Você está na página 1de 16

UI MARIA LENIR ARAÚJO MENESES

Cap. 05: ARREMESSOS E LANÇAMENTOS – UNIDADE I


Aluno:
Prof° Esp. Leonardo Delgado
Data: / /

Capitulo 05: PROVAS DE ARREMESSOS E - Lançamento do Martelo: consiste em lançar


LANÇAMENTOS uma esfera de ferro ou bronze, presa a um
Introdução cabo de aço medindo 1,22m do interior de
Arremesso é o movimento originário um círculo em um setor de aproximadamente
de um trabalho de braço, limitado pelo peso e 34°.
forma do objeto não totalmente adaptável à mão;
esta, não podendo apreender o objeto, impede A regra é a mesma para todas elas, o
que o membro possa ser estendido vencedor é o atleta que conseguir lançar o objeto
completamente para trás. No arremesso, os na maior distância.
membros executam a ação de empurrar, partindo
de posição próxima ao corpo. Arremesso de Peso
Definição
Consiste do arremesso de uma
esfera de bronze ou ferro do interior de um círculo
de 2,1 metros de diâmetro o mais longe possível,
delimitado em parte por um anteparo, em um
setor de queda.

Figura 107: Prova de Arremesso

Lançamento é o movimento onde o


membro superior é levado completamente
estendido para trás, obtendo‐se maior alcance,
mesmo porque o objeto a ser projetado, Figura 109: Área de Arremesso
normalmente, tem menor massa.
Objetivo
50
Os atletas devem arremessar com
uma mão uma bola sólida de metal a partir de um
círculo de 2,1 metros de diâmetro o mais longe
possível.
Figura 108: Provas de Lançamentos

Adquire maior velocidade na fase de


sua aceleração. O membro que empunha o objeto
parte de posição estendida podendo durante a sua
trajetória ser flexionado, sendo estendido
novamente na fase final do movimento. As ações Figura 110: Circulo de Arremesso
realizadas envolvem, normalmente, o puxar e o
empurrar o implemento. Origens do Arremesso do peso
Existem 1 (uma) prova de arremesso A antiga civilização egípcia incluía
3(três) provas de lançamento. provas de arremesso de pedras em suas
- Arremesso do Peso: consiste no arremesso festividades, bem como os gregos, nas primeiras
de uma esfera de bronze ou ferro, do interior reuniões religiosas e esportivas, há mais de 3 mil
de um círculo em um setor de anos.
o
aproximadamente 34 . Técnicas: ortodoxa, Ao que consta, o arremesso do peso
“Parry O’Brien” e com giro. é de origem celta, pois nos “Jogos Tailteanos, no
- Lançamento do Dardo: consiste em lançar início da Era de Cristo, os celtas disputavam uma
uma haste cilindrocônica de madeira ou prova de arremesso de pedra que pelas descrições
metal de uma pista medindo se assemelhavam à prova atual” (CONFEDERAÇÃO
o
aproximadamente 35m em um setor de 29 . BRASILEIRA DE ATLETISMO, 2003). Também, na
- Lançamento do Disco: consiste em lançar Antiguidade, os celtas, escoceses e irlandeses
um disco biconvexo construído de madeira arremessavam pedras e ramos de árvores que
e/ou metal do interior de um círculo em um pesavam aproximadamente 25 kg, em seus rituais
setor de aproximadamente 34°. (JONATH et al., 1977).
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
Há, também, indícios de que o A Técnica do Arremesso de Peso
arremesso do peso era praticado na Grécia antiga. Evolução
O pensador grego Homero, por exemplo, faz O atleta, partindo da posição de
menção a competições de arremessos de pedra parado, com o peso do corpo sobre a perna direita,
realizados por soldados para saber quem era o segurava o engenho com as duas mãos e lançava‐o
mais forte, durante o cerco de Tróia (INFOPÉDIA, ficando apoiado sobre a perna esquerda.
2012).
Entretanto, a prova de arremesso do
peso, tal como ela é nos dias de hoje, foi
influenciada pelos ingleses. Por meio da criação
dos canhões no século XIV permitiu‐se o
desenvolvimento dessa prova no território inglês
(CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO,
2003). Figura 111: Técnica do Arremesso de Peso
Sabe‐se, também, que na Idade
Média, por volta do século XVI, o Rei Henrique VIII A técnica sofreu uma ligeira
era famoso por realizar competições de arremesso evolução, passando para a deslocação lateral, com
do peso e lançamento do martelo dentro de o avanço prévio do pé esquerdo:
quadras. esquerdo+direito+esquerdo+ lançamento.
Já no século XVII os soldados
ingleses, para superarem o tempo de ociosidade,
organizavam competições em que arremessavam
bolas de canhão que pesavam aproximadamente 7
Figura 112: Técnica de Arremesso Lateral
‐ 8 kg (INFOPÉDIA, 2012). Aliás, foi este tipo de
bola, com cerca de sete quilos e meio, que os
universitários ingleses adotaram nos torneios O primeiro atleta a passar dos 14
realizados em meados do século XIX, jogo que foi o metros foi George Gray (1,77m ‐ 85 kg), um
verdadeiro precursor do atual arremesso do peso, canadiano residente nos Estados Unidos que, em
uma vez que as bolas pesam 7,260kg
(CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETISMO,
1891, conseguiu fazer 14,07m. Durante a sua
carreira, sagrou‐se campeão nacional por 10 vezes. 51
2003). O primeiro atleta a passar dos 15 metros foi
O arremesso do peso, como uma Wesley W. Coe (1,78m ‐ 95 kg), com 15,08m, em
1905. Utilizava a técnica de Gray que, nesta altura,
prova do atletismo, teve pela primeira vez, suas
regras estabelecidas em 1860. A partir daí foram passou a chamar‐se técnica ortodoxa americana.
ocorrendo pequenas modificações até chegar à Em 1909, foi introduzido o uso da
prova como ela é praticada nos dias de hoje antepara, com a finalidade de ajudar o lançador a
(PORTAL SÃO FRANSCISCO, 2012). equilibrar‐se, dentro do círculo, depois do
A prova está presente nos Jogos lançamento. Refira‐se que o primeiro a passar os
Olímpicos da Era Moderna desde a primeira 16 metros foi o atleta germânico Emil Hirschfeld,
acabando com 16,04m, numa prova realizada em
edição, em 1896, em Atenas.
Bochum, no dia 26 de Agosto de 1928.
Em 1934 Jack Torrance (1,98m ‐ 117
As competições femininas
kg), foi o primeiro a transpor a barreira dos 17,00
A competição feminina de arremesso
metros. Conseguiu melhorar o recorde mundial por
de peso, disputada pela primeira vez na França,
cinco vezes, fixando‐o na extraordinária marca,
teve início em 1917.
para a época, de 17,40m.
O primeiro recorde mundial foi
Jim Fuchs (USA), após 1940,
homologado pela Federação Internacional de
utilizando uma técnica diferente da até então
Atletismo (IAAF) em 1934, com o evento estreando
conhecida ortodoxa (cuja posição inicial,
em 1948 nos Jogos Olímpicos.
deslocamento e posição final eram realizadas na
Até 1927, as competições femininas
posição lateral), conseguiu superar o recorde
também usavam chumbos pesando 5kg. Hoje o
mundial, com 17.95 m. Este novo estilo, iniciava o
peso feminino possui 4 kg,
arremesso em posição lateral, terminando o
deslocamento com as costas voltadas para a direita
Especificações do Implemento do lançamento.
O peso da bola para homens é de Observando a técnica de Fuchs, um
7,26 kg e para as mulheres de 4 kg. homem que marcou época na história desta prova,
outro americano, Parry O'Brien, partiu para o seu
estilo próprio. Este atleta, vencedor dos Jogos

