Você está na página 1de 9

RESUMO

Os Transtornos da personalidade são padrões psicológicos de difícil diagnóstico que


exigem uma avaliação criteriosa por parte do profissional da saúde mental. A relação
médico-paciente também se configura como fator de extrema importância para o manejo
destes quadros. Dentro deste contexto, o presente artigo consiste em uma revisão
descritiva, que busca elucidar a definição de transtorno da personalidade narcisista. Tem
como objetivo compreender a perturbação, descrever os seus mecanismos, suas causas,
sintomas, diagnósticos e possíveis tratamentos. Consta no DSM-IV como uma
organização de personalidade em que o sujeito manifesta pensamentos grandiosos em
relação a si, grande necessidade de reconhecimento e admiração por parte dos outros,
arrogância e falta de empatia nas relações.
Palavras-chave: Narcisismo, trastorno de personalidade, Ego, TPN, Transtorno
narcisista.

JUSTIFICATIVA

O que levou-nos a realizar este estudo bibliográfico sobre o Transtorno de personalidade


Narcisista, são os seguintes factores:
✓ Compreender o seu historial e definição;
✓ Perceber ou captar como surgem os seus sintomas/diagnostico;
✓ Avaliar os riscos influentes que o paciente pode causar a si mesmo bem como a
outros;
✓ Criar métodos preventivos baseados em tratamentos psicoterápicos para posterior
tratamento.
Achamos ser também de grande contributo para a ciência, pois, com este trabalho
académico poderemos entender, conhecer melhor, este transtorno da personalidade.
O tema em questão desperta grande interesse, podendo ser debatido cientificamente por
responsáveis da área de Psicopatologia, Psicanalise, Ciências criminais, e outras.

OBJECTIVOS
Gerais:
✓ Dectetar os sinais que influenciam negativamente no comportamento do paciente
com o transtorno;
✓ Compreender os sintomas do transtorno para a sua prevenção.

1
Específicos:
✓ Compreender o impacto desta perturbação dentro da sociedade em que o
individuo narcisista está inserido;
✓ Compreender as causas que levam um individuo a tornar-se refém deste tipo de
transtorno de personalidade.

PROBLEMÁTICA DE ESTUDO

O que leva os indivíduos a tornarem-se Narcisistas?

HIPÓTESES
✓ Sentimentos de autoridade e esperam tratamento especial;
✓ Dependência de Megalomania;
✓ Desvios comportamentais;
✓ Excesso de mimos e falta de correção de julgamentos errados por parte dos seus
educandos (pais).

METODOLOGIA
Os dados ou conteúdos deste trabalho académico foi coletado pelo método bibliográfico.
Usamos o DSM e algumas hiperligações (links) que achamos informações satisfatórias
para a estrutura geral do mesmo, compreendendo também os seus autores e referências
bibliográficas.

LIMITAÇÃO
Enquanto realizamos a pesquisa, encontramos dificuldades como:
✓ Instabilidade de energia elétrica e Wi-fi para acesso a internet;
✓ Pouca coerência em alguns links para colheita de informações;
✓ Ligeira falta de disponibilidade na agenda dos elementos do grupo para estruturar
o trabalho académico.

DELIMITAÇÃO
Os dados deste trabalho foram essencialmente recolhidos na internet, pelo que não teve
um espaço físico/laboratório ou de campo para a sua elaboração.

2
CRITÉRIOS ÉTICOS

Para que fosse possível a realização deste trabalho, cumprimos com as formalidades,
deveres e obrigações exigidas, dentro dos quesitos de uma pesquisa bibliográfica, dentre
os quais:
✓ Acesso aos sites permitidos e publicados para investigação de trabalhos
académicos ou para colheita de dados;
✓ Publicação e menção bibliográfica dos autores dos testos produzidos.

3
1. Introdução

A personalidade pode ser definida de modo sucinto como as características individuais


