Você está na página 1de 76

Ribeirão Preto SP • Agosto 2018 • Ano 19 • nº 234

A VOZ DO AGRONEGÓCIO

Capital do setor
sucroenergético
Sertãozinho, no interior de São Paulo, abre as portas neste mês de
agosto para a Fenasucro & Agrocana, a maior feira do planeta em
tecnologia para a cana-de-açúcar, que traz novidades na edição 2018

Eventos Pecuária Sustentabilidade


Confira as novidades Banco do Brasil Empresas investem Grupo AgroBrasil
que apareceram cria programa para em lançamentos de promove seu Network
no GAF e na UDOP compra de genética sapatos veganos durante a Fenasucro
1
2
3
EXPEDIENTE

A VOZ DO AGRONEGÓCIO
Parceria de Sucesso

DIRETOR CONTATO COMERCIAL E PUBLICIDADE


Plínio César (16) 98242 1177 Plínio César / Nivaldo Santana
plinio@canamix.com.br
CIRCULAÇÃO E ASSINATURAS
EDITOR CHEFE plinio@canamix.com.br
Igor Savenhago MTB 40.618/SP redacao@canamix.com.br
(16) 99177-1961
igor@canamix.com.br EVENTOS
redacao@canamix.com.br
REDAÇÃO
Marcela Falsarella MTB 71.067/SP PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO
(16) 99454 5840 Jonatas Pereira (16) 99203 6450
redacao@canamix.com.br creativopublicidade@email.com

Rovênia de Paula (16) 99368-8085 OUTRAS PUBLICAÇÕES: Guia de Compras SA

AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE PARCEIRA DE MÍDIA

433 AG - larissa@433.ag (41) 3016 0433

ARTÉRIA - mídia@arteria.ag (11) 5185 4587

CALIA - bruna@calia.com.br (11) 2122 8600


glaucia@guerreiro.agr.br (44) 3026 4457
DOMÍNIO - marcus.lula@dpbr.com.br (31) 3360 0000

E21 - taila.loureiro@e21.com.br (51) 3092 7400

FILADÉLFIA - pedro@filadelfiacom.com.br (31) 3516 0159

LABCOM - labcom.rp@labcomtotal.com.br (16) 3512 9735

MCGARRY BOWEN - juliana.berro@mcgarrybowen.com.br (11) 2173 0354

OXI - henrique.miura@oxicomunicacao.com.br (19) 3305 9040

PUBLICIS - cristina.maria@salleschemistri.com.br (11) 4560 9000

TALENT MARCEL - bruna.simoes@talentmarcel.com.br - (11) 2504 0448

TUGARE - simone.rosa@tugare.com.br (11) 3594 3124

Para assinar, esclarescer dúvidas sobre sua assinatura ou adquirir números


atrasados ( SAC 16 3620 0555 e 3234 6210)
Envie seus comentários sobre esta edição
2º a 6º feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h.
para redacao@canamix.com.br.
Artigos assinados e mensagens publicitárias refletem ponto de vista dos autores
e não expressam a opnião da revista. É permitida a reprodução total ou parcial Grupo AgroBrasil
dos textos, desde que citada a fonte.
R. Genoveva Onofre Barban, 495 - 14056-340
Planalto Verde - Ribeirão Preto - SP
16 3620 0555 / 3234 6210 - www.canamix.com.br
4
Um princípio que está no centro de nossas crenças.

LEVEDURAS:
Thermosacc® Dry (Levedura para etanol de milho)
CanaMax® (Levedura para cachaça)
SucraMax® (Levedura Biotecnológica para cana-de
açúcar)
ANTIMICROBIANOS:
Protemosto™ LAM
Protemosto™ LIQ
Protemosto™ PRO
TetraBio™
BetaBio

NUTRIENTES
Linha Nutri-Plex™

TREINAMENTOS
In company
Treinamento de Fermentação
Solução de Problemas

Montréal, Canada
September 9 - 14, 2018
www.lbds.com
5
EDITORIAL

Vitrine de lançamentos
Chegou o mês da Fenasucro! A maior feira de tecnologia para o setor
sucroenergético do planeta, como sabemos, é um espaço de apresentação
dos mais recentes lançamentos na área. Sertãozinho, no interior paulista, se
transforma para receber visitantes de todos os cantos do Brasil e de vários ou-
tros países que vêm em busca das inovações expostas no Centro de Eventos
Zanini durante quatro dias.
E uma delas será apresentada ao mercado justamente pelo nosso grupo
de comunicação, o AgroBrasil. Trata-se do Guia de Compras SA Online, que
tem o objetivo de se tornar o maior portal de compra e venda do setor sucroener-
gético. Por meio de uma parceria com a LINKLOG-Telog Tecnologia Logística,
com seus mais de 20 anos de experiência em logística certificada, queremos
oferecer aos usuários uma gama de facilidades, como identificação de novos
fornecedores e clientes, facilidade nas cotações, transparência nas negocia-
ções, entre outros, conforme poderá ser conferido em reportagem nesta edição.
Edição que, aliás, traz um Caderno CanaMix recheado de boas notí-
cias, justamente por conta da Fenasucro. Além de reportagem sobre o que
feira tem de melhor, você poderá conferir uma entrevista com o presidente do
Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis
(CEISE Br), Aparecido Luiz, que fala das novidades da edição 2018 da feira
Plínio César e traça perspectivas para o setor sucroenergético como um todo, sobretudo
Diretor do Grupo Agrobrasil após a aprovação do RenovaBio, que representa uma luz no fim do túnel após
mais de uma década de turbulências e extremas dificuldades.
É na Fenasucro, também, que o Grupo AgroBrasil organiza o maior
encontro de negócios misturados com entretenimento. O Network CanaMix,
realizado tradicionalmente na Fazenda São Geraldo, ao lado do Centro de
Eventos Zanini, oferece a possibilidade de traçar novas parcerias ao som de
música e comida boa. A edição 2018, marcada para o dia 23 de agosto, a par-
tir das 20h, promete continuar reunindo as principais lideranças do mercado
sucroenergético, em meio a mais de 250 pessoas, para um papo sério e, ao
mesmo tempo, descontraído.
Toda a participação do Grupo AgroBrasil e de seus parceiros terá co-
bertura garantida pelo Programa Terra&Cia na TV, que mostrará os principais
momentos da Fenasucro e falará com os empresários do setor, abordando a
movimentação atual do mercado e o que eles esperam para os próximos anos.

Quer mais?
Estamos preparando um portal novinho em folha. Mas, enquanto ele fica
pronto, a gente vai deixando você com uma pontinha de curiosidade. Assunto
para as próximas edições da revista.

Boa leitura!
6
SUMÁRIO

18
Capa
TRANSPORTE:
Recorde por trens

10 26 40
Entrevista Pesquisa Pecuária
Nabih Amin El Aouad Cultivo Brangus: 80%
Presidente da ACNB simulado em 10 anos

46 OPINIÃO 58 GIRO PELO AGRO


Luiz Henrique Dantas Carrijo Muitas turbulências na Economia e na
Política
50 OPINIÃO 28 COMÉRCIO INTERNACIONAL
José Leonardo 60 SUSTENTABILIDADE Açúcar: Práticas em xeque
Carbono na mata
52 PRÊMIO 30 TRANSESPECIALISTA INFORMA
Reconhecimento internacional 62 GIRO DA TERRA Setor sucroenergético pode economizar 15%
As principais notícias do Portal CanaMix investindo em transporte e logística
54 OPINIÃO
Decio Luiz Gazzoni
66 OPINIÃO 32 OPINIÃO
Leonardo Menegatti Mário César Souza e Silva
56 RECURSOS
Plano de R$ 194,3 bi 36 INTERMEZZO
Ribeirão Preto ganha empresa e espaço para
eventos corporativos e sociais de alto padrão

7
ENTREVISTA
ENTREVISTA
" Fotos: Divulgação

Este ano, a Fenasucro


& Agrocana acontece
num cenário mais
otimista para

"
o setor sucroenergético

O presidente do Centro
Nacional das Indústrias do Setor
Sucroenergético e Biocombustíveis
(CEISE Br), Aparecido Luiz,
aponta os motivos que o fazem
acreditar em incremento de
negócios e público em relação à
edição do ano passado

Igor Savenhago Terra&Cia: De um modo geral, quais as expectativas


para a Fenasucro 2018?
A aprovação de uma política nacional para os biocom- Aparecido Luiz: Em 25 anos, a Fenasucro & Agrocana
bustíveis, por meio do RenovaBio, acendeu uma nova luz de es- vem se reinventando e superando a cada edição, seja em volu-
perança apontando para a retomada do setor sucroenergético, me de negócios, visitação e/ou qualificação dos participantes,
que, nos últimos dez anos, tem sofrido com uma crise represen- sempre alinhada às tendências de mercado. E a 26ª edição não
tada pelo endividamento das usinas e falta de caminhos para a será diferente. Projeta-se, em relação a 2017, um crescimento


recuperação econômica. financeiro de 7% – podendo chegar a R$ 4 bilhões –, e de 8%
Durante a Fenasucro & Agrocana, realizada em Sertãozi- quanto ao público.
nho-SP de 21 a 24 agosto, no Centro deAcreditamos
Eventos Zanini, essesque, a partir do ano
e outros assuntos estarão em pauta, comoqueavem, começaremos
possibilidade de a colocar
Terra&Cia: Essa perspectiva de aumento reflete o oti-
abertura de novos mercados no exterior e a diversificação de mismo do setor sucroenergético?
a casa em ordem para atender
produtos nas usinas derivados da cana-de-açúcar. Luiz: A disparada dos preços da gasolina e a queda
Aparecido Luiz, presidente do Ceise, a entidade que or- das cotaçõespor
às demandas que estão vir, fomentaram um aumento médio de
do açúcar
ganiza a feira, considerada a maior do principalmente
mundo em tecnologiacom a implantação
12,45% nas vendas e de 41,25% na produção deste tipo de
canavieira, antecipa, nesta entrevista, os principais pontos que biocombustível [etanol], desde o início da safra 2018/19 de
do RenovaBio.
estarão em destaque, como novos setores em exposição e as cana-de-açúcar até a primeira quinzena de julho, em relação
10
10
novidades da área de Transporte e Logística. à safra passada, segundo dados da UNICA. No entanto, os
" Fotos: Divulgação

Este ano, a Fenasucro &


Agrocana acontece num

"
cenário mais otimista para
o setor sucroenergético
O presidente do Centro Nacional das Indústrias do
Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (CEISE Br),
Aparecido Luiz, aponta os motivos que o fazem
acreditar em incremento de negócios e público em
Seja gentil. Seja o trânsito seguro.
relação à edição do ano passado

As estradas falam. A Mercedes-Benz ouve.


E, claro, transforma no melhor para o seu negócio.
Igor Savenhago Terra&Cia: De um modo geral, quais as expectati-
vas para a Fenasucro 2018?
A aprovação de uma política nacional para os bio- Aparecido Luiz: Em 25 anos, a Fenasucro & Agro-
Mercedes-Benz
combustíveis, por Axor. Forte
meio como vocêacendeu
do RenovaBio, precisa.umaRentável
nova como
cana todo negócio
vem se pede. e superando a cada edição, seja
reinventando
luz de esperança apontando para a retomada do setor su- em volume de negócios, visitação e/ou qualificação dos par-
• Máxima disponibilidade: capacidade de operar durante 24 horas por dia, 7 dias por semana.
• croenergético, que, nos últimos
Trem de força desenvolvido dez anos,
e produzido pelatem sofrido com ticipantes, sempre alinhada às tendências de mercado. E a
Mercedes-Benz.
• uma crise representada
Confortável: pelo endividamento
os melhores bancos pneumáticos do das usinas com
mercado e diversas
26ª edição não será diferente. Projeta-se, em relação a 2017,
regulagens.
• falta
Trio elétrico e ar-condicionado
de caminhos de série.econômica.
para a recuperação um crescimento financeiro de 7% – podendo chegar a R$ 4
Durante a Fenasucro & Agrocana, realizada em Ser- bilhões –, e de 8% quanto ao público.
tãozinho-SP de 21 a 24 agosto, no Centro de Eventos Zanini,
MercedesBenzCaminhoes mercedesbenz_caminhoes
esses e outros assuntos estarão em pauta, como a possibili- Terra&Cia: Essa perspectiva de aumento reflete o
www.mercedes-benz.com.br
dade de abertura de novos |mercados
CRC: 0800no970 9090e a diversifi- otimismo do setor sucroenergético?
exterior
cação de produtos nas usinas derivados da cana-de-açúcar. Luiz: A disparada dos preços da gasolina e a queda
Aparecido Luiz, presidente do Ceise, a entidade que das cotações do açúcar fomentaram um aumento médio de
organiza a feira, considerada a maior do mundo em tecno- 12,45% nas vendas e de 41,25% na produção deste tipo de
logia que
A marca canavieira,
todo mundo antecipa,
confia. nesta entrevista, os principais biocombustível [etanol], desde o início da safra 2018/19 de
pontos que estarão em destaque, como novos setores em cana-de-açúcar até a primeira quinzena de julho, em relação
11
exposição e as novidades da área de Transporte e Logística. à safra passada, segundo dados da UNICA. No entanto, os
ENTREVISTA
efeitos das crises econômica e setorial nos últimos anos im- o setor, porque ele passa a ter sua importância para a matriz
pactaram demais o setor, e as incertezas políticas também energética brasileira reconhecida, através de uma política de
interferem na tomada de decisão, nos investimentos, mas previsibilidade, de longo prazo.


acreditamos que, a partir do ano que
vem, começaremos a colocar a casa Embora o programa Terra&Cia: Haverá no-
em ordem para atender às deman- vidades na feira deste ano em
[RenovaBio] ainda esteja
das que estão por vir, principalmente relação a 2017? Quais serão
com a implantação do RenovaBio. em fase de regulamentação, as principais? O que se espera
agora conseguimos com elas?
Terra&Cia: Por falar em Re- Luiz: Em 2018, teremos a
enxergar um norte para o
novaBio, de que forma o programa Arena Fenatran, que chega para
reforça as expectativas da Fenasu- setor, porque ele passa a incrementar a área de Transporte
cro 2018? ter sua importância para a e Logística, além dos novos se-
Luiz: Este ano, a Fenasucro matriz energética brasileira tores Alimentos e Bebidas, Bio-
& Agrocana acontece num cenário diesel e Papel e Celulose, que
mais otimista para o setor sucroe-
reconhecida, através de uma são elos correlatos aos da cadeia
nergético. Se, em 2017, tínhamos ex- política de previsibilidade, de produtiva sucroenergética. O pa-


pectativas acerca da consolidação da longo prazo. vilhão Agrotec também foi criado
Política Nacional de Biocombustíveis, para abrigar 30 novas empresas
em 2018 ela já é uma realidade. O expositoras. Todo esse mix torna
CEISE Br, unido a outras entidades de classe da cadeia su- a feira completa em soluções em serviços e produtos, o que
croenergética, trabalhou muito para que o RenovaBio fosse comprova o potencial de nossa indústria.
implantado. Embora o programa ainda esteja em fase de re-
gulamentação, agora conseguimos enxergar um norte para Terra&Cia: Especificamente em relação à Arena

