Você está na página 1de 34

CRÉDITOS

Texto: Oliver Gagnon CRÉDITOS DA VERSÃO BRASILEIRA


Capa & Artes Internas: Mauro Peroni Editores-chefes: Alexandre “Manjuba” Seba e Anesio Vargas
Mapa: Mauro Peroni Júnior
© Copyright C 2018 The Topps Company
Layout: Matt Heerdt Diagramação: Jéssica C. Sens
, Inc. Todos os direitos reservados. Desenvolvedor da Linha Shadowrun: Jason M. Hardy Tradução: Stephan Martins
Shadowrun e Matrix são marcas
comerciais e/ou marcas registradas de The Desenvolvedor dos eBooks Shadowrun: Peter M. Andrew, Agradecimentos: Bárbara Carvalho e Nelly Coelho
Topps Company, Inc., nos Estados Unidos Jr. Consultores: Lobo Lancaster, Valdir Possani, Luiz Borges G. do
e/ou outros países. Catalyst Game Labs e
a logo da Catalyst Game Labs são marcas Direção de Arte: Brent Evans Nascimento, Marcelo Vianna da Silva, Luis Felippe Nunes Fer-
registradas de InMediaRes Production, LLC reira e Ewerton Wander Duarte do Nascimento.
PLUGUE
Conectando ao VPN Plugue... >>>Login: XXXXXXXXXXXXXX
...Identificação Ludibriada >>>Insira a Senha: XXXXXXXXXXXXXX
...Chaves de Criptografia Geradas ...Scan Biométrico Confirmado
...Conexão Anônima VOCÊ ENTROU. FAÇA BOM USO.

> “O que eu curto mesmo fica acima da cintura, amoreco.” -FREDDIE TRUMPER

Boas-vindas mais uma vez ao Plugue, OMAE:


Estatísticas do Plugue
Boas-vindas mais uma vez ao Plugue, chapa; sua última conexão foi partida 5
58 usuários ativos na rede horas, 19 minutos, 49 segundos atrás

Últimas Novidades OS SE LIGAS DE HOJE


> Os maiores montes de drek > A cidade mais sombria debaixo das asas de um dragão.—Bugado
se escondem nas maiores
maletas de neoiene. —Anon
Mensagens Recebidas
Alertas Pessoais > A Matriz virou a casinha de uma série de “amigos” diferentes. [Etiqueta: 10 IAs]
> Você possui 37 novas > Às vezes, o único pagamento é manter a própria vida. [Etiqueta: A Jogada Vladivostok]
mensagens privadas.
> Você possui 19 novas > Lembre-se: Você não pede dinheiro pra sua marca. Você espera ela oferecer.
respostas às suas publicações [Etiqueta: Ases Indomáveis]
no Plugue.
> A festa está marcada para Top Novidades
começar em trinta minutos.
Quer ativar o refrescador > Três cadáveres não identificados de orks foram encontrados no local Stuffer
agora? Shack #7 de White Center. Os corpos foram encontrados sem uma marca
imediatamente visível. A Cavaleiro Errante está investigando. Link
Há 1 membro online e na sua
área. > Burien reportou sua primeira morte do Espancador de White Center. Isso
Sua pontuação rep atual: 814 representa a primeira ação do assassino fora do problemático distrito de
(67% Positiva) White Center. Link
O CÍRCULO INTERNO > A Renraku apresentou sua proposta de legisladores substitutos das Filipinas
> Data e Hora: 18 Out 2078, 400 h à Corte Corporativa. A corporação também pediu que a constituição da nação
seja modificada para permitir que os representantes selecionados sirvam de
forma vitalícia. O caso ainda não foi ouvido pelo corpo oficializante. Link
MALANDRAGEM uma espécie grande, proeminentemente repousando num fio,
com visão direta para eles. Se ele fosse um metamorfo do DISA,
era onde estaria. Bem ali, com visão direta dos dois.
Batucada esquivou do chute giratório vindo contra sua cabeça e E então, o pássaro abriu as asas e voou para longe.
caiu numa rasteira na perna do seu oponente. Ela foi agilmente — Nem era nada — ignorou Tanque, seu tom se esforçando
evitada com uma estrela aú terminando na postura negativa para insinuar que Batucada era um idiota paranoico.
baixa. Batucada previu seu oponente corretamente e estava Batucada nem sentiu raiva pelo desafio do ork feioso. Ele já
pronto para isso, plantando a planta do seu pé a meros centímet- foi violentamente lembrado de que o que estava fazendo não
ros do rosto do outro capoeirista, com um sorrisinho malicioso era jogo algum. Os riscos eram reais.
na cara. Com a pontuação feita e o fluxo partido, outro capoei- — Vamo acabar com isso — disse Batucada numa voz baixa.
rista sinalizou o mestre e entrou na roda contra o Batucada. Mas Ele clicou alguns botões no seu com-link esportivo Sony Ac-
do canto do olho, Batucada avistou um ork esguio de pé fora da tiveLife! no seu pulso, transferindo os arquivos para Tanque. —
roda de capoeira. O sorriso de Batucada desapareceu, e ele sinal- Anotei o que cê precisa. É só falar com Toneaí. Falei com ele e o
izou para o próximo da fila para tomar seu lugar, saindo da roda. bicho tá interessado na tua oferta. Quando tu encontrar ele, se
Batucada estava coberto de suor da aula de capoeira e da ele gostar da tua fuça, cê tá dentro.
roda final. Ele secou levemente suas mãos nas calças brancas Tanque assentiu, recebendo os arquivos. — Só pra ter certeza
de abadá e notou que estavam ficando sujas. Ele prometeu a si absoluta — o Toneaí tá conectado com A Voz?”
mesmo que as lavaria o quanto antes. Lena estava na dele, talvez Batucada fez uma careta. — Sim, caralho, do que tu acha que
pudesse visitá-la hoje à noite. Ele conseguiria fazê-la lavar suas a gente tá falando? — Tanque era um porre.
roupas, e enquanto estivesse lá, quem sabe o que podia acon- — Nada não — respondeu Tanque, sua voz estranha. An-
tecer ... tes que o olhar de nojo de Batucada mudasse para uma inter-
Esse pensamento doce logo saiu da sua mente quando vi- rogação, Tanque ergueu uma pistola silenciada contra o rosto de
rou e viu o ork esguio esperando por ele. Seus pensamentos Batucada e disparou. A cabeça do capoeirista quicou violentam-
vagavam bastante após se exercitar, mas isso era assunto sério. ente e ele caiu para trás. Tanque disparou outras duas balas nele.
Ele tinha que ficar focado. Conforme se aproximava do ork, as- Procurando com os cantos dos olhos por qualquer sinal de
sentindo em cumprimento, viu suspeita e ansiedade cobrindo o uma testemunha fugindo ou qualquer coisa do tipo, Tanque des-
rosto do outro homem. O ork devolveu o aceno com a cabeça, encaixou o silenciador da pistola, colocando a arma de volta no
se virou e se afastou, indicando com seu queixo que Batucada seu coldre de saque rápido e o silenciador no bolso.
deveria segui-lo. Ele olhou uma última vez para o corpo ensanguentado aos
Eles viraram a esquina de um prédio de estuque que um dia seus pés. Sua boca se retorceu numa careta apertada. Batucada
foi pintado de branco e azul-celeste, mas estava marcado com não era um cara ruim. Meio playboy cuzão, mas relativamente
buracos beges onde a camada externa de alvenaria caiu aos amigável no fundo. Só era imbecil pra caralho. Batucada se con-
pedaços. Isso parecia revelar um padrão de disparos automáti- centrou em perder tempo e ficar atrás da mulherada, já Tanque
cos aqui, disparos de escopetas ali. Todos os prédios da favela encontrou um propósito verdadeiro com o governo amazônico.
eram assim. Batucada temia o DISA que nem todo mundo, mas não enten-
— Oi, Tanque ... — chamou Batucada enquanto seu contato dia o que estava em jogo. Ele podia achar que flertar com A Voz
ork continuava a levá-lo para o beco úmido entre os prédios. Ele fosse algo divertido de se fazer, mas era sério. Muito sério. Agora
não queria entrar na sombra sem camisa e coberto de suor. — Batucada estava morto, conforme ordenado pelos superiores de
Vamo papear aqui, omae — disse ele. Tanque do DISA, o destino apropriado para qualquer um que se
— Tá bom — respondeu o ork. — Se tu tiver a informação que associe com traidores.
eu pedi, não quero ninguém sabendo disso, né? Tanque se apressou para as sombras. O arquivo de Batucada
— Tá, tá, tem ninguém aqui não. Tô com a informação, xará. o deu tudo o que precisava. Ele fez alguns arranjos com agentes
Cê tem o que eu pedi? — retrucou Batucada. Ele não gostava de campo da DISA para atacar o local onde aconteceria a reunião
de Tanque. O ork não tinha uma boa reputação. E era feio, ainda dessa noite. Certamente não duvidava a sina que aguardava
por cima. Tanque era um amiguinho de infância, mas os dois se- aqueles presentes. Os agentes de campo superiores — meta-
guiram caminhos diferentes há muito tempo, e Batucada sentia morfos, claro — rasgariam todos os presentes, exceto alguns
o vínculo injusto e invasor daquela infância forçando uma intim- que iriam capturar para interrogar antes de matar. O coração de
idade que ele não queria. Se uma das suas namoradas o visse Tanque acelerou um pouco ao pensar nisso. Ele fez um bom tra-
com o ork, seria humilhante. Ele olhou ao redor só para ter cer- balho. Talvez pudesse acompanhar os agentes durante a batida.
teza. Ele congelou. Talvez essa noite finalmente seria capaz de provar sua lealdade
— Peraí — disse ele a Tanque num sussurro abafado. Tanque e sua força, e assim o promoveriam para um agente de campo
leu bem a linguagem corporal e congelou. de fato. Tanque sorriu e sonhou enquanto caminhava. Batucada
— Que que foi? — perguntou o ork. se preocupou com um pássaro. Ele apertou tanto os olhos para
Batucada assentiu para o longe. — Lá, aquele pássaro ... tentar ver a ameaça de morte que a perdeu de vista chegando
— Onde? Cê acha que é o DISA? — perguntou o ork. bem na sua cara.
Batucada não respondeu. Apenas encarou o pássaro. Era

Malandragem 3
HISTÓRIA mano jamais teria, Hualpa deu início a grandes mudanças.
Brasil, uma nação com pouco mais de 200 milhões de al-
mas na época, foi ordenado a esvaziar seu interior. Toda
GÊNESE a população do país precisaria se mudar para o litoral.
Hualpa declarou que a zona entre o Rio de Janeiro (popu-
Metrópole, mais do que qualquer outro lugar, é uma cidade lação: cerca de 12 milhões) e São Paulo (população: 18
aprisionada por seu passado e por seu futuro. Para com- milhões) se tornaria um megacortiço e receberia o grosso
preender o local, é necessário entender de onde ele veio, dos cidadãos: a Nova Metrópole da Amazônia. E fim. Sem
e para onde está indo. Tudo começou em 28 de agosto negociações, sem protestos. Ou você se mudava, ou você
de 2034. As forças Despertas da Amazônia, lideradas pelo morria.
Grande Dragão Hualpa, declararam guerra contra o Brasil. Cerca de 150 milhões de brasileiros agora eram
Precisamos contextualizar isso. Nesse ponto, os EUCA mal refugiados, expulsos dos seus lares, seus empregos e suas
tinham dois anos de idade e ainda estavam se ajeitando. vidas. Expulsos e levados para cidades com economias na
Na Europa, uma guerra devastadora eclodia. Claro que, lama, cidades que já fracassavam em dar uma qualidade de
nesse momento, todo mundo sabia que as regras do mun- vida decente para seus cidadãos existentes. Tudo o que es-
do mudaram: a Grande Dança Fantasma estava fresca na sas pessoas conheciam, todas as suas posses, seus amigos,
mente de todo mundo. Além disso, poucos anos antes, rotinas cotidianas, as cidades que conheciam e chamavam
forças Despertas tomaram controle da Sibéria, tirando-a de lar — sumiram num piscar de olhos. Como esperado,
do estado da Rússia. Então, quando forças Despertas que isso não foi bem recebido. Hualpa compreendia perfeita-
superavam qualquer coisa já vista por qualquer um saíram mente a mente humana, claro. Ele compreendia que ha-
de todos os cantos do Brasil para lutar uma guerra sem veria resistência. Pode-se dizer que ele não se importava,
misericórdia, o resto do mundo fingiu que nem viu. Os mas não é lá verdade. Se ele realmente não se importasse,
brasileiros ficaram à própria sorte. Claro que não tinham Metrópole não existiria. O feito logístico incompreensível
chance alguma. de realojar de fato 150 milhões de pessoas era brincadeira
As Forças Armadas Brasileiras consistiam de cerca de criança perto da tarefa de criar espaço para essas pes-
de 300.000 homens e mulheres ativos, com seis vezes soas quando chegassem. A infraestrutura básica precisava
esse número em reservistas adicionais e Guarda Nacion- ser construída, geralmente a partir do zero. Casas para 150
al. Ela também incluía muitos tanques de batalha, caças, milhões de pessoas, novas estradas e ruas, hospitais, esc-
helicópteros de ataque e todos os outros motores ne- olas, esgotos, mercados, tudo foi erguido rapidamente, em
cessários de guerra. O Exército Brasileiro também era bem alguns casos da noite para o dia. E ainda assim, era outro
experiente com batalhas na selva e táticas de guerrilha. No feito aparentemente trivial perto do verdadeiro desafio:
entanto, isso não significava muita coisa quando um es- evitar um colapso econômico completo e total. Hualpa não
quadrão de dragões adultos (cuja natureza mágica ainda queria destruir o Brasil. Ele queria criar a Amazônia.
não é bem compreendida) surge do nada sem ser detec- As finanças do Brasil já não eram lá tudo isso. O novo
tado e destrói seu quartel. Ou quando o chão onde você governo Desperto ignorou a dívida nacional, já que o Brasil
está — a floresta que cerca você, o ar que você respira — é não existia mais; essa agora era a Amazônia. Chame do que
o domínio de espíritos que suas armas mal podem ferir, quiser, mas os bancos de empréstimo internacionais perd-
mas que podem destruir batalhões inteiros num instante. eram muito dinheiro. Noutras circunstâncias, essa seria
Não há fronte; não há linhas. As linhas de suprimentos não uma passagem só de ida para o status de país de terceiro
podiam ser protegidas. Não havia nada para enfrentar, mas mundo.
você é atacado por todos os lados. Em vez disso, alimentado pelo seu intelecto dracônico
Dois meses após o início das hostilidades, o governo vasto e inigualável, Hualpa liderou o maior feito de
brasileiro se rendeu. E nem sabiam para o quê. A propa- criação de nações do mundo e construiu Metrópole e
ganda amazônica obviamente trata isso como uma grande a Amazônia. Sem reservas de moeda estrangeira, uma
liberação. E, para falar a verdade, o governo brasileiro da economia pararia do nada assim que a nação do inter-
época não era lá muito amado. A maioria dos brasileiros ior parasse de trabalhar para se mudar, e o litoral parasse
vivia na pobreza, muitos em completa miséria. A dispari- de trabalhar para acomodar a chegada, e assim muitos
dade entre os ricos e os pobres era estonteante. Mas existe juravam que a nação nova iria fracassar. Mas Hualpa gar-
um mundo de diferença entre um governo corrupto cheio antiu o financiamento — muito dele através dos tesouros
de gananciosos desgraçados e um monstro lagarto gigante pessoais da liderança dracônica, através de uma barganha
que passou os últimos meses comendo os soldados da sua sagaz. A eficiência de trabalho foi aumentada grande-
nação. As pessoas choravam nas ruas e abraçavam entes mente por feitos mágicos incríveis. Dentro de dezoito
queridos, aguardando suas sinas. meses, Metrópole (e por consequência a Amazônia) es-
Mas Hualpa não matou e destruiu tudo, muito a des- tava surgindo das cinzas do Brasil. A infraestrutura veio
gosto do seu amigo Sirrurg. Possuindo um intelecto muito do nada, os empregos surgiram, e os lares brotaram.
mais poderoso e eficiente do que qualquer político hu-

HISTÓRIA 4

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
> Segura as teta aí. Se tu fosse um engenheiro de software
da Matriz, e Hualpa dissesse que agora tem muita vaga pra
AZTLAN
eletricista, isso te ajuda como? Como já foi mencionado, o
A mera existência da Amazônia é uma afronta para Azt-
Brasil era mó lugar de desigualdade social, o que significa
lan e vice-versa. Dizem que a única razão para a existência
que uma penca daquela gente realojada eram trabalhadores
da Amazônia é impedir a expansão Aztlan para o sul. De
sem especialização, ou com sérias limitações. E isso limitava
fato, se Hualpa não tivesse criado o país, certamente toda
o que podiam fazer; era o mesmo com os especialistas. Criar
a América do Sul seria parte do império Aztlan. As duas
emprego é uma coisa. Criar os empregos certos e fazer tudo
nações só existem de fato como inimigas, uma antítese
ser acessível pras pessoas certas é outra. A verdade é que
uma da outra.
dezenas de milhares de famílias caíram na pobreza porque
FPor muito tempo, as duas nações se enfrentaram numa
não achavam empregos que precisavam, e dezenas de
guerra fria que esquentava de vez enquanto, depois es-
milhares de negócios em ascensão foram pro saco porque
friava de novo. Elas se enfrentavam através de operações
não conseguiam a força de trabalho que precisavam.
secretas e representantes, dando suporte ao inimigo do
> Axis Mundi
seu inimigo. Mas em 2072, tudo mudou e a guerra aberta
> Por isso que o modelo de arcologia foi tão privilegiado
eclodiu, nominalmente sobre a cidade de Bogotá. Os dois
durante a construção da Metrópole, especialmente no novo
lados se enfrentaram arduamente, mas no fim das contas,
distrito do Centro. É um segredinho sujo da incepção da
a Amazônia perdeu. Bogotá agora é oficialmente uma ci-
Metrópole, mas parecido com Hong Kong ou Manhattan,
dade Aztlan, e a fronteira amazônica foi recuada um belo
Metrópole é quase toda privada. Hualpa fez milagre com
tanto. No fim das contas, para a vida cotidiana amazônica,
a graninha que tinha, mas nem isso era capaz de construir
isso não importa muito. A perda da moral e a perda da con-
uma megacidade de mais de 100 milhões de pessoas. Cê
fiança dos amazônicos machucou um pouco mais. Mas os
precisa de trilhões de neoienes pra fazer isso. A Amazônia
maiores golpes foram a derrota de Sirrurg e o subsequente
não tinha escolha senão privatizar e vender terras pra quem isolamento de Hualpa, junto dos seus principais adjuntos
prometesse construir nelas. dracônicos: Marcela Ruiz, a principal diplomata da nação,
> Sounder e Maria Locasin, a tradutora pessoal de Hualpa e figura
política importante. Em essência, a Amazônia perdeu sua
> Se isso soa como o sonho molhado de toda corporação, liderança superior
tu tem razão. Tinham milhões de pessoas desesperadas Por mais que o estado aparente estar funcionando como
pra conseguir casas boas pras suas famílias, a qualquer normal, o desaparecimento do líder do país — uma figura
custo. Os licitantes mais baixos conseguiram os empregos paterna espiritual de liderança para muitos — foi um golpe
e habitações, se endividando (junto das suas famílias) por forte e confuso para os amazônicos. Ninguém na Amazônia
gerações. Escravidão de aluguel bem-sucedida, bem no acreditava que Aztlan vai parar aí, e muitos se perguntam
coração da nação supostamente anticorporativa e pró-povo se as forças amazônicas serão capazes de impedi-los. Isso
da Amazônia. Não cai no hype não criou uma coberta de medo e confusão na cidade. Mesmo
> Pôneis com o assunto preferido das conversas sendo o futebol, as
teorias de conspiração sobre Aztlan e os rumores loucos
Esses feitos fizeram Hualpa ser muito querido pelos da nação estão logo atrás. As reações variam muito. Muitas
seus novos servos. As coisas estavam notavelmente dif- pessoas são patriotas, e o alistamento nas forças armadas
erentes. A poluição era algo inimaginável. Empresas de aumentou um pouco. Muitos estão incertos, mas no fim
indústrias pesadas e setores primários tiveram que ad- das contas, apáticos. Mas do outro lado do espectro, mui-
otar uma mentalidade de adaptar-ou-morrer (muitas tos se perguntam se a vida sob o domínio Aztlan seria pior
vezes literalmente) para fazer negócios, desenvolvendo do que o dos líderes inumanos de Manaus. Muitos creem
e adotando tecnologias ecológicas com pressa. Muito que agora é o momento de destronar os dragões e tomar
foi importado das recém criadas NANA e nações élficas, o Brasil de volta. Metrópole é a origem de toda essa ativi-
que tinham um pontapé inicial de técnicas e tecnologias dade conflitante.
ecológicas. Ainda assim, nenhuma dessas novas terras
tinham a pressão de grandes dragões soprando nas suas > Discutir política em Metrópole é um treco perigoso. Antes de
nucas, e assim a Amazônia foi pioneira em muitas in- tudo, todo mundo adota uma postura patriota e pró-governo
ovações. Alimentada pela necessidade e auxiliada por em público, não importa no que acreditem. Porque o DISA
Hualpa (que precisava que isso tivesse sucesso), com o caça traidores. Apesar da maioria dos amazônicos realmente
combustível do trabalho pesado e mais do que um mero amar seu país e o que ele representa, tem uma porção
toque de magia dos seus suseranos Despertos, Metrópole significante despejando descontentamento e um desejo de
foi construída. mudança, suas simpatias firmemente alinhadas com grupos
extremistas como A Voz. O DISA pode reprimir o quanto quiser,
mas as pessoas sempre conseguem se reunir e se comunicar.

