Você está na página 1de 40

AS LIÇÕES DA ÁGUA

Ela nunca discute com os obstáculos, ela simplesmente desvia… Por isso, não gaste energia
brigando porque fecharam uma porta para você, procure as janelas!

A água nunca discute com seus obstáculos, apenas os contorna. Mostrava-se várias
paisagens com cachoeiras e se dizia q mesmo tendo muitas pedras entre elas, a água tão
forte e tão delicada desviava de todas e abria um novo caminho para passar

“A ÁGUA VAI PELO CAMINHO MAIS FÁCIL” – Não pelo caminho mais curto, complicamos
tudo, teorizamos, complexamos, valorizamos o trabalho árduo, o sofrimento. Para os sábios
orientais: “QUALQUER COISA QUE EXIJA ESFORÇO DEMAIS NÃO É NATURAL”. Ou as
coisas acontecem naturalmente, sem desgastes, ou estamos atrás de alguma coisa que não
corresponde às possibilidades do momento. O ego e a ansiedade é que criam o desejo de
que os caminhos mais fáceis sejam também os mais curtos.

“A ÁGUA FLUI POR ONDE É POSSÍVEL” – O rio não reclama, não pensa na distância a ser
vencida, ele apenas flui, não tem ego, não se aborrece. Isso é sabedoria, deixar a vida fluir,
sem se aborrecer, tendo confiança em SÍ.

“A AFINIDADE DISPENSA O ESFORÇO” – A água procura o úmido e o fogo procura o seco.


Na natureza as coisas acontecem por afinidades, a água corre com mais facilidade numa
superfície úmida, se estivesse seca seria sugada antes de fluir, o fogo se propaga melhor
num material seco. Nas relações afetivas, nas amizades, nas parcerias de trabalho, as coisas
também funcionam dessa forma. Não há esforço, tudo é gratificante. A afinidade une os
corações de forma espontânea, não gera conflitos nem discórdias pelo poder.

“A ÁGUA NÃO BRIGA COM OS OBSTÁCULOS” – Quando a água encontra uma pedra pelo
caminho, ela não fica histérica, nem parada. Ela não perde energia e tempo por causa de um
incidente tão sem importância. A água se desvia da pedra e segue tranquilamente. Em
qualquer guerra, briga ou desavenças, os dois lados se machucam!

Os desafios surgem para que possamos ultrapassá-los, sem raiva ou desespero. O ser
humano é muito maior do que os obstáculos. Se alguém ofendeu, brigou, faça como a água,
desvie-se desta energia densa, tenha compaixão e continue sua caminhada.

“A ÁGUA TEM UMA MISSÃO A CUMPRIR” – Assim como o rio que tem o propósito de levar
suas águas para o mar, nós também temos uma missão de vida a cumprir. O rio ao fluir, irriga
as margens, deixa matéria orgânica, multiplica a vida por onde passa – humildemente,
incondicionalmente. Qual a sua missão? Na nossa caminhada multiplicamos vida, irrigamos
de amor as margens, somos solidários?

“A ÁGUA SE ACUMULA ATÉ ENCONTRAR A BORDA MAIS BAIXA” – Diante de um


buraco, a água vai para o fundo, se não encontrar saída, ela se acumula e preenche o fosso.
O nível da água se eleva até encontrar uma borda mais baixa e assim ela sai do buraco e
continua seu fluxo.

Numa situação de dificuldade, deveríamos ir para o fundo, interiorizarmos até naturalmente


encontramos a saída mais fácil (borda mais baixa). A água não vacila, não tem medo, não
retrocede ante nenhuma queda e nada a faz perder sua natureza essencial. Ela permanece
fiel a si mesma em todas as circunstâncias. É a lição da calma e da confiança na vida.
“A ÁGUA AGITADA FICA TURVA” – Num lago ou rio, quando as águas estão muito agitadas
elas ficam turvas. Quando nossa mente está muito agitada, com excesso de pensar, não é
possível “ver o fundo”, interiorizar. Quando a água entra em repouso, novamente ela fica
cristalina. Quando aquietamos nossa mente encontramos as respostas para todas as nossas
questões.

“O QUE MANTÉM A VIDA DA ÁGUA É O FLUXO” – Os grandes mestres perceberam que


tudo na vida é fluxo, tal qual a água. A vida é mutação, ciclo, impermanência. A vida só se
mantém por causa do fluxo. Fluxo não é “se deixar levar”, correr. Fluxo é entrar e sair,
circular, é aproveitar o que é necessário e eliminar o que não serve mais. O acúmulo de todas
as coisas, incluindo ressentimentos e bens materiais, não faz o homem mais feliz.

“O OCEANO É GRANDE PORQUE FICA NO LUGAR MAIS BAIXO” – O oceano fica onde
ninguém quer ficar, no lugar mais baixo. Todos nós queremos o pódio, estar “por cima”.
Nossa sociedade é competitiva. Só é grande aquele que é humilde. A água não se esforça
para ficar nos lugares mais altos, não tem intenção de ir para o topo das montanhas. Ela é o
melhor exemplo do que significa servir.

A missão da água é servir. Servir significa beneficiar, usar nosso talento e conhecimentos
para colaborar com o desenvolvimento da sociedade. Quando descobrimos, que com
qualquer trabalho, por mais humilde que ele possa ser, podemos servir a humanidade,
percebemos que somo instrumentos de algo que ultrapassa o ego. O oceano é a
receptividade. O oceano não tem preconceitos.