12
Fenatran, voltada à logística e transporte rodoviário, co do País. Subprodutos como a vinhaça e a torta de filtro
quais os motivos que resultaram no incremento dessa também têm aplicação em larga escala, bem como outros
área? insumos vem sendo agregados à fabricação de diferentes
Luiz: Transporte e Logística são áreas que impactam, produtos, casos do bioplástico, fertilizantes, ração animal,
e muito, os custos de produção do setor canavieiro – repre- biogás, entre outros. É uma cadeia de grandes possibilida-
sentam cerca de 30%. A partir desse diagnóstico, a Fena- des, que convergem em um mercado amplo de negócios


sucro & Agrocana entende que é sustentáveis.
necessário resolver ou, ao menos, Em 2018, teremos a
mitigar este gargalo e, por isso, vai Terra&Cia: Agora falando
promover uma experiência casada
Arena Fenatran, que da indústria, qual o panorama
– exposição mais eventos de conte- chega para incrementar das empresas que compõem o
údo – visando proporcionar soluções a área de Transporte Ceise? O cenário também é de
que estimulem a otimização de pro- pés no chão?
cessos e a gestão de pessoas neste
e Logística, além dos Luiz: A indústria de base
segmento, o que, segundo especia- novos setores Alimentos do setor sucroenergético mantém
listas, pode gerar uma economia de e Bebidas, Biodiesel e os pés no chão, mesmo com o ce-
até 15% para a cadeia. nário favorável ao etanol hidratado.
Papel e Celulose, que
Os impactos da crise ainda são
Terra&Cia: Durante o lan- são elos correlatos aos sentidos e, por isso, a demanda
çamento da Fenasucro, se falou da cadeia produtiva do setor junto à indústria fabrican-


sobre a expectativa de receber te de máquinas e equipamentos
sucroenergética.
novos perfis de compradores. ainda está voltada para manuten-
Que perfis são esses? O que es- ções preventivas ou corretivas nas
ses novos compradores trarão de benefício à feira? usinas. Aquisição de novos equipamentos ainda está muito
Luiz: Estes perfis estão relacionados aos novos se-
tores que passam a integrar a Fenasucro & Agrocana, es-
pecialmente Alimentos e Bebidas, Biodiesel e Papel e Celu-
lose. São setores adjacentes ao sucroenergético e que têm
apresentando expressivo crescimento e possibilidades de
investimentos. Por isso, a Fenasucro & Agrocana buscou a
integração desses setores, para aproximar fornecedores e
potenciais compradores, sempre de olho em novas oportu-
nidades de negócios, fomentando não só a indústria, mas a
economia brasileira em geral.

Terra&Cia: Ainda durante o lançamento, o Sr. de-


clarou que o evento não traz possibilidade apenas para
etanol, açúcar e energia, mas para todas as áreas corre-
latas. Em relação especificamente ao setor sucroener-
gético, quais as evidências que apontam que ele está
tomando o caminho da diversificação?
Luiz: Hoje, a alta tecnologia dos processos industriais
da cadeia produtiva da cana-de-açúcar permite explorar seu
potencial, a exemplo da energia excedente, que pode ser
tanto consumida pela própria indústria como cogerada, con-
tribuindo como fonte alternativa de abastecimento energéti-

13
ENTREVISTA

aquém do que a indústria tem capacidade para produzir. Terra&Cia: De que forma o RenovaBio pode con-
tribuir com isso?
Terra&Cia: O caminho pra elas também é a diver- Luiz: Enquanto o processo de regulamentação do
sificação? RenovaBio acontece, o CEISE Br também tem atuado em
Luiz: Naturalmente, devido à sazonalidade do setor outra frente, para apoiar a renovação e implantação de ca-
sucroenergético. Uma pesquisa realizada, em 2016, com as naviais, e o investimento em modernização e instalação de
empresas associadas ao CEISE Br, apontou que quase 30% novos projetos dentro das unidades industriais e para novas
do faturamento delas advém de outros segmentos, como o plantas, visando atender ao consumo adicional de etanol
Papel e Celulose, Óleo & Gás, Energia Eólica, Alimentos, que será gerado pelo mercado, devido à implantação Re-
Siderurgia, Mineração, Automobilística, Naval e Transportes. novaBio, que, num cenário conservador, irá demandar uma
Mesmo com a retomada e ascensão da cadeia produtiva da produção de 14 bilhões de litros a mais do combustível.
cana-de-açúcar, a tendência é que este cenário permaneça,
em consonância com o perfil de gestão sustentável – otimi- Terra&Cia: Especialmente durante a Fenasucro,
zação de processos e maior produtividade – adotado atual- muita gente de outros países olha para o Brasil e, espe-
mente pelas empresas. cialmente, para Sertãozinho. Quais as perspectivas de
negócios com eles para os próximos anos?
Terra&Cia: O que precisa mudar no País para que Luiz: O nosso País sempre foi referência mundial
haja uma retomada definitiva do setor e, consequente- no setor e, mesmo com a crise, nunca deixou de exportar
mente, das indústrias de base? suas tecnologias. Sertãozinho, por exemplo, é um dos po-
Luiz: Entre as ações necessárias para o seu resta- los tecnológicos para o setor mais importantes do território
belecimento, em paralelo à implantação do Renovabio e sua nacional, capaz de produzir, de fabricar uma usina inteira de
efetiva aplicabilidade, demanda-se um programa de recupe- alta performance. E o que estimula essa condição, principal-
ração tributária compatível com a realidade das empresas mente agora com o RenovaBio, é o fato do Brasil ser um dos
– inadimplentes devido às crises econômica – e setorial, que maiores produtores de etanol do mundo, energia limpa e re-
englobe redução das multas e juros e maior prazo para pa- novável, e que tem sido o principal foco das nações que, em
gamento. Uma alternativa para estimular a competitividade busca de um desenvolvimento e crescimento mais sustentá-
da indústria seria também facilitar o acesso aos projetos de vel, estão voltadas para as questões ambientais, visando à
investimentos pelo BNDES, reduzindo prazo de avaliação, redução das emissões dos gases de efeito estufa, através de
aprovação e consequente liberação. fontes alternativas.

14
Banco de imagens

Patrocinador:

NETWORK (16) 3605-1979 www.controlrisc.com.br

CANAMIX
Já tradicional durante a Fenasucro & Agrocana, evento promovido
pelo Grupo AgroBrasil reúne lideranças do setor sucroenergético em
encontro ao som de boa música e porco no rolete

Lançamento Tecnologia Pesquisa


Guia de Compras Agência considera Estudo da ESALQ
SA Online será seguro açúcar mapeia comportamento
apresentado na feira transgênico do Brasil de parasita da cana
15
16
17
CAPA

Sinal verde
Vai ser dada a largada para a Fenasucro & Agrocana 2018: sustentabilidade
e digitalização são alguns dos destaques da edição deste ano

Marcela Falsarella das, biodiesel, além de papel e celulose.


Referência em estudos no Brasil, o grupo de pes-
Com a perspectiva de gerar pelo menos R$ 4 bi- quisa e extensão em logística agroindustrial da ESALQ/
lhões em negócios e atrair cerca de 40 mil visitantes USP promoverá o Seminário de Logística, em conjun-
compradores, a Fenasucro & Agrocana promete agitar to com a Abralog (Associação Brasileira de Logística),
Sertãozinho, no interior de São Paulo, entre 21 a 24 de abordando questões de um setor que mostrou sua for-
agosto. Ao todo, são mil marcas expositoras, garantin- ça fazendo o país parar durante a greve de maio. Um
do um universo de inovações para 100% das usinas do levantamento da ESALQ constatou que medidas que
Brasil e de mais 43 países, que mandarão representan- consigam reduzir em uma hora o carregamento ou o
tes para a 26ª edição da maior feira mundial do setor descarregamento de caminhões possibilitam econo-
sucroenergético. mizar R$ 2,5 milhões no custo total das operações. O
Neste ano, novos perfis de compradores circula- setor sucroenergético é um dos que mais investem em
rão pelos corredores. Público que estará em busca de logística.
novidades em transporte e logística, alimentos e bebi- Já o setor de alimentos e bebidas ganha des-

18
Fotos: Divulgação

dades rurais, representando avanço de investimento em tecnologias


voltadas ao melhor desempenho em campo em comparação com
11 anos atrás, quando o índice não ultrapassava a marca de 60%.

Troca de experiências
Serão promovidas rodadas de negócios, sendo as nacionais
para os setores agrícolas e industriais, além das tradicionais roda-
das internacionais, que, além de atrair outros setores, impulsionam
a movimentação financeira do evento. Para a capacitação de profis-
sionais do setor canavieiro, serão ofertadas, juntamente com reno-
mados especialistas, mais de 350 horas de programação no Espaço
de Conferências e auditórios, assegurando troca de informações,
conteúdos e tendências. Um dos temas em destaque nessas discus-
sões será o RenovaBio.
Para atender às demandas estabelecidas pelo programa do
Governo Federal, o setor tem que superar desafios, como intensifi-
car a produção de etanol, que deve passar de 30 para 50 bilhões de
litros por safra, substituindo 55% do uso da gasolina e 20% do die-
sel até 2020. Com isso, novas usinas precisarão ser construídas e
as já existentes deverão se mostrar preparadas e com manutenção
em dia, como destaca Paulo Montabone, diretor do portfólio de com-
taque ao apresentar novos portfólios. As bustíveis da Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora da
quase 700 cervejarias brasileiras, por feira. “Diante do momento de retomada e do Renovabio, o setor pre-
exemplo, produzem 14 bilhões de litros por cisa estar preparado tecnologicamente para atender às demandas
ano, ajudando a impulsionar a economia globais no que envolve etanol, açúcar e bioenergia. Investimentos
nacional. são muito importantes para que toda cadeia sucroenergética cresça
Outra grande novidade é a Agrotec,
um novo pavilhão voltado às áreas agríco-
la e industrial, que contará com 30 exposi-
tores estreantes na Fenasucro & Agroca-
na, sinalizando a demanda crescente de
investimentos do setor. Nesse pavilhão, o
visitante vai se deparar com tecnologias
que abrangem desde o preparo do solo e
iluminação de propriedades rurais até pla-
taformas completas de acesso a dados e
aplicativos de acompanhamento produtivo
e climático.
Segundo informações do Institu-
to Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE), os produtores rurais se dedicam,
cada vez mais, ao trato do solo, visando ao
aumento da produtividade. Só na região de
Ribeirão Preto, atualmente, há técnicas de Feira recebe representantes de todas as usinas brasileiras e
preparo das lavouras em 75% das proprie- visitantes de mais de 40 países

19
CAPA

ainda mais. Vale destacar a questão da bioenergia, que, etanol, além de controle de estoques, de equipamentos
sem dúvidas, é uma fonte de energia sustentável e de e também de profissionais. São várias tecnologias, que
negócios para o setor.” estarão presentes na feira para que a cadeia sucroener-
Outra atual realidade da vida no campo é a agri- gética possa otimizar ainda mais os seus processos”,
cultura digital, que tem sido um fator decisivo para o afirma Montabone.
aumento da produtividade e da eficiência. De acordo
com a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), RAIO-X
a produtividade dos canaviais cresceu, em dez anos, Fenasucro & Agrocana 2018
5% no Brasil, índice que poderia ser ainda mais eleva- Edição: 26ª
do com a utilização de tecnologias. “Diante de um se- Realização: 21 a 24 de agosto de 2018
tor que está em retomada, a busca por alternativas e Horário de exposição: das 13h às 20h
soluções é imprescindível, inclusive para a redução de Horário de eventos de conteúdo: das 8h às 18h
custos. Dentro das unidades produtoras, por exemplo, Local: Centro de Eventos Zanini – Marginal João Olézio
há sistemas completos de inteligência para acompa- Marques, nº 3.563, Sertãozinho-SP
nhar e levantar dados sobre a produção de açúcar e Site oficial: www.fenasucro.com.br

“A geração de negócios esperada é


7% maior em relação ao ano passado. Nossa
feira é a principal plataforma de soluções e
alternativas para toda cadeia produtiva da
cana-de-açúcar. No entanto, considerando a
versatilidade e o dinamismo do setor sucroe-
nergético, a feira contará, entre as novidades
deste ano, com novos perfis de compradores,
englobando transporte e logística, alimentos
e bebidas, biodiesel, papel e celulose. Além
disso, a Fenasucro tem fortalecido, cada vez
mais, a sua grade de eventos de conteúdo
para maior capacitação dos profissionais do
setor canavieiro, juntamente com renomados
especialistas.