Aztlan 5

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
TEMPERATURA
UM VISLUMBRE Metrópole costuma ser um lugar confortável em termos de
População: 188.736.519 temperatura ao longo do ano (entre dez e vinte graus no inverno, e
Humana: 31% acima dos vinte Celsius no verão), sendo tratada como um ambiente
Élfica: 16% Leve para testes de Fadiga. Ainda assim, Metrópole costuma ser
Anã: 14% muito úmida e abafada na maior parte do tempo, com pelo menos
Ork: 25% sessenta por cento e até cem por cento de umidade relativa na
Troll: 6% maior parte do tempo, geralmente contando como um ambiente de
Outros: 8% umidade Alta. Assim, de acordo com as regras de Fadiga (p. 172,
SR5, e p. 146, Tiro, Porrada & Bomba), personagens devem realizar
Renda Per Capita: 13.786 ¥ um teste de Fadiga a cada 3 horas graças ao calor e umidade
desSINados Estimados: 8% elevada e, caso os personagens não se hidratem o suficiente, um
População abaixo da linha da pobreza: 26% primeiro teste de Fadiga de Desidratação após 4 horas com testes
Afiliação Corporativa: 12% subsequentes a cada 3 horas sob condições não extenuantes.

> Pra quem não se ligou, são mais de 15 milhões de “outros”


seres. Tamos falando de naga, centauros, metamorfos de
todos os tipos (o maior dos subgrupos, fácil), dracoformas,
sasquatches, espíritos livres, e uma cacetada de outras ENTRANDO E
SAINDO
coisas. A categoria “outros” só contém o tipo de “outros”
mais ou menos reconhecido globalmente. Se dependesse
da Amazônia, eles contariam mais um monte de coisa nos
números populacionais. Viajar para a Amazônia não requer um visto (para a maioria
> 2XL dos países). A principal exceção a isso são, sem surpresa al-
guma, os aztlaners. Mesmo com aztlaners não sendo bani-
dos abertamente de entrar no país, há uma bela papelada
As sociedades secretas e duplos sentidos são abundantes envolvida, e apenas um número limitado deles é permitido
nas ruas da Amazônia, e determinar o posicionamento das anualmente. Nem precisa dizer que qualquer incursor das
pessoas com quem você negocia é importante. Determinar o sombras querendo entrar no país deva usar qualquer coisa
seu posicionamento também é importante. Ele vai brotar em exceto um SIN da Aztechnology ou aztlaner, e deve fazer
algum momento. Você vai precisar escolher um lado seu melhor para não parecer aztlaner nem falar com so-
> Kay Sta. Irregular taque de Aztlan.
> Sim e não, né. A Amazônia não tá só sendo paranoica aqui,

METRÓPOLE
Aztlan realmente tem redes de espionagem dentro da cidade.
Se Aztlan ou a Aztechnology te deverem um favor, é bem capaz
de você conseguir que eles te arranjem contatos com a rede
Com quase 200 milhões de almas, Metrópole é melhor clandestina pra te botar na cidade. Talvez peçam pra você
considerada não como uma, mas sim três grandes cidades. levar algo pros agentes deles (aproveitar a viagem e tal) como
Quando as forças de Hualpa decidiram que o interior do equipamentos, informações vitais, etc., mas é uma opção que
país não era para o povo, Rio de Janeiro e São Paulo já eram até pode valer a pena. Só não podem te pegar na entrada.
tocas entupidas com desigualdade social com mais de > Marcos
10 milhões de habitantes cada. Ainda sobravam cerca de
180 milhões de pessoas sem casas e empregos. Por mais Metrópole é atendida por três grandes aeroportos inter-
que tanto Rio quanto São Paulo tenham sido aprimoradas nacionais. Os viajantes podem pousar em Rio de Janeiro,
para criar mais espaço habitacional, a grande maioria dos São Paulo ou no Centro. São Paulo é, de longe, o maior e
brasileiros acabaram na área entre as duas metrópoles, uma mais movimentado dos três. Existem outros aeroportos
área conhecida apenas como o Centro. Cada uma dessas menores que recebem voos regionais, mas que recebem
grandes cidades é um mundo de diversidade cultural e amal- o mesmo tipo de atenção. Seja como for, desde que você
gamação de subdistritos; cada um tendo seu próprio sabor e não seja aztlaner, a Amazônia não liga muito para a sua
sentido de viver. Ainda assim, seria desnecessariamente lon- chegada no país.
go enumerar cada bairro e vizinhança, já que isso é voltado Vir do interior é bem difícil. A Amazônia é uma selva
para incursores das sombras. Então eu vou dar um senso geral gigantesca de fauna e flora com tendências homicidas.
da cultura dominante de cada subcidade, assim como indicar Qualquer um que pense em atravessar a fronteira de uma
sua atenção para os locais mais interessantes de cada área. nação vizinha e seguir por terra dificilmente será encon-

Metrópole 6

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
Metrópole 7

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
trado vivo, a não ser que fique junto das pouquíssimas
rotas bem estabelecidas ou receba ajuda de guias locais. > É bom saber disso se você tá no negócio de extração de
Alguns desses guias são de meta-tipos que não respeitam talentos. Os VIPs raramente tão realmente vulneráveis. Eles
neoienes, então é bom ter criatividade no que oferecer em vivem em enclaves protegidos, vão pro trabalho por tráfego
troca de ajuda. aéreo, e trabalham em instalações protegidas. Eles vão usar
Além de chegar por ar, a chegada por barco também um helicóptero mesmo só pra ir pra balada.
é uma boa opção, especialmente se precisar trazer equi- > Eva Cua
pamento mais pesado e/ou precisa vir de forma comple-
tamente ilegal (e SINs falsos não sejam uma opção). Em > Dificuldade pra uns, oportunidade pra hackers ou fusores
tais circunstâncias, pode ser tentador considerar entrar no > Fusor X
Cessna ou T-bird de contrabandistas, mas os amazônicos
estão de olho nas intrusões de Aztlan, e isso vai ser pareci- > Sendo Metrópole um mercado tão enorme e exigente de viagem
do o suficiente. A boa notícia é que a Amazônia tem pou- aérea, as fabricantes produzem veículos com muito mais
cos locais com baterias antiaéreas para te derrubar. A má badulaques avançados do que você pode estar acostumado,
notícia é que preferem usar dragões, wyverns e espíritos com muitas dessas engenhocas sendo funcionalidades de
para esse tipo de coisa. segurança. Não vai achando que por ser hacker ou fusor que
Isso significa que vir pelo oceano pode ser a melhor pode tomar os controles que o desafio acaba aí.
opção. O litoral é obviamente patrulhado, mas existem > SenseiPerigoZo
bons contrabandistas que podem ser capazes de te levar
terra adentro sem muita dificuldade. É possível discreta- > Não dá pra esquecer das criaturas voadoras. Essas não dá pra
mente aportar no litoral fora do cortiço de Metrópole e hackear. Nunca vi um VIP que vai pro trabalho montando um
seguir a pé no resto do caminho, ou tentar chegar direta- dragão, mas o dragão em si (ou qualquer número de criaturas
mente na cidade, apesar disso chamar mais atenção e exi- voadoras sencientes) pode ser seu alvo de extração.
gir subornos extras para te botar para dentro. > Pedra
Se locomover pela cidade pode ser complexo ou não.
Distâncias longas como por exemplo os polos São Paulo > Ia ser épico pra caralho ver um exec voando pro trabalho
e Rio de Janeiro são bem rápidas, na verdade. Os ricos e montado num dragão.
importantes têm acesso a helicópteros, LAVs, ou jatinhos > Zuer-0!
entre os vários setores. Para o resto, há uma ferrovia de alta

CULTURA
velocidade que conecta os vários distritos ao longo de um
eixo reto que corta toda a Metrópole. Também há rodovias
conectando todos os distritos que são muito boas, mas du-
rante a noite se tornam território de go-gangues, então as Cultura é uma das coisas que Metrópole tem de sobra.
coisas se complicam Muito mudou nos quarenta anos desde a derrubada do
Brasil remoldado na Amazônia, mas muita coisa perma-
> Duas formas de lidar com essas gangues, dependendo do que nece. Primeiro de tudo, independente do que acontecer
elas querem. Uma opção é pagar, o que funciona melhor se com eles, os amazônicos sempre serão fãs de futebol (con-
quiserem essa grana. Mas pra gangues querendo treta e que hecido como “soccer” na América do Norte). Ele perma-
curtem a ideia de aterrorizar motoristas, bom, é só tu mostrar nece como uma obsessão nacional. Existem vários estádios
que mexer com incursores das sombras é uma má ideia que enormes, incluindo o gigantesco Novo Maracanã com sua
eles vão vazar rapidinho. lotação de meio milhão de pessoas, e incontáveis campos
> Baladeiro comunitários menores. Claro que, para quase toda criança,
qualquer lugar é um campinho de futebol. Se quiser fazer
A ironia da logística amazônica fica aparente após uma conexões, é bom se ligar no futebol. Se puder falar com
curta distância trafegada. O tráfego entre subcidades é feito propriedade, todo boteco da cidade tem gente que vai
por estradas principais, mas tirando isso, é um pesadelo. As querer falar com você.
ruas estão amontoadas com destroços, pessoas e barracos A outra tradição mundialmente famosa é, é claro, o Car-
improvisados das pessoas em situação de rua. Ruas relati- naval. Ele fica maior a cada ano. O Carnaval ocorre logo
vamente limpas estão em perpétuo engarrafamento. Isso antes do período da Quaresma cristã, o que costuma acon-
é piorado pela tendência dos amazônicos de estacionar tecer tipicamente em fevereiro (lembrando que a Amazônia
seus carros em qualquer lugar — e em fila dupla, ainda por está no Hemisfério Sul, o que significa que fevereiro fica
cima. Existe um GradeGuia (chamado de ViaMetro aqui), no meio do verão, inverno para quem está no hemisfério
mas é essencialmente inútil. Mais uma vez, os ricos se lo- norte). Essa loucura eufórica de festa, dança, fantasias,
comovem pela cidade através de tráfego aéreo. Metrópole cores, sons e luzes é algo genuinamente impressionante.
possui mais helicópteros particulares do que qualquer ci- Até as criaturas Despertas entraram na onda, exibindo suas
dade no mundo. plumagens e pelagens únicas. É incrível ver uma serpente

CULTURA 8

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
emplumada normalmente soturna se soltar e se mover com tem uma população maior do que a maioria dos países. A
graça para exibir sua plumagem brilhante e multicolorida. diversidade cultural é enorme, e existem milhões de cidadãos
corporativos mais próximos da sua cultura corporativa do
> O Carnaval não é só lazer; também é negócios. É uma indústria que da cidade que seus corpos por acaso habitam. Não vá
multibilionária que atrai todos os figurões da indústria do se atrasar pro encontro com uma Johnson da MTC porque tu
entretenimento. E onde existem bilhões de neoienes, existem acha que ela é uma carioca relaxada. Ela não é.
incursões nas sombras. Espionagem e sabotagem são bem
> Dr. Spin
favoritas, assim como truques sujos durante o processo de

A ECONOMIA
negociação de acordos de exclusividade e pá.
> Mister Bonds

> Mesmo se ficar longe dessa linha de trabalho, se tiver uns


Como já foi repetido algumas vezes, Metrópole é um
chapas nas escolas de samba das favelas, eles podem te pedir
megacortiço incrivelmente vasto, maior do que muitos
uns favores nessa época do ano. Espionagem e sabotagem
países europeus. A produção econômica de Metrópole é
entre escolas de samba rivais são bem comuns, e podem ficar
comparável ao PIB de muitas nações. É um fato bem con-
bem sujas. Cê pode achar que é de zoeira, mas as gangues
hecido que a Amazônia é um tanto arisca com exploração
também se envolvem, e egos machucados podem levar a
natural, mas muitos não entendem isso. Em muitos países,
contendas e derramamento de sangue. Certamente rola um
as corporações adoram pintar a Amazônia como uma selva
submundo escuso no Carnaval. O tipo de “escuso” menos
gigante onde humanos são mortos na hora por derrubar
divertido, não o legal.
uma árvore. Os fatos não são tão simples.
> 2XL
O governo Desperto da Amazônia certamente toma
ações afirmativas em favor do meio-ambiente. Em verdade,
Tirando essas constantes, os amazônicos são bem dif- o problema é que a atividade meta-humana tem sido ig-
erentes dos seus pais e avós brasileiros. Há uma certa po- norada por tempo demais, ao ponto onde o conceito de
larização social sobre o que a Amazônia representa, o que alcançar um equilíbrio natural entre nossas necessidades
significa a preservação do ambiente e questões Despertas. e o meio-ambiente — essencialmente práticas sustentáveis
Essa polarização está diretamente relacionada com onde — é um conceito há muito esquecido. Ou seja, não é que
sua própria família acabou no programa de realocação do a Amazônia acredite fundamentalmente que todos os
governo. Se as coisas foram bem e você acabou na con- humanos devam ser erradicados para termos um planeta
fortável classe média, então provavelmente acredita na luta verde e novo em folha — é simplesmente que, por en-
da Amazônia na liderança pela limpeza ambiental do pla- quanto, o equilíbrio precisa ser voltado mais para o ambi-
neta, na proteção da Mãe Natureza, e na inclusão de cria- ente para contrabalancear as décadas de abuso que a Ga-
turas sencientes na sociedade. Se, no entanto, sua família iasfera sofreu.
perdeu tudo e você vive numa favela e é explorado num Como tanto, a necessidade pela indústria meta-humana
trabalho de arruinar corpo e alma, de setenta horas por se- é compreendido. A atividade de setor primário — mineração,
mana com menos que um salário mínimo, é provável que produção de lenha, agricultura — é necessária. No entanto,
você odeie a Amazônia com uma paixão fulminante. Talvez isso não quer dizer que processos altamente destrutivos
você odeie mais a Amazônia do que odeie Aztlan, e isso como mineração a céu aberto sejam a resposta. Portanto,
significa muito. Como poderá ver, essa mazela interna é é um fato de que muito da economia da Amazônia vem de
uma parte importante de Metrópole que pode afetar sev- coleta de recursos. Minério de ferro, bauxita e estanho es-
eramente o futuro da cidade e sua estadia aqui. tão no topo da lista, minerados por corporações que man-
Apesar de tudo, os cidadãos de Metrópole permane- datoriamente devem ter sede na Metrópole.
cem tranquilos e festivos. As pessoas saem, conversam e Essa é uma exigência bem comum na Amazônia. As
socializam. Elas festejam, dançam, dançam mais ainda, e leis ambientais da Amazônia são excepcionalmente es-
festejam ainda mais. Nada é tão sério assim. A maioria das tritas. Para assegurar que as corporações as obedeçam,
coisas pode ser consertada amanhã. muitas indústrias devem, por lei, ser operadas por uma
corporação registrada na Amazônia, com pelo menos
> Uma coisa que não mudou é o “horário brasileiro”. Nada cinquenta e um por cento de posse de amazônicos. Além
começa no horário em Metrópole. Qualquer tipo de reunião disso, essas empresas devem manter escritórios físicos em
ou evento marcado vai atrasar, geralmente entre uma a três Metrópole. A cidade de Metrópole da Amazônia possui um
horas. Ao preparar um horário marcado com um contato, só status especial dentro do país, servindo como uma forma
pense que está levando um bolo após três horas passarem. de zona econômica especial. O custo de fazer negócios na
Leve algo pra ler. Amazônia é considerado como um dos mais altos do mun-
> Cosmo do — exceto em Metrópole, onde está no nível de paraísos
corporativos como Hong Kong e Manhattan. Desde que as
> Cuidado com essa generalização e estereotipação aí. Metrópole regras básicas sejam obedecidas, a Amazônia pouco inter-

