Você está na página 1de 16

® MOTORES

Guia de Gestão de Motores


O Motor desempenha uma função mais do que essencial na operacionalidade
de todos as máquinas. Para conseguir a permanente obtenção da máxima
produtividade e mínimos custos horários, de propriedade e operação,
é indispensável conhecer os dois tipos de desgaste que incidem nos motores.
O desgaste normal, inevitável e sempre previsível. E o desgaste anormal;
provável resultado de práticas erróneas de manutenção e operação, capaz de
afectar negativamente tanto a produtividade como os custos horários.
O presente Guia deGestão de Motores habilita quem o consultar atentamente a
prever ambos os tipos de desgaste e a planear antecipadamente as acções que
evitem, ou corrijam, o desgaste anormal. Foi idealizado para colaborar com os
nossos Clientes, e seus Operadores, nas tarefas de manutenção dos Motores,
mediante :
• antecipado estabelecimento das técnicas de manutenção.
• explicação da importância das Análises S·O·SSM aos óleos lubrificantes.
• informação sobre inspecções rotineiras e / ou pormenorizadas, às máquinas.
• escolha mais adequada entre as diversas opções de reparação, disponíveis.
• pormenorização da formação do Pessoal, planeamento metódico e registo
de intervenções de assistência.
Este Guia de Gestão de Motores vai por certo contribuir para manter o Custo
Horário de qualquer motor ao nível mais aceitável, pondo em relevo a forma
como a S.T.E.T. colabora estreitamente com os seus Clientes no sentido de lhes
facilitar uma manutenção eficiente – permitindo-lhes tirar o máximo rendimento e
maior duração dos seus equipamentos.
Índice
Introdução
Gestão e manutenção do Motor 3
Economizar com os Contratos de Serviço 3

Os 7 Elementos da Manutenção dos Motores


Inclusão desses elementos no programa de gestão assistencial 4

Manutenção preventiva
Limpeza, refrigeração e lubrificação eficiente, de todas as peças, pelo óleo 5
Contaminações efectivamente controladas pelos filtros de óleo 6
Redução das probabilidades de avaria no sistema de refrigeração 6

Análises Programadas de Óleos


Compreendendo as Análises S·O·S 7

Inspecções
Localização de potenciais problemas 8
Cumprimento de um Programa de Inspecções 9
Reconhecimento dos indicadores da necessidade de reparação 10

Gestão das Reparações


Controlo dos custos e das imobilizações graças às opções de reparação 12
Reparar antes da avaria, para economizar tempo e custos 13
Controlo dos custos de reparação graças à gestão electrónica dos Motores 14

Formação do Pessoal, Planeamento Metódico e Registo de Intervenções


Diminuição de custos mediante eficiência na formação, planeamento e registos 15
MOTORES

Introdução
Gestão e Manutenção do Motor
Os Motores Caterpillar são planeados e fabricados
para obtenção de desempenhos e durações inigualáveis
factos que, em última análise, se traduzem em elevada
produtividade das máquinas e mínimos custos de
propriedade e operação. A incorrecção das práticas de
operação e / ou manutenção tem efeitos negativos
sérios sobre a duração dos motores, a produtividade
das máquinas que accionam e, por fim, nos lucros que
elas deveriam obter.
O presente Guia de Gestão de Motores é um auxiliar
valioso, uma vez que explicita os 7 elementos para
obtenção da máxima eficácia na gestão e manutenção
dos Motores, a saber : manutenção preventiva, análises
S·O·S, inspecções periódicas, gestão das reparações,
formação do Pessoal, planeamento metódico e registo
das intervenções assistenciais.
Este Guia de Gestão de Motores fornece numerosos
tópicos e ideias partilháveis entre todo o Pessoal
interveniente. Não se trata de um Manual Técnico,
nem de um substituto para o aconselhamento pelos
Inspectores de Peças e Serviço, da S.T.E.T.. Para uma
informação mais específica sobre as necessidades de
manutenção, no domínio de que estamos tratando,
convém consultar o Guia de Lubrificação e
Manutenção, com a refª SEBU 6250.

Economizar com os Contratos de


Serviço
Outra das modalidades pelas quais a S.T.E.T. colabora
na manutenção dos Motores, – ou até de frotas
completas de equipamento Caterpillar® materializa-se
nos – Contratos de Serviço. Os denominados CS’s são
acordos flexíveis que permitem aos Clientes concen-
trarem-se exclusivamente na sua actividade básica,
desenvolvendo-a ao máximo, e deixando à S.T.E.T.
o encargo de proceder à manutenção dos equipa-
mentos, mercê de uma gama completa de serviços
assistenciais, eficazes e abrangentes.
Desta forma, a S.T.E.T. está habilitada a trabalhar em
estreito contacto com os Clientes para planear CS’s
especificamente adaptados a cada caso; em seguida
indicam-se algumas das opções mais comuns desta
modalidade assistencial :
• Contrato de Manutenção Preventiva (PM),
abrangendo serviços a prestar a cada 250 horas,
segundo as recomendações da Fábrica.
• Contrato de Serviço Total (CST), provendo toda a
Manutenção e Reparações a preços garantidos e pré
estabelecidos, válidos por um determinado período
de tempo.

3
Os 7 Elementos da Manutenção dos Motores
Inclusão desses elementos no programa de gestão assistencial

Manutenção Preventiva Esta modalidade de Manutenção engloba aquelas


técnicas destinadas a impedir que problemas de
rotina possam evoluir até se transformarem em
situações graves, solucionáveis apenas com
reparações complexas e dispendiosas. (Consultar
sempre o Manual de Operação e Manutenção para
conhecer os intervalos de manutenção recomendados).