que correspondem a um padrão persistente de emoções, pensamentos e comportamentos.
Os traços da personalidade têm consequências, no sentindo de que suas características
estão associadas a uma variedade importante de indicadores nos níveis individual,
interpessoal e social, tais como: felicidade, saúde física e psicológica, espiritualidade e
identidade; qualidade das relações familiares, amorosas e com colegas; escolha,
satisfação e desempenho profissionais; envolvimento na comunidade, atividade
criminosa, e ideologia política.
A partir disso, um transtorno da personalidade (TP) pode ser caracterizado como “padrão
persistente de experiência interna e comportamento que se desvia acentuadamente das
expectativas da cultura do indivíduo, é difuso e inflexível, começa na adolescência ou
início da fase adulta, é estável ao longo do tempo e leva ao sofrimento ou prejuízo”.
Desta forma, por intermedio de uma abordagem Bibliográfica e nos postulados do DSM-
V (Manual diagnostico e estatístico das doenças mentais. Vol. 5) o nosso trabalho será
estruturado em volta de um dos tipos de transtorno da personalidade: O Transtorno de
personalidade Narcisista.
Narcisismo é um conceito da psicanálise que define o indivíduo que admira
exageradamente a sua própria imagem e nutre uma paixão excessiva por si mesmo.
O termo é derivado de Narciso, que segundo a mitologia grega, era um belo jovem que
despertou o amor da ninfa Eco. Mas Narciso rejeitou esse amor e por isso foi condenado
a apaixonar-se pela sua própria imagem refletida na água. Narciso acabou cometendo
suicídio por afogamento. Posteriormente, a mãe Terra o converteu em uma flor (narciso).
Estando relacionado com o auto-erotismo, o narcisismo consiste em uma concentração
do instinto sexual sobre o próprio corpo.
Os indivíduos narcisistas são frequentemente fechados, egocêntricos e solitários.
De acordo com o psicanalista Sigmund Freud, o narcisismo é uma característica normal
em todos os seres humanos. Está relacionado com o desenvolvimento da libido (com o
desejo sexual, eros).
Na linha psicanalítica de Freud, o narcisismo como perversão sexual é uma fixação de
uma fase de transição da infância, em si normal. Está correlacionado, em parte com a
homossexualidade e o exibicionismo, entre outras características da conduta sexual.
O narcisismo se transforma em patologia, ou seja, passa do estado normal para o doentio,
quando entra em conflito com ideias culturais e éticas, tornando-se excessivo e
dificultando as relações normais do indivíduo no meio social.

4
2. Conceito e Definição do Transtorno Narcisista

O transtorno de personalidade narcisista é caracterizado por um padrão invasivo de


grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia, que começa na idade adulta
e está presente em uma variedade de contextos.
Indivíduos narcisistas são caracterizados por fantasias irreais de sucesso e senso de serem
únicos, hipersensibilidade à avaliação de outros, sentimentos de autoridade e esperam
tratamento especial.
Frequentemente apresentam sentimento de superioridade, exagero de suas capacidades e
talentos, necessidade de atenção, arrogância e comportamentos auto referentes.
Exibem exagerada centralização em si mesmos, geralmente acompanhada de adaptação
superficialmente eficaz, adaptam-se às exigências morais do ambiente como preço a
pagar pela admiração; porém, tem sérias distorções em suas relações internas com outras
pessoas.

3. Sintomas

Pacientes com transtorno da personalidade narcisista são muito sensíveis a mágoas por
críticas ou derrotas. Muitas vezes não demonstram isso e passam a sentir humilhados,
degradados e vazios. Já em alguns casos a reação pode ser de desdém, raiva ou agressivo
contra-ataque.
Por vezes essas vivências geram um afastamento social ou esforço enorme para se mostrar
humilde a fim de esconder a grandiosidade.
As relações interpessoais tipicamente são comprometidas pelos problemas resultantes da
presunção, da necessidade de admiração e do relativo desrespeito pela sensibilidade
alheia. Embora a ambição e a confiança possam levar a altas realizações, o desempenho
pode ser perturbado em virtude da intolerância a críticas ou derrotas.
Outro aspecto importante é que esses pacientes, mesmo tendo um prejuízo, muitas vezes
apresentam condições financeiras elevadas e bons cargos não sendo uma regra a presença
de dificuldade laboral.

5
4. Diagnóstico

Atualmente utilizamos critérios diagnósticos que devem estar presentes de maneira


persistentes desde adolescência, para que o especialista possa dizer realmente que o
paciente tem transtorno de personalidade narcisista. Em geral, é preciso que ao menos
cinco das características abaixo estejam presentes:
Sentimento grandioso da própria importância. Por exemplo, exagera realizações e
talentos, espera ser reconhecido como superior sem realizações comensuráveis;
Preocupação com fantasias de ilimitado sucesso, poder, inteligência, beleza ou amor
ideal;
Crença de ser "especial" e único e de que somente pode ser compreendido ou deve
associar-se a outras pessoas (ou instituições) especiais ou de condição elevada;
Exigência de admiração excessiva;
Sentimento de intitulação, ou seja, possui expectativas irracionais de receber um
tratamento especialmente favorável ou obediência automática às suas expectativas;
Explorador em relacionamentos interpessoais, isto é, tira vantagem de outros para atingir
seus próprios objetivos;
Ausência de empatia: reluta em reconhecer ou identificar-se com os sentimentos e
necessidades alheias;
Frequentemente sente inveja de outras pessoas ou acredita ser alvo da inveja alheia;
Comportamentos e atitudes arrogantes e insolentes.