A ECONOMIA 9

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
fere diretamente nos assuntos das corporações. no mundo mais faminta por incursores das sombras do
que a indústria aeroespacial, onde cada contrato indi-
> Sobre a regra de cinquenta e um por cento de posse amazônica vidual chega aos bilhões de neoienes. Espionagem,
— nem se preocupe muito com isso. Não significa que você sabotagem, roubo de protótipos, é o ar dos incursores
não vá ver a sua favorita entre as Dez Megas (quer dizer, das sombras, e voa para todos os lados de Metrópole.
tirando a Aztechnology). Só significa que fazem negócios Em seguida vem as irmãs sociopatas, as indústrias
com a “Ares Amazônia” em vez da “Ares”. A megacorporação farmacêutica e cosmética. Mais uma vez, mesmo com a
matriz costuma ter posse dos quarenta e nove por cento, alta regulamentação de práticas de coleta de recursos,
com uma rede de investidores locais — bancos, corporações não estamos falando de uma proibição da exploração
de propriedades, etc. — tendo posse majoritária. Esses do Amazonas Com milhares de plantas conhecidas,
investidores, por sua vez, costumam indiretamente ser de Despertas ou não, e novas drogas com propriedad-
posse das megacorps matrizes. es quase milagrosas sendo descobertas todos os dias,
> Mister Bonds a Amazônia é a capital da indústria de drogas. E onde
existem farmacêuticos, há a mancha escura da vaidade
> Tá, hã, e pra que a regra então? meta-humana, os cosméticos. Plantas para firmar a pele,
> Correnteira embelezar por mais tempo e deixar peidos com cheiro
de morango, tudo o que você pode pensar. Essas duas
> Pra ter um módico de compra regional, e isso elimina as indústrias têm a mesma mentalidade traiçoeira nos
cláusulas de extraterritorialidade que as megas têm noutros negócios. Enfrentar seus rivais tem sido a norma desde
lugares. Pra cumprir as regras, as megacorps precisam ter que surgiram. Mesmo dentro do mundo desalmado
cidadãos amazônicos envolvidos em algum lugar dela. Esses
das corporações, essas duas indústrias são conhecidas
investidores amazônicos acabam ficando podres de ricos. Isso
por serem extremas. Elas assassinam funcionários, en-
mantém parte do dinheiro aqui e, em teoria, esses cidadãos
venenam produtos destinados para o público para ger-
terão os valores amazônicos em mente, agindo de forma para
ar uma imagem ruim, destroem pesquisas sobre curas
regular a ganância da corporação. Na prática, acho que é
prestes a ajudar milhões de pessoas, etc. O salário é
melhor que nada, mas não muito.
bom, mas são necessários incursores das sombras espe-
> Mister Bonds
ciais de coração podre para entrar nessa.
O grosso da economia de Metrópole está no mercado
Por fim, é válido discutir o enorme setor de serviços
simples mas constante de têxteis, vestuário, calçados, esse
da Matriz de Metrópole, quase totalmente situado no
tipo de coisa, junto com transformação mineral, fabricando
lado de São Paulo. Metrópole é um dos principais prove-
aço, cimento, plastiaço, etc. Não é nada atraente, mas paga
dores de serviços da Matriz do mundo. Isso varia desde
as contas, dando empregos aos milhões de trabalhadores
empresas de desenvolvimento de software de todos os
não qualificados e semiqualificados do megacortiço.
tipos e tamanhos, até serviços de infraestrutura e espe-
cialistas de segurança. A maioria das pessoas nunca vai
> Tamos falando de alguns dos piores centros de trabalho
escravo do mundo, onde o trabalho infantil rola solto. Esse
saber nem se importar, mas na maior parte do tempo,
é o inferno diário de milhões de amazônicos, se rendendo às quando estão na Matriz, as centrais que estão visitando
condições deploráveis só pra receber neoienes suficiente pra na verdade são servidores executados e mantidos em
sobreviver. Metrópole. O software dentro da sua arma inteligente
> Marcos muito provavelmente foi programado em Metrópole
Na perspectiva de incursor das sombras, isso significa
Para a sorte dos incursores das sombras, tirando essas muito. A Matriz sempre será importante, e por isso as
indústrias de sofrência diária, Metrópole é um viveiro oportunidades variam desde extrair gênios importantes
de indústrias conhecidas por empregar os ativos de até viagens à cidade para facilitar hacks de centrais com
negação plausível para servir suas práticas questionáveis conexão direta, e inclusive os bons e velhos roubos de
de negócios. Primeiro temos a indústria aeroespacial. projetos de tecnologia de ponta. Além disso, por outro
Antes da revolta amazônica, o Brasil era líder mundial lado, Metrópole possui uma grande e próspera comuni-
na indústria aeroespacial graças à Embraer. A Aztech- dade hacker. Os tecnomantes são mais comuns por aqui,
nology, na época em que ainda era a ORO, comprou a já que a tolerância natural amazônica por todas as coisas
Embraer, e as coisas ficaram tensas quando os dragões Despertas e incompreensíveis significa que há bem
tomaram conta. Com muita gente capaz mas nenhum menos perseguição do que em qualquer outro lugar. As
empregador de verdade, outras corporações perceber- corporações ainda veem tecnomantes como se fossem
am e trouxeram suas subsidiárias aeroespaciais. Até a os Quatro Cavaleiros, mas a gente cotidiana não os teme
Embraer acabou voltando, apesar da Amazônia ter gar- tanto.
antido que uma rede de posse convoluta mantivesse a
Aztechnology bem longe. Seja como for, não há indústria

A ECONOMIA 10

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
BAIRROS DOENÇAS EM METRÓPOLE
RIO DE JANEIRO As favelas esquecidas da Metrópole são lar de doenças e
enfermidades consideradas inexistentes no mundo moderno. Por
Se tudo o que você imagina do Rio é sol, praias e biquínis, é mais que patógenos raros e exóticos como os cogumelos Despertos
possível te perdoar. A verdade não está tão distante. O Rio Cryptococcus Metaformans (Balas e Bandagens, p. 20) sejam um
de Janeiro continua sendo uma área voltada para o turismo, perigo constante, doenças simples como tifoide e cólera, graças ao
trazendo para a Amazônia uma boa grana e boa imagem. péssimo saneamento, são uma ameaça bem mais comuns. Mestres
Os cariocas, como são chamados os residentes do Rio, são podem utilizar as estatísticas abaixo para representar esses tipos
“obviamente” festeiros sempre alegres.
de infecções bacterianas:
Ao longo do litoral, e cerca de seis ou sete quarteirões
adentro a partir dele, o Rio é composto ou de arranha-céus
Infecção Bacteriana
de vidro ou arquitetura colonial histórica. É uma mistura de
condomínios e hotéis voltados para corporações. Por todo Vetor: Ingestão (comida ou água contaminada)
o mundo, poucas coisas mantém um zangão corporativo Velocidade: 1 dia (30)
tão feliz quanto uma viagem com tudo pago para um dos Penetração: 0
resorts litorâneos do Rio. Milhares de recursos corporativos Toxicidade: 3
essenciais, como cientistas excêntricos, engenheiros bril- Natureza: Bacteriana
hantes, gurus comerciais singulares e gerentes promissores Efeitos: Náusea, Dano de Atordoamento
viajam ao Rio para tirar férias. O Rio é um dos mercados Um termo guarda-chuva para várias infecções bacterianas
mais prósperos em termos de trabalho de extração, seja do que se pode pegar através de péssimas condições sanitárias,
lado que extrai ou do lado da escolta de segurança. A res- geralmente ao ingerir comida ou água que entrou em contato com
erva de talentos locais não é o bastante para a demanda, e as fezes de outro indivíduo infectado. A personagem infectada deve
Srs. Johnsons estão sempre trazendo equipes estrangeiras rolar um teste de Resistência a Toxinas todos os dias por trinta dias.
para fazer trabalhos dos dois lados do muro. Alguns gru-
A maioria dos kits médicos (Nível 2 e superior) contém antibióticos
pos se dão tão bem aqui que eles nunca vão embora. A
que podem ser usados para tratar a infecção. O tratamento numa
cena está tão desesperada por talento que um grupo pode
trabalhar para extrair um VIP das garras de um empregador instalação médica apropriada, assim como certos feitiços, também
numa semana, apenas para na seguinte serem contratados podem ajudar a impedir a infecção. Sob essas condições, a infecção
para reextrair essa mesma pessoa. O curioso é que as corps para imediatamente; a personagem só precisa repousar para curar
não guardam rancor. As pessoas fluem tanto e com tanta qualquer dano sofrido. Se, no entanto, a personagem permanecer
rapidez entre as corps que a extração da semana passada já sem os devidos cuidados, as coisas podem ficar feias rapidinho. Sem
é história antiga até que a próxima leva de viajantes chegue os devidos cuidados, a personagem fica incapaz de curar qualquer
na semana seguinte. dano de Atordoamento enquanto infectada. O dano de Atordoamento
sofrido graças à Toxicidade dessa infecção continuará a acumular,
> Meio exagerado isso aí. É verdade que o mercado não guarda seguindo para excesso Físico até que trinta dias tenham se passado
rancor — se for profissional e tiver educação. Se fizer bagunça, ou a personagem morrer, o que vier primeiro
cê não vai mais trabalhar por muito tempo no Rio. Além
disso, uns valem mais que os outros. Dá pra ficar trocando
de cientista o mês inteiro, mas assim que chega aquela mina
local na praia para pousar quando cansarem da gentinha e
insubstituível, cê percebe que o mercadinho fofinho do
precisarem dar uma relaxada. Essa pequena comunidade
Rio é uma espada de dois gumes. Não vai faltar equipe de
da elite super-rica financia seu próprio segmento de ativi-
recuperação atrás da sua marca, e todos os teus amigos vão te
dade das sombras. As regras e leis não se aplicam para
dedar.
essa gente. Elas precisam de pessoas engenhosas que não
> Eva Cua
deixam coisinhas ínfimas como a lei entrar no seu camin-
ho. Elas precisam de pessoas que se sequestrem, se assas-
> Acho que alguém precisa de amigos melhores.
> Correnteira sinem, roubem coisas umas das outras e Fantasma sei lá o
que essas cabeças sociopatas conseguem pensar. Se tiver
Mas nem todas as suas marcas vão ser estrangeiras. alguns escrúpulos morais sobre aceitar trabalho de gente
Todos sabemos daquela estatística de um por cento de que perdeu qualquer tipo de bússola moral, o que eu posso
pessoas sendo super-ricas, né? Digamos que, numa cidade dizer é: o pagamento é bom, e você vai ter uma exposição
de 200 milhões, isso se traduza em impressionantes duas a um luxo que nunca nem imaginou. O aviso foi dado.
milhões de pessoas. Por mais que essa crosta da elite de
Metrópole esteja por todo o lugar, a maioria dela quer um > O Leblon é um daqueles bairros que atrai a maioria desses

BAIRROS 11

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
super-ricos. Mas sente a dica: lá existe mais pessoal de proteção favelas aglomeradas de Metrópole.
corpsec de VIP por metro quadrado do que em qualquer outro > Am-mut
lugar da cidade. Eles têm uma defesa proativa e conseguem
avistar um incursor das sombras pronto prum trabalho a dois O peso absurdo da humanidade vivendo em tais
quilômetros de distância. Se tiver negócios no Leblon, fique condições acaba gerando perigosas infecções. Existem
fora até o último minuto. Caso contrário, se ferrou. Sim, isso doenças horríveis que se proliferam em poças de dejetos e
dificulta bem mais o preparo daquela incursão; mas você não condições sanitárias dignas de lixões. Nenhuma vacina do
achava que o pagamento era bom assim porque ia ser fácil, mundo pode te proteger de algumas das coisas fermentan-
né? do por lá. Parece que a taxa de mortalidade infantil é uma
> Fianchetto das maiores do mundo nessas favelas. Talvez, sem surpresa
alguma, alguns grupos ecoterroristas radicais usem essas
No entanto, basta seguir mais adentro e além do que é o favelas da Metrópole como foco da sua raiva e exemplo
Rio para encontrar favelas suburbanas que se espalham por de porquê a humanidade deve ser destruída. É o saco de
todos os lados. O Rio possui um terreno cheio de morros, pancadas preferido do GreenWar, um dos grupos eco-
e as casas são construídas umas juntas às outras, inexor- terroristas radicais mais perigosos do mundo. O grupo é
avelmente subindo até que o terreno fique íngreme demais tido como responsável pela morte de dezenas de milhares
para construir qualquer coisa. Mas deixa eu te contar, vai de pessoas até o momento. Mas mesmo com alguns dos
demorar bastante até que os cariocas admitam derrota seus planos bem-sucedidos — conseguindo envenenar viz-
da engenharia civil contra os morros. As pessoas vão se inhanças inteiras e matar distritos cheios de famílias — o
amontoar nas estruturas, precariamente empoleiradas nos espaço vago é simplesmente ocupado por residentes das
flancos dos morros. Em geral, a cidade é um labirinto de áreas superpopulosas ao redor.
proporções inimagináveis para um estrangeiro. As pessoas
podem viver suas vidas inteiras sem nunca sair de um raio > E isso obviamente frustra o GreenWar pra cacete. Eles ficam
de doze quadras. desenvolvendo cenários de ataque mais mortais. Agora, os
Apesar da grande transformação de Hualpa do Brasil na habitantes das favelas estão universalmente cientes dos
Amazônia ter reajustado a sociedade e feito um esforço ecoterroristas. Pra qualquer incursor das sombras que tenha
para eliminar a grande desigualdade social que existia, não negócios nas favelas: aconselho, absolutamente, que ninguém
é verdade que isso afetou todo mundo. As favelas do Rio aponte pra você e grite “GreenWar!”. Não há calhamaço de
ainda contêm milhões de pessoas, a maioria desSINada, balas que te proteja da camaçada de pau que vai cair em cima
nunca nem considerada pelo governo amazônico e que de você se isso rolar.
vive em pobreza extrema. Muitas delas são pessoas que > Ecótope
não se submeteram aos grandes censos do governo por
não confiar em qualquer governo (ou os recenseadores
não tinham coragem de subir nas favelas — ou eles subiram, PONTOS DE INTERESSE,
entraram e nunca mais saíram). Existem pessoas lá com- QUEM MANDA E QUEM AGITA
pletamente alheias do que é o seu governo. Tudo o que
conhecem é sua favela e qual gangue a controla hoje. GRAND PALM HOTEL
A indústria hoteleira do Rio é dominada pela mesma ex-
> Existem dois lugares do mundo onde se pode esconder
periência desalmada e esquecível dos hotéis corporati-
algo para que nunca mais seja encontrado. Um deles é nas
vos iguais que revestem as praias do Rio. Poucos hotéis
profundezas das selvas vivas da Amazônia. O outro são as
independentes sobrevivem muito. O Grand Palm Hotel é
provavelmente o melhor deles, e um favorito da cena dis-
MENSAGEM RECEBIDA creta. Não se sabe quem de fato é dono do Grand Palm, ou
há quanto tempo ele está funcionando. Uns dizem antes
Oi, beleza? Tenho clientes à procura de uma equipe disposta da Amazônia, outros dizem mais recentemente. Seja como
a adquirir um certo artefato que dizem exibir propriedades for, o hotel em si parece atemporal. O ar é parado e pe-
paranormais quando perto do fenômeno do Cristo Redentor. sado, circulado apelas por enormes ventiladores de teto.
Meus clientes acham que essa coisa pode ser a chave Os visitantes sempre acabam no bar, a única fonte real de
para revelar todo esse esquema. Eles só precisam do treco bebidas. Barmans de bigode com ternos brancos de linho
emprestado, mas seus curadores não são daqueles que dividem, fazem as melhores caipirinhas e mojitos da cidade, com
saca? Seria mesmo contra a lei quando estamos falando de uma coleção de rum sem igual. O Grand Palm é um dos
tamanho progresso científico? Bom, provavelmente é. E por isso lugares preferidos para um certo tipo de Sr. Johnson, as-
sim como o incursor das sombras médio. As noites são
eles estão disposto a pagar bastante. Me dá um toque que eu
preenchidas com bossa nova ou música de piano discreta,
junto vocês. Já é!
perfeito para discutir negócios enquanto se bebe.

BAIRROS 12

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
> Tem algo a mais sobre esse lugar. Tem tipo uma vibe quando
TRADIÇÃO DA QUIMBANDA se entra lá, como se saísse da Metrópole e entrasse noutro
lugar, ou mais precisamente noutro tempo. É verdade que
A Quimbanda é uma tradição objetiva, dos curandeiros-adivinhos
todo o prédio é altamente protegido do lado de fora. Você ou
e dos benzedeiros. Ela vem daqueles que não podem esperar pela tá dentro ou tá fora. Nada de bisbilhotar.
ação mais suave da Umbanda. Enquanto a Umbanda é a nutricionista > Elijah
que vai tentar tratar um problema alimentar com uma reeducação
alimentar, a Quimbanda é a cirurgiã que fará uma intervenção cirúrgica > Conheci um mendigo velho uma vez, seu rosto cheio de
de forma direta. O objetivo é a evolução espiritual das pessoas e a linhas e marcas de anos no sol. Sua aura me revelava que
proteção do seu médium. Todos os espíritos da Quimbanda são ele era Desperto, mas não creio que ele soubesse o que isso
aqueles mais próximos da meta-humanidade, ao contrário dos Orixás, significava. Pedi direções para o Grand Palm Hotel e ele deu
mais associados com a natureza. Os Exus são agentes terrenos que uma risada seca e tossida. Ele me disse que o Grand Palm
Hotel vai aonde quer ir, e você o encontra se ele assim desejar.
agem em prol da justiça cármica que combatem entidades ainda
Já fiquei uma dúzia de vezes desde então, e juro que continua
presas ao ódio e o rancor. Tendo sido magos negros em algum
no mesmo lugar. Posso até falar o endereço agora mesmo.
ponto das suas reencarnações, eles reconhecem a maldade e
Mas se me perguntar algum ponto do referência, o que tem
sabem como combate-la. Os espírito femininos das Pombagiras são perto, do lado de qual rua, eu não consigo responder.
guardiãs muito associadas com o sexo, visando esgotar os vícios > Axis Mundi
sexuais, podendo esgotar o emocional ou despertar o desejo. São
elas também que trabalham com a cura, desmancham trabalhos de
OS DISCIPULOS
magia negra e buscam resolver problemas. O sábio guerreiro Ogum
é o Orixá senhor da guerra, da forja do metal, portador da lança e DE CRISTO O REDENTOR
do martelo, que pode vir por revólver ou pela lâmina, em serviço às Desde o Despertar, a área ao redor da estátua do Cristo
guerras e à justiça das ruas. Redentor, a icônica imagem de Jesus com os braços bem
Os rituais para invocar esses espíritos são feitos em “locais abertos, foi envolta num espaço astral instável que fervil-
marginais” — cemitérios, florestas, praias, encruzilhadas das ha, ferve, crepita e rasga com consequências bem reais e
favelas — e sempre de noite. O ritualista costuma fazer despachos fatais ao mundo físico ao redor. Esse fenômeno astral ob-
(oferendas como comida, álcool, charutos, MQTs, drogas, velas) viamente atraiu muita atenção de eruditos e pesquisadores
e realiza o ritual conforme os preceitos de cada entidade, tendo do espaço astral, apesar de todo o esquema continuar sob
forte análise do governo amazônico, que insiste que tal
seus resultados de acordo com o desejo do ritualista, podendo
fenômeno deve ser tratado com respeito.
ser voltado à agressão do alvo para quem pede vingança, ou
Ou seja, apesar dos pesquisadores estarem limitados
conquistas amorosas para feitiços de amor. pela burocracia amazônica, isso não impediu que as pes-
A Quimbanda é uma tradição que provê o agora e o imediato, e soas tivessem ideias próprias sobre o significado dessa
a proteção contra quem deturpa seus preceitos e utiliza a conexão coisa. Os Discípulos do Cristo Redentor formam um desses
com espíritos para fazer o mal (como os chamados magos negros, grupos. Eles têm um acampamento permanente junto às
ou quiumbas, ou até mesmo “médiuns-desavisados”). favelas erguidas do lado norte do morro, apesar de mui-
tos seguidores viverem noutros lugares, vindo apenas para
Combate: Fogo congregar todo domingo para a peregrinação morro acima
Detecção: Água e o sermão que segue perto da estátua.
Saúde: Terra Os Discípulos, na verdade, são um tipo de cristãos
pentecostais. Seu líder, um velho troll chamado Doutor
Ilusão: Ar
Leonildo, é um iniciado de classe elevada que alega que seu
Manipulação: Homem
poder deriva da sua associação próxima com o fenômeno
Dreno: Vontade + Carisma
do Cristo Redentor. Ele prega o conhecimento de Cristo
através do conhecimento do miasma astral que cerca a es-
FEITIÇOS PREFERIDOS tátua. Muitos discípulos, geralmente noviços, morrem du-
Raio de Força, Agonia, Presságio, Compelir Verdade, Moda rante encontros imediatos com as energias astrais, mas isso
não preveniu o culto de crescer em popularidade entre os
desesperados em busca de significado.
PODERES DE ADEPTO PREFERIDOS
> Já senti astralmente o Leonildo e uns dos seus maiores
Voz de Comando, Determinação Tranquila, Mãos Letais, Controle seguidores, e deixa eu te falar, eles tão vazando poder. São
Vocal alguns dos iniciados de classe mais elevada que eu já vi.
Basicamente só usam sua magia pra curar, e oferecem seus
serviços pra qualquer um que os procura. Então se alguém
se ferir e precisar ficar na maciota, visitá-los e pedir por uma