Análises S•O•S de Óleos As Análises S·O·S são a melhor forma de conhecer e


controlar o que se passa no interior dos motores.
Constam de testes que permitem predizer a ocor-
rência de eventuais problemas relacionados com
desgastes internos.

Inspecções Designamos assim a modalidade de Manutenção que


combina as vistorias de rotina, a cargo do Operador
da máquina, com as análises técnicas periódicas,
efectuadas pela S.T.E.T.. Permite identificar
problemas ou avarias, potenciais e ainda em fase
embrionária, possibilitando planear a tempo a sua
resolução.

Gestão das Reparações Esta modalidade de Manutenção permite seleccionar


a mais adequada alternativa de reparação, antes ou
depois da avaria, por forma a controlar todos os
custos envolvidos. Possibilita o atempado
planeamento das intervenções oficinais, repondo as
máquinas em operação com rapidez e fiabilidade
máximas.

Formação do Pessoal Também neste domínio a S.T.E.T. colabora


eficazmente, por forma a melhorar o desempenho do
Pessoal dos Clientes. Desta forma eliminam-se as
oportunidades de avaria provocada por ignorância ou
descuido nas práticas de manutenção, reduzindo ao
mínimo o custo horário dos equipamentos.

Planeamento Metódico É a garantia formal de que a manutenção, as


inspecções e as reparações programadas, são com
efeito levadas a cabo atempadamente. Previne a
ocorrência de falhas motivadas por negligência.

Registo das Intervenções Este tipo de registos inclui documentação sobre o


historial completo dos motores, duração dos
componentes e contabilização de encargos. Contribui
para identificar excessos de custos, situações
problemáticas, incidentes no decorrer da operação,
controlo de encargos, etc, e ainda para aumentar o
valor de revenda do motor.

4
MOTORES

Manutenção Preventiva
A manutenção preventiva, levada a Limpeza, refrigeração e lubrificação eficientes, de todas as peças,
cabo com regularidade, é o processo pelo óleo
mais económico de conservar os
Motores operacionais ao mais alto Nos motores, o óleo desempenha 3 funções factores – incluindo as condições de operação.
principais : limpeza, refrigeração e lubrificação das As possibilidades de controlo proporcionadas pelas
índice, e ao mais baixo custo possível, peças e componentes. Análises S·O·S, em conjunto com análise do estado
visto que : • Limpa, removendo as partículas metálicas e do óleo, permitem estabelecer os intervalos exactos
• permite, antecipadamente, planear a depósitos acumulados. de mudança, requeridos por cada específico motor
e/ou condições de operação.
imobilização do motor, e o custo das • Refrigera, absorvendo e retirando os excessos de
temperatura. Ao monitorizar os intervalos de mudança está-se
respectivas reparações ou implicitamente a tirar o máximo partido das proprie-
intervenções de manutenção. • Lubrifica, mantendo uma fina camada que
dades lubrificantes e protectoras dos óleos e a
preenche as folgas entre peças, suavizando o
• consente prevenir a ocorrência de conseguir a máxima duração de todos os compo-
contacto mútuo.
nentes lubrificados. As mudanças a intervalos curtos
avarias de componentes ou de peças Para assegurar que o óleo desempenha correctamente significam um prejuízo financeiro, uma vez que se
isoladas. estas três funções, é indispensável seleccionar o tipo desperdiça parte da vida útil do lubrificante. Por
exacto, e mudá-lo de forma correcta e a intervalos outro lado, a mudança retardada provoca deterio-
• economiza toda a espécie de custos, regulares. ração dos óleos com prejuízo da duração dos
uma vez que é possível reparar antes
componentes.
da avaria. Mudança regular de óleo
Quando qualquer lubrificante é obrigado a operar Mudar o óleo com regularidade
• eleva ao máximo o índice de
para além dos períodos de mudança, recomendados,
reutilização de peças isoladas. É também essencial o cuidado com que a mudança é
gera contaminantes, perde características e incrusta- feita. Os riscos de contaminação podem minimizar-se
• optimiza a duração geral dos motores se na superfície dos rolamentos e outras peças mercê de :
e conserva as máquinas opera- móveis, provocando desgastes vários.
• drenagem do óleo quando está ainda quente e
Para evitar contaminação recomendamos que o óleo
cionais durante mais tempo útil. agitado.
seja mudado a cada 250 e /ou 500 horas.
• aumenta o valor de revenda do motor • drenagem do óleo usado, tão completa quanto
(Consultar o respectivo Manual, para informação possível.
e / ou da máquina que ele acciona. mais específica sobre o motor em causa). Trata-se
• reenchimento com óleo novo, por meio de um
aqui apenas de uma informação genérica, dado que
dispositivo de transferência, filtrante.
a duração de um lubrificante é ditada por inúmeros
Usar o tipo correcto de óleo
Só os óleos de alta qualidade conferem aos
sofisticados motores actuais, de baixas emissões e
alto rendimento, o grau de protecção que lhes é
indispensável. O uso de lubrificantes inadequados
significa que as peças vitais do motor não recebem a
protecção necessária, ou seja, ficam expostas a
desgastes evitáveis. Em ordem a eliminar toda esta
problemática, a Caterpillar desenvolveu, ensaiou e
actualmente aprova os óleos exactamente indicados
para lubrificação dos seus Motores.
O emprego dos Óleos Caterpillar é a forma mais
segura de garantir o máximo desempenho dos
motores. Na S.T.E.T. estamos perfeitamente
habilitados a recomendar os óleos mais apropriados
para qualquer Motor Cat® mas, em alternativa, pode
consultar-se a Publicação SEBU 6250.
Os filtros de ar de admissão, de óleo e de gasóleo
estão concebidos para manter sob controlo a
contaminação no interior dos motores. Seleccionando
os filtros exactamente indicados e mudando-os com
regularidade e cuidado, conservam-se os motores
internamente limpos, reduz-se o desgaste dos
componentes e baixam-se os respectivos custos.

