Você está na página 1de 15

TIPOS TEXTUAIS E GÊNEROS TEXTUAIS

Narração: A principal característica de uma narração é contar uma história,


ficcional ou não, geralmente contextualizada em um tempo e espaço, nos quais transitam
personagens. Os gêneros que se apropriam da estrutura narrativa são: contos, crônicas,
fábulas, romance, biografias etc.

SEQUÊNCIA NARRATIVA (sucessão temporal e causal)

Situação Inicial (Orientação) __Nó Desencadeador


__Reação ou Avaliação ___Desenlace (Resolução)
Situação Final (+ Avaliação Moral)

“[...] No dia seguinte fui à sua casa, literalmente correndo. Ela não morava num sobrado como
eu, e sim numa casa. Não me mandou entrar. Olhando bem para meus olhos, disse-me que
havia emprestado o livro a outra menina, e que eu voltasse no dia seguinte para buscá-lo.
Boquiaberta, saí devagar, mas em breve a esperança de novo me tomava toda e eu
recomeçava na rua a andar pulando, que era o meu modo estranho de andar pelas ruas de
Recife. Dessa vez nem caí: guiava-me a promessa do livro, o dia seguinte viria, os dias
seguintes seriam mais tarde a minha vida inteira, o amor pelo mundo me esperava, andei
pulando pelas ruas como sempre e não caí nenhuma vez [...]”. (Fragmento do
conto Felicidade clandestina, de Clarice Lispector).

CRÔNICA

Daí você está dentro do táxi, se preparando pra ir embora, pede pro taxista encostar.
Você olha pro lado esquerdo e vê um carro ultrapassando o seu táxi parado, buzinando e
xingando. Você acha isso estranho, mas até aí tudo bem, você mora no Rio de Janeiro, todo
mundo é estressado no trânsito, é normal.

Daí você olha pra frente e o carro que te ultrapassou parou, o motorista saiu do carro
PUTO, xingando o taxista e começou a falar um bando de merda para o taxista que eu não
consegui ouvir. Só sei que o taxista resolveu responder ao senhor mal-humorado. O cara não
ficou muito feliz com a resposta, foi lá e entrou no carro deu uma ré, bateu no táxi e saiu. Eu e
Samu estávamos dentro do táxi. Completamente sem reação, só sei que pagamos dez reais pro
taxista e ele foi atrás do cara sabe se lá pra que.

Daí você fica nervoso na hora, relaxa depois, vai lá e come sua comida e na volta pra
casa no outro táxi você resolve ser simpático e contar essa história pro taxista. O cara acha um
absurdo, fala que tem gente que tem o demônio no corpo e tudo e tal. Daí 100 metros depois
a gente fica preso na rua porque tem um caminhão tirando uma caçamba da rua e bloqueou a
rua por uns 5 minutos, até que o taxista se cansou e deu a volta pelo caminhão e resolveu se
enturmar e contou a história dele: "Teve uma vez que aconteceu um negócio parecido comigo
com esse negócio aí do táxi de vocês e parecido também com o caminhão. Eu fui deixar o
passageiro numa boate, encostei o carro direitinho, deixei o passageiro, tinha espaço pra
manobrar, tudo tranquilo. Daí veio um playboy bombadinho que tava atrás de mim, saiu do
carro cheio de moral e veio reclamar do meu carro. Daí eu fui conversei com o maluco, ele veio
querendo arrumar confusão, então eu fui, peguei a minha pistola" (Nisso eu percebi a tensão
no olhar do Samuka) " apontei pra ele e falei " tu só não vai morrer aqui porque tá cheio de
gente aqui na rua vendo pq senão vc rodava, maluco"

" Depois disso pedimos pra descer do táxi, meio tensos. O cara percebeu e falou que
desde esse episódio ele não anda mais com a pistola no carro pra não fazer besteira. Acho que
é isso por hoje.”

Argumentação: O texto dissertativo-argumentativo é um texto opinativo, cujas


ideias são desenvolvidas através de estratégias argumentativas que têm por finalidade
convencer o interlocutor. Os gêneros que se apropriam da estrutura dissertativa são: ensaio,
carta argumentativa, dissertação-argumentativa, editorial etc.

Gênero Quem é o Marcas estruturais Observações


Argumentativo leitor?

Dissertação Leitor Texto impessoal, sem marcas de Pode haver ainda


universal, interlocução, em linguagem dissertação de tom
qualquer um. objetiva e padrão culto, com pessoal. Contudo, essa
rígida divisão das partes do texto é de cobrança escassa
argumentativo. em concursos.