“EXISTE UMA ÚNICA ÁGUA NO MUNDO” – A água que hoje existe na Terra é a mesma
desde a sua formação. Ao beber um copo de água, não se bebe apenas água. Bebe-se a
memória da água e toda a história do planeta. A água que bebemos hoje, já foi chuva, rio,
gelo, já foi vapor, já foi lágrima, urina, orvalho. Esta percepção levou os sábios chineses a
idéia de Unicidade. Para eles a água não é só sábia, mas, especialmente sagrada. Como a
água é uma só, tudo no mundo é uma coisa só e se tudo é uma coisa só, quando se toca uma
parte, toca-se o todo. E TUDO É SAGRADO.

GRIFO:A ÁGUA VAI PELO CAMINHO MAIS FÁCIL

Os mestres dizem: "A água vai pelo caminho mais fácil". Quando vemos um filete de água no
quintal ou o curso do rio numa paisagem, é fácil "entender" esta frase. Mas quantos de nós
paramos para pensar sobre essa realidade antes de ter lido ou ouvido estas palavras? Que a
água vai pelo caminho mais fácil é um fato tão natural e óbvio que não paramos para pensar
sobre o que isso significa. Quando observamos nossos próprios comportamentos, temos
impressão que gostamos de complicar tudo.

Para os sábios orientais, qualquer coisa que exija esforço demais, não é natural. Ou as coisas
acontecem naturalmente, sem desgastes, ou a pessoa está atrás de alguma coisa que não
corresponde às possibilidades do momento. Se existe esforço excessivo a pessoa pode estar
tomada pelo desejo e pela obstinação. E, muitas vezes, para conquistar o objeto de desejo,
ela acaba tendo atitudes insensatas como ir pelo caminho de maior atrito e de maior
dificuldade.

Tudo funciona melhor quando existe afinidade entre os elementos. Numa relação afetiva, na
amizade, nas parcerias de trabalho, na ascensão profissional, as coisas funcionam dessa
forma. Quando uma pessoa gosta do que faz, é mais fácil progredir. Não há esforço, tudo é
gratificante. Quando as pessoas são afins, não há formalidades. As coisas fluem.

Não é esforço nenhum para a água descer um terreno em declive e pelos caminhos
abertos.
A ÁGUA NÃO BRIGA COM OS OBSTÁCULOS

Quando a água encontra uma pedra pelo caminho, não fica histérica. Ela não fica lá, parada,
dedo em riste, dando aulas de boas maneiras, nem xingando a mãe da pedra. Não vê
vantagem nenhuma em perder tempo e energia por causa de um incidente tão sem
importância.

Existem inúmeras situações no cotidiano - quase todas - que são bobagens, simples pedras
de rio. Acontecem muitos incidentes em casa, no trabalho, no trânsito, na escola, no hotel, no
restaurante, no cinema, mas poucas situações merecem aborrecimento e atitudes drásticas.

Em vez de pensar em coisas pequenas, é melhor nos concentrarmos em coisas importantes.


A água do rio vai para o mar, para o grande. É para isso que ela está no fluxo. É isso que
importa. O resto são percalços naturais do curso.

Tanto quanto o rio tem o propósito de levar suas águas para o mar, nós também temos uma
missão de vida a cumprir. Se ficarmos enroscados em cada um dos pequenos aborrecimentos
do dia-a-dia, isso só vai envenenar nossa vida. Há um consumo grande de tempo e energia
quando nos irritamos e brigamos com as pessoas. Não vale a pena.

Se fluirmos como um rio, não haverá nenhum desperdício, nenhuma perda. Nenhuma pedra.
Ao contrário, ao fluir, nos sentiremos gratificados e felizes por estar cada vez mais perto da
nossa verdadeira natureza e da nossa missão.

Sabedoria é agir com suavidade, com diplomacia e não brigar com os obstáculos.

A ÁGUA SE ACUMULA ATÉ ACHAR A BORDA MAIS BAIXA

Ao deparar com um buraco, a água se precipita até o fundo. Se não encontrar saída, ela se
acumula e preenche o fosso. À medida que se acumula, o nível da água se eleva até
encontrar uma borda baixa. Assim, ela sai do buraco e continua seu fluxo.

Numa transposição dessa situação para a vida humana, podemos fazer muitas reflexões. A
frase "Quando a água cai num fosso, ela se acumula até encontrar a borda mais baixa" pode
ser reinterpretada da seguinte forma: "Quando uma pessoa sábia (água) depara-se com uma
situação de dificuldade (fosso), ela se interioriza (acumula-se) até que naturalmente encontra
a saída mais fácil (borda mais baixa)".

Numa a situação complicada em que não existe solução imediata, o sábio também se
acumula, isto é, volta-se para dentro de si em busca de recursos interiores. Faz da
adversidade uma oportunidade para ficar quieto, para meditar como está conduzindo seus
ideais, quais são seus valores mais importantes e qual é o sentido da sua existência.

A água não se agita no fundo do fosso. Ela não fica enlouquecida, não "sobe pelas paredes".
Não é da sua natureza a água subir pelas paredes. Ela fica quieta, não gasta energia com
nada, apenas se acumula tranqüilamente e espera que a situação apresente uma saída. A
água sabe que tudo flui e que é preciso preencher as depressões que encontrar pelo caminho
e seguir em frente. Enquanto estiver fluindo, nada barra seu curso. Quando o sábio observa o
comportamento da água percebe que a calma e a confiança na vida são essenciais para se
encontrar a saída mais fácil - e mais facilmente.