5
Manutenção Preventiva
Contaminações efectivamente controladas pelos filtros

Os filtros de ar de admissão, de óleo e de gasóleo Mudar filtros com cuidado Os Filtros Cat de Ultra Alta Eficiência estão
estão concebidos para manter sob controlo a concebidos para ambientes operacionais contendo
Os filtros usados contêm elementos contaminantes;
contaminação no interior dos motores. Seleccionando elevadíssimas percentagens de poeiras finas, fuligens,
devem pois ser desmontados com todo o cuidado, na
os filtros exactamente indicados e mudando-os com ou ambas, circunstâncias nas quais conseguem durar
ocasião da mudança, evitando-se que tais elementos
regularidade e cuidado, conservam-se os motores 2 a 4 vezes mais que os filtros comuns, nas mesmas
indesejáveis tenham novo acesso ao motor. Como
internamente limpos reduz-se o desgaste dos condições.
precaução adicional convém conservar os filtros
componentes e baixam-se os respectivos custos. Filtros de Óleo – Os filtros de alta qualidade devem
novos ao abrigo da respectiva embalagem, até ao
momento de serem utilizados, única forma de os operar em uníssono com os fluídos que filtram,
Mudar filtros com regularidade manter isentos de contaminantes. É também de conferindo os mais elevados índices de desconta-
Os filtros de ar devem ser mudados pelo menos uma primordial importância evitar a prática desastrosa minação, desempenho e protecção. Os filtros Cat,
vez em cada ano, embora certas aplicações dos de encher previamente com gasóleo os filtros novos, de óleos, são fabricados segundo os mais exigentes
motores / máquinas exijam intervalos de mudança de combustível, antes de os montar. padrões de qualidade, provendo o mais elevado
mais frequentes. O dispositivo denominado Indicador desempenho, ao mais baixo custo.
de Estado do Filtro de Ar é um auxiliar precioso na Escolha dos filtros exactos Filtros de Combustível – Estes filtros evitam
determinação rigorosa do intervalo de mudança. desgastes no sistema de injecção, causados pelas
Filtros de Ar de Admissão – Uma filtração deficiente
A facilidade de leitura deste dispositivo indica o grau impurezas contidas no gasóleo. Os Filtros Cat de Alta
pode reduzir a potência debitada, fazer baixar o
progressivo de colmatagem do filtro, em virtude da Eficiência, para gasóleo, são compostos por materiais
rendimento e, em última análise, provocar desgastes
acumulação de poeiras ou fuligens. Um simples capazes de reter mesmo as partículas mais finas.
e avarias no motor. A maioria dos filtros Cat, de ar,
golpe de vista permite avaliar quanta vida útil do A sua utilização é essencial para maximizar a
caracterizam-se por um conceito de vedante radial,
filtro foi já utilizada, e quanta ainda lhe sobra até à duração das unidades injectoras e evitar problemas
impeditivo do acesso de poeiras, fuligens, areias e
mudança. nos arranques, motivados pelo desgaste prematuro
outros contaminantes, aos motores. Além do que o
Os filtros de óleo e de combustível devem mudar- elemento de mudança rápida possibilita uma dos injectores.
se a cada 250 horas. intervenção expedita, recolocando o motor / máquina
de novo em operação no mais curto espaço de tempo.

Redução das probabilidades de avaria no Sistema de Refrigeração

O sistema de refrigeração encarrega-se de conservar oxidação) ou leituras baixas nos termómetros e


a temperatura ideal do motor, rejeitando os excessos instrumentos electrónicos.
indesejáveis de calor, gerados pela combustão e o Para evitar qualquer destas situações é mandatório
atrito. Mais de 40 % das avarias dos motores são proceder correctamente ao início da operação – isto
motivadas, ou agravadas, por deficiências no sistema é, nunca iniciar a operação activa sem que antes o
de refrigeração; de onde se deduz que a sua adequada motor tenha atingido a temperatura ideal de
manutenção, e a escolha correcta do líquido de funcionamento.
arrefecimento, podem diminuir sensivelmente o Outras precauções adicionais incluem a limpeza de
número e a gravidade dos problemas dos motores. sujidades acumuladas nos ninhos do radiador ou da
ventoinha, verificação do estado de conservação do
Manutenção cuidada do Sistema de vedante de borracha da tampa do radiador e uma
Refrigeração inspecção diária à bomba de água, detectando fugas
Tanto o sobre como o sub aquecimento são circuns- de líquido de arrefecimento ou de óleo.
tâncias que favorecem desgastes excessivos e avarias
no motor, de forma que é importante reconhecer os Escolha do Líquido de Arrefecimento
avisadores de cada uma destas situações, e reagir-lhes correcto
com prontidão. O Líquido de Arrefecimento Cat de Longa Duração
Os sinais indicativos de que um motor está sujeito a previne a ocorrências das situações de sobre ou sub
sobreaquecimento podem residir nos resultados das aquecimento, e outros problemas no sistema, e dura
Análises S·O·S (evidenciando desgastes metálicos até 2 vezes mais que os líquidos comuns de
exagerados, com oxidação) e nas leituras dos arrefecimento de motores. Elimina ainda a obriga-
termómetros ou dos talões dos instrumentos electró- toriedade de junção de aditivos suplementares, tendo
nicos de diagnóstico. A sinalização relativa a sub como resultado economias de até 45 % no custo
aquecimento pode inferir-se da falta de calor na desta variante da manutenção.
cabina, do resultado das Análises S·O·S (eviden-
ciando desgastes metálicos exagerados, sem