Artigo de Um certo O texto deve se adequar ao perfil O artigo de opinião, de


opinião público leitor do público. Assim, suas marcas de modo geral, é dos
de dada formalidade ou informalidade gêneros
publicação. dependerão disso. No geral, sua argumentativos mais
estrutura é menos rígida e livres e fluídos que há.
costuma se admitir tom pessoal.

Carta de O destinatário Esse texto é dum remetente A distinção entre


solicitação ou da carta. específico a um destinatário solicitação e
de reclamação também específico. Portanto, são reclamação não é,
obrigatórias tanto a primeira necessariamente,
pessoa quanto marcas de rigorosa.
interlocução, além do cabeçalho
com local e data, do vocativo e da
saudação introdutórias, bem
como a despedida e assinatura.

Carta de leitor O editor da Esse texto se assemelha ao No geral, é um texto


revista ou modelo geral das cartas bastante objetivo e
autor de dada argumentativas, no entanto,
matéria. prescinde de cabeçalho com local conciso.
e data.

Editorial O público leitor Expressa a opinião de certa  


de publicação, falando, portanto, em
determinada nome coletivo. Sua linguagem
publicação tende a ser formal, embora
acompanhe a expectativa do
público leitor.

Crônica O público leitor Esse texto partilha da liberdade Em geral, essa


argumentativa da publicação geral da crônica narrativa e tem modalidade de crônica
que conterá a em comum com esse uma pode se aproximar
crônica. motivação do cotidiano. bastante do artigo de
opinião.

Resenha crítica O público de O texto consiste em um resumo Pode ser pensada


certa comentado e opinativo sobre como uma versão
publicação dada obra ou trecho de obra. bastante simplificada
artística ou do ensaio.
crítica.

EXEMPLIFICAÇÃO:

Dissertação

Os problemas de trânsito atuais de qualquer grande cidade são motivos de transtornos vários
a seus cidadãos. No município do Rio de Janeiro, isso não é diferente e assume contornos
dramáticos, em meio às obras por que passa a metrópole. Os engarrafamentos se dão em
escala gigantesca, paralisando veículos, a produção e a vida das pessoas.

b) Artigo de Opinião (em uma revista de algum nível de informalidade):

Não vem sendo fácil pro carioca suportar os engarrafamentos que tomam conta da cidade por
conta das obras profundas que vem ocorrendo. A cidade, de cabelo em pé, buzina sem parar
buscando algum ponto de fuga. Somos quase o Estacionamento de Janeiro.

c) Carta Argumentativa:

Rio de Janeiro, 03 de dezembro de 2013.

Excelentíssimo Sr. Prefeito da cidade do Rio de Janeiro,

Venho, por meio desta, manifestar-me quanto à situação caótica que ora nos encontramos na
cidade governada por V. Exª. A situação é mais do que periclitante, atingindo níveis de
inviabilidade que põem em xeque o bom funcionamento de serviços ao conjunto dos cidadãos. 

d) Carta de leitor:
Caros editores da Revista Hoje, em seu último número, havia uma matéria que tratava das
mudanças em curso na cidade do Rio de Janeiro. Gostaria de aqui problematizar um ponto
argumentado por vocês naquela matéria: a do preço necessário a se pagar por tais mudanças.

e) Editorial:

A Gazeta de Notícias traz a seu público a sua opinião independente acerca das mudanças ora
em curso na cidade do Rio de Janeiro, bem como de seus desdobramentos ao conjunto da
população atual e futura.

f) Crônica Argumentativa:

Essa semana testemunhei uma cena inusitada. Uma velhinha esbravejava cobras e lagartos e
outros répteis mais de difícil identificação, após ser fechada no trânsito cada vez mais
alarmante do Rio de Janeiro. Ora, essa é apenas a ponta do iceberg desse inferno que tem se
tornado se locomover dentro de um veículo na cidade.

g) Resenha Crítica:

Na obra Carros e cidades, de Alexandre Silveira Pontes, a questão principal em discussão é o


modelo de desenvolvimento rodoviário e seu impacto à vida das cidades brasileiras. Esse ponto
de vista assume especificidades e exemplificações várias ao longo dos sete capítulos da obra,
os quais apresentaremos aqui.

Exposição: Tem por finalidade apresentar informações sobre um objeto ou fato


específico, enumerando suas características através de uma linguagem clara e concisa. Os
gêneros que se apropriam da estrutura expositiva são: reportagem, resumo, fichamento,
artigo científico, seminário etc.