Paulo Montabone, diretor do portfólio
de combustíveis da Reed Exhibitions
Alcantara Machado

20
Serão mais de 350 horas de
conteúdo, visando troca de
informações, de conteúdo e
de tendências, que permite
o aprimoramento dos
participantes

Estande do Grupo AgroBrasil com novidades


Fotos: Terra&Cia
Presente nos mais tradicionais eventos do agrone-
gócio brasileiro, o Grupo AgroBrasil sempre prepara no-
vidades para o público que passa por seu estande durante
a Fenasucro & Agrocana. No ano passado, foi divulgada
na feira a edição comemorativa dos 10 anos do Guia de
Compras SA, que reúne informações de todas as usinas
espalhadas pelo território nacional e de uma infinidade de
empresas ligadas a vários segmentos, agrícolas e indus-
triais, ligados ao setor sucroenergético.
Este ano, além do lançamento do Guia de Compras
SA Online, plataforma desenvolvida em parceria com a
LINKLOG-Telog, o estande receberá parceiros que acom-
panham as publicações do grupo há muitos anos para mo-
mentos de atualização de informações e também de des- Estande do Grupo AgroBrasil recebe lideranças de vários
contração. segmentos, que conhecem as novidades apresentadas
Os encontros terão ampla cobertura do Programa
Terra&Cia na TV, que, em pouco mais de um ano de exis-
tência, já é sucesso, divulgando conteúdo de qualidade nas
redes sociais, como entrevistas com as principais lideran-
ças nacionais, coberturas de exposições e congressos da
área, além de edições especiais sobre os eventos mais
concorridos do país.
No dia 23 de agosto, a partir das 20h, na Fazenda São
Geraldo, ao lado do Centro de Eventos Zanini, onde é reali-
zada a feira, o Grupo AgroBrasil promove o também já tra-
dicional Network CanaMix, um encontro de negócios regado
a boa música e comida, em que a estrela é o porco no rolete.
Um dos assuntos das conversas será o novo portal
do grupo, que entra no ar em breve. No estande, espaço garantido para descontração e boa
conversa sobre os rumos do setor sucroenergético
21
22
23
FOTOS: Banco de imagens
PARCERIAS

Guia de Compras Online vai


permitir maior aproximação
entre quem quer comprar e
quem quer vender

Guia online
O Grupo AgroBrasil aproveita a maior feira do mundo de tecnologia
para o setor sucroenergético e lança o Guia de Compras SA Online,
ferramenta que vai permitir negociações na palma da mão

Entre as muitas novidades apresentadas na Fe- mento do Guia de Compras SA Online, uma iniciativa
nasucro & Agrocana, realizada em Sertãozinho de 21 a em parceria com a LINKLOG-Telog, empresa com mais
24 de agosto, o Grupo AgroBrasil irá promover o lança- de 20 anos de experiência em logística certificada, que

24
visa facilitar o dia a dia de quem pre- cotações, acesso a classificados de novo portal, completo, que entrará
cisa adquirir ou vender produtos e compra e venda, transparência nas em breve no ar. Tudo para estreitar
serviços. negociações, garantia de melhores ainda mais os laços com as lide-
O portal, que tem o objetivo preços e benefícios logísticos, ge- ranças do agronegócio no Brasil e
de se tornar o maior do gênero no renciamento completo de relatórios oferecer aos leitores um panorama
País voltado ao setor sucroenergéti- e gráficos e histórico de cotações abrangente sobre a força da indús-
co, terá layout inovador e altamente permanentes. tria e do campo brasileiros.
funcional, com facilidade de acesso Esta é uma das muitas novi- O Guia de Compras SA Onli-
às novidades ofertadas em quatro dades que o Grupo AgroBrasil vem ne fortalece a imagem da marca do
áreas: Administrativa, Agrícola, In- preparando ao longo de todo este Grupo AgroBrasil, que já oferece,
dustrial e Logística. ano de 2018, que contam, ainda, há mais de uma década, Guia de
Entre os principais benefícios com a ampliação das coberturas de Compras SA, impresso, que atua-
do portal aos usuários, estarão a eventos pelo Programa Terra&Cia liza, ano a ano, o rol das usinas e
possibilidade de identificar novos na TV, projetos de consultoria em empresas ligadas ao setor sucroe-
fornecedores e clientes, formação comunicação corporativa, estabe- nergético nos seus vários ramos de
de redes de negócios, agilidade nas lecimento de novas parcerias e um atuação.

Um mundo na palma da mão: as


negociações serão transparentes e
facilitadas, a partir de poucos cliques
na tela do celular

25
TRANSESPECIALISTA INFORMA

Estamos prontos para a batalha? Um


novo jeito de administrar, de trabalhar
Estamos convictos de que o nosso melhor deve ser çam estratégias ao gerente, e juntos conduzem os assun-
entregue a todos. Portanto, temos grande energia para que tos, uma situação bastante comum em empresas menores
a companhia esteja entre as melhores empresas do Brasil e também uma tendência na busca da alta performance no
para trabalhar. O nosso foco são pessoas. Existimos para mundo corporativo.
levar satisfação a elas. Na mesma linha de modernização e mudanças es-
No cenário da economia atual, as velhas técnicas truturais, devido a uma visão mais sistêmica, em que se
não são mais suficientes. É preciso criar, inovar, reinventar. percebeu a interdependência dos departamentos e pesso-
Na área de transporte e logística, não é diferente. O novo as, incrementa-se também a Gestão Participativa. Com o
tempo exige cooperação, consumo colaborativo e criativo, crescimento das organizações e complexidade dos siste-
para fazer cada vez mais com menos e de forma susten- mas, houve a necessidade de maior interação com os co-
tável. laboradores, pois eles são os responsáveis pela execução
No que tange ao mercado, no Brasil 2020 vamos nos das tarefas nos diversos níveis. Assim, as empresas com-
relacionar com a geração 2000. São pessoas com mais di- preendem, cada vez mais, a dependência que possuem
reitos, que exigem outras abordagens e outras formas de das PESSOAS, pois vivemos num mundo marcado pelo
se relacionar, as quais acompanham o mundo globalizado processo de globalização e por mudanças constantes no
e suas tendências. ambiente empresarial.
Dessa forma, também por fatores compostos, o Portanto, exige-se uma maior participação das PES-
mundo corporativo necessita de novas ferramentas, coo- SOAS no desenvolvimento da empresa, o que proporciona
peração e incremento de performance, que advêm de uma uma melhor dinâmica e uma maior interação no ambiente
nova filosofia de gestão de pessoas e novas formas de interno, refletindo diretamente na empresa e seus resulta-
conduzir as instituições. A meritocracia precisa ser aplicada dos. Com isso, ela se torna mais competitiva e preparada
em conjunto com novas filosofias que buscam a conscienti- para enfrentar os desafios E OFERECER CADA VEZ MAIS
zação e a maturidade das empresas para estarem prontas PARA AS PESSOAS AS QUAIS AFETA.
para o novo Brasil. As organizações perceberam o grande poten-
Como exemplos, a Gestão Horizontalizada, uma cial existente em cada indivíduo, a necessidade do
grande saída na busca do comprometimento e engajamen- envolvimento de todos num novo modelo de negócio,
to dos colaboradores. Na estrutura horizontal, os funcioná- em que a importância do capital humano toma novas
rios têm autonomia para tomar decisões, recebem infor- proporções, tendo em vista que, num cenário de crise
mações estratégicas e participam das soluções. Ganha-se e de grandes desafios, SURGEM oportunidades para
agilidade, mais compromisso e consciência em todos os PESSOAS que inovam e encontram outras maneiras
níveis da companhia. de fazer cada vez mais e melhor com menos recursos
Os grupos de funcionários relatam/discutem e tra- e de forma sustentável.

26
27
Divulgação CTC

PESQUISA

A variedade desenvolvida pelo CTC é


resistente à broca da cana, que causa
perdas estimadas em 5 bilhões de reais
por ano nos canaviais brasileiros

Açúcar seguro
Agência norte-americana conclui avaliação e aprova açúcar fabricado a partir da primeira
cana geneticamente modificada no Brasil, desenvolvida pelo CTC

Com informações assessoria imprensa CTC global, principalmente em culturas como soja, milho e
algodão. A aprovação do FDA reforça a conclusão da
A Food and Drug Administration (FDA), agên- Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTN-
cia do Departamento de Saúde dos Estados Unidos, Bio), que avaliou todos aspectos de biossegurança da
concluiu, neste início de agosto, o processo de avalia- variedade e aprovou seu uso comercial em junho de
ção de segurança alimentar para o açúcar produzido a 2017.
partir de cana geneticamente modificada, desenvolvida De acordo com Viler Janeiro, diretor de Assuntos
pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), empresa Corporativos do CTC, o açúcar produzido a partir da
100% brasileira com foco em pesquisa, desenvolvimen- cana Bt é idêntico ao produzido a partir de variedades
to e comercialização de variedades de cana-de-açúcar. convencionais. O executivo celebra a nova conquista:
Com base nas informações e documentos apre- “O reconhecimento pelo FDA é motivo de orgulho para
sentados, a FDA concluiu que, tanto o açúcar bruto todos nós, pois trata-se de uma das agências regula-
quanto o refinado, produzidos a partir da primeira varie- doras mais relevantes e criteriosas no cenário interna-
dade de cana geneticamente modificada do Brasil, são cional.”
tão seguros para o consumo quanto os provenientes A FDA é a agência norte-americana responsável
das variedades convencionais. por controlar alimentos e medicamentos por meio da
A variedade desenvolvida pelo CTC é resisten- avaliação de testes e pesquisas cientificas. Criada em
te à broca-da-cana (Diatraea saccharalis), que causa 1862, a agência responde pela proteção à saúde públi-
perdas estimadas em 5 bilhões de reais por ano nos ca, garantindo a eficácia e segurança de medicamentos
canaviais brasileiros. O gene Bt, usado na variedade, humanos e veterinários, produtos biológicos e dispositi-
tem pelo menos 20 anos de uso seguro na agricultura vos médicos, além da segurança de alimentos.

28
FENASUCRO & AGROCANA 2018 | Visite o nosso estande e fique por dentro de mais
uma inovação MECAT: Soft Filter SF 500 no Tratamento de Água de Lavagem Industrial
ESTANDE N° A 80 - Rua A - Pavilhão 1

WWW.MECAT.COM.BR GRUPOMECAT

Inovação
Prêmio FINEP de

Tecnológica 2004

29
Produto

Prêmio Nacional
FINEP de Inovação
Tecnológica
INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS
Fotos: Divulgação
PESQUISA

Trabalho foi desenvolvido como tese


de doutorado da estudante Bruna Laís
Merlin, no programa de pós-graduação em
Entomologia

Potencial biotecnológico
Pesquisa mostra que parasitoide altera a expressão dos genes de seu hospedeiro usando fatores
de virulência, que podem ser utilizados em plantas transgênicas para o controle de pragas

Com informações ESALQ coloca ovos no interior de lagartas da broca-da-cana,


Diatraea saccharalis, onde ficam até o término de seu
Um estudo desenvolvido no programa de pós- desenvolvimento, quando, então, deixam o hospedeiro
-graduação em Entomologia da Escola Superior de e causam sua morte”, explica Bruna. Na lagarta, conti-
Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP) verificou nua, “o parasitoide também injeta proteínas ovarianas,
quais fatores de virulência associados ao parasitoide veneno e partículas virais, que auxiliam seus ovos a
Cotesia flavipes alteram o ambiente hospedeiro e quais não serem mortos pelo sistema imunológico da lagar-
genes do hospedeiro são alvos de regulação. O traba- ta e regulam o desenvolvimento hospedeiro, evitando
lho tem autoria de Bruna Laís Merlin e orientação do que se transformem em pupas e tornando o interior da
professor Fernando Luis Cônsoli, do departamento de lagarta em um ambiente favorável aos parasitoides em
Entomologia e Acarologia. desenvolvimento”.
“Cotesia flavipes é uma vespa parasitoide que Segundo a pesquisadora, era sabido que altera-

30
ções na fisiologia e no metabolismo do hospedeiro ocorriam, mas
não como essas alterações se davam. “Assim, meu doutorado
teve como objetivo estudar quais fatores de virulência associados
ao parasitoide Cotesia flavipes alteram o ambiente hospedeiro e
quais genes do hospedeiro são alvos de regulação”. Além disso, a
pesquisa testou um gene que está presente nas partículas virais
de C. flavipes e um outro gene, associado a outra espécie parasi-
toide, na forma de transgenia de plantas de tomate no controle de
pragas com diferentes hábitos alimentares.
O sistema imunológico das lagartas foi bastante afetado
pela vespa parasitoide e seus fatores maternos injetados durante
a oviposição. “Muitos genes apresentaram alta expressão, uma
vez que as lagartas estavam tentando se defender; e outros genes
foram inibidos, num esforço do parasitoide em não deixar o hos-
pedeiro reconhecê-lo e matá-lo”, revela Bruna. Além disso, genes
envolvidos na síntese e na degradação dos hormônios que con-
trolam o desenvolvimento das lagartas também foram regulados
pelo parasitoide e seus fatores de virulência. “Outras vias também
C

foram alteradas. O conjunto de genes do hospedeiro regulado


M

pelo parasitoide pode ampliar o número de táticas de controle de


Y

pragas, servindo, por exemplo, como alvos de técnicas de RNA de


CM

interferência e edição gênica”.


MY
Muitos genes pertencentes às partículas virais foram identifi-
CY
cados e apresentaram altos níveis de expressão, revelando sua im-
CMY
portância no processo de regulação hospedeira. “Um dos eventos
K
transgênicos testados apresentou alta mortalidade de espécies-pra-
gas mastigadoras, minadoras e sugadoras, enquanto o outro evento
alterou alguns índices nutricionais da espécie testada, mostrando que
genes da interação hospedeiro – parasitoide podem ter potencial bio-
tecnológico interessante para o controle de pragas”.

Kits de plantas para bioensaios: um dos


objetivos foi estudar quais genes do
hospedeiro são alvos de regulação, para
que possam ajudar no combate a pragas
em plantas transgênicas

31
INFORME PUBLICITÁRIO

Desenvolvimento
profissional é um dos pilares
de crescimento da SVAA
Com o objetivo de continuar elevando a performan- nologia, equipamentos e ferramentas, mas nada disso
ce da Santa Vitória Açúcar e Álcool (SVAA) e oferecer ex- adianta se nossos colaboradores não estiverem bem ca-
celência em qualidade, a empresa investe fortemente no pacitados para operar tudo isso com eficiência. O sucesso
aprimoramento da mão de obra interna, mediante treina- da companhia está diretamente relacionado ao desenvol-
mentos de diversos níveis em diferentes áreas. No perío- vimento de nossos integrantes. Por isso, os treinamentos
do de janeiro a abril de 2018, a SVAA teve 10.215 partici- são fundamentais para que os nossos processos sejam
pações em treinamentos, com um total de 56.141 horas. cada vez mais assertivos”, destacou Alexandre Nicodemo,
“Reconhecemos que é importante investir em tec- gerente geral da SVAA.