6
MOTORES

Análises Programadas de Óleos


Compreendendo as Análises S·O·S

As Análises S·O·S são o método mais lógico,


actualmente disponível, para avaliar o estado de
conservação do óleo dos motores Cat. Contribuindo
para manter sob controlo qualquer motor Diesel,
e possibilitando a predição de problemas derivados
dos desgastes, evitam a ocorrência de reparações
desnecessárias e imobilizações extemporâneas.
Cada teste S·O·S provê os tipos de análises que
descrevemos a seguir.
• O teste ao estado de conservação emprega a
tecnologia de infravermelhos para comparar as
propriedades lubrificantes do óleo em uso com as
do mesmo óleo, em estado virgem. Esta técnica
serve para assegurar que as propriedades
lubrificantes se mantêm inalteradas durante todo
o período de utilização do óleo.
• A análise de metais detecta, identifica e quantifica
aqueles cujos elementos de desgaste estão
presentes no óleo usado.
• Os ensaios físicos orientam-se para a contaminação
por fluídos tais como água, combustível e anti-
congelante os quais, quando não detectados a
tempo, podem originar avarias sérias e súbitas.
Ao passo que outros tipos de análise se concentram
exclusivamente no estado do óleo, as do programa
S·O·S dão também adequada ênfase aos componentes
mecânicos. Uma vez que nós, na S.T.E.T.,
compreendemos perfeitamente os motores Cat,
estamos na posição ideal para interpretar com o
maior rigor estas Análises e indicar a melhor resposta
aos seus resultados.

7
Inspecções
Localização de Potenciais Problemas

Um programa bem gizado harmoniza as vistorias


básicas diárias, a cargo do Operador, com as inspecções
periódicas e pormenorizadas, possíveis de contratar
com a S.T.E.T.. Torna-se deste modo possível :
• localizar problemas potenciais antes que redundem
em reparações sérias e dispendiosas.
• planear antecipadamente a manutenção e / ou as
reparações.
• planear e controlar os custos operacionais e os
períodos de imobilização do motor.

Inspecções Periódicas Regulares


A vistoria diária deve obrigatoriamente incluir uma
inspecção geral completa, visual e funcional, a todo
o motor e à mais próxima instalação. Os motores Cat
possuem a relevante propriedade de anunciar, com
antecedência, a eventualidade de ocorrência de proble-
mas, emitindo típicos sinais de aviso, tais como excesso
de fumos de escape, perda de potência, dificuldades
no arranque, sobreaquecimento, etc. É da maior im-
portância que todo o Pessoal reconheça e compreenda
estes sinais indicativos da necessidade de reparação.
Com estas inspecções a S.T.E.T. colabora :
• fornecendo listas personalizadas de verificação de
máquinas.
• treinando os Operadores na técnica de vistorias
rotineiras diárias.
• ensinando os Operadores a reconhecerem os sinais
avisadores de necessidade de reparação (ver o
mapa nas págs. 10 - 11).

Utilize o Serviço de Inspecção,


da S.T.E.T.
A nossa oferta abrange diversos serviços de
diagnóstico e reparação, com a finalidade de
interpretar os sinais avisadores de avaria, e
destinados a possibilitar aos Clientes a tomada das
mais fundamentadas decisões de reparação.
• A Inspecção para Análise Técnica recorre a evoluí-
dos equipamentos de diagnóstico e proporciona um
exame em profundidade ao estado geral do motor.
• A Inspecção Avaliadora de Reparações exige um
exame rigoroso dos componentes internos,
e é levada a efeito quando os resultados da anterior
Análise Técnica sugerem a necessidade de uma
análise mais aprofundada. Trata-se de um procedi-
mento essencial para avaliar da mais correcta opção
de reparação.
• A Inspecção / Reparação de Componentes constitui
um passo crítico sempre que as inspecções
evidenciam que determinado componente requer
reparação ou substituição; é o que ocorre por
exemplo com a bomba de água, motor de arranque,
turbocompressor, etc. Muitas vezes é possível
remanufacturar o dito componente, repondo o
motor / máquina em operação efectiva, em menos
tempo e a menor custo.
8
MOTORES

