC 45 - HIV: CONTEXTO POLÍTICO-ECONÔMICO COMO OBSTÁCULO


PARA AS PESQUISAS - Autora: Júlia Alice1 - Orientadora: Camilla
Hettenhausen1 - Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

15h50-16h00 VJC 46 – HIV: DESAFIOS DE UM SOROPOSITIVO E A INFLUÊNCIA DA MÍ-


DIA – Autora: Esther Cerqueira1 – Orientadora: Camilla Hettenhausen1
– Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

40
Livro de Programação e Resumos

16h10-16h20 VJC 47 – IMPACTOS CAUSADOS PELAS ILHAS DE LIXO – Autores: Arthur


Almeida1, Isadora Rebelo1, Laís Miranda1, Luma Tavares1 – Orien-
tadora: Ana Liz Vieira Netto1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro,
Salvador, Bahia.

16h20-16h30 VJC 48 – JOANA D’ARC FELIX DE SOUZA: INSPIRAÇÃO PARA UM EN-


SINO DE CIÊNCIAS MAIS DIVERSO – Autora: Julia Cellyne Barbara dos
Santos1 – Orientadora: Kelly Meneses Fernandes – Instituição: 1Escola
Municipal Denise Tavares, Dias D’Ávila, Bahia.

16h30-17h00 DISCUSSÃO

25/10/2019 (SEXTA-FEIRA) - 8h00 às 11h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO EXTERNO do Instituto de Biologia da UFBA

8h00-8h20 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h20-8h30 VJC 49 – JOGOS DIGITAIS: MEIO DE CONHECIMENTO E INTERAÇÃO SO-


CIAL – Autor: Kaio Aroldo Miranda dos Santos1 – Orientadora: Synara
Silva de Pinho1 – Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

8h30-8h40 VJC 50 – MALEFÍCIOS DO USO EXCESSIVO DO ÁLCOOL EM JOVENS


DE CRUZ DAS ALMAS-BA – Autores: Marcos Gabriel Peixoto da Paz1,
Thainá da Silva Costa Santiago1 – Orientador: Eduardo dos Santos
Lopes2 – Instituições: Centro Educacional Maria Milza1, Uniasselvi2,
Cruz das Almas, Bahia.

8h40-8h50 VJC 51 – MIDIATIZAÇÃO E MERCANTILIZAÇÃO DO TURISMO NA CIDADE


DE SALVADOR/BA – Autoras: Luana Pereira dos Santos¹, Larissa Nas-
cimento de Jesus¹ - Orientador: Aisllan Damacena Souza da Silva¹ –
Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador Bahia.

8h50-9h00 VJC 52 – MULHERES NEGRAS BRASILEIRAS NAS CIÊNCIAS – Autor:


Denilson Santos Silva1 – Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1 –
Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares, Camaçari, Bahia.

9h00-9h10 VJC 53 – MULHERES NEGRAS NA CIÊNCIA: KATEMARI ROSA – Autora:


Dariany K. dos Santos Silva1 – Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1
– Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares, Camaçari, Bahia.

9h10-9h40 DISCUSSÃO

9h40-9h50 VJC 54 - NUTRIÇÃO E FITOTERAPIA: RELAÇÃO BALANCEADORA DE


PESO – Autora: Clarissa Lima1 - Orientadora: Camilla Hettenhausen1 –
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.

41
10º Encontro de Jovens Cientistas

9h50-10h00 VJC 55 – O AUTOCONHECIMENTO COMO PROMOTOR DE UMA BOA


SAÚDE MENTAL NOS JOVENS ENTRE 15 E 19 ANOS – Autoras: Ana
Catarina Santos Silva¹, Geohanna Gabrielly da Silva dos Santos¹ – Orien-
tadora: Fabiane Lima Santos² – Instituições: ¹Escola SESI Djalma Pessoa,
²Universidade Católica do Salvador, Salvador, Bahia.

10h00-10h10 VJC 56 – O AVANÇO DAS PESQUISAS BRASILEIRAS NA CRIMINOLO-


GIA – Autor: Daniel Tito Bitencourt¹ – Orientador: Jorge Bugary Teles
Júnior¹ – Instituição: ¹Colégio Sartre_Escola SEB, Unidade Monet, Lauro
de Freitas, Bahia.

10h10-10h20 VJC 57 – O INVESTIMENTO NO FUTEBOL NO MUNICÍPIO DE CRUZ DAS


ALMAS-BA – Autores: Harlen Luiz de Oliveira Borges¹, Marcelo dos
Santos Resende Junior¹ – Orientador: Edmilson Magalhães Borges2 –
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade Federal
da Bahia, Salvador, Bahia.

10h20-10h30 VJC 58 – O PADRÃO ESTÉTICO EURO-AMERICANO, A IMPOSIÇÃO SOCIAL


E AS MULHERES BRASILEIRAS – Autora: Nicole Funny Lima Nunes¹ –
Orientadora: Synara Silva de Pinho¹ – Instituição: ¹Colégio Ana Tereza,
Salvador, Bahia.

10h30-11h00 DISCUSSÃO

25/10/2019 (SEXTA-FEIRA) - 8h00 às 11h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 1 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

8h00-8h20 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h20-8h30 VJC 59 – O PROTAGONISMO DAS PSICÓLOGAS BRASILEIRAS – Autora:


Carolinne Ximenes Bugary¹ – Orientador: Jorge Bugary Teles Júnor¹ –
Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Freitas, Bahia.

8h30-8h40 VJC 60 – O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA SER UMA PRINCESA DA
DISNEY: UM ESTUDO SOBRE HISTORICIDADE E LUTA DAS MULHERES
– Autoras: Bélit Loiane Alves de Jesus¹, Bruna de Souza Melo¹, Yasmin
Fonseca Santos¹ – Orientadora: Fabiane Lima dos Santos¹ – Instituição:
¹Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.

8h40-8h50 VJC 61 – O SILENCIAMENTO HISTÓRICO E A RELEV NCIA DO CANDOM-


BLÉ NA FORMAÇÃO CULTURAL DA BAHIA – Autora: Luare Nepomuceno
Guimarães1 – Orientador: Roque Sérgio Barbosa Ribeiro2 – Instituições:
1Centro Educacional Maria Milza, 2Faculdade Maria Milza, Cruz das
Almas, Bahia.

8h50-9h00 VJC 62 – OS RISCOS DA PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO PARA OS


JOVENS DE 14 A 18 ANOS – Autores: Letícia Nunes Ribeiro da Silva1,
Pedro Edson Sampaio Tedgue1 – Orientador: Marcelo da Silva Passos2
– Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade Federal
da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.

42
Livro de Programação e Resumos

9h00-9h10 VJC 63 – POSSIBLIDADES E DESAFIOS DA IMPLANTAÇÃO DE SOFT-


WARES NO ENSINO FUNDAMENTAL EM CRUZ DAS ALMAS – Autores:
Felipe Fiuza da Conceição Santana1, Filipe Brandão dos Santos1 –
Orientador: Vanderlei Oliveira do Nascimento2 – Instituições: 1Centro
Educacional Maria Milza, 2Universidade do Estado da Bahia, Cruz das
Almas, Bahia.

9h10-9h40 DISCUSSÃO

9h40-9h50 VJC 64 – PRECARIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA NO BRASIL-DO BRASIL


COLÔNIA AOS DIAS ATUAIS – Autores: Kamilly dos Santos da Mota1 –
Orientador: João Marcelo Ramos da Rocha1 – Instituição: 1Centro de
Educação Colibri, Salvador, Bahia.

9h50-10h00 VJC 65 – PROJETOR DE BAIXO CUSTO – Autores: Bruno Soares Souza


de Menezes1, Caíque Ramos1 – Orientadores: Márcio Lisboa Correia1,
Luciana Licínio1 – Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara,
Salvador, Bahia.

10h00-10h10 VJC 66 – PSICOLOGIA NO ACOMPANHAMENTO DE PAIS COM FILHOS


MICROCEFÁLICOS – Autor: João Victor Fonseca Delgado da Silva¹ –
Orientador: Adilson Marciel1 – Instituição: ¹ Colégio Ana Tereza – CAT,
Salvador, Bahia.

10h10-10h20 VJC 67 – REALIDADE INFANTIL - VIOLÊNCIA E MAUS-TRATOS – Autoras:


Isabel Sobral Monte Silva1, Júlia Gesteira Correia1, Louise Martins Ri-
beiro de Britto1, Luanna Capelato Paiva1, Maria Eduarda Duplat Alves
Santos1, Miguel Cavalcante Inácio1 – Orientador: Wellington Marinho1
– Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

10h20-10h50 DISCUSSÃO

25/10/2019 (SEXTA-FEIRA) - 8h00 às 11h


HORÁRIO Local: AUDITÓRIO 1 do Pavilhão de Aulas Reitor
Felipe Serpa (PAF 1)

8h00-8h20 ABERTURA – ENTREGA DOS ARQUIVOS PELOS APRESENTADORES

8h20-8h30 VJC 68 – RECICLANDO E ABRIGANDO – Autores: Alice Coelho1, Enzo


Albuquerque1, Guilherme Medeiros1, Sofia Di Piero1 - Orientadora:
Ana Liz Vieira Netto1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador,
Bahia.

8h30-8h40 VJC 69 – TABELA PERIÓDICA: 150 ANOS DE EVOLUÇÃO, INTERAÇÃO E


INCLUSÃO – Autoras: Letícia Murer de Souza1, Manuela Leal Soares de
Bairros1, Vitória Viana Agertt1 – Orientadora: Lucimara Lais Zachow1
– Instituição: 1Colégio Militar de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande
do Sul.

43
10º Encontro de Jovens Cientistas

8h40-8h50 VJC 70 – TECIDO BIODEGRADÁVEL – Autores: Gustavo Santos Almeida


Pereira1, Lucca Davi Sousa Densenschi1, Sara Rangel dos Santos
Souza1 – Orientador: Renato dos Santos Souza1 – Instituição: 1Colégio
Nossa Senhora da Luz, Salvador, Bahia.

8h50-9h00 VJC 71 – TRANSGENIA EM SUA MESA: OS POSSÍVEIS IMPACTOS DOS


ALIMENTOS TRANSGÊNICOS NA ECONOMIA – Autores: André Júnior,
Adilson Maciel1 – Orientador: Adilson Maciel1 – Instituição: 1Colégio
Ana Tereza, Salvador, Bahia.

9h00-9h10 VJC 72 – UM ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM BASEADA EM JOGOS


DIGITAIS (DGBL) ATRAVÉS DO JOGO RAZÃO CELESTE – Autor: Mai-
con Douglas Invenção Viana dos Santos1 - Orientador: Jorge Lúcio
Rodrigues das Dores1 – Instituição: 1Colégio Estadual Edvaldo Brandão
Correia, Salvador, Bahia.

9h10-9h40 DISCUSSÃO

9h40-9h50 VJC 73 – UMA VISÃO SOBRE LGBTFOBIA NOS BAIRROS DE ONDINA


E RIO VERMELHO – Autoras: Ana Clara Avelar¹, Jaqueline Barbosa1,
Luana Conceição1, Isabela Almeida1 – Orientadora: Allena Lyra1, Glória
Meyberg2 – Instituições: 1Colégio Estadual Evaristo da Veiga; 2Univer-
sidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.

9h50-10h00 VJC 74 – USO E PREVALÊNCIA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS ENTRE ADO-


LESCENTES ESCOLARES DO RECÔNCAVO BAIANO: DADOS PRELIMIN-
ARES – Autor: Guilherme Lima Alves1 – Orientador: Francisco Silva de
Souza1 – Instituição: 1Colégio Adventista da Bahia, Cachoeira, Bahia.

10h00-10h10 VJC 75 – UTILIZAÇÃO DE REJEITOS ALIMENTÍCIOS PARA FINS ENER-


GÉTICOS - Autor: Yuri Vitor Calmon Santana1 – Orientador/a: Márcio
Lisboa Correia1, Luciana Licínio1 – Instituição: 1Colégio Sartre_Escola
SEB, Unidade Monet, Itaigara, Salvador, Bahia.

10h10-10h20 VJC 76 – VENEZUELA: COMO CHEGOU AO QUE É? – Autores: Bernardo


Setúbal1, Bruno Velame1, Enrico Marques1, Tiago Martinez1 – Orien-
tador: Fábio Mutti1 – Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador,
Bahia.

10h20-10h30 VJC 77 – TRASHBALL CAN – Autores: Bernardo Luis Alves da Silva


Lopes¹, Sophia Almeida e Nogueira¹, Angel Miranda Filho¹ – Orientador:
Jordan Santos Mendes¹ – Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.

10h30-11h00 DISCUSSÃO

T O TAL: 77 Ap resentaç ões Or ais.

44
09.
jovens Repórteres Científicos
(Quadro de Apresentações Mostra de Vídeos)
Livro de Programação e Resumos

JRC 01 Learning (Festival da Aprendizagem que ocor-


re ao final de cada trimestre). Poder vivenciar
7 NEWS na prática os bastidores da produção de um
telejornal e compartilhar todo nosso aprendi-
zado sobre climatologia e fenômenos naturais
Autores: Gabriel Azevedo Cardoso¹, Fernando
França Almeida de Carvalho¹, com a comunidade escolar foi uma experiência
Quézia Dias Souza¹ muito significativa e enriquecedora.
Orientador: Jordan Santos Mendes¹
Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia. Palavras-chave: Meteorologia, Clima, Aqueci-
E-mails: gabriel.cardoso@conceptstudent.com.
mento Global, Fenômenos Naturais, Telejornal.
br; fernandof.carvalho@conceptstudent.com.br;
quezia.souza@conceptstudent.com.br; jordan.
mendes@conceptedu.com.br
JRC 02
A Meteorologia é a Ciência que investiga a at-
mosfera da Terra, as variações climáticas e os
A INFLUÊNCIA DO CLIMA NA
fenômenos naturais, objetos de conhecimento
que estudamos na escola. Diante da necessida- ECONOMIA DE SALVADOR
de de aprendermos sobre essas temáticas, de-
senvolvemos o projeto The World is on Fire (O Autores: Darwin Santos da Silva¹, Humberto da
Mundo Está Pegando Fogo) com o objetivo de Silva Fraga Santos¹, Rowena Fruchter Zalcbergas¹
responder à questão: como o ser humano im- Orientadora: Michelle Santana Guimarães Véras¹
Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
pacta e transforma o clima e meio ambiente?
E-mails: darwinss2218@gmail.com; humbertofra-
Como na nossa escola todo projeto precisa ter ga2004@gmail.com; rowenafruchter@gmail.com;
um produto final, nos inspiramos nos quadros michellebahia@hotmail.com
de previsão do tempo dos jornais televisivos e
decidimos responder a essa pergunta através
O clima de Salvador é formado por uma faixa
da produção de um telejornal que, por sermos
de floresta tropical litorânea, com temperatu-
estudantes do 7º ano à época, denominamos
ra média anual em torno dos 25 °C e preci-
de 7 News. Iniciamos o projeto estudando so-
pitações durante os diversos meses do ano.
bre o processo de produção de telejornais e,
A brisa oriunda do Oceano Atlântico, deixa
logo em seguida, dividimos as equipes e defini-
agradável a temperatura mesmo nos dias mais
mos as pautas das matérias que cada grupo de
quentes. Diante deste contexto, o documen-
trabalho deveria produzir. Pesquisamos sobre
tário “A Influência do Clima na Economia de
o clima terrestre, os impactos das ações huma-
Salvador”, buscou identificar e compreender
nas no meio ambiente e os fenômenos natu-
como a economia de salvador se comporta nas
rais para elaborarmos os roteiros de gravação
mais diversas épocas do ano. A economia de
das matérias sobre: a diferença entre clima e
Salvador é bastante atingida nos períodos de
tempo; a influência da meteorologia na socie-
festas tradicionais, como o carnaval, as lava-
dade; o problema do aquecimento global e a
gens de bairros e os festejos juninos, já que
importância da sustentabilidade para o futuro
nestes períodos, muitos turistas vêm para co-
do nosso planeta. Começamos as filmagens de
nhecer a cidade e se divertir. Com o intuito
cada reportagem e as chamadas dos âncoras
de investigar como a economia de Salvador se
do telejornal utilizando um tripé, uma câme-
comporta diante das variações climáticas, fo-
ra Canon DSLR, um microfone condensador
ram convidados para participar do documen-
(Rode) e uma tela verde (Chroma Key). Supe-
tário o professor Clímaco Dias da Universida-
ramos todos os erros de gravação e com todo
de Federal da Bahia, a artista, trançadeira e
o material capturado em mãos, realizamos a
destaque dos blocos afros no carnaval Negra
montagem do 7 News utilizando um software
Jhô, e o personagem folclórico do Pelourinho
de edição de vídeos (iMovie). No final do tri-
e presidente da Associação Comercial do Cen-
mestre, exibimos o telejornal no auditório da
tro Histórico Clarindo Silva. A partir das entre-
escola para todos os estudantes e familiares
vistas, foi possível constatar que a economia
do Ensino Fundamental II durante o Festival of

47
10º Encontro de Jovens Cientistas

de Salvador apresenta destaque para as de- to metodológico para a realização do trabalho


mandas turísticas, especialmente no verão, es- será realizado por meio de um vídeo, no qual
tação do ano em que acontece uma das maio- será questionado qual a influência que a prá-
res festas populares de mundo: o Carnaval de tica esportiva tem na vida dos mesmos. O tra-
Salvador. Foi possível constatar que a impor- balho se justifica pela necessidade de discutir
tância do clima de Salvador abrange, além de a respeito dos benefícios da prática esportiva
aspectos naturais, aspectos sociais, culturais e na vida dos jovens.
econômicos.

Palavras-chave: Esporte, Jovens, Escolas, Social.


Palavras-chave: Clima, Carnaval, Economia,
Salvador.
JRC 04
JRC 03
AS COISAS AQUI SÃO BEM MAIS
A INFLUÊNCIA DO ESPORTE NA DIFÍCEIS
VIDA DO JOVEM CONTEMPOR NEO Autoras: Adriele Vasconcelos Sales¹, Sismailane Rosá-
rio dos Santos¹
Autores: Bruna Machado Barros1, Rafael Vila Verde Orientador/a: Esther Verena Guimarães França², Wan-
Barbosa1 der Santana Prado Ribeiro² Instituições: ¹Associação
Orientadora: Andreia de Souza Nascimento Paixão2 Beneficente dos Moradores de Opalma no Quilombo
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Facul- Engenho da Cruz, em Opalma, Cachoeira-BA; ²ACCS
dade Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia. BIOA82 – Atividade Curricular em Comunidade e
E-mails: andreiapaixao.adm@gmail.com; brunamacha- Sociedade: Programa Social de Educação, Vocação e
dobarros.bb@gmail.com; rafael200803@gmail.com, Divulgação Científica na Bahia, Universidade Federal
da Bahia, Salvador, BA.
E-mails: teteverena1@gmail.com; wandersantana32@
hotmail.com
O esporte é uma prática de atividades físicas
com um propósito recreativo, educativo e pro-
fissional, podendo influenciar no auxílio da O vídeo “As Coisas Aqui são Bem Mais Difí-
formação do caráter social do indivíduo. Além ceis” é o produto da oficina “Educomciência:
disso, adequa-se também como uma poderosa produzindo vídeos científicos para e com o
ferramenta de inclusão social inclusive para público jovem”, promovida pela Ação Curricu-
jovens de baixa renda. De acordo com da- lar em Comunidade e Sociedade – ACCS BIOA
dos divulgados pela Organização das Nações 82 (Programa Social de Educação, Vocação e
Unidas (ONU), apenas 56% das escolas con- Divulgação Científica da Universidade Federal
tam com um profissional especializado para da Bahia – UFBA) em Opalma, Cachoeira-BA.
exercer a profissão de professor de Educação O formato escolhido foi o de vídeo didático
Física. Com essa informação, analisa-se que a e foram utilizados os seguintes equipamen-
ausência de incentivo à prática de atividades tos: smartphone da marca Asus (X00HD) e o
físicas, pode levar as crianças e jovens ao ca- programa de edição Adobe Premiere Pro 6.
minho do crime e das drogas. Assim, a práti- O vídeo editado por Esther Verena Guima-
ca de exercícios se apresenta, muitas vezes, rães França, Wander Santana Prado Ribeiro e
como uma válvula de escape para as mazelas Yenny Alejandra Jimenez Mariño, tem como
sociais e também pode ser considerado um temáticas: o não funcionamento no turno no-
poderoso instrumento de inclusão social. Em turno de uma escola pública na comunidade
vista disso, o objetivo do trabalho é mostrar quilombola de Opalma e a necessidade de jo-
a importância do esporte e sua influência na vens estudarem e trabalharem para ajudar no
vida do jovem contemporâneo não só na saú- sustento da família. As protagonistas da histó-
de como na estimulação de aspectos de convi- ria são duas mulheres que vivem em Opalma:
vência social, ampliando a sua capacidade de Sismailane, uma jovem que tem vontade de
enfrentar riscos sociais e vulnerabilidades que continuar os estudos, mas que teve a neces-
se pode encontrar no dia a dia. O pressupos- sidade de interromper devido ao fato de ter

48
Livro de Programação e Resumos

uma filha pequena para criar e a necessidade que o solo absorve os dejetos, além da fossa
de trabalhar para ajudar no sustento da casa. negra – a mais a mais comum em São Francis-
Sismailane relata que a escola funcionou à co do Paraguaçu – que é um buraco revestido
noite por um intervalo de tempo e foi quan- com tijolos espaçados que recebe o esgoto da
do ela ainda conseguiu conciliar os afazeres casa inteira. O espaço entre os tijolos serve
domésticos e o trabalho externo com os estu- para que o solo absorva parte do esgoto, o
dos, revela ainda que perseguirá o seu sonho que também pode ser prejudicial ao meio am-
de voltar a estudar e que conseguirá, pois “[...] biente e à saúde dos moradores. Produzimos
em nome de Jesus porque têm coisas que a esse vídeo usando celular. Partimos de uma
gente tem que correr atrás e eu vou conse- investigação com a intenção de produzir uma
guir.” (SISLMAILANE). A outra jovem é a Adrie- reportagem sobre esse assunto para a Agência
le (14 anos) que estuda no turno da manhã e Jovem de Notícias, uma parceria entre a Esco-
no turno da tarde precisa ajudar seus pais nos la Estadual de Primeiro Grau São Francisco do
afazeres domésticos e da lavoura. Ela tem o
sonho de se formar em Medicina Veterinária e
Paraguaçu e a Universidade Federal da Bahia .
com isso também ajudar a sua família a ter um Palavras-chave: Fossas, Esgoto, São Francisco
melhor conforto. do Paraguaçu.

Palavras-chave: Escola, Estudos, Trabalho. Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,


UFBA, Salvador, BA.
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,
UFBA, Salvador, BA.
JRC 06

JRC 05
ATÉ ONDE VAI O CONSUMISMO?
AS FOSSAS USADAS EM SÃO Autores: Gabriela Perrone¹, Luiza Paim, Maria Eduarda
FRANCISCO DO PARAGUAÇU Azoubel¹, Maria Luiza Coutinho¹,
Maria Regina Bulos¹, Rebeca Araújo¹
Orientador: Wellington Marinho¹
Autora: Camile Lima de Oliveira¹ Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹ E-mails: gabisrpdo@gmail.com; luizapbonanza@gmail.
Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Esta- com; azoubelmariaeduarda@gmail.com; malucouti-
dual de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, nho0508@gmail.com; regibulos@gmail.com; beca.
Cachoeira, Bahia; 2Programa de Pós-graduação em araujo05@gmail.com; wellington@anglobra.com.br
Ensino, Filosofia e História das Ciências, Universidade
Federal da Bahia, Salvador, Bahia
E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com; maria- O consumismo tomou o seu lugar na socieda-
nasebastiao@gmail.com de após a guerra fria, na revolução industrial,
quando os humanos passaram a ter consciên-
Na minha comunidade, São Francisco do Para- cia da produção e do consumo. A partir desse
guaçu, no Recôncavo Baiano, a maneira mais momento, o consumo passou a se expandir
comum de descartar o esgoto é através de fos- cada vez mais. O consumismo é um vício e
sas construídas no quintal das casas. Existem se baseia no ato de comprar compulsiva-
diferentes tipos de fossas. Aqui neste vídeo mente, sendo algo que, infelizmente, está se
falamos brevemente sobre três delas: a fossa expandindo e ganhando uma dimensão cada
séptica, que é constituída de tanques construí- vez maior. Não é um problema novo e con-
dos com material impermeável no nível mais tinua trazendo prejuízos. Os grandes proble-
baixo de um terreno, onde acontece uma es- mas, causados pelas compras desnecessárias,
pécie de tratamento do esgoto, causando um incluem alguns impactos na natureza, como a
impacto bem menor ao meio ambiente; a fossa poluição com o acúmulo de lixo, a exploração
seca, que é um simples buraco cavado no solo, de matérias primas, devido ao descarte de
sem revestimento, onde as pessoas defecam, objetos que não utilizamos mais, pois quan-
e que pode contaminar as fontes de água, já o do jogamos algo fora, mesmo que ainda esteja

49
10º Encontro de Jovens Cientistas

em boas condições não nos preocupamos para contam como lidam com a situação e quais
onde aquilo vai, o que causa um grande impac- atividades passaram a realizar depois que a
to negativo meio ambiente. Em alguns casos, capoeira deixou de ser desenvolvida no colé-
o consumismo, inclusive, traz conflito psicoló- gio. Os vídeos são produtos da Oficina “Edu-
gico e pode também afetar o quesito social e/ comciência: produzindo vídeos científicos para
ou econômico de cada cidadão. Enquanto vía- e com o público jovem”, promovido pela ACCS
mos como essa ação compulsiva de comprar BIO A82 - Programa Social de Educação, Vo-
estava se tornando algo necessário para todos cação e Divulgação Científica da Universidade
os consumistas, percebemos que poderíamos Federal da Bahia (UFBA). A oficina é constituí-
fazer algo a respeito. Tendo como objetivo de da de quatro etapas: (1) Escrita do Roteiro, (2)
conscientizar nosso público principal, adoles- Filmagem, (3) Edição e (4) Revisão do Material.
centes e adultos, sobre como o desejo exces- Os vídeos foram editados por Vanessa Maria
sivo de compra afeta o dia a dia das pessoas Almirante dos Santos, Rian Dantas Nunes e
e que, por mais que pareça difícil, é possível Mariana Rodrigues Sebastião. O formato es-
reverter a situação, foram adquiridas diversas colhido para apresentar a problemática foi de
informações sobre o tema o que foi crucial vídeo didático e os equipamentos utilizados
para uma boa produção do vídeo apresenta- foram um celular iPhone 4 e notebook Dell.
do para a Feira das Ciências de 2019 Colégio
Anglo-Brasileiro. Palavras chave: Capoeira, Escola, Cultura.

Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,


Palavras chave: Consumismo, sociedade, pro- UFBA, Salvador (BA).
blema.

JRC 08
JRC 07

COLÉGIO ESTADUAL YPIRANGA


CAPOEIRA EM OPALMA CONTRA O DESPERDÍCIO DE
Autores: Caio dos Santos Amaro¹, Mateus Amaro Sena
ALIMENTOS
da Conceição¹
Orientadora: Vanessa Maria Almirante dos Santos²
Autoras: Ana Claudia da Graça Furtado¹, Isabele
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
Xavier da Silva Bastos², Gabrielle Tereza dos
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma,
Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricu- Santos², Maria Thainá Mota da Silva².
lar em Comunidade e Sociedade: Programa Social de Orientador/a: Karla Oliveira Esquerre¹, Gláucio
Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia, André Barbosa Gazar².
Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia. Instituições: ¹Universidade Federal da Bahia,
E-mails: amaroscaio@gmail.com; mateus.asconcei- ²Colégio Estadual Ypiranga.
cao@gmail.com; vanessa.almirante@hotmail.com. E-mails: isabele.bastos@aluno.enova.educacao.
ba.gov.br; gabrielle.tereza@aluno.enova.edu-
cacao.ba.gov.br; maria.silva545@aluno.enova.
Na comunidade quilombola do recôncavo da educacao.ba.gov.br; ana.furtado1996@gmail.com;
Bahia, Opalma, situado na cidade de Cachoei- karla.esquerre@gmail.com; glaucio.gazar@enova.
ra-BA, estudantes do Colégio General Alfredo educacao.ba.gov.br
Américo da Silva, denunciam, em um vídeo,
o fim das aulas de capoeira em decorrência
da falta de espaço para a prática no colégio. O ambiente alvo deste projeto é o Colégio Es-
A partir disso, foram elencados alguns desdo- tadual Ypiranga, onde, através de uma pesqui-
bramentos e consequências dessa decisão em sa prévia se constatou a grande quantidade de
suas respectivas vidas. Os estudantes apon- desperdício de alimentos. Assim, surgiu a ideia
tam essa prática como um importante aspec- de elaborar um projeto para redução da quan-
to da cultura para o quilombo e para história tidade de comida que é jogada fora. Se estabe-
de suas famílias, sendo o seu cancelamento leceu três etapas para o desenvolvimento me-
uma perda para todos. Ao mesmo tempo, eles todológico da pesquisa. Inicialmente, durante

50
Livro de Programação e Resumos

quinze dias, foi feita a pesagem dos alimentos JRC 09


que sobraram nos pratos dos alunos para es-
tabelecer o nivelamento. As próximas etapas
a serem realizadas contém a organização de CONSTRUINDO UM SONHO: COMO
dados coletados em tabela e gráficos visando OCORRE A FORMAÇÃO DO ATLETA
estabelecer um método comparativo com rela- DE BASE DO ESPORTE CLUBE
ção aos bens alimentícios da escola. Após essa BAHIA
etapa será construído um questionário aplica-
do com alunos e alunas do Colégio, servirá de Autor: Marcus Paulo de Almeida Brandão¹
base para construção do vídeo, buscando sa- Orientadora: Andreia de Souza Nascimento Paixão2
ber os motivos de tanto desperdício e suges- Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Fa-
tões para reaproveitamento desses alimentos. culdade Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia.
E-mails: marcuspaulo2004@gmail.com, andreiapai-
Com as respostas coletadas serão estabeleci- xao.adm@gmail.com
das estratégias de intervenções para viabili-
zar o reaproveitamento, melhor dosagem e
divisão de alimento entre os alunos, com o O futebol é o esporte que mais alimenta so-
objetivo de reduzir o desperdício. A princípio nhos em muitas crianças e jovens pelo mun-
foram sugeridas algumas ações como: utiliza- do, sendo responsável por uma paixão que
ção de pratos de cores diferentes para quan- mobiliza milhões de pessoas. Muitos jovens
tidades diferentes de alimento, elaboração de almejam uma única coisa: se tornar um jo-
cartazes divulgando a importância de uma ali- gador de futebol. Mesmo se tratando de um
mentação saudável, sugestão de cardápio que esporte popular, há algumas barreiras para
atenda melhor ao gosto do aluno. O projeto tornar-se um grande atleta. O processo de
se encerrá através do método avaliativo em formação de um atleta de futebol ocorre em
que a equipe realizará uma segunda pesagem algumas etapas que será descrita ao decorrer
para constatar se ocorreu ou não a redução do do trabalho. Os clubes de futebol pretendem
desperdício de alimentos no Colégio Estadual formar atletas com objetivo de utilizá-los em
Ypiranga. Além da aplicação dos questionários sua equipe principal e depois comercializá-los
com alunas(os), os demais procedimentos ava- a fim de gerar receita. Nesse sentido, clubes
liativos e investigativos serão apresentados têm apostado cada vez mais na base. É funda-
no vídeo. mental apontarmos que as previsões legais a
respeito da formação de atletas estão inseri-
Palavras-chave: Alimentos, desperdício, redu- das na Lei 9.615/98, conhecida como Lei Pelé,
ção, escola. mais precisamente no artigo 29, em que se
define quais entidades de prática desportiva
serão consideradas efetivamente como clubes
Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro- formadores, pois ocorre, em alguns casos, do
jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da- clube não ser preparado para atender as exi-
dos: Formação com Base na Experimentação gências pedidas para haver uma categoria de
(também conhecido por Meninas na Ciência de base e com isso não há uma preparação ideal
Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado ao atleta. Neste contexto, este trabalho tem
no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coorde- como objetivo relatar como acontece todo o
nado pela UFBA e desenvolvido em parceria processo de formação de um atleta de base
com cinco escolas públicas (Henriqueta Mar- no Esporte Clube Bahia. A criação de um con-
thins Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo teúdo audiovisual permitirá conhecer e apre-
da Veiga, Ypiranga e Mário Costa Neto) e com sentar toda a trajetória percorrida por esses
outras universidades. É apoiado pelo Grupo de jovens que sonham em um dia serem jogado-
Pesquisa Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e res profissionais.
outras instituições de ensino e pesquisa.
Palavras-chave: Futebol, Atleta, Esporte Clube
Bahia, Categorias de Base.

51
10º Encontro de Jovens Cientistas

JRC 10 JRC 11

DERRETIMENTO DAS CALOTAS DESCARTE INADEQUADO DOS


POLARES RESÍDUOS
Autores: Amanda Lourenço Baptista¹, Bernardo Sen-
Autores: Arthur Karam1, Bernardo Azevedo1, Cauã to-Sé Valverde Ramos¹, Laércio Marques dias Júnior¹,
Fernandes1, Daniel Rodrigues1, Luís Eduardo Senna1 Nathalia Sampaio Lerner Couto¹, Nina Rosa Lorenzo
Orientadora: Ana Liz Vieira Netto1
Amoedo¹.
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador,
Orientadora: Ana Claudia Sokolonski¹
Bahia.
Instituição: Colégio Anglo-Brasileiro
1
E-mails: arthurgkaram@gmail.com; bernardoazeve-
E-mails: amandalourenço1234@gmail.com; bernar-
do1502@gmail.com; cauamcfernandes@gmail.com;
doramos262007@gmail.com;
daniel-s-rodrigues@gmail.com; dudusenna.ds@gmail.
laerciomarques4589@g mail.com; nathaliacouto09@
com; analiz@anglobra.com.br
gmail.com;
ninarosalorenzo@gmail.com
A decisão do tema deste artigo teve como
base o fato de que muitas pessoas não têm co- Hoje em dia um dos maiores problemas do
nhecimento sobre as possíveis consequências mundo é o descarte inadequado dos resíduos.
do derretimento das calotas polares. Diante Segundo a informação do Relatório do Ban-
disso, faz-se necessário alertar as pessoas co Mundial cada pessoa produz aproximada-
da gravidade das consequências desse dege- mente 740 gramas de lixo por dia, dando, em
lo, considerando que se devidas providências um ano 27,1 quilos de lixo por pessoa. Outra
não forem tomadas, haverá uma série de ca- pesquisa realizada em 2016 pela Associação
tástrofes, afetando a todos, principalmente os Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e
humanos. Para a confecção deste artigo, pri- Resíduos Especiais (ALBREPE), mostra que, no
meiro foram realizadas pesquisas e debates Brasil, 91% do lixo é recolhido e 9% acaba indo
para o entendimento da diferença entre gelei- para as ruas, para as matas e para os rios. Isso
ras e calotas, para posterior aprofundamento traz muitos prejuízos, tais como: desperdício
no assunto. Foi descoberto, então, o quanto já de dinheiro público, desvalorização de imó-
foi perdido de massa de gelo das calotas po- veis, obstrução de vias públicas, prejuízos ao
lares, causas e consequências do degelo que turismo, risco a saúde pública, entupimento de
está crescendo, depois de realizada a pesquisa bueiros e mal cheiro. Pensando em todos es-
bibliográfica. Por fim, foram pesquisadas for- ses problemas, decidimos fazer um vídeo para
mas de diminuir impactos que já estão sendo alertar a sociedade sobre o descarte inade-
colocadas em prática, e as que podem ser fei- quado dos resíduos, mostrando que este pro-
tas. É discutido, ainda, que se o derretimento blema vem marcando o nosso presente e pode
continuar no ritmo atual, o nível do mar po- vir a prejudicar o nosso futuro. Desta forma,
derá subir 80 cm até 2100, o que seria uma entendemos que é necessário tomarmos me-
quantidade suficiente para inundar uma área didas de precaução, que tragam a sociedade
com até 118 milhões de pessoas, expondo as para o centro do problema e para a importân-
áreas litorâneas a desastres maiores. No vídeo cia de minimizá-lo.
produzido são apresentados dados, imagens
e outras informações sobre o assunto da pes- Palavras-chave: Resíduos, descarte, problemas.
quisa. A conclusão obtida foi o entendimento
da gravidade desse problema e as catástrofes JRC 12
que podem acontecer ao planeta se não forem
tomadas medidas a respeito.
DIA DE BELEZA
Autoras: Suelen Silva Carvalho¹, Emanuele dos Santos
Palavras-chave: Geleiras, calotas, derretimen- Silva¹
Orientadoras: Djaine Haila Silva Rocha², Fábia Silva
to, aquecimento global. de Oliveira Junqueira²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma,

52
Livro de Programação e Resumos

Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricu- Instituição: ¹Colégio Módulo, Salvador, Bahia.
lar em Comunidade e Sociedade: Programa Social de E-mails: gabriela.maia.moraes@gmail.com; gio_arau-
Educação, Vocação e Divulgação Científica na Bahia, jos@hotmail.com; jfazevdo@gmail.com; metavei-
Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia. ras2004@gmail.com; waldilsontavares@gmail.com
E-mails: prettaakanriana221019@gmail.com; haila.
rocha@hotmail.com; fabia.junqueira@hotmail.com
Atualmente, o ecoturismo é uma das melho-
res formas para que ocorra a junção entre
O vídeo “Dia de Beleza” abordou sobre como
lazer e cuidados com o meio ambiente. Tam-
cuidar dos cabelos: black, crespos e trançados
bém conhecido como turismo ecológico, tem
ao natural. Foi produzido a partir de um rotei-
como os seus principais tópicos a sustentabi-
ro composto pelas cenas e falas para montar
lidade, educação e conscientização, que são
o vídeo. Mostra a realidade de duas meninas:
passados para os turistas e para os nativos.
Suelen e Emanuele, que compartilham a traje-
São inúmeras as vantagens para a comunida-
tória de cuidados com seus cabelos crespos. É
de local, pois além de aquecer a economia, o
um tema pouco falado e presente no dia-a-dia
ecoturismo ajuda na preservação da paisagem
de muitas pessoas. Foi mostrado no vídeo o
com os recursos do próprio turismo. A perda
cabelo black de Emanuele, que compartilhou
de biodiversidade, o uso inadequado do solo,
seus desafios em manter seus cabelos saudá-
a caça e a poluição de rios, florestas e do ar
veis e naturais. Já Suelen apresentou o cabe-
estão cada vez mais frequentes e por isso o
lo trançado com fibra, prazo para troca dos
ecoturismo propõe uma maneira simples e
fios, uso dos mesmos coloridos, hidratação e
com baixo custo, que auxilia na conservação
umectação com óleos. Elas trazem as questões
e na preservação do meio ambiente. Mucugê,
culturais em torno dos seus cabelos trançados
cidade localizada a 478 quilômetros de Salva-
e black, sobre como elas se sentem bem, se
dor, é um local ideal à prática do ecoturismo,
acham bonitas como são e não se importam
já que é possível encontrar cachoeiras como a
com a opinião negativa das outras pessoas.
Cachoeira do Tiburtino, o Poço Azul, o Projeto
Enaltecendo a sua beleza, as meninas desfilam
Sempre-Viva, criado com a finalidade de pro-
pelas ruas de Opalma exibindo seus cabelos
teger a planta Sempre Viva, além de diversas
black e trançados. Este vídeo foi produzido
trilhas. A partir daí surgiu a ideia do vídeo, no
na Oficina “Educomciência: produzindo vídeo
qual o objetivo é enfatizar a importância do
científicos para e com o público jovem” pro-
ecoturismo e exibir como ele funciona e suas
movido pela ACCS BIOA82 Programa Social
finalidades. Inicialmente, serão apresentados
de Educação, Vocação e Divulgação Científica
os conceitos básicos sobre o termo, caracte-
da Universidade Federal da Bahia (UFBA) em
rizando-o e apontando suas vantagens, poste-
Opalma, Cachoeira-BA com edição de Djaine
riormente apresentará imagens da cidade de
Haila, Fábia Junqueira e Mariana Sebastião a
Mucugê relacionadas com o ecoturismo (como
partir do formato de vídeo didático com os se-
por exemplo, o Poço Azul), explicando o seu
guintes equipamentos: smartphone Moto G3 e
funcionamento. O diferencial do projeto é que
notebook Sony Vaio.
será inspirado no estilo Stop Motion particu-
larmente Draw my life, no qual serão feitos
Palavras-chave: Beleza, cabelo, black.
desenhos para explicar o tema com mais clare-
za, tornando o vídeo mais interativo e menos
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,
cansativo. Conclui-se que o ecoturismo será
UFBA, Salvador, BA.
uma forma cada vez mais optada para com-
bater malefícios causados a natureza, além de
ajudar no processo de conscientização da po-
JRC 13 pulação, um dos objetivos do vídeo. É através
dele que mais pessoas terão o conhecimento
ECOTURISMO EM MUCUGÊ de como salvar a nossa mãe natureza.

Autoras: Gabriela Maia de Moraes¹, Giovanna Sara Palavras-chave: Ecoturismo, conscientização e


Araújo Oliveira¹, Júlia Farias Azevedo¹, Maria Eduar-
meio ambiente.
da Costa Taveiras¹, Sophia Queiroz Tavares¹
Orientadora: Carla Regina Nunes Costa¹

53
10º Encontro de Jovens Cientistas

JRC 14 JRC 15

ENERGIA SOLAR: O BRASIL COMO ENTRE A LEI E A DOR:


UM PAÍS EM POTENCIAL FEMINICÍDIO, LEGISLAÇÃO E
POLÍTICAS PÚBLICAS
Autora: Nathalia Gualberto Alves de Jesus¹
Orientadora: Camilla Hetenhausen¹ Autoras: Júlia Camelyer Gonzaga1, Lívia Kaori Corrêa
Instituição: ¹Colégio Ana Teresa-CAT, Salvador, Bahia. Lima1, Luiza de Amorim Miranda1, Mariana Bitencourt
E-mails: nath.alvesj@hotmail.com; camilla@anatere- Fonseca1, Mariana Perruso Lyrio1, Paloma Maíra
zavirtual.com Schaeber Busch1,
Orientadora: Juliana Oliveira Lesquives1
Vários países vêm buscando fontes alternati- Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: juliacamelyergonzaga06@gmail.com;
vas para substituir as fontes de origem fóssil livkseino@gmail.com, luiza.miranda212@gmail.com;
(responsáveis pela liberação de gases causa- mcarvalho@gmail.com; mariana.perruso2@icloud.com;
dores do efeito estufa), como uma maneira palomamaira6@gmail.com; julianales@anglobra.com.br
de combater o aquecimento global. Uma das
fontes cogitadas é a solar, pois além de não Os assassinatos de mulheres são geralmen-
emitir gases, não emite ruídos e não promove te realizados por homens e se caracterizam,
desmatamentos, apesar de também apresen- entre outros aspectos, pela existência de uma
tar impactos ambientais, como por exemplo, relação íntima entre a vítima e o agressor -
o descarte das baterias que são utilizadas em que são companheiros, ex-companheiros ou
seu armazenamento, que, no entanto, não são familiares próximos da mulher assassinada.
tão prejudiciais quanto impactos causados por O feminicídio é o fato final de uma série de
outras fontes. A energia solar é completamen- violências cometidas antes desse ato, que im-
te viável em um país como o Brasil, que recebe plicam violências física, psicológica, material e
grandes quantidades de irradiação solar. Ape- sexual. No intuito de amenizar essa situação,
sar do potencial solar do país, a implantação foi criada a Lei do Feminicídio, que o conside-
da fonte solar no Brasil costuma ter um va- ra como crime hediondo, cometido por “razões
lor elevado, já que o país não produz painéis da condição de sexo feminino”, esclarecendo
solares, porém o alto custo de sua instalação que ocorre quando há violência doméstica e
poderia ser revertido mediante o incentivo fi- familiar, menosprezo ou discriminação à con-
nanceiro do governo, cujo desinteresse é um dição de mulher, originados do machismo cul-
dos maiores impedimentos para a implantação turalmente enraizado na sociedade. O avanço
da fonte. O presente trabalho trata-se de um da Lei esbarra na ineficácia das políticas pú-
documentário, que traz o contexto histórico da blicas para combater o problema. Diante desse
energia solar no Brasil, sua conceituação e a cenário, o objetivo deste trabalho é analisar o
participação de profissionais que possam con- que dispõem a Lei do Feminicídio e a Lei Maria
firmar as ideias abordadas ao longo do vídeo. da Penha, bem como estabelecer um contra-
O documentário busca tratar a importância da ponto entre o que prevê as leis e o que ocorre
energia solar e o potencial do Brasil para utili- na realidade brasileira, construindo, como pro-
zação dessa produção menos impactante para duto final, um vídeo artístico de sensibilização
o meio ambiente. sobre o tema com o intuito de chamar a aten-
ção para o assunto e sensibilizar os especta-
Palavras-chave: Energia, solar, investimento, dores. O projeto se justifica pela necessidade
impactos. de levantar o debate sobre as discrepâncias
entre a legislação e a realidade das mulheres
no Brasil e por tentar fazer isso utilizando a
linguagem fílmica como forma de deslocamen-
to do olhar sobre o assunto já tão naturaliza-
do em nossa sociedade. Como metodologia,
foram utilizadas pesquisas bibliográficas com
a leitura e análise da Lei do Feminicídio e da
Lei Maria da Penha, além das demais políticas

54
Livro de Programação e Resumos

adotadas no Brasil. Como produto final foi ela- tentar solucionar o caso e achar sua amiga,
borado um vídeo de sensibilização analisan- porém se veem mais perdidos ainda ao nota-
do as contradições entre o que está na lei e rem o sumiço de mais uma colega de trabalho,
o cenário de descaso e de sofrimento em que o sumiço de mais uma amiga. Desde então,
nos encontramos atualmente. Em síntese, foi são usadas técnicas como a impressão digital
discutido no desenvolvimento do trabalho, e o raciocínio para achar as peritas criminais
também, que a Lei Maria da Penha, anterior- desaparecidas. Ao decorrer da história, falsas
mente citada, representou um enorme avan- acusações, falta de pistas e os cuidados que o
ço para a sociedade, porém sua efetividade é sequestrador(a) toma, tornam o trabalho dos
prejudicada pela ineficiência na aplicação de peritos criminais ainda mais complicado. Eles
medidas protetivas e à mobilização de setores só não sabem que há um lobo(a) em pele de
conservadores da sociedade para seu enfra- ovelha bem ao lado deles.
quecimento. É possível concluir que o femi-
nicídio é apenas o estágio final de um ciclo Palavras-chave: Ciências forenses, curta-me-
de agressões, uma vez que a violência contra tragem, mistério.
a mulher abrange uma série de outros atos.
Assim, o combate ao feminicídio, à violência
contra a mulher e aos preconceitos de gênero JRC 17
requer mudanças culturais e de consciência.
F.A.L.L.A.X.
Palavras-chave: Feminicídio, violência de gê-
Autores: Bernardo Maia Coelho¹, Diana Simões Silva
nero, políticas públicas, legislação brasileira.
Santos¹, Rafael Silveira Povoas
Orientador: Ian Fraser¹
JRC 16 Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: bernardo0m0c@gmail.com; diana.si-
moes09@gmail.com; rspovoas02@gmail.com; ian@
EVIDENCIANDO A EVOLUÇÃO DAS anglobra.com.br
CIÊNCIAS FORENSES NO BRASIL
Podemos identificar a presença de formas de
Autora: Paola Gomes Pereira¹
Orientadora: Priscila Paula Varjão Santiago Rosendo¹ manipulação em diversas esferas da vida con-
Instituição: ¹ Colégio Ana Tereza-CAT, Salvador, Bahia temporânea. Analisando os diálogos vemos
E-mails: edneia@sarah.br; priscila@anaterezavitual.com que a argumentação que usamos não segue
preceitos totalmente lógicos e muitas vezes é
A Ciência Forense é a junção de técnicas cien- dominada por sofismas e argumentos que fo-
tíficas que envolve física, biologia, química, gem do silogismo, o que é intensificado pelo
matemática e várias outras ciências utilizadas desconhecimento popular sobre a questão.
com o intuito de ajudar a solucionar casos Tendo em vista sua abrangência indiscutível
de polícia ou até mesmo problemas leves do e seu potencial perigo, o entendimento da
cotidiano de cada cidadão, como: pequenos manipulação e de suas faces é essencial para
furtos, falsas acusações entre outras coisas. O garantir a capacidade crítica das pessoas. Por-
curta metragem vai ressaltar a utilização das tanto, nosso trabalho intenta expor em que se
técnicas forenses para desvendar um misté- baseia e como age a manipulação, objetivando
rio, não é apenas mais um caso de sequestro disseminar uma capacidade analítica maior
qualquer, onde a causa de tudo isso é a fobia quanto ao tema. Para atingir esse objetivo nós
social um problema psíquico enfrentado pelo buscamos ler as obras, atuais e antigas, rela-
sequestrador(a). Que consiste em um grande cionadas ao tema e transcrever suas informa-
desconforto e um medo intenso de situações ções em nosso artigo que tem função de revi-
que envolvam pessoas, e que, quando no meio são bibliográfica. Percebemos que, em suma, a
delas, fica com receio e muito medo de sofrer forma com que nossas sociedades funcionam
avaliações negativas ou humilhações. Miste- só é possível pela capacidade de trabalhar
riosamente, uma perita criminal desaparece com ficção e as relações sociais, muitas vezes,
no caminho para a casa de sua mãe. Seus co- são baseadas ou necessitam da mentira ou de
legas de trabalho se esforçam ao máximo para informações distorcidas, o que somado à de-

55
10º Encontro de Jovens Cientistas

ficiência natural da mente humana de traba- todo o processo de produção audiovisual sem
lhar com dados e lógica, mostra a dependência influenciar as autoras. A atividade foi realiza-
endossimbiótica entre a manipulação e a hu- da na Associação Beneficente dos Moradores
manidade. Concluindo, mesmo desenvolven- de Opalma, Cachoeira, Bahia. Para a produ-
do habilidades críticas com relação ao tema, ção do conteúdo do vídeo foram seguidas as
amenizando os efeitos da manipulação, não é etapas: discussão para escolha de um tema
possível compensar as falhas da nossa mente comum às autoras, elaboração de um roteiro,
adaptada a um contexto completamente di- produção das imagens, gravação da locução e
ferente do atual, por mais que tentemos nos edição do vídeo. A gravação e edição foram
tornar imunes a todo e qualquer tipo de ma- feitas com a utilização dos celulares das orien-
nipulação, tal objetivo jamais será alcançado. tadoras contando com o auxílio de programas
de edição de vídeos baixados gratuitamente.
Palavras-chave: Manipulação, mentira, verda- Sabe-se que o futebol feminino é, infelizmen-
de, argumentação te, muito carente em patrocínio e incentivo
seja motivacional ou financeiro. Dessa forma,
JRC 18 a mensagem que o vídeo pretende passar é
sobre a valorização do futebol feminino e que-
FUTEBOL É COISA DE MENINA bra de um padrão imposto pela sociedade que,
ainda hoje, desvaloriza a presença feminina
Autoras: Hevelin Neves dos Santos¹, Luana Rodrigues dos no futebol, ainda que o gênero não seja um
Santos da Silva¹
fator limitante nessa prática esportiva.
Orientadoras: Jéssica Rebouças Silva², Marglyn Anne
Santana de Oliveira²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores Palavras-chave: Futebol, Meninas, Exclusão.
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, em Opalma,
Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,
Comunidade e Sociedade: Programa Social de Educação,
Vocação e Divulgação Científica na Bahia, Universidade UFBA, Salvador, BA.
Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
E-mails: hevelin.neves12@gmail.com; jessiereboucas@gmail.
com; luanarss12@gmail.com; marglyn.anne@gmail.com
JRC 19

O vídeo intitulado “Futebol é Coisa de Menina”


JORNAL OPALMA - A VIVÊNCIA
produzido por duas adolescentes, moradoras
EDUCACIONAL DOS JOVENS DE
do Quilombo Engenho da Cruz, em Opalma,
OPALMA
Cachoeira-BA, trata da perspectiva delas so-
Autoras: Josiele Santos Otílio de Jesus¹, Paloma de Jesus
bre a presença de meninas no ambiente fu- Lima Santos¹
tebolístico. Nesse vídeo, elas mostram que Orientadores: Caira Hereda Pinheiro², José Vitor Araújo
futebol também é coisa de menina e relatam Rosa Ribeiro²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
as suas trajetórias no futebol, bem como suas
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Ca-
insatisfações diante de realidade de exclusão choeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em
feminina nesse esporte e seus desejos de me- Comunidade e Sociedade: Programa Social de Educação,
lhoria para essa situação. O vídeo foi produzi- Vocação e Divulgação Científica na Bahia, Universidade
Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
do durante a “Oficina Educomciência: produ-
E-mails: cairahp@hotmail.com; rosavitor1996@gmail.com
zindo vídeos científicos para e com o público
jovem”, proposta pela Atividade Curricular em
O povoado de Opalma, comunidade que per-
Comunidade e Sociedade (ACCS BIOA82) - Pro-
tence a Cachoeira, é repleto de jovens em fase
grama Social de Educação, Vocação e Divulga-
estudantil, porém existe apenas uma escola na
ção Científica da UFBA, que tem como emba-
comunidade que funciona para as séries da
samento teórico a Educomunicação, proposta
pré-escola ao 5º ano do ensino fundamental
por Paulo Freire e Mário Kaplún. Através do
I e do 6º ao 9º ano do ensino fundamental II.
método educomunicativo, as autoras foram
Ao chegar no ensino médio, o jovem dispõe de
protagonistas da temática do próprio vídeo,
escola em Santiago do Iguape, que fica a 30
sendo que as orientadoras atuaram apenas no
minutos do povoado, ou em Cachoeira, locali-
sentido de estimular a análise e reflexão em

56
Livro de Programação e Resumos

zada a 50 minutos de distância. Esses jovens, de quilombola de Opalma, Cachoeira, Bahia.


muitas vezes não têm ônibus para ir à escola, Nesta produção, Juliana que é uma criança
dificultando e prejudicando seus processos de muito extrovertida, comunicativa e criativa
aprendizagem, apesar da obrigatoriedade da apresenta sua casa, sua família e amigos. O
cessão do transporte escolar por parte da pre- processo de produção do vídeo ocorreu de
feitura de Cachoeira. O vídeo intitulado “Jornal forma espontânea, em que Juliana enquanto
Opalma – A vivência educacional dos jovens caminhava, apresentava parentes e amigos
de Opalma” foi produzido durante a “Oficina sempre demonstrando seu amor e ressaltando
Educomciência: produzindo vídeos científi- sua felicidade por morar em Opalma. O obje-
cos para e com o público jovem”, no âmbito tivo desta atividade foi “dar voz” à Juliana e
da Atividade Curricular em Comunidade e So- lhe permitir expressão livre em que pudesse
ciedade (ACCS BIOA82) - Programa Social de demonstrar sentimentos e alegrias. De fato,
Educação, Vocação e Divulgação Científica da Juliana conduziu todo o processo de gravação
UFBA. Os estudantes da UFBA vieram até nos- do vídeo, exercendo o protagonismo com na-
sa comunidade e nos orientaram na constru- turalidade, como descrito por ela “hoje é meu
ção de um jornal a fim de denunciar a falta dia”. Assim, percebe-se a importância deste
de perspectiva dos jovens em relação ao ensi- processo, que envolve a fusão entre educação
no escolar, a provável vida na faculdade e as e comunicação, para reflexão da presença da
oportunidades de emprego. Participar dessa felicidade na simplicidade e no sentimento de
construção foi uma experiência legal devido a pertencimento do sujeito. Este trabalho audio-
forma como foi conduzido, pensamos em fazer visual é fruto da Atividade Curricular em Co-
o jornal e entrevistamos as pessoas da nossa munidade e Sociedade (ACCS) Programa Social
comunidade, seus benefícios e as dificuldades de Educação, Vocação e Divulgação científica
em relação a viver em Opalma. Também foi (BIOA82) da Universidade Federal da Bahia
perguntado sobre as mudanças necessárias (UFBA), que tem como fundamento teórico a
para o povoado, dentro de um plano de entre- educomunicação. Assim, foi realizada a oficina
vistas feito em formato de jornal. Concluindo, “Educomciência: produzindo vídeos científicos
o jornal com uma matéria sobre a manifesta- para e com o público jovem” na Comunidade
ção pela luta da manutenção do transporte es- Quilombola de Engenho da Ponte em Opalma.
colar para os estudantes de Opalma. O vídeo apresentado é um produto das se-
guintes etapas: diálogo inicial, seguindo com
Palavras-chave: Educação, Denúncia, Juventude. a construção do roteiro, gravação e, por fim, a
edição do vídeo realizada por Mariana Rodri-
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão, UFBA,
gues Sebastião, Êmile Moura e Roberta Matos
Salvador, BA.
no formato de vídeo didático com o uso da
câmera do celular Iphone Xs Max, programa
JRC 20 Movie maker e Imovie.

JULIANA DE OPALMA Palavras-chave: Criança, Opalma, Família.

Autora: Juliana Ferreira da Cruz Santos¹ Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,


Orientadoras: Êmile Almeida Moura Santos², Roberta UFBA, Salvador, BA.
Maciel de Matos²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores de
Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira,
Bahia; ²ACCS BIOA82 Atividade Curricular em Comunida- JRC 21
de e Sociedade: Programa Social de Educação, Vocação
e Divulgação Científica, Universidade Federal da Bahia, O RIO PARAGUAÇU ESTÁ
Salvador, Bahia.
E-mails: emilemoura.bi@gmail.com; robbertamatos16@
SOFRENDO EM SÃO FRANCISCO
gmail.com
Autor: Caio Carvalho de Jesus¹
Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹,2
O vídeo intitulado “Jliana de Opalma” trata Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual
da vida de uma criança chamada Juliana, de de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira,
Bahia; 2Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia
6 anos de idade e moradora da comunida-

57
10º Encontro de Jovens Cientistas

e História das Ciências/Universidade Federal da Bahia, O trabalho intitulado “Quatro palhacinhos no


Salvador, Bahia.
reino encantado de Opalma” tem o objetivo de
E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com; marianase-
bastiao@gmail.com mostrar quais brincadeiras infantis são mais
comuns na comunidade quilombola de Opal-
O Rio Paraguaçu é o maior Rio baiano. Ele tem ma. Para isso, quatro crianças do local foram
mais de 600 quilômetros! Seu nascimento é na os protagonistas do vídeo, apresentando um
Chapada Diamantina e só vai desembocar na misto entre brincadeiras tradicionais e locais.
Baía de Todos os Santos. “Paraguaçu” é uma No desenvolvimento da história, foi elabora-
palavra indígena que significa “Água Grande” do um enredo, juntamente com as crianças.
ou “Grande Rio”. Para a minha comunidade, Foi apresentado um mundo imaginário onde
São Francisco do Paraguaçu, que fica no Re- as crianças interpretavam quatro palhacinhos.
côncavo Baiano, esse rio representa fonte de Através dessa estratégia de produção, eles
renda e de alimentação, além de dar ao lugar entraram em contato com a ludicidade, cria-
uma beleza sem igual. Infelizmente, com o tividade e espontaneidade, ao demostrarem
passar dos anos, esse recurso natural tem so- as brincadeiras que mais gostavam como: pe-
frido graves problemas. Dois deles são o lixo ga-pega, ciranda de roda e “tibum vaqueiro”.
descartado pela própria população nas águas O presente trabalho audiovisual foi realizado
e beiradas do Paraguaçu e o esgoto das ca- através da Atividade Curricular em Comuni-
sas direcionado para seu curso. Esse vídeo, dade e Sociedade (ACCS) Programa Social de
que tem um minuto e meio, foi produzido Educação, Vocação e Divulgação científica
utilizando celular e mostra imagens de como (BIOA82) da Universidade Federal da Bahia
esses problemas afetam diretamente as águas (UFBA), que tem como eixo norteador a edu-
do Paraguaçu que banham a comunidade de comunicação. Foi então realizado, na comuni-
São Francisco. O intuito foi produzir uma re- dade Quilombola de Opalma, Cachoeira, Bahia,
portagem para a Agência Jovem de Notícias, a Oficina “Educomciência: produzindo vídeos
que funciona na Escola do povoado, e alertar científicos para e com o público jovem”. A
que é preciso unir forças entre governo e co- etapa inicial do trabalho foi o diálogo com
munidade para preservação deste rio tão im- as crianças e a definição de tema. Após isso,
portante e bonito. A Agência é uma parceria foi definido um roteiro e iniciaram-se as gra-
entre a Escola Estadual de Primeiro Grau São vações, culminando com a edição do vídeo.
Francisco do Paraguaçu e a Universidade Fe- Edição: Mariana Rodrigues Sebastião, Ingre-
deral da Bahia. dy Piton Barreto e Luma Mello Silva. Formato
escolhido: vídeo didático. Equipamentos utili-
Palavras-chave: Rio Paraguaçu, lixo, esgoto. zados: câmera do celular zenfone3, programa
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão, Adobe Clip.
UFBA, Salvador, BA.
Palavras-chave: Crianças, palhacinhos, ludici-
JRC 22 dade, educomunicação.