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


Olímpicos de 1956 e 1960, se convenceu que seria a palma da mão voltada para fora, a partir de
o primeiro homem a arremessar um peso de 7.257 extensão do braço dominante.
kg acima de 20 metros.
Tamanha era a sua obsessão, que Técnica de Arremesso Lateral com
transportava um peso dentro do seu carro e onde Deslocamento
quer que parasse, treinava horas a fio. O deslocamento para a realização do
O’Brien concluiu que poderia iniciar arremesso do peso lateral com deslocamento
o deslocamento com o corpo de costas para a caracteriza‐se por duas fases, a saber:
direção do lançamento, o que daria ao peso, um
maior caminho dentro do círculo, lhe permitindo
maior impulso e velocidade. Até hoje, esta técnica
é a preferida pela maioria dos arremessadores,
embora uma outra, a do arremesso com giro,
surgida com o atleta russo
Alexander Baryschikov, em 1972,
conseguindo um número considerável de adeptos,
com bons resultados.

As técnicas utilizadas são: Figura 114: Arremesso com Deslocamento Lateral


- Sem deslocamento
Arremesso parado – sem deslocamento e com 1. Ligeira inclinação do tronco, acentuando o
as duas mãos apoio na perna (direita, no caso se o atleta for
- Com deslocamento linear fazer o arremesso com a mão direita)
Arremesso ortodoxo ‐ iniciando de lado para o 2. Deslocamento do corpo em direção ao setor de
setor de queda queda do arremesso do peso, a partir do
Arremesso O’Brien ‐ iniciando de costas para o deslocamento lateral rasante da perna direita em
setor de queda direção ao centro do círculo e a perna esquerda
- Com deslocamento circular em direção ao anteparo no chão. A partir disso,
Arremesso com giro ‐ iniciando de costas para
o setor de queda
ocorre o arremesso propriamente dito. Em função
do movimento realizado, há uma tendência do
52
arremessador projetar se para fora do círculo no
Técnica de Arremesso de Peso Retilínea sem momento final do arremesso, o que, por regra, não
Deslocamento é permitido.
O arremesso do peso lateral sem
deslocamento realiza‐se a partir dos seguintes Técnica O´Brien
movimentos: Para nosso estudo, vamos analisar a
técnica desenvolvida por Parry O'Brien. Nela, na
posição inicial, o atleta está de pé, virado para trás,
em relação ao sentido do lançamento.
Esta posição facilita a aceleração
continuada do engenho ao longo de uma linha
reta.
1. Ligeira inclinação do tronco para frente, ao
mesmo tempo que há a elevação da perna
esquerda (no caso do exemplo) estendida para
trás;
Figura 113: Arremesso sem Deslocamento 2. Flexão de ambas as pernas, de modo que o
joelho esquerdo se aproxime do direito, que
Posicionado na metade anterior do corresponde à perna de apoio nesse momento de
circulo de arremesso, o arremessador realizará desequilíbrio do tronco para frente, com
ligeira inclinação do tronco, acentuando o apoio, consequente elevação do quadril.
no caso do exemplo, na perna direita, que está 3. Inicia-se o deslocamento do corpo para trás, a
flexionada. partir do deslocamento rasante da perna direita
A partir dessa posição, ocorre o em direção ao centro do círculo, onde se
arremesso propriamente dito, iniciando pela ação posicionará com o pé direito ligeiramente na
de rotação do quadril e direcionamento do tronco diagonal. Ainda nesse mesmo deslocamento, a
para frente. O peso, arremessado para cima e para perna esquerda é lançada para trás e para baixo,
frente (aproximadamente a 40º), deverá deixar a assentando‐se próximo ao anteparo, com a parte
mão do arremessador pelas pontas dos dedos, com
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
anterior do pé ligeiramente na diagonal,
provocando uma ligeira rotação do quadril.
A partir disso, ocorre o arremesso
propriamente dito.

Fases da Técnica
Para que se possa compreender
melhor, dividiremos a técnica em fases de acordo
com os diversos movimentos realizados na
execução do arremesso. Desta forma, temos as Figura 118: Posição Inicial
seguintes fases: PREPARAÇÃO, DESLIZAMENTO,
ARREMESSO e RECUPERAÇÃO. Com o cotovelo e antebraço
exatamente abaixo do peso, esta posição se
manterá desde a inclinação do atleta para adiante,
até o final do deslizamento.
Figura 115: Técnica O´Brien
Posição Inicial ou de Partida
Preparação O arremessador posiciona‐se de pé,
A fase de preparação o lançador em afastamento antero‐posterior das pernas na
parte posterior do círculo e de costas para o setor
prepara‐se para o início do deslizamento.
de arremesso.

53
Figura 116: Fase de Preparação da Técnica O´Brien

Empunhadura Figura 119: Inicio da Técnica O´Brien


O atleta pega o peso de modo que o
mesmo fique repousado sobre a base (calo) dos O peso do corpo recai sobre a perna
dedos. O mínimo e o polegar servem de apoio direita, enquanto que a esquerda fica ligeiramente
lateral, enquanto que os outros três dedos da mão afastada atrás, apoiada na ponta dos dedos.
ficam ligeiramente afastados. O peso não deve ser
seguro com contração da mão, também não pode Deslocamento ou Deslizamento
rolar na sua palma. O corpo do atleta na posição acima
descrita tem um certo grau de inércia que para ser
quebrado, requer movimentos preliminares, antes
de iniciar o deslocamento propriamente dito.