Inspecções

Cumprimento de um Programa de Inspecções

As unidades do conta - serviços constituem um • Inspeccionar a rede do filtro de ar quanto a Inspecção trimestral ou cada 500 horas.
processo de eleição para estruturar esquemas poeiras e sujidades. • Efectuar todas as rotinas relativas às 10 – 50 e
de inspecções ou vistorias periódicas, que • Limpar o elemento primário do filtro de ar (nunca 250 horas.
possibilitem identificar problemas antes que mais que 6 vezes). Substituí-lo se estiver em uso • Mudar o óleo e respectivo filtro (só para os mo-
redundem em situações mais sérias. Convém por um ano ou mais. tores com intervalo de mudança às 500 horas).
todavia lembrar que estes esquemas, por muito • Substituir o elemento secundário do filtro de ar, ao • Limpar os respiradouros do cárter do motor.
elaborados que sejam, de maneira alguma realizar a 3ª manutenção do elemento primário.
• Colher amostras para análises S·O·S dos óleos
substituem as informações específicas contidas Nunca cair na tentação de o reutilizar.
dos sistemas hidráulico, de transmissão,
no Manual de Operação e Manutenção de cada transmissões finais e diferenciais.
modelo de motor ou máquina. Inspecção mensal ou cada 250 horas
• Efectuar todas as rotinas relativas às 10 e • Substituir o elemento primário do filtro de
Inspecção diária ou cada 10 horas 50 horas. combustível.
• Verificação dos níveis de óleos do motor, • Mudar o óleo e respectivo filtro (salvo se for de 500 • Após a substituição do elemento primário do
hidráulico e transmissão. Detectar fugas. horas o intervalo de serviço para esta mudança). filtro de gasóleo, substituir também o elemento
Refazer níveis, se necessário. secundário.
• Colher uma amostra de óleo para análise S·O·S.
• Verificação do nível do líquido de arrefecimento. • Colher uma amostra de líquido de arrefecimento Inspecção semestral ou cada 1.000 horas.
Ao abrir o radiador, inspeccionar o vedante da para análise S·O·S de Nível I. • Efectuar todas as rotinas relativas às 10 – 50 –
tampa; substituí-lo, ou à própria tampa, se
• Cortar verticalmente, pelo meio, o filtro de óleo, 250 e 500 horas.
necessário.
usado, inspeccionando o interior quanto à • Colher uma amostra de líquido de arrefeci-
• Verificação do estado de limpeza exterior dos presença física de partículas contaminantes. mento para análise S·O·S de Nível II.
ninhos do radiador.
• Verificar o nível de óleo nos diferenciais e
• Verificação do indicador de estado do filtro de ar. transmissões finais. Refazer, se necessário. Inspecção anual ou cada 2.000 horas.
• Inspeccionar em redor e por debaixo do motor, • Inspeccionar as correias de ventoinha, polias, • Efectuar todas as rotinas relativas às 10 – 50 –
procurando localizar parafusos desapertados ou radiador e tubagens, quanto a cortes, desgastes 250 – 500 e 1.000 horas.
em falta, acumulação de sujidades e fugas de ou fugas. • Substituir todos os anos o elemento primário
gasóleo, óleo ou líquido de arrefecimento. do filtro de ar.
• Reapertar todas as braçadeiras.
Detectar qualquer evidência de estragos ou
• Verificar o estado das baterias e limpar-lhes a • Reapertar as válvulas.
desgastes.
tampa e bornes. Reapertar as ligações dos cabos • Verificar o ponto de afinação do motor; os
Inspecção semanal ou cada 50 horas aos bornes e cobri-los com massa lubrificante de regimes alto e baixo; as pressões do
• Efectuar todas as rotinas relativas à inspecção silicone. turbocompressor e da válvula de segurança
das 10 horas do radiador; os caudais de ar de admissão e
pelo radiador; e finalmente os sistemas de
arranque e carga eléctrica.

Inspecção cada 3.000 horas.


• Efectuar todas as rotinas relativas às 10 – 50 –
250 – 500 – 1.000 e 2.000 horas.
• Drenar todo o sistema de refrigeração e lavá-
lo com um produto específico para o efeito (se
estiver a usar-se um anticongelante
convencional). Passar água simples e limpa
por todo o sistema. Deixar secar e reencher
com líquido de arrefecimento, virgem.
• Adicionar o extensor de vida útil (caso esteja a
usar-se o Líquido de Arrefecimento Cat de
Longa Duração).
• Substituir o termostato.
Inspecção cada 6.000 horas.
• Efectuar todas as rotinas relativas às 10 – 50 –
250 – 500 – 1.000 – 2.000 e 3.000 horas.
• Drenar e limpar todo o sistema de refrigeração,
com água simples e limpa (caso esteja a usar-se o
Líquido de Arrefecimento Cat de Longa Duração).

9
Inspecções
Reconhecimento dos indicadores da necessidade de reparação

Indicadores Causas Prováveis Opções

Resultados das Análises S·O·S ao óleo As Análises S·O·S são o melhor indicador isolado dos Diálogo Cliente / S.T.E.T.
desgastes internos do motor e das probabilidades de
avarias.
Resultados das Análises S·O·S ao líquido Neste caso as Análises S·O·S revelam se o líquido de Diálogo Cliente / S.T.E.T.
de arrefecimento arrefecimento está com efeito a proteger o motor
contra corrosão e erosão, e bem assim contra efeitos
extremos de aquecimento e / ou congelamento.
Guia das Revisões Gerais Este Guia ajuda a calcular a vida útil funcional, Diálogo Cliente / S.T.E.T.
(GRG) estimada, do motor, até à revisão geral (RG) e como
é possível aumentá-la por meio de alterações nos
factores que afectam a operação e a manutenção.
Conta - horas de serviço do motor As leituras do conta - horas são um indicador mais Análises S•O•S aos óleos
que seguro de quando certas intervenções Diálogo Cliente / S.T.E.T.
assistenciais devem efectuar-se.

