Você está na página 1de 98

Manual de Price Action

por Al Brooks / tradução e adaptação: Felippe Aranha

*nota: No site em inglês este manual só está disponível aos que compraram o Brooks
Trading Course, porém, a versão completa e traduzida está disponível aos membros
do Portal Price Action que compraram o curso “Melhores Trades”, o curso do Aranha
ou para aqueles que também são membros do Esquadrão SST. Para estes últimos,
veja as instruções neste vídeo:   https://youtu.be/r_4fZ4atUlM

Aos que já adquiriram o curso e têm acesso, espero que gostem da tradução. Bom
aprendizado!

Eu escrevi este manual online de 26.000 palavras para mostrar a traders


iniciantes como se deve operar para ganhar dinheiro como um profissional.
Tomei como base o material do “Curso de Price Action do Al Brooks”
(Brooks Trading Course),  os livros que escrevi e as coisas que falo
diariamente na minha sala de operações. Mais abaixo você verá a tabela de
conteúdo, mostrando os títulos dos 25 capítulos presentes neste Manual de
Price Action.

Cada capítulo é um post do meu blog e esses artigos fornecem a base para
se operar utilizando Price Action, além de ser uma boa revisão do material
do meu curso em vídeo. O curso vai muito mais a fundo e tem muito mais
exemplos, mas estes artigos conseguem dar uma boa ideia preliminar de
como eu enxergo e opero os mercados.

Embora em geral eu use gráficos de candle, em minha opinião o contexto é


muito mais importante do que padrões de candlestick, independente de se
estou operando day trade ou swing trade. Isso vale para o Emini (mini S&P,
em Chicago), mercado Forex, mercado de ações e qualquer outro mercado.
Eu tomo minhas decisões operacionais baseado na situação em que o
mercado se encontra naquele momento, do ponto de vista dos ciclos de
mercado. Eu analiso se está em uma tendência ou em uma lateralidade. Se
estiver em uma tendência, eu então analiso se está em um canal ou em um
rompimento. Depois disso, eu estruturo e gerencio os meus trades através
de stops e objetivos que sejam adequados àquele contexto.

O livro Flash Boys  (livro sobre operações de alta-frequência) tem recebido


muita atenção ultimamente, mas ele não tem nada a ver com day trading.
Nós day traders operamos em um tempo gráfico que vai de segundos a
minutos, portanto, milissegundos não fazem parte do nosso dia a dia. No
entanto, são as instituições financeiras que dominam o mercado, e a
maioria das operações que elas fazem é controlada por algoritmos
computadorizados. Isso faz com que os mercados estejam cada vez mais
próximos da perfeição e acaba por reduzir a margem de todos, mas ainda
assim alguns operadores serão melhores que outros e conseguirão ganhar
dinheiro consistentemente. Traders não necessariamente têm de ser
excelentes, mas têm de ser bons e consistentes.

Apesar de também fazer vários trades curtos por dia (scalps), eu acredito
que swings devem ser a base do negócio de todo trader. Um swing é
simplesmente qualquer operação na qual o retorno seja no mínimo duas
vezes maior que o risco. Considerando que 90% das barras de qualquer
gráfico se mostra confusa para quem está operando, a probabilidade da
maioria dos trades a qualquer dado momento fica entre 40 e 60%. É por
isso que os traders devem priorizar os swings, porque buscar um retorno
que é no mínimo duas vezes o tamanho do risco resulta, em 90% do tempo,
em uma estratégia que é matematicamente lucrativa para ambos os lados,
tanto para quem está comprando como para quem está vendendo. Em
outras palavras, buscar swings com potencial de retorno de 2×1 resultará
em uma equação positiva para o trader durante a maior parte do pregão.

Alguns operadores se sentem confortáveis em qualquer tipo de mercado,


mas outros preferem operar apenas em condições específicas. Por
exemplo, eu gosto de trades de alta probabilidade, o que significa que
tenho uma predileção por entrar durante rompimentos fortes. Outros
traders preferem arriscar pouco, e como consequência são obrigados a
operar trades onde a probabilidade é baixa. Isso significa que eles precisam
de operações que proporcionem um grande retorno para compensar a
baixa probabilidade. Em outro exemplo, muitos operadores experientes
reconhecem que não são muito bons em pegar topos e fundos exatos, mas
costumam conseguir prever a região aproximada de onde eles irão ocorrer.
Esses traders irão então escalar suas operações, aumentando com isso a
sua probabilidade de ganhar dinheiro nelas. No entanto, sempre que um
trader fizer algo que aumenta a sua probabilidade, ele é obrigado a
compensar com um retorno menor, um risco maior ou ambos (uma relação
menos vantajosa de risco/retorno, conforme será explicado mais adiante).

Muitos traders procuram ganhar a maior parte do seu dinheiro já nas


primeiras horas do dia, buscando swings que resultem em tendências a
partir de reversões e rompimentos próximos à abertura. Embora
movimentos similares também ocorram nas últimas horas do pregão, estes
são muito mais complicados de se operar de maneira lucrativa, já que na
maioria dos dias o final da sessão costuma ser dominado por reversões
ocorrendo em sequência. Em função disso, não há nada de errado em
decidir não operar a última hora do pregão.

Entrar com ordens stop (alguns chamam de ordens start) tende a ser a
melhor escolha para a maioria dos operadores, pois o mercado já estará
andando a seu favor logo de cara, nem que seja por apenas um tick.
Durante fortes rompimentos, entrar com ordens a mercado ou com ordens
limitadas no fechamento de barras são também formas eficientes de se
operar a favor do momentum, mas são emocionalmente mais difíceis para
operadores que estejam começando. Traders experientes irão ainda
apostar CONTRA rompimentos, através de ordens limitadas em TOPOS E
FUNDOS DE LATERALIDADES. Eles com frequência irão escalar o trade e sair
com apenas um scalp. Leva anos para se aprender a fazer isso da maneira
correta, portanto, novos operadores devem focar em outros tipos de
entrada até que estejam consistentemente ganhando dinheiro (essas
técnicas avançadas serão mais comentadas adiante).

Gerenciar bem uma operação é mais importante do que escolher os sinais


de compra e de venda. Considerando que durante 90% do pregão a
probabilidade de sucesso de um trade, seja de compra ou de venda, gira
em torno de 50%, pode-se dizer que na maior parte do tempo há uma
maneira de se estruturar um trade lucrativo tanto na compra quanto na
venda (o mercado só fica na fase de rompimento durante uns 10% do
tempo, e durante esses breves momentos um dos lados pode
excepcionalmente ter uma probabilidade de 70% ou mais). Traders
simplesmente escolhem se querem comprar ou vender, para depois pensar
como irão estruturar as suas operações de uma maneira lucrativa. Por
exemplo, quando o mercado está em uma lateralidade, traders irão
comprar baixo, vender alto e realizar lucro em scalps. Altistas farão suas
compras de maneira escalada ao longo da metade inferior da lateralidade,
realizando lucro em scalps curtos na metade superior. Baixistas farão o
oposto, escalando suas vendas ao longo da metade superior e realizando
lucro na metade inferior.

Quando eu seguro uma posição de um dia para o outro, geralmente eu


prefiro usar opções de compra e de venda. Traders não têm necessidade de
entender como funcionam Condors ou outras operações complexas com
opções, e nem mesmo as chamadas gregas. Eu simplesmente uso puts,
calls e spreads de maneira muito simples, similar ao que faço quando
opero ações e futuros. Se eu acho q o mercado vai para cima, compro uma
call ou um call spread. Se acho que vai para baixo, compro uma put ou um
put spread. Existem outras estratégias melhores? Às vezes sim, mas
enquanto o que eu estiver fazendo tiver sentido, nunca vou me preocupar
se existe alguma outra coisa que talvez seja melhor. Operadores devem
evitar a chamada “paralisia analítica”, que ocorre quando eles perdem tanto
tempo decidindo como irão arrancar aquele último centavo do mercado,
que acabam ficando confusos demais para colocar qualquer ordem, e
terminam por não ganhar nenhum centavo!

Embora eu não acredite que um psicólogo possa ajudar a fazer com que
um trader se torne vencedor, psicologia de trade é algo importante. Os
operadores devem constantemente trabalhar para fazer com que suas
emoções não influenciem nas suas decisões. Uma boa maneira para se
evitar isso é operar o que eu chamo de “tamanho não estou nem aí”. Opere
suficientemente pequeno de modo que você não se incomode caso venha a
perder. Isso permitirá que você faça o que tem de ser feito com maior
objetividade. A parte mais importante da psicologia operacional é que os
traders devem sempre estar em sua zona de conforto; eles precisam estar
felizes. Se um trader percebe que está muito ansioso, ele precisa encontrar
a razão por trás disso. Será que ele está operando uma posição maior do
que deveria, e isso acaba fazendo ele ficar o tempo todo preocupado,
pensando se vai perder muito dinheiro? Será que ele está comprando em
uma tendência de baixa e rezando para que a tentativa atual de reversão
seja aquela que finalmente vai dar certo? É muito menos estressante entrar
em menos trades e fazer swings. Todo operador tem a meta de ganhar
dinheiro para ele e sua família, mas é importante nunca esquecer do
objetivo maior, que é viver uma vida feliz. Aprender a operar corretamente
pode ajudar os traders a atingirem ambos os objetivos!
1. Price action e gráficos de
candlestick

A maioria dos traders bem-sucedidos usam gráficos de candlestick para


ganhar seu dinheiro, e operam principalmente ou exclusivamente
utilizando Price Action. Embora não exista uma definição universal sobre
o que é Price Action, eu uso a mais ampla, e digo que é simplesmente
qualquer movimento do preço, para cima ou para baixo, em qualquer
gráfico, de qualquer mercado. O menor movimento feito por qualquer
mercado é de um tick (um pip na linguagem do mercado Forex, muito
embora pips sejam subdivididos em décimos, que a maioria dos traders
ignora. No mini índice brasileiro, um tick seria o equivalente a 5 pontos).
Se um mercado se move um tick para cima, isso se deve ao fato de não
haver vendedores suficientes nesse mesmo preço para preencher todas
as ordens de compra, e o mercado tem de subir para encontrar mais
vendedores. Se cai um tick, significa que o mercado está buscando um
preço que seja satisfatoriamente baixo para atrair compradores em
número suficiente para servirem de contraparte dos vendedores.
Sendo um day trader, eu não posso gastar meu tempo pensando em
nada que não seja se o mercado vai para cima o suficiente para que eu
ganhe algum dinheiro caso eu compre, ou se vai para baixo o suficiente
para que eu ganhe algum dinheiro se eu vender. Durante o dia eu vou
construindo diversas hipóteses e suposições que me permitem não me
preocupar com nada que não seja o Price Action do gráfico que eu
estiver operando. Não há como eu saber se as minhas suposições estão
corretas, mas elas são consistentes com o Price Action, e, se depois eu
concluir que estou errado, irei então mudar minhas suposições.
Embora durante 99% do meu dia eu acompanhe e opere gráficos de 5
minutos, e que eu venha fazendo isso por 27 anos (já são mais de 30
anos em 2017!), eu também faço alguns trades baseados nos gráficos
de 60 minutos, diário, semanal e mensal. Eu quase sempre uso opções
quando uso esses tempos gráficos maiores, mas as técnicas de price
action que eu uso nesses casos são as mesmas que eu uso quando
opero o 5 minutos.
O engodo dos padrões de candlestick
Quando você olha para sites que oferecem serviço de aconselhamento
para operar bolsa, muitos estão cheios de padrões de candlestick e
outras regras baseadas em candles. No entanto, se você assistir traders
profissionais falando na TV, você notará algo completamente diferente:
eles ignoram totalmente padrões de candlesticks e com frequência
compram abaixo de um forte candle de baixa ou de um padrão de
candlestick baixista, ou vendem acima de um padrão altista de candle. E
por que isso acontece? Porque eles querem ganhar dinheiro. Se padrões
de candle fossem minimamente tão bons quanto vários sites tentam
fazer crer, eles rapidamente parariam de funcionar, porque grandes
instituições jamais atuariam como contraparte nesse trade. Se um
padrão é bom para você, então é ruim para o cara do outro lado, e
grandes instituições não conseguiriam se manter vivas por tantos anos
se estivessem constantemente perdendo dinheiro. A única conclusão
lógica é que a maioria do que se lê sobre padrões de candlestick é
besteira, porque as grandes instituições controlam o mercado e elas
ignoram tudo o que é dito nesses incríveis sites de “Opere de maneira
fácil”.

Setups(Configurações) e Sinais
Existe tanta coisa escrita sobre sinais de barras de candle, que talvez
levem o leitor a crer que conhecer um punhado de padrões de
candlestick consiste em 90% do necessário para se aprender a operar
online. Não é. Um setup é composto de duas coisas, uma barra de sinal
e o contexto em volta, e, se não houverem essas duas coisas, é melhor
não entrar nesse trade. Por “contexto” eu quero dizer todas as barras à
esquerda têm de dar sustentação à sua operação. Um padrão perfeito de
candlestick que ocorra no meio de uma lateralidade muito estreita com
frequência irá perder dinheiro. Você precisa de mais razões para entrar
num trade, como por exemplo o mercado estar numa confluência de
suportes ou resistências, e eu discuto essas razões em detalhe durante o
curso.

2. O Ciclo do Mercado
O ciclo do Mercado. As áreas pintadas de verde representam fortes
Rompimentos, e, uma vez que haja uma correção, se inicia a fase de canal.
Canais evoluem para Lateralidades, que são canais nos quais o número de
barras cresceu tanto que a probabilidade de uma reversão da tendência se
torna igual à da retomada da tendência, ou seja, o próximo rompimento tem
aproximadamente a mesma chance de ocorrer para cima ou para baixo.

Quando eu digo que há um Ciclo de Mercado, quero dizer que o mercado


está constantemente buscando o equilíbrio entre compradores e
vendedores, e que esse comportamento se repete infinitamente numa
procura sem fim pelo preço de equilíbrio, o qual, por sua vez, também está
sempre em movimento. Ele tenta ficar próximo a um preço no qual tanto
altistas quanto baixistas sintam que é possível ganhar dinheiro caso entrem
em um trade. Isso também significa que ele está buscando uma área de
confusão, afinal, de que outra maneira seria possível que tanto
compradores quanto vendedores sentissem que aquele preço é
suficientemente bom para que consigam ganhar dinheiro, já que estão
entrando em lados opostos? Lembre-se que para sair qualquer negócio na
bolsa é preciso que haja um comprador e um vendedor, e, se algum dos
dois lados não tivesse nenhuma chance de ganho, não haveria ninguém
para entrar desse lado da operação e o negócio jamais seria concretizado.

O Mercado constantemente testa em cima e em baixo enquanto tenta


determinar uma área de preço justo. A maioria desses ralis e quedas não
dá certo, e o mercado fica dentro de uma faixa lateral. Ocasionalmente, um
desses movimentos resulta em um Rompimento, o que significa que tanto
compradores quanto vendedores não estão mais em dúvida…eles agora
concordam que os preços estavam muito altos, no caso de um
Rompimento de Baixa, ou muito baixos, no caso de um Rompimento de
alta. O mercado então rapidamente se move para uma nova área de
confusão, que é uma outra Lateralidade, onde tanto os compradores
quanto os vendedores sentem que agora se trata de um preço mais justo.

O Mercado está em um eterno ciclo de tendências e lateralidades.


Tendências começam com um Rompimento, e uma vez que se inicie uma
correção, saímos da fase de Rompimento da Tendência para a fase de
Canal da Tendência. Ela por sua vez é seguida pelo aumento do interesse
de negociação em ambos os lados, que por fim evolui para uma
Lateralidade. A semente para a nova tendência é plantada nas
Lateralidades, e, uma vez que você aprenda a ler as pressões de compra e
de venda, estará em uma boa condição para antecipar o próximo
Rompimento que será bem-sucedido. Tão logo haja um Rompimento de
alta ou de baixa, o processo se reinicia, num ciclo que nunca para.

Embora muitos operadores busquem operar na direção de um tempo


gráfico mais alto, isso não é necessário. Tudo o que é preciso para se
operar lucrativamente é um gráfico na sua frente, não importa o mercado,
tipo de gráfico ou tempo gráfico. Todo gráfico oferece um bom número de
oportunidades, se o operador souber identificá-las e gerenciá-las
corretamente. Lembre-se, mesmo quando um mercado está se movendo
lateralmente, sempre há muito volume em cada uma das barras, portanto,
é lógico afirmar que existem players enxergando oportunidades o tempo
todo, e para ambos os lados. Mesmo nas lateralidades mais estreitas do
Emini, cada barra negocia uma média de 5.000 contratos. Eu normalmente
consigo ver uma razão para comprar ou para vender em praticamente
todas as barras de todos os mercados ao longo do dia, e, com prática, um
operador aprenderá a encontrar um número muito maior de configurações
do que ele teria a capacidade de operar. Os pontos chave são:

– aprender a identificar as configurações cedo o suficiente para ter tempo


de decidir se a tentativa vale a pena;

– estruturar uma operação que matematicamente faça sentido;

– gerenciar a operação adequadamente.

Em 90% do tempo o mercado estará em um canal ou em uma lateralidade,


e, nesses casos, o melhor a se fazer é simplesmente comprar em suportes e
vender em resistências. Por exemplo, durante um canal de alta, o suporte
pode estar no fundo do canal, ou simplesmente logo acima da mais recente
mínima mais alta. Durante os outros 10% do tempo, o mercado estará em
uma bem-sucedida fase de Rompimento de uma tendência. Eu toco nesse
assunto de bem-sucedido porque, tão logo você perceba que o
rompimento foi um sucesso, a chance de se fazer um trade que será
lucrativo na direção do rompimento é de 70% ou mais. Portanto, nesse caso
é melhor entrar imediatamente, e não esperar por uma correção, pois ela
talvez não venha a ocorrer por muitas e muitas barras. Outra coisa, já que o
stop geralmente está distante durante um rompimento, o trader deve
ajustar o tamanho da sua posição e os seus objetivos de lucro, de modo a
não correr um risco financeiro maior nessa operação do que correria em
qualquer outro trade. Eu discutirei a melhor maneira de operar cada uma
das três fases do Ciclo do Mercado em sessões específicas deste manual.

Como operar o Ciclo do Mercado...opere cada uma das três fases de uma maneira
diferente.

Eu falei que o Ciclo de Mercado é composto de séries infinitas de


tendências, que se alternam com lateralidades, e isso está presente em
todos os gráficos. Agora, irei discutir algumas das especificidades de cada
uma das fases do ciclo, começando pela mais forte delas, que é o
Rompimento. Essa é a fase que tem a maior probabilidade de continuidade
durante as próximas barras, mas pelo fato de o stop geralmente estar
longe, o risco costuma ser maior. Além disso, o mercado se move de
maneira muito rápida, o que aumenta as chances de se cometer erros, e,
portanto, também contribui para o aumento do risco.

Uma vez que o mercado inicie uma correção, a tendência se enfraquece e


entra na fase de Canal (se enfraquece em relação à fase de rompimento,
mas ainda assim pode continuar sendo muito forte!). Uma vez no canal, o
interesse por trades a favor da tendência ainda é majoritário, mas já
começa a haver mais interesse em operações contra a tendência do que
havia durante a fase de rompimento. Tanto compradores quanto
vendedores possuem alguns momentos de controle (chamarei isso de
mercado bilateral), mas um lado a favor da tendência domina com mais
frequência. Por exemplo, em um canal de alta, baixistas começarão a
vender acima de novas máximas e irão escalar o trade adicionando mais
vendas acima, objetivando scalps.
Esse Mercado bilateral eventualmente aumenta conforme o canal se
estende, e isso faz com que correções comecem a ficar cada vez mais
profundas e conter mais barras. Uma vez que a correção se torne tão
grande que o mercado perca a sua direção, e os operadores não estejam
mais tão certos de que a tendência será retomada, a correção se torna uma
lateralidade. Raramente a fase de canal de uma tendência se acelera e volta
a entrar em um rompimento. Por exemplo, um canal de alta pode algumas
vezes apresentar um novo rompimento de alta bem-sucedido. Esse é um
rompimento acima do topo de um canal de alta ascendente, o que significa
que a tendência se tornou mais aguda (inclinada) de maneira abrupta e
mais acelerada. Após o rompimento, o mercado vai então se acalmando e
volta a ser um canal de alta, e eventualmente mais à frente se torna uma
lateralidade. No entanto, a maioria das tentativas de rompimento acima de
um canal de alta falha, e o mercado reverte de volta para baixo, onde
geralmente testa o fundo do canal. Da mesma maneira, a maioria das
tentativas de rompimento abaixo de um canal de baixa falha, e o mercado
geralmente reverte de volta para cima e testa o topo do canal de baixa.

Embora um canal durante a sua formação seja parte da tendência, é


também quase sempre o início de uma lateralidade. Pelo fato de a maioria
deles ser eventualmente seguida por uma perna na direção oposta, todo
canal de alta também deve ser encarado como sendo uma bandeira de
baixa, assim como todo canal de baixa deve ser encarado como sendo uma
bandeira de alta. Uma vez que a reversão para baixo em um canal de alta,
ou para cima em um canal de baixa, se mostre clara, pode-se dizer que a
lateralidade se iniciou. O mercado então normalmente irá voltar para testar
o início do canal.

Por que essa correção acontece? Vamos usar um canal de alta como
exemplo. Vendedores começarão a escalar para entrar em vendas após o
início da primeira correção, vendendo por exemplo acima de cada nova
máxima. Uma vez que o mercado comece a ir para baixo, muitos dos
vendedores tentarão sair integralmente de suas posições em níveis
próximos ao preço da sua primeira entrada, que agora é também próxima
ao fundo do canal (a primeira correção). Eles então saem empatando na
sua primeira venda e com lucro nas entradas que fizeram mais acima. Em
função de os vendedores estarem comprando no fundo do canal (ao invés
de estarem vendendo, que é o que geralmente os vendedores fazem),
existe uma relativa ausência de vendas. Além disso, os que querem
comprar se lembram que o mercado subiu a partir daquela primeira
correção após o rompimento (o fundo daquela primeira correção é o início
do canal de alta), e agora que o mercado voltou para aquele nível, eles
querem comprar novamente, esperando que ocorra um outro rali a partir
daquele nível de preço. Esses compradores estão esperando um fundo
duplo. O primeiro fundo do fundo duplo é a mínima daquela primeira
correção que ocorreu a partir daquela fase inicial de rompimento. O
mercado estava subindo forte em um rompimento de alta e então
apresentou uma correção. O mercado então retomou para cima. O
segundo fundo foi feito por aquela queda que voltou para testar esse
mesmo nível. Os altistas acreditam que esse mesmo preço irá segurar
novamente, porque foi exatamente isso o que o mercado fez quando
negociou nesses níveis anteriormente.

Baixistas irão vender novamente nos mesmos níveis das entradas que
geraram lucro da última vez, que agora é o topo do canal. Altistas esperam
que o mercado tenha entrado em uma lateralidade e começarão a sair de
suas compras com scalps no topo da lateralidade, que coincide com os
níveis em que os vendedores colocaram suas ordens de venda. Além de
estarem ambos comprando e vendendo em níveis próximos, tanto os
altistas quanto os baixistas estão agora preferindo sair em scalps curtos,
comprando baixo e vendendo alto. Baixistas estão vendendo alto para
iniciar vendas e escalar com outras vendas mais acima, enquanto que os
altistas estão vendendo alto para realizar lucro. O oposto ocorre no fundo
de uma lateralidade. Eventualmente ocorre um rompimento em alguma
das duas direções, e o processo recomeça novamente.

Este gráfico abaixo de 5 minutos do Forex é uma boa síntese de como se operar
diferentes momentos do ciclo de mercado.
(Abaixo a tradução dos textos dentro da imagem):

 Verde  –  Rompimento de baixa, venda com:


o Ordens a mercado em fechamentos de barras;
o Ordens a mercado a qualquer momento
o Ordens stop abaixo de barras.
 Azul  –  correção em uma tendência de baixa, venda com:
o Ordens stop abaixo de barras;
o Ordens limitadas ACIMA de barras (apostando que a correção irá falhar)
o Ordens a mercado em fortes fechamentos DE ALTA (apostando que a
correção irá falhar)
 Vermelho  –  Lateralidade Estreita
o Não opere
 Rosa  –  Lateralidade  – compre baixo, venda alto e saia com scalps curtos:
o Opere reversões de ambos os lados com ordens stop;
o Aposte contra rompimentos através de ordens limitadas.

Pressão de Compra e Pressão de Venda


Tendências são mais fortes durante rompimentos, e cada nova barra que
surge quase sempre é consistente com a tendência. Em uma tendência de
alta, ocorre uma abundância de barras fortes de alta, o que significa que a
pressão de compra é forte. Já em uma tendência de baixa é a pressão de
venda que é forte. A minha lista de análise de sinais de pressão de compra
e de venda é muito longa para este artigo, mas é apresentada nos meus
livros e vídeos. Porém, a imagem abaixo mostra um exemplo de um forte
rompimento de alta, e ilustra alguns indícios importantes de pressão de
compra.

Pressão de compra e Gaps. Um Gap é um espaço entre um nível de suporte e um


nível de resistência. Cada retângulo vermelho é um Gap entre o fechamento de
uma barra e a máxima de uma ou mais barras anteriores. Cada retângulo verde é
um Gap entre a mínima de uma barra e a máxima de uma barra anterior, e esses
Gaps com frequência acabam levando a movimentos projetados (estes são,
portanto, potenciais Gaps de projeção). Outros sinais de pressão de compra
são as consecutivas barras de tendência de alta, barras de tendência de alta
fechando acima dos respectivos pontos médios e especialmente próximas às
máximas das barras; grandes barras de tendência de alta; ausência de grandes
barras de tendência de baixa consecutivas; rompimentos acima de máximas mais
baixas anteriores, que faziam parte da tendência de baixa anterior; e
fechamentos acima dessas máximas e de outros níveis de resistência, como da
máxima da barra anterior, da média móvel, ou de linhas de tendência.