O OCEANO É GRANDE PORQUE FICA NO LUGAR MAIS BAIXO


Ao perceberem que o oceano é grande porque ocupa a posição mais baixa, os taoístas
chegaram à conclusão que só é grande aquele que é humilde. A água não se esforça para
ficar nos lugares mais altos.
A água é o melhor exemplo do que significa servir. Ela irriga a terra, alimenta as plantas e os
animais, serve de habitat para peixes e outras criaturas, embeleza os céus com as nuvens,
serve como base líquida do sangue e das secreções. Tudo isto em silêncio, com humildade.
A missão da água é servir. Assim como a água, os antigos sábios também se viam como
canais, como veículos de transmissão da sabedoria que haviam aprendido com seus mestres
e com a Natureza. Sabiam que eles eram apenas instrumentos da Natureza e que só existe
uma única missão nesta vida: servir. Era nesta humildade que estava (e está) a grandeza dos
sábios.

Podemos trabalhar em qualquer atividade, mas a missão será sempre a mesma: servir. E
servir significa beneficiar, usar nosso talento e nossos conhecimentos para colaborar para o
desenvolvimento da humanidade.
O tirano subjuga a população, o verdadeiro estadista serve ao povo. O arrogante é pequeno
porque só quer vantagens pessoais, o sábio é grande porque é humilde e deseja o bem de
todos. Esta é uma das mais belas lições morais que os chineses aprenderam com a água.

EXISTE UMA ÚNICA ÁGUA NO MUNDO


A água que hoje alimenta e beneficia tudo o que existe na Terra é a mesma desde a sua
formação.

Ao beber um copo de água, não se bebe apenas água. Bebe-se todas as memórias da água e
toda a história do planeta. A água que bebemos hoje já foi chuva, rio e oceano. Já foi gelo da
Era Glacial, sangue do Homem de Neanderthal e lavou as mãos de Pôncio Pilatos.

A percepção do ciclo da água levaram os chineses à idéia de unicidade, e, como


conseqüência, a um sentimento de reverência. A água, para eles, não é só sábia, mas,
especialmente, sagrada. Como tudo. Para os sábios, assim como a água é uma só, tudo no
mundo é uma coisa só. E tudo é sagrado.

A unicidade da água mostra que nada está isolado, nada está fora do todo e tudo forma uma
única realidade. Nada é imprestável ou sem função. A nuvem, o rio, a neve, a transpiração, a
lágrima, a chuva, todas as manifestações da água têm função. Em essência, nada e ninguém
é melhor do que outra coisa ou outra pessoa. Tudo e todos merecem o mesmo respeito, a
mesma reverência. A partir da unicidade, os sábios orientais desenvolveram o conceito de
compaixão.

A água nos mostra a ligação de todas as coisas, que todos os fenômenos são a manifestação
de uma coisa só, de uma coisa que é sagrada, transcendente.
DEIXE QUE FLUA

Que as nossas relações sejam de troca, compartilhamento, carinho, respeito, mas sem posse.

Que a gente não queira mandar, dominar, controlar o outro.


Que o desapego não seja uma palavra da moda, mas sim uma palavra da vida.

A posse, o apego, o controle são coisas que nos desviam do deixar fluir. Quando a gente se
acha no controle ou no comando de algo, deixamos muitas vezes de lado o coração, a
lucidez, a serenidade.

E tem outra coisa: muitos relacionamentos tem tempo de início e de fim.


E se a gente não estiver preparado para isto, sofreremos.

Então é por isto que eu desejo que a gente possa ter relacionamentos saudáveis, sem
cobranças, sem obrigações e com a leveza de saber que tudo tem seu tempo.

Podemos ter relações para a vida toda que se mudam para outra cidade, estado, país, mas
que embora distante continuam fazendo parte da nossa vida.

Como podemos ter relações que são diárias e desgastantes, cansativas e de cobranças que
não nos levam a nada, por isto que é importante o deixar fluir.

QUANTO MENOS APEGO, MAIS FLUIDEZ. E aquilo que acontece de forma natural é mais
fácil de lidar.
Que este momento seja para você soltar, tirar o controle sobre coisas e pessoas e
deixar fluir.
--
DEIXA FLUIR, deixa correr, liberta, solta, flutua, acorda, renasce, renova, muda, não segura,
não interfere, não atrapalha, não rompe, não obrigada, não força...

Deixa ser, ser ao natural, da maneira que deve acontecer, a força do ser e não do querer é
mais bela, mais intensa, ensina mais, traz mais emoção, seja raiva, alegria, mexe mais, atiça
mais...faz ser o que é na realidade!
--
DEIXE APENAS O IMPOSSÍVEL PARA AMANHÃ
Siga seu fluxo, vá sorrindo, mesmo que com o coração triste. Deixe apenas o que for
impossível de resolver para amanhã, assim terá dado o seu máximo à vida no dia de hoje.
Contudo, sua alma estará leve, feliz e pronta para um novo desafio.
--
APRENDA A TIRAR BOM PROVEITO DE TUDO
Eu acredito que a vida é perfeita, mesmo com tantos altos e baixos, vai e vem, afinal, são
esses fatores que nos ensinam bastante. Aprenda a tirar bom proveito de tudo e saiba que
tudo passa, então o hoje jamais voltará para que você conserte os seus erros.
--
A VIDA FLUI COMO UM RIO
A vida não espera. Todo dia ela segue seu fluxo e precisamos nos adaptar a ele. Se não nos
adaptamos, ficamos para trás e sofremos com a brutalidade das suas águas. Aprenda a
seguir sempre em frente, enfrentando as adversidades e superando os seus limites.
LEVEZA
Aprenda a ser leve como a água, para sair de todas as situações embaraçosas da vida. Me
diz, adianta pegar raiva e deixar que tudo tenha influência sobre você? Separe bem o que faz
parte de sua natureza, o que te acrescenta...
ADAPTAÇÃO
As coisas na vida não saem 100% do jeito como queremos e por isso é que precisamos nos
adaptar a elas. Faz parte de viver entender que o ambiente conta muito para a nossa
felicidade e que é essencial aprendermos a fazer parte dele.
DEIXA QUE A VIDA SE ENCARREGUE
Deixa acontecer naturalmente, não tente estragar a beleza da vida, a natureza das coisas, a
simplicidade que há em tudo que é feito sem intenção e modificação do homem. Deixa que a
vida se encarregue de trazer o que você merece, no tempo certo, que muitas vezes não é o
mesmo que o nosso.