Excesso de fumos de escape, a plena Elementos primário / secundário do filtro de ar, sujos Inspecção para Análise Técnica (IAT)
carga Operação a velocidades de caixa demasiado alta Diálogo Cliente / S.T.E.T.
(gasóleo quente, não queimado) Sobre alimentação em combustível
Sobrecarga imposta ao motor

Aumento do consumo de combustível Mau funcionamento das unidades injectoras / Inspecção para Análise Técnica (IAT)
injectores Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Mau funcionamento do turbocompressor Afinações
Filtro de ar, sujo
Desafinação do ponto do motor
Fuga de combustível

Consumo total de combustível O montante de combustível consumido pode indiciar Diálogo Cliente / S.T.E.T.
desgastes em várias peças / componentes.

Fumo de escape, azul Vedantes do turbocompressor, gastos Análises S·O·S aos fluídos
(consumo de óleo) Camisas / segmentos, gastos Inspecção / Reparação dos componentes
Guias das válvulas, gastas afectados
Excesso de horas de serviço Inspecção Avaliadora de Reparações (IAR)
Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Fumo de escape, branco Cabeça do motor / camisas, rachadas Inspecção para Análise Técnica
(vapor : presença de água nas câmaras Fugas pela junta da cabeça
de combustão)

Fumo de escape, branco Procedimento incorrecto de arranque Diálogo Cliente / S.T.E.T.


(no arranque : combustível não queimado) Desafinação da bomba injectora Afinações
Injectores defeituosos
Gasóleo de baixa qualidade

10
MOTORES

Inspecções

Indicadores Causas Prováveis Opções

Consumo excessivo de óleo Camisas / segmentos, gastos ou fendidos Análises S·O·S aos fluídos
(excesso de respiração pelo cárter) Vedantes do turbocompressor, gastos Inspecção / Reparação dos componentes
Guias das válvulas, gastas afectados
Excesso de horas de serviço Inspecção Avaliadora de Reparações (IAR)
Inspecção para Análise Técnica (IAT)
Diálogo Cliente / S.T.E.T.

Ruídos anormais Mau funcionamento das unidades injectoras / injectores Inspecção para Análise Técnica
Mau funcionamento do turbocompressor Inspecção Avaliadora de Reparações
Casquilhos das cavilhas das bielas, gastos Inspecção / Reparação dos componentes
Inspecção / Reparação dos componentes afectados afectados
Apoios da cambota / bronzes das bielas, gastos Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Folga excessiva das válvulas Afinações

Falta de potência Desafinação dos tirantes do regulador da aceleração Inspecção para Análise Técnica
Mau funcionamento das unidades injectoras / injectores Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Patinagem do turbocompressor Afinações
Desafinação do ponto do motor
Filtro de combustível, sujo
Filtro de ar, sujo
Gasóleo de baixa qualidade

Sobreaquecimento Mau funcionamento dos reguladores de temperatura Inspecção para Análise Técnica
Polias / correias de ventoinha, desafinadas Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Técnica incorrecta de operação Afinações
Radiador colmatado (interna e externamente)
Baixo nível de líquido de arrefecimento
Filtro de ar, sujo

Dificuldades no arranque Mau funcionamento das unidades injectoras / injectores Diálogo Cliente / S.T.E.T.
motor sem capacidade de resposta Procedimento incorrecto de arranque Afinações
Bomba injectora avariada
Patinagem do conversor de binário
Baixa velocidade de arranque
Gasóleo de baixa qualidade (pobre em índice de
cetanas ou contendo água de condensação)

Nível de óleo acima do máximo Fugas de líquido de arrefecimento / gasóleo para o cárter Análises S•O•S aos óleos
Reenchimento incorrecto do cárter Diálogo Cliente / S.T.E.T.

Partículas no filtro de óleo Fugas de líquido de arrefecimento / gasóleo para o cárter Análises S•O•S aos óleos
Intervalo de mudança do óleo, excedido Diálogo Cliente / S.T.E.T.
Rolamentos avariados
Uso de óleo não recomendado
Bocal de enchimento de óleo, sujo

11
Gestão das Reparações
Uso das Opções de Reparação para controlar os custos e as imobilizações do motor

A manutenção preventiva, as análises S·O·S e os


programas regulares de inspecções ajudam a
caracterizar os problemas nas suas fases mais
incipientes. Com um bom programa gestor da manu-
tenção dos Motores que inclua aqueles 3 elementos, é
perfeitamente viável decidir segundo a forma mais
oportuna e fundamentada – em termos de reparações,
optimizando o planeamento e reduzindo os custos.
A gestão das reparações contribui para controlo dos
custos, e da forçada imobilização dos motores em
função do tempo exigido por essas reparações,
habilitando o Cliente a escolher, no momento exacto,
a mais adequada opção de reparação. Para tirar o
melhor partido dos processos de gestão das repara-
ções é conveniente reagir com rapidez aos sinais
avisadores da necessidade de reparação – a fim de
intervir antes que a avaria se declare.

Resposta rápida aos avisadores de


reparação
Os Motores Cat são fabricados de forma a evitar a
ocorrência de avarias a todos os títulos dispendiosas.
Alguns componentes, todavia, estão sujeitos a
desgastes inevitáveis, mas os próprios Motores têm
a vantagem de indicar quando eles necessitam de
substituição. A resposta, em tempo útil, a estes
avisadores da necessidade de reparação (ver mapa
nas pgs. 10 e 11), permite ao Cliente escolher entre as
várias opções de reparação, e intervir efectivamente
antes que a avaria se declare e cause prejuízos
adicionais.

