Você está na página 1de 2

ONDULATÓRIA

Definição: é a parte da Física que estuda as ondas, ou seja,  AMPLITUDE (A): é o máximo de deslocamento que
qualquer perturbação (pulso) que se propaga em um meio. um ponto da onda pode ter em relação à posição
de equilíbrio (representado pela letra A);
PULSO E ONDA  COMPRIMENTO ( λ ¿ : é uma grandeza,
representada pela letra grega λ (lambda), medido
PULSO: é toda perturbação gerada em um ponto do meio
entre os dois pontos equivalentes da onda, como a
material, sendo que esta se propaga e se transmite aos
distância de duas cristas ou dois vales;
demais pontos. Na propagação de um pulso, há transporte
de energia, mas não há transporte de matéria.  FREQUENCIA (f): corresponde ao número de
ciclos completos que ocorrem em um determinado
ONDA: é toda sequencia periódica de pulsos, na qual há intervalo de tempo. A frequência é o inverso do
transporte de energia, sem haver transporte de matéria. período;
 PERÍODO (T): é o intervalo de tempo que uma
CARACTERÍSTICAS DA ONDA onda leva para realizar um ciclo completo. O
período é o inverso da frequência;
 QUANTO A FORMA
1 1
f= T=
 ONDA TRANSVERSAL: forma – se quando a T f
perturbação no meio é perpendicular à direção de
propagação da onda.  VELOCIDADE DE UMA ONDA: depende do
comprimento e da frequência da onda.

v=λ ⋅ f
FENÔMENOS ONDULATÓRIOS

 ONDA LONGITUDINAL: forma-se quando a  REFLEXÃO DE UMA ONDA: A reflexão acontece


perturbação no meio é na mesma direção da quando uma onda atinge uma região que separa
propagação da onda. dois meios e retorna, se propagando no mesmo
meio anterior. Desta forma, não há alteração na
velocidade de propagação (que só depende do
meio), nem na frequência (que só depende da
fonte). Assim, o comprimento de onda da onda
incidente é igual ao comprimento de onda da onda
refletida. Na reflexão, o ângulo θi formado entre o
raio de onda incidente e a direção perpendicular à
superfície, chamada de direção NORMAL, é
idêntico ao ângulo θr formado pela direção normal e
 QUANTO A NATURAZA pelo raio refletido. Assim:
θi= θr
 ONDAS MECÂNICAS: são perturbações que
transportam energia cinética e potencial através de
um meio material, por exemplo: ondas marítimas,
sísmicas e sonoras. Ela pode acontecer somente
num meio material, mas não transportam matéria e,
sim, energia.

 ONDAS ELETROMAGNÉTICAS: são ondas que


podem se propagar no meio material e também no
vácuo, tais como as ondas de rádio, ondas da luz
visível, das micro-ondas, entre outras. No caso de um pulso unidimensional em uma
corda, a reflexão pode gerar dois efeitos diferentes.
Se a extremidade da corda estiver fixa, o ponto da
PROPRIEDADES DE UMA ONDA corda que está presa ao obstáculo tentará mover o
obstáculo para cima. Pela Terceira Lei de Newton,
sofrerá a ação de uma força para baixo, o que fará
inverter a orientação da perturbação. Dizemos que,
nesse caso, houve INVERSÃO DA FASE da onda

Se as extremidades estiverem livres, esta força não


atua e o pulso retorna normalmente.

 CRISTA: ponto mais alto de uma onda;


 VALE: ponto mais baixo de uma onda;
 INTERFERENCIA ENTRE ONDAS

 Interferência construtiva: Ocorre quando as duas


ondas que se superpõem têm a mesma fase e uma
“reforça” a outra, tendo como resultado uma onda maior
que as que lhe deram origem. Veja a figura:

 REFRAÇÃO DE UMA ONDA: A refração acontece


quando uma onda atinge uma região que separa
dois meios e a atravessa, passando a se propagar
no outro meio. Desta forma, há alteração na
velocidade de propagação (já que esta só depende
do meio), o que gera uma alteração no
comprimento de onda, mas sem que haja alteração
na frequência. Isso vem acompanhado, na maioria
dos casos, de uma alteração na direção de
propagação da onda.
Na interferência construtiva, uma onda “reforça” a outra, o
que resulta em uma onda maior que as de origem
Podemos ver nessa figura que a onda resultante da
combinação das duas outras ondas tem a amplitude
resultante dada pela soma das amplitudes individuais.
Matematicamente:
Aresultante = A1 + A2
Sendo:
A1 – amplitude da onda 1
A2 – amplitude da onda 2
Como as duas ondas são iguais e A1 = A2 = A, temos:
Aresultante = A + A
Na refração, o ângulo θ1 formado entre o raio de onda Aresultante = 2A
incidente e a direção perpendicular à superfície, chamada de Após o encontro, as duas ondas voltam a propagar-se com
direção NORMAL, possui uma relação com o ângulo θ2 as suas características iniciais.
formado pela direção normal e pelo raio refratado. Essa
relação é chamada de Lei de Snell-Descartes:  Interferência destrutiva: Ocorre quando duas
ondas que se encontram têm fases diferentes, de forma
que uma aniquila a outra. Veja a figura:
sen θ1 v 1 λ1
= =
sen θ 2 v 2 λ2
 DIFRAÇÃO DE UMA ONDA: Quando uma frente
de onda encontra um obstáculo, este reflete parte
da energia da onda e transmite outra parte. Mas, se
tivermos uma porção da frente de onda
desobstruída, os pontos dessa frente de onda se
comportam como pequenas fontes pontuais de
onda, gerando ondas do outro lado do obstáculo e
que tendem a se espalhar do outro lado.

Quando as duas ondas não estão em fases iguais, a


interferência é destrutiva e uma aniquila a outra
A figura mostra que duas ondas que se propagam em fases
diferentes, ao se encontrarem, anulam-se. O resultado é
uma onda com amplitude nula. Veja como são feitos os
cálculos nesse caso:
Aresultante = A1 + A2

Agora temos que A1 = A e A2 = - A, substituindo na equação


acima:
Aresultante = A1 + A2
Aresultante = A + (-A)
Aresultante = A - A
Aresultante = 0