QUATRO PALHACINHOS NO REINO Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,


ENCANTADO DE OPALMA UFBA, Salvador, BA

Autores: Alice dos Santos Conceição¹, Brayn Andrade Bis- JRC 23


po¹, Enzo de Jesus Salis¹, Kathelen Ayla Santana Ferreira¹
Orientadoras: Ingredy Piton Barreto², Luma Mello Silva²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores de RADAR OPALMA: INSEGURANÇA
Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, Opalma, Cachoeira, ESCOLAR
Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em Comuni-
dade e Sociedade: Programa Social de Educação, Vocação Autores: Fábio dos Santos Souza¹, William Cruz Lima
e Divulgação Científica na Bahia, Universidade Federal da Correira¹
Bahia, Salvador, Bahia. Orientadores: Paulo Davi Santana², Marglyn Anne Santana
E-mails: ingredypb18@gmail.com; slumamello@gmail.com de Oliveira²
Instituições: ¹Associação Beneficente dos Moradores
de Opalma no Quilombo Engenho da Cruz, em Opalma,

58
Livro de Programação e Resumos

Cachoeira, Bahia; ²ACCS BIOA82 – Atividade Curricular em


Comunidade e Sociedade: Programa Social de Educação,
JRC 24
Vocação e Divulgação Científica na Bahia, Universidade
Federal da Bahia, Salvador, Bahia. SÃO FRANCISCO DO PARAGUAÇU
E-mails: paulodavi00@gmail.com; fabiooplama@gmail.com; ESTÁ NA BAÍA DO IGUAPE
williamopalma@gmail.com
Autora: Maria Luiza Sacramento Sanches¹
“Radar Opalma: insegurança escolar” trata- Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹
-se de um vídeo resultado da “Oficina Edu- Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual
comciência: produzindo vídeos científicos de Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira,
Bahia; 2Programa de Pós-graduação em Ensino, Filosofia
para e com o público jovem”, uma atividade e História das Ciências/Universidade Federal da Bahia,
de extensão do componente curricular Ação Salvador, Bahia,
Curricular em Comunidade e em Sociedade E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com; marianase-
(ACCS), Programa Social de Educação, Vocação bastiao@gmail.com

e Divulgação Científica – BIOA82, promovidas


pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esse vídeo foi produzido dentro das ativida-
No vídeo são abordadas questões relaciona- des da Agência Jovem de Notícias, um proje-
das a precariedade na infraestrutura da Escola to que funciona dentro da Escola Estadual de
General Alfredo Américo da Silva, localizada Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu em
na comunidade do Opalma, região de Cachoei- parceria com a Universidade Federal da Bah-
ra, Bahia e a insegurança que ameaça algumas ia. Eu moro em São Francisco do Paraguaçu,
escolas públicas da capital, Salvador, Bah- que é um distrito de Cachoeira, no Recôncavo
ia. Em formato de um telejornal, o conteúdo Baiano, e quis explicar melhor a localização
produzido utiliza-se do método da entrevista, do lugar onde eu moro. Muitas pessoas, até
tendo como objetivo principal o de ser por- mesmo moradores, não sabem, mas São Fran-
ta-voz dos alunos (das escolas citadas), para cisco fica na Baía do Iguape. Uma baía é uma
que torne visível as suas insatisfações relacio- pequena porção de mar rodeada por terras. O
nadas à falta de estrutura física e inseguran- rio que banha a Baía do Iguape é o Rio Para-
ça nas escolas em que convivem. E assim, as guaçu, e ele desemboca na Baía de Todos os
entidades responsáveis tomem medidas para Santos, que é uma baía muito maior que fica
a manutenção destas escolas. Para isso, foram nas margens da cidade de Salvador. A Baía do
entrevistados os jovens estudantes Fábio dos Iguape acaba sendo uma sub-baía da Baía de
Santos Souza, de 13 anos e William Cruz Lima Todos os Santos. Muita gente aqui também se
Correia, de 16 anos, onde retratam a realidade confunde e acaba dizendo que o nome é Bacia
da precariedade que atinge as escolas públi- do Iguape, mas uma bacia é diferente de uma
cas brasileiras, impossibilitando o seu funcio- baía. Uma bacia é uma porção de espaço em
namento pleno, e como consequência, acabam que as águas das chuvas, de pequenos rios ou
por interferir na formação dos estudantes que subterrâneas vão escoar para um rio maior.
as ocupam. Esse vídeo foi produzido com celular e com
a ajuda de mapas ilustrativos para facilitar a
Palavras-chave: Insegurança escolar, Escola compreensão do espectador.
pública, Precariedade
Palavras-chave: Baía, Iguape, São Francisco do
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão, Paraguaçu.
UFBA, Salvador, BA.
Financiamento: Pró-Reitoria de Extensão,
UFBA, Salvador, BA

59
10º Encontro de Jovens Cientistas

JRC 25 Palavras-chave: Alimentos, Reaproveitamento,


Sustentabilidade.
INVESTIGANDO O ÍNDICE DE
DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS NA Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro-
COMUNIDADE jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da-
DO DOIS DE JULHO/CENTRO dos: Formação com Base na Experimentação
(também conhecido por Meninas na Ciência de
Autoras: Ana Claudia da Graça Furtado¹, Daniela Amorim Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado
Aparecido², Kimberlyn Diandra Bazzana Del Cid², Marisa no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coorde-
Jheymille da Silva Cabral²
nado pela UFBA e desenvolvido em parceria
Orientadoras: Karla Oliveira Esquerre¹, Maysa Conceição
Cavalcante Lima com cinco escolas públicas (Henriqueta Mar-
Instituições: Universidade Federal da Bahia¹; Colégio thins Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo
Estadual Ypiranga², Salvador, Bahia. da Veiga, Ypiranga e Mário Costa Neto) e com
E-mails: daniela.aparecido@aluno.enova.educacao.ba.gov.
outras universidades. É apoiado pelo Grupo de
br; kimberlyn.bazzana@aluno.enova.educacao.ba.gov.br;
karla.esquerre@gmail.com; maysalima@gmail.com; ana. Pesquisa Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e
furtado1996@gmail.com; marisa.cabral1@aluno.enova. outras instituições de ensino e pesquisa.
educacao.ba.gov.br

JRC 26
O principal motivador do presente estudo é
analisar e investigar o nível de desperdício de INVISÍVEIS: UMA LUTA PELA
alimentos na comunidade do Dois de Julho, SOBREVIVÊNCIA
cuja nossa hipótese inicial é de alta escala. Ao
longo da investigação, vem sido discutido a Autores: Bianca Saba, João Arthur Netto1, Lara Doria, Ma-
busca do reaproveitamento de alimentos que riana Duarte1, Thaís Frank1 Orientadores: Fábio Mutti1,
Ian Fraser1
são categorizados como inapropriados para
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
comercialização de setores soteropolitanos E-mails: biabscardoso@gmail.com; joaoarthurnetto@gmail.
que visam o retorno de capital. O desenvol- com; laradoria@hotmail.com; nanafrancoduarte@gmail.
vimento da pesquisa vem utilizando a Ciência com; thaisbfrank@gmail.com
de Dados para contabilizar e estabelecer uma
probabilidade dos alimentos desperdiçados. Os moradores de rua vivem, muitas vezes, em
Ademais, os métodos que viabilizam o apro- situações deploráveis. Além disso, essas pes-
veitamento destes estão sendo utilizados para soas se tornam invisíveis perante uma socie-
estabelecer uma alimentação mais saudável dade egoísta, que os desumaniza, tratando-os
para população necessitada. Dessa forma, o sem um mínimo de respeito e de dignidade.
objetivo da pesquisa é a reduzir o índice de Objetivando iniciar uma reflexão acerca do
desperdício dos alimentos, conscientização lugar que esses sujeitos ocupam na socieda-
e participação dos comerciantes e feirantes de, produzimos um vídeo no qual há relatos
frente as estratégias de reaproveitamento de moradores de rua, em que suas histórias e
de frutas, verduras, hortaliças, raízes, entre visões de mundo são apresentadas. Eles têm
outros. Assim, a equipe está coletando entre- muita coisa a dizer e poucos ouvidos dispos-
vistas e depoimentos para realização de um tos a escutar. Visitamos um centro de apoio a
vídeo, evidenciando a importância do rea- moradores de rua, no Pelourinho e, a partir de
proveitamento desses bens alimentícios e os conversas com alguns deles, que forneceram a
benefícios para qualidade de vida da popula- devida autorização de imagem e consentiram
ção soteropolitana. A partir dessa ação, serão a gravação de seus depoimentos, elaboramos
apontadas propostas para atingir a diminuição uma série de perguntas que nos proporciona-
de desperdício de alimentos na comunidade, ram entender um pouco sobre a vida na rua,
tal como o exemplo apresentado ao longo da suas dificuldades diárias, seus sonhos e suas
pesquisa, a adoção da geladeira solidária, con- respectivas histórias. Durante a entrevista, ti-
tribuindo para a sustentabilidade. vemos acesso a experiências que nos rende-
ram relatos, que por sua vez, após analisados,
foram recortados e selecionamos com base nas

60
Livro de Programação e Resumos

partes que forneciam maior importância con- e consumido até pelo Papa Francisco, figura
forme as metas estabelecidas para emocionar, máxima da religião Católica. Este vídeo traz
impactar e propor reflexão do público, para o o foco na produção dessa iguaria e como ela
desenvolvimento do vídeo. Apesar de muito influencia na economia da Chapada Diamanti-
precário, o centro, fundado por um dos mo- na. O curta terá como protagonista a produção
radores de rua, Sr. Edison, tem como objetivo cafeeira, principalmente da empresa Latitude
visar à importância do amor e cuidado com o 13, uma vez que houve acesso ao conteúdo
próximo, em primeiro lugar,filosofia essa que é com os donos da fazenda produtora, além dis-
transmitida pelas palavras de muitos deles du- so, retratará as feiras locais, como por exemplo
rante o vídeo e que precisam ser ouvidas. Por a da cidade de Mucugê, buscando mostrar as
isso, o que buscamos mostrar, com a elabora- diferentes produções, histórias e culturas, que
ção do vídeo, é a importância de entender que circundam aquele local. O principal objetivo é
a população de rua é composta por pessoas mostrar, através de um jornal, a produção que
com sentimentos e, através dessa consciência, sustenta aquela região sem esquecer de reme-
desconstruir um pouco da imagem preconcei- ter também ao seu escoamento. A produção
tuosa que existe na sociedade, além de ajudar para a Chapada representa grande parte de
esses moradores a atingirem uma condição de sua geração de lucro e ainda diminui a taxa de
vida melhor. O nosso projeto propõe causar desemprego no campo, se mostrando ser a ati-
esse tipo de reflexão na comunidade escolar vidade mais representante do local, tanto pela
para que, no futuro, possamos viver em um economia de subsistência ou para a exporta-
mundo com mais amor e menos ódio. ção. A produção ainda ajuda a circular o capi-
tal por investimentos de empresas privadas.
Palavras-chave: Desigualdade Social, Invisibi- Segundo o Ministério da Agricultura, o Brasil
lidade, Moradores de Rua, Humanização. já ocupa posição de destaque na produção
mundial de orgânicos. As condições climáticas
JRC 27 favoráveis e os recursos hídricos disponíveis
fizeram a Chapada Diamantina ser a região
JORNAL MUCUGÊ escolhida para se tornar um grande polo na
produção de fruticultura tropical orgânica. A
Autores: Alice Andrade Lima Leal1, Ana Maria Marques de produção também ajuda a empregar trabalha-
Queiroz Branco1, Daniel Fernandes da Cunha Vascon- dores das comunidades quilombolas de Una
celos1, Lívia Novais Ribeiro1, Thiago Sousa Quadros de
Remanso. Dessa maneira, podemos concluir
Andrade1
Orientadora: Carla Regina Nunes Costa1 que o cultivo do café é a principal forma de
Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia. gerar empregos e circular a economia para o
E-mails: aliceandradelimaleal@gmail.com, ambranco005@ desenvolvimento da Chapada Diamantina.
gmail.com, dfcvasconcelos@gmail.com; livianovaisribeiro@
gmail.com; thiagosousaquadrosandrade@gmail.com
Palavras-chave: Economia, Chapada Diamanti-
na, produção de café.
A Chapada Diamantina se localiza na Bahia,
estado da região Nordeste. Apresenta relevo
composto por serras, morros, vales e planícies,
JRC 28
atraindo muitos turistas e buscando conhecer
esse lugar de tantas riquezas naturais que PASSADO, PRESENTE E FUTURO: O
percorre vinte quatro cidades. A economia da SOL NO COTIDIANO DO BAIANO
Chapada Diamantina se baseia principalmente
Autora: Marcela Bacelar Leite¹
na produção de café, que conseguiu atingir a
Orientadora: Michelle Santana Guimarães Véras¹
posição de terceiro produto mais importante Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
em questão de valor da produção da Bahia, E-mails: bacelarmarcela@hotmail.com; michellebahia@
perdendo prestígio apenas para o cacau e para hotmail.com
mandioca. A região da Chapada Diamantina
é reconhecida internacionalmente como uma A luz solar é a principal fonte de energia para
grande produtora de café especial. Produzido o Planeta Terra e em Salvador é perceptível
especialmente nas cidades de Ibicoara e Piatã, a sua influência no dia a dia das pessoas. As

61
10º Encontro de Jovens Cientistas

radiações ultravioletas, em quantidades ade- pressão digital influencer (de origem inglesa)
quadas, são benéficas a saúde, pois supre o vem sendo usada, constantemente, em nosso
corpo de vitamina D, evita raquitismo em cotidiano, para representar aquelas pessoas
bebês, osteoporose em adultos, promove a que influenciam seus seguidores através das
absorção de cálcio e fortalece o sistema imu- mídias digitais, significativas ferramentas de
nológico. Por outro lado, os raios solares po- comunicação na contemporaneidade. Muitas
dem causar danos a pele, olhos e até causar vezes, essa influência ocorre de forma negati-
câncer. O documentário “Passado, Presente e va, através da disseminação de fake news ou
Futuro: O Sol no Cotidiano do Baiano”, pre- de padrões perpetuados pela sociedade. Com
tende levar conhecimento para as pessoas o objetivo de entender quem são os influen-
de como o Sol influencia no cotidiano dos ciadores digitais e de que forma eles afetam
baianos e quais cuidados necessários para se a sociedade, foi produzido um vídeo, que, a
proteger dele. Para auxiliar no levantamento partir de metáforas, irá problematizar esses
das informações, foram convidadas para par- aspectos. Como etapa inicial da pesquisa, de-
ticipar do documentário pessoas que residem senvolveu-se um trabalho escrito, apresenta-
em Salvador, caracterizando o senso comum, do na Feira das Ciências do Colégio Anglo-Bra-
além de uma profissional da área de saúde. A sileiro (2019), que discute reflexões de como
partir das entrevistas realizadas, foi possível se deu a evolução dos criadores de conteúdo
constatar a que a praia é um dos principais nas redes sociais. Dentro desse estudo, foram
espaços presentes no cotidiano dos baianos, exploradas as consequências positivas e nega-
e que é imprescindível utilizar proteção para tivas das atitudes dos influenciadores na so-
evitar o câncer. O Sol é uma estrela e por isso ciedade. Ao contrário do que muitos pensam,
vai morrer um dia. Quando e como isso acon- com base em pesquisas, acredita-se que todos,
tecerá, é uma questão que os astrônomos ten- dentro do meio digital, sejam influenciadores,
tam resolver, a previsão é que daqui a cinco variando de maior alcance para um menor,
bilhões de anos, a estrela que sustenta nossa uma vez que todos nós postamos e comparti-
vida vai explodir, se dividindo em um enorme lhamos conteúdo a todo momento. Esse proje-
e brilhante anel de poeira cósmica e gás. É im- to possibilitará que a população compreenda
portante ressaltar, que a produção do vídeo é que todos nós somos parte do problema e pro-
autoral e foram atendidos aspectos éticos de moverá reflexões a respeito dos impactos de
pesquisa, existindo a autorização de imagem e nossas ações sobre outros indivíduos.
entrevista dos participantes.
Palavras-chave: influenciadores digitais, redes
Palavras-chave: Clima, praia, sol. sociais, manipulação, fake news, padrões de
consumo.
JRC 29

PEIXES NA REDE: JRC 30


INFLUENCIADORES DIGITAIS NA
SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA
PESQUISA AVALIATIVA DO
Autores: Beatriz Salustino Sobral1, Clara Baruch Figuei-
redo de San Galo1, Letícia Parcero Souza1, Maria Luiza
PROJETO “MENINAS NA CIÊNCIA
Vianna Pereira Aragão1, Rodrigo Mineiro Ribeiro1 DE DADOS”
Orientadores: Alexandre Carvalho Pitta1, Ian Fraser1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. Autoras: Ana Claudia da Graça Furtado¹; Bianca dos Santos
E-mails: biassobral@outlook.com; clarabaruch@outlook. Carvalho²; Adriele Souza³ Orientadora: Karla Oliveira
com; letiparcerosouza@gmail.com; malu.vpa1@gmail.com; Esquerre¹
rodrigomineiro80@gmail.com; alexpitta87@gmail.com; Instituições: 1Universidade Federal da Bahia¹, Salvador,
ian@anglobra.com.br Bahia; ²Colégio Estadual Henriqueta Martins Catharino,
Salvador, Bahia; ³Colégio Estadual Evaristo da Veiga,
Salvador, Bahia.
O termo influenciador significa aquele(a) que
E-mails: ana.furtado1996@gmail.com; karla.esquerre@
exerce uma ação psicológica sobre alguém gmail.com; biancacar2019@gmail.com; drikamorenalima@
ou algo que se submete a essa ação. A ex- gmail.com

62
Livro de Programação e Resumos

O projeto “Meninas na Ciência de Dados” surgiu JRC 31


em 2019 a partir da iniciativa do Programa de
Pós-Graduação de Engenharia Industrial (PEI)
TODA FORMA: DIVERSIDADE
da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O
SEXUAL, HOMOFOBIA E
objetivo deste é incentivar e desenvolver o
AUTOACEITAÇÃO
conhecimento nas áreas de ciências de dados,
envolvendo estatística, metrologia, engenha- Autores: Gabriela Becker Lepikson1, João Paulo Duplat
rias, informática, sistema de informação, entre Alves dos Santos1, Laura Pitangueira Maciel1, Maria Be-
outros. O público alvo são meninas do 6º ao lazzi de Carvalho1, Maria Isabel Vieira Seijo Figueiredo1,
Sofia Silveira Póvoas1
9º ano do Ensino Fundamental II, pois, através
Orientadora: Juliana Oliveira Lesquives1
de coleta de dados foi comprovada a maior Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
presença de homens nessas áreas. Assim, ob- E-mails: gabilepikson@gmail.com; joaoduplat@icloud.com;
jetivando modificar esse cenário e ampliar a lauramaciel06@gmail.com; morganabedoutorado@gmail.
com; bebelseijo@hotmail.com; softpovoas@gmail.com;
participação de meninas nesses ambientes
julianales@anglobra.com.br
acadêmicos e profissionais, foram desenvol-
vidas essas atividades nas seguintes escolas:
Infelizmente, ainda há muitos casos de ho-
Colégio Estadual Henriqueta Martins Cathari-
mofobia no Brasil. Em 2017, 445 pessoas da
no, Colégio Estadual Evaristo da Veiga, Colégio
comunidade LGBT foram assassinadas por pre-
Municipal Cidade de Jequié, Colégio Estadual
conceito, segundo o Grupo Gay da Bahia, um
Mario Costa Neto. Assim sendo, esta pesquisa
aumento de 30% em relação a 2016. O disque
visa coletar as opiniões e avaliações dessas
100 contabilizou 713 denúncias de discrimi-
alunas referente às dinâmicas realizadas nas
nação contra pessoas LGBT em apenas seis
escolas. Para isso se utilizou duas técnicas de
meses. E, segundo a Pesquisa Nacional sobre
coleta de dados: entrevista semiestruturada e
o Ambiente Educacional no Brasil, 73% dos es-
questionários. Através da análise dessas in-
tudantes LGBT já sofreram agressão verbal, e
formações será possível constatar o impacto
36%, violência física. Somada a esses números,
ou não da atuação da UFBA nesses ambientes.
está ainda a violência que as pessoas sofrem
Assim sendo, visando dar lugar de fala as me-
dentro de suas casas, praticada por suas pró-
ninas bolsistas do projeto, será realizado um
prias famílias. Essas atitudes podem causar
vídeo para coletar as opiniões sobre a impor-
várias consequências para as vítimas, fazendo
tância e o impacto do “Meninas na Ciência de
com que pessoas LGBT se sintam envergonha-
Dados”. Ademais, serão apresentados dados
das, tenham medo de conviver em sociedade,
estatísticos sobre o questionário com as de-
podendo, inclusive, levá-las ao suicídio. Muitas
mais participantes das cinco escolas.
pessoas ainda acham que LGBT’s são anormais
e que precisam de uma cura, como aconte-
Palavras-chave: Avaliação, Ciência de Dados,
ceu com vários membros dessa comunidade.
Entrevista, Gênero.
Alguns foram castrados, outros passaram por
estupros corretivos. Infelizmente, ser homos-
Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro-
sexual ainda é crime em 71 países, segundo
jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da-
pesquisa divulgada pelo El País. Muitas vezes,
dos: Formação com Base na Experimentação
a religião acaba influenciando o pensamento
(também conhecido por Meninas na Ciência de
das pessoas, o que leva elas a não terem uma
Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado
opinião própria em relação à diversidade se-
no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coorde-
xual. Diante desse contexto, o objetivo deste
nado pela UFBA e desenvolvido em parceria
trabalho é discutir as questões relacionadas
com cinco escolas públicas (Henriqueta Mat-
ao tema abordado e elaborar um vídeo de
thins Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo
sensibilização, com linguagem poética, sobre
da Veiga, Ypiranga e Mário Costa Neto) e com
os problemas que envolvem as consequências
outras universidades. É apoiado pelo Grupo de
desse preconceito. O vídeo apresenta uma re-
Pesquisa Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e
flexão sobre o modo como os jovens se sen-
outras instituições de ensino e pesquisa.
tem quando discriminados, principalmente
em relação às tentativas de cura e expõe as

63
10º Encontro de Jovens Cientistas

possibilidades de autoaceitação e de melhoria volveu juntamente com o sistema capitalista


da qualidade de vida. O trabalho se justifica nos últimos séculos. Muitas decisões tomadas
por tentar alertar as pessoas sobre esse grave pelo poder público em relação ao transporte
problema, mas também por ter uma relevância se formaram ao redor do lucro das empresas
mundial e por se entender que esse assunto privadas, que são as responsáveis por exe-
precisa ser mais debatido em comunidades cutar esse sistema no Brasil. Nesse contexto,
escolares e domésticas. Como metodologia, fo- a possibilidade de que o transporte público
ram feitas reuniões para debater o tema e para seja gratuito e de qualidade não interfere so-
mente na tarifa, mas também em toda lógica
escolher os aspectos que seriam abordados.
política, econômica, social e cultural da cida-
Houve também pesquisas bibliográficas, além
de. Desse modo, o objetivo deste trabalho é
de fichamentos dos textos lidos, assim como
investigar como se configura a organização
encontros tanto para a gravação das imagens
do transporte público no país e construir um
como para a edição do vídeo. A produção do vídeo informativo sobre o tema, com o intuito
vídeo resultou na construção de imagens poé- de apresentar informações que permitam que a
ticas que trataram o assunto de modo sensí- população compreenda como o transporte está
vel e crítico, em uma linguagem próxima da estruturado. O trabalho se justifica por inves-
realidade dos jovens, mas também significa- tir em um problema presente no cotidiano de
tiva para a sensibilização como também para cerca de 65% da população brasileira e devido
o debate no ambiente familiar e escolar. Dis- a sua importância na vida das pessoas por ser
cutiu-se, também, que ações discriminatórias um dos direitos básicos do cidadão à vida. O
podem vir de várias formas, de maneiras mais vídeo tenta abordar a falta de transparência
diretas, como xingamentos, agressões físicas e presente no sistema de transporte público bra-
piadas, ou de maneiras mais sutis, como por sileiro e as dificuldades que seus usuários en-
meio de olhares de desprezo. Conclui-se que, frentam. Como metodologia, foram realizadas
infelizmente, a violência contra essa comuni- pesquisas bibliográficas sobre o tema e estudo
dade ainda é um grande problema e muitos das características específicas da linguagem fíl-
alunos não têm consciência sobre o assunto. mica para possibilitar a composição do vídeo.
Além disso, foram feitas discussões em grupo
Para conhecerem esse tema, ele deve ser mais
e reuniões para a elaboração dos materiais a
discutido em ambientes escolares e domésti-
serem utilizados, bem como para a escolha das
cos. Somente é possível solucionar o obstáculo
informações e da composição sonora e para
do preconceito com a participação de todos.
a edição do vídeo. Se discutiu também que a
população utiliza diferentes estratégias para se
Palavras-chave: Discriminação, preconceito, expressar diante dos problemas relacionados
LGBT. ao transporte público, como manifestações es-
pontâneas, obstrução de vias públicas, reivin-
JRC 32 dicações contra o aumento da tarifa das pas-
sagens, protestos contra as más condições dos
TRANSPORTE PÚBLICO: UM veículos, dentre outras. Conclui-se que, apesar
DIREITO DE TODOS de o poder público e as empresas privadas re-
ceberem o dinheiro público para que todas as
Autoras: Júlia Santos Magalhães1, Kamilla Hera da Silva exigências e o próprio direito civil sejam reali-
Pereira1, Marina Athayde Alves1, Marina Santos Vitória zados, como a responsabilidade do transporte
Cerqueira1, Rebeca de Aguiar Brito1 público está nas mãos das empresas privadas,
Orientadora: Juliana Oliveira Lesquives1
a população não tem, muitas vezes, como exi-
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: magalhaesjulia2701@gmail.com; kamillahsperei- gir os seus direitos. O vídeo visa a contribuir
ra@bol.com.br; marinaathaydealves@gmail.com; cerqueira. com o debate sobre como se estrutura a siste-
marina03@gmail.com; beckbrito.br@gmail.com; julianales@ ma de transporte público no país e sobre os
anglobra.com.br direitos dos cidadãos.

O transporte público é um produto social de- Palavras-chave: Transporte público, direitos


senvolvido a partir de vários acontecimentos do cidadão, transparência.
e fatores apresentados ao longo da história
no qual a sua configuração atual se desen-

64
10.
Grande Angular
(Exibição e Apresentação
Oral de Fotografia)
Livro de Programação e Resumos

GA 01 Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza,


2Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das
Almas, Bahia.
A IMPORTÂNCIA DA FEIRA LIVRE E-mails: iasminsantana021@gmail.com; maria.lordelo.santos@

EM CRUZ DAS ALMAS E SEUS gmail.com; cezarinhohistoria@hotmail.com

ASPECTOS ECONÔMICOS Como falar em Brasil sem mencionar a


África? Toda história do país se baseia em
Autores: Bruno Fabiano Santos¹, Natan Antônio Caldas Ribeiro¹
Orientador: Vanderlei Oliveira do Nascimento² um continente que se faz presente em sua
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade atualidade. E como falar de uma Bahia, tão
Estadual da Bahia, africana, sem mencionar Cachoeira e todas as
Cruz das Almas, Bahia. suas culturas mistificadas? O estado baiano
E-mails: brunofsantos887@gmail.com; caldasnatan03@gmail.
já girou em torno dessa cidade tão rica, que
com; oliveiravanderlei55@gmail.com
esbanja a história e a cultura de um Brasil
mistificado através do tempo e carregado
A presente pesquisa apresenta aspectos so-
de raízes africanas. A partir do exposto,
bre a feira livre de Cruz das Almas (BA) e as
o objetivo deste trabalho é explicitar me-
relações dos cidadãos que convivem em dife-
mórias africanizadas de Cachoeira, através de
rentes cidades. Neste contexto, as feiras livres
fotografias, relembrando histórias e festejos
assumem um papel muito forte de interação
que caracterizam o município mais antigo do
com o campo e a cidade, pois o que vem sendo
recôncavo baiano. A metodologia será reali-
comercializado nestes espaços sustentam a ci-
zada por meio da exposição, análise e con-
dade e se responsabilizam pela sobrevivência
textualização histórica de diversas fotos que
de várias famílias, estimula a economia local e
relembram as características de uma África
gera empregos. As feiras livres carregam uma
situada na Bahia. As referidas imagens serão
simbologia e histórias que representa uma
fotografadas pelas autoras deste trabalho e
realidade de inúmeras pessoas tornando-se
mostrarão, de forma pormenorizada, a festa
um local de interação e formação de vínculos
que melhor caracteriza os festejos de cultu-
afetivos e de identidade. Sendo assim, as fei-
ra africana na cidade, a festa da Boa Morte.
ras livres, assumiram um papel muito impor-
Este trabalho justifica-se pela carência de
tante para a dinâmica econômica de muitas
informação da sociedade sobre determinado
cidades brasileira. O objetivo do trabalho é
assunto e despertou a indignação devido à
caracterizar as feiras livres e buscar informa-
ausência de sapiência de toda a influência ne-
ções sobre a dinâmica da feira livre de Cruz
gra nos dias atuais, o que vem gerando uma
das Almas. A metodologia da pesquisa será
sociedade alienada em relação ao processo
pautada na aplicação de questionários e le-
de desenvolvimento e formação da população
vantamento bibliográfico e a criação de um
brasileira.
cataloga de fotografias mostrando a realidade
da feira livre de Cruz das Almas (BA). A impor-
Palavras-chave: Cachoeira, África, História,
tância do trabalho se dá por conta da dinâmi-
Cultura.
ca econômica das feiras livres e seus aspectos
culturais além de promover amplo acessam a
traços sociais e interioranos que marcam e ca- GA 03
racterizam cidades com população menor.
DIFICULDADES ENCONTRADAS
Palavras-chave: Feira livre, Cruz Das Almas, POR PESSOAS COM DEFICIÊNCIA
Histórias, Cultura.
FÍSICA
GA 02 Autoras: Alana Conceição de Jesus¹, Geiciane de Souza Sena1
Orientador: Roque Sérgio Barbosa Oliveira2
AS VÁRIAS ÁFRICAS Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universidade
Estadual de Feira de Santana, Cruz das Almas, Bahia.
CACHOEIRENSES E-mails: alanadejesus615@gmail.com; geicianesena08@
hotmail.com; roqsergio@gmail.com
Autoras: Iasmin Jesus de Santana¹, Maria Santana Lordêlo
Santos¹
Orientador: Filipe Arnaldo Cezarinho²

67
10º Encontro de Jovens Cientistas

Na atualidade, os deficientes são vistos com depois da fervura as panelas de alumínio co-
indiferença, porém, quando se trata de convi- meçam a formar uma borda preta na altura da
vência em igualdade, percebe-se que os mes- água. Então, o que está deixando as nossas
mos possuem desejos, necessidade e vontade panelas pretas? No início pensávamos que es-
de viver. De acordo com dados estatísticos tava sendo usado muito cloro no tratamento
extraídos de sites, 24% da população é com- da água e isso causava o escurecimento da pa-
posta por pessoas que possuem algum tipo de nela. Mas depois de produzir uma reportagem
limitação. Dessa forma, a pesquisa tem como para a Agência Jovem de Notícias, que fun-
objetivo mostrar as dificuldades de acessibi- ciona na Escola do povoado, descobrimos que
lidade das pessoas com deficiência por meio não é bem assim... Como mostra a fotografia, o
de imagens, retratando a precariedade dos que vemos preto nas panelas é o próprio alu-
locais com acesso público. Em uma situação mínio, mas não na sua forma metálica, e sim
recente, pode ser citado o caso no qual o óxido de alumínio. Quando guardamos as
um professor que por sua vez é cadeiran- panelas no armário muito tempo ou cozinha-
te, precisou fazer sua perícia no Institu- mos, o alumínio reage com o oxigênio, com a
to Nacional do Seguro Social (INSS), e teve umidade, entre outras coisas. Tudo isso forma
acessibilidade prejudicada em decorrência esse óxido no metal que funciona como uma
da falta de suporte necessário. Embora as película protetora para evitar que ele conti-
leis 10.048/2000 e 10.098/2000 tenham nue sofrendo oxidação, ou seja, que a panela
regulamentado que os deficientes possuam os continue se desgastando. É até recomendável
mesmos direitos, o que se vê na prática é a ferver a água com a panela tampada antes do
situação contrária. A metodologia utilizada primeiro uso justamente para ocorrer esse es-
nessa pesquisa será realizada através de re- curecimento. Então podemos entender que é
gistro de imagens de ambientes públicos os um processo químico natural que tem a ver
quais necessitam ter livre acesso aos deficitá- com o alumínio, que é o material das panelas,
rios, pois são cidadãos que também precisam e não com a água distribuída em São Francisco
ter acesso ao mercado de trabalho, aos locais do Paraguaçu, como pensávamos antes.
públicos, momentos de lazer, departamentos,
edifícios residenciais, dentre outros. A pes- Palavras-chave: Alumínio; Água; Escurecimento.
quisa tem como finalidade mostrar a preca-
riedade dos locais públicos para pessoas que Financiamento: PROEXT/UFBA – Pró-Reitoria
detêm debilitações físicas. de Extensão da UFBA.

Palavras-chave: Dificuldades, pessoas, defi- GA 05


cientes.
PODEMOS USAR A ÁGUA DA
GA 04 CHUVA PARA FAZER TUDO?
O QUE ESTÁ ESCURECENDO AS Autora: Maria Luiza Sacramento Sanches¹
NOSSAS PANELAS? Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹
Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de
Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia;
Autor: Caio Carvalho de Jesus¹
2Programa de Pós-graduação de Ensino, Filosofia e História
Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹
das Ciências/Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de
E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com; marianasebas-
Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia;
tiao@gmail.com
2Programa de Pós-graduação de Ensino, Filosofia e História
das Ciências/Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com; marianasebas- Moro em São Francisco do Paraguaçu, um dis-
tiao@gmail.com trito de Cachoeira, no Recôncavo Baiano. Lá
muitas pessoas costumar reutilizar a água
Na nossa comunidade, em São Francisco do da chuva. Na casa de uma amiga, cai água de
Paraguaçu, no Recôncavo Baiano, os mora- uma bica do telhado diretamente no tanque.
dores estavam reclamando de um fenômeno Já na casa de uma professora, tem um tan-
que acontece sempre: quando pegamos água que só para receber a água da chuva e essa
da torneira para cozinhar, percebemos que água é usada para molhar toda a plantação do

68
Livro de Programação e Resumos

quintal. Descobri isso produzindo uma repor- desconfiava que muito cloro estava sendo
tagem para a Agência Jovem de Notícias, que usado no tratamento ou que a tubulação do
funciona na Escola do povoado, sobre como as transporte da água até as casas estava muito
pessoas estão reutilizando água na comunida- suja. Depois de uma investigação para produ-
de. A fotografia mostra bem como a água da zir uma reportagem sobre esse assunto para
chuva é captada no quintal de uma das casas a Agência Jovem de Notícias, que funciona na
para ser reutilizada mais tarde. Na verdade, Escola do povoado, entendemos o motivo. Téc-
a água da chuva pode ser usada para muitas nicos da Empresa Baiana de Águas e Sanea-
coisas: lavar roupas, passar pano na casa, la- mento (Embasa), responsável pela distribuição
var calçadas, carros e outras coisas. Mas não da água na comunidade, explicaram que o
pode ser usada diretamente para beber, por- abastecimento é feito por duas vias: pela bar-
que pode conter gases poluentes e mesmo a ragem do Rio Catu e por um poço artesiano.
chuva formada na zona rural, como é o caso Quando ela chega amarelada é porque a água
do lugar onde moro, pode ter excesso de cálcio que está sendo usada para abastecer é a do
e potássio e causar problemas de saúde. Mas Rio, e naturalmente essa água é amarelada.
se quisermos beber a água da chuva, o que Existe uma bomba que dosa os produtos que
precisamos fazer? Primeiro de tudo é preciso tratam essa água. Mesmo assim, o filtro não
armazená-la numa cisterna bem limpa e com consegue filtrá-la totalmente, e por isso ela
filtro, para evitar o aparecimento de mosqui- ainda continua um pouco amarelada. A água
tos transmissores de doenças. Até a bica para da garrafa foi retirada de uma das pias de casa
captar a água deve estar bem limpa também. e é comum que chegue desta cor. Será que a
Feito isso, a água precisa ser filtrada, num fil- quantidade de produtos que trata a água po-
tro caseiro normal, para eliminar impurezas. deria ser aumentada para que ela não viesse
Somente depois disso ela deve ser fervida por sem o aspecto amarelado? Não! Essas quan-
pelo menos cinco minutos para eliminar as tidades já são determinadas para não afetar
bactérias. Lembre-se: tomar banho de chuva a saúde da população. E por que às vezes ela
é bom, mas beber água da chuva sem tratar, chega esbranquiçada? Isso acontece devido a
nem pensar! pressão da bomba que bombeia essa água até
que ela chegue nas casas. Quando a força da
Palavras-chave: Alumínio, água, escurecimento. água é muito grande, o impacto inicial é forte
e causa o aspecto branco, que com o tempo
Financiamento: PROEXT/UFBA – Pró-Reitoria vai voltando ao normal. Então entendemos
de Extensão da UFBA. que tudo que acontece tem a ver com a cor
natural da água do rio e a força da água que
GA 06 é bombeada.

Palavras-chave: Água, Tratamento, Distribuição.


POR QUE A ÁGUA TRATADA ÀS
VEZES CHEGA AMARELADA OU Financiamento: PROEXT/UFBA – Pró-Reitoria
ESBRANQUIÇADA NA MINHA de Extensão da UFBA.
COMUNIDADE?
GA 07
Autora: Camile Lima de Oliveira¹
Orientadora: Mariana Rodrigues Sebastião¹
Instituições: ¹Agência Jovem de Notícias – Escola Estadual de REFLEXÕES SOBRE O ATUAL
Primeiro Grau São Francisco do Paraguaçu, Cachoeira, Bahia; ESTADO DOS RIOS IMBASSAY E
2Programa de Pós-graduação de Ensino, Filosofia e História
das Ciências/Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia. JACUÍPE A PARTIR DA ANÁLISE DE
E-mails: agenciajovemdenoticias@gmail.com;marianasebas- FOTOS ANTIGAS E RECENTES DO
tiao@gmail.com
MUNICÍPIO DE DIAS D’ÁVILA – BA
Moradores da minha comunidade, São Francis- Autores: Maria Eduarda de Sousa Santa Rita¹, Wallacy Pereira
co do Paraguaçu, no Recôncavo Baiano, recla- dos Santos¹,
mam da cor que a água chega às suas casas: Pedro de Jesus Santos Neto¹
alguns dias amarelada, outros dias esbran- Orientadoras: Edilza Santana Bomfim¹, Flávia Luciana Oliveira

quiçada. Por que isso acontece? Muita gente da Silva¹

69
10º Encontro de Jovens Cientistas

Instituição: ¹Colégio Estadual Dr. Luís de Moura Bastos, Dias munidade escolar, a qual teve essas imagens
D’Ávila, Bahia. divulgadas na I Feira de Ciências da escola.
E-mails: santtaritaa@gmail.com; wallacy984@gmail.com;
opedro33@outlook.com; flavialuciana21@hotmail.com; edilza.
sbomfim@gmail.com Palavras-chave: Rio, Meio ambiente, Água, De-
gradação.
Os rios possuem uma grande importância
para o ser humano desde as civilizações GA 08
antigas, sendo um importante reservatório de
água doce. A presente pesquisa aborda no âm- ROCHAS SEDIMENTARES:
bito de sua descrição comparativa, fotografias
dos rios Imbassay e Jacuípe. Diversas popu-
DECLIVES E MONTANHAS
lações se estabeleceram às margens de rios, Autora: Renata Martins Lima¹
construindo uma identidade cultural e econô- Orientador: Jordan Santos Mendes¹
mica baseada nas atividades que utilizam Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.
os rios. Em Dias d’Ávila, cidade famosa pelo E-mails: renata.lima@conceptstudent.com.br; jordan.men-
seu grande potencial hídrico e conhecida como des@conceptedu.com.br
Cidade das Águas. Na década de 40, o padre
jesuíta francês, Camilo Torrend, eminente bo- A superfície terrestre é a porção mais externa
tânico e estudioso da cidade de Dias d’Ávi- da crosta da Terra, local que nós, seres huma-
la, tendo acesso a documentos antigos que nos, habitamos. Por isso, estudar os elementos
falava da mesma, mandou analisar a água e que compõem a superfície da Terra é de extre-
a lama do rio Imbassay, em laboratórios fran- ma importância para conseguirmos compreen-
ceses, e recebeu um resultado surpreendente: der a dinâmica terrestre e preservar todas as
aquelas águas eram comparáveis com as me- estruturas que nos cercam e nos mantêm vivos.
lhores existentes na Europa, com qualidades Foi com base na relevância desse tema que eu
terapêuticas poderosas e, mais ainda, a lama e meus colegas desenvolvemos o projeto “Fo-
possuía propriedades medicinais louváveis, tografando a Superfície Terrestre”, no qual uni-
principalmente para as moléstias de pele. mos saberes das áreas de Humanidades e Artes
Com a descoberta das qualidades terapêuticas com o objetivo de realizar uma exposição foto-
das águas do Rio Imbassay, Dias d’Ávila passou gráfica inspirada nos elementos que compõem
a ser considerada área de veraneio, As pessoas a superfície terrestre. Os declives e montanhas
vinham banhar-se nos rios e fazer uso da lama formados por rochas sedimentares foram os
medicinal para tratamento de doenças de elementos que escolhi para comporem a mi-
pele. Dias d’Ávila se transformou num centro nha foto. Após realizar estudos sobre fotogra-
turístico e sua água passou a ser comercia- fia, iniciei a concepção artística da minha foto
lizada no mercado. Além do Rio Imbassay com a orientação da artista e educadora Rosa,
e Jacuípe ser considerados os mais importante através da análise das texturas, cores e formas
da região e da sua grande valia, os rios têm so- das rochas sedimentares. Com base nesses
fridos os impactos das ações humanas através estudos, fiz o desenho que é o objeto central
do lançamento irregular de esgotos, do des- da minha fotografia. Como a foto é inspirada
matamento da mata ciliar e da construção em um elemento que compõe a superfície da
de residências às suas margens, tendo grande terra, decidi que a composição fotográfica de-
consequências para os corpos d’água do muni- veria ser realizada nessa superfície. As mãos
cípio. A descrição das fotos relata e compara que seguram a obra artística enquadrada na
os rios Imbassay e Jacuípe nos mesmos locais foto buscam conscientizar-nos de que a pre-
na outrora com a atualidade. A partir das fo- servação da superfície terrestre está em nos-
tos, podemos visualizar diversas situações de sas mãos. Representar a minha aprendizagem
descuido com a saúde dos rios, o que pode em uma foto foi desafiador e ao mesmo tempo
ter impacto na saúde humana e nas condi- uma experiência única. Ao final do projeto, eu
ções de saneamento ambiental da cidade. As e meus colegas fizemos uma exposição das
imagens nos alertam para um processo de nossas fotos para toda a comunidade escolar.
degradação da maior riqueza do município,
podendo despertar o olhar dos moradores Palavras-chave: Rochas Sedimentares, Decli-
para os rios que estão no seu contexto diário e ves, Montanhas, Fotografia.
despertando a sensibilidade ambiental da co-

70
10º Encontro de Jovens Cientistas

11.
Gabinete de Curiosidades
Científicas
(Quadro de Apresentações
de Experimentos com pôster)

72
EXP 01 dislipidemia e desta forma contribuir com o
tratamento de obesidades e hipertensão. Não
obstante, ao realizar a extração da oleuropeína
A FOLHA DA OLIVEIRA COMO de forma simples com materiais de laboratório
PREVENTORA E AUXILIADORA NA de uma escola de Ensino Médio, demonstra a
CURA DE DOENÇAS possibilidade de aproximar o campo farmaco-
lógico de pequenas comunidades para melhor
Autor: Arthur Bueno Silva¹ uso terapêutico dessa substância.
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior¹
Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Palavras-chave: Chá, oliveira, oleuropeína.
Freitas, Bahia.
E-mails: arthurbuenosilva@gmail.com; jbugary@hotmail.com
EXP 02

A folha da oliveira, proveniente da espécie A MOBILIDADE INTELIGENTE EM


Olea europaea, possui diversas propriedades CRUZ DAS ALMAS-BA
preventivas e curativas para algumas doen-
ças, dentre elas há o caso da diabetes e da hi- Autores: Maria Clara Daltro Bastos1, Beatriz Costa Assun-
pertensão, em razão da ação da oleuropeína, ção Pires1, Elias de Araújo Dias1 Orientador: Vanderlei
substância encontrada também nas azeitonas Oliveira2
verdes e óleo de argan. O objetivo da pesquisa Instituição: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universida-
de do Estado da Bahia,
visa estudar essa substância e realizar a ex- Cruz das Almas, Bahia.
perimentação de extração da oleuropeína da E-mails: daltromariaclara@gmail.com; bcapires16@hotmail.
qual é encontrada no chá e tem ação farmaco- com; araujoeliasdias@gmail.com; oliveiravanderlei55@
lógica, para isso será feito testes com a folha gmail.com
de oliveira desidratada. Assim, foi adquira por
compra virtual folhas da oliveira e estudo de Diante do contexto histórico brasileiro, o siste-
artigos correlacionados a ação da oleuropeí- ma de transportes rodoviários foi desenvolvido
na. Em seguida foi realizado um experimento e priorizado pelo governo de Juscelino Kubits-
onde inicialmente foi realizada uma maceração chek (1956-1961) que foi o pioneiro nos inves-
das folhas desidratadas e colocadas juntos ao timentos na malha rodoviária brasileira. O in-
etanol e água. Depois de 24h em temperatu- tuito de JK era abrir os portos brasileiros para
ra ambiente, obtêm-se o óleo de oliveira onde exportações e a instalação de multinacionais, já
pode-se encontrar segundo estudos 30g de que seu governo possuía um caráter economi-
oleuropeína em cada 700g de folha. Na uni- camente liberal, dentre elas a empresa automo-
versidade de Pelotas as experiências demos- bilística Ford. Atualmente, a mobilidade urbana,
traram que o fígado, coração e rim diminuiram ou seja, a condição que determinada o fluxo de
significativamente quando o hidroxitirosol foi uma cidade e a locomoção que ela oferece se
administrado em ratos hipercolesterolêmicos relaciona aos sucessivos crescimentos popula-
quando comparados com o grupo controle. cionais, tornando-se essencial um planejamen-
Estes resultados sugeriram que o efeito hipo- to, pois a sua falta pode causar problemas para
lipemiante do hidroxitirosol pode ser devido a o trânsito, como congestionamentos, poluição
suas propriedades de diminuir os níveis séricos sonora e do ar, longos períodos para fazer tra-
de colesterol total, triglicerídeos e colesterol de jetos simples, não só nas grandes metrópoles,
lipoproteínas de baixa densidade, bem como mas também para as cidades com um número
para suas atividades antioxidantes, que impe- populacional menor, como Cruz das Almas (BA),
dem o processo de peroxidação lipídica. Os da- situada no recôncavo da Bahia, distanciando
dos obtidos sugeriram que os compostos fenó- 148 quilômetros da capital do Estado, Salva-
licos presentes na azeitona podem ser capazes dor. Foram feitas observações das principais
de diminuir ou abrandar os efeitos oxidativos. ruas da cidade e foram identificados problemas
Assim, a presente pesquisa, em seus achados como: postes em locais inadequados, constru-
acadêmicos, pode perceber que o acesso da ções que atrapalham o fluxo de veículos e pe-
população a dados sobre a folha de oliveira destres, a falta de ciclovias, faixas de pedestres
sob o cuidado e orientação médica, pode con- mal aplicadas, bem como a falta de preparação
tribuir significativamente com o tratamento de das secretarias do município. Sendo assim, este
trabalho tem como objetivo debater o conceito dentes na indústria de cosméticos, sendo cada
de mobilidade inteligente e projetar uma me- vez mais inovadora ao investir fortemente na
lhor ordenação para uma possível moderniza- Biotecnologia. Com manipulações cada vez
ção do trânsito utilizando recursos tecnológicos mais eficaz e crescente na aceitação da so-
já disponíveis em cidades que apresentam uma ciedade, são fabricados produtos com poder
mobilidade inteligente. Com isto, utilizaremos para estimular moléculas, com potencial já
uma metodologia quanti-qualitativa com levan- diminuídos para o processo de envelhecimen-
tamento de dados sobre mobilidade urbana, vi- to, até para ajudar na cura de doenças. O uso
sando uma melhoraria da qualidade de vida e de produtos para conservar e manter a boa
a promoção do bem-estar social para todos os aparência está sendo cada vez mais usado e a
moradores. Portanto, este trabalho justifica-se química vem para contribuir de maneira signi-
devido a atual mentalidade prematura acerca ficativa nesse sentido. O importante é sentir-
do conceito de mobilidade, principalmente a -se jovem, cuidando essencialmente da mente,
mobilidade inteligente, que necessita de um já que é a gestora da nossa saúde e funcio-
investimento mais acentuado. Neste cenário, namento de todos os órgãos. O componente
há pouco estudos e investimentos na melhoria curricular Ciências da Natureza tem entre seus
da mobilidade, pois esse inclui aspectos econô- conteúdos os Fundamentos da Química, nes-
micos, sociais e políticos. Por fim, torna-se in- se sentido a química dos cosméticos traz uma
dispensável disponibilizar uma locomoção efi- aproximação de situações vivenciadas no dia
ciente, economicamente acessível e sustentável a dia a partir do projeto “A Química da Beleza”
ao meio ambiente, através da realização de um que direciona os alunos do 9º ano a manipu-
projeto de intervenção no qual desenvolve-se lar produtos químicos produzindo cosméticos
um planejamento para o município de Cruz das destinados ao cuidado pessoal como xampus,
Almas (BA), dando suporte para que o contexto sabonetes líquidos e perfume que, segundo as
urbano seja requalificado. Resoluções 335/1999 e 79/2000, são classi-
ficados como produto nível 1/Risco mínimo.
Palavras-chave: Trânsito, locomoção, tecnolo- Observando diferentes densidades, tempo
gia, mobilidade, planejamento. de evaporação e temperatura para conseguir
a associação dos produtos como base de hi-
dratantes e sabões, essências à base de óleo,
EXP 03 álcool de fixação de perfumes e corantes. Os
cosméticos produzidos pelos alunos serão co-
mercializados em eventos realizados na escola
A QUÍMICA DA BELEZA e os recursos financeiros adquiridos serão uti-
Autores: Abner Lorêto de Lima¹, Victoria Yasmim Lima
lizados em prol do encerramento de final de
de Jesus¹, Victoria Marques Almeida¹ Orientadoras: Edna ano da turma.
Sousa Matos¹, Cristianne Braga Gibaut¹
Instituição: ¹Centro Educacional Colinas de Pituaçu, Salva- Palavras-chave: Beleza, mistura, cosméticos.
dor, Bahia.
E-mails: vanialoreto@gmail.com; edilmaic@gmail.com;
edineuza.cruz@gmail.com; ednasousamatos@gmail.com;
crisgibaut@hotmail.com EXP 04

Segundo o Instituto Brasileiro de Estatística e A RECICLAGEM DE EQUIPAMENTOS


Geografia (IBGE), a população brasileira está ELETRÔNICOS PARA AUXILIAR
vivendo mais e a expectativa de vida para
2019 é de 80 anos para mulheres e de 73 anos NA IRRIGAÇÃO DE PEQUENAS
para homens, com isso a preocupação com a CULTURAS
aparência e a beleza se torna um fator impor-
tante na vida dessas pessoas, envelhecer com Autor: Kevin Sidney Silva de Souza¹
Orientador: Lucas Nogueira¹
boa aparência é preocupação de homens e
Instituição: ¹Colégio Estadual Assis Chateubriand, Salvador,
mulheres, a longevidade dessa população faz Bahia.
com que o cultivo da beleza e da melhor apa- E-mails: cruzsoma204@gmail.com; lukascarioca433@
rência ao longo da vida signifique uma melhor gmail.com
qualidade de vida. Muitas foram as tentativas
e, consequentemente, as pesquisas surpreen-
Vivemos numa sociedade em que o descarte de EXP 05
materiais eletrônicos não leva em consideração
sua capacidade de serem reutilizados, aumen-
A UTILIZAÇÃO DO MILHO E DO
tando os níveis de poluição e de produção de
lixo. Temos em mente que podemos utilizar SISAL PARA CONTENÇÃO
determinadas peças para desenvolver equipa- DO VAZAMENTO DE PETRÓLEO
mentos com outras finalidades como: medicina,
mecânica, mineração, agricultura familiar e a Autor: Hagmar Tinoco Moreira¹
Orientador: Jorge Bugary Teles Junior¹
pequena bomba de água que utilizaremos nes-
Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
te projeto. Em conformidade com as diretrizes Freitas, Bahia.
propostas pela Agenda 21 da ONU e da ABNT E-mails: hagmartm@gmail.com; jbugary@hotmail.com
(NBR ISO 14001) no respeito a sustentabilida-
de, o projeto leva em consideração a recicla- O vazamento de petróleo, seja de embarcações
gem de materiais descartados dando um novo ou estações em alto mar, é um fenômeno ex-
significado ao lixo, o objetivo deste trabalho tremamente danoso ao meio ambiente. Embora
é ajudar na diminuição dos impactos ambien- haja o controle durante a retirada e transpor-
tais, haja vista a grande quantidade de peças te do mesmo, corre-se riscos de acidentes. O
que vão para o lixo e apresentar uma forma primeiro acidente envolvendo o derramamen-
rentável de irrigação para pequenos produto- to de petróleo no Brasil ocorreu em 1975, por
res através de uma bomba de irrigação feita a conta de um problema em um navio cargueiro,
partir de peças recicladas. Para a construção da que custou ao meio ambiente sua contamina-
bomba foram utilizados materiais como: gar- ção com o total de 6 mil toneladas desse óleo.
rafas pet, mangueiras, fios de equipamentos Acidentes como esse, ocorrem com certa fre-
eletrônicos, hélices de ventiladores, estatores, quência. Com esses vazamentos, muitos danos
rotor de miniventilador, câmara de ar de ne- os acompanham, tanto para a natureza quanto
bulizador e transformador. O método utilizado para a economia do país e do mundo e sua re-
consistiu na busca pelas peças que foram des- moção representa um grande problema a ser
cartadas, montagem e acoplagem dos diferen- resolvido. Neste viés, apresentamos um projeto
tes itens e de testes com diferentes níveis de que utiliza a palha do milho que normalmente
energia de uma tensão inicial de 12 volts e 127 é descartada, rica em amido e celulose, e redes
volts, além dos testes vinculados aos níveis de de sisal, planta nativa do México, mas cultiva-
água variantes de 500 ml e 1 litro, obtendo a da em diversas regiões do mundo, inclusive
conclusão que a bomba de água teve melhor no Brasil, para a confecção de uma barreira de
desempenho quando posta a uma tensão de contenção de petróleo de origem natural. Par-
127 volts, que gerou força suficiente para o tindo da ideia e por meio da metodologia de
transporte de 1l de água em direção aos cactos engenharia, serão utilizadas cordas ou redes do
domésticos utilizados neste protótipo, haven- sisal para a confecção de trançados para aco-
do assim maior eficiência. Com esse trabalho modar a palha do milho, sendo essa estrutura
podemos constatar que a bomba de água é de tamanho e forma regulável, dependendo da
um equipamento viável de ser fazer e muito demanda, com base nos testes realizados em
importante, podendo ser utilizada em peque- laboratório em um ambiente de simulação. O
nas culturas domésticas e familiares como, por principal objetivo do projeto é impedir o óleo
exemplo, o cultivo de pequenas plantas orgâni- de se espalhar e causar danos maiores ao am-
cas e mais importante: pode ser feita com ma- biente, no entanto, seria de especial interesse
teriais recicláveis. se desenvolvermos uma forma de remover o
petróleo contido, através da adição de partícu-
Palavras-chave: Irrigação, sustentabilidade, re- las de ferro à substância para ser retirada com
ciclagem. imãs. Durante a realização de experiências em
laboratórios, será possível concluir se há a pos-
sibilidade de adicionarmos uma fivela ao siste-
ma, com o intuito de, além de cercar o petróleo,
concentrar o líquido em uma área menor, facili-
tando a sua remoção. A vantagem da estrutura
desenvolvida é sua origem vegetal, além dis-
so, o projeto proporciona uma utilidade para a
parte descartada do milho. Para nosso projeto, apenas as cascas da laranja cortadas em tiras
são esperados como resultados: a eficácia des- pequenas de forma que entrassem no balão, no
sa estrutura, se será possível sua reutilização entanto nenhum esperado pela equipe, ambos
ou reaproveitamento, a aprovação de diversas os testes não atingiram o objetivo de remover
empresas responsáveis pela extração de petró- o composto, já que vamos precisar para a uti-
leo como um método para a sua remoção, ten- lização do próprio para medir a quantidade de
do em mente sua origem natural, sustentável calorias produzidas depois de sua combustão
e igualmente eficaz às técnicas convencionais para sabermos se a combustão do próprio em
já utilizadas. Além disso, visamos o aprofunda- grandes quantidades poderá, se possível, gerar
mento da pesquisa para que possamos variar a uma significativa quantidade de energia, que
técnica e agregar outras substâncias que sejam possa ser utilizada para abastecer secundaria-
igualmente sustentáveis e baratas no procedi- mente uma cidade de pequeno porte, visto que
mento de contenção e remoção do petróleo. no interior são utilizadas uma grande quanti-
dade de frutas cítricas, tais como limão, laranja
Palavras-chave: Remoção, milho, petróleo. e tangerina. Ademais, é visto que o Limoneno
possa ser utilizado como fonte de combustível
para automóveis. Além da solução de alguns
EXP 06 problemas ambientais, o C10H16 seria uma
boa alternativa para melhor estímulo a recicla-
gem de alimentos, pois utiliza de cascas de fru-
ta como combustível. Outro ponto, é que com a
ANÁLISE COMPARATIVA chegada da bandeira vermelha na conta de luz
DO LIMONENO COMO pelo alto custo ao gerar eletricidade, o C10H16
BIOCOMBUSTIVEL é uma fonte que pode ser usada para combater
este custo.
Autores: Diogo Ferreira¹, Leonardo Baratto¹, Icaro Solla¹
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior¹ Palavras-chave: Inovador, ecológico, sustentável.
Instituição: ¹Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
Freitas, Bahia.
E-mails: diogoaxf02@gmail.com; jbugary@hotmail.com
EXP 07
No século 21 uma das maiores preocupações
do governo são os problemas ambientais, esse
problema tem uma grande ligação com a gera- ANÁLISE MICROBIOLÓGICA E
ção de energia, que se resume principalmente,
a fontes tradicionais como petróleo, carvão e QUALIDADE DA ÁGUA PARA
o gás naturais, que são altamente prejudicais CONSUMO HUMANO EM UMA
para o meio ambiente, por isso outras formas INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REDE
de energia alternativa veem surgindo e uma
PÚBLICA NA CIDADE DE ILHÉUS-BA
dessas é o uso de biocombustíveis, que basi-
camente utilizam de matéria orgânica para a Autores: Samuel Cardoso Cidade¹; Gabriel Nascimento dos
produção de combustível, nesse ponto que in- Santos²
serimos o Limoneno (C10H16) que é uma subs- Orientadores: Therezinha Vasconcelos Santos Brasil1;
tância química, orgânica, natural, pertencente Miríades Augusto da Silva2;
Luana Alves dos Santos2; Thiago da Silva Nascimento2
à família dos terpenos, classe dos monoterpe-
Instituições: ¹Colégio Estadual de Salobrinho; 2Universida-
nos, encontrada em frutas cítricas. Responsá- de Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Bahia
vel pelo cheiro que essas frutas apresentam, E-mails: samuelcidade12@outlook.com; gabrielflarj@
essa substância é obtida através da remoção outlook.com; tekavasconcelos74@gmail.com
do óleo essencial da laranja, limão e tangerina,
ao final de 3 tentativas utilizando três métodos A análise microbiológica da água é importan-
de destilação diferentes em cada uma, sendo te para verificar se a água está contaminada
essas, o método de destilação simples, método ou apropriada para consumo humano. A água
de destilação fracionada, e método de destila- contaminada está diretamente relacionada a
ção arraste de vapor, todos os resultados foram falta de saneamento básico, possíveis falhas na
diferentes, no entanto, nenhum esperado pela central de tratamento e distribuição da água ou
equipe, em ambos os testes foram utilizadas
a poluição ambiental. A contaminação pode ge- EXP 08
rar problemas à saúde como a transmissão de
parasitas que podem causar doenças como có-
AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DA
lera, hepatites, disenterias e até doenças mais
graves. Neste trabalho objetivamos observar a ADSORÇÃO DO DIÓXIDO DE
qualidade da água de uma instituição de ensino CARBONO PELO FILTRO COMPOSTO
na cidade de Ilhéus-BA. Para tanto, foram cole- DE MESOCARPO FIBROSO DO
tadas seis (6) amostras de água utilizada para
consumo humano, na instituição. Dessas amos-
COCOS NUCIFERA (L. Var. Nana)
tras, três (3) foram do bebedouro de pressão e Autoras: Alexia Ananda Santana Simões1, Lilian Fonseca
três (3) do bebedouro de água engarrafada. A dos Santos Divino1
metodologia aplicada ao trabalho foi a de co- Orientadores: Elbert Reis Dias1, Marcelo Barroso Barreto2
liformes totais e fecais em três etapas. Para a Instituições: 1Escola SESI Djalma Pessoa; 2Universidade
análise da água empregamos a técnica de tubos Católica de Salvador, Salvador, Bahia.

