Você está na página 1de 46

Programa Nacional de Formação Continuada

a Distância nas Ações do FNDE

Cursista
Presidência da República
Ministério da Educação
Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
Caderno do Cursista

Programa Nacional de Formação Continuada a Distância nas Ações do FNDE

MEC / FNDE / SEED


Brasília, 2008

2a edição atualizada
Supervisão e acompanhamento Projeto gráfico e diagramação
Renato Silveira Souza Monteiro Cespe/UnB e Virtual Publicidade
Cecília Guy Dias
Ilustrações
Marilene de Freitas
Cespe/UnB e Zubartez
Colaborador conteudista
Impressão e acabamento
Oreste Preti
Cespe/UnB
Revisão
Cespe/UnB

B823c Brasil. Ministério da Educação (MEC).

Caderno do cursista / Fundo Nacional de Desenvolvimento


da Educação. Secretaria de Educação a Distância – Brasília : MEC,
FNDE, SEED, 2006.
46 f. : il. color. – (Formação pela escola)
1. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
2. Financiamento da educação. 3. Políticas públicas - Educação. 4.
Programas e ações – FNDE. 5. Formação continuada a distância
– FNDE. 6. Formação pela escola – FNDE. I. Brasil. Ministério da
Educação. II. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.
III. Secretaria de Educação a Distância. IV. Título. V. Série.

CDU 37.014.543
Caro cursista,

É com muita satisfação que o recebemos no Programa Nacional de Formação Continuada


a Distância nas Ações do FNDE, o Formação pela Escola, cujo objetivo principal é o de
melhorar a gestão e a utilização dos recursos do FNDE destinados à escola.
Empenhamos nossos esforços para construir um curso que seja, ao mesmo tempo,
acessível, agradável e coerente com as suas necessidades de formação. No processo de
construção deste curso a distância, participaram, colaborativamente, técnicos do Fundo
Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e da Secretaria de Educação a
Distância (SEED), coordenadores estaduais do Formação pela Escola (fase piloto)
e especialistas em educação a distância da Universidade Federal de Mato Grosso
(UFMT).
Ao reservar parte de seu tempo para o desenvolvimento das atividades propostas no
curso, você – cidadão participativo – tem muito a contribuir para a melhoria da qualidade
da educação brasileira, colaborando para tornar a escola de sua comunidade mais
atraente, acolhedora e inclusiva.

Bom curso!

Coordenação Nacional do Programa Formação pela Escola

5
Sumário
1. Formação pela Escola __________________________________________________________________________ 9
1.1. Formação a distância ______________________________________________________________________10
1.2. O que é um curso a distância ________________________________________________________________11
1.3. Estudar a distância ________________________________________________________________________13
2. A proposta do Formação pela Escola _____________________________________________________________17
2.1. Objetivo _ _______________________________________________________________________________17
2.2. Público-alvo _ ____________________________________________________________________________17
2.3. A estrutura do curso _______________________________________________________________________18
2.4. Concepção pedagógica ____________________________________________________________________18
2.5. Metodologia e dinâmica de funcionamento _ __________________________________________________20
2.5.1. Material didático ______________________________________________________________________21
2.5.2. Encontros presenciais_ _________________________________________________________________21
2.5.3. Tutoria_ _____________________________________________________________________________23
2.5.4. Sistema de avaliação da aprendizagem ____________________________________________________24
3. Contatos importantes e calendário _ _____________________________________________________________28
4. Nossa conversa não se encerra aqui ______________________________________________________________32

Anexos _______________________________________________________________________________________35
Atividade final do módulo _ ____________________________________________________________________37
Organograma – níveis de gestão do Programa Formação pela Escola___________________________________39
Perguntas freqüentes _________________________________________________________________________40
1. Formação pela Escola

Ao iniciar a leitura deste caderno, você, talvez, esteja se


perguntando: “Por que participar do Programa Formação
pela Escola? Por que esse curso é a distância?”

O governo federal, por meio do Ministério da Educação (MEC), desenvolve uma diversidade de programas, projetos e ações
educacionais de alcance nacional. A legislação atual prevê o compartilhamento das responsabilidades entre União, estados e
municípios na área da educação. Ela determina uma dinâmica de funcionamento das ações educacionais e de transferências
de recursos, a serem repassados aos estados, Distrito Federal e municípios, para garantir educação de qualidade a todos os
brasileiros.
Que programas são esses? Que recursos são destinados a esses programas? Os recursos são adequadamente utilizados
naquilo para os quais foram destinados? Quem faz o acompanhamento, o controle e a prestação de contas desses recursos?
Como são feitos? A comunidade pode participar e se envolver nesses programas? Como?
Para responder a todas essas perguntas é necessário, antes, conhecer melhor o FNDE e seu papel na educação brasileira.
O FNDE é uma autarquia do MEC que tem como missão prover recursos e executar ações para o desenvolvimento da edu-
cação, visando garantir educação de qualidade a todos os brasileiros. Ele é o braço operacional do MEC, ou seja, é por meio
dele que o governo transfere os recursos e fiscaliza diversos programas educacionais. Provavelmente você já ouviu falar dos
principais programas nos quais o FNDE tem uma importante participação:

Formação pela Escola


Programas
Dinheiro Direto na Escola PDDE
Alimentação Escolar Pnae
Transporte do Escolar Pnate / PNTE
Programas do Livro PNLD / PNLEM / PNBE / PNLA

9
Muitas vezes, somos surpreendidos por notícias que rela- 1.1. Formação a distância
tam desvios de recursos destinados para uma finalidade es-
pecífica e que acabaram usados para outros fins. Como o fato
Mas, por que fazer esse curso na modalidade
de os recursos destinados ao transporte escolar serem usa-
a distância e não presencialmente?
dos em finalidades diferentes do objetivo de propiciar acesso
da criança à escola. Isso acontece porque a comunidade local
não tem as informações necessárias sobre esses programas e
não exerce o devido controle social dos mesmos. Talvez, você prefira o encontro presencial com as pessoas
da sua comunidade, local ou regional, para discutir os
O FNDE acredita ser fundamental, não somente destinar programas do FNDE.
recursos para programas educacionais, mas também formar
as pessoas para que possam gerir corretamente esses Concordamos com você. Nada melhor do que o contato
recursos, acompanhar e fiscalizar sua aplicação. humano, o abraço, o aperto de mão, estar cara-a-cara, olho
no olho com as pessoas que participam desses programas,
Daí a idéia desse programa a distância com o objetivo de: discutir animadamente, debater, confrontar opiniões e
contribuir na formação de gestores, técnicos, con- chegar ao consenso.
É importante
conhecer para
selheiros e representantes da comunidade envolvi- Por que, então, a distância? O que significa fazer o
participar com dos com a execução, acompanhamento e avaliação curso a distância? Quais as implicações disso? Como está
qualidade.
dos programas do FNDE. organizado o curso? Como vai funcionar? Como vai ser a sua
participação?
Em outras palavras, o Formação pela Escola é um curso para
São muitas as questões ou as dúvidas que devem passar
que a comunidade educativa e para que você, de maneira
por sua cabeça. Vamos começar procurando entender o
particular, conheçam melhor os programas do FNDE, avaliem
porquê da opção pela educação a distância.
a execução dos mesmos e analisem sua participação neles.
O FNDE, até agora, fez presencialmente a formação das
O que se espera é que esses programas sejam, sobretudo,
pessoas envolvidas em seus programas, enviando técnicos
efetivos, isto é, sejam socialmente significativos, alcancem
aos estados e municípios. Mas, considere alguns números.
os resultados esperados e contribuam na melhoria da edu-
cação e das condições de vida de milhões de cidadãos que
Caderno do cursista