Análise ou síntese de representações conceituais numa ordenação lógica

Predomínio do Presente, Futuro do Presente, Pretérito Imperfeito

Encadeamento lógico preferencial. Função referencial se destaca


“[...] Em Poá, região metropolitana de São Paulo, quatro mulheres desenvolvem a difícil e
honrosa missão de comandar, cada uma, uma casa com nove crianças. Chamadas de mães-
sociais, elas são cuidadoras permanentes de crianças que foram destituídas de seus lares por
causa de maus-tratos, abuso ou falta de cuidados [...]”. (Fragmento de uma reportagem
publicada na revista Carta Capital).

“Martin e White (2005, p. 29-31), a partir dos estudos de Poynton (1985), explicam que ao eixo
vertical Poder relacionasse a noção de Status, que envolve variações de igualdade,
reciprocidade ou diferença nas formas de tratamento, por exemplo. Etnia, geração, gênero,
classe e tipo de relação são fatores que interferem na variação de posições de dominância ou
deferência, afetando o modo de construção das relações sociais no sentido de quem pode e
como pode se expressar perante o outro. Por sua vez, ao eixo horizontal Solidariedade
relaciona-se a noção de contato, referente à negociação de intimidade e distância, realizada
segundo os princípios de Proliferação e Contração, relacionados respectivamente à ideia de
que, quanto mais próximo se é de alguém, mais significados estão disponíveis para troca e
mais a intimidade se desenvolve, e à ideia de que, quanto mais se conhece alguém, menos
explicitação é necessária para trocar significados, por haver um partilhamento de vivências e
interações anteriores, de tal modo que nem todas as informações precisem ser expressas
verbalmente para que a compreensão se faça.” (GONÇALVES-SEGUNDO; RIBEIRO, 2016, p.
214-215)

Injunção: Os textos injuntivos têm por finalidade instruir o interlocutor, utilizando


verbos no imperativo para atingir seu intuito. Os gêneros que se apropriam da estrutura
injuntiva são: manual de instruções, receitas culinárias, bulas, regulamentos, editais etc.

Imperativo ou Formas modais


Encadeamento sequencial-temporal
Prescrição de comportamento
“[...] Não instale nem use o computador em locais muito quentes, frios, empoeirados, úmidos
ou que estejam sujeitos a vibrações. Não exponha o computador a choques, pancadas ou
vibrações, e evite que ele caia, para não prejudicar as peças internas [...]”. (Manual de
instruções de um computador).

Segredos da beleza indiana


Corpo macio e descansado
Banho relaxante
Na banheira
* 5 gotas de cada óleo essencial: camomila, erva-doce, lavanda, cedro e sálvia

* 1 colher (sopa) de óleo-base

Dilua as cinco gotas de cada óleo essencial no óleo-base. Preencha a banheira com água
quente e adicione a mistura de óleos. Permaneça em imersão durante 15 a 20 minutos. Se
desejar, pode acrescentar flores de ação medicinal (exemplos: camomila ou rosas).

No chuveiro:

* Óleo de gergelim (o suficiente para o corpo todo)

Após o banho, feche o chuveiro e, com a pele úmida, realize uma automassagem, com
movimentos circulares e ascendentes, por todo o corpo, usando o óleo de gergelim. Retire o
excesso com água e enxugue-se suavemente.

Descrição: Os textos descritivos têm por objetivo descrever objetivamente ou


subjetivamente coisas, pessoas ou situações. Os gêneros que se apropriam da estrutura
descritiva são: laudo, relatório, ata, guia de viagem etc. Também podem ser encontrados em
textos literários através da descrição subjetiva:

Apresentação de propriedades, de características, de componentes


Realização de analogias (comparação e metáfora)
Presença de conectivos e articuladores espaciais e situacionais
Predomínio de verbos no Presente e no Pretérito Imperfeito
Descrição perceptual (sinestésica) x Descrição epistêmica (conhecimento)
“[...] Ela era gorda, baixa, sardenta e de cabelos excessivamente crespos, meio arruivados.
Tinha um busto enorme, enquanto nós todas ainda éramos achatadas. Como se não bastasse
enchia os dois bolsos da blusa, por cima do busto, com balas. Mas possuía o que qualquer
criança devoradora de histórias gostaria de ter: um pai dono de livraria. [...]”. (Fragmento do
conto Felicidade clandestina, de Clarice Lispector).