BAIRROS 13

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
ajudinha é uma boa forma de te arrumarem enquanto se fica gativa, mas que é moldada pelas necessidades contra a
fora da grade. injustiça social e as vidas dos marginalizados — a puta, o
> Elijah gangueiro, o trapaceiro.
Sempre uma religião marginal, a Quimbanda, assim
> Nem vem. Tem coisa errada com Leonildo e os discípulos como outras fés relacionadas como o Candomblé e a Um-
deles. Eles tão escondendo alguma coisa. Não sei o que, mas banda, ganharam um aumento de popularidade logo após
aquela fenda astral não leva pra Cristo não; é bem o oposto. O o Despertar e a tomada do país por dragões e espíritos e
poder que canalizam é profano, e muita gente desaparece de outras coisas. Ao longo dos anos, a Amazônia, antigamente
forma constante pra que sejam apenas acidentes. um país quase uniformemente cristão, viu uma enorme
> Éternauta
mudança geracional de pessoas mais jovens cultuando es-
sas religiões espiritualistas anteriormente marginais.
O TRIBUNAL Nas ruas, a Quimbanda é coisa séria. É uma religião
Enfurnado no cantinho mais sombrio da favela do Rio, con- próspera pelos esquecidos e para os esquecidos. O Tribu-
hecida como Cidade de Deus, está o Tribunal — uma asso- nal surgiu como forma de ponto central para essa religião
ciação não estrita de incursores das sombras, gangueiros, outrora decentralizada. Os decretos do Tribunal são com-
traficantes, cafetões e outros tipos não muito agradáveis. O pelidos através de uma cabala de magos poderosos (e po-
Tribunal é uma autoridade para aqueles que vivem fora da tencialmente perigosos) que seguem a fé da Quimbanda.
autoridade, existindo como uma confrérie e um mecanismo O Tribunal está longe de ser imparcial, justo ou piedoso,
de controle autoimposto, mantido unido pelos dogmas da mas é brutalmente eficiente em manter um semblante de
Quimbanda. ordem no caos das profundezas das favelas. Aqueles com
A Quimbanda é uma religião afro-brasileira baseada na queixas e agravos podem peticionar que o Tribunal corrija
invocação de espíritos de todos os gêneros para pedir fa- uma aparente ofensa. O Tribunal tipicamente comungará
vores. É uma religião das ruas, vista como raivosa e vin- com espíritos Exus, Pombagiras ou o próprio Ogum. A out-

BAIRROS 14

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
ra parte pode ou não ter uma chance de se defender. Seja sua escolta de segurança nunca permitiria, independente
o que o Tribunal decidir, muitas vezes envolve na punição dos pedidos que fizesse, mas é um ótimo pico para en-
de uma parte ou de outra. Essa punição pode refletir a par- contrar uma assistente pessoal ou um secretário que está
te mais sombria dos espíritos da Quimbanda, mas tudo ficando no mesmo resort que “uma daquelas divas” e pode
depende das intenções dos seus invocadores. Por isso, a até achar excitante trocar informações sobre os arranjos de
maioria das punições extremas podem variar entre assassi- segurança da segurança do VIP.
nato, espancamento, humilhação pública e até mesmo ex-
pulsão social dos rivais. > Cuidado com esses escravos de aluguel. Eles ficam loucaços
porque são meio pervertidos, mas se pressionar demais, eles
> Não acho que seja intencional, mas O Tribunal é um tanto lembram que não querem problemas. Mesmo assim, a história
parecido com a Corte Corporativa. É um clube criado por certa consegue uma quantidade surpreendente de ajuda. Já fiz
aqueles no topo pra manter quem tá no fundo na linha. Só é um trabalho onde o nosso face deu uma de Don Juan numa
regulado pelo auto interesse e o único fator determinante de assistente de pesquisa. Funcionou tão bem — a gente fez ela
fato em conseguir resoluções favoráveis é quem você conhece botar umas câmeras e sensores no andar da nossa marca.
e os favores que você pode trocar. É inteiramente corrupto e A inteligência que a gente conseguiu facilitou um monte a
violentamente selvagem, mas seu decreto é a única forma de extração. Tudo foi tão de boa que nosso face manteve contato
lei e controle nas favelas. com a assistente, e agora ela vende segredos corporativos pra
> Kia gente em troca de uns neoienes e um encontrinho gostoso
com seu namoradinho badboy incursor das sombras.
O Tribunal é essencialmente uma comunidade daque- > Torpe
les que desejam ser parte dele, e fortes o bastante para
tomar um lugar. É uma sociedade secreta, essencialmente.
A liderança atual do Tribunal é formada por três pessoas. A CENTRO
primeira é Catarina, uma ex-acompanhante bela e soturna Todo o vasto território entre Rio de Janeiro e São Paulo é
que foi expulsa desse mercado por razões que ninguém conhecido como Centro. Na verdade, ele é dividido em
descobriu ainda. Ela é imprevisível e pode se voltar contra dois distritos administrativos, com dois prefeitos dividindo
qualquer um, mesmo aqueles que pensavam estar em seu
essa vasta área da cidade. É no Centro onde o grosso dos
favor, sem aviso e com grande selvageria.
brasileiros desalojados acabaram. Toda essa seção foi ergu-
Depois tem o Garibaldi. Meio libertino e ex-playboy,
ida basicamente do nada para suportar o fluxo de pessoas.
Garibaldi está sempre sobrecarregado com um dos Exus da
O Centro às vezes é conhecido como a Cidade de Mil Arco-
Quimbanda. Ele parece só querer ficar na boa e ser mul-
logias. Existem, na verdade, mais do que mil arcologias de
herengo, mas o Exu parece ter escolhido-o para tarefas
todos os tamanhos no Centro. Hualpa acabou favorecendo
severas. Em vez da vida que ele gostaria, ele se voltou para
bastante o conceito de arcologia quando as equipes de
um humor cínico e sombrio. Não vá achando que ele é um
construção chegaram para criar uma megalópole do nada
homem gentil; ele já viu a luz dos olhos de muitos homens
para aceitar milhões de cidadãos. O conceito de arcolo-
se apagar.
gia é simples: uma minicidade completamente contida e
O terceiro e último membro das principais cadeiras do
autossuficiente (até certo ponto) onde as pessoas vivem,
Tribunal é uma carniçal senciente simplesmente chamada
trabalham e relaxam.
de A Bruxa. Catarina e Garibaldi se bicam muito, mas ficam
instantaneamente em silêncio quando A Bruxa coaxa seus Como resultado, o Centro é uma visão de tirar o fôlego
julgamentos. para os visitantes. É uma expansão de edifícios megalíticos
de diferentes formatos e tamanhos. Muitos estão cober-
tos de plantas tropicais que lembram os Jardins Suspensos,
COCONUT LOUNGE a antiga maravilha do antigo mundo. Enormes avenidas
O Coconut Lounge é um local muito popular com turistas cruzam o espaço entre as megaestruturas, com grandes
corporativos. A maioria dos resorts corporativos têm todas áreas de selva bem cuidada que criam um espaço ne-
as amenidades e entretenimentos que se pode querer, e cessário entre os edifícios. Esses espaços selvagens e a
o Coconut Lounge não é parte de nenhum resort. E é pre- vegetação que cobrem as arcologias não são meramente
cisamente por isso que é tão popular. Ele atrai os corpz- decorativos; grandes números de animais e criaturas sen-
inhos que não se contentam com qualquer coisa, aqueles cientes vivem nesses lugares, vivendo dentro das suas
que saem do resort e andam pelas ruas de Metrópole atrás próprias comunidades organizadas.
de algum entretenimento mais autêntico. Em si, o Coconut Hualpa não queria prender pessoas em arcologias onde
Lounge não fica numa parte tão perigosa da cidade, e sua vivessem e morressem. Então, propositalmente, as arco-
autenticidade é um tanto diluída, mas inegavelmente é mais logias não são completamente autossuficientes. É comum
interessante do que os clubes de resort. Os VIPs corpora- que residentes de uma arcologia vão ao shopping de uma
tivos de verdade que uma equipe incursora das sombras arcologia vizinha. Além disso, existem mais residentes do
possa querer extrair nunca estaria no Coconut Lounge; que empregos disponíveis na maioria das arcologias, então

BAIRROS 15

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
não é incomum que as pessoas vivam numa estrutura e
trabalhem noutra.
Mas a ideia de Hualpa acabou superestimando a nature-
za humana. O objetivo da maioria dos residentes de arco-
logias é sair o menos possível da sua estrutura doméstica.
Aqueles que trabalham em outras arcologias são consider-
ados no mínimo azarados, e no máximo traidores do seu
edifício. Fazer compras noutra arcologia é tabu e feito o
menos possível, e as pessoas acabam dando preferência a
compras online. Não chega ao ponto de haver ódio e ran-
cor entre os edifícios, mas certamente há um senso de “es-
trangeiros” para os residentes de outros edifícios.
Isso acontece mais em arcologias “sem alinhamento” —
ou seja, arcologias que não pertençam a uma corporação.
No entanto, existem muitas arcologias completamente
controladas e de posse e operadas por corporações, as Dez
Megas, na maioria, mas outras grandes entidades também.
Por exemplo, a Shiawase controla e opera um conglomer-
ado gigantesco de onze arcologias. A vida em arcologias
corporativas é diferente. As megacorps são estritas em
criar um senso de cultura e singularidade de pertencimento
à corporação. As pessoas raramente saem das suas arco-
logias, e se saem, nunca é para viajar para arcologias fora
da sua corporação. Para todos os propósitos, os poucos
milhões de residentes de arcologias corporativas são tão
residentes da Amazônia quanto Enrico Silva.

> Quem?
> /dev/grrl

> Enrico Silva, porra. Só o presidente de Aztlan. Fala sério.


> Kane

Dito isso, quem visita o Centro logo descobre as com-


plexidades da região. Por lei, animais e criaturas sencientes
têm direitos iguais aos de cidadãos meta-humanos. No
entanto, as leis são assuntos complexos que se adaptam
aos costumes e hábitos dos milhares tipos de criaturas. Um
exemplo aleatório: Um jacaré tem o direito previsto em lei
de comer um humano que caia na água. É a natureza. Seria
ilegal que caçadores, ou mesmo membros da família da
vítima, matarem esse jacaré. Isso seria considerado assas-
sinato e punido severamente assim como assassinato de
um humano por um humano. Como cada uma das dezenas
de milhares de espécies que dividam o mesmo espaço pos-
suem diferentes necessidades e comportamentos naturais,
isso rapidamente complica a governabilidade. Esse novo
sistema de leis se aplica a toda a Amazônia e, portanto,
todas as partes de Metrópole, mas é muito mais relevante
no Centro do que noutros lugares da megacidade, já que é
lá que meta-humanos e criaturas compartilham residências
de forma tão próxima e densa.
O senso geral da perspectiva meta-humana é que quase
toda criatura pode te matar, mas você não pode matá-
las exceto em situação de autodefesa. Essa política tem
inúmeras repercussões. Primeiro, e talvez mais óbvio, isso

BAIRROS 16

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
reforça a ideia de que você não deve sair da sua arcologia.
Segundo, parece aumentar ainda mais a ideia de que me-
> Elevado

ta-humanos são cidadãos secundários da Amazônia. Por


fim, não há como essas leis serem aplicadas e reforçadas de
> Tá falando sério?

forma realmente justa e uniforme. Por isso, a hostilidade e


> Cayman

violência entre espécies é extremamente comum. Criaturas


problemáticas costumam “sumir” bastante, e em muitos
> Faz o seguinte, mata o dragão primeiro e depois a gente
conversa.
casos, ataques “não naturais” de vingança de criaturas
sapientes contra meta-humanos, tão ilegais quanto, tam-
> Elevado

bém ocorrem. A lei só aparece quando há surtos significa-


tivos de violência. E, como a maioria dos meta-humanos
> Babaca.

dirá a você, a lei costuma ser bem mais severa contra me-
> Cayman

ta-humanos para acabar com os conflitos. Note que o centro não é só um cortiço gigante. Apenas
cerca de vinte por cento do seu vasto espaço é urbanizado.
> Tá, se eu matar outro humano e comer ele, isso é legal?
O resto são terras agrícolas, selvas intransponíveis e morros
> Cayman
com o famoso verde natural da Amazônia. Existem dúzias
de tribais que vivem nessas selvas inóspitas e confusas,
> Não, né. Canibalismo é ilegal, assassinato também. Não
compartilhando sua existência com incontáveis tribos de
existem leis que permitem que você mate outro meta-humano,
animais Despertos, sencientes ou não.
salvo em autodefesa
> Cuidado ao lidar com esses primitivos voluntários. Poucos
> Elevado
deles nasceram nessa vida; quase todos vieram de Metrópole,
voluntariamente escolhendo deixar a vida urbana pra trás. A
> E se eu matar um dragão?
maioria tem visões extremistas, acreditando que a escolha que
> Cayman
fizeram é a escolha que todo mundo tinha que fazer. Tem uns
ecodoidos de carteirinha que odeiam tudo do mundo urbano.
> Só se comer ele.
Só não esqueça — eles não são simplórios. Todos lembram o
que é um com-link e como funciona. Tente passar a perna neles
por sua própria conta e risco.
MENSAGEM RECEBIDA > Pé-de-Cabra

O Centro cobre uma área gigante, e a maior parte dela


permanece desabitada. Essa combinação paradoxal de “isolado” PONTOS DE INTERESSE
e “perto da cidade” o torna um ponto tentador pras corporações
colocarem seus complexos de Pesquisa e Desenvolvimento.
O JARDIM INTERNO
A lei amazônica é conhecida por pegar pesado contra mau Localizado no sul do Centro, nos recantos do Parque Na-
comportamento corporativo, exceto dentro dos limites municipais cional da Serra da Bocaína, longe das arcologias e habi-
de Metrópole. Quase qualquer coisa rola aqui, tornando esse tações, existe um dos covis do dragão adulto Pedrinho da
um lugar favorito pras corporações fazerem o tipo de pesquisa Metrópole (também conhecido como Pedroka). O Pedrinho
se dedicou a eliminar o vão entre os meta-humanos e os
que é ilegal em quase todos os outros lugares. Um desses locais
Despertos. Ele se esforça para criar relações e eliminar sen-
de pesquisa ilegal é da Universal Omnitech. O local em si é bem
timentos antidragão na Amazônia. Claro que alguns na área
real — visível em qualquer mapa. Seu propósito alegado é uma dos Despertos o tratam como molenga, ou pior, traidor,
pesquisa bem rotineira sobre tratamentos contra o câncer. Mas eu enquanto a resistência antidragão sempre o verá com sus-
tenho informação de dentro que diz que tem uma parte de acesso peita. Mesmo assim, nenhum lado pode negar o valor do
restrito do complexo que tá trabalhando em pesquisa sobre o DFC. seu bom trabalho, e todos o valorizam como um emissário
O tenso é que não tão trabalhando em tratamentos pra isso. E sim neutro essencial entre os dois lados.
num mecanismo de transmissão melhor pra personalizá-lo, fazer Para os Incursores das Sombras médios, o Pedrinho é
com que funcione de forma mais precisa, como era o propósito uma ótima fonte de emprego. Oficialmente — e extrao-
original. Se tu conseguir evidências disso, dá pra expor a parada ficialmente também — as forças Despertas odeiam a re-
toda e ainda nadar na grana no processo. Que, não acredita em sistência antilagartos e não dão trégua, e vice-versa. No
entanto, elementos de cabeça menos quente dentro dos
mim? Fala com o Arturo Gilberto no Tanquà Lounge em São Paulo.
dois lados entendem a necessidade de diálogo. O Pedrinho
Pergunta pra ele do que ele sabe. Daí cê acredita em mim, chapa. E
não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, e
daí cê vai me ligar e a gente vai fechar negócio. parte dos seus discursos dentro do seu lado são tão extrao-
ficiais que ele não pode se envolver. Ele tem uma gigantes-
ca necessidade de ativos para negação plausível.

BAIRROS 17

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
> Elevado
> O Pedrinho paga bem pra cacete, mas é porque o trabalho
é muito exigente. Ao aceitar esses trabalhos — seja servir
de guarda-costas pra uma líder de facção se infiltrando
> Esse lugar tem uma emissão arcana elevada. Assim como as
rachaduras úmidas entre rochas estão repletas de insetos, o
para conversas extraoficiais, ou só levar mensagens entre
Paredão atrai criaturas predatórias. Os Infectados, insetos,
indivíduos de lados diferentes — a única coisa com que cê
shedim; estão todos lá, além de mais vida selvagem da
pode contar é que alguém vai tentar te matar ou arrancar a
Amazônia que não vai comer sua alma, só sua carne.
informação da sua cabeça. Se não são os elementos mais
fanáticos tentando descobrir quem são os “traidores”, os
> Axis Mundi

corretores de informação tão doidos pra catar essa informação


pra vender pros fanáticos. Assim que aceitar um trabalho, cê já
> Quem é que ia querer ir pra lá?

virou alvo.
> Netgata

> Pedra
> Nem sempre a gente escolhe nossos parceiros de negócios.
Quase não tem gente bisbilhotando (se pá nem tem) no
> A boa notícia é que o Pedrokinha vai sempre dar apoio se
Paredão, o que o torna um lugar popular de encontro pra
puder. Um chapa meu tava trabalhando pro dragão, e alguém
contatos que precisam não aparecer de jeito nenhum. E se tu
derrubou seu LAV durante um trabalho. A equipe dele tava
tiver com gente na tua cola e não consegue se livrar de jeito
desesperadamente segurando a equipe merc milspec atrás
nenhum, ficar na moita aqui deve ser o bastante. Só precisa
deles, se entrincheirando nos destroços do transporte. Tavam
sobreviver o tempo que ficar lá, mas esquadrões de vingança
em menor número e com armas piores, tudo pronto pro fim,
nem a pau vão entrar.
quando de repente dois dragões deram um rasante do nada e
ferraram os mercs o bastante pra fazer com que vazassem. > Eva Cua

> Lyran
LOCAL 646
> É, mas é mais frequente que, se a gente morrer, a gente
A arcologia conhecida como Local 646 foi na verdade con-
morre sozinho (normal na nossa linha de trabalho). É isso que
struída por uma subsidiária fabricante defunta da Aztech-
significa ativo de negação plausível; ninguém vai arriscar o
nology chamada de Corporação Mer. Isso foi antigamente,
próprio pescoço pra te ajudar, a exposição não pode acontecer.
quando a Amazônia estava cada vez mais preocupada com
Não vai contando com os escamosos pra salvar seu rabo.
empresas de fachada intrusas da Aztechnology, e os azes
> Kane
não levaram a sério a ideia de que tinham que operar de
forma mais obscura. Os amazônicos descobriram sobre os
PAREDÃO laços diretos e desmembraram a Corporação Mer como
No bom português amazônico, a palavra paredão signifi- corporação, e seus ativos foram tomados pela Amazônia
ca uma parede ou muro alto e grosso, ou até mesmo que- para leilão, incluindo a arcologia que construíram para si
bra-mar. Nesse contexto, o termo é usado para descrever mesmos. Infelizmente, a inspeção revelou que a afiliação
a favela que cresceu no desfiladeiro formado por duas ar- com a Aztechnology não foi a única mentira da Corp Mer.
cologias no Centro, logo ao leste dos limites do distrito de A estrutura da arcologia tinha violações absurdas de segu-
São Paulo. As laterais das duas superestruturas piramidais rança e construção. A arcologia logo foi de um ativo para
estão cobertas de habitações feitas de metal, madeira, e um pesadelo. O custo para consertar o lugar era tão proibi-
qualquer outro material que outros residentes puderam en- tivamente alto que ninguém queria tocar nisso.
contrar. Milhares de pessoas vivem nesse desfiladeiro, ca- No papel, o governo amazônico ainda é dono da ar-
sas apoiadas nas laterais das arcologias como tantos outros cologia. Na prática, enquanto as coisas “se resolviam”, os
moluscos marcando as laterais de penhascos nos oceanos. cidadãos que viviam lá resolveram tomar conta. Os fun-
Circuitos elétricos se cruzam entre os dois lados, levando cionários da Corporação Mer queriam se sindicalizar há
energia a gato para aqueles capazes de pagar os impostos muito tempo, mas a Mer reprimiu essas noções. Livre para
da gangue controladora. emergir, os simpatizantes do sindicalismo da arcologia se
O Paredão é a mais pobre de todas as favelas de uniram com outros sindicatos na cidade e se organizaram,
Metrópole, enfiada no espaço entre as arcologias que nem tomando a arcologia e logo transformando-a num paraíso
notam sua existência. pró-anarquia e pró-comunismo.
> “Paredão” também tem outro significado no português O Local 646, oficialmente um edifício condenado, ag-
amazônico. Se refere à parede onde execuções em massa ora é um paraíso para as pessoas. Eles só respondem a si
são executadas. Aposto que é daí que veio o nome da favela. mesmos. A política no Local 646 muda mais rápido do que
Ela tá cheia com as massas da humanidade desesperada que qualquer um pode acompanhar. Às vezes emerge um líder
só vão lá pra morrer. Mesmo que não seja pela brutalidade democraticamente eleito, apenas para ser substituído mais
das gangues, as condições sem saneamento algum ou a tarde num golpe apoiado por comunistas, enquanto uma
desnutrição vão ser o bastante. anarquia estilo Berlim subsidia conforme a arcologia se