O sinal mais óbvio da pressão de compra é uma barra de tendência de alta


que fecha perto da máxima. Ela será ainda mais forte caso a sua abertura
coincida com a sua mínima, porque isso é um sinal de urgência…os
compradores estão tão ávidos para comprar que eles não querem esperar
nem mesmo uma pequena correção, e resolveram comprar assim que a
barra abriu. A barra fechando na sua máxima ou perto dela mostra que os
altistas continuaram comprando até o topo da barra. Se eles estão
dispostos a comprar alto, podemos afirmar, quase que certamente, que
eles também comprariam se viesse um pouco mais abaixo, o que significa
que mesmo a menor das correções seria comprada. Se a barra de
tendência de alta for maior do que a média das barras, esse será um outro
bom indicativo de pressão de compra. Se houver duas ou três fortes barras
de alta, esse será um rompimento ainda mais forte, especialmente se as
barras forem consecutivas (às vezes haverá uma série com diversas barras
fortes de alta com uma ocasional pequena barra entre elas). Se o
fechamento da barra atual for acima da máxima da barra anterior, isso será
um Gap, que é um outro indício de forte pressão de compra.

Traders prestarão atenção à mínima da próxima barra para ver se essa


mínima se manterá acima da máxima da penúltima barra anterior. Se ficar,
essa barra de Gap poderá ser um potencial Gap de Projeção, e levar a um
movimento projetado de alta. Se o fechamento de uma barra de tendência
for acima de alguma outra resistência, como uma linha de tendência de
baixa, a média móvel ou o topo de uma lateralidade, isso também conta
como mais pressão de compra, especialmente se a próxima barra (a barra
após a barra de rompimento é chamada de barra de continuidade) também
apresentar um fechamento de alta. Isso aumenta as chances de preços
mais altos, mesmo que haja uma correção durante o caminho.

3. A Equação do Trader
A Matemática que todo trader deve
conhecer:
Risco e retorno são importantes, mas os traders que sabem ganhar
dinheiro também prestam muita atenção às probabilidades. Nesse sentido,
você só deveria considerar entrar em uma operação se a Equação do
Trader fizer sentido:

Retorno x Probabilidade de ganho > Risco x Probabilidade de Perda

Retorno = seu ganho esperado (número de pontos entre o preço de


entrada e o objetivo de preço)

Risco = sua perda esperada caso o seu stop seja atingido (número de
pontos para o seu stop)

Todos os traders que geram lucro,


sejam instituições ou indivíduos, só irão comprar se acreditarem que a
probabilidade de ganho é significativamente maior do que a probabilidade
de perda em uma operação. Essa é a equação do Trader: para que uma
operação seja lucrativa, a probabilidade de ganho multiplicada pelo
tamanho do ganho (o retorno, que é dado pelo número de pontos até a
ordem limitada em que se realiza o lucro) tem de ser maior do que a
probabilidade de perda multiplicada pelo tamanho da perda (o risco,
dado pelo número de pontos até o stop de proteção). O risco e o retorno
são conhecidos, pois são determinados pelo trader… ele decide onde irá
realizar lucro (seu retorno) e onde irá realizar prejuízo (seu risco).

A terceira variável é a que causa maior problema para a maioria dos traders
iniciantes. Eles rapidamente descobrem que todos aqueles livros e cursos
que fazem a atividade de trader parecer tão fácil são uma grande falácia…
esses “falsos profetas” tentam fazer acreditar que existem vários trades que
são perfeitos, onde a probabilidade é alta e o retorno é muito maior do que
o risco. Se você pensar a respeito, trades que sejam perfeitos ou quase
perfeitos não podem existir, porque qualquer operação precisa de volume
institucional em ambos os lados. Se a operação for totalmente perfeita para
o comprador, então ela será totalmente imperfeita para o vendedor, o que
significaria tomar um risco que seja muito maior do que o retorno
esperado, e ainda com uma probabilidade baixa. Assim, nenhuma
instituição jamais entraria do lado oposto a um trade perfeito, porque ela
iria perder dinheiro ao longo do tempo, mesmo que ocasionalmente
houvesse um ou outro ganho (ganhos ocorreriam de vez em quando,
porque existe uma chance de ganho em qualquer operação, mesmo que a
probabilidade seja baixa). O resultado é que nenhuma operação pode ser
perfeita. Tem de haver alguma coisa na operação que atraia volume
institucional tanto na compra quanto na venda, e aqui eu assumo que a
maioria das instituições conseguem se manter lucrativas ao longo do
tempo.

Configurações com alta e com baixa probabilidade. Normalmente, um lado tem


uma probabilidade maior e o outro tem uma melhor relação risco/retorno.
Quando a probabilidade é alta, o potencial de retorno é baixo em relação ao
risco, além de a operação normalmente ser apenas um scalp. Por outro lado,
swings possuem ou probabilidade baixa, ou um risco alto quando comparado
ao retorno (o stop está distante), ou uma combinação de ambos.

Como é possível que traders que entrem em lados opostos de uma


operação possam ambos ganhar dinheiro? Tudo é uma questão de
compensação entre as três variáveis da sua equação do trader: risco,
retorno e probabilidade. Você com frequência escuta falar de relações de
risco/retorno, mas quando isso ocorre, o autor geralmente está assumindo
que a probabilidade é alta, o que pode ou não ser o caso. Algumas
operações têm probabilidades muito altas. Por exemplo, pense em uma
operação na qual, após a entrada, o mercado vai rápido até o preço em que
você deixou uma ordem limitada para realizar lucro, mas sua ordem fica na
fila sem ser preenchida e o mercado corrige um tick. Nesse exato
momento, você provavelmente não irá mudar o preço da sua ordem e irá
mantê-la, porque, com razão, você acredita que esse forte impulso irá fazer
com que ela seja preenchida nos próximos segundos. Nesse momento, o
que você terá concluído inconscientemente é que essa sua operação tem
uma altíssima probabilidade de ser finalizada da maneira desejada. Isso
significa que você teve de abrir mão de alguma coisa em uma ou mais das
variáveis da Equação do Trader, porque do contrário você teria uma
operação perfeita, que é algo que não pode existir.

Do que é que você abriu mão naquela operação de alta probabilidade?


Bem, naquele dado momento (em que houve a correção de um tick a partir
do preço no qual você iria realizar lucro), o seu retorno passou a ser de
apenas um tick, já que você tem uma ordem para realizar lucro um tick
acima do preço atual. Isso quer dizer que em troca da sua altíssima
probabilidade, você está abrindo mão de um lucro alto, estando na verdade
disposto a aceitar apenas um lucro minúsculo. Você está aceitando um
retorno baixíssimo. Além disso, você ainda provavelmente manteve o seu
stop original, ao menos pelos próximos vários segundos, e esse seu stop
provavelmente está há muitos ticks de distância. Digamos que sejam 6 ticks
de distância em relação ao preço atual. Isso significa que, naquele
momento, você está disposto a assumir um risco que é seis vezes maior do
que o retorno, em troca de uma altíssima probabilidade. Você teria de ter
aproximadamente 90% de confiança para que essa operação valesse a
pena. Traders na verdade nunca têm tempo suficiente para pensar se a
probabilidade naquele exato instante é, de fato, 90%, eles apenas sentem
que vale a pena confiar no stop atual e na ordem de realização de lucro, ao
menos por mais alguns segundos. Embora isso não seja consciente, eles de
fato têm de acreditar que têm 90% chance de sucesso para tomar essa
decisão, porque esse seria o único fundamento racional que daria suporte
para manter essa posição. Isso faz sentido? Claro que faz, e essa é uma
decisão que todos nós tomamos sempre que o mercado está próximo de
preencher nosso objetivo de ganho.

Uma boa relação Risco/Retorno é o


suficiente?
Não! Você também tem de incorporar probabilidade na Equação do Trader.
Para que uma estratégia seja lucrativa, a probabilidade de sucesso vezes o
retorno, tem de ser significativamente maior do que a probabilidade de
fracasso vezes o risco. A probabilidade é, de longe, a variável mais
importante e a maior fonte de perdas no trade. A premissa que tenta
justificar a tese daqueles que operam usando padrões de candlestick é que
o seu principal objetivo é minimizar risco, mas isso é uma falácia. Se você
estiver entrando em uma operação, você deve aceitar o risco que estiver
presente e apropriadamente gerenciá-lo, e não tentar artificialmente usar
artifícios que façam você ter a sensação de que ele é menor. A mesma coisa
é válida para o tamanho da sua posição, o seu stop de proteção e o seu
objetivo de lucro.

Entendendo a Probabilidade
Risco é apenas um dos componentes do trade, e é menos importante do
que a probabilidade. Você consegue controlar o risco simplesmente usando
um stop adequado, assim como você consegue controlar o retorno ao
selecionar como objetivo de lucro um preço alvo que seja lógico. Embora
você não possa controlar a probabilidade, você consegue assumir boas
premissas baseadas na minha “Regra operacional 40 – 60”, que
considera que em 90% do tempo a probabilidade está entre 40 e 60%. A
probabilidade de quê? Por exemplo, a probabilidade de que o mercado irá
subir 10 ticks antes de cair 10 ticks, sendo a mesma coisa válida para 20
ticks, 17 pontos, 1%… não importa. Em noventa por cento do tempo, a
chance de que o mercado irá se mover a uma certa distância, em uma
determinada direção, antes de se mover à essa mesma distância na
direção oposta, fica entre 40 e 60%. Eu digo isso baseado no ciclo do
mercado. O mercado está em um forte Rompimento durante 10% do
tempo, e está em um Canal ou Lateralidade durante os outros 90% do
tempo. A regra dos 40 – 60 é válida para aqueles 90% do tempo, não para
os 10% de tempo que está em um forte Rompimento.

Tem de ser assim, porque existem instituições em ambos os lados de cada


operação. Nenhum dos dois lados irá deixar que a probabilidade fique
muito alta sem que haja um grande aumento do risco, caso contrário, não
haveria ninguém para entrar do outro lado da operação. O mercado está
em um rompimento muito forte durante 10% do tempo, quando então a
probabilidade de uma operação feita na direção da tendência sobe com
frequência para 70% ou mais…, mas o stop geralmente fica muito distante,
o que aumenta o risco!

Se é assim, dada a incerteza que existe em 90% do tempo, como alguém


pode ganhar dinheiro? Lembre-se da equação do trader. Se o mercado
estiver claramente em um rompimento, operar é mais fácil, porque você
apenas opera na direção da forte tendência. Durante o restante do tempo,
a regra dos 40 – 60 se aplica. Ficou claro? Pois bem, essa é a chave do
sucesso…

 
Contanto que você sempre busque um retorno que seja ao menos duas
vezes maior que o seu risco, você terá uma equação do trader positiva
e a sua operação matematicamente fará sentido.

Conforme você vai aprendendo a operar, irá descobrindo que sempre


existem trocas entre as três variáveis. Se a probabilidade é alta, então ou o
retorno é baixo (como em um scalp) ou o risco é alto (como em um
Rompimento). Como dito anteriormente, não é possível que haja uma
operação com alta probabilidade de um retorno alto e um risco baixo,
porque nenhuma instituição iria entrar do outro lado da sua operação.
Todo trade conta com um trader institucional muito inteligente, que irá
entrar do outro lado da sua operação, e ele só fará isso se sentir que ao
menos uma das variáveis está favorável a ele. Ele não irá te dar as três.
Quando você entra num trade, você consegue apenas uma ou duas das
variáveis a seu favor; nunca as três.

Contanto que a Equação do Trader seja positiva, não importa se apenas


uma das variáveis está de acordo com o que você quer. Por exemplo, em
um scalp, a probabilidade é alta e o retorno é pequeno quando comparado
ao risco (portanto o retorno é menor do que você gostaria e o risco é maior
do que o desejado para um retorno desse tamanho). Sempre que uma
pessoa te disser que tem uma alta porcentagem de ganho, ela também está
dizendo que ela é um scalper (se forem gráficos diários, ela seria chamada
de Trader ou Trader de Dinheiro Rápido). Ela estará tentando um retorno
que é relativamente pequeno em relação ao risco (com frequência é até
menor do que o risco) e ganhará entre 70% e 90% das operações. Do lado
oposto da operação estão os swing traders (também chamados de
Investidores, quando se fala de gráficos semanais e mensais), que estão
entrando em trades de menor probabilidade (geralmente ganhando apenas
entre 30 e 40% das vezes), mas os seus ganhos são em geral muito maiores
do que as suas perdas. Eles operam com frequência Reversões Majoritárias
de Tendências, onde o risco pode ser pequeno e o retorno muito grande,
mas a probabilidade gira em torno de apenas uns 40%.

Eu sempre escuto traders falando sobre a relação risco/retorno, mas eles


não mencionam a probabilidade. Quando alguém fala que uma operação
tem uma boa relação risco/retorno, ele geralmente está supondo que a
probabilidade de sucesso é de ao menos 50%. Algumas vezes, no entanto,
ele irá sim mencionar a probabilidade.

Por exemplo, recentemente eu ouvi um trader na TV dizer que estava


comprando uma “Borboleta de Venda” que estava pagando 5:1 (eu sei que
isso é um jargão, mas não é necessário entender os detalhes para entender
o ponto que estou querendo ilustrar a respeito de probabilidades). Outro
trader comentou que essa era uma aposta de baixa probabilidade. Eles
estavam indiretamente discutindo a Equação do Trader…ambos sabiam
que quando o retorno é muito maior do que o risco (o retorno nesse caso
era 5 vezes maior do que o risco), a probabilidade de sucesso é muito
pequena. Você irá perder dinheiro na maioria das vezes. Alguns operadores
não se importam com isso.  Contanto que o dinheiro ganho em uma cesta
de operações desse tipo, seja maior do que o dinheiro perdido, esse estilo
operacional será lucrativo e, portanto, será razoável. Outros entendem que
essa lógica é mais teórica do que prática, e a maioria dos operadores não
conseguirá ser lucrativo se operar trades com probabilidades muito baixas,
por haver pouco espaço para erros. Você teria de executar e gerenciar as
operações de maneira perfeita para ter um bom desempenho, porque se
você entrar em dez trades desse tipo, e fizer alguma bobagem em algum
dos trades que seriam vencedores, você então irá perder dinheiro no
conjunto desses dez trades, já que o número de operações vencedoras é
pequeno e você precisaria de todas elas.

Como traders, “nós nadamos em um mar de incertezas”, e até que você


consiga se libertar das suas emoções, é impossível seguir o que os
computadores institucionais estão fazendo, e só é possível ganhar algum
dinheiro se você os seguir. Quando decidir entrar em uma operação, seja
honesto a respeito da distância real que o seu stop tem de ter, o que com
frequência cria um risco muito maior do que aquele que você gostaria. Você
tem de operar uma posição que seja suficientemente pequena, que faça
com que você não se importe tanto se irá ganhar ou perder… o “tamanho
não estou nem aí”. Isso te dará uma chance maior de se manter objetivo
quando entrar e sair da sua operação.

Jogo de soma zero…só que não


Traders aprendem cedo que ganhar dinheiro é difícil e que a sua vantagem
sobre os outros é pequena. Eles então naturalmente começam a pensar em
maneiras de ter uma vantagem maior. Umas das mais óbvias é usar um
monte de indicadores, como aqueles que eles veem nos anúncios e nas
revistas.

Se a indústria do trade estivesse mesmo caminhando para a perfeição,


como é que alguém conseguiria ganhar dinheiro? Simples: vivemos em um
mundo competitivo e alguns sempre serão melhores do que outros, e estes
acabarão ganhando dinheiro. Traders melhores sempre terão uma
vantagem, uma vantagem matemática, e irão ganhar mais do que todos os
outros. Mas, e o argumento de que o trade é um jogo de soma zero, e que,
portanto, não há como ninguém ganhar dinheiro a longo prazo?
Considerando os próximos um ou dois dias, o trade é um jogo de soma
zero.  No entanto a economia mundial vem crescendo por volta de 3% ao
ano desde sempre, e isso significa que existe muito mais dinheiro hoje do
que em 1987, e muitas vezes mais do que em 1927. O bolo irá sempre
crescer, e com isso todos poderão conseguir um pedaço, mas traders
melhores irão sempre conseguir os melhores pedaços.

4. A Importância dos Traders


Institucionais
Eu sempre assumo que, em todo mercado majoritário, não pode ocorrer
nenhuma operação sem que haja ao menos uma instituição disposta a
entrar no lado da compra, e outra instituição disposta a entrar do lado da
venda. Eu também assumo que ambas sabem como ganhar dinheiro, o que
significa que quase sempre existe, a qualquer momento, uma maneira de
se ganhar dinheiro comprando e uma maneira de se ganhar dinheiro
vendendo. O Trade institucional domina todos os mercados majoritários, e
os traders individuais simplesmente não tem tamanho suficiente para
causar algum efeito. Embora um trader talvez acredite que a ordem dele
moveu o mercado, essa crença quase sempre é um delírio. O mercado se
moveu apenas porque uma ou mais instituições baixistas e uma ou mais
instituições altistas quiseram que o mercado se movesse, mesmo que o
“Time & Sales” (histórico de ordens do terminal) mostre que a sua ordem foi
a única preenchida naquele preço.

Isso é especialmente verdade para ações nas quais as


instituições negociam grandes blocos de ações no balcão, onde elas podem
operar entre elas mesmas fora do radar das bolsas. No entanto, elas
rapidamente irão operar nas bolsas caso o mercado venha a mexer,
mesmo que apenas um pouco, em relação ao preço feito nas negociações
dos blocos. Não é porque aparece pouco volume no “Time & Sales” que o
volume de negociações seja baixo…ele ainda pode ser enorme, e irá
rapidamente ficar visível caso o preço que você está enxergando se desvie
do preço que eles estão negociando entre eles no balcão.

Além disso, traders devem também aceitar que 75% ou mais de todas as
operações são feitas por computadores. A matemática é perfeita demais e
a velocidade rápida demais para que qualquer outra coisa seja verdade,
mas eu não tenho espaço nesses artigos para explicar a evidência
matemática por trás dessa conclusão. Apenas direi que qualquer tick é
importante, especialmente em mercados gigantescos como o Emini, e se
você investir bastante tempo estudando o mercado, começará a perceber
uma razão lógica para cada tick que ocorre durante o dia.
Na verdade, você conseguiria ver um trade razoável, que poderia ser
considerado, em todas as barras do dia. Mas, e todo aquele monte de
ordens de apenas um lote no Emini, ou aquelas constantes ordens de 100
ações na AAPL(Apple)? – Eu acredito que a maioria delas é colocada por
computadores que fazem diferentes tipos de trades computadorizados
(incluindo trades de alta frequência), e isso muitas vezes envolve escalar
para entrar ou sair de operações, além de proteções (hedges) contra
mercados relacionados. Pense a respeito… existem algumas instituições
colocando milhares de ordens por dia em diversos mercados. Escalar para
entrar em uma operação significa entrar mais de uma vez, seja em um
preço melhor ou pior, enquanto que escalar para sair significa sair das
operações aos poucos. Elas estão adotando a abordagem que os cassinos
adotam, fazendo um número enorme de pequenas operações, mas todas
com uma pequena vantagem, e isso pode resultar em dezenas ou mesmo
centenas de milhões de dólares de lucro todos os anos.

Eu disse que sempre há uma instituição para entrar do lado oposto de cada
operação, e que para isso a operação tem de ter uma Equação do Trader
positiva, e isso é verdade. No entanto, isso não é tão simples quanto dizer
que no instante que a sua operação corrigiu um tick, uma instituição
vendeu com a intenção de fazer exatamente o oposto do que você fez,
arriscando um tick até um stop de proteção que está no mesmo preço da
sua ordem limitada para realizar lucro acima, e usando uma ordem para
realizar lucro seis ticks abaixo, no seu stop de proteção. Se essa instituição
teórica existisse, ela abandonaria as probabilidades (ela está entrando em
trades de baixa probabilidade, já que é o oposto da sua operação de alta
probabilidade), para obter um grande retorno em relação ao tamanho do
risco, o que poderia fazer sentido se as três variáveis tivessem o tamanho
correto.

Embora eu use o termo “ao menos uma instituição”, eu penso no lado


oposto da operação como sendo composto por um grupo de instituições,
cada qual já havendo testado seus próprios algoritmos e concluído que a
sua própria combinação de risco, retorno e probabilidade entrega uma
Equação do Trader com potencial de lucro. Alguns desses vendedores
querem probabilidade alta, o que significa dizer que seu retorno será
pequeno quando comparado ao seu risco. Por exemplo, eles talvez façam
uma venda e depois vendam mais um pouco acima (escalando a operação).
Quando feito corretamente, isso resulta em uma probabilidade alta de se
obter um retorno pequeno, mas o tamanho do risco pode ficar muito
grande, caso o stop esteja muito distante ou caso o tamanho da posição
também seja muito grande. Um vendedor diferente talvez entre no lado
oposto da sua operação (vendendo onde o vendedor anterior estiver
comprando para realizar lucro em um scalp), ao estruturar uma operação
que favoreça um retorno maior em detrimento de uma combinação
diferente entre risco e probabilidade. Não importa.
No entanto, é muito importante que se esteja confortável, acreditando que
a cada instante existe uma maneira de se estruturar uma operação que
tenha uma Equação do Trader lucrativa, tanto na compra quanto na venda.
Isso é verdade mesmo nas tendências mais fortes. É importante aceitar
isso, porque liberta a sua mente de apenas considerar uma das direções, e
te força a lembrar que você está operando em um mercado no qual tanto
altistas quanto baixistas ganham dinheiro. Isso significa que a qualquer
instante é possível tanto comprar quanto vender e ainda assim ganhar
dinheiro…desde que você estruture a operação corretamente. Você
também deve fazer um número suficiente de operações; você poderia até
mesmo perder na maioria delas, desde que aquelas em você ganhar sejam
suficientemente grandes para mais do que compensar a soma das suas
frequentes perdas.

5. Price Action é baseado em


genética
Gráficos são iguais hoje ao que eram 100
 

anos atrás

Agora que o domínio dos computadores no


trade e nos mercados é internacional, um tópico comum é se o
comportamento dos mercados se modificou. O movimento nos gráficos é
chamado de Price Action, e é um reflexo do comportamento humano.
Como qualquer comportamento, ele se baseia em genética. Pessoas
sempre quiseram ganhar dinheiro e todos nós ganhamos o nosso através
de trocas, o tempo todo. Por exemplo, quando você vai a uma loja, você
troca dinheiro por um aparelho da Apple.

Eu já observei gráficos de 100 anos atrás e venho operando desde 1987. Se


eu retirasse os rótulos dos gráficos, eu não saberia dizer se um gráfico é de
1910 ou de 2010, e eu não poderia dizer se é um gráfico de 5 minutos do
Forex ou um gráfico mensal do Dow Jones. Mas, como é possível que os
computadores não tenham afetado o Price Action? Claramente houve sim
um efeito, mas acredito que os algoritmos simplesmente procuram por
padrões lógicos e então estruturam trades onde eles encontrem uma
vantagem matemática. Isso é exatamente o que todos os traders têm feito
em todos os mercados desde o início dos tempos. O comércio sempre fez
parte da civilização, e é crucial para a sobrevivência. Isso significa que os
comerciantes (traders) mais bem adaptados têm uma vantagem, e que por
dezenas de milhares de anos os seus genes foram naturalmente
selecionados em detrimento dos genes daqueles mais incompetentes. O
resultado é que as atividades de troca são baseadas em genética, e os
computadores estão simplesmente aprimorando a maneira com a qual
fazemos essas trocas (em inglês, o trade). É por isso que os gráficos são
iguais ao que eram 100 anos atrás, e este é também o motivo de os gráficos
de qualquer mercado, em qualquer tempo gráfico, terem a mesma
aparência, tanto hoje como sempre. Toda a movimentação de preços é
baseada em genética, mesmo que as operações sejam feitas por
computadores. Um Trader com muita experiência em Price Action
consegue entender o que o mercado está fazendo em qualquer tick
durante o dia.
Dow Jones Industrial, gráfico semanal durante a Grande Depressão. Operações
de Price Action sempre irão funcionar porque são baseadas em genética e
comportamento lógico. Sem rótulos, seria impossível saber que esse gráfico é
de 80 anos atrás.

Os gráficos são os mesmos em todos


os mercados e tempos gráficos
Por exemplo, dê uma olhada nos três gráficos abaixo. Eu apaguei os eixos
de tempo e de preço para ilustrar esse ponto. Você conseguiria dizer qual
deles é um gráfico de ouro futuro, qual é um gráfico de Forex Euro vs Dólar,
e qual é um gráfico da GE (General Electric)? Além disso, qual deles é um
gráfico diário ocorrido durante a quebra do mercado de ações de 1987,
qual é um gráfico de 1 minuto e qual deles é um gráfico de 5 minutos?

Operações de Price Action funcionam em todos os mercados e tempos gráficos.


Qual é o gráfico diário, qual é o de 1 minuto e qual é o de 5 minutos? E qual
deles é uma ação, uma commodity e uma moeda? (resposta: a figura à esquerda é
o gráfico diário da GE durante a quebra da bolsa de 1987, o do meio é um
gráfico de 1 minuto do Forex (Euro vs Dólar) e o gráfico à direita é um
gráfico de 5 minutos do futuro de ouro.)