“[...] É na parte alta que fica o colorido  Pelourinho, bairro histórico e tombado pela Unesco
como Patrimônio da Humanidade. Em suas ruas e vielas estão centenas de casarões dos
séculos  17 e 18 que abrigam de museus a terreiros de candomblé, além de templos católicos
que atraem estudiosos do mundo todo – é o caso da igreja de São Francisco, considerada a
obra barroca mais rica do país [...]”. (Descrição objetiva de um guia de viagem).

Dialogal Você já leu ou assistiu a uma entrevista, certo? Pois então, a entrevista é um
gênero pertencente ao tipo textual dialogal, pois dois ou mais interlocutores (participantes do
evento de comunicação) discutem algum assunto.

A estrutura de um diálogo é relativamente simples: o interlocutor 1 interage verbalmente e,


em seguida, o interlocutor 2 também interage. A interação do interlocutor 2 pode ser
espontânea ou induzida. Na interação espontânea, o interlocutor concorda, complementa ou
discorda em relação ao que é dito pelo interlocutor 1. Na interação induzida, o interlocutor 2
responde a uma pergunta realizada pelo interlocutor 1.

Nós realizamos diálogos constantemente em nosso dia a dia. A maioria deles é espontânea e
informal. Os diálogos induzidos, por sua vez, são mais comuns em entrevistas (de emprego,
jornalística etc.) e têm caráter mais formal.

Língua Portuguesa Texto I


Leia o texto I para responder às questões Variações em torno da paixão
de 1 a 11. "De paixão vivemos muito.
De paixão morremos sempre."
Paixão é a alucinação amorosa. E corta, joga fora, não só o nariz, mas
os apaixonados são de duas espécies: os qualquer outra coisa, porque, nesse caso,
generosos, que se dão inteiramente, se qualquer palavra ou sugestão é ordem.
jogando estabanadamente nas mãos do
A paixão é boa?
outro, e os possessivos, que querem que o
outro se incorpore a eles convertidos em A paixão é ruim?
sombra viva. Mas talvez haja um terceiro
tipo: o dos que não se apaixonam, mas Ninguém sabe. Ela acontece. Como
despertam paixões. Na impossibilidade ou certas tempestades, ela acontece. Assim
no medo de se apaixonar, posto que paixão como depois dos vendavais os elementos
é abismo, alimentam-se da paixão alheia, da natureza já não são os mesmos,
ou melhor, incentivam a paixão em torno ninguém será o que era depois do desvario
para preencher algo em si. da paixão. Vidas renascem com paixões.
Outras viram cinzas por causa dela. E há
Paixão, por isto, é arma de dois ou pessoas que são como aquela ave mítica —
três gumes. E corta. E sangra. Se não a Fênix, vivem renascendo das cinzas da
sangrou, se não teve insônia, se não paixão.
desesperou, se não ficou com a alma
dependurada num fio de telefone, se não Marx, portanto, errou
ficou exposto na úmida espera, paixão não completamente. Não é a luta de classes
era. que move a história, é a paixão. Paixão é a
revolução a dois. Ela desafia o sistema.
Talvez fosse desejo, que o desejo é Diante dela a comunidade fica abalada. A
diferente. No desejo a gente quer o outro paixão é antissocial e egoísta, no que é
para possuí-lo apenas passageiramente. É diferente do amor maduro, longo e
como se fosse um apetite despertado por duradouro, que fecunda a vida dos
um fruto ou alguma comida saborosa que amantes e reforça os laços da comunidade.
saliva nossos sentidos. É como se fosse Com Romeu e Julieta, por exemplo, fez-se
possuir um objeto na vitrina. É um desejo a revolução a dois. Foi assim com Tristão e
de posse natural, estético, erótico, mas Isolda, com Genevieve e Lancelot. Não é de
sendo mais desejo que qualquer outra hoje.
coisa, isto vai passar.
Affonso Romano de Sant’anna
E passa.
QUESTÃO 1) Considerando os objetivos, a
Na paixão, não. linguagem e o conteúdo do texto I, é
Na paixão, a gente quer se fundir correto afirmar que
com o outro. Para sempre. De corpo e A) predomina o tipo textual injuntivo.
alma. Perde totalmente o centro de B) aparece o tipo textual dissertativo-
gravidade. Transfere a moradia de seu ser argumentativo.
para a casa do ser alheio. É como se C) predomina o tipo textual narrativo.
vestisse a pele do outro. E se o outro disser D) sobressai o tipo textual descritivo.
assim: “Vai ali buscar aquela estrela ou
mesmo a Lua” (como naquele lindo conto QUESTÃO 2) Na epígrafe do texto I,
de Murilo Rubião chamado Bárbara), se o A) a palavra “muito”, por ser um advérbio,
outro disser isto, a gente vai airosamente está empregada incorretamente.
buscar o que ele quer. B) a palavra “muito” não se apresenta com
E se o outro disser: “Não estou duplo sentido.
gostando de seu nariz”, a gente opera,
C) a palavra “muito” expressa ideias retirados. Assinale a alternativa em que a
ambíguas. palavra, segundo as regras do português-
D) a palavra “muito” faz referência à padrão, não deverá levar acento gráfico.
palavra “paixão”. A) egoista
B) feiura
QUESTÃO 3) Segundo o narrador do texto I, C) juízes
A) existem três espécies de apaixonados, D) sauva
sendo que a primeira é extremamente
egoísta, insegura e egocêntrica. QUESTÃO 6) Releia: “Na impossibilidade
B) há certamente três espécies de ou no medo de se apaixonar, posto que
apaixonados, mas apenas o terceiro tipo paixão é abismo, alimentam-se da paixão
consegue se envolver verdadeiramente alheia, ou melhor, incentivam a paixão em
com o parceiro. torno para preencher algo em si.” Na
C) existe uma espécie de apaixonados que oração acima, o conectivo destacado pode
se mostra descontente com a forma como ser substituído, sem comprometimento,
o ser amado se envolve nos por todos abaixo, exceto:
relacionamentos. D) há uma espécie de A) já que.
apaixonados desprovida de cuidados, B) uma vez que.
doando-se atabalhoadamente ao C) por conseguinte.
relacionamento. D) como.