múltiplos. No primeiro teste, o presuntivo, onde E-mails: elbert.b@fieb.org.br; marcelo.barroso@fieb.org.br

utilizamos 2,0g de caldo lactosado diluído em


200mL de água destilada, inoculando 10mL da O coqueiro é uma planta perene com folhas
amostra em três tubos de ensaio contendo um monocotiledôneas da família Arecaceae (fa-
tubo de Durhan invertido. Os tubos foram leva- mília de palma). As palmeiras, umas partes de
dos à estufa a 35ºC por 48 horas. No primeiro revestimento da planta são de maior impor-
teste, identificamos a presença de organismos tância econômica em todo o mundo, como na
que fermentam a lactose produzindo gás, como produção de alimentos, decorações ambien-
o caso da Escherichia coli. No segundo teste, tais como também para o artesanato. A polpa
utilizamos 2,6g de Caldo Verde Brilhante (V.B), é usada como alimento e matéria-prima para
diluído em 200mL de água destilada. Coleta- numerosos produtos. As fibras do mesocarpo
mos dos tubos positivos 10mL da amostra e são usadas na indústria têxtil para fabricação
transferimos para o tubo com Caldo V.B e ar- de cordas, capachos, esteiras, estofados, entre
mazenamos na estufa a 25ºc por 24 horas. Por outros. Atualmente, o seu maior consumo está
fim, utilizamos o teste para identificação de parcialmente inserido nas praias e em regiões
E. coli e armazenamos a 38ºC por 24 horas. A típicas tropicais prejudicando diariamente o
análise dos dados foi processada no laboratório meio ambiente devido a sua grande exploração
de pesquisa e ensino da Universidade Estadual e pelo mal descarte do dejeto dos frutos. Em
de Santa Cruz, associada ao projeto de exten- relação a sua estrutura físico-química, o Cocos
são Rede Colaborativa no Ensino de Ciências: nucifera composto pelo mesocarpo fibroso, em
Universidade-Escola despertando vocações. espécie apresenta uma macromolécula como a
Após o processamento das amostras, foi confir- lignina, hábeis para reagir e adsorver o dióxido
mada a contaminação nas duas primeiras eta- de carbono, composto químico gasoso que vem
pas do teste onde dois tubos contendo material intensificar o efeito estufa. Assim, diante das
coletado do bebedouro deram positivas para discussões referentes ao aquecimento global
coliformes totais, também positiva para uma gerados pelas de fábricas, indústrias, e outras
amostra do bebedouro de água engarrafada. fontes emissoras que influenciam diretamente
Já no teste final foi descartada a presença de na temperatura do planeta. Em relação ao coco,
coliformes fecais nas amostras. Os resultados para um aproveitamento sustentável propomos
obtidos nos testes consideramos que a con- realizar uma avaliação adsortiva, onde no pri-
taminação pela presença de coliformes totais meiro Erlenmeyer (sistema A) foi adicionado
nas amostras pode ter influência direta com a o óxido de cálcio mais o ácido clorídrico. Em
central de distribuição ou no momento da co- seguida foi encaixado uma “cabeça’’ de desti-
leta. Sendo assim, concluímos que as amostras lação para se ligar (ao sistema B), uma vidra-
coletadas tiveram resultados positivos apenas ria contendo o mesocarpo do coco pulverizado
para coliformes totais e descartada a presença na mistura com 1 litro do álcool etílico mais o
de coliformes fecais. couve manteiga (Brassica oleracea). Já no outro
Erlenmeyer, (sistema C) foi formado o CaO (aq)
Palavras-chaves: Saneamento básico, Água po- + CO2 que gerou CaCO3(s) (carbonato de cálcio),
tável, Coliformes. resultante do processo de adsorção, mostrando
assim, a possibilidade adsortiva do mesocarpo
fibroso do Cocos Nucifera. Podendo ser utiliza- aumento na vida útil da bateria, diminuir a cor-
do primordialmente nas grandes e pequenas rosão da mesma e, consequentemente, diminuir
indústrias, que emitem gases poluentes no pla- o lixo eletrônico. Dois métodos serão utilizados
neta. para extração do grafeno: no primeiro uma fita
adesiva será utilizada para extração do grafeno
Palavras-chave: Dióxido de carbono, adsorção, por meio do grafite, utilizando a fita para remo-
mesocarpo. ver o grafite, as camadas de grafite ficarão cada
vez mais finas, até que se obtenha o grafeno. O
segundo método consiste na utilização de um
liquidificador, água e detergente, as partículas
EXP 09 de grafeno ficarão suspensas no meio da água,
essas partículas serão filtradas e ficarão secan-
BATERIA DE GRAFENO do. Após a realização dos dois métodos, uma
comparação será feita para ser observado qual
Autora: Maria Fernanda Nascimento Moraes¹
método apresenta um maior rendimento.
Orientadores: Márcio Lisboa Correia², Luciana Licínio²
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
Bahia. Palavras-chave: Grafeno, Baterias, Energia.
E-mails: marianandamoraes01@gmail.com; marcio.l.cor-
reia@gmail.com; lucianalicinio@yahoo.com.br

EXP 10
O grafeno é composto da mesma substância
que o diamante, o carvão e o grafite, mas se
difere por ser formado por uma folha plana de
BIOPLÁSTICO DA TANGERINA
átomos de carbonos arrumados de forma he- Autoras: Eduarda Lima Coutinho1, Maria Eduarda Santos
xagonal, formando uma camada monoatômica. de Menezes1
Apresenta grande importância pois possui óti- Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
mas propriedades físico-químicas, mecânicas, Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
térmicas, elétricas e ópticas, servindo para ser Freitas, Bahia.
E-mails: dudaasmenezes@gmail.com; coutinhoeduar-
usado nos mais diversos campos como no pro-
da2311@gmail.com; bugary@hotmail.com
cesso de dessalinização da água e na criação de
sensores. Por esse motivo, atrai a atenção dos
A utilização do bioplástico proveniente da cas-
cientistas e é conhecido como material maravi-
ca da tangerina para redução de problemas
lhoso. É considerado extremamente forte, leve,
ambientais. Com o passar dos anos, o lixo des-
flexível, ótimo condutor de eletricidade e qua-
pejado nos oceanos aumentou cada vez mais,
se totalmente transparente, podendo absorver
segundo o site Estadão, chegando a ser despe-
uma fração de 2,3% da luz. Existem diversas
jada uma quantidade de 25 milhões de tonela-
maneiras de obter o grafeno, entre elas a esfo-
das de lixo por ano, sendo que 8 milhões desse
liação mecânica, o crescimento epitaxial sobre
lixo é plástico. Este é um fato muito alarmante,
substrato de carbeto de silício (SiC), crescimen-
pois o plástico demora cerca de 450 anos para
to epitaxial por deposição química na fase va-
se decompor. Logo, isso vem comprometendo
por (CVD), redução química do óxido de grafite,
a fauna e flora marinha, podendo gerar e in-
esfoliação em fase líquida e desenrolamento de
tensificar problemas no futuro. Através de um
nanotubos de carbono. Pela grande capacidade
bioplástico proveniente da casca da tangerina,
de conduzir e armazenar energia, o grafeno é
um alimento muito consumido no Brasil, mas
uma opção viável para a criação de baterias.
que tem a casca extremamente desperdiça-
Além desses fatores, esse material também re-
da poderia reduzir os problemas ambientais
carrega mais rápido, levando mais tempo para
ocasionados pelo plástico. Com a morte de
descarregar e, por ser leve e fino, as baterias
diversos animais da fauna marinha, devido a
seriam mais leves que as tradicionais logo,
ingestão de plástico despejado no mar, como
mais fáceis de transportar. Com mais tempo de
a tartaruga que muitas vezes ingere pensando
funcionalidade, o número de baterias descar-
que é uma água-viva, além disso, a movimen-
tadas seria menor, diminuindo a produção de
tação em torno da proibição da utilização de
lixo dessa categoria. A criação das baterias pos-
canudos de plástico tradicional, isso acabou por
sibilitaria um estudo mais aprofundado sobre
nos motivar a estudar sobre um novo bioplásti-
o grafeno, além de, possivelmente, garantir um
co proveniente da casca da tangerina. Com esse Apesar da acessibilidade ser bastante discuti-
bioplástico iríamos reduzir o impacto no meio da e de possuirmos uma legislação bastante
ambiente, já que um plástico tradicional demo- abrangente, no Brasil, os cadeirantes ainda en-
ra cerca de 450 anos para se decompor e um frentam muitas dificuldades para se locomover
bioplástico proveniente de matérias orgânicas, em espaços públicos, necessitando do auxílio
como cascas de fruta, leva apenas 18 semanas de outras pessoas para frequentar ambientes
para se decompor. Dessa forma, através de da- como as praias, por exemplo. Sendo assim, é im-
dos presentes em uma pesquisa na Biblioteca portante que se desenvolva e aprimore equipa-
Eletrônica Científica Online Scielo, que avaliou mentos que possam facilitar a vida das pessoas
a composição centesimal e de minerais em cas- com deficiências. Por isso, esse trabalho teve
cas de frutas, percebemos que há um alto ín- como objetivo criar uma boia para auxiliar no
dice de carboidratos presente na casca da tan- acesso de cadeirantes ao banho de mar. Foram
gerina, mais especificamente 35,64g. Tornando realizadas buscas de referências bibliográficas
possíveis os estudos referentes ao bioplástico sobre o tema e observou-se que já existem al-
proveniente da casca da referida fruta, levando guns modelos de boias para cadeirantes dispo-
um curto período de tempo para decomposição, níveis no mercado. Foram então analisadas as
por ser uma matéria orgânica. Com esse estudo, especificações técnicas de alguns modelos de
esperamos reduzir o tempo necessário para a boias encontrados e construído um protótipo
degradação de um bioplástico, assim diminuin- do modelo proposto por esse projeto. Levando
do a quantidade de plástico nos oceanos, já que em consideração que a ideia é que o cadeirante
eles iriam se deteriorar com um curto período possa deslocar-se sozinho da areia até o mar,
de tempo. Além disso, se algum dos animais da foi idealizada uma estrutura que deslizasse so-
fauna marinha ingerisse, não iria causar tantos bre a areia, transportando o cadeirante do pon-
danos quanto um plástico tradicional e comum. to de apoio até o mar. A parte inferior da boia
Podendo melhorar significativamente os pro- será formada por um caiaque e a parte supe-
blemas no meio ambiente e que ocorrem ao rior disporá de um encosto para o cadeirante se
redor do mundo. sentir mais confortável e seguro. Esse encosto,
feito com flutuadores do tipo macarrão evitará
Palavras-chave: Bioplástico, tangerina, meio a queda do cadeirante e o risco de afogamen-
ambiente. to. Foi priorizado o uso de materiais de baixo
custo e a ressignificação de alguns objetos ou
equipamentos já existentes. Podemos concluir
EXP 11 que a implementação de novos equipamentos
e acessórios, como o proposto neste projeto,
poderá facilitar a vida dos cadeirantes na ida
BOIA CADEIRANTE à praia com mais frequência, possibilitando a
Autores: Carlos Henrique Queiroz Pena Filho1, Luca
estes mais opções de lazer e convívio social.
Brandão Guimarães1,
Marcela Versoza Martinez1, Matheus Matos de Mesquita1, Palavras-chave: Acessibilidade, boia, cadeirantes.
Valentina Guimarães Dantas1
Orientadora: Caroline Dóres Freitas1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. EXP 12
E-mails: chpena@gmail.com; mama.martinez073@gmail.
com; matheusmesquita.matos@gmail.com; valentinagdan- CANUDOS SUSTENTÁVEIS
tas032@gmail.com; carolinedfreitas@hotmail.com
Autores: Alecsandro da Silva Pinto1, Amanda Bueno
A acessibilidade é um tema que está em cres- Silva1, Julia Gimenez Lervolino1 Orientador: Jorge Bugary
cente discussão atualmente. Tornar acessível Teles Júnior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
significa possibilitar o acesso sem qualquer
Freitas, Bahia.
barreira ou empecilho. O acesso a lugares pú- E-mails: alecsandropinto25@gmail.com; amandabue-
blicos é direito de todo cidadão e a praia é um no2001@gmail.com; jgimenezi@yahoo.com; jbugary@
importante espaço de lazer em várias cidades hotmail.com
brasileiras, onde uma das principais atividades
é o banho de mar. Contudo, muitos cadeirantes Partindo do preceito que para mudarmos o
ainda enfrentam dificuldades para acessar lu- mundo temos que começar em nossas residên-
gares públicos devido à falta de infraestrutura. cias, o presente projeto sustentável tem como
fundamento um mundo mais verde e que te- Atualmente no Brasil há 13 milhões de pessoas
nhamos ainda a esperança de salvar o seu com diabetes, aproximadamente 7% da popula-
futuro. A ideia base seria a elaboração de um ção. Além disso existem várias pesquisas que
canudo sustentável a partir de plástico produ- tentam amenizar esses efeitos da diabetes. A
zido através do amido de milho para que se planta Bauhinia forficata é conhecida popular-
tornasse mais sustentável o descarte do mate- mente como pata-de-vaca é uma espécie ar-
rial. Visto que os canudos plásticos derivados bórea que pertence à família Fabaceae. O qual
do petróleo têm sido um grande problema e compreende aproximadamente 300 espécies,
empecilho na vida marinha. Entretanto alguns bastante utilizada na medicina atual na ativida-
fatores merecem devida atenção, bem como a de hipoglicemiante, além de ser muito utilizada
biossegurança desses canudos e o uso de subs- no mercado farmacêutico em uma grande va-
tâncias orgânicas hipoalergênicas. Tivemos riedade de chás. Nesta perspectiva, este traba-
oportunidade de examinar e explorar os mate- lho visa analisar as propriedades medicinais da
riais e os fundamentos do nosso projeto para planta Bauhinia forficata, além de aprofundar
execução do plástico através de experiências os conhecimentos sobre a planta e procurar
do desenvolvimento do mesmo no laboratório. outras utilidades. Em síntese, esta pesquisa ao
Assim, alinhando os ingredientes da forma do analisar as propriedades medicinais da Bauhi-
plástico de amido para que obtenhamos a con- nia forficata, procura encontrar em suas pro-
sistência perfeita. Vale ressaltar, que o devido priedades naturais novas utilidades medicinais
respeito e atenção a Bioética, não foram utiliza- além da diabetes, será feita também uma pes-
dos animais nem humanos na pesquisa. Sobre quisa e análise das capsulas de insulina vegetal.
os fatos supracitados buscamos desenvolver o Com o intuito de se aprofundar nos conheci-
canudo a partir da premissa do plástico de ami- mentos sobre a planta e suas outras funções,
do a fim de substituir substâncias químicas po- levando a uma melhor compreensão dos bene-
tencialmente agressivas ao meio ambiente por fícios ainda pouco explorados desta planta. Ao
substâncias orgânicas hipoalergênicas dando a entender a necessidade das plantas no cuidado
devida atenção à bioética e economia aliado da população de baixa renda, assim como o co-
aos desejos de uma sociedade mais sustentá- nhecimento que diversos estudos que tiveram
vel seguindo os ideais da ecologia. Em nossos origem no senso comum, a pesquisa busca ter
testes utilizamos como base o amido de milho uma releitura de um estudo bibliográfico já
e o misturamos com vinagre, glicerina, glucose, feito, na tentativa de novas utilizações de uma
água e corante alimentício para desenvolver um mesma planta possa vim a auxiliar na cura de
plástico sustentável e após o teste ser feito pela novas doenças. O presente projeto possui como
2° vez chegamos à receita ideal para tal proje- meta ajudar a compreender a planta, as utili-
to. Feito isso começamos os testes do molde do dades dela em diversas situações diferentes,
canudo propriamente dito e esperamos que o apresentar como as novas utilidades descritas
mesmo seja acessível para todas as idades. para ela pode auxiliar em algumas doenças ou
apenas sintomas, para isso, foi estudado sobre
Palavras-chave: Sustentabilidade, canudos, as características da planta, suas utilidades já
conscientização. descobertas, sua composição por meio de revi-
sões bibliográficas e elaborou-se uma proposta
de produção da insulina vegetal encapsulada
EXP 13 com maior perspectiva de tratamento da dia-
betes, já elaborada para a demonstração pelo
presente projeto.
CÁPSULA DE INSULINA:
BAUHINKA FORFICATA NO Palavras-chave: Diabetes, insulina, cápsula.
COMBATE A DIABETES
Autores: Juan Pedro Reis1, Ygor Silva Nogueira Guima-
rães1
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
Freitas, Bahia.
E-mails: ygorguimaraes06@gmail.com; juan.pe-
dro123456@hotmail.com; jbugary@hotmail.com
EXP 14 de solda. Com esse projeto podemos carregar
aparelhos eletrônicos em qualquer lugar e em
qualquer momento, através da conversão da
CARREGADOR CINÉTICO
energia cinética em energia elétrica. Através
Autor: Guilherme Gonçalves de Britto1 dele, será possível carregar aparelhos como ce-
Orientador/a: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1 lular e diversos gadgets.
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
Bahia.
Palavras-chave: Energia, Carregador, USB.
E-mails: guilhermebritto497@gmail.com; marcio.l.correia@
gmail.com; lucianalicinio@yahoo.com.br

A energia elétrica é muito importante para o EXP 15


cotidiano, pois com ela podemos fazer diversas
atividades como utilizar eletrodomésticos ou COMO ECONOMIZAR ENERGIA
simplesmente carregar um celular. Na história, ELÉTRICA NO AMBIENTE
Michael Faraday foi o inventor do primeiro ge-
rador elétrico que ficou conhecido como dína-
DOMÉSTICO
mo. O dínamo é utilizado em usinas de geração Autor: Guilherme Soares Cerqueira Chabi¹
de energia, especialmente nas usinas hidrelétri- Orientador: Marcus Vinicius Fraga Lobo²
cas e eólicas, sendo que no Brasil, o consumo de Instituições: ¹Centro Educacional Maria Milza, ²Faculdade
energia por fontes renováveis equivale a 41,3% Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia.
do total consumido. O objetivo desse trabalho é E-mails: guisoares18@hotmail.com; lobomarcus@outlook.

a confecção de um carregador portátil que seja com

capaz de carregar aparelhos com conector USB.


Ele pode ser comparado a um Power Bank, mas No Brasil, o consumo total de energia elétrica
diferentemente dele o carregador cinético não tem se tornado cada vez maior, tanto em função
precisará ser conectado a uma tomada em ne- do crescimento econômico, o que leva a cria-
nhum momento e possui um custo de produção ção de novas indústrias, quanto em relação ao
menor em comparado a grande maioria dos Po- crescimento populacional, que significa novas
wer Banks que se encontram no mercado, além ligações para o fornecimento doméstico. Países
de ter um menor impacto ambiental quando em desenvolvimento, como o Brasil, tem a taxa
comparado aos outros carregadores disponí- de crescimento da demanda por energia maior
veis, visto que em momento algum este car- que a taxa de crescimento do Produto Interno
regador precisará ser recarregado já que toda Bruto (PIB). Estima-se que uma pessoa consome
energia gerada é proveniente da energia cinéti- em média 136,42 kWh de energia elétrica dia-
ca fornecida pelo usuário, minimizando o gasto riamente, além da demanda de energia utilizada
com a energia elétrica que é produzida através de forma irregular, através de ligações clandes-
das usinas hidrelétricas em sua maioria. Para tinas. Entretanto, ao mesmo tempo em que essa
que isso seja possível é necessária à geração de demanda cresce, há um desperdício de energia
uma corrente elétrica continua com a mínima que gera perdas bilionárias. Entre 2013 e 2016,
tensão de cinco volts e um ampere. Para a mon- o Brasil desperdiçou 143.647 GWh de energia,
tagem desse carregador, serão utilizados dois significando uma perda de 61,71 bilhões, valor
capacitores eletrolíticos de 220µF e um capaci- maior que o PIB dos 12 estados com menor PIB
tor de cerâmica de 0,1µF. Uma ponte retificado- no país. Em 2016, o desperdício causado im-
ra, um regulador de tensão de 5v, um conector pediu que o Brasil economizasse 20,40 bilhões
USB fêmea, um ferro de solda, um motor 12v de reais no setor de geração e distribuição de
e um sistema de engrenagens. Para começar, o energia elétrica, o que torna uma necessidade
motor será conectado a ponte retificadora que imperativa a implantação de novas usinas ge-
estará conectada a dois capacitores de 220µF radoras de eletricidade para suprir a demanda
ligados em paralelo. Ligado a esses capacitores, atual e preventiva, para os próximos 30 anos.
estará o regulador de tensão de 5v que também Diante do exposto, o objetivo desse trabalho é
estará conectado a um capacitor de cerâmica construir uma maquete evidenciando apenas os
de 0,1µF e, por fim, esse estará ligado a um dispositivos elétricos de maior potência, exis-
conector USB fêmea. Ao terminar a realização tentes numa residência, tais como: chuveiro elé-
das conexões, estas serão soldadas com o ferro trico, ferro de passar roupas, máquina de lavar
roupas e ar-condicionado, além de desenvolver
uma cartilha com orientações para as famílias trocar informações. Posteriormente, o protoco-
colocarem em prática ações para economizar. lo MIDI passou a ser a base de toda a música
Para esse estudo será feita uma revisão acer- que consumimos, por conta das possibilidades
ca das pesquisas relacionadas com o tema. de controlar softwares externamente, compor
Para isto, as plataformas de banco de dados, melodias e harmonias através do computador e
Scielo e o Google Acadêmico serão utilizadas manipular samples de forma prática. O objetivo
para realizar a pesquisa proposta, onde serão deste trabalho é demostrar como a tecnologia
selecionados pelo menos 20 trabalhos alinha- MIDI funciona, de forma prática e lúdica, assim
dos com o tema proposto. Com isso, será feita como mostrar a importância dessa tecnologia e
uma análise bibliométrica fundamentada nos sua presença na sociedade que vivemos, uma
bancos de dados. Com essa análise de dados, vez que a indústria musical tem um altíssimo
será construída uma cartilha onde estarão des- índice de consumo diário em todo mundo,
critas as melhores condutas e ações de forma graças a esta tecnologia. Para construir nosso
acessível para que, até mesmo as pessoas lei- experimento utilizamos frutas, uma placa de
gas compreendam e possam ser capazes de prototipagem Makey Makey, cabos tipo jacaré
praticar tais ações. Assim, espera-se alcançar e tipo pino, para conexões. Além destes ma-
uma melhor conscientização da sociedade na teriais também utilizamos o software Live, da
utilização econômica e sustentável dos seus Ableton, como Digital Audio Workspace (DAW)
eletrodomésticos. para receber as informações dos eventos MIDI
gerados. Através deste experimento iremos si-
Palavras-chave: Energia elétrica, Aparelhos mular como funciona uma controladora MIDI,
elétricos, Economia. criando beats e tocando instrumentos virtuais
através das frutas, além de demonstrar a cons-
trução de um equipamento MIDI de baixo custo
EXP 16 e com alto nível de eficiência.

Palavras-chave: MIDI, música, controladora,


CONTROLADORA DE FRUTAS MIDI DAW, Produção musical.
Autoras: Natielle Oliveira Souza Barbosa¹, Maria Eduarda
Santos dos Santos¹
Orientador: Helson Lucas da Silva Santos² EXP 17
Instituições: Colégio Ana Tereza¹, Universidade Federal da
Bahia², Salvador, Bahia.
E-mails: helson@anaterezavirtual.com CRIAÇÃO DE REPELENTE A PARTIR
DE PRODUTOS NATURAIS
O protocolo MIDI, sigla do inglês music instru-
ment digital interface, é uma das principais Autoras: Gabriele Santos Pinheiro1, Ana Paula Santos
ferramentas para a produção musical no geral. Pinheiro1, Gabriela Santos Galiza1, Graziela Pereira
Santana2
Este conjunto de informações e comandos, cria-
Orientadoras: Allena Lyra Araújo1, Rosana Lopes Lima
do por volta dos anos 80, possibilita a conver- Fialho2
são de ações físicas relacionada à performance Instituições: 1Colégio Estadual Evaristo da Veiga; 2Uni-
instrumental, como por exemplo tocar num te- versidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
clado, em informações digitais que, após pro- E-mails: gabrielle.pinheiro@aluno.enova.educacao.ba.gov.
br
cessada por softwares específicos, podem ser
ana.pinheiro7@aluno.enova.educacao.ba.gov.br; gabrie-
editadas. Dessa forma, ao tocar num teclado lagaliza04@gmail.com; grazielapsantana3@gmail.com;
que possua esse protocolo pode-se aplicar um allenaprof@gmail.com; rosanafialho@ufba.br
timbre diferenciado, criado pelo próprio músico
através de sintetizadores ou outro já existente, A cidade de Salvador apresenta uma grande
como um violino. Com os grandes avanços tec- tendência para proliferação de mosquitos, de-
nológicos e o grande crescimento da indústria vido principalmente às suas condições climáti-
musical, houve a necessidade de padronizar a cas características. Por esta razão, o repelente
linguagem eletrônica musical. Para isso o fun- é visto como uma opção para proteção contra
dador da Roland, Ikutaro Kakehashi, idealizou picadas incômodas e/ou como prevenção de
a construção desta linguagem para que todos doenças transmitidas por mosquitos, como por
os hardwares pudessem interagir entre si e exemplo, a dengue. O presente projeto visa à
criação de um repelente feito com produtos EXP 18
naturais e à análise de seu desempenho, esta
tendo sido feita a partir de testes de eficiência
DA BOTÂNICA AOS
e também a partir da comparação com outros
dois repelentes industriais presentes no mer- FITOCOSMÉTICOS: PRODUÇÃO DE
cado. Como primeiro passo para o desenvol- COSMÉTICOS A BASE DE PLANTAS
vimento do produto, foram feitas pesquisas e
foram selecionadas plantas que reconhecida- Autoras: Graziele Alves L. dos Santos1, Júlia dos Santos
Barros1, Amanda Jesus B. dos Santos1, Sofia dos Santos
mente possuem ativos específicos com proprie-
Barros1, Caroline Vasconcelos Fernandes2
dades repelentes. A partir daí, o ativo foi ex- Orientadoras: Rosana Dantas1, Elaine C. M. Cabral Albu-
traído utilizando dois métodos distintos, a fim querque2
de se determinar qual seria o mais eficiente: o Instituições: 1Colégio Estadual Henriqueta Martins Ca-
simplificado, no qual a água e o álcool foram tharino, Salvador, Bahia; 2Universidade Federal da Bahia,
utilizados como solventes, e o mais complexo, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Industrial
(PEI), Salvador, Bahia.
na qual a extração foi realizada por meio do
E-mails: grazieli.santos5@aluno.enova.educacao.ba.gov.br;
Sohxlet, extrator presente em laboratórios. O julia.barros7@aluno.enova.educacao.ba.gov.br; amanda.
próximo passo foi a preparação do repelente santos66@aluno.enova.educacao.ba.gov.br; sofia.barros@
propriamente dito, feito a partir do ativo ex- aluno.enova.educacao.ba.gov.br; carolinefernandes.eq@
traído na etapa anterior, além dos testes de gmail.com; rosanadantasss@bol.com.br; elaine.cabralalbu-
eficiência do mesmo e uma comparação com querque@gmail.com
os dois repelentes comerciais. Concluiu-se que
o método simplificado utilizando a água como Sabe-se que além dos vários benefícios que as
solvente foi o menos eficaz na extração, en- plantas podem trazer na área da saúde através
quanto o método mais complexo utilizando o das suas propriedades curativas e medicinais,
Sohxlet obteve os melhores resultados. Além as mesmas são excelentes aliadas à beleza. Isso
disso, apesar da produção do repelente ter sido porque, muitas das espécies vegetais apresen-
bem-sucedida e cumprido seu objetivo, os re- tam importantes características e funções com-
pelentes presentes no mercado apresentaram provadas pela indústria cosmética. As plantas
uma eficácia superior, indicando que estes pos- fornecem os ingredientes utilizados de forma
suem uma tecnologia mais avançada em sua direta ou indireta na formulação dos cosméti-
fabricação. cos, como por exemplo, os óleos essenciais, de
onde derivam-se diversos tipos de essências
Palavras-chave: Repelente, produtos naturais, conhecidas comercialmente. Nessa perspectiva,
mosquitos. o objetivo desse trabalho propõe a produção
de fitocosmético, a partir da extração de óleos
Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro- essenciais de plantas e encapsulamento por um
jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da- copolímero natural. O experimento emprega o
dos: Formação com Base na Experimentação método de extração utilizando solventes orgâ-
(também conhecido por Meninas na Ciência de nicos comuns e de fácil acesso, a saber etanol
Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado e acetona. Além disso, utiliza a quitosana como
no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coorde- base para incorporação do bioativos orgânicos,
nado pela UFBA e desenvolvido em parceria visto que é oriunda em sua grande parte dos
com cinco escolas públicas (Henriqueta Martins resíduos de crustáceos, logo de fácil obtenção.
Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga, Ao final deste trabalho foi possível obter o fito
Ypiranga e Mário Costa Neto) e com outras uni- cosmético, compreendendo a origem de suas
versidades. É apoiado pelo Grupo de Pesquisa principais propriedades bem como as etapas
Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e outras ins- básicas para sua elaboração e, vivenciar na
tituições de ensino e pesquisa. prática a produção de produtos tão recorrentes
no dia a dia.

Palavras-chave: Fito cosmético, extração, qui-


tosana.

Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro-


jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da-
dos: Formação com Base na Experimentação apetite, ficam ofegantes e relutantes para pas-
(também conhecido por Meninas na Ciência de sear. O objetivo desse trabalho é apresentar um
Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado modelo que possibilite o caminhar de animais
no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coordena- que apresentam problemas de coluna quando
do pela UFBA e desenvolvido em parceria com passeiam com seus donos. Para tanto, foram
cinco escolas públicas (Henriqueta Matthins feitas pesquisas e leituras em artigos e sites e
Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga, para a preparação do suporte foi usado: jeans
Ypiranga e Mário Costa Neto) e com outras uni- para fazer o suporte e as alças, carrapicho e
versidades. É apoiado pelo Grupo de Pesquisa máquina de costura. O suporte já existe, porém
Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e outras ins- o que está sendo apresentado foi feito de for-
tituições de ensino e pesquisa. ma básica e barata. Este suporte também foi
feito para cachorros que tenham suas costas
longas. O suporte auxilia o passo destes pets,
EXP 19 pois por conta do trauma na coluna, eles podem
diminuir ou perder seus movimentos. Para au-
xiliar o pet tudo que é preciso fazer é erguê-lo
DACHS FISIO de modo que não carregue seu próprio peso em
Autora: Nayara Macedo Machado1
100%, porém não tire o animal do chão, pois
Orientadora: Isa Malena Góes Cerdeira1 esse material também pode auxiliar na fisio-
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Salva- terapia em casa para esses animais. Conclui-se
dor, Bahia que com esse modelo que os animais que te-
E-mails: nayaramacedosantiago@gmail.com; isamalena@ nham problemas de coluna e articulações pos-
hotmail.com sam ter conforto ao caminhar com seus donos.

A medicina veterinária e a fisioterapia são áreas Palavras-chave: Fisioterapia veterinária, Doen-


das Ciências da Saúde. A medicina veterinária ças de coluna e Doenças articulares.
dedica-se à prevenção, controle, erradicação e
tratamento das doenças entre outros agravos à
saúde dos animais. Existe a área de fisioterapia
veterinária que está relacionado com a recu-
EXP 20
peração dos movimentos com a utilização de
exercícios e massagens específicas, com ou sem DESABAMENTOS DE BARRAGENS
equipamentos. Os traumas musculares e esque-
Autores: Alice Sturaro1, Bernardo Leal1, Marina Santos1,
léticos podem ser tratados através da fisiote-
Miguel Valente1
rapia. Dentre os animais domésticos os cães e Orientadora: Ana Claudia Sokolonski1
gatos estão propensos a sentir dores diversas Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia
que podem ser tratados de forma adequada. E-mails:alicesturaro@gmail.com; julianapaleal@gmail.com;
Esse tratamento pode controlar a dor e evitar marcelolessa73@gmail.com; julipinho@hotmail.com
que o quadro se agrave, a ponto de o animal
ficar paralisado. Cachorros, geralmente aqueles No Brasil existem 24 mil barragens, destas 663
de grande porte, podem apresentar complica- são de contenção de rejeitos de mineração e
ções por dor na coluna em relação aos gatos, 295 de resíduos industriais. A construção des-
devido a sua intensa atividade. O Dachshund é tas barragens de forma inadequada ou buscan-
uma das raças mais propensas a ter problemas, do gastar pouco, está resultando em desaba-
por conta do formato alongado da coluna e per- mentos e, consequente, mortes de pessoas. Só
nas curtas que pode causar tensões quando o em 2018, houve 77 rompimentos de barragens
animal desce e sobe nos diversos locais. Devido no Brasil, embora poucas tenham tido reper-
ao alto risco que o Dachshund tem de sofrer cussão nacional. Diante de tantos desastres, os
lesões nas costas, é importante saber identifi- perguntamos o motivo destes desabamentos
car se ele possui problemas e saber como tra- e, principalmente, o motivo de tantas mortes,
tá-los. Os principais fatores causadores de dor sem que haja um plano de evacuação, ou mes-
de coluna nesses animais são: envelhecimento, mo, tempo para esta evacuação. A pesquisa
obesidade, traumas e má formação genética. Os realizada pelo grupo tem o intuito de alertar
pets quando estão doentes ficam mais quietos, a sociedade sobre possíveis desabamentos e
evitam movimentos de impacto, têm menos quais as áreas mais seguras para a construção
dessas barragens. Vamos contribuir com estu- os dedos liberam substâncias químicas como
do para a identificação e características sobre óleos, cloretos de sódio e ácidos graxos. O ob-
os tipos de barragens, as possíveis proteções jetivo do trabalho é demonstrar como podemos
que a sociedade pode tomar e onde é possí- encontrar digitais nos objetos. Para tanto, foi
vel fazer construções no qual a população não utilizado tiras de papel, tubo de ensaio, pe-
seja vítima caso haja algum desabamento. Pes- gador, lamparina, iodo e fósforo. Foi aquecido
quisamos muito sobre o tema e conversamos iodo líquido em um tudo de ensaio e colocado
com engenheiros de barragens, segundo estes a frente deste uma tira de papel com a digital.
profissionais, as barragens que tiveram o de- O iodo ao ser aquecido libera vapores que sai
sabamento mais repercutido no país usavam o do tubo de ensaio e mancha o papel após 30
método de alteamento a montante no qual a segundos. Na tira de papel aparece, exatamen-
barreira de contenção recebe camadas do pró- te desenhado pelo iodo as digitais deixadas no
prio material do rejeito da mineração. Eles ci- mesmo, com a coloração marrom escuro. O iodo
tam que este tipo de barragem é a forma mais é uma substância que tem afinidade pelo lipí-
comum porque é mais barata para se construir dio (óleos e ácidos graxos) que são liberados
e mais rápida de se licenciar porque ocupa me- pelos dedos que deixam essas marcas no papel
nos espaço da bacia hidrográfica. Mas, é tam- e o iodo identifica essas marcas. Conclui-se que
bém a mais perigosa e com o maior risco. Para a identificação de digitais pode ser realizada
ilustrar o tipo de barragem que, após nossos por métodos rápidos e fáceis.
estudos, consideramos mais segura, fizemos
uma maquete. Concluímos que o ideal para as Palavras-chave: Impressões Digitais, Química
empresas é utilização de outros métodos para Forense, Identificação.
a eliminação e contenção de rejeitos. Mas, em
sendo necessária a barragem, os métodos de Financiamento: CNPq.
construção precisam ser os mais seguros, não
o mais barato. Além disso, é necessário que se
tenha fiscalização constante e treinamento da EXP 22
população próxima às barragens para evacua-
ção, para que possamos evitar ou minimizar
acidentes de grandes proporções.
DESVENDANDO O SUOR
Palavras-chave: Barragens, segurança, mortes. Autoras: Ana Luiza Cerqueira Cavalcante1, Raphaely
Karolayne Silva Santos1
Orientadora: Isa Malena Góes Cerdeira1
EXP 21 Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Salva-
dor, Bahia.
E-mails: analuizacavalcante558@gmail.com; raphaelysilva-
DESVENDANDO CRIMES santos@gmail.com;
isamalena@hotmail.com
Autores: Raissa Gonçalves Silva Freitas1, Sara Rodrigues
dos Santos1 A medicina é uma das muitas áreas de conhe-
Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo2
cimento ligada a prevenção e tratamento de
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, 1,2Vi-
gilância em Saúde Ambiental/DVIS/SMS/PMS, Salvador, doenças, visando a manutenção e restaura-
Bahia. ção da saúde. Dentre as subáreas da medici-
E-mails: raissafreitaslove12@gmail.com; sararodrigues@ na estão a dermatologia que atua nas afecções
gmail.com; brosemar@gmail.com relacionadas à pele, pelos, mucosas, cabelo e
unhas, enquanto a endocrinologia atua no fun-
Uma das formas mais práticas de identificar cionamento das glândulas e das doenças que
pessoas é permitir acesso a determinadas in- as afetam. Entre as doenças tratadas pelas
formações e descobrir os responsáveis por duas especialidades está a hiperidrose que é a
cometer crimes são as marcas das digitais das produção excessiva de suor. O suor, do latino
mãos. Elas são únicas para cada pessoa e são sudore, às vezes também chamado de trans-
utilizadas na técnica forense. Nos locais que piração é a eliminação de líquido constituído,
são tocados pelas pessoas são encontradas principalmente, de cloreto de sódio e ureia em
marcas digitais que podem identificar, no caso solução que é secretado pelas glândulas sudo-
de crimes, os possíveis culpados. Quando os ríparas localizada na pele. O objetivo principal
humanos tocam diversos locais com as mãos, é demonstrar a presença dos cloretos no suor.
Inicialmente foram feitas pesquisas e leituras a neoplasia antes de sua manifestação para
em livros, sites, apostilas e revistas específi- disponibilizar um possível tratamento menos
cas. Os materiais utilizados foram: microscópio, agressivo e mais eficaz, como autotransplante
lâmina de vidro, saco plástico, elástico, papel com células placentárias, do cordão umbilical
filtro e azul de metileno. Primeiro deve-se la- ou do próprio recém-nascido, devido à efi-
var e secar bem as mãos, depois envolve uma ciência das células progenitoras, descartando a
delas em um saco plástico e prende a abertura necessidade de agredir o organismo com o tra-
do plástico com elástico. Em seguida, deve-se tamento quimioterápico que tem caráter agres-
mover a mão durante 5 minutos, para estimular sivo por causar um genocídio celular, sem curar
a transpiração. Retira-se a mão do saco e cole- a doença, que por si só já agride o corpo inten-
ta-se o suor com uma lâmina e coloca-se uma samente, apesar de ser lenta. Para demonstrar
ou duas gotas de azul de metileno e aguarda a ação na membrana celular, o projeto realizou
alguns segundos, depois retira-se o excesso de uma demonstração lúdica para uma melhor
azul de metileno com o papel filtro e espera visualização da proteína-M, desta forma foi
que a lâmina fique completamente seca para a realizada uma construção de um protótipo do
observação no microscópio. O resultado obtido tecido hematopoiético da medula óssea, onde a
foi a visualização de cristais corados de vio- proteína monoclonal foi identificada, utilizando
leta. Esses cristais são de cloreto de sódio e o ovos, fluoresceína sódica e luz negra. A fluo-
que possibilitou a identificação dos cristais foi resceína foi injetada em alguns dos ovos, os
o azul de metileno. O suor é um mecanismo que quais reagirão à luz negra emitindo um brilho
auxilia no equilíbrio da temperatura do corpo e fluorescente, simulando a identificação dos po-
em geral apresenta grande quantidade de água, lipeptídios desejados. Essa simulação auxiliará
mesmo assim, devido à presença da ureia pode ainda em planos futuros para identificar os
facilitar o aparecimento de odores desagradá- biomarcadores das células neoplásicas a nível
veis no corpo. Conclui-se que o trabalho pode extra citoplasmático permitindo a produção de
ajudar as pessoas reconhecerem a presença de uma substância que seja específica para as cé-
cloreto de sódio no suor. lulas doentes. Em conjunto, as duas pesquisas
visam chegar o mais perto possível de erradi-
Palavras-chave: Dermatologista, Suor, Hiperi- car e adormecer o câncer, já que este reduz a
drose. qualidade de vida do indivíduo.

Palavras-chave: Mieloma Múltiplo (MM), diag-


EXP 23 nóstico, neoplasia, células.

DIAGNÓSTICO DO MIELOMA EXP 24


MÚLTIPLO ATRAVÉS DO TESTE DO
ECO REGULADOR
PEZINHO
Autores: Isadora Cardoso1, Henrique Monteiro1, João
Bento1, Maria Eduarda Marques1 Orientadora: Juliana
Autora: Beatriz Rodrigues Fernandez1 Abenhusen1
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de E-mails: arqueiracraftvip@gmail.com; jbcarqueija@gmail.com;
Freitas, Bahia. dudacmarques2007@gmail.com; juliana@anglobra.com.br
E-mails: bia.r.fernandez@hotmail.com; jbugary@hotmail.com

Normalmente os chuveiros que funcionam por


A pesquisa objetiva realizar revisão da litera- meio de gás e eletricidade consomem muita
tura sobre uso de testes neonatais, acrescen- água, já que não esquentam rapidamente, ne-
tando assim o diagnóstico do mieloma múltiplo, cessitando que o consumidor adeque a uma
propondo a adição da eletroforese de proteína temperatura agradável. E, desejando conforto,
monoclonal (proteína-M) na Triagem Neonatal, ficamos, muitas vezes tomando banho de modo
o Teste do Pezinho. Não seriam realizados tes- demorado, ou seja, por longo tempo. Esse hábi-
tes em seres humanos, apenas o procedimen- to causa muitos problemas para a natureza e
to normal do Teste do Pezinho, porém com o para nós, humanos. Nesse sentido calculamos
acréscimo da eletroforese em questão. Como (e conferimos com alguém mais experiente),
resultado do projeto, se espera diagnosticar
que em uma semana uma família de quatro lativas às fibras ópticas usadas para conectar
pessoas consome, em média, cerca de 3.600 as pessoas de todo o mundo por meio da inter-
litros de água, considerando que os integrantes net. As redes de comunicação que resultam daí
desta família tomam banho três vezes ao dia podem levar a um maior intercâmbio cultural,
e cometem desperdícios, à medida que tentam e a mais justiça, responsabilidade e paz.” Por
regular a temperatura da água. O projeto tem outro lado, o Objetivo 7 de Desenvolvimento
como objetivo contribuir para a economia de Sustentável da ONU diz: “assegurar o acesso
água, durante o banho e ampliar as formas de confiável, sustentável, moderno e a preço aces-
consumo consciente desse bem tão valioso. Ob- sível à energia para todos”. A energia elétrica
jetivando amenizar esse consumo inadequado utilizada no mundo é obtida principalmente de
da água e para evitar prejuízos ao meio am- fontes não renováveis e altamente poluentes,
biente, foi idealizado um aplicativo que ajudará até 2030 deverá haver a transição de fonte de
a regular a temperatura da água antes do ba- energia poluente e não renovável para fonte de
nho, para que não haja desperdícios. Para isso, energia renovável e limpa com atenção a po-
algumas informações importantes serão dispo- pulação e países de maior vulnerabilidade. O
nibilizadas para alertar e informar sobre con- consumo de energia elétrica está cada vez mais
sumo exagerado, reutilização da água, além da cara onerando o bolso das famílias. Pensando
quantidade gasta, no banho, tendo como refe- na importância da energia elétrica na vida das
rência o período de uma semana e, também, no pessoas e na preservação do meio ambien-
mês. O App também informará ao consumidor te o projeto “Energia limpa e acessível” traz
um gráfico para que esse acompanhe melhor a energia solar como alternativa de obtenção
o resultado do consumo. Para isso, foi desen- de energia elétrica de baixo custo e sustentá-
volvido um protótipo, com adaptações para os vel sem agredir o meio ambiente. A construção
diferentes tipos de chuveiros. O protótipo foi de um protótipo de captação de energia solar
construído com peças LEGO. Esse projeto tem fotovoltaica de forma econômica, a princípio o
como resultado informar e promover reflexão tamanho da placa produz em torno de 2 volts,
das pessoas sobre os seus gastos e desperdí- energia que através de experimentos foi usada
cios, como também favorecerá a redução do em objetos de consumo de baixa corrente como
desperdício de água. relógios e calculadoras. O material usado foi de
baixo custo, placas de LED de TV usada, pape-
Palavras-chave: Chuveiro, economia, aplicativo. lão, papel alumínio, capacitor e fios de cobre.
Foi concluído através dos testes que é possível
a utilização dos raios solares na produção de
EXP 25 energia.

Palavras-chave: Fontes de energia renovável,


ENERGIA LIMPA E ACESSÍVEL luz solar, custo, benefício.
Autoras: Rebeca Celina Lacerda Conceição1, Aretha Morais
de Oliveira Rodrigues1,
Natalia Santos de Jesus1 EXP 26
Orientadoras: Cristianne Braga Gibaut1, Edna Sousa
Matos1
Instituição: 1Centro Educacional Colinas de Pituaçu, ENGENHARIA COM PAPEL
Salvador, Bahia.
E-mails: lidilacerda2009@gmail.com, aretharodrigues11@ Autor: Gabriel Pinheiro Marques1
gmail.com, ivone@disktok.com.br, crisgibaut@hotmail.com, Orientadores: Marcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1
ednasousamatos@gmail.com Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
Bahia.
E-mails: pinheiroo.gabriel@gmail.com; marcio.l.correia@
No Dia Internacional da Luz, 16 de maio, Au-
gmail.com; lucianalicinio@yahoo.com.br
drey Azoulay a chefe da UNESCO, em mensa-
gem, expôs a importância da luz na vida das
pessoas, com viés para a energia elétrica. “De No Brasil, apenas 32,2% de todos os municípios
importância particular são as questões que en- descartam de maneira adequada o lixo sólido.
volvem o acesso à luz elétrica, como um meio O descarte errado do lixo pode ocasionar sérios
de melhorar o padrão de vida em países em problemas para a saúde devido a disseminação
desenvolvimento, assim como as questões re- de várias doenças contagiosas. O objetivo deste
trabalho é reutilizar de forma diferente o papel à uma bobina circular de material condutor,
a fim de fazê-lo aguentar mais peso, isso pode sem nenhum contato com a mesma. Este dispo-
ser feito dobrando-o ao máximo, de acordo com sitivo é bastante utilizado em usinas hidrelétri-
os estudos de Britney Gallivan sobre dobrá-los, cas e eólicas. A construção de bicicletas com um
e juntando cada um com cola para montar uma dínamo implantado irá servir para gerar ener-
estrutura, fazendo isso, cada papel ocupará um gia ao pedalar, e colocando-as em praças, vão
espaço pequeno e sua resistência ao cisalha- ajudar a gerar energia para algumas casas ao
mento aumentará consideravelmente. Esse reu- redor. No entanto, não irão gerar energia para
so do papel é uma forma que independe de se abastecer a casa inteira, mas sim para acen-
ele está com grafite ou tinta de caneta, porque der algumas lâmpadas ou carregar um celular.
seriam aproveitadas as propriedades físicas, Os dínamos serão produzidos com um imã de
não importando muito a massa extra que é ad- aproximadamente meio metro de raio e 25 cm
quirida quando é utilizado convencionalmente de altura “dentro” de uma bobina de aproxi-
para escrever. Além de que por causa da grande madamente 0,55 metros de raio, posicionada
invasão digital, surgida a partir da Terceira Re- bem próxima ao imã, e serão acoplados dire-
volução Industrial que modernizou a indústria, tamente aos pedais das bicicletas via correia,
o papel pode parcialmente entrar em desuso, com uma marcha mais elevada, gerando assim
os livros ainda são bem populares mesmo exis- maior frequência de giro e consequentemente,
tindo livros digitais, mas a carta foi substituí- mais energia. Desse modo, ocorrerá uma pe-
da pelo E-mail com sucesso a um bom tempo quena economia no gasto de energia das casas
e o caderno ainda é utilizado mas geralmente que receberem energia vinda das pedaladas
tem lugar dividido com a versão digital. Dife- ecológicas. Com base no desenvolvimento que
rentemente dos livros, os cadernos junto com será realizado de acordo com o planejamento
as cartas e outros itens geralmente têm destino de pesquisa, previamente analisado e verifica-
no lixo, esse fim ao que não tem utilidade é do com a metodologia anteriormente descri-
um grande problema atualmente. Desta forma, ta, espera-se obter uma maior quantidade de
com a utilização de um suporte e dos papéis pessoas utilizando as bicicletas geradoras em
dobrados de maneira adequada, o experimento praças, e uma maior quantidade de energia
visa demonstrar a resistência ao cisalhamento sustentável para realizar tarefas simples ante-
que estes podem apresentar quando utilizados riormente mencionadas (acender lâmpadas ou
de maneira correta. Este experimento será rea- carregar um celular). Desse modo, visando um
lizado utilizando materiais de pesos diferentes, crescimento mais sustentável a fim de ter uma
a fim de testar a carga máxima que pode ser melhor evolução a nível mundial.
suportada por este material.
Palavras-chave: Física, dínamo, sustentabilidade.
Palavras-chave: Engenharia, papel, resistência.

EXP 28
EXP 27
GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA
FÍSICA SUSTENTÁVEL: PEDALADAS PARA ALIMENTAÇÃO DE
ECOLÓGICAS RESIDÊNCIAS REPRESENTADAS EM
Autor: Adriano Carvalho Simões Guimarães1 MAQUETE
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Autores: Carlos Miguel Soledade dos Santos1, Elias Reuel
Freitas, Bahia. dos Santos Sena1, João Luís Souza de Santana1, Juliana
E-mails: carvalho.adriano21@gmail.com; jbugary@hotmail. Pereira do Nascimento1, Lucas Cardoso1
com Orientadores: Leandro de Oliveira Cedraz1, Edilza Santa-
na Bomfim1
Instituição: 1Colégio Estadual Dr. Luiz de Moura Bastos,
Na Física há um ramo voltado ao estudo do ele- Dias D’Ávila, Bahia.
tromagnetismo. Ramo esse que iniciou os estu- E-mails: miguelsoledade9@gmail.com; eliassena02@gmail.
dos do Dínamo: um dispositivo que transforma com; jsouza912@gmail.com; juliana1034@outlook.com;
energia mecânica em elétrica, através da rota- cristianeC576@hotmail.com; leco.cedraz@hotmail.com;

ção de um imã cilíndrico com base concêntrica edilza.sbomfim@gmail.com


O uso de energias não renováveis há muito De acordo com o Ministério da Saúde, a obesi-
tempo vem gerando impactos ambientais ne- dade no Brasil cresceu 60% e é considerada uma
gativos. Além, do auto índice da demanda por importante desordem nutricional nos países
eletricidade e o esgotamento gradativo dessas desenvolvidos e em desenvolvimento. A obesi-
fontes, fatores nos quais o aproveitamento dos dade é uma doença caracterizada pelo acúmulo
recursos naturais é uma das alternativas para excessivo de gordura corporal em um nível que
se fazer uso de energia limpa, ou seja, utiliza- acaba comprometendo a saúde dos portadores.
ção de energias renováveis. A concepção dessa A obesidade está relacionada a fatores sociais,
maquete surgiu no intuito de apresentar uma psicológicos, genéticos e físicos, sendo uma das
das diversas fontes sustentáveis de energia maiores enfermidades do mundo ocidental,
elétrica disponíveis, energia esta que, segundo concebida, atualmente, como um grave pro-
a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), blema de saúde pública. Diante desses dados
denomina energia eólica a energia cinética con- uma coisa é clara a necessidade de melhorar a
tida nas massas de ar em movimento (vento). qualidade de vida das pessoas com obesidade
Seu aproveitamento ocorre por meio da con- visto que além do acúmulo de gordura corporal
versão da energia cinética de translação em excessivo sofrem com o preconceito e as inú-
energia cinética de rotação, com o emprego meras doenças associadas. Assim, a presente
de turbinas eólicas, também denominadas ae- pesquisa visa propor o uso da Kombucha como
rogeradores, para a geração de eletricidade. A suplemento para tratamentos de saúde para
energia mecânica contida no vento vem se des- pessoas com obesidade. Não será fornecido
tacando e demonstra potencial para contribuir esta bebida probiótica as pessoas respeitando
significativamente para atender a demanda de as condições de Bioética, embora haja conheci-
alimentar residências, escolas, indústrias, cida- mento que este alimento milenar teve origem
des, estados e dentre outros locais, podendo provável na China e sua fama é de ser um elixir
facilmente substituir as energias sujas. Segun- da longa vida ou da saúde. Neste caso, a pers-
do estudos da ANEEL, o Brasil tem potencial de pectiva desta pesquisa é mostrar ao público a
300 GW de geração eólica, o que corresponde receita milenar e a possibilidade de adaptação
a 2,2 vezes a matriz elétrica brasileira. Para com frutas regionais brasileiras. Será realiza
construção da maquete, começamos separando uma fermentação a partir de chás, preferencial-
os materiais essenciais, tais como: motores va- mente o chá verde ou preto, da planta Camellia
riados que funcionarão como geradores; lâm- sinensis, que são adicionados a uma simbiose
padas de LED; hélices para a turbina; fios de de leveduras e bactérias que formam uma ca-
cobre; ferramentas manuais e materiais diver- mada de matriz polissacarídica, chamada de
sos para construção do cenário. O que justifica SCOBY. Os ácidos orgânicos mais importantes
nosso trabalho é o papel de conscientização e presentes na fermentação da Kombucha serão:
maior entendimento que essa maquete propor- glucurônico, glutâmico, lático, málico, cítrico,
cionará aos alunos e ao público em geral a res- tartárico, fólico, malônico, oxálico, pirúvico e
peito dos processos para a produção da energia úsnico. A ação microbiana a partir de estudos
eólica e suas vantagens para a contribuição da na área verificou que a bebida inibia o cresci-
saúde do meio ambiente. mento das bactérias patogênicas Helicobacter
pylori, Escherichia coli, Staphylococcus aureus
Palavras-chave: Energia, Sustentabilidade, e Agrobacterium tumefaciens. Outro benefício
Energia, Aerogerador. já estudado é a sua ação antioxidante, corre-
lacionada com aumentos da imunidade, alívio
de inflamações e artrite. Estudos informam que
EXP 29 esta bebida tem capacidade de harmonizar e
equilibrar o metabolismo em geral e limita a
acumulação de gordura. Outro estudo mostrou
KOMBUCHA que houve perda de peso causada pelo consu-
Autoras: Laiza Machado Brito Garcia de Castro1, Maria
mo de kombucha quando analisado o efeito hi-
Clara Santana do Espírito Santo1 Orientador: Jorge Bugary polipidêmico, o qual foi conectado à interação
Teles Júnior1 da Kombucha com a inibição da lipase e, como
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de resultado, uma restrição na ingestão de calo-
Freitas, Bahia. rias. Desta forma, pode-se perceber que a ação
E-mails: laizambgdc@gmail.com; mclarasanto@outlook.com da Kombucha no metabolismo corporal a nível
10º Encontro de Jovens Cientistas

celular, associada a uma dieta balanceada, pode halo. Diante do observado, traçou-se uma pos-
a ajudar pessoas que possuem obesidade. sibilidade de alternativa que pesquisas futuras
avaliem o uso dessa espécie para a prevenção e
Palavras-chave: Kombucha, dieta, saúde. auxílio no tratamento de infeções hospitalares
ao propor o fornecimento do chá de Mulungu
para pacientes internados, tal chá não poderá
ser utilizado por mais de 3 dias seguidos tendo
EXP 30 em vista que seu uso em excesso pode causar
paralisia muscular não definitiva. A partir dos
fatos supracitados, espera-se que com o uso do
MULUNGU E SEUS EFEITOS chá de mulungu o número e a gravidade das
ANTIBIÓTICOS infecções hospitalares sejam diminuídos consi-
deravelmente, tendo em vista que a prevenção
Autores: Guilherme Santos Niekraszewicz1, Maria Fernan-
e o combate serão reforçados. Sendo assim,
da Barbosa Pereira1
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 conclui-se que, ainda que tenha efeitos colate-
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de rais ainda não controlados, o uso da Erythrina
Freitas, Bahia. mulungu como auxiliar no combate de infeções
E-mails: gui.s.niek@hotmail.com; pereiramf03b@gmail. hospitalares tem um grande potencial a ser ex-
com; jbugary@hotmail.com
plorado e pesquisado em futuros trabalhos.