No Brasil temos 26 estados, mais o Distrito Federal e


freqüentam diariamente os bancos escolares. 5.564 municípios.
Por isso, o FNDE está propondo uma formação continu-
A equipe de técnicos do FNDE é reduzida e os recursos
ada, isto é, que o Formação pela Escola seja um programa
cada vez mais sujeitos a restrições orçamentárias.
aberto para que a comunidade escolar e a sociedade em ge-
ral possam atualizar-se e, conhecendo melhor os programas,
deles participem ativamente. Como chegar a todos os municípios para um trabalho
10
constante de formação e acompanhamento dos programas? Telecurso 2000 que é veiculado diariamente, geralmente de
Isso demandaria não somente equipe numerosa, como manhã bem cedinho, antes de a pessoa sair para o trabalho.
recursos mais abundantes para custear as viagens desses Ou então, um curso por correspondência como os
técnicos. E o tempo que isso levaria? oferecidos pelo Instituto Universal Brasileiro. Você encontra
Mas você poderia argumentar: “Mas, como? Dinheiro é o folhetos de propaganda desses cursos espalhados por
que não falta neste país. Quanto dinheiro é desviado! Onde aí, em agências dos Correios e, talvez, já tenha dado uma
está o dinheiro que o governo arrecada de nós, contribuintes?”. olhada enquanto esperava ser atendido. Vários técnicos em
eletrônica e secretárias se profissionalizaram a distância, por
Você tem toda razão em seu argumento e sobre isso iremos
meio desses cursos.
falar no módulo de competências básicas, sobre a questão
dos recursos públicos. De onde vem o dinheiro e para onde Ou então, um curso via internet, como existem aos
vai. milhares. É só ligar o computador, começar a navegar e
Mas não é somente uma questão orçamentária. Propor um você encontra uma oferta diversificada, desde cursos para
curso a distância como solução econômica, para “economizar”, aprender a usar a própria internet, até cursos de nível superior
porque há poucos recursos humanos e financeiros é um e pós-graduação.
grande equívoco. E o FNDE sabe disso e não está propondo
esse programa a distância simplesmente por esse motivo.
Ele quer ser mais ágil em suas ações, quer maior participação
da comunidade local em seus programas, quer experimentar
outra dinâmica de atuação e acompanhamento. Daí a
importância dessa modalidade a distância.
Hoje, ela está em alta no mundo, não por modismo, mas
porque tem demonstrado ser altamente eficiente, rápida, fle-
xível e comunicativa. E isso devido às próprias características Cursos a distância existem há muito tempo. Alguns che-
de um curso a distância. gam até a afirmar que as Cartas que os Apóstolos enviavam às

Formação pela Escola


comunidades cristãs distantes, que tinham caráter formativo
1.2. O que é um curso a distância dos recém-convertidos ao cristianismo, podem ser considera-
das como o material didático dos primeiros cursos a distân-
Quando você ouve falar em curso a cia.
distância, o que pensa?
A grande expansão e aceitação de cursos a distância, po-
rém, é algo que aconteceu a partir da década de 1970, com
Talvez, você imagine um curso pela televisão, como o a criação das primeiras universidades a distância que foram
11
fundadas por governos de diversos países na Europa, sobre- Podemos enumerar algumas delas:
tudo, para requalificação de milhões de trabalhadores, diante :: na maior parte do tempo, não há necessidade da presen-
das mudanças tecnológicas no setor produtivo. ça física do estudante numa sala, do encontro presencial
Aqui, no Brasil, o governo militar, durante o período da cotidiano com o professor;
ditadura (1964/85), utilizou essa modalidade de ensino, por :: há uma organização de apoio ao estudante, por meio de
exemplo, com o Logos II, para qualificar os chamados profes- sistemas de comunicação e de tutoria para cada grupo de
sores “leigos”, ou com o Projeto Minerva, para oferecer conti- estudantes. Os tutores têm a função de estar sempre em
nuidade de estudo aos que concluíam o 1º grau. Você conhe- contato com os estudantes/cursistas para conversar, tirar
ceu? dúvidas, apoiá-los nas atividades, etc.;
Ao longo do De lá pra cá, a educação a distância tem crescido muito, so- :: o estudante é quem decide quando, quanto e como estu-
curso, se você
tiver críticas a
bretudo a partir de 1998, quando o Ministério da Educação dar;
fazer sobre a criou a Secretaria de Educação a Distância (SEED).
modalidade :: o material didático é produzido especificamente para
de educação a Em 2005, mais de 200 instituições estavam autorizadas aquele curso, para aquele perfil de estudante.
distância, fale
com seu tutor pelo MEC e ofereceram cursos a distância de diferentes tipos
e exponha-as
nos momentos
e em diversos níveis: extensão, graduação, especialização. Você apontaria alguma outra característica ou
presenciais. Isso
será de grande Estima-se que mais de 1,2 milhão de pessoas estudaram a vantagem no fato do Formação pela Escola ser a
valia para que distância, em 2005. distância? Teria alguma restrição ou crítica pelo fato
a equipe de de não ser presencial?
coordenação O próprio MEC já oferece diversos cursos de formação, uti-
possa reavaliar
a proposta lizando a educação a distância, por exemplo, o Proformação e
e introduzir
mudanças.
o Proinfantil. Pense um pouco: como até agora você tem participado dos
No mundo, são dezenas de milhares os cursos oferecidos programas em que está envolvido? Quando há os encontros
a distância, especialmente via internet, e dezenas de milhões de capacitação, como fica seu tempo e suas atividades profis-
são os estudantes matriculados nesses cursos. sionais e domésticas?
Os resultados têm sido positivos, tanto que as empresas, Certamente, os encontros foram muito interessantes e você
Caderno do cursista

hoje, investem maciçamente em cursos de capacitação a dis- aprendeu muito e gostou de encontrar outras pessoas, rever
tância de seus funcionários. amigos, fazer novas amizades. Porém, sua participação, talvez,
tenha implicado deixar outros afazeres. Teve que se ausentar
Mas o que caracteriza um curso a distância? Quais suas
do local de trabalho, de casa...
principais diferenças em relação a um curso presencial e
quais suas vantagens? Compare os aspectos que você apontou em relação aos
encontros presenciais e a essa nova modalidade de formação
a distância. Que conclusões você tira?
12
Consegue identificar diversas vantagens da formação a As pesquisas sobre o ato de estudar e de aprender,
distância em relação a cursos presenciais em que você é obri- realizadas no campo da Psicologia, afirmam que você
gado a estar constantemente presente, em horários que, às aprende:
vezes, não são os melhores para você, não acha? :: se associar o que está estudando ao que faz e já sabe. Por
Fazer um curso a distância não quer dizer que você não isso, o curso se propõe discutir temas de sua vivência, de
terá momentos de encontros presenciais. Eles são importan- sua experiência;
tes, mas serão menos freqüentes. Isso dará a esses encontros :: se você estabelece objetivos ao que está estudando e fa-
um significado todo especial e você os aproveitará muito zendo, dá sentido a esse curso em sua formação profissio-
mais. nal e em sua vida;
Na educação a distância, os encontros não são cotidianos :: se admite que não sabe tudo, coloca-se em atitude de
e, quando acontecem, são muito significativos, são esperados querer aprender com o material do curso, com o tutor e
com muita expectativa e são planejados e preparados para com os colegas;
que sejam proveitosos. :: se está motivado, se está no curso por interesse próprio e
não por obrigação;
Formação a distância não significa que você ficará :: se você desenvolve um método e uma rotina de estudos.
largado, sem nenhum tipo de apoio e de ajuda em seus
estudos. Pelo contrário, haverá muita presencialidade, A respeito desse último aspecto, gostaríamos de conver-
isto é, muitos momentos de encontro, sejam eles virtuais sar um pouco mais com você.
(a distância) ou presenciais, não importa.
O estudar, o aprender é uma experiência pessoal e com-
plexa. Não é simplesmente ouvindo o professor, o tutor, ou o
Mas como é possível estudar a distância? O que devemos colega que você aprende. É você estudando individualmen-
fazer para que seu aprendizado seja significativo em um te, lendo e relendo os textos até compreender o que o au-
curso com essas características? tor está dizendo, para que você possa estabelecer o diálogo
com ele. Claro que é importante trocar idéias sobre o texto
1.3. Estudar a distância1 que está lendo com outras pessoas. Mas, como você pode

Formação pela Escola


“trocar idéias” se você não se esforçou antes para entender
Talvez, estudar a distância seja uma experiência nova em
o texto?
sua vida. Por isso, acreditamos ser interessante que falemos
um pouco sobre o significado e implicações de se estudar a Portanto, para aprender temos que fazer, antes de tudo,
distância. um esforço pessoal para entender o texto, dando sentido ao
1
Síntese de capítulo da obra de PRETI, Oreste. A aventura de ser estudante – Vol. 1 – Estudar a que estamos lendo. Num segundo momento, aí sim, será in-
distância. 5 ed. Cuiabá: EdUFMT/NEAD, 2003. teressante debater o assunto com o professor/tutor e com os
colegas ou realizar atividades coletivas de estudo.
13
Mas como realizar esse estudo pessoal? Mas algumas orientações poderão lhe ser úteis. A seguir,
Somos diferentes como estudantes, como aprendizes. apresentamos alguns conselhos para tornar seu tempo de
Você tem interesses, conhecimentos, necessidades, habili- estudo mais proveitoso. Entretanto, fazemos questão de
dades, hábitos diferentes de outras pessoas, de seus cole- frisar que cada estudante tem a sua maneira de estudar.
gas, do tutor.
Por isso, é importante que você se reconheça como
estudante, reveja e organize seus hábitos de estudo.
Não tente imitar ou copiar o que os outros fazem porque
deu certo para eles. Encontre o seu caminho, o seu modo de
estudar.
O poeta espanhol Antônio Machado, em sua obra Provér-
bios e Cantares (1930), nos aconselha:

Caminhante, não existe caminho.