QUESTÃO 4) Releia: QUESTÃO 7) Releia: “Paixão, por isto, é


“E os apaixonados são de duas espécies: arma de dois ou três gumes. E corta.”
os generosos, que se dão inteiramente, se O pronome demonstrativo acima
jogando estabanadamente nas mãos do A) foi usado de forma incorreta, pois, para
outro, e os possessivos, que querem que o fazer referência a ideias já mencionadas no
outro se incorpore a eles convertidos em texto, o correto é o uso do pronome ‘isso’.
sombra viva.” B) está empregado de forma correta, pois
O fragmento destacado no excerto acima. se deve usar, conforme a gramática, o
A) encontra-se em linguagem denotativa, pronome ‘isto’ para referência a ideias já
o que contribui para a construção de mencionadas no texto.
sentidos do texto. C) foi utilizado corretamente, já que no
B) está empregado em sentido figurado, contexto em que se encontra existe a clara
prejudicando a reflexão acerca do que é referência a algo que se encontra perto do
uma pessoa apaixonada. falante.
C) encontra-se em sentido conotativo, D) foi empregado independente de regras,
contribuindo para a construção da imagem pois nessa frase é indiferente o uso de
que se quer construir acerca dos ‘este’ ou ‘esse’ para a construção textual.
possessivos.
D) mostra-se coerente com a imagem que QUESTÃO 8) Assinale a opção em que a
se quer construir acerca do partícula se é classificada como pronome
comprometimento que o casal deve ter no apassivador.
relacionamento. A) “...os generosos, que se dão
QUESTÃO 5) As palavras abaixo inteiramente, se jogando...”
apresentam hiato e tiveram seus acentos
B) “...querem que o outro se incorpore a impessoalidade, sugerindo tratar-se de
eles convertidos em sombra viva.” pessoa sem prestígio social.
C) “E se o outro disser assim: ‘Vai ali QUESTÃO 11) Com relação ao texto II, é
buscar aquela estrela’...” correto afirmar que
D) “...posto que paixão é abismo, A) a forma verbal ‘era’ classifica-se como
alimentam-se da paixão alheia...” verbo transitivo direto.
B) o verbo ‘morar’, no contexto do poema,
QUESTÃO 9) Na frase “Marx, portanto, classifica-se como intransitivo.
errou completamente.”, o conectivo C) o verbo ‘morrer’, no contexto do
destacado estabelece relação de poema, é transitivo direto.
A) explicação. D) a forma verbal ‘atirou’, no contexto do
B) causa. poema, faz parte dos verbos de ligação.
C) conclusão.
D) oposição. QUESTÃO 12) No verso “Uma noite ele
chegou no bar Vinte de Novembro...”,
Texto II A) ocorre uma transgressão à norma-
padrão da língua portuguesa, pois o
correto é uma noite ele chegou ao bar
Vinte de Novembro.
B) aparece uma reprodução do modo de
falar típico de pessoas escolarizadas, como
é o caso do autor do poema.
C) constata-se uma variação, também
considerada correta, da norma-padrão,
empregada inclusive em textos formais.
D) verifica-se uma forma de falar exclusiva
de pessoas que moram em morros, as
quais não têm acesso a escolas de
qualidade.
QUESTÃO 10) Com relação ao texto II, não
é possível afirmar que QUESTÃO 13) Releia: “Depois se atirou na
A) a disposição física dos versos do poema, Lagoa Rodrigo de Freitas...” Assinale a
principalmente os verbos beber, cantar e opção em que a partícula se aparece com a
dançar, sugere, dentre outras coisas, a mesma função verificada no fragmento
degradação moral da personagem. acima.
B) o fato de morar num barracão sem A) João Gostoso e a lagoa se entreolharam
número instaura no texto a ideia de que o de forma inenarrável.
suicídio de João Gostoso é algo possível B) João Gostoso olhou se não havia
para qualquer ser humano. ninguém a observá-lo.
C) o registro linguístico desse poema, com C) A lagoa se envergonhou com a atitude
transgressão à norma-padrão, sugere a de João Gostoso.
condição social da personagem João. D) João Gostoso queixava-se muito da vida.
D) o fato de morar num barracão sem
número constrói no texto a ideia de QUESTÃO 14) A substituição de “bar Vinte
de Novembro” por “Feira de Artigos
Religiosos” ganharia a seguinte redação, de
acordo com a norma-padrão da língua QUESTÃO 17) A classificação para o sujeito
portuguesa: da frase “Nevou ontem à noite!” é
A) Uma noite ele chegou na Feira de A) simples.
Artigos Religiosos. B) inexistente.
B) Uma noite ele chegou a Feira de Artigos C) indeterminado.
Religiosos. D) oculto.
C) Uma noite ele chegou em uma Feira de
Artigos Religiosos. QUESTÃO 18) A oração “Ligue o rádio” está
D) Uma noite ele chegou à Feira de Artigos no imperativo, tendo como interlocutor a
Religiosos. terceira pessoa (você). Reescrevendo-a
para um interlocutor em segunda pessoa
QUESTÃO 15) A correta classificação para o do singular (tu) e em segunda pessoa do
sujeito da primeira oração do poema é plural (vós), as formas verbais corretas são
A) composto. A) liga e ligai.
B) indeterminado. B) ligai e ligueis.
C) desinencial.
D) simples.

