Você está na página 1de 5

1.

Uma base de dados é um simples repositório de informação relacionado com


determinado assunto ou finalidade, ou seja, é uma colecção de dados ou itens
informação estruturada de determinada maneira que permite a sua consulta, actualização
e outros tipos de operação processados por meios informáticos.

2. Os objectos principais de uma base de dados são: Tabelas, Consultas, Formulários,


Relatórios e Macros.

3. Armazenar e recuperar dados;

Administrar metadados;

Limitar e controlar dados redundantes em múltiplos sistemas;

Suportar compartilhamento de dados simultaneamente;

Propiciar a atomicidade de transação;

Fornecer serviços de backup e recuperação;

Fornecer serviços de autorização e segurança;

Garantir a aplicação das regras do negócio;

4.  A manipulação de dados significa:

Busca da informação armazenada no BD;

Inserção de novas informações nos BD; sao de duas formas organizadas mais sao de
duas formar hfjfhkbfhbkjnkfa njkba juhaqiuhuugjuhuijosvahldlooodvalodooosvado
timotio rainde osvaldo timatio rainde osb osvaldo timotio rainde estou a falr a serio sou
vbbom a digitar assim tamn

Eliminação de informações no BD;

Modificação de dados armazenados no BD.


5. Abstracção dos dados, Independência dos dados, Suporte de visões múltiplas dos
dados, Partilha de dados e acesso multi-utilizador

6. As bases de dados são intensamente usadas em: Bancos, Linhas aéreas,


Universidades, Transação de cartão de crédito, Finanças, Vendas, Revendedores on-
line, Indústria, Recursos humanos.

7. Microsoft Acess, Oracle, MySQL.

8. As vantagens de uma base de dados são: Independência dos dados, acesso eficiente
aos dados, redução do tempo de desenvolvimento de aplicão.

9. Sistema de Banco de Dados proporciona à empresa o controle centralizado de seus


dados operacionais. Tal situação contrasta nitidamente com o que podemos encontrar
em uma empresa que não utiliza um SGBD, onde cada aplicação dispõe de seus
próprios arquivos de tal forma que os dados operacionais são muito dispersos,
dificultando o controle sistemático. Isto implica que exista um DBA, isto é, um
Administrador do Banco de Dados (Database Administrator, em inglês).

10. Os níveis de abstração de são: Nível físico, Nível Conceptual, Nível de visualização.

11. O nível Conceptual consiste na organização da informação em tabelas e


relacionamentos;

12. Os modelos são: Modelos Lógicos Baseados Em Objetos, Modelo relacional,


Modelo de rede, Modelo hierárquico.

13. O Modelo relacional usa o conjunto de tabelas para representar tanto os dados como
a relação entre eles, quer dizer, a estrutura fundamental do modelo relacional é a relação
(tabelas) construída por um ou mais atributos (campos) que traduzem o tipo de dados a
armazenar. Cada instância do esquema (linha) é chamada tupla (registo).

14. Os SGBD são classificados da seguinte forma:


Quanto ao número de máquinas onde a base de dados está armazenada:
Centralizada ou localizada: quando os dados estão numa máquina;
Destribuída: quando os dados estão destribuídos por diversas máquinas.
Quanto ao número de utilizadores o sistema é capaz de suportar:
Pessoal: utilizada em computadores pessoais.
Multiutilizadores: utilizado em estação de trabalho, minicomputadores e máquinas de
grande porte.

15. Diz se que o SGBD é destribuído quando os dados estão destribuídos em diversas
máquinas ou discos.
16. Quanto à arquitectura dos sistemas de base de dados, caracterize os chamados cliente-
servidor.
Os chamados cliente-servidor caracteriza-se por: o cliente executar tarefas do aplicativo,
ou seja, fornecer a interface do usuário, o servidor executar as consultas no SGBD e
retomar os resultados ao cliente.
17. As principais tarefas do DBA são: definição do esquema, definição da estrutura de
dados e métodos de acesso, esquema e modificações na organização física, concessão de
autorização de acesso ao sistema e manutenção de rotina.

18.. Os usários finais de base de dados são caracterizados em: usários sufisticados, usários
especialistas, usuários navegantes e analistas de sistema e programadores de aplicação.

19. Analistas de sistemas e programadores de aplicações os analistas determinam o


requis dos utilizadores finais e desenvolvem especificaçoes para transacções testando d
tos e os programadores implementam estas especificaçoes como programas,  que,  tanto
analist do,  documentando e proporcionando a manutenção do mesmo.  É importante
quanto programadores, estejam a par dos recursos oferecidos pelo SGBD.

20. O dicionário de dados é composto de um conjunto de relações, idênticas em


propriedades às relações utilizadas para armazenar dados. Elas podem ser consultadas
com as mesmas ferramentas utilizadas para consultar relações de tratamento de dados.
Nenhum usuário pode modificar as tabelas de dicionário de dados diretamente.
Entretanto, os comandos da linguagem de manipulação de dados que criam e destroem
os elementos estruturais do banco de dados trabalham para modificar as linhas em
tabelas de dicionários de dados.
21. Uma vez a base de dados organizada, usa-se uma linguagem para fazer a
manipulação dos dados,  a DML(Data Manipulation Language, Linguagem de
Manipulação de Dados).  Tal como foi referido antes,  por manipulação de dados
entende-se: 

·         A recuperação de informações armazenadas na base de dados.


·         A inserção de novas informações na base de dados
·         A remoção de informações na base de dados. 
·         A modificação de informações na base de dados.
22. o objecto básico tratado pelo modelo E/R é a entidades,  do latim,  entitas,  que
significa ser existência:  é algo que possui existência distinta e separada,  real ou
imaginária.  Em inglês,  o conceito de entidade recebe o nome que demonstra bem o seu
significado,  que é entity type,  ou seja,  um tipo de entidade.  Animal,  pessoa, 
funcionário,  residência,  electrodoméstico,  móvel,  imóvel material,  aeronave e aluno
são exemplos de substantivas concretos que representam objectos simples e do mesmo
tipo,  sendo,  por tanto,  entidades. 

Toda a entidade deve possuir um identificador único ou chave primária.  Este


identificador único é um dos critérios para identificar uma entidade.  Sempre que não
for possível achar este identificador ou chave primária,  então não estará caracterizada
uma entidade.
Exemplo de Entidades:

Alunos, Funcionários, Disciplinas.

23. Então atributo é um Adjetivo.

24. A Chave Primária identifica e garante a unicidade a um registro de uma tabela.


Assim ele é único, mas também não nulo, ou seja, é obrigatório que haja um valor
válido ali, enquanto que a Chave Estrangeira promove o relacionamento entre tabelas. A
Chave Estrangeira nada mais é do que a Chave Primária de outra tabela. Portanto,
quando se precisa da união entre duas ou mais tabelas, é ela quem possibilita a consulta
e manipulação dos registros.

Chave Primária: identificação

Chave Estrangeira: relacionamento
25. (1,n) AGÊNCIA (1,n)
CLIENTE DEPÓSITO

ACTIVOS

SALDO
CIDADECLI NUMCONTA

RUACLI
CIDADEAG

NOMECLI NOMEAG

26.

a) Opção A - SGBD.

b) Opção B - inconsistência 

c) b) Opção C - cascade update related records

d) c) Opção B- Chave externa