BAIRROS 18

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
quebra em vários subgrupos autogovernados.
Os trabalhadores do Local usam as fábricas da arcolo-
gia da melhor forma que podem, trazendo matéria-prima
DESAMOR
e criando ... alguma coisa. Mesmo com a arcologia tendo Vetor: Contato (Espaço Astral)
as instalações para semanalmente gerar produtos valendo Velocidade: 5 minutos
milhões de neoienes (em sua capacidade total), graças à Duração: 10 minutos
péssima manutenção e um registro altamente esporádico Tipo de Vício: Psicológico
de pagamento de fornecedores e cumprimento de deman- Nível de Vício: 8
das, eles mal conseguem alcançar meio por cento do ver- Limiar de Vício: 3
dadeiro potencial das fábricas. Efeito: –2 Reação, +2 Carisma, –2 modificador de pilha de dados
de ação física
> Isso ainda é grana o bastante pro controle das fábricas ser a
O espaço astral ambiente do Desamor é como uma droga.
chave das batalhas políticas. O problema é que quase toda a
Ele estimula sensações de euforia em personagens capazes
rapaziada tem ganância de sobra e uma falta de capacidade.
Esse povo pressiona os trabalhadores experientes a gerar de Percepção Astral. Os efeitos rapidamente acabam quando
mais resultado do nada, sem ter ideia de como aumentar a a personagem sai dos confins da boate ou para de perceber
eficiência. E logo em seguida, esses gerentes são chutados por astralmente.
uma nova galera que vão exigir basicamente o mesmo. Só que
mais.
> Kay Sta. Irregular Alimentar todos esses empregos de alto salário e de
alta qualificação precisa das inúmeras escolas técnicas e
> Qualquer trabalhador competente que saiba trabalhar universidades avançadas, incluindo a mundialmente recon-
ou cuidar das máquinas é valioso por lá. Trabalhadores hecida Universidade de São Paulo (USP). Como esperado
experientes e suas instalações são o tesouro, enquanto a da nação Desperta da Amazônia, a maioria dos programas
massa não qualificada acaba sendo destacada como soldados, da universidade contém estudos relacionados a magia. Um
lutando nos confins insuportavelmente quentes e apertados aluno pode aprender como a magia pode aprimorar uma
do interior enferrujado. É uma doideira que não acaba, gente linha de produção, ou um engenheiro de materiais pode
pobre brigando por migalhas, presas na casca de um velho aprender tudo sobre certas plantas Despertas e sua elasti-
sonho. cidade inexplicável.
> Marcos São Paulo, mais do que nunca, permanece uma cidade
> Mesmo assim, se conseguir sobreviver à essas políticas, o de posses extremas. Aqueles já ricos se tornaram muito
Local 646 é um puta pico pra incursores das sombras. Esse mais ricos conforme exploravam o fluxo de brasileiros de-
lugar tem uns mecânicos incríveis pra consertar drones e salojados. Os estabelecidos tornaram-se os enraizados, os
veículos, lugares pra se esconder, e médicos de rua tão bons milionários tornaram-se bilionários. Os recém-chegados
quanto qualquer outra favela. A seleção do mercado negro tiveram que competir por trabalho. Aqueles com a edu-
deixa um tanto a desejar, mas dá pra conseguir umas coisinhas cação certa meramente conseguiram se tornar escravos de
básicas. Mas é, as chances de alguém tentar te alistar na sua aluguel, enquanto aqueles sem diplomas e a capacitação
guerrinha ou pedir extrações são bem altas. Esses líderes necessária acabaram virando lojistas, vendedores ambu-
malucos de facções podem ser mesquinhos, mas comandam lantes e vigaristas — uma subclasse que vive das migalhas
gente pra cacete, e não tem pra onde fugir enquanto você tiver dos ricos.
no Local 646. A violência alçou voo graças à desigualdade social, só
> Cueia Nóia para ser rapidamente combatida com um pico em medidas
de segurança privada. Sempre relutante em se meter com a

SÃO PAULO administração humana de Metrópole, o governo amazôni-


co faz pouco para combater o crime. A insatisfação costu-
Metrópole acaba no leste com o distrito de São Paulo. ma ser mais generalizada, então o DISA está sempre nas
Antes da formação da Amazônia, São Paulo era a maior ci- sombras, esperando para dar o bote (literalmente, às vezes)
dade do Brasil, assim como o coração econômico do país. em criminosos que se tornam agitadores, mas crimes co-
Não mudou muito. A parte de São Paulo da Metrópole é muns de assassinato, sequestro e extorsão não o preocupa
onde todas as Dez Megas, assim como incontáveis outras muito. As forças policiais são completamente inadequadas,
jogadoras A e algumas AA têm suas sedes regionais. Além sofrendo de falta de pessoal e de financiamento para lidar
disso, São Paulo é um centro de atividade do setor terciário, com o escopo da violência de São Paulo. Com a falta de
como serviços financeiros e da Matriz. Metrópole, espe- uma força policial apropriada, a segurança privada prospera
cialmente no distrito de São Paulo, é uma central global de em São Paulo. Talvez seja uma surpresa, mas a Amazônia
serviços da Matriz. Incontáveis firmas de projetos de RA e não se preocupa muito em regulamentar o direito de porte
RV (grandes e pequenas) são daqui. de armas e seu uso em autodefesa. Dependendo de quem

BAIRROS 19

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
você perguntar, alguns veem isso como uma manobra de enorme campus principal localizado diretamente no meio
Manaus aplicar à meta-humanidade os mesmos direitos de São Paulo e várias outras edificações-satélite ao redor.
de agressão e defesa que os animais possuem; é a ideia Como tudo nesse país, a universidade é banhada na
de que em vez de presas e garras, usamos armas e armas natureza mágica e ambientalista da Amazônia. Os estudos
maiores, enquanto alguns acham que Manaus torce para têm ênfase em ecologia e desenvolvimento sustentável em
que todos esses macacos irritantes se exterminem num todos os cursos. Seu programa de medicina é um dos prin-
banho de sangue causado por si próprios cipais centros para aprender sobre saúde “ampliada”, o que
Seja como for, há um ditado em Metrópole: “homicí- significa o uso de medicina mágica e tradicional, enquanto
dio é homicídio, a não ser que o outro cara tava com uma programas de engenharia se focam muito em avanços am-
arma”. De muitas formas, Metrópole (e especificamente bientais, junto do uso de magia para amplificar os métodos
São Paulo) beira ser um estado anarquista onde a segu- convencionais.
rança é uma questão totalmente privada; onde existe um Não é surpresa que os programas mais famosos da
delicado equilíbrio entre indivíduos. É relativamente fácil universidade sejam seus estudos ambientais. A flora e
se safar de assassinato, desde que sobreviva à tentativa de fauna disponíveis para estudo, mundanas e Despertas, são
matar seu alvo. incomparáveis. Pesquisadores do mundo todo vêm na es-
perança de estudar e descobrir poderosas novas proprie-
dades das coisas encontradas na misteriosa floresta trop-
PONTOS DE INTERESSE
ical da Amazônia.
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
> Mesmo com a USP sendo sempre um alvo de primeira pra
A USP é a universidade mais prestigiosa da Amazônia, trei- inforroubos, recentemente anda rolando ... sei lá, uma ressaca
nando os melhores e mais geniais de Metrópole, transform- nas sombras. Um tipo de rumor sobre descobertas mega
ando-os nos líderes cívicos e de negócios da Amazônia. importantes. Os atravessadores de São Paulo tão doidos atrás
Os campi da universidade continuam a se expandir, com o disso. Parece que ninguém sabe o que tá rolando, mas todo
mundo sabe que é um treco enorme e ninguém quer ficar pra
trás. Já recebi várias ofertas de Srs. Johnsons pedindo pra eu
TUDO BEM? >
investigar e descobrir o que puder.
Elijah
Esse velho, comum e coloquial cumprimento, quase sempre
vindo depois de “oi”, também é o nome de um programa de trídeo > Será que tem a ver com os caras do Logos que segui
propagandista de Manaus. Apresentado pela voz melosa da recentemente?
Doutora De Souza, uma figura meio vó que é um pouco assustadora, > Torpe
o programa busca falar com os cidadãos de Metrópole sobre
problemas sociais, cobrindo coisas como as formas apropriadas > Logos?
de se comportar e agir como cidadãos corretos. > Sunshine
O programa tem seus fãs, mas alguns o veem como fonte de
provocação, uma atitude paternalista de Manaus, repleta com boas > Logos é um grupo dissidente recente da organização terrorista
GreenWar. Um grupo dissidente composto inteiramente
ideias que não funcionam na vida real e não conseguem lidar com
de membros Despertos. Pelo que sabemos, tavam fazendo
as falhas do estado e suas responsabilidades com os problemas,
operações em Metrópole quando descobriram alguma coisa.
preferindo culpar em “cidadãos ruins”. Alguma coisa escandalosa o bastante pra separar eles do
O programa acabou gerando uma transmissão pirata paralela GreenWar pra perseguir essa coisa sozinhos.
chamada “E você?”. Muitos atribuem a transmissão à Voz, mas a > Ecótope
verdade é que pode até ser de um grupo menor, ou mesmo de um
grupo de hackers com afiliação política com insurgentes ou não. > Os mais desvairados foram há muito avisados de que seus
Seja como for, essa transmissão-resposta cospe de volta o que o métodos eram imprudentes. Os invae e shedim deveriam ter
Tudo Bem? mais recente falou sobre, mostrando a responsabilidade sido aviso suficiente, mas não nos ouviram. Agora desejam
oculta do estado sobre os problemas ou tentando refocar as ocultar seu erro, erroneamente crendo que podem escondê-lo
pessoas sobre o que importa toda vez que Tudo Bem? tenta causar do mundo enquanto atrapalhadamente tentam lidar com seu
uma distração. segredo horrendo.
Tudo Bem? E Você? costumam gerar manifestações. É > O-de-Muitos-Nomes

interessante prestar atenção se você for visitante, já que as


transmissões mais recentes são sempre fontes de discussão entre
> Pera, quê? A gente vai ter que lidar com outra invasão de
coisas de outro mundo?
os amazônicos.
> /dev/grrl

BAIRROS 20

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
a combinar essas demonstrações de combate exótico com
> As raízes retorcidas da Amazônia se alimentam de substâncias
que não tínhamos o direito de tocar. Os dragões, em sua serviços de prostitutas exóticas também. Se gosta dos seus
arrogância, acreditam que controlam tudo, mas até eles temem vícios bem sangrentos, sujos e exóticos, a Rinha deve sat-
bocarras que se estendem para engolir estrelas e sonhos. isfazê-los.
> O-de-Muitos-Nomes
> Vamo deixar bem claro que esse troço todo é repulsivo. Vários
> Puta merda. desses combatentes “voluntários” são coagidos de alguma
> Sunshine forma pelos seus agentes, lutando por não terem uma escolha,
torcendo pra que a promessa de liberdade após vitórias
suficientes não seja mentira.
DESAMOR > Pistones
Fora do circuito principal das boates, o Desamor não é uma
boate qualquer. É um local para alguns dos seres Despertos > Falando em combatentes coagidos, adivinha o que acontece
mais poderosos da cidade, sejam xamãs e magos meta-hu- com incursores das sombras que se metem com a Yakuza e
manos, espíritos livres, ou coisas menos definidas. O dono não conseguem pagar as dívidas?
do Desamor, um espírito do homem cujo poder poucos pu- > 2XL
deram sentir astralmente, de alguma forma é capaz de al-
terar a emissão arcana da boate. Toda noite ela possui uma > O Comando e a Yakuza são tipo os acionistas dessa parada, já
nova assinatura única, com um gosto distinto no ar e uma que nenhum deles têm a paciência e o jeitinho de lidar com
sensação intoxicante que atravessa a alma. A sensação é um evento desse tamanho de forma tão funcional. O cérebro
inexplicável para mundanos, mas o efeito é basicamente por traz da Rinha é um elfo adepto chamado Cícero Pereira.
esse: a emissão arcana astral do Desamor deixa Despertos O Cícero é um elfo musculoso e desgrenhado entupido de
bêbados. No entanto, até o preço de entrada do Desamor é tatuagens e perigosamente astuto. Só com sua personalidade
incomum; os clientes devem perder algo que amam. Uma forte, ele é capaz de impedir que essa empreitada seja ferrada
pessoa, um objeto, uma memória; não importa. pela ganância e impaciência dos seus parceiros. Não se meta
com esse cara.
> Puta. Que. Pariu. Vocês Despertos são doentes. > Elevado
> Pôneis

> Diga o que quiser, a vibe do Desamor é viciante pra porra. O


gostinho daquela emissão arcana ... É tipo dar uma cochilada
POLÍTICA
no Jardim do Éden, aquele cheiro de lavanda no ar enquanto
Metrópole é uma cidade, mas possui mais cidadãos do que
se escuta um rio por perto. Você se perde. Mas se conseguir se
muitas nações. Como tanto, ela precisa de um sistema de
focar nos negócios em vez do prazer, não há lugar no mundo
governo que seja páreo. Em teoria, Manaus é quem manda.
que bata a concentração de poder Desperto naquela boate. A
Na prática, o governo de Hualpa deixa Metrópole cuidar de
socialização que se pode fazer é impensável. Digo, se a sua
si mesma. A megalópole é governada por nada menos do
mente já não estiver incapaz de pensar graças ao licor astral.
que quatro prefeitos eleitos, cada um responsável por um
> Torpe
quarto da cidade. Mesmo nominalmente no comando, ess-
es prefeitos respondem para um conselho eleito.
A RINHA O efeito final é um sistema altamente ineficiente e
A Rinha é um clube da luta que não acontece num único travado incapaz de realizar manobras importantes. Sem
lugar. Ele se move por toda a cidade, mas sempre em dis- dúvida, essa era a intenção de Hualpa ao formar esse
tritos industriais ou de depósitos. Não é difícil de achar se sistema. Que os humanos se governem, garantindo que os
você está nesse meio. Esse circuito de artes marciais under- recursos e as necessidades municipais do dia-a-dia sejam
ground não é para os fracos. Organizado como uma joint cumpridas; mas crie um sistema onde a ganância e anseio
venture entre a Yakuza Komata-Kai e o Comando Verde, por poder inatos desses macaquinhos engraçados assegure
A Rinha busca trazer a famosa diversidade da Amazônia que nunca possam formar uma nação dentro de uma nação
para o combate. É possível ver metamorfos enfrentando e se unir contra Manaus. Conforme demonstrado muitas
matadores cibernéticos, anacondas contra espíritos, etc. vezes antes, Hualpa não tem dificuldades em entender a
Todos os participantes são voluntários e fortes. Vitoriosos natureza humana.
recorrentes são celebridades e ganham uma bela grana. A política de Metrópole é um negócio extremamente
Obviamente, o esquema todo é uma desculpa para apos- sujo. Corrupção, nepotismo e amiguismo sem parar. Os
tas, mas os Komata e o Comando andam cuidando de uma políticos estão bem mais interessados em cobrir os próprios
operação astuta que atraiu gente de todas as classes, inclu- rabos e se focar em ganhar mais poder do que governar.
indo alguns indivíduos muito ricos. Os Komata começaram

POLÍTICA 21

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
PREFEITOS Primeiro, os dois lados só pagam pelo sucesso. Isso significa
que ou cê pegou os dados que tava procurando ou apagou a
LÁZARO MACHADO equipe que tá indo contra. Do jeito que as coisas tão agora,
quase tudo acaba num impasse e ninguém ganha nada.
PREFEITO DO RIO DE JANEIRO Segundo, o desgaste é alto pra cacete, então esses pagamentos
Não há dúvidas de que Lázaro Machado, o prefeito eleito tão ficando cada vez maiores só pra atrair o talento. Ninguém
do distrito do Rio de Janeiro, é o mais corrupto e libertino garante que tu vai ver essa grana, chapa.
de todos os prefeitos. Pego múltiplas vezes em escândalos > Ferrão
infinitos, o prefeito de alguma forma consegue continuar
na sua posição. Ele é um ork extremamente carismático > E olha que cê nem deveria ficar longe do Machado se não quiser
que cumpre bem o papel de bobão e carioca viciado em entrar nesse joguinho. As festas do cara — e eu garanto que
festas. As histórias das suas libertinagens e festas cheias são bem mais libertinas do que os rumores sugerem — atraem
de drogas e prostituição são tão comuns que pararam de a pior vilania da cidade. Bem o tipo de gente que incursores
ser escandalosas. A atitude despreocupada desse prefeito das sombras empreendedores possam querer conhecer.
atraiu o votante carioca médio. > Kat de Nove Caudas
No entanto, apesar da atitude apática de muitos em
relação ao seu prefeito, deveriam existir votantes sérios > Por outro lado, se achar que entrar de penetra numa festa do
o bastante para retirá-lo do posto há eras. Mas é aí que Machado é uma boa ideia pra chegar num alvo participando da
vem a segunda parte da receita do sucesso de Machado, festa, é bom pensar melhor. Eu acho bem mais fácil sobreviver
uma relação íntima com os negócios. Lázaro Machado é uma jornada a pé de Metrópole a Manaus do que tentar alguma
um completo vendido das corporações. Apesar do DMAIC coisa numa festa do Machado. A segurança é braba.
definir regras estritas para os negócios no Rio e no resto > Baladeiro
da Amazônia, o prefeito as cumpre de forma bem relaxa-
da. Tornando o Rio o distrito mais receptivo para negócios
CÉSAR MOREIRA
de corporações estrangeiras, especialmente o tipo de cor-
poração que não quer lidar com as regras amazônicas, PREFEITO DE SÃO PAULO
Machado se tornou um recurso raro, um amazônico prote-
gido pelas megas. César Moreira, conhecido como O Velho de São Paulo, é
Atualmente, essa situação alcançou seu ápice. O um velho safado obstinado e teimoso que governa sua ci-
DMAIC está furioso com Machado por suas atitudes, ao dade com um punho de ferro. O decano da cena política
ponto de querer uma ação do governo (ou seja: um dragão truculenta de Metrópole, Moreira foi reeleito seis vezes,
vai comê-lo). No entanto, Manaus não possui autoridade duas dessas sob cerco de escândalos. Agora, com noventa
direta sobre os prefeitos. As megas deixaram bem claro e um anos de idade, muitos presumem que é a morte que
que farão de tudo em seu poder, desde ações legais até o removerá do seu posto antes de qualquer perda eleitoral.
intervenções militares, para manter seu amiguinho em O mandato político invencível de Moreira se deve a
poder caso Manaus desrespeite seus limites constitucion- vários fatores. Primeiro, ele tem um programa popular es-
ais, já que ninguém além de Machado seria tão insano a tilo “linha direta” transmitido na Matriz uma vez por sem-
ponto de enfrentar Manaus como ele faz. Por isso, Manaus ana, nas manhãs de quinta, onde ele responde perguntas
pode enfrentar uma rebelião corporativa caso decida inter- da população. Qualquer um pode ligar, seja rico ou pobre,
vir abertamente. Qualquer incursor das sombras pode ver a para reclamar sobre algo ou perguntar alguma coisa, ou o
solução óbvia desse problema: ativos de negação plausível. que quiserem. O prefeito vai abordar a questão e, na maio-
O Rio é um banho de sangue de incursores das sombras ria das vezes, agir. Ele não enfeita nada e fala o que quiser.
indo contra ou a favor de Lázaro Machado. Os trabalhos do Qualquer um que tenha uma demanda irreal ou simples-
governo variam desde inforroubos e vigilância de alto risco mente idiota levará um tapa verbal de acordo. Um dos mo-
para tentar adquirir evidências federativamente incrimin- tivos da popularidade do programa é ver como esse velho
atórias contra Machado até tentativas diretas de assassin- respondão despacha os idiotas. No entanto, qualquer de-
ato, enquanto os contratos megacorporativos se focam em manda recebe uma resposta justa, naquele tipo sem papas
ir contra essas tentativas, principalmente tentando detectar na língua que faz com que as pessoas o admirem.
e matar equipes do governo. O outro principal motivo para o seu sucesso é que meta-
de dos políticos em poder do Rio a São Paulo o devem al-
> Falar é fácil pra caraaaaaalho. Equipes pró-governo não gum tipo de favor. Moreira percebeu o valor de cultivar o
são novatas e tão bem cientes da situação e prontas pra se amiguismo na sua carreira. Ele ajudou e continua a ajudar
defender. O nível de poder de fogo saindo dos dois lados é políticos em ascensão em todas as partes do jogo políti-
bizarro. co de Metrópole. Ele administra um tabuleiro complexo de
> Pedra peões, uma teia de troca de favores, nunca esquecendo
> O pagamento é tentador pra caramba, mas têm dois poréns. quem deve o que e a quem. Além disso, Moreira é conheci-

