Você está na página 1de 2

O Que é Haicai?

O haicai é um tipo de poema com origem no haiku, pequeno poema de


origem japonesa.

Esse haicai tradicional ou clássico diretamente vindo da fonte japonesa,


segundo Hidekazu Masuda Goga, o Mestre Goga, um de seus introdutores e
divulgadores entre nós, possui determinadas características, das quais destacamos
algumas ideias centrais:

 É um poema conciso em uma oração com sentido completo, formado por


aproximadamente 17 sílabas métricas ou poéticas (contadas até a última
sílaba tônica) distribuídas em três versos de 5-7-5 sílabas, sem rima nem
título e com uma referência à natureza, mediante a utilização de um “termo
de estação do ano” (ou kigo, em japonês);
 O haicaísta, ou haijin, capta um evento que está acontecendo aqui e agora,
não no passado ou como expectativa de ocorrência no futuro, “eternizando”
o que é fugaz;
 O haicai, em sua origem japonesa, é um poemeto popular. Por isso, o haijin
deverá respeitar a simplicidade; evitar o raciocínio e “enfeites” ou “termos
poéticos” e se valer de palavras de uso cotidiano, de fácil compreensão;
 O haicai é um diálogo entre o autor e o leitor, por isso ele não deve explicar
tudo, mantendo algo de “mistério” a ser completado por quem o lê.

A referência à estação do ano, mediante o uso do kigo, serve para situar a


época do ano em que o poema foi composto pois, segundo Mestre Goga, “o kigo
carrega o sentido poético e abrange todo o ambiente em que surgiu o poema. Por
exemplo, o ipê floresce na primavera e os haicaístas que compõem o poema
consideram o ipê como um dos kigo de primavera (...) O kigo é a chave do haicai.
É a chave para se decifrar o segredo de sua brevidade”. A lista completa dos termos
de estação pode ser obtida no arquivo disponibilizado nesta página (O Zen do
Haicai).

Um exemplo de um haicai de Teruko Oda, em estilo tradicional:

Sú/bi/to a/gua/cei/ro — (5 sílabas métricas)


Pe/los/ be/cos/ da /fa/ve/la (7 sílabas métricas)
Cor/ri/da/ de/ ra/tos. (5 sílabas métricas)

Nele, tem-se todas as características acima listadas: escrito em três versos


de 5-7-5, totalizando 17 sílabas poéticas; o poema foi escrito no verão, pois
“aguaceiro” é um kigo de verão; não tem rima ou título; seu texto é simples e
escrito com palavras de uso diário e o leitor pode “ver” a cena e desenvolvê-la em
sua mente. Mas, sobretudo, o haicaísta captou um evento particular ocorrendo
“aqui e agora”, eternizando-o, pois não fosse o seu olhar, tal ocorrência passaria
sem registro. Tudo isso, em um texto com haimi, ou seja, “sabor de haicai”.
É justamente esse haimi, esse “sabor de haicai” que não se explica, mas se
sente, que propicia a existência de outros estilos de haicai entre nós,
“tropicalizados”, abrasileirados, que englobaríamos como haicais livres. O sabor
de haicai dessa forma, estará no centro do pequeno poema que, embora não siga a
linha tradicional, manterá o “quê” de haicai necessário, diferenciando-o de um
mero terceto, vejamos:

“O HAIKAI

Lava, escorre, agita


A areia. E, enfim, na bateia
Fica uma pepita.”
Guilherme de Almeida
.

“Esta vida é uma viagem


pena eu estar
só de passagem.”
Paulo Leminski
.

“Lá vai o magistrado


Com seu ar
De injustiçado”
Millor Fernandes
.

‘O mar apaga
As últimas pegadas:
Praia vazia”
José Lira

São só alguns exemplos: com título, rima, métrica livre, sem termo de
estação, mas todos haicai, por ter haimi, sabor de haicai.

Alguns endereços para pesquisa na internet:

http://www.kakinet.com/cms/
http://www.nippobrasil.com.br/zashi/2.haicai.petalas/semana.shtml
http://www.sumauma.net/index.php

Tem-se muito mais a descobrir, é só pesquisar e escrever!

-x-

O Zen do Haicai
https://www.facebook.com/groups/ozendohaicai/

Interesses relacionados