O QUE MANTÉM A VIDA DA ÁGUA É O FLUXO


Os mestres taoístas perceberam que tudo na vida é fluxo, tal qual a água. Se a vida é
mutação, ciclo e impermanência, então a vida só poderia ser fluxo. Ou ainda, a vida só se
mantém por causa do fluxo.

"FLUIR" não quer dizer apenas "CORRER", "SE DEIXAR LEVAR", "TOCAR EM FRENTE",
"CONTINUAR A VIDA". Fluxo também é isso, mas é muito mais do que isso. Fluxo é entrar e
sair. É circular, fazer um ciclo, beneficiar. É aproveitar o que é necessário e eliminar o que
não serve mais. Como na digestão.

A VIDA PRECISA FLUIR. Assim como a retenção de água no organismo causa problemas à
saúde, a retenção de valores, ideias, conceitos, sentimentos negativos, apegos e ilusões,
também fazem mal para nossa saúde psicológica. 

O fluxo é necessário não só para abrir espaço para o novo, mas também para que todas as
coisas à nossa volta sejam beneficiadas. PERMITIR O FLUXO É BENEFICIAR. IMPEDIR O
FLUXO É PREJUDICAR, É SINAL DE EGOÍSMO, DE APEGO. Se represarmos um riacho
para ter água apenas na nossa propriedade, prejudicaremos a vida de tudo e de todos que
vivem rio abaixo.

O FLUXO DA ÁGUA ensina que precisamos ser DESPRENDIDOS. Precisamos ter uma
postura de dessa tanto para as coisas boas como a sorte e a riqueza, quanto para as coisas
ruins como os ressentimentos e a tristeza. PORQUE TUDO É MUTÁVEL E
IMPERMANENTE. Porque tudo na vida, como a água, é fluxo.

EXEMPLOS
PERMITA-SE FLUIR
Se apegar aos detalhes, se deixar levar pelos problemas ou simplesmente se preocupar com
tudo o que chega até você só afasta a leveza da sua vida. Desapegar de alguns detalhes é
essencial. Veja dicas de como viver com mais tranquilidade e mude sua forma de lidar com o
mundo ao seu redor!

SEGUINDO O PERCURSO NATURAL


Deixar que as coisas sigam seu percurso natural, na grande maioria das vezes, é a atitude
mais sensata e assertiva que se pode ter. Pode parecer complicado nas primeiras vezes, mas
depois se tornará mecânico e você conseguirá viver de uma maneira muito mais leve.

DEIXE AS COISAS FLUÍREM


Um dos maiores erros do ser humano é a pressa, ela é a culpada, por muitas vezes, as
pessoas trocarem os pés pelas mãos e se enfiarem em situações desagradáveis ou não tão
boas como deveriam ser. Não tenha pressa, viva um momento de cada vez, deixe as coisas
fluírem
.

DEIXE QUE O DESTINO CUMPRA SEU CURSO


Por vezes, nós perdemos oportunidades de ser feliz apenas por não nos permitimos viver os
acontecimentos que surgem, da maneira que surgem. Não seja essa pessoa que interfere no
destino, evitando as coisas boas que a vida tem para você.

PERMITA-SE FLUIR
Permita-se fluir, viver de uma maneira mais leve, sem tantas cobranças, preocupações ou
problemas, permita-se ser feliz e aproveitar os pequenos momentos da vida como se fossem
únicos, porque no final das contas, eles são.

TRANQUILIDADE NOS MOMENTOS


O segredo para se ter paz, é viver cada momento de uma vez com a tranquilidade e a
naturalidade que ele merece. Não tente apressar as coisas ou forçar as situações, as chances
de tudo dar errado são muito maiores quando se age assim.
--
DESAPEGO.

Soltar. Entregar. Deixar ir.


Deixar partir. Fluir.
Viver no presente. Sem o peso do passado.
Sem expectativas para o futuro.
Saber de nossa finitude.
Saber que somos passageiros.
Sem posses. Sem medo. Sem culpas.

FLUA COMO A ÁGUA!