A mulungu, Erythrina mulungu, já é utilizada Palavras-chave: Mulungu, antibiótico, infecção.


como planta medicinal na América do Sul, prin-
cipalmente no Brasil. No território brasileiro,
especialmente no litoral dos estados do norte, a
mulungu é encontrada em abundância. A árvore
EXP 31
possui de 10 a 17 metros de altura. Neste senti-
do, observando que nos hospitais os pacientes NOTE DIAPER PROJECT
se encontram em estado de baixa imunidade,
Autores: Alice Nunes¹, Enzo França¹, Emanuel Castro¹
sendo assim, seu sistema imunológico torna-se
Orientador: Dan Loureiro Nascimento¹
propício a adquirir infecções bacterianas, as Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.
quais tendem a agravar o estado de saúde dos E-mails: alice.souza@conceptstudent.com.br; enzo.carva-
enfermos. A bactéria Pseudomonas aerginosa lho@conceptstudent.com.br; emanuel.castro@conceptstu-
atinge pacientes hospitalares do mundo inteiro, dent.com.br; dan.nascimento@conceptedu.com.br
e atualmente no Brasil, as formas de tratamen-
to se resumem a carbapanêmico, antibiótico Fraldas para adultos ou geriátricas têm a fun-
usado apenas como último recurso. Por isso, ção de absorver o fluxo urinário e/ou fecal e
a presente pesquisa se apresenta como um devem ser indicadas para adultos e idosos com
fomentador para pesquisas futuras ao utilizar incontinência ou restrições de mobilização se-
as propriedades do mulungu como efeito anti- vera, seja no ambiente hospitalar ou domiciliar.
biótico, visando sugerir sua disponibilidade em A incontinência pode ser causada por diversos
postos de saúde, de forma que se torne acessí- fatores e afeta diretamente o bem-estar social,
vel à população uma nova fonte de antibiótico. mental e a qualidade de vida de idosos e enfer-
Foram realizados experimentos primários em mos. O contato prolongado com a fralda molha-
que a essência da casca da planta em forma da de urina, aumenta a permeabilidade da pele
de discos de sensibilidade reagiria com colô- e intensifica a atividade de enzimas excretó-
nias de bactérias em um meio de ágar Mueller rias, que são agentes de irritação e vias de in-
Hinton (MH) onde foram realizados testes em fecção. Estudos apontam uma tolerância menor
colaboração com laboratórios hospitalares. As à fricção e pressão nos usuários de fraldas, oca-
bactérias foram colhidas de lugares públicos, sionando maior risco de ulceração, desconforto,
como microfone e corrimão. Após teste de sen- dor e enfermidades associadas. Assim como a
sibilidade, foi observado que os halos do mu- higiene do paciente e dos ambientes, as fral-
lungu apresentavam propriedade bactericida das são promotoras de bem-estar, autonomia e
ao perceber que nas placas de cultura houve saúde. Utilizamos nossa expertise em sensores,
uma retração do desenvolvimento de bactérias programação e design thinking para idealizar
no ágar e conseguinte aumento significativo do uma fralda com sensor capaz de detectar uri-

90
Livro de Programação e Resumos

na ou fezes e enviar uma mensagem, por app uma linguagem de marcação utilizada na cons-
ou software, para que as pessoas responsá- trução de páginas na Web. Os documentos ge-
veis pelos cuidados com o idoso ou enfermo rados com html podem ser interpretados por
troquem a fralda, diminuindo assim o tempo navegadores, possibilitando a organização e
de exposição as excretas. O presente trabalho formatação de arquivos, igual ao Microsoft
busca o desenvolvimento de uma ferramenta Word. O Cascanding Style Sheets (css) ou folha
que possa permitir o monitoramento das tro- de estilo em cascata tem a função na área se
cas e a diminuição do tempo de uso de fraldas, web design. Também é possível, colocar a for-
o acompanhamento e avaliação da evolução matação dentro do documento e criar um link
do quadro de pacientes. Desta forma, preten- para um arquivo css que contém os estilos. O
demos contribuir para melhor qualidade de java script ou js é considerado como uma lin-
vida e fornecimento de dados relevantes sobre guagem de programação de alto nível, inclusi-
enfermos e idosos. Para validação da hipóte- ve ele foi criado pelo lendário programador e
se, desenvolvemos um Produto Mínimo Viável um dos fundadores do Mozilla Corporation, Sr.
(MVP) utilizando um sensor de solo A080 com Brendan Eich. Tem na função um conjunto de
led de potência (MjRobot), Arduino Mega 2560 instruções que executam uma tarefa ou calcula
R3 (Mega), MacBook Air (Apple) e o software um valor. A assembly é uma das mais antigas,
Arduino Create (Arduino) para inserir o código foi lançada na década de 50 e proporcionou
fonte da programação. O sistema foi montado e uma evolução para a segunda geração de pro-
ligado ao computador. Posteriormente, inseri- gramadores, época em que os computadores
mos o código fonte e desafiamos o sensor com funcionavam a válvula. O objetivo do trabalho
variações de temperatura e umidade. As infor- é demonstrar a abertura do site de um jogo de
mações foram captadas pelo mesmo, enviando mmorpg com a linguagem de marcação html.
informação para a central de programação com Inicialmente foram feitos estudos em sites,
as temperaturas e umidades exatas e acenden- apostilas, artigos e livros específicos. Para a
do o led. Nossos testes permitiram determinar execução do trabalho foi usado um notebook
que o código de programação e o padrão de e dois aplicativos (Notepad++ e o Photoshop).
captação e envio de informação funcionam Para fazer a estrutura do site foi executado o
perfeitamente, reagindo a variações controla- notepad, no notebook, em seguida foi coloca-
das de umidade e temperatura e enviando in- do na linguagem html e escritos os códigos em
formação corretamente. No futuro, pensamos linha sob linha. Para o estilo do site foi usado
em desenvolver um biossensor e um software o css, e depois foi aberto um novo documento
ou app para receber e compilar as informações, com o nome: estilo.css. Para os comandos de
contribuindo para uma melhor qualidade de design foi feito linha sob linha. Já o java script
vida aos usuários das fraldas e gerando infor- foi usado para os comandos. O Photoshop foi
mação para os pesquisadores da área de saúde. usado para manipulação da imagem. Os estu-
Palavras-chave: Fralda, sensor, app, monitora- dos feitos sobre as linguagens de programa-
mento, qualidade de vida. ção foram feitas para que as pessoas saibam
quais são as linguagens de programação por
trás de um site. O site não está online, mas ela
EXP 32 foi criada para lançar um jogo metin2, de estilo
mmorpg com previsão para a conclusão no fi-
nal de 2019. Conclui-se, com esse trabalho que
O QUE TEM POR TRÁS DE UM atualmente há recursos de linguagens de pro-
SITE? gramação que possibilita a produção de sites
para divulgações diversas.
Autora: Rannyeveli Silva dos Santos Cerqueira1
Orientadora: Isa Malena Góes Cerdeira1
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Salva- Palavras-chave: Linguagem de programação,
dor, Bahia. Produção de site, Linguagem html.
E-mails: rannyjapa@outlook.com; kamuiemzk@outlook.
com; isamalena@hotmail.com

Toda programação é composta de linguagens,


sendo algumas bem conhecidas como html, css,
Java script, assembly, dentre outras. O html é

91
10º Encontro de Jovens Cientistas

EXP 33 EXP 34

OS GATOS E OS PÔNTICOS DENTÁRIOS


MICROORGANISMOS CONFECCIONADOS COM
HIDROXIAPATITA PRODUZIDA A
Autoras: Yasmin Silva Souza1, Danielle Vitoria de Jesus
Cerqueira1 PARTIR DA CASCA DO OVO
Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães, Autora: Gabriela Moraes Santana1
2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/SMS/PMS, Salvador, Orientadores: Marcelo Barroso Barreto1, Elbert Reis
Bahia. Borges2
E-mails: ysilvasouza34@gmail.com, daniellevitoria18@ Instituições: 1Escola SESI Djalma Pessoa; 2Universidade
gmail.com, brosemar@gmail.com Católica de Salvador, Salvador, Bahia.
E-mails: marcelo.barroso@fieb.org.br; elbert.b@fieb.org.br
Os animais podem transmitir várias doenças
aos seres humanos e vice-versa. Algumas des- A desigualdade social vigente no Brasil é tam-
sas doenças, geralmente, são provocadas por bém observada, quando se trata de acessibi-
micro-organismos, seres de dimensões muito lidade ao tratamento odontológico, do povo
pequenas que podem influenciar em ampla brasileiro. É possível verificar que milhares de
variedade de processos bioquímicos, como, brasileiros de baixa renda, são os que menos
por exemplo vírus, fungos e bactérias. Os hu- têm acesso à assistência odontológica e conse-
manos precisam ter atenção com seus animais quentemente, aos possíveis tratamentos dentá-
domésticos, com cuidados da higiene com ba- rios. Grande parte destes tratamentos, destina-
nhos frequentes, vacinação, dentre outros. O dos a população carente, estão relacionados à
objetivo da pesquisa é verificar se há diferença extração de dentes e obturação, por serem os
na quantidade de bactérias em dois gatos que mais acessíveis. Porém, com a crescente valo-
vivem em ambientes diversos. Para o trabalho rização da estética bucal na sociedade contem-
foi utilizada duas placas de petri, gelatina, dois porânea, a busca por colocação de próteses ou
cotonetes estéreis, açúcar, e dois gatos (um de suportes dentários, tem aumentado muito nos
estimação caseiro - GC e outro criado na rua - últimos anos, também, entre a classe menos fa-
GR). Foi esfregado um dos cotonetes nas patas vorecida. Mas, este procedimento odontológico
do GC e o outro cotonete na pata do GR. Cada ainda é considerado um dos mais custosos ao
material coletado foi colocado em cada placa cidadão. Ao entender que a utilização de pôn-
de petri, contendo meio de cultura de bacté- ticos dentários está muito além da estética e
ria, e em seguida as placas foram fechadas. As tem relação estreita com a mordedura, postura
placas foram observadas durante as semanas facial, digestão, entre outros aspectos fisiológi-
seguintes para verificar o crescimento das co- cos, a presente pesquisa destinou-se a buscar
lônias. Na placa que estava com amostras GR possibilidades de diminuir o custo de produção
observou-se uma maior quantidade estruturas da confecção de coroas dentárias em próteses.
redondas, que são as colônias de bactérias, em Contudo, foi identificada a hidroxiapatita como
relação a placa com amostras GC, demonstran- substância fundamental na composição do den-
do que animais criados em casa podem ter me- te humano. Este material apresenta como ma-
nos doenças reduzindo a possibilidade de con- téria prima o óxido de cálcio, substância que
taminação por micro-organismos. Conclui-se advém do carbonato de cálcio, também presen-
que há necessidade de cuidado com os animais, te em concentração considerável na casca do
pois existem muitas bactérias que podem se ovo. Com isso, a pesquisa objetivou a produção
desenvolver nos animais e provocar doenças de uma prótese que tenha como reagente a ma-
nos humanos. téria prima oriunda da casca do ovo de galinha,
Palavras-chave: Cuidado com os animais, feli- para produzir a cerâmica de hidroxiapatita, que
nos, microorganismos. tivesse como resultado final um biopolímero
rígido. Inicialmente, pós-confecção da farinha
Financiamento: CNPq da casca do ovo e confecção da hidroxiapatita,
a mesma passou pela espectroscopia de infra-
vermelho confirmando a sua formação, e com
isso, amostras obtidas apresentaram os picos

92
Livro de Programação e Resumos

característicos da matéria prima. Em seguida, não conseguimos alcançar evidências da efi-


a mesma foi inserida junto à glicerina e, a uma ciência do nosso protótipo para a finalidade de
solução de ácido cítrico para obtenção do ma- purificar a água, mas alcançamos com excedo
terial final almejado. Em sequência, o material outra possibilidade, que é de servir como aque-
foi submetido à carga por compressão em uma cedor de água usando apenas a energia solar.
máquina de ensaio a uma velocidade de 2mm/ Novos aperfeiçoamentos estão sendo feitos no
min, sendo a resistência obtida de 390,7 - + protótipo e conforme o seu melhoramento es-
47,6 (39,8 kgf + -4,8), muito próximo da coroa taremos fazendo novos testes da qualidade da
de porcelana. Oferecendo-nos, desta forma, a água da amostra que será coletada para esse
durabilidade e resistência necessária para este fim (fornecida por uma instituição de pesqui-
tipo de material odontológico. Contudo, os es- sa ou pelo setor responsável pela EMBASA da
tudos continuam para aferir outros aspectos e cidade de Santo Antônio de Jesus). Os testes
melhorar a coloração do pôntico dentário. serão feitos por meio da EMBASA e de dois la-
boratórios de análise de Santo Antônio de Je-
Palavras-chave: Hidróxiapatita, pônticos dentá- sus (BA). Será, também, dando uma maior im-
rios, produção economicamente viável. portância na utilização do presente protótipo
como uma alternativa de aquecedor da água a
partir da radiação solar, e assim, sugerindo uma
EXP 35 nova forma de economizar a energia elétrica
domiciliar.
PURIFICASOL: MODELO Palavras-chave: Radiação Solar, Reciclagem,
ALTERNATIVO DE PURIFICADOR Fontes de Energia Sustentável.
E AQUECEDOR DE ÁGUA USANDO
GARRAFA PET E RADIAÇÃO SOLAR
EXP 36
Autores: Gabriel Borges de Oliveira1, Gustavo Andrade de
Souza Pessoa1, João Vitor de Jesus Anunciação1, Marcos
Teixeira Júnior1, Matheus Sande Souza1 QUAL É O MEU SEGREDO?
Orientador/a: Davi Ferreira Barreto1, Marluce Malta1
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô- Autoras: Daniela Gomes dos Santos1, Letícia Araújo de
nio de Jesus, Bahia. Oliveira1
E-mails: daviufrb@gmail.com Orientadora: Luciene Santos Carvalho1
Instituição: 1Instituto Federal da Bahia, Campus Camaçari,
Camaçari, Bahia.
O presente projeto partiu da preocupação com E-mails: dani.ggomes02@gmail.com; leticia.araujo03@
um terço da população dos países em desen- hotmail.com; lusantos@ifba.edu.br
volvimento que não tem acesso a água potável.
A falta de fornecimento adequado de água e Uma técnica de esteganografia (do grego escri-
de recurso de saneamento são fatores de sérios ta escondida) muito antiga, mas ainda utilizada,
riscos à saúde e expõe muita gente ao perigo é a tinta invisível, uma substância usada para
de contaminação por doenças transmissíveis escrever que é invisível na sua aplicação, mas
pela água não tratada. Segundo a Organização que depois se torna visível por algum meio.
Mundial de Saúde (OMS) e a UNICEF (2006), a Atualmente, muitas crianças costumam brincar
cada dia cerca de 4500 crianças morrem todos de enviar cartas secretas, ou usar mensagens
os dias no mundo de desidratação devido à ocultas, escritas com tinta invisível, como pis-
diarreia em consequência da má qualidade da tas em diversos jogos. Entretanto, apesar da
água e da falta de condições de higiene. Diante recente popularidade da tinta invisível, isso
do presente contexto, desenvolvemos o proje- nem sempre foi assim. Por quase cem anos, os
to intitulado PURIFICASOL que propõe método métodos de produção das cartas secretas foram
simples, usando materiais de fácil acesso e de mantidos sob sigilo, pois eram empregados em
baixo custo, na tentativa de purificar a água a estratégias de espionagem e mensagens confi-
partir da radiação solar. O modelo proposto foi denciais durante a 1ª e 2ª Guerras Mundiais.
desenvolvido usando basicamente garrafa pet, Somente há alguns anos, as fórmulas de tinta
cano de pvc, tinta spray preta e embalagem invisível usadas na 1ª Guerra foram divulga-
de leite, o qual está em processo de análise e das, tendo princípios de detecção baseados em
aperfeiçoamento. No entanto, até o momento

93
10º Encontro de Jovens Cientistas

reações químicas. O objetivo deste trabalho é, E-mails: alicemonteiro2015@gmail.com; eduardo.mcar-


portanto, demonstrar o uso de três formulações rillo@outlook.com.br; iris7508@gmail.com; miguellinha-

de tinta invisível, bem como explicar, quimica- res31@hotmail; regina@anglobra.com.br

mente, seus funcionamentos. A primeira delas,


e mais comum, consiste em escrever a mensa- O lixo marinho, principalmente o plástico, é
gem em uma folha de papel branco, usando um uma grande ameaça à vida nos oceanos, cau-
pincel ou um cotonete umedecido com o suco sando a morte de animais, como por exemplo,
de uma fruta cítrica (limão, laranja ou outra), e tartarugas, peixes e aves marinhas. Os animais
deixar secar por um tempo. Para tornar a men- afetados pelo lixo, na maior parte das vezes,
sagem visível é preciso usar calor, que transfor- morrem, pois, ao tentar se alimentar, podem
ma o ácido cítrico (presente na fruta) em uma ficar engasgados ou, ainda, podem acumular
substância de cor castanha. A segunda opção lixo no estômago e, consequentemente, mor-
de tinta invisível é uma solução de bicarbona- rem desnutridos. Com o objetivo de buscar
to de sódio (de caráter básico). Nesse caso, o caminhos para a preservação da vida marinha,
conteúdo secreto é revelado borrifando-se no pensamos em produzir o modelo de um quios-
papel uma solução de fenolftaleína (um indica- que ecológico e educativo, a ser implantado
dor que fica rosa em meio básico). A terceira na calçada da orla marítima de Salvador. Nele,
formulação envolve a escrita da mensagem em seriam desenvolvidas atividades de educação
papel marrom (isento de amido), mergulhando ambiental com os usuários e comerciantes que
o pincel em uma mistura à base de amido de frequentam a praia. Esse projeto poderia ser
milho e água. Para descobrir o texto oculto, desenvolvido através de uma parceria entre a
basta passar tintura de iodo sobre o papel (o prefeitura e órgãos ou ONGs ambientais inte-
iodo reage com o amido, formando um comple- ressadas em uma estrutura para a realização
xo de cor azul). Todos esses experimentos po- de oficinas, jogos, distribuição de materiais
dem ser realizados em casa ou na escola, pois educativos, coleta de resíduos sólidos para be-
são simples e usam materiais de baixo custo e neficiamento e outras atividades educativas.
de fácil aquisição. E para que a atividade fique Essas atividades alertariam as pessoas sobre
ainda mais interessante, pode-se elaborar per- os prejuízos ambientais causados pelo descar-
guntas, na forma de adivinhas, cujas respostas, te incorreto do lixo que eventualmente chega
escritas em folha de papel com tinta invisível, ao mar e afeta diretamente as comunidades
sejam reveladas utilizando a metodologia ade- marinhas. A estrutura do quiosque ecológico
quada. Dinâmicas como esta podem contribuir e educativo seria construída com a utilização
para o ensino de Química, pois estimulam a de materiais recicláveis, como garrafas PET e,
curiosidade dos alunos em relação à ciência, agregaria técnicas de bioconstrução, com o uso
e possibilitam o aprendizado de conteúdos da de materiais encontrados na natureza, como
disciplina, como indicadores ácido-base, rea- por exemplo, areia, argila e palha. Com esses
ções químicas e polímeros, de forma divertida materiais e técnicas o custo da obra será re-
e contextualizada. duzido, como também, funcionará como apelo
visual para alertar a população sobre a questão
Palavras-chave: Tinta invisível; Reações quími- da reutilização dos resíduos. Esse projeto pos-
cas; Indicadores; Polímeros, Ensino. sibilitará o acesso à educação ambiental à po-
pulação que frequenta a praia, aproximando e
Financiamento: IFBA envolvendo a comunidade em um esforço para
diminuir os impactos do lixo nos ecossistemas
terrestres e marinhos. Consideramos também,
que a demonstração da utilização de materiais
EXP 37 recicláveis na estrutura de construções alterna-
tivas funcionará ajudando na diminuição des-
QUIOSQUE ECOLÓGICO E tes, nos aterros sanitários e, até mesmo, redu-
EDUCATIVO zindo os resíduos que chegam às redes pluviais
e fluviais pelo descarte inadequado.
Autores: Alice Neves Monteiro de Lima1, Eduardo Maciel
Carrillo1, Iris Ribeiro Martins1, Palavras-chave: Lixo-Marinho, Quiosque, Praia,
Miguel Linhares Barroso1
Educação Ambiental.
Orientadora: Regina Oliveira1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.

94
Livro de Programação e Resumos

EXP 38 nete desenvolvido poderá auxiliar no processo


da cicatrização. O sabonete foi feito voltado
aos pacientes e animais diabéticos, porém é es-
SABONETE CICATRIZANTE PARA
perado que pessoas, não portadoras da doença,
DIABETES tenham seu processo de cicatrização otimizado
também. Se espera que seja eficaz tanto no tra-
Autoras: Maria Paula Pereira de Souza1, Ana Júlia Espi-
tamento de feridas, quanto no tratamento de
nosa1
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1 espinhas inflamadas, por conta de ter proprie-
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de dades anti-inflamatórias.
Freitas, Bahia.
E-mails: mariapaulapereira55@gmail.com; espinosa.anaju- Palavras-chave: Diabetes, sabonete, cicatrização.
lia@gmail.com; jbugary@hotmail.com

A ferida é a perda da cobertura cutânea, de te-


EXP 39
cidos subcutâneos, músculos e até ossos. Sendo
assim, pode ser caracterizada como lesão, in- SEMENTES MAIORES PRODUZEM
terrompendo a continuidade da pele acometen- PLANTAS MAIORES?
do a sua integridade. Uma das deficiências que
ocorrem em uma pessoa portadora da diabetes Autoras: Ruane Lima1, Maria Eduarda Silva1, Júlia Bijos2
mellitus é a diminuição das proteínas da via de Orientadoras: Allena Lyra1, Karla Oliveira Esquerre2
Instituições: 1Colégio Estadual Evaristo da Veiga, Salvador,
sinalização da insulina. Estudos mostram que Bahia, 2Universidade Federal da Bahia, Programa de
as proteínas envolvidas nessa sinalização em Pós-Graduação em Engenharia Industrial (PEI), Salvador,
pessoas e animais diabéticos estão em menor Bahia.
quantidade aos animais saudáveis. Sendo as- E-mails: ruanelimab@gmail.com; maria.silva597@aluno.
sim, a diminuição dessas proteínas agregadas enova.educacao.ba.gov.br; juliabijos@outlook.com; allena-

com outros fatores (como diminuição do Óxido prof@gmail.com; karla.esquerre@gmail.com

Nítrico) fazem parte dos motivos que lentifi-


cam o processo da cicatrização em diabéticos. A influência do tamanho das sementes no tama-
Neste sentido, o presente projeto propõe criar nho final da planta é algo que desperta interes-
um produto que ajude a acelerar o fechamento se e é alvo de estudos científicos, isto porque
da ferida. O sabonete em barra feito quase que o teor de nutrientes e todo o desenvolvimento
completamente com produtos como: Aloe vera orgânico e bioquímico da planta podem estar
(conhecida como babosa), aroeira, mastruz, es- relacionados com o tamanho da semente ger-
sência de camomila e para obter o formato em minada. O objetivo deste trabalho é verificar se
barra usamos uma base para sabonete glice- o tamanho da semente influencia o tamanho da
rinado, que tem propriedades antissépticas. É planta. O experimento utiliza duas variedades
possível se extrair um gel incolor da Aloe vera de espécies, Ricinus communis, popularmen-
que tem várias ações: cicatrizante, antibacte- te conhecida como mamona e Leucanthemum
riana, antifúngica e outros. Foi extraído o suco vulgare, popularmente conhecida como marga-
das folhas do mastruz, macerando as folhas rida. Estas plantas foram escolhidas por serem
e depois filtrado em um voil. A mastruz tem comuns e de fácil cultivo. Para cada espécie
propriedades anti-inflamatórias, já a aroeira é o experimento é realizado duas vezes, sendo
uma planta medicinal e é anti-inflamatória, en- necessário selecionar duas sementes aparen-
quanto a camomila tem propriedades calman- temente saudáveis de tamanhos diferentes e
tes e ajuda em possíveis alergias. Foi retirado medir os tamanhos. Além disso, o solo utiliza-
o gel incolor da Aloe Vera, depois foi macerado do deve ter as mesmas características e, após
a mastruz que estava na água de molho. Com o plantio deve ser regado com a mesma fre-
um tecido voil foi extraído o suco do mastruz quência. Durante o período de crescimento da
já macerada. Cortou-se a aroeira em vários planta são coletadas diariamente informações
pedaços muito pequenos e colocou-se a base sobre a quantidade de água utilizada para re-
glicerinada em banho-maria. Após a base ter gar, a necessidade de adubar o solo, a quanti-
derretido, foi misturado todos os ingredientes dade de adubo usada e a temperatura dos dias
inclusive 25ml de camomila concentrada. Após estão sendo coletadas, para garantir condições
tudo misturado, foi colocado em formas para ideais de crescimento. Ao final deste trabalho
sabonete e quando esfriou ficou sólido. O sabo- foi possível comparar o desenvolvimento das

95
10º Encontro de Jovens Cientistas

duas espécies diferentes e, para cada espécie Para realizar esse trabalho, pesquisamos sobre
podemos verificar se a semente maior foi a que os desastres naturais que ocorrem pelo mun-
mais cresceu. do e destacamos os tsunamis, pois estes nos
chamaram atenção pela quantidade de mortos
Palavras-chave: Crescimento, Semente, Cultivo. e por informações em falhas nos sistemas de
alerta existentes. Pesquisamos sobre o tema
Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro- e buscamos por notícias, reportagens e decla-
jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da- rações oficiais de países onde ocorrem esses
dos: Formação com Base na Experimentação fenômenos. Segundo as nossas pesquisas, o nú-
(também conhecido por Meninas na Ciência de mero de vítimas de tsunamis no mundo é alar-
Dados), Processo 442282/2018-4, aprovado mante. Chamou nossa atenção e listamos casos
no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coordena- ocorridos no período de 2004 a 2018. Esses
do pela UFBA e desenvolvido em parceria com acontecimentos demostraram a ineficácia dos
cinco escolas públicas (Henriqueta Matthins sistemas de alerta existentes, que não permitem
Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga, identificar quando a origem dos tsunamis não
Ypiranga e Mário Costa Neto) e com outras uni- é proveniente de atividade tectônica. A nossa
versidades. É apoiado pelo Grupo de Pesquisa proposta, consiste em um aprimoramento ao
Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e outras ins- sistema já existente. Funcionaria com o auxílio
tituições de ensino e pesquisa. de um sismógrafo acoplado ao leito marinho.
O sistema atual não funciona sozinho, depen-
de de um sensor instalado em locais tranqui-
EXP 40 los e pouco povoados, que detecta oscilações
na superfície terrestre, desde pequenos aba-
los até grandes terremotos. O sensor consiste,
SISTEMA DE ALERTA DE TSUNAMIS basicamente, em uma bobina que envolve um
Autores: Marçal Santos Huoya1, Átila Dourado Barbosa1,
ímã pendurado numa mola (já existente) e um
Isabella Afonso Pereira1, sonar, este funcionará enviando ondas sonoras
Tarso Mello de Oliveira1 que rebatem no leito oceânico retornando ao
Orientadora: Juliana Abbehusen1 emissor assim dependendo do tempo de re-
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. torno a profundidade é estabelecida assim um
E-mails: marcalsantoshuoya@gmail.com; familiahuoya@
parâmetro desses registros. Se houver um tsu-
hotmail.com; jackolivia62@gmail.com; juliana@anglobra.
nami os dados serão anormais e comparados
com.br
aos dados normais. O projeto propõe a união
do sismógrafo a um sonar conectado a uma
A maioria dos tsunamis são gerados pelo movi-
boia na superfície, alimentada por painéis sola-
mento relativo das placas tectônicas no oceano.
res em locais com certa distância da costa rea-
Porém, acredita-se que o tsunami ocorrido na
lizando a leitura de movimentações na água. As
Indonésia em 2018 tenha sido gerado pela ati-
informações seriam enviadas a um satélite por
vidade do vulcão Anak krakatoa, em decorrên-
meio de antenas instaladas nas boias e conse-
cia de um deslizamento de terra subaquático
quentemente enviadas a central para revisão. O
que deu origem às ondas gigantes. De acordo
projeto será presentado por uma maquete que
com o governo indonésio o número de mortes
facilitará a discussão da proposta. Acreditamos
registradas chegou a 429. A Indonésia tem um
que com o aprimoramento do sismógrafo com
sistema de boias marinhas que avisa sobre a
o auxílio das boias essas informações seriam
chegada de ondas gigantes provocadas por for-
perceptíveis sendo enviadas e em caso de aler-
tes abalos sísmicos, porém, esse sistema, não
ta, poderá promover a evacuação da região
é capaz de detectar movimentações na água,
ameaçada, evitando milhares de mortes.
impossibilitando a detecção de grandes massas
de água sem que a origem seja proveniente de
Palavras-chave: Tsunamis, Sistema de Alerta,
abalos sísmicos. Com o objetivo de diminuir a
Sonar.
perda de vidas em desastres naturais, propo-
mos aprimorar o sistema de alerta a tsunamis,
como o existente na Indonésia, para que este
seja mais sensível a movimentação de massas
de água quando a causa não for a movimenta-
ção de placas tectônicas do assoalho oceânico.

96
Livro de Programação e Resumos

EXP 41 ao horizonte do planeta. Dessa forma, pode-se


utilizar Marte como ponto de partida para a uti-
lização do SULE, que permitirá maior agilidade
SISTEMA DE LOCALIZAÇÃO DO e barateamento do mapeamento de corpos ce-
MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS: lestes, onde serão utilizados materiais de pro-
COMO MARTE PODE SERVIR DE gramação, um sistema para cálculo da velocida-
de tangencial, outro para a angulação da estrela
BASE PARA UM SISTEMA DE incidente mais próxima e outro para o período
LOCALIZAÇÃO ESPACIAL noturno. Assim, o sistema de localização trata-
do, que deve servir como base para localização
Autor: Luiz Virgílio Barreto Martello Filho1
em outros planetas ou luas, será primeiramente
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de aplicado a Marte como forma de comprovação
Freitas, Bahia. e efetivação do seu funcionamento, além de di-
E-mails: luizvbmf8@gmail.com; jbugary@hotmail.com vulgação de sua proposta.

A exploração espacial é uma área da Ciência Palavras-chave: Aplicabilidade, exploração, ba-


que se encontra em grande desenvolvimento. rateamento.
Para que haja maior facilidade e eficiência no
estudo de locais na vastidão do espaço são ne-
cessárias técnicas de localização avançadas e EXP 42
de fácil aplicabilidade. Levando isso em conta,
tecnologias que dispensem sistemas com vários SISTEMA FECHADO DE
satélites em órbita do corpo de interesse, sub-
trairiam nesse âmbito, altos gastos. O principal AUTOIRRIGAÇÃO PARA
objetivo do desenvolvimento desse sistema é a AGRICULTURA FAMILIAR
formação de uma base tecnológica para locali-
zação em corpos celestes que possuem poten- Autores: Anna Júlia Borges Dantas1, Giovana Cronember-
ger Cavalcanti1, Letícia Brasil Radelsberger1, Luana Dutra
cial de moradia, sendo eles dentro ou fora do
Pinheiro1, Lucas Lopes Nunes1, Sofia Santana de Abreu1
sistema solar. Seu uso se justifica por ser mais Orientadora: Juliana Abbehusen1
barato e prático dentro do âmbito da explora- Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
ção espacial, que atualmente utiliza sistemas E-mails: annajudantass@gmail.com; leticiabradelsberger@
mais caros e de aplicabilidade restrita, sendo gmail.com; ldpinheiro07@gmail.com; nuneslucas1305@
gmail.com; sopa.abreu@outlock.com; juliana@anglobra.
necessários sistemas únicos para cada corpo
com.br
celeste. O Sistema Universal de Localização Es-
pacial (SULE) possui grande aplicabilidade em
estudos espaciais, pois utiliza-se de um sistema O uso racional da água é uma das maiores preo-
único e fixo para todos os corpos celestes, ba- cupações do mundo atual. Evitar o desperdício
seado em características que todos os corpos e reduzir o consumo deste recurso vital para a
celestes que possuem potencial de moradia de- humanidade é um enorme desafio para toda a
vem ter: rotação, incidência luminosa e visibi- sociedade. Como é na agricultura que acontece
lidade do céu. A SULE utiliza-se rigorosamente o uso mais intenso de água se faz necessário
desses três parâmetros, sendo eles importantes desenvolver estratégias e ideias para reduzir
para que o corpo celeste possa ser habitado. o seu consumo nas atividades agrícolas. Este é
Sendo assim, pode ser aplicado a qualquer tipo o principal objetivo do nosso projeto, que visa
de planeta ou lua deste ou de outro sistema da racionalizar o consumo de água na produção
galáxia no qual se objetiva morar ou estudar. de hortaliças, incentivar o cultivo de hortaliças
É importante evidenciar que as informações em casa, diminuir o esforço com a irrigação da
sobre a rotação, incidência luminosa e visibili- horta e eliminar a parte dos gastos envolvendo
dade devem ser captadas por sondas. A ‘’SULE produção, transporte e comércio em larga es-
Marte’’ funciona através da definição da lati- cala. Para tanto, desenvolveu-se um protótipo
tude do sistema no planeta com o cálculo da que consiste em um sistema fechado de auto
velocidade tangencial no local em que se en- irrigação, no qual a água utilizada para regar as
contra, além da definição da longitude através hortaliças irá infiltrar pelo substrato e a parte
angulação da estrela incidente no período diur- que não for absorvida pelos vegetais será dre-
no ou estrelas no período noturno em relação nada e ficará armazenada em um reservatório

97
10º Encontro de Jovens Cientistas

logo abaixo. Neste reservatório haverá uma escrito e depois de fazer nossa maquete, que é
bomba conectada a uma mangueira cuja função um metrô sobre trilhos com placas solares em
é bombear a água para irrigar as hortaliças, ga- cima dele. Vale lembrar que os gastos que serão
rantindo a sua reutilização para a próxima irri- utilizados para a instalação das placas, serão
gação. Nosso trabalho contribuirá com a econo- compensados em cerca de 6 meses.
mia familiar e promoverá a redução do uso da
água na agricultura e o aumento do bem-estar Palavras-chave: Metrô, placa solar, energia.
das pessoas, que passarão a produzir suas pró-
prias hortaliças.
EXP 44
Palavras-chave: Agricultura, auto irrigação, sis-
tema.
TRACKBAN, DISPOSITIVO PARA
PRECAVER A PERDA DE CRIANÇAS
EXP 43 E ADOLESCENTES
Autores: Felipe Marques dos Santos Abreu1, João Pedro
SOLAR SUBWAY Oliveira dos Santos Silva1, Rodrigo Carvalho da Silva1
Orientadora: Lílian Alves de Almeida1
Autoras: Larissa Ferreira Carneiro1, Luana Brasil Radels- Instituição: 1Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.
berger1, Manuela Hering Macedo Castineira1, Maria Clara E-mails: felipemarques2214@gmail.com; joaopedromas-
Bulcão Cappio1 sa1@gmail.com; rodrigocarvalhok10@gmail.com; lilianal-
Orientadora: Ana Cláudia Sokolonski1 ves.fis@gmail.com.
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: carneirolarissa06@gmail.com; luanabradelsber-
ger@hotmail.com; manuela.h.m@icloud.com; clarabulcao- A partir da lei nº 11.259, determina a inves-
cappio@icoud.com; anaclaudia@anglobra.com.br tigação policial imediata em casos de desapa-
recimento de crianças e adolescentes. A Lei é
Como o metrô gasta muita energia, segundo conhecida como “Lei da Busca Imediata”, como
uma pesquisa feita no metrô de São Paulo que podemos ver, a partir dos dados fornecidos
gastou 46,4 milhões de kWh em um mês, pen- pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e
samos em um modo de resolver isso, então de- Comitê Internacional da Cruz Vermelha, po-
cidimos utilizar a energia solar ao nosso favor. demos deduzir que de fato o projeto de inter-
Já que todas as estações de metrô gastam uma venção fornecido pelo governo não apresenta
grande quantidade de energia. Criamos este resultados positivos. Por esse fato o nosso
projeto pelo fato do metrô estar se populari- grupo decidiu criar o Trackban, uma pulseira
zando cada vez mais, além disso, usando ener- com o objetivo de precaver a perda de pessoas
gia solar, os gastos de energia e dinheiro seriam (crianças e adolescentes) em lugares públicos. A
menores, assim ajudando o meio ambiente, ideia é que esse mecanismo possa sobreavisar
porque essa energia é considerada renovável e os responsáveis em tempo hábil para o afasta-
assim como foi feito o nosso trabalho, este pro- mento de seus dependentes. Os recursos ma-
jeto pode ser expandido para outros automó- teriais utilizados para a elaboração do projeto
veis, como carros, ônibus entre outros, entran- são o Arduíno, fazendo a programação com a
do um pouco mais para essa parte, realmente linguagem C++ o relógio também terá o sensor
o Metrô Solar poderá reajustar em alguns re- de modulo RTC e transmissor e receptor blue-
quisitos para outros meios de transporte, ob- tooth, o relógio terá um manuseamento simples
tendo uma poluição mundial muito menor, já e o responsável e a criança se utilizarão dos
que os problemas com gases tóxicos não di- mesmos, a partir do momento que a criança se
minuem o gasto de dinheiro. O nosso objetivo afastar, será emitido um sinal que alertará ao
é reduzir todos os requisitos anteriores. Para responsável sobre o distanciamento da criança,
desenvolver esse trabalho, pesquisamos sobre aparecendo no relógio da criança informações
como placas solares e como os indicadores de sobre ela (nome, número, telefone do respon-
desempenho, por exemplo: quanta energia ou sável) e começara a tocar um som para o fácil
veículo usado, quanto a placa solar consegue encontro dela. É importante a necessidade de
gravar para o meio de transporte funcional e, alertar e deixar claro que no Brasil temos altas
por fim, os aspectos geográficos de temperatu- taxas de desaparecidos, esse dispositivo tem
ra e localização do metrô. Fizemos o trabalho o objetivo de diminuir a taxa de desapareci-

98
Livro de Programação e Resumos

mento na sociedade brasileira. E ele está sendo a unidade de saúde das imediações, enviando
aperfeiçoado de forma que possa garantir uma informações sobre o seu estado, o que tornaria
alta intervenção sobre essa taxa de desapareci- o atendimento mais ágil e assertivo. O proje-
mento, com isso concluímos que podemos mu- to pode ser aplicado tanto pelo poder público
dar o senário de desaparecimento de pessoas quanto pela iniciativa privada. Inicialmente
no Brasil. teria de ser aprovado pelo Governo Federal,
por conta do PIN base, que teria de ser com-
Palavras-chave: Desaparecimento, Responsá- partilhado com os profissionais da área médica.
vel, Criança, Adolescente. Após aprovação, o bracelete passaria por uma
fase de testes em que os médicos do Sistema
Único de Saúde (SUS) fariam a recomendação
EXP 45 de uso para pacientes que constituem o públi-
co-alvo do projeto. Se o resultado do teste for
positivo, o governo começaria a distribuir o
TRACKING BRACELET bracelete para esses usuários. Não calculamos
Autores: Gabriel Queiroz Jorge da Silva1, João Arthur
o custo de fabricação, pois nosso projeto limita-
Pereira Fernandes1, Luna Peixoto de Jesus Carvalho1, -se ao conceito, cabendo à empresa fabricante
Maria Carvalho Fedulo1 levantar esses custos. Por tratar-se de um obje-
Orientador: Danilo Barbosa Ribeiro1 to pequeno, com peças que não custam muito,
Instituição: 1 Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. acreditamos que o valor final seja viável. Cria-
E-mails: gabiqueirozjs@gmail.com; 07joaoarthur@gmail.
mos um protótipo para demonstração, portanto
com; lunapeixoto777710@gmail.com; mariafedulo@gmail.
não funcional. Ele contém um QR code desen-
com; danilo@anglobra.com.br
volvido pelo grupo e pode ser testado durante
as apresentações, além da primeira versão do
Ao redor do mundo, os índices de pessoas de-
aplicativo.
saparecidas (em sua grande maioria crianças e
idosos), cidadãos não identificados em hospi-
Palavras-chave: Tecnologia, bracelete, protóti-
tais e indivíduos mortos por serem pegos de
po, saúde.
surpresa por alguma doença cardiovascular são
muito elevados. Com o objetivo de reduzir es-
ses números e propor algo que trouxesse bene-
fícios, idealizamos um dispositivo que alia pra- EXP 46
ticidade e tecnologia. Assim, foi desenvolvido
o protótipo de um bracelete, dotado de um mi- USO DE ONDAS LUMINOSAS
crochip GPS e um medidor de batimentos car- NA DETECÇÃO DE LESÕES E
díacos. Em caso de situação de risco ou surto,
tanto os responsáveis quanto a unidade de saú- ESTRUTURA DE NERVOS DO
de mais próxima são avisados. Para facilitar a CORPO HUMANO
identificação, o bracelete contém um código QR
(código de resposta rápida) que carrega infor- Autores: Henrique Alcântara Borges1
Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
mações pessoais e médicas do usuário, legíveis
Instituição: Colégio Sartre_Escola SEB, Unidade Monet,
através de qualquer leitor QR. A parte interna Lauro de Freitas, Bahia.
do bracelete seria revestida de grafeno, por E-mails: henriquealcantara209@gmail.com; jbugary@
ser extremamente resistente, flexível e leve. hotmail.com
Já a região externa, seria composta por um re-
vestimento de silicone para proporcionar um Os nervos são importantes estruturas do corpo
conforto maior ao usuário. A trava eletrônica humano que regulam grandes aspectos como o
seria feita de metal para oferecer resistência, tato e a visão, consequentemente, lesões e im-
contando com uma camada de silicone como pedimento das funções dessas estruturas são
revestimento para não machucar. Embora haja capazes de causar perdas significativas para
braceletes similares, esse protótipo visa, espe- um indivíduo. Ainda assim, não há por parte
cificamente, o monitoramento da saúde do seu da maioria das pessoas uma grande atenção no
portador. O projeto tem potencial para reduzir que diz respeito à importância dessas células,
esses índices, já que informa a localização em causando assim uma grande desinformação ge-
tempo real à família, impedindo que a pessoa ral sobre seu funcionamento, e é nesse sentido
se perca. Além disso, acionaria imediatamente

99
10º Encontro de Jovens Cientistas

que atua o projeto. Trata-se da adaptação do EXP 47


aparelho visualizador de veias com o objetivo
de emitir ondas no espectro eletromagnético
UTILIZAÇÃO DE
que possam ser refletidas pelos nervos sem
interagir diretamente com outros tecidos do GEORREFERENCIAMENTO E
corpo humano. O objetivo é despertar a curio- GRAFOS PARA ANÁLISE DAS
sidade de muitas pessoas sobre os nervos e seu UNIDADES DE SAÚDE DE
funcionamento, o aparelho poderá ser usado,
por exemplo em aulas de Biologia ou até para
CAJAZEIRAS
uso recreativo, para isso, o projeto será focado Autores: Lucas Emanuel Simões Cerqueira¹, Vitória Regina
na criação de uma máquina de fácil manusea- Santos da Paixão1
mento e não prejudicial para o corpo. Aliado Orientador: Jorge Lucio Rodrigues das Dores1
a isso, a utilização do aparelho pode ajudar Instituição: 1Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia,
muitas pessoas na detecção rápida de doenças Salvador, Bahia.
E-mails: lucas.cerqueira0718@gmail.com; vitoria15vivia-
como a neuropatia que lesionam a estrutu-
ne@gmail.com; jorgeluciorodrigues@hotmail.com
ra nervosa, assim pode ser feita uma procura
mais rápida por ajuda médica fazendo com que
A Atenção Primária à Saúde (APS) tem como
o aparelho possa salvar importantes aspectos
principal característica servir como porta de
funcionais das pessoas ou até a vida das mes-
entrada para rede de atenção à saúde, acolhen-
mas. Além disso, o projeto pode abrir portas
do os usuários e promovendo a união e respon-
para que máquinas mais planejadas e profissio-
sabilização pela atenção a suas necessidades.
nais sejam usadas em hospitais e clínicas para
São inegáveis os avanços das APS, com mais
checagem da situação de pacientes que passa-
de 39 mil equipes de saúde da família atuan-
ram por acidentes e casos próximos. Os objeti-
do em todo Brasil. O Programa para Melhoria
vos serão alcançados por meio da alteração na
do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica
frequência da luz emitida pelo visualizador de
(PMAQ-AB) é uma iniciativa que tem como fi-
veias, a hipótese é de que o infravermelho em
nalidade induzir a ampliação do acesso e a
uma frequência diferente da que já atua pelo
melhoria da qualidade da Atenção Básica (AB),
dispositivo seja a ideal. Atualmente existem
como garantia de um padrão de qualidade com-
aparelhos parecidos, como por exemplo, o vi-
parável nacional e regional, porém ao analisar
sualizador de veias e alguns aparelhos de raio-
a distribuição geográfica das instituições de
-x que são usados para a visualização de ossos
saúde no bairro de Cajazeiras, situada na cida-
de todo o corpo, mas não há ainda nenhuma
de do Salvador, percebeu-se que na localidade
máquina de manuseamento tão fácil e rápido
há uma péssima divisão destas unidades, além
que tenha como função a detecção de toda a
de alguns outros problemas, tais como difícil
estrutura de nervos, mesmo que tenham tanta
acesso, falta de sinalização, falta de informação
importância. Além disso, um aspecto do apa-
dos serviços oferecidos, bem como das escalas
relho adaptado é que, diferentemente do apa-
dos profissionais de saúde e horário de funcio-
relho de Raio-x, o projeto não será prejudicial
namento. Tendo em vista estes problemas, o
para a saúde do usuário, isso o torna importan-
projeto tem como objetivo criar uma ferramen-
te e o deixa com um diferencial que permite
ta digital, utilizando a Teoria de Grafos, para
sua utilização por parte da maioria das pessoas
analisar a distribuição das unidades de saúde
sem muita necessidade de ajuda para o uso.
no bairro, e sugerir ao usuário qual unidade
de saúde atende à sua necessidade. Para o de-
Palavras-chave: Nervos, conhecimento, luz.
senvolvimento da pesquisa foi realizada uma
revisão bibliográfica nos sites do Ministério da
Saúde, Secretaria Municipal da cidade do Salva-
dor e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatís-
tica da Bahia (IBGE) e pesquisa de campo com o
intuito de obter informações que não constam
nos sites da Secretaria Municipal a respeito das
instituições de saúde de Cajazeiras. Após análi-
se das características das unidades e centros de
saúde da região pesquisada, foi possível cons-

100
tatar a falta de cobertura de áreas importan-
tes e de atendimentos específicos, reforçando
a importância de um dispositivo que ajude na
tomada de decisão para evitar superlotação e
idas desnecessárias às unidades de saúde, bem
como informar a população sobre horários
de funcionamento, equipe de profissionais de
saúde, campanhas de vacinação entre outros
serviços. A principal vantagem dessa estratégia
de georreferenciamento de dados é a possibili-
dade se produzir diferentes formas de agrega-
ção de dados, construindo-se diferentes mapas,
conforme o interesse do estudo.

Palavras-chave: APS, AB, PMAQ-AB, Grafos,


georreferenciamento.
10º Encontro de Jovens Cientistas

12.
RESUMOS - CIÊNCIA LÚDICA: BRINCANDO E
APRENDENDO COM JOGOS SOBRE CIÊNCIAS
(QUADRO DE APRESENTAÇÕES COM PÔSTER)

102
Livro de Programação e Resumos
mu
CL 01 contas até se chegar ao resultado. Como em um div
tradicional jogo de tabuleiro, só poderão con-
tinuar avançando se juntos superarem as Pala
A FAZENDA DAS FRAÇÕES gra
questões encontrados nas cartas de situações
Autor: William Meneses¹ problemas, dominarem o mecanismo existen-
Orientador: Michel Ferreira Lima¹ te no jogo para operarem as frações e tiverem GA
Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia. sorte com o jogar dos dados e as cartas surpre-
E-mails: micheluefs@gmail.com; ednalorena@anaterezavir- sas que forem se deparando. O jogo além de
tual.com; andre@anaterezavirtual.com proporcionar uma aula lúdica para os alunos,
explora importantes habilidades dentro de um
Os alunos do Colégio Ana Tereza propuse- contexto educacional,que no processo educa-
ram um jogo de tabuleiro para auxiliar os tivos e comunicam com várias competências
alunos do 6º ano a compreenderem melhor as gerais atualmente exigidas pela Base Nacional
operações matemáticas envolvendo frações. Comum Curricular. E-m
Apoiando-se em metodologias ativas o jogo
possui como propósito, resolver problemas Palavras-chave: Jogo de tabuleiro, Operação
envolvendo frações a partir de um momen- com frações, Problemas de fazenda. As
to de construção, ou seja, com mecanismos da
simples o aluno construirá a sua própria Financiamento: Colégio Ana Tereza. nos
operação para alcançar o resultado desejado que
e assim avançar no jogo. Neste jogo os alunos ma
percorreram uma trilha que se encontrará no der
CL 02
tabuleiro e será ambientado com desenhos estr
que representaram um fazenda. O jogo cons- Foi
tará de 32 casinhas coloridas e duas casinhas A MOBILIDADE INTELIGENTE EM e m
especiais em pontos estratégicos do percurso. CRUZ DAS ALMAS-BA tog
Durante o caminho os alunos irão se deparar mo
com problemas contextualizados dentro de Autores: Maria Clara Daltro Bastos1, Beatriz Costa Assun- com
ção Pires1, Elias de Araújo Dias1 Orientador: Vanderlei
uma fazenda e em formato de fração toda vez grá
Oliveira2
que cair em qualquer uma das casinhas colori- Instituição: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universi- a su
das. Nesses problemas os alunos precisarão dade do Estado da Bahia, Cruz das Almas, Bahia. form
correr contra o tempo para acertar a resposta E-mails: daltromariaclara@gmail.com; bcapires16@hotmail. elem
do problema e assim manter a quantida- com; araujoeliasdias@gmail.com; oliveiravanderlei55@ nha
de de casas que conseguiram avançar com o gmail.com fia,
jogar de dado. Se os mesmos caírem em uma com
das casinhas especiais terão que pescar uma Diante do contexto histórico brasileiro, o atra
das cartas surpresas que determinará que sistema de transportes rodoviários foi de- das
tipo de punição terão que pagar. Como exem- senvolvido e priorizado pelo governo de estu
plo podemos citar: volte duas casas, avance Juscelino Kubitschek (1956-1961) que foi o da
3 casas e etc. Então, a cada carta selecionada pioneiro nos investimentos na malha rodo- em
aleatoriamente o aluno ou a equipe precisarão viária brasileira. O intuito de JK era abrir terr
compreender o problema e encontrar a solução os portos brasileiros para exportações e a ins- ver
para estar sempre avançando e assim chegar talação de multinacionais, já que seu governo que
ao final. As peças para operar essas contas possuía um caráter economicamente liberal, foto
são constituídas de moedas de madeiras pre- dentre elas a empresa automobilística Ford. ser
viamente agrupadas e coloridas de acordo com Atualmente, a mobilidade urbana, ou seja, a sas
a sua representação fracionária. Os alunos condição que determinada o fluxo de uma ci- em
poderão utilizar-se de bases em formato de dade e a locomoção que ela oferece se relacio- um
tubos cilíndricos transparentes para poderem na aos sucessivos crescimentos populacionais, e m
determinar o seu inteiro de referência e as- tornando-se essencial um planejamento, pois nos
sim efetuarem as contas necessárias. O jogo a sua falta pode causar problemas para o
irá provocar uma competição saudável no qual trânsito, como congestionamentos, poluição Pal
através de suas próprias estratégias e criativi- sonora e do ar, longos períodos para fazer ves
dade, os alunos poderão se auxiliar para com- trajetos simples, não só nas grandes metró-
preender os problemas e assim efetuar as poles, mas também para as cidades com

103
10º Encontro de Jovens Cientistas

um número populacional menor, como Cruz gem. Isso é devido à quantidade de símbolos,
Das Almas-BA, situada no recôncavo da Bah- fórmulas, cálculos e outros aspectos de memo-
ia, distanciando 148 quilômetros da capital do rização que compõem os conteúdos da disci-
Estado, Salvador. Foram feitas observações das plina. As estratégias de ensino normalmente
principais ruas da cidade e foram identifi- usadas pelos docentes muitas vezes não
cados problemas como: postes em locais contribuem para que os estudantes tenham
inadequados, construções que atrapalham o uma boa impressão sobre a Ciência. Portanto,
fluxo de veículos e pedestres, a falta de ciclo- é necessário que o professor busque alterna-
vias, faixas de pedestres mal aplicadas, bem tivas mais didáticas, interativas e prazerosas,
como a falta de preparação das secretarias que possibilitem o aprendizado dos conteúdos
do município. Sendo assim, este trabalho mais difíceis pelos alunos de modo divertido.
tem como objetivo debater o conceito de Considerando esses aspectos, o jogo “Baralho
mobilidade inteligente e projetar uma melhor Inorgânico” foi desenvolvido com o intuito de
ordenação para uma possível modernização ajudar os estudantes a assimilarem com mais
do trânsito utilizando recursos tecnológicos já facilidade o conteúdo de Funções Inorgânicas,
disponíveis em cidades que apresentam uma que geralmente é abordado no primeiro ano
mobilidade inteligente. Com isto, utilizare- do Ensino Médio. O jogo proposto é formado
mos uma metodologia quanti-qualitativa com por um baralho, dividido em quatro blocos
levantamento de dados sobre mobilidade urba- de 10 cartas, correspondentes a cada uma das
na, visando uma melhoraria da qualidade de principais funções inorgânicas: Ácidos, Bases,
vida e a promoção do bem-estar social para Sais e Óxidos. Cada carta possui uma per-
todos os moradores. Portanto, este traba- gunta objetiva sobre a respectiva função, e
lho justifica-se devido a atual mentalidade cinco alternativas de respostas, havendo ape-
prematura acerca do conceito de mobili- nas uma correta. No início do jogo, faz-se o sor-
dade, principalmente a mobilidade inteligen- teio do tema para cada um dos 4 jogadores (ou
te, que necessita de um investimento mais 4 grupos, em caso de aplicação em sala de aula)
acentuado. Neste cenário, há poucos estudos e o baralho é distribuído de modo que cada jo-
e investimentos na melhoria da mobilidade, gador ou grupo fique somente com as cartas da
pois este inclui aspectos econômicos, sociais função definida. O que estiver com as cartas
e políticos. Por fim, torna-se indispensável sobre Ácidos começa fazendo a primeira per-
disponibilizar uma locomoção eficiente, eco- gunta. A ordem das perguntas segue com os
nomicamente acessível e sustentável ao meio assuntos Bases, Sais e Óxidos, respectivamen-
ambiente, através da realização de um proje- te, até que todas as cartas acabem. Cada acerto
to de intervenção no qual desenvolve-se um garante 1 ponto (ficha vermelha) à equipe ou
planejamento para o município de Cruz das jogador da vez, além da chance de responder
Almas-BA, dando suporte para que o contexto às perguntas bônus (pilha de cartas à parte),
urbano seja requalificado. que são subjetivas, sobre qualquer uma das
funções inorgânicas e valem 2 pontos (ficha
Palavras-chave: Trânsito, locomoção, tecnolo- azul). Porém, é preciso ter cuidado ao optar
gia, mobilidade, planejamento. por perguntas bônus, pois caso a equipe ou
jogador erre a resposta, perde 1ponto. Vence o
jogador ou grupo com mais pontos ao final do
CL 03 jogo. O uso desse jogo educacional estimula
a concentração, o raciocínio, a cooperação e a
competição entre os estudantes, além de con-
BARALHO INORGÂNICO tribuir, de forma lúdica, como aprendizado e o
Autor: Emanuel Arlan Sousa Silva Ferreira¹
despertar do interesse pela Química.
Orientadora: Luciene Santos Carvalho¹
Instituição: ¹Instituto Federal da Bahia, Campus Camaçari, Palavras-chave: Funções inorgânicas, jogo de
Camaçari, Bahia. cartas, ensino de química.
E-mails: emnarlanferreira@gmail.com; lusantos@ifba.edu.
br

A Química é considerada pelos estudantes


uma disciplina maçante, de difícil aprendiza-

104
Livro de Programação e Resumos

CL 04 CL 05

C.A.V.R. - CONTRA ATAQUE AO CARTAS NA MESA: JOGANDO COM


VÍRUS DA RAIVA A SUSTENTABILIDADE
Autores: Alex Tanan Matos Almeida¹, Artur Dourado Bar- Autoras: Karin Beatriz Silva de Souza1, Laila Kimberli de
bosa¹, Lucca Macário Kolbe¹, Oliveira Santana1, Maria Eduarda Menezes do Nascimen-
Malu Maia Coelho¹, Maria Eduarda Portela Shimizu¹ to1, Ana Luisa Nogueira dos Santos2
Orientadora: Juliana Abbehusen¹ Orientadoras: Daniele dos Santos Lima2, Ana Rosa do
Instituição: ¹Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. Carmo Iberti1
E-mails: alextanan1@gmail.com; ar turdouradob@gmail. Instituições: 1Escola Municipal Cidade de Jequié; 2Uni-
com; lucca.kolbe@gmail.com; versidade Federal da Bahia,
yokotashukutrabalhoesc@gmail.com; mariaepshimizu@ Jequié, Bahia.
gmail.com; juliana@anglobra.com.br E-mails: karinbeatriz@outlook.com; lakitasy@gmail.com;
eduardamenezes543@hotmail.com; analunogueira1999@
O vírus da raiva é chamado de Lyssavirus. gmail.com; ddslima@ufba.br; anaiberti@hotmail.com
Ele é extremamente perigoso e contagioso e
caso um mamífero contaminado não rece- De acordo com o dicionário Michaelis, susten-
ba o tratamento necessário, ele terá 100% de tabilidade é: “qualidade, característica ou con-
chance de morte. Outro grande problema hoje dição sustentável”. Assim, seria a capacida-
em dia é que as pessoas não estão vacinando de de garantir recursos para sobrevivência,
seus animais por acharem que não é uma doen- criando e oferecendo condições para que
ça tão perigosa e relevante. Entretanto, isto é os processos tenham continuidade. O con-
um grave erro, pois caso o animal seja conta- ceito, por isso, nem sempre é claro, pois
minado pelo vírus, ele deverá ser sacrificado, permeia diversas áreas do estudo, da vida,
já que não há uma maneira de curá-lo. Com do ser e da natureza, trazendo reflexões
o trabalho, o grupo tem como objetivo de para o ser individual e para a comunidade.
fazer com que o jogo informe às pessoas que a O jogo “Cartas na Mesa: Jogando com a
raiva ainda é um grande problema na socieda- Sustentabilidade” visa inserir estudantes do
de e que não é um tema muito debatido Ensino Fundamental II em diversas situações
entre as pessoas. Foi desenvolvido um jogo que serão resolvidas a partir do pensamen-
eletrônico onde há etapas em que o jogador to sustentável, trazendo o participante como
tem que derrotar o vírus em diversas fases, as- protagonista das escolhas, avaliando as opções
sim alertando sobre os perigos da raiva e como disponíveis e pensando criticamente. Esse jogo
evitá-los. A cada vitória, ou seja, quando o consiste de 72 cartas, uma lista chamada
vírus for derrotado pelo o jogador, aparecerá “Lista de Temas” e duas cartas para o sor-
uma caixa de texto informando sobre o ví- teio de Sustentável ou Insustentável do mes-
rus da raiva. O resultado do nosso trabalho é tre. Ele pode ser jogado por 3 a 6 jogadores e
um jogo eletrônico. A cada jogada somente será 1 mestre. O objetivo do jogo é determinar se
permitido um jogador e este irá mover-se o mestre é Sustentável ou Insustentável. Ini-
pelas setas do teclado do computador. Não cialmente, cada jogador receberá 6 cartas
há uma quantidade de vidas previstas, caso o e o mestre sorteará sua personalidade. O
jogador perca a fase. O seu objetivo é atingir mestre é o responsável por definir o tema
os genes do vírus a partir dos antígenos, de cada rodada, sendo que pode propor um
encontrados na vacina para imunizar o ani- tema ou escolher um dos temas da “Lista de
mal. Acreditamos que o jogo desenvolvido Temas”. De acordo com o tema dado, os par-
poderá ajudar as pessoas a saberem dos ris- ticipantes devem escolher, entre as cartas que
cos sobre o vírus da raiva, promovendo um tem em mãos, aquela que mais se assemelhe
debate do tema para alertar a população. ao tema proposto e que corresponda a
Com isso, podemos concluir que a população melhor alternativa. As cartas são colocadas
tem que debater mais sobre esse tema e que, a mesa e, sem saber a quem pertencem,
se as pessoas não tomarem as devidas pre- o mestre escolherá a que ele achar mais
cauções, acabará sendo mais prejudicial onde compatível com seu objetivo e mostrará a
haverá muitas pessoas infectadas. mesa. Quando se iniciar uma nova rodada,
Palavras-chave: Vírus, jogo, raiva. os participantes devem pegar uma nova
carta das que não foram usadas. O jogo