Figura 117: Empunhadura


Figura 120: Deslocamento ou Deslizamento

Desta forma, o peso é levado na


cavidade do pescoço, abaixo do maxilar inferior. A Assim o atleta flete o tronco para
adiante e compensando esta flexão, leva a perna
palma da mão, está sob o implemento, flexionada
esquerda para trás e para cima. Quando o tronco e
no punho, com o cotovelo ligeiramente levantado
e puxado para adiante. O braço aponta para a a perna esquerda estiverem quase paralelos ao
frente e para baixo, enquanto que a cabeça é solo, a perna direita flexionada e a outra é trazida
conservada na sua posição normal. para junto dela. A inclinação do tronco aumenta e
o quadril é levado para trás provocando um
desequilíbrio.
Após esta seqüência, inicia‐se o
deslocamento, quando a perna esquerda é lançada
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
energicamente para trás e para baixo, ao mesmo
tempo que a perna direita sofre um deslocamento
para trás, no sentido do arremesso. O pé direito vai
assentar‐se no centro do círculo, com a sua polpa
planar com a ponta voltada para a esquerda.
Desta forma, o pé esquerdo lançado
para trás e para baixo, assenta‐se a seguir próximo
ao anteparo, também com a sua ponta voltada
para a esquerda. O peso deve ser mantido sobre a
parte posterior do círculo o maior tempo possível. Figura 122: Arremesso Propriamente Dito
O quadril gira um pouco para a
esquerda, acompanhando a estrutura criada pelas Ao começar a extensão da perna e ao
pernas, com o tronco e a linha dos ombros ainda erguer‐se o tronco, o peso encontra‐se ainda
voltados para o sentido oposto ao lançamento. encostado no pescoço do atleta. O movimento de
Assim é formada a conhecida posição em “T”. extensão do corpo é ajustado pelo braço esquerdo
que gira para a esquerda e para trás, até que os
Posição de Arremesso eixos dos ombros e da bacia fiquem paralelos,
Esta fase técnica se caracteriza logo desfazendo assim a torção. Aí tem início a
após o deslocamento, com o assentamento de extensão do braço direito.
ambos os pés no solo. Sua correta execução é de Durante a elevação e rotação, o
importância fundamental para o êxito do ombro esquerdo está mais elevado. O peso do
arremesso. corpo passa a perna esquerda, que tem ainda a
O peso do corpo fica sobre a perna função de deter o avanço da pélvis, acentuando a
direita flexionada, no centro do círculo. O lado elevação e a rotação do tronco.
direito do quadril se flexiona, em uma torção Desta forma o peso é impelido com
preparando a impulsão final para cima e para uma extensão total e simultânea das pernas,
frente, enquanto o pé esquerdo se coloca próximo tronco e braço direito. O ombro direito se eleva
da borda interna do anteparo. Assim o corpo se acima do esquerdo e assim o peso perde contato
coloca em posição para o arremesso. com o arremessador pelas pontas dos dedos cuja
mão acompanha o movimento até o final, na ação
54
vulgarmente denominada de “tapinha”, num
ângulo aproximado de 40º. (Figura 119 de 10 a16)

Reversão ou Troca de Pés


A ação final coloca o arremessador
de frente para a direção do arremesso, animado de
uma grande velocidade, em conseqüência das
ações anteriores. Isto ocasiona um desequilíbrio
Figura 121: Posição de Arremesso para frente, com o adiantamento do centro de
gravidade, para que o arremesso não queime,
A posição do tronco em relação aos devido à falta que o atleta pode cometer, torna‐se
membros inferiores é correta, quando as costas, a necessário retomar o equilíbrio.
nádega esquerda e a perna esquerda, formam uma
linha reta.

Arremesso Propriamente Dito


A ação do arremesso, conduzido pela
perna direita, inicia‐se com uma extensão clara de
ambas as pernas e uma rotação e elevação do
tronco. É aí que se verifica a maior velocidade do
peso. Nos movimentos que se sucedem é
importante o emprego sucessivo da perna direita, Figura 123: Reversão ou Troca de Pés
do lado direito do quadril e do tronco. O lado
esquerdo do corpo é fixado nas articulações, Nesta volta ao equilíbrio, há
constituindo o eixo de rotação do lado direito do necessidade de uma ação especial que denomina‐
corpo. se reversão. Consiste numa troca das posições das
pernas, com a esquerda puxada para trás,
enquanto o pé direito assenta‐se no solo, próximo
ao anteparo. A perna direita flexiona‐se
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
absorvendo o impacto do peso do corpo e o voltada para dentro, inicia uma ação impulsora
abaixamento do centro de gravidade. O tronco gira conjugada com o término da ação da perna direita
para a esquerda e o braço direito é conduzido que foi de giro e extensão.
contra o corpo. Esta reversão deve ser muito O tronco gira para a direção do
rápida, mas nitidamente separada do movimento arremesso, simultaneamente com a ação de
de impulsão para o arremesso. empurrar o peso com o braço, que se estende para
frente, finalizando esta ação com a palma da mão
Técnica Rotacional (- Baryschnikov) voltada para fora. As pernas vão ao máximo
possível de sua extensão. O tronco acompanha a
extensão do braço indo também para frente.

Recuperação do equilíbrio com reversão


Após perder o contato com o peso, o
arremessador tende a sair do círculo. Nesta
condição, o pé direito assenta‐se no lugar do
Figura 124: Técnica Rotacional esquerdo que vai para trás e aproveitando o
restante da força de giro continua girando até ficar
Assim como nos demais estilos, a posicionado de frente para o local de queda do
tendência é que o arremessador ultrapasse o implemento.
círculo a partir da conclusão do arremesso.
Finalização
Fases da Técnica O atleta deverá sair do setor de
Posição Inicial arremesso pela metade de trás do círculo.
De costas para o setor de arremesso
e no lado oposto do anteparo, o arremessador fica Regras
em afastamento lateral, já com o peso As regras do esporte mudaram
empunhado. É o momento de sua concentração. bastante com o passar do tempo, tanto que em
A empunhadura é feita exatamente sua primeira participação olímpica, nos Jogos de
como as técnicas apresentadas anteriormente. Estocolmo, na Suécia, em 1912, o lançamento
podia ser feito com as duas mãos, o que hoje não é
55
Balanceio permitido.
Nesta fase o arremessador faz uma Os concorrentes devem arremessam
movimentação preparatória que consiste em de dentro de um círculo que mede 2,13 metros de
transferir o peso do corpo para a perna direita diâmetro que é delimitado por uma borda de
flexionando‐a, ao mesmo tempo em que faz a madeira de aproximadamente 10 cm (stop board).
rotação do tronco para o lado direito. Os competidores não podem sair do
No caso desta técnica, apenas um círculo até o pouso do peso.
balanceio já é suficiente para iniciar a seqüência de As modalidades de arremesso de
giros. peso têm sido disputadas nos Jogos Olímpicos
desde o início.
Giros Todos os dozes finalistas têm direito
Os giros iniciam‐se a partir do ponto a três tentativas. Os oito melhores finalistas têm
mais baixo do balanceio, com a transferência do mais três tentativas.
peso do corpo para a perna esquerda e giro para
trás, no lugar, feito na ponta do pé (esquerdo). Seleção dos Arremessadores
Estando de frente para o setor de Para a escolha de um futuro
arremesso, o arremessador salta para o apoio da arremessador, é indispensável observarmos as
perna direita. O pé direito quando ainda no ar, gira seguintes qualidades:
para dentro, procurando um apoio no centro do a) Qualidades morfológicas: boa estatura, boa
círculo. O pé esquerdo, ao perder o contato com o distribuição da massa corporal (relação
solo, é levado para o seu apoio na parte anterior peso/altura) e boa envergadura.
do círculo (próximo ao anteparo). Com isso forma‐ b) Qualidades físicas: velocidade e boa reação
se a posição para o arremesso propriamente dito. nervosa, dinamismo e agilidade, força,
coordenação e flexibilidade.
Arremesso propriamente dito c) Qualidades psíquicas: voluntariedade,
O arremesso ppd inicia‐se constância, combatividade, resistência psíquica às
efetivamente com o trabalho da perna direita. O frustrações e poder de concentração.
pé esquerdo ao apoiar‐se no solo com a ponta