Muitos traders não conseguem observar o mercado durante o dia todo, e


ao invés disso se utilizam de gráficos diários ou de 60 minutos. Embora a
maioria dos exemplos no meu curso envolva gráficos de 5 minutos, existem
vários outros que utilizam gráficos diários, semanais e mensais. Por
exemplo, dê uma olhada no módulo 43, que eu postei gratuitamente no
site (não disponível em português). Lá há um exemplo detalhado de como
fazer uma operação de Price Action em um gráfico semanal de Forex.

Operadores de Price Action acreditam que os mercados são fractais. Isso


significa que padrões maiores são compostos de uma coleção de padrões
menores, e que não importa quão pequeno for o gráfico que você estiver
examinando, ainda assim você encontrará os mesmos padrões vistos nos
gráficos mensais. Se você olhar um gráfico como os apresentados acima,
onde não há eixo de preços à direita e não há eixo de tempo embaixo, você
não conseguiria dizer se ele era um gráfico de 5 minutos, 60 minutos,
diário, semanal, mensal, de 1.000 ticks ou de 50.000 ações. E por que isso
ocorre? Simplesmente porque os gráficos representam comportamento
humano, que por sua vez é baseado em genética, e um tempo gráfico
maior é simplesmente uma coletânea maior de comportamentos.

A maioria dos traders de Price Action opera todos os gráficos da mesma


maneira (obviamente ajustando o tamanho da posição, do risco e do
retorno, conforme o seu risco pré-determinado para qualquer trade), e
provavelmente você também irá após aprender como se faz. Você vê isso
na TV o tempo todo… um expert institucional irá mostrar gráficos diários,
semanais e mensais e usar o mesmo vocabulário para descrevê-los. Ele
procura por tendências, lateralidades, suportes e resistências,
independentemente de qual for o tempo gráfico. Quando eu opero o
gráfico de 60 minutos, ou diário, eu uso exatamente a mesma análise que
eu utilizo no gráfico de 5 minutos. No entanto, quando eu vou segurar
operações por dias ou semanas, normalmente eu utilizo opções, para
manter o meu risco controlado.

Com os fundos de alta frequência sendo tão falados nas mídias, pelo fato
de alguns deles serem incrivelmente rentáveis, existe uma tendência entre
os traders de cada vez mais tentarem diminuir o tamanho do tempo
gráfico. Eu tenho notado que existem diversas pessoas promovendo esses
gráficos como uma maneira para os traders ganharem dinheiro. Eu
realmente acredito que a maioria dos traders irá apenas perder e não
conseguirá ganhar no longo prazo, caso se utilizem de tempos gráficos
muito pequenos. No curso eu falo sobre quais as razões por trás disso, mas
a mais fundamental delas é que esses períodos muito curtos não permitem
que se tenha tempo para pensar com clareza, e com isso comete-se erros
em excesso. Um gráfico de 5 minutos é um bom ponto de partida, e eu
recomendo evitar qualquer gráfico que tenha mais do que 20 barras por
hora (menor do que o 3 minutos).

Tendências Sazonais
Existem algumas tendências sazonais que podem ser mostradas
estatisticamente. Eu menciono elas na minha sala de trading, na época
apropriada do ano. Por exemplo, no mês de janeiro, existe uma tradição
em Wall Street de dar importância ao que ocorre no comecinho do ano.
Traders gostam de pensar que janeiro funciona como um barômetro, e
olham estatísticas do primeiro mês para buscar pistas de se o novo ano
será de alta ou de baixa. Embora as estatísticas sejam válidas, elas não
ajudam a estruturar operações.

Essa é a minha lista para observações de janeiro (as observações abaixo


são baseadas nos mercados dos EUA): Em média, todo ano tem 67% de
chance de fechar acima do seu preço de abertura, e apenas 33% de chance
de fechar abaixo. Se os primeiros 5 dias de janeiro forem de alta, janeiro
será um mês de alta em 76% dos casos. No entanto, todos os meses são de
alta em 65% dos casos, portanto essa performance é apenas um pouco
superior à média. Se o comecinho for bom, faz sentido que sejam maiores
as chances de que o ano como um todo termine bem. Se os primeiros 5
dias forem negativos, em 60% das vezes janeiro será um mês negativo, ao
invés de apenas 35%. Se janeiro for de alta, o ano será positivo em 82% das
vezes, sendo que o ganho médio de fevereiro a dezembro é de 8,5%. Isso
faz sentido, já que de qualquer forma todo ano já parte com 67% de
chances de ser de alta, e esse é outro exemplo no qual um bom começo
aumenta as chances para o ano como um todo. Se janeiro for de baixa, o
ganho médio de fevereiro a dezembro é de apenas 1,7%, e o ano tem 58%
de chances de fechar em baixa, ao invés dos costumeiros 33%.

Aqui seguem outras observações baseadas em calendário: “venda em maio


e saia de perto” é um ditado que ainda é confiável. O mercado de ações
costuma fazer a maior parte dos seus ganhos entre outubro e abril.

Existe uma tendência em haver um rali por volta de 4 de julho, o que talvez
tenha sua explicação baseada no fim do segundo trimestre. O período
entre 26 de junho e 6 de julho apresentou um rali em 75% dos anos, sendo
o melhor período entre 30 de junho e 5 de julho.

Setembro é o mês mais fraco para títulos (bonds) e para o S&P. No entanto,
em média, ele é apenas 1% pior do que os outros meses, e esses 1% podem
ocorrer em um único dia. Isso significa que a maioria dos seus dias é como
qualquer outro durante o ano.

O Mercado tende a apresentar ralis por volta do feriado do Dia do Trabalho,


especialmente de 30 de agosto a 5 de setembro.

Outubro às vezes apresenta grandes movimentos de baixa, como em 1929


e em 1987. No entanto, ele geralmente fecha firme, mesmo que haja uma
rápida queda. O fechamento de 5 novembro é acima do fechamento de 26
de outubro em aproximadamente 95% do tempo. Isso se deve em parte
por ser o final do ano para fundos mútuos, e os fundos compram ações
para fazerem com que seus portfolios pareçam atrativos. Isso se chama
“decoração da vitrine”. Gestores de fundos querem se certificar que os
boletins trimestrais mostrem que seus fundos possuem todas as melhores
ações do final do trimestre. Isso dá a eles um argumento plausível para
argumentar quando alguém critica as suas performances ruins, pois eles
podem dizer que têm em carteira as ações corretas, mas flutuações
aleatórias influenciaram para que a performance não fosse boa.

O ditado “ação de graças é dominado pelos baixistas e o natal pelos altistas”


não é de nenhuma maneira confiável.

Em anos de eleições, mesmo de eleições apenas para o Congresso, a maior


parte dos ganhos ocorre nas 12 semanas finais, começando no meio de
setembro, sendo que na maior parte do ano geralmente anda de lado.

A teoria “The Dogs of the Dow” afirma que os traders deveriam comprar as
30 ações que foram piores no Dow no ano anterior, porque nesse ano elas
irão buscar as que performaram melhor. Isso não é confiável, e como
sempre “o barato sai caro”. Se estiver pagando pouco, comprando uma
ação que foi amassada pra baixo, você receberá má qualidade em troca do
seu dinheiro.

6. Contagem de Barras

Em um rompimento de alta, uma vez que a mínima da barra


venha abaixo da mínima da barra anterior, essa pequena queda é uma
correção. Todo trader quer ganhar dinheiro. Traders bem-sucedidos sabem
que uma boa maneira de se entrar em uma forte tendência de alta é
colocando uma ordem stop para comprar acima dessa barra de correção.
Essa barra é chamada de “barra de sinal de 1ª.Máxima” (H1 ou High 1). Se o
mercado for acima dessa barra, mas voltar para corrigir novamente, estará
formando uma segunda perna na correção. A mínima dessa segunda perna
talvez venha abaixo da mínima da primeira perna. Independentemente de
vir ou não, compradores colocarão ordens de stop de compra acima da
máxima dessa nova correção. Se a ordem deles for preenchida, essa barra
de correção poderá ser chamada de “barra de sinal de 2ª.Máxima” (H2 ou
High 2) – 2ª. Máxima porque é a segunda pequena perna da correção na
tendência de alta. Se o mercado não for acima dessa barra e continuar
caindo, os compradores continuarão baixando as suas ordens de compra
para 1 tick acima da barra anterior.

Essa foi uma grande configuração de compra de 2ª.Máxima, após um forte


rompimento de alta. Foi também uma Reversão Majoritária de Tendência com
fundo Mais Alto (todos os fundos Duplos são configurações de 2ª.Máxima)

Algumas vezes o Mercado terá uma terceira perna para baixo, formando
uma configuração de compra de 3ª. Máxima, que geralmente é também
uma bandeira de alta em forma de Cunha. Correções podem ficar ainda
mais complexas. Por exemplo, o mercado talvez dispare uma entrada de
compra de 2ª.Máxima ou de 3ª.Máxima, suba por algumas barras, mas
então rompa abaixo do fundo da bandeira de compra. Esse rompimento
muitas vezes tem duas ou três pernas de baixa, e com frequência cai o
suficiente para testar um movimento projetado, para depois formar uma
nova configuração de compra de 2ª.Máxima ou de 3ª.Máxima. Em um
tempo gráfico maior, (se o operador estiver olhando um gráfico de 5
minutos, um tempo gráfico maior pode ser por exemplo o gráfico de 15
minutos ou o 60 minutos), a primeira tentativa de fundo talvez seja uma
configuração de 1ª.Máxima, e a segunda tentativa talvez seja uma
configuração de compra de 2ª.Máxima.
Alguns operadores irão enxergar os setups da figura como um par de
configurações de compra de 2ª.Máxima, onde a primeira falhou e a contagem
começou novamente, enquanto que outros chamarão isso de 4ª.Máxima (seria um
zig zag na linguagem de Elliott Waves)

Se existe uma barra de baixa no gráfico de 5 minutos, que não vem abaixo
da mínima da barra anterior mas é seguida por uma barra de alta, e depois
outra barra de baixa, isso também é uma configuração de compra de
2ª.Máxima, mesmo sem nunca ter vindo abaixo da barra anterior. Se um
operador olhasse para um tempo gráfico menor (como o gráfico de 1
minuto), ele veria que nesse tempo gráfico menor as barras efetivamente
vieram abaixo da mínima da barra anterior. Essa seria uma legítima
configuração de compra de 2ª.Máxima no gráfico de 5 minutos.

As contagens com frequência não são claras, mas isso não importa. Nunca
perca o foco do objetivo…operadores estão vendo uma tendência de alta e
estão buscando uma maneira de entrar tão logo a correção tiver acabado e
a tendência for retomada. Quando um operador não consegue dizer se o
mercado está formando uma 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª Máxima, mas vê uma boa barra
de sinal de compra, ele irá simplesmente comprar um tick acima da
máxima daquela barra, e não irá se preocupar com a contagem exata.

Tudo isso o que foi falado é válido tanto para tendências de alta quanto
para simples pernas de alta que estejam dentro de lateralidades, assim
como também nos fundos de lateralidades onde hajam traders querendo
comprar pequenos fundos duplos (todos os fundos duplos são também ao
mesmo tempo setups de compra de 2ª.Máxima).

O oposto é verdade em uma tendência de baixa. Traders irão procurar


vender abaixo de barras de sinal de 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª Mínima.
Qualquer padrão com 3 puxadas é uma Cunha. Um topo ou bandeira de baixa em
formato de Cunha são ambos, configurações de venda de 3ª Mínima, e bandeiras
de alta ou Fundo em formato de Cunha são ambos configurações de compra de 3ª
Mínima.

7. Scalp levado ao extremo e


operações manuais de alta
frequência  

“Se eu consigo ganhar mais dinheiro no gráfico de 5


minutos do que no gráfico diário, eu certamente ganharei ainda mais no
gráfico de 1 minuto”. Essa frase ignora as limitações práticas do cérebro
humano… não somos computadores, e nossa capacidade de processar
informações e tomar decisões com precisão possui limitações reais de
tempo. Se não tivermos tempo o suficiente, estaremos mais propensos a
tomar decisões ruins. Por isso, a maioria dos traders não deveria operar
nenhum gráfico que tenha mais do que 20 barras por hora. A maioria dos
traders deveria se ater ao gráfico de 5 minutos ou mesmo a tempos
gráficos maiores. O que pode parecer óbvio em um gráfico impresso após o
fechamento, no qual você consegue ver todas as barras à direita após a sua
barra de sinal, geralmente não é tão óbvio em tempo real. Além disso, é
frequente que uma barra tenha uma aparência diferente no momento em
que fecha do que ela tinha um segundo antes de fechar. Isso quer dizer
que, na realidade, um trader tem muito menos tempo para tomar decisões
do que um gráfico ao final do dia possa aparentar.

Eu enxergo configurações de compra, venda ou ambas em quase todas as


barras, todos os dias. Embora eu pudesse entrar na maioria dessas
operações, eu não faço isso porque é exaustivo e nada divertido, e a essa
altura da vida eu prefiro só entrar em setups que sejam ao mesmo tempo
lucrativos e prazerosos.

Você deveria entrar ou sair em toda nova barra que aparecer enquanto
opera futuros, Forex ou o mercado de ações? Obviamente não, mas é
importante saber que existem oportunidades em cada segundo do dia, não
somente quando determinados padrões estiverem presentes. Se você
entender o ciclo do mercado, o que o mercado está fazendo naquele
momento, e como estruturar e gerenciar operações, você estará apto a
realizar operações lucrativas a qualquer momento do dia.

Você não teria de ter entrado em todos esses trades da imagem, mas cada seta
verde mostra uma entrada razoável na compra e cada seta vermelha mostra uma
entrada razoável na venda. Nenhum ser humano deveria operar todos os trades,
porque isso é muito exaustivo para ser feito consistentemente por anos. No
entanto, se um trader estiver zerado e procurando por entradas, e conhecer
Price Action, ele normalmente não tem de esperar por mais do que uma ou duas
barras antes de encontrar uma configuração que permita a ele estruturar uma
operação que tenha uma Equação do Trader favorável.
“Se eu já ganho dinheiro quando busco scalps de 20 ticks, ganharei ainda
mais dinheiro se eu entrar em um número maior de trades, fazendo scalps
de 1 a 3 ticks!”. Essa é outra falácia que eu vejo sendo promovida em
diferentes websites, e é um bom exemplo de teoria batendo de frente com
a realidade. Não apenas existe um problema referente à nossa inabilidade
de processar informações com precisão quando temos de tomar decisões
de maneira demasiadamente rápida, como também existe o problema dos
custos operacionais… spreads, corretagem, impostos, taxas… a maioria dos
traders não consegue operar o Emini pagando menos do que $5 por
operação completa. Se eles fizerem scalps de 1 ponto (4 ticks), o seu
resultado liquido será de $45 quando ganham e de -$55 quando perdem.
Se fizerem scalps de 1 tick, então seu resultado será de $7,50 quando
ganham e de -$17,50 quando perdem. Para piorar, em geral eles teriam de
comprar no preço de venda e vender no preço de compra, o que significa
que eles teriam de abrir mão de 1 tick ao entrar e de outro tick ao sair. Isso
quer dizer que o mercado tem de se mover 3 ticks na sua direção para que
eles consigam ganhar 1 tick. Mais ainda, quase sempre o contexto exige
que eles arrisquem ao menos entre dois e quatro ticks. Com tudo isso,
digamos que um trader esteja operando um gráfico de 5 minutos e que ele
arrisque em média 3 ticks, o que dá o equivalente a $37,50. Ele precisaria
que o mercado se movesse três ticks em sua direção antes de se mover 3
ticks na direção oposta. Quando ele acertar, irá ganhar $7,50 liquido,
assumindo que não haja algum spread (diferença entre preço de compra e
de venda na tela) adicional e que ele jamais cometa erros. Quando ele
perder, irá perder $37,50 ou 5x mais do que quando ele ganha! Para essa
conta ficar no zero a zero, ele teria de acertar 80% das operações. Para
obter lucro, ele teria de acertar de 90 a 95% das vezes. E isso não apenas
para as próximas três operações ou para os próximos três dias. Teria de ser
assim para o resto da sua carreira. Você pode argumentar que
teoricamente isso é possível, e Paul Rooter (um scalper famoso)
supostamente ganhou milhões operando scalps de 3 ticks no Forex, mas
fazer isso é tão difícil e fora da realidade para a maioria de nós, que traders
não deveriam nem mesmo tentar.

Portanto, se um objetivo de 3 ticks é muito pequeno, qual seria um objetivo


razoável? Isso varia conforme o mercado, mas os operadores podem
rapidamente descobrir qual é ao observarem o Price Action. Quando estiver
buscando por configurações de entrada com ordens stop, se houver muitos
movimentos de 6 ticks no Emini, isso quer dizer que vários operadores e
computadores estão buscando scalps de 4 ticks (porque se eles entrarem
com uma ordem stop um tick além da barra de sinal, o mercado
geralmente terá de andar 5 ticks ou mais para que uma ordem limitada
possa ser preenchida com 4 ticks de lucro a partir da entrada). Se houver
muitos movimentos de 22 centavos no petróleo, então muitos traders estão
buscando scalps de 20 centavos. Se houver muitos movimentos de 12 pips
no EUR vs USD, então traders estão buscando scalps de 10 pips. Se um
operador estiver olhando para entradas com ordens limitadas, então pode
considerar um tick a menos nessa análise. Por exemplo, se houver vários
movimentos de 9 ticks no Emini, então vários traders estão buscando scalps
de 2 pontos (8 ticks).

Considerando que operar scalps é algo extremamente difícil de se fazer no


longo prazo, a maioria dos traders deveria buscar operações nas quais o
retorno seja ao menos duas vezes o tamanho do risco. Se um trader achar
que ele precisa de um stop de 20 pips no EUR vs JPY, ele deveria então se
planejar e segurar os seus trades para tentar um lucro de ao menos 40
pips. Durante rompimentos muito fortes, o momentum é muito forte, o que
significa que a probabilidade de haver continuação é alta. Nesses casos, a
probabilidade de se obter lucro em uma operação é de 60% ou mais, o que
significa dizer que é matematicamente razoável tentar um scalp que tenha
um retorno igual ao risco, ao invés de duas vezes maior do que o risco. Se
estiver arriscando $2 em um rompimento do ouro, ele poderia sair com os
mesmos $2 de lucro e ainda assim ter uma operação que valeria a pena.
Existem mais coisas a serem consideradas sobre o assunto, porque o risco
inicial não é o mesmo que o risco efetivo. Se um trader inicialmente arriscar
50 pips em uma operação de EURUSD, e o mercado for 12 pips contra ele,
para depois rapidamente andar a seu favor, ele então agora sabe que
efetivamente ele teve de arriscar 13 pontos para que não fosse estopado.
Isso significa que o seu risco efetivo foi de apenas 13 pontos, não 50
pontos. Todos os computadores conseguem detectar isso, e muitos irão
então fazer um ajuste dos seus objetivos de lucro baseados nesse risco
efetivo. Isso quer dizer que muitos deles irão realizar lucros parciais com 13
ticks, bem aonde você com frequência consegue enxergar no gráfico uma
pequena correção por causa da realização de lucros.

Porque é que eu escolho um retorno que é duas vezes maior do que o risco
na maioria dos trades? Porque a maioria dos traders nunca estão 100%
confiantes do seu julgamento a respeito de qual é a probabilidade quando
entram em uma determinada operação. Lembre-se, é preciso que haja
alguma coisa nessa operação que atraia a instituição que for entrar como
contraparte (do outro lado)… é preciso que exista o potencial de obter
algum lucro caso ela estruture a operação corretamente (o que com
frequência significa que ela irá escalar a operação). Ela entende que o lado
dela é bom e você entende que o seu lado é bom. O resultado é que todos
nós operamos em uma cortina de fumaça onde nada é muito claro. No
entanto, em praticamente todos os momentos, em todos os mercados, a
probabilidade de que o os próximos 5 ticks irão para cima ao invés de irem
para baixo fica entre 40% e 60%. Isso significa que, se você comprar ou
vender a qualquer momento, e segurar para um retorno que seja
aproximadamente do mesmo tamanho do seu risco (embora em geral você
realmente deva tentar um retorno que seja ao menos duas vezes maior do
que o seu risco), você terá ao menos 40% de chance de sucesso. Se você
inserir esses 40% na Equação do Trader, verá que precisará segurar até um
retorno que seja de ao menos duas vezes o tamanho do seu risco para
conseguir ter um ganho razoável ao longo do tempo. No frigir dos ovos,
você estará sempre incerto quando entra, mas se você sempre tentar um
retorno que seja ao menos duas vezes o tamanho do risco, a matemática
estará a seu favor.

Além disso, sempre que você tiver um lucro que seja duas vezes o tamanho
do risco já poderá sair da operação. A matemática sempre será
suficientemente boa para que esse método funcione ao longo do tempo. Se
a tendência for forte, a matemática estará a seu favor se você segurar e
buscar um ganho maior, mas será sempre matematicamente aceitável sair
parcialmente ou totalmente ganhando duas vezes o risco. Além disso, se a
operação tiver alta probabilidade (60% ou mais), também será
matematicamente aceitável sair de parte, ou mesmo de toda a posição,
uma vez que o ganho atinja o mesmo tamanho do risco (você pode inserir
esses números na Equação do Trader e verificar por si próprio)

8. A insensatez de se operar com


fundamentos
Então, afinal quem usa fundamentos como informação quando opera? Ela
só tem utilidade para investidores, que seguram posições por meses.
Embora constantemente se escute traders na TV mencionando
fundamentos enquanto estão fazendo operações que durarão apenas
alguns dias, eles erroneamente acreditam que os fundamentos aumentam
a sua lucratividade. Fundamentos não ajudam traders a ganhar dinheiro,
mas eles sempre comentam sobre os fundamentos por ser uma tradição
em Wall Street. Eles têm receio de que seus colegas os respeitem menos
por serem puramente traders técnicos. Para mim isso é besteira, tanto
quanto ter vergonha de ser trader. Quando as pessoas me perguntam o
que eu faço da vida, eu olho diretamente para os olhos delas e digo que
sou um Day Trader, e o meu olhar confiante os desafia a dizer qualquer
coisa que seja desrespeitosa.

O Trade Técnico foi desacreditado por gerações, e aos pouquinhos está


começando a ser aceito como uma maneira lucrativa de se operar. A
maioria das Empresas de Investimentos de Alta Frequência (HFT) se utilizam
exclusivamente de informação de análise técnica, e muitas estão fazendo
fortunas. Já faz muito tempo que se tenta fazer com que o mercado
financeiro e o público aceitem que a análise técnica pode ser rentável no
longo prazo. No entanto, trades de HTFs são feitos por computadores, e
ainda existe resistência à ideia de que traders consigam ganhar dinheiro
usando exclusivamente análise técnica para operar manualmente.
A realidade é que quase todos os traders que geram lucro e seguram as
suas posições por apenas alguns dias ou menos, tomam as suas decisões
inteiramente baseadas em Price Action, mesmo que a maioria deles não se
dê conta disso. Eles querem ser vistos como parte do pelotão de elite do
mercado, onde a maioria das empresas ainda é dominada por um modo de
pensar fundamentalista, e se veem obrigados a encontrar uma razão
fundamental para justificar suas operações. No futuro, esse
comportamento irá desaparecer e os traders se sentirão confortáveis em
admitir para si mesmos e para seus colegas que eles estão ficando ricos
apenas por causa de operações de Price Action, e que fundamentos em
nada contribuem para a sua lucratividade.

Eu sou um day trader, saio da maioria das operações entre um período de


15 minutos a uma hora, e isso significa que fundamentos são
completamente inúteis para mim. Sim, em última análise os fundamentos
controlam a direção de qualquer mercado durante o curso de meses ou
anos, mas o seu impacto nos mercados é bem menos claro do que o
público acredita. Eu fortemente concordo com o vencedor do Prêmio Nobel
Bob Shiller, que disse: “Essa ideia de que o mercado de ações é reflexo dos
fundamentos é, em minha opinião, errada. Ele reflete na verdade
psicologia. O mercado agregado de ações reflete mais psicologia do que
fundamentos”.

Se o banco JPM é melhor do que um concorrente, seu valor será


relativamente maior. Colocando em termos mais simples, as suas ações em
geral terão um preço maior por dólar de lucro. No entanto, se a economia
como um todo estiver se deteriorando, o índice PL (Preço/Lucro) do banco
irá cair, o que equivale a dizer que o seu preço irá cair, mesmo que os seus
lucros estejam indo bem. Nunca se sabe, mas os investidores
provavelmente pagariam um preço maior por dólar de lucro nesse banco
do que pagariam por um banco de qualidade inferior. Esse é basicamente o
alcance do impacto dos fundamentos, sem considerar eventos ligados a
notícias.

Os fundamentos não têm nada a ver com o preço efetivo das coisas,
apenas com preços relativos, e mesmo assim o seu efeito é
demasiadamente não específico para que tenha algum valor para os
traders, que seguram suas operações apenas de minutos a dias. Em minha
opinião, os traders não deveriam jamais dar nenhuma atenção a
fundamentos ou notícias, porque nenhuma delas pode ser de fato
totalmente bem compreendida, enquanto que o Price Action é
inegável, para traders que sabem como lê-lo. Se mais dólares querem
comprar, o preço irá subir e qualquer pessoa pode enxergar isso no gráfico.
Não importa se os fundamentos, notícias ou experts da TV digam que
deveria cair. COMPRE!!!
Essa questão surge com frequência, e a minha resposta mais simples é que
eu opero futuros de moeda e mercados Forex totalmente baseado em Price
Action, e não tenho nenhum interesse em fundamentos.

