Você está na página 1de 3

Rascunho - BATALHA.

Formação da classe operária e projetos de identidade coletiva

Fenômeno econômico?
Formação associada ao surto de industrialização do final do século XIX
Problema: classe operária é um efeito da estrutura produtiva?
- o mero fato de existir trabalhadores fabris não significa que existe uma classe

Classe
pressupõe interesses coletivos
interesses formados na experiência comum
formação demorada

Classe como uma realidade


Implicam na materialização de
concepções
ações
instituições coletivas

Segundo apontamento de Batalha


Análises que atrelam a classe operária não apenas ao surgimento da indústria
Colocam atenção na imposição deste trabalho sem a concorrência com o trabalho
escravo

Escravidão como entrave


Não forma proletariado como classe
Interpretação vê oposição trabalho escravo e trabalho livre
(as duas formas coexistiram)

Resultado destas interpretações:


ênfase no eixo e periodização econômica
ênfase na política
dificuldade de perceber continuidades
não percebe a dinâmica da formação da classe operária
[ler parágrafo na pagina 164 - "em um caso como em outro..."]

Composição da Classe Operária


Discussão sobre ser "branca, masculina, fabril"

"branca, masculina, fabril"


desconsidera a participação de negros e afro-descendentes
fabril: tamanho das fábricas - entre 6-40 operários (grandes indústrias modernas:
minoria)
homens X mulheres

Imigração
interpretação tradicional: Fator na disseminação de ideologias negadoras do sistema
vigente
presença de imigrantes do meio rural e famílias
composição étnica: dissenso ou consenso

sinais da descrença no sindicalismo: emigração


discussão sobre o fator étnico como elemento central de conflitos: hipótese da
mescla de questões

Etnicidade e imigração como obstáculo


Dificuldades na organização operária (temperamento, língua, cultura)
Razão da imigração: fazer américa (individualismo nos objetivos)
conflito étnico se reveste de outros tipos de conflitos
grevista X não-grevista
setor organizado X setor não organizado
sindicalizados X recém-chegados

Tendência na interpretação do tema:


matizar a avaliação é melhor do que automatizar a relação imigração e militância
Matizar: nem recusar nem automatizar os conflitos de origem
chave de entendimento: pp. 169-170

Classe como manifestação histórica


Organização vem de um ofício: tipógrafos, sapateiros, pedreiros, marceneiros,
padeiros.
chave: p. 170
Ofício que detém um conhecimento: perda de importância com novas técnicas,
mecanização, mão de obra barata
Trabalhadores fabris tem pouco peso na organização até 1917
chave, p. 171
Por que Rio de Janeiro e São Paulo? E quando eles se fortalecem? (p. 172)

Greves e movimentos coletivos


1902-1903
1906-1907
1917-1919
1913 (carestia)

movimentos não estão restritos aos trabalhadores organizados em sociedades


nestes momentos forma-se uma classe operária, que transcende a sindicalização, a
industrialização e a abolição
"como um processo conflituoso, marcado por avanços e recuos, pelo fazer-se e
desfazer-se da classe, que surge na ação coletiva, em toda a manifestação que
afirma seu caráter de classe"

República fecha as portas


o povo bestializado X povo desiludido, expresso nos jornais operários

respostas
1) luta pela obtenção de direitos sociais, sem questionar a política (sindicalismo
reformista)
2) conquista de direitos aliada a direitos políticos (participar do sistema
eleitoral, organizar um partido, setores mais polemizados do sindicalismo
reformista e socialistas)
- noção de emancipação social atrelada a política
- alguns socialistas afirmavam que só o socialismo poderia conduzir as promessas da
República
3) Negação da política institucional, ação direta (sindicalistas revolucionários e
anarquistas)

Luta por direitos sociais - razões


1) concepção comteana de incorporar o operário à sociedade moderna (Círculo dos
Operários da União - Culto do Trabalho, 1909-1920) - grupo de pressão moral [pouca
ou menor visibilidade] - negociação com o Estado, que é seu avalista

2) Sindicalismo revolucionário - por vezes chamada de anarcossindicalista, o que


não significa que era uma ramificação
possui elementos anarquistas, ação direta, federalismo, marxismo (luta de classes)
descrença na prática eleitoral como caminho
aposta na luta econômico-sindical: remuneração e condições - usa como meio as
greves

Ausência de coordenação nacional


partidos atuam localmente
única exceção: Partido Comunista, mas começou também apenas no RJ

Ideologias
anarquismo e socialismo
mais adesão ao anarquismo por fatores específicos da Primeira República (descrença
no campo eleitoral, da parte do operário)