POLÍTICA 22

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
do como um dos maiores Srs. Johnsons da cidade. Um dos em troca de favores dos Yaks. Por exemplo, se os Yaks ajudam a
atravessadores dele — sempre alguém que oficialmente preparar uma armadilha pra capturar incursores das sombras
não pode ser conectado a ele de jeito nenhum — cuidará incômodos que andam causando umas tretas públicas na
de todos os negócios de início. Equipes que se provaram cidade, a polícia vai deixar o Oyabun abrir um novo local de
pode ser selecionadas para trabalhos de suma importância, apostas num lugar de primeira. Esse tipo de coisa. Então, se
e nesse caso, Moreira lidará com os incursores pessoal- tiver causando problemas pra cidade, é bom você pensar com
mente. A maioria desses trabalhos se foca em causar ou cuidado sobre pedir ajuda pra Yakuza. Isso se estende até pro
evitar chantagens ou escândalos, apesar de um sequestro grande círculo de influência da Yakuza, como revendedores e
ou enviar uma mensagem de vez em quando não são inco- fornecedores. O esquema que manda é favor por favor.
muns. Todos os incursores que trabalham para Moreira de- > Mihoshi Oni
vem evitar chamar qualquer atenção e fazer o máximo para
evitar qualquer tipo de morte. Por mais que seja corrupto, KALINA STOYKOVSKA
Moreira abomina a perda de vida.
PREFEITA DO CENTRO LESTE
> Se você acha que o Moreira só usa a sua memória de noventa
Por mais que seu sobrenome revele sua ascendência búl-
e um anos pra gerenciar tudo isso, errou. Moreira tem um
gara, Kalina Stoykovska é uma elfa amazônica de segunda
banco de dados, um livrinho de todo mundo que é dele e
geração. Stoykovska é prefeita da metade leste do distrito
por qual motivo. Esse banco de dados é considerado tipo um
do Centro. Ela está quase no fim do seu primeiro mandato
santo graal na comunidade do submundo. Valendo milhões
como prefeita, e sua reeleição não parece muito estável.
para vários compradores. Qualquer incursor que consegui-lo
Infelizmente, Stoykovska herdou um distrito problemático.
pode se aposentar só com o lucro.
Um surto de assassinatos em série que duraram mais de um
> Touro
ano fez sua administração parecer fraca. O fato dos assas-
sinatos terem sido especialmente cruéis, e todas as vítimas
> Presumindo que o cara vai viver tempo suficiente pra fechar
serem meta-humanas grávidas, inflamou o medo e revolta
negócio e depois curtir a grana. A quantidade absurda de
públicas. Um rumor, cujas raízes são difíceis de traçar (mas
inimigos que isso atrairia é bizarra. Pensa bem nisso. Cada
que a polícia se recusa a comentar), diz que os assassina-
pessoa listada nesse banco de dados literalmente mataria pra
tos ritualísticos são obra de um culto naga das trevas. No
se proteger, sem contar o próprio Moreira. Tem formas mais
Centro, onde relações meta-humanas/criaturas são sempre
fáceis de ganhar uns neoienes.
um desafio, isso acabou fervendo algumas coisas. A de-
> 2XL
sconfiança racial chegou num ponto insuportável, e atos
de violência entre os dois lados ultrapassaram os limites.
> Pff. Frouxo. Se tu não tá disposto a fazer uns milhões de
A eleição de Stoykovska depende não só da sua habilidade
neoienes rapidinho e depois enfrentar inimigos pro resto da
de impedir os assassinatos, mas também na sua capaci-
vida, cê tá no ramo errado.
dade em fazer sua máquina de RP funcionar turbinada para
> Torpe
inverter o ódio público pela sua aparente incompetência.
Moreira mantém uma trégua com os poderosos clãs lo-
cais da Yakuza há anos. Moreira odeia criminosos (exceto
> Stoykovska tá desesperada. Sua força policial obviamente é
incapaz de resolver o caso, e ela não consegue arranjar um
aqueles que ele mesmo contrata), mas um cachorro velho bode expiatório — a matança precisa acabar real. Ela tentou
pragmático que nem ele contrariadamente aceita o fato de implorar por ajuda pro DISA, mas até agora não levantaram
que o crime organizado pode ser usado para reduzir a crim- uma pata sequer. Stoykovska fez algumas ligações pedindo
inalidade, especialmente os crimes violentos. Os chefes de ajuda pra comunidade das sombras. Qualquer ativo de
polícia de São Paulo fecham um olho para os locais de tráf- negação plausível no caso tem a liberdade de usar quaisquer
ico do Oyabun, em troca da ajuda da Yakuza em controlar métodos desejados para desvendar tudo. Stoykovska não se
crimes pequenos e violentos no seu território. Moreira não importa com nada além da solução desse problema
gosta de fazer muito isso; geralmente a Yakuza tem per-
> Metido
missão de manter uns dois endereços específicos como lo-
cais de tráfico e vício, com o acordo de que qualquer coisa
> Cuidado com aqueles que buscam esta escuridão. A bocarra
além disso está sujeita à ação policial. A Yakuza descobriu só leva à garganta.
(com muito esforço) que, tirando esse arranjinho, o prefeito
> O-de-Muitos-Nomes
não pode ser obrigado a permitir mais impunidade

> O decreto do Moreira pros seus chefes de polícia é bem NELSON BASTOS
estrito com o que a Yakuza pode fazer de forma impune, mas
muitos policiais tomaram a liberdade de expandir isso um
PREFEITO DO CENTRO OESTE
pouquinho. Muitos vão “ampliar” o escopo do que não verão Nelson Bastos tem a curiosa honra de ser o único pre-

POLÍTICA 23

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
feito assumidamente vampírico do mundo. Infectado pelo transmissão ao vivo do Bastos avacalha foda a capacidade
VIVO, Bastos conseguiu chegar no seu segundo mandato dele de conduzir acordos ilícitos, mas ninguém vira político de
do seu canto de Metrópole, mostrando que praticamente sucesso em Metrópole sem se meter em sujeira, e não importa
qualquer coisa rola na Amazônia. Bastos optou por uma o quanto a galera queira acreditar em cavaleiros bondosos.
estratégia de transparência para convencer os eleitores de Bastos lida com todos os seus negócios sujos com sua braço
que não é um monstro. Ele grava quase toda a sua vida direito, Flora, que também é vampira. Flora contrata muitos
em tempo real, com a transmissão disponível pela Matriz. incursores das sombras e ela paga bem pra caramba.
Claro que, sendo um prefeito, ele é chamado de vez em > Fianchetto
quando para sessões à portas fechadas, quando ele desliga
a transmissão. Isso deu munição aos seus opositores para > Flora não é só o Johnson do Bastos, é a irmã do cara. E ela não
alegar que ele faz todo tipo de coisa impensável durante tem nenhuma das virtudes do seu irmão. Ela é cínica, dramática
essas supostas reuniões, mas essas teorias da conspiração e um tanto cismada. Isso faz dela uma ótima vampira.
são quase sempre ignoradas. > Rubro
Bastos, é claro, é próximo à causa das vítimas do VIVO,
falando abertamente sobre a exclusão dos Infectados da > Supostamente tem roupa pra lavar (suja de sangue? hue) entre
sociedade e pacientemente repetindo fatos sobre os Infec- Bastos, Flora e o Ordo Maximus. Nem sei o que rolou, mas ter
tados para acabar com qualquer equívoco. Ele é uma pes- esses bichos-papões como inimigos não deve ser nada bom.
soa muito eloquente e fotogênica, o que não tem nada a ver Diz a lenda que a última tentativa de assassinato, o que Bastos
com qualquer poder vampírico. Na verdade, mesmo com teve que quebrar o pescoço da mina, tinha algo a ver com o
quase todos os vampiros sendo Despertos, Bastos alega Ordo Maximus.
ser apenas um mundano. Todos os indivíduos Despertos > Pistones
que o sentiram astralmente concordam com a alegação, o > Seja lá o que tiver rolando, aposto que precisam de incursores
que significa que ou realmente é um mundano ou é um das sombras.
iniciado com poderes tão fora da casinha que é capaz de > 2XL
ocultar sua aura verdadeira de todos. Mais uma vez, os

O CONSELHO
doidos por teorias conspiratórias sabem qual das versões
acreditam ser verdade.
O Conselho é o enorme aparato político imediatamente
> Não tem nem discussão. Vampiros não são mundanos. Tenha sob os prefeitos. Tecnicamente, os prefeitos é quem man-
medo. dam, mas o Conselho tem poder mais do que o suficiente
> Ferrão para garantir que os prefeitos precisem do suporte do Con-
selho para fazer qualquer coisa. Como tanto, e como pro-
Talvez não seja surpresa que Bastos tenha sido alvo de jetado por Manaus, os prefeitos e o Conselho estão num
várias tentativas de assassinato, principalmente de auto- estado de impasse perpétuo.
intitulados caça-vampiros e um fundamentalista cristão Não é um pré-requisito que um prefeito tenha sido
que acreditava que ele era o diabo encarnado. Em todos parte do Conselho, mas a maioria deles costuma passar
os casos salvo por um, as tentativas foram impedidas pela um tempo lá. O motivo é simples: O Conselho é tipo uma
equipe de segurança pessoal do prefeito, mas num dos prisão. Assim como um ladrãozinho aprendendo todos os
eventos, gravado pela transmissão ao vivo do vampiro, truques do ofício com outros detentos, políticos fresquin-
Bastos foi forçado a matar seu agressor, uma mulher que hos entrando no Conselho logo acabam tendo suas ideo-
conseguiu entrar nos seus aposentos pessoais. A trans- logias arrancadas na porrada para aprender que na política
missão mostra Bastos matando-a com as próprias mãos. de Metrópole, assim como no resto do mundo, só importa
O vídeo viralizou com as tietes do prefeito, mas o evento de quem você é dono. O Conselho é uma teia complexa de
teve um efeito profundamente traumático para ele. Anális- relacionamentos onde aliados viram inimigos com o jogar
es do vídeo levaram a sugestões de que sua linguagem de uma moeda. Só importa quem você pode comprar ou
corporal e as poucas sentenças que mal puderam ser ou- coagir para votar como você. Para ser prefeito, é necessário
vidas implicam que ele conhecia pessoalmente a mulher, fazer contatinhos e entender como ser dono deles, algo
mas Bastos negou isso, e nenhuma ligação foi formalmente que apenas anos no maquinário infernal do Conselho pode
descoberta. ensinar.
Apesar de todo esse showzinho da sua vida pessoal, Mesmo com cada Conselheiro sendo eleito, suas ações
Bastos tem uma reputação com seus cidadãos — aqueles não são geralmente visíveis ao público; quem sofre o gros-
que não acham que ele é um demônio que quer escravizar so da exposição pública são os prefeitos. Isso significa que
a meta-humanidade — como sendo incorruptível, eficiente, não há incentivo real para o Conselho aparentar eficiência,
generoso e honesto. muito menos ter eficiência. Quando os prefeitos querem
que algo seja feito, pode levar meses ou anos para um voto
> E a gente nas sombras sabe como funciona o esquema. A majoritário se formar, com os Conselheiros trocando de

POLÍTICA 24

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
ideia, fazendo com que o preço dos seus votos aumente trabalhando nesse circuito por anos, aceitando trabalhos do
cada vez mais. Isso paralisa Metrópole, e qualquer projeto Conselho sem parar, e mano, vai te deixar cínico pra cacete. O
de alto risco deve seguir pelo Conselho dando murro em Conselho é tão podre que até eu teria nojo — se a grana não
ponta de faca. fosse tão boa.
A posição de Conselheiro tem um salário ridículo, então > Cayman
a única forma de sobreviver é através de suborno, conluio e
corrupção. O dinheiro é o único poder de verdade nessa ci-
dade. Para ganhar influência, os Conselheiros precisam de
OUTRAS INFLUÊNCIAS
dinheiro para comprar seus iguais. Então quanto mais din- DISA
heiro ganharem através de subornos, mais podem gastar
Todo cidadão da Amazônia conhece e certamente desgos-
em influência para aprovar projetos em que podem grudar
ta do DISA (o Departamento de Inteligência e Segurança
que nem sanguessugas.
da Amazônia). No entanto, a maioria provavelmente é mais
familiar com seu nome de rua, as Sombras Negras. O DISA
> Preciso mesmo dizer que o Conselho é uma fonte sem — cuja liderança não contém meta-humanos, apenas cri-
fim de trabalho? Esses caras são ridículos. O sistema é tão aturas Despertas — responde diretamente a Hualpa, mas
opaco que eles nem temem repercussões legais. O trabalho costuma operar autonomicamente sem supervisão. O
costuma centrar em roubos de dados, vigilância, chantagem e DISA é responsável pela segurança do estado, seja prote-
contrachantagem, mas o trabalho sujo costuma ser frequente gendo-o de forças externas (como Aztlan) ou forças inter-
também. nas (como insurgentes pagos por Aztlan). O Departamento
> Cosmo é composto de um enorme escritório de analistas de todos
os tipos, assim como agentes ativos de campo. Quase todo
> Mas se você é do tipo de gente que quer mudar o mundo, o pessoal são criaturas Despertas, e quase todas essas cri-
esse tipo de trabalho pode não ser pra você. Conheço gente aturas podem ser descritas como anti-meta-humanas.

POLÍTICA 25

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
Hualpa sempre indicou que a meta-humanidade tem visão mais complicada cos meta-humanos com quem com-
seu lugar no mundo, o problema é que poluímos demais partilham suas vidas. Certamente, aos seus olhos, sempre
e não sabemos nossos limites. A Amazônia, na visão de seremos criaturas infelizes, mas elas discordam de como o
Hualpa, é um equilíbrio entre meta-humanos e Gaia, um DISA nos vê e nos trata A maioria dos informantes do DISA,
lugar onde paramos de agir como vírus devoradores de re- na verdade, é formada por outros meta-humanos que es-
cursos e mais como qualquer outro animal do mundo, vi- tão vendendo seus irmãos e irmãs.
vendo em equilíbrio com nosso ambiente. Filosoficamente Os agentes de campo do DISA, as Sombras Negras, são
não é tão ruim. criaturas mortais. Metamorfos de todos os tipos compõem
O problema é que a grande maioria das criaturas Des- a maioria delas, sendo extremamente versáteis. Mas dra-
pertas da Amazônia não compartilham do ponto de vista cos, espíritos livres e dracoformas (incluindo dragões) não
de Hualpa. Se não fosse por Hualpa, a maioria das criaturas são incomuns. Surpreendentemente, também existem
Despertas mataria todos os meta-humanos e derrubaria muitos agentes de campo meta-humanos. Alguns estão
suas cidades com alegria. No entanto, talvez ainda mais do lá para provar que as criaturas estão erradas, mostrando
que os meta-humanos, quase todas as criaturas Despertas que metas “bons” estão tão interessados em acabar com
temem Hualpa e obedecem a ele e às suas leis, mesmo que metas “ruins” quanto qualquer criatura sapiente. Alguns
secretamente discordem dele. estão lá porque concordam com as criaturas, e odeiam a si
Os agentes e oficiais Despertos do DISA são (entre todas mesmo e à própria espécie. Seja como for, esses agentes
as paracriaturas sencientes da Amazônia) os com mais re- meta-humanos certamente têm algo a provar, então cos-
galias em expressar seu desgosto. O mandato do DISA tumam ser ainda mais fanáticos nas suas ações do que as
se expressa como uma forma de polícia secreta. O DISA criaturas.
acredita firmemente que nós macacos estamos constan- Se o DISA considera as vidas dos cidadãos comuns pre-
temente planejando e tramando para derrubar o governo ocupantes o bastante, os políticos de Metrópole têm um
Desperto e restaurar um governo pró-Corte Corporativa e lugarzinho especial no seu coração. No entanto, a não ser
anti-Gaia. Ele acredita que nossa natureza nunca mudará, que haja uma prova real de colaboração com grupos dis-
que somos egoístas, gananciosos e destrutivos por nature- sidentes conhecidos ou agitadores estrangeiros (ou seja:
za. É impossível chegar a um acordo conosco, não podemos Aztlan), o DISA não pode agir tão diretamente contra tais
ser iluminados; apenas contidos e controlados. Portanto, figuras públicas. Há uma regra de ouro de que Metrópole
deve ser governada pelos meta-humanos como eles acha-
seu comportamento é infiltrar todos os aspectos da nossa
rem necessário. Mas assim como em todos os outros lug-
sociedade e nos infiltrar. O DISA não faz distinção entre
ares, a política é um negócio sujo. Aqueles que oferecem
vida familiar, vida trabalhista e tempo de lazer. Pensamen-
uma mãozinha para políticos precisando de ajuda tendem
tos e ações de traição podem surgir a qualquer momento e
a ser bem quem o DISA quer caçar. Justamente por isso
devem ser respondidas de imediato.
rola um joguinho incrível de espionagem e trairagem entre
É claro que nenhuma agência do mundo, mesmo uma
os políticos e o DISA. Os políticos costumam virar espe-
com dragões como analistas de inteligência, pode monit-
cialistas em espionagem para sobreviver às tentativas de
orar a população amontoada de Metrópole de forma efi-
vigilância do DISA, enquanto tentam trocar favores por
ciente e perfeita. Então os agentes do DISA entram e saem
poder de grupos escusos e nada agradáveis.
das vidas das pessoas, monitorando, julgando e agindo. É
difícil de determinar o que eles consideram crimes import-
antes o bastante para agir. O DISA sabe bem dos traficantes DMAIC
das favelas, mas eles continuam operando. Por quê? Porque Departamento do Meio-Ambiente, Interior e Comércio, ou
as drogas que fornecem mantêm os outros macacos na DMAIC, é um ministério federal com um nome autoexpli-
linha, distraídos e escravizados pelas substâncias tóxicas cativo. Assim como todos os departamentos de Hualpa
que ingerem para agir contra o Estado. Claro, eles cometem saídos de Manaus, ele é incrivelmente poderoso. O DMAIC
crimes — mas que as agências da lei comuns lidem com é a extensão da vontade de Hualpa em questões de comér-
isso. No entanto, basta se embebedar no bar e falar meio cio. No entanto, na Amazônia, como sugere o título desse
alto demais contra Hualpa e é capaz de você nunca chegar departamento, o comércio está inexoravelmente ligado ao
em casa. O Departamento regularmente precisa ser bota- meio-ambiente e o cerne de toda a política doméstica.
do na linha por Hualpa, lembrando que os meta-humanos A Amazônia decidiu não ratificar os Acordos de Recon-
e os Despertos devem viver em equidade e harmonia na hecimentos de Negócios, cujo maior princípio é a extra-
Amazônia. No entanto, apesar das réplicas públicas, o De- territorialidade das megacorporações. Poucos países
partamento nunca foi reestruturado, deixando muitos pen- do mundo puderam desafiar a Corte Corporativa dessa
sando que Hualpa discretamente aprova dos seus métodos. maneira. A preocupação da Amazônia nessa questão é o
O DISA tem uma enorme rede de informantes. Ironic- meio-ambiente, é claro. Corporações extraterritoriais têm
amente, a maioria das criaturas Despertas que vivem em poucas limitações em poluir em nome do lucro, e o gov-
Metrópole se recusam a trabalhar com o DISA. Essas cri- erno Desperto não aceitará isso. Por isso, as corporações
aturas que escolheram viver na cidade tendem a ter uma têm de lidar com um grosso códice de leis e obrigações

