Você está na página 1de 3

Nome:

Ensino Fundamental Turma: A e B Data: 24 / 03 / 2020

LIV Paulla Passos Ficha de Atividade

AULA ON LINE - LIV


Olá Turma, tudo jóia?

Dando seguimento a “normalidade” do nosso ritmo de aulas, vamos


começar nossas atividades? Espero que seja um tempo produtivo, de muita
troca, compartilhamentos de opiniões e aprendizado.

Encontro-me a disposição no meu perfil do Instagram


@professorapaullapassos (caso vocês queiram me marcar em algo
interessante ou enviar fotos das atividades propostas), pelo e-mail
professorapaullapassos@hotmail.com (para algum compartilhamento de
anexo/contribuições) e muito em breve informo-lhes sobre os novos meios de
comunicações que teremos até o retorno as aulas. Então vamos lá...

Para começar, gostaria que vocês tivessem um tempinho (em família),


para juntos assistirem o filme DIVERTIDA MENTE (Inside out). Trata-se de uma
animação de 2015 produzida pela PIXAR e lançado pela Walt Disney Pictures.
Este filme foi dirigido e coescrito por Peter Docter, o premiado diretor de UP,
Mostro S.A., Toy Story 1 e 2. A história é ambientada na mente de Riley e
demostra o quanto mente e cérebro estão interligados, funcionando de maneira
magistralmente orquestrada e sincrônica durante a vida, uma verdadeira lição
de inteligência emocional para crianças e adultos (e tem TUDO a ver com o
LIV). Cinco personagens disputam o painel de controle da cabecinha da garota.
A ALEGRIA, cujo objetivo é fazer com que Riley esteja se sentindo sempre feliz.
A personagem como o próprio nome já diz, é alegre, otimista e sempre vê o lado
positivo de qualquer situação. Por outro lado, nós temos a TRISTEZA, uma
personagem inapetente e pessimista. A RAIVA, é um personagem masculino
que assume o controle da mente de Riley quando as coisas não saem conforme
o planejado, ele é impulsivo, não tem paciência e explode constantemente. O
MEDO sempre pensa nas consequências dos atos da garota, ele tem um papel
importante que é o de proteger a menina por que é através do medo, que nós
evitamos nos colocar em situações de perigo. Então o medo está sempre atento
para assumir o controle caso a garota venha entrar em alguma situação de risco.
Por último, nós temos a personagem NOJINHO, uma personagem evitativa. Que
impede que Riley se exponha a situações vexatórias. Bom, já foi spoiler demais,
né?

1
Agora, eu preciso que vocês assistam esta animação para refletirmos em
seguida. Mesmo que você já tenha visto, favor revê-lo, este é um daqueles
poucos filmes que sempre que assistirmos extrairemos lições diferentes,
igual à quando lemos O Pequeno Príncipe de Sant-Exupéry (a propósito, é um
excelente livro pra quem ainda não leu).

Vamos ter várias experiências para compartilharmos. O filme está


disponível na Netflix ou no Youtube.

BOM, APÓS ASSISTIR AO FILME, RESPONDA EM UMA FOLHA (ESTA


FOLHA SERÁ ENTREGUE AO RETORNARMOS AS AULAS), OS TRÊS
QUESTIONAMENTOS ABAIXO:

01. Entende-se que as emoções têm funções estruturantes na nossa


consciência e da nossa personalidade. Quando lidamos bem com elas
podemos caminhar rumo a ampliação da nossa consciência. Mas,
quando a reprimimos ou agimos de maneira rígida e unilateral, nosso
desenvolvimento se represa e podemos desenvolver os mais variados
sintomas. Por isso, precisamos cuidar muito bem das nossas
emoções, compreendendo a importância de cada uma delas.

Em tempos de incertezas, dúvidas, algo relativamente novo (nunca


vivenciado em nossos dias), como você lida com o que estamos vivendo?
Como estão suas emoções diante do cenário pandêmico atual?

02. No filme nós vimos que as memórias se mostram carregadas de


intensa carga afetiva. Sabemos que essas memórias são
armazenadas principalmente no hipocampo – memórias-base –
formadas em momentos de muita importância. Essa carga afetiva mais
intensa pode moldar nossa personalidade em diferentes momentos de
nossas vidas.

Qual é a recordação mais antiga que não saiu de sua mente até os dias de
hoje?

2
03. A formação das ilhas representa os complexos estruturais. Na infância
da Riley temos a Ilha da bobeira, da amizade, da honestidade, do
esporte, da família. Como é narrado, “Fazem da Riley a Riley”.
Observamos que a infância de Riley é estruturante, à medida que não
identificamos traumas consideráveis, os pais aparentemente são
ajustados e tem comportamentos adequados: ela possui amizades
sólidas e atividades de lazer. É confiante e sua autoestima é elevada.
Contudo, aos 11 anos de idade, duas mudanças irão se processar na
biografia de Riley, trazendo impacto considerável para sua existência:
uma mudança externa – de casa, de cidade, de escola, de amigos,
etc., e outra mudança interna – saída da infância e entrada na
adolescência.

Você se recorda de alguma (s) mudança (s) muito abrupta (s) que você
tenha passado (seja externa ou internamente)? Qual seria?

Beijo grande e até mais!