Deixe eu aproveitar esse momento para falar sobre as diferenças entre um


trader e um investidor. Um trader está procurando por dinheiro rápido. Se
ele for um day trader, terá a intenção de sair entre alguns minutos a até
algumas horas. Se ele estiver operando gráficos diários, irá querer sair
entre um dia e pouco mais de uma semana. E como se opera como um
investidor? Um investidor está muito mais inclinado a prestar atenção a
fundamentos, e planeja segurar uma posição por muitos meses ou mesmo
anos. Por exemplo, ele talvez compre GOOG porque entende que a
empresa possui uma boa gestão e um balanço muito forte.

Fundamentos em última análise controlam a direção de qualquer mercado,


mas o seu efeito ocorre ao longo de meses, não dias. Embora se escute
traders falando sobre fundamentos, uma vez que você aprenda a operar,
talvez venha a concordar comigo que eles não são importantes para um
trader. De vez em quando ocorre uma ou outra notícia ocasional que
consegue mover o mercado por alguns dias, mas a maioria dos
movimentos que tenham menos de uma semana de duração são baseados
em Price Action. O mercado está constantemente buscando suporte ou
resistência, onde então ele rompe ou reverte. Eu acredito que esse seja o
conceito que a maioria dos traders que geram lucro utilizam para ganhar
dinheiro, e você provavelmente irá concordar conforme for aprendendo
mais como se opera online.

Um outro ponto a respeito de fundamentos: eles são bem menos claros do


que os gurus da televisão gostariam que você acreditasse ser. O movimento
no gráfico te diz como operar…te diz se mais dinheiro está enxergando
aquela notícia como altista ou como baixista, e isso é muito mais
importante do que a análise feita na TV por alguém que comprou ou
vendeu. O mercado geralmente está extremamente bem balanceado entre
compradores e vendedores, resultando em confusão quase constante,
portanto, quando existe algum tipo de vantagem para algum lado, ela é
muito pequena, mesmo para os melhores traders.

Alguma vez você já aguardou pelo trade perfeito? Se já, você provavelmente
ainda está esperando, porque o que rapidamente todos nós descobrimos é
que nenhuma configuração é suficientemente boa. Existe um trader
institucional comprando e outro trader institucional vendendo a cada tick
do gráfico. Um lado acredita que o mercado irá subir e outro acredita que
irá cair. Exceto durante os 5% do tempo em que está em um forte
rompimento, o mercado é bem balanceado entre compradores e
vendedores. Quando a CNBC mostra aquele analista altista, é fácil concluir
que o mercado tenha de ir para cima. No entanto, lembre-se de que um
baixista vendeu para aquele altista, e um é provavelmente tão inteligente
quanto o outro, e você só escutou um dos lados. Você deve lembrar que
sempre existe um lado oposto, e essa é a razão de o mercado existir…
ambos os lados precisam um do outro para atingirem os seus objetivos,
tanto de compra quanto de venda.

Além disso, os fundamentos são bem mais complexos do que o que é


mostrado na televisão, e a maioria das instituições já está muito bem
informada antes de saírem as notícias. Eles já se posicionaram antes do
preço atual, e você estará delirando se acreditar que você ou qualquer guru
da TV irá conseguir prever o movimento dos próximos dias baseado em
algum incrível fator fundamentalista. Se ele for importante, as instituições
já estarão por dentro e você estará entrando tarde….eles já estão entrando
em operações baseados em notícias que só sairão amanhã!

Além disso, se o futuro ou o Forex de Yen estiverem caindo, seria muito


simplista dizer que isso ocorre porque o Japão está imprimindo dinheiro.
Isso talvez seja uma grande parte da razão, mas muitos traders
institucionais pelo mundo estão fazendo trades baseados em muitas outras
razões fundamentalistas que são impossíveis de você saber. A Arábia
Saudita talvez tenha um grande estoque de Yen, mas agora acha que a
economia dos EUA está ficando forte e por isso talvez estejam vendendo
Yen para comprar ações americanas. Um banco na Europa talvez esteja
vendendo uma grande parte dos Yens que tenha nos cofres porque precisa
pagar alguma multa gigantesca para o governo, e a multa tem de ser paga
em Euros. Muitas das novas vendas são simplesmente traders de
“momentum”, que estão vendendo só porque a tendência é de baixa, sem
se interessar sobre qual é o motivo real pelo qual o Yen está caindo. Por
isso tudo, eu acredito que se preocupar com fundamentos não é o caminho
pelo qual se deve operar.

Em 2012, a CNBC tinha um programa de TV chamado “Money in Motion”


(Dinheiro em Movimento), e tratava a respeito de trading online de Forex.
Eles discutiam todas as operações tanto em termos de fundamentos
quanto de análise técnica, mas apenas entravam em trades na direção da
tendência e quase sempre no suporte ou resistência. A maioria dos trades
era feito por entradas em correções de tendências, com retorno
aproximado de duas vezes o risco. Nos vídeos do meu curso (Brooks
Trading Course), eu falo sobre a matemática que sugere que a maioria dos
traders deveria entrar em trades que ofereçam um retorno de ao menos
duas vezes o risco, por isso, independentemente dos fundamentos, eles
costumavam recomendar operações de Price Action bem razoáveis, com
um gerenciamento matematicamente sólido.

Esses traders de televisão faziam alguns comentários professorais a


respeito do seu profundo conhecimento sobre os fundamentos, mas isso
era pura balela. O que eles argumentavam era muito parecido com o que
os traders dizem quando operam com um monte de indicadores. Por
exemplo, um trader talvez dissesse: “há uma divergência no estocástico,
portanto irei comprar”. Tendências fortes apresentam incontáveis
divergências em sequência, e traders geradores de lucro jamais iriam
apostar em uma reversão baseados apenas em um indicador. Na verdade,
eu acredito que todos os traders que são lucrativos operam,
essencialmente, se não exclusivamente, baseados em Price Action, mesmo
que muitos deles argumentem que também estão adicionalmente
baseando suas decisões em fundamentos ou indicadores.

Se você escutar cuidadosamente o que eles estão falando, eles


invariavelmente dirão que não irão entrar na operação a menos que o Price
Action dê suporte ao que eles estão fazendo, e todas as operações são na
direção da tendência e baseadas em suportes e resistências. Eles então
forçam a discussão dos fundamentos para que ela de alguma maneira
caiba no que estão fazendo, mas, na prática, as suas operações são
baseadas inteiramente em Price Action e independentes dos fundamentos.
Isso significa que os fundamentos são inteiramente irrelevantes para o que
eles estão fazendo. A mesma coisa vale para indicadores. Traders bem-
sucedidos irão apenas operar se o Price Action fizer sentido,
independentemente do que mostrarem os indicadores ou os fundamentos.

Os mercados Forex são de alguma maneira especiais, conforme tantos


anúncios de corretoras de Forex fazem parecer? De maneira alguma.
Simplesmente olhe os três gráficos do artigo 5 (Price Action é baseado em
genética) e se pergunte se você conseguiria dizer qual deles é o EUR x DOL
(EUR x USD). Tenho certeza que você não conseguiria, portanto, você
perceberá que o Price Action é o mesmo em todos os mercados. Eu
menciono no curso que acredito que os gráficos são baseados em genética,
já que cada um deles representa comportamento humano. Se você adquirir
a habilidade de ler o que os gráficos estão dizendo, terá uma vantagem,
que é algo necessário para se operar lucrativamente. Eu não acredito que
fundamentos forneçam qualquer tipo de vantagem a um trader.

9. A insensatez de se operar com


indicadores

“O maior prazer da vida é fazer algo que os outros dizem que você não
conseguirá fazer”

Sempre que um trader inicia a sua jornada para aprender a ganhar


dinheiro, ele naturalmente procura por informação, e nesse sentido
anúncios de websites se mostram como recursos razoáveis.
Invariavelmente ele irá encontrar muitos que têm uma aparência
extremamente profissional e que mostrarão diversos indicadores. Ele então
irá concluir que telas complicadas com um monte de janelas de cotações, e
gráficos cheios de indicadores são uma necessidade da qual não se pode
escapar. No entanto, se ele parar para escutar traders profissionais falando,
ele nunca irá escutar nada a respeito de indicadores, e ao invés disso
apenas escutará que o mercado está testando antigas máximas ou uma
linha de tendência. Como esses traders podem estar ganhando dinheiro
sem usar indicadores? Porque a maioria dos traders que geram lucro
possuem uma abordagem muito simples, geralmente baseada em Price
Action, mesmo que isso seja intuitivo. Eles procuram por suportes e
resistências, e observam como o mercado responde quando chega neles.

Durante um forte rompimento de alta, eles simplesmente compram a


mercado e seguram até que o mercado encontre resistência, onde então
realizam lucro parcial ou total. Durante um forte rompimento de baixa, eles
realizam lucro em suportes. Iniciantes são naturalmente medrosos, e
procuram se proteger. Eles buscam gurus e indicadores, achando que esses
deuses irão protegê-lo da sua morte como trader, e o levarão ao nirvana. O
que rapidamente eles descobrem é que continuam perdendo dinheiro,
mesmo quando eles fazem exatamente o que os seus falsos deuses
disseram para eles fazerem. Como isso é possível? Os experts da TV
aparentam ser ricos e devem ser grandes traders! Os indicadores nos
anúncios com certeza devem ser o que os profissionais usam! – O que os
iniciantes não percebem é que o trade é muito mais simples e que a chave
para o sucesso vem de dentro. Traders simplesmente devem investir muito
tempo aprendendo a encontrar suportes e resistências, e também como
estruturar e gerenciar operações. Qualquer outra coisa é mentira.

Eu nunca conheci nenhum trader bem-sucedido que baseasse suas


decisões operacionais em gráficos cheios de indicadores. Na verdade, eu
acredito que o oposto é verdade. Indicadores são derivados do preço,
portanto, se você puder ler o Price Action, por que iria adicionar todos
esses indicadores que apenas tornam obscuros os gráficos e passam a falsa
impressão de que eles de alguma maneira irão te ajudar a operar melhor?
Você está simplesmente tentando encontrar uma muleta, a qual você
espera que te dê suporte até você finalmente se tornar lucrativo. Traders
bem-sucedidos assumem a responsabilidade por suas decisões, e não
procuram por uma força suprema, como um indicador místico ou um guru
da bolsa para guiá-lo ao paraíso financeiro.

Dê uma olhada nos dois gráficos abaixo. O primeiro possui uma aparência
que poderia estar em um anúncio. Vários indicadores coloridos, mas eles
tornam muito difícil enxergar aquilo que de fato você está tentando
operar… o preço! O segundo é o mesmo gráfico, mas dessa vez sem
indicadores, exceto pela média móvel exponencial de 20 períodos. Nem
mesmo ela é necessária para se operar de maneira lucrativa. Eu a uso
porque ela funciona como suporte ou resistência, portanto fornece várias
oportunidades que sem enxergá-la não seriam tão evidentes. Esse gráfico
simples mostra o que eu olho enquanto opero, e a maioria dos traders
bem-sucedidos olham para o mercado de uma maneira similar.

Alguns traders utilizam gráficos de ticks ou de volume, ou ainda um ou dois


indicadores, mas todos eles tomam suas decisões baseados em Price
Action. Eles querem comprar no suporte e vender na resistência, e os
melhores traders são extremamente bons em interpretar as diversas
formas que suportes e resistências podem assumir, e também qual a
aparência dos testes que terão boas chances de serem bem-sucedidos.
Quanto mais forte a pressão de compra (eu irei falar sobre isso em um
artigo posterior), maiores as chances de o mercado ir para cima, seja
quando ele corrige para um suporte ou testa uma resistência. Quanto mais
forte a pressão de venda, maiores as chances de queda.

Anúncios e websites tentam te fazer acreditar que você pode enriquecer se


operar um gráfico com um monte de indicadores… mais informação, mais
dinheiro!
Esse é o mesmo gráfico com apenas a Média Móvel Exponencial de 20 períodos. É
assim que operadores de Price Action operam. Não esconda esse monte de
informações importantes atrás de indicadores!

Olhe para os dois gráficos acima e conclua qual deles teria maior chance de
levar a uma operação rentável. Um deles possui um monte de indicadores
técnicos que tornam o gráfico extremamente difícil de ser lido. Iniciantes
são atraídos para gráficos como este porque têm medo do preço, e eles
constantemente recebem mensagens de anúncios em websites e revistas
que, implicitamente, dizem que adicionar um monte de indicadores lhes
dará a vantagem necessária sobre o cara do outro lado. Eles sabem que o
preço representa a verdade e que eles ainda não conseguem ganhar
dinheiro. Esconder o Price Action é uma maneira de negar a verdade,
conforme você irá descobrir enquanto aprende a operar. Operadores de
Price Action preferem o segundo gráfico. Os sinais são claros, mas leva um
bom tempo até que se desenvolva as habilidades necessárias para ir lendo
o gráfico conforme ele vai se desdobrando, e então operá-lo
apropriadamente. Não há nada de mágico; aprender a operar de maneira
bem-sucedida é, na verdade, meio tedioso na maior parte do tempo, mas
eu pessoalmente me sinto em paz durante essa espera.

10. Operando Rompimentos


“Você deve fazer aquilo que pensa que não é capaz de fazer”
Eleanor Roosevelt.

Mercados são criados por instituições, para que elas possam efetuar trocas
entre si com facilidade, comprando ou vendendo quando bem entenderem,
a um preço justo e com um spread baixo. O objetivo delas é o mesmo que o
nosso: querem ganhar dinheiro operando. O mercado está sempre
buscando um preço que seja justo para ambos os lados, e é por isso que
ele passa a maior parte do tempo em lateralidades, que são áreas de
consenso. Por outro lado, Rompimentos para cima e para baixo são
momentos breves, que ocorrem quando tanto compradores quanto
vendedores concordam que os preços estão muito baixos (no caso de um
rompimento de alta), ou muito altos (no caso de um rompimento de baixa),
e o mercado precisa se mover rapidamente para uma nova área de
consenso.

Qual é essa área de consenso? É uma lateralidade. É um intervalo de preços


onde a confusão impera, e é por isso que os trades raramente passam
confiança. Na maior parte do tempo, o mercado está fielmente balanceado
e existem argumentos razoáveis tanto para compradores quanto para
vendedores. Sempre que você se sentir confuso, sempre que conseguir
pensar em uma boa razão para não entrar naquele trade, ou sempre que
você conseguir enxergar, ao mesmo tempo, compras e vendas que
pareçam razoáveis, então você deve presumir que o mercado está em uma
lateralidade. Essa confusão, esse equilíbrio, é o objetivo de todos os
mercados. Eles tentam trabalhar em um preço no qual os compradores
achem que é uma boa compra e os vendedores sintam que faz sentido
vender. Conforme o mercado vai a níveis mais altos dentro de uma
lateralidade, os compradores sentem cada vez menos que é um bom
negócio, e acabam comprando menos.

Vários compradores irão realizar pequenos lucros, portanto nesse


momento eles passam a vender. Os vendedores que há algumas barras
estavam vendendo, enxergam agora um preço ainda melhor, e vendem
ainda mais. A falta de equilíbrio tem como resultado os preços voltando
para baixo. Quando o mercado testa o suporte, que é o fundo da
lateralidade, há menos vendedores querendo vender por ali, e existem
outros vendedores que estão realizando lucro de suas vendas anteriores,
portanto agora viraram compradores. Já os compradores enxergam nos
preços mais baixos um valor ainda melhor do que estava até então, e
acabam comprando mais. O mercado então acaba subindo para testar a
resistência no topo da lateralidade. Mercados têm inércia, e quando um
mercado está em uma lateralidade, 80% das tentativas de rompimento
acabam falhando.

Eventualmente, um rompimento será bem-sucedido e então o mercado


entrará em uma tendência, correndo para cima ou para baixo para buscar o
próximo nível de suporte ou resistência ou, a fim de encontrar uma faixa de
preços na qual tanto compradores quanto vendedores concordem
novamente que vale a pena operar, formando uma nova lateralidade.
Quando um mercado está em tendência, ele constantemente está tentando
reverter, mas por causa da inércia, 80% das tentativas de reversão irão
falhar e levar a correções, para então mais tarde retomar a tendência. Cada
tentativa de reversão ocorre em um nível de suporte ou resistência, mesmo
que você não consiga enxergá-lo, e essencialmente se deve a realização de
lucros.

Conforme vai passando o tempo, as correções da tendência vão ficando


mais profundas e mais complexas, e os scalps contra a tendência começam
a ser mais significativos no movimento de preços. Se uma correção começa
a acumular muitas barras, a tendência aos poucos vai sumindo do lado
esquerdo do gráfico, e a sua influência em preços futuros vai diminuindo.

A habilidade mais valiosa que um trader pode desenvolver é a de entender


rompimentos. Rompimentos do quê? De qualquer coisa. O rompimento
mais simples que existe é um movimento acima da máxima ou abaixo da
mínima da barra anterior, mas o mercado pode romper acima ou abaixo de
máximas anteriores, mínimas anteriores, linhas de tendência, canais,
objetivos de movimentos projetados, médias móveis, ou qualquer outra
forma de suporte ou resistência.

Se a barra atual se move acima da máxima da barra que acabou de fechar,


haverá mais compradores ou mais vendedores? Neste caso você está se
perguntando se o rompimento será bem-sucedido e seguido por um
movimento de alta suficiente forte para proporcionar um ganho na compra,
ou se irá falhar e talvez possivelmente reverter, se tornando o início de uma
operação lucrativa na venda. Frequentemente, eu falo em minhas aulas e
no meu curso em vídeo a respeito das características que aumentam as
chances de que um rompimento será bem-sucedido, e elas são sempre
relacionadas a sinais de pressão de compra ou de venda.

Algo importante a ser levado em consideração é o contexto, ou seja, todas


as barras à esquerda. Se o mercado estiver em uma lateralidade de 100
barras, as chances de um rompimento ser bem-sucedido são pequenas.
Mercados têm inércia e tendem a continuar fazendo o que já vinham
fazendo, e durante uma lateralidade a maioria das tentativas de
rompimento tende a falhar, mesmo que o rompimento chegue rápido e
com força ao topo da lateralidade. Esse é um vácuo de compra que está
testando a resistência. Pense no topo da lateralidade (e todos os suportes e
resistências) como um magneto. Quanto mais próximo o mercado chegar
desse magneto, mais forte será a atração magnética e mais rápido o
mercado tenderá a ser sugado por ele. Quando é atraído para a resistência,
o movimento é um vácuo de compra. Quando atraído para um suporte
abaixo, é um vácuo de venda. Uma vez que atinja o seu objetivo, (suporte
ou resistência), a força de magnetismo despenca e pode inclusive
desaparecer completamente.

Fortes rompimentos possuem duas ou mais barras de tendência consecutivas


(fechamentos próximos aos seus extremos e geralmente corpos com tamanho
grande). Por exemplo, o rompimento de alta da barra 1 até a barra 2
apresentou 5 barras de alta consecutivas, sendo que 4 delas fecharam próximas
às suas máximas, e 7 barras sem nenhum corpo de baixa. Essa forte pressão de
compra aumenta as chances de que qualquer correção será seguida por ao menos
uma segunda perna de alta. Já o rompimento de alta para a barra 6 foi mais
fraco, porque foi pequeno quando comparado ao rompimento de baixa entre a
barra 4 e 5, além de as barras de alta terem sido mais fracas do que as de
baixa (elas tiveram corpos similares, mas com sombras salientes no topo das
barras). Com isso, uma segunda perna de baixa era provável após essa primeira
forte perna de baixa.

Como é que isso ocorre? Em uma lateralidade, conforme o mercado vai


subindo, compradores e vendedores esperam que o mercado atinja o topo.
Se você for um baixista, tenderá a parar de vender uma vez que fique claro
que o mercado irá atingir um nível de resistência mais alto, porque, se você
aguardar, poderá vender a um preço melhor. Isso significa que ocorre uma
relativa ausência de vendedores logo abaixo da resistência. Compradores
sabem que uma vez que o mercado se aproxime de uma resistência, a
probabilidade de atingi-la, ou mesmo levemente ultrapassá-la aumenta, por
isso scalpers que estejam trabalhando na compra, como por exemplo
firmas de trades de alta frequência, compram agressivamente. As compras
por parte dos altistas, e a ausência de vendas por parte dos baixistas,
geralmente criam uma grande barra de alta, ou mesmo várias barras
grandes de alta, que rapidamente correm para o topo da lateralidade. Daí
então, os compradores realizam lucro e os baixistas vendem
agressivamente.
O resultado é que o mercado reverte, mesmo tendo chegado rápido e com
força na resistência. Esse foi um vácuo de compra até o topo, mas se fosse
uma situação inversa, e o mercado estivesse se aproximando do fundo da
lateralidade, provavelmente iria apresentar um vácuo de venda até o fundo,
na forma de uma ou mais barras grandes de baixa fechando em suas
mínimas. Entretanto, considerando que a maioria dos rompimentos em
lateralidades falha, o mercado provavelmente iria então reverter e voltar
para cima. Eventualmente, um rompimento será bem-sucedido e formará
uma tendência. Às vezes, sinais de acumulação de pressão de compra ou
de venda dentro de uma lateralidade podem ajudar um swing trader a se
antecipar, mas a maioria dos rompimentos falha.

Durante fortes rompimentos de baixa, traders irão procurar vender por


qualquer razão (em um rompimento de alta, traders irão usar uma
abordagem similar para as suas entradas na compra). Eles irão vender:

 a mercado;
 qualquer pequena correção, durante a formação da barra ou após ela
fechar;
 no fechamento de qualquer barra, seja ela de alta ou de baixa;
 acima da máxima da barra anterior, utilizando ordens limitadas;
 abaixo da mínima da barra anterior, utilizando ordens stop.
O stop de proteção ideal é acima do topo do rompimento (a máxima da
barra 1). Alguns operadores não estão dispostos a arriscar tanto, por isso
talvez prefiram usar um stop financeiro, como 20 pips (ticks) a partir de
suas entradas. Lembre-se da matemática. Se um trader escolher arriscar
menos, terá de pagar por isso com uma menor probabilidade de sucesso.
Stops amplos possuem uma maior porcentagem de ganho, mas a perda
ocasional pode ser tão grande quanto a soma de diversas perdas pequenas
que ocorreriam com stops menores. Não existe uma fórmula perfeita, mas
alguns stops são obviamente curtos demais ou grandes demais, e estes não
devem ser utilizados.

Outra maneira de se reduzir o risco é ir ajustando o stop para logo acima


da máxima da mais recente barra forte de baixa (ajustar o stop em uma
tendência de baixa significa ir movendo o stop para baixo conforme o
mercado continue caindo). Após cada nova perna de baixa, traders irão
descer os seus stops para logo acima da mais recente máxima mais baixa.

11. Canais de Tendência


 

Todo trader quer aprender a ganhar dinheiro, e um fator importante que


ele precisa entender é que qualquer mercado está sempre em um ou mais
canais de tendência. Assim que você vê uma linha, você deve concluir que
existe um canal, mesmo que você não enxergue a segunda linha. Eu fico o
tempo todo traçando linhas no gráfico para me ajudar a antecipar onde o
mercado talvez venha a romper ou reverter. Se o mercado ignorar a linha,
simplesmente rompendo de maneira forte, ou se nem ao menos chegar até
ela, eu apago essa linha e também passo a ignorá-la. O canal é para cima
em uma tendência de alta, para baixo em uma tendência de baixa e
horizontal em uma lateralidade. As linhas convergem em um triângulo e
divergem em um triângulo expandido. Quando um triângulo tem angulação
positiva ou negativa, eu o chamo de cunha. No entanto, eu uso o termo de
maneira ampla e chamo de cunha qualquer padrão diagonal que tenha 3
puxadas, mesmo se as linhas do canal forem paralelas e não convergentes
(formato de cunha). Isso não importa, porque o padrão funcionará da
mesma maneira que uma cunha daquelas de livro.

Chamamos de cunha a qualquer padrão que tenha três puxadas, o que significa dizer que
toda cunha sempre será também um teste de uma linha de canal de tendência, podendo,
portanto, levar a uma reversão ou a um rompimento (por exemplo, a bandeira de baixa em
formato de cunha na barra 14 teve um rompimento de alta). Quando o padrão for
horizontal, chamamos de triângulo. A maioria das cunhas não apresenta um formato
perfeito de cunha, mas ainda assim funcionam como se fossem perfeitas.

Os computadores que controlam o mercado não se limitam a canais


horizontais, e não se importam se o canal é horizontal ou inclinado, ou
mesmo se é agudamente inclinado. Eles simplesmente seguem gerando
trades baseados em linhas, que são um tipo de suporte e resistência.

Nada é aleatório, porque 70% do volume é feito por computadores, e todos


eles se utilizam de lógica. Quanto mais experiência um trader tiver, mais ele
conseguirá enxergar o que os computadores estão enxergando. Quando
um número suficiente de máquinas enxerga a mesma coisa, o mercado faz
algum movimento. Todos os acontecimentos ocorrem porque uma massa
de computadores enxergou a mesma coisa, e isso cria um movimento. No
Mercado não existe nem “ruído” nem aleatoriedade, e todo tick tem algum
significado.

Eu sei que isso talvez soe esquisito, como se fosse uma teoria da
conspiração, mas é a única coisa que eu consigo imaginar que seja
consistente com o que eu vejo todos os dias, e em todos os mercados. Isso
simplesmente faz sentido.

Toda linha precisa de ao menos dois pontos. Assim que os operadores


enxergam dois pontos, como uma mínima mais alta após uma reversão
para cima, ou um topo duplo em um mercado lateral, eles traçam linhas e
as estendem para a direita. Se, mais tarde, o mercado retornar para essa
linha, eles irão então procurar por uma reversão ocorrendo nela, que é algo
que normalmente acontece. Algumas vezes, a reversão ocorre logo antes
de tocar a linha, e outras vezes ela ocorre após romper além da linha. Se,
ao contrário disso, houver um forte rompimento, eles então irão tentar
operar na direção do rompimento. As linhas com muita frequência são
exatas, especialmente no Emini, mas mesmo assim, em geral os operadores
deveriam pensar nas linhas como sendo traçadas com uma caneta de
ponta grossa, ao invés de uma com ponta precisa.