POLÍTICA 26

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
que devem respeitar quanto ao meio-ambiente em suas a perceber que quem sabe eles não conseguiram evidências
operações na Amazônia. porque não existia nenhuma, porque a corp tava seguindo
No entanto, Metrópole possui um status especial den- as regras. Daí tu percebe que teus operadores do DMAIC tão
tro da Amazônia, como uma zona desregulada, onde os cagando pra isso. Cagando e andando. E tu pensa naquela mãe
negócios são deixados mais livres. Inspetores do DMAIC solteira escrava de aluguel se ferrando pra sustentar a família
ainda fazem inspeções, mas seria necessário um exército que acabou virando “dano colateral” na tua última incursão,
(coisa que o DMAIC não tem) para inspecionar tudo apro- e tu sabe que a missão era zoada, mas tu recebe tapinhas nas
priadamente. Além disso, por mais que corps pequenas costas da galera do DMAIC. Pode pensar o que quiser, mas
sejam fáceis de investigar e pressionar, as megas sabem sou bem mais um trabalho “desalmado” do Conselho do que
jogar esse joguinho bem demais e escondem todo tipo de trampar de novo pro DMAIC.
coisa em todo tipo de lugar. Justamente por isso, o DMAIC > Béquer
é uma das instituições mais fracas da Amazônia na cidade.
CONSELHO URBANO DE
> Não exatamente, né. O DMAIC fica extremamente frustrado por
não conseguir fazer seu trabalho direito. E, como qualquer um METRÓPOLE
do Departamento vai dizer, seu trabalho é o mais importante Metrópole não existia cinquenta anos atrás. Rio de Janeiro
de toda a Amazônia. Afinal de contas, Hualpa tomou a floresta e São Paulo existiam e tal. Metrópoles movimentadas,
para protegê-la, e o DMAIC é a encarnação dessa iniciativa. chegando a quase vinte milhões de habitantes, as duas
Então o que sobra é um monte de criaturas e pessoas (a vazando pelo ladrão, sofrendo só para acomodar toda essa
maioria extremamente ideológica) que fica todo puto com o gente. Da noite para o dia, vieram as ordens para quadrup-
fato de que geralmente não conseguem acabar com poluidores licar essa capacidade.
e abusadores graças à falta de provas. O DMAIC reconcilia isso A humanidade raramente testemunhou projetos desse
tendo uma cultura de vigilantismo. Então, mesmo sendo a escopo. Em termos relativos, as pirâmides erguidas pelos
autoridade, o DMAIC costuma contornar suas próprias leis pra faraós no Egito Antigo são piada. Então como é que se cria
contratar incursores das sombras pra atacar as corporações a maior cidade do mundo da noite para o dia? Com muito
que quebrem as regras planejamento. É aqui que o Conselho Urbano de Metrópole
> Eva Cua entra. Essa entidade governamental monolítica comanda o
planejamento e gerencia toda construção em Metrópole.
> Entendi nada. Por que não mudam as regras, ou alteram um Antigamente, o Conselho Urbano era o herói descon-
pouquinho pra poder ter uma eficiência mais agressiva? hecido da Amazônia. Consistindo de urbanistas, gerentes
> /dev/grrl de projetos, arquitetos e engenheiros, o Conselho fun-
cionou vinte e quatro horas por dia para organizar a con-
> A situação com o DMAIC reflete bem pra caceta a atitude strução de todo o megacortiço, fazendo licitações atrás de
esquizofrênica de Manaus com Metrópole. Eles tomam toda pessoas capazes, equipes de construções (quase sempre
a selva e ameaçam matar qualquer um que abuse dela, daí os refugiados recém-chegados — ótima forma de ocupar
castram as agências que cuidam justamente disso dentro de essa gente) e conseguindo suprimentos, tudo aderindo os
Metrópole porque precisam “dar uma chance aos humanos”. éditos e decretos do conservacionismo da natureza e do
Só que os vários braços governamentais sempre contratam meio-ambiente.
extremistas altamente ideológicos ... então tentar dizer que o Agora, quarenta anos depois, a cidade continua a ter
trampo deles em Metrópole é tipo “olhe, mas não toque” é construções sem fim. No entanto, o Conselho Urbano de
meio bizarro. A cultura departamental do DMAIC é totalmente Metrópole mergulhou num pesadelo político e burocrático.
contrária com seu mandato pra cidade. E não é tipo um barril Nada acontece a não ser que essa organização egocêntrica
de pólvora prestes a explodir — já explodiu. aprove. Como o Conselho recebeu poder demais com pou-
> Kay Sta. Irregular ca responsabilização, a corrupção corre solta. A burocra-
cia em excesso pode atrasar até mesmo a construção de
> Tem muito trabalho lixo de merda em Metrópole, mas edifícios pequenos, chegando ao ponto de tornar o projeto
francamente, trabalhar pro DMAIC pelo menos parece que tu nada lucrativo. A corrupção corre solta; os subornos são a
trabalha pros mocinhos. única coisa capaz de atravessar a burocracia. Do outro lado
> Pedaleira da balança, projetos pequenos costumam ser ignorados,
resultando em milhares de projetos não licenciados sur-
> Porra, isso é o que tu pensa. É o que a gente pensa. De prima, gindo por todos os lugares. Prédios vagabundos surgem
tu concorda que as corporações malvadas tão só usando no que deveriam ser becos, apoiados pelas estruturas nas
as brechas legais e manipulação pra se livrar do que elas laterais. Puxadinhos são construídos no topo de prédios
merecem. Daí porra, tu manda as evidências pro caralho, entra existentes, vazando como cânceres nos telhados vizinhos.
atirando, se sente benzão. Depois nota que o DMAIC parou Esses tipos de extras vagabundos e não licenciados são
há muito tempo de se esforçar pra qualquer coisa. Começa chamados de segunda via. É importante saber disso, já que

POLÍTICA 27

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
endereços marcados com “s.v.” significam que você deve Com o que os russos se preocupam? Com as forças Despertas
procurar pelo puxadinho, não o prédio abaixo. Iacutas. O Comando Verde era o fornecedor número um de
Dito isso, o Conselho Urbano de Metrópole é primordial armas e suprimentos pros Iacutos — agentes especialmente
na política da cidade. É impossível que qualquer prefeito desestabilizantes da guerra das sombras em Vladivostok.
consiga qualquer coisa, inclusive a reeleição, sem suporte Numa manobra de mestre, eles apagaram o Diogo, usando os
do Conselho Urbano. Não só ele controla todo tipo de pro- rumores da sua associação com dragões.
jeto público, mas também (até certo ponto) os privados. > Plano 9
Isso significa que o Conselho Urbano pode atrapalhar (e
muitas vezes o faz) projetos de construção de corporações > Tenho uma chapa que viu as ruínas queimadas onde rolou o
quando não é obedecido. As corporações rapidamente re- ataque. Esse tipo de destruição é bem coisa de dragão. Como
cebem o recado e orquestram uma mudança na liderança cê explica isso?
cívica para tirar o Conselho Urbano da cola delas. > Winterhawk

> Esse pesadelo de putaria corrupta e burocrática é, como deve > Fácil. Os russos tinham uma carga secreta de Sutr que usaram
ter adivinhado, altamente lucrativo pra gente. Tem um fluxo pra fazer parecer que foi obra de um dragão.
infinito de incursões pra conseguir material de chantagem, > Plano 9
apagar chantagistas, adquirir evidências incriminatórias,
adquirir inteligência sobre planos futuros, entregar mensagens > Segura as teta aí. Nada define “proibição internacional” como
de todos os tipos, e assim por diante entre todos esses cuzões. a nanoarma horrível que Noite Invernal usou pra derreter as
> Cosmo pessoas durante a Crise 2.0. Nem a pau eu acredito que os
russos tinham essa parada, e acredito menos ainda neles
> Não é exatamente rotina. O Conselho Urbano de Metrópole é usando de forma tão casual.
uma entidade curiosa. É o braço governamental mais público e > Engenhoca
acessível de toda a Amazônia, mas se enfiou num dos maiores
segredos da liderança Desperta. O mojo que foi usado pra > Exatamente o que eles querem que você pense.
acelerar a construção de Metrópole não é magicazinha de > Plano 9
festinha de aniversário. Tamos falando de magia mesmo.
Muita gente quer saber esses segredos. Muita gente morreu > Tá, chega, vão falar disso num subfórum.
tentando conseguir eles. > Touro
> Fianchetto
O que aconteceu depois é mais conhecido. A segunda

SUBMUNDO
em comando, Aitana, uma onça metamorfa sociopata e as-
tuta que adora combates gladitoriais até a morte, sempre
foi considerada como uma líder mais capaz. Mas ela sem-
COMANDO VERDE pre deixou Diogo cuidar de tudo. Só que logo após a morte
O Comando Verde tem uma longa história em Metrópole. dele, ela logo encontrou sua voz. Assim que Diogo estava
Supostos descendentes da infame gangue Comando Ver- fora do caminho, a maioria dos grupos concorrentes acha-
melho do Brasil (da época da virada do século), ninguém vam que o tempo do Comando acabou, então começaram
sabe exatamente como a organização conseguiu sobre- a entrar no seu território. E se depararam com um Coman-
viver, muito menos prosperar, com o nível absurdo de de- do Verde organizado e revitalizado mais do que capaz de
sorganização que a afetava. Em competição direta com os revidar. As pequenas guerras de gangues que brotaram nos
Cartéis Fantasma e as outras gangues menores (mas muito territórios do Comando Verde logo foram resolvidas.
agressivas) do megacortiço, o Comando Verde teve uns Surpreendentemente, já que vai totalmente contra sua
anos difíceis recentemente. personalidade, Aitana acabou muitas das guerras através
A virada na gênese do atual Comando Verde foi a morte de negociação e concessões mutualmente benéficas. O
do seu líder supostamente imortal, Diogo Caô. Poucas pes- Comando Verde reduziu seus membros gerais, mas tor-
soas sabem como aconteceu, mas se os rumores forem nou-se mais elite. Agora ele favorecia a federação e a ter-
verdadeiros, um dragão acabou com ele, junto com um ceirização com dúzias de gangues menores.
quarteirão inteiro. Não se sabe qual dragão, nem o motivo. O novo Comando Verde de Aitana era uma gangue al-
Acredita-se que o Comando sobreviveu de alguma forma tamente envolvida com todo tipo de aliança. A natureza
em grande parte com suas relações a um dos principais dos gangueiros é ficar estupidamente gananciosos, então
dragões da Amazônia, ou Sirrurg ou M’boi, então o ataque o Comando passa bastante tempo quebrando a cabeça de
pode ter alguma relação com isso. aliados traidores, mas sempre que uma gangue trai o Co-
mando, duas novas entram para a aliança.
> Todo mundo acha isso, mas é bem o oposto. Forças do
Spetsnaz da Rússia tavam em Metrópole por algum tempo. > Isso faz com que entender a política das gangues de Metrópole

POLÍTICA 28

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
um treco que exige muita dedicação. Caso se meta com uma
quando chegam no Japão, são forçadas à prostituição pelos
gangue, precisa estar ciente dos eventos atuais pra saber pra
seus novos donos. As armas de fogo amazônicas também
qual gangue você pode pedir ajuda. Caso contrário, seu aliado
chegam às mãos das Yakuza do mundo todo. Mesmo com
provavelmente vai te vender.
a Amazônia sendo um porto de origem global e importante
de químicos e drogas Despertas, os Komata só suprem os
> Kay Sta. Irregular
gumi do Japão com esses recursos, deixando boa parte da
> A liderança bem-sucedida da Aitana é bem simples, ela delega
exportação internacional para outros grupos criminosos de
prum punhado de conselheiros confiáveis. Diz a lenda que
esses conselheiros são da Sibéria ...
Metrópole
> Mihoshi Oni
> Comparado com outros grupos Yakuza que você pode ter visto
noutros lugares, os Komata não parecem tão sofisticados.
YAKUZA: KOMATA-KAI Há um quê de falta de profissionalidade neles. Os Komata
São Paulo sempre teve uma grande população de imi- são chamados de gurentai — “vadios” — pelos imigrantes
grantes japoneses bem antes da virada do século. Essa japoneses locais. Eles costumam ser incômodos, imprudentes,
população essencialmente nunca parou de crescer, já que a altamente agressivos, e bebem durante o trabalho. Isso os
ascensão das japanacorps fizeram com que mais assararia- torna um tanto imprevisíveis. Mesmo assim, eles são um
dos aceitassem posições em Metrópole. Chegando na cola sindicato bem importante, e provavelmente você vai ter que
desses escravos de aluguel imigrantes, sempre dispostos a lidar com eles, especialmente em São Paulo
fornecer o vício e o entretenimento em demanda, estava a > Mihoshi Oni
Yakuza.
Metrópole — toda a Amazônia, na verdade — é território
Kamota-Kai gumi. Os Kamota-Kai são parte do global
FORÇAS DA LEI
Watada-rengo, conhecido por seu tradicionalismo estrito As forças da lei de Metrópole têm dois sabores distintos:
e respeito pelos Velhos Costumes. Mas se há um lugar do pública e privada. As forças públicas das agências da lei
mundo onde “tradicional” não se aplica, é a Amazônia. En- são os policiais de rua comuns. As delegacias de polícia
tão como essa contradição funciona? dos quatro distritos têm uma falta de recursos equivalente,
A resposta é simples. A Amazônia como um todo é um o que as impedem de ser eficientes. Os crimes são investi-
exemplo de diversidade e tolerância — todo mundo se gados — às vezes, e para algumas pessoas.
odeia, mas de uma forma tolerante — mas os transplantes Mas o que os policiais não têm em mão-de-obra, eles
das japanacorps alegremente se fecham para esse mundo compensam com poder de fogo e exagero. Eles não fazem
e criam um gueto cultural. As japanacorps — Mitsuhama, batidas; eles declaram guerra. O equivalente local da SWAT,
Shiawase, Monobe, Sony, Renraku, Yakashima, e assim por o BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais), aparece
diante — encorajam uma certa cultura entre os seus ci- nos seus blindados pretos (chamados de Caveirão) e mata
dadãos, e essa cultura se firma na mentalidade japonesa (“pacifica”) tudo o que não pode prender. Todos os dias,
tradicionalista. O senso de “nós” nunca será tão poderoso dúzias de batidas acontecem pela cidade, o que pode pare-
enquanto um “eles” poderoso existir. Pode esquecer os oni, cer bastante, mas num cortiço do tamanho de Metrópole,
orks e trolls desonrados; há coisas andando nas ruas daqui! acaba não sendo tanto assim. O truque é basicamente não
Inclusa nessa intensa necessidade de coisas tradicio- estar por perto quando rolar uma batida.
nais está a necessidade por vícios tradicionais. Prostitutas
oferecidas bem do jeito que os assarariados gostam, salas > Esses bad boys, o BOPE, são milspec. São mais do que capazes
de apostas, MQTs do Japão, e outras formas de entreten- de acabar com uma equipe incursora das sombras experiente.
imento cada vez mais estranhas — é o que os Komata-Kai Em Metrópole, é o que diferencia os idiotas dos profissionais.
oferecem para Metrópole. Mesmo com o principal objetivo É só manter seus pagamentos de proteção pros políticos
sendo servir a comunidade japonesa, os Komata-Kai não e infiltrados que tu fica sabendo onde o BOPE vai bater. Se
têm problemas em aceitar dinheiro de outras pessoas Mas estiver no lugar onde o BOPE tá, não tente atirar de volta. Só
é bom saber que você será tratado como um cliente de se- corre.
gunda-mão. > Kane
Tirando a necessidade do mercado local, os Komata
também se envolvem muito em tráfico. Metrópole é um > LComo toda autoridade, eles não te caçam em jurisdição
enorme fornecedor de prostitutas, armas e drogas para o extraterritorial. Também têm uns lugares onde nem o BOPE
Japão. Os Komata-Kai recrutam vítimas e as enviam para entra — os corações profundos e sombrios das favelas, e
o Japão. O grosso delas são meta-humanos típicos, mas lugares fodidos que nem o Paredão.
ser capaz de oferecer prostitutas que são criaturas sapien- > Eva Cua
tes na sua pátria é um nicho lucrativo que só Metrópole
pode oferecer. Em quase todos os casos, essas vítimas O buraco do policiamento público de Metrópole é co-
geralmente ingênuas são recrutadas sob falsos pretextos e, berto por uma quantidade absurda de firmas licenciadas

POLÍTICA 29

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
de segurança privada. Metrópole privatiza a segurança de armadas do Brasil certamente tinham vários patriotas
uma forma e tanto. A barreira de entrada para empresas de linha-dura. Após a rendição da nação, o novo governo Des-
segurança particular é bem baixa; os guardas de segurança perto cuidadosamente eliminou as forças armadas. Partes
só precisam de um SIN válido e nenhuma ficha criminal. enormes do exército foram mantidas, mais para ajudar a ti-
Claro que, essas duas coisas são bem fáceis de burlar com rar sua própria espécie do interior, mas também para man-
credenciais falsas. ter essa gente treinada ocupada. No entanto, vários oficiais
A segurança privada está por toda a Metrópole, vari- sumiram durante o caos, ou graças a Hualpa, ou até mesmo
ando desde guarda-costas até investigadores particulares por Sirrurg eliminando (comendo) os problemáticos. Pode
licenciados investigando crimes variados. Na maioria dos apostar que os oficiais que previram isso (se é que foram
casos, detetives particulares são o único recurso de uma capazes) se esconderam.
vítima, já que os detetives das forças policiais são tão pou- Faz quarenta anos desde esse dia, então certamente al-
cos e com tão pouca empatia. Com certa papelada, os ci- guns dos soldados originais ainda estão por aí. Mas, mon-
dadãos podem até conseguir ressarcimento do governo tado em fundações tão firmes, o grupo seria facilmente
por contratar segurança e investigadores privados, tornan- capaz de continuar a recrutar e treinar futuras gerações de
do o esquema todo acessível para o cidadão e lucrativo rebeldes para continuar a luta pelo Brasil.
para as companhias. A Voz opera em toda a Amazônia, em todas as cidades.
Suas ações mais diretas são assassinato e sabotagem, mas
> Se você é um incursor das sombras em Metrópole, pode reunir suporte à causa é de longe seu talento mais perigo-
apostar que vai enfrentar guardas privados e, se não cobrir so, e a razão para o DISA caçá-la de forma tão impiedosa.
bem seus rastros, vai ter uma equipe de investigação atrás do Hualpa precisa construir a ponte entre a divisão da me-
seu rabo. E pode esquecer a imagem do palhaço de sobretudo, ta-humanidade e das criaturas Despertas de Gaia para con-
chapeuzinho e pistolinha. Equipes investigadoras privadas com seguir criar uma Amazônia unida. Assim deve sê-lo, pois
a missão de perseguir incursores das sombras pra recuperar Hualpa tem mais com o que se preocupar do que a admin-
o que você pegou são, basicamente, equipes incursoras das istração civil de um país. Assim deve sê-lo, ou Aztlan os
sombras também. Vão ter cibernéticos, magias e armamento engolirá a todos. Assim deve sê-lo, ou coisas piores, coisas
de alta potência — tipo os seus. Às vezes melhores. que não entendemos, cairão sobre nós.
> SenseiPerigoZo A dissidência que A Voz e outros grupos parecidos
causam é inaceitável, e certamente a maior ameaça à