105
10º Encontro de Jovens Cientistas

termina quando não houverem mais cartas movimento antivacina tem ganhado grandes
para serem coletadas ou as cartas não forem proporções, sendo prejudicial a toda população
suficientes para todos os jogadores. Ao final, por poder acarretar grandes riscos, levando
os participantes devem debater e juntos devem ao ressurgimento e até o desenvolvimento de
declarar se o mestre é “Sustentável” ou “In- epidemias de doenças até então controladas.
sustentável” pelas escolhas das cartas. Para Nesse sentido, este trabalho tem como objetivo
isso, o participante deve avaliar as estratégias apresentar uma ferramenta didática que possa
do mestre, montar sua própria estratégia e dia- incentivar, em aulas de Biologia, o debate entre
logar com os outros participantes. Acertando o estudantes do Ensino Médio sobre a im-
grupo ganha, errando, o mestre ganha. portância da vacinação. O jogo denomina-se
Defesa Imune e apresenta a referida temá-
Palavras-chave: Sustentabilidade, jogo, cartas. tica através de conteúdos articulados com os
componentes do sistema imunológico e suas
Financiamento: Este trabalho faz parte do respectivas funções. Em suma, o Defesa Imune
Projeto Diversidade de Gênero na Ciência é um jogo de cartas inspirado em jogos como
de Dados: Formação com Base na Expe- Magic: The Gathering, Yu-Gi-Oh! e Hearthsto-
rimentação (também conhecido por Meni- ne, baseando-se no estilo tradicional em jogos
nas na Ciência de Dados), Processo digitais de Tower Defense no qual estudantes,
442282/2018-4, aprovado no Edital CNPq/ em duplas ou equipes, com seus respectivos
MCTIC N. 31/2018. É coordenado pela UFBA e baralhos, simulariam um embate entre patóge-
desenvolvido em parceria com cinco escolas nos e o sistema imunitário. As cartas retratam
públicas (Henriqueta Marthins V Catharino, seus personagens como estruturas do sistema
Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga, Ypiran- imunológico, por exemplo, o Linfócito T (auxi-
ga e Mário Costa Neto) e com outras uni- liador e citotóxico), Macrófagos, Linfócito B e B
versidades. É apoiado pelo Grupo de Pesquisa de memória, além de cartas de Antígeno, Vírus,
Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e outras insti- Bactérias e uma carta especial da Vacina. Todas
tuições de ensino e pesquisa. as cartas possuem informações que mesclam
entre a realidade e a ficção, dando aos compo-
nentes do sistema imune “poderes” que ditam o
CL 06 entretenimento do jogo, mas que não destoam
da sua real função ao corpo humano. Portanto,
Defesa Imune busca auxiliar o(a) professor(a)
DEFESA IMUNE: O JOGO DE a abordar o conteúdo de imunologia de forma
CARTAS lúdica com seus alunos, o qual demonstrou-se
capaz de estimular a participação dos estudan-
Autor: Kevin Santos Fernandes1
tes quando aplicado em quatro turmas de 2º e
Orientador: David Santana Lopes1
Instituição: 1Universidade Federal da Bahia, Salvador, 3º ano do Ensino Médio dos Colégios Estaduais
Bahia. Severino Vieira e Luís Viana, propiciando o de-
E-mails: kevinfernandesbio@gmail.com; acdc.santana@ bate em relação a ação das vacinas no corpo
gmail.com humano e as implicações de vacinar-se corre-
tamente, evitando compreensões errôneas por
A adoção de jogos potencializa o processo de parte dos estudantes, como integrantes da co-
ensino-aprendizagem em sala de aula ao se munidade, visto que a falta de informações
manifestarem como artefatos culturais e veícu- e diálogos adequados sobre a temática é o
los de comunicação, à medida que estimulam o principal disseminador do movimento anti-
interesse de seus usuários ao destituírem pa- vacina.
drões educacionais, neste caso, quanto à ne-
cessidade imediata de memorizar o conteúdo Palavras-chave: Jogos didáticos, cartas, imuno-
abordado. No que tange o ensino de Biologia, logia, ensino, vacinação.
muitos são os conteúdos que suscitam debates
acerca de dilemas sociais que ultrapassam os
limites da escola. Um exemplo contemporâneo
de conteúdo problematizador no âmbito da
Biologia é a importância da vacina para
o ser humano. Atualmente, o denominado

106
Livro de Programação e Resumos

CL 07 derá ainda continuar ajudando, até que o outro


grupo finalize o jogo. O intuito do jogo é
munir os participantes de conhecimentos,
DISCUTINDO E APRENDENDO: A
desconstruindo o estereótipo de incapacidade
IGUALDADE DE GÊNERO feminina e soberania masculina, criando a
igualdade de gênero.
Autores: Davi Levingston Andrade Leão Neto1, Letícia
Pereira Morais Silva1, Natália Rodrigues de Oliveira1,
Melissa Aleluia Pires1, Sara Yasmin Santos Souza1 Palavras-chave: Igualdade de gênero, discus-
Orientadora: Uilma Silva Santos1 são, Jogo de tabuleiro.
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: davilevingstontigerlion@gmail.com; melissa.ale-
luia@gmail.com; nrodrigues0906@gmail.com; saraysantos-
CL 08
souza@gmail.com; uilma@anaterezavirtual.com
ENSINO DA QUÍMICA DOS
A igualdade de gênero significa que homens SANEANTES ATRAVÉS DO SCRATCH
e mulheres devem ter os mesmos direitos e
Autoras: Ana Beatriz Santos de Jesus¹, Brenda Larissa de Souza Mar-
deveres. Homens e mulheres devem ser livres
ques¹, Laís Bastos Pinheiro², Rafaela Liliane Silva de Menezes²
para fazer as suas escolhas e desenvolver as Orientadores: Alzira Melo¹, Raony Maia Fontes²
suas capacidades pessoais, sem a interferência Instituição: 1Colégio Estadual Henriqueta Martins Catharino, ²Univer-
ou limitação de estereótipos. Todas as respon- sidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
sabilidades, direitos e oportunidades devem E-mails: anabeatriz.sj8@gmail.com; brenda.lsm9@gmail.com; lais.

ser igualmente concedidas para todos os gê- bastos.pinheiro@gmail.com; rafaelalsmnz@gmail.com

neros, sem haver qualquer tipo de restrição,


baseada no fato de determinada pessoa ter O scratch é uma linguagem de programa-
nascido com o sexo masculino ou femini- ção que foi desenvolvida pelo grupo Life-
no. No jogo Discutindo e Aprendendo: a igual- long Kindergarten do MIT Media Lab em 2007,
dade de gênero, destinado ao público geral, pensado para que crianças e adolescentes de
tem por objetivo incentivar a sociedade da 8 a 16 anos tivessem o primeiro contato com
conscientização sobre a igualdade de gênero. programação, mas atualmente é usado por pes-
Os participantes (no mínimo 4 de gêneros soas de todas as idades. Esse software utiliza
diversos) devem aprender a respeitar os gêne- blocos lógicos, sons e imagens, sendo possível
ros opostos e discutir sobre temas pertinentes assim criar histórias animadas, jogos e outros
a gênero, leis e história das mulheres, de for- programas interativos de maneira simples. Com
ma lúdica. É um jogo composto por 1 tabuleiro o intuito de despertar um maior interesse no
(com 75 casas, divididos em duas partes. estudo da Química e apresentar a lógica de
Uma com 36 e outra com 39 respectiva- programação e algoritmos de forma lúdica
mente, sendo 8 casas de perguntas, 12 casas para os estudantes do ensino fundamental,
de curiosidades, 15 casas de gire a roleta e as os saneantes foram escolhidos como os pro-
demais de sorte e revés). Há também uma dutos químicos centrais do jogo no Scratch
roleta, onde os jogadores irão girar e deba- por estarem presente principalmente no dia a
ter sobre o tema sorteado em grupo, 1 dado, 2 dia da limpeza doméstica. O objetivo do jogo
pinos e 18 cartões de perguntas e curiosidades. é fazer os jogadores entenderem as diferenças
As perguntas e as curiosidades serão sobre entre os tipos de saneantes existentes, a de-
igualdade de gênero, contribuições e desco- pender do cenário em que estão inseridos.
bertas históricas/científicas introduzidas na São cinco fases com diferentes cenários, a
sociedade pelas mulheres. O jogador que ini- cozinha de uma casa, uma escola, um jardim,
cia o jogo é aquele determinado de forma uma piscina e um hospital, e o personagem
consensual, devendo partir do espaço denomi- vai se encontrando com outros personagens
nado “Início”. Cada equipe tem sua oportuni- a medida que for avançando no jogo, per-
dade; uma vez que jogar o dado, avance (se mitindo que o jogador compreenda a utili-
acertar a pergunta) ou volte determinado(s) zação de produtos de limpeza geral, de ação
número de casas (se errar a pergunta). Neste antimicrobiana, esterilizantes, desinfetantes,
jogo não há ganhador, pois a cooperação inseticidas, entre outros. Para avançar entre as
entre os participantes é o mais importante. fases e vencer o jogo, o jogador precisa lim-
Caso um grupo chegue ao final das casas, po- par o cenário inteiro com o saneante adequado

107
10º Encontro de Jovens Cientistas

dentre os saneantes disponibilizados, sendo sinaram o termo de assentimento, uma vez


questionado do motivo no qual tal sanean- que todos eram menores de idade e seus pais
te é o recomendado para o ambiente em assinaram o Termo de Consentimento Livre e
específico. Esclarecido (TCLE). O resultado da pesquisa foi
justamente o que estávamos observando, de
Palavras-chave: Scratch, programação, sanean- fato, os nossos colegas, na hora do lanche, têm
tes, jogo. como preferência alimentos industrializados,
gordurosos e de preparos rápidos, os conheci-
Financiamento: Este trabalho faz parte do dos como fast-food. Ainda baseado em nossa
Projeto Diversidade de Gênero na Ciência pesquisa, percebemos que os responsáveis,
de Dados: Formação com Base na Experimenta- segundo os dados, não têm interferência
ção, também conhecido por Meninas na Ciência significativa na escolha dos lanches dos seus
de Dados. Aprovado no Edital CNPq/MCTIC N. “filhos”. Como forma de intervenção decidi-
31/2018, Processo 442282/2018-4. É coorde- mos criar um jogo de tabuleiro chamado:
nado pela UFBA e desenvolvido em parceria Food Impact, que tem como principal ob-
com cinco escolas públicas (Henriqueta Mar- jetivo proporcionar reflexão a respeito das
tins Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da consequências de sua alimentação escolar. O
Veiga, Ypiranga e Mário Costa Neto) e com ou- jogo é constituído por 1 tabuleiro, 1 roleta,
tras universidades. É apoiado pelo Grupo de 10 cartas com informações de alimentos, 30
Pesquisa Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e cartas de sorte ou azar e 4 pinos. A roda-
outras instituições de ensino e pesquisa. da inicia quando um jogador obtiver o maior
número na roleta e este começa a partida com
o número que saiu da mesma, a sequência se-
CL 09 gue em sentido horário. No tabuleiro, as ca-
sas podem ser “brancas”, “com interrogações”e
“informativas”. Quando o jogador cair nas
FOOD IMPACT casas brancas, nada acontece, ao cair nas
Autores: Cauan Pacheco Bonfim do Nascimento1, Cayllon
casas com interrogações, retira uma carta da
Pereira Serra Cerqueira1, Everton de Miranda Teixeira1, pilha de sorte ou azar e se cair nas ca-
Iago Borges de Assis1 sas informativas, o jogador deverá ler em
Orientador: Ícaro Andrade Santos1 voz alta a informação contida na carta sobre o
Instituição: 1Centro Educacional Império do Saber, Salva- alimento. Só é permitido 2 a 4 jogadores por
dor, Bahia.
vez. Com isso,os jogadores têm o objetivo
E-mails: cauanpacheco09@gmail.com; cayllonpserra07@
gmail.com; evertonmiranda2004@gmail.com; iborgesdeas- de chegar a Lanchonete Nutrilife da Tia Eloí-
sis@gmail.com; icaroandrade_@hotmail.com. sa após superar os obstáculos do caminho.
Food Impact nos proporciona uma visão crítica
Para realização das nossas atividades diárias o referente a nossa alimentação escolar de uma
nosso corpo requer energia, na qual é forne- forma lúdica.
cida por meio dos alimentos. É inquestionável
a existência da relação direta entre a alimen- Palavras-chave: Alimentação, escola, jogos,
tação e o bem-estar físico e psicológico. Uma saúde, lanche.
vez que não temos uma rotina com uma ali-
mentação adequada, automaticamente com-
prometemos todo o bom funcionamento do
nosso corpo. Durante um período de tempo, CL 10
fizemos observações da rotina alimentar dos
estudantes que tinham em média entre 9 e 16
anos de idade enquanto estavam no intervalo GASOLINA OU ÁLCOOL, O QUE
das aulas e percebemos que as escolhas dos
seus lanches não eram tão saudáveis. Partin-
DEVEMOS USAR?
do disso, decidimos realizar entrevistas para Autores: Guilherme de Castro Vita1, João Vitor de Andrade
comprovarmos os dados observados ante- Lima1, Júlia Cangussu de Oliveira Ferreira Santos1, Laura
riormente. Utilizamos a ferramenta Google For- Nossa1, Nicole Rocha1
mulários para aplicação dos questionários. Os Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira Figueiredo
voluntários que participaram da pesquisa as- Santana1

108
Livro de Programação e Resumos

Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia. de combustível, o desempate ocorrerá através


E-mails: evienossa@uol.com.br; pg_adv@yahoo.com.br; de 3 perguntas referentes ao tema, onde
kaufigueiredo@hotmail.com vence aquele que acertar o maior número de
perguntas.
O álcool e a gasolina são combustíveis utili-
zados para abastecer veículos automotores. Palavras-chave: Álcool, gasolina, rendimento,
O álcool combustível, também chamado de combustível, queima.
etanol ou álcool etílico, é um biocombustível
produzido através da fermentação da cana-
-de-açúcar, ou seja, é um combustível não
derivado do petróleo, o que o torna vantajo-
CL 11
so por sua queima emitir menos gases poluen-
tes na atmosfera e possui baixo rendimento “HISTORIKA” E “TRENFO”
quando comparado à gasolina. A gasolina é um
Autores: João Vicente Freire1, Pedro Henrique de Matos
combustível fóssil, composta basicamente por
Oliveira Santos1
hidrocarbonetos que, embora polua mais o Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1
meio ambiente por apresentar como produto Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
de sua combustão dióxido de carbono e Bahia.
monóxido e carbono, ambos maléficos à hu- E-mails: acvafreire@yahoo.com.br, peueueu.quintal@
manidade, é mais eficiente. O nosso objetivo é gmail.com, marcio.l.correia@gmail.com, lucian.quinalici-

mostrar os prós e contras desses combustíveis nio@yahoo.com.br

através de um jogo de tabuleiro. Nesse jogo, os


2 participantes poderão interagir a cada joga- O Art. 22 da Lei de Diretrizes e Bases (Lei
da, usando o tabuleiro (dividido em dois lados), 9394/96) assegura a formação comum indis-
contém 2 carrinhos, 20 casas coloridas, um pensável para o exercício da cidadania e o for-
dado numérico e um dado de cor (verde, necimento de meios para o estudante progre-
vermelho, amarelo e azul). Começa primeiro dir em sua vida adulta por meio da educação
aquele que, no jogo de dado, tirar o maior básica, o dado nos mostra que para atrairmos
número. Os jogadores iniciarão o jogo com 10 os estudantes é preciso o uso de diferentes
litros de combustível cada, álcool ou gasolina, abordagens na hora de ensinar ou refor-
que é definido através de sorteio. Ao longo da çar determinados assuntos. Com isso, nota-
partida, os jogadores podem conseguir mais mos que o uso de jogos pedagógicos pode
litros ou perdê-los, a depender das suas res- colaborar com o melhor entendimento do
postas às perguntas correspondentes à carta conteúdo e com a melhor relação entre
retirada. O jogador retira uma carta da cor cor- colegas de sala, promovendo assim a criação
respondente à cor obtida através do jogo do de dois jogos de carta com temática de assun-
dado de cor, a qual consta de uma pergunta a tos abordados no Ensino Médio nas matérias
ser respondida e, em caso de acerto, além de História e Química, trazendo para a sala
avançar o número sorteado no dado, receberá de aula o reforço do ensino de modo mais lú-
litros a mais, especificado na carta recebida. Se dico. O primeiro desses jogos é o “Historika”
errar a resposta, perde a quantidade de litros um jogo onde dois jogadores se tornam uma
especificada na carta e não avançará no tabu- entre as seis personalidades históricas do
leiro. Cada cor do dado representa um conjunto jogo, Napoleão, Júlio Cesar, Cleópatra, Carlos
de 10 cartas que contém perguntas a serem Magno, Alexandre o grande e Dario I. O deck
respondidas pelos jogadores, além de dois de cada jogador consistirá de 30 a 40 cartas
lados a mais no dado que ordenam “passar a e os jogadores passarão por 5 fases: com-
vez” e “escolha qual a cor da carta que prefere”. pra de cartas, jogada das cartas compradas,
O tabuleiro também conta com algumas ca- batalha entre jogadores (usando habilidades
sas com símbolos que representam cartas de descritas nas cartas jogadas, ou seja, em suas
sorte ou azar. Ganha o jogo aquele participante “tropas’), jogada pós-batalha e passe. Ganha o
que tiver mais litros de combustível ao final jogo, aquele que acabar com a vida do adver-
da partida. Caso algum dos jogadores gaste sário. O segundo desses jogos é o “Trenfo”, no
todo seu combustível, o jogador rival vence a qual dois jogadores irão competir com um deck
partida. Se os jogadores chegarem ao final do principal de 50 cartas (25 para cada) represen-
tabuleiro empatados com a mesma quantidade tativas de elementos da tabela periódica e
suas respectivas propriedades (raio atômico,

109
10º Encontro de Jovens Cientistas

eletropositividade, eletronegatividade e etc.), do local, e execução de viagens acompanhadas


que serão usadas para eliminar o elemen- no trajeto a pé de casa até o ponto de parada
to jogado por seu oponente. O jogo consta do transporte público. O estudo foca particu-
de apenas uma fase, que é a de batalha. Cada larmente os padrões de viagem dos morado-
participante do jogo irá usar a propriedade que res com mobilidade reduzida ou com restrição
lhe parece mais potente no elemento em sua de mobilidade, verificando as dificuldades de
mão e a usará contra seu adversário. Caso acesso às atividades de trabalho, educação,
um dos jogadores tenha perdido nas 5 roda- lazer e esporte. Como produto final de todos
das anteriores, ele pode juntar sua carta com os levantamentos, será desenvolvido um jogo
a do adversário, formando novos compostos utilizando a plataforma scratch, a qual é uma
que terão propriedades intermediárias entre linguagem de programação desenvolvida pelo
os elementos jogados (como H-O-H e Na-Cl) e grupo Lifelong Kindergarten do MIT Media Lab,
poderá usar as cartas dos elementos que se li- em 2007. O jogo terá como personagens prin-
garam como uma espécie de “carta coringa” em cipais pessoas com mobilidade reduzida, como
uma rodada posterior. Perde o jogo, aquele que cenário contando os obstáculos existentes no
não tiver mais cartas na mão. deslocamento de pessoas com restrição de mo-
bilidade, assim como soluções para tornar as
Palavras-chave: Jogo, batalha, LDB. localidades analisadas mais acessíveis.

Palavras-chave: pessoa com restrição de mobi-


CL 12 lidade, mobilidade urbana; acessibilidade uni-
versal.
INCLUSÃO NA MOBILIDADE Financiamento: Este trabalho faz parte do Pro-
URBANA ATRAVÉS DA ANÁLISE jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da-
MICRO E MACROACESSIBILIDADE: dos: Formação com Base na Experimentação
ESTUDO DE CASO DO VALE DA (também conhecido por Meninas na Ciência de
Dados),Processo 442282/2018-4, aprovado no
MURIÇOCA E ENGENHO VELHO DA Edital CNPq/MCTICN.31/2018. É coordenado
FEDERAÇÃO pela UFBA e desenvolvido em parceria com
cinco escolas públicas (Henriqueta Marthins
Autoras: Carollyne Santos Dourado1, Maria Isabel Bonfim
Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga,
dos Santos1, Polyana Cerqueira Machado1, Adriana Silva
Santana1, Priscila Naiara Santos Andrade2
Ypiranga e Mário Costa Neto) e com outras uni-
Orientadoras: Cecília Peixoto da Silva2, Silvia Miranda1 versidades. É apoiado pelo Grupo de Pesquisa
Instituições: 1Colégio Estadual Mário Costa Neto; 2Univer- Gamma/UFBA,R-Ladies Salvador e outras insti-
sidade Federal da Bahia, Programa de Pós-Graduação em tuições de ensino e pesquisa.
Engenharia Industrial (PEI), Salvador, Bahia.
E-mails: carollyne.mcn@gmail.com; mariaisabel.mcn@
gmail.com; polyana.mcn@gmail.com; a.s.santana@hotmail.
com; pryl_andrade@hotmail.com; cecilia.mcn@gmail.com; CL 13
silviamiranda12@gmail.com

JOGO DE ESCOLHAS DO SEXISMO


Este trabalho de pesquisa tem como objetivo
principal analisar o deslocamento das pessoas Autores: Felipe Sobral1, Guilherme Mattedi1, Lara Lima,
com restrição de mobilidade que residem nas Maria Clara Silva1, Vitor Reis1 Orientadora: Guacira
localidades do Vale da Muriçoca e no Engenho Cavalcante1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
Velho da Federação, em Salvador, Bahia. Para
E-mails: felipesalustinos@gmail.com; mattediguilher-
atingir o objetivo determinado, estudaram-se me11@gmail.com; laralimasa07@gmail.com, claraplsiva@
as condições de mobilidade dos moradores do gmail.com; vitorladeirareis@gmail.com; gal@anglobra.
bairro, realizando coleta de dados para averi- com.br
guar a qualidade dos serviços oferecidos pelo
transporte coletivo, ônibus, como: lotação, Sexismo é a “atitude de discriminação baseada
frequência, pontualidade, tempo de viagem, no sexo” (HOUAISS, 2015, p. 865) e interfere na
microacessibilidade e macroacessibilidade. vida dos indivíduos de diferentes maneiras.
Como também, aplicação de questionários para No caso das mulheres, faz com que ganhem
caracterizar o padrão de viagem das pessoas menos, trabalhem mais (dupla jornada) e so-

110
Livro de Programação e Resumos

fram violência, além de serem obrigadas a se para se adequar ao convívio social e as


comportarem de formas socialmente determi- respectivas atividades acadêmicas. Neste jogo,
nadas. No caso dos homens, os mais afetados o participante (portador do autismo), 1 so-
são os mais novos, que também são convo- mente, deve ser acompanhado por um tera-
cados a desempenharem um papel estabele- peuta,um professor ou até mesmo um dos
cido. Além disso, pessoas que foram vítimas responsáveis legais, o qual trabalha o lógico
de atos de sexistas podem sofrer problemas matemático da criança, o oportunizando a ter
psicológicos e, por isso, é essencial incentivar acesso e a estimular suas associações de co-
a reflexão sobre o tema. Neste jogo, o jogador res, formas geométricas e os números, sendo
ampliará o seu conhecimento sobre o sexis- este possível somente se a criança já estiver
mo e as suas consequências. Dessa forma, um estímulo externo. O jogo é composto por 1
poderá analisar o seu próprio comportamento tabuleiro, dividido em 3 partes; 1 caixa de
e decidir como agir em situações semelhan- MDF pequena; 4 potes coletores com tampas
tes às apresentadas na brincadeira. No início, de cores azul, vermelho, verde e amarelo;
uma história será lida pelos organizadores e, fichas nas cores azul, vermelho, verde e
em seguida, os jogadores irão sortear os seus amarelo; 1 caixa grande removível com per-
caminhos e a brincadeira começará. Em cada furações de círculo, quadrado e triângulo; 2
parada, será lida uma situação-problema para bolas de tênis; 2 cubos de MDF; 2 triângulos;
que o participante da vez opte por uma das 3 garrafas pets reutilizadas; palitos de picolé
opções de múltipla escolha. De acordo com nas cores amarelo, verde e vermelho; 6 fichas
a resposta, o jogador seguirá por um deter- numeradas de 1 a 6 e com velcro. Ao iniciar
minado caminho e conhecerá a consequência o jogo, o jogador relaciona, na 1º fase, as
de sua escolha. Ao final, o jogador poderá ler, fichas coloridas nos seus respectivos potes da
na cartela de respostas, qual foi o seu desem- cor ideal, desenvolvendo sua associação de cor;
penho e, se ele for “ruim” ou “mediano” rece- na 2ª fase, terá a caixa grande e a crian-
berá dicas de como melhorar seu desempe- ça irá guardar os objetos nas respectivas
nho nas situações apresentadas. perfurações, ampliando seu conhecimento e
Palavras-chave: Sexismo, mulheres, sociedade. associações de formas geométricas e, final-
mente, na 3ª fase, o participante relaciona o
número colado com velcro na garrafa pet
CL 14 com a quantidade de palitos de picolé que
se deve colocar na abertura da garrafa pet,
estimulando a noção de quantidade.
JOGO PEDAGÓGICO INCLUSIVO
PARA CRIANÇAS COM TEA Palavras-chave: Desenvolvimento, associações,
(TRANSTORNO DO ESPECTRO matemática, autismo.
AUTISTA)
Autoras: Camilly Oliveira Brito da Silva1, Isabella Bra- CL 15
mont1
Orientador: Leandro Menezes1
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia. NA TRILHA DO DESCOBRIMENTO
E-mails: millybrito1@hotmail.com; leandro@anaterezavir-
tual.com Autores: Elaine Pires Souza1, Fabrício Gabriel Souza
Lima1, Maria Luiza Ferreira Santana1, Raquel de Jesus
Pinheiro1, Salmo de Jesus Santos1
O Transtorno do Espectro Autista (TEA), ou Orientadora: Josefa Rosimere Lira da Silva1
conhecido somente por autismo, é um trans- Instituição: 1Escola Municipal Nova do Bairro da Paz,
torno, e não doença, que, segundo o pesquisa- Salvador, Bahia.
dor Alysson Muotri, atinge 1 a cada 59 crian- E-mails: fabricio@gmail.com; rosimere.lira@gmail.com
ças. Seus sinais são percebidos de uma forma
comportamental pelos pais e/ou responsáveis A História é uma ciência que investiga o pas-
do jovem, pois o autismo é um transtorno sado da humanidade, tendo como referência
perceptível pela conduta do paciente e não um lugar, uma época, um povo. Dessa
por exames laboratoriais. Sua terapia deve ser forma, o presente trabalho vai abordar co-
trabalhada, reabilitada, modificada e tratada nhecimentos sobre a história das caravelas

111
10º Encontro de Jovens Cientistas

nos séculos XV e XVI, o dia-a-dia nas longas jogo de tabuleiro cujo tema é ansiedade. An-
viagens, a alimentação e as doenças, as rotas siedade de modo geral é uma reação que
das viagens marítimas e a expansão marítima todo ser humano vivencia diante de algu-
portuguesa. Os grandes navegadores, entre mas situações do dia a dia, porém algumas
eles, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, pessoas experimentam esta reação de forma
Bartolomeu Dias, Fernão de Magalhães e mais intensa e frequente, podendo ser con-
Cristóvão Colombo. Além disso, vai explorar siderada uma doença. O jogo visa auxiliar
a febre das especiarias nessa época, a im- na identificação de traços de ansiedade atra-
portância da Escola de Sagres, as grandes vés de perguntas e respostas sobre situações
invenções que facilitaram as navegações, do dia a dia e, ao mesmo tempo, promover um
como: astrolábio, quadrante, mapas, bússola momento de interação e diversão entre amigos
até a chegada dos portugueses ao Brasil e a e familiares. O “Pense, Não Surte!” contém
vida dos indígenas que aqui viviam. Sendo um tabuleiro com casas numeradas de 1 a 20,
assim, o objetivo desse jogo é apresentar de que poderão ser avançadas de acordo com as
forma divertida informações sobre o perío- decisões tomadas pelo jogador. Ao todo serão 4
do das grandes navegações até a época do jogadores e cada um será representado por um
descobrimento. Na “Trilha do Descobrimento” pino de cor diferente. Antes de iniciar a partida
é um jogo de tabuleiro destinado a estudan- deverá ser escolhido o “rei do jogo”, ou seja, a
tes do ensino fundamental, das séries iniciais. pessoa que fará as perguntas, para auxiliar
O jogo é indicado para crianças a partir de 8 nessa decisão estão inclusos no jogo 2 da-
anos, e possui 1 tabuleiro com 39 casas, onde dos, que devem ser jogados por todos os jo-
13 casas são de perguntas e 11 de sorte ou re- gadores e, quem obtiver o maior número,será o
vés. Possui 60 cartas: sendo 40 de perguntas e “rei do jogo”, lembrando que na vez do mesmo
20 de sorte ou revés, 1 dado e 4 pinos. Devem o jogador a sua direita deverá lhe fazer a per-
jogar no mínimo duas pessoas e no máximo gunta. Logo, o jogo é simples, os jogadores re-
quatro. Os participantes podem formar duplas ceberão perguntas sobre situações que podem
ou trios com os pinos. O jogo começa com o jo- ser vivenciadas no dia a dia, as mesmas serão
gador que tirar o maior número de pontos no feitas pelo “rei do jogo” e suas respostas serão
dado. À medida que jogam o dado, andam o de acordo com a atitude que o jogador achar
número de casas correspondente ao indicado correta, caso sua atitude realmente esteja cor-
no dado e estão sujeitos à interatividade das reta, avançará uma casa, caso contrário conti-
casas. Ao cair em uma casa de sorte ou revés, nuará em sua posição atual, vence o jogo quem
o jogador pode avançar ou voltar. Ao cair em chegar primeiro a casa “FIM” ou quem estiver
uma casa de pergunta, o jogador tem três alter- mais próximo dela caso as perguntas acabem.
nativas a escolher, sendo que apenas uma é a
correta. Vence o jogo aquele que chegar primei- Palavras-chave: Ansiedade, saúde, jogos.
ro na última casa.

Palavras-chave: História, descobrimento, gran- CL 17


des navegações, jogo de tabuleiro.
RECIQUIZ
CL 16 Autores: Eduarda Braga Simões1, Giovanna Deoclecio
Meira1, Lucas Motta de Lacerda1,
Marina Oliveira de Souza Aquino1, Sofia Mello Costa1
PENSE, NÃO SURTE Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira Figueiredo
Santana1
Autoras: Beatriz Rodrigues1, Lohana Andrade1, Maria Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.
Eduarda Barreto1, Marianna Borges1, Marianne Reis1 E-mails: marinaosaquino@gmail.com; kaufigueiredo@
Orientador/a: Andréa Mascarenhas1, Davi Ferreira
hotmail.com
Barreto1
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô-
nio de Jesus, Bahia. O papel é um recurso muito utilizado pelas
E-mails: daviufrb@gmail.com pessoas. Utilizamos o papel para muitas ativi-
dades: escrever, imprimir, fazer documentos,
O projeto “Pense, Não Surte!” consiste em um ler, aprender, enfim, várias utilidades! Mas
existe um uso excessivo. Algumas pessoas

112
Livro de Programação e Resumos

rasgam sem motivo, riscam, não usam combustíveis, como Carboidratos, Proteínas e
os dois lados. A reciclagem do papel é de Lipídios. Nos alimentos a unidade caloria (Kcal)
extrema importância para o meio ambiente. está nas embalagens para apresentar ao con-
“Reciquiz” é um jogo de dominó destinado a sumidor a quantidade de energia que será pro-
estudantes do Ensino Fundamental, cujo ob- duzida após a ingestão de certa quantidade do
jetivo é apresentar informações sobre alimento. O objetivo do trabalho é apresentar
a produção do papel, as consequências para as pessoas as calorias existentes nos di-
da utilização excessiva ao meio ambiente e versos alimentos possibilitando a melhor es-
alternativas para a utilização consciente. Nes- colha energética pelos mesmos. Para realizar o
se jogo, trocamos os números por perguntas e trabalho inicialmente foram realizadas leituras
respostas. É composto por 2 participantes, em textos específicos sobre o tema e para o
são necessárias 22 pedras retangulares. Cada jogo foi utilizado um dado de seis lados, pape-
pedra está dividida em 2 espaços iguais em lão e cartolina para fazer as cartas e imagens
que aparecem perguntas e respostas.As pedras de folhetos de supermercado(como protótipo),
serão embaralhadas de cabeça para baixo e depois o jogo foi refinado para imagens obtidas
cada jogador escolherá 11 pedras. O jogo inicia da internet. Foi produzido um jogo da memória
pelo jogador que ganhar o par ou ímpar. Este com 26 cartas, sendo 13 com as imagens de
deve colocar uma de suas pedras na mesa. O alimentos e 13 com o valor calórico. Para o jogo
próximo jogador deve colocar a pedra corres- são necessários 2 jogadores ou 2 duplas, com
pondente à pergunta ou à resposta de uma das no mínimo 13 anos de idade. Inicia o jogo quem
extremidades da pedra que está na mesa. Se ganhar maior ponto no dado, embaralham-se
o jogador não tiver uma pedra correspondente as cartas e espalha as mesmas com os valores
à pergunta ou à resposta, deve passar a sua e imagens voltadas para a mesa. Um jogador
vez ao outro jogador. Vence o jogador que pega uma carta, e se for imagem, tenta desco-
acabar primeiro com as pedras da sua mão. brir outra carta que tenha o valor calórico des-
sa imagem, e vice-versa. Ao achar o valor caló-
Palavras-chave: Papel, recursos, reciclagem, rico e/ou a imagem o jogador precisa dizer se a
produção. caloria equivale a imagem. Se o jogador acertar,
continua jogando. O jogador recoloca as cartas
CL 18 na mesa e passa a vez, caso erre a resposta e/
ou pegue 2 cartas com imagens ou duas car-
tas com informações de calorias. Ganha o jogo
SAÚDE EM PAUTA quem tiver mais cartas. A conclusão é que com
Autoras: Pamela Rebeca Miranda Brito1, Leonara Raissa
o trabalho possamos melhorar o entendimento
O. dos Santos1 das pessoas quanto à quantidade de energia
Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2 dos alimentos.
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães;
2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/SMS/PMS, Salvador, Palavras-chave: Alimentação, saúde, nutrição.
Bahia.
E-mails: ariananeves230@gmail.com; leonararaissa@
Financiamento: CNPq.
outlook.com; brosemar@gmail.com

A nutrição é um dos temas mais importantes


atualmente quando se pensa em saúde, pois CL 19
muitas pessoas que não se preocupam com
a sua alimentação desenvolvem vários pro- SOCORRO A VISTA
blemas de saúde. Cuidar da saúde nutricional
envolve o conhecimento da composição quími- Autores: David Emanuel Silva de Almeida1, Davi Santos
ca dos alimentos, interações entre alimentos, Nascimento1
Orientadora: Bárbara Rosemar Nascimento de Araújo1,2
bem como as calorias dos mesmos. A caloria
Instituições: 1Colégio Estadual Alfredo Magalhães,
dos alimentos é uma unidade de medida uti- 2Vigilância em Saúde Ambiental/DVIS/SMS/PMS, Salvador,
lizada para representar a energia na forma de Bahia.
calor (energia térmica) e a unidade de medida é E-mails: davidemanoelsilvadealmeida@gmail.com; davido-
Joule (J) ou (Kcal). Nos humanos a produção de santosnascimento@gmail.com; brosemar@gmail.com
energia ocorre a partir dos alimentos, dentro
das células utilizando um ou mais nutrientes Primeiros socorros são quando uma pessoa

113
10º Encontro de Jovens Cientistas

tenta socorrer em primeira emergência, ou seja, Instituição: 1Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Salva-
se presta a realizar um socorro rápido em uma dor, Salvador, Bahia.
E-mails: andersontosan335@gmail.com; maianagonza-
situação de risco. Nesse caso, quanto menos
ga45@gmail.com; italo.gabriel8@hotmail.com; aidilggar-
demorar o atendimento inicial maior a possi-
cez@gmail.com
bilidade de reduzir sequelas ou até a morte da
vítima. Poucas pessoas conhecem as principais
As parasitoses representam um importante
ações a tomar em casos de acidentes e muitas
problema de saúde pública, afetando adul-
vezes realizam atendimentos com o intuito de
tos e crianças em todo o mundo. Durante déca-
ajudar o acidentado, mas termina provocando
das, metodologias didáticas tradicionais con-
mais problemas. O objetivo do trabalho é a
tribuíram para o desinteresse dos alunos
produção de um jogo para ensinar as pessoas
na aprendizagem, principalmente nas discipli-
sobre as atitudes que devem tomar em uma
nas ciências e biologia, cujo quadro é agravado
situação de risco. Para tanto, utilizamos caixa
pela complexidade da linguagem científica
de papelão, placa de isopor, cartolina, dois tu-
e pelos inúmeros conceitos em relação às
bos, duas tampinhas, barbante e fita isolante.
doenças. Um dos maiores desafios dos siste-
O isopor foi cortado em duas partes, sendo
mas educacionais é transformar o aprendizado
que uma parte ficou na vertical comum pape-
em uma tarefa lúdica, para isso, não é preci-
lão em forma de tabela e outra na horizontal
so apenas muita criatividade, mas também,
com raias separadas por barbante. No local das
instrumentos que atendam as necessidades
raias foram feitos cortes de aproximadamen-
pedagógicas dos estudantes e atraiam o in-
te 3 cm para colocar as cartas com perguntas
teresse destes. Nesse contexto, o jogo didático
sobre primeiros socorros. O jogo de tabuleiro
ganha espaço como ferramenta alternativa de
pode ser jogado por 2 participantes. O jogador
aprendizagem por estimular, desenvolver
que iniciará o jogo deve ser quem pegar mais
experiências e construir novos conceitos.
fichas para colocar na raia do jogo no tempo
“Simbiontes” é um jogo digital construído por
de 30 seg. O participante 1, ganhador, inicia o
um grupo de alunos do Centro Juvenil de
jogo pegando uma carta de problema e o mes-
Ciência e Cultura de Salvador, com o
mo deve utilizar as fichas que coletou para
objetivo de proporcionar aos estudantes
colocar na raia equivalente a carta. Na tabela,
da educação básica uma nova ferramenta
caso a ficha não esteja de acordo com a carta
pedagógica que possa auxiliar na preven-
problema o participante 1 passa a vez para o
ção das principais parasitoses intestinais.
participante 2. Cada participante deve pensar
O jogo foi construído no primeiro semestre de
como resolveria o problema de acordo com o
2019 e durante esse período foram feitas
símbolo de risco. Concluímos que a estrutura
reuniões semanais onde foram discuti-
do jogo pode possibilitar as pessoas refletiram
das suas estratégias, tais como público alvo,
a importância de ter conhecimentos relativos
caracterização dos personagens, efeitos grá-
aos primeiros socorros a serem prestados a
ficos, nível de dificuldade e também conteú-
pessoas acidentadas.
dos envolvendo ludicidade e aprendizado. O
jogo foi desenvolvido na plataforma Scratch
Palavras-chave: Primeiros Socorros, emergên-
do Instituto Tecnológico de Massachussets
cia, acidentes.
(MIT), experiente no desenvolvimento de
ferramentas educativas para crianças na
idade escolar. Trata-se de um contexto de
programação visual e multimídia e está des-
CL 20 tinado à criação de sequências animada para
a aprendizagem de programação de forma sim-
SIMBIONTES: PROPOSTA DE ples e eficiente. Foi escolhida essa plataforma
UM JOGO DIDÁTICO PARA pelo fato de ser uma ferramenta própria para
programadores iniciantes. A estrutura de
ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO programação do jogo possui mecânica e es-
BÁSICA tilo de tabuleiro e reúne elementos de quiz.
É composto de 21 perguntas envolvendo
Autores: Anderson Conceição dos Santos1, Maiana Gonza- conceitos, formas de contágio, fontes de
ga dos Reis1, Ítalo Gabriel da Cunha Santos1
infecção, prevenção, sintomas e tratamento das
Orientadora: Aidil Gonçalves Garcez1
principais parasitoses. Está dividida em três

114
Livro de Programação e Resumos

fases, cada fase é composta por um perso- de Nitrogênio 90% e metano 4% e a


nagem e por sete perguntas que, ao serem composição química do solo, que é predo-
corretamente respondidas, leva o persona- minante de Hidrocarbonetos poderia causar
gem para a fase seguinte, caso a resposta não uma dificuldade para plantar. Entendendo
esteja correta, o jogador terá uma nova chance as dificuldades e pensando nos problemas
de respondê-la. Ao concluir a terceira fase, o de adaptação e sobrevivência que o homem
jogo estará terminado. Por tratar-se de um jogo teriam que enfrentar foi feito um jogo, com
com caráter educativo que tem por objetivo di- o intuito de elucidar as possibilidades de so-
fundir as principais formas de contaminação e breviver em Titã, o jogo se baseia em um mapa
prevenção das parasitoses, não há vencedores de Titã, e em dois tipos, um mais dinâmico e in-
nem perdedores. O jogo está disponível para dividual em que cada participante deve seguir
uso no site da plataforma Scratch cujo endere- as instruções, anteriormente dito para que
ço eletrônico é: https://scratch.mit.edu/ e pode construa primeiro sua base e com isso con-
ser acessado através do link https://scratch.mit. cluir a missão. Outro cooperativo, em que cada
edu/projects/269980842/. jogador terá que cooperar um ao outro para
juntos completarem a missão de completar
Palavras-chave: Parasitoses; Prevenção; Tecno- a base que brevemente instruídos para rea-
logias digitais. lizar. Embora tenha uma grande distância en-
tre a Terra e Titã, porém, para fins de dar mais
dinâmica para o jogo foi consideradas apenas
CL 21 as dificuldades internas da lua desconside-
rando as dificuldades enfrentadas durante o
trajeto Terra-Titã. Com a realização do jogo
TITÃGENESIS: COLONIZANDO A espera-se ter uma completa visão sobre as
LUA DE SATURNO possibilidades de colonizar os espaços do sis-
tema solar.
Autor: Luiz Eduardo Pontes Esquivel1
Orientador: Jorge Bugary Teles Junior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de Palavras-chave: Colonizar, titã, sobrevivência.
Freitas, Bahia.
E-mails: luizeduardopontesesquivel@outlook.com; jbu-
gary@hotmail.com CL 22
Grandes são as dificuldades quando se trata da
colonização e da sobrevivência em um lugar
UM JOGO SOBRE A OBESIDADE
que não é a Terra, a maior lua de Saturno Autores: Filipe Matos de Mesquita1, Maria Fernanda Oli-
Titã tem muitas dificuldades que serão encon- veira de Azevêdo1, Pedro Bitencourt Fonsêca Carvalho1,
tradas e deverão ser solucionadas para ter Raquel Barbosa Oliveira da Silva1
uma colonização bem-sucedida. A fim de des- Orientadora: Caroline Dóres Freitas1
vendar a dificuldade e possibilidade de coloni- Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: mfilipe2007@gmail.com , nandaoliveiraa07@
zar Titã, foi idealizado um jogo para revelar as
gmail.com,peu.bfcarvalho@gmail.com , raquelbosilva@
condições da lua e ter um melhor conhecimen-
gmail.com, carolinedfreitas@hotmail.com
to sobre os problemas de sobreviver por lá.
As principais dificuldades da lua vai de chegar
A obesidade é o acúmulo de gordura exces-
até lá e os primeiros anos na lua, em todo o
siva no corpo e pode gerar outros proble-
percurso os astronautas enfrentariam diver-
mas como hipertensão, aterosclerose e doenças
sos problemas que vão desde a gravidade
cardíacas. É uma doença que vem crescendo
0 (zero) até a alta incidência dos raios
muito na sociedade e, nesse contexto, o
ultravioletas. Haverá simulações e exercícios
Brasil foi afetado também. Nos últimos dez
necessários para que o corpo se adapte a
anos, a taxa de obesidade cresceu 60% em nos-
essa realidade. As dificuldades iniciais da lua
so país e crescerá ainda mais, se nada for feito.
estão nas suas baixas temperaturas (varia
Assim, para favorecer reflexões importantes a
de -159°C até -180°C) e sua baixa gravidade
respeito dessa realidade, foi desenvolvido um
(1,3 m/s2) e sua pressão atmosférica quase
jogo de tabuleiro, no Colégio Anglo-Brasileiro,
1,5 vezes maior (146 kPa), seus lagos formados
em 2019, para tratar, de forma didática desse
por metano e sua atmosfera, predominante
assunto-tão discutido atualmente a fim de

115
10º Encontro de Jovens Cientistas

que as pessoas aprendam enquanto brincam de tabuleiro abstrato para até 4 jogadores. Em
e se divertem, passando por desafios e res- UP! O jogador precisa planejar cada jogada vi-
pondendo às perguntas propostas no jogo. Para sando pontuar o máximo possível diante de
a criação deste jogo foram utilizados materiais cada ação. O jogo contém 28 peças similares
de baixo custo como papel e papelão. “Um Jogo a dominós (divididas igualmente entre os joga-
Sobre a Obesidade” pode ser jogado por até 04 dores) e um tabuleiro de 14 x 14 cm. No início
pessoas. Ganha o jogador que primeiro conse- da partida o jogador que estiver de posse da
guir chegar ao final do tabuleiro. Cada um, peça de valor zero, será o primeiro jogador,
na sua vez, joga o dado e anda a e a coloca no centro do tabuleiro. O próximo
quantidade de casas correspondentes. Se cair jogador escolhe uma das suas peças e a põe
em uma das casas especiais –desafio, pergunta no tabuleiro de forma que haja contato pelo
e sorte ou revés – o jogador retira uma car- menos uma de suas faces com as peças já em
ta e deve cumprir o que for determinado jogo. Os jogadores seguintes pontuarão se con-
por ela.O jogo é adequado para pessoas de seguirem sobrepor peças com valores iguais às
todas as faixas etárias. Ao percorrer o tabulei- que já estão no tabuleiro. Peças colocadas no
ro com seu pino, o jogador experimentará uma nível do tabuleiro (“térreo”) não pontuam. Po-
divertida aventura, passando por desafios, res- rém a cada nível, as peças sobrepostas terão
pondendo às perguntas que testarão seu co- seu valor multiplicado pelo andar ocupado. Por
nhecimento e, ainda, terá oportunidade de exemplo: um pedra com valor oito colocada no
testar a sua sorte, por meio das cartas, que po- primeiro andar vale 8 pontos de vitória (8x1)
dem ajudar ou “atrapalhar” seu avanço. Sendo e no segundo andar valeria 16 pontos (8x2).
assim, podemos concluir que,os jogos são uma Se o jogador não conseguir colocar uma peça,
ferramenta inovadora e capaz de criar desafios seu valor será subtraído dos pontos de vitória.
que despertam o interesse pela aprendiza- O jogo termina quando as peças de todos os
gem e, assim, promovem o conhecimento de jogadores acabam. Os pontos são contabiliza-
forma eficaz e prazerosa. No caso deste pro- dos e se nenhum jogador tiver completado 50
jeto, a experiência de jogar possibilita que o pontos inicia-se uma nova rodada. O jogador
jogador tenha um panorama sobre a obesidade que primeiro alcançar 50 pontos será o vence-
(conceitos, riscos, estratégias de prevenção), dor. Em caso de empate, vence o jogador que
de uma forma divertida e descontraída, pro- estiver com o menor número de peças sem
vocando reflexões sobre alimentação e hábitos usar. Se o empate persistir vence o menor so-
de vida saudáveis. matório das peças. UP! É um jogo estratégico,
construído por docentes e no ambiente escolar.
Palavras-chave: Obesidade, aprendizagem, jogos. No entanto, os autores não desconsideram o
potencial deste jogo para espaços de lazer, por
isso, o próximo passo é formatar a viabilidade
CL 23 comercial do jogo.

Palavras-chave: Raciocínio lógico, design de jo-


UP! - PENSAR ALTO É RACIOCINAR gos, jogos tabuleiro modernos.
MATEMATICAMENTE
Autor: Flávio Luís Álvares Santarém¹
Orientadora: Silvanir Pereira Souza¹,² CL 24
Instituições: ¹Colégio Estadual Almirante Barroso; ²Instituto
Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - Cam-
pus Santo Amaro, Santo Amaro, Bahia.
XADREZ DO MUNDO ANTIGO
E-mails: flaviogiz@gmail.com; souza.silvanir2@gmail.com
Autoras: Sophia Chediak Souza¹, Gabriela Andrade Mattos¹
Orientador: Jordan Santos Mendes¹
O exercício do raciocínio lógico é uma excelen- Instituição: ¹Escola Concept, Salvador, Bahia.
te estratégia no processo de aprendizagem da E-mails: sophia.souza@conceptstudent.com.br; gabriella.
Matemática. Para tornar esse exercício provei- mattos@conceptstudent.com.br;

toso e lúdico é fundamental priorizar a cons- jordan.mendes@conceptedu.com.br

trução do conhecimento através de atividades


que despertem o interesse dos alunos. Diante Conhecer os personagens, conquistas e aconte-
desse contexto foi desenvolvido o UP!, um jogo cimentos históricos da Grécia e da Roma Antiga

116
Livro de Programação e Resumos

é fundamental para entendermos a sociedade à Lua. Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Ar-
e o mundo em que vivemos hoje. O “Xadrez do mstong, foram os três astronautas enviados ao
Mundo Antigo” é um jogo de tabuleiro destina- satélite natural; e a galáxia de espiral barrada
do a estudantes e pessoas que desejam apren- NGC 4151 conhecida como o “olho de Sauron”
der de uma forma divertida e lúdica sobre a referência ao vilão do filme “O senhor dos
Antiguidade Clássica. O xadrez temático é com- anéis”. Com a eclosão da internet as pessoas vi-
posto por trinta e duas peças divididas igual- raram inertes e gerou um declínio do interesse
mente em dois grupos: um grupo de peças que em entender como funciona o mundo. Por meio
representa personagens e objetos históricos da brincadeira o indivíduo desperta o desejo
da Grécia Antiga e outro que representa per- do saber, a vontade de participar e o prazer
sonagens e objetos históricos da Roma Antiga. da conquista. Um jogo de tabuleiro sobre as-
As regras de movimentação dos peões, torres, trofísica ajudaria a expandir o conhecimento,
cavalos, bispos, rei e rainha são as mesmas do mas também desconstruiria o que muitos têm
xadrez tradicional, assim como o objetivo prin- em mente diante esse assunto. O desenfado irá
cipal do jogo que é capturar o Rei adversário. funcionar da seguinte maneira: haverão cartas
Alexandre “O Grande” (Rei), Roxana (Rainha), com perguntas e respostas que após o lança-
Platão (Bispos), o Cavalo de Tróia (Cavalos), mento de um dado irá decidir qual dupla jogará
Pitágoras (Torre), Sócrates (Torre) e Hipócrates primeiro, dessa forma, esta terá que selecionar
(Peões) representam as peças da Grécia Anti- uma carta na qual obterá um questionamento
ga. As peças da Roma Antiga são representadas sobre algo relacionado a astrofísica com deter-
por Rômulo (Rei), Lívia Drusila (Rainha), Clóvis minado grau de dificuldade, caso não saibam
(Bispos), Júlio César (Cavalos), Tito (Torre), Ves- responder poderão ter a opção de ver uma
pasiano (Torre) e Espártaco (Peões). Pelo fato dica, mas sofrerá um dano na pontuação final.
das peças representarem esses personagens Uma das regras é se a peça cair sobre o local
históricos, criamos uma regra especial que ga- que obtiver um buraco negro ficarão presos
rante uma jogada extra ao jogador que captu- (por conta da grande força gravitacional) e não
rar a peça do adversário e conseguir descrever será possível jogar por 3 rodadas. O principal
corretamente que personagem ou objeto re- objetivo do jogo é impedir que um cometa
presenta dona peça capturada, explicando sua chegue ao planeta Terra extinguindo a raça hu-
relevância histórica. A resposta pode ser con- mana. Dado o exposto para construir este pro-
ferida pelos jogadores a partir da leitura de QR jeto será necessário a utilização de materiais
Codes, subscritos em cada peça, que dão aces- recicláveis como papelão, jornal, cola, tampas
so a cartas informativas sobre o personagem de garrafas, espeto de madeira 30cm ,100x50,
ou objeto histórico capturado. Cada jogador só espetos de madeira com 15mm de compri-
tem direito a uma jogada extra por rodada e mento; 2 mm de espessura; 8,4mm de largura,
vence o jogador que encurralar o Rei adversá- substância constituída de um corante e de um
rio com o tradicional Xeque Mate. aglutinante, e por fim isopor. O papelão servirá
de suporte para o tabuleiro e na construção das
Palavras-chave: Antiguidade Clássica, Grécia cartas assim como o isopor, já o jornal reforçará
Antiga, Roma Antiga, Xadrez. a base, cola para juntar estes últimos citados,
tampas de garrafas serão necessárias para que
o jogador possa avançar as casas, espetos aju-
CL 25 darão na estrutura. A faixa etária necessária
para poder jogar é pessoas acima dos 12 anos
de idade.
APOLLO 4151
Autora: Nayara Sacramento Pereira1
Palavras-Chave: Astrofísica, Jogo, Tabuleiro.
Orientadores: Márcio Lisboa Correia2, Luciana Licínio2
Instituição: Colégio Sartre Escola SEB
E-mails: nay.sac@hotmail.com1; marcio.l.correia@gmail.
com2; lucianalicinio@yahoo.com.br2

O nome do jogo foi a fusão da missão espacial,


realizada pela NASA em julho de 1969, a Apollo
11 que tornou possível a chegada do homem

117
10º Encontro de Jovens Cientistas

13.
VIDA DE JOVEM CIENTISTA
(APRESENTAÇÕES ORAIS)

118
Livro de Programação e Resumos

VJC 01 VJC 02

A ANÁLISE DO USO DA ÁGUA EM A VIABILIDADE DA EXTRAÇÃO


AMBIENTE DOMÉSTICO NA CIDADE DA CUMARINA E QUERCETINA
DE CRUZ DAS ALMAS DA SEMENTE DA AMBURANA
CEARENSIS
Autoras: Mara Carine Santos da Conceição de Santana1,
Geovana Costa Silva1
Autora: Sophia Nogueira Costa Farias¹
Orientador: Eduardo dos Santos Lopes2
Orientadores: Márcio Lisboa Correia², Luciana Licínio²
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Uniasselvi,
Instituição: Colégio Sartre_Escola SEB, Unidade Itaigara,
Cruz das Almas, Bahia.
Salvador, Bahia.
E-mails: maracarinescs@gmail.com; geovana05costa@
E-mails: sophia1431@icloud.com¹; marcio.l.correia@gmail.
gmail.com; lopes.edu@hotmail.com
com²; lucianalicinio@yahoo.com.br²

Desde muito tempo a Ciência reconhece que


A Amburana cearensis, popularmente conheci-
sem água não haveria vida na Terra, o que a
da como imburana-de-cheiro, cerejeira e cuma-
classifica como sendo de extrema importância
ru é uma semente que pode ser encontrada em
para a vida de todos os seres vivos que aqui
toda a América do Sul, porém, é considerada
habitam. Embora este recurso seja encontra-
nativa da região Nordeste do Brasil, especial-
do em abundância em nosso planeta, algumas
mente no Estado do Ceará. A imburana-de-
estimativas apontam que somente 3% da água
-cheiro possui grande valor econômico por ter
doce, considerada própria para o consumo, está
aplicações na área da carpintaria, perfumaria e
disponível atualmente. Com isso em mente é
farmacologia, além de possuir em sua compo-
vital que tenhamos conhecimento das propor-
sição química a cumarina, substância com pro-
ções do desperdício de água potável. No âmbito
priedade anti-inflamatória que possui grande
em que já se encontra a população mundial, na
relevância ao impedir um processo inflamató-
faixa dos sete bilhões de habitantes e, que con-
rio para a não disseminação de uma doença.
tinua crescendo, é de fundamental importância
As sementes são utilizadas, ainda, na medicina
que o ser humano busque formas racionais e
caseira como antiespasmódicas, emenagogas
inteligente de usar a água. O presente trabalho
e para o tratamento de doenças reumáticas. A
tem como objetivo compreender de que forma
partir do estudo mais aprofundado desta se-
está ocorrendo a utilização da água no âmbi-
mente, será possível ter uma avaliação verídica
to doméstico através da comunidade escolar,
das funções medicinais de seus componentes e
traçando um perfil comparativo com dados de
sua toxicidade. O estudo possui a finalidade de
amplitude nacional. A metodologia será reali-
estudar a viabilidade de métodos de extração
zada a partir de um questionário em algumas
dos componentes químicos anti-inflamatórios
residências da cidade de Cruz das Almas (Ba),
cumarina e quercetina, por meio do uso dos
a fim de investigar hábitos que demonstram
solventes como o éter e o etanol. O método
como as famílias têm utilizado água nas princi-
utilizado consiste no trituramento da semente
pais tarefas domésticas. Sendo assim, é válido
da Amburana cearensis com posterior adição
despertar na comunidade a importância do uso
de éter ao pó obtido a fim de extrair um dos
mais eficiente da água, a começar pela nossa
componentes. A mistura bifásica formada, será
casa. É papel de todos e cabe a cada um de
separada através de uma decantação utilizan-
nós cidadãos, conhecer, compreender, praticar,
do um funil de bromo. Para separar a solução
ensinar, incentivar e transformar, reservando o
obtida entre o éter e o componente será rea-
bem maior (a vida no nosso planeta). Leonardo
lizada uma destilação simples, resultando na
Boff traz em suas palavras a seguinte realida-
separação do soluto e do solvente. Na segun-
de, quando diz: “Tudo o que existe e vive preci-
da fase será inserida o etanol, obtendo outra
sa ser cuidado para continuar a existir e a viver.
mistura bifásica que passará pelo processo de
Uma planta, um animal, uma criança, um idoso,
destilação que renderá no álcool + cumarina e
o Planeta Terra”.
resíduos da semente, que serão desprezados. O
material que será utilizado para o estudo será a
Palavras-chave: Água; vida; consumo; consciên-
semente da Amburana cearensis que será sub-
cia; prática.
mersa em solventes orgânicos a fim de veri-

119
10º Encontro de Jovens Cientistas

ficar a viabilidade da extração da cumarina e traz uma rememoração da importância da cul-


quercetina. As pesquisas irão ter grande valor tura alimentar autóctone. Logo, é perceptível a
econômico e social por possuir produtos natu- participação de tal etnia na sociedade e como
rais com custos mais acessíveis e saudáveis à ela pode interferir positivamente nos fatores
população brasileira, a partir da produção de sociais contemporâneos.
medicamentos fitoterápicos constituídos da
Amburana cearensis que, ingerida em quanti- Palavras-chave: Sustentabilidade; indígena;
dades reguladas, não apresenta efeitos colate- cultura; alimentação.
rais tóxicos, diferentemente de medicamentos
alopáticos.
VJC 04
Palavras-chave: Amburana cearenses; anti-in-
flamatória; extração.
A ESPETACULARIZAÇÃO DAS
VJC 03 FESTAS POPULARES NA CIDADE DE
SALVADOR/BA
A CULTURA INDÍGENA ATRELADA Autora: Kamilly Mendes de Oliveira¹
À SUSTENTABILIDADE Orientador: Aisllan Damacena Souza da Silva¹
Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador Bahia.
Autoras: Lorrane Moreira do Nascimento1, Maria Eduarda E-mails: emanuellelmendes@gmail.com; aisllan1@hotmail.
Fialho Gouveia de Araújo1 Orientador: Laís Beldel1 com
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: lorranemoreiras2@outlook.com; duda.fia- Entender as festas pauta-se em perceber que
lho2017@hotmail.com; laibeldel@gmail.com essas celebrações a cada ano trazem sempre
alguma novidade, e muitas vezes, vão se mo-
Olhando por uma óptica sustentável, é percep- dificando, se atualizando e até mesmo se re-
tível o prejuízo ambiental causado por mate- inventando. Dentre algumas leituras realizadas
riais plastificados, dando ênfase ao canudo, o no Grupo de Pesquisa “Vem pra Bahia, vem! Do
qual vem causando grande discussão mundial progresso as consequências da midiatização do
para que ocorra a sua substituição, visando a turismo e da cultura na cidade do Salvador”,
proteção do meio ambiente. É de suma impor- constatou-se que a capital baiana é bastante
tância analisar que existe uma influência po- requisitada pelos turistas, curiosos e pesquisa-
sitiva acerca da cultura indígena na sociedade dores de todo o mundo, sobretudo em virtude
brasileira, pois numerosos hábitos foram ad- de seus festejos populares que são difundidos
quiridos a partir da linhagem nativa. Dentre os pelos recursos midiáticos, assim, atraindo-os.
fatores influenciadores tem-se a alimentação, Portanto, o objetivo deste estudo pauta-se no
a qual está presente diariamente no cotidia- ato de entender os progressos e regressos da
no brasileiro em alimentos como: aipim, can- midiatização das festas em Salvador. Esse tra-
jica, tapioca, carne vermelha, pequi, maracujá, balho foi constituído a partir do levantamento
guaraná, mandioca e milho. Com o objetivo de e estudo de fontes bibliográficas que discutem
fortalecer tal cultura atrelada a sustentabilida- a espetacularização das festas populares atra-
de, foram produzidos o canudo e a colher fei- vés das mídias tecnológicas, da pesquisa de
tos com a palha do milho, sendo este um dos campo e por meio do mapeamento das festas
principais alimentos indígenas, com o foco na de Salvador que são concebidas como grandes
substituição do plástico. O produto é feito ape- espetáculos e também das que não são tão
nas da palha de milho sem nenhum material vistas pelo lado midiático. Os resultados deste
complementar, visando ser econômico, orgâ- estudo foram ilustrados através da produção
nico e biodegradável. O projeto foi idealizado de um curta-metragem intitulado “Uma ines-
a partir de pesquisas bibliográficas, documen- perada viagem a São Salvador da Bahia”. Tais
tários e entrevista com indivíduo pertencente resultados evidenciaram que a mídia, no intuito
a uma tribo indígena, a qual foi apresentado e de querer mostrar apenas as grandes festas de
assinado um Termo de Consentimento Livre e Salvador (visando os olhares do telespectador,
Esclarecido (TCLE). Assim, foi possível desen- assim colaborando para um processo de mer-
volver um material que não agride a natureza e cantilização do evento), acabam não exploran-

120
Livro de Programação e Resumos

do outras festas, seus contextos e curiosidades, ção dos Catadores do Recôncavo Baiano (ACRB)
ficando essas outras celebrações sem ter tanta para entender como a associação surgiu, a par-
repercussão e conhecimento do público. Além tir de qual necessidade, como se dá o processo
de que essa midiatização pode colaborar com de separação do lixo, bem como os cuidados
a descaracterização de tais eventos, assim, que a população deve ter na hora de descar-
fazendo com que os mesmos percam os seus tá-los. A partir da entrevista verificou-se que
verdadeiros sentidos e significados. Por fim, a associação ainda não está em atividade de-
pesquisar esse tema possibilitou ao grupo de vido à falta de recursos financeiros. O projeto
estudos um enorme conhecimento a partir dos em sua continuidade desenvolverá campanhas
aspectos culturais e festivos da capital baiana e rifas para ajudar a associação como forma
que é tão retratada midiaticamente mundo a também de mostrar a importância social e prin-
fora pelas suas mais tradicionais e importantes cipalmente ecológica do papel desses agentes
festas populares, essas que agitam o calendá- para a sociedade.
rio festivo soteropolitano. Assim, levando-nos
a perceber que os meios de comunicação pos- Palavras-chave: Catadores; Associação; Resí-
suem ampla participação na movimentação de duos sólidos.
economias locais a partir da difusão da notí-
cia e da informação para os olhares do mundo
atento, portanto, colaborando para a vinda de VJC 06
turistas em busca de divertimento, como é o
caso do carnaval de Salvador, por exemplo.
A INFLUÊNCIA DA CARÊNCIA
Palavras-chave: Festas, Turismo, Mídia. EMOCIONAL NO TRATAMENTO DE
CRIANÇAS HOSPITALIZADAS

VJC 05 Autoras: Amanda Bueno Silva1, Julia Gimenez Lervolino1


Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
A IMPORTÂNCIA SOCIAL E Freitas, Bahia.
E-mails: amandabueno2001@gmail.com; jgimenezi@
ECOLÓGICA DOS CATADORES DE yahoo.com; jbugary@hotmail.com
RESÍDUOS SÓLIDOS NA CIDADE
SANTO ANTÔNIO DE JESUS – BA. A carência emocional em crianças hospitali-
zadas é desenvolvida de diversas maneiras e
Autores: Camille Souza Costa Santos1 Nathany Santana de leva a criança a entrar em um estado em que
Assis1, Luiz Gustavo Brandão Ferreira1 não possui um bom relacionamento com outras
Orientadores: Davi Barreto1, Marluce Malta1
crianças ou até mesmo com os médicos (as) e
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô-
nio de Jesus, Bahia. enfermeiros (as) que cuidam da mesma duran-
E-mails: luizgustavobrandaoferreira@gmail.com; daviu- te o período de internação. Na expressão de
frb@gmail.com Jasper: “o amor é o primeiro estímulo para o
desenvolvimento emocional-social e há boas
É visível que a sociedade vem produzindo mui- razões para crer que a carência de amor na
to lixo, além de ter o mau hábito de jogar esse infância produz como consequência uma per-
lixo em locais inapropriados. Os catadores de sonalidade dominada pela ansiedade”. M. Klein
resíduos sólidos são os responsáveis por man- coloca carência afetiva da relação filho e mãe
ter a cidade limpa de forma a evitar enchentes, como atitudes que fixam e aumentam a esqui-
odores desagradáveis, poluição, entre outros. zodia e/ou a depressão própria do ser humano
Entretanto, são poucos que entendem a serie- desde o seu início. Pelo fato de sermos seres
dade e importância desse trabalho. Assim, o sociáveis e necessitarmos de atenção, cuidado
objetivo deste projeto foi mostrar a importân- e carinho, a falta dessas coisas, principalmen-
cia social e ecológica dos catadores de resíduos te em um ambiente que não é o de costume,
sólidos na cidade de Santo Antônio de Jesus, como é o caso das crianças em hospitais, leva
além de apresentar os projetos e associações tal criança a não ter uma melhora tão rápida
que ajudam esses catadores. Foram realizadas quanto outra que receba os afetos necessá-
duas entrevistas semiestruturadas, uma com o rios e se sinta confortável naquele ambiente.
fundador e outra com o presidente da Associa- Nessa pesquisa visamos a conscientização e o

121
10º Encontro de Jovens Cientistas

estímulo a participação social na visitação de que além de manter um hegemonia econômi-


crianças hospitalizadas para ajudar em sua me- ca, mantém também uma hegemonia cultural,
lhora física e emocional através de atividades fazendo com que a cultura do mesmo seja su-
que promovam o bem estar, alegria e integra- pervalorizada por muitos países, até mesmo
ção interpessoal. A pesquisa foi desenvolvida por aqueles que não possuem relações comer-
a partir de pesquisas bibliográficas sobre ca- ciais fixas e uma forma de exploração similar
rência emocional, conversas com enfermeiros dentro do território. Por meio da carta da ONU
e médicos em Salvador na Bahia. A metodo- que também houve o empoderamento do sexo
logia utilizada neste trabalho foi uma revisão feminino, o qual era muito desvalorizado his-
bibliográfica com pesquisa na internet sobre a toricamente. A Organização das Nações Unidas
carência emocional infantil e a conversa com possibilitou a criação de blocos e grupos econô-
profissionais de saúde onde há crianças hos- micos, os quais são fundamentais para solidifi-
pitalizadas, onde estes assinaram o Termo de cação da economia de muitos países que não
Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Com possuem tantas matérias-primas e não seja tão
essa pesquisa observou-se os aspectos rele- industrializado como os demais, possibilitando
vantes à promoção do estímulo de ações que a comercialização entre os mesmos. Entretan-
promovam melhor bem-estar as crianças hos- to, com a crescente industrialização de muitos
pitalizadas levando alegria para as mesmas, o Estados Nacionais, houve uma crescente taxa
que pode ser salutar no seu tratamento médico. de poluição ambiental por conta do excesso
de liberação do dióxido de carbono. O artigo
Palavras-chave: Carência emocional; crianças; visa analisar como a ONU controla e previne
conscientização. os conflitos mundiais, como essa organização
possibilita uma maior valorização da mulher na
economia e como os impactos industriais ge-
VJC 07 ram problemas ecológicos.