Lembre-se do ciclo do mercado. O mercado está sempre em uma tendência


ou em uma lateralidade. Tendências começam como rompimentos e então
fazem a transição para canais. Canais eventualmente se transformam em
lateralidades, que então rompem novamente, e o rompimento pode
ocorrer em qualquer direção.

Uma vez que o rompimento comece a apresentar correções, a tendência


terá migrado da sua fase de rompimento para a sua fase de canal. Alguns
canais serão tão inclinados e estreitos que serão equivalentes a fortes
rompimentos. Quando for esse o caso, eles serão rompimentos em tempos
gráficos maiores. Por exemplo, um canal muito estreito no gráfico de 5
minutos é ao mesmo tempo um rompimento no gráfico de 15 minutos.

Alguns canais são amplos e apresentam swings bem grandes. Outros canais
são estreitos e possuem correções muito pequenas. Se um trader não
consegue decidir se um canal é amplo ou estreito, ele deve assumir que é
estreito e apenas operar na direção da tendência. Se ao invés disso, o canal
for claramente amplo, então ele também poderá considerar trades na
direção oposta. Um canal só poderá ser considerado amplo se tanto
compradores quanto vendedores estiverem relativamente fortes, e isso
significa que então esse canal será basicamente uma lateralidade que está
inclinada para cima ou para baixo. Por exemplo, em um canal amplo de
alta, um trader poderia comprar para scalps ou para swings. As correções a
partir de novas máximas são suficientemente profundas para que ele
também consiga vender. Considerando que as vendas estariam sendo
contra a tendência, ele deveria sempre sair com scalps de suas vendas.

Canais são sempre estreitos ou amplos. Quando são estreitos, opere apenas na
direção da tendência, podendo sair em swings ou scalps. Quando um canal for
razoavelmente amplo, um trader também pode considerar entrar em trades contra
a tendência. Ele deveria concentrar seus esforços em comprar as correções,
porque ainda é uma tendência. Ele pode sair com swings ou scalps nos trades a
favor da tendência, mas nas operações contra a tendência ele deve sempre sair
com scalps.

Uma vez que haja uma correção durante um rompimento, o mercado


normalmente entrará na fase de canal, mas algumas vezes haverá mais um
ou dois rompimentos antes de o canal de fato começar, enquanto que em
outras vezes o canal será tão pequeno que o mercado simplesmente
entrará em uma lateralidade. Durante a fase de canal, os traders serão
mais cautelosos em suas entradas. Por exemplo, em um canal de baixa,
eles não irão mais vender abaixo e acima de qualquer barra. Eles irão
começar a preferir vender um pouco mais alto, como por exemplo abaixo
da mínima de uma barra que ocorra em um pequeno rali de alta e próxima
à média móvel. Muitos ainda estarão dispostos a vender acima de barras e
escalar vendendo mais acima, mas somente caso a barra seja parte de um
setup de compra que pareça não ter força. A ideia é que, se a configuração
de compra da reversão tiver uma aparência enfraquecida, provavelmente
haverá mais vendedores do que compradores acima da máxima dessa
barra de sinal de compra, por isso faz sentido vender exatamente aonde
estiverem entrando esses compradores que provavelmente irão perder.
Por outro lado, quanto mais fortes as barras de compra (quanto maior a
pressão de compra), mais vendedores irão preferir uma barra de sinal de
venda que pareça forte antes de entrarem na venda.

Traders operam canais e lateralidades de maneira similar, já que ambos


são áreas de equilíbrio de forças entre os dois lados. Considerando que um
canal é simplesmente qualquer coisa entre duas linhas, pode-se dizer que
uma lateralidade é um canal horizontal. Em um canal, um dos lados é mais
forte, enquanto que em uma lateralidade ambos são iguais. Em geral, eu
uso o tamanho de um scalp para determinar se eu poderia ou não entrar
contra a tendência. Se o scalp mínimo no Emini é de 4 ticks, eu gostaria de
ver um movimento recente que tenha andado 8 ou 12 ticks (para o lado
que você está pensando em entrar) antes de eu considerar uma venda em
uma lateralidade ou em um canal de alta. Similarmente, eu gostaria de ver
um rali de 8 a 12 ticks em uma lateralidade ou canal de baixa antes de
considerar fazer scalps na compra. Se eu estiver olhando para scalps de 20
pips na compra em uma lateralidade ou canal de baixa do
EURDOL(EURUSD), eu primeiro gostaria de ver um rali recente de ao menos
40 pips, para me certificar de que os compradores têm força o suficiente
para mover o mercado para cima, de modo que o meu scalp seja rentável.

Microcanais
Um microcanal é um canal estreito no qual não existem correções. Por
exemplo, se o mercado estiver subindo por 6 barras e a mínima de cada
barra estiver em cima ou acima da mínima da barra anterior, esse então
será um microcanal de alta de 6 barras.

Microcanais devem ser vistos como se fossem rompimentos, e a maioria


deles de fato é um rompimento em tempos gráficos maiores. Quando as
barras são pequenas, é fácil se distrair em relação ao que o mercado está
tentando te dizer. Por exemplo, se existem 10 barras consecutivas, que
podem ser pequenas e sem nenhum atrativo em especial, nas quais cada
mínima é em cima ou acima da mínima da barra anterior, esse será um
microcanal de alta de 10 barras. Isso significa que os altistas venceram as
batalhas das últimas 10 barras, mesmo que as barras e o deslocamento de
preços tenham sido pequenos. Quando um microcanal ocorre cedo em
uma tendência, com frequência ele é seguido por uma forte aceleração e
um rompimento. Quando ocorre ao final de uma tendência, é com
frequência um clímax de exaustão, que em breve deverá ser seguido por
uma correção de duas pernas.
O Mercado subiu por 13 barras sem que nenhuma barra caísse abaixo da mínima
da barra anterior. Isso é um Microcanal, que é uma forma de canal estreito
levada ao extremo.

12. Suportes e Resistências


“É difícil ganhar de alguém que nunca desiste”

Escute atentamente aos traders na tv que estejam diariamente ganhando


dinheiro, pois isso pode te ajudar no aprendizado do trading. Alguma vez
você já escutou algum deles falando que fez uma venda por causa de um
Harami ou um Dark Cloud Cover? NÃO!! Eles raramente mencionam algum
estudo técnico, incluindo osciladores e bandas. Ouve-se constantemente
eles falando sobre médias móveis, máximas e mínimas anteriores e linhas
de tendência. Isso mostra algo muito importante sobre como traders
técnicos ganham dinheiro: NÃO é a partir de padrões de candles.

Você irá ouvir constantemente traders falando que estão comprando uma
ação em uma tendência de alta porque o preço está corrigindo e testando
uma mínima anterior, uma média móvel, um ponto de rompimento ou o
fundo do canal. Eles inclusive comprarão o fechamento de uma forte barra
de baixa que esteja fechando em sua mínima, algo que um trader que se
baseia puramente em candles jamais faria. Quando uma ação está em uma
tendência de baixa eles irão vender uma eventual puxada para uma
máxima anterior, para uma média móvel, para um ponto de rompimento
ou para o topo do canal. Não darão a mínima para qual é a aparência do
candle. Para eles, a única coisa que irá importar é que o preço está na
resistência, em um nível que da última vez segurou e voltou a cair, e que
provavelmente isso vai se repetir. Traders profissionais estão muito mais
preocupados em “comprar barato” no suporte (seja para entrar comprado
ou para realizar lucro das vendas) e “vender caro” (para realizar lucro das
compras ou para entrar vendido).

Já quando uma alta for extremamente forte, eles dirão que compraram
durante o dia, o que significa que eles enxergam o mercado como estando
na fase de rompimento. Quando esse é o caso, eles se sentem obrigados a
entrar imediatamente, e não a esperar uma correção, por que ela talvez
não venha a ocorrer por um bom tempo, e eles não querem perder a parte
mais forte da tendência. É dessa maneira que muitos profissionais operam.

Como operar suportes e resistências… você deve saber onde encontrar


movimentos projetados e como traçar canais.

Dependendo do contexto, linhas serão um tipo de suporte e resistência, e


tanto compradores como vendedores sempre iniciam suas operações em
algum tipo de suporte e resistência.

Essa é a minha perspectiva geral. Vou dar um exemplo de compra. Se um


comprador compra no suporte e o mercado sobe, ele ganha um dinheiro.
Se, no entanto, o mercado desaba, ele tem de escolher entre cair fora ou
segurar. Muitos dos compradores que seguram irão escalar conforme o
mercado for caindo. O que acontece quando o mercado finalmente sobe e
chega próximo ao seu preço de entrada original? Eles irão cair fora. Eles
saem no zero a zero na primeira entrada e com lucro nas entradas mais
baixas.
Portanto, nesse momento os compradores estarão vendendo ao invés de
comprar, e considerando que os vendedores estão sempre vendendo,
pode-se concluir que nesse ponto não existe compra, e o mercado terá de
cair se quiser encontrar novos compradores. Lembrando que os
compradores compraram anteriormente nesse ponto porque era suporte,
mas agora estão vendendo no mesmo lugar, pois virou resistência.

Se eles tivessem feito a sua compra original no fundo de um canal de baixa


que eles tenham enxergado como sendo uma bandeira de alta em forma
de cunha, então esse canal estaria inclinado para baixo. Agora que o
mercado rompeu abaixo dele, compradores e vendedores irão enxergá-lo
como resistência, e tentarão vender sempre que o mercado retornar a ele.

Gaps
Eu uso uma definição bem ampla: Gap é qualquer espaço entre suporte e
resistência. Por exemplo, se a barra atual for uma barra de tendência de
alta que fecha acima da máxima da barra anterior, esse espaço é um gap, e
essa barra de tendência de alta irá funcionar exatamente como qualquer
outro gap tradicional, da mesma maneira que funcionaria se fosse por
exemplo um gap do gráfico diário.

Gaps de Projeção e de Exaustão estão presentes em qualquer gráfico


intraday, mas eu até hoje nunca os vi sendo discutidos por mais ninguém
além de mim, mesmo sendo tão confiáveis a ponto de os computadores
estarem claramente usando esses gaps como níveis para realização de
lucros e operações de reversão.

Quando se olha para gráficos diários, gaps são sempre fáceis de serem
vistos. Se a mínima de hoje está acima da máxima de ontem, isso é
chamado de gap. Quando ele ocorre no meio de um movimento, e o
movimento termina perto de um movimento projetado a partir desse gap,
ele será chamado de gap de projeção. Quando o gap ocorre em um
movimento tardio e o mercado reverte, nesse caso ele será chamado de
gap de exaustão.

Gaps como esse também ocorrem nos gráficos intraday, especialmente em


mercados com baixo volume, mas são extremamente raros em mercados
mais ativos. No entanto, existem outros gaps que são bastante comuns no
intraday, mas que não são tão óbvios. Para mim, um gap é um espaço entre
qualquer área de suporte e resistência. Enquanto um gap de intraday se
forma, se você estiver ciente dele, estará preparado. Com frequência você
poderá entrar em trades que usem stops de apenas 2 ou 3 ticks a partir do
seu preço de entrada, e automaticamente isso já te diz que a probabilidade
é baixa e que o retorno provavelmente será grande quando comparado ao
risco, mas a matemática funciona e os computadores com frequência
pegam esses trades.

Um exemplo óbvio é quando o mercado sobe para uma área de resistência,


corrige e então dá mais uma puxada. Haverá sempre computadores
colocando ordens de venda um tick abaixo da primeira máxima, arriscando
entre um e dois ticks acima para apostar que haverá um topo duplo e um
movimento projetado para baixo. Mesmo quando a probabilidade é de
apenas 20% em algum caso particular (geralmente é 40% ou mais,
dependendo do contexto), se o retorno for 10 vezes maior que o risco, a
Equação do Trader será forte.

Um gap é um espaço entre um nível de suporte e resistência. Cada retângulo


vermelho é um gap entre o fechamento de uma barra e a máxima de uma ou mais
barras anteriores. Cada retângulo verde é um gap entre a mínima de uma barra
e a máxima da barra anterior, e todos esses gaps com frequência levam a
movimentos projetados (essas barras, portanto, têm potencial para fazerem
parte do caminho para movimentos projetados mais distantes).

Muitos computadores usam gráficos de tick quando querem ser


minuciosos, e eles constantemente avaliam a força das correções. Por
exemplo, se existe um rompimento de alta seguido de uma correção, os
computadores avaliarão se a correção veio abaixo do ponto de rompimento
ou não, e, portanto, se houve ou não um gap. Se o rompimento tiver
segurado acima do suporte, o gap terá sido criado e será um sinal de força,
tornando-se com frequência a metade do caminho do movimento. Por isso,
os computadores irão verificar onde o movimento começou, e calcularão
um movimento projetado acima, onde então irão realizar lucro ou até
mesmo efetuar novas vendas. Similarmente, se a barra de 60 minutos for
um gap de projeção, a mínima da barra após o gap geralmente será uma
correção bem fácil de se ver no 5 minutos, e a máxima da barra anterior do
60 minutos geralmente será uma perna de alta também muito clara no 5
minutos. O espaço entre eles será o gap, que com frequência acaba sendo
a metade de um movimento acima.

Existe um tipo particular de gap que eu presto uma atenção especial


quando o mercado está nos primeiros estágios de uma possível reversão.
Por exemplo, olhe o gráfico de 5 minutos abaixo.

Gaps de projeção. A máxima da barra 3 estava no mesmo nível e não acima da


mínima da barra 2, e o gap (a barra antes da barra 3 é o gap) se tornou um
gap de projeção. Note como os pontos de inflexão foram previstos com precisão
(linhas paralelas azuis e vermelhas). Isso acontece porque muitos
computadores usam esse conceito em seus cálculos. Computadores usam
matemática como matéria prima, e tanto gaps quanto movimentos projetados são
boas fontes para essa matemática, por isso são rotineiramente utilizados em
algoritmos de computadores.  

Note como o fechamento de uma das barras foi acima da máxima da barra
anterior, e que a mínima da barra seguinte (barra 7) não veio abaixo
daquela máxima. Esse é um sinal de pressão de compra e aumenta as
chances de que o mercado irá continuar subindo, ao menos o suficiente
para um trade. Por isso, esse também é um potencial gap de projeção. Veja
o que acontece uma vez que o mercado suba até o alvo do movimento
projetado. O pequeno pullback mostra que os computadores realizaram
lucro parcial nesse nível projetado. Por isso é importante entender que
esses gaps estão presentes em todos os tempos gráficos e são importantes
sinais de força.

Eu também procuro por gaps durante tendências fortes, porque se eles


começarem a ser preenchidos, os trades contra a tendência costumam ser
lucrativos. Por exemplo, veja que durante a queda o primeiro gap
permaneceu aberto, mas o segundo foi preenchido. Tendências tendem a
enfraquecer conforme vão avançando, com suas correções se tornando
mais fortes e mais profundas conforme o mercado faz a transição da fase
de canal de tendência para a fase de lateralidade. Uma vez que as
correções comecem a retrair além de pontos de rompimento, traders
começarão a apostar contra novos rompimentos e a escalar seus trades,
buscando scalps.

Movimentos Projetados
Os movimentos projetados mais discutidos são o “perna 1 = perna 2” e
aqueles baseados em padrões de reversão, como fundos duplos e ombro-
cabeça-ombros. Eu mencionei que gaps intradiarios com frequência levam
a movimentos projetados, por isso, conforme um gap está se formando,
operadores costumam entrar durante o rompimento, esperando que um
movimento projetado se desenrole. Uma vez no objetivo do movimento
projetado, operadores irão realizar lucro, enquanto outros irão apostar
contra o movimento, torcendo por uma reversão. Se a tendência estiver
muito forte enquanto atinge o objetivo, é provável que predominantemente
haja apenas realização de lucro, com poucas apostas na direção contrária à
tendência. No entanto, se houver uma segunda entrada, haverá mais
operadores dispostos a apostar contra. Por exemplo, se o mercado der
uma subida até um movimento projetado, ou qualquer outra resistência,
corrigir, e então testar a resistência novamente, vendedores estarão mais
dispostos a vender se esse segundo rali parecer mais fraco ou começar a
andar para baixo. Esse será um segundo sinal e terá uma maior
probabilidade de sucesso. A maior parte dos topos surgem a partir de
algum tipo de topo duplo, e a maior parte dos fundos surgem a partir de
algum tipo de fundo duplo, mas a maioria deles desses topos e fundos não
chegam nem perto da exatidão dos livros. Se um trader entender o que o
mercado está fazendo, estará apto a enxergar topos e fundos duplos que a
maioria dos iniciantes consideraria muito imperfeitos para serem operados.
Por exemplo, um forte rompimento de alta talvez tenha uma barra de
correção e então outra forte barra de rompimento. Se a barra seguinte for
uma barra interna ou uma barra de reversão, esse provavelmente será um
setup de topo duplo, caso o contexto favoreça.
A maioria dos padrões é imperfeita. O rompimento da barra 4 para a barra 5
foi forte e, portanto, poderia levar a algum tipo de movimento projetado, e a
segunda pernada para cima chegou perto de um perfeito perna 1 = perna 2. Note
como o mercado assumiu que a tendência de alta se iniciou na barra 4 e não na
mínima da barra 3, onde o mercado ainda estava operando nos dois sentidos. A
maioria dos padrões não é perfeita, mas fornece boas informações para quem
entende o que o mercado está fazendo. Barra 1 e barra 3 formaram um fundo
duplo, que também não foi perfeito; topos e fundos duplos raramente são
perfeitos.

Se estiver tardio em uma tendência, após ela já ter andado umas 20 barras
ou mais, se a barra mais forte de toda a tendência se formar, ou duas
barras de tendência muito fortes com gaps muito grandes, esse
normalmente será um gap de exaustão que será seguido por uma correção
maior. Como regra geral, eu procuro por 10 barras e duas pernas (TBTL),
com o mercado provavelmente voltando para testar novamente o início
desse rompimento final. Em uma tendência de alta, isso significará que o
objetivo mínimo da correção é o teste da mínima da primeira barra desse
rompimento final, o que muitas vezes será também um teste da média
móvel. Se eu estiver comprado, normalmente vou aproveitar para realizar
lucro. No entanto, se eu já estiver zerado, vou com frequência montar uma
posição nova e vender buscando um scalp, escalando acima e usando um
stop de proteção que seja maior do que a altura deste rompimento final.
Quando a barra ou o par de barras de melhor aparência ocorrer após umas 20
barras ou mais em uma tendência, geralmente estará criando um gap de
exaustão (um clímax da compra), ao invés de um gap de projeção. A barra 4
foi a segunda entrada na venda (a primeira entrada ocorreu duas barras antes)
de um topo em forma de bandeira final, que também foi uma reversão
majoritária de tendência com topo mais alto. Uma reversão forte como esta
geralmente terá duas pernas para baixo. A barra 6 foi uma reversão
majoritária de tendência com topo mais baixo, e a barra de sinal para uma
segunda oportunidade de venda, o que aumenta as chances de sucesso.

Existe outro gap bastante comum que também ocorre tardiamente em


tendências, e eu o chamo de “Barra de Gap da Média Móvel”. Por exemplo,
se existe uma forte tendência de baixa, que agora estiver apresentando
uma correção para cima, e uma ou mais barras fecharem completamente
acima da média móvel, eu as chamarei de barras de gap (há um espaço
vazio – gap) entre a mínima da barra e a média móvel). Traders irão com
frequência vender através de ordens stop um tick abaixo da mínima da
barra anterior, buscando um teste do fundo anterior da tendência. No
entanto, considerando que a puxada foi forte a ponto de colocar uma barra
inteira do outro lado da média móvel, causando esse gap, essa queda
seguinte deverá ser seguida por uma reversão majoritária de tendência
(que será discutida em um artigo posterior) e um movimento para cima
composto de ao menos duas pernas. Essa reversão para cima geralmente
dura por volta de um terço do número de barras que durou a tendência.
Barra de Gap da Média Móvel (MAGB). O mercado reverteu para cima a partir da
barra 4, cuja máxima fechou completamente abaixo da média móvel. Uma MAGB
geralmente marca a última perna da tendência antes de haver uma reversão
majoritária de tendência, que nesse caso foi acionada abaixo da barra 7. A
MAGB ocorrida na barra 3 falhou, e foi seguida por mais uma puxada para
baixo.

13. Lateralidades
“Não existem atalhos para qualquer lugar que valha a pena ir”

O Mercado está constantemente procurando equilíbrio, que é um preço


onde tanto compradores quando vendedores sentem que há valor em se
colocar uma ordem, pois entendem que conseguirão ganhar dinheiro. Esse
equilíbrio necessariamente leva a uma área de confusão, afinal, de que
outra maneira seria possível que ambos, tanto altistas quanto baixistas,
tivessem a sensação de que o preço é favorável? O mercado
constantemente testa para cima e para baixo, tentando encontrar uma
faixa de preços justa. A maior parte desses ralis e derretidas falham, e o
mercado permanece dentro da lateralidade. Ocasionalmente, uma das
tentativas finalmente leva a um rompimento, o que significa que nesse
momento tanto altistas quanto baixistas deixaram de estar confusos: eles
agora concordam que os preços estavam muito altos, no caso de um
rompimento de baixa, ou muito baixos, no caso de um rompimento de alta.
O mercado então rapidamente se move para uma nova área de confusão,
que é outra lateralidade, onde tanto altistas quanto baixistas sentem
novamente que o preço é mais ou menos justo.

Price Action é um ciclo de mercado infinito, feito de tendências e


lateralidades. Uma vez que a correção se inicie, a tendência sai da fase de
tendência de rompimento para a fase de canal de tendência. Isso então é
seguido por um aumento de ordens de ambos os lados, e a consequente
evolução para uma lateralidade. As sementes da próxima tendência são
plantadas a cada lateralidade, e uma vez que você aprenda a ler a pressão
de compra e de venda, você estará em uma boa posição para poder
antecipar o próximo rompimento bem-sucedido. Assim que ocorre um
novo rompimento para cima ou para baixo, o processo se reinicia.

Uma vez que o mercado pareça estar em uma lateralidade, traders irão
BLSHS (Buy Low, Sell High and Scalp, ou CBVAS em português:  comprar
baixo, vender alto e scalp). Comprar baixo pode ser para realizar lucro de
uma venda ou para montar uma nova posição de compra. Vender alto pode
ser para realizar lucro de uma compra ou para montar uma posição de
venda. Uma correção que cresça para mais de 20 barras, geralmente perde
a maior parte, ou às vezes toda a sua influência na tendência que veio antes
dela, e a probabilidade de que tendência reverta se iguala à probabilidade
de a tendência ser retomada. Uma vez que haja um rompimento bem-
sucedido, em qualquer uma das direções, o processo se reinicia.
Quando o Mercado está em uma lateralidade, traders devem BLSHS(CBVAS)…
Comprar Baixo, Vender Alto e Scalp. Eles devem evitar entrar em operações no
terço do meio (área cinza acima) da lateralidade.

Lateralidades sempre passam a impressão de que estão próximas de


serem rompidas. Pernas fortes de alta enganam traders para que comprem
alto (lembre-se, você deveria apenas vender alto!), levando-os a assumir
que a forte perna para cima terá uma segunda perna de alta após qualquer
correção. Pernas fortes para baixo enganam traders a venderem baixo no
fundo da lateralidade, novamente influenciados pela aparente força do
movimento, que os faz erroneamente acreditarem que haverá um
rompimento bem-sucedido. Novamente, isso é o oposto do que os traders
experientes fazem. Seres Humanos são naturalmente esperançosos, e leva
tempo para que abandonemos a nossa inclinação natural de acreditar que
uma forte tentativa de rompimento será bem-sucedida. Esses fortes ralis
são apenas vácuos de compra que testam a resistência no topo da
lateralidade, e as fortes quedas são causadas pelo suporte no fundo da
lateralidade, sugando o mercado para um teste de venda.
 

O Mercado foi sugado para o topo e para o fundo da lateralidade, mas não
houve continuidade. Traders iniciantes constantemente são pegos em armadilhas
para comprarem grandes barras de compra no topo e venderem grandes barras de
venda no fundo, porque ter esperança faz parte da nossa natureza. Traders
acreditam que virá uma nova tendência, mas os mercados têm inércia, e quando
estão em uma lateralidade, 80% dos rompimentos para cima e para baixo tendem
a falhar.

Lateralidades Estreitas
Uma lateralidade é simplesmente um canal horizontal, e assim como ocorre
com outros canais, ela pode ser ampla ou estreita. Quando uma
lateralidade é larga, traders podem entrar com ordens stop, vendendo no
topo e comprando no fundo. Eles também podem simplesmente apostar
contra rompimentos, colocando ordens de venda limitadas acima de
máximas anteriores para montarem posições de venda, e colocando ordens
limitadas de compra abaixo de mínimas anteriores para montarem
posições de compra. Eles ainda podem apostar contra rompimentos,
simplesmente vendendo fortes fechamentos de alta no topo da
lateralidade, ou comprando fortes fechamentos de baixa, próximos ao
fundo da lateralidade, corretamente esperando que essas tentativas de
rompimento terão 80% de chances de falhar. Quando eles vendem no topo,
eles podem tanto estar realizando lucro de posições de compra que foram
montadas mais abaixo na lateralidade, quanto para montar novas posições
de venda. Quando eles compram baixo, podem estar tanto realizando lucro
de posições de venda montadas mais acima na lateralidade, quanto
montando novas posições de compra.
Quando uma lateralidade é estreita, a maioria dos traders não deveria operar.
Traders experientes e agressivos irão fazer scalps com ordens limitadas,
comprando abaixo de barras no terço inferior da lateralidade e escalando mais
baixo. Também irão vender acima de barras no terço superior e escalar mais
acima. No entanto, sempre que a lateralidade for muito estreita, eles devem
aguardar que haja um rompimento para cima ou para baixo. Para saber se uma
lateralidade é demasiadamente estreita, uma boa medida é verificar se a
altura da lateralidade é de apenas duas vezes ou menos o tamanho de um scalp
padrão.

