Você está na página 1de 17

1

CONDUÇÃO DE CALOR EM REGIME TRANSIENTE

Método da Capacitância Global

Exemplo: metal quente repentinamente colocado em um recipiente com líquido frio


2

Ti

Too T(t)

alta condutividade térmica: a resistência à condução no interior do sólido pode ser desprezada!!!

Balanço de Energia:
. . . .
Ee + Eg = Eac + Es

dT
ρc p V + hAsup (T − T∞ ) = 0
dt

θ ≡ T − T∞ θi ≡ Ti − T∞

ρc p V dθ
= −θ
hAsup dt
3
Separando e integrando:
ρc p V θdθ t
∫ = − ∫ dt
hA sup θi θ 0

ρc p V θ θ   hAsup  
ln i = t ou = exp −  t 
hAsup θ θi  
  ρc p V  

1
Constante de tempo: τ t = × ρVc p = R t C t
hA sup

t t
Total de energia transferida: Q = ∫ qdt = hA sup ∫ θdt
0 0

  t 
Q = ρVc pθi 1 − exp − 
  τ t 
4
Validade do Método da Capacitância Global

Ts1
h,Too

Ts2

Regime estacionário: balanço de energia na superfície:

kA
(Ts1 − Ts 2 ) = hA(Ts 2 − T∞ )
L

Ts1 − Ts 2 L / kA R cond hL o
= =
Ts 2 − T∞ 1 / hA R conv
=
k
(
n de Biot )
Quando Biot (Bi) é pequeno:

• Ts1 − Ts 2 é pequeno: a distribuição de temperatura ao longo do sólido é praticamente constante

• Ts 2 − T∞ é grande: a resistência térmica à convecção é muito maior do que a resistência térmica à condução.
5
Regime transiente:

Ti Ti Ti

Too Too Too

Bi<<1 Bi=1 Bi>>1

hL c
Bi = < 0,1
k
Lc: comprimento característico (razão entre o volume do sólido e sua área superficial

parede cilindro

esfera

ro
2L ro

Lc=L Lc=ro/3
Lc=ro/2
6
Voltando à equação da temperatura pelo método da capacitância global:

θ   hA     h 
= exp −  sup  t  = exp −  t 
θi    
  ρc p V     ρc p L c  

θ   hL k     αt  
= exp −   = −  Bi 2  = exp[− (BiFo)]
c
t exp
θi  2
k ρc p Lc     L c 
  

αt
Número de Fourier (Fo) = 2
Lc

Se Bi < 0,1 ⇒ pode-se utilizar o método da capacitância global


7
Análise Geral Via Capacitância Global

q"rad

q"sup
Eg,∆Eac q"conv

h,Too

Asup,h Asup,c,r

Balanço de Energia

∂T
′′ Asup, h + E& g = (qconv
qsup ′ ) Asup, c , r + ρVc p
′′ + q′rad
∂t

∂T
′′ Asup, h + E& g − [h(T − T∞ ) + q′rad
qsup ′ ]Asup, c , r + ρVc p
∂t

Se a radiação for desprezada e h não varia com o tempo, a solução desta equação é:

b
T − T∞ = (Ti − T∞ ) exp(−at ) + [1 − exp(−at )]
a

hAsup, c ′′ Asup, h + E& g


qsup
a= b=
ρVc p ρVc p
8
Exercícios

1. A placa da base de um ferro de passar roupas com uma espessura de 7mm é feita de uma liga de alumínio
(ρ=2800 kg/m3; cp=900 J/kg; k=180 W/mK). Um aquecedor de resistência elétrica é colocado no interior do
ferro, enquanto a superfície externa é exposta ao ar ambiente a 25oC. As áreas interna e externa da superfície
são iguais a 0,04 m2. Se um fluxo de calor aproximadamente uniforme de q”=1,25x104 W/m2 for aplicado à
superfície interna da base da placa e se o coeficiente de convecção na superfície externa for h=10 W/m2K,
estime o tempo necessário para a placa alcançar a temperatura de 135oC.

2. Estime o tempo necessário para cozinhar uma salsicha de cachorro quente em água fervente. Considere que a
salsicha esteja inicialmente a 6oC, que o coeficiente de transferência de calor por convecção seja de 100
W/m2K e que a temperatura final na sua linha de centro seja de 80oC. Trate a salsicha como se ela fosse um
longo cilindro com 20 mm de diâmetro, possuindo as seguintes propriedades termofísicas: ρ=880 kg/m3,
c=3350 J/kgK e k=0,52 W/mK.