Palavras-chave: ONU; globalização; problemas


A ONU E OS SEUS REFLEXOS NO ecológicos; empoderamento; etnocentrismo.
MUNDO GLOBALIZADO
Autora: Maria Clara de Araújo Rios1
Orientadora: Synara Silva1 VJC 08
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: mariaclararios_@hotmail.com; catjovenscientis-
A PERCEPÇÃO DOS GÊNEROS
tas1@gmail.com
MUSICAIS AO LONGO DAS
DÉCADAS E SUAS INFLUÊNCIAS NO
A Organização das Nações Unidas, também co- COMPORTAMENTO DA VIOLÊNCIA
nhecida como ONU, é uma criação intergover-
NO BRASIL
namental criada com objetivo de promover a
cooperação internacional. A ONU apresenta um Autora: Mayara Cavalcanti Moraes1
papel fundamental para o estabelecimento do Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
equilíbrio da estrutura social, envolvendo-se e Instituição: Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
preservando os direitos civis, sociais, políticos Freitas, Bahia.
e humanos. O conhecimento sobre os princípios E-mails: may.cmoraes@hotmail.com; jbugary@hotmail.com
da ONU e como essa organização está atrelada
no contexto social é fundamental para que os Os ritmos e gêneros musicais, ao longo dos
indivíduos participem ativamente e positiva- anos, se transformam, assim como a violên-
mente na preservação do meio ambiente, no cia, que alcança novos tipos predominantes
respeito mútuo entre os cidadãos, na descons- a cada década. A dúvida em questão é se há
trução do processo de aculturação e na fortifi- ligação entre esses dois aspectos. A música é
cação das diversidades culturais e na aceitação um dos principais elementos da nossa cultura.
do pluralismo cultural etc. Desde épocas remo- Ao longo dos anos, diversos gêneros e ritmos
tas, há a imposição da cultura dos países he- musicais foram desenvolvidos, influenciados
gemônicos dentro do contexto mundial, como pela cultura mundial, percebendo-se relevan-
os Estados Unidos, um grande país hegemônico tes mudanças entre épocas distintas. Por ou-

122
Livro de Programação e Resumos

tro lado, a violência no Brasil é um fenômeno VJC 09


comportamental de agressividade que envolve
as bases históricas do país e seus altos níveis
A PULSEIRA DA AJUDA - “PDA”
de desigualdade social e pobreza extrema,
atingindo, por efeito, todas as camadas da so- PULSEIRA DA AJUDA
ciedade. A pesquisa científica em questão tem
como objetivo analisar e procurar ligação com Autores: Marcos Adriano Guimarães Torres¹, Milla Vitória
Oliveira Passos1
as mudanças de gêneros musicais e o com-
Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1
portamento da violência no Brasil. À violência Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
aqui avaliada neste instrumento será a física, Bahia.
entendida como ato de agressão física que se E-mails: adrianotorresbr@gmail.com¹; passos.milla2003@
traduz em marcas visíveis ou não. Seguindo a gmail.com², marcio.l.correia@gmail.com³, lucianalicinio@
yahoo.com.br³
hipótese de que os ritmos e letras musicais pre-
sentes em seus gêneros, podem influenciar nos
índices de violência, por meio do seu alcance Pacientes com Alzheimer, crianças e pessoas
ao ritmo cerebral ao atingir o córtex auditivo com atraso de desenvolvimento neuropsico-
dos ouvintes. A relevância da pesquisa se en- motor necessitam de uma atenção especial,
contra na possibilidade da correlação entre a estando sempre acompanhadas e possuindo
violência e a música, propiciando a criação de auxílio de outros indivíduos. O referente pro-
novas formas para o tratamento de pessoas jeto, denominado como “PDA” (pulseira da aju-
com comportamento violento através da músi- da), visa auxiliar o encontro e a identificação
ca, bem como, a conscientização da sociedade de tais grupos inicialmente retratados. A PDA
sobre essa analogia e suas influências. Através encontra-se idealizada em dois modelos dis-
de pesquisas realizadas, podem-se relacionar tintos, sendo o primeiro uma pulseira de sili-
os estilos musicais predominantes em cada dé- cone com um QR CODE (quick response) aco-
cada, bem como, os tipos de violência relatados plado e devidamente personalizado para cada
no mesmo período. A partir de uma revisão bi- indivíduo, contendo as informações pessoais
bliográfica e observação da reação espontânea e vitais como nome, número do responsável,
de 20 indivíduos escolhidos por amostragem idade, tipo sanguíneo, alergias ou qualquer
entre funcionários de uma escola particular de outra desejada pelo responsável, custando um
Lauro de Freitas/Bahia, após terem assinado o valor médio de oito reais. O segundo modelo,
Termo de Consentimento Livre e Esclarecido também apresentará as mesmas característi-
da pesquisa, foi possível avaliar os estímulos cas do primeiro modelo, contendo o diferen-
musicais ao ouvirem os estilos musicais e infor- cial de possuir um localizador GPS (global
marem o sentimento (sensação) percebido de positioning system), o qual tem capacidade de
forma mais atenuante. Pode-se observar que localizar o indivíduo em um raio de 50 Km,
as músicas com ritmos acelerados, como rock, custando um valor médio de quarenta reais.
funk, eletrônica, hip hop, o entrevistado reagia Com isso, para a identificação de um usuário
de forma mais frenética, já com músicas de rit- da pulseira da ajuda, os indivíduos deverão
mos mais calmos, o entrevistado demonstrou apontar a câmera do celular em direção ao QR
uma reação relaxada. O que se pode pressupor CODE e abrir a notificação que irá aparecer na
que uma agitação comportamental possa pro- tela com as informações, porém em celulares
vocar uma sensação de euforia, o que aumenta mais antigos é necessário a instalação de um
a perspectiva de um ato violento. programa leitor, disponível nas lojas de apli-
cativo dos smartphones. Após a criação dos
Palavras-chave: Música;violência; ritmos. dois modelos retratados, o projeto PDA (Pul-
seira da Ajuda), visa conseguir a patente de
criação (pi), além de conseguir parcerias com
pesquisadores e empresas de tecnologia, para
que dessa forma, seja possível a criação de um
aplicativo disponível para ANDROID e IOS, que
servirá para a criação de um QR CODE próprio
e um banco de dados, o qual conterá informa-
ções adicionais dos pacientes. O maior intuito
do projeto “PDA” (pulseira da ajuda) é facilitar o

123
10º Encontro de Jovens Cientistas

encontro dos seus usuários, utilizando a tecno- danos neuropsicológicos que a exposição à vio-
logia como uma forma segura de identificação. lência pode causar para a mulher.

Palavras-chave: Alzheimer; pulseira; identificador. Palavras-chave: Mulher; violência; sociedade;


neuropsicológicos.

VJC 10
VJC 11
A VIOLÊNCIA CONTRA MULHER
NO BRASIL E OS DANOS ABUSO SEXUAL INFANTIL
NEUROPSICOLÓGICOS Autores: Karina Bittencourt1, Luana Silva1, Thiago Mira1
Orientadora: Ana Cláudia Sokolonski1
Autora: Ludmila Oliveira de Jesus1 Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1 E-mails:karinauckonn@gmail.com; lulimasa05@gmail.com;
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador, thismira@gmail.com; anaclaudia@anglobra.com.br
Bahia.
E-mails:ludioliveira@gmail.com1, lucianalicinio@yahoo.
com.br2, marcio.l.correia@gmail.com2
O abuso e/ou exploração do corpo e da sexua-
lidade de crianças e adolescentes, seja pela
O Brasil passou por um período entre 1890 e força ou outra forma de repressão, ao envol-
1920 que ficou conhecido como Belle Époque, ver meninas e meninos em atividades sexuais
em que houve a imposição de valores e formas impróprias para sua idade cronológica ou a seu
de comportamento que trouxeram para a histó- desenvolvimento físico, psicológico e social,
ria das mulheres uma sociedade patriarcal, co- é mais conhecido como abuso sexual infantil.
locando a mulher numa posição de submissão, Pode ser tanto físico quanto moral, através de
que consequentemente resultou, desde então, compartilhamento de pornografia infantil, as-
em diversas violências praticadas contra as sédio ou estupro do menor. Podendo causar
mulheres. Essa situação vem nos acompanhan- consequências nas vítimas como traumas psi-
do historicamente até os dias atuais, tendo a cológicos e mudanças de comportamento. Esse
violência contra a mulher aumentado o número trabalho tem como objetivo alertar os expecta-
de feminicídios no Brasil. Entre as consequên- dores a incidência do abuso sexual infantil na
cias dessa violência estão os danos neuropsi- sociedade atual, como ter cuidado com o assun-
cológicos, sendo que a exposição constante à to, além de orientar as crianças e adolescentes
agressões psicológicas podem causar danos com medidas de proteção. Inicialmente o tema
severos, traumas psicológicos a longo prazo foi escolhido pela sua importância, depois ini-
e mudanças significativas no comportamento, ciou-se o desenvolvimento do trabalho escrito
motivo pelo qual é muito difícil lidar com as e cada componente do grupo se responsabili-
complicações pós-traumáticas. A premência de zou pela pesquisa e produção de sua parte no
realizar esta pesquisa se deve ao fato da vio- trabalho. Foram marcadas reuniões, nas quais
lência ainda se encontrar numa invisibilidade foram realizadas junções com as partes do
que sujeita muitas mulheres às parreiras im- anexo, finalizando-o, além da produção dos sli-
postas por um machismo que em muitos casos des. O trabalho irá proporcionar a reflexão e a
passam despercebidos, não só por conta das atenção dos expectadores em relação ao abuso
situações violentas, mas também por questões sexual infantil. Foi concluído que poucas são as
históricas e culturais, por muito tempo excluin- medidas tomadas pelo governo ou por outras
do propositalmente a mulher na história de pessoas para a resolução do problema retra-
possuir os direitos e valores precisos para se tado, o que é algo muito negativo para a so-
ter igualdade na sociedade. Para desenvolver ciedade, a maioria das crianças não tem noção
essa pesquisa foi utilizada a análise de estudos da gravidade desse problema e algumas não
feitos na área da neuropsicologia e o aprofun- sabem nem do que se trata direito, e por isso,
damento em pesquisas bibliográficas. O objeti- é um dever de todos ajudar de alguma forma,
vo desta pesquisa é trazer uma discussão sobre seja denunciando alguma situação de abuso ou
a questão da violência contra a mulher e seus ajudando instituições com o intuito de modi-
impactos na sociedade, apresentando junta- ficar a realidade dessas vítimas, oferecendo a
mente um estudo aprofundado dos passíveis elas mais oportunidades em relação a educação

124
Livro de Programação e Resumos

e uma melhor base para a suas formações po- explica “como achar seu eletrodoméstico”, que
dendo, assim se desenvolver de forma segura. auxiliará quem estiver lendo a encontrar mais
rapidamente seu eletrodoméstico, e a outra,
Palavras-chave: Abuso sexual infantil, conse- “calculadora”, que mostra como deve ser usa-
quências, reflexão. da e como funciona. Atualmente o aplicativo se
encontra em desenvolvimento, abrangendo um
conteúdo pequeno, mas futuramente, tem-se
VJC 12 o objetivo de expandir esse tema, e adicionar
mais marcas e eletrodomésticos ao software,
para que ele consiga alcançar e ser utilizado
ADMINISTRADOR DE ENERGIA por mais pessoas de maneira didática e fácil.
ELÉTRICA RESIDENCIAL Pensando nessas situações, espera-se reduzir
ou acabar com os desperdícios, fomentando
Autores: Anna Luiza Sousa Feijó1, Isabela Oliveira Sam-
atitudes de economia elétrica e diminuição de
paio1, Ricardo Augusto Almeida Santana1
Orientadora: Estefane Bahia da Silva1 despesas, criando uma nova cultura na socieda-
Instituição: 1Colégio Nossa Senhora da Luz, Salvador, de, provocando reflexões e ações conscientes
Bahia. sobre a demanda da energia.
E-mails: ricardodrkm@gmail.com; annalufeijo@gmail.com;
belasampaio7@gmail.com Palavras-chave: Energia elétrica; consumo; eco-
nomia.
A eletricidade é indispensável para nossa so-
ciedade e ela permeia em quase todas as ati-
vidades humanas, além de manter o estilo
VJC 13
moderno de vida atual. A demanda por energia
elétrica atualmente é bastante alta e vai ser
maior ainda no futuro. Pensando sobre o con- ANÁLISE CLÍNICA DO
sumo desse bem tão importante, que impacta TRATAMENTO PARA
diretamente no meio ambiente, foi criado um HIDROCEFALIA CONGÊNITA
aplicativo que tem como objetivo simular os
gastos da energia elétrica de uma residência, Autor: Gabriel Barbosa Gomes1
visando ajudar as pessoas a controlarem e a Orientador: Jorge Bugary Teles Júnior1
terem noção sobre seus custos. O aplicativo é Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
Freitas, Bahia.
dividido em dois tópicos: os eletrodomésticos
E-mails: gbg5050@hotmail.com1; jbugary@hotmail.com
e as informações. Nos eletrodomésticos, é pos-
sível em encontrar os aparelhos que existem
A hidrocefalia é uma patologia que acomete
nas residências, como geladeira e televisão.
com maior frequência a população infantil, pre-
Ainda nesta parte do software, em cada um dos
sente na forma congênita em 3 a 4 por 1000
eletrodomésticos citados anteriormente, após
recém-nascidos vivos. Desde a era hipocrática,
clicar no que se tem interesse, é possível ver
já existiam relatos sobre as características da
duas marcas que são as mais compradas e con-
hidrocefalia. Vesalius, no Século XVI, descreveu
sumidas. Quando o usuário encontrar o modelo
esta patologia como o acúmulo anormal de lí-
de sua televisão ou geladeira ele vai ter acesso
quido cefalorraquidiano (LCR) dentro dos ven-
às informações do mesmo, como voltagem, ano
trículos cerebrais; a relação entre o aumento
e quilowatt por hora (consumo). Além disso,
anormal das dimensões do crânio e o acúmulo
existem pequenos símbolos de raios que repre-
de LCR não esteve bem esclarecida neste traba-
sentam uma comparação, então quanto mais o
lho. Com isso, percebe-se que o melhor conheci-
número de raios, maior vai ser o gasto daquele
mento da anatomia cerebral pode permitir uma
aparelho. Ainda, existe uma estrela, que sim-
melhor compreensão da dinâmica do fluxo de
boliza o eletrodoméstico que menos consome,
LCR e os mecanismos causadores da hidroce-
o qual seria mais indicado pelos criadores do
falia, assim, podendo diagnosticar o mais cedo
aplicativo. Na parte das informações, é possível
o possível essa patologia. Essa patologia deixa
que a pessoa veja um conteúdo que disponibi-
diversas sequelas para o bebê ou criança que
liza ajuda para aquele que estiver com alguma
possui a hidrocefalia, sequelas como problemas
dificuldade em manusear o aplicativo. Neste
de visão, problemas de coordenação motora,
tópico, existem duas ramificações, uma que
problemas de memória e fala, e dificuldade de

125
10º Encontro de Jovens Cientistas

aprendizagem. No meio da ética e biosseguran- doce potável representa aproximadamente 3%


ça, visando diminuir a intensidade ou até mes- do total de água no planeta. Uma das principais
mo erradicar essas sequelas da hidrocefalia, o fontes de água doce são os rios, que estão ex-
estudo de um ácido graxo poli-insaturado da postos a fatores antrópicos como o lançamento
série n-3 (Ômega 3), o ácido graxo docosahe- de esgoto, lixo e redução da mata ciliar, provo-
xaenóico (DHA) é indicado através de estudos cando a eutrofização e assoreamento. O muni-
para mulheres grávidas e para recém-nascidos, cípio de Dias D´Ávila (BA) conta com uma po-
visto que o DHA é um ácido graxo que desde o pulação de 79.865 pessoas Localizada próxima
período pré-natal está presente no organismo ao polo Petroquímico de Camaçari, a cidade é
do feto. O DHA tem o papel de desenvolver e conhecida, devido ao seu lençol freático, como
fortificar o sistema nervoso do feto, também a “Cidade das Águas”, colocando-se em ritmo de
tem papel fundamental no desenvolvimento da acelerado crescimento, com a maior produção
retina do mesmo. Uma dose para recém-nasci- de água mineral na Bahia segundo a secretaria
dos saudáveis é indicada o uso de 100mg ou de desenvolvimento econômico (2018), e de
menos de DHA por dia, essa dose foi estabe- outras bebidas como as de refrigerantes e cer-
lecida a partir de estudos clínicos realizados veja. Na primeira etapa foi observado por este
em pré-maturos. Assim, conclui-se que no meio grupo sinais de degradação dos rios, e com o
da ética e biossegurança, certas doses de DHA intuito de dar continuidade aos estudos inicia-
ministradas para grávidas com fetos portado- dos anteriormente, nesta segunda etapa, con-
res de hidrocefalia e para recém-nascidos com siderando o crescimento urbano nas margens
hidrocefalia pode ser um meio eficiente e viá- dos rios, buscamos analisar a qualidade da
vel para diminuir as severas sequelas deixadas água dos rios Imbassay e Jacuípe, avaliando os
pela hidrocefalia, assim, dando uma melhor seguintes parâmetros: pH, Oxigênio dissolvido
qualidade de vida para essa criança. (OD), amônia total (AT), amônia tóxica (ATO) e
CO2. Foram realizadas seis coletas, em três di-
Palavras-chave: Hidrocefalia; Sequelas; Reduzir. ferentes pontos do corpo hídrico no município
atribuindo os códigos: AR1 à AR6, e as análises
foram conduzidas com materiais e reagentes
VJC 14 de aquarismo de fácil aquisição. Os resultados
encontrados evidenciaram algumas alterações
nos parâmetros de qualidade dos rios quando
ANÁLISE DA QUALIDADE DAS comparados entre os pontos de coleta. A amos-
ÁGUAS DOS RIOS IMBASSAY E tra AR1 coletada em um trecho do rio localiza-
JACUÍPE NO MUNICÍPIO DE DIAS do na região central da cidade obteve os maio-
D’ÁVILA res resultados de pH, AT e ATO (7,3; 6,5 ppm
e 0,0073 ppm, respectivamente), evidenciando
Autores: Abimael Uanderson Soares Cristovão1, Elén maior conteúdo de matéria orgânica sendo de-
Cristina Cardoso Lima1, composta em relação aos demais pontos de co-
Iralice Vitoria Oliveira Bastos Piedade1, Júlia Alves Silva1, leta. Tais resultados de amônia tóxica também
Miriam de Assis Felipe1
foram superior ao estabelecido pela resolução
Orientadores: Flávia Luciana Oliveira da Silva1; Mateus
da Silva Carvalho1
do CONAMA 357/2005 que estabelece que em
Instituição: Colégio Estadual Dr. Luís de Moura Bastos, Dias pH < 7,5, ATO ≤ 0,0037 ppm indicando a ação
D’Ávila, Bahia. antropogênica no efluente.
E-mails: lykalima995@gmail.com, abimael82cristovao@
gmail.com, iralicebastos82@gmail.com; alvessilvaj081@ Palavras-chave: Rio, eutrofização, degradação,
gmail.com; namfelix2013@gmail.com; flavialuciana21@
água.
hotmail.com; mt.carvalho95@gmail.com

A água é uma substância essencial a vida, pois


além de auxiliar no funcionamento dos orga-
nismos, na manutenção dos ecossistemas e
da biodiversidade é utilizada na agricultura,
pecuária, na produção de energia, etc. Pesqui-
sas mostram que o crescimento da população
aumenta a demanda hídrica, enquanto a água

126
Livro de Programação e Resumos

VJC 15 ximadamente 8mm de largura e 1 mm de es-


pessura (contendo um botão). A distribuição do
“AG” para a população seria através de vendas,
“AG”- ANEL GATILHO
com o preço estimado de 70 reais (a unidade).
Autora: Giovanna Fontes Bulhões¹
Orientadores: Márcio Lisboa Correia², Luciana Linício2 Palavras-chave: Contactar; segurança; anel.
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
Bahia.
E-mails: giovanna.fontes2710@gmail.com; marcio.1.cor-
reia@gmail.com; lucianalicinio@yahoo.com.br2
VJC 16

Todos os cidadãos brasileiros correm um risco ANÍSIO TEIXEIRA – VIDA, OBRA


diário de diversos tipos de violência, principal- E REVOLUÇÃO DO ENSINO NO
mente nas ruas. Visando esse problema, este BRASIL
projeto tem como objetivo maior disponibilizar
um pedido de socorro mais rápido e discreto. Autores: Matheus Correia1, Daniel Miranda1
O “AG” (Anel Gatilho) seria um anel com uma Orientador: João Marcelo Ramos da Rocha1
bateria interna recarregável, que utilizaria um Instituição: Centro de Educação Colibri, Salvador, Bahia.
módulo Bluetooth conectado à uma botoeira, E-mails: esc_colibri@yahoo.com.br; cec_coord@gmail.com;
que ao ser pressionada X vezes (Ao ser pro- jmarcelo.automacao@gmail.com
gramado, duas apertadas seguidas podem sig-
nificar um tipo de crime, como o estupro; três Anísio Spínola Teixeira (1900-1971) nasceu em
pressionadas um assalto armado, e assim por Caetité, no sertão baiano, no dia 12 de julho de
diante) enviaria uma instrução ao celular co- 1900. Filho dos fazendeiros Deociclano Pires
nectado, fazendo-o enviar uma mensagem já Teixeira e Anna de Souza Spínola, estudou no
programada junto com a localização do apa- colégio São Luis Gonzaga em sua cidade natal
relho (levando em consideração que o mesmo durante a infância. Em 1914 ingressou no colé-
esteja conectado ao anel, e junto com a vítima). gio Antônio Vieira, na cidade de Salvador. Cur-
Adentrando mais na parte técnica, o sistema sou Bacharelado em Direito na Universidade do
operacional poderia funcionar tanto na parte Rio de Janeiro, formando-se em 1922. De volta
dial do celular (SOS), quanto em um aplicativo à Bahia, em 1924, foi nomeado Inspetor geral
próprio; as duas opções funcionariam nos sis- de Ensino do Estado. Viajou então pela Europa
temas de ANDROID e IOS. Na primeira opção, o e EUA com o objetivo de conhecer os sistemas
“AG” funcionaria de uma forma não tão distan- de ensino utilizados em outros locais. Na Uni-
te dos atuais fones de ouvido Bluetooth, que versidade de Columbia, em Nova York, conhe-
emitem um comando para o celular, como os ceu o filosofo da educação John Dewey, pas-
de aumentar ou diminuir o volume. Já na se- sando a assimilar e compartilhar de suas ideias
gunda opção, seria necessário desenvolver um e pensamentos. Dewey foi o criador do movi-
aplicativo que estivesse ligado tanto ao sistema mento Escola Nova, que revolucionou os méto-
do celular (para notificar os contatos de emer- dos de ensino e aprendizagem nos continentes
gência) quanto ao sistema da polícia, para que europeu e americano. Com experiência e gran-
os crimes sejam notificados e separados por de bagagem cultural, Teixeira passou a ocupar
áreas. Para isso, é necessário o apoio das forças cargos de destaque e papel preponderante na
de segurança para que o sistema esteja ligado à orientação da educação e da aprendizagem no
polícia e para que o aplicativo (no caso, da se- Brasil. O trabalho em questão teve como obje-
gunda opção) não seja hackeado, além de em- tivo compreender a importância de Anísio Tei-
presas de informática para o desenvolvimento xeira para o desenvolvimento da educação no
do anel. É importante ressaltar que o anel que Brasil. Com o auxílio do professor orientador
será desenvolvido para ser usado no dedão, (ou foram lidos, apreciados e debatidos duas bio-
no indicador, com o botão virado para o dedão grafias sobre a vida do educador e três artigos
apertar) com a finalidade de evitar apertos in- que relacionam o seu legado com o desenvolvi-
desejáveis. Com base em outros dispositivos mento da educação no país e com o movimen-
bluetooth, o anel conterá em sua parte interna: to da Escola Nova (referenciados no trabalho
1 Chip transmissor; 1 bateria recarregável e 1 completo). Anísio foi pessoa indispensável para
placa mãe. O anel em si será de aço, com apro- o progresso da educação brasileira. Ele defen-
deu a modernização do ensino no país, instituiu

127
10º Encontro de Jovens Cientistas

o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova tíficas, contribuindo para a desconstrução da


e contribuiu ativamente para a criação do pri- Ciência como algo produzido exclusivamente
meiro sistema de ensino organizado no Brasil e por homens e brancos.
para a implantação da primeira LDB.
Palavras-chave: Anna Benite, mulheres Negras,
Palavras-chave: Ensino; nova; revolução. cientistas.

VJC 17 VJC 18

ANNA BENITE: CIÊNCIA TAMBÉM É APLICAÇÕES PEDAGÓGICAS DA


PARA MULHERES NEGRAS TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS
MÚLTIPLAS DE HOWARD
Autoras: Maria Luiza Nascimento1, Michelle Silva1
Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1 GARDNER
Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares, Camaçari,
Bahia. Autora: Ana Maria da Silva de Jesus1
E-mails: naslaura527@gmail.com; chellymilly123@gmail. Orientador: João Marcelo Ramos da Rocha1
com; popovi12@gmail.com Instituição: 1Centro de Educação Colibri, Salvador, Bahia.
E-mails: ana19211@outlook.com; jmarcelo.automacao@
gmail.com
O campo das ciências ainda é um meio domi-
nado por homens, porém muitas mulheres que
se identificam com as áreas científicas, apesar Segundo a teoria das Inteligências Múltiplas de
da discriminação, estão cada vez mais tomando Howard Gardner, a inteligência é plurifacetada
o espaço e lutando pelo reconhecimento que e ligada ao sujeito de acordo com a maneira
merecem. Em meio a isto, o ensino de ciências em que ele vê e interage com suas característi-
ainda é marcado por uma grande divulgação cas, em relação ao meio em que o próprio vive.
de homens como importantes cientistas, não Gardner foi o responsável por desafiar os esco-
destacando a participação de mulheres e ne- res de QI, afirmando que a nossa cultura defi-
gras das áreas das ciências. Com o objetivo de nia a inteligência de uma forma muito limitada
destacar a grande importância da participação e por propor a existência de pelo menos nove
das mulheres e negras nas ciências, realizamos tipos diferentes das mesmas. Ele prova ainda
um trabalho, o qual compôs o Projeto Mulheres que os intelectos necessitam de estímulos: a
Negras Brasileiras nas Ciências. O nosso tra- habilidade e aptidão surgem a partir da vonta-
balho versou sobre a vida e carreira de Anna de e esforço por aprender do indivíduo. O obje-
Maria Canavarro Benite, cujo nome artístico é tivo deste trabalho é identificar a aplicação de
Annita Benite. A partir de uma pesquisa na in- estratégias pedagógicas que auxiliem na busca
ternet, produzimos em grupo um vídeo sobre e potencialização das variadas inteligências em
sua história de vida e suas áreas de estudo. As alunos de classes do ensino fundamental. Duas
principais fontes que utilizamos nesta pesquisa rodas de conversa e debate entre os autores
foram: redes sociais da pesquisadora em ques- do trabalho, três professores da educação bási-
tão e do projeto fundado pela mesma, o Inves- ca e dois gestores educacionais, com coleta de
tiga Menina; como também, plataformas de in- informações em um diário e roteiro (constituí-
formações profissionais. Estas fontes, aliadas a do de perguntas e provocações) defnido pre-
alguns critérios de seleção, como: credibilidade, viamente pelos autores foram realizadas para
sites oficiais e riqueza de informações, foram troca de informações e compreensão das práxis
bases para a construção do vídeo que integrou pedagógicas de cada educador. Uma revisão bi-
o projeto. Annita Benite, licenciada em Química, bliográfica e leitura sobre a teoria das Inteli-
professora da Universidade Federal de Goiás gências Múltiplas e sua aplicação em sala, bem
(UFG), é líder de um projeto que incentiva o como a apreciação de dois vídeos de palestras
ingresso de meninas negras nas ciências, o su- de Howard Gardner (ambos referenciados no
pracitado Investiga Menina. Concluímos que a trabalho completo) também ocorreram. Atra-
história de Annita Benite, assim como de outras vés dos dados colhidos na interação com os
cientistas negras, podem servir para inspirar profissionais da educação citados e com o ma-
jovens negras a ingressarem nas carreiras cien- terial referencial foi possível estabelecer uma

128
Livro de Programação e Resumos

relação entre a teoria de Gardner e práticas uma espécie de piscina fechada e com água
pedagógicas que reconheçam a subjetividade e salgada, onde os micróbios se desenvolveriam
o particular de cada indivíduo e que valorizem e o resíduo plástico seria depositado. O lixo
abordagens democráticas e de estreitamento plástico seria lançado na “piscina”, e as células
da relação professor aluno no ambiente de en- entrariam em ação para degradar o poluente. O
sino. Estudantes diferentes pensam diferente, grande problema dos aterros sanitários é a pro-
vivem experiências diferentes e desenvolvem liferação de insetos transmissores de muitas
inteligências diferentes. Quando os docentes doenças, além do mau cheiro e da necessidade
conseguem aliar o conteúdo ensinado com de grandes terrenos. Os aterros aquáticos evi-
abordagens multidisciplinares, próximas a tariam todos esses problemas de forma eficaz,
realidade discente e que utilizem abordagens sendo uma alternativa para a destinação final
diversas (atingindo e aguçando diferentes inte- de plásticos em geral.
ligências, portanto) estes têm maior chance de
afetar o alunado e produzir uma aprendizagem Palavras-chave: Aterros, decomposição, plásti-
significativa. co, micróbios.

Palavras-chave: Inteligência; estímulos; peda-


gógico.
VJC 20
VJC 19 AUSÊNCIA DE ESCRITORAS
NEGRAS NAS ESCOLAS DE CRUZ
ATERROS AQUÁTICOS? DAS ALMAS-BA
Autores: Antônio Medrado de Alcântara Neto1, Bianca
Nery Barreto1, Clara Silva Greck1,
Davi Gomes Ávila1, Giulia Freitas1 Autoras: Damilli Victória de Castro da Silva¹, Luane Hellen
Orientadora: Carla Regina Nunes Costa1 Carvalho Braga1
Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia. Orientador: Jefferson Gomes Bingre2
E-mails: amedradoneto19@gmail.com; barretobibi146@ Instituição: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Univer-
gmail.com ; clarasgreck@gmail.com ; davi.ninja.avila@ sidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas,
gmail.com; carlacostabiologa@gmail.com; mostradecien- Bahia.
cias@portalmodulo.com.br E-mails: damilli.vi@hotmail.com, hellenluane@hotmail.com,
pb.jeffersonbingre@hotmail.com

Cerca de 70% de todo o lixo marinho é cons-


tituído por plástico que, ao ser descartado no É de suma importância que estudantes tenham
oceano, entra numa fase de degradação a partir contato com a literatura, uma vez que está re-
de fatores não biológicos, incluindo radiação ul- lacionada ao crescimento e desenvolvimento
travioleta, temperaturas flutuantes e forças de intelectual de cada indivíduo. Ao mesmo tem-
abrasão na água do oceano. Em consequência po, a leitura é capaz de aprimorar o vocabu-
destes processos ambientais, ocorre o desgaste lário e desenvolver a interpretação textual do
do material em fragmentos de micro plásticos ser humano. Por esses motivos é proeminente
e nano plásticos, grandes poluentes. A ideia é a influência literária para a formação dos jo-
explorar um mecanismo biológico natural que vens no Ensino Médio. Embora o Brasil seja um
contribua para a degradação de plástico, uma país de cultura extensa, a literatura feminina só
comunidade de microrganismos, os quais ace- teve seu reconhecimento em 1960, com a obra
leram processos ambientais, decompõem o Quarto de Despejo, escrito por Carolina Maria
plástico e provocam mudanças químicas na su- de Jesus. Mesmo com essa valia, é notória a
perfície desses materiais. Estes, até então, têm falta da literatura negra no ambiente escolar,
sido utilizados para a degradação dos plásticos pois, segundo Rosa e Mehl (2009), atualmente
nos oceanos, no entanto, o objetivo é utilizá- há nas escolas um padrão hegemônico de cultu-
-los também no ambiente terrestre, idealizando ra predominantemente europeia. Dessa forma,
assim, aterros sanitários onde as células mini- muitos desconhecem o fato de Machado de As-
mizariam o tempo de decomposição do lixo sis ser negro, e para além disso, é ainda menor
plástico produzido demasiadamente nos dias a relação desses jovens com a literatura negra
atuais. O projeto tem como base desenvolver feminina, demonstrando a carência de livros

129
10º Encontro de Jovens Cientistas

escritos por mulheres negras nesse ambiente. desperdiçando água ou não irrigar o suficiente.
Isto posto, este trabalho tem como objetivo in- Contudo o projeto visa desenvolver um siste-
vestigar os motivos da ausência da literatura ma de auto irrigação mecanizado, no qual cada
negra feminina em sete colégios de Cruz das Al- espécie de planta terá uma quantidade de água
mas (BA). Os pressupostos metodológicos serão oferecida, de acordo com a sua necessidade. O
efetivados através de dados e pesquisas em Sistema de Irrigação Automática (SIA) foi de-
sete instituições educacionais privadas e públi- senvolvido a partir da utilização de materiais
cas, sendo essas por meio de questionários es- com custo benefício, como canos de PVC, man-
pecíficos para os discentes e docentes de lite- gueiras e galões para o reaproveitamento da
ratura das mesmas, embasado em cinco nomes água da chuva. Visto que em alguns sistemas
de escritoras negras que tem um marco na li- existentes geralmente há um grande desperdí-
teratura. Essa pesquisa proporcionará mais co- cio d’água. Além disso, o sistema se torna ino-
nhecimento dessa vertente literária, que ainda vador, uma vez que, possui sensores de luz que
é pouco citada em salas de aulas, tendo como dá início à rega e válvulas elétricas, juntamente
êxito a representatividade para alunas negras a um temporizador do Arduino. Assim, a pro-
no seu ambiente escolar, e o cumprimento da posta sustentável depende de alguns ajustes e
Lei 10.639/03, que recentemente foi alterada estudos mais aprofundados em relação ao solo
para Lei 11.645/08, que obriga o ensino das local e adsorção vegetal.
culturas e história afro-brasileira e africana em
instituições públicas e privadas, do Ensino Bá- Palavras-chave: Sistema agroflorestal; irrigação
sico ao Ensino Médio. automática; escola.

Palavras-chave: Escritoras; literatura negra; ensino.


VJC 22
VJC 21 AUTOMEDICAÇÃO: UM RISCO À
SAÚDE DA TERCEIRA IDADE
AUTOMAÇÃO POR ARDUINO
DA IRRIGAÇÃO DE UMA HORTA Autora: Letícia Ângelo dos Santos¹
Orientadora: Camilla Hettenhausen Costa Marcondes
ESCOLAR COMUNITÁRIA Godoy1
Instituição: ¹Colégio Ana Tereza - CAT, Salvador, Bahia.
Autores: Lucas Almeida Pereira, Beatriz Gomes Nogueira1, E-mails: ltcangelo@gmail.com¹; camilla@anaterezavirtual.
Jessica Santana Ribeiro1 Orientadores: Maurício de Souza com²
Bandeira1, Lilian Alves de Almeida1
Instituição: 1Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.
A automedicação equivale a uma prática co-
E-mails: mauricio.sb@fieb.org.br; lilian.aa@fieb.org.br
mum de tomar medicamentos sem a orienta-
ção de um profissional de saúde adequado,
Os Sistemas Agroflorestais (SAF’s) consistem
onde muitas pessoas na sociedade, por conta,
em plantar de forma integrada uma diversida-
principalmente, de uma rotina apressada e as
de de plantas de porte rasteiro, baixo, médio,
facilidades apresentadas pelas ferramentas
intermediário e alto com ciclos de vida diver-
da internet, veem como algo simples, mas ela
sos e intercalados ao espaço de plantio tanto
pode trazer efeitos negativos. Devido o au-
na forma vertical, quanto na horizontal em uma
mento exponencial das doenças crônicas e das
escala de tempo previamente planejada. Esse
consequências que acompanham o evoluir da
modelo de sistema favorece a microfauna e a
idade é significativo o aumento do uso de me-
macrofauna, além de promover a recuperação
dicamentos entre os idosos, que é reforçado,
de solos degradados e estreitar a relação do
principalmente, pelo poder das indústrias far-
homem com a terra. A partir da implementação
macêuticas e do marketing dos medicamentos.
do Sistema Agroflorestal de uma horta escolar,
O artigo tem como objetivo uma análise crítica
observamos que devido à grande quantidade
do agrupamento de fatores que levam à auto-
de espécies contidas nele, há a necessidade de
medicação a população da terceira idade. Esta
uma irrigação de qualidade e pelo fato de nem
pesquisa foi alicerçada em pesquisas bibliográ-
sempre ter a presença de um responsável no
ficas, por meio de livro, sites, e principalmente,
SAF para a realização dessa tarefa, ou se por-
artigos científicos para obter maior compreen-
ventura quando houver, essa pessoa acabar

130
Livro de Programação e Resumos

são dos motivos que levam idosos a se auto- através da utilização do biogás, para diversos
medicarem e suas consequências. Contudo, os fins, tais quais a utilização de biometano como
resultados encontrados comprovam a vulne- combustível veicular, do sulfeto de hidrogênio
rabilidade do público abordado em relação ao como combustível para motores, do dióxido de
consumo de medicamentos sem orientação de carbono nas indústrias de refrigerantes, extin-
um profissional e evidencia a importância de tores de incêndio e analgésico para animais, e
práticas de sensibilização a respeito do proble- ainda a produção de hidrogênio que pode ser
ma, demonstrando a necessidade de melhorias utilizado como um eficiente biocombustível.
na fiscalização, mais rigor na aplicação das leis Com a finalidade de obtermos o biogás, utiliza-
e de melhor controle das propagandas de re- -se como matéria prima os gases provenientes
médios nos meios de comunicação. A temática da decomposição do lixo orgânico, que são ob-
em questão é de suma importância para incitar tidos nos aterros sanitários através de um sis-
maior intervenção da mídia nas divulgações tema de drenagem. Dessa maneira, o sistema
e a sensibilização do próprio idoso são extre- de extração conduz os gases para a etapa de
mamente necessárias para uma diminuição da captação e de lá eles são encaminhados para
automedicação. tratamento, onde ocorre a filtração e separação
dos materiais particulados. Por conseguinte,
Palavras-chave: Automedicação; idosos; medi- o biogás, filtrado, pode ter diversos destinos
camentos. como a sua utilização enquanto combustível
veicular, em um processo chamado de purifi-
cação do biogás. Nele, ocorre a retirada do dió-
VJC 23 xido de carbono, do sulfeto de hidrogênio e da
umidade. A partir desse procedimento, o biogás
recebe a nomenclatura de biometano, se pos-
BIOGÁS: PARA UM FUTURO suir, no mínimo, 95% de metano. Sendo assim,
SUSTENTÁVEL esta pesquisa descritiva visa a produção e com-
partilhamento de conteúdo acerca dos usos do
Autores: João Paulo Moinhos Berenguer1, Fernanda Oli-
biogás, com o intuito de readaptar pesquisas e
veira Velame1, Louise Victoria Sanches Barbosa1, Gabriela
Vicente Juliano1, Gabriela Vieira Costa Cattai1 experimentos já realizados fora do Brasil, além
Orientadora: Ana Karina Prado Ferreira Figueiredo de torná-los economicamente viáveis, de acor-
Santana1 do com a realidade atual do país. Utilizamos o
Instituição: 1Colégio Santíssimo Sacramento (Sacramenti- método indutivo e nos baseamos em pesquisas
nas), Salvador, Bahia.
bibliográficas.
E-mails: kaufigueiredo@hotmail.com; joaoufba@outlook.
com; fernandaufba@outlook.com; gabrielaufba@outlook.
com; louiseufba@outlook.com; gabrielavieiraufba@outlook. Palavras-chave: Resíduos; impactos; biocom-
com bustível; biogás.

O uso de combustíveis fósseis e o destino final


de resíduos orgânicos são dois dos principais VJC 24
problemas ambientais dos centros urbanos.
Para se ter ideia da gravidade do problema, a BUEIRO ECOLÓGICO
matriz elétrica do Brasil é constituída por 31,9%
do petróleo e seus derivados. Atualmente, a ge- Autoras: Maria Clara Guimarães Dourado1, Maria Eduarda
ração de energia advém, majoritariamente, da Costa Primo Coelho1, Maria Eduarda de Oliveira Carneiro1
queima de combustíveis provenientes de fontes Orientador: Uelen Oliveira Moura1
Instituição: 1Colégio Nossa Senhora Da Luz, Salvador,
não renováveis, o que contribui para emissão
Bahia.
excessiva de gases poluentes do efeito estufa. E-mails: patisguima@hotmail.com; dudaprimo80@gmail.
Ademais, o lixo orgânico representa cerca de com; carneirinho.me@gmail.com; uelenmoura17@gmail.
52% de todos os resíduos produzidos nas resi- com
dências brasileiras. Esses resíduos destinam-se,
geralmente, aos aterros sanitários, que por sua Antes de apontar a intenção pela qual estamos
vez são responsáveis por cerca 6% a 20% de desenvolvendo o trabalho é essencial ter co-
todo o metano liberado para a atmosfera. Dian- nhecimento a respeito das palavras que o no-
te do exposto, objetivamos reduzir tais impac- meiam. O bueiro pode ser conhecido de dife-
tos ambientais e trazer vantagens econômicas, rentes formas como: boca de lobo, escoadouro,

131
10º Encontro de Jovens Cientistas

vala, fossa; entretanto todas elas possuem o VJC 25


mesmo o significado buraco em muro, ou cano
subterrâneo em ruas ou estradas, para dar es-
CAMINHOS PARA COMBATER A
coamento a águas subterrâneas ou pluviais, ou
de rios e riachos. A palavra ecológico deriva de ESCRAVIDÃO NO BRASIL
ecologia que é o estudo da casa, ou seja, do
Autoras: Vitória Bianca da Silva Pinto1, Isabelle Maria
ambiente e das inter-relações dos organismos Nascimento Silveira1
no meio físico. O objetivo do bueiro ecológico é Orientador: Jefferson Gomes Bingre2
proporcionar solução para os transtornos cau- Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Univer-
sados pelas enchentes e alagamentos, de for- sidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas,
Bahia.
ma prática, sustentável e econômica. O projeto
E-mails: vitoriabianca1102@gmail.com; isabellenascimen-
torna-se funcional pela fácil confecção, consi-
to521@gmail.com; professorjeffersonbingre@gmail.com
derando que utilizara tampinhas plásticas que
custa em média R$ 1 real por quilo. O gasto
A partir dos primeiros anos na escola aprende-
médio da confecção fica em torno de R$50,00.
mos que a escravidão foi abolida no dia 13 de
Nesse sentido, o projeto é sustentável por ser
maio de 1888 pela Lei Áurea. Na teoria, consta-
elaborado com material reutilizável; e econô-
ta-se que se tornou ilegal qualquer espécie ou
mico por não promover custo elevado com o
ação de trabalho escravo no Brasil, no entanto,
material que será utilizado para a confecção do
na prática, a exploração da mão de obra escra-
bueiro, pois o mesmo será feito com tampinhas
va ainda persiste em grande parte do território
plástica. O bueiro funcionará na contenção de
nacional. Na contemporaneidade ainda encon-
resíduos sólidos, só será possível a passagem
tra-se casos de trabalho escravo, tanto no meio
de efluentes. O bueiro também contará com
rural quanto no meio urbano, contudo, não se
um sensor de “entupimento” pois quando o
remete ao modelo de escravidão antiga. É pos-
bueiro estiver próximo a sua capacidade de
sível compreender que o trabalho escravo nos
carga máxima, o sensor será acionado e os ór-
dias atuais não se configura como o império,
gãos responsáveis irão realizar a manutenção
entretanto, há um alto índice de pessoas que
do equipamento. Sabe-se que as causas mais
trabalham em situação precária e exploração
apontadas como agente das inundações são
de horas excessivas de trabalho. Segundo site
os bueiros que entopem por causa do mau uso
o Globo Economia, constatou-se que há cerca
do espaço urbano. Segundo o site g1.com , em
de 1,7 mil casos de trabalho escravo no Bra-
2013, dia 08/01, em Cuiabá Mato Grosso, “Aqui
sil. Dessa forma, o trabalho tem como objetivo
não pode dar uma chuvinha que já é o suficien-
mostrar para a sociedade que ainda existem
te para entupir os bueiros e causar alagamento
indícios de escravidão. Dessa forma, a meto-
nas ruas. A enxurrada entra nas casas e aca-
dologia será realizada por meio de questioná-
ba estragando e levando os móveis com ela”,
rios contendo perguntas simples com o intuito
explicou Nívia Mendes, a proprietária de uma
de investigar se os alunos têm conhecimento
loja de móveis. Uma chuva que durou cerca de
sobre a escravidão na sociedade atual e serão
20 minutos foi o suficiente para causar trans-
aplicados em três escolas da cidade Cruz das
tornos em alguns bairros da capital. Espera-se
Almas (BA). Ademais, este trabalho se faz im-
com esse trabalho, propor uma alternativa, viá-
portante pela falta de conhecimento da socie-
vel, para o problema das inundações de gran-
dade acerca da historicidade da escravidão no
des centros urbanos.
Brasil.
Palavras-chave: Bueiro Ecológico: econômico;
Palavras-chave: História, Caminhos, Escravi-
sustentabilidade.
dão, Brasil.

132
Livro de Programação e Resumos

VJC 26 sensibilizem com a causa e continuem com a


proposta iniciada pelos autores do presentes
projeto.
COLETA DA SOLIDARIEDADE
Autores: Ana Victória Malta1, Beatriz Ramos Oliveira1, Palavras-chave: Sensibilidade; lacres de latas;
Beatriz Ribeiro de Oliveira1, Beatriz Santos do Espírito cadeira de rodas.
Santo1, Mateus Teixeira Gabriel1
Orientador/a: Marluce Malta1, Davi Ferreira Barreto1
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô-
nio de Jesus, Bahia. VJC 27
E-mail: daviufrb@gmail.com
COMO SE PROTEGER DOS
Um grande problema enfrentado por diversas PROBLEMAS DA RADIAÇÃO
creches e asilos que abrigam pessoas com ne-
cessidades especiais é a falta de equipamen-
ELETROMAGNÉTICA NAS
tos específicos, para o cuidado dos mesmos. TECNOLOGIAS UTILIZADAS NO
Diante desta triste realidade, identificamos que COTIDIANO
poderíamos trocar lacres de latas de alumínio
por cadeiras de rodas, e através de uma cole- Autores: Cauã Pereira da Silva e Silva1, Ian Gustavo Souza
Nunes1, Luís Felipe Silva dos Santos1
ta solidária vamos adquirir algumas cadeiras
Orientador: Marcus Vinícius Fraga Lobo2
para que possam ser doadas para instituições Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universi-
públicas da cidade de Santo Antônio de Jesus – dade Federal do Recôncavo da Bahia,
BA que apresentarem mais carência. Há alguns Cruz das Almas, Bahia.
anos surgiu à polêmica sobre trocar lacres de E-mails: caua7659@gmail.com; ian-jack1@outlook.com;
felipe_lippe18@hotmail.com;
latinhas por cadeira de rodas, na época mui-
lobo-marcus@outlook.com
tos pensaram que era uma forma de golpe ou
pegadinha. Entretanto, apesar de parecer algo
fantasioso, hoje, essa é uma opção verdadeira. A fim de trazer mais conforto e rapidez a socie-
Pesquisando sobre a proposta, foi descoberto dade, formas de energia distintas vêm sendo
que para alcançar nosso objetivo é necessá- utilizadas, contudo, existem fontes de energia
rio juntar cem quilos de lacres de latinhas de que são mais conhecidas pelas pessoas do que
alumínio (o que corresponde à cerca de cento a energia eletromagnética, mas nem por isso é
e quarenta garrafas pet de dois litros cheias menos usada em relação às outras, pois este
desses anéis). Uma das dificuldades enfrenta- tipo de energia é imperceptível e extremamen-
das ao desenvolver esta proposta consiste no te utilizada na sociedade, podendo provocar
fato de que a maioria das pessoas escolhe con- riscos à saúde, a depender do tempo e nível de
sumir bebidas de garrafas por ser uma opção exposição. O desenvolvimento de tecnologias
mais econômica para o bolso do consumidor. que utilizam as ondas eletromagnéticas cresce
Foi confeccionados cartazes de informativos, exponencialmente, e o uso desses equipamen-
personalizados recipientes para o depósito dos tos é imprescindível na sociedade moderna, e
lacres e realizamos uma campanha somando principalmente entre os jovens. Estudos cien-
forças com o comercio local (Santo Antônio de tíficos realizados em 2005 pela Organização
Jesus), amigos, colegas, professores e familia- Mundial de Saúde (OMS) apontam que, junta-
res. Foi agendada uma data para as coletas nos mente com esse crescimento, há evidências de
pontos estabelecidos, e, até aqui já consegui- inúmeros problemas que afetam a saúde dos
mos juntar cerca de 30 (trinta) garrafas pets, e, indivíduos como: câncer, irritações na pele,
após conseguirmos a meta estabelecida neces- insônia, tontura, dores de cabeça, problemas
sária de lacres, os mesmos serão enviados para cardíacos, entre outros, causados pela radiação
uma ONG em São Paulo, responsável por essa eletromagnética presente nos aparelhos eletrô-
ação. Com isso, espera-se promover uma maior nicos. A atração das pessoas pela tecnologia é
comodidade aos moradores/frequentadores notória, pois ela sempre influenciou o ser hu-
das instituições que serão destinas as cadeiras mano. Sendo assim, é fundamental explicar e
e contribuir com a diminuição de descartes in- ponderar os modos de inserção de novos equi-
corretos desses lacres, assim como incentivar pamentos tecnológicos e suas formas de ener-
uma corrente do bem, na qual as pessoas se gia, e não apenas o conforto e comodidade que
eles propiciam. De modo que a sociedade tenha

133
10º Encontro de Jovens Cientistas

acesso ao maior número de informações sobre aprendizagem, tornando a leitura como instru-
as tecnologias utilizadas e desenvolvidas, as- mento necessário a qualquer aprendizado e
sociadas aos riscos que elas fornecem à saúde. indispensável para o desenvolvimento intelec-
O objetivo deste trabalho é o de informar aos tual da pessoa. Ela é um ponto de partida para
usuários sobre as consequências da radiação aquisição de conhecimento, meio de comunica-
eletromagnética na saúde das pessoas que ção e socialização, além de ser a forma mais
utilizam com frequência aparelhos eletrônicos usada para a comunicação, consequentemente,
e como podem diminuir, evitar e prevenir os veículo de socialização, que também vai inter-
danos causados pelo uso constante da tecnolo- ferir grandemente na aprendizagem da escrita,
gia. Para isso foi realizada uma pesquisa biblio- visto que, elas (leitura e escrita), são interde-
gráfica acerca de estudos relacionados com os pendentes e se desenvolvem de modo contínuo
efeitos do eletromagnetismo, para se obter da- e progressivo. Este trabalho objetiva mostrar
dos explicativos, em que foi feito uma seleção como a leitura faz-se necessária constantemen-
de trabalhos que estevam alinhados com o ob- te seja na escola ou em outro lugar, afinal, a
jeto em estudo. A pesquisa foi realizada nas ba- formação de leitores é uma tarefa que se cum-
ses de dados Scielo e Google Acadêmico. Após a pre por toda vida. Através da nossa vivência,
seleção das pesquisas, foi feita uma análise dos observação em sala de aula e das rodas de con-
dados obtidos para que fosse possível orientar versas informais percebemos o desinteresse e
os usuários acerca dos problemas relaciona- o desestímulo dos nossos colegas pela leitura,
dos ao uso constante de aparelhos eletrônicos, partiu daí nossa inquietação com a questão da
onde ficou perceptível que grande parte dos leitura e outras de cunho social, destacadas em
usuários tem conhecimento sobre a radiação muitos fatos ocorridos, não apenas na escola,
eletromagnética nas tecnologias utilizadas no como em outros ambientes do nosso convívio.
cotidiano e as agressões que podem acontecer Foi então que resolvemos criar histórias em
com seu corpo, e continuam utilizando de forma quadrinhos relacionadas a estes temas que nos
exacerbada esses aparelhos eletrônicos. Como incomodam, tratando assim de criar, ao mesmo
produto deste trabalho, foram confeccionadas tempo, o incentivo e o gosto pela leitura, bem
cartilhas explicativas e educativas sobre o uso como ressaltar temas abordando o bullying, o
dos aparelhos que utilizam ondas eletromagné- desrespeito ao professor, o preconceito religio-
ticas. Espera-se, a partir dessa cartilha, que os so e a falta de cuidado com o meio ambiente.
usuários se conscientizem para desenvolverem Com essas atividades incentivadoras doamos
ações preventivas no sentido de minimizar as HQs e livros de literatura infantil para o lar dos
futuras possíveis consequências danos à saúde idosos e uma creche, além disso, estimulamos a
das pessoas. afetividade usando a leitura para este fim.

Palavras-chave: Radiação, Malefícios, Tecnolo- Palavras-chave: Leitura; oportunidades; cida-


gia, Saúde. dania.