5. Tratamento

O tratamento para o narcisismo propriamente dito não existe, mas como todo tratamento
psicoterápico depende da dedicação do cliente para dar certo.
A presença do transtorno da personalidade narcisista já deixa claro que há um quadro
instalado que traz sofrimento ou faz sofrer e isso por si só é suficiente para indicar a
procura de ajuda que não obrigatoriamente deve ser um psiquiatra. Assim qualquer
serviço de saúde pode ser um primeiro local para acolhimento desse sofrimento.
O narcisista raramente aparece em consultório psicoterápico de livre e espontânea
vontade. Por não admitir falhas, só aceita o tratamento para o narcisismo quando se
encontra profundamente deprimido como resultado de problemas de relacionamentos ou
quando forçado por familiar ou parceiro amoroso.

6
O tratamento para o narcisismo torna-se produtivo somente quando a pessoa é tratada
como narcisista, ou seja, como um indivíduo que possui um transtorno de personalidade.
O narcisista tratado pelo psicoterapeuta como “mãe injustiçada”, por exemplo, sai da sala
de terapia mais narcisista do que quando entrou.
Por ser extremamente dissimulada, a mãe narcisista ao “buscar” tratamento para o
narcisismo precisa ser encaminhada a um profissional especializado em transtorno de
personalidade narcisista. Psicoterapeutas, psicólogos ou psiquiatras sem experiência com
o narcisismo são presas fáceis de seu charme e dotes artísticos.
Hospitalização e medicação psiquiátrica como antidepressivos e estabilizadores de humor
são recomendados para os casos mais severos. Novamente, é importantíssimo que o(a)
narcisista disposto(a) a iniciar o tratamento para o narcisismo seja recomendado a um
profissional experiente e especializado em transtorno de personalidade narcisista, o qual
possui as qualificações necessárias para avaliar o paciente e designar o tratamento que
melhor se encaixa a seu perfil.
Os indivíduos com transtorno da personalidade narcisista podem ter dificuldades
especiais no ajustamento ao início das limitações físicas e ocupacionais inerentes ao
processo de envelhecimento. Assim, com o tratamento adequado pode ocorrer uma
melhora importante das disfunções emocionais e relacionais do paciente.
A identificação de traços de personalidade narcisista e oferta psicoterapia individual e de
grupo antes de um agravamento do quadro pode ser fundamental para impedir uma
progressão para o transtorno propriamente dito. Além disso a prevenção e o tratamento
dos outros transtornos psiquiátricos é fundamental para proteção desses pacientes com
traços de personalidade narcisista que são identificados.

7
6. Conclusão

Os transtornos de personalidade são desvios extremos ou significativos do modo como o


indivíduo, em uma dada cultura, percebe, pensa, sente e, particularmente, se relaciona
com os outros. São alterações de longa duração e não são limitadas a episódios de doença
psiquiátrica. E por tudo isso fica claro que nos transtornos de personalidade indivíduo
sofre ou faz sofrer e sofre de com uma desadaptação social, já que ocorrem respostas
inflexíveis a uma ampla série de situações pessoais e sociais.
As manifestações dos transtornos de Personalidade são, frequentemente, reconhecíveis
na adolescência ou mais cedo, e continuam por quase toda a vida adulta, embora elas
muitas vezes se tornem menos óbvias nas faixas médias ou extremas de idade.
Mas apesar disso o diagnóstico de maneira geral só pode ser formulado no início da vida
adulta, pois a personalidade da criança e do adolescente é suficientemente plástica para
que mesmo padrões marcadamente disfuncionais de relacionamento sejam ajustados
antes de sua cristalização definitiva.
O atual conhecimento quanto às causas do transtorno de personalidade narcisista é ainda
pequeno e tem muitas incertezas, entretanto está claro que há o envolvimento direto dos
componentes da personalidade habitual: constituição corporal, temperamento e caráter.
Podemos, de modo mais genérico, entender que a personalidade é composta pela
interação de disposições hereditárias e das influências ambientais.
Os traços narcisistas podem ser particularmente comuns em adolescentes, não indicando,
necessariamente, que o indivíduo terá um transtorno da personalidade narcisista. Os
homens perfazem 50 a 75% dos indivíduos com o diagnóstico de Transtorno da
Personalidade Narcisista.
A maior complicação possível em quadros de transtorno da personalidade narcisista é a
presença de outros transtornos psiquiátricos como outros transtornos de personalidade,
quadros de depressão, ansiedade, psicose e uso de substâncias precisam ser identificados
pelos profissionais de saúde, o que muitas vezes pode ser difícil quando o transtorno de
personalidade narcisista está mais intenso, agudo e se sobressai nas avaliações.

8
7. Referências Bibliográficas

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/transtorno-de-personalidade-
narcisista

https://filhasdemaesnarcisistas.com.br/tratamento-para-o-narcisismo/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_personalidade_narcisista#DSM-5
https://www.significados.com.br/narcisismo/

http://revista.fmrp.usp.br/2017/vol50-Supl-1/Simp9-Transtornos-da-
Personalidade.pdf