Faz-se o caminho ao caminhar!

Em outras palavras: aprende-se a estudar, estudando; a


ler, lendo; a escrever, escrevendo. Não há mistério.
Caderno do cursista

14
Como aproveitar melhor o estudo2 :: Identifique os “chupa-tempo”, os comedores de seu tem-
po, tais como: mudar de uma atividade para outra (“en-
rolar”), ou querer fazer duas atividades ao mesmo tempo
Para aproveitamento do seu tempo de estudo, (ler e assistir a TV), atender telefonemas, interrupções para
você deve se preocupar em fazer o planejamento bate-papos, desviar a atenção para programa de televisão
da aprendizagem, das atividades de estudo. que alguém está assistindo ou a música que está tocan-
do, visitas, mesa de estudo desorganizada, fazer tarefas de
outras pessoas, não saber dizer “não” a convites, não saber
Planeje seu tempo de estudo delegar certas tarefas. Proteja seu tempo pessoal!
:: Crie as condições materiais e ambientais favoráveis ao es-
:: Fixe objetivos precisos e prazos realizáveis. Exemplo: ler a tudo: tenha um espaço reservado e um horário a ser res-
unidade I do módulo de competências básicas e realizar peitado pelos demais membros da família, um lugar com
as atividades propostas para a unidade no caderno de o menor número de estímulos externos (os internos vão
atividades – uma hora de estudo. depender de você), ambiente bem iluminado, ventilado e
:: Não deixe para amanhã o que você pode fazer agora. So- silencioso.
bretudo, quando está frente a atividades mais complexas
ou menos agradáveis. A tentação é fugir delas. Busque, Gerir seu tempo de estudo é aprender
então, estímulos “provocadores” como, deixar o módulo a gerir sua vida!
aberto sobre a mesa, fazer aposta com você mesmo que
dará conta da tarefa, ou alguma motivação externa (por Quando estudar?
exemplo, poder mostrar o trabalho a uma pessoa especial,
aos colegas de grupo de estudo). :: Estudar pela manhã, após o banho matutino, pode ser
mais produtivo, porque você apresentará estado de
:: Aprenda a gerir o tempo por etapas progressivas. Não de- relaxamento, descanso e bem-estar (se tiver dormido
sanime diante dos primeiros insucessos, das primeiras di- bem).
ficuldades na leitura de temas mais complexos do módulo

Formação pela Escola


de estudo. Avalie o que está acontecendo, o que está cau- :: Se suas atividades profissionais ou domésticas o impedem
sando dificuldade. Comece, então, com atividades menos de estudar pela manhã, faça em outro horário, mas tome
complexas, informe-se melhor sobre o assunto, dedique sempre um banho antes de iniciar a sessão de estudo. Isso
menos tempo ao tema “difícil”, mas retorne a ele todos os o(a) ajudará a ficar bem disposto(a).
dias. Quem sabe se tornará, aos poucos, menos comple- :: Estudar noite adentro (invadindo a madrugada) não é re-
xo. comendável, podendo causar insônia, falta de concentra-
2
Retirado de: PRETI, Oreste. Estudar a distância: uma aventura acadêmica. Vol. 1. Cuiabá: EdU- ção e perda de capacidade de compreensão e retenção.
FMT, 2005.
15
:: Não é aconselhável estudar logo após as principais refei- Quanto à leitura
ções. É melhor aguardar um período de, aproximadamen-
te, uma hora antes de iniciar sua sessão de estudo, pois :: Não inicie uma leitura sem ter clareza dos objetivos da
é nesse período em que se processa a digestão. Ficamos leitura a ser realizada: por prazer, por ter uma idéia do
propícios a um estado de sonolência. Isso você já deve ter conteúdo do texto, para conhecer o pensamento do au-
percebido, sobretudo quando assiste à aula, palestra ou tor, para obter uma informação específica, para fazer uma
participa de reunião depois do almoço. crítica, para dar conta de uma atividade de aprendizagem
do curso.
:: Se você trabalha o dia todo, reserve pelo menos uma hora
nas suas noites, ou de manhã cedo, durante a semana, :: Esteja sempre bem motivado, com o desejo de querer
para dar uma lida no material didático do curso. Nos finais aproveitar o máximo da leitura, tendo sempre atitude po-
de semana, prolongue seu estudo por mais tempo para sitiva e disposição mental favorável.
compensar. Assim, você estará criando um hábito de es- :: Evite acompanhar a leitura com o movimento da cabeça
tudo que o(a) ajudará no sucesso de seu curso. ou com os dedos, ou lápis sobre o texto, ou balbuciando
:: Desenvolva um método de estudo, sem se preocupar com as palavras, ou lendo em voz alta. Tudo isso pode retardar
a quantidade de matéria a ser estudada, mas com a com- a leitura e, ao provocar ruídos, pode predispô-lo(a) a dis-
preensão do que é mais importante ser estudado e reti- trações.
do.
:: Uma unidade mais complexa deve ser lida, pelo menos,
duas vezes.
Quanto estudar?
:: Por isso, evite a tentação de, logo na primeira leitura, co-
:: Estude em período breves, com intervalos de distração e meçar a riscar o texto com o lápis ou caneta marca-texto,
mobilidade física. Nosso organismo apresenta sintomas pois você ainda não tem idéia do conjunto do texto e não
de cansaço que não podemos ignorar, pois poderá sabe se aquelas idéias serão retomadas mais adiante de
comprometer o rendimento intelectual. uma forma mais clara ou mais profunda.
:: Uma sessão de estudo não deve se prolongar por mais de
:: Se encontrar alguma palavra cujo sentido desconhece,
duas horas, introduzindo-se pausas de três a cinco minu-
tente compreendê-la pelo conjunto das idéias do pará-
Caderno do cursista

tos a cada meia hora. Nunca permaneça horas e horas se-


grafo ou do tópico. Numa segunda leitura, se persistir a
guidas estudando, forçando seu organismo e suas facul-
não-compreensão, então é hora de pegar no dicionário.
dades mentais.
:: Se, após ler uma, duas ou três vezes um parágrafo ou um
:: Mantenha uma freqüência diária de leitura para criar um
trecho do texto, ainda persistirem as dificuldades de com-
hábito de estudo, assim você manterá em dia suas ativida-
preensão do seu conteúdo, então tente uma leitura em
des, evitando acúmulos.