Guia de Revisões Gerais


A publicação denominada Guia de Revisões Gerais
pode contribuir para economias muito sensíveis nos
custos horários. Utilizada em conjunto com outros
processos de manutenção, o Guia de Revisões Gerais
ajuda a calcular a vida útil funcional, estimada, dos
motores, antes que seja necessário proceder à sua
revisão geral. E também :
• indica como se pode aumentar o tempo útil de
trabalho, antes da revisão geral, mediante
alterações nas práticas de operação e nos factores
de manutenção.
• aumenta as oportunidades favoráveis à efectivação
de reparações, antes da avaria.
• consente um mais rigoroso planeamento das
reparações, e respectiva orçamentação.
Na S.T.E.T. estamos gostosamente ao dispor dos
Clientes para fornecer todas as informações
complementares sobre o Guia de Revisões Gerais
que temos vindo a citar.

12
MOTORES

Gestão das Reparações


Reparar antes da avaria, para economizar tempo e dinheiro

Reparando antes da avaria consegue-se recolocar o


Motor em operação efectiva, em tempo mais curto e
a um custo de cerca de 1/5 da mesma reparação,
depois da avaria. em complemento, as opções de
reparação antes da avaria :
• ajudam a evitar danos graves e as falhas de peças /
componentes em relação com elas.
• permite o planeamento das reparações segundo as
conveniências do Cliente, minimizando o tempo de
imobilização forçada do Motor e as interrupções de
produção que daí possam advir.
• optimiza o processo de substituição de peças, uma
vez que é possível analisá-las uma a uma e
determinar a possibilidade e o valor da sua
reutilização.

Opções S.T.E.T. de Reparação Antes da Avaria


Revisão da zona da Cambota recomendável quando é
mínimo ou nulo o desgaste das camisas e segmentos,
e os bronzes estão gastos apenas em função do uso
normal. Leva-se habitualmente a cabo com o motor
montado na máquina, e consta da substituição dos
bronzes da cambota e bielas.

3 - 15 % do custo de um motor novo

Revisão da zona da Cabeça consiste no recondi-


cionamento do conjunto da cabeça, naqueles motores
em que este grupo de componentes se desgastou mais
rapidamente que as camisas, segmentos e bronzes.

12 - 25 % do custo de um motor novo

Revisão de Nível de Óleo aplicável a motores com


desgaste nas camisas e nos bronzes. Em muitos
modelos o trabalho pode realizar-se com o motor
montado na máquina.
Opções S.T.E.T. de Reparação Depois Reparação na zona superior do Bloco para motores
danificados por picado ou erosão das sedes das
30 - 50 % do custo de um motor novo da Avaria camisas. Leva-se a cabo quase sempre com o motor
Reparar antes da avaria é sempre a melhor maneira montado na máquina.
de minimizar os custos e os tempos de imobilização.
Reparações “ só ” à Cambota aplicável a motores
Todavia, no caso de um motor se avariar inesperada-
Revisão de Nível Geral aplicável a motores com com avaria causada por falha dos bronzes de apoio
mente, mesmo assim a S.T.E.T. está em posição de
numerosos desgastes e um número de horas já da cambota ou das bielas. Normalmente exige que o
contribuir para poupanças de custos e tempo. Para
próximo da 2ª revisão geral. Inclui a montagem de motor seja retirado da máquina.
economizar em custos utilizamos o Guia de
componentes reconstruídos ou do programa de trocas. Reparação da zona da Cambota aplicável aos
Reutilização de Peças, graças ao qual apenas se
substituem as que estiverem efectivamente motores com avaria motivada por falha de bronzes de
imprestáveis. É ainda viável recondicionar algumas apoio da cambota. Estão disponíveis blocos simples e
40 - 65 % do custo de um motor novo
peças ou aplicar as existentes no Programa de Com- cambotas, podendo reutilizar-se o veio de excên-
Montagem “ Como Está ” consente adiar a reparação ponentes Remanufacturados – portadores de uma tricos, êmbolos, bielas e outras peças em estado
e utilizar o motor como substituto de emergência ou Garantia semelhante à dos componentes Cat novos, aceitável. Exige que o motor seja retirado da
para troca comercial por um novo. mas a um custo muito mais atraente. As nossas máquina.
opções de reparação depois da avaria incluem :

13
Gestão das Reparações
Controlo dos custos de reparação graças à electrónica de gestão dos Motores

Os motores com gestão electrónica dispõem de Os referidos sensores enviam mensagens para o do que se pensa, o desempenho defeituoso das
desempenhos, potência, facilidades de serviço, ECM que, por seu turno, as analisa, interpreta e máquinas deriva de causas que nada têm a ver com
economia de combustível, controlo das emissões de regula o funcionamento do motor , por forma a falhas do sistema de processamento de dados com
escape, durabilidade e outras vantagens impossíveis optimizar a potência e o consumo. Em consequência que estão equipadas).
de conseguir na quase totalidade dos motores do que se obtém maior economia de gasóleo e uma • começar desde logo por uma inspecção preliminar,
controlados mecanicamente. Além disto permitem acrescida produtividade. procurando detectar sintomas óbvios de avaria ou
um superior controlo dos custos das reparações. danos, tais como peças inoperacionais, ligações
Técnico Electrónico (ET) desfeitas, cabos fracturados, etc.
Módulo Electrónico de Controlo (ECM) A electrónica presente nos motores contribui ainda • utilizar o Detector Electrónico para avaliar das
Este notável componente Caterpillar, por meio de um para evitar a ocorrência de avarias dispendiosas, condições de funcionamento antes de avaria.
conjunto de sensores, mantém sob controlo perma- alertando automaticamente o Operador para
• ler atentamente os códigos de diagnóstico; eles
nente as funções - chave do motor, incluindo : circunstâncias anormais de funcionamento.
permitem concentrar a atenção nas zonas que
• temperatura do combustível O Técnico Electrónico emprega-se para ler “ defeitos ”
exijam intervenções assistenciais, facilitando a
latentes, consentindo reparar antes da avaria e
• temperatura do óleo. manutenção e / ou as reparações.
recolocar o motor / máquina em serviço no mais
• pressão do óleo. Na S.T.E.T. encontra-se disponível para os Clientes
curto tempo possível.
• pressão atmosférica. uma apreciável variedade de serviços e de
A gestão adequada dos motores inclui o diagnóstico
• temperatura do líquido de refrigeração. aconselhamento especializado que lhes permitem
atempado de problemas potenciais. No tocante a
tirar o máximo partido das potencialidades dos
• pressão activadora da injecção de combustível. problemas que afectem a própria electrónica,
Motores Caterpillar e seus componentes electrónicos.
é importante :
• eliminar antes de mais todos os problemas de
natureza não electrónica (com maior frequência