Use a sabedoria da água em contornar os obstáculos, em seguir o fluxo. Seja flexível e
aprenda a fluir como a água que está dentro de você. Nosso corpo é formado de 60 a 70%
de água.  Nossas células são compostas de água. Você, um composto de água, pode se
deixar levar e contornar os obstáculos da vida. Entregue seus problemas, solte as
preocupações, desapegue-se de seus pensamentos presos a determinado obstáculo ou
situação.
Lembre-se que você é formado de água, de energia, de força. Seu corpo, sua mente, seu
espírito faz parte desse Ser Humano tão complexo. Passamos uma vida inteira buscando
respostas e descobrindo como tudo funciona. Aliás, vivemos sem ter total consciência de todo
nosso funcionamento.
Temos um Sistema Autônomo, aparentemente, independente, sem a necessidade de
controle. Nosso coração bate, fazendo circular nosso sangue e nossa água, independente de
nossa vontade. Precisamos dormir a cada 18 horas, aproximadamente, sem ter muito
entendimento sobre nossos sonhos, “viagem ou projeção astral”, e muitas outras coisas que
ocorrem durante o sono. Apenas sabemos que se não respeitarmos a necessidade de dormir,
o sono poderá nos “pegar” de uma forma incontrolável. A ausência de um sono adequado,
também, poderá trazer falhas e doenças em nosso sistema humano.
Convivemos em sociedade e somos interdependentes uns dos outros. Há campos de
energias em toda a Terra. Nosso Planeta também é composto pela água em sua maior
porcentagem. Há um “Sistema Natural” que funciona de “Forma Autônoma” e não temos
muito conhecimento.
Aprendamos com a Natureza, aprendamos com a água a deixar a vida fluir, sem resistência,
sem stress, sem preocupação, e com mais fé no curso natural da solução. Mesmo que não
saibamos como tudo funciona, mesmo sem saber a solução para nossos problemas,
deixemos a vida fluir, e o “Sistema Autônomo” ou a “Mãe Natureza” fazerem a sua
parte.
3 GRANDES LIÇÕES QUE PODEMOS APRENDER COM A FILOSOFIA DA ÁGUA
Baseado nessa inspiração, Raymond estabeleceu três lições que podemos aprender
com a água, aprendidas pelos chineses há milênios. Confira abaixo.

1. HUMILDADE
A água que flui em um rio permanece sempre baixa. Apesar disso, ela é vital para a vida dos
seres que sob ela vivem e também para as plantas e todos os animais ao seu redor. Sem a
água, a vida não existiria, mas ela se mantém gentil e humilde.
Aplicando a humildade em sua vida:
 Aceite suas limitações e esteja sempre aberto a novos aprendizados.
 Alegre-se pelo sucesso das pessoas próximas a você e ajude-as a continuar evoluindo.

2. HARMONIA
A água é sábia o suficiente para não lutar contra os obstáculos que encontra em seu caminho.
Ao invés disso, continua fluindo naturalmente, sempre encontrando uma solução harmônica
para aquilo que aparece em sua jornada.
Aplicando a harmonia em sua vida:
 Cultive a harmonia primeiro em seu interior, em seus pensamentos, palavras e ações,
para depois espalhar esses sentimentos.
 Esteja feliz com quem você é, ao invés de perder sua essência tentando ser um outro
alguém.
 Concentre-se nas coisas que você pode controlar e resolver.

3. ABERTURA
A água não resiste às mudanças, pelo contrário, permanece sempre aberta. Dessa maneira,
pode se adaptar às temperaturas e ganha a habilidade de mudar de estado.
A habilidade de adaptação nos permite evoluir e conquistar capacidades novas, o que
contribui diretamente para nosso sucesso na vida.
Aplicando a abertura em sua vida:
 Esteja sempre disposto a avançar.
 Aprenda a enxergar diferentes visões de mundo e possibilidades.
A água pode nos ensinar muitas coisas sobre flexibilidade e adaptabilidade. Tente fluir como
ela e quando se deparar com alguma dificuldade em sua vida, imagine: O que a água faria?
Claro, não é simples nos tornarmos mais parecidos com a água, principalmente quando
acreditamos que tudo está funcionando a nosso favor. Mas é um aprendizado necessário,
porque a vida está em constante mudança, e quando a maré virar, você precisa estar
preparado para fluir tranquilamente.
3 QUALIDADES DA ÁGUA QUE TODOS DEVERIAM CONHECER, DE ACORDO COM O
TAO
SEJA COMO A ÁGUA. Meu amigo, seja como a água que corre e nunca para, continua
fluindo.” Este famoso comentário de Bruce Lee sobre o processo de sua autorrealização
resume, na realidade, uma das três qualidades da água segundo o Tao, extraído da poesia de
Lao-Tse. A sabedoria contida nesse texto é uma grande inspiração em tempos atuais.

Faz mais de 10 anos que o célebre filósofo Zygmunt Bauman nos deu o conceito de
sociedade líquida. Com ele, definia uma modernidade de valores volúveis, de modelos e
estruturas sociais mutantes e de realidades marcadas pela incerteza. Diante deste panorama
tão flutuante, no qual é muito difícil se ater a algo, a única coisa verdadeiramente sólida são
os nossos medos, que constituem um grande paradoxo.

“A bondade suprema é como a água. Beneficia todas as coisas sem contenção. Mantém-se
firme no dia a dia. O ser flui pelas profundidades. É honesto em expressão. Quando há
confrontação, se mantém gentil. No governo, não tem controle. Se há ação, se alinha com o
tempo. Está contente com a sua natureza e, portanto, não pode ser criticado.” -Lao-Tze-

Vivemos em um mundo em que poucas coisas se caracterizam pela estabilidade. Exige-se


rapidez e flexibilidade na adaptação à cada mudança, nas rotações de trabalho, nas
mudanças políticas, nas novas exigências sociais, nas variações nas formas de nos
relacionarmos.

Em meio a estas dinâmicas, é compreensível sentir uma certa inquietude e insegurança. Por
isso, referências intelectuais do mundo oriental, como Raymond Tang, palestrante e professor
da Universidade de Guangzhou, nos animam a conhecer um pouco mais da filosofia do Tao.

Essa filosofia nos ensina a manter a calma em meio ao caos, nos ensina a obter equilíbrio e
segurança em meio à incerteza líquida.