32
Além daqueles obrigatórios e de reciclagens das trabalho de soldagem”.
NRs relativas a cada atividade, tais como NR 35 (Trabalho Todos os anos, a SVAA elabora um planejamento
em altura), NR 33 (Segurança e Saúde nos Trabalhos em intenso de desenvolvimento profissional para o seu públi-
Espaços Confinados), NR 10 (Segurança em Instalações co interno. No entanto, um dos diferenciais de 2018 foram
e Serviços em Eletricidade), entre outros, foram ministra- os treinamentos comportamentais de liderança e de mul-
dos treinamentos operacionais e comportamentais. tiplicadores. Um completo programa de desenvolvimento
Da parte operacional, foram oferecidos treinamen- de lideranças foi aplicado a todos os 110 líderes da em-
tos de Operador de Guindauto, Operador de Motobomba, presa e dividido em 6 módulos com duração de 6 meses.
Manuseio de Defensivos Agrícolas, Condutores de Cami- “O programa Líderes em Ação foi idealizado com
nhões Canavieiros, Operadores de Máquinas Agrícolas, muito afinco pela equipe de Desenvolvimento Organiza-
Motorista de Caminhão Prancha, Soldadores, Manuten- cional. Foram aproximadamente 10 meses para mapear-
ção e Operação de Colhedoras de Cana. mos as necessidades da empresa, estruturar o programa
No treinamento de soldadores, a empresa envolveu e realizar os módulos de treinamento. Isso porque acredi-
tanto os colaboradores das áreas industrial como da agrí- tamos que um líder bem preparado pode atingir bons re-
cola, oportunidade em que aprenderam diversos proces- sultados através do desempenho de sua equipe, incenti-
sos de soldagem, incluindo suas terminologias, posições, var o crescimento e preservar o bem-estar do grupo. Além
qualidade e segurança na prática da atividade, como ex- disso, o fato de compreender o seu verdadeiro papel na
plica o participante Vinicius Duarte de Sousa. “Trabalho empresa, entender as ferramentas para gerenciamento e
com soldagem na área agrícola da SVAA há dois anos e estratégias de comunicação com a equipe pode se tornar
meio e, nesse treinamento, tive conhecimento de mais po- um valioso diferencial para a empresa”, esclareceu Lara
sições de solda no equipamento, siglas dos processos de Franco, supervisora de Desenvolvimento Organizacional.
soldagem, tipos de eletrodos e ainda recebi a certificação Para os multiplicadores da companhia, a carga
para executar processos de soldagem dentro da norma horária foi de 16 horas, com participação de 20 pro-
ASME. O objetivo daqui para frente é aperfeiçoar ainda fissionais. “Atualmente, cerca de 70% dos nossos trei-
mais e atuar ajudando as outras áreas da empresa”. namentos são ministrados por funcionários internos.
Segundo o instrutor da empresa Welding Inspe- A Capacitação dos Multiplicadores proporcionou rea-
ções, Engenharia e Análise de Materiais, Raony Longo valiar comportamentos e posturas em sala de aula, o
Bighetti, 28 da SVAA passaram pelo treinamento e agora que certamente resultará em mais motivação, enga-
estão mais preparados para desempenhar suas ativida- jamento e, sobretudo, maior aproveitamento dos con-
des com segurança e qualidade. “Muitos aprenderam a teúdos por parte dos participantes”, ressaltou Cláudia
função principalmente na prática, sem a chance de ter au- Bethânia, analista de Desenvolvimento Organizacio-
las teóricas, o que é importante para o desempenho do nal da SVAA.

33
INFORME PUBLICITÁRIO

Foco no setor
Foto oficial da visita de
representantes do GMEC
à fábrica em Mogi das
Cruzes, em julho

sucroenergético
Valtra lançou tratores inéditos na Feacoop; antes, máquinas foram apresentadas na fábrica
em Mogi das Cruzes a membros do GMEC – Grupo de Motomecanização

A Valtra, referência global em fabricação de má- julho, em sua fábrica de Mogi das Cruzes-SP.
quinas agrícolas, levou à Feacoop 2018 três séries de “A Linha BH é reconhecida no mercado pela li-
tratores inéditas, com foco no setor sucroalcooleiro e derança no segmento, com alto rendimento na melhor
no mercado de pequeno e médio produtor. O evento relação peso/potência da categoria. Em 2017, lançamos
foi realizado em Bebedouro-SP, de 30 de julho a 2 de a Geração 4 dessa família, com sete opções de motori-
agosto. O principal lançamento é o da Linha BH HiTech, zação. Agora, na nova Linha BH HiTech, a grande novi-
evolução da consagrada Linha BH Geração 4, que ago- dade é a transmissão HiTech3 (HiTech “three”) Power-
ra passa a oferecer transmissão com troca de marcha Shift com troca automática dentro dos grupos, com 18
automática. velocidades para frente e 18 para trás”, afirma Winston
Antes do lançamento na Feacoop, a empresa Quintas, supervisor de marketing de tratores da Valtra.
apresentou os equipamentos a membros do Grupo de A transmissão Powershift pode ser operada ma-
Motomecanização (GMEC), na segunda quinzena de nualmente com trocas de velocidade por botões ou por

34
um dos dois modos de programação motores de 6 cilindros. e A104, da Série A4, são indicados
automáticas, que alteram a veloci- Os modelos da Linha contam para a média potência, oferecendo
dade automaticamente conforme a ainda com o recurso do N Auto que 95 cv e 105 cv, respectivamente.
rotação predefinida. “A transmissão desacopla o powershift todas as Disponíveis nas versões cabi-
HiTech3 se destaca em operações vezes que o pedal do freio é acio- nado e plataformado, os tratores da
que exigem mudanças de marcha, nado, ou caso a rotação do motor Família possuem resistente trans-
mantendo a alta produtividade no fique menor que 1200 rpm, acoplan- missão mecânica 12+12 ou 24+24
campo e com a simplicidade que é do novamente acima de 1200 rpm com o Super Redutor com o melhor
característica de toda a Linha BH e ou que o operador tire o pé do freio. escalonamento de marchas, confor-
BH HiTech”, completa Quintas. Função excelente para acompanhar me modelo, e reversor eletro-hidráu-
Outra novidade é o rever- a colhedora de cana. lico PowerShuttle, o que proporcio-
sor eletro-hidráulico Power Shutt- na ganhos de agilidade durante as
le, que permite que as direções de Família A4 manobras, além de ajuste de arran-
condução sejam alteradas usando A Valtra também levou ao pú- cada conforme o tipo de operação.
uma alavanca, sem necessidade blico da Feacoop 2018 cinco novos “A Valtra ampliou a Família
de acionamento da embreagem. A modelos da família A Geração 4: A4 com esses cinco novos modelos
transição é feita sempre de forma três para a Séria A4s, lançamento para levar ao produtor rural a opção
suave, rápida e com proteção, onde da marca, e mais dois que se so- ideal para cada tipo de propriedade.
somente abaixo de 2 km/h o sistema mam à Série A4, apresentada no O foco da nossa marca é oferecer
reverte o sentido da máquina. ano passado. Os modelos da Série versatilidade, eficiência e robustez,
A Linha BH HiTech é compos- A4s variam entre 75 e 95 cv, e pos- com um portfólio completo e tec-
ta pelos modelos BH144 (145 cv), suem chassi reduzido, ideal para nológico, que se destaca por sua
BH154 (159 cv) e BH184 (180 cv) com pequenas e médias propriedades qualidade reconhecida no mercado”,
motores de 4 cilindros e os modelos ou operações que demandam po- afirma Rodrigo Junqueira, diretor de
BH174 (179 cv) e BH194 (195 cv) com tências menores. Já os modelos A94 vendas da Valtra.

Família A Geração 4
Cap. Distância
Vazão
Série Modelos Levante entre eixos Transmissão Reversão
(l/min)
(kgf) (mm)
A74S (75 cv)
Série A4s A84S (85 cv) 3.000 2.250 65
A94S (95 cv)
A94 (95 cv) 12+12 ou 24+24 PowerShuttle ou
4.300 2.430
A104 (105 cv) (Super Redutor) MechShuttle
Série A4 A114 (115 cv) 57 ou 98
A124 (125 cv) 4.950 2.500
A134 (135 cv)
A114 HiTech (115
cv)
Série A4 A124 HiTech (125 HiTech4 16+16
4.950 2.662 98 ou 105 PowerShuttle
HiTech cv) PowerShift
A 134 HiTech (135
cv)

35
INFORME PUBLICITÁRIO

A família A4 oferece o sistema HiShift, que per- e excelente visibilidade nas operações. Como opcio-
mite ao operador a troca de marcha pelo simples acio- nais, o produtor pode optar por duas vazões hidráu-
namento de um botão na alavanca de câmbio, sem a lica, 57 ou 98 l/min, além de várias opções de confi-
necessidade de usar o pedal da embreagem, proporcio- guração das válvulas de controle remoto. A Série A4
nando maior suavidade no acoplamento e facilidade na foi eleita Máquina do Ano por comissão de jornalistas
operação. Outra novidade que traz maior versatilidade independentes no Sima Show 2017, feira agrícola re-
às máquinas é o redutor Super Creeper, que possibilita alizada em Paris (França) e apontada como a maior
operações em velocidade mínima de 0,15 km/h. do mundo.
A melhor ergonomia da classe, aliada a um bai- Além do diferencial com a transmissão automá-
xo nível de ruído (75 dB), garante que a Família A4 tica HiTech4, os modelos A4 HiTech estão prepara-
ofereça uma experiência confortável em quaisquer dos para receber as facilidades do Fuse Technologies,
situações. A estrutura da cabine é estreita na parte como o piloto-automático Auto-Guide® 3000 e controle
da frente para facilitar a direção em áreas de galpões de telemetria por meio do AgCommand™.

Visitantes conheceram modelos já


tradicionais e lançamentos levados
posteriormente à Feacoop, em Bebedouro
36
Linha de montagem da
Valtra em Mogi das Cruzes:
empresa é referência
mundial em fabricação de
máquinas agrícolas

37
38
39
OPINIÃO

Fermentação 4.0
e responsabilidade com a saúde
pública e as novas gerações
Mário César Souza e Silva écia e Reino Unido.
• A resistência aos antibióticos aumenta a du-
Há muitos anos, os órgãos governamentais ração das doenças e o risco de morte. Os custos dos
responsáveis pela saúde pública divulgam relatórios cuidados de saúde também aumentam com interna-
alarmantes em relação ao uso indiscriminado de anti- ções mais prolongadas e a necessidade de cuidados
bióticos em todos os setores, que disparam o gatilho intensivos.
do fenômeno da resistência bacteriana, originando as
suberbactérias. A OMS descreve várias estratégias para com-
A Organização Mundial da Saúde (OMS) lan- bater a resistência aos antibióticos. Os consumidores
çou, neste ano, o relatório global sobre as resistências são incentivados a usar antibióticos apenas quando
aos antimicrobianos, incluindo a resistência aos antibi- prescritos por um médico, a completar todas as doses
óticos. A OMS considera a resistência aos antibióticos de antibióticos prescritos e a não partilhar antibióticos
uma grave ameaça à saúde pública mundial. com outras pessoas.
O relatório discute a resistência a diversos agen- Os profissionais de saúde são aconselhados a
tes infeciosos, mas dá particular ênfase a sete bacté- melhorar a prevenção das infeções e o seu controle,
rias responsáveis por doenças comuns e graves, como limitar a prescrição e prescrever antibióticos somen-
sépsis, diarreia, pneumonia, infeções do trato urinário te quando necessário, com o antibiótico correto para
e gonorreia. cada doente e, nas plantas industriais, substituir por
produtos eficientes em desinfecção que não produzam
Principais pontos do relatório incluem: subprodutos e que, desta forma, não contaminem o
• A bactéria Klebsiella pneumoniae desenvol- meio ambiente. (OMS-2018)
veu resistência ao tratamento de último recurso para “Deverá ser fortalecida a monitorização labora-
infeções hospitalares, tais como pneumonia, sépsis, torial das resistências, regulamentada e promovida a
infeções em recém-nascidos e doentes em UCI [Uni- utilização dos antibióticos mais adequados, incentivar
dade de Cuidados Intensivos]. Esta resistência é um a inovação e pesquisa para novos antibióticos e pro-
problema no mundo inteiro. dutos para desinfecção, e encorajar a cooperação e
• A resistência às fluoroquinolonas para trata- circulação de informação entre todos os profissionais.”
mento de infeções urinárias por E. coli existe em todo (OMS-2018)
o mundo. A resistência era praticamente zero quando As inovações tecnológicas na área de desin-
estes medicamentos foram introduzidos pela primeira fecção encontram barreiras para serem incorporadas,
vez na década de 1980, mas são atualmente inefica- mesmo comprovando as suas eficiências em descon-
zes em mais da metade dos doentes. taminação. A nossa indústria, como um todo, tem difi-
• Mais de 1 milhão de pessoas estão infecta- culdades de incorporá-las e, desta forma, romper com
das com gonorreia em todo o mundo e falência de tra- o passado, quebrando paradigmas comprovados pela
tamento de último recurso com cefalosporinas de 3ª ciência.
geração foi confirmada na Áustria, Austrália, Canadá, Nosso setor, para pensar em fermentação 4.0,
França, Japão, Noruega, Eslovênia, África do Sul, Su- precisa rever muitos conceitos e atitudes. Entre eles,

40
metodologias precisas para a quantificação da popu- novas gerações.
lação bacteriana total contaminante da fermentação, A FERMENTAÇÃO 4.0 na Indústria 4.0 tem que
sem negligenciar as gram negativas, como tem feito. ter esta filosofia ante toda a cibernética-robótica, tema
Desinfecção da fermentação, há muito pouco que está sendo discutido dentro do setor sucroener-
tempo, está sendo introduzida no setor, que insiste em gético.
fazer o tratamento da fermentação com antibióticos. Nosso setor “bate no peito e fala para o mundo
E é aí que estamos contra todos os apelos da que produz um combustível ecologicamente correto”.
OMS, que tem nos alertado, ao longo destes anos, Etanol vem da fermentação, não vem? E a sua usina
para fazermos uso adequado de antibióticos, com es- usa antibióticos conforme o exigido pela OMS?
tudo de suas eficiências bactericidas, e dosar de acor- Já passou da hora de rever nossas atitudes, a
do com o nível de contaminação. Nossas indústrias era dos antibióticos, para salvar nossas vidas. Temos
não fazem estes protocolos exigidos pela OMS e, de que, simplesmente, repensar.
quebra, não combatem a população bacteriana conta-
minante total, onde temos gram positivas e negativas.
A desinfecção tem sido pauta de discussão nos
países desenvolvidos, devido às dificuldades de com-
bater as SUPERBUGS, que, até 2050, levarão a óbito
mais de 50 milhões de pessoas.
Você sabia que, para estas bactérias resistentes,
não temos barreiras geográficas? Você sabia que elas
se relacionam “sexuadamente”, trocando informações
de genes de resistência, mesmo sendo de espécies e
gêneros diferentes? Você sabia que estes encontros Mário César Souza
e Silva é Professor,
acontecem naturalmente no meio ambiente?
Biomédico e
O uso de produtos geradores de radicais livres Microbiologista
são a bola da vez. Suas eficácias bactericidas, fungi- Especializado em
cidas e virucidas são comprovadas. Eles não dão a Controle Microbiológico
e Desinfecção
chance de as bactérias desenvolverem resistência.
Industrial, CEO da MC
Estes produtos são, sem dúvidas, o futuro para Desinfecção Industrial e
quem está comprometido com a saúde pública e as Pesquisador FAPESP