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


Com relação a atletas de outras Lançamento de Dardo
provas atléticas, os arremessadores são atletas de: Definição
a) Longo e lento período de formação. É uma modalidade que simboliza as
b) Longo período de maturidade atlética. caças com lanças da Antiguidade. Na prova, os
c) Declínio demorado. atletas, sempre com o braço totalmente estendido,
devem lançar o dardo o mais longe possível.
Critérios para o Período de Formação
a) Formação polivalente.
b) Prática de diferentes arremessos.
c) Destinar especial atenção psíquica do iniciante.
d) Determinar a especialidade definitiva do
arremessador, somente quando tivermos certeza
do seu gosto pessoal e suas possibilidades futuras.

Critérios Pedagógicos
Para se chegar ao gesto global, é
recomendável começar com uma graduação
Figura 125: Lançamento de Dardo
pedagógica elementar. Este método se dá no
sentido inverso à cronologia do gesto total, para
facilitar o estudo da técnica, que é dividida nas Objetivo
seguintes fases: Lançar um dardo tentando alcançar a
a) Fase preparatória: Esta fase se inicia com os maior distância possível.
movimentos preliminares para o arremesso, como
por exemplo o deslocamento no peso, voltas, no História
disco molinetes e giros, no martelo. A prova é a que mais lembra o modo
b) Fase de realização: Começa com a chegada do de vida das antigas civilizações, em que o dardo
pé direito ao solo (sempre, durante o nosso curso, (lança) era usado para caçar e guerrear. A primeira
trataremos de atletas destros), após o inicio do aparição em Jogos Olímpicos deve ter sido por
lançamento. Assim temos, no peso, quando o pé
direito atinge o centro do círculo. No dardo, no
volta de 708 d.C., integrando o pentatlo.
Faz parte do Programa Olímpico da
56
penúltimo passo. Era Moderna desde 1908, na Olimpíada de
No disco, chegada do pé direito ao Londres.
centro do círculo e no martelo, quando o pé direito Hoje também os soviéticos se
chega no chão, no término do terceiro giro, são destacam, além dos americanos. Tanto isto é
exemplos claros. verdade que o dardo foi lançado por um russo há
Esta fase termina no momento em mais de 104,00 metros, um feito realmente
que a perna esquerda recebe o peso do corpo fantástico ainda mais considerando‐se que marca
sobre si. dos 100 metros não seria atingida ainda neste
As duas fases acima descritas, tem os século.
seguintes objetivos: Isto, porém trouxe um problema: o
‐ Vencer a inércia do implemento. perigo que o dardo poderia oferecer, devido a
‐ Aumentar o caminho do impulso. demanda de espaço cada vez mais crescente.
‐ Adiantar a linha da pélvis, em relação a linha do Desta forma, um novo dardo foi
ombro. desenhado com uma aerodinâmica que lhe
‐ Colocar o arremessador em melhores condições permite descer mais rápido, atingindo obviamente
no penúltimo apoio para a execução do arremesso. uma distância menor com relação ao antigo.

c) Fase final: Começa com a chegada do peso do Local da Competição


corpo sobre a perna esquerda e compreende: o A prova do lançamento do dardo
arremesso propriamente dito e a recuperação do disputa‐se na pista de atletismo, numa zona
equilíbrio. Tem os seguintes objetivos: específica que compreende uma pista de balanço
‐ Dar ao implemento a maior aceleração com 4 metros de largura e 30 a 36,5 metros de
possível, utilizando o caminho mais longo comprimento, assim como um sector para a queda.
e a maior soma de forças possível.
‐ Recuperar o equilíbrio dentro da zona de
impulso, uma vez que o implemento
perde o contato com a mão do
arremessador.

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


a) Empunhadura: A empunhadura ou pega, é a
maneira correta de segurar o dardo. É feita na
extremidade posterior do encordoamento, o que
possibilita no lançamento uma transposição
favorável da força atrás do centro de gravidade,
enquanto que dos dedos encontraram uma melhor
Figura 126: Local da Competição resistência e apoio. Existem três tipos de
empunhaduras mais comuns:
O lançamento é feito da pista de 1- Finlandesas, nesta, o polegar e as duas
balanço, atrás de um arco de círculo traçado com primeiras articulações do dedo médio encontram‐
um raio de 8 metros. se atrás do encordoamento. O indicador fica
A partir do ponto de lançamento, estendido ao longo do dardo, na sua parte de
duas linhas de 90m de distância formam o campo baixo.
de arremesso. Todos os lançamentos devem cair
entre essas duas linhas.

A Técnica do Lançamento do Dardo


Como nas demais provas de campo,
a ação total do arremesso deve ser realizada como Figura 128: Empunhadura Finlandesa
uma só unidade, que precisa ser ensinada o mais
cedo possível. Não obstante, a natureza do 2 -Empunhadura Americana, o polegar e o
arremesso admite que se enfoque passo por passo, indicador é que pressionam o dardo, atrás do
o que permite ganhar tempo. Os detalhes do encordoamento, enquanto que os demais dedos o
método podem ser divididos em fases técnicas e envolvem.
descritas da seguinte maneira.

Fases Básicas dos Lançamentos


Os lançamentos constam
basicamente de uma fase preparatória, a fase de 57
aceleração (deslocamento), o Figura 129: Empunhadura Americana
lançamento/arremesso propriamente dito, a fase
de recuperação do equilíbrio corporal e a saída de 3 -Empunhadura Alemã em "V" ou tenaz, onde o
setor de lançamento/arremesso. dardo é seguro entre o dedo indicador o médio. O
indicador fica fletido no fim do acordoamento para
equilíbrio. Os outros dedos seguram em volta do
acordoamento.

Figura 127: Fases do Lançamento de Dardos

Preparatória/Concentração refere‐
se aos procedimentos do atleta durante a
preparação para a execução do
lançamento/arremesso, incluindo a empunhadura Figura 130: Empunhadura Alemã em "V"
do implemento.
Deslocamento fase de aceleração – b) Corrida de Aproximação: A 1ª parte, chamada
corrida de aproximação (dardo), “arrasto” (peso) e de corrida de aproximação, abrange cerca de 2/3
giros (disco, martelo e peso). da distância total, é uma corrida de aceleração
Lançamento propriamente dito progressiva e retilínea, que vai levar o atleta a uma
lançamento (dardo, disco e martelo) ou velocidade ótima. Pode ter, conforme o atleta, de
arremesso(peso). 7 a 13 passos: O dardo é transportado à altura da
Recuperação (com reversão) – testa, não importando se a ponta está um pouco
retomada do equilíbrio – recuperação do equilíbrio para cima ou para baixo. Este não é fixado na
após o lançamento ou arremesso propriamente perpendicular ao eixo dos ombros, mas sim com a
dito que deverá acontecer integralmente dentro ponta voltada um pouco para dentro, o que
do setor de lançamento/arremesso. permite um recuo em linha reta com maior
Finalização do lançamento– refere‐ facilidade. O braço de lançamento move‐se pouco,
se à saída do círculo de lançamento ou arremesso enquanto que o livre, trabalha ao ritmo da corrida.
e do corredor de lançamento.

