Você está na página 1de 2

INICIAÇÃO POR ENXERTIA

A Iniciação por Enxertia é a mais complexa, em que o indivíduo recebe uma


influência espiritual por meio de uma organização iniciática tradicional que tem o
repositório dessa influência. Falamos aqui necessariamente para que possa haver essa
iniciação a organização iniciática em questão precisa ser verdadeiramente tradicional, ou
seja, que não é necessariamente fundada por um indivíduo conhecido, deve vir de uma
cadeia de transmissores dessa iniciação. Essa cadeia de transmissores em geral se perde
na noite dos tempos de modo que sua fonte original é uma fonte supra-humana,
supraindividual, metafísica.

Tendo em vista a complexidade dessas exigências, pois são poucas as


organizações que de fato cumprem tais elementos.

No ocidente, as organizações iniciáticas que têm essas qualificações estão


praticamente restrita à maçonaria e ao Campanhonage. Não conhecemos outras
organizações que possam alegar essa origem imemorial na sua cadeia de transmissão de
uma influência espiritual.

Quando falamos em transmitir de uma determinada influência espiritual, essa


transmissão deve ser feita de uma forma que conecta o rito, os símbolos, o mito e a
doutrina. É difícil separa o que seria o aspecto ritual de doutrinal. Vale frisar que o aspecto
ritual é importantíssimo, pois são por meio dele que essa influência é transmitida e não
existe uma separação categórica entre doutrina e ritual.

A situação se complica um pouco, pois a mera execução mecânica de um rito


ela não necessariamente transmite uma influência espiritual. Ou seja, aquele que a
transmite ele precisa ser ritualisticamente qualificado para tanto e deve observar todos os
detalhes/elementos essenciais do ritual tradicional.

Então por esses motivos que é mais complicado haver o sucesso na transmissão
espiritual do que podemos supor numa primeira vista. Não é somente por via mecânica
de execução. É necessário ter a consciência (para compreender de fato os elementos desse
ritual) de quem a está transmitindo e qualificação, como a correta intenção. Ou seja, se
todo ritual é feito tão somente de forma exterior. Não havendo uma intenção interior e
correta, dessa maneira podem invalidar todo o cerimonial.

E as qualificações são de suma importância, como p.ex., não seria nada


adequado tocar a mais bela sinfonia para quem é surdo, ou um quadro com belas cores
para quem é cego. Para receber as impressões sensoriais é necessário que a pessoa tenha
determinadas qualificações tanto de quem transmite quanto de quem recebe para haver
permeação dessas influências espirituais.

Se não houver essa qualificação, simplesmente o sujeito irá passar pelo rito e a
influência espiritual não deixará nenhuma marca e isso é tão comum como imaginamos.
O rito seria somente uma ação e não teria o efeito esperado. O sujeito não seria um
terreno fértil para receber essa semente da influência espiritual. A quantidade de
membros que existem em escolas que tem essa capacidade de transmissão espiritual
tradicional e os poucos efeitos e a quase nenhuma compreensão espiritual desses
indivíduos em relação a tudo que é iniciático e verdadeiramente metafísico. Segundo
aquele princípio que conhecereis a árvore pelos frutos podemos dizer que é realmente
uma minoria que recebe de fato esta influência