41
PECUÁRIA

Parceria inédita
Banco do Brasil fecha parceria com o Grupo Adir e lança, pela
primeira vez, um programa de melhoramento genético destinado
a um único empreendedor

Igor Savenhago O Grupo Adir tem 58 anos de tradição na pecuá-


ria, trabalhando, principalmente, com a raça Nelore. Re-
Pela primeira vez em seus mais de 200 anos de sultado do pioneirismo de uma família que está no ramo
história, o Banco do Brasil cria um programa de finan- desde 1906, importando animais. Em discurso durante
ciamentos direcionado a um empreendedor específico: o lançamento do programa, Paulo Leonel agradeceu à
o Grupo Adir. Anunciado no dia 25 de julho, na Estân- confiança depositada pelo banco. “Esse é o resultado de
cia 2L, uma das propriedades do grupo, localizada em uma vida inteira dedicada à pecuária brasileira e à pure-
Ribeirão Preto, o Programa de Melhoramento Genético za racial do Nelore. O padrão natural da raça e a experi-
Banco do Brasil-Grupo Adir vai destinar R$ 100 milhões ência em avaliar o potencial de cada linhagem ao longo
de três linhas – InvestAgro, FCO Custeio Agropecuário e das gerações é o principal legado dos importadores de
Pronaf – para a aquisição de sêmen, embriões, prenhe- 1906 e da década de 1960, mostrando que nada fora
zes, matrizes e reprodutores, equipamentos veterinários, disso é realidade.”
assistência técnica e capacitação oferecidos exclusiva- Segundo Marco Túlio Moraes da Costa, diretor de
mente pelo Grupo Adir. Agronegócios do Banco do Brasil, os financiamentos vão
A estância recebeu cerca de 300 convidados para funcionar da seguinte forma: os investidores com maior
o coquetel de lançamento. Segundo Adir do Carmo Leo- potencial financeiro que tiverem interesse em adquirir a
nel, que administra a fazenda com o filho, Paulo, a parce- genética Adir entrarão no Programa InvestAgro, com taxa
ria será importante para disseminar a genética desenvol- de juros de 10% ao ano e prazo para pagamento de três
vida com os animais da marca Adir e, com isso, ajudar a anos, com prestações anuais.
melhorar a qualidade da pecuária brasileira. Especificamente para pecuaristas da região Cen-

42
tro-Oeste do País, as condições são diferentes, já que
eles se encaixam em outras condições. Nesse caso, os
empréstimos poderão ser feitos pelo programa FCO,
com taxas que variam de 5,86% a 6,76% e prazo para
quitação de até 12 anos. E para os pequenos produto-
res, os financiamentos serão pelo Programa Nacional
da Agricultura Familiar (Pronaf), com taxa de 4,6% ao
ano e prazo de até 10 anos para pagar.
“Todos os pecuaristas, dos grandes aos peque- Momento da assinatura do convênio com o Banco do
nos, serão contemplados com condições exclusivas de Brasil, que vai emprestar R$ 100 milhões
pagamento. Em qualquer modalidade, a carência é de
um ano e as parcelas serão anuais”, afirmou Walter Ce-
lani, gerente do Grupo Adir.
“Não poderíamos associar a marca do banco,
com tantos anos de história, a outra que não tivesse
a credibilidade e a idoneidade do Grupo Adir. Hoje, a
tecnologia é a grande aliada do produtor. E o Banco
do Brasil está atento a isso. Estamos muito otimistas
e achamos que vai ser um ponto de partida importante
para a pecuária brasileira”, afirmou Costa.
Ele considera o programa de melhoramento com
O programa estabelecido especificamente com o grupo
o Grupo Adir mais que um simples convênio. O com-
Adir prevê estimular o melhoramento genético tanto para
promisso, segundo Costa, é facilitar o acesso dos pro- a produção de carne quanto de leite
dutores a uma genética que seja realmente capaz de
promover crescimento da produtividade e, consequen-
temente, da margem de lucro das propriedades rurais.

Líder
O Banco do Brasil, que tem 5 mil unidades es-
palhadas por todo o território nacional e mais de 100
mil funcionários, é líder mundial em crédito para o agro-
negócio. O banco tem, atualmente, R$ 184 bilhões em
créditos aplicados na agropecuária, o que representa
Nelson Bezerra, proprietário do frigorífico Masterboi, e
59% dos recursos de todas as instituições financeiras Paulo Leonel, diretor do Grupo Adir: parceria

43
PECUÁRIA
nacionais que investem no setor. Cerca de 27% de toda enviados para as Agências de Relacionamento do banco
a carteira de crédito do banco são representados pela para assinatura. Com o processo todo digital, a estimati-
agricultura e pela pecuária. va é que seja concluído em até três dias.
Desse montante, R$ 52 bilhões são destinados à
pecuária, sendo quase RS 50 bilhões à bovinocultura. Conquistas
Só na safra 2017/18, foram emprestados R$ 85 bilhões A defesa da genética Nelore tem propiciado ao
aos produtores rurais brasileiros. Desses, R$ 26 bilhões Grupo Adir conquistas que podem ser traduzidas em
foram para a pecuária – R$ 22 bilhões para a bovinocul- números surpreendentes. O grupo foi responsável pela
tura. Para a nova safra, 2018/19, a previsão é ofertar um maior negociação individual do mundo de sêmen, ven-
total de R$ 103 bilhões, 21% de aumento em relação ao dendo, à Fazenda Nova Piratininga, localizada em São
período anterior. Miguel do Araguaia, Goiás, 90 mil doses.
O programa estabelecido especificamente com o No mesmo estado, na Fazenda Conforto, que fica
grupo Adir prevê estimular o melhoramento genético tan- em Nova Crixás, vigora o maior programa de bonificação
to para a produção de carne quanto de leite, por meio da do mercado, remunerando em 25%, sobre o indexador
maior integração dos interessados com o banco, permi- boi gordo CEPEA-GO a prazo, os fornecedores de be-
tindo que eles produzam mais em menos tempo e com zerros com genética Adir.
qualidade. Já em Pernambuco, o frigorífico Masterboi, que
Os créditos podem ser requisitados em qualquer mantém unidades também no Pará e em Tocantins,
agência do banco ou direto com o Grupo Adir. As propos- paga ágio de até R$ 3 por arroba a produtos filhos de
tas serão analisadas via Portal BB. Se aprovados, serão touros Adir.

Programa terá recursos de três linhas de


financiamento e visa melhorar qualidade da pecuária
44 e, com isso, a rentabilidade das propriedades
45
OPINIÃO

Desafios do agro na Era


Digital: Novo consumidor e
novos mercados
James Cisnandes abilidade e a segurança alimentar tornaram-se exigên-
cias do consumidor, levando os órgãos públicos a exigir
O Agronegócio no Brasil passa por um momen- cada vez mais, por força de lei, “transparência e clare-
to único. Está em voga. Tanto é que tem presença diá- za” das informações no rótulo dos produtos. O consumi-
ria em rede nacional e ainda dizendo que o “AGRO É dor monitora tudo, comenta e muitas vezes compartilha
TUDO!”. Mas é muito mais que essa propaganda. Uma em suas redes de relacionamentos.
publicação recente da ESALQ (USP), divulgada em Esse novo consumidor exige novos modelos de
abril deste ano, apontou que o número de startups no negócios (produtos e serviços) e aí há um leque de pos-
Brasil ligadas ao agro passou de 200 empresas. Já em sibilidades. Sua empresa está pensando em novos mer-
Israel, para efeito comparativo, o número de startups cados ou novos negócios com base digital? Têm sido
nesse setor superou a marca de 500 empresas. Não cada vez mais comuns relatos de clientes dizendo que
é por acaso que Israel é líder na produtividade da pe- não sabem qual foi a última vez que estiveram numa
cuária de leite e também tem despontado no uso de loja física de supermercado. Ainda acrescentam em tom
inteligência artificial nas lavouras. provocativo: “minhas lojas e produtos preferidos estão
no meu smartphone”; “ir ao supermercado é perda de
Novo consumidor tempo” ou, ainda, “gosto de receber as compras em
Vivemos em um novo tempo no quesito mudança casa, sem ter que carregar sacolas”.
nas relações interpessoais e na relação das pessoas A primeira observação importante é que esse
com empresas e com produtos/serviços. O nível de exi- novo consumidor também está dentro das organiza-
gência do consumidor atingiu índices surpreendentes. ções. Isso mesmo. Seja na liderança de startups na
São inúmeros os casos de consumidores que gravam condição de empreendedor ou provocando mudanças
vídeos ou depoimentos com experiências extraordiná- disruptivas dentro de outras organizações. Inclusive,
rias ou péssimas de produtos. E o alcance dessas pu- quando não encontram ambientes favoráveis a criati-
blicações é assustador, forçando respostas rápidas e vidade e com desafios, não permanecem. A segunda
efetivas por parte das empresas envolvidas na tentativa observação diz respeito à inquietação dos gestores,
de atenuar os efeitos danosos à marca. no sentido de entender tudo que está acontecendo no
Não obstante a isso, o novo consumidor está co- mercado e, ao mesmo tempo, preparar sua organização
nectado (e isso tende a aumentar cada vez mais). A para os novos desafios da ERA DIGITAL.
necessidade de permanecer conectado equivale à ne-
cessidade de luz elétrica nos tempos passados, a bus- Modismos ou enxurrada tecnológica?
ca por alimentos mais saudáveis, a preocupação com Há uma lista interminável de termos e tecnolo-
as questões ambientais, a destinação seletiva do lixo, a gias que estão na “moda”, com destaque para algumas,
prática de atividade física e vários outros aspectos que a começar por Agricultura 4.0, Pecuária 4.0, Indústria
caracterizam “o novo consumidor”. 4.0, Logística 4.0, Big Data, Omni-Channel, Machine
O consumidor está com “o poder do acesso à Learning, Customer Experience, Streaming Data, Cha-
informação” e exigirá cada vez mais. Garantir a rastre- tBot, DevOps, Micro-service e Digital Transformation.

46
Quem não agir proativamente, no sentido
de construir o futuro, será coadjuvante de
um futuro criado por terceiros

Na prática, o que está acontecen- to reservados”, “segregados numa empresas, mapeamento de GAPs e
do é uma enxurrada de inovações sala fechada”, “jargão estritamente definição de um norte, com ações
tecnológicas em hardware, software técnico” e outros. Se quiserem ocu- de curto, médio e longo prazo.
e serviços, possibilitando e promo- par cargos de liderança, terão que Uma expressão incômoda e
vendo uma verdadeira revolução no desenvolver novas habilidades, so- muito comum: como não pensei nis-
mundo dos negócios e na vida das bretudo de ouvir o cliente interno, so antes!
pessoas, como ocorreu na clássica cliente externo, desenhar cenários, As reflexões propostas aci-
“Revolução Industrial” na Europa tangibilizar suas ideias e propostas ma compõem um mix de ações no
nos séculos XVIII e XIX. de solução, pois será necessário processo da Transformação Digital.
Em outras palavras, a in- interagir com pessoas de diversos A única certeza é que não se tra-
quietação dos gestores se deve ao perfis nas mais variadas áreas de ta de algo simples de fazer, más é
tamanho do desafio de estruturar e negócios, o tempo todo. necessário à sobrevivência do ne-
liderar nas organizações as mudan- Por onde começar a jorna- gócio, sob o risco da obsolescência,
ças necessárias para superar esses da de transformação digital na sua como foi o caso de muitas marcas
desafios. Se há gestores tranquilos empresa? Quem deve liderar esse lendárias e conceituadas que desa-
diante de tal cenário, é bem prová- movimento? Quem deve participar pareceram.
vel que não tenham visualizado os das discussões? Há um caminho ou É preciso estruturar um Pla-
impactos gerados pela tecnologia e, caminhos nesse processo? Qual o no com as diretrizes de forma a en-
principalmente, o que está por vir. papel das pessoas nos novos mo- tender o cenário atual e projetar o
A exemplo disso, acompanhamos, delos de negócios? As pessoas cenário futuro. Quem não agir proa-
nos últimos 15 anos, o aumento sig- da sua empresa estão preparadas tivamente, no sentido de construir o
nificativo do papel dos profissionais para esse processo? Note que são futuro, será coadjuvante de um futu-
de TI dentro das empresas, ganhan- indagações amplas que reforçam a ro criado por terceiros. Quem nunca
do espaço, poder e ramificações em necessidade de um “plano de voo”, expressou: Eu deveria ter pensando
todas as áreas de negócio. Arrisco com base na análise de cenários, nisso antes! Há também aqueles
dizer que toda empresa num futuro entrevistas, observações, mapea- que até pensaram, mas não foram
breve terá base digital. O profissio- mento de processos, avaliação de ousados o suficiente para arriscar
nal do futuro será multidisciplinar. pessoas em suas respectivas fun- na implementação de suas ideias.
Os profissionais de TI pre- ções, avaliação do nível de matu- Sem um esforço coordenado de
cisam superar o estigma de “mui- ridade das tecnologias usadas nas pensar o futuro, a empresa incorre