Leia o texto III para responder às questões


de 16 a 18. Texto III
QUESTÃO 16) Acerca da tirinha pode-se
C) liga e ligues.
afirmar que
D) liguei e ligai.
A) a expectativa de Calvin quanto ao
cancelamento das aulas reforça a ideia de
Leia o texto IV para responder às questões
que ele é um menino que não aprecia
de 19 a 22
muito ir à escola.
Texto IV
B) a mãe de Calvin é uma pessoa
extremamente autoritária, a qual não
QUESTÃO 19) A palavra que melhor define
permite ao filho fantasiar, algo essencial
a postura da personagem do texto IV é
para a formação da personalidade.
A) intransigência.
C) o menino é bastante intransigente e
B) arrogância.
arrogante, o que obriga a sua mãe a ser
C) imediatismo.
uma pessoa direta nas ordens que lhe dá.
D) humildade.
D) a comparação feita por Calvin no último
quadrinho é improdutiva para a construção
de sentidos do texto.
QUESTÃO 20) Sintaticamente, a expressão A) unicamente por pessoas que têm
“meu querido Deus”, no contexto em que automóvel.
se encontra, classifica-se como B) por adolescentes menores de dezoito
A) objeto direto. anos.
B) aposto. C) apenas por pessoas que gostam de sair à
C) sujeito. noite.
D) vocativo. D) por qualquer pessoa que dirija carros.

QUESTÃO 21) O conectivo “mas”, no QUESTÃO 24) Como forma de despertar a


segundo quadrinho do texto IV, pode ser atenção do leitor, o enunciador do texto V
substituído, sem que haja prejuízo para o só não se utilizou de
sentido do texto, por todos abaixo, exceto: A) ambiguidade.
A) portanto. B) gíria.
B) porém. C) estrangeirismo.
C) no entanto. D) verbos no imperativo.
D) todavia.
QUESTÃO 25) Considerando os objetivos, a
QUESTÃO 22) Na oração “Quero tê-la linguagem e o conteúdo do texto V, pode-
agora”, a palavra la classifica-se se afirmar
sintaticamente como A) que predomina a tipologia injuntiva.
B) que as características narrativas são
predominantes.
C) que a argumentação está ausente nesse
texto.
D) que sobressai a tipologia descritiva.