Às vezes a lateralidade pode ser extremamente estreita, com várias barras que
só tenham 1 tick de altura, e ainda assim apresentar um forte rompimento com
um volume altíssimo. Esse ocorreu na noite do ano novo de 2009, e serve como
lembrete de que os computadores das instituições estão sempre em
funcionamento, mesmo durante os últimos minutos do ano, pouco antes de um
feriado importante. A barra da 1 pm negociou 77.000 contratos! Assim como
essa foi uma oportunidade muito rentável para eles, também poderia ter sido
para qualquer um de nós que estivesse preparado para operar.

Essa lateralidade estreita foi uma configuração com potencial de


rompimento, o que significa que um rompimento seguido de um trade de
swing era provável, e poderia ocorrer em qualquer uma das duas direções.
Poderia ter havido uma retomada da tendência para cima, mas nesse caso
houve uma retomada da tendência para baixo (a tendência de baixa
anterior à lateralidade estreita foi retomada com o rompimento abaixo da
lateralidade estreita).

14. Reversões de Tendências


“A mulher que segue a manada, geralmente não vai muito além dela. A mulher
que caminha sozinha, tem mais chances de descobrir lugares onde ninguém
jamais esteve”. Albert  Einstein

Todos nós operamos para ganhar dinheiro, e o maior medo de um iniciante


é perder dinheiro. Por causa disso, muitos erroneamente tentam se
prevenir dessas perdas usando o menor stop possível, sem levarem em
consideração que as outras duas variáveis têm a mesma importância. Isso
faz com que eles sempre tentem comprar o fundo exato ou vender a
máxima exata, porque eles percebem que o stop estará muito próximo à
sua entrada, logo no lado oposto da barra de sinal. Ele enxerga várias
ótimas reversões de tendência em livros e websites, e assume que elas são
comuns.

No entanto, ele se pergunta porque é que dia após dia ele assiste ao


mercado, e nunca vê nada parecido com o que ele estava esperando
encontrar. Na realidade, o que ocorre é que tem de haver uma instituição
entrando no lado oposto do trade, e nenhuma delas dará a ele perfeição,
pois, se isso ocorresse, ela estaria entrando em uma operação que seria
perfeitamente ruim… uma baixa probabilidade de acerto, onde o risco é
muito maior do que o retorno. Isso significa que infelizmente deve sempre
haver uma parte ruim em qualquer reversão (e em qualquer operação!),
algo que faça com que a relação entre as variáveis probabilidade, retorno e
risco seja de alguma maneira atrativa para ambos os lados.
Quando existe um gap de alta, seguido de um gap de baixa, ou um gap de baixa
seguido, de um gap de alta, uma “ilha” é criada. Se uma ilha se forma em uma
lateralidade, o rompimento a favor da perna anterior geralmente falha, porque
a maioria dos rompimentos dentro de lateralidades falham. Quando uma ilha se
forma em uma tendência, geralmente é a reversão quem falha, pois, a maioria
das reversões em tendências falham.

Às vezes as “ilhas” levam a grandes tendências. Traders apostando contra a


tendência tem operações de baixa probabilidade, com baixo risco e alto
retorno. Outras instituições entram do outro lado, onde possuem uma alta
probabilidade de obter lucro, mas com uma relação risco/retorno pior.
Ambos os lados são aceitáveis. Existem ainda outros que preferem esperar
um forte rompimento antes de entrar em operações, pois assim as
probabilidades se tornam maiores.

O que possivelmente poderia estar errado? O iniciante vê uma barra


perfeita de reversão de tendência, como aquelas dos livros, e o mercado
está revertendo para cima a partir de uma linha de tendência ou algum
outro suporte. Essa condição seria perfeita, porém, ele não prestou atenção
ao contexto, que é composto de todas as barras à esquerda. Tendências,
assim como lateralidades, tem inércia, portanto, resistem fortemente às
tentativas de reversão. De fato, 80% delas falham, e se tornam meras
bandeiras de alta em tendências altistas, ou meras bandeiras de baixa em
tendências baixistas. Isso é real para todas as reversões, incluindo padrões
de ombro-cabeça-ombro, e topos e fundos duplos. A maioria das reversões
a partir desses padrões se tornará simples bandeiras, e a tendência
continuará em frente. Raramente, haverá reversões, mas você perderá
dinheiro se inconscientemente vender cada topo em forma de ombro-
cabeça-ombro, pois a maioria será simplesmente um triângulo em uma
tendência de alta, e será seguida por preços mais altos.
No entanto, se o contexto estiver favorável, um padrão de cabeça e ombros
pode sim ser algo interessante de se operar. Por exemplo, se existe uma
tendência de baixa, e se forma um fundo em forma de cabeça e ombros, o
rali para cima a partir do fundo pode romper acima da linha de tendência
de baixa, que passa na última máxima mais baixa do canal de baixa. Nesse
caso, o ombro direito se tornaria uma simples correção do forte
rompimento dessa alta e, portanto, uma compra do tipo “rompimento e
correção”. Em um caso desses eu prefiro não usar o termo cabeça e
ombros, e ao invés disso, prefiro chamar de rompimento-e-correção, ou de
reversão majoritária de tendência, pois esses termos descrevem mais
claramente aquilo que está realmente ocorrendo. Eles implicam que o
contexto está dando suporte à reversão. Cabeça e ombros não dizem nada
a você sobre o contexto, e o uso ostensivo do termo faz com que traders
sigam constantemente procurando por reversões, em situações nas quais
eles deveriam estar buscando oportunidades a favor tendência.

Aliás, eu mencionei anteriormente que tendências são seguidas por


lateralidades, as quais por sua vez são seguidas por continuações de
tendências ou reversões de tendências. Padrões de cabeça e ombros
geralmente não tem barras suficientes para tornar as chances favoráveis à
reversão. As probabilidades continuam favorecendo a continuidade, e isso
significa que a maioria dos padrões de cabeça e ombros são triângulos de
tamanho médio (bandeiras de alta ou de baixa) e não padrões de reversão.

A maioria das tendências não é abruptamente revertida e transformada em


uma tendência oposta, geralmente elas têm de primeiramente entrar em
uma lateralidade. Isso significa que a maioria das reversões envolvem
lateralidades, as quais geralmente são bandeiras finais ou reversões
majoritárias de tendência. A maioria das reversões climáticas é geralmente
alguma variação de uma reversão em forma de uma pequena bandeira
final. Depois da reversão climática, geralmente irá se formar uma reversão
majoritária de tendência. Por exemplo, depois que uma compra climática
reverter para baixo, geralmente haverá um teste acima, para formar um
topo mais baixo de uma reversão majoritária de tendência com máxima
mais baixa, o que geralmente levará no mínimo a algum tipo de movimento
projetado, como por exemplo um “perna 1 = perna 2”.
Bandeira Final e Reversão Majoritária de Tendência

Uma lateralidade horizontal que apareça tardiamente em uma tendência,


frequentemente se torna a bandeira final dessa tendência, como aconteceu
nessa imagem acima. Baixistas venderam abaixo da barra 3, buscando um
swing de baixa que pudesse cair por ao menos dez barras e duas pernas
(que é o meu objetivo mínimo). Depois de o mercado vir abaixo da linha de
tendência de alta, seguido de um teste do topo (barra 5 testou a barra 3),
traders venderam abaixo da barra 5 (um topo mais baixo da reversão
majoritária de tendência), buscando um swing de baixa.

O rali para a barra 7 durou 9 barras, e teve diversas delas fechando


próximas a seus topos. Também rompeu aquela linha bastante inclinada de
tendência de baixa. Isso fez com que traders procurassem comprar uma
reversão para cima depois de haver um teste abaixo (um teste da barra 6
ou fundo da barra 7). A Barra 9 foi a barra de sinal de uma reversão
majoritária de tendência com fundo mais alto. Toda reversão majoritária de
tendência é também um topo ou fundo duplo (em geral, topos e fundos
duplos se assemelham mais a algo próximo a essa imagem acima, do que
com aqueles padrões perfeitos que você vê nos livros).

Se não houver pressão de compra significativa, são pequenas as chances de


que, mesmo uma forte barra de reversão de alta, leve a uma reversão, pois,
o máximo que geralmente se consegue é uma pequena correção, mas sem
um retorno suficientemente grande para compensar a baixa probabilidade,
de modo que o comprador seguiria perdendo dinheiro. Por outro lado, se
houver um rali recente que tenha ido acima da média móvel, composto por
várias boas barras com corpo de alta e fechamentos próximos às suas
máximas, e a venda antes do início desse rali não tiver apresentado fortes
barras de baixa, então as chances de uma reversão lucrativa, onde a
recompensa poderia ser ao menos duas vezes o risco seria maior, e a
probabilidade seria de ao menos 40%. Isso significa que esperar por um
contexto mais favorável deixaria a operação matematicamente saudável,
mesmo que a probabilidade seja somente 40% (poderia ser maior, se o
contexto fosse mais forte).

Isso seria uma reversão majoritária de tendência, que é um tipo de fundo


duplo. Existe uma tendência de baixa, seguida de um rali razoavelmente
forte, durando cerca de 10 barras. Nesse caso, os sinais de força
envolveram diversas barras fortes de alta, e um movimento que foi acima
da média móvel. A forte venda que testou o fundo de baixa foi fraca. Não
importa se essa forte venda foi um fundo duplo perfeito (a maioria dos
topos e fundos duplos não são perfeitos), ou se a barra de reversão de alta
formou um fundo mais alto ou um fundo mais baixo. Todos esses são
fundo duplos. Se o movimento de baixa que vem testar o fundo, vier abaixo
dele e se mantiver lá por 5 barras ou mais, fará com que os altistas
provavelmente precisem de uma nova forte perna de alta, rompendo acima
da linha de tendência, seguida de um novo teste do fundo. Resumindo: eles
irão precisar esperar uma nova reversão majoritária de tendência. Uma vez
que o movimento para cima se inicie, ele geralmente subirá por ao menos
duas pernas, e geralmente irá testar o topo do canal de baixa. Nesse ponto,
uma lateralidade ampla geralmente irá se desenvolver, mas os altistas
ainda terão boas chances de haver um swing de alta antes de que isso
ocorra.

Outra reversão comum é a bandeira final. Em qualquer tendência, depois


que ela reverter, você pode olhar para traz e procurar a última bandeira
antes da reversão, e dizer que essa foi a bandeira final. No entanto,
enquanto as bandeiras finais estão se formando, elas geralmente possuem
características que deixam os traders em alerta para procurar rompimentos
falsos, seguidos de reversão. Por exemplo, se uma tendência de alta que
durou um longo tempo, digamos 40 barras ou mais, agora forma uma
lateralidade que apresenta bons trades de ambos os lados (talvez uma
bandeira de alta em forma de fundo duplo, que é um tipo de setup de
compra de  2a.máxima, ou um triângulo), o rompimento para cima talvez
venha a falhar, e essa lateralidade pode se tornar a bandeira final da
tendência de alta. Traders irão avaliar a pressão de venda dentro da
lateralidade. Será que houve várias barras de baixa, com corpos de bom
tamanho e fechamentos próximos a seus fundos? O mercado está logo
abaixo de uma área de resistência? O rompimento de alta foi fraco, e
haviam duas ou três pequenas puxadas para cima (como se fosse um topo
em forma de cunha)? Se sim, traders irão procurar vender abaixo da barra
de reversão de baixa, especialmente se esta for forte, e irão procurar por
um swing de baixa (ao menos dez barras e duas pernas) até um nível de
suporte. O primeiro alvo é a própria bandeira final, mas se os baixistas
romperem abaixo dela, então traders irão procurar uma média móvel
abaixo, ou até mesmo uma linha de tendência ou um fundo mais alto
anterior, talvez baseados na altura da lateralidade ou no tamanho da última
perna da alta.

Existem muitas formas de reversões climáticas, mas fundos e topos em V


quase nunca ocorrem. Eles são todos variações de algum outro padrão,
como por exemplo uma pequena bandeira final. Em geral, a maioria das
reversões de tendência dura ao menos dez barras e duas pernas no tempo
gráfico que você estiver acompanhando. Se a tendência durou 80 barras ou
mais, a reversão provavelmente também será uma reversão no tempo
gráfico maior (como por exemplo uma reversão nos 15 minutos, caso você
esteja olhando o gráfico de 5 minutos), e provavelmente irá durar ao menos
10 barras e duas pernas naquele tempo gráfico maior.

O que acontece se você perder a entrada inicial? Somente coisas boas! Uma
vez que você veja que aquela reversão para baixo é mesmo forte (talvez
tenha quatro barras de baixa consecutivas, onde todas fecham próximas a
seus fundos), o modo “sempre posicionado” terá virado para a venda, e a
probabilidade dos baixistas aumentará. Sim, o stop será bem mais distante
e restarão menos pontos para se ganhar na forte queda, mas a
probabilidade de um trade lucrativo pode ser de 60% ou mais, o que faz
com que essa seja uma ótima venda.

15. Operando Day Trades na


Abertura

“Se você não estiver disposto a aprender, ninguém poderá ajudá-lo. Se você
estiver determinado a aprender, ninguém poderá impedi-lo.”

A “abertura”, às vezes, permite que traders ganhem bastante dinheiro já a


partir da primeira barra, e isso ocorre cerca de uma vez por semana, ou
após algumas poucas horas de movimento lateral.

A maioria dos traders presta muita atenção durante as primeiras horas,


pois esse é o momento mais provável para que uma configuração de swing
se forme.

Se a abertura não entrar imediatamente em tendência, ou ainda, se não


houver nas primeiras barras um teste rápido de suporte ou resistência
seguido de reversão para uma nova tendência, então normalmente haverá
a formação de um fundo duplo ou um topo duplo, que pode levar a um
rompimento dessa lateralidade em formação e, no mínimo, a um
movimento projetado baseado nessa lateralidade…

Por exemplo, se abrir abaixo da média móvel, voltar para testá-la (primeiro
teste da média), depois cair novamente, e voltar para testar mais uma vez a
média (segundo teste da média), então traders irão vender esse segundo
teste caso ele volte a cair por uma terceira vez, apostando que esse topo
duplo possa se tornar a máxima do dia.

A máxima ou a mínima do dia (ou das próximas 3 ou 4 horas), costuma


ocorrer na primeira barra em 20% dos dias, dentro das primeiras 7 barras
do gráfico de 5 minutos em cerca de 50% dos dias, e dentro dos primeiros
90 minutos em cerca de 90% dos dias.

Por causa dessas altas probabilidades, traders prestarão muita atenção a


cada reversão ou rompimento que ocorram cedo, para ver se conseguem
emplacar um swing (uma operação em que o ganho seja de ao menos duas
vezes o tamanho do risco).

Operando a abertura. Uma reversão na abertura, como a correção para o suporte


na barra 4, (uma bandeira de alta em forma de cunha que testa a média móvel
após um gap de alta), ou um fundo duplo, como as barras 8 e 12, (você também
poderia considerar a barra 9 ou a barra 10 como sendo o primeiro fundo, pois
essa seria a escolha de alguns computadores) com frequência precedem trades
de swing.
O Emini apresentou uma tendência de alta desde a abertura, após um forte gap
de baixa. Depois, no dia seguinte, apresentou uma tendência de baixa desde a
abertura. Os altistas conseguiram fechar o gap de baixa, que, portanto, se
tornou um gap de exaustão.

16. Modo Sempre Comprado e Modo


Sempre Vendido
“Como o dinheiro pode ser a origem de todos os males quando comprar é a
cura de toda a tristeza?”

Alguns traders estão constantemente com medo de entrar porque estão


esperando o trade perfeito. Eles querem uma alta probabilidade de ganhar
muito dinheiro, arriscando muito pouco. Eles querem trades que se
pareçam como os mostrados em todos aqueles websites que fazem o trade
parecer fácil… simplesmente aprenda uma dúzia de padrões de candlestick
e fique rico! Eles ainda não aceitaram que trades perfeitos não podem
existir, porque sempre deve haver uma razão para que uma instituição
entre do outro lado do trade. O resultado é que todos os trades parecem
incertos, e todos nós vivemos e trabalhamos em uma constante cortina de
fumaça. Uma vez que o trader aceite essa realidade, a sua vida operacional
se tornará bem mais relaxada. Os traders que ainda estão com dificuldades
com isso, deveriam considerar adotar uma abordagem “Sempre
Posicionado” ao seu operacional. Se um trader olhasse para qualquer
gráfico, e fosse obrigado a entrar na compra ou na venda, a sua escolha
seria a direção “Sempre Posicionado”.
Essa escolha nem sempre é clara, mas quase sempre se consegue
determinar um lado. Às vezes a tendência é tão forte que torna a escolha
óbvia, enquanto em outras ocasiões se tem muito menos certeza. Quando
em dúvida, o operador deve assumir que é a direção do rompimento mais
recente de três ou quatro barras. Se ele acreditar que o mercado está no
modo “Sempre Comprado”, ele pode comprar, visando um swing, tanto a
mercado quanto em uma correção, e ele coloca o seu stop abaixo da
mínima do rompimento de alta mais recente. Essa será a mais recente
perna de alta forte, que também é a mais recente retomada da tendência
de alta, e geralmente dura entre uma e cinco barras. Uma vez que ele esteja
comprado, ele pode então ir adicionando à sua posição conforme a
tendência continue, sempre trazendo o seu stop para baixo do mais
recente rompimento. Ele também pode realizar lucros totais ou parciais
quando atingir níveis de resistência ou em novas máximas, e então
recolocar de volta a sua posição completa quando houver uma correção.
Similarmente, se um trader acreditar que o mercado está no modo “Sempre
Vendido”, ele pode vender a mercado ou durante uma correção, e colocar o
seu stop logo acima da mais recente perna de baixa (o mais recente forte
rompimento de baixa ou a retomada da tendência de baixa mais recente).

Reversão para modo Sempre Comprado. Topos duplos que apareçam tardiamente em uma
tendência, como o que ocorreu entre as barras 3 e 5 (topos e fundos duplos raramente
são perfeitos, e a maioria deles se parece com isso), com frequência se tornam uma
bandeira final. Após o mercado ter tido 5 barras de alta consecutivas, subindo até a
barra 7, traders passaram a entender que deveria haver ao menos uma segunda perna de
alta, e concluíram que o mercado estava agora no modo Sempre Comprado. Muitos queriam
comprar, tanto com uma ordem limitada abaixo da barra 7, quanto com uma ordem stop
acima da barra 8, usando um stop de proteção abaixo da barra 6, que foi o fundo do
rompimento de alta.

Você com frequência escuta traders na TV falando sobre comprar, vender


ou segurar. Isso não faz sentido, porque as duas únicas opções reais são
comprar ou vender. Por exemplo, se o seu amigo tiver uma carteira de
$100.000, cheia de ações que o seu analista indica para “segurar”, e você
tiver $100.000 em caixa, você poderia simplesmente comprar uma carteira
idêntica, com as mesmas ações, mesmo que elas estejam sendo indicadas
como “manutenção”, e não, “comprar”. Você então teria uma carteira
idêntica àquela que o analista do seu amigo considerou que valia a pena
segurar. Traders devem olhar a todo instante para o seu portfolio como
sendo feito de compras ou vendas. Se você está com um lucro em uma
ação, esse dinheiro não é de outra pessoa… Está em sua conta, portanto o
dinheiro é seu, e segurar não é muito diferente de alguém que esteja
comprando nesse exato instante, usando o mesmo objetivo de lucro e o
mesmo stop que o seu. Essa é a base do modo Sempre Posicionado no
operacional.

Se você olhasse para um mercado, desejando que tivesse comprado mais


cedo, e agora esteja aguardando uma correção, então você deveria
comprar a mercado. Se você acredita que está bom o suficiente para que
valesse a pena segurar a operação durante uma eventual correção, usando
um determinado stop e objetivo, você deveria então ir adiante e comprar
agora mesmo. Se você entende que seria melhor comprar uma correção,
então, se você estivesse comprado, você deveria vender e aguardar uma
correção para comprar novamente mais baixo. Traders devem
constantemente olhar para a sua conta, a todo instante, e nenhuma
decisão deve ser tomada baseada no preço que você ou alguma outra
pessoa entrou. Isso ignoraria considerações a respeito de impostos, que
obviamente devem ser levados em consideração na hora da decisão mas
são irrelevantes para day traders, dado o curto intervalo de tempo pelo
qual eles se baseiam.

17. Iniciantes Devem Entrar Usando


Ordens Stop

”Tenha paciência. Qualquer coisa é difícil antes de se tornar fácil – Saadi”

Iniciantes devem entrar apenas com ordens stop. Muitas vezes eles
aguardam por várias barras antes de finalmente encontrar uma operação
que eles sintam confiança de que renderá algum dinheiro.

Com o tempo, eles acabam aceitando a importância de respeitar a


instituição que estiver do outro lado de qualquer operação, porque entre
40% a 60% do tempo, essa instituição irá ganhar e ele irá perder. Essa é a
natureza do trade. Durante fortes rompimentos, a probabilidade de
continuação pode ser de 70% ou mais, mas o stop está distante. Lembre-se,
sempre deve haver uma razão para que uma instituição entre do outro lado
da operação. Se você tiver probabilidade alta, então ela terá um retorno
grande em relação ao risco. Exceto durante fortes rompimentos, a
probabilidade de que o mercado se moverá 10 ticks (ou qualquer distância)
para cima, antes de se mover os mesmos 10 ticks para baixo, fica entre 40%
e 60% (“a regra dos 40 – 60″), e se você sempre buscar um retorno que seja
ao menos duas vezes o tamanho do seu risco, você terá uma Equação do
Trader positiva. Isso quer dizer que você irá ganhar dinheiro ao longo do
tempo, se gerenciar as suas operações corretamente.

Em geral, traders deveriam distinguir os mercados como sendo um


mercado do tipo “entrada com stops”, ou como sendo do tipo “entrada com
ordens limitadas”. Se você comprar com um stop um tick acima da máxima
da barra anterior, você deve assumir que a instituição que está entrando do
outro lado entrou com uma ordem limitada. Se você tiver vendido com uma
ordem limitada na máxima da barra anterior, você deve assumir que a
instituição que comprou de você entrou com uma ordem stop. Obviamente,
você não tem como saber quem entrou do lado oposto da sua operação ou
de que maneira ele fez isso, mas isso não importa. Como trader, você deve
olhar para cada rompimento, mesmo um rompimento acima ou abaixo da
barra anterior, como tendo o potencial tanto de ser bem-sucedido quanto
de falhar.

A barra de entrada é aquela na qual você entrou em uma operação, e a barra de


sinal é a barra antes dela, que deu a você a razão pela qual entrar. Os
padrões iOi e ii também são sinais. Dependendo da sua localização, eles podem
às vezes ser configurações de “modo rompimento”, o que significa dizer que
traders estarão esperando para comprar um rompimento acima, ou vender um
rompimento abaixo desses padrões.
Iniciantes devem apenas entrar com ordens stop, porque desta forma o mercado
já estará indo em sua direção por pelo menos um tick. No entanto, traders
mais experientes reconhecem que existem situações em que ordens limitadas são
mais adequadas (como na área vermelha, onde o mercado está dentro de uma
lateralidade estreita e em um fraco canal de baixa). Eles irão então mudar a
maneira de operar e comprar abaixo de barras, na metade inferior da
lateralidade ou canal, e escalar mais abaixo, buscando scalps. Eles também
irão vender com ordens limitadas acima de barras, na metade superior da
lateralidade ou canal, escalar mais acima e buscar scalps.

Uma vez que você tenha uma opinião, você pode estruturar uma operação
que faça sentido, e então você poderá operá-la. Por exemplo, se existe uma
pequena bandeira de alta no topo de uma lateralidade, você sabe que a
maioria dos rompimentos falha, portanto, e probabilidade maior é a de que
os vendedores tenham mais força que os compradores na máxima da barra
anterior. Isso significa que você poderia considerar uma venda com ordem
limitada na máxima da barra anterior. Um altista talvez esteja disposto a
comprar com uma ordem stop acima dessa mesma barra, entrando na
direção oposta ao seu trade. No entanto, ele sabe que a probabilidade
dessa operação é baixa, mas ele está disposto a tentar porque ele também
sabe que, se o rompimento for bem-sucedido, o rali talvez busque ao
menos um movimento projetado para cima, baseado na altura da
lateralidade. O resultado é que ele entrou em um trade de baixa
probabilidade (um que ele sabia que provavelmente ele iria perder), mas já
que o retorno era muito maior do que o risco, ele sabia que a matemática
ainda era boa para esse trade.
Traders iniciantes deveriam entrar sempre com ordens stop, por exemplo,
comprando 1 tick acima da máxima da barra de sinal com uma ordem stop.