3. Eixos cilíndricos de carbono AISI 1010 (c=685 J/kgK; ρ=7832 kg/m3; k=39,2 W/mK) de 0,1m de diâmetro
são submetidos a tratamento térmico em um forno a gás, cujos gases estão a 1200K e fornecem um
coeficiente de convecção de 100 W/m2K. Se os eixos entram no forno a 300K, quanto tempo devem
permanecer no forno para atingirem a temperatura de linha de centro de 800K?
9
Efeitos Espaciais

∂T ∂ 2T
Sem geração interna, k constante: ρc p =k 2
∂t ∂x
x

h,Too T(0)=Ti h,Too

2L
Condição Inicial: T( x ,0) = Ti

Condições de Contorno:
∂T
= 0 em x = 0
∂x
∂T
−k = h (T − T∞ ) em x = L
∂x

T = T(x , t , α, k , h , Ti , T∞ , L )
10
Adimensionalização:

θ T − T∞ x
θ* = = x* =
θi Ti − T∞ L

Na equação:
∂ 2T (
∂  ∂T  ∂  ∂ (Ti − T∞ )θ* + T∞
=  =
) = ∂  (Ti − T∞ ) ∂θ* 
∂x 2 ∂x  ∂x  ∂x  ∂ x *L ( ) 
 ∂x  L ∂x * 

(T − T∞ )
= i
∂ ∂θ*  (Ti − T∞ ) ∂ 2θ*
 =
L ( )
*  *
∂ x L  ∂x  L2 ∂x *2

∂T ∂
[
= (Ti − T∞ )θ + T∞ = (Ti − T∞ )
∂t ∂t
*
]
∂θ*
∂t
Substituindo na equação:
(Ti − T∞ ) ∂ 2θ* = (Ti − T∞ ) ∂θ*
L2 ∂x *2 α ∂t
∂ 2θ* 1 ∂θ* ∂θ* ∂θ*
= = =
( )
∂x *2 α / L2 ∂t ∂ αt / L2 ∂Fo ( )
11

∂ 2θ* ∂θ*
=
∂x *2 ∂Fo

Condição Inicial: θ* = 1 em Fo = 0

∂θ*
= 0 em x * = 0
∂x *
Condições de Contorno:
∂θ*
= −Biθ* em x * = 1
∂x *

T = T(x , t , α, k , h , Ti , T∞ , L ) (
θ* = θ* x * , Fo, Bi )
12
Parede Plana com Convecção:

a) Solução Exata:
x

h,Too h,Too

-L +L


( ) (
θ = ∑ C n exp − ζ 2n Fo cos ζ n x *
*
)
n =1

4 sen ζ n
Cn =
2ζ n + sen (2ζ n )
ζn são as raízes positivas de ζ n tgζ n = Bi

As quatro primeiras raízes são fornecidas no Apêndice B3 (Incropera)

b) Solução aproximada: Fo > 0,2 ⇒ Truncar a série no primeiro termo!!!

(
θ* = C1 exp − ζ12 Fo cos ζ1x *) ( )
13
14

Transferência total de energia:

(Quantidade de energia que deixou a parede até um dado instante de tempo t)

E e − E s = ∆E ac = E(t ) − E(0 )

E s = Q = −(E(t ) − E(0 ))

Q = − ∫ ρc p [T (x , t ) − Ti ]dV

Definindo: Q 0 = ρc p V[Ti − T∞ ]

Q ρc p − [T(x , t ) − Ti ] dV
= ∫
Q 0 ρc p Ti − T∞ V

θ T − T∞ Ti − T
θ* = = 1 − θ* =
θi Ti − T∞ Ti − T∞

Q 1
Q0 V
(
= ∫ 1 − θ* dV )
Utilizando a forma aproximada da equação para θ*:
15
Q ζ
= 1 − sen 1 θ*0
Q0 ζ1

(
em que θ*0 = C1 exp − ζ12 Fo )
(temperatura no centro da parede, x=0)

Sistemas radiais com Convecção:

a) Cilindro

( ) ( )
θ* = C1 exp − ζ12 Fo J o ζ1r*

θ*0

em que r* = r / r0 e Fo = αt / r02

Q 2θ*0
= 1− J1 (ζ1 )
Q0 ζ1
16
b) Esfera

(
θ* = C1 exp − ζ12 Fo )ζ 1r* sen(ζ1r* )
1

θ*0

Q 3θ*0
= 1 − 3 [sen (ζ1 ) − ζ cos(ζ1 )]
Q0 ζ 1
17
Exercícios

1. Em tratamento térmico para têmpera de esferas de aço de rolamentos (c=500 J/kgK; ρ=7800 kg/m3; k=50
W/Mk), é desejável elevar a temperatura da superfície por um pequeno tempo sem aquecimento significativo
do interior da esfera. Esse tipo de aquecimento pode ser obtido imergindo subitamente a esfera em um banho
de sal liquefeito a 1300K (h=5000 W/m2K). Admitir que qualquer local da esfera cuja temperatura exceda
1000K irá ser temperado. Estime o tempo necessário para alcançar a profundidade de têmpera de 1
milímetro em uma esfera com 20mm de diâmetro, se a sua temperatura inicial for 300K.

2. Uma pedra esférica de granizo de 5 mm de diâmetro é formada em nuvens de elevada altitude a -30oC. Se a
pedra começa a cair através do ar morno a 5oC, quanto tempo ela levará para que a superfície externa comece
a descongelar? Qual é a temperatura no centro do granizo neste instante? Um coeficiente de transmissão de
calor por convecção de 250 W/m2K pode ser considerado, e as propriedades do granizo podem ser tomadas
como as propriedades do gelo (ρ=920kg/m3; cp=2040 J/kg; k=1,88 W/mK ).