A) objeto indireto.
B) objeto direto.
C) sujeito.
D) complemento nominal.

Leia o texto V para responder às questões


de 23 a 25.

QUESTÃO 23) Acerca do texto V, é correto


afirmar que o seu público-alvo é composto
Gênero Textual Notícia

A Notícia é um gênero textual jornalístico e não literário que está presente em nosso dia a dia,
sendo encontrada principalmente nos meios de comunicação.
Trata-se, portanto de um texto informativo sobre um tema atual ou algum acontecimento
real, veiculada pelos principais meios de comunicação: jornais, revistas, meios televisivos,
rádio, internet, dentre outros.
Por esse motivo, as notícias possuem teor informativo e podem ser textos descritivos e
narrativos ao mesmo tempo, apresentando, portanto, tempo, espaço e as personagens
envolvidas.

Características da Notícia
As principais caraterísticas do gênero textual notícia são:
 Texto de cunho informativo
 Textos descritivos e/ou narrativos
 Textos relativamente curtos
 Veiculado nos meios de comunicação
 Linguagem formal, clara e objetiva
 Textos com títulos (principal e auxiliar)
 Textos em terceira pessoa (impessoais)
 Discurso indireto
 Fatos reais, atuais e cotidianos

Estrutura e Exemplo de Notícia


Geralmente as notícias seguem uma estrutura básica classificada em:
Título Principal e Título Auxiliar
A notícia é formada por dois títulos, ou seja, um principal, também chamado de Manchete,
que sintetiza o tema que será abordado, e outro um pouco maior, o qual auxilia o
entendimento do título principal, ou seja, é um recorte do assunto que será explorado, por
exemplo:

Olimpíadas Rio 2016 (Título Principal)


Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016 (Título Auxiliar)
Lide
Na linguagem jornalística, a Lide corresponde à introdução da notícia, portanto, trata-se do
primeiro parágrafo que responderá as perguntas: O Que? Quem? Quando? Onde? Como?
Porque?
Trata-se de um parágrafo em que todas as informações que estarão contidas na notícia
deverão aparecer. É uma ferramenta muito importante, visto que desperta a atenção do leitor
para a leitura da notícia. Segue abaixo um exemplo:
O Rio de Janeiro, sede dos jogos Olímpicos e Paraolímpicos de
2016, vem se preparando para receber milhões de turistas no
maior evento esportivo do planeta. Os Jogos Olímpicos ocorrerão
entre os dias 05 e 21 de agosto e os Jogos Paraolímpicos, que
contempla os atletas com necessidades especiais, acontecerão
de 7 a 18 de setembro.

Corpo da Notícia
Nessa parte, será apresentada a notícia com descrições mais detalhadas. Segue abaixo um
exemplo:
Segundo a página oficial do “Rio 2016”, os Jogos Olímpicos
vão ocorrer durante 17 dias (05 e 21 de agosto) em quatro
regiões da Cidade Maravilhosa, que totalizam 32 locais de
competição: Copacabana, Barra, Maracanã e Deodoro. As
Modalidades Olímpicas incluem 42 esportes, onde participarão
10.500 atletas de 206 países. Duas novas modalidades foram
inclusas nos jogos Olímpicos de 2016: o Golfe e o Rugby.
Já os Jogos Paraolímpicos, destinados para atletas com
necessidades especiais, acontecerão durante 11 dias (7 a 18 de
setembro) nas mesmas regiões da cidade (Copacabana, Barra,
Maracanã e Deodoro), que no total contemplam 20 locais de
competição. São 23 modalidades esportivas, onde participarão
4.350 atletas de 178 países. A novidade é a inclusão de duas
novas modalidades: a Canoagem e o Triatlo.

1. (ENEM 2010)
MOSTRE QUE SUA MEMÓRIA É MELHOR DO QUE A DE COMPUTADOR E GUARDE ESTA
CONDIÇÃO: 12X SEM JUROS.
Revista Época.  N° 424, 03 jul. 2006.
Ao circularem socialmente, os textos realizam-se como práticas de linguagem, assumindo
funções específicas, formais e de conteúdo. Considerando o contexto em que circula o texto
publicitário, seu objetivo básico é
a) definir regras de comportamento social pautadas no combate ao consumismo exagerado.
b) influenciar o comportamento do leitor, por meio de apelos que visam à adesão ao consumo.
c) defender a importância do conhecimento de informática pela população de baixo poder
aquisitivo.
d) facilitar o uso de equipamentos de informática pelas classes sociais economicamente
desfavorecidas.