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


A perna esquerda impele o corpo de
modo rasante na execução do quarto passo,
evitando que o centro de gravidade se eleve
durante o contanto do pé direito, cuja perna é
flexionada, ao receber o peso do corpo. Agora sim,
o eixo dos quadris e o pé direito giram para o lado
direito acompanhando a rotação do tronco, já
existente. É o chamado passo cruzado, seguido de
Figura 131: Corrida de Aproximação um apoio dos pés, com a perna esquerda à frente,
terminando assim a corrida e formando a nova
c) Corrida Preparatória: Ao atingir a marca fase técnica que passamos a ver em seguida.
intermediária, inicia‐se a segunda parte da corrida,
que podemos chamar de corrida preparatória. Esta d) Posição de Lançamento: A posição de
parte da corrida é de fundamental importância, lançamento verifica‐se no momento em que
porque é dela que depende o maior ou menor ambas as pernas fizeram o contato com o solo,
sucesso do lançamento, no aspecto técnico. Dos brecando a corrida, o peso do corpo recai sobre a
ritmos de passadas conhecidas nesta fase (três, perna direita flexionada e o tronco inclinado para
cinco ou sete) vamos adotar o segundo, por ser o trás.
mais empregado. O início é delimitado pela marca O pé esquerdo toca o solo, primeiro
intermediária, a qual é alcançada pela perna com o calcanhar, alguns centímetros para a
esquerda (para os atletas destros, o ritmo das esquerda da linha de direção do lançamento, com
cinco passadas é o seguinte: esquerda‐direito‐ sua ponta ligeiramente voltada para dentro ou
esquerda‐direito‐esquerda e lançamento). para frente.
O braço direito e o dardo não
mudam de posição durante o passo impulsor nem
durante a posição de lançamento. Nesta fase, é
importante que a mão esteja perfeitamente no
prolongamento do antebraço e não poderá haver
flexão absolutamente nenhuma do pulso. 58
e) Lançamento Propriamente Dito: O lançamento
começa com uma extensão para a frente e para
cima da perna direita, pelas articulações do
tornozelo e do joelho, conduzindo à frente o lado
Figura 132: Corrida Preparatória
direito do quadril, enquanto que a perna esquerda,
um pouco fletida, assentada primeiramente pelo
Esta fase é a preparação para o
calcanhar tendo primeiro uma ação de apoio e
arremesso propriamente dito e compreende:
depois de elevação, bloqueia o lado esquerdo do
quadril.
1 -O recuo do implemento.
Desta forma, o tronco é impelido
O dardo inicia seu recuo logo após o
para frente, originando a tensão em arco, através
atleta atingir a marca intermediária para se
da qual é possível o emprego da força de ambas as
completar no terceiro passo.
pernas, tronco e braço de lançamento.
Isto deve acontecer gradativamente
Primeiramente, a perna de apoio é
e durante esse tempo, o tronco executa uma
levemente fletida e em seguida, fortemente
rotação para a direita, sendo que o braço é levado
esticada (ação de apoio e alavanca). A perna de
atrás em alinhamento com o eixo dos ombros. A
trás desliza e no ato do lançamento, encontra‐se
palma da mão encontra‐se voltada para cima, no
apoiada pela ponta dos dedos, na sua lateral
prolongamento do antebraço. A corrida mantém‐
direita. O peso do corpo já passou da perna de trás
se no seu alinhamento, sendo que as pernas e o
para a perna da frente.
quadril continuam voltados para a direção da
Quando o braço lançador começa a
corrida, o braço esquerdo acompanhando a
atuar, é levantamento a nível da cabeça, apontado
rotação do tronco, vai para a frente do peito,
no sentido do lançamento, palma da mão para
ligeiramente flexionado.
cima.
Nesta altura o braço e antebraço
2 -O passo impulsor
estão em ângulo reto e o dardo já sofreu a ação
Segundo as técnicas mais modernas,
dos quadris e da rotação do tronco.
é necessário que o quarto passo seja rápido e
Exatamente no momento em que o
ativo, porém rasante.
lado direito do corpo ultrapassa o esquerdo, o
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
braço esquerdo que se encontra fletido na altura uma área circular de 2,5 metros de diâmetro e
do peito, tem o seu movimento para trás lançar o disco para frente na maior distância
bloqueado. possível. O disco é feito de metal, pesa 2 Kg e
O lançamento tem lugar mais ou mede entre 219 e 221 milímetros de diâmetro para
menos de saída de 31º a 36º. as provas masculinas. Já para as provas femininas,
o disco pesa 1 Kg e possui diâmetro de 180 e 182
f) Reversão: Não tem influência direta no resultado milímetros.
do lançamento. Sua finalidade é brecar a
velocidade do atleta e recuperar o equilíbrio,
impedindo que ele transponha o limite
regulamentar. Consiste depois de soltar o dardo,
como num salto, inverter a posição das pernas,
sendo que o pé direito deve assentar
transversalmente à direção do lançamento, com a
perna fletida. O tronco deve inclinar ‐se para
adiante, o que causará o abaixamento do centro de
gravidade. A perna esquerda deve ser levantada e Figura 133: Lançamento de Disco
puxada para trás.
Para tal, é necessária uma distância O atleta pode fazer oito
de 1,5 a 2 metros do arco. lançamentos. Se houver empate entre atletas, o
segundo melhor lançamento é calculado na
Regras pontuação geral.
‐ A ordem em que os competidores farão suas Martina Hellmann quebrou o recorde
tentativas será decidida por sorteio; olímpico feminino, com 72.30 m nos Jogos de
‐ Em uma competição até 8 competidores – cada 1988, em Seul.
um terá direito a 6 tentativas;
História
‐ Quando houver mais de 8 competidores: 3 Eternizado na famosa estátua
tentativas para cada um, classificando os 8
melhores para mais 3 tentativas;
Discóbolus, de Míron, na Antiguidade o
lançamento do disco fazia parte do pentatlo, que
59
‐ O dardo deve ser seguro na empunhadura e também incluía salto em distância, o stadium
sendo lançado por sobre o ombro ou acima da (corrida de cerca de 200 m), lançamento do dardo
parte superior do braço de lançamento; e luta. Existem registros de discos feitos de pedra,
‐ Um lançamento só será valido se a ponta da ferro e bronze. Acredita‐se que a prova tenha sido
cabeça metálica tocar o solo antes de qualquer incluída no programa olímpico da 18ªOlimpíada da
outra parte do dardo; Era Antiga, em 708 a.C.; na Era Moderna, está
‐ Será falta, se após iniciada uma tentativa, o presente já nos primeiros Jogos, em Atenas/1896.
competidor tocar com qualquer parte do corpo
fora do corredor, incluindo as linhas Técnica do Lançamento do Disco
demarcatórias, ou soltar impropriamente o dardo
em uma tentativa;
‐ Para uma tentativa ser valida o dardo deve cair
completamente nos limites internos do setor de
Figura 134: Fases da Técnica de Lançamento de Disco
queda;
‐ A medição é feita do primeiro ponto de contato
da ponta da cabeça do dardo com o solo até a Uma análise dos movimentos do
borda interna do arco, ao prolongamento da linha lançamento do disco, mostra as seguintes fases:
ao centro do círculo de que o arco faz parte; a) Empunhadura
‐ O competido não poderá deixar o corredor antes b) Posição inicial
do dardo tocar o chão, c) Giro ou deslocamento
‐ A cada competidor será creditado o melhor de d) Posição final ou de lançamento
seus lançamentos e) Lançamento propriamente dito
f) Reversão
Lançamento de Disco
a) Empunhadura: O disco deve ser seguro de uma
Esta é a mais antiga das provas de
maneira bem descontraída, ficando apoiado pelas
lançamento. Teve importância capital nos jogos
falanges distais e afastamento dos dedos, com
antigos da antiga a Grécia. O atleta deve segurar
exceção do polegar que não participa desta
um disco plano contra os dedos da mão e
sustentação, mas ajuda no seu equilíbrio.
antebraço. Depois, deve girar sobre seu corpo em
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
arremesso e também auxiliar a impulsão
favorecendo a velocidade do giro.