16
voz alta e logo após procure dizer o que você entendeu. 2. A proposta do Formação pela Escola
Talvez, isso possa ajudar.
:: Não se deve preocupar com a “velocidade” da leitura. Você O Programa Formação pela Escola é realizado em parceria
não está disputando nenhuma corrida, ou participando entre o FNDE e a SEED. A coordenação nacional do progra-
de um concurso de “leitor mais rápido”, ou competindo ma, composta por membros dos dois órgãos, organizou-o de
com alguém para ver quem termina antes a leitura de um maneira muito simples e funcional.
texto ou de uma obra. Ler rapidamente não é sinônimo
de maior inteligência ou maior capacidade de apreensão 2.1. Objetivo
do texto. De acordo com o nível de complexidade do con-
teúdo e da linguagem do autor, a leitura poderá ser mais O Programa Formação pela Escola tem por objetivo
lenta ou mais rápida. Estabeleça o seu ritmo. contribuir, por meio da formação continuada a distância,
para o fortalecimento da atuação dos agentes e parceiros Outros par-
ceiros: União
Aprendemos a ler e lemos para aprender, isto envolvidos com a execução, o acompanhamento e a avaliação dos Dirigentes
é, aprendemos com a leitura. dos programas e ações desenvolvidos no âmbito do FNDE. Municipais de
Educação –
Nesse sentido, este programa busca: Undime e Conse-
lho dos Secre-
Agora que você já entendeu porque o Formação pela Es- :: fortalecer a gestão democrática da escola pública, estimu- tários Estaduais
cola é a distância, sabe que é preciso se organizar para que lando processos cooperativos de decisão e operacionali- de Educação
– Consed.
os estudos sejam proveitosos, vejamos qual é a proposta do zação;
curso, sua metodologia e dinâmica de funcionamento. :: contribuir com os agentes e parceiros executores desses
programas na elaboração de propostas diversificadas de
atuação e uso mais adequado dos recursos, segundo pe-
culiaridades regionais;
:: ampliar os canais de controle, por meio dos conselhos lo-
cais e regionais, que exercem o controle social da aplica-
ção dos recursos.

Formação pela Escola


2.2. Público-alvo
O Formação pela Escola pretende atingir gestores, técnicos,
conselheiros, professores, merendeiras, pais de alunos e
representantes da comunidade envolvidos nos diferentes
programas geridos pelo FNDE.

17
2.3. A estrutura do curso tos prévios que este possui em relação aos temas propos-
tos. Sendo assim, tem como princípios para a construção da
O curso é composto por cinco módulos divididos da se- aprendizagem a problematização, a cooperação, a intera-
guinte forma. ção e a resolução de problemas.
Módulo de competências básica – trata das políticas Esses princípios nortearam todo o processo de elabora-
públicas educacionais implementadas pelo governo federal
ção dos materiais didáticos e da dinâmica de funcionamento
e, mais especificamente, dos programas geridos pelo FNDE.
do curso. Queremos, com isso, propiciar a você, cursista, sub-
Módulos temáticos – inicialmente, serão oferecidos sídios para que possa analisar criticamente os problemas en-
quatro módulos temáticos3, cada um dedicado a um dos frentados pela sua comunidade escolar e local na execução
diferentes programas desenvolvidos pelo FNDE, a saber: dos diferentes programas estudados no curso, bem como
:: Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE para apontar possíveis soluções a esses problemas.
:: Programas de Transporte do Escolar – PTE
Problematização
:: Programas do Livro – Pli
:: Programa Nacional de Alimentação Escolar – Pnae Interação Cooperação
No Formação pela Escola, a única obrigatoriedade é que Resolução de
o cursista conclua o módulo de competências básicas an- problema
tes de concluir qualquer um dos módulos temáticos. Caso o
cursista tenha interesse em fazer mais de um módulo temá- Vejamos, então, qual o objetivo de cada um desses
tico, não será necessário cursar o módulo de competências princípios:
básicas novamente. Cada módulo terá duração de 40 horas
Por meio da interação, o que se deseja é possibilitar a você
(incluídos os momentos presenciais e o estudo a distância),
o diálogo e a troca de experiências com seu tutor e com seus
distribuídas ao longo de, aproximadamente, um mês de es-
tudos. colegas de curso. Ou seja, pela interação objetiva-se que você
e seus colegas construam a aprendizagem de forma coletiva.
Esta interação se dará por meio dos encontros presenciais, do
2. 4. Concepção pedagógica
Caderno do cursista

diálogo com o seu tutor (nos horários de tutoria presencial,


O processo de formação do Programa Formação pela Es- por telefone ou por e-mail) para esclarecer dúvidas, buscar
cola tem como fundamento uma concepção de educação mais informações e orientações para os seus estudos, e da
que valoriza a construção do conhecimento e da aprendiza- comunicação (por telefone, e-mail ou encontros de estudos
gem individual de cada cursista com base nos conhecimen- coletivos organizados por vocês) que você estabelecerá com
Progressivamente, o FNDE ampliará a oferta de módulos temáticos.
3
os colegas para trocar idéias e experiências
18
Com o princípio da problematização, pretende-se provocar em você uma atitude de curiosidade e
de interesse pelos estudos, de debate e de questionamento frente a atual situação do programa em
estudo. Os conteúdos dos materiais didáticos de cada programa são relacionados aos problemas vividos
cotidianamente por você e sua comunidade escolar e local. A todo o momento você será convidado a
refletir sobre esses problemas e suas possíveis soluções.
O princípio da cooperação visa despertar em você o sentimento de pertença a um projeto social
coletivo, cuja condução e solução de problemas se darão de maneira efetiva mediante a participação
dos sujeitos envolvidos. Você, como cidadão brasileiro, é um dos sujeitos responsáveis pela construção
de um país melhor, juntamente com todos os outros cidadãos. A dinâmica de funcionamento do curso
e o material didático têm o objetivo de conscientizá-lo sobre a necessidade de você se envolver nesse
projeto social coletivo, buscando a cooperação negociada e compartilhada de conhecimento e de busca
de soluções para os problemas.
Com o princípio da resolução de problemas, queremos capacitar você para resolver não somente os
problemas propostos nos módulos, mas aplicar esse conhecimento para ajudar sua comunidade escolar
e local na resolução de problemas relativos aos programas executados pelo FNDE, seja em relação à sua
implantação e funcionamento, seja em relação ao uso adequado dos recursos públicos disponibilizados
por esses programas. Durante todo o curso, tanto nos momentos presenciais, quanto no estudo dos
materiais didáticos, você observará que o estimularemos a refletir sobre os problemas mais comuns
no uso dos recursos públicos destinados à educação. O material didático, além de lhe subsidiar com
importantes informações sobre cada um dos programas do FNDE, sempre o incentivará a refletir sobre
suas experiências e apresentar novas soluções para os velhos e conhecidos problemas de gestão dos
recursos.
Você compreendeu bem a nossa proposta pedagógica? Entendeu que o objetivo do curso não é apenas
de transmitir informações sobre os programas executados pelo FNDE, mas também, e principalmente, levar

Formação pela Escola


você a desenvolver uma postura crítica e de ação, refletindo, debatendo, analisando situações e buscando,
de forma coletiva, soluções para os problemas. Se você tiver alguma dúvida sobre a concepção pedagógica
do curso, busque a ajuda do seu tutor e debata o assunto com seus colegas de curso.
Agora você vai conhecer outro item importante do Formação pela Escola: o funcionamento do
curso.

19
2.5. Metodologia e dinâmica de funcionamento
Como você já sabe, o curso é a distância, com momentos presenciais. Cada módulo de estudo
tem carga horária de 40 horas, com período de duração de, aproximadamente, um mês. Como
o curso inclui o módulo de competências básicas e, no mínimo, um módulo temático de sua
escolha, você terá uma carga horária de 80 horas, com duração aproximada de dois meses de
estudo. Observe a tabela abaixo.
Módulo de competências básicas Módulo temático
Momentos Encontro presencial Encontro presencial Encontro presencial
presenciais inicial (4 h) intermediário (4 h) final (4 h)
Momentos Estudo individual Estudo individual
a distância (34 h) (34 h)

Serão três encontros presenciais ao longo do curso e, no período entre um encontro e outro,
você estudará os materiais didáticos impressos e realizará as atividades propostas.
Para apoiá-lo em seu estudo a distância, você contará com um tutor em seu município, que
lhe orientará e ajudará em suas dificuldades com os estudos dos módulos.
Você será aprovado no curso (com direito a receber certificado) se cumprir adequadamente
as exigências e critérios do sistema de avaliação.

Como vai funcionar cada uma dessas situações?


Como é o material didático? Quando e onde
serão os encontros presenciais? De que forma o
tutor vai me apoiar? De que forma será feita a
Caderno do cursista

avaliação?

Veja, então, como é a dinâmica de funcionamento do programa.

