Você está na página 1de 33

Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação

Monitorando o financiamento da educação


QUANTO O BRASIL
INVESTE
EM EDUCAÇÃO ?
Art. 212 A União aplicará, anualmente, nunca menos de
dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita
resultante de impostos, compreendida a proveniente de
transferências, na manutenção e desenvolvimento de
ensino.

União: mínimo de 18%


Estados, Distrito Federal e Municípios: mínimo 25%
O SIOPE COMO INSTRUMENTO DE
MONITORAMENTO DA APLICAÇÃO
DOS RECURSOS DO FUNDEB

Monitoramento e acompanhamento da aplicação de


recursos do FUNDEB (art. 30, V, da Lei 11.494/07).
INDICADORES LEGAIS
• Educação Básica
Mínimo Observada a responsabilidade de atuação do ente
governamental (Art. 212 da CF)
25%
FUNDEB
• Remuneração dos profissionais do Magistério em
efetivo exercício na educação básica
Mínimo (Remuneração, Profissionais do Magistério,
60% Efetivo exercício)

• Outras ações de MDE


Artigos 70 e 71 da LDB (Lei 9.394/96)
Até 40%

• Recursos que podem ficar sem


Máximo investimento
5%
OUTROS INDICADORES







Metodologia

Definida pela Secretaria do Tesouro Nacional – STN/MF

• Manual de Demonstrativos Fiscais – MDF


Relatório Resumido de Execução Orçamentária – RREO
Anexo 8 - Demonstrativo das Receitas e Despesas com Manutenção e
Desenvolvimento do Ensino – MDE (RREO)
Metodologia

O que é Manutenção e Desenvolvimento do Ensino – MDE ?

Considerar-se-ão como de manutenção e desenvolvimento do ensino as


despesas realizadas com vistas à consecução dos objetivos básicos das
instituições educacionais de todos os níveis.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB (Lei nº 9.394/1996)


Art. 70º. Considerar-se-ão como de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino –
MDE

Art. 71º. Não constituirão despesas de Manutenção e Desenvolvimento do


Ensino - MDE
Metodologia

Exemplos de ações consideradas e não consideradas


como sendo de MDE

Em www.fnde.gov.br acessar: financiamento / Fundeb /


Perguntas frequentes / Aplicação de recursos (itens 5.2 e 5.3)
OBRIGATORIEDADES PENALIDADES

Desde 2009
Transmissão bimestral (art. 165 CF) CAUC – Serviço Auxiliar de
Informações para Transferências
Transmissão anual (art. 212 CF) Voluntárias
O FNDE para liberação de recursos
exige além do atendimento do Art.
212 a aplicação mínima de 60% dos
recursos do FUNDEB na remuneração
dos profissionais do magistério
FUNDEB E SALÁRIO EDUCAÇÃO NO CONTEXTO
DO FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
Composição do FUNDEB
2018
Composição do FUNDEB
Recursos que faziam parte do
FUNDEF:
- 16,66% em 2007
IPVA - 18,33% em 2008 e
ITCMD ITRm - 20% a partir de 2009
Recursos novos:
FPE Juros, Multas e
- 16,66% em 2007
FPM Dívida Ativa sobre
as fontes “mães” do - 18,33% em 2008 e
ICMS Fundeb
- 20% a partir de 2009
IPIexp
LC 87/96 Rendimentos das
eventuais aplicações
Complementação da União
financeiras com (Valores realizados)
recursos do Fundeb - R$ 2 bilhões em 2007
- R$ 3,2 bilhões em 2008
Complementação - R$ 5,1 bilhões em 2009
da União - 10% da contribuição de
estados, DF e municípios de
2010 em diante
Receitas

ICMS FPE

ITCMD FPM LC 87/96

IPIexp ITRm IPVA


Valor por aluno/ano, por UF, e Valor Mínimo Nacional por aluno/ano - 2019
Composição – fatores de ponderação

Fatores de ponderação
Segmentos da Educação Básica Considerados
2007 (1) 2008 (2) 2009 (3) 2010 (4) 2011 (5) 2012 (6) 2013 (7) 2014 (8) 2015 (9) 2016 (10) 2017 (11) 2018 (12) 2019 (13)
I - Creche pública em tempo integral 0,80 1,10 1,10 1,10 1,20 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
II - Creche pública em tempo parcial 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,15
III - Creche conveniada em tempo integral 0,95 0,95 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10
IV - Creche conveniada em tempo parcial 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80
V - Pré-Escola em tempo integral 0,90 1,15 1,20 1,25 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
VI - Pré-Escola em tempo parcial 0,90 0,90 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,05
VII - Anos iniciais do ensino fundamental urbano 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00 1,00

VIII - Anos iniciais do ensino fundamental no campo 1,05 1,05 1,05 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15 1,15

IX - Anos finais do ensino fundamental urbano 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10 1,10

X - Anos finais do ensino fundamental no campo 1,15 1,15 1,15 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20
XI- Ensino fundamental em tempo integral 1,25 1,25 1,25 1,25 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
XII - Ensino médio urbano 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,25 1,25 1,25 1,25 1,25 1,25
XIII - Ensino médio no campo 1,25 1,25 1,25 1,25 1,25 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
XIV - Ensino médio em tempo integral 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
XV - Ensino médio integr. à educ.profis. 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
XVI - Educação especial 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20
XVII - Educação indígena e quilombola 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20
XVIII - Educ. de jovens e adultos com aval. no proces. 0,70 0,70 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80 0,80

XIX - EJA int. à educ. profis. nível médio, com aval. no proces. 0,70 0,70 1,00 1,00 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20 1,20
UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS
DO FUNDEB
• Educação Básica
Observada a responsabilidade de atuação do ente
governamental
100%

• Remuneração dos Profissionais do Magistério


Mínimo em efetivo exercício na Educação Básica
60%

• Outras Ações de MDE


Artigos 70 e 71 da LDB (Lei 9.394/96)
Até 40%
Utilização dos recursos do FUNDEB

O que pode ser pago com os 60%?