Figura 138: Balanço


Figura 135: Empunhadura do Disco
c) Giros ou Deslocamento: A finalidade do giro é
O indicador se posiciona acelerar o disco de forma continuada, ao longo de
aproximadamente sobre o seu diâmetro, enquanto um percurso tão extenso quanto possível, anterior
existe uma ligeira flexão do pulso, permitindo que aos movimentos do lançamento propriamente
a parte superior toque o antebraço. Assim se dito. Uma das principais forças atuantes no
obtém a conveniente descontração e evita que o lançamento é a força centrífuga, que é aumentada
disco caia da mão do atleta, durante os durante o giro, pois o caminho que o disco
movimentos seguintes. percorre em torno do eixo representado pelo
lançador, é bem maior.
b) Posição Inicial: O atleta toma a posição na parte
posterior do setor de lançamento, de costas
voltadas para o sentido que este vai se realizar, o
afastamento dos pés, formando a base, é igual à
largura dos ombros.

60
Figura 139: Giro ou Deslocamento

O giro é iniciado com as pernas. A


esquerda começa a girar sobre a planta para se
Figura 136: Posição dos Pés dirigir ao sentido do lançamento, neste exato
instante, o corpo começa a se deslocar e o
O peso é eqüitativamente distribuído arremessador leva, então, o seu peso sobre o pé
em ambas as pernas, com o disco ao lado do esquerdo, que será o eixo do giro. O pé direito
corpo. permanece no solo até o momento em que o
lançador se encontre equilibrado sobre o pé
esquerdo. Após perder o contato com o chão, é
lançado em direção ao centro do círculo.
No momento em que o pé direito se
aproxima do seu objetivo, o esquerdo perde o
contato com o solo, havendo assim uma fase de
suspensão. Este movimento é na realidade um
salto rasante e veloz.
Quando a perna direita fletida tiver o
Figura 137: Posição Inicial
contato com o solo (ao centro do círculo e sobre a
planta do pé), passa a ser o pivô. A perna esquerda
Após a colocação do corpo nessa é conduzida adiante, na parte anterior do círculo,
posição, inicia‐se os balanceamentos preparatórios formando assim a posição de lançamento.
(três geralmente), onde o disco é levado de um Como sempre acontece durante todo
lado para o outro do corpo, que o acompanha o giro, o braço de lançamento continua atrasado,
descontraidamente com participação total. Estes com relação ao eixo da linha dos ombros.
balanceios, além da quebra da inércia, têm por
objetivo concentrar o atleta para a realização do

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


d) Posição Final ou de Lançamento: Na posição de Os ombros se abrem e o braço
lançamento ambos os pés assentados no solo, arremessador prolonga a sua demora antes de
numa distância aproximada (dependendo da efetuar uma rápida “Chicotada” para a frente e
estatura do atleta) de 70 a 80 cm, em afastamento para o alto.
antero‐posterior. O peso do corpo está sobre a No instante em que se solta o disco,
perna direita no centro do círculo formando um o peito está voltado para a frente. O braço
ângulo de 150º em relação à direção do esquerdo flexionado, a cabeça elevada, a perna
lançamento. O pé esquerdo apoia ao lado do esquerda completamente estendida e o braço
anteparo, a cerca de 10cm com um ângulo em arremessador quase na horizontal, tendo a palma
torno de 90º, relacionado com a direção do da mão voltada para baixo, noprolongamento do
lançamento. eixo dos ombros.
Desta forma, o disco abandona a
mão, sofrendo por último a ação do dedo indicador
e sai girando no sentido dos ponteiros do relógio
num ângulo próximo dos 40º.
Devemos observar que durante o
giro, o disco não fica muito longe do corpo, mas na
sua trajetória final, estará bem afastado.