47
OPINIÃO
no erro de tomar decisões pontuais, casa” na região de Castro (PR), ao uma pesquisa divulgada pelo jornal
aleatórias e de curto prazo, sem passo que essa mesma raça esta- 'Washington Post' (2017), mostran-
qualquer reflexo no posicionamento ria extremamente desconfortável no do que 7% dos entrevistados acre-
estratégico da empresa para os de- Sul da Bahia. Mesmo que nessa re- ditam que essa seja a origem do lei-
safios da era digital. gião ocorram chuvas regulares por te achocolatado. Isso significa que
A crescente demanda por ali- conta da Zona da Mata, as tempe- 16,4 milhões de pessoas no país
mentos devido ao aumento da po- raturas são altas, se comparadas não sabem que se trata de um pro-
pulação mundial tem gerado uma com o estado do Paraná. Isso impli- duto industrializado, feito com leite,
verdadeira corrida na busca pelo ca diretamente na produtividade do chocolate e açúcar. O levantamento
aumento da produção. De um lado, rebanho. também mostrou que os america-
a busca por melhoramento genético Nota-se a importância des- nos não sabiam informações bási-
tem agitado o setor de pesquisas. ses estudos para indicar a raça cas sobre agricultura e pecuária.”
Do outro, a busca por uma melhor mais adequada (holandesa, nelo-
gestão das atividades no campo, re, jersey, girolando, guzerá, angus
desde o plano de plantio até a ges- e outros), a depender da finalidade
tão da produtividade por área plan- (bovinocultura de corte ou leite). Es-
tada. Isso passa por investimentos ses são apenas alguns exemplos
em maquinários sofisticados, estu- dos desafios no campo, naquilo que
dos de variabilidade do solo, qualifi- é chamado de desafios “dentro da
cação profissional, dentre outros. porteira”.
Na pecuária, ocorre algo si- Por fim, e para reflexão sobre
milar, sobretudo na busca pelo DNA a necessidade de diminuir a distân-
perfeito, por meio de estudos deta- cia entre produtor e o consumidor,
lhados da genética do rebanho, nas veja o resultado de uma pesquisa James Cisnandes é gerente
respectivas raças, visando identi- realizada nos EUA: de Relacionamento da Vertical
ficar a sua adequação para cada “Para milhões de americanos, Agribusiness da Engineering do
Brasil – subsidiária da multinacional
região do país. Por exemplo, uma vacas marrons produzem leite acho-
italiana fornecedora de soluções e
vaca da raça holandesa está “em colatado”, assim foi revelado em serviços de TI

48
49
EVENTOS

Foco no RenovaBio
Programa do Governo Federal foi um dos principais destaques
do 11º Congresso de Bioenergia, promovido no início de agosto pela UDOP
Com informações da UDOP tros de pesquisa. Esses são alguns dos números do 11º
Congresso Nacional da Bioenergia, evento promovido
Mais de 200 palestras. Dez debates, mais de em Araçatuba-SP nos dia 1º e 2 de agosto pela UDOP
220 palestrantes e moderadores, 1.538 congressistas, – União dos Produtores de Bioenergia.
148 usinas de 11 estados, 67 empresas fornecedoras O evento teve 13 áreas distintas do universo su-
de insumos e serviços, 67 estudantes do Projeto Pro- croenergético, com destaque para a sala RenovaBio,
fissional do Futuro, 55 associações de fornecedores de que reuniu profissionais interessados em conhecer e
cana-de-açúcar; 14 universidades e 9 institutos e cen- aplicar as novas regras que nortearão o futuro do setor

50
de biocombustíveis. dores que acreditaram, mesmo num momento de crise,
Para o presidente da UDOP, Amaury Pekelman, o que investir no conhecimento é a saída de qualquer im-
evento foi um sucesso. “Gostaria muito de agradecer os passe.”
apoiadores e toda a equipe da UDOP, que se esforçou
muito para que esse evento fosse realizado desse jeito. Inovação
Com certeza, ano que vem vai ser um sucesso melhor Nos próximos dias 7 e 8 de novembro, a UDOP
ainda.” vai promover o Seminário de Inovação, outro evento de
Antonio Cesar Salibe, presidente executivo da sua grade de cursos. O objetivo é reunir profissionais
UDOP, ambém destacou a qualidade do evento. "Pelo das usinas para a difusão das novas tecnologias pes-
11º ano seguido, superamos nossas expectativas, e quisadas por universidades, institutos de pesquisas e
esse sucesso só foi possível graças a nossos apoia- agências de fomento.

Novidades
Confira nas próximas páginas, o que algumas das principais
empresas expositoras apresentaram em Araçatuba.

51
EVENTOS

ALFA

A Alfa apresentou a Balança Integradora TETRA- clo de pesagem, e o ajuste fino do lote de carga é feito
CELL, que atende a qualquer largura de transportador, apenas na última caçambada.
proporcionando o controle de fluxo em esteiras de cana A empresa também expôs a ensacadeira de alta
desfibrada e bagaço; a Balança de Fluxo, que otimiza velocidade multifuncional e ensacadores de big bag.
o ciclo de pesagem através da abertura total da saída, Todos os equipamentos foram projetados em
proporcionando escoamento instantâneo do produto; e atendimento às normas NR10 e NR12 e contam com os
a Balança Dosadora a Granel de alta performance: as principais protocolos de comunicação fieldbus de mer-
caçambadas são realizadas visando velocidade do ci- cado.

ATVOS

A Atvos produz e comercializa etanol, açúcar de açúcar, além de cogerar 3,1 mil GWh de energia elé-
VHP e energia elétrica. Possui nove unidades agroin- trica limpa.
dustriais, localizadas em quatro estados brasileiros – São 36 milhões de toneladas de cana-de-açúcar
Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo –, moídas, com 100% do plantio e da colheita mecanizados.
que são responsáveis pela geração de 11 mil empregos Um dos lemas da companhia é produzir “de um
diretos e mais de 40 mil indiretos. jeito comprometido com o meio ambiente ontem, hoje e
A empresa tem capacidade para produzir 3 bi- amanhã. Desde 2007, transformamos ideias em ações
lhões de litros de etanol por safra e 700 mil toneladas que renovam o futuro de todos.”

52
MERCEDES-BENZ

Com destaque para a exposição de caminhões agronegócio, os caminhões Actros e Axor são reconhe-
extrapesados Actros e Axor, a Mercedes-Benz apresen- cidos pela força, robustez, resistência, reduzido custo
tou as amplas soluções da marca para o setor canaviei- operacional, produtividade, disponibilidade para o tra-
ro. Estes caminhões são indicados para atividades fora balho e elevado nível de conforto para o motorista.
de estrada e para aplicações mix-road, em que, numa A empresa também divulgou seu portfólio de
mesma operação, os veículos circulam tanto em rodo- pré e de pós-venda, com destaque para três linhas
vias quanto em vias não pavimentadas. de peças de reposição (genuínas, remanufaturadas e
No setor canavieiro, como em toda a cadeia do Alliance).

SYNGENTA

Visando oferecer tecnologia e inovação no mane- tível à ferrugem, houve um aumento de 12 toneladas
jo de doenças, a Syngenta apresentou o Priori Xtra, fun- por hectare na média de 18 áreas analisadas.
gicida para a cultura da cana-de-açúcar. De acordo com Além dessa propriedade, o produto demonstrou
a empresa, o produto proporciona controle superior das favorecer a sanidade, com efeito preventivo e curativo,
doenças e maior retorno em produtividade. tolerância ao estresse, eficiência no uso da água, folhas
Em vários testes feitos em usinas, a aplicação do ativas, o que significa cana mais produtiva, fotossíntese
fungicida teve os benefícios comprovados. Num deles, líquida e eficiência no crescimento, com sistemicidade
conduzido entre 2011 e 2015, em variedade não susce- e rapidez na translocação.

53
EVENTOS

KADU - O ILUSIONISTA
O estande da Syngenta teve, ainda, outro
atrativo: Kadu, ilusionista que combina tecnologia e
truques da mente. O artista envolve o público com
tecnologia audiovisual, que complementa a arte do
ilusionismo com fatores inéditos, fazendo com que
todos vivenciem uma experiência única.
Ele tem viajado por todo o Brasil, levando
suas apresentações para os mais variados eventos
e empresas multinacionais. O espetáculo foi pre-
miado em 2015, no Festival de Mágicos do Brasil,
como o show mais interativo do País.
Em 2017, seu projeto corporativo recebeu o
prêmio Top Golden Business, oferecido pela revista
Vida e Negócio. E, agora em 2018, se tornou mem-
bro da CONANVE, um dos maiores bancos de pa-
lestrantes do Brasil.

SUPERBAC

Pioneira no mercado brasileiro de soluções em para fortalecer seu institucional, abordar o intenso tra-
biotecnologia, a SuperBac contou com o apoio de seu balho da marca na área de pesquisa e desenvolvimento
time comercial, apresentando sua linha de fertilizantes de novos produtos e a busca por parceiros para a apli-
biotecnológicos, que proporcionam maior resistência cação e uso da biotecnologia no cultivo da cana.
para o plantio das diversas culturas, crescimento vege- Para a SuperBac, participar do Congresso Nacio-
tativo, além de um aumento significativo da produtivida- nal da Bioenergia foi uma excelente oportunidade para
de por hectare. se aproximar de novos e futuros clientes, além de dis-
Durante o evento, a empresa também aproveitou seminar, ainda mais, o uso biotecnologia na agricultura.

54
TELOG / TRANSESPECIALISTA

Na área de transporte e logística, existem muitas Durante o congresso, a Telog lembrou aos visi-
oportunidade, cada vez mais discutidas e estratégicas tantes que é necessário comprometer todas as esferas
paras as empresas. Um diferencial de competitividade. de uma empresa na redução de custos em transporte,
Para que se tenha uma logística integrada, são o que envolve o mapeamento dos itens críticos e estra-
necessários planejamento inteligente, uso de tecno- tégicos, definição de estoques mínimos e lead time dos
logias e parcerias estratégicas, para que haja ganhos itens, além de um SLA bem definido e gerido com um
como redução de estoque, agilidade, qualidade nas operador logístico sério e competente. Não existe mais
operações, bem como redução de riscos e custos. espaço para erros.

55
EVENTOS

Década produtiva
Programa do Governo Federal foi um dos principais destaques
do 11º Congresso de Bioenergia, promovido no início de agosto pela UDOP

Com informações assessoria GAF Em entrevista coletiva, o ministro alertou, ainda,


que a guerra comercial entre China e Estados Unidos é
O Brasil deverá produzir 302 milhões de toneladas negativa para o agronegócio brasileiro, porque altera de
de grãos até 2027/28, avanço de 30% sobre o resultado maneira significativa os fluxos comerciais e impacta nos
da temporada 2017/18. Foi o que destacou o ministro da preços das commodities agrícolas, gerando volatilidade
Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Ma- nas cotações. “Além, claro, de que qualquer medida prote-
ggi, durante a realização do Global Agribusiness Forum cionista é ruim para o livre mercado”, salientou.
2018, realizado em São Paulo em 23 e 24 de julho. Maggi disse que o governo está trabalhando para
No caso das carnes, a produção deverá chegar a levantar os embargos às carnes brasileiras na Rússia [bo-
35 milhões de toneladas, aumento de 27% sobre o re- vina e suína], China e União Europeia [frango]. “A expec-
sultado atual. De acordo com o ministro, as exportações tativa é que tenhamos novidades na reunião dos Brics.”
de grãos deverão saltar de 102 milhões de toneladas em No tocante ao tabelamento do frente, o ministro
2017/18 para 139 milhões de toneladas em 2027/28. afirmou que há risco para próxima safra de grãos, devi-
Ademais, segundo Maggi, os embarques de carnes do a possíveis problemas de entrega de fertilizantes, bem
deverão crescer de 6,5 milhões de toneladas em 2017/18 como de aumento de preços do transporte.
para 8,8 milhões ao término dos próximos dez anos. “Em Por fim, Maggi pontuou que o projeto de lei que tem
2027/28, queremos que o Brasil tenha 10% de participa- como objetivo alterar a lei dos defensivos tem como intuito
ção do comércio agropecuário mundial.” modernizar a legislação, fazendo com que o agronegó-
cio brasileiro tenha acesso a produtos mais modernos do
Guerra comercial ponto de vista agronômico e de segurança para pessoas,

56
animais e o meio ambiente. Em seu pronunciamento, ele Brasil. É uma tolice pensar que nós
ainda propôs elevar a relação comer- podemos tirar vantagem desta rivali-
Como fica o Brasil? cial entre Brasil e China. Mas, para dade.”
Segundo o embaixador da isso, recomendou que o Brasil acele- Jaguaribe defendeu o livre
República Popular da China, Li Jin- re os investimentos em infraestrutura comércio, mas não acredita que o
zhang, os dois países – Brasil e China logística e no sistema de armazena- protecionismo, especialmente no
– são parceiros comerciais naturais. mento. Ainda sugeriu diversificar a setor agrícola, vai mudar. Já a pre-
Em 2017, a China comprou US$ 23 pauta de exportações e citou produ- sidente da União da Indústria de
bilhões de produtos agrícolas do Bra- tos como o algodão e o café como Cana-de-Açúcar, Elizabeth Farina,
sil. Para citar alguns: 50 milhões de novas oportunidades de crescimento. afirmou que o mercado precisa
toneladas de soja e um pouco mais Apesar das vantagens compe- trabalhar com a realidade e criar
de 560 mil toneladas de carne bovina. titivas que a China oferece ao Brasil, um conjunto de regras para pro-
“A China é um grande comprador de tomar partido por algum lado nesta teger o mercado brasileiro. “Esta-
produtos agrícolas e o Brasil um gran- guerra comercial parece ser um gran- mos sofrendo ataques ideológicos
de fornecedor. Os dois países preci- de erro. Foi o que disse o presidente e precisamos melhorar o nível de
sam assumir o protagonismo nas ne- da Apex do Brasil, Roberto Jaguaribe. comunicação do setor com infor-
gociações do agronegócio mundial”, “China e Estados Unidos são dois mações embasadas em aspectos
sugeriu o embaixador durante o GAF. importantes parceiros comerciais do técnicos.”

Confira, a seguir, como foi a participação de algumas empresas no evento.

57
EVENTOS

Corteva Agriscience será máquina


de inovação no setor agrícola

Estande da Corteva no evento: nome da empresa é


derivado das palavras “coração” e “natureza”

A Corteva Agriscience, Divisão Agrícola da Dow- das globais da Divisão Agrícola.