VJC 28 VJC 29

CONSTRUINDO HISTÓRIAS E COPO PRODUZIDO A PARTIR DA


ESTIMULANDO A LEITURA CASCA DO COCO
Autores: Enzo David Peuonzo Ferreira1, Gabriel Improta Autores: Antônio Honorato de Castro Vita1, Bernardo Con-
de Andrade1, João Gabriel Marinho Gomes Emiliano1, duru Lins de Faria1, Miguel Rêgo de Castro1, Maria Helena
João Marcos Costa Pereira1, Júlia Silva Ribeiro1 Souza de Oliveira1, Maria Laura Cordeiro1
Orientador/a: Davi Ferreira Barreto1, Andréa Mascare- Orientadora: Paloma Bagano Paiva1
nhas1 Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô- E-mails: bernardoclfaria@gmail.com,linocosta@bol.com.br;
nio de Jesus, Bahia. bernardoclfaria2@gmail.com,mostradeciencias@portalmo-
E-mail: daviufrb@gmail.com dulo.com.br

Não se pode deixar de reconhecer a importân- A bioeconomia é a busca por atividades pro-
cia da leitura prazerosa no processo ensino e dutivas menos agressivas à natureza, mas que

134
Livro de Programação e Resumos

ao mesmo tempo não cause estagnação eco- pode ser considerada por muitos uma das sete
nômica para os setores produtivos. Esse novo maravilhas do campo sociológico atual. Con-
olhar sustentável é importantíssimo para o tudo, mesmo com a população brasileira, de
meio ambiente e para a sociedade, pois, aju- modo geral, contemplando o direito ao voto
da a reduzir a poluição com a reutilização dos como uma conquista do verdadeiro ideal de-
produtos que seriam descartados no ambiente mocrático, a real democracia nunca pisou em
natural e em sua grande parte trariam danos tal território, gerando uma sociedade mais de-
gravíssimos ao homem. Os consumidores mo- sigual e um povo controlado e iludido sobre o
dernos entendem a necessidade da substitui- nosso regime brasileiro. Esse fato se dá, uma
ção imediata do uso de alguns materiais, como vez que, nunca na história nacional, os negros,
o plástico, usado largamente como descartável indígenas e as mulheres, juntamente com ou-
em empresas, festas e comércios. Os copos tras minorias, tiveram o mesmo poder de voz
plásticos fazem parte dos poluentes, que joga- do que a classe branca, rica e patriarcal, que
mos na natureza ou enterramos em células de rege o país desde a colonização europeia. Vi-
aterros sanitários e por causa disso nos dias de sando a um estudo sobre essas problemáticas,
hoje várias pesquisas estão sendo desenvolvi- foi desenvolvido esse projeto, para que assim
das com o pensamento de evitar a degradação possamos apresentar e tentar convencer os
ambiental além de reduzir os rejeitos que serão leitores e espectadores, sobre os problemas de
enviados para seu destino final. Pensando-se algumas das democracias (governos) e da de-
então em uma forma alternativa, surgiu-se a mocracia (conceito) no contexto global e como
ideia de se trabalhar com produção de um copo ela não passa de um mal-uso do verdadeiro
feito a partir da casca do coco, que é descarta- significado da palavra, mostrando fatos de di-
da em grande quantidade nas praias do litoral versas partes do mundo e da nossa sociedade
do nordeste brasileiro e quase sempre acaba no brasileira que comprovam essa teoria, de modo
mar. Durante a execução do trabalho surgiram a explicitar aos espectadores o quão importan-
dificuldades para uso da casca e foi observado te é a participação de todos no cenário polí-
que a retirada integral da casca esculpia uma tico. Para realização do trabalho, utilizou-se o
cumbuca, que pode ser usada como copo e é método cartesiano, separando os tópicos a se-
exótico e bonito, agregando valores ao produto rem estudados, começando do mais fácil para
oferecido. A proposta é utilizar esse copo, subs- o mais difícil. Inicialmente estudando a base
tituindo a grande produção e principalmente a do conceito de democracia, para consequente-
poluição causada pelos copos plásticos, já que o mente – por meio de livros, artigos, reporta-
coco é um produto natural e biodegradável, não gens e a nossa própria sociedade – chegar a
causando danos ao meio ambiente. Nos testes uma conclusão. Serão abordados os elementos
realizados, recomendamos que se use o coco essenciais do conceito democrático, dentre eles
verde pois, o coco seco não dá uniformidade o entendimento esclarecido, a participação efe-
na textura causando desconforto na hora de tiva, a igualdade do voto, o controle da pauta
beber. política e a inclusão de toda a sociedade. Em
suma, o termo democrático é interpretado de
Palavras-chave: Bioeconomia; casca de coco; maneira errônea em uma massiva parte do glo-
copo; plástico. bo terrestre, tornando-se necessário um estudo
político-social que forje tal conceito de maneira
correta.
VJC 30
Palavras-chave: Democracia; sociedade brasi-
leira; política.
DEMOCRACIA... E ISSO EXISTE?
Autores: Daniel Kolbe1, Vinícius Pereira1
Orientador: Fábio Mutti1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: daniel.kolbe09@gmail.com; virope.vrp@gmail.com;
fabio@anglobra.com.br

A democracia, conceito originado na Grécia


Antiga, que tem como ideia o “poder do povo”,

135
10º Encontro de Jovens Cientistas

VJC 31
Palavras-chave: Transtornos Físicos: comporta-
mentos agressivos; mudanças; transições; sin-
DEPRESSÃO EM
tomas.
ADOLESCENTES E O IMPACTO
NO DESENVOLVIMENTO DO
INDIVÍDUO EM ESTUDANTES DE VJC 32
DOIS COLÉGIOS PARTICULARES
DE CRUZ DAS ALMAS-BA É DE COMER? AS PANCS, SUAS
RELAÇÕES COM VALORES
Autoras: Maria Gabrielle Queiroz Silveira1, Ariani dos TRADICIONAIS E POSSIBILIDADES
Santos Oliveira2
Orientador: Jefferson Gomes Bingre2 DE USO NA DIETA ALIMENTAR
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Univer-
sidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, Autoras: Isabelle Vitória Barcelos1, Luane Ferreira1
Bahia. Orientadora: Karole Pereira1
E-mails: mariagabriellequeirozsilveira@hotmail.com, aria- Instituição: 1Escola SESI Reitor Miguel Calmon, Salvador,
niolliveira@outlook.com, pb.jeffersonbingre@hotmail.com Bahia.
E-mails: isabellevbcarvalho@hotmail.com, luaneferrei-

A depressão é um transtorno psicológico grave ra62@gmail.com karole@fieb.org.br.

que acomete inúmeros adolescentes em todo o


mundo. Esta abrange fatores cognitivos, com- As Plantas Alimentícias Não Convencionais
portamentais, sociais, entre outros. O tema co- (PANCs) correspondem a um grupo de plantas
meçou a ser abordado na década de 1970 por que apresentam algumas peculiaridades: bro-
alguns teóricos como Paula Lemos e Roberta tam de modo espontâneo em diferentes tipos
Ferrari Marback, as quais investigaram essa de terrenos, por isso são consideradas rústicas,
questão e publicaram um artigo em 2016, com possuem valor nutritivo, potencial de mercado
o objetivo de quebrar as barreiras de informa- e também podem colaborar com a segurança
ções para a população com relação aos sinto- alimentar. Além disso, muitos desses vegetais
mas depressivos e como procurar o tratamento poderiam fazer parte da nossa alimentação
adequado. Entretanto, a depressão foi conside- cotidiana, valorizando o seu uso através do
rada uma doença tipicamente de adultos, o que conhecimento tradicional. Nessa perspectiva,
atualmente, está errado, pois os adolescentes este trabalho se propõe a investigar o conheci-
são os que mais sofrem. Dados publicados pelo mento que os professores da Escola Sesi Reitor
Jornal O Globo afirma que 30% dos jovens têm Miguel Calmon possuem sobre as PANCs, além
problemas que levam à depressão. As mudan- de difundir a sua compreensão sobre esses
ças e transições em diversas situações acabam vegetais baseada em valores tradicionais, e
afetando o físico e psicológico das pessoas. Os ainda demonstrar como essas plantas podem
sintomas que afetam adolescentes são: se apre- fazer parte da dieta alimentar. As pesquisas
sentam sempre tristes, irritáveis, de mau hu- bibliográfica, quantitativa e qualitativa, além
mor, com problemas consigo mesmo, culpando dos registros imagéticos, nortearam a elabo-
todos por tudo que ocorre, e isso acaba deixan- ração deste trabalho. Para a coleta dos dados,
do-os propensos a crises de raiva, ansiedade e foi aplicado um questionário semiestruturado
comportamentos agressivos. O objetivo dessa elaborado a partir do Forms, um dos aplica-
pesquisa é identificar os fatores que interfe- tivos da Microsoft 365, visando investigar a
rem na causa da depressão nos adolescentes. compreensão prévia dos docentes sobre as
A metodologia utilizada é a aplicação de ques- PANCs e suas percepções no que tange à va-
tionário em dois colégios particulares de Cruz lorização cultural do conhecimento acerca des-
das Almas-BA, com respostas simples e rápidas. ses vegetais. A biodiversidade dessas plantas
Dessa forma, entende-se que a presente Pes- foi apresentada através da exibição e contato
quisa Científica é importante para investigar com algumas espécies pré-selecionadas, além
como ocorre a relação do distúrbio depressivo do uso de QR Code para visualização de outras.
no ambiente familiar e escolar possibilitando Os professores participantes também tiveram
reconhecer o campo de conceitos e ideias que acesso a um catálogo digital de receitas elabo-
vigoram o imaginário do adolescente. radas com essas plantas compartilhado via QR

136
Livro de Programação e Resumos

Code e e-mail corporativo. Desse modo, evi- soft 365, visando investigar o entendimento
denciou-se o conhecimento de alguns docentes prévio dos estudantes participantes sobre as
sobre esse grupo vegetal, bem como a neces- PANCs. Logo após, houve a exposição de al-
sidade de difundir mais informações a fim de gumas espécies pré-selecionadas por meio
valorizar os conhecimentos tradicionais sobre da qual os estudantes envolvidos obtiveram
essas plantas, além de disseminar as diversas mais informações sobre esses vegetais. Houve
possibilidades de utilizá-las nas suas dietas ali- também uma demonstração virtual de outras
mentares. espécies através do uso de QR Code, visando
exemplificar aos discentes a biodiversidade
Palavras-chave: Plantas alimentícias não-con- desse grupo vegetal. Além disso, os estudantes
vencionais; valores tradicionais; dieta alimen- tiveram acesso a uma cartilha eletrônica que
tar. exemplificava a biodiversidade de algumas
das PANCs selecionadas e a receitas prepara-
das com essas plantas, divulgadas por meio do
VJC 33 aplicativo Teams. A pesquisa mostrou-se rele-
vante, pois ajudou a demonstrar aos estudantes
a importância das PANCs e permitiu que eles
É MATO? PANCs E SUAS conhecessem um grupo de plantas ainda pou-
PERPECTIVAS DE USO PARA UMA co debatido nas escolas, além de disseminar as
ALIMENTAÇÃO DIFERENCIADA possibilidades de uso, por meio da cartilha ele-
trônica, desses vegetais de maneira atraente,
Autoras: Gabriela Rodrigues1, Sofia Almeida1, Thaísla saudável e gostosa na dieta alimentar.
Ferreira1
Orientadora: Karole Pereira1
Palavras-chave: Plantas alimentícias não-con-
Instituição: 1Escola SESI Reitor Miguel Calmon, Salvador,
Bahia. vencionais; alimentação diferenciada; dieta
E-mails: gabi140506@gmail.com, sofilisstalker@gmail.com, alimentar.
tai.lu622@gmail.com, karole@fieb.org.br.

As Plantas Alimentícias Não Convencionais VJC 34


(PANCs) constituem um grupo de vegetais que
nascem de modo espontâneo em diferentes re-
ECO CANETA
giões do país. Tais espécies são consideradas
rústicas, devido à facilidade de brotamento
Autores: Mariana Portela Gomes1, João Paulo Oliveira
e dispersão em diferentes tipos de terrenos. Santana1, Liz Fraga Sampaio1, Samarah Moura Vallari1
Além disso, essas plantas poderiam fazer par- Orientadora: Carla Regina Nunes Costa1
te da nossa alimentação cotidiana, pois apre- Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.
sentam valor nutritivo, potencial de mercado e E-mails: lfsampaio12gmail.com,jpaulinho2005@hotmail.
com, marianaportela1408@gmail.com; samarahvallari@
além de poderem colaborar com a segurança
gmail.com; carlacostabiologa@gmail.com;
alimentar. Nesse sentido, este trabalho se pro-
mostradeciencias@portalmodulo.com.br
põe a demonstrar as PANCs aos estudantes do
7º ano do ensino fundamental II da Escola Sesi
Aproximadamente, são despejados 8 milhões
Reitor Miguel Calmon, além de evidenciar seu
de toneladas de plástico no oceano por ano,
uso na alimentação de modo atrativo, e pro-
com destaque, para a chamada Grande Mancha
mover a demonstração visual para os discentes
de Lixo do Pacífico, localizada entre a costa
de pratos elaborados utilizando essas plantas.
oeste dos Estados Unidos e o Havaí, que possui
A escolha do seriado, o 7º ano, justifica-se em
uma área de cerca de duas vezes maior que a
razão de os conteúdos trabalhados em Ciên-
França. Uma pesquisa recente (feita em 2018)
cias neste período envolverem o reino vegetal
constatou que ela tem cerca de 80 mil tonela-
e ainda pouco se discutir sobre esse grupo de
das de plástico descartados. Porém, infelizmen-
plantas nas escolas. As pesquisas bibliográfica,
te, não é apenas o plástico que é descartado
quantitativa e qualitativa, além dos registros
sem reaproveitamento. O departamento sub-
imagéticos, nortearam a elaboração deste tra-
-regional da América Central da Organização
balho. Para a obtenção dos dados, foi aplicado
das Nações Unidas para a Alimentação e Agri-
um questionário semiestruturado elaborado a
cultura (FAO), indicou que na América Latina e
partir do Forms, um dos aplicativos da Micro-

137
10º Encontro de Jovens Cientistas

no Caribe são desperdiçados alimentos sufi- canismo de sensibilização daqueles envolvidos


cientes para satisfazer a necessidade calórica no estudo, uma vez que pode vir a ser um meio
de mais de 36 milhões de pessoas, ao mesmo de solucionar essa carência em relação à falta
tempo que existem na região 425 milhões de de acesso ao teatro. Nesse trabalho, há o obje-
pessoas que passam fome. Frutas e vegetais es- tivo de despertar a curiosidade e o interesse
tão entre os alimentos mais desperdiçados do dos estudantes e do público em geral ao co-
mundo. A necessidade moderna de se reapro- nhecimento artístico e tudo que nele é envol-
veitar as matérias primas, esgotáveis ou não, vido, sendo que para isso, houve a busca pelos
faz parte de um novo conceito chamado de Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s) para
bioeconomia, uma revolução que vai além de entender como deve ser abordado o conteú-
pensar de forma sustentável e chega nas for- do das artes cênicas nas escolas. E como meio
mas de produção, extração de recursos e mo- mais adequado, foi disponibilizado para toda a
delos econômicos. Este projeto visa a criação população de estudantes, que varia entre 13 e
de uma eco caneta, com material proveniente 19 anos, da instituição em que estudamos um
da reciclagem do plástico, evitando seu destino questionário referente a pesquisa científica,
final incorreto, com tintas sustentáveis, produ- onde utilizamos as amostras para visualizar
zidas a partir do reaproveitamento de rejeitos visões de mundo diferentes sobre o mesmo as-
de hortifrúti no mercado. Com isso, haverá uma sunto, assim enriquecendo ainda mais o nosso
economia para o meio ambiente, uma vez que banco de informações. Através da geração de
recursos antes descartados seriam reaproveita- um termo de consentimento, foi disponibiliza-
dos em um novo produto. Além disso, canetas do aos estudantes da instituição o questioná-
são muito comuns no dia a dia de todos, princi- rio online para que pudessem responder pela
palmente estudantes, e uma caneta sustentável sua livre e espontânea vontade. Para além, foi
iria diminuir a produção ao usar plásticos já necessário responder e detalhar as principais
existentes em sua forma reciclada. Um produ- inquietações no quesito do acesso ao teatro,
to de baixo custo e acessível para a população, dentre elas, foram evidenciados os principais
movimentando a economia sem agredir o meio entraves para esse acesso, como, transportes
ambiente. públicos, horários das peças, preços, acessibili-
dade e se o teatro era/é um meio elitizado. Sen-
Palavras-chave: Plástico; reciclagem; lixo orgâ- do assim, com essa pesquisa científica existe o
nico; bioeconomia. objetivo de solucionar as inquietações iniciais
e sensibilizar o público para que o teatro volte
um dia a ser um meio mais popular de expres-
VJC 35 são artística, tendo em vista que alguns fatores
acabaram ofuscando a visibilidade teatral (O
surgimento de outros produtos audiovisuais e
EDUCAÇÃO ESTÉTICA COMO também a drástica queda de popularidade), já
REDEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO que a frequência de visitação foi drasticamente
AO TEATRO EM SALVADOR caindo ao longo dos anos, até chegar no pata-
mar que se encontra atualmente.
Autores: Luana da Costa Oliveira1, Mailane Castro dos
Santos1, Ricardo Leite Alves1 Orientadora: Fabiane Lima Palavras-chave: Teatro; entraves; expressão;
Santos1
educação estética.
Instituição: 1Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.
E-mails: luanacostaoliveira20@gmail.com, castromaila-
ne10@gmail.com, ricardoleite1501@gmail.com

O artigo em questão visa discutir os possíveis


entraves do acesso ao teatro, visto que esse
meio artístico entrou em um processo de de-
cadência após a ditadura ao passo que houve
uma grande repressão artística. A pesquisa
mostra a importância do ir ao teatro não só
como uma ação, mas também priorizando suas
emoções, e junto a isso utilizaremos o conceito
de Schiller sobre Educação Estética, como me-

138
Livro de Programação e Resumos

VJC 36 de 12V, conectado por fios ao controlador de


carga. O controlador de carga transmite a ener-
gia produzida pelo aerogerador para ser arma-
ENERGIAS QUE MOVEM MINHA
zenada na bateria, a qual está conectada à uma
ESCOLA: CONSTRUÇÃO DE UM caixa de tomadas. A energia estocada é usada
MODELO DE AEROGERADOR DE para ligar aparelhos da escola. A implantação
EIXO HORIZONTAL deste sistema de energia eólica despertou em
toda a comunidade escolar, uma sensibilidade
ecológica e ambiental, fazendo com que todos
Autores: Diana Matos da Conceição1, Renan da Conceição mudassem seus hábitos em relação ao consu-
Fonseca1, Eliel Reuel dos Santos Sena1, Bruna Rosario mo de energia, além de reduzir, mesmo que
Gomes1, Janderson Julião dos Santos1 minimamente, o valor da conta de energia e a
Orientadores: Leandro de Oliveira Cedraz1, Mateus da
dependência da energia de hidrelétricas.
Silva Carvalho1
Instituição: 1Colégio Estadual Doutor Luis de Moura
Bastos, Dias D’Ávila, Bahia. Palavras-chave: Energia; aerogerador; meio
E-mails: dhcmattos@gmail.com, renanfurious_324@ ambiente.
hotmail.com, elielsena16@gmail.com, brunk2205@hotmail.
com, janderson.juliao@hotmail.com, leco.cedraz@hotmail.
com, mt.carvalho95@gmail.com
VJC 37
A preocupação acerca da sustentabilidade e
da produção de energia proveniente de fon- ENGENHARIA REVERSA E SUA
tes renováveis, tem sido um tópico discutido APLICABILIDADE NA ATUALIDADE
mundialmente, devido à grande importância
para o desenvolvimento sustentável de uma Autor: Roberto Silva do Couto1
sociedade. Desde os primórdios da industria- Orientador: Marcus Vinícius Fraga Lobo2
lização até hoje, o uso excessivo de fontes não Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Faculdade
Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia.
renováveis de energia conduziu à um atual
E-mails: robertocouto258@gmail.com, lobo-marcus@
cenário ambiental crítico, sendo necessária a
outlook.com
busca por alternativas energéticas capazes de
suprir de maneira sustentável as demandas
Quando desmontamos um brinquedo ou qual-
da população. Parte considerável da poluição
quer item para entender o seu funcionamen-
pode ser atribuída à produção de energia por
to, é aplicado um conceito denominado enge-
isso, explorar com mais frequência fontes de
nharia reversa, o qual analisa e compreende o
energias renováveis e principalmente aquelas
funcionamento de um objeto ou sistema atra-
em que temos potencial, constituem ações de
vés da análise de sua construção e função. A
grande importância na luta pelo meio ambien-
engenharia reversa começou em análises de
te. Quando falamos do Nordeste, um exemplo
hardwares, com o propósito de se fabricar có-
de energia que apresenta grande potencialida-
pias ilegais de componentes, já sua aplicação
de é a eólica, cuja força motriz são os ventos e
na engenharia de software é compreender o
por nos situarmos em região litorânea temos
funcionamento de programas, descobrir bugs,
em abundância, o que torna extremamente viá-
adaptar softwares antigos para uma linguagem
vel a exploração desta energia inesgotável, que
de programação atual, sendo também mui-
não emite gases poluentes nem gera resíduos,
to utilizada em antivírus para criar proteções
além do rápido retorno econômico. Neste sen-
contra malwares e outras funcionalidades, mas
tido, este trabalho teve por objetivo implantar
sua aplicação não se restringe somente a infor-
um sistema de energia eólica em nossa escola.
mática, ela também pode ser aplicada na enge-
Nosso objetivo principal foi construir um aero-
nharia civil para construção de estruturas com
gerador de eixo horizontal para produção de
o mesmo objetivo, porém, de forma reestrutu-
energia que possa ser utilizada na escola. Para
rada, além disso, a engenharia reversa também
a construção do projeto utilizamos um motor de
é muito utilizada nas indústrias para que uma
liquidificador industrial, um controlador de car-
empresa não fique atrás das tecnologias de em-
ga, um transformador e as hélices foram feitas
presas concorrentes. O conceito da engenharia
utilizando tubos de PVC. Construímos uma tor-
reversa está cada vez mais se tornando uma
re onde foi colocado o aerogerador, com tensão
importante área de pesquisas para o avanço

139
10º Encontro de Jovens Cientistas

das tecnologias existentes, visto que possibilita é mais interessante, fácil de manuseio, controle
que algo que é protegido por leis de proprieda- e conserto, quando comparado aos sistemas de
de intelectual possa ser estudado e melhorado máquinas que usam engrenagem. Estes siste-
pelos concorrentes, isto se deve ao fato de a mas necessitam de uma programação específi-
engenharia reversa não ser considerada uma ca para movimentos de ir e vir e as de sistema
espécie de cópia, pois se trata apenas do estu- hidráulico não necessitam dessa programação,
do daquilo que foi criado. A partir do exposto, o facilitando o manuseio. Além de ser menos
objetivo do trabalho é fazer um estudo biblio- agressivo para o meio ambiente, uma vez que
gráfico e apresentar como o objeto de estudo não possuem pistões que liberam gases na at-
e como a sua utilização tem sido aplicado nos mosfera, visto que não utilizam fluidos gasosos.
diversos setores industriais, além de explicitar Para concretização desse trabalho pesquisamos
como tem se desenvolvido no mundo. Para isso, em sites de compras os modelos de escava-
as plataformas de banco de dados Scielo e Goo- deiras, como também analisamos os dados de
gle Acadêmico foram utilizadas para realizar a consumo destes sistemas e seus impactos para
pesquisa proposta por esse trabalho, e após a o meio ambiente. Acreditamos que após a ex-
busca foi feita a seleção de 10 trabalhos que plicação que acontece por meio do protótipo da
estavam alinhados com o tema proposto. Com escavadeira hidráulica conseguiremos desper-
isso, foi feita a análise dos dados obtidos, onde tar o interesse por máquinas que utilizam tal
fica comprovado a importância que a engenha- sistema, por isso a comparamos com o modelo
ria reversa possui, vantagens de sua utilização pneumático. Por fim, acreditamos ser possível,
e suas aplicabilidades no contexto atual, além ampliar o uso das escavadeiras hidráulicas em
de ser utilizada para auxiliar o entendimento detrimento das pneumáticas e assim conservar
de sistemas e estruturas da tecnologia. o meio ambiente e a saúde do ser humano que
manipula ou não esses sistemas, uma vez que
Palavras-chave: Engenharia reversa; aplicabili- as máquinas pneumáticas podem ocasionar im-
dade; engenharia. pactos irreversíveis ao ambiente humano.

Palavras-chave: Sistema hidráulico; sistema


VJC 38 pneumático; escavadeiras; meio Ambiente.

ESCAVADEIRA HIDRÁULICA
VJC 39
SUSTENTÁVEL
Autores: Davi Moreira1, Gabriel Costa Silva1, João Victor ESTRELA DA VIDA: A UTILIZAÇÃO
Dórea1
Orientadora: Bárbara F. Rocha Silva1 BENÉFICA DA CARAMBOXINA
Instituição: 1Colégio Nossa Senhora da Luz, Salvador,
Bahia. Autores: João Pedro Carvalho, Nicole Barros, Talita
E-mails: barbarafrs27@gmail.com. davimoreiralima2005@ Marina Nóbrega
gmail.com. costagabriel413@gmail.com. joaoavictordorea- Orientador: Jorge Bugary Teles Junior
gluiz@hotmail.com Instituição: Colégio Sartre _ Escola SEB, Unidade Monet,
Lauro de Freitas, Bahia.
E-mails: jp.carvalho2005@outlook.com; barrosnico-
As questões socioambientais estão sendo mui- le2729@gmail.com; talita.freitas2004@hotmail.com;
to debatidas por diversos segmentos sociais jbugary@hotmail.com
no século XXI. O avanço tecnológico vem per-
mitindo um melhor acesso a vários segmentos A caramboxina é uma neurotoxina presente
produtivos, contudo as máquinas que surgem na carambola, fruta de nome científico: Aver-
mediante esses avanços podem contribuir com rhoa carambola, uma fruta de origem indiana,
a degradação do ambiente. Este trabalho tem conhecida por seu formato estrelar. Muitas
como objetivo discutir sobre os conceitos das pesquisas são realizadas a fim de estudar sua
escavadeiras, seus valores, modelos e as dife- neurotoxina, considerada perigosa a pacientes
renças entre os sistemas que as compõem, com com insuficiência renal, hipertensão e diabe-
foco nos sistemas: hidráulico e pneumático. tes, podendo levá-los a óbito. Em condições
Nosso intuito é promover acesso a informações normais, a caramboxina é filtrada pelos rins
sobre sistema hidráulico, percebendo que este e eliminada do corpo através da urina, porém,

140
Livro de Programação e Resumos

nesses pacientes, essa substância não é filtra- neidade, potencializadas pela ampliação e dis-
da e entra na corrente sanguínea. Com isso, a seminação do mundo tecnológico, influenciam
mesma pode atingir o cérebro, ocasionando a a forma de ensinar e aprender na atualidade.
hiperexcitabilidade das células nervosas, moti- Muitos estudos indicam que o Ensino Médio
vo pelo qual muitos pacientes vêm a sofrer a atual não tem respondido, de forma satisfatória,
sofrer convulsões, confusão mental e agitação a esses desafios, sendo necessárias mudanças
psicomotora. Em nossa pesquisa temos como nesse processo. Este estudo teve por objetivo
objetivo encontrar algum potencial benéfico trazer um levantamento das expectativas dos
da caramboxina, podendo relacioná-la à hi- estudantes quanto à implementação do novo
perexcitabilidade causada pela mesma, com o Ensino Médio em unidade de ensino situada no
possível auxílio no tratamento de doenças neu- recôncavo baiano. Os dados foram coletados a
rodegenerativas, como o Mal de Parkinson e o partir da aplicação de um questionário estrutu-
Alzheimer. Nas doenças citadas anteriormente, rado, disponibilizado no site do Ministério da
ocorre a degradação das células e conexões Educação, contendo 23 perguntas relacionadas
nervosas, caracterizando-se como doenças percepção atual Ensino médio e às expectativas
progressivas e sem cura até então. Com esse sobre a implementação do novo Ensino Médio.
estudo da caramboxina como agente estimu- No total, foram entrevistados 31 estudantes, de
lante das células cerebrais, que foram atingidas ambos sexos, com idade entre 12 e 17 anos,
pelas doenças neurodegenerativas, seria possí- todos matriculados no Colégio Adventista da
vel estimular futuras pesquisas que fomentem Bahia - CAB, situado na cidade de Cachoeira,
a ação de forma eficaz na restauração das ati- no recôncavo baiano. Quando perguntados so-
vidades cerebrais, através de sua propriedade bre as três principais motivos que os levaram
de provocar a hiperexcitabilidade do cérebro, a cursar o ensino Médio, 80% indicou entrar
porém utilizando a substância em dosagens numa faculdade; 71% Ter um bom emprego fu-
menores do que é encontrada na carambola, turamente e 67,7% adquirir mais conhecimen-
de forma a evitar os demais efeitos, que pode- tos. Em relação as três melhores estratégias de
riam ser prejudiciais à saúde do paciente. Deste aprendizagem, 58,1% revelou aprender mais
modo, após nossa pesquisa, trabalhos futuros participando de aulas baseadas em tecnologia;
poderão ser realizados, a fim de comprovar ou 58,1% estudando sozinho e 51,6% participando
refutar nossa tese. de oficinas e fazendo projetos práticos. 48,4%
disseram que a possibilidade de escolha de
Palavras-chave: Caramboxina; neurônios; tra- quais áreas quer aprofundar deveria ser feita
tamento. logo no início do ensino médio, enquanto 38,7%
informou ser melhor fazer essa escolha depois
de conhecer melhor sobre o novo Ensino Mé-
VJC 40 dio, 9,7% depois que tiver mais certeza do que
quer fazer no futuro e 3,2% apenas no final do
ensino médio, após passar por todos conheci-
ESTUDO SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO
mentos comuns a todos os estudantes. As ex-
DO NOVO ENSINO MÉDIO EM UMA pectativas, em relação ao novo Ensino Médio,
UNIDADE DE ENSINO SITUADA dos adolescentes escolares evidenciados nesta
NO RECÔNCAVO BAIANO: DADOS pesquisa, revelaram que os estudantes desejam
ampliação na liberdade de escolha sobre o que
PRELIMINARES SOBRE O PROCESSO desejam aprender. Os entrevistados indicaram
DE ESCUTA DOS ESTUDANTES desejo de ter a tecnologia mais evidente no
processo de aprendizagem, mais oficinas e pro-
Autores: Guilherme Lima Alves1, Mikelly Militão Melros1
jetos práticos no ensino médio e maior prota-
Orientador: Francisco Silva de Souza1
Instituição: 1Colégio Adventista da Bahia, Cachoeira,
gonismo no processo de aprendizagem.
Bahia.
E-mails: guibalino@hotmail.com, mikellymelros@gmail. Palavras-chave: Educação; novo Ensino Médio;
com, frousa@gmail.com aprendizagem.

O Ensino Médio apresenta desafios em todas as


redes de ensino do país. As intensas transfor-
mações sociais e emocionais da contempora-

141
10º Encontro de Jovens Cientistas

VJC 41 VJC 42

GAMES: A INFLUÊNCIA DO GARRAFA BIODEGRADÁVEL


“HORMÔNIO DA LUTA E DA FUGA”
Autoras: Ana Beatriz Machado de Castro1, Maria Clara de
Souza Guimarães1, Maria Luiza Cardoso da Paz de Lira
Autoras: Aline Santana Barbosa¹, Maria Clara Pimentel¹
Medeiros1, Mariana Domingues Vila-Flor1, Sophia Costa
Orientador: Eduardo dos Santos Lopes²
Carvalho1 Orientadora: Paloma Bagano Paiva1
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, Instituição: 1Colégio Módulo, Salvador, Bahia.
2Uniasselvi, Cruz das Almas, Bahia.
E-mails: dix.nutela@gmail.com; mostradeciencias@portal-
E-mails: alinesbar@outlook.com, clarapimentel19@hotmail.
modulo.com.br
com, lopes.edu@hotmail.com

O plástico tem se mostrado o grande vilão das


Também conhecido como “hormônio do lutar
discussões ambientais. Usado de forma exage-
ou fugir”, a adrenalina é liberada ao enfren-
rada, feito a partir do petróleo, que é esgotável,
tarmos momentos impactantes permitindo que
e extremamente poluente, por não ser biode-
façamos impressionantes realizações e dessa
gradável e ter alto tempo de decomposição,
forma mantém o corpo em alerta. Com o cons-
fazem desse material o maior alvo da indústria
tante avanço da tecnologia os jogos eletrônicos
de reaproveitamento de materiais. A ideia é um
estão com interfaces e ambiente de simulação
protótipo de garrafa biodegradável, construída
bem realistas e, o que poderia ser um momento
com materiais naturais, como amido, óleo de
de descontração, pode resultar numa constan-
milho, casca de laranja e outras fibras vege-
te liberação de adrenalina, uma vez que alguns
tais. A garrafa ecológica pode ser usada como
jogos conseguem fazer com que situações ex-
refil em lanchonetes e festas, evitando o uso
tremamente intensas manifestem-se de acordo
dos descartáveis. Optou-se em produzir uma
com o envolvimento do usuário com o jogo. O
garrafa a partir de amido de batata do reino.
presente trabalho, tem como objetivo demons-
Para tanto foi utilizado um quilo de batata, que
trar a atividade da adrenalina no corpo de um
foi batida no liquidificador com água suficiente
ser humano ao sofrer estímulos causados pela
apenas para a mistura. Acrescentou-se quatro
influência dos jogos eletrônicos, por observar a
colheres de vinagre e quatro colheres de sopa
alteração da frequência cardíaca, uma vez que
de glicerina. Após decantação do amido, o mes-
a taquicardia está diretamente associada com
mo foi colocado para secar dando origem à um
os picos de adrenalina. A metodologia utiliza-
material resistente. Em testes, esse produto al-
da será através do monitoramento em tempo
ternativo demonstrou-se resistente ao calor e
real dos batimentos cardíacos e as emoções
quando colocado em água teve decomposição
manifestadas de um jogador nato, comparando
em duas semanas. Sendo assim, a nova embala-
o fluxo entre atividades diárias e o momento
gem biodegradável reduziria o uso de plástico,
de interação com o jogo. A indústria dos games
que está afetando gravemente o nosso planeta
busca frequentemente aperfeiçoar a qualidade
com a morte de vários animais, a acumulação
do realismo, resultando num aumento do nú-
de micro plástico nos animais marinhos, já que
mero de pessoas envolvidas no mundo dos ga-
toneladas desse rejeito chegam aos oceanos,
mes, o que o torna um fator importante para a
através de uma forma simples e eficiente, sem
economia e o meio social, porém os jogadores,
depender de grandes indústrias, que fazem
não raro, podem ser submetidos a diversos ti-
com que essas opções sejam inalcançáveis pela
pos emoções. Nesse contexto, é de fundamental
maior parte das pessoas com os preços não
importância analisar os efeitos causados pelos
acessíveis. Conclui-se que a substituição das
jogos no comportamento humano, e investigar
garrafas de plástico pelas biodegradáveis é viá-
os aspectos fisiológicos benéficos e maléficos
vel e trará um grande ganho ao meio ambiente.
resultantes da exposição a adrenalina em fun-
ção do grau de persuasão dos jogos.
Palavras-chave: Plástico; biodegradável; garrafas.

Palavras-chave: Adrenalina; taquicardia; jogos;


fisiologia; estresse.

142
Livro de Programação e Resumos

VJC 43 um pouco densa, já que o leite foi fermentado


e permitiu essa característica. Estes geladinhos,
portando, oferecem benefícios para a saúde
GELADINHO PROBIÓTICO
como indicações terapêuticas, melhoria da flo-
FERMENTADO A PARTIR DO KEFIR ra intestinal, do sistema imunológico, fonte de
LÁCTEO cálcio, indicado para portadores de intolerân-
cia a lactose no nível baixo, além de facilitar
Autores: Fernando Macedo de Almeida Neto1, Giovanna a digestão. Na contraindicação, as pessoas que
Liz Rocha Silva1, Gustavo Luís Oliveira Barros1, João Vitor
têm tolerância à lactose no nível médio/grave
Souza Silva1, Luiz Henrique Rebouças Queiroz1
Orientadoras: Alba Cristina Barbosa de Jesus1, Marina de
ou que possuem diabetes, este produto não é
Jesus Santos1 recomendado por não se ter estudos que com-
Instituição: 1Colégio Santo Antônio de Jesus, Santo Antô- provem a redução total do nível de açúcar no
nio de Jesus, Bahia. organismo humano e por não ter conhecimento
E-mail: daviufrb@gmail.com da quantidade ideal de água que dilua o açúcar
consumido dentro do próprio corpo.
A crescente busca das pessoas por opções
mais saudáveis na alimentação vem sendo
Palavras-chave: Kefir; geladinho probiótico; ali-
notada como ponto positivo para melhoria
mento saudável.
da sociedade. Em virtude disso, estudamos o
kefir, também conhecido como cogumelos do
iogurte, que consiste na composição microbio-
lógica dos grãos e do leite fermentado (WHO, VJC 44
2001). No entanto, nos estudos realizados foi
constatado que sua composição bioquímica e GERAÇÃO SMARTPHONE: PERFIL
microbiológica demonstra que este é um pro- DE USO DE APLICATIVOS POR
duto probiótico (SANTOS, 2015). O kefir apre-
senta as mesmas características funcionais dos
ADOLESCENTES DE ENSINO MÉDIO
probióticos que são produtos contendo micro- E JOVENS UNIVERSITÁRIOS DE
-organismos vivos que afetam beneficamente DUAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO NO
a saúde do hospedeiro. Existem dois tipos de RECÔNCAVO DA BAHIA
grãos do Kefir, um que se desenvolve na fer-
mentação do leite (kefir lácteo) e outro que se Autora: Mikelly Militão Melro1
desenvolve na água açucarada (kefir de água). Orientador: Francisco Silva de Souza1
Ambos consistem numa alternativa viável e Instituição: 1Colégio Adventista da Bahia, Cachoeira,
Bahia.
de baixo custo. No desenvolvimento do pre-
E-mails: mikellymelros@gmail.com, frousa@gmail.com
sente projeto, optamos pela utilização do kefir
lácteo devido a finalidade do mesmo que é a
produção de geladinhos probióticos, no intuito O uso de smartphones e a sua disseminação
de deixá-lo mais nutritivo, além de tornar sua em diversos setores da sociedade, inclusive no
propriedade física mais cremosa e saborosa. O contexto educacional, gerou importantes trans-
método utilizado na produção do geladinho se formações no aprendizado das novas gerações.
deu primeiramente pela inserção dos grãos de Este estudo teve por objetivo investigar o perfil
kefir no leite para ocorrer a fermentação. Após de uso de smartphones por adolescentes e jo-
20 horas nesse processo de fermentação, o lei- vens estudantes de duas instituições de edu-
te foi peneirado e transferido para a geladeira cação no recôncavo baiano. Foram coletados
permanecendo por 24 horas. A cada 250 ml do dados sobre o uso de smartphones entre estu-
leite fermentado foi adicionado açúcar e polpas dantes do ensino médio do Colégio Adventista
de frutas de sabores diversos. Em seguida, foi da Bahia - CAB e estudantes do ensino superior
batido no liquidificador alcançando uma mistu- da Faculdade Adventista da Bahia - FADBA, am-
ra homogênea. Depois, o conteúdo foi colocado bas instituições situadas na cidade de Cachoei-
aos poucos nos saquinhos para a produção dos ra-BA. Participaram do estudo 100 estudantes,
geladinhos. Os geladinhos probióticos produzi- de ambos sexos, matriculados no ensino mé-
dos a partir da fermentação do leite através do dio do CAB, e 100 estudantes universitários da
kefir lácteo foram satisfatórios, tiveram uma FADBA, ambos entrevistados a partir de uma
boa aparência, um agradável sabor e textura entrevista semiestruturada. As entrevistas co-
letavam informações como: (1) a quantidade de

143
10º Encontro de Jovens Cientistas

horas diárias dedicadas ao smartphone, e (2) doença sexualmente transmissível, na qual a


a principal categoria de conteúdo acessada no deterioração progressiva do sistema imunitá-
smartphone. Dentre os universitários entrevis- rio propicia o desenvolvimento de infecções
tados, 95% relataram utilizar, com maior fre- oportunistas potencialmente mortais. Desde
quência, aplicativos de redes sociais, enquanto a aparição dos primeiros casos, quando ainda
apenas 5% dos estudantes universitários fa- escassas as informações, os índices para soro-
ziam uso, com maior frequência, de aplicati- positivo têm sido preocupantes e exigem todo
vos pertencentes à categoria “produtividade”. um aparato profissional como intermédio para
Em contrapartida, 50% dos estudantes adoles- o aprimoramento dos métodos de profiláticos,
centes de ensino médio, relatam utilizar, com tratamentos e até a produção de uma possível
maior frequência, aplicativos de redes sociais e cura. Os debates partem de inquietações sobre
40% indicaram aplicativos relacionados a cate- o real comprometimento das grandes organi-
goria “lazer” e outros 10% relataram o uso, com zações com o produto dessas pesquisas: a di-
maior frequência, de aplicativos pertencentes a plomacia capitalista estaria sobrepondo outros
categoria para a “produtividade”. Os aplicativos fins? A justificativa para a elaboração deste tra-
relacionados às redes sociais constituíram a ca- balho fundamentase na ideia de que as teses as
tegoria em que os estudantes relatam uso, com quais sujeitam grande parcela da sociedade ao
maior frequência. Os estudantes universitários, risco, tais como as pandemias, necessitam de
em comparação com os estudantes de ensino um olhar crítico e inovador, haja vista, toda in-
médio, relataram usar o smartphone, 02 horas justiça e desleixo contido no poder de veto das
diárias a mais. A hipótese inicial era que estu- indústrias. O discutido comprova a necessidade
dantes universitários dedicariam mais tempo à de investigação da esquematização política e
categoria “estudo/leitura”, no entanto nenhum a movimentação de finanças que controlam tal
entrevistado relatou esse uso. As instituições situação com vistas a nutrir uma conscientiza-
devem promover o uso das tecnologias digitais ção popular.
da informação e comunicação em todos os ní-
veis de ensino, promovendo a inclusão digital. Palavras-chave: Aids; HIV; política; economia;
Os dados deste trabalho indicam a necessidade globalização.
de novos estudos relacionados a Geração Smar-
tphone.
VJC 46
Palavras-chave: Educação, redes sociais; TDIC;
Smartphones.
HIV: DESAFIOS DE UM
SOROPOSITIVO E A INFLUÊNCIA
VJC 45 DA MÍDIA
Autora: Esther Cerqueira1
HIV: CONTEXTO POLÍTICO- Orientadora: Camilla Hettenhausen1
ECONÔMICO COMO OBSTÁCULO Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: esthercerqueira1@gmail.com; camilla@anatereza-
PARA AS PESQUISAS virtual.com

Autora: Júlia Alice1


Orientadora: Camilla Hettenhausen1
HIV é a sigla em inglês para Human Immuno-
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia. deficiency Virus (Vírus da Imunodeficiência
E-mails: julyalicy@gmail.com e camilla@anaterezavirtual.com Humana), sendo o causador da AIDS sigla em
inglês para (Síndrome da Imunodeficiência Ad-
O presente artigo consiste em um trabalho quirida), este agente age atacando as células
de natureza teórica que, perante à uma série de defesa do corpo, deixando-o mais propen-
de interferências de domínio social, político e so a qualquer tipo de doença. A AIDS teve a
econômico, visa promover uma reflexão acer- sua primeira aparição registrada em 1981,
ca da complexidade da problemática com o porém só foi ser estudado em 1983 pelo cien-
vírus da imunodeficiência humana e seus des- tista francês Luc Montagnier e de acordo com
dobramentos. O HIV, sigla inglês para vírus da a UNAIDS (programa das nações unidas de
imunodeficiência humana, é precursor da AIDS, combate a AIDS) atualmente cerca de 36,7 mi-
lhões de pessoas vivem com HIV e 21 milhões

144
Livro de Programação e Resumos

estão em tratamento contra esta enfermidade. luição marinha a partir da conscientização da


O presente artigo consiste em apresentar um população sobre a importância da conservação
trabalho teórico baseado em uma série de pes- do meio ambiente. O tema foi escolhido atra-
quisas, que tem como objetivo estimular uma vés de pesquisas e debates relacionados aos
melhor análise sobre a influência da mídia na maiores problemas do planeta atualmente. Fo-
prevenção da propagação do vírus HIV e numa ram feitas pesquisas sobre a poluição marinha
melhora no bem-estar do portador dessa enfer- e formas de reutilização e reciclagem de lixo
midade. A AIDS é uma das epidemias mundiais plástico. Discutiu-se, também, que o Brasil é o
mais preocupantes atualmente, porém não pos- 4° país que mais polui os oceanos com plástico,
sui a devida visibilidade midiática o que é um atrás apenas dos Estados Unidos, da China e da
empecilho pois facilita a repercussão de mitos Índia, todos bem mais populosos que o nosso.
e incita a ignorância sobre o assunto. Esse pre- Além disso, o Brasil é o país que menos recicla,
conceito formado atrapalha a desenvoltura so- apenas 1,28% de todos os resíduos plásticos
cial do paciente, além de apresentar também produzidos, contra uma média mundial de 9%,
consequências físicas pois já é comprovado que também é muito baixa. De tanto plástico,
que o estresse acarreta problemas ao sistema foram formadas ilhas de lixo nos oceanos, essas
imunológico o que em portadores de HIV é algo ilhas causam sérios impactos ao meio ambiente
ainda mais preocupante. A temática em ques- e podem causar danos futuros irrecuperáveis.
tão é de suma importância para incitar maior As vítimas dessa catástrofe são principalmente
intervenção da mídia a respeito da propagação os animais marinhos, mas os humanos também
de informações sobre o HIV de forma com que sofrem as consequências da sua própria ação,
haja mais discussões sobre as questões vividas quando ingerem esses animais contaminados,
pelos portadores, visando a melhora na quali- afetando toda uma cadeia alimentar causando
dade de vida desses indivíduos. desequilíbrio ecológico. Os estudos trouxeram
resultados piores do que se imaginava, o plásti-
Palavras-chave: Aids; HIV; mídia; globalização. co já está presente em todo o oceano, inclusive
em seus pontos mais profundos. É preciso in-
vestir na recuperação dos danos trazidos, pois
VJC 47 até a água que consumimos está contaminada
de partículas de plástico, para isso é preciso de-
senvolver projetos de substituição do plástico
IMPACTOS CAUSADOS PELAS ILHAS por materiais biodegradáveis, projetos de reci-
DE LIXO clagem e reutilização do plástico para diminuir
o descarte desse material.
Autores: Arthur Almeida1, Isadora Rebelo1, Laís Miranda1;
Luma Tavares1
Orientadora: Ana Liz Vieira Netto1 Palavras-chave: Oceano; poluição; lixo; ilhas de
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. lixo; plástico.
E-mails: almeidaarthur@gmail.com, isadorarebelodemou-
ra@gmail.com, lalamiranda730@gmail.com, lumatava-
res50@gmail.com, analiz@anglobra.com.br
VJC 48
Poluição marinha é aquela caracterizada pela
presença de poluentes sólidos e líquidos nas JOANA D’ARC FELIX DE SOUZA:
águas dos mares e oceanos, que são frutos da INSPIRAÇÃO PARA UM ENSINO DE
atividade humana. Os oceanos e mares são
CIÊNCIAS MAIS DIVERSO
os principais destinos dos produtos gerados
pelas atividades humanas, as principais cau-
Autora: Julia Cellyne Barbara dos Santos1
sas desse problema, são: o petróleo e outros
Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1
produtos químicos, os poluentes domésticos e Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares, Dias
industriais, sem o devido tratamento, e o lixo D’Ávila, Bahia.
plástico, que é um dos principais poluentes nos E-mails: jcellyne@gmail.com, popovi12@gmail.com
últimos tempos. O objetivo deste trabalho é a
realização de projetos de recuperação e despo- Na grande parte das carreiras científicas obser-
luição dos oceanos, com o intuito de alertar as vamos uma predominância de homens e bran-
pessoas sobre os problemas causados pela po- cos. Ao estudar ciências ao longo de nossa vida

145
10º Encontro de Jovens Cientistas

escolar, identificamos nos livros quase sempre cados pelas pessoas mais velhas apenas seus
as imagens de cientistas sendo representadas pontos negativos. Para mostrar de forma teóri-
por homens brancos e praticamente nada sobre ca os benefícios dos jogos digitais, o presente
a histórias de mulheres negras ligadas à área artigo apresenta um trabalho que possui como
da Física, Química ou Biologia. Por conta disso, objetivo o auxílio na compreensão histórico-
nós alunos e alunas do 9º ano tivemos a opor- -cultural das pessoas e da aplicação educacio-
tunidade de pesquisar e estudar sobre diversas nal dos mesmos. Esta obra possui como base
mulheres negras das ciências. Uma destas, foi primordial o trabalho de diversos autores so-
Joana d’Arc Felix de Souza. A referente pesqui- bre o assunto, como Eucídio Pimenta. Lev Vy-
sadora negra é química e professora de grande gotsky diz que o desenvolvimento intelectual
renome. Ganhadora de 56 prêmios, como o de dos jovens e das crianças são um produto das
Pesquisadora do Ano no Kurt Politizer de Tec- suas interações sociais e do meio que elas vi-
nologia Química, Joana desenvolve pesquisas a vem; segundo Rafael Savie Vania Ribas, no arti-
partir do uso do curtume. A pesquisa realizada go “Jogos Educacionais: Benefícios e Desafios”,
sobre sua história de vida e profissional resul- essas atividades de entretenimento criam um
tou na escrita em grupo de um roteiro e produ- universo próprio que interage com o jogador
ção de um vídeo que foi apresentado na escola, constantemente, através de estímulos visuais,
na disciplina de Ciências, divulgado em rede NPC’s (“Non Player Characters) e, caso for on-
social e enviado para a cientista em questão. line, interação interpessoal. Isso cria, segundo
O vídeo integrou o Projeto Mulheres Negras Pierre Levy, um oceano de informações no qual
Brasileiras nas Ciências, cujo objetivo maior o indivíduo atua mutuamente com essa gran-
foi tornar visível histórias de vida e áreas de de extensão de água informacional, gerando
estudos de mulheres negras pesquisadoras de conhecimento empírico. Mesmo suscetível a
diferentes áreas científicas. O trabalho foi im- erros, o conhecimento empírico é uma forma
portante, pois pudemos conhecer a trajetória válida de conhecimento de mundo, que contri-
de uma mulher que contribui de forma intensa bui para a aquisição de conhecimento cientí-
com o conhecimento científico. Consideramos fico. Certos jogos, como a franquia “Assassin’s
importante conhecer a história de Joana d’Arc, Creed”, utilizam de períodos históricos como
bem como a participação de outras mulheres fundo temático para a ação, que pode ser ob-
negras das ciências, pois jovens negras podem servado por meio de objetos culturais, formas
se inspirar a ingressar na carreira científica, arquitetônicas, linguagem e ambientação. A in-
contribuindo para história científica do Brasil. teração passiva do jogador com esses objetos,
gera um conhecimento empírico sobre a cultu-
Palavras-chave: Joana d’Arc; mulheres negras; ra da época. Rafael Savi e Vania Ribas, nesse
ciências. mesmo artigo, dizem que essas práticas lúdicas
desenvolvem o raciocínio dedutivo, resolução
de problemas, memorização e resolução de
VJC 49 problemas, além de trabalhar as habilidades
cognitivas do indivíduo, como o reconhecimen-
to de padrões. Essas habilidades básicas desen-
JOGOS DIGITAIS: MEIO DE volvidas nesses jogos facilitam a aquisição de
CONHECIMENTO E INTERAÇÃO conteúdos por parte dos alunos. Esses aspectos
SOCIAL positivos podem ser mais bem compreendidos
para utilizar destes jogos na educação de forma
Autor: Kaio Aroldo Miranda dos Santos1 efetiva, auxiliando na aquisição de aprendiza-
Orientadora: Synara Silva de Pinho1 do do aluno de forma ativa e passiva.
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: kaioaroldo2011@hotmail.com; synara@anatere-
Palavras-chave: Jogos; conhecimento; intera-
zavirtual.com
ção Social.
Os jogos digitais são uma forma de arte e en-
tretenimento que surgiu no século XX, tendo
se popularizado nos anos 90 com a empresa
Japonesa Nintendo. Conforme os anos foram
passando, esses jogos foram se tornando cada
vez mais inerentes aos jovens, sendo desta-

146
Livro de Programação e Resumos

VJC 50 VJC 51

MALEFÍCIOS DO USO EXCESSIVO MIDIATIZAÇÃO E


DO ÁLCOOL EM JOVENS DE CRUZ MERCANTILIZAÇÃO DO TURISMO
DAS ALMAS-BA NA CIDADE DE SALVADOR/BA
Autores: Marcos Gabriel Peixoto da Paz1, Thainá da Silva Autoras: Luana Pereira dos Santos¹, Larissa Nascimento
Costa Santiago1 de Jesus¹
Orientador: Eduardo dos Santos Lopes2 Orientador: Aisllan Damacena Souza da Silva¹
Instituições: Centro Educacional Maria Milza1, Uniasselvi2, Instituição: ¹Colégio Ana Tereza, Salvador Bahia.
Cruz das Almas, Bahia. E-mails: santos.luana4941@gmail.com, larrisanj01@gmail.
E-mails: marcoshero2011@hotmail.com, thainasantia- com, aisllan1@hotmail.com
go849@gmail.com, lopes.edu@hotmail.com

A cidade de Salvador é bastante conhecida em


As bebidas alcoólicas estão entre os produtos todo o mundo, sobretudo pelos seus aspectos
mais consumidos do mundo. Apreciadas por culturais, isso a torna bastante requisitada por
muitas pessoas, consumidas em eventos fes- turistas. Em 2019, a capital baiana foi a única
tivos e ocasiões sociais, as bebidas inebrian- cidade brasileira considerada pelo Jornal The
tes têm se tornado um forte atrativo para os New York Times como um dos 50 destinos (de
jovens. Isto posto, algumas pesquisas apon- todo o mundo) para ser conhecido. Com isso, a
tam para uma estimativa em que 43% de toda tecnologia vem se tornando uma grande alia-
população mundial com 15 anos ou mais re- da as agências e secretarias de turismo, onde
presentam os atuais consumidores de bebidas por meio da criação de aplicativos e sites, além
alcoólicas. As consequências do uso excessi- dos investimentos em propagadas nos canais
vo de álcool, devido ao seu consumo de for- midiáticos, tem se tornando possível dissemi-
ma demasiada e precoce podem trazer sérios nar informações para o público consumidor e
problemas de saúde, causando doenças como interessado na prática turística. Nessa pers-
o câncer, diabetes, complicações gastrointes- pectiva, a proposta deste trabalho pauta-se em
tinais, prejuízo cerebral, doenças vasculares, abordar a influência dos recursos midiáticos e
complicações renais, desregulação hormonal, tecnológicos na propagação e mercantilização
entre outras. Dessa forma, esse trabalho tem do turismo baiano. Esse estudo foi construído
como objetivo investigar os riscos que o con- a partir das discussões levantadas no Grupo de
sumo demasiado do álcool tem proporcionado Pesquisa “Vem pra Bahia, vem! Do progresso
para a saúde dos adolescentes. A metodologia as consequências da midiatização do turis-
será realizada por meio de questionário, que mo e da cultura na cidade do Salvador”, e foi
será aplicado em escolas da cidade de Cruz das constituído a partir do levantamento e estudo
Almas (BA), apoiado com o Termo de Consenti- de fontes bibliográficas que discutem o turis-
mento Livre e Esclarecido (TCLE), no intuito de mo e sua relação com as mídias e da pesquisa
saber qual a postura que os adolescentes têm de campo, sobretudo através da realização de
em relação ao uso excessivo do álcool, no qual entrevistas com blogueiros soteropolitanos, tu-
buscaremos conhecer a amplitude da falta de ristas, agenciadores de viagens e comerciantes
informação entre esses jovens em relação à uti- de pontos turísticos soteropolitanos. Por fim,
lização do álcool, já que o desconhecimento das os resultados desse estudo foram também ilus-
consequências futuras advinda do uso dema- trados através da produção de um curta-me-
siado influenciará diretamente em suas vidas. tragem intitulado “Um álbum, uma história”.
Esses resultados evidenciaram que o turismo
Palavras-chave: Álcool, saúde, adolescentes. se constitui a partir do conjunto de atividades
que envolvem o deslocamento de pessoas de
um lugar para outro e que com o passar dos
anos a sua prática foi tornando-se frequente
e reconhecida por conta da persuasão das mí-
dias tecnológicas. Assim, colaborando para que
as pessoas se interessem e busquem conhecer
novos roteiros e lugares, como é o caso da ci-
dade de Salvador, a qual vem sendo sempre re-

147
10º Encontro de Jovens Cientistas

tratada em jornais, telenovelas, filmes e redes hoje não tinham o seu trabalho divulgado para
sociais a partir das suas festas, praias, culinária as pessoas através dos veículos de informação
e dos seus lugares de memória que abrigam um utilizados hoje em dia. Então, pensando em
grande acervo histórico patrimonial. Por fim, nossa sociedade machista, esse trabalho foi de
pesquisar esse tema possibilitou ao grupo de grande valia para nós e para essa geração de
estudos um vasto conhecimento sobre a capital jovens que está chegando agora, pois assim, já
baiana, a qual é lançada aos olhos do mundo vamos crescendo com um pensamento de que
globalizado através das mídias digitais e tec- não só homens podem ser grandes químicos,
nológicas. biólogos, físicos ou cientistas em geral, mas
também que mulheres negras podem ocupar
Palavras-chave: Salvador; turismo; midiatização. estes espaços, contribuindo para o mundo de
pesquisas e avanços das áreas científicas.

VJC 52 Palavras-chave: Ensino de Ciências; mulheres


negras; cientistas.
MULHERES NEGRAS BRASILEIRAS
NAS CIÊNCIAS VJC 53
Autor: Denilson Santos Silva1
Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1 MULHERES NEGRAS NA CIÊNCIA:
Instituição: Escola Municipal Denise Tavares, Camaçari,
Bahia.
KATEMARI ROSA
E-mails: denilson.ssilva05@gmail.com, popovi12@gmail.
Autora: Dariany K. dos Santos Silva1
com.
Orientadora: Kelly Meneses Fernandes1
Instituição: 1Escola Municipal Denise Tavares, Camaçari,
Ao longo do ensino de Ciências é comum conhe- Bahia.
cermos cientistas, que são em sua maioria, ho- E-mails: darianykelle2.0@gmail.com; popovi12@gmail.com
mens e brancos. A partir de uma rápida análise
em sala de aula de diferentes livros de Ciências A Ciência é o mecanismo para solucionar os
de 9ºano, pudemos verificar a inexistência de maiores desafios do mundo e transformá-lo.
imagens e histórias de mulheres negras cien- A participação das mulheres frente à constru-
tistas. Com o intuito de divulgar grandes cien- ção do pensamento científico, mesmo com o
tistas negras brasileiras, nós, estudantes do 9º patriarcado sendo bastante assíduo, é tão an-
ano realizamos o projeto intitulado Mulheres tiga quanto o princípio da ciência. Embora haja
Negras Brasileiras nas Ciências. O projeto con- mulheres na ciência, uma parte delas possuem
sistiu na produção de vídeos curtos a partir da seus trabalhos subestimados e quando falamos
pesquisa em internet sobre histórias de vida de mulheres negras esse número é ainda maior.
de diferentes mulheres negras das ciências, o Evidenciando a necessidade de valorizar o tra-
que consideramos que trouxe mais dinâmica balho delas neste âmbito, o 9º ano através de
ao conteúdo e saiu um pouco do cotidiano de uma pesquisa orientada descobriu mulheres
apenas pesquisar e anotar as informações refe- negras pesquisadoras, como Katemari Rosa,
rentes ao mesmo, trazendo mais engajamento que é graduada em física pela Universidade
dos estudantes na construção do trabalho como Federal do Rio Grande do Sul, mestra em En-
um todo. Em todo o projeto foram produzidos sino, Filosofia e História das Ciências pela Uni-
vídeos sobre sete mulheres negras cientistas. versidade Federal da Bahia, mestra em Science
Estas mulheres fizeram projetos e descober- Education pelo Teachers College e doutora em
tas que contribuíram tanto para a formação de Science Education pela Columbia University.
novos profissionais, quanto para a conscienti- Atualmente é professora adjunta da Universi-
zação de pessoas de que elas podem acreditar dade Federal da Bahia, onde coordena a área
nos seus sonhos, ainda que não possuam uma do PIBID-Física. Tem experiência em pesquisa
condição financeira privilegiada. Com o projeto, em ensino de física e formação de professoras
nós estudantes, colocamos em prática e busca- e professores de física. A pesquisa foi realiza-
mos conhecer a vida dessas mulheres negras, da tendo como principais fontes: redes sociais
e abrimos o nosso leque de conhecimento de relacionadas a pesquisadora; plataformas de
grandes profissionais do sexo feminino que até vídeos, e plataformas de informação profissio-

148
Livro de Programação e Resumos

nais. Com base nas informações pesquisadas, por meio de artigos científicos, sites e livros,
percebe-se que uma mulher de renome inter- para apresentar os novos métodos utilizados
nacional como Katemari, merece respeito e por meios mais naturais para tratamento da
reconhecimento. Conclui-se que ainda é muito obesidade. Este trabalho se justifica, pois, vi-
difícil à jornada cientifica para uma mulher ne- vemos em uma sociedade que busca cada vez
gra, contudo é possível avistar um futuro em mais comodidade na profilaxia de doenças e
que a participação feminina será demasiada- assim ampliando o consumo dos fitoterápicos
mente maior. e\ou plantas medicinais, muitas vezes não en-
tendendo a responsabilidade que se deve ter
Palavras-chave: Mulheres negras; reconheci- ao utilizar de tais recursos. Todas as ações li-
mento; cientista. gadas a essas novas metodologias precisam
ser amplamente divulgadas para o auxílio do
bem-estar de diversas pessoas que sofrem com
VJC 54 a obesidade.