20
2.5.1. Material didático :: Um vídeo

Em cada módulo, o material didático é composto por três Será entregue ao tutor e apresentado por ele nos encon-
elementos: tros presenciais com o objetivo de sensibilizar, mobilizar,
deflagrar reflexões e discussões e, também, promover a
:: Um caderno de estudo socialização de experiências bem-sucedidas. Será um
O caderno de estudo contém o texto-base. No caso vídeo curto, em torno de doze minutos, especialmente
do módulo de competências básicas, o caderno de preparado para o programa.
estudo traz considerações acerca das políticas públicas O caderno de estudo e o de atividades serão distribuídos
voltadas para a educação. Já no caso de cada módulo aos cursistas de forma gratuita, sempre no início de cada mó-
temático, o caderno de estudo agrega as informações dulo. Eles serão seus materiais de consulta, inclusive quando
mais importantes do programa em estudo, a legislação o curso terminar. Anote no próprio caderno de estudo suas
pertinente àquele programa, sua dinâmica e obrigações
dúvidas e observações. Assim, elas serão parte constitutiva
dos participantes. Traz, ainda, recomendações de
do seu caderno. O vídeo será distribuído somente ao tutor e
leitura, filmes e sítios (páginas da internet), caso
será veiculado também nas escolas que dispõem do progra-
você queira se aprofundar ainda mais no assunto. No
ma TV Escola.
caderno de estudo, você será convidado a realizar
atividades como forma de facilitar a organização e Além da forma impressa e dos vídeos, o material didáti-
sistematizar as informações que já foram apresentadas. co também será oferecido, para consulta, na versão virtual.
Essas atividades deverão ser desenvolvidas no caderno Todo o material, incluindo os vídeos, será disponibilizado via
de atividades. internet, em ambiente de aprendizagem Moodle, e no sítio
:: Um caderno de atividades do programa Formação pela Escola, no portal do FNDE.

O caderno de atividades contém os exercícios que você


deverá realizar durante a leitura do caderno de estudo.
2.5.2. Encontros presenciais
Essas atividades foram especialmente preparadas para Você terá três encontros presenciais (participação obriga-
estimulá-lo a relacionar a sua prática com as novas refle- tória), com duração de quatro horas cada um: encontro ini-

Formação pela Escola


xões trazidas pelo texto. Junto com as atividades, você cial, encontro intermediário e encontro final.
encontrará a chave de correção. Ela difere um pouco do
:::: Encontro presencial inicial – este encontro tem
gabarito, pois diversas vezes não traz a resposta dire-
como objetivos apresentar a você o Programa Formação
tamente, mas aponta o caminho para que você possa
pela Escola, orientando-o sobre seu funcionamento e
buscar a resposta correta. Quando as atividades forem
dinâmica de realização, bem como fazer a introdução
objetivas, será fornecido também o gabarito. Também
ao módulo de competências básicas. Também, neste
no caderno de atividades, será dado o trabalho final do
encontro, você conhecerá seus colegas de curso e seu
módulo.
21
tutor, estabelecerá com eles um elo de comunicação que este encontro estão previstas as seguintes atividades:
será mantido ao longo dos estudos e pelo qual, todos :: dinâmicas de grupo para socialização e troca de
troquem idéias, se ajudem mutuamente e construam experiência entre os participantes sobre o módulo de
coletivamente a aprendizagem. É neste encontro, ainda, competências básicas;
que você será instruído sobre os locais, dias e horários de
tutoria presencial e informado sobre a possibilidade de :: entrega da atividade final do módulo de competências
tutoria on line (via internet) e por telefone, de acordo com básicas;
as estratégias e condições de atendimento estabelecidas :: distribuição do material didático do módulo temático
pelo seu tutor. As atividades previstas para esse encontro (caderno de estudo e cadernos de atividades) e
são: materiais complementares elaborados pelo tutor;
:: apresentação do Programa Formação pela Escola; :: apresentação do vídeo;
:: distribuição do material didático do módulo de :: introdução ao módulo temático, com orientações
competências básicas (caderno de estudo e cadernos específicas sobre o material didático e a realização da
de atividades) e materiais complementares elaborados atividade final do módulo, que deverá ser entregue até
pelo tutor (orientações, cronograma do curso e dos três dias antes do encontro presencial final.
encontros presenciais, etc.);
:::: Encontro presencial final – este encontro objetiva
:: orientações sobre a utilização do material didático, a avaliação e socialização da aprendizagem do módulo
sobre a tutoria e sobre a avaliação; temático, tomando como referência o trabalho final do curso.
:: apresentação do vídeo; Você será informado pelo seu tutor sobre o resultado final
da avaliação do curso (se foi aprovado ou reprovado) e
:: dinâmicas de grupo para socialização e troca de receberá orientações sobre as ações pós-curso (publicação
experiência entre os participantes; de trabalhos finais, espaço para continuação dos debates
:: introdução ao módulo de competências básicas, com e discussões on line ou presenciais, etc.).
orientações específicas sobre o material didático e a
Observação: É importante que o tutor receba
realização da atividade final do módulo.
seu trabalho final do módulo temático antes do
Caderno do cursista

:::: Encontro presencial intermediário – neste encontro, encontro presencial final. O objetivo é que, a partir
você e seus colegas, juntamente com o tutor, irão avaliar e da leitura dos trabalhos de todos os cursistas, o tu-
sociabilizar a aprendizagem do módulo de competências tor possa planejar o encontro de forma a que este-
básicas e fazer a introdução aos estudos do módulo ja voltado para as questões que mais preocuparam
temático. Também neste encontro, você entregará a você e seus colegas.
atividade final do módulo de competências básicas. Para

22
Você percebeu que os encontros presenciais não serão vidores do seu município, ou do município vizinho, que rece-
aulas ou palestras para lhe ensinar os conteúdos dos módulos beu formação apropriada para atuar neste programa e com a
de estudo e, sim, momentos especiais para o debate, a troca modalidade de EAD.
de experiências, a apresentação dos trabalhos, a avaliação
da aprendizagem do curso? Pois é, o tutor conduzirá esses Vale repetir:
encontros para que, mediante a socialização das experiências, O tutor tem a função de acompanhá-lo e apoiá-lo nesse
dos conhecimentos adquiridos com o estudo dos módulos e curso no que diz respeito às leituras dos materiais, às
das opiniões de vocês, cursistas, você e seus colegas possam atividades propostas, organizar e coordenar os encontros
identificar novas possibilidades e soluções para os problemas presenciais e avaliar sua participação.
que atingem todas as escolas.
É uma pessoa que entende o assunto, que tem vivência
2.5.3. Tutoria nos programas do FNDE e que é sensível à escuta, disposto a
ouvi-lo, aberto às discussões, às divergências de opiniões, a
Conforme foi dito, você contará com um tutor, em seu valorizar suas experiências e conhecimentos sobre o progra-
município, para apoiar sua aprendizagem no Formação pela ma em estudo.
Escola. No primeiro encontro presencial, você será orientado
sobre o funcionamento do atendimento de tutoria presen- Temos certeza de que, com ele, você estabelecerá um bom
cial que será dada pelo seu tutor (dia, hora e local) e sobre relacionamento profissional e de amizade. Isso é importante
outras formas de comunicação que ele poderá estabelecer, para que se crie um ambiente de trocas, de valorização dos
como atendimento on line (via e-mail), por telefone ou por participantes, de crescimento mútuo, de colaboração, de
fax. Portanto, entre um encontro presencial e outro, você formação para a cidadania. Qualidades essas, fundamentais
terá meios de entrar em contato com seu tutor para que ele para que qualquer programa possa deslanchar e alcançar
lhe ajude nos seus estudos a distância, na realização das ati- seus objetivos.
vidades propostas, nas dúvidas que você tenha em relação Quando o tutor não puder responder suas dúvidas ou
ao conteúdo ou mesmo para conversar e trocar idéias sobre questionamentos, ele saberá como buscar a solução e entra-
o tema em estudo. rá em contato com você o mais rápido possível. Para apoiar o

Formação pela Escola


tutor do Formação, existe a coordenação estadual de tutoria.
Mas, você pode estar se perguntando:
Nela encontram-se especialistas de todos os programas do
FNDE em condições de responder as dúvidas operacionais
Quem é o tutor? que o tutor não conseguiu, de imediato, solucionar. Por isso,
não deixe de formular suas dúvidas por escrito, mesmo que
seu contato com o tutor seja feito por telefone ou presencial-
O tutor é um profissional selecionado no quadro dos ser- mente.