DuPont, vai transformar o mercado agrícola mundial por Para o GAF 2018, a Corteva Agriscience trouxe ao
meio de investimento constante em tecnologia digital, Brasil o vice-presidente global da Plataforma de Proteção
em genética de alta performance, contato permanente de Cultivos, Rajan Gajaria, responsável por moldar a es-
com o produtor e o portfólio mais completo do setor. tratégia de negócios, definir prioridades de investimento
Foi com esses diferenciais que a futura empresa, resul- em capital, em Pesquisa & Desenvolvimento e supervi-
tado da fusão entre Dow e DuPont, se apresentou no sionar a cadeia de suprimentos. “Os portfólios integrados
GAF 2018, um dos maiores eventos de discussão sobre já permitiram que diminuísse o tempo de desenvolvimen-
agronegócio do mundo, do qual a empresa é uma das to de novas soluções e aumentasse os ganhos genéticos
patrocinadoras. de nossos produtos em aproximadamente duas vezes
A Corteva Agriscience combinará décadas de ex- acima de nossa taxa histórica”, diz Gajaria.
periência das duas empresas com inovação constante Também esteve no GAF 2018 o chief commu-
e fará movimentos ousados para moldar a percepção nications officer (CCO) da Corteva Agriscience, Dana
dos consumidores ao redor do mundo sobre a agricul- Bolden. “Vamos combinar nossas décadas de experi-
tura e sua vital importância para a humanidade. “Que- ência com inventividade constante, para que possamos
remos emergir como o líder confiável em alimentos e ajudar indivíduos, a sociedade e economias a prospe-
agricultura em nossa categoria”, afirma Roberto Hun, rarem”, diz Bolden.
presidente da Corteva Agriscience no Brasil e Paraguai. A Divisão Agrícola da DowDuPont anunciou, em
O Brasil será bastante beneficiado por essa 26 de fevereiro de 2018, o nome da empresa pretendida
força de portfólios e conhecimento. O País está entre após a conclusão da separação em três companhias
as regiões mais estratégicas para a Corteva em nível independentes, o que deve ocorrer até o dia 1º de junho
global. “Atualmente, somos o número dois em vendas, de 2019. O nome Corteva Agriscience (kohr-'teh-vah) é
atrás dos Estados Unidos”, disse Hun. No ano passado, derivado de uma combinação de palavras que une "co-
a América Latina respondeu por cerca de 20% das ven- ração" e "natureza".

58
Novo bioestimulante da Rotam
do Brasil ajuda no aumento de
produtividade da soja

Sementes de milho tratadas com


programa da empresa

Nos últimos quarenta anos, a soja foi uma das trientes e aminoácidos que auxiliam o crescimento, e
principais protagonistas do crescimento da produção ajudam a melhorar as estruturas reprodutivas em diver-
agrícola brasileira. Porém, nas duas décadas mais re- sas culturas.
centes, o rendimento médio teve crescimento menor Fácil de usar, seguro para a lavoura, pode ser
quando comparado com a evolução da área. A planta- misturado com a maioria dos agroquímicos. “O produto
ção do grão foi praticamente multiplicada por dez du- foi aplicado em diferentes estágios fenológicos da soja,
rante o período, enquanto a produtividade aumentou e realizadas diversas avaliações na planta, como nú-
cerca de 50%, segundo dados da Companhia Nacional mero de entrenós, peso fresco de folhas, número de
de Abastecimento (Conab). vagens por parcela, a fim de se conhecer os melho-
Para reverter esse cenário, um dos fatores que res momentos e ganhos de produção”, destacou Carlos
pode contribuir no aumento de produtividade, é o uso Guarnieri, técnico sênior da estação experimental da
de bioestimulantes, que são capazes de auxiliar no empresa.
fornecimento de energia adicional, para que consigam Outro lançamento, do programa TS Rotam, o Ci-
realizar fotossíntese de modo mais eficiente. Através nelli 250 FS é um inseticida à base do princípio ativo
desse estímulo, as plantas obtêm mais folhas e, con- Fipronil e se destaca no controle de insetos mastigado-
sequentemente, podem também conseguir um melhor res, auxilia fortemente na manutenção de germinação e
resultado. vigor e ainda contribui para a estabilidade de eficiência
Durante pesquisa realizada na Fazenda Expe- em adversidades climáticas.
rimental da Rotam, em Artur Nogueira- SP, na safra O programa da Rotam do Brasil é indicado para
2016/17, foi avaliado o novo bioestimulante da empresa, as culturas do arroz, algodão, cana-de-açúcar, trigo, fei-
Yoduo. O produto contém em sua formulação micronu- jão, soja e milho.

59
EVENTOS

Case IH doa trator para o Hospital


de Câncer de Barretos

Jorge Gorgen, da Case IH: empresa


é parceira de longa data do Hospital
de Amor, o hospital de câncer de
Barretos

A Case IH fez a doação de um trator, modelo de longa data da Case IH. Ele integra iniciativas orga-
Farmall 80 plataformado, para o Hospital do Amor, o nizadas pelo CASE Multiação, programa social criado
hospital de câncer de Barretos. A chave da máquina em 2007 com o objetivo de apoiar ações e entidades
foi entregue aos representantes do hospital durante a sem fins lucrativos, que beneficiem um grande número
Agrishow, a maior feira Agrícola da América Latina, rea- de pessoas.
lizada em Ribeirão Preto-SP de 30 de abril a 4 de maio. Pelo CASE Multiação, a CNH Industrial realizou,
O trator está sendo rifado e toda a verba arrecadada em 2010, uma doação de parte do valor das máquinas
será revertida para a entidade. O sorteio será em 26 de vendidas durante a Agrishow para o hospital. A verba
setembro deste ano. foi encaminhada para o setor de oncologia pediátrica
Mirco Romagnoli, vice-presidente da Case IH por meio do FIA (Fundo da Infância e da Adolescência).
para a América Latina, esteve no hospital acompanha- E, em 2012, a CNH Industrial fez outro aporte,
do de Artur Monassi, proprietário do Grupo Tracan, para mas por meio do Fundo do Idoso, aplicado nas demais
formalizar a doação. “Espero que essa nossa colabora- alas do hospital, que atendem, especialmente, a pa-
ção consiga ajudar o hospital a salvar ainda mais vidas. cientes mais idosos e necessitados.
A região de Barretos é muito importante para a Case Quem quiser ajudar o hospital, pode comprar os
IH e nós sabemos da relevância dessa instituição para números nas 140 lojas da rede AbraCase, nos parcei-
todo o Brasil”, comentou Romagnoli. ros do Hospital do Câncer espalhados pelo Brasil e nos
O Hospital de Câncer de Barretos é um parceiro leilões de pecuária do país.

60
61
OPINIÃO

Nematoides:
importância e manejo

Galhas raízes de abóbora - Lesões em raízes de pimenta


Meloidogyne incognita. biquinho - Pratylenchus brachyurus

José Otavio Menten


Ticyana Banzato
Claudio Marcelo G. Oliveira

Uma importante restrição à produção


agrícola sustentável é o impacto de pragas
e doenças de solo. Nematoides estão entre
as principais pragas agrícolas da atualidade.
Estima-se que os nematoides parasi-
tos de plantas consomem aproximadamente
10% da produção agrícola global, levando a
perdas econômicas anuais avaliadas, cau-
telosamente, em mais de US$ 125 bilhões. Nematoide do cisto na soja
No Brasil, as nematoses estão entre as fitos-
sanidades mais importantes nos cultivos a des parasitos de plantas, é consenso entre os fitossanitaristas
campo ou em sistema protegido. que o de galhas é o mais importante. Esse patógeno está dis-
Os gêneros que ocorrem com mais perso em vários ambientes em todo o mundo, causando perdas
frequência são Meloidogyne (nematoides às principais culturas agrícolas.
das galhas), Pratylenchus (nematoide das No Brasil, várias espécies têm sido relatadas em asso-
lesões), Heterodera (nematoides de cistos), ciação às principais plantas cultivadas, mas Meloidogyne in-
Rotylenchulus (nematoides reniformes) e cognita, M. javanica e M. enterolobii são, reconhecidamente, as
Radopholus (nematoide cavernícola). espécies mais importantes em função dos prejuízos causados
No entanto, dentre todos os nematoi- e ampla distribuição geográfica.

62
#mulheresdoagro

Sua
conexão
com o
futuro
Elizana Paranhos,
agricultora, mãe,
agrônoma e mestre.
Capão Bonito - SP

23 e 24
de outubro de 2018
Inscreva-se no site:
mulheresdoagro.com.br
Transamerica Expo Center - SP
Vagas limitadas!

Patrocinador Master:
Aliança Estratégica:

Patrocinador Top: Startup:

SÃO PAULO - SP
BRASIL

Apoio:

Promoção, Organização Apoio Coordenação


e Realização: Institucional: de Conteúdo:

Prof. José Luiz Tejon Megido

63 ~
OPINIÃO
Independente do gênero e do sintoma, o desenvol- -se de técnicas que visam mantê-los abaixo do nível popu-
vimento do nematoide na planta afeta o funcionamento lacional de dano econômico. Define-se manejo integrado
das raízes, prejudicando a absorção de água e nutrientes de nematoides como a integração das diferentes medidas
e resultando em redução no desenvolvimento da planta, de controle, com o objetivo de maximizar a ação dos agen-
murcha, clorose e menor produção. Além disso, podem tes, levando em consideração as características ecológicas
ser os causadores de outras doenças radiculares, pois os e econômicas das culturas.
ferimentos promovidos nas raízes facilitam a infecção por Para assegurar que o regime mais apropriado para
fungos e bactérias presentes no solo. Um exemplo disso é o manejo de nematoides seja adotado pelos produtores, a
a bananeira, onde é comum a associação da presença do correta identificação de espécies de importância econômica
nematoide cavernícola e o mal-do-panamá, causado pelo é, portanto, crucial. Dessa forma, necessita-se inicialmen-
fungo Fusarium oxysporum f. sp. cubense. te promover a identificação taxonômica dos fitonematoides
A dispersão de nematoides nas áreas de cultivo é envolvidos na cultura, bem como da sua importância, as-
principalmente por meio de material propagativo, tráfego de pectos biológicos, hábitos e hospedeiros.
implementos agrícolas, animais e seres humanos, além do No manejo integrado, recomenda-se o uso de va-
escoamento de água de chuva ou irrigação. Dessa forma, o riedades resistentes, nematicidas registrados, agentes de
uso de mudas certificadas é crucial para evitar a introdução controle biológico, sucessão e rotação de culturas com
e disseminação, conforme destacado no manuscrito publi- plantas não hospedeiras, incluindo os adubos verdes e
cado pelo Professor Dr. Ailton R. Monteiro (ESALQ-USP), plantas antagonistas, e pousio da terra por, no mínimo, 6
em 1981: “Não se deve plantar nematoides”. Aliás, pela cla- meses, eliminando todas as plantas voluntárias e plantas
reza de tal publicação e pelos ensinamentos nela contidos, silvestres do local, já que a manutenção da população de
deveria constituir leitura obrigatória a todos os fitossanita- nematoides na área de cultivo pode ocorrer através da sua
ristas, encontrando-se disponível em: http://docentes.esalq. sobrevivência em plantas daninhas e plantas voluntárias da
usp.br/sbn/nbonline/ol%2005u/13-20%20pb.pdf. cultura.
No plantio, os fundamentos do manejo integrado de A adição de matéria orgânica no solo na forma de
nematoides têm sido tradicionalmente baseados na sele- torta de sementes, biomassa vegetal, resíduos agroindus-
ção de cultivares resistentes e aplicação de nematicidas triais e de animais e até mesmo lixo urbano, como detritos e
e, na entressafra, a sucessão e rotação de culturas. Entre- resíduos de tratamento de esgoto, tem sido utilizada. A adi-
tanto, como a demanda pela produção de alimentos tem ção de material orgânico melhora as propriedades físico-
aumentado, há situações em que práticas de rotação têm -químicas do solo, favorecendo o crescimento das plantas
diminuído ao ponto de que muitas culturas são produzidas e tornando-as mais tolerantes ao ataque de nematoides.
em monoculturas ou com períodos de rotação significativa- Também propicia o crescimento das populações de inimi-
mente reduzidos, resultando no aumento das populações gos naturais dos nematoides. Além disso, a decomposição
de nematoides. da matéria orgânica libera compostos altamente tóxicos
Resistência para um determinado nematoide para- aos fitonematoides, como, por exemplo, amônia e ácidos
sito de plantas tem sido introduzida com êxito em algumas graxos, que se formam durante sua decomposição, além
culturas, mas este processo é lento e a diversidade entre e da incorporação de mais nutrientes que serão aproveitados
intraespecífica no campo comprometem a eficiência do mé- pela cultura.
todo. Consequentemente, houve dependência na aplicação Com relação à escolha da melhor opção de plantas
de nematicidas para contribuir no manejo de nematoides na rotação ou sucessão visando o manejo dos nematoides,
parasitos de plantas, às vezes como parte de uma estraté- a Crotalaria spectabilis e a C. breviflora são as mais indica-
gia de manejo integrado. Entretanto, há limitações ambien- das do ponto de vista nematológico, em razão do grande
tais e sociais crescentes, levando ao desenvolvimento de espectro de nematoides que são controlados. Já o amen-
métodos alternativos para o controle de nematoides. doim pode ser efetivo no controle de M. incognita e R. reni-
Tendo em vista que a erradicação dos fitonematoi- formis, mas causa aumento da densidade de P. brachyurus,
des é praticamente impossível, o manejo integrado utiliza- com reflexos negativos na produção do amendoim, do al-

64
godão e da soja. As braquiárias (Brachiaria das galhas (M. javanica, M. incógnita e M. paranaenses), mas há
decumbens, B. brizantha e B. ruziziensis) e cultivares suscetíveis a Rotylenchulus reniformis e com reação in-
Panicum maximum são efetivas no controle termediária à P. brachyurus.
de M. incognita e R. reniformis, mas, assim
como o amendoim, causam aumento da den-
sidade populacional de P. brachyurus.
Com relação à mamona, no geral, há
uma carência de investigações mais detalha-
das sobre sua interação com nematoides.
A maioria das pesquisas envolve a avaliação
da eficiência das tortas e outros produtos de-
rivados da mamona para o controle de ne-
matoides, mas poucos estudos avaliam sua
resistência às espécies de nematoides e pos-
sibilidade do uso do cultivo da mamona num José Otavio é Presidente Ticyana é engenheira Claudio Marcelo é
programa de rotação ou sucessão de cultu- do Conselho Científico agrônoma e doutoranda na pesquisador científico e
Agro Sustentável (CCAS), ESALQ/USP. nematologista do Instituto
ras. No entanto, sabe-se que a mamona é Biológico de Campinas/SP.
Eng. Agrônomo, Mestre
resistente ao nematoide de cisto e que as e Doutor em Agronomia,
cultivares Íris, Coti, Guarani, Pernambuca- Pós-Doutorado em Manejo
de Pragas e Biotecnologia
na, Sangue de Boi, Savana e IAC-80 são e Professor Associado da
resistentes a três espécies de nematoides ESALQ/USP.