Embora a matemática seja boa para os dois lados do trade, operações de


alta probabilidade são mais fáceis de se gerenciar. Isso porque trades de
baixa probabilidade costumam ter uma aparência ruim mesmo depois de
várias barras após a entrada, por isso o trader está sempre sendo tentado a
cair fora. Se ele sair de vários trades antes de eles atingirem os seus alvos,
ele não irá ganhar aqueles infrequentes grandes ganhos que são
necessários para neutralizar as suas pequenas perdas frequentes, e com
isso perderá dinheiro. Por outro lado, o lado de maior probabilidade de
cada trade é mais fácil de se gerenciar, porque, por definição, você
provavelmente irá ganhar dinheiro na maioria dos trades. Isso significa
dizer que você pode fazer bobagens ocasionais e ainda assim sair vencedor
ao longo do tempo. Claro que isso tudo soa muito bem, mas não é fácil.
Lembre-se que deve haver algo atrativo para o outro lado em qualquer
operação. Se você está recebendo probabilidade alta, o outro lado recebe
ganho alto em relação ao risco, o que significa dizer que você recebe um
potencial de ganho baixo em relação ao risco. No EURDOL (Forex), se você
estiver comprando um forte rompimento no gráfico de 5 minutos, e você
estiver entrando na quarta barra desse rompimento, o seu stop será abaixo
da mínima desse rali de quatro barras, o que pode estar a 50 pips (ticks) de
distância.

Além disso, considerando que você está entrando tardiamente, o potencial


de lucro remanescente é menor, e o seu retorno talvez seja apenas do
tamanho do seu risco. Alguns traders preferem trades de alta
probabilidade, e isso basicamente se deve às suas personalidades. Uma vez
que eles estão buscando alta probabilidade, o seu retorno é pequeno,
portanto eles são scalpers. O melhor dos scalpers talvez ganhe 90% dos
seus trades, porém, a maioria dos traders bem-sucedidos não consegue
operar dessa maneira tão intensa no longo prazo, e prefere entrar em
trades nos quais o retorno seja ao menos duas vezes o tamanho do risco.
Isso significa dizer que se eles acertam cerca de 40% dos seus trades, os
seus stops talvez sejam atingidos em 40% do tempo, e o restante das
operações são pequenos ganhos e pequenas perdas que basicamente
cancelam um ao outro. Uma vez que o retorno seja de ao menos duas
vezes o risco, sua abordagem operacional é matematicamente sólida, e
essa é a abordagem que a maioria dos traders deveria usar. Em geral, a
maioria das suas entradas deveria se dar com ordens stop, comprando um
tick acima da máxima da barra anterior, e colocando o seu stop um tick
abaixo da mínima dessa mesma barra.

Eu sempre quero ver como o mercado responde quando ele atinge áreas
de suportes e resistências, e eu dedico bastante tempo no curso explicando
como encontrar as regiões que os computadores institucionais irão calcular
como potenciais suportes e resistências. No exemplo abaixo, eu destaquei
várias linhas traçadas no gráfico. Traders irão realizar lucros parciais ou
totais por volta dessas áreas de suportes e resistências, por isso é
importante saber onde elas estão.

Iniciantes devem procurar por entradas com ordens stop

Eu acredito que a habilidade mais importante a ser desenvolvida é saber


avaliar a força das pressões de compra e de venda. Os trades de maior
probabilidade normalmente ocorrem durante rompimentos, e se você
aprender a determinar o quão forte é um rompimento e o quão provável é
a continuidade de uma tendência, você estará dando a você mesmo uma
grande vantagem. Por exemplo, abaixo está o mesmo gráfico, mas com
círculos verdes destacando entradas razoáveis de compra no fechamento
de barras, e círculos vermelhos que seriam vendas razoáveis assim que as
barras fechassem.

Esse é o mesmo gráfico e mostra como traders mais experientes podem entrar
também com ordens limitadas ou a mercado.

18. Setups Perfeitos


 

“Não fale apenas sobre algo. Vá em frente e faça acontecer.”

Quando traders começam a aprender a operar online, eles sentem que


deve ser difícil ganhar dinheiro, pois sabem que estão competindo contra
as pessoas mais inteligentes do mundo. No entanto, eles esperam que haja
um atalho, algum setup fácil, perfeito, que seja muito pequeno para que o
Goldman Sachs ou algum Hedge Fund se dê ao trabalho de operar, e dessa
maneira eles poderiam usar esse setup para ganhar seu dinheirinho.

De vez em quando eu recebo emails de algum trader desanimado, me


perguntando qual é o meu setup segredo. Quando eu respondo que não
existe um setup segredo que seja melhor do que os outros, algumas vezes
eu recebo uma contra-resposta raivosa, me acusando de ser egoísta e
manter os melhores setups para mim mesmo, e que estou com medo de
entregar de mão beijada a galinha dos ovos de ouro. Nada poderia estar
mais distante da realidade, e isso pode ser afirmado por qualquer pessoa
que esteja familiarizada com o meu estilo de trading. Não há nada que eu
esteja escondendo, pois o que separa traders ganhadores daqueles que
ainda não são lucrativos não é uma lista secreta de setups perfeitos. O que
os separa é simplesmente o fato de traders ganhadores terem experiência
o suficiente para operarem de maneira correta, usando os mesmos setups
que estão disponíveis a todos durante o dia inteiro.

Eles simplesmente são melhores em decidir qual o melhor lado da


operação a ser tomado, e em como melhor gerenciar a operação. O que
traders frustrados ainda não entenderam, é que setups perfeitos não têm
como existir, pois é necessário que haja uma instituição para entrar na
ponta contrária da operação. Lembre-se, os mercados foram criados por
instituições, que precisam ter um ambiente para comprar e vender coisas, e
não é possível que uma operação ocorra sem que haja uma maneira para
que tanto o comprador, quanto o vendedor daquela operação possam
ganhar dinheiro (geralmente escalando uma posição, ou fazendo hedge em
outros mercados). Nenhuma operação poderá existir sem que haja uma
instituição disposta a entrar como contraparte. Nós, traders individuais,
somos pequenos demais para ter qualquer influência, e só poderemos ser
preenchidos em alguma operação caso exista uma ou mais instituições
entrando exatamente no mesmo preço e na mesma direção que nós (e
outras instituições dispostas a entrar exatamente do lado oposto, entrando
na direção oposta). Se você quiser entrar em uma operação que tenha uma
alta probabilidade, de conseguir um alto retorno, com um risco muito
baixo, então adivinhe? Nenhuma instituição irá entrar do lado oposto,
aceitando uma alta probabilidade de sofrer uma grande perda para tentar
um retorno pequeno.

Vamos encarar a realidade. Trata-se de um mercado e existem pessoas


espertas em ambos os lados, e o preço atual é o que ambos os lados
determinaram que era justo. Não importa se você vir algum cara
convincente na TV dizendo que está barato. Haverá um cara igualmente
inteligente, que você não está vendo, que crê no exato oposto. Por causa
disso, a vantagem que mesmo os melhores traders possuem sempre será
pequena, e atingir a lucratividade no trade sempre será difícil. É uma pena
que tantos websites tentem fazer parecer que seja fácil… segundo eles,
tudo o que você deve fazer é passar uma semana decorando alguns
padrões de candlesticks e você ficará rico!

No fundo, você sabe que não há como isso ser verdade, mas você espera
que seja, pois se sente destinado a conseguir ao menos um pequeno
pedaço do bolo; você quer algo que te faça ser amado e não insignificante,
que te permita entrar no seleto círculo das pessoas de sucesso. Será que é
pedir demais por um pouco de lucro, especialmente considerando que você
está disposto a trabalhar duro, e seguir algumas regras operacionais que
um guru de trading afirmou que renderiam $1.000 por dia? Será que Wall
Street não terá alguma piedade de um iniciante e dividirá algumas
migalhas? Talvez sejam apenas migalhas para o Goldman Sachs, mas são
suficientemente grandes para que eu tenha um estilo de vida bem decente.
Você está disposto a ser razoável, e promete não querer demais. Você é
uma boa pessoa, e diferenciada. Será que Wall Street não se importa, será
que as firmas de lá não irão pegar leve com você, de modo que você possa
se sustentar, mesmo que de maneira modesta?

Bem, adivinhe? Você não está destinado a nada, mas ainda assim, de fato
as coisas funcionam da maneira que você gostaria que elas funcionassem.
Para que se possa confiar totalmente no mercado, o jogo deve ser
totalmente justo, com absolutamente ninguém recebendo nenhum tipo de
privilégio. Você quer que o mercado seja 100% eficiente e honesto, de
modo que ele seja confiável e possa gerar a você ganhos consistentes, uma
vez que você se torne um bom trader. Além disso, você não quer estar
constantemente preocupado que o seu potencial de ganho talvez um dia
seja tirado de você por algum grupo de insiders poderosos que, de alguma
maneira, venha a “aparelhar” o mercado de modo a ajudar a sua panelinha,
às custas de todos os demais participantes. É por isso que é muito bom não
estar destinado a nada… isso vale para todos nós, e mantém o mercado
confiável.

A premissa do mercado de “você come o que você caça”, é parte do charme


do trading online, especialmente o day trading. Humanos são naturalmente
competitivos, e vencer em um jogo de grande dificuldade é extremamente
gratificante… faz você se sentir feliz. Ganhar no golfe de um garotinho de 6
anos não tem a menor graça, mas vencer o Tiger Woods traria um
sentimento fantástico! Cada dólar que você ganha está vindo de alguém, e
você não tem direito algum sobre o dinheiro dele a menos que você opere
melhor do que ele. Você tem de conquistar esse dinheiro através de um
trabalho de excelência. Trabalhar duro para aprender alguns padrões não é
suficiente para convencer um trader institucional inteligente de que você
merece uma parte do dinheiro dele.

Como humanos, somos cheios de esperança e confiança. No entanto, eu


creio que seria um abuso de confiança fazer o trade parecer fácil. Operar
de maneira rentável é muito difícil, e requer muito trabalho duro,
persistência e várias operações bem feitas, e juntar tudo isso é muito mais
difícil do que parece.

19. Minha Estrutura e Configuração


Para Operar Day Trades
Minha configuração para operar day trades no 5 min do Emini possui uma média
móvel exponencial (EMA) de 20 períodos. Além dela, eu também uso as EMAs de
20 períodos do 15 e do 60 minutos, programadas de uma maneira que me permite
enxergá-las no próprio gráfico de 5 minutos (mais abaixo, eu disponibilizo o
código para uso na plataforma Trade Station).

Embora talvez seja difícil de acreditar, eu opero price action utilizando


apenas um único laptop de 13 polegadas, com a plataforma de gráficos
“Trade Station” instalada, e ainda mais um software de uma outra
corretora. Um trader não precisa de mais do que isso para ganhar dinheiro.
Se ao final de cada pregão, você imprimir um gráfico de 5 minutos de
qualquer ativo, conseguirá enxergar diversos trades. Com um pouco de
experiência, você talvez consiga ver trades em potencial em quase todas as
barras do gráfico! Durante 99% do dia, eu acompanho o gráfico de 5
minutos, normalmente o Emini, mas algumas vezes eu também opero
Forex, futuros de títulos do governo, petróleo, gás natural, ações e opções.
Algumas vezes eu também olho para os gráficos de 60 minutos, diário,
semanal e mensal, os quais eu sempre utilizo para fins didáticos na minha
sala de chat.

Não importa o tipo de gráfico que um trader irá utilizar. Alguns preferem
gráficos baseados em tempo, outros preferem gráficos baseados em ticks,
volume, ou outros fatores, mas isso não importa, pois todos eles mostram a
mesma coisa. Que tipo de gráfico é um gráfico de 5 minutos? Ele
normalmente é, de maneira incorreta, chamado de gráfico de preços.
Todos os gráficos de duas dimensões possuem ao menos duas variáveis, e
ambas contribuem para a tendência. Embora uma tendência não possa
estar presente sem que haja movimento de preços, seja para cima ou para
baixo, em algumas tendências o tempo pode ser até mais importante do
que o preço, especialmente durante o seu início. Por exemplo, é comum
vermos uma bandeira de baixa continuar corrigindo mais e mais alto, e
então, de repente, romper de vez para cima. A tendência de alta se iniciou
na mínima da queda, mas as primeiras 5 a 10 barras da alta foram fracas e
seriam provavelmente parte de uma bandeira de baixa.

Eu costumo usar a média exponencial de 20 períodos nos meus gráficos


intraday. No meu gráfico de 5 minutos, eu também coloco as médias
móveis exponenciais do 15 e do 60 minutos, pelo fato de que o mercado,
com frequência, as enxerga como sendo pontos de suporte e resistência
(eu acredito que a média dos 60 minutos é muito mais importante).

Como os fundos de alta frequência muitas vezes são incrivelmente


lucrativos, e estão recebendo muita atenção da mídia, existe uma moda na
qual traders estão buscando operar gráficos cada vez menores. Eu notei
que existem diversas pessoas promovendo esses gráficos como sendo uma
maneira para que traders ganhem muito dinheiro. Eu acredito fortemente
que, fazendo isso, a maioria dos traders só irá perder, e não conseguirá
ganhar no longo prazo caso eles utilizem tempos gráficos demasiadamente
pequenos. No curso eu justifico em maiores detalhes os motivos desta
afirmação, mas a mais fundamental delas é a de que esses tempos gráficos
muito pequenos não permitem que traders tenham tempo suficiente para
raciocinar claramente, por isso eles acabam cometendo um número muito
grande de erros. Um gráfico de 5 minutos é um bom ponto de partida, e eu
recomendo evitar qualquer tempo gráfico que possua 20 barras ou mais
por hora.

Gráfico da Sessão Regular ou 24


Horas?
Isso é simplesmente uma questão de preferência. Anos atrás eu costumava
operar online com traders que preferiam usar gráficos de 24 horas. Eles
gostavam de entrar em alguns trades antes da abertura do pregão regular,
e também gostavam da sensação de fazer parte do mercado global durante
24 horas. Funcionou bem para eles, que seguem felizes com a sua escolha.

No meu caso, eu gosto de me imaginar como estando de alguma forma


ligado ao mercado de ações, que é o epicentro financeiro mundial, e a
sessão regular obviamente espelha esse mercado com mais exatidão. Além
disso, muitas das minhas decisões são apoiadas em linhas de tendência, e
acredito que as linhas do pregão regular sejam muito mais precisas, porque
existe um excesso de ociosidade durante a noite. Eu não gosto de dar às
horas fora do pregão o mesmo peso que dou às horas normais, pelo fato
de o volume de negociação ser muito menor. Eu acho essas horas “extras”
menos importantes. Se eu estivesse operando um gráfico de tick isso não
teria importância, porque aquelas horas de volume fraco estariam
comprimidas. No entanto, em um gráfico de 5 minutos, 1 hora às 2:00 am
ocupa o mesmo espaço na tela que uma hora durante o dia, mesmo ela
sendo bem menos relevante. Por fim, eu sou minimalista, e não gosto de
acompanhar mais do que um único gráfico. Eu já enxergo mais de 50 trades
por dia em um gráfico de 5 minutos de uma sessão regular, e não tenho a
necessidade de enxergar mais do que isso.

Códigos de indicadores para a


“EasyLanguage” (linguagem da
plataforma Trade Station)
Eu escrevi, na linguagem da plataforma Trade Station, os códigos dos
indicadores que mostram, de maneira bastante precisa, as médias
exponenciais do 15 e do 60 minutos.

EMA do 15 minutos mostrada em um gráfico de 5 minutos

Inputs: length(20);
If CurrentBar = 60 then Value1 = xaverage(C, 60);
If CurrentBar > 60 then begin
If Fracportion(time/15) = 0 then begin
value1 = value1[1] + (2 / ( Length + 1 )) * ( C – value1[1] );
Value2 = value1;
Plot1(value1, “15 min 20EMA”);
end
else begin
Value2 = value1 + (2 / ( Length + 1 )) * ( C – value1[1] );
Plot1(value2, “15 min 20EMA”);
end;end;

EMA do 60 minutos mostrada em um


gráfico de 5 minutos
Inputs: length(20);
If CurrentBar = 240 then Value1 = xaverage(C, 240);
If CurrentBar > 240 then begin
If Fracportion((time – 30)/100) = 0 or time =1315 then begin
value1 = value1[1] + (2 / ( Length + 1 )) * ( C – value1[1] );
Value2 = value1;
Plot1(value1, “60 min 20EMA”);
end
else begin
Value2 = value1 + (2 / ( Length + 1 )) * ( C – value1[1] );
Plot1(value2, “60 min 20EMA”);
end;end;

Minha configuração para os gráficos


diário, semanal e mensal

Algumas vezes, eu uso médias simples de 50, 100, 150 e 200 em gráficos
diários, semanais e mensais, mas raramente eu presto qualquer atenção a elas
enquanto decido se entro ou não em operações. Assim, como qualquer média
móvel, essas são com frequência áreas de suporte e resistência, mas eu acho
que existem outros tipos de suportes e resistências mais confiáveis. Eu
desenhei elas bem mais grossas na imagem acima, para que você possa enxergá-
las de maneira mais fácil, mas eu uso elas nos meus gráficos de maneira bem
mais discreta, pois não quero me distrair com algo que raramente uso.
Opere todos os mercados e tempos
gráficos da mesma maneira.

Como operar tempos gráficos diferentes no Forex? Opere todos da mesma forma!

Uma das premissas do price action é a de que todos os mercados são


fractais… se você removesse os eixos, não conseguiria dizer se aquele
determinado gráfico é de 5 minutos, 60 minutos, diário, semanal, ou
qualquer outro tipo de gráfico. Os gráficos simplesmente representam
comportamento humano, que por sua vez é baseado em genética e
refletido em cada gráfico, independentemente do tempo gráfico.
Operadores de price action enxergam todos os gráficos da mesma maneira,
e utilizam as mesmas técnicas em todos eles. Você também será capaz de
fazer isso, quando aprender a operar.

Ocorrem apenas algumas poucas


entradas por dia?
Com frequência eu leio artigos sobre como operar, e muitos autores fazem
parecer que você só deve entrar em trades que ocorrem em uma pequena
porcentagem das barras. No entanto, se você pensar, grandes instituições
estão operando pesadamente em todas as barras do dia, e se você quiser
ganhar dinheiro, deve copiar o que elas estão fazendo. Com isso, logo você
perceberá que normalmente existe uma maneira lucrativa de se ganhar
dinheiro na compra ou na venda, em qualquer momento do dia. Em função
disso, algumas instituições compram enquanto outras vendem, durante
todas as barras do pregão. Muitas delas estão tentando obter ganhos bem
pequenos, enquanto outras estão efetuando operações de proteção
(hedging), e escalando para entrar e sair. Esses tipos de operação estão
muito além do que a maioria dos traders individuais deveria fazer, mas
servem para ilustrar que existe um número muito maior de entradas
lógicas durante o dia, do que websites de padrões de candlestick querem
que você pense que tenha.

Você não precisa entrar em todos os trades, mas cada seta verde representa
uma entrada razoável na compra, enquanto cada seta vermelha representa uma
boa venda.

Você deveria entrar ou sair durante todas as barras quando opera day
trades em futuros, Forex ou ações? Óbvio que não, mas é bom estar ciente
que existem oportunidades de operações a cada segundo do dia, não
apenas quando um certo padrão está presente. Se você entender o ciclo do
mercado, o que o mercado está fazendo naquele determinado momento, e
como estruturar e gerenciar operações, você estará em condição de fazer
ótimos trades durante todo o pregão.

Eu falo sobre técnicas para se entrar em todas as fases do ciclo do


mercado, mas a maioria dos traders irá se sentir mais confortável com
alguma abordagem em particular, e não irá operar durante a maior parte
do tempo, pois as condições estarão fora da sua zona de conforto. Cada um
de nós tem a sua própria personalidade, que se encaixa melhor a um
determinado ambiente. Parte da nossa jornada está em aprender qual é
essa zona de conforto, e tentar se manter dentro dela enquanto opera.

O curso discute técnicas de entrada e saída, assim como gerenciamento de


recursos referente a todas as partes do ciclo de mercado, e eu desenvolvi
esse curso justamente para ajudar você a aprender a operar.
20. Tamanho da Conta na Corretora
 

*nota do tradutor: “leve em consideração que este artigo foi escrito a


partir da visão de um norte-americano, e que as realidades brasileira e
portuguesa são diferentes.” – Felippe Aranha

Um trader de Forex, especialmente um que faz day trades, provavelmente


pode iniciar com uma conta de $1.000. Eu já vi anúncios sugerindo que um
trader de Emini conseguiria ganhar dinheiro operando uma conta de
apenas $500. Para mim, isso seria um erro. Um trader iniciante
provavelmente irá perder por no mínimo um ou dois anos, embora ele
provavelmente venha a ter alguns bons momentos, nos quais ele sairá
ganhador por vários dias em sequência. A realidade é que a maioria dos
traders jamais consegue se tornar consistentemente lucrativo. Algumas das
razões mais comuns são a falta de recursos e a inabilidade de poder operar
por um tempo suficiente, a fim de desenvolver as habilidades necessárias
para ganhar dinheiro.

Muitos traders que conseguem se manter por tempo o suficiente para se


tornarem consistentemente lucrativos, enxergam as perdas como sendo o
custo do aprendizado. Eles sabem que estão competindo contra
profissionais, com diplomas que os prepararam para operar os mercados,
mas eles estão tentando acumular experiência o suficiente para que
possam se tornar competitivos. É possível ser feito, mas normalmente leva
um longo tempo para que você fique bom.

Se uma pessoa começar operando o Emini durante a fase de aprendizado,


ela provavelmente irá precisar de, no mínimo, uns $10.000 a $25.000
(Dólares). Mesmo que ela tenha $100.000 para começar, e queira operar o
Emini, eu acho que ainda assim ela deveria operar apenas um contrato, até
que ela esteja consistentemente gerando lucro. Se ela não puder perder
mais do que $5.000, e deseja operar day trades, ela deveria olhar para
outros mercados, como por exemplo para alguma ação de grande volume,
ou para algum ETF com cotação menor do que $20, e que tenha swings de
uns 20 centavos; em janeiro de 2013, possíveis candidatos incluíam BAC,
FAZ e XIV.

Outra alternativa razoável seria operar opções semanais do SPY, conforme


eu mostro durante o curso. Se um trader comprar uma put ou uma call
dentro do dinheiro, ou levemente fora do dinheiro, o custo costuma ser de
menos de um Dólar, e frequentemente abaixo de 50 centavos de Dólar.
Mesmo que ele venha a perder, a perda provavelmente seria menor do que
20 centavos de Dólar (ou $20, já que cada opção representa 100 cotas),
desde que ele gerencie o trade razoavelmente bem, e isso poderia manter
as perdas sob controle durante o período de aprendizado. Porém, como é
que ele vai ficar rico buscando apenas $10 a $20 de ganho por operação?
Não vai, mas o objetivo não é esse. Ao operar dinheiro real, em mercados
reais, ele está tentando afiar os seus conhecimentos, até um ponto em que
ele se torne consistentemente ganhador. Daí então, ele pode aumentar o
seu volume e adicionar novos mercados. Nesse momento, o seu objetivo
deixa de ser o aprendizado para se tornar a geração de renda.

21. Tamanho da Posição


Um iniciante é rápido em fazer a conta: “se eu ganhasse $100 por dia com
um contrato, eu ganharia $2milhões por ano com 100 contratos!”. Ele se
imagina operando grandes posições, e, mesmo quando no início está
operando um tamanho que na cabeça dele é pequeno, em geral ele está
operando posições muito maiores do que ele deveria. Mas como um
iniciante poderia saber se o tamanho da sua posição está demasiadamente
grande? Simples, ele só precisa perguntar a si mesmo: “eu gerenciei todas
as minhas operações de hoje da maneira que eu deveria ter gerenciado, ou
houve diversos trades no dia nos quais eu saí muito cedo, pois estava
nervoso com o tamanho da perda caso o meu stop fosse atingido?”. Se a
resposta foi que ele deixou de gerenciar corretamente a sua operação por
causa disso, então o tamanho estava maior do que ele poderia suportar.
Lembre-se de que ele está tentando competir contra computadores, os
quais não têm nenhum tipo de sentimento e não sentem absolutamente
nada.

A minha recomendação é a de que os traders devem operar posições do


tamanho “não estou nem aí”, e qualquer que seja o tamanho que ele achar
que isso seja, ele deve então operar de 50% a 75% menor, de modo que, de
fato, ele não ligue caso a posição ande contra. Ao longo do tempo, ele irá
conseguir encarar posições maiores sem ligar para as perdas, mas, se por
acaso acontecer de ele ter aumentado a posição muito cedo, antes de estar
preparado para isso, lembre-se de que ele sempre terá a opção de voltar
atrás, diminuir, e no futuro aumentá-la novamente. Quando eu digo isso
aos traders, alguns deles ficam muito bravos, e me perguntam como é que
eu espero que eles um dia fiquem ricos operando assim tão pequeno.
Traders bem-sucedidos não ficam o tempo todo pensando em ficar ricos,
embora muitos deles acabem ficando.

Ao invés disso, tudo o que eles pensam durante o dia todo é em fazer a
coisa certa. Esse é o objetivo principal. Eles sabem que se fizerem isso
ganharão dinheiro, e esse é o segundo objetivo. Às vezes, eles ganharão
muito dinheiro, que é o terceiro objetivo, mas eles jamais se preocupam
demais com isso. Lembre-se, a maioria dos traders bem-sucedidos não
ganha $100 milhões por ano. No entanto, muitos ganham bem mais do que
os médicos e advogados mais bem-sucedidos, e isso é mais do que
suficiente para que se viva uma vida plena.

Existe uma outra observação a respeito do tamanho da posição: ela deve


sempre ser determinada levando-se em consideração o número de ticks até
o seu stop de proteção. Por exemplo, se normalmente você arrisca 20 pips
em uma operação de $100.000 no Forex, mas dessa vez quiser operar um
forte rompimento, cujo início está há 40 pips de distância do preço atual,
então você deve operar apenas metade do seu tamanho usual. Nesse dado
exemplo, você então operaria uma posição de $50.000. Uma outra
observação para você refletir, é que, se você comprou esses $50.000, e o
rompimento continuou subindo por mais 40 pips sem ter havido uma
correção, o seu stop agora estará 80 pips abaixo do preço atual!