23
de estudo e, ao final de cada módulo, irá preencher uma
ficha de auto-avaliação. Nesta ficha, que se compõe de
três itens de avaliação (desenvolvimento dos estudos e
atividades dos módulos, atividade final de cada módulo e
participação nos encontros presenciais), você irá comentar
e aplicar uma nota para a sua trajetória no curso e para o
desenvolvimento de sua aprendizagem, se foi satisfatória
ou se deveria melhorar em algum aspecto. Para tanto,
observe se pela reflexão sobre o conteúdo dos módulos
e da realização das atividades propostas, você mudou sua
postura e valores, tornando-se mais consciente de seu
papel nos programas educacionais.

Pois bem, você já viu como é o material didático para seu


estudo a distância e como funcionam os encontros presenciais
e a tutoria. Agora você verá como funciona o sistema de
avaliação.

2.5.4. Sistema de avaliação da aprendizagem


A avaliação da aprendizagem do Formação pela Escola
tem caráter formativo, buscando servir sempre como apoio
ao permitir que você, cursista, tenha um retorno de seu de-
senvolvimento no curso.
Caderno do cursista

Ela será realizada de duas formas:


:: mediante sua auto-avaliação
:: mediante o acompanhamento do seu tutor
Para cada item de auto-avaliação você irá aplicar uma
:::: Você irá se auto-avaliar ao longo de todo o processo nota, conforme descrição a seguir:
24
:: Desenvolvimento dos estudos e atividades dos módulos – de 0 a 5 pontos.
:: Atividade final de cada módulo – de 0 a 10 pontos.
:: Participação nos encontros presenciais – de 0 a 5 pontos.
Portanto, a nota máxima a ser dada por você a si próprio é de 20 pontos.
:::: Na avaliação mediante acompanhamento do tutor você será avaliado:
1. pelo grau de dedicação aos estudos dos módulos, com base no desenvolvimento dos estudos e das
atividades;
2. pela presença e participação nos encontros presenciais;
3. pela realização das atividades finais dos módulos, propostas no caderno de atividades de cada mó-
dulo;
Atenção!
As atividades relativas às unidades de estudo dos módulos, disponíveis no caderno de atividades,
não serão corrigidas pelo tutor (com exceção da atividade final de cada módulo); são exercícios pro-
postos para a fixação e sistematização da aprendizagem e serão corrigidos por você, utilizando os
gabaritos e as chaves de correção. Isto não significa, no entanto, que você não possa discutir ou tirar
suas dúvidas com o tutor sobre as atividades. E lembre-se: você deve realizar os exercícios propostos
no caderno de atividades, embora estes não sejam avaliados, pois são muito importantes para o seu
processo de ensino-aprendizagem e fazem parte dos itens de avaliação pelo tutor. E, ainda: fuja da
tentação de verificar as respostas antes de realizar a atividade. Fazer isso significa desinteresse em
aprender e se desenvolver. Realize as atividades e depois verifique como foi seu desempenho. Caso
tenha cometido algum erro, releia o tópico específico relacionado àquela atividade em que você
teve dificuldade. Tente compreender o porquê de você ter se equivocado ou não ter compreendido
corretamente o conteúdo que aquela atividade pretendia avaliar. Nesse momento, você pode contar

Formação pela Escola


com a ajuda de colegas ou do tutor.
O que interessa, portanto, no processo de avaliação de aprendizagem não é verificar se você acer-
tou ou não a questão. O que importa é analisar sua capacidade de reflexão crítica frente às suas
experiências e novos conhecimentos, a fim de que possa transformar aquilo que julga limitado em
relação aos programas da Alimentação Escolar, do Livro Didático, do Transporte do Escolar ou do
Dinheiro Direito na Escola.

25
Para cada um dos três itens de avaliação descritos, o tutor ação que indicará se você atingiu os objetivos: plenamen-
utilizará critérios de avaliação e cada etapa terá um peso para te, parcialmente ou não atingiu os objetivos.
a nota final. Para que você seja aprovado em cada módulo e, A soma dessas pontuações, mais a nota da sua auto-ava-
conseqüentemente, no curso, é necessário que: liação, resultará na sua nota final.
:: tenha concluído e entregue a atividade final dos módu- Veja, então, quais são os critérios de avaliação:
los;
:: obtenha o mínimo de 60% de aproveitamento. a) Participação em cada encontro presencial
Você poderá realizar a atividade final de cada módulo in- :: Cooperação e atitude de respeito aos colegas nos tra-
dividualmente ou em grupo, de no máximo três pessoas. O balhos desenvolvidos.
trabalho pode ser um relato de experiência ou um plano de :: Interesse e participação nas atividades propostas.
ação, partindo da identificação de um problema específico
:: Responsabilidade em cumprir as tarefas propostas.
em sua comunidade escolar, cuja solução deverá ser encon-
trada tendo como referência o módulo específico em estudo b) Desenvolvimento dos estudos e das atividades em
e o contexto onde você está inserido. cada um dos módulos
:::: Os critérios de avaliação :: Cooperação e compreensão dos trabalhos desenvol-
Antes de ler os critérios, observe a tabela abaixo, com a vidos.
distribuição dos pesos das etapas de avaliação para a com- :: Interesse e participação nas atividades propostas.
posição da nota final:
:: Integração com o tutor.
Etapas da avaliação Peso
:: Pontualidade no cumprimento do cronograma e no
Participação no encontro presencial 20 desenvolvimento das atividades.
Desenvolvimento dos estudos e das atividades 25
a distância (estudo autônomo dos módulos) c) Atividade final de cada um dos módulos
Auto-avaliação 20 Identificação do problema
Atividade final 35
Caderno do cursista

:: Descrição do(s) problema(s) educacional(is) relacio-


Total 100 nado (s) com gestão e fiscalização dos recursos do pro-
grama em estudo na sua comunidade escolar.
Os critérios de avaliação e respectivas pontuações variam Explicitação dos objetivos
de uma etapa para outra. O tutor registrará sua avaliação em
quadros avaliativos, aplicando para cada critério uma pontu- :: Argumentação sobre os objetivos sociais de se forta-

26
lecer a participação da comunidade nas decisões e na é pré-requisito para a sua certificação.
fiscalização dos recursos do programa em estudo.
Muito bem, acreditamos que você já tenha todas as infor-
:: Clareza e objetividade na exposição das metas a se- mações necessárias para dar início ao seu curso, estudando e
rem atingidas pela comunidade escolar para superar as realizando as atividades do módulo de competências básicas.
dificuldades em relação ao programa. Vale ressaltar que caso você tenha dúvidas não deixe de pro-
Proposta de solução curar o seu tutor. Nas páginas seguintes, disponibilizamos para
você um conjunto de fichas para anotações de nomes, número
:: A partir dos objetivos propostos, identificar as indi- de telefones e e-mail dos tutores e coordenadores do Formação
cações de possíveis soluções e encaminhamentos que pela Escola e dos seus colegas de curso. Há também um mode-
podem ser tomados pela comunidade, parceiros e ges- lo de calendário para você organizar seus estudos. Em seguida,
tores dos programas. em Nossa conversa não se encerra aqui, há uma lista de in-
Você compreendeu bem como é o processo de avaliação da dicações de bibliografias, filmes e sites que serão úteis para o
aprendizagem? Caso você não tenha entendido algum detalhe, aprofundamento de seus conhecimentos. Veja, ainda, os ane-
procure seu tutor e tire suas dúvidas. Mas, ainda há outra ava- xos, onde consta uma lista de perguntas mais freqüentes e o or-
liação que você está convidado a fazer; é a avaliação do pro- ganograma de gestão do Formação pela Escola.
grama. Veja:
::: Avaliação do programa
A avaliação do programa é importantíssima, porque per-
mite que, a partir das críticas, observações e sugestões trazi-
das por você e por seus colegas, possamos verificar os prin-
cipais problemas no decorrer do desenvolvimento de todo o
projeto. Com base nesses dados, podemos realizar ajustes e
aperfeiçoamentos.
A avaliação do programa tem dois momentos. O primeiro

Formação pela Escola


se dá antes da matrícula, quando você preenche um formulá-
rio registrando as suas intenções e o nível de conhecimento
em relação aos programas do FNDE. Como você está lendo
este caderno, já passou por essa fase.
A segunda fase se dará ao final de cada módulo temático,
quando você preencherá outro formulário, dessa vez, ava-
liando o processo de formação do programa. Essa avaliação
27
3. Contatos importantes e calendário