65
TECNOLOGIA

Calçado feito de derivado


de cerveja, em Curitiba-PR:
meia tonelada de malte na
produção

Calçados sustentáveis
Visando à preservação do planeta e agregar qualidade, algumas fábricas
aderem ao uso de produtos veganos

Karollyna Basques

Sustentabilidade é definida, por muitos especialistas, como a capacidade humana de interagir com a natu-
reza sem comprometer as futuras gerações. O conceito tem ganhado adeptos de formas muito criativas, seja na
criação e customização de roupas, confecção de bolsas, estofamento para automóveis e, principalmente, calça-
dos, que usam produtos semelhantes ao couro, mas sem origem animal.
A marca Pantala surgiu com esse intuito. Suas criadoras, Angélica Prado e Monyque Artese, mãe e filha,
buscam propagar um estilo de vida a partir do veganismo. Alguns meses antes do processo de criação dos mode-
los, elas se depararam com um acidente de trânsito que envolvia bovinos transportados por um caminhão. Toda a
retirada dos animais foi acompanhada pelas empresárias. Elas ficaram angustiadas e contam que seria inconce-
bível fabricar calçados em couro.
A produção dos materiais da marca é feita em oficinas localizadas em Campinas e Itatiba, ambas no interior
de São Paulo. O processo é totalmente artesanal, desde o corte até a montagem. A única máquina utilizada é uma
prensa, para que os calçados tenham durabilidade e não descolem.

66
“Quando estava na facul- mix de algodão. Antes, as empre- todo o Brasil e também já foram
dade, decidi fazer um curso para sárias fizeram uso de materiais sin- para países como Austrália, Portu-
aprender a fabricar alpargatas para téticos, mas observaram que não gal e Argentina.
uso próprio. Ensinei uma amiga e, houve boa aceitação pelo público. A criação não tem necessa-
com o tempo, começamos a rece- Já no solado, são usados deriva- riamente uma preocupação com
ber encomendas e também vender dos químicos, pois, no Brasil, é di- tendências. É livre, com peças
por meio de grupos do Facebook. fícil encontrar produtos sustentáveis atemporais e que podem ser usa-
Então, decidi ir atrás de mais infor- para esse insumo. das por qualquer faixa etária. Além
mações para formalizar o negócio”, O nome da empresa foi es- dos sapatos, são produzidas bolsas
afirma Monyque. A mãe, que sem- colhido em referência à libélula e malas. As tiragens são limitadas.
pre trabalhou na área comercial, Pantala Flavescens, que realiza a Um modelo encontrado no site será,
aderiu à ideia e uma complementa maior rota migratória entre todos os provavelmente, trabalhado por pou-
o trabalho da outra. insetos, percorrendo de 14 a 18 mil co tempo e, esgotado, dificilmente
A Pantala carrega a visão de quilômetros em cada travessia. “Ela aparecerá em nova coleção.
“um mundo melhor”, pela qual segue é um inseto urbano e também um E qual o perfil de público?
a proposta de que o ser humano bio-indicador. Se tem libélula no rio, “Pessoas que se preocupam, além
seja mais consciente de suas ações. a água é limpa”, pontua Monyque. do conforto, com a procedência do
“Tudo o que fazemos gera impacto. A marca faz sua divulgação que consomem”, conclui Monyque.
Com a Pantala, praticamos a não e vendas por meio de um site e Quando aparecem dificuldades no
exploração animal e humana, nos das redes sociais Facebook e Ins- projeto, elas sempre se lembram de
preocupando com a qualidade de tagram. Também participa de feiras uma frase: “Não há plano B. Então,
vida dos colaboradores e também e eventos regionais, sendo possível vamos resolver e seguir trabalhan-
em gerar o menor impacto possível encontrar seus produtos em 14 pon- do”.
para a natureza”, explica Monyque. tos de revenda, nos estados de São
Os produtos possuem cabe- Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais Reciclados
dal em algodão reciclado e tecido e Goiás. As entregas são feitas para Na mesma linha de pensa-

Pantala foi inspirada em


libélula presente na água
limpa: calçados de algodão
no lugar do couro

67
TECNOLOGIA
mento, em julho de 2013 nasceu a Vegano Shoes, em no futuro, possamos continuar sendo referência em sus-
Franca-SP, um dos maiores polos calçadistas do país. tentabilidade e respeito pelo planeta”.
A empresa prioriza a utilização de matérias-primas reci- No Rio de Janeiro, o casal Riva e Valmir apostou
cladas, como tecidos, garrafas pet, lonas de caminhão e na produção local, design autoral e artesanal, desde a
câmaras de ar recolhidas em borracharias. criação até a montagem do sapato, focando principal-
Rosemir Folhas, químico e diretor da marca, fun- mente em levar conforto e praticidade ao dia a dia fe-
dou a empresa acumulando mais de dez anos de expe- minino. Depois de mais de 20 anos de experiência, eles
riência no ramo calçadista. O interesse pela preserva- também decidiram criar sapatos veganos, ecológicos e
ção do meio ambiente, unido ao desejo de propagar o com solados de borracha reciclada.
veganismo, fez com que iniciasse pesquisas para fabri- Na Riva Sandálias, todos os modelos são pensa-
car modelos alternativos, a partir de materiais que não dos, desenhados e executados a mão. Alguns não têm
fossem de origem animal. “Cada dia mais, o consumidor costura e as cores são selecionadas para alegrar e fu-
está preocupado com o que compra. O veganismo é gir do óbvio. Os calçados vêm se espalhando por todo
transparente e mostra os verdadeiros impactos do pro- o país, por venda online e presença ativa em feiras e
duto final”. eventos locais de marcas autorais e criativas.
O começo foi com a produção de modelos sim-
ples, como sapatilhas e sapatos sociais. Atualmente, Cerveja e abacaxi
pela demanda, em crescimento, é possível encontrar Na metade de 2018, chegou ao mercado mais
um leque de opções, que vão desde botas para trilhas uma novidade em calçados sustentáveis. A Öus Brasil,
até sapatos de salto. uma das principais referências nacionais em produção
Trabalhando com um canal de vendas no e-com- independente de calçados, fez surgir, em parceria com a
merce e, mesmo com um elevado preço das matérias- Whatafuck Hambugueria, de Curitiba-PR, um tênis com
-primas, a empresa consegue manter o valor dos sapa- solado derivado de cerveja.
tos bem próximo dos convencionais. “Esperamos que, Isso mesmo! O bagaço extraído do malte proces-

Pantala foi inspirada em


libélula presente na água
limpa: calçados de algodão
no lugar do couro

68
Vegano Shoes utiliza materiais
reciclados, como tecidos, garrafas
pet, lonas e câmaras de ar

sado é misturado com látex. O resultado, Acreditando que a produção de couro provoca impactos am-
de acordo com o gerente de design de bientais, por causa do curtimento químico, Carmen decidiu pesqui-
produto da Öus Brasil, Anthon Nathan, é sar uma alternativa sustentável, incluindo o uso de plantas, na te-
um solado natural, em cor e forma. O tênis, celagem tradicional. Inspirou-se, então, para criar um novo tecido
que recebeu o nome de “Ueno Whatafu- não tecido, que possa ser produzido de forma comercial a partir das
ck Imperial”, é direcionado a quem busca folhas do abacaxi, que, geralmente, são descartadas, oferecendo a
estar “descolado” com algo exclusivo, se- oportunidade de construir escala para o desenvolvimento de comu-
gundo Daniel Mocellin, sócio da rede Wha- nidades agrícolas.
tafuck.
Ainda conforme Mocellin, é neces-
sária cerca de meia tonelada de malte
para a produção do tênis e, desde o iní-
cio do projeto, foram buscadas alternativas
para que fosse rentável. Para ele, a marca
tem sido bastante valorizada pelos curiti-
banos e, mais que uma hamburgeria, se
transformou num “estilo de vida”.
Enquanto isso, a multinacional
Ananas Anam, empresa inaugurada pela
espanhola Carmen Hijosa, especialista
em couro, que, anteriormente, prestava
consultoria na indústria de exportação de
couro das Filipinas, na década de 1990, in-
veste numa fibra de abacaxi, batizada de Na Riva Sandálias, todos os modelos
Piñatex. são pensados, desenhados e
executados a mão

69
OPINIÃO

Militância geopolítica (agro)


Coriolano Xavier “trumpista” começasse a sua cruza- no abastecimento mundial de ali-
da espalhafatosa pelo mundo. mentos, até 2050. Ou seja, no agro
No mundo contemporâneo, o O GBC representa o inte- o Brasil não é mais país emergente;
multilateralismo comercial sempre resse de mais de 6,8 milhões de é avançado, líder global. E isso re-
esteve associado ao incremento empresas de todos os tamanhos, quer uma militância geopolítica in-
das transações, maior fluxo de in- dos países presentes na Coliga- tensa, também dos setores empre-
vestimentos entre países, geração ção, entre eles o Brasil, através da sariais envolvidos.
de empregos e crescimento sus- Confederação Nacional da Indústria A história mostra: rotas co-
tentável. Agora, essa visão está sob (CNI). Em julho último, a entidade merciais prósperas em geral são
ataque, principalmente por conta lançou carta aberta dirigida aos lí- construídas articulando governos e
e obra do presidente dos Estados deres do G 20, alertando sobre a empreendedores, sob a bandeira do
Unidos, justamente a potência eco- escalada do protecionismo e perda multilateralismo. Se entidades bra-
nômica escalada para zelar pela de força da cooperação multilateral sileiras do agro, por exemplo, ainda
ordem mundial do liberalismo eco- no mundo, aumentando as tensões não têm conexão direta com iniciati-
nômico, desde os idos da Segunda entre países e engessando oportu- vas como o GBC, que se tente plan-
Guerra Mundial. Tempo esquisi- nidades de prosperidade comercial. tar as sementes, ou então se esta-
to esse, em que também temos o O documento sugere sete linhas de beleça um diálogo com instituições
Brexit, a marcha da China para se ação para o G 20 em questões de nacionais que já estão nessa arena,
consolidar como potência mundial comércio mundial, pedindo a seus como o exemplo da CNI. Diálogo e
e as Bolsas e mercados de câmbio ministros de economia que se re- diplomacia empresarial criativa. Afi-
em sobe e desce a cada tuíte ou en- novem o compromisso de manter a nal, quando se fala de agronegócio
trevista de retaliação comercial. abertura dos mercados e não impor e valor agregado, vale o conceito de
O intrigante é que essas es- barreiras ao comércio. Em síntese, cadeia produtiva sob forte integra-
caramuças protecionistas talvez se- a coligação global de empresas pe- ção. Estamos na era das conexões
jam reflexo de um movimento maior, diu licença, assertivamente, para e da sinergia maximizada.
silencioso, de perda de força do sentar na mesa.
conceito de cooperação multilate- O Brasil é o terceiro maior
ral entre as maiores economias do exportador agropecuário. Lidera
planeta. Estudo da Global Business em vários produtos, vem ganhando
Coalition – GBC (Coalizão Mundial participação no mercado global. O
de Empresas), que reúne associa- nosso agro representa cerca de 7%
ções empresariais de 14 países do do comércio mundial agropecuário,
G 20 (o grupo das 20 maiores eco- 40% das exportações brasileiras e,
nomias do mundo), sugere isso em recentemente, o titular do MAPA,
números, informando que os países Ministro Blairo Maggi, falou da meta
membros do G 20 adotaram mais de brasileira de avançar para 10% das
600 medidas restritivas ao comércio exportações agropecuárias globais
nos últimos 10 anos (2008-2017), nos próximos anos, inclusive dan-
estabelecendo algum tipo de bar- do ênfase a produtos de maior valor
Coriolano Xavier é membro do Conselho Científico
reira comercial em suas economias. agregado. Além do papel hegemôni- Agro Sustentável (CCAS) e Professor do Núcleo
E isso antes mesmo que o ímpeto co previsto pela ONU para o Brasil de Estudos do Agronegócio da ESPM

70
71
72
73
OPINIÃO

Precisamos educar a sociedade


sobre o que é agronegócio
José Luiz Tejon Megido agropecuária pediu para atuarmos di- e mesmo com espaços na mídia re-
minuindo o preconceito negativo que levantes, por que a líder da bancada
Estive no último dia 16 de julho existe sobre as questões do agro. Ela do agro na Câmara Federal pede mais
com a engenheira agrônoma e depu- disse que, na própria Câmara dos De- simpatia e mais consciência?
tada Tereza Cristina, líder da bancada putados, existe muita ignorância sobre Creio que está na hora da auto-
da agropecuária na Câmara dos De- os aspectos técnicos e científicos e crítica. Vemos tantas desinformações
putados. Ela me disse que os proble- que há um grande distanciamento dos e traumas virtuais nos alimentos, be-
mas envolvendo o agronegócio e o próprios integrantes daquela casa. bidas e nas questões da segurança
governo são enormes. Ela disse que é pior no próprio agro alimentar. Deixo essa reflexão
A questão do Funrural, a nova Senado. Se ela achasse a lâmpada do para vocês.
lei dos agroquímicos, o tabelamento gênio e fizesse um pedido, seria para
do frete (só para citar os mais famo- uma ação educadora urgente sobre o
sos em andamento). Por isso, pergun- que significa o agronegócio e os seus
tei para a deputada qual seria o seu temas científicos e reguladores.
desejo, se o pudesse expressar, como Isso me foi dito nada mais nada
membro do nosso Legislativo, vivendo menos do que pela própria líder da
na Câmara Federal e no ambiente do bancada da agropecuária na Câmara
Senado. Federal, pela própria deputada Tereza
Cristina.
“Qual o seu pedido, o seu de- Mas o que as lideranças da So-
sejo, se encontrasse uma lâmpada ciedade Civil Organizada do agrone-
de Aladim para a sociedade brasi- gócio pensam disso? O que acreditam
leira, sobre o agronegócio?” estar errado?
José Luiz Tejon Megido é Conselheiro Fiscal do
A resposta dela foi um aler- Apesar de toda importância Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e
ta gigantesco. A líder da bancada da do agro na economia, na sociedade, dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM

74
75
CONTE
COM TODA
A NOSSA
ENERGIA PARA
PRODUZIR MOTORES ELÉTRICOS - SÉRIE DRN..
Economia e eficiência que já vêm de fábrica.

A SUA.
A SEW-EURODRIVE BRASIL mais uma

vez é a pioneira no mercado de açúcar e


Classe de Eficiência IR3 - abrange todas
álcool. Hoje, a série de motores elétricos as classes de rendimento e oferece um
completo sistema de economia de energia
DRN.. é a única a sair de fábrica com e acessórios opcionais - potências de 0.75
a 225 kW e carcaças de tamanhos 80 a 315.
Classe de Rendimento Premium - IR3,

que passará a ser exigida em todo o

Brasil a partir de 2019. Isso significa a

maior eficiência e economia disponíveis

no mercado para a sua linha de produção

- e sem custo adicional. É tecnologia


www.sew-eurodrive.com.br
mundial para você em todo o país. 0800 770 0496

76

Você também pode gostar