OUTROS GRUPOS Amazônia. No entanto, depois da recente vitória de Azt-


lan na guerra na fronteira no norte, assim como no teatro
político internacional, os amazônicos desacreditados estão
A VOZ em números cada vez maiores. Eles têm motivos para duvi-
A Amazônia adora projetar uma imagem do equilíbrio entre dar do seu líder. Eles têm motivos para pensar que as forças
a humanidade e a Mãe Natureza, o sucesso da alma sobre poderosas e invencíveis que eliminaram seu exército em
o materialismo do mundo megacorporativamente coman- tão poucos dias talvez não sejam mais tão poderosas. O
dado. O lance é que a Amazônia teve um preço. Milhões deus sangra ...
de refugiados desalojados dentro do seu próprio país, re- Por isso, Metrópole testemunhou um enorme aumento
alocados em cidades que não os queriam. Famílias foram de atividades insurgentes nos últimos tempos. Armas par-
separadas, vidas foram despedaçadas. Se você acha que tem dos traficantes de armas do mercado negro da cidade
todos os brasileiros aceitaram seus novos senhores reptili- para contramestres da Voz. Cada vez mais gangueiros e
anos com alegria e gratidão, esquecendo e perdoando o mercenários, juramentados a manter segredos que cospem
custo da criação da Amazônia, errou feio. após algumas bebidas, deixam escorregar sua afiliação ao
Há dúzias de grupos rebeldes com um ódio intenso grupo. Representantes, comboios e instalações do gover-
que nunca esquecerá nem perdoará, nunca irá parar de no foram destemidamente, violentamente e profissional-
lutar até que a Amazônia seja dos humanos novamente. mente atacados por brigadas da Voz. Dizem que o grupo
Desses grupos, o maior e mais organizado é A Voz. Vendo está se preparando para dar início à uma insurgência real e
como o DISA caça impiedosamente e tranquilamente tais nacional com a intenção de liberar certos locais estratégi-
membros, simpatizantes, parentes de simpatizantes e até cos. Metrópole é grande demais para eles no momento,
mesmo as pessoas que dizem “oi” aos parentes de sim- mas ela permanece um centro vital de fornecimento como
patizantes desses grupos, a coberta de discrição em volta campo de batalha.
da Voz é bem grossa. A desinformação, alimentada pelo
próprio grupo e perpetuada por fofoqueiros, corre solta.
As histórias mais críveis da fundação e da liderança do
grupo têm relação com militares sobreviventes da guerra
de 2034. Os soldados não são o tipo de gente que diz “per-
demos, segue o baile” quando a coisa dá ruim. As forças

POLÍTICA 30

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
INFORMAÇÃO C
3
A
4
R
4(5)
F
3
F
4
L
5 6
I CA
5
ESS
4.2
TRU
4

DE JOGO Monitor de Condição


Armadura
10/10
6
Limites Físico 5, Mental 7, Social 7(9)
PDMS DE EXEMPLO Iniciativa Física
Perícias
11 + 2D6
Grupo de perícias de Atuação 6, Disfarce 5, Etiqueta 5,
MEMBRO DO BOPE (HUMANO) Percepção 7, Pilotar Aeronaves 2, Pilotar Veículos Terrestres
2, Pistolas 4, grupo de perícias de Furtividade 7, Combate
Desarmado 3
Equipes de intervenção do BOPE contêm uma variedade
Perícias de Português Amazônico N, Inglês 5, Direito 4, Metrópole 4,
de especialistas, incluindo um fusor, um hacker de com- Conhecimento Procedimentos Policiais 4, Identificação de Gangues de Rua 2
bate e um mago. Mas o grosso da equipe é composta Qualidades SINado (Nacional)
de fuzileiros generalistas que estão lá para derrubar cor- Ampliações Ciber-orelhas [Nível 3, c/ melhoria de áudio 3, filtro de som
pos no chão. Graças ao ambiente urbano e caótico de selecionável 6], cibermão [Nível 3, c/ visão na penumbra, drone
ocular, melhoria de visão 3, ampliação de visão], conector de
Metrópole, as equipes do BOPE nem sempre conhecem dados, amplificador de sinapses 1, feromônios adaptados 2
a esquemática dos pontos onde estão atacando. Elas CCR Controle Remoto Radio Shack (nível de dispositivo 2)
compensam usando poder de fogo térreo e aéreo de Drones MTC Fly Spy (x3), Cyberspace Design Dalmatian
drones, blindados e helicópteros de suporte. Equipamentos Roupa blindada [6, proteção química 2, não-condutividade 4],
autoarrombador [Nível 4], tomada de dados, SIN falso (Nível
4), com-link Hermes Ikon [Nível de Dispositivo 5, c/ módulo
simulador], ciberdeck Microtrónica Azteca 200 [Nível de
C A R S V L I CA ESS TRU Dispositivo 2, Atr 5 4 3 2, 2 Programas 2], etiquetas de sensor,
6 5 5 (6) 5 5 3 4 2 5.1 2 etiqueta de furtividade
Armas FFichetti Security 600 [Pistola Leve, Pre 6 (7), VD 7F, PA —, SA,
Monitor de Condição 11/11 CR (1), 30 (p)]
Armadura 18 (endurecida)
Limites Físico 7(8), Mental 5, Social 7
Iniciativa Física 9(10) + 2D6 ESPREITADOR DO DISA
Perícias Automáticas 8(9), Bastões 5, Intimidação 5, Liderança 7,
Percepção 4, Corrida 4, Furtividade 5
(ADEPTO METAMORFO ONÇA)
Perícias de Português Amazônico N, Direito 5, Metrópole 3, Agitadores Ninguém é mais temido nas ruas de Metrópole do que os
Conhecimento 2, Crime Organizado 2, Procedimentos Policiais 6, Táticas de agentes do DISA. Os metamorfos são os melhores. Esses
Unidades Pequenas 7
Qualidades SINado (Nacional)
agentes são completamente leais à nação amazônica e
Ampliações Gravador de reflexos (automáticas), regulador de sono,
inquestionáveis no seu mandato de erradicar aqueles
neuroconexão, amplificador de sinapses 1 que consideram ser ameaças ao estado. Agentes de
Equipamentos Armadura leve milspec endurecida (p. 66, Tiro, Porrada & campo do DISA — máquinas de matar altamente trein-
Bomba) [15, Sob Medida, Coldre, Acesso a Equipamento, adas e brutalmente eficientes — têm o suporte de um
Aumenta Limite Social em 2 para Testes de Intimidação,
Restritiva] com capacete [+3], com-link Transys Avalon [Nível enorme aparato de inteligência fornecendo informações.
de Dispositivo 6] com módulo simulador, óculos de proteção O último erro que muitos cometem é presumir que os
[visão na penumbra, compensação de ofuscamento, conexão
de imagens, melhoria de visão 1], trodos, Rede Tática Integrada agentes do DISA são meros animais incapazes de usar
Pessoal Nível II (p. 105, Tiro, Porrada & Bomba) tecnologia.
Armas Ares Alpha [Fuzil de Assalto, Pre 5(7), VD 13F, PA –3, SA/RJ/RC,
CR 2, 42(p), EX-projéteis explosivos (fatorados)]
Ares Predator V [Pistola Pesada, Pre 5(7) VD 8F, PA –1, SA, CR
—, 15(p)]
Granada ofuscante [Granada, VD 10A, PA –4, 10m de raio]

INVESTIGADORA PARTICULAR
(ELFA)
Investigadores e detetives particulares estão por toda
a parte em Metrópole. Os que são bem-sucedidos são
aqueles que combinam uma boa rede de contatos das ruas,
com boas capacidades de investigação da Matriz e um
quê de estilo. Em Metrópole, uma investigadora particu-
lar pode ser a melhor amiga de um incursor das sombras,
oferecendo suas habilidades para encontrar fatos por um
preço, ou seu pior pesadelo, expondo o incursor, pronta
para chamar reforços pesados para terminar o trabalho.

INFORMAÇÃO DE JOGO 31

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
FORMA HUMANA B A R S W L I C ESS EDG
C A R F V L I CA ESS M TRU 8 3 3(4) 6 2 2 4 3 5.5 1
5 5 5 5 4 2 3 3 6 4 2 Condition Monitor 12/9
Armor 11
FORMA DE ONÇA Limits Physical 8, Mental 4, Social 5

C A R F V L I CA ESS M TRU Physical Initiative 7 (8) + 2D6


Skills Close Combat skill group 4, Con 2, Etiquette 3, Firearms skill
6 6 6 5 4 2 3 3 6 4 2 group 4
Monitor de Condição 11/10 Knowledge Skills Amazonian Portuguese (street) N, Drugs 3, Fences 2, Gang
Armadura 2 Identification 6, Gang Politics 4, Smuggling Routes 4

Limites (Humana/Onça) Físico 7/8, Mental 4, Social 6 Qualities Uncouth

Iniciativa Física 8 + 2D6 / 9 + 2D6 Augmentations Orthoskin (rating 2)


(Humana/Onça) Gear AR gloves, armor vest [9], contacts [image link, smartlink],
Perícias Ginástica 10, Intimidação 10, grupo de perícias de Ar Livre 9, Cram (factored in stats), earbuds, Kamikaze, respirator,Sony
Percepção 6, grupo de perícias de Furtividade 10, Combate Emperor commlink [device rating 2]
Desarmado 10 Weapons Browning Ultra-Power [Heavy Pistol, Acc 5 (6), DV 8P, AP –1,
Perícias de Política da Amazônia 5, Português Amazônico 4, Política de SA, RC —, 10(c)]
Conhecimento Aztlan 3, Espanhol Azlaner 3, Política Corporativa 3, Dragões 2, Colt M23 [Assault Rifle, Acc 4(6), DV 9P, AP –2, SA/BF/FA, RC -,
Inglês 3, Grupos Insurgentes 6, Metrópole 3, Parazoologia 5 40 (c), external smartlink]

Qualidades Defensor Acrobático (p. 127, TP&B)


Traços Raciais Alergia (Prata, Severa), Regeneração, Receptor de Equilíbrio,
MAGO URBANO DA
Espectro Auditivo Estendido (Ultrassônico), Visão na Penumbra,
Movimento (x1/x5/+2), Arma Natural (Mordida) VD (FOR + 2)F, PA QUIMBANDA (SÁTIRO)
–3; Garras: VD (FOR + 1)F, PA —), Metamorfose (Forma Meta-
humana), Inculto, Vulnerabilidade (Prata) Magos urbanos da Quimbanda não têm vergonha do seu
Poderes de Adepto APulso de Adrenalina (Nível 1), Ampliar Atributo (Força, Nível 2), poder. Eles portam seu poder para acabar com seus in-
Manto (Nível 3), Sentido de Combate 3, Passos sem Pegadas
imigos — sejam espíritos terrenos e magos malignos ou
Equipamentos Lentes de Contato [Capacidade 1, c/ conexão de imagens], fones
de ouvido [Capacidade 1, c/ melhoria de áudio 1], foco de qi aqueles que fazem mal uso do seu poder. Ainda assim, mui-
(Armadura Mística Nível 2, Potência 4), respirador, com-link tos magos da Quimbanda costumam ser hedonistas, cur-
Transys Avalon (Nível de Dispositivo 6, c/ módulo simulador),
etiquetas de furtividade, trodos tindo os prazeres terrenos com a proteção das Pombagiras.
Eles amam com uma intensidade ímpar ... mas basta causar
GANGUEIRA DO COMANDO mal aos seus, e será melhor se você ficar numa área prote-
gida por alguns meses.
VERDE (ORK)
O Comando Verde é uma das maiores gangues de
C A R F V L I CA ESS M TRU
Metrópole, mas existem milhares de gangues no cortiço.
4 4 4 4 4 2 3 4 6 5 3
Os gangueiros de Metrópole geralmente não conseguem
pagar muitas ampliações, mas as drogas rolam de sobra. Monitor de Condição 10/10
Armadura 6
Na maioria das vezes, os gangueiros estão chapados com
Limites Físico 6, Mental 4, Social 6
alguma coisa, geralmente baque, mas quando uma batida
Iniciativa Física 7 + 1D6
planejada vai rolar, doses de drogas pesadas como nitro e
Iniciativa Astral 6 + 1D6
kamikaze costumam passar por todo mundo. Tiques e im-
Perícias Sentido Astral 2, Lâminas 1, Trapaça 3, grupo de perícias de
previsibilidade, combinados com uma vida desesperada Convocação 4, Etiqueta 3, Percepção 2, grupo de perícias de
repleta de violência diária, tornam os soldados rasos das Feitiçaria 4, grupo de perícias de Furtividade 5
gangues de Metrópole pessoas perigosas para se encon- Perícias de Português Amazônico (rua) N, Identificação de Gangues 3,
Conhecimento Metrópole 3, Quimbanda 3, O Tribunal 4
trar. Traços Raciais Visão na Penumbra, Pernas de Sátiro
Feitiços Agonia, Compelir Verdade, Moda, Presságio, Raio de Força
Equipamentos Luvas de RA, roupa blindada [6], reagentes (20 dracmas), com-
link Sony Emperor [Nível de Dispositivo 2]
Armas Faca [Lâmina, Alcance —, Pre 5, VD 5F, PA –1]

INFORMAÇÃO DE JOGO 32

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
INSURGENTE DA VOZ (ANÃ) GRANDE ANACONDA
Insurgentes da Voz acreditam que seu país está sendo ocu- AMAZÔNICA
pado por coisas. Se todo mundo conhece o ditado “nunca As grandes sucuris (conhecidas internacionalmente como
faça acordos com um dragão”, como é possível tolerar uma anacondas) são relativamente comuns na Amazônia.
besta dessas ditando as vidas de milhões? Esses linha-dura Como tantas outras paracriaturas sencientes, a Amazônia
dedicaram suas vidas a derrubar o atual governo Desper- as reconhece como cidadãs plenas (elas têm até SINs
to da Amazônia. A guerra com Aztlan pode ter sido uma emitidos). Consideradas parte da família dracomórfica,
bênção, na verdade, porque agora Hualpa está fraco. Agora grandes sucuris são cobras enormes com escamas ele-
é a hora de atacar. gantes. Anacondas costumam agir como criaturas vassalas
C A R F V L I CA ESS TRU de dragões, de quem podem aprender Fala do Dragão para
7 4 3(4) 6 5 2 4 2 3.6 3
se comunicar com a meta-humanidade. Grandes sucuris,
mesmo não tendo asas, podem voar. Elas são constante-
Monitor de Condição 12/11
mente vistas ziguezagueando a toda velocidade nos céus
Armadura 11
de Metrópole, serpenteando entre prédios e árvores.
Limites Físico 8, Mental 5, Social 5
Iniciativa Física 8 + 2D6 C A R F V L I CA ESS M TRU
Perícias Automáticas 5, grupo de perícias de Combate Corpo a Corpo 4, 4 6 6 8 5 6 4 5 6 7 5
Primeiros Socorros 2, Liderança 3, Esgueirar 3
Monitor de Condição 10/11
Perícias de História Amazônica 5, Política Amazônica 6, Português
Conhecimento Amazônico N, DISA 3, Dragões 3, Inglês 2, Táticas de Unidades Armadura 12 (Endurecida) (Imunidade a Armas Normais)
Pequenas 5, Rotas de Contrabando 2 Limites Físico 9, Mental 7, Social 7
Qualidades Preconceituosa (Metamorfos) Iniciativa Física 10 + 2D6
Ampliações Ciber-olhos [Nível 1, c/ conexão de imagens, neuroconexão], Perícias Sentido Astral 9, Combate Astral 10, Contramágica 10, Percepção
fábrica de plaquetas, reflexos cabeados 1 10, grupo de perícias de Furtividade 10, Natação 4, Combate
Equipamentos Colete blindado [9], capacete [+2], com-link Erika Elite [ND4], Desarmado 9
luvas de RA, fones de ouvido Poderes Controle de Animais (Animais Domesticados, Répteis),
Armas Yamaha Raiden [Fuzil de Assalto, Pre 6(8), VD 11F, PA –2, RJ/ Compulsão, Ocultação (Pessoal), Natureza Dupla, Imunidade
RC, CR(1), 60(p)] (Armas Normais), Guarda Mágica (Pessoal), Arma Natural
Granada de fragmentação [Granada, VD 18F(f), PA +5, –2/m] (Mordida: 8F, PA –1), Sapiência, Peçonha
Poderes Opcionais Fala do Dragão
Obs. Grandes sucuris amazônicas são Adeptas Místicas. Grandes
HACKER DA VOZ (NOCTURNA) sucuris amazônicas têm +1 de Alcance.
Armas Mordida (VD 8F, PA –1)
A Voz não subestima a força de Hualpa e seu aparato de

NOVO EQUIPAMENTO
controle. A informação é restrita, a propaganda é a norma.
Hackers da Voz têm o dever de abrir os olhos do povo para
fazer com que vejam a verdadeira natureza dos dragões.
AVIBRAS-NISSAN AN 822
C A R F V L I CA ESS TRU
A Amazônia tem uma das maiores demandas globais por
2 2 3 2 5 6 5 6 5.9 2
helicópteros civis, e eles são muito usados para andar pela
Monitor de Condição 9/11
megacidade para evitar os perigos do transporte por estrada. O
Armadura 6
Avibras-Nissan AN 822, criado numa parceria entre a gigante ja-
Limites Físico 3, Mental 8, Social 8
ponesa e uma firma amazônica local foi especificamente projeta-
Iniciativa Física 8 + 1D6
do para a realidade da viagem aérea de Metrópole. É pequeno e
Iniciativa da Matriz (sim ([Datagrama] + 5) + 4D6
aberto) móvel o bastante para se esquivar do resto do tráfego aéreo, parte
Perícias Automáticas 2, Computador 5, grupo de perícias de Quebra de dele sendo de enormes criaturas voadoras, como dracoformas.
Dados 6, Etiqueta 4, Falsificação 5, Software 5 Ele possui um conjunto de medidas defensivas para contra-atacar
Perícias de História Amazônica 5, Política Amazônica 6, Português a constante ameaça de extração em pleno ar. Mas executivos de
Conhecimento Amazônico N, DISA 3, Dragões 3, Inglês (‘L33tspeak) 2(+2),
Japonês 2 alto nível sempre serão guiados por um fusor, remotamente ou
Qualidades Alergia (Luz do Sol, Leve), Visão na Penumbra, Ouvidos fisicamente, ou protegidos por um tecnauta vigilante.
Aguçados, Noturno, Cabelo Incomum (Pelo Colorido) Acessórios Padrão: Autosoft de Evasão Nível 2, Autosoft
Ampliações Conector de dados de Manobragem Nível 2, Autosoft de Guerra Eletrônica Nível 2,
Equipamentos Roupa blindada [6], ciberdeck Renraku Tsurugi [Nível de Interface de Fusor, Controles Manuais
Dispositivo 3, 6/5/5/3], Programas: Despistador, Esgueirar,
Intrusão O AN 822 tem Nível de Dispositivo 4 e é operado usando a
Armas Steyr TMP [Pistola Automática, Pre 4, DV 7P, AP —, SA/RJ/RC, perícia Pilotar Aeronaves.
CR —, 30(p), mira laser]
VELOCI- ASSEN-
MANEJO DADE CORPO ARM PILOTO SENS TOS DISP CUSTO
5 6 14 10 3 3 5 10 221,500¥

INFORMAÇÃO DE JOGO 33

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai
MÓDULOS DE VIDA Metrópole—Rio de Janeiro : Etiqueta +1, Natação +1,
Carisma +1, SINado (5)
A seguinte Nacionalidade foi projetada para usar (e para am-
pliar as opções) do sistema de criação de personagem de Metrópole—Centro : Computador +1, Conhecimento: Cri-
Shadowrun Módulo de Vida (p. 65, Acelerando). aturas Paranormais +1, Conhecimento: Direito +1, Lógi-
ca +1, SINado (5)
NACIONALIDADE Metrópole—São Paulo : Negociação +1, Lógica +1, Idio-
AMAZÔNIA ma +2, SINado (5)

Idioma Principal: Português Amazônico (N) Metrópole—desSINado : Agilidade +1, Conhecimento:


Idiomas Secundários (escolha 1 idioma com 1 nível): Metrópole +1
Inglês, Japonês, Alemão Amazônico Tribal: Sobrevivência +1, Arquearia +1, Con-
Perícias Universais: Conhecimento: Futebol +1, Conheci-
mento: Amazônia +1, Conhecimento: Criaturas Paranormais +1 hecimento: Floresta Amazônica +2, Conhecimento: Flo-
Regiões: ra +1, Corpo +1, Inculto

INFORMAÇÃO DE JOGO 34

Ea
m
n:dla
esironguedes89@ho
m
cto
.m
lai

Você também pode gostar