Tutoria municipal

Nome do tutor do Formação:

Telefone:

E-mail:

Horário de atendimento:

Local de atendimento:

Coordenação estadual

Nome do coordenador estadual:

Telefone:

E-mail:
Caderno do cursista

Coordenação nacional

FNDE: formarpelaescola@fnde.gov.br

28
Meus colegas de curso Meus colegas de curso
Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Formação pela Escola


Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

29
Meus colegas de curso Meus colegas de curso
Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:
Caderno do cursista

Nome: Nome:

Telefone: Telefone:
E-mail: E-mail:

30
Calendário
Caro cursista, aproveite esse calendário para organizar seus estudos e atividades.
Módulo: mês: ano:

Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado


A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer

Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído

A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer

Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído

A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer

Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído

A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer

Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído

Formação pela Escola


A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer A fazer

Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído Concluído

31
4. Nossa conversa não se encerra Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
(FNDE)
aqui www.fnde.gov.br
Você encontrará, a seguir, referências bibliográficas, su- Secretaria de Educação a Distância (SEED)
gestões de livros, filmes e sítios da internet que lhe abrirão as
http://portal.mec.gov.br/seed
janelas para esse mundo da educação a distância e também
sobre como organizar sua vida, seus estudos, para que a “dis- Guias
tância” não seja empecilho ao ato de estudar e aprender. www.guiaead.com.br
Referências bibliográficas www.anuarioead.com.br
BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. Campinas, SP: Redes
Autores Associados, 1999.
Unirede (Universidade Virtual Pública Brasileira)
EMMETT, Rita. Não deixe para depois o que você pode fazer
agora. 6 ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. www.unirede.com.br

RODRIGUEZ, Concepción Férnandez. Aprender e estudar. Cederj (Consórcio Educação a Distância Rio de Janeiro)
Como superar as dificuldades nos estudos. São Paulo: Scipio- www.cederj.com.br
ne, 2000. (Pensamento e ação no magistério) On-Line UVB (Rede Brasileira de EaD – Univ. Virtual Brasi-
LITWIN, Edith. Educação a Distância. Porto Alegre: ArtMed, leira) – www.uvb.br
2001. Ricesu (Rede Católica Ensino Superior)
PRETI, Oreste. Estudar a distância: uma aventura acadêmica. www.ricesu.com.br
Vol 1 – Ser estudante a distância. Cuiabá: EdUFMT, 2005.
Veredas (Rede de Instituições de Ensino Superior de Mi-
SCHLENGER, Sunny; ROESCH, Roberta. Organize-se! S. Paulo: nas Gerais)
Harbra, 1992.
Associação e-learning Brasil
SILVA, Adelina L. da; SÁ, Isabel de. Saber Estudar e Estudar
Caderno do cursista

para Saber. Porto: Porto, 1997. www.elearningbrasil.com.br


Rede Senai de EaD
Sítios
www.senai.br/ead
Informes gerais
Associação Brasileira de EaD
Ministério da Educação (MEC)
www.abed.org.br
www.mec.gov.br
32
Universidade Virtual Brasileira www.saladeaulainterativa.pro.br
www.univir.br www.nead.ufmt.br
Instituições / cursos a distância www.intelecto.net/textos
www.nead.ufmt.br www.abed.com.br
www.uoc.edu www.fcae.nova.edu/disted/spring97/editorial.html
www.cead.net.com.br http://penta.ufrgs.br/edu/edu1.html
www.cursosonline.cogeae.pucsp.br www.cciencia.ufrj.br/educnet/eduead.htm
www.virtus.ufpe.br Filmes
www.geocities.com/spmostafa/univali (fontes eletrônicas) :: Nunca te vi. Sempre te amei
www.prossiga.br/comoachar (pesquisa na internet) :: Mensagem para você
http://ead.fundap.sp.gov.br/ead.html :: Narradores de Javé
www.cogeae.pucsp.br (cursos on line)
www.unoparvirtual.com.br
www.educasoft.com.br
www.eca.usp.br/prof/morin
www.intelecto.net/abt
www.ibmec.br/ead (cursos e-learning)
www.senai.br/ead
Revistas - artigos

Formação pela Escola


www.proinfo.gov.br
www.icoletiva.com.br
www.nied.unicamp.com.br/oea
www.teleduc.nied.unicamp.br
www.aquifolium.com.br/educacional/artigos

33
Caderno do cursista

34
Anexos
Anexo A
Atividade final do módulo
Ao final de cada módulo, será proposta uma atividade para que você identifique, em sua comunidade, uma situação pro-
blemática em relação ao programa do FNDE estudado e busque, ou aponte uma solução. A solução deve ser encontrada
tendo como referência o módulo específico concluído e o contexto em que você está inserido.
O relatório tem como finalidade principal que você, a partir da investigação na comunidade, levantando dados em que as
possibilidades dos resultados são inúmeras, estabeleça um processo de indagação e de conhecimento da realidade local. Isso
permitirá a você rever seus conhecimentos e experiências e fortalecerá o desenvolvimento de sua autonomia e a qualidade
de suas produções.
Para a redação e apresentação desse relatório, sugerimos o seguinte roteiro:

Introdução
Na introdução você situa, pelo menos, os seguintes aspectos:
:: dados e informações sobre o programa em sua comunidade ou em seu município ou estado;
:: como está sendo desenvolvido e, caso você esteja envolvido no programa, qual sua participação;
:: o que você considera problemático em relação a esse programa e que merece ser estudado;
:: o que você pretende alcançar com esse seu trabalho final do módulo.

Desenvolvimento do estudo
Neste item você vai descrever como realizou o trabalho:

Formação pela Escola


a) em que local (comunidade, escolas, secretarias);
b) quem foram as pessoas que você visitou, entrevistou, observou (gestores, conselheiros, técnicos, servidores, pais, profes-
sores, alunos);
c) que dados coletou (documentos, depoimentos, registros, relatórios, atas);
d) como organizou o material coletado (tabelas, gráficos, resumo dos depoimentos por assuntos).
37
Análise da situação
Faça uma breve análise dos dados coletados (com tabelas, gráficos, etc.), tecendo comentários.

Encaminhamentos
A partir dos dados levantados e da sua compreensão sobre situações problemáticas que você detectou, aponte possíveis
soluções, encaminhamentos que podem ser dados pelos gestores, pelos participantes do programa ou pela comunidade.

Conclusão
Conclua com uma avaliação de sua formação neste módulo.
:: Você conseguiu alcançar seus objetivos nesse relatório? Por quê?
:: Como você poderá contribuir para resolver os problemas que você levantou no seu estudo?
:: O curso contribuiu em sua formação, na compreensão do programa em estudo e no encaminhamento de soluções? De
que maneira?
:: O que você pretende alcançar com esse seu trabalho final do módulo.
No encontro presencial, você irá apresentar essa sua atividade final que, depois, poderá ficar disponível no sítio do curso
Formação pela Escola, no portal do FNDE, para ser socializada com os cursistas de outros municípios e estados. Portanto, ca-
priche!
Anexos

38
Anexo B
Organograma – níveis de gestão do Programa Formação pela Escola

Coordenação FNDE
nacional SEED Gestão compartilhada

Coordenador Gestão em nível estadual


estadual Apoio à coordenação
de tutoria estadual

Coordenação
estadual
Orientadores
estaduais

Apoio à tutoria municipal

Especialistas estaduais
nos programas do

Formação pela Escola


FNDE

Tutoria Tutores do
municipal Formação Apoio aos cursistas

39
Anexo C
Perguntas freqüentes

1. O que é o Formação pela Escola?


O Formação pela Escola é um curso de formação continuada a distância, criado para capacitar pessoas que atuam ou que
pretendem atuar na gestão, execução, prestação de contas e no controle social dos programas do FNDE, objetivando melho-
rar a utilização dos recursos públicos a eles destinados.
O Formação pela Escola abrange especificamente os seguintes programas do FNDE: Programa Dinheiro Direto na Escola
(PDDE), Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Programas de Transporte do Escolar (PTE) e Programas do Livro
(PLi).

2. O que é o FNDE e quais são suas principais ações educacionais?


O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é o braço operacional do Ministério da Educação (MEC). Ele
executa as transferências de recursos públicos destinados à educação e também desenvolve ações específicas por meio de
vários programas voltados à alimentação, ao transporte escolar, ao livro didático, à manutenção das escolas, dentre outros.