QUALIDADES DA ÁGUA SEGUNDO O TAO: A HUMILDADE


A primeira das qualidades da água, segundo o Tao, é a humildade. É possível que, em um
primeiro momento, seja um pouco complicado estabelecer uma relação entre esta dimensão
psicológica e qualquer cenário aquático. No entanto, essa relação existe e é inspiradora. A
água que flui calmamente por um rio, em serenidade e harmonia, nutre a natureza.

Quando está em seu nível normal, chega às margens, alimenta os animais e favorece o
equilíbrio ideal para que tudo funcione. Entretanto, quando o rio torna-se arrogante e trás uma
corrente maior, tudo muda. A força de sua corrente provoca estragos. Arrasta a terra, destrói
o que está a sua volta e afeta todos os seres vivos.

Nós devemos integrar a qualidade da água caracterizada pela tranquilidade e humildade.


Porque aquele que sabe exatamente o que é, e não deseja aparentar algo que não é, sempre
vai preferir a calma em vez da violência. Mesmo que, às vezes, acabe em violência derivada
de causas externas, no fim das contas volta à calma. Assim, vai sempre optar pela serenidade
de promover um equilíbrio natural.

A ÁGUA ESTÁ ATENTA À OPORTUNIDADE


Em qualquer dificuldade, sempre existe uma fresta por onde a luz da oportunidade pode
passar. Não importa o quão agitado seja o nosso entorno, não importam as mudanças, as
pressões ou o muro que, de repente, surge diante de nós para nos paralisar. Devemos ser
como a água. Devemos encontrar a fresta, a fraqueza do nosso oponente ou a rachadura por
onde se abre um novo caminho, uma nova oportunidade.
Entre as qualidades da água, segundo o Tao, está uma que nos lembra do quão ágil essa
substância vital pode ser. Quando algo for restrito ou diante dela surgir um obstáculo que
impeça a passagem, não devemos ter dúvidas: devemos aplicar uma força implacável para
recuperar a liberdade e encontrar o ponto mais fraco desta dificuldade para conseguir vencê-
la.

Não podemos nos esquecer de que, de certo modo, a água é uma grande oportunista. A água
nunca vai pensar duas vezes antes de mudar de forma, cenário ou posição para continuar
avançando, e sempre que ela vislumbrar a melhor das opções de abrir caminho por onde
passa, assim vai fazê-lo.

A MUDANÇA, UMA OPÇÃO QUE DEVE SER FEITA SEM MEDO


Poucos elementos são tão inspiradores e tendem à mudança como a água. Pensemos nisso:
quando a temperatura é extrema, pode se transformar em gelo ou em vapor. Não vai pensar
duas vezes, também, antes de mudar de forma dependendo de onde esteja. Será um copo se
estiver dentro de um, será insignificante se estiver sobre a rachadura de uma rocha,
recuperará sua imensidão se voltar ao oceano e se transformará em alimento se um ser vivo
estiver com sede e precisar dela.

A ÁGUA TEM PODER E PERSONALIDADE. Sabe e entende que nada é tão importante
como proceder à mudança caso seja necessário. Porque o meio ambiente e a natureza são,
muitas vezes, hostis, e quem não se adapta não sobrevive. Assumir estes princípios que as
qualidades da água nos transmitem não só pode nos inspirar, como também pode nos ajudar
de muitas formas.
SER COMO UM RIO QUE FLUI

"Um rio nunca passa duas vezes pelo mesmo lugar", diz um filósofo. "A vida é como um rio",
diz outro filósofo, e chegamos à conclusão de que essa é a metáfora mais próxima do
significado da vida. Por consequência, é bom lembrar durante todo o próximo ano:

1) SEMPRE ESTAMOS DIANTE DA PRIMEIRA VEZ. Enquanto nos movimentamos entre a


nossa nascente (o nascimento) e o nosso destino (morte), as paisagens serão sempre novas.
Devemos encarar todas estas novidades com alegria, e não com medo - porque é inútil temer
o que não se pode evitar. Um rio não deixa de correr jamais.

2) EM UM VALE, ANDAMOS MAIS DEVAGAR. Quando tudo à nossa volta fica mais fácil, as
águas se acalmam, nos tornamos mais amplos, largos, mais generosos.

3) NOSSAS MARGENS SEMPRE SÃO FÉRTEIS. A vegetação só nasce onde existe água.
Quem entra em contato conosco precisa entender que estamos ali para dar de beber a quem
tem sede.

4) AS PEDRAS PRECISAM SER CONTORNADAS. Evidente que a água é mais forte que o
granito, mas para vencê-lo é preciso tempo. Não adianta deixar-se dominar por obstáculos
mais fortes, ou tentar bater-se contra eles; gastaremos energia à toa. O melhor é entender por
onde se encontra a saída, e seguir adiante.

5) AS DEPRESSÕES NECESSITAM PACIÊNCIA. De repente o rio entra em uma espécie de


buraco, e pára de correr com a alegria de antes. Nestes momentos, a única maneira de sair é
contar com a ajuda do tempo. Quando chegar o momento certo, a depressão se enche, e a
água pode seguir adiante. No lugar do buraco feio e sem vida, agora existe um lago que
outros podem contemplar com alegria.

6) SOMOS ÚNICOS. Nascemos em um lugar que estava destinado para nós, que nos
manterá sempre alimentados de água suficiente para que, diante de obstáculos ou
depressões, possamos ter a paciência ou a força necessária para seguir adiante. Começamos
nosso curso de maneira suave, frágil, onde até mesmo uma simples folha pode parar nosso
curso. Entretanto, como respeitamos o mistério da fonte que nos gerou, e confiamos em sua
Eterna sabedoria, aos poucos vamos ganhando tudo que nos é necessário para percorrer
nosso caminho.