14
MOTORES

Formação, Planeamento Metódico e Registos


Baixar custos mercê de formação eficiente, planeamento e registo das intervenções

Tanto a formação do Pessoal como o planeamento mão de obra, custos e tempo de imobilização, • o livro de registo de horas de trabalho e custos
antecipado e a conservação de registos podem tornar- relativos a cada uma das intervenções de serviço nos diários de cada máquina (PEEP 0536).
se importantes elementos da gestão dos Motores Motores. • o Programa Informático de Controlo da
dado o seu impacto em outros sectores operacionais. Manutenção (JERD 2107).
A oferta global S.T.E.T. inclui uma apreciável Conservar registos fiáveis Outra modalidade de registo constante da oferta
variedade de acções de Formação, métodos de Um sistema rigoroso de registos deve S.T.E.T. é o Planeamento da Manutenção Preventiva
Planeamento e modalidades de Registo, capazes de obrigatoriamente prover informação sobre o historial (PMP), mais um programa informático que permite
promoverem métodos práticos e económicos de gestão de qualquer Motor, pormenorizando a duração de consolidar as exigências individuais de manutenção
dos Motores, com vista aos seus mais baixos custos. cada componente e custos que lhe estejam de cada Motor (SERD 0162).
associados. Só assim permite identificar situações
Os registos PMP organizam e imprimem uma lista
Treino do Pessoal problemáticas, eventuais causadoras de custos
detalhada de verificações, englobando exactamente
Um programa de Formação, eficiente e bem escalonado exagerados ou de imobilizações extemporâneas.
tudo o que se pretende que seja feito, e a quantas
no tempo, assegura a operação e manutenção, Na S.T.E.T. estamos aptos a fornecer :
horas de intervalo, sem esquecer a listagem das peças
impecáveis, dos vossos Motores. Contribui ainda • o Manual PEGP 6808 do SCM e a informação e fluídos necessários. Uma vez mais a oferta S.T.E.T.
para uma sensível economia de custos, minimizando sobre elaboração de registos. pode incluir listas computorizadas de verificações e
a oportunidade de avarias ou falhas, devidas a • o livro de Operador, para registo de tempos e de sobressalentes, como auxiliares das listagens que
práticas incorrectas de operação ou de manutenção. custos (PEEP 0694). cada Cliente queira, por iniciativa própria, elaborar
Para o Pessoal dos Clientes a S.T.E.T. fornece • o Manual PEGP 6809 de processamento de obras para a sua empresa.
programas de formação, personalizados, com vista a : de Oficina.
• assegurar que são bem conhecidas as técnicas de
arranque e paragem das máquinas.
• rever os procedimentos de manutenção, para
garantia de que são cumpridas as regras de
conservação e lubrificação recomendadas.
• instrução sobre reconhecimento e reacção
apropriada, face aos sinais avisadores de
necessidade de reparação.
• demonstração do método correcto de colheita de
amostras para análises S·O·S (óleos e líquido de
arrefecimento).
• explicação do método correcto de mudança de
óleos e filtros.
• elaboração da lista completa de verificações para as
vistorias diárias em redor das máquinas ou dos
motores.

Elaborar planos eficazes


Um planeamento eficaz significa que a manutenção,
as inspecções e as reparações programadas são
levadas a cabo em tempo útil, de modo a prevenir a
possível ocorrência de avarias motivadas por descuido.
Sem que tal implique um planeamento necessaria-
mente complexo – basta que seja prático e eficiente.
Estamos aptos, na S.T.E.T., a colaborar neste tipo de
planeamento e conservação de registos, segundo o
Manual refª PEGP 6808.
Mas a colaboração prestada pela S.T.E.T. inclui ainda
a possibilidade de fornecimento do Sistema de
Controlo da Manutenção (SCM), um programa
informático com a refª JERD 2107, visando conservar
e manter actualizada toda a informação relativa às
intervenções de serviço levadas a cabo nos Motores.
Este SCM dá a conhecer quando os Motores
necessitam de manutenção ou de reparações, verifica
o seu completamento e provê informação detalhada
sobre os inerentes custos. Graças a tal sistema, o
Cliente passa a dispor de dados sobre custos horários,
relatórios de disponibilidade, e resumos de horas de
15
Para mais informações queira consultar a
S. T. E. T.Web site at http://www.CAT.com.

HPDS7028 (0698) ps © Caterpillar 1997