Remuneração (salários, inclusive 13°, férias etc + encargos
sociais)

Mínimo
Quem pode ser pago com a parcela dos
60% 60%? Aqueles que exerçam atividade de docência ou de
suporte pedagógico à docência (direção ou administração
escolar, planejamento, supervisão, orientação pedagógica etc)
desde que:
a) Estejam em efetivo exercício
b) Na educação básica pública e no âmbito
de atuação prioritária
Utilização dos recursos do FUNDEB

Profissionais do Magistério
Compreende os professores e os profissionais
que exercem atividades de suporte e
assessoramento pedagógico, em apoio à
Mínimo docência incluindo-se:
60% - direção ou administração escolar;
- planejamento;
- inspeção;
- supervisão;
- orientação educacional;
- coordenação pedagógica.
Utilização dos recursos do FUNDEB

Quem pode ser pago com a parcela


de 40%?
Aqueles que exercem atividade de natureza técnico
Até administrativa (secretário da escola, secretário de educação,
40% bibliotecário, merendeira, vigilante, porteiro, motorista, etc)

O que mais?
Outras ações de MDE, previstas no art. 70 da LDB
NÃO PODE UTILIZAR RECURSOS
DO FUNDEB
Despesas de outros exercícios, ainda que relacionadas à manutenção
e desenvolvimento da educação básica;

Educação oferecida por instituições de ensino de natureza privada


que não atendam alunos da educação especial, de creches e pré-
escola, e não sejam comunitárias, confessionais ou filantrópicas, sem
fins lucrativos e conveniadas com o poder público;

Inativos e pensionistas mesmo que egressos da educação básica


pública;
NÃO PODE UTILIZAR RECURSOS
DO FUNDEB
Subvenção a instalações públicas ou privadas de caráter assistencial,
desportivo ou cultural;

Programas suplementares de alimentação, assistência médico-


odontológica, farmacêutica, psicológica e outras formas de
assistência social;

Obras de infraestrutura, ainda que realizadas para beneficiar direta


ou indiretamente à rede escolar;

Despesas com pessoal docente e demais trabalhadores da educação,


quando em desvio de função ou em atividade alheia à manutenção e
desenvolvimento do ensino.
ATRIBUIÇÃO DE FISCALIZAÇÃO E
CONTROLE DOS RECURSOS DO
FUNDEB
(ART. 212 CF)

O SIOPE NÃO CONTROLA NEM FISCALIZA

TCE/TCM ( art. 22, II, Lei 11.494/97 ):


“pelos Tribunais de Contas dos Estados, Distrito
Federal e dos Municípios, junto aos respectivos
entes governamentais sob suas jurisdição.”
Acordo de Cooperação nº 2/2017 –
em 07.2017

FNDE

ATRICON

IRB
Módulo de Acompanhamento e Validação
do SIOPE – MAVS
Secretário de Confirma
Envio de dados
Educação acessa RREO? sim
para o SIOPE
o MAVS TC disponibilizará ao SIOPE para
validação:
Não
1) Receitas
Ente federado MAVS 2) Despesas da Função educação
retifica os
Ente federado 3) Informações complementares
dados no SIOPE TC
retifica os SIOPE
dados no TC SIOPE disponibilizará ao TC:

1) Indicadores
DIVERGÊNCIA
Onde ? sim 2) Divergências
?

3) Receitas e Despesas
Não

Presidente do
CACS acessa o
MAVS

Confirma
Não Demonstrativo sim Dados Aceitos
FUNDEB
RELATÓRIOS DO
SIOPE
Dicas para preenchimento do SIOPE

• Atualizar, no SIOPE, o número de matrículas de


cada modalidade de ensino
Dicas para preenchimento do SIOPE
• Rateio das despesas comuns,
proporcionalmente ao número de matrículas
em cada modalidade de ensino

• Creche
• Pré-escola
Despesas de: • Fundamental
• Água • EJA
• Luz • Especial
• Telefone
• Material de consumo
• Remuneração
• ...
Dicas para preenchimento do SIOPE
• Rateio das despesas comuns,
proporcionalmente ao número de
matrículas em cada modalidade de ensino
São despesas da:

• Creche
• Pré-escola
• Fundamental
• EJA
• Especial
Turnos/Modalidade Despesas de:
 Matutino
• Água
Creche, pré-escola • Luz
 Vespertino
• Telefone
Fundamental • Material de consumo
• Remuneração
 Noturno
EJA • ...
Dicas para preenchimento do SIOPE

• Adequação do orçamento, nas fases de


Elaboração e Planejamento, aos objetivos
do SIOPE
FUTURO DO SIOPE
1)Novo FUNDEB

Propostas ...

2)Matriz de Saldos Contábeis – MSC

3)Plano de Contas Aplicado ao Setor


Público – PCASP
Educação nunca foi despesa, sempre foi
investimento com retorno garantido.
(Sir. Arthur Lewis)

Você também pode gostar