3. Por que foi criado o Formação pela Escola?


O Formação pela Escola foi criado para fortalecer a atuação dos agentes e parceiros envolvidos com execução, acompanha-
mento, avaliação e prestação de contas dos programas educacionais, financiados pelo FNDE.

4. Por que este curso é desenvolvido a distância?


O FNDE, apesar de seus esforços, vem encontrando restrições de recursos humanos e financeiros para divulgar e capacitar
operadores de seus programas. Isso ocorre em virtude da grande extensão do nosso território nacional. São 5.564 municí-
pios. Por isso, esse curso foi estruturado a distância: para que tenha alcance em todo o país. Assim, será possível capacitar um
grande número de pessoas que trabalham com os programas do FNDE ou que queiram se inserir nas atividades de gestão e
Anexos

controle dos recursos públicos destinados a esses programas. E como o alcance será maior, haverá uma maior democratização
do acesso ao conhecimento.
40
5. Qual é o objetivo do Formação pela Escola?
Especificamente, este programa visa possibilitar aos gestores dos programas do FNDE formação especial para o desempe-
nho da correta e adequada aplicação dos recursos financeiros do Fundo, bem como estimular o exercício do controle social
nos programas escolares e aumentar a participação dos gestores estaduais, municipais e da comunidade escolar nas instân-
cias decisórias, de modo a elevar a qualidade da gestão democrática nas escolas.

6. Quem poderá participar do Formação pela Escola?


Poderão participar gestores, conselheiros, diretores, professores, merendeiras, pais de alunos, representantes da comuni-
dade, enfim, todas as pessoas envolvidas com os programas do FNDE e interessadas em melhorar a utilização dos recursos
públicos na educação.

7. Quais são os estados participantes?


Na fase piloto, participaram seis estados: Ceará, Goiás, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Rondônia, com sete muni-
cípios cada. Atualmente, todos os estados do país estão participando do programa e o número de municípios varia de acordo
com a quantidade de escolas de ensino fundamental e médio que atendem mais de 150 e 300 alunos respectivamente.

8. Como participar do Formação pela Escola?


Inicialmente o interessado deverá observar se a sua cidade é uma das contempladas no estado. Esta e outras informa-
ções, como prazos de matrícula, poderão ser obtidas na secretaria de educação do município. Caso o município seja um dos
participantes do programa, o cursista deverá preencher uma ficha de pré-matrícula junto à secretaria municipal de educação.
Na época apropriada, a secretaria efetivará a matrícula dos cursistas. Lembramos que qualquer pessoa pode pretender par-
ticipar do Formação pela Escola como cursista, desde que desempenhe ou pretenda desempenhar atividades relacionadas a
um ou mais programas do FNDE (PDDE, Pnae, PTE e PLi).

Formação pela Escola


9. Quem são os parceiros envolvidos no Formação pela Escola?
Esse curso é fruto de uma parceria entre o FNDE e a Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação (SEED/
MEC). Além disso, a consecução do Formação pela Escola está baseada em um modelo de intensa colaboração e trabalho em
rede com os estados e os municípios. O sucesso do desenvolvimento do programa se deve, em grande parte, à colaboração e
apoio dos sistemas educacionais parceiros.

41
10. Como o curso está estruturado?
O curso é composto por cinco módulos de estudo, divididos em um módulo de competências básicas e quatro módulos
temáticos.
Módulo de competências básicas: trata sobre as políticas públicas educacionais, implementadas pelo governo federal, e
mais especificamente sobre os programas geridos pelo FNDE.
Módulos temáticos: são oferecidos cinco módulos temáticos, sendo cada um dedicado a um dos diferentes programas
desenvolvidos pelo FNDE, a saber:
:: Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE
:: Programas de Transporte do Escolar – PTE
:: Programas do Livro – PLi
:: Programa Nacional de Alimentação Escolar – Pnae
No Formação pela Escola a única obrigatoriedade é que o cursista conclua o módulo de competências básicas antes de
concluir qualquer módulo temático. O cursista pode estudar mais de um módulo temático, sem ter de cursar o módulo de
competências básicas novamente.

11. Qual é a carga horária do curso?


Cada módulo do curso tem uma carga horária de 40 horas. Como o curso inclui o módulo de competências básicas e, no
mínimo, um módulo temático, sua carga horária total é de 80 horas, sendo 12 horas presenciais e 68 horas de estudos autô-
nomos, realizados a distância.

12. Haverá encontros presenciais?


Sim. Haverá três encontros presenciais, com duração de quatro horas cada: um no início do curso; outro ao final do módulo
de competências básicas; e outro ao final do módulo temático.

13. Qual será o tipo de material didático utilizado?


Para cada módulo, o material didático será composto por três elementos:
Anexos

:: Um caderno de estudo, que contém o texto básico. É ele que agrega todas as informações sobre o programa em estudo,

42
sua legislação específica, sua dinâmica e obrigações dos participantes. Traz, ainda, recomendações de leitura, de filmes
e sítios, caso o cursista queira se aprofundar ainda mais no assunto. Periodicamente, no caderno de estudo, você será
convidado a fazer atividades como forma de facilitar a organização de seu estudo e sistematizar as informações que já
foram apresentadas.
:: Um caderno de atividades, que contém os exercícios que você deverá realizar durante a leitura do caderno de estudo.
Essas atividades foram especialmente preparadas para serem interessantes e estimular você a relacionar a sua prática
com as novas reflexões trazidas pelo texto. Junto às atividades existem a chave de correção e o gabarito. A chave de
correção difere um pouco do gabarito, pois, diversas vezes, ela não traz a resposta diretamente, mas aponta o caminho
para a resposta correta.
:: Um vídeo, que será entregue ao tutor e por ele apresentado nos encontros presenciais, com o objetivo de sensibilizar,
mobilizar, deflagrar reflexões e discussão e também promover a socialização de experiências bem sucedidas. Serão
vídeos curtos, em torno de doze minutos cada um, especialmente preparados para o programa.
O caderno de estudo e o de atividades serão distribuídos aos cursistas de forma gratuita sempre no início de cada módulo.
Eles serão seus materiais de consulta, inclusive quando o curso terminar. O vídeo será distribuído somente ao tutor e será
veiculado também nas escolas que dispõem do programa TV Escola.
Além da forma impressa e dos vídeos, o material didático também será oferecido, para consulta, na versão virtual. Todo o
material, incluindo os vídeos, será disponibilizado via internet, em ambiente de aprendizagem Moodle, e no site do programa
Formação pela Escola, no portal do FNDE.

14. Quem responderá as dúvidas dos cursistas no decorrer do curso?


O cursista será auxiliado por seu tutor na resolução de dúvidas. O Formação pela Escola tem um sistema de apoio à apren-
dizagem, chamado de tutorial municipal. Esta tutoria se constitui de tutores responsáveis pelo acompanhamento e orienta-
ção pedagógica dos cursistas em cada município.

15. Como será a avaliação?

Formação pela Escola


A aprendizagem será avaliada de duas formas: a auto-avaliação e a avaliação pelo tutor.
A auto-avaliação, como o próprio nome diz, será aquela feita pelo próprio cursista. O cursista irá avaliar seu desempenho
ao longo dos estudos e ao final de cada módulo, preenchendo uma ficha de auto-avaliação, e aplicará a si próprio uma nota
(até 20 pontos). O cursista também será avaliado pelo seu tutor, que verificará a participação nos encontros presenciais, a
dedicação aos estudos e a realização da atividade final da cada módulo.

43
16. Pode-se realizar o estudo de mais de um módulo temático?
A realização de outros módulos temáticos depende do interesse e da necessidade dos participantes. Se o cursista desejar,
poderá fazer todos os módulos, sendo que o de competências básicas será feito apenas uma vez, no início do curso.

17. Haverá certificação?


Sim. Receberá certificado de 80 horas, o cursista que concluir o módulo de competências básicas e um módulo temático.
Para cada módulo temático cursado a mais, será emitido um certificado de 40 horas, visto que não será necessário estudar o
módulo de competências básicas novamente.
Anexos

44
Presidência da República
Ministério da Educação
Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
Programa Nacional de Formação Continuada
a Distância nas Ações do FNDE

Cursista