Palavras-chave: Nutrição; fitoterapia; obesidade.


NUTRIÇÃO E FITOTERAPIA:
RELAÇÃO BALANCEADORA DE
PESO VJC 55
Autora: Clarissa Lima1
Orientadora: Camilla Hettenhausen1 O AUTOCONHECIMENTO COMO
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia. PROMOTOR DE UMA BOA SAÚDE
E-mails: cbbl.lima.2014@gmail.com; camilla@anatereza-
virtual.com
MENTAL NOS JOVENS ENTRE 15 E
19 ANOS
A fitoterapia é um método de terapêutico que
vêm sendo utilizado para profilaxia e trata- Autoras: Ana Catarina Santos Silva¹, Geohanna Gabrielly da
Silva dos Santos¹
mento de várias patologias. A utilização de re-
Orientadora: Fabiane Lima Santos²
cursos naturais para fins medicinais antecede Instituições: ¹Escola SESI Djalma Pessoa, ²Universidade
Cristo e como podemos avaliar, não estão sen- Católica do Salvador, Salvador, Bahia.
do esquecidas e/ou abandonadas com proces- E-mails: ana2916catarina@hotmail.com, hanna.silvasan-
so de expansão do conhecimento humano. Os tos15@gmail.com, fabianelsantos@gmail.com
centros de saúde estão cada dia mais voltados
à estas práticas, promovendo uma renovação A presente pesquisa discute a influência do
do âmbito científico através do conhecimento autoconhecimento na obtenção de uma boa
popular. Esse é o grande exemplo que temos saúde mental nos jovens entre 15 e 19 anos.
para a associação da nutrição com a fitotera- Sendo este autoconhecimento a compreensão
pia, tal agregação está sendo de grande valia progressiva do indivíduo sobre o funciona-
para auxílio nos tratamentos de doenças. Como mento de suas emoções e a melhor forma de
exemplo tem-se a obesidade a qual vem sen- lidar com elas de forma equilibrada para que
do tratada com fitoterápicos e está trazendo a boa saúde mental seja priorizada. Para tan-
bons resultados, isso tudo com uma modifica- to, foi levado em consideração a maneira como
ção nos hábitos alimentares, correspondente a a saúde mental é vivenciada pelos jovens da
uma reeducação alimentar. Com isso é possível contemporaneidade. O objetivo dessa análise
afirmar que a fitoterapia tem uma longa e rica consiste em compreender que quanto mais o
jornada e a partir dos estudos que vêm sendo indivíduo sabe sobre si, melhor consegue lidar
realizados, evidenciando também a necessida- com os seus conflitos e angústias, assim como,
de de conhecer os efeitos colaterais que estas consegue atuar em relação às questões que o
podem acarretar. O presente artigo traz como incomodam, mitigar situações de sofrimento
objetivo mostrar os benefícios da associação e principalmente, compreender a necessida-
nutrição fitoterapia e descrever a necessidade de de buscar ajuda profissional. Prática que
de auxílio médico para certas tomadas de de- é possível à medida que ao reconhecer suas
cisões nas utilizações de algumas substâncias. próprias características, sentimentos e medos,
Tratase de um artigo explicativo e descritivo por consequência, o indivíduo compreende a
que foi embasado em pesquisas bibliográficas sua essência e consegue se posicionar melhor

149
10º Encontro de Jovens Cientistas

em diversas situações e problemas da vida. Tal determinismo das teorias de Darwin e Spen-
percepção contribui significativamente para o cer. Neste último século obtivemos um gradual
entendimento de que uma boa saúde não se re- avanço nas pesquisas realizadas no Brasil. Com
sume à vitalidade física, mas também depende este sentido, a presente pesquisa buscou rela-
da atenção dada ao bom funcionamento mental cionar avanços em pesquisas, através de uma
e emocional. Nesse contexto, têm-se também o revisão bibliográfica, para o desenvolvimento
fato de que, o entendimento do que é louco e da Ciência Forense no Brasil, assim criando não
do que é sano, influencia a maneira como são só uma linha evolutiva deste desenvolvimento
vistos aqueles que sofrem de transtornos psi- bem como uma publicação e posterior divul-
cológicos, mas com uma abordagem que os in- gação deste mister científico. No ano de 1947,
clui socialmente, ao contrário da exclusão feita no estado de São Paulo, ocorreu o primeiro en-
outrora, quando as pessoas que apresentavam contro de caráter nacional que reuniu peritos
qualquer instabilidade ou desequilíbrio psíqui- oficiais, buscando a troca de experiência e ca-
co, eram estigmatizadas e retiradas do conví- pacitação. Na Universidade Federal do Rio de
vio social, por vezes de forma involuntária. Janeiro, foi desenvolvido o luminol brasileiro,
Após os estudos realizados, compreendemos substância química com baixo custo capaz de
a importância de se discutir mais sobre o en- revelar pistas ocultas na cena de um crime. O
tendimento das emoções básicas, como ponto luminol brasileiro é desenvolvido diferente-
de partida para os debates contemporâneos mente do que é fabricado nos Estados unidos,
sobre saúde mental. É notório que, na maioria lá o produto é produzido em altas pressões e
das vezes, os debates sobre transtornos men- temperaturas, mas no Brasil, ele foi desenvol-
tais, como depressão e ansiedade, antecedem, vido de maneira quase artesanal, reduzindo o
de forma precipitada no nosso entendimento, custo de produção. O luminol é formado por
a introdução de conceitos básicos da psique, átomos de carbono, hidrogênio entre outras
como tristeza, alegria, autocontrole, e etc. Nes- substâncias químicas. Em 2003 ocorreu o as-
se sentido, identificamos a necessidade de sassinato de Zera Todd, presidente da Shell no
dialogarmos sobre isso com jovens entre 15 e Brasil, ocorrido no Rio de Janeiro, esse caso
19 anos da Escola SESI Djalma Pessoa, através foi resolvido através de um reagente químico,
de um bate papo, informando-os sobre como mesmo que o assassino tivesse lavado a arma,
funcionam as emoções básicas do ser humano o vestígio não seria escondido, a resolução do
e discutindo alguns dos principais transtornos caso se deve ao luminol desenvolvido no Rio de
mentais presentes na contemporaneidade, ao Janeiro. Outro exemplo de caso solucionado no
passo que os instigando a conhecer mais sobre Brasil ocorreu em Minas gerais, um assassino
os benefícios do autoconhecimento. arrancara os dedos, dentes e outros membros
do cadáver da vítima, para a solução desse cri-
Palavras-chave: Autoconhecimento; saúde me foi utilizado a entomologia forense, o estu-
mental; jovens. do de insetos e outros artrópodes, “os insetos
funcionam como cronômetro” afirma Arício Li-
nhares, da Universidade Estadual de Campinas
VJC 56 (UNICAMP), considerado o iniciador da entomo-
logia forense no País. Após construção dessa
escala evolutiva, foi possível perceber o quanto
O AVANÇO DAS PESQUISAS o Brasil tem desenvolvido nesta área forense
BRASILEIRAS NA CRIMINOLOGIA e ajudou a organizar um organograma com o
mapa dos locais onde mais se realiza pesquisa
Autor: Daniel Tito Bitencourt1
ao longo da nação luso-brasileira.
Orientador: Jorge Bugary1
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
Freitas, Bahia. Palavras-chave: Criminologia forense; Brasil;
E-mails: danieltitob11@gmail.com; jbugary@hotmail.com avanços.

A criminologia forense é a área da ciência que


está voltada ao estudo do crime e o perfil do
autor do delito. O conceito “criminologia” foi
criado pelo criminologista italiano Rafaelle Ga-
rofalo que foi influenciado pelo darwinismo e

150
Livro de Programação e Resumos

VJC 57 VJC 58

O INVESTIMENTO NO FUTEBOL NO O PADRÃO ESTÉTICO EURO-


MUNICÍPIO DE CRUZ DAS ALMAS-BA AMERICANO, A IMPOSIÇÃO SOCIAL
E AS MULHERES BRASILEIRAS
Autores: Harlen Luiz de Oliveira Borges¹, Marcelo dos
Santos Resende Junior¹
Autora: Nicole Funny Lima Nunes1
Orientador: Edmilson Magalhães Borges2
Orientadora: Synara Silva de Pinho1
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universi-
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
dade Federal da Bahia,
E-mails: nicolenunescantora@hotmail.com e catjovenscien-
Salvador, Bahia.
tistas1@gmail.com
E-mails: harlemborges04@gmail.com,marcelojunior3006@
gmail.com, edmilsonmagalhaes@yahoo.com.br
O presente trabalho desenvolve, em sua intro-
dução, a noção do conceito da beleza e o seu
Historicamente, a cidade de Cruz das Amas,
culto desde a antiguidade, e a discussão sobre
desde a década de 70 até os dias atuais vêm
a influência dos padrões estéticos euro-ameri-
apresentando um quadro esportivo e futebo-
cano na sociedade brasileira e como o influxo
lístico deficitário devido à falta de um plane-
destes padrões recaem sobre as mulheres bra-
jamento por parte do Setor Público e Privado.
sileiras. O artigo será alicerçado em uma série
Como é de conhecimento geral, o futebol pro-
de pesquisas bibliográficas e possui como ob-
fissional é um sonho de quase toda criança e
jetivos investigar a ascensão do mercado da
adolescente, principalmente do sexo masculino.
beleza e os modelos impostos por tal mercado;
No entanto, é necessário mais envolvimento na
examinar o marketing excessivo feito pelas mí-
busca de investimentos dos poderes públicos,
dias sociais sobre estes ideias e sensibilizar as
pois o futebol é uma ferramenta que afasta os
mulheres brasileiras sobre como estes padrões
jovens do mundo da criminalidade e das dro-
afetam sua saúde psicológica, física e mental.
gas. A falta dos Projetos de investimentos nes-
Foi descoberto a partir desta pesquisa que a
sa área faz com que muitos cruzalmenses não
ascensão do mercado da beleza se deve não
tenham acesso a esse esporte, que representa
só pela cobrança da sociedade, mas também
um dos símbolos da cultura do nosso país. O
pela necessidade de aceitação, falta de autoes-
Objetivo deste trabalho é investigar a neces-
tima de seus consumidores e, principalmente,
sidade de realizações de Projetos de Investi-
o marketing feito pela mídia e moda em nome
mentos viáveis e contínuos para o Futebol na
do corpo perfeito, fazendo com que todos se
cidade de Cruz das Almas por parte dos Setores
sintam obrigados a seguir este padrão. A busca
Públicos e parcerias privadas principalmen-
por esse modelo de beleza torna-se obsessiva
te do comércio local, leva a impraticabilidade
e oprime o indivíduo fazendo com que ele não
desse esporte pelos jovens dessa cidade impe-
enxergue os sacrifícios que faz para alcançar
dindo o sonho de se tornar um atleta profissio-
o corpo perfeito, o que faz com que a busca
nal. O pressuposto metodológico será realizado
por essa beleza se torne perigosa e gere graves
com base em questionários aplicado a alunos
distúrbios, além da perda da autoestima. Per-
do Centro Educacional Maria Milza (CEMAM),
cebe-se o quanto vivemos em uma ditadura da
do ensino Fundamental (Séries Finais) e ensino
beleza, no qual se por acaso algum não quiser
Médio, professores e alunos de algumas Escoli-
obedecer ao padrão estabelecido é discrimina-
nhas de bairros e Clubes locais, a fim de inves-
do pela nossa sociedade. Portanto, conclui-se
tigar como os mesmos avaliam a necessidade
que mudanças se fazem necessárias, começan-
de investimento para essa modalidade. Este
do nos pilares da sociedade e partindo para
trabalho justifica-se pela importância de tratar
políticas que restaurem a autoestima das mu-
desses temas e trazer à tona a falta de compro-
lheres que não se encaixam no padrão estabe-
misso dos órgãos públicos com esse esporte.
lecido, além de promover através da mídia, por
exemplo, maior representatividade. Com isso, o
Palavras-chave: Importância; investimento; go-
belo será considerado algo relativo, como tem
verno; esporte; futebol.
que ser, e não um padrão no qual a maioria das
mulheres não se encaixam e sofrem tentando
se adequar a ele, afinal como se percebe ao
longo da história da humanidade, vivemos em

151
10º Encontro de Jovens Cientistas

uma verdadeira ditadura da beleza na qual a machistas e opressores, foram reprimidas e


perfeição se tornou a doença da nação. assediadas de todas as formas. Mas, apesar de
tudo, as mencionadas nesta pesquisa lutaram e
Palavras-chave: Imposição; indústria; socieda- conquistaram até mais do que desejavam. Os
de; mulheres. rumos que a pesquisa tomou proporcionaram
novos questionamentos, que poderão se trans-
formar em novas pesquisas, futuramente.
VJC 59
Palavras-chave: Psicólogas; protagonismo; Brasil.

O PROTAGONISMO DAS
PSICÓLOGAS BRASILEIRAS VJC 60
Autora: Carolinne Ximenes Bugary1
Orientador: Jorge Bugary1 O QUE VOCÊ PRECISA SABER
Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Monet, Lauro de
Freitas, Bahia.
PARA SER UMA PRINCESA DA
E-mails: carolinneximenes@hotmail.com; jbugary@ DISNEY: UM ESTUDO SOBRE
hotmail.com
HISTORICIDADE E LUTA DAS
MULHERES
Atualmente, existe um predomínio marcante de
Autoras: Bélit Loiane Alves de Jesus1, Bruna de Souza
mulheres na área de Psicologia. De acordo com
Melo1, Yasmin Fonseca Santos1 Orientadora: Fabiane
American Psychological Association (2013), Lima dos Santos1
para cada psicólogo ativo do sexo masculino, Instituição: 1Escola SESI Djalma Pessoa, Salvador, Bahia.
existem 2,1 mulheres psicólogas ativas. Em- E-mails: belit.alves@hotmail.com, kjmelo22@gmail.com,
bora haja um grande número de mulheres na yasminfonseca02@gmail.com, fabianelima.historia@gmail.
Psicologia, não há o reconhecimento da im- com
portância da mulher em sua história e em sua
evolução. O objetivo da pesquisa é investigar O trabalho em questão visa analisar a história
mulheres que contribuíram para a história da da luta das mulheres com base no conceito de
Psicologia. Como metodologia, o presente pro- historicidade, utilizando as princesas da Disney
jeto de pesquisa realizou revisão bibliográfi- a fim de compreender a forma com a qual as
ca com consulta em teses e artigos científicos mulheres são colocadas socialmente em dife-
que abordavam sobre o assunto, com destaque rentes tempos históricos, adotando padrões fí-
ao Scielo. A discriminação contra as mulheres sicos, comportamentais e morais representan-
existiu por toda a história da Psicologia. Inú- do a dinâmica humana de valores. Tem como
meras dessas psicólogas não eram admitidas objetivo identificar a luta das mulheres e a
no programa de pós-graduação ou encontra- sociedade que representam, reconhecendo as
vam barreiras para obter uma promoção e/ demandas sociais e o papel do capitalismo no
ou uma titularidade. Por muito tempo, a única esvaziamento do significado destas. Com isso,
posição acadêmica acessível a elas eram nas a pesquisa se motiva pela inquietude ao reali-
faculdades exclusivamente femininas e, mes- zar a análise dos desenhos Disney e perceber
mo assim, muitas dessas entidades recusavam como ocorre a massificação e ressignificação
a contratação de mulheres casadas, pois “a dos movimentos sociais referentes à atuação
mulher não estava capacitada a administrar a da mulher na sociedade. Como método, reali-
vida doméstica e a carreira como docente ao zamos um levantamento bibliográfico sobre a
mesmo tempo”. Algumas das grandes mulheres historicidade no ser mulher em diferentes pe-
que serão abordadas na pesquisa são Carolina ríodos, os movimentos sociais que perpassam
Bori, Nise da Silveira, Annita Cabral, Elisa Dias, as demandas aplicadas a essas mulheres e a
Ana Bock e Therezinha Lins, todas de naciona- relação do capitalismo no esvaziamento destes
lidade brasileira, escolhidas por amostragem e movimentos. Além disso, foram analisadas as
triadas pelo seu mister acadêmico. Ao longo da seguintes animações: Branca de Neve (1937);
pesquisa, pode-se perceber que, há muito tem- Cinderela (1950); A Bela e a Fera (1991); Po-
po, as mulheres são diminuídas e desvaloriza- cahontas (1995); Valente (2012) e Frozen
das pela sociedade. Elas sofreram comentários (2013), tendo em vista a grande variação na

152
Livro de Programação e Resumos

representação feminina e a historicidade das


personagens. Portanto, “O que você precisa sa- Palavras-chave: Silenciamento; cultura; reli-
ber para ser uma princesa da Disney” é algo gião; racismo religioso.
relativo, o qual se transforma a depender do
momento histórico em que essas personagens
se encontram. VJC 62
Palavras-chave: Capitalismo; historicidade; mu-
lher; princesa da Disney.
OS RISCOS DA PRÁTICA DA
AUTOMEDICAÇÃO PARA OS
JOVENS DE 14 A 18 ANOS
VJC 61
Autores: Letícia Nunes Ribeiro da Silva1, Pedro Edson
Sampaio Tedgue1
O SILENCIAMENTO HISTÓRICO E A Orientador: Marcelo da Silva Passos2
RELEVÂNCIA DO CANDOMBLÉ NA Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universi-
dade Federal da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.
FORMAÇÃO CULTURAL DA BAHIA E-mails: letynrs28@gmail.com, pedrinhotedgue14@gmail.
com,
Autora: Luare Nepomuceno Guimarães1 marcelomatchal@hotmail.com
Orientador: Roque Sérgio Barbosa Ribeiro2
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Faculdade
Maria Milza, Cruz das Almas, Bahia. A prática da automedicação é uma realidade da
E-mails: luareguimaraes20188@hotmail.com, roqsergio@ sociedade brasileira e comum em pelo menos
gmail.com 79% da população no ano de 2018, segundo
o Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade
No decurso da história permaneceu uma visão (ICTQ). Fatores econômicos, políticos e culturais
distorcida sobre as religiões afrobrasileiras. têm contribuído para o crescimento e a difusão
Esses princípios, por sua vez, são baseados da automedicação no mundo, tornando-a um
em ideias carregadas de ancestralidade ten- problema de saúde pública. Mais disponibilida-
denciosa e fundamentações de senso comum, de de produtos no mercado gera maior familia-
originando o atual racismo religioso. Dessa for- ridade do usuário leigo com os medicamentos.
ma, quando as opiniões são baseadas somen- Em 2008, dados fornecidos pela Agência Na-
te nessa noção de pensamento, a sociedade cional de Vigilância Sanitária (ANVISA), apon-
permanece em um ciclo vicioso de ignorância, tam que, analgésicos, antitérmicos e anti-in-
gerado pela falta de senso crítico. A formação flamatórios são classes de medicamentos que
deste também se deve ao fato de que há uma mais intoxicam. Este trabalho justifica-se pela
obliteração, que mantém os fatos históricos em importância de ressaltar os riscos que a auto-
anonimato. A presente pesquisa se volta para medicação traz, que vai desde o uso exagerado
o estudo das questões sociais que envolvem a de medicamentos, correndo um grande risco de
contribuição e resistência do povo africano es- provocar uma intoxicação, até a combinação
cravizado no processo de construção histórica inadequada dos mesmos, que pode anular ou
da Bahia. O objetivo deste trabalho é conhecer potencializar os efeitos. Em face do exposto,
a percepção dos alunos de uma escola priva- o presente trabalho tem como objetivo infor-
da sobre o papel do Candomblé na formação mar e promover a sensibilização da população
cultural baiana. Para alcançar esse propósito jovem de 14 a 18 anos acerca dos riscos da
estabeleceu-se como pressuposto metodoló- automedicação praticada pelos estudantes de
gico a aplicação de questionário para alunos uma escola privada do município de Cruz das
do ensino médio do Centro Educacional Maria Almas (BA) e suas implicações para a saúde.
Milza da cidade de Cruz das Almas- BA, a fim Trata-se de um estudo transversal descritivo,
de investigar o nível de conhecimento que cada com 219 adolescentes matriculados no Ensino
aluno traz consigo em relação ao tema pesqui- Fundamental II (8ª Série) e Ensino Médio (1° ao
sado. Este trabalho é pertinente, pois há grande 3° Ano) do Centro Educacional Maria Milza. A
necessidade de desconstrução do senso comum metodologia utilizada foi: 1) realização de uma
nessa área, o qual constitui-se como um per- pesquisa de campo quantitativo e exploratório
petuador de preconceitos e visões distorcidas com aplicação de questionário; 2) análise dos
sobre os mais variados segmentos e religiões. resultados obtidos, contemplados por diversas

153
10º Encontro de Jovens Cientistas

variáveis como: idade, gênero, série, frequên- lugar e a qualquer hora, ajudando muito no
cia do consumo, tipo de medicamento, motivo, aprendizado e na organização das atividades
consequência do uso e quem orientou o consu- por parte dos alunos e também pela própria
mo e 3) proposição de ações que possam me- direção e coordenação da escola, além de ser
lhorar o impacto que o tema causa na amostra um atrativo maior durante as aulas o que pode
da população citada, pela desinformação. Ob- resultar na melhoria do aprendizado. Portanto,
servou-se que a prática é mais comum entre está pesquisa tem como objetivo discutir uma
os indivíduos do sexo feminino 51,7% (113 possível aplicação dos programas educacionais
alunos), contra 38,3% no sexo masculino (84 nas escolas de Cruz das Almas-Ba, e identificar
alunos), 10% disseram não fazer uso de medi- na sociedade cruzalmense as diferentes opi-
camentos sem prescrição (22 entrevistados). É niões sobre como a modernização pode ajudar
possível concluir que o conhecimento dos jo- alunos e professores em seu contexto educa-
vens dessa determinada faixa etária a respeito cional e as situações que envolvem a implan-
de medicamentos e seu uso para tratamentos é tação de softwares em seu cotidiano, visando
bastante incipiente e desprovido de qualquer também analisar os desafios enfrentados na
noção básica sobre o uso racional dos mesmos. implantação dos softwares. Neste contexto,
Estes fatores reforçam a importância do acesso teremos uma metodologia quanti-qualitativa
a consultas médicas e de ações de conscien- com a aplicação de questionários e entrevista
tização sobre o uso procedente de remédios, com alunos e professores para que possamos
além de informá-los do potencial perigo para descobrir diferentes opiniões com o intuito de
a saúde apresentado pelo consumo inadequado identificar se o uso pode ser realmente feito
desses fármacos. de forma concreta, e se está dentro das possi-
bilidades oferecidas futuramente pelas escolas
Palavras-chave: Medicamentos; riscos; jovens; em seu aparato tecnológico. Neste contexto, o
sensibilização; automedicação. público alvo da pesquisa será composto de 220
pessoas, subdividido em aplicação de questio-
nários para 120 pessoas e 100 entrevistados.
VJC 63 Sendo assim, as entrevistas e os questionários
tornam-se norteadores do conhecimento que a
população cruzalmense tem sobre as questões
POSSIBLIDADES E DESAFIOS DA relativas aos aspectos tecnológicos. Esse traba-
IMPLANTAÇÃO DE SOFTWARES NO lho justifica-se porque os professores e estu-
ENSINO FUNDAMENTAL EM CRUZ dantes no atual contexto utilizam a tecnologia
DAS ALMAS em seu cotidiano e muitas vezes não aplicam
para fins educativos. Portanto, pode ser que os
Autores: Felipe Fiuza da Conceição Santana1, Filipe Bran- softwares educativos se tornem uma forma de
dão dos Santos1 aprendizado mais prática e interessante para
Orientador: Vanderlei Oliveira do nascimento2 alunos e professores, o que possibilitaria aulas
Instituições: 1Centro Educacional Maria Milza, 2Universi-
bem mais dinâmicas e atrativas para ambas as
dade do Estado da Bahia, Cruz das Almas, Bahia.
E-mails: felipefiuzadaconceicaosantana@gmail.com, filipe-
partes envolvidas no processo educativo.
brandao27@gmail.com;oliveiravanderlei55@gmail.com
Palavras-chave: Softwares; aprendizado; pro-
O presente trabalho visa mostrar as possibili- fessores.
dades e desafios da implantação de softwares
no ensino fundamental em escolas particulares
de Cruz das Almas, com o intuito de investigar VJC 64
os programas educativos desenvolvidos para
auxiliar os professores no seu planejamento es- PRECARIZAÇÃO DA ESCOLA
colar propondo atividades mais lúdicas e dinâ-
PÚBLICA NO BRASIL-DO BRASIL
micas. Neste cenário, os alunos também podem
ser beneficiados com softwares que contém COLÔNIA AOS DIAS ATUAIS
calendário escolar, atividades e vídeo aulas Autores: Kamilly dos Santos da Mota1
sobre os assuntos que estão sendo estudados Orientador: João Marcelo Ramos da Rocha1
Instituição: 1Centro de Educação Colibri, Salvador, Bahia.
em sala de aula, tendo uma grande vantagem, E-mails: kamillymotta527@gmail.com, jmarcelo.automa-
cao@gmail.com
pois estes poderão ser acessados em qualquer

154
Livro de Programação e Resumos

A escola pública brasileira vem sofrendo por VJC 65


desmonte, descaso e abandono na última déca-
da. Negligenciada pelo sistema político nacio-
PROJETOR DE BAIXO CUSTO
nal (municipal, estadual e federal) de maneira
geral, a instituição vem apresentando baixos Autores: Bruno Soares Souza de Menezes1, Caíque
indicadores de desempenho. O IDEB, Índice de Ramos1 –
Desenvolvimento da Educação Básica, principal Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1
parâmetro de análise quantitativa do nível de Instituição: 1Escola SEB Sartre, Unidade Itaigara, Salvador,
Bahia.
qualidade escolar, embora acima da meta espe-
E-mails: bruno.soaresmenezes@gmail.com, Minatoatw@
rada pelo governo, é muito baixo se comparado gmail.com, marcio.l.correia@gmail.com, lucianalicinio@
a indicadores semelhantes de outras nações. yahoo.com.br
Motivado pela preocupação com esse lamen-
tável quadro e pela sensação de ausência de Sabemos perfeitamente que as instituições pú-
efetiva democracia, este trabalho propõe ana- blicas dos ensinos Fundamental e Médio bra-
lisar a crítica situação da educação pública no sileiras não são da mesma qualidade das par-
Brasil através do estudo da história da mesma. ticulares e que isso interfere diretamente no
aprendizado e no futuro da nossa sociedade.
Uma bibliografia composta por vídeos, livros e
Por motivos diversos como a má distribuição
artigos foi levantada pelo orientador e debates
de renda, a falta e o desvio de verbas para es-
foram realizados com o intuito de construir re-
colas públicas e os baixos salários ganhos pe-
lações entre os cenários do passado e do pre- los professores que atuam nessas instituições,
sente. A histórica fragilidade do ensino no Bra- a desigualdade na qualidade do ensino presta-
sil fora então constatada. Os Jesuítas, primeiros do é muito significativa. Para tentar amenizar
profissionais da educação no país, trabalharam um pouco essa diferença, pensamos e confec-
com o objetivo de catequizar e converter os cionamos um Projetor de Baixo Custo visando
índios nativos à religião católica, corrompendo incrementar as aulas de colégios públicos para
um dos princípios modernos da educação que que as tornem mais lúdicas, e assim, facilite o
é a formação de um pensamento crítico respei- aprendizado dos alunos em assuntos de maior
tando o conhecimento do alunado. As Refor- complexidade. Filmes, documentários, apre-
mas Pombalinas, ocorridas entre 1750 e 1777, sentações de slides e trabalhos serão possíveis
destruíram sem nenhuma outra construção, a de serem exibidos com apenas a utilização do
única práxis pedagógica existente no Brasil - a produto e mais um celular, tornando as aulas
jesuítica. Durante boa parte do regime imperial mais fluídas e aproximando as experiências
houve sequer preocupação governamental com de estudantes de escolas públicas com os de
a promoção da educação no país. Na Ditadura escolas particulares que já se beneficiam com
esse modelo de aula. O produto encontra-se
Militar houve o fim arbitrário do Programa Na-
idealizado da seguinte forma: uma caixa de pa-
cional de Alfabetização (que vinha apresentan-
pelão toda pintada de preto por dentro, com
do excelentes resultados) com o consequente
um apoio para ser posto o celular e 3 lentes
exílio de Paulo Freire, pela simples lógica da di- que permitem a transmissão da imagem do
vergência de ideias e a adoção de orientações celular na superfície desejada (recomenda-se
tecnicistas ao ensino. Contrastados com a atual uma lona ou parede branca). A possibilidade de
política de cortes nacional e estadual e a situa- conectar o celular no Bluetooth também será
ção de ausência de fardas nas escolas do mu- possível, uma vez que o projetor tem um recep-
nicípio de Candeias, esses fatos demonstram a tor Bluetooth Arduino, facilitando ainda mais o
precariedade da educação no Brasil, desde seu corrimento das aulas. Devido a seu baixo custo
momento como colônia até os dias atuais. este Projetor poderá ser disponibilizado em lo-
jas virtuais e físicas e que, em comparação aos
Palavras-chave: Escola; educação; precarização. outros projetores no mercado, tem um custo
popular exatamente para ser acessível aos pro-
fessores e educadores de instituições públicas,
já que nosso maior intuito é ajudar a melhorar
a qualidade de ensino em escolas estaduais e
municipais.

Palavras–chave: Projetor; ensino; escolas.

155
10º Encontro de Jovens Cientistas

VJC 66 família e amigos, ela tende a necessitar de um


acompanhamento de um psicólogo.
PSICOLOGIA NO
Palavras-chave: Microcefalia; pais; psicologia.
ACOMPANHAMENTO DE PAIS COM
FILHOS MICROCEFÁLICOS
VJC 67
Autor: João Victor Fonseca Delgado da Silva¹
Orientador: Adilson Marciel1
Instituições: ¹Colégio Ana Tereza – CAT, Salvador, Bahia. REALIDADE INFANTIL - VIOLÊNCIA
E-mails: joaobarroti92.02@gmail.com¹, Adilson@anatere-
zavirtual.com²
E MAUS-TRATOS
Autoras: Isabel Sobral Monte Silva1, Júlia Gesteira Cor-
Uma criança recém-nascida possui uma par- reia1, Louise Martins Ribeiro de Britto1, Luanna Capelato
cela cartilaginosa em sua caixa craniana, essa Paiva1, Maria Eduarda Duplat Alves Santos1, Miguel
região é denominada fontanela, mas também Cavalcante Inácio1 Orientador: Wellington Marinho1
conhecida como moleira. O bebê possui essa Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
E-mails: isabelsobralsilva@gmail.com; jujugesteira@gmail.
parcela com o objetivo de facilitar a sua pas-
com; louiseribeiromartins@gmail.com; thatilu@outlook.
sagem no canal vaginal na hora do parto, além pt; mariaeduardaduplat@icloud.com; minácio2606@gmail.
de se adaptar durante o desenvolvimento do com; wellington@anglobra.com.br
cérebro. Alguns fatores tanto internos (muta-
ções gênicas) quanto externos (doenças infec- O Brasil vem sendo afetado por grandes pro-
ciosas, utilização de álcool e drogas) podem blemas em diversos aspectos. Mas um proble-
causar a calcificação prematura da fontanela, ma que merece uma extrema atenção é a vio-
acarretando um mau desenvolvimento das lência infantil. Muitos sofrem com esse tópico
partes do cérebro, as quais são responsáveis e nem sempre é tratado pela população, além
pelo sistema motor e neurológico. Essa calci- de muitos casos, onde pessoas não sabem a di-
ficação é denominada microcefalia (nomen- reção que devem prosseguir sobre esse tema.
clatura internacional, CID-10 Q2) e possui um Os recortes mais importantes relacionados com
tratamento que submeti muitas mães há uma esses crimes são: A violência física, que consis-
situação estressante, pois, é recorrente as ge- te no uso da força como forma de ameaça ou
nitoras serem abandonadas pelos seus com- intimidação, deixa marcas no corpo como he-
panheiros. Essa negligência dos cônjuges pode matomas, fraturas e entre outros, além de mui-
ser interpretada como a anulação de qualquer tas vezes causar distúrbios no psicológico. O
interação com a genetriz e o bebê até o ho- documento que deixa claro o conceito e os da-
mem entender que o seu único papel é con- nos causados pela violência física é a Cartilha
tribuir financeiramente na renda família, dei- de Violência contra Crianças e Adolescentes.
xando os afazeres domésticos e o trabalho de A Violência Sexual, que consiste nos atos se-
cuidar da criança microcefálica para a mãe. O xuais abusivos, que podem ser acompanhados
artigo tem como foco o estado psicológico da de agressões físicas e psicológicas resultando
mãe nas relações familiares e sociais, as quais traumas, distúrbios, déficits de linguagem ou
são muito prejudicadas por essa conjuntura. O aprendizagem. A violência psicológica, que é
artigo foi alicerçado a partir de artigos cientí- propagada através de insultos, humilhações e
ficos com o intuito de obter maior compreen- desvalorização, atua em todas as outras violên-
são a cerca da microcefalia e de suas conse- cias, essa agressão é um conjunto de atitudes,
quências físicas e sociais, ademais pesquisa palavras e ações que objetivam prejudicar a
de campo afim de averiguar se as informações criança negativamente de diversas maneiras
coletadas são condizentes com a realidade. em seu psíquico. E por fim, trabalho infantil,
Durante as pesquisas teóricas e analises de que muitas vezes é causado pela falta de ren-
depoimentos sobre o cotidiano da progenitora da familiar, o que faz com que ocorra uma in-
foi comprovado que a situação a qual a mãe se versão de papéis, em que a criança sustenta o
encontra, pode ser caracterizada como estres- responsável. O apoio nos colégios as crianças,
sante para o físico e a mente, acarretando nela ensinando-as como se proteger fisicamente,
transtornos como depressão ou ansiedade, por como denunciar abusos e ensiná-las a ter uma
isso quando um filho possui microcefalia e a relação pacífica com equidade de gêneros au-
mãe não possui nenhum amparo ou ajuda da xiliaram-nas a se prevenirem. Campanhas que

156
Livro de Programação e Resumos

pudessem abordar as consequências desses realizadas buscas em Organizações Não Gover-


crimes também contribuiriam. Este trabalho foi namentais que trabalham no sentido de abrigar
desenvolvido através de revisão bibliográfica moradores de rua, pesquisas de projetos, já de-
sobre o tema. Ao decorrer de seu desenvolvi- senvolvidos pelo mundo sobre o assunto, mo-
mento, a sua importância ia se fortificando. O delos de casas que se adaptem aos moradores,
alvo deste projeto é alertar e sensibilizar as custos da construção envolvendo os materiais
pessoas sobre esse tema através de sua impor- e mão de obra, busca de locais adequados e
tância, pois concluímos que o direcionamento terrenos que possam ser doados pelos gover-
necessita ser fornecido às pessoas que viven- nos municipal, estadual, federal para, futura,
ciaram ou presenciaram esse caso, guiando- execução do projeto de habitação.
-as no caminho que devem tornar diante da
situação. A Violência infantil necessita de ser Palavras-chave: Habitação; reciclagem; meio
ressaltada no meio dos problemas que são ex- ambiente.
tremamente recorrentes na nossa sociedade
atual, pois a desconsideração dos direitos das
crianças e dos adolescentes estão impregnadas VJC 69
nas raízes da nossa sociedade.

Palavras-chave: Violência-infantil; exploração;


TABELA PERIÓDICA: 150 ANOS
Brasil. DE EVOLUÇÃO, INTERAÇÃO E
INCLUSÃO

VJC 68 Autoras: Letícia Murer de Souza1, Manuela Leal Soares


de Bairros1, Vitória Viana Agertt1 Orientadora: Lucimara
Lais Zachow1
RECICLANDO E ABRIGANDO Instituição: 1Colégio Militar de Santa Maria, Santa Maria,
Rio Grande do Sul.
Autores: Alice Coelho1, Enzo Albuquerque1, Guilherme E-mails: lemurer@outlook.com; marcelo1309@hotmail.
Medeiros1, Sofia Di Piero1 com; valeria_bairros@hotmail.com
Orientadora: Ana Liz Vieira Netto1
Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia. No ano em que comemora-se o sesquicente-
E-mails: alicephiligret@gmail.comenzoalbqq@gmail.com- nário da descoberta da tabela periódica por
guimedeirosnetto@gmail.comsofia_ dipiero@hotmail.com;
Dimitri Mendeleev, dois dos principais temas
analiz@anglobra.com.br
discutidos pela humanidade são a inclusão e
a sustentabilidade, os quais fazem parte dos
Há mais de 100 (cem) mil pessoas, atualmente,
17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
morando nas ruas, no Brasil, e todas elas pre-
da ONU. Além disso, o Plano Nacional de Edu-
cisam ter garantidos seus direitos em relação
cação, aprovado pela Lei nº 13.005 de 2014,
à moradia, alimentação e emprego. Já existem
determinou algumas metas a serem alcançadas
muitas ONGs que abrigam indivíduos sem ca-
com relação a política educacional brasileira,
sas, por exemplo, mas os materiais utilizados
como a universalização do acesso à educação
para construção desses locais são, geralmente,
básica e ao atendimento educacional especia-
caros e, muitas vezes, isso prejudica as ações
lizado (AEE) para crianças e jovens com defi-
das instituições e causa diminuição do número
ciência, transtornos globais do desenvolvimen-
de habitações. Pensando nisso, o objetivo deste
to e altas habilidades ou superdotação, até o
trabalho é idealizar uma casa feita de materiais
ano de 2024. Diante disso, o presente trabalho
recicláveis como garrafas pet, garrafas de cer-
desenvolveu uma tabela periódica inclusiva,
veja, pneus usados, a fim de abrigar pessoas
interativa e sustentável. O projeto visou a re-
que vivem sem espaços para moradia. Discutiu-
presentação de uma tabela tridimensional; para
-se, também, que o projeto, que ainda está em
isso, foi construído um suporte, semelhante a
fase de projeção e mais tarde poderá ser colo-
uma estante, com 3 metros de comprimento, 2
cado em prática, vai contribuir para a preserva-
metros de altura e 20 centímetros de profun-
ção ambiental, dando destino adequado ao lixo
didade, o qual conta com rodas para facilitar
que poderia estar degradando espaços naturais
o seu transporte para melhor aproveitamen-
e urbanos. Para o desenvolvimento desse pro-
to como recurso didático; com a finalidade de
jeto foram pesquisados artigos publicados so-
representar os elementos da tabela periódica
bre uso de material reciclado em construções,

157
10º Encontro de Jovens Cientistas

construiu-se, reutilizando caixas de papelão, king dos países mais produtores de lixo plástico
um cubo com aresta de 15 centímetros para no mundo. Diante dessa problemática, tomou-
cada elemento, sendo que em cada face deste -se como proposta válida a promoção deste
cubo encontra-se alguma informação sobre o projeto com o intuito de desenvolver tecidos
elemento em questão. A fim de promover a in- com propriedades e características semelhan-
clusão de alunos e/ou membros da comunidade tes ao plástico, a fim de substituir o mesmo dos
escolar portadores de necessidades especiais, meios sociais e industriais. Contudo, foi levada
em uma das faces de cada cubo foi incluído o em consideração a presença de fatores essen-
símbolo do elemento químico em libras e brail- ciais para o aspecto dessa nova substância, tais
le, e, além disso, construído um dispositivo, na como: decomposição diligente, impermeabi-
forma de uma garra com a qual o usuário com lidade, resistência e o menos nocivo possível
dificuldades locomotoras (como cadeirantes, à natureza. Dessa forma, criou-se um tecido
por exemplo) pode apanhar o cubo, interagir ecologicamente mais correto que o plástico a
com o mesmo e devolvê-lo a estante da tabela, fim de o substituir em suas funções no âmbito
promovendo assim a autonomia do usuário. Ini- social constituído de fécula de mandioca, fibra
cialmente, a tabela ficou disponível no corredor de sisal, glicerina e gelatina incolor em pó. Es-
do colégio para uso dos alunos de forma livre, tes componentes fornecem as características
sendo observada grande procura por parte dos propostas ao composto, de modo que suas pro-
alunos; na sequência, o material será utilizado priedades oferecem o necessário para o bom
nas aulas de química e ciências. Para o ano aproveitamento dos recursos naturais e supri-
seguinte, como uma perspectiva futura de am- mento de uma demanda social.
pliação do projeto, objetiva-se tornar a tabela
itinerante por escolas de ensino básico situadas Palavras-chave: Plástico; tecido; biodegradável.
em localidades em situação de vulnerabilidade
social. Conclui-se assim que além de possibi-
litar a obtenção de um recurso didático e ser VJC 71
uma atividade em comemoração aos 150 anos
da tabela periódica, o projeto também chamou
a atenção para a importância da temática da
TRANSGENIA EM SUA MESA:
educação inclusiva, evidenciando a possibilida- OS POSSÍVEIS IMPACTOS DOS
de de tornar o ensino de qualquer disciplina o ALIMENTOS TRANSGÊNICOS NA
mais acessível possível a todos. ECONOMIA
Palavras-chave: Inclusão; interatividade; ludi- Autores: André Júnior1
cidade. Orientador: Adilson Maciel1
Instituição: 1Colégio Ana Tereza, Salvador, Bahia.
E-mails: andre01jr@gmail.com, adilson.maciel@hotmail.com

VJC 70
Desde o processo de formação social já vemos
a agricultura com grande importância na vida
TECIDO BIODEGRADÁVEL dos seres humanos, uma vez que foi um dos
Autores: Gustavo Santos Almeida Pereira1, Lucca Davi
motivos que levou o homem a se tornar seden-
Sousa Densenschi1, Sara Rangel dos Santos Souza1 tário, ou seja, fixar-se em um local. Atualmente
Orientador: Renato dos Santos Souza1 maior inovação quando se trata de agricultura
Instituição: 1Colégio Nossa Senhora da Luz, Salvador, são os alimentos transgênicos, que ,por defini-
Bahia. ção, são alimentos que sofrem modificação ge-
E-mails: schettini.barbara@gmail.com, gsap29843@gmail.
nética assim adquirindo novas características,
com, luccadavi2003@gmail.com, sararangel4529@gmail.
com eles têm ganhado espaço na mesa da popula-
ção mundial, no Brasil, por exemplo, segundo o
Conselho de Informações sobre Biotecnologias
Os plásticos, polímeros produzidos a partir de (CIB) em parceria com o Serviço Internacional
processos petroquímicos, são constantemen- para Aquisição de Aplicações de Agrobiotec-
te utilizados na sociedade atual. O Brasil, por nologia (ISAA), no ano de 2017 foi o país com
exemplo, recicla menos de 2% do lixo plástico o maior crescimento na área de plantação, e
produzido, e assume a quarta posição no ran- o segundo com maior terreno de plantio de

158
Livro de Programação e Resumos

transgênicos ficando atrás apenas dos Esta- divulgação científica de Astronomia e Física,
dos Unidos da América. Com todo esse avan- bem como preparar estudantes para as provas
ço houve modificações no cenário econômico, da Olimpíada Brasileira de Astronomia e As-
algumas dessas graças aos alimentos genetica- tronáutica (OBA). O jogo foi desenvolvido nas
mente modificados (AGM) que por terem maior oficinas do Programa Ensino Médio Inovador
resistência a herbicidas e pragas, que possam (PROEMI) do Colégio Estadual Edvaldo Brandão
ocorrer na lavoura, faz com que os produtores Correia, utilizando-se o software Game Maker
tenham um retorno financeiro o que garante Studio 1.4, cuja linguagem é baseada em C/C++,
maior rentabilidade a eles. Todas essas inova- para as plataformas Windows e Android. Ele
ções só foram possíveis graças a um movimen- aborda temas relacionados à Astronomia e Fí-
to chamado Revolução Verde, que teve início sica, sendo ambientado em um cenário espacial
entre 1960-70, foi a expansão das tecnologias no qual, para progredir em sua jogabilidade, é
agrícolas e aplicação delas no campo. Esse arti- preciso explorar parte dos corpos celestes do
go tem como objetivo demonstrar a ligação en- Sistema Solar enfrentando naves rivais e res-
tre os AGM e o Agronegócio, que atualmente é pondendo perguntas baseadas nas questões da
tão grande no Brasil, utilizando como artifício a OBA. O jogo possui diferentes tipos de Quiz, po-
Revolução Verde. Para efetuar essa relação será dendo o professor aplicar aquele que melhor se
utilizado como embasamento científico artigos encaixe em sua aula, considerando ainda que
científicos e pesquisas relacionadas a área da cada tipo de Quiz oferece diferentes temas de
biotecnologia e agronegócio. perguntas. Há lacunas de sugestões de leituras
dentro do jogo que norteiam o aluno à leitura
Palavras-chave: Economia; agronegócio; revo- de materiais online de popularização da ciên-
lução verde. cia do Observatório Nacional e sites de insti-
tuições científicas das áreas de Astronomia e
Astrofísica. Ao jogar o Quiz o aluno recebe os
VJC 72 Astrocoins, moeda do jogo que permite a ex-
ploração dos astros do Sistema Solar tornando
o processo lúdico e motivador. Razão Celeste
UM ESTUDO SOBRE A será disponibilizado gratuitamente na Play Sto-
APRENDIZAGEM BASEADA EM re em setembro de 2019 para que estudantes
JOGOS DIGITAIS (DGBL) ATRAVÉS e professores do colégio possam utilizá-lo no
DO JOGO RAZÃO CELESTE terceiro trimestre deste ano letivo e a partir daí
se possa avaliar sua aplicabilidade como objeto
Autor: Maicon Douglas Invenção Viana dos Santos¹ de aprendizagem.
Orientador: Jorge Lucio Rodrigues das Dores¹
Instituição: ¹Colégio Estadual Edvaldo Brandão Correia,
Palavras-chave: DGBL; jogo; OBA.
Salvador, Bahia.
E-mails: maiconoficialbr@gmail.com, jorgeluciorodrigues@
hotmail.com
VJC 73
As tecnologias móveis digitais trazem um novo UMA VISÃO SOBRE LGBTFOBIA
paradigma às instituições de ensino formal, tor-
nando o ensino mais participativo e integrado.
NOS BAIRROS DE ONDINA E RIO
Tais tecnologias facilitam a pesquisa, comuni- VERMELHO
cação e divulgação de conteúdos, tornando as
salas de aula espaços de pesquisa e desenvol- Autoras: Ana Clara Avelar¹, Jaqueline Barbosa1, Luana
Conceição1, Isabela Almeida1 Orientadora: Allena Lyra1,
vimento de projetos científicos. O jogo RAZÃO
Glória Meyberg1
CELESTE foi desenvolvido para contribuir com Instituições: 1Colégio Estadual Evaristo da Veiga; 2Univer-
o processo de consolidação dos games como sidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia.
ferramentas didáticas, considerando-se a ca- E-mails: ana.avelar@aluno.enova.educacao.ba.gov.br, jsb-
rência de filtros de qualidade em fontes de jaquelinebarbosa@gmail.com, luana.conceicao59@aluno.
pesquisas digitais. O game tem por objetivos enova.educacao.ba.gov.br, almeida.isabela94@gmail.com,
allenaprof@gmail.com, gmeyberg@ufba.br
oferecer uma ferramenta didático-lúdica para
auxiliar professores de Física no ensino de
Promover a cidadania e os direitos humanos
Gravitação Universal, servir como material de

159
10º Encontro de Jovens Cientistas

da população LGBT é fundamental para a inclu- no Edital CNPq/MCTIC N. 31/2018. É coordena-


são e bem estar deste grupo social. Sabendo-se do pela UFBA e desenvolvido em parceria com
disso, faz-se um estudo da opinião da popula- cinco escolas públicas (Henriqueta Marthins
ção no tocante à lgbtfobia e orientação sexual Catharino, Cidade de Jequié, Evaristo da Veiga,
com o objetivo de entender quais as demandas Ypiranga e Mário Costa Neto) e com outras uni-
dos representantes da comunidade LGBT dos versidades. É apoiado pelo grupo de pesquisa
bairros de Ondina e Rio Vermelho, localizados Gamma/UFBA, R-Ladies Salvador e outras ins-
nos arredores do Colégio Estadual Evaristo da tituições de ensino e pesquisa.
Veiga e onde a maior parte dos alunos desta
escola reside. Por lgbtfobia entende-se uma
opinião desfavorável que não é baseada em VJC 74
dados objetivos, mas sim em um sentimento de
hostilidade em relação à pessoas LGBTs moti-
vados por hábitos de julgamento e/ou generali-
USO E PREVALÊNCIA DE
zações apressadas. Foi construído um questio- BEBIDAS ALCOÓLICAS ENTRE
nário composto por 14 questões, na plataforma ADOLESCENTES ESCOLARES DO
Google Formulários, na qual as respostas ficam RECÔNCAVO BAIANO: DADOS
salvas sem a necessidade de material impresso,
podendo ser respondida via celular. As respos-
PRELIMINARES
tas são anônimas e informações pessoais dos
Autor: Guilherme Lima Alves1
participantes não foram coletadas com o intuito Orientador: Francisco Silva de Souza1
de preservar suas identidades. No início do for- Instituição: 1Colégio Adventista da Bahia, Cachoeira,
mulário há um texto explicativo informando à Bahia.
pessoa entrevistada quais os fins da pesquisa, E-mails: guibalino@hotmail.com; frousa@gmail.com
por quem ela está sendo realizada e advertin-
do-a que ao decidir responder, automaticamen- O uso de bebidas alcoólicas entre adolescen-
te, está concordando com o uso das informa- tes se constitui um grave problema de saúde
ções ali cedidas. O questionário buscava coletar pública no Brasil, mesmo com a vigência da lei
informações importantes sobre o perfil da po- brasileira que proíbe a venda de bebidas alcoó-
pulação, como gênero, idade, número de fami- licas para menores de 18 anos (lei n o 10.702,
liares com quem moram, e quais as opiniões e de 14 de julho de 2003). As consequências
vivências delas em relação às suas orientações dessa prática vão desde a alteração do tempe-
sexuais. A partir das informações obtidas es- ramento, euforia, inibição da coordenação mo-
tão sendo realizadas análises exploratórias e tora, até a dipsomania. Verificar o uso e a faixa
gráficas fundamentais para a montagem de um etária prevalente do consumo experimental
quadro sobre a situação atual dos LGBTs des- de bebidas alcoólicas, entre os estudantes do
ta localidade, verificando, por exemplo, se há recôncavo baiano. Trata-se de uma verificação
apoio familiar em relação à orientação sexual, quantitativa. O referido trabalho entrevistou
se é necessário investir em educação sexual, se adolescentes com idade entre 14 e 17 anos, em
o preconceito pode afetar a saúde das pessoas, uma unidade de ensino situada na cidade de
entre outras inferências. Em paralelo é possí- Cachoeira-BA. Participaram do estudo 200 es-
vel, a partir dos dados coletados, traçar planos tudantes, de ambos sexos, matriculados no en-
de ação para que situações de discriminação, sino médio, no ano de 2019. Os entrevistados
preconceito e/ou violência sejam evitados, responderam a um questionário semiestrutura-
contribuindo para a plena inclusão e bem-estar do, anônimo, contendo 16 perguntas relaciona-
deste grupo. das ao uso de bebidas alcoólicas. Os resultados
apontaram que 114 adolescentes (57,0%) afir-
Palavras-chave: Lgbtfobia; preconceito; opi- maram não fazerem uso de bebidas alcoólicas,
nião. enquanto 47 adolescentes (23,5%) responde-
ram que consumiam bebidas alcoólicas. Os ou-
Finnaciamento: Este trabalho faz parte do Pro- tros 39 estudantes (19,5%) não responderam
jeto Diversidade de Gênero na Ciência de Da- ou não quiseram opinar. Dos 47 entrevistados
dos: Formação com Base na Experimentação que afirmaram consumir bebidas alcoólicas,
(Também conhecido por Meninas na Ciência de 29 adolescentes (14,5%) disseram ter consumi-
Dados), Processo 442282?2018-4, aprovado do pela primeira vez entre os 12 e 14 anos. O

160
Livro de Programação e Resumos

consumo elevado de álcool entre adolescentes, segundo levantamento da Organização das Na-
evidenciado nesta pesquisa, sugere um cenário ções Unidas para a Alimentação e a Agricultura
crescente e preocupante, se considerarmos que (FAO). Desta forma poderia se utilizar esses re-
13 anos foi a idade média em que os entre- jeitos orgânicos no intuito de criar uma fonte
vistados relataram o consumo experimental de energética a partir de processos de oxirredução
bebidas alcóolicas. Esses dados revelam a ne- (fenômeno eletroquímico no qual temos a pro-
cessidade desta temática ser abordada de ma- dução de energia elétrica a partir da ocorrência
neira mais eficiente, visto que, se a legislação de oxidação e redução de espécies químicas).
vigente fosse integralmente cumprida, o núme- A partir de alimentos ricos em metais que co-
ro de estudantes adolescentes que consomem tidianamente encontramos em pilhas alcalinas
álcool seria drasticamente reduzido. É impor- como: Zinco (arroz, carnes em geral etc.), Man-
tante criar mecanismos eficientes de difusão ganês (sementes de gergelim, sementes de gi-
de informações e esclarecimentos aos adoles- rassol, nozes, feijão etc.), dentre outros metais.
centes e seus respectivos familiares quanto aos Como observado pelo experimento do quími-
prejuízos e possíveis consequências do uso de co John Frederic Daniell, a Bateria de Daniell:
bebidas alcóolicas. Esses mecanismos poderão Daniell montou um sistema com dois eletrodos
fortalecer o vínculo entre as instituições e a conectados, um com carga positiva e outro com
comunidade escolar, a fim de minimizar os fa- carga negativa. Um eletrodo era constituído
tores de risco e possíveis complicações biopsi- por uma placa de Zinco imersa em uma solução
cossociais associadas ao consumo de álcool na com íons de Zinco (Sulfato de Zinco). O outro
adolescência. eletrodo era constituído por uma placa de co-
bre imersa em uma solução com íons de cobre
Palavras-chave: Bebidas alcoólicas; adolescên- (Sulfato de cobre). O Zinco tem maior tendência
cia; dipsomania; saúde escolar. a se oxidar (perder elétrons), e por isso fun-
ciona como um eletrodo negativo (ânodo). Os
elétrons perdidos pelo zinco são transportados
VJC 75 pelo circuito externo até a placa de cobre (cato-
do), gerando a corrente elétrica que seria capaz
de acender uma lâmpada. Logo, este trabalho
UTILIZAÇÃO DE REJEITOS visa estudar a viabilidade técnica e econômica
ALIMENTÍCIOS PARA FINS em reduzir estes metais em solução através de
ENERGÉTICOS um processo reverso à pilha, que seria o pro-
cesso da eletrólise em meio aquoso de diversos
Autor: Yuri Vitor Calmon Santana1 alimentos, segundo as Leis de Faraday.
Orientadores: Márcio Lisboa Correia1, Luciana Licínio1
Instituição: 1Escola SEB Sartre Unidade Monet, Itaigara,
Palavras chaves: Oxirredução, alimentos, energia.
Salvador, Bahia.
E-mails: yuristandart@outlook.com; marcio.l.correia@gmail.
com; lucianalicinio@yahoo.com.br
VJC 76
Em nosso país, o consumo de baterias e pilhas
alcalinas é extremamente elevado, visto que VENEZUELA: COMO CHEGOU AO
são fontes básicas de energia para diversos
equipamentos no meio domiciliar e empre-
QUE É?
sarial. Entretanto, sabe-se que sua utilização Autores: Bernardo Setúbal1, Bruno Velame1, Enrico Mar-
não é saudável, principalmente pelo descarte ques1, Tiago Martinez1
errôneo desse material que apresenta com- Orientador: Fábio Mutti1
postos corrosivos, sendo, portanto, perigosos Instituição: 1Colégio Anglo-Brasileiro, Salvador, Bahia.
e prejudiciais ao homem e ao ambiente. Um E-mails: bernardosetubal13@gmail.com; brunovela-
me565@gmail.com; enricosentose@gmail.com; tiagomarti-
dos grandes problemas dos empresários das
nez207@gmail.com; fabio@anglobra.com.br
indústrias alimentícias é o elevado descarte
de alimentos das refeições da dieta brasileira
A Venezuela está passando por uma enorme
como por exemplo: carnes, arroz e feijão que
crise econômica e social ao longo dos últimos
somaram 268,1 milhões de toneladas de ali-
anos. Mas recentemente, tomou proporções
mentos disponíveis no país em 2013. Destes,
maiores afetando não só o país como seus vi-
26,3 milhões, ou quase 10%, foram perdidos,

161
10º Encontro de Jovens Cientistas

zinhos, sendo alguns dos problemas a fome, realizamos uma série de entrevistas com cole-
pobreza e conflitos políticos. O objetivo do tra- gas e funcionários, buscando identificar o que
balho é fazer uma revisão histórica da Vene- contribuía para que esse problema ocorresse.
zuela desde sua fundação até seu cenário atual, Posteriormente analisamos como poderíamos
apresentando os fatores resultantes de tal. Fa- mudar essa realidade a partir da abordagem
remos essa revisão por meio de uma apresen- do Design Thinking. Após sentirmos o proble-
tação de slides que será realizada na Feira das ma através de um processo de empatia, cons-
Ciências do Colégio Anglo – Brasileiro (2019). tatamos que as lixeiras do refeitório, além de
Concluímos que o nosso projeto resultará em estarem dispostas incorretamente no ambiente,
uma sugestão de reforma política no país para não eram adequadas para crianças. Com isso,
tirá-lo da crise que se encontra, amenizando a começamos a realizar pesquisas na busca por
miséria da população. Isso seria feito por meio uma solução que minimizasse a situação na
de melhorias no seu sistema econômico para prática. Foi assim que ideamos a TrashBall Can,
atrair o capital internacional e para isso será uma lixeira temática em formato de cesta de
de singular importância o investimento na pro- basquete que tem o objetivo de incentivar, de
dução de tecnologias próprias ou através de forma lúdica e divertida, o descarte devido do
parcerias, além da valorização de seus recursos lixo no refeitório da escola. Depois de conce-
naturais, tendo como principal ator o petróleo, bermos o protótipo de papel, construímos a pri-
recurso energético que é encontrado em abun- meira versão de baixo custo da TrashBall Can
dância, porém não possui uma indústria local no Fab Lab (Oficina Maker) da escola utilizando
que agregue valor ao mesmo. um software de vetorização (VCarve), madeira
(MDF), a máquina de corte a laser e sacos plás-
Palavras-chave: Venezuela, crise, economia. ticos biodegradáveis. A TrashBall Can encontra-
-se em fase de testes no refeitório da escola e
já tem apresentado uma melhora significativa
VJC 77 no descarte correto dos resíduos.

Palavras-chave: Lixo, Design Thinking, TrashBall


TRASHBALL CAN Can, Lixeira Temática.
Autores: Bernardo Luis Alves da Silva Lopes¹, Sophia
Almeida e Nogueira¹, Angel
Miranda Filho¹
Orientador: Jordan Santos Mendes¹
Instituição: ¹Escola Concept (Salvador-BA)
E-mails: bernardo.lopes@conceptstudent.com.br; angel.
miranda@conceptstudent.com.br;
sophia.nogueira@conceptstudent.com.br; jordan.mendes@
conceptedu.com.br

O lixo que geramos é uma das principais cau-


sas da degradação socioambiental e, portanto,
o processo de conscientização sobre a correta
disposição dos resíduos que produzimos deve
ser desenvolvido desde o início da nossa vida
social. A escola tem um papel fundamental na
formação do cidadão responsável pela preser-
vação do nosso planeta. A partir dessa pre-
missa e de atividades desenvolvidas no clube
científico “Compromisso Social, Comunicação e
Tecnologia”, observamos que muitas crianças
descartavam incorretamente o lixo no refeitó-
rio da nossa escola, o que fazia com que vários
resíduos ficassem espalhados pelo chão, ge-
rando desconforto nas pessoas durante as re-
feições e dificultando o trabalho da equipe de
limpeza da instituição. Diante desse problema,

162
10º Encontro de Jovens Cientistas

164

Você também pode gostar