f) Reversão: Após soltar o disco, devido à grande


Figura 140: Posição Final ou de Lançamento velocidade com que o mesmo é arremessado, a
tendência do corpo (o tronco em especial) é de
O braço que segura o disco está desequilibrar para frente.
ainda bem atrás, para o lado direito, permitindo Com isto, caso não consiga recuperar
assim uma impulsão máxima do disco. o equilíbrio, o atleta pode cometer uma falta que
O tronco, forma uma linha do ombro anulará a sua tentativa.
esquerdo até o pé esquerdo, sendo ainda que o Para que isto não ocorra, fará a
ombro esquerdo fica na mesma linha vertical do reversão, que consiste numa inversão da posição
joelho e ponta do pé direito. (Figura 1b e 2a, b) das pernas. Com isso, ele coloca a perna direita
flexionada à frente e puxa a esquerda atrás.
61
e) Lançamento Propriamente Dito: Esta é a mais Alguns continuam girando sobre a
importante fase de toda técnica do lançamento do perna direita, após a reversão.
disco. Assemelha‐se muito com a técnica do
arremesso do peso, com exceção da diferença da Tabela 18: Correção dos erros mais comuns no lançamento do
disco.
posição do braço arremessador. O mecanismo de
Erros Correções
impulsão é quase idêntico nos dois casos. Dificuldades com o manuseio Realização de exercícios de
do disco adaptação ao implemento,
enfatizando‐se a necessidade
de velocidade na execução
dos movimentos para
manutenção do disco na
posição correta
Realização de salto no Realizar exercícios que
momento da realização do acentuem a velocidade de
giro deslocamento (rente ao solo)
durante a realização do giro
Posicionamento antecipado Realizar movimentos isolados
Figura 141: Lançamento Propriamente Dito do braço de lançamento da fase final do lançamento
de modo que o lançador
acompanhe o posicionamento
Primeiramente, a perna esquerda correto do braço de
freia o lado esquerdo do corpo, enquanto que, sob lançamento, o qual deverá
a impulsão da perna direita e do tronco, o corpo se estar atrasado em relação ao
volta, elevando‐se bruscamente, arrastando o restante do corpo
Dificuldades com a Realizar exercícios visando a
braço que arremessa, o qual atua em atraso com recuperação do equilíbrio parte final do lançamento,
relação ao peito, que se encontra de frente. introduzindo‐se o movimento
A perna esquerda freia o movimento de “troca de pés” (ou
do lado esquerdo do quadril, enquanto que a reversão) fora e dentro do
setor de lançamento
direita impulsiona o quadril para o alto e para a
frente. A pélvis acentua seu avanço sobre o tronco
(formando um arqueamento). Este se manifesta
através de uma rápida rotação para a frente.
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
Regras força e destreza. Conta a lenda que, em certa
O disco, cujas faces devem ser lisas e ocasião, amarraram uma grande pedra ao eixo de
uniformes, poderá ser de madeira ou outro uma carruagem. Cuchulain rodopiou sobre o
material, sólido ou oco, envolto por um aro de próprio corpo e lançou o aparato "a uma distância
metal em sua borda, que deve ser arredondada, que nenhum homem podia igualar".
com raio de aproximadamente 6 mm. Ao centro Nascia o lançamento do martelo.
deverá conter placas metálicas circulares em
ambas as faces, ou uma área plana equivalente. A Técnica do Lançamento do Martelo
Seu peso total mínimo deverá ser de 1 kg, para O lançamento do martelo é sem
provas femininas, e 2 kg, para provas masculinas. dúvida uma das provas mais difíceis do atletismo. É
O disco deverá ser lançado a partir necessário um longo processo de exercitação e de
de uma posição estacionária de um círculo de 2,50 treino para poder se dominado completamente.
m de diâmetro, dividido externamente por uma
linha pela qual o lançador deverá deixá‐lo (pela
metade posterior) após sua queda no setor de
lançamento.
Na metade anterior, há um arco que
coincide com a borda interna do círculo e pode ser
tocado lateralmente, mas não pode ser
ultrapassado, já que isso invalidará o lançamento.
A orientação é que, em competições
oficiais com mais de oito lançadores, cada um terá
direito a três lançamentos, classificando‐se os oito
melhores, que terão direito a mais três Figura 142: Lançamento do Martelo
lançamentos. Caso o número inicial de
competidores seja menor que oito, cada lançador Nele podemos encontrar as
terá direito a seis tentativas, valendo, para fins de seguintes fases técnicas:
classificação final, o melhor lançamento. a) Empunhadura
Em uma competição, a ordem dos
competidores deverá ser definida por sorteio, e
b) Posição de partida
c) Balanceios para os molinetes
62
cada lançador não deverá ultrapassar 1 minuto na d) Molinetes
realização da tentativa. e) Giros
A medição ocorrerá a partir do local f) Lançamento propriamente dito
de queda do disco mais próximo ao círculo de g) Reversão
lançamento até a parte interna do aro do setor de
lançamento onde será feita a leitura. a) Empunhadura: A anilha (manopla) é tomada
Após a tentativa e tão logo o primeiramente com a mão esquerda, pelas flanges
implemento tenha tocado o solo, o lançador distais, que deve estar protegida por uma luva
deverá deixar o círculo por detrás da linha externa especial. A mão direita se coloca sobre a esquerda,
que define sua metade. de tal modo que ambos os polegares se cruzam.
Esta empunhadura deve ser firme mas sem
Lançamento do Martelo contrações.
O objetivo do atleta é lançar para
frente uma bola de ferro presa a um arame
metálico com uma alça na extremidade. Este
equipamento pesa 7,26 Kg a partir de uma base
que tem 2,1 metros de diâmetro. Para o
lançamento, o atleta pode dar três giros com o
martelo sobre a cabeça para ganhar impulso e
depois mais três giros em alta velocidade em torno
do eixo do seu corpo antes de efetuar o
lançamento. Se o martelo cai no terreno dentro de
um ângulo de 90 graus, o arremesso é considerado
Figura 143: Empunhadura
válido.
b) Posição de Partida: O atleta se encontra na
História parte do círculo, de costas voltadas para a direção
Do folclore irlandês vêm as façanhas do lançamento, em afastamento lateral das pernas
de Cuchulain, que nos Jogos Atléticos do povo de aproximadamente da largura dos ombros. O
celta, por volta de 2 mil a.C, realizava prodígios de
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
eixo do círculo passa entre as duas pernas, cujo momento em que o implemento se encontra em
peso do corpo se divide proporcionalmente sobre seu ponto baixo (lado direito do arremessador), o
elas. quadril se desloca para a esquerda, com a perna
deste lado semiflexionada, a direita estendida e
c) Balanceios Para os Molinetes: Existe dois tipos vice ‐versa, quando o martelo estiver na sua
de balanceios para acelerar o martelo, preparando‐ trajetória alta.
o para os molinetes, que são:
1 ‐ O martelo é levado à direita e atrás, podendo e) Giros: Uma aceleração inicial que é criada nos
ainda ser dentro ou fora do círculo de lançamento. molinetes, em um sistema de forma centrífuga,
Desta forma, partindo de uma flexão lateral do onde o lançador faz o papel de eixo fixo, tem nos
tronco, tem‐se uma extensão, iniciando‐se assim o giros esta aceleração aumentada, onde ainda o
molinete. atleta continua como o eixo.
2 ‐ No outro tipo de balanceio antes dos molinetes,
o martelo encontra‐se elevado à frente do atleta e
oscila para trás, entre suas pernas. Aproveitando o
impulso adquirido, faz‐se um novo balanceio para
a frente e para cima. À seguir, o martelo é dirigido
para trás e a direita, fazendo uma rotação do
tronco para acompanhar o implemento(que neste
caso, fica elevado e não baixo como o outro tipo
de balanceio) e tem início os molinetes.