7) EMBORA SEJAMOS ÚNICOS, EM BREVE SEREMOS MUITOS. À medida que


caminhamos, as águas de outras nascentes se aproximam, porque aquele é o melhor
caminho a seguir. Então já não somos apenas um, mas muitos - e há um momento em que
nos sentimos perdidos. Entretanto, como diz a Bíblia, "todos os rios correm para o mar". É
impossível permanecer em nossa solidão, por mais romântica que ela possa parecer. Quando
aceitamos o inevitável encontro com outras nascentes, terminamos por entender que isso nos
faz mais fortes. Contornamos os obstáculos ou preenchemos as depressões em menos
tempo, e com muito mais facilidade.

8) SOMOS UM MEIO DE TRANSPORTE. De folhas, de barcos, de idéias. Que nossas águas


sejam sempre generosas, que possamos sempre levar adiante todas as coisas ou pessoas
que precisarem de nossa ajuda.

"O guerreiro da luz as vezes se comporta como água, e flui por entre os muitos obstáculos
que encontra. Em certos momentos, resistir significa ser destruído. Nestas horas, ele se
adapta as circunstâncias. Aceita, sem reclamar, que as pedras do caminho tracem seu rumo
através das montanhas. Nisto reside a força da água: ela jamais pode ser quebrada por um
martelo, ou ferida por uma faca."
PERMITA-SE FLUIR COM A VIDA, MAS SAIBA EXATAMENTE O QUE VOCÊ QUER!

“A ilusão de controlar como tudo deve ser permeia nossas mentes e nubla nossa visão, não
nos permitindo perceber os resultados que estamos obtendo a partir de nossas escolhas e
ações”

Fluir com a vida nem sempre é uma tarefa simples, já que a ilusão de controlar como tudo
deve ser, permeia nossas mentes e nubla nossa visão, não nos permitindo perceber os
resultados que estamos obtendo a partir de nossas escolhas e ações. E, aí, não nos
reconhecemos como seres atuantes e entregamos nosso poder de mudança ao acaso e às
vontades alheias.

“DEIXA FLUIR” é um conselho bastante comum, já ouvimos muito e já oferecemos aos


montes também. Para alguns ouvidos soa como: “NÃO FAÇA NADA, POIS TUDO VIRÁ ATÉ
VOCÊ”. Interessante, mas esse é só um aspecto, um ponto de vista. Ademais, o que foi feito
com a nossa capacidade de avaliar e modificar o que já não nos satisfaz e perdeu o sentido?
Sim, existe uma hierarquia universal. Não é possível saber tudo o que reserva o futuro. Se
assim fosse, todos saberíamos o dia de nossa partida, certo? Pois é, se só temos o ticket de
chegada aqui, cada minuto é único e, cada experiência, uma oportunidade de evolução. Ainda
que o final dessa jornada seja uma incógnita para nós, isso não justifica uma existência sem
rumos definidos.

Aquele que não sabe o que quer, seja em qual área da vida for, aceita viver submisso aos
outros e não enxerga saídas. Acha que fluir é perambular pelos dias, espreitando a vida como
se não fosse digno de tudo o que aprecia, almeja e sonha. Ao contrário, só se pode fluir com
a vida aquele que encontra em si mesmo o que tanto procura fora. Não ter objetivos traçados
não significa que nossas vidas sejam sem sentido, apenas é um sinal de que não estamos no
nosso centro, em algum momento nos perdemos de nós nas distrações corriqueiras e
plastificadas de sociedades desumanas demais, que enquadram e resumem a existência em
telas de um punhado de polegadas.

Deixar que as coisas fluam não é sinônimo de não fazer nada, agindo como um espectador
curioso que anseia um futuro qualquer pra ver no que dá, vivendo os sonhos apenas na
imaginação e nunca os transformando em realidade. Tampouco é sair por aí desenfreado,
agindo sem pensar, atropelando a si mesmo e aos outros na cegueira do automatismo. Duas
situações opostas que não levam a lugar algum. Então, o quê?

CAMINHO DO MEIO, EQUILÍBRIO…


Saber no mais profundo do nosso ser o que realmente queremos, sentimos e o que estamos
buscando é um trabalho de auto-observação constante, não cessa. Quando temos essa
intimidade conosco, que nos permite a compreensão do eu, entendemos que deixar fluir nada
mais é do que perceber, de uma vez por todas, que, para manifestar nossos sonhos, é
preciso entender quem somos e nossos reais propósitos, aquilo que nos alegra e eleva e faz
o coração vibrar numa certeza tão intensa que julgamento mental algum ousa abalar.

Todas as respostas sussurram aos ouvidos, e os acontecimentos nos banham em evidências


de estarmos em total acordo com nossa alma. E isso é deixar fluir!
A vida nos conduz a observá-la de forma panorâmica. Olhando de cima, vemos todos os
pontos: novos caminhos, oportunidades, possíveis mudanças e a coragem pra agir, pra
caminhar de forma fluida, atento e com a percepção aguçada. Temos cinco sentidos que não
existem à toa. Ainda temos o sexto, um bônus, comumente chamado intuição. Compreender
nossas aspirações nos abre as melhores portas e isso é totalmente diferente de simplesmente
adentrar qualquer porta, vivendo por viver e esperando que, sem plantar, colheremos frutos.
Se sabemos bem aonde estamos indo, ficamos mais leves para aceitar o inesperado
que vem sem perder de vista o que buscamos para o amanhã. É que as vezes as coisas
não saem como idealizamos; elas saem da forma que precisam para nos trazer os
aprendizados que nos guiarão às respostas que tanto pedimos. O que pedimos nos é
apresentado em forma de desafios, e os desafios nos tornam vencedores, aptos a descobrir
mais, a transcender qualquer obstáculo. Observe: se pedimos paciência, situações
complicadas nos exigirão o exercício da paciência. Só se aprende alguma coisa pelo próprio
esforço e nos relacionando com os outros. É assim em todos os cenários de nossas vidas.
Tudo o que se apresenta a nós está requisitando nosso trabalho.