2.Partindo do pressuposto de que um texto estrutura-se a partir de características gerais de


um determinado gênero, identifique os gêneros descritos a seguir:
I. Tem como principal característica transmitir a opinião de pessoas de destaque sobre algum
assunto de interesse. Algumas revistas têm uma seção dedicada a esse gênero;
II. Caracteriza-se por apresentar um trabalho voltado para o estudo da linguagem, fazendo-o
de maneira particular, refletindo o momento, a vida dos homens através de figuras que
possibilitam a criação de imagens;
III. Gênero que apresenta uma narrativa informal ligada à vida cotidiana. Apresenta certa dose
de lirismo e sua principal característica é a brevidade;
IV. Linguagem linear e curta, envolve poucas personagens, que geralmente se movimentam
em torno de uma única ação, dada em um só espaço, eixo temático e conflito. Suas ações
encaminham-se diretamente para um desfecho;
V. Esse gênero é predominantemente utilizado em manuais de eletrodomésticos, jogos
eletrônicos, receitas, rótulos de produtos, entre outros.
São, respectivamente:
a) texto instrucional, crônica, carta, entrevista e carta argumentativa.
b) carta, bula de remédio, narração, prosa, crônica.
c) entrevista, poesia, crônica, conto, texto instrucional.
d) entrevista, poesia, conto, crônica, texto instrucional.

3.(ENEM 2010)
Câncer 21/06 a 21/07
O eclipse em seu signo vai desencadear mudanças na sua autoestima e no seu modo de agir. O
corpo indicará onde você falha – se anda engolindo sapos, a área gástrica se ressentirá. O que
ficou guardado virá à tona, pois este novo ciclo exige uma “desintoxicação”. Seja comedida em
suas ações, já que precisará de energia para se recompor. Há preocupação com a família, e a
comunicação entre os irmãos trava. Lembre-se: palavra preciosa é palavra dita na hora certa.
Isso ajuda também na vida amorosa, que será testada. Melhor conter as expectativas e ter
calma, avaliando as próprias carências de modo maduro. Sentirá vontade de olhar além das
questões materiais – sua confiança virá da intimidade com os assuntos da alma.
Revista Cláudia.  Nº 7, ano 48, jul. 2009.
O reconhecimento dos diferentes gêneros textuais, seu contexto de uso, sua função específica,
seu objetivo comunicativo e seu formato mais comum relacionam-se com os conhecimentos
construídos socioculturalmente. A análise dos elementos constitutivos desse texto demonstra
que sua função é:
a) vender um produto anunciado.
b) informar sobre astronomia.
c) ensinar os cuidados com a saúde.
d) aconselhar sobre amor, família, saúde, trabalho.
4. Leia o texto a seguir para responder à questão:
A outra noite
Outro dia fui a São Paulo e resolvi voltar à noite, uma noite de vento sul e chuva, tanto lá como
aqui. Quando vinha para casa de táxi, encontrei um amigo e o trouxe até Copacabana; e contei
a ele que lá em cima, além das nuvens, estava um luar lindo, de lua cheia; e que as nuvens
feias que cobriam a cidade eram, vistas de cima, enluaradas, colchões de sonho, alvas, uma
paisagem irreal.
Depois que o meu amigo desceu do carro, o chofer aproveitou o sinal fechado para voltar-se
para mim:
- O senhor vai desculpar, eu estava aqui a ouvir sua conversa. Mas, tem mesmo luar lá em
cima?
Confirmei: sim, acima da nossa noite preta e enlamaçada e torpe havia uma outra – pura,
perfeita e linda.
- Mas, que coisa...
Ele chegou a pôr a cabeça fora do carro para olhar o céu fechado de chuva. Depois continuou
guiando mais lentamente. Não sei se sonhava em ser aviador ou pensava em outra coisa.
- Ora, sim senhor...
E, quando saltei e paguei a corrida, ele me disse um “boa noite” e um “muito obrigado ao
senhor” tão sinceros, tão veementes, como se eu lhe tivesse feito um presente de rei.
Rubem Braga
Analisando as principais características do texto lido, podemos dizer que seu gênero
predominante é:
a) Conto.
b) Poesia.
c) Prosa.
d) Crônica.

Você também pode gostar