Figura 146: Giro

No momento em que a cabeça do

Figura 144: Balanceio


martelo se encontra na diagonal, à direita do seu
ponto mais baixo de trajetória, após o último
63
molinete, começa o primeiro giro de impulso.
d) Molinetes: Após realizar os balanceios descritos Partindo daí, o arremessador
acima, as pernas começam a se estenderem transfere o peso do corpo para a perna esquerda,
parcialmente, dirigindo e girando o tronco para a que nunca abandona o solo, passando a ser pivô de
esquerda, momento em que o martelo é arrastado todos os giros (geralmente três), que são
para cima e à esquerda. executados para dar a impulsão necessária ao
arremesso, momento em que é produzido um
desequilíbrio controlado para a esquerda e atrás.
Os pés trabalham de forma que o
esquerdo gire sobre o calcanhar e parte externa, a
seguir para a esquerda, em direção ao lançamento,
enquanto que o direito gira sobre a planta, dando
assim meia volta.
A segunda meia volta do pé
esquerdo se fará sobre o posterior do mesmo, para
Figura 145: Molinetes terminar no plano do solo. O pé direito sai do chão
novamente, passando rapidamente e muito
Desta forma, o martelo começa a próximo em volta da perna, buscando novo apoio
impulsionar‐se através de dois ou três giros. Para no solo, colocando‐se paralelamente ao esquerdo,
que o raio eficaz de rotação do martelo seja o propiciando outra vez o “duplo apoio”. Quanto
maior possível e o atleta tratará de manter os mais rápido se apoia o pé direito no solo tanto
braços em extensão, durante tanto tempo quanto mais tempo pode‐se levar o martelo para baixo e
puder. Para satisfazer esta exigência, todos os bons tanto maior será a sua velocidade.
especialistas abaixem um pouco o ombro Todos os giros são semelhantes e a
esquerdo. velocidade deve ser tecnicamente crescente para
Durante os molinetes existe um que o arremessador possa colocar seu peso cada
arqueamento do corpo, com transferência do vez com maior força contra a força centrífuga do
peso, para o lado contrário à posição do martelo. martelo, evitando assim ser arrastado ou
Isto, para atuar contra a força centrífuga. Assim, no derrubado.
Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA
É importante a extensão dos braços girando sobre a perna direita, levando o pé
durante os giros, bem como não projetar o peito à esquerdo para o centro do círculo.
frente, nem estender as pernas, durante o apoio
do direito, após a fase do primeiro apoio. Regras
Nunca se deve transportar o peso do O chamado martelo na verdade é
corpo para a perna direita ou cair sobre ela. uma esfera de metal – geralmente aço inoxidável
Com a rotação progressiva, com ou bronze – com 7,26 kg de peso no masculino e 4
conseqüência da elevada velocidade no segundo e kg no feminino. Ela é presa a um cabo de aço na
terceiro giro, a colocação dos pés se torna cada vez ponta do qual existe uma manopla, onde o atleta
mais estreita, de rotação para rotação, de forma segura para o lançamento. O conjunto esfera, cabo
que a perna direita possa percorrer um caminho e manopla formam uma unidade de comprimento
mais curto e veloz. máximo de 1,2 m.
O lançamento é feito com o atleta
f) Lançamento Propriamente Dito: Após a última posicionado dentro de uma base de concreto
rotação, depois do assentamento da perna direita circular de 2,135 metros de diâmetro (7 pés), com
no solo, e com o terço anterior, o lançador um anel metálico ressaltado marcando o diâmetro
encontra‐se junto ao limite anterior do círculo, de limite. Para que a distância seja medida, o
costas para a direção do lançamento. lançamento precisa ser feito de maneira a que o
implemento caia dentro de uma área marcada
num ângulo de 34,92° à frente e o atleta não pode
sair do círculo antes que o martelo toque o chão
após o voo e sempre pela parte traseira dele.
O setor onde se realiza o lançamento
de martelo é envolto por três lados por uma gaiola
(geralmente revestida por redes), de cerca de dez
metros de altura, que protege os espectadores e
Figura 147: Lançamento Propriamente Dito demais atletas de um lançamento mal sucedido.[4]
Após a chamada e permissão do árbitro, o atleta
O peso do corpo encontra‐se sobre a
perna esquerda e ambas as pernas estão fletidas.
deve adentrar no setor e realizar o movimento de
lançamento. O lançamento será invalidado: se os
64
Neste momento começa o pés do atleta tocarem fora do círculo de 2,135 m,
arremesso, especificamente com as pernas e não ou sobre a parte superior da borda metálica que o
com os braços. envolve; se o atleta demorar mais de 1 minuto
Ambos os pés continuam girando para iniciar o movimento de lançamento; se o
para a esquerda, 90º, para a então começar o implemento for lançado fora do ângulo demarcado
impulso simultâneo das duas pernas, juntamente junto à grama; se, após realizar o lançamento, o
com o tronco e os quadris. Isto após a passagem atleta deixar o setor pela metade da frente do
do martelo pelo ponto baixo de sua trajetória. círculo.
A enorme velocidade em que se Como nas demais competições de
encontra o martelo neste momento faz com que lançamentos, vence quem lançar o implemento a
ele adiante a sua posição em relação àquela que maior distância. Geralmente os atletas fazem dois
possuía no final de cada volta. Devido a isto, o ou três rodopios antes de lançá‐lo para ganhar
atleta atua rapidamente, levando o tronco para mais impulsão. Cada atleta tem três tentativas e,
trás, exercendo com ambos os braços a ação de após realizá‐las, ficam apenas oito atletas com os
tracionar o martelo, levando‐o para trás e para melhores resultados para realizar mais três
cima, sem que a ação diminua o raio de giro. lançamentos. Como resultado final, considera‐se a
O martelo é largado à altura dos melhor marca entre os seis lançamentos feitos. Em
ombros e a 90º, o ombro esquerdo aponta no caso de empate, vale a segunda melhor marca do
sentido do lançamento e as costas estão bem atleta.
arqueadas.
O ângulo de saída aconselhável varia QUESTÕES
de 42º a 44º. 1. Existem vários tipos de lançamentos tais como:
a) Vara, bola, peso, martelo
g) Reversão: Com a finalidade de não transpor o b) Disco, dardo, peso, vara
limite do círculo de lançamento, o atleta absorve o c) Disco, martelo, dardo, bola
impacto, através de uma inversão da posição das d) Bola, disco, dardo e peso
pernas. A esquerda é retirada para trás enquanto e) Nenhuma das anteriores
alguns flexionam a direita. Outros continuam

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA


2. Quais são os tipos de lançamentos existentes no
Atletismo?
a) Lança, disco, vara e martelo.
b) Bola, disco, lança e vara.
c) Peso, disco, martelo e dardo.
d) Vara, disco, peso e martelo

3. O lançamento do peso é válido quando:


a) O peso cai no setor de queda.
b) O peso cai fora das linhas que delimitam o
sector de queda.
c) O peso cai no círculo de lançamento.
d) O peso cai o mais longe possível.

4. Qual peso dos implementos dardo e disco


masculino e feminino respectivamente?
a) 800g, 600g e 2kg, 1kg
b) 800g, 700g e 1kg, 1kg
c) 900g, 600g e 3kg, 2kg
d) 800g, 700g e 1kg, 2kg
e) 700g, 600g e 2kg, 2kg

5. Qual peso(kg) do implemento utilizado nas


provas de arremesso de peso masculino e feminino
respectivamente?
a) 8,620 kg e 5kg
b) 7,260 kg e 4kg
c) 6,026kg e 3kg
d) 9,206 kg e 5kg
e) 7, 620kg e 4 kg
65
GABARITO
1)e 2)c 3)a 4)a 5)b

Leonardo de A. Delgado. CREF. 001764‐G/MA