Lembre-se, o seu preço de entrada é irrelevante, e o que realmente importa


é aonde você irá colocar o seu stop. Se no exemplo anterior você estiver
agora arriscando 80 pips, e normalmente você arrisca apenas 20 pips, você
deve realizar lucros parciais, de modo a reduzir a sua posição para 25% do
seu tamanho padrão. Nesse caso, você realizaria lucro de metade da sua
posição atual, que por sua vez já era metade da sua posição padrão, e
ficaria com uma posição de apenas $25.000. Se houver uma correção,
seguida por um sinal de compra, e o stop da nova posição for de apenas 20
pips, daí então você poderá montar uma posição usando o seu tamanho
padrão de $100.000, o que significa dizer que você poderá agora comprar
mais $75.000 e colocar o stop da posição inteira em 1 pip abaixo da nova
barra de sinal, que neste exemplo está 20 pips abaixo da sua última
entrada.

22. Gerenciamento de Operações


“Nada poderá lhe trazer paz, a não ser você mesmo – Ralph Waldo Emmerson”

Como é possível que o Goldman Sachs possa estar comprando, enquanto o


Morgan Stanley esteja vendendo, e ambos ganharem dinheiro? Isso se deve
ao fato de os dois saberem gerenciar os seus trades… eles aprenderam a
operar! Eles se utilizam de estratégias complexas que envolvem o uso de
hedging e técnicas para escalar a entrada e a saída de posições, mas a
mensagem aqui é bem clara: gerenciamento de operações é muito
importante. Você deve saber colocar e ajustar stops de proteção, assim
como objetivos de lucro. Traders mais experientes também irão escalar as
suas operações, tanto quando o trade vai a favor, quanto quando ele vai
contra. Isso tudo é muito mais importante do que a habilidade de
simplesmente reconhecer padrões de candle, e eu falo sobre essas técnicas
ao longo do curso.

Operar Swings ou Scalps?

Quando um trader entra em uma operação, ele deve saber quais são os
seus objetivos. Quando estiver operando day trades, ele precisa decidir se
aquele trade será um scalp ou um swing. A maioria dos iniciantes são
atraídos para scalps, pois pensam que pelo fato de o stop ser mais curto,
seu risco será menor. No entanto, o que eles não levam em consideração é
que eles teriam de acertar 70% ou mais dos trades para que sejam
consistentemente lucrativos, e ainda por cima teriam de manter essa marca
por anos. Pouquíssimos traders conseguem chegar a esse ponto, e o
resultado é que a maioria dos scalpers “sangra até a morte a partir de
milhares de pequenos cortes de papel” (em outras palavras, várias
pequenas perdas).

A maioria dos traders, especialmente os iniciantes, deveria apenas operar


swings, que eu defino como sendo operações nas quais o alvo em potencial
é ao menos duas vezes a perda em potencial. Lembre-se da equação do
trader e da regra de 40 / 60. Considerando que em 90% dos trades a
probabilidade fica entre 40% e 60%, um trader que tente uma recompensa
que seja ao menos duas vezes o seu risco, estará operando de uma
maneira que é matematicamente sustentável, e um bom começo seria
buscar reversões majoritárias de tendência. Por exemplo, se um trader
estiver operando o Emini, usando um stop de 2 pontos, e um objetivo de
lucro de 4 pontos, ele provavelmente irá ganhar 4 pontos ou mais em 40%
dos seus trades e perder 2 pontos em outros 40% das suas operações. Os
20% restantes geralmente serão pequenas perdas e pequenos ganhos que
anulam um ao outro. O resultado final será um lucro, e, portanto, uma
equação do trader positiva.

Traders iniciantes com frequência perdem dinheiro porque entram na


operação com um objetivo, mas a gerenciam como se tivessem entrado
com um objetivo diferente. No caso daqueles que operam day trades, isso
normalmente acontece porque o trader entrou com a intenção de segurar
para um swing, mas gerenciou como se fosse um scalp. Por exemplo, se ele
vendeu o EUR X DOL (Forex), em uma situação que ele julgou ser de um
forte topo, e estava planejando segurar para tentar um ganho de 100 pips
(ticks), enquanto usava um stop de proteção de 20 pips, mas ao invés disso
ele sempre zera esse mesmo tipo de operação quando atinge um ganho de
10 pips, ele irá perder dinheiro ao longo do tempo.

Ele talvez consistentemente convença a si mesmo de que o price action se


desdobrou de maneira diferente do que ele esperava, e que isso mudou a
sua premissa, justificando a sua mudança de swing para scalp. No entanto,
se ele descobrir que está fazendo isso em praticamente todos os seus
trades, verá no final que está perdendo dinheiro. Isso se deve ao fato de
que um trade de swing normalmente possui uma baixa probabilidade de
sucesso, mas a recompensa esperada é muitas vezes maior do que o risco e
isso cria uma equação do trader positiva. Se ele sempre aceitar retornos
que não sejam várias vezes maiores do que o seu risco, ele irá perder
dinheiro ao longo do tempo se operar trades de baixa probabilidade, e essa
é uma característica da maioria dos trades de swing.

Se um trader ficar sempre mudando de ideia, e frequentemente saindo


com ganhos de scalpers, ele estará na verdade operando scalps, mesmo
que achando que está operando swings. Um setup típico de swing possui
cerca de 40% de chances de sucesso. Se um trader estiver arriscando 10
pips para ganhar 10 pips, ele irá perder dinheiro. Para ganhar dinheiro em
um scalp, o trader precisa de uma probabilidade alta de sucesso (60% ou
mais), porque a sua recompensa normalmente é do mesmo tamanho do
risco.

A qualquer instante, e em qualquer mercado, um trader poderá operar de


maneira lucrativa, tanto na compra quanto na venda, se buscar operações
de swing. Isso ocorre porque a probabilidade de sucesso raramente é
menor do que 40%, e se ele gerenciar a sua operação corretamente,
segurando por um ganho que seja no mínimo duas vezes o tamanho do
risco, ele irá ganhar dinheiro ao longo do tempo.

Traders só devem operar scalps em operações cuja a probabilidade de


acerto seja de 60% ou mais, e a maioria dos operadores não consegue
consistentemente manter essa alta probabilidade de acerto. Portanto, a
maioria deveria operar swings em todas as suas operações (minha
definição de swing é a de qualquer trade que você tenha a intenção de
buscar um ganho de ao menos duas vezes o tamanho do seu risco). É
importante destacar que alguns scalpers experientes ganham em 90% do
tempo, mas isso é raridade, e normalmente envolve escalar para entrar e
sair de posições. Muitos traders experientes escalam para entrar em
operações, com a intenção de drasticamente aumentar as probabilidades
das suas posições. No entanto, iniciantes devem tomar muito cuidado com
isso, pois quase sempre eles escalam as operações erradas. Um exemplo
comum é o de quando eles escalam em uma situação na qual pensam se
tratar de uma correção, quando na verdade se trata de uma reversão.
Numa situação dessas, eles podem rapidamente perder muito mais
dinheiro do que imaginariam ser possível. Isso faz todo sentido, afinal, se
você está tentando obter mais rentabilidade, deve pagar por isso com
alguma combinação relativa entre incremento do risco e redução do
retorno.

Quando estão falando de gráficos diários e semanais, os operadores


normalmente referem-se a si mesmos como sendo traders ou investidores,
e não como traders de swing ou scalpers, mas a ideia permanece a mesma.
Um investidor normalmente entra em operações de baixa probabilidade, o
que significa dizer que ele talvez perca em 60% ou mais das vezes. No
entanto, se o seu retorno médio for várias vezes maior do que o seu risco,
ele sairá no lucro ao longo do tempo. Já um trader planeja manter a sua
posição por entre um dia e uma semana, e procura um retorno pequeno
em relação ao seu risco. Ele apenas poderá fazer isso se a sua
probabilidade de acerto for de 60% ou mais.

23. Escalando Operações


Você já deve ter escutado o termo “custo médio da operação”, que é um
termo de investimentos bastante utilizado. Adivinhe? É uma forma de
escalar trades! Escalar significa simplesmente adicionar à sua posição.
Traders podem adicionar a uma operação que esteja ganhadora ou
perdedora, e podem fazer isso tanto em operações a favor da tendência
(escalar em tendências) quanto em operações contra a tendência (escalar
em reversões). Por que alguém se interessaria em escalar uma operação?
Simples, porque isso aumenta as chances de se ganhar dinheiro.

No entanto, por causa da equação do trader, traders sabem que há sempre


uma compensação entre as três variáveis. Por exemplo, se você estiver
fazendo algo que aumente a sua probabilidade de obter lucro, você irá
pagar por isso com um retorno menor ou com um risco maior. A maioria
dos traders não deve considerar escalar suas posições até que estejam
consistentemente gerando lucro, e uma vez que estejam consistentemente
gerando lucro, não é obrigatório que comecem a escalar suas posições. No
entanto, é mais uma opção disponível, especialmente para traders que
preferem trades de alta probabilidade e que estão dispostos a abrir mão de
um pouco da sua relação retorno/risco para atingir essa alta probabilidade.
Escalar aumenta a probabilidade.

Se um trader tivesse comprado o fechamento da barra 1, pensando que


haveria uma segunda perna de alta, mesmo que houvesse uma correção, o
seu stop de proteção deveria ficar abaixo do fundo do rompimento (a
mínima da segunda barra anterior). Ele poderia aumentar suas chances de
obter lucro nessa operação, caso escalasse o trade mais abaixo. Por
exemplo, se ele tiver o costume de sair com scalps de 20 pips, então ele só
deveria começar a escalar a partir de 20 pips abaixo, e, dependendo da
movimentação de preços que se seguir, ele poderia sair da posição inteira
na barra 4, que é o preço de entrada original, empatando na primeira
entrada e ganhando 20 pips na segunda, ou ainda, ele poderia escolher
segurar para um swing de parte ou até mesmo de toda a posição,
confiando no seu stop lá embaixo.

Escalando em uma reversão de tendência

Houve um forte rali para a barra 3, que rompeu acima da linha de


tendência de baixa e da média móvel, fazendo com que traders se
preparassem para comprar um fundo em forma de reversão majoritária de
tendência. Também houve diversas barras de gap de média móvel, que,
com frequência, precedem a perna final da tendência antes de uma
reversão majoritária. A barra 7 teve um corpo de alta, mas pequeno, e o
contexto era favorável.

Isso foi uma reversão majoritária de tendência com mínima mais baixa, que
veio após as barras de gap ocorridas no ponto 3, portanto, a pressão de
compra estava forte, e ainda houve uma bandeira final em potencial (a
lateralidade estreita no ponto 6). Seria aceitável comprar um tick acima da
barra 7 com uma ordem stop, de modo a entrar na operação. Após a
entrada, caso tivessem sido estopados com perda abaixo da barra 7,
poderiam reentrar acima da barra 8, que foi uma barra ainda mais forte, e
poderiam buscar um swing de alta. O mercado deu um rali de 5 pontos,
portanto, foi um swing. A maioria das reversões majoritárias de tendência
conduzem a swings que acabam virando lateralidades, e não reversões
para tendências opostas.

Traders experientes, que estivessem confortáveis em escalar seus trades,


teriam adicionado à sua posição na mínima da barra 7, usando um stop
longo. Muitos traders sentem que não são assim tão bons em determinar o
exato ponto de inflexão, mas ainda assim acreditam em sua habilidade de
determinar a área aproximada em que ocorrerá a reversão. Por isso, eles
usam stops longos (por exemplo, baseado em um movimento projetado
para baixo, ou em um número fixo de pontos), e operam suficientemente
pequeno, de modo que possam comprar mais abaixo (abaixo da barra 7 ou
abaixo de qualquer uma das barras que formaram a lateralidade estreita
do ponto 9), ou, até mesmo comprar mais alto (como acima da barra 8).
Não havia muita pressão de venda no ponto 5, e a barra de sinal foi fraca,
mesmo com ela vindo após uma pequena 2ª.Mínima, que aliás, poderia ser
uma bandeira final. Isso fez com que traders se sentissem menos
confiantes, e, caso eles comprassem essa reversão majoritária de tendência
com mínima mais alta, eles provavelmente teriam saído abaixo da barra 6,
que foi um sinal de 2ª.Mínima bem na média móvel.

24. Operando Opções (puts e calls)


“Pare de se subestimar”

Muito tempo atrás, uma amiga me disse que havia perdido $500.000 da sua
conta de um dia para o outro, em função de um enorme gap na abertura
do dia seguinte. A partir daquele dia, ela decidiu começar a operar apenas
opções (puts e calls). A maioria das vezes em que eu seguro uma posição
para o dia seguinte, eu também prefiro usar opções. Além disso, eu prefiro
usar estratégias simples, como por exemplo comprar puts (opções de
venda) e spreads de baixa, quando estou com a cabeça baixista, ou
comprar calls (opções de compra) e spreads de alta, quando eu estou com
a cabeça de alta. Eu acredito que quando uma opção é boa, o trader não
precisa de estratégias mais complexas do que essas para ganhar dinheiro, e
um iniciante deve evitar mais complexidade. Estas são as únicas que você
precisa, especialmente se operar opções não for a sua atividade principal.

Muitos gurus fazem com que operar opções pareça ser muito mais
complicado do que realmente é. Tudo o que um bom trader precisa são
estratégias simples e um bom conhecimento de Price Action. Estratégias
complexas e gregas não são necessárias para que se opere bem opções, e
ambas podem te tirar do foco daquilo que é a principal razão para se entrar
em qualquer operação: o que está ocorrendo no gráfico. Eu baseio todas as
minhas operações inteiramente em Price Action, e ignoro totalmente os
fundamentos e as notícias, pois eles já estão incorporados no preço do
mercado. Eu acredito firmemente que Price Action deve ser a base para
todo tipo de trading, incluindo o mercado de opções.

Sempre que eu escuto traders na televisão falando sobre operações com


opções, ouço eles discutindo o Price Action. No entanto, se então começam
a falar sobre fundamentos, eu já desanimo, porque eles jamais entrariam
em uma operação a menos que o Price Action fosse favorável. Se o Price
Action estiver forte, eles entrarão nessa operação independentemente dos
fundamentos, mas eles sempre acabam vindo com alguma análise
fundamentalista absurda para dar suporte a algo que eles iriam fazer de
qualquer maneira. Eu acredito firmemente, que a análise fundamentalista
de opções que alguns traders falam na TV, é ignorante e irrelevante, e que
na realidade eles se baseiam apenas em Price Action para realizar essas
operações, mesmo que eles não tenham consciência disso. Eu também
acho que eles dizem ter algum motivo fundamentalista para entrar em uma
determinada operação, simplesmente porque acreditam que isso daria
mais credibilidade a eles… isso soa bem na TV! Isso aumenta as chances de
eles serem chamados novamente, que por sua vez aumenta as chances de
eles conseguirem aumentar a sua carteira de clientes, seja qual for a
atividade que eles exerçam que seja ligada à opções.

Quando a YHOO estiver em uma forte tendência de alta no gráfico diário,


compre spreads de alta durante correções.

Eu também opero day trades com opções, geralmente quando o mercado


está se movendo rápido e com grandes movimentos. Por exemplo, se o
Emini estiver caindo 20 pontos, mas eu achar que esteja formando climaxes
de venda consecutivos, e por isso acreditar que em breve deve subir forte,
eu irei comprar opções semanais de compra do SPY (um ETF do S&P
conhecido como “Spyder”). Eu aprendi ao longo dos anos que, em dias de
forte queda como esses, coisas muito ruins podem acontecer, como por
exemplo algumas corretoras apresentarem problemas para executar
ordens. Operar opções é uma boa maneira de  minimizar o risco, enquanto
ainda me permite obter lucro caso o tão esperado rali venha de fato a
ocorrer.

25. Psicologia do Trade


”você é responsável pela sua felicidade”.

Psicologia de mercado tem mais a ver com tipos de comportamento que


você seria capaz de mudar, do que com terapia. Se você pretende ter uma
carreira longa no trade, você tem de gostar. Eu amo o meu trabalho, e após
27 anos continuo todos os dias com aquela sensação de mal poder esperar
a abertura do próximo pregão. Embora você talvez consiga ganhar mais
dinheiro se forçando até os seus limites físicos e emocionais, você
provavelmente irá odiar o que está fazendo, e não conseguirá fazer isso por
décadas.

A vida é curta, e eu não quero desperdiçá-la com prioridades equivocadas.


A sua felicidade, e a felicidade da sua família, são bem mais importantes do
que aquele dólar extra. Uma parte importante do aprendizado do trading é
encontrar um estilo que seja adequado a você. Não se preocupe se você vir
um trader bem-sucedido na TV que esteja fazendo algo completamente
diferente e ganhando uma fortuna.

Durante o seu período de aprendizagem, muitos traders levam anos para


descobrir e aceitar as suas zonas de conforto. Alguns preferem entrar em
trades que têm alta probabilidade de sucesso, o que está ok, mas eles
entendem que existe uma troca, uma compensação. Trades de alta
probabilidade geralmente oferecem um potencial de lucro relativamente
menor em relação ao risco. Outros traders buscam um retorno que seja
muitas vezes maior do que o risco, e não se importam com o fato de isso
significar que na maioria das vezes os seus trades serão perdedores. Eles
sabem que se gerenciarem os seus trades corretamente, e buscarem
sempre um retorno que seja duas vezes ou mais o tamanho do risco, eles
ganharão dinheiro, mesmo que isso signifique perder dinheiro em 60% dos
seus trades.

O Tamanho de Posição “Eu Não Ligo”


Como traders, nós nadamos em um mar de incertezas, e até que você
consiga se libertar das emoções, é impossível seguir o que os
computadores institucionais estão fazendo, e você só conseguirá ganhar
dinheiro se segui-los. Quando você decide entrar em uma operação, seja
honesto a respeito de quão longe o seu stop deve ser, e aceite que, com
frequência, isso leva a um risco maior do que o que você gostaria. Você
deve operar um tamanho de posição suficientemente pequeno, de modo a
não ligar tanto caso você venha a perder. Eu chamo isso de “tamanho eu
não ligo”.

Convém repetir abaixo alguns parágrafos dos capítulos 21 e 22:

“Um iniciante é rápido em fazer a conta: “se eu ganhasse $100 por dia com
um contrato, eu ganharia $2milhões por ano com 100 contratos!”. Ele se
imagina operando grandes posições, e, mesmo quando no início está
operando um tamanho que na cabeça dele é pequeno, em geral ele está
operando posições muito maiores do que deveria. Porém, como um
iniciante pode saber se o tamanho da sua posição está demasiadamente
grande? Simples, ele só precisa perguntar a si mesmo: “eu gerenciei todas
as minhas operações de hoje da maneira que eu deveria ter gerenciado, ou
houve diversos trades no dia nos quais eu saí muito cedo, pois estava
nervoso com o tamanho da perda caso o meu stop fosse atingido?”. Se a
resposta foi que ele deixou de gerenciar corretamente a sua operação por
causa disso, então o tamanho estava maior do que ele poderia suportar.
Lembre-se de que ele está tentando competir contra computadores, os
quais não têm nenhum tipo de sentimento e não sentem absolutamente
nada.

A minha recomendação é a de que os traders devem operar posições do


tamanho “não estou nem aí”, e qualquer que seja o tamanho que ele achar
que isso seja, ele deve então operar de 50% a 75% menor, de modo que, de
fato, ele não ligue caso a posição ande contra. Ao longo do tempo, ele irá
conseguir encarar posições maiores sem ligar para as perdas, mas, se por
acaso acontecer de ele ter aumentado a posição muito cedo, antes de estar
preparado para isso, lembre-se de que ele sempre terá a opção de voltar
atrás, diminuir, e no futuro aumentá-la novamente. Quando eu digo isso
aos traders, alguns deles ficam muito bravos, e me perguntam como é que
eu espero que eles um dia fiquem ricos operando assim tão pequeno.
Traders bem-sucedidos não ficam o tempo todo pensando em ficar ricos,
embora muitos deles acabem ficando.

Ao invés disso, tudo o que eles pensam durante o dia todo é em fazer a
coisa certa. Esse é o objetivo principal. Eles sabem que se fizerem isso
ganharão dinheiro, e esse é o segundo objetivo. Às vezes, eles ganharão
muito dinheiro, que é o terceiro objetivo, mas eles jamais se preocupam
demais com isso. Lembre-se, a maioria dos traders bem-sucedidos não
ganha $100 milhões por ano. No entanto, muitos ganham bem mais do que
os médicos e advogados mais bem-sucedidos, e isso é mais do que
suficiente para que se viva uma vida plena.”

A Equação do Trader e a Regra 40-60


“A maioria dos traders, especialmente os iniciantes, deveria apenas operar
swings, que eu defino como sendo operações nas quais o alvo em potencial
é ao menos duas vezes a perda em potencial. Lembre-se da equação do
trader e da regra de 40 – 60. Considerando que em 90% dos trades a
probabilidade fica entre 40% e 60%, um trader que tente uma recompensa
que seja ao menos duas vezes o seu risco, estará operando de uma
maneira que é matematicamente sustentável, e um bom começo seria
buscar reversões majoritárias de tendência. Por exemplo, se um trader
estiver operando o Emini, usando um stop de 2 pontos, e um objetivo de
lucro de 4 pontos, ele provavelmente irá ganhar 4 pontos ou mais em 40%
dos seus trades e perder 2 pontos em outros 40% das suas operações. Os
20% restantes geralmente serão pequenas perdas e pequenos ganhos que
anulam um ao outro. O resultado final será um lucro, e, portanto, uma
equação do trader positiva.”

Evite Confundir Swings com Scalps!


“Traders iniciantes com frequência perdem dinheiro porque entram na
operação com um objetivo, mas a gerenciam como se tivessem entrado
com um objetivo diferente. No caso daqueles que operam day trades, isso
normalmente acontece porque o trader entrou com a intenção de segurar
para um swing, mas gerenciou como se fosse um scalp. Por exemplo, se ele
vendeu o EUR X DOL (Forex), em uma situação que ele julgou ser de um
forte topo, e estava planejando segurar para tentar um ganho de 100 pips
(ticks), enquanto usava um stop de proteção de 20 pips, mas ao invés disso
ele sempre zera esse mesmo tipo de operação quando atinge um ganho de
10 pips, ele irá perder dinheiro ao longo do tempo.

Ele talvez consistentemente convença a si mesmo de que o price action se


desdobrou de maneira diferente do que ele esperava, e que isso mudou a
sua premissa, justificando a sua mudança de swing para scalp. No entanto,
se ele descobrir que que está fazendo isso em praticamente todos os seus
trades, verá no final que está perdendo dinheiro. Isso se deve ao fato de
que um trade de swing normalmente possui uma baixa probabilidade de
sucesso, mas a recompensa esperada é muitas vezes maior do que o risco e
isso cria uma equação do trader positiva. Se ele sempre aceitar retornos
que não sejam várias vezes maiores do que o seu risco, ele irá perder
dinheiro ao longo do tempo se operar trades de baixa probabilidade, e essa
é uma característica da maioria dos trades de swing.
Se um trader ficar sempre mudando de ideia, frequentemente saindo com
ganhos de scalpers, ele estará na verdade operando scalps, mesmo que ele
ache que esteja operando swings. Um setup típico de swing possui cerca de
40% de chances de sucesso. Se um trader estiver arriscando 10 pips para
ganhar 10 pips, ele irá perder dinheiro. Para ganhar dinheiro em um scalp,
o trader precisa de uma probabilidade alta de sucesso (60% ou mais),
porque a sua recompensa normalmente é do mesmo tamanho do risco.

A qualquer instante, e em qualquer mercado, um trader poderá operar de


maneira lucrativa tanto na compra, quanto na venda se buscar operações
de swing. Isso ocorre porque a probabilidade de sucesso raramente é
menor do que 40%, e se ele gerenciar a sua operação corretamente,
segurando por um ganho que seja no mínimo duas vezes o tamanho do
risco, ele irá ganhar dinheiro ao longo do tempo.

Traders só devem operar scalps em operações cuja a probabilidade de


acerto seja de 60% ou mais, e a maioria dos operadores não consegue
consistentemente manter essa alta probabilidade de acerto. Dessa forma, a
maioria deveria operar swings em todas as suas operações (minha
definição de swing é a de qualquer trade que você tenha a intenção de
buscar um ganho de ao menos duas vezes o tamanho do seu risco). É
importante destacar que alguns scalpers experientes ganham em 90% do
tempo, mas isso é raridade, e normalmente envolve escalar para entrar e
sair de posições. Muitos traders experientes escalam para entrar em
operações, com a intenção de drasticamente aumentar as probabilidades
das suas posições. No entanto, iniciantes devem tomar muito cuidado com
isso, pois quase sempre eles escalam as operações de maneira equivocada.
Um exemplo comum é o de quando eles escalam em uma situação na qual
pensam se tratar de uma correção, quando na verdade se trata de uma
reversão. Numa situação dessas, eles podem rapidamente perder muito
mais dinheiro do que imaginariam ser possível.

Isso tudo faz todo sentido, afinal, se você está tentando obter mais
rentabilidade, deve pagar por isso com alguma combinação de incremento
de risco ou redução do retorno.”

Bom é Bom o Suficiente


Encontre quem você é, e seja feliz por você conseguir fazer tudo o que você
faz. Um jogador de baseball não precisa sempre acertar “home runs” para
entrar no hall da fama. Se ele consistentemente acertar rebatidas simples,
ele também entrará. Você não precisa ser o melhor para ficar rico, mas
você tem de ser feliz, consistente e disciplinado para atingir o seu objetivo.