Portanto, toda vez que ouvimos ou sentimos que devemos deixar a vida fluir, é um sinal de
que é chegada a hora de liberar um pouco desse peso que carregamos desnecessariamente.
Abrir mão de certas coisas pode ser de fato muito inteligente de nossa parte e trazer aquele
alívio que buscamos, mas não temos coragem de entregar, pois achamos que tudo está sob
nosso controle. Melhor não pensarmos assim. Vamos seguir rumo aos nossos objetivos e
deixar que a vida se encarregue de nos orientar ao próximo passo, na segurança de que
somos todos merecedores do melhor e totalmente capazes de lidarmos com o pior, mesmo
que não saibamos disso ainda.
DEIXAR FLUIR: A ARTE DE NÃO IR CONTRA A CORRENTE
Quando começarmos a deixar fluir, será mais fácil evitar ir contra a corrente. Cada
experiência que vivemos influencia a nossa maneira de agir, sentir e pensar. De certa
forma, isso nos transforma, seja pouco a pouco ou aos trancos e barrancos. Tudo depende
da importância que damos a elas.

O problema surge quando as circunstâncias em que vivemos nos atingem com tanta força
que são capazes de nos surpreender e colocar o nosso mundo de cabeça para baixo. De
repente, não sabemos como agir porque gostaríamos que tudo fosse diferente. As
expectativas podem nos machucar muito.

Às vezes, ficamos obcecados para que tudo saia perfeito, isto é, como havíamos
pensado. Nós nos apegamos a um cenário de futuro ideal onde todas as peças do
quebra-cabeça se encaixam perfeitamente, esperando que a realidade aconteça dessa
forma.

A questão é que quando a realidade se mostra com as suas imperfeições, percebemos que
há muitas peças que não se encaixam, outras que estão faltando e outras que nunca
havíamos pensado. Portanto, nos sentimos frustrados, perdidos e desconfortáveis.

Agora, quem nos garantiu que tudo seria perfeito? Ninguém. Foi apenas uma suposição
da nossa mente, uma história que ela nos contou para nos deixar tranquilos e livrar-nos
daquele sentimento desconfortável de insegurança. A verdade é que a perfeição nem sempre
é o melhor caminho. Ficarmos obcecados esperando que as coisas aconteçam como
desejamos pode ser um dos maiores obstáculos em nosso caminho. Então, o que podemos
fazer?
“O sábio procura não fazer, deixa que as coisas sigam o seu curso”.-Carl Jung-
DEIXAR FLUIR E RECEBER COM AMOR O QUE A VIDA LHE TRAZ
Nadar contra a corrente acarreta o risco de afogamento se não tivermos muita
experiência. É como se estivéssemos presos em uma tempestade infinita. Por um lado, nos
esforçamos demais, ficamos sem energia e exaustos e, por outro lado, esperamos que as
circunstâncias mudem e possamos alcançá-la. No entanto, se praticarmos a arte de deixar
fluir, tudo será mais fácil.
Deixar fluir significa deixar que o carretel de linha vá se soltando. É aceitar em vez de lutar,
aproveitando a corrente para chegar aonde queremos. Isso implica nos deixarmos
surpreender com o que acontece em cada momento, em vez de planejar tudo.
DEIXAR FLUIR é uma arte, um desafio maravilhoso que nos tornará mais livres.

DEIXAR FLUIR. Deixar a vida lhe surpreender e aceitar o que ela traz pode ser uma opção
maravilhosa se a vivermos com responsabilidade e compromisso. Mas o que exatamente é
essa atitude? Vamos explicar a seguir.

Se tentarmos controlar o que vai acontecer, além de tempo, gastaremos energia porque a
maioria das variáveis está além do nosso controle. Agora, se cultivarmos a paciência e
esperarmos para ver o que acontece, a angústia e a preocupação
desaparecerão, porque deixaremos de nos concentrar no futuro para estar no presente.
COMO DEIXAR - FLUIR?
Deixar fluir é a arte de se deixar levar, recebendo as surpresas da vida com gratidão e
liberando, por sua vez, os medos que nos impedem de crescer. É viver o presente
intensamente. Há muitas maneiras de praticar essa arte maravilhosa. Estas são algumas das
mais efetivas.
 PRATICAR A ACEITAÇÃO. É o primeiro passo para que ‘fluir’ se torne parte da nossa
filosofia de vida. Aceitar o que acontece ao nosso redor, em vez de lutar contra isso, é a
premissa básica. Muitas vezes nos empenhamos para que as circunstâncias aconteçam como
esperamos e as pessoas ajam como pensamos, mas isso é apenas um engano da nossa
mente. Isso pode acontecer ou não. Portanto, não há nada para esperar, mas para aceitar e,
a partir disso, decidir o que fazer.
 CONECTE-SE COM O PRESENTE. Viver no aqui e agora, em conexão com cada
momento, nos permite fluir porque nos liberta do peso do passado e das expectativas do
futuro.
 APRENDER COM AS CIRCUNSTÂNCIAS. Se você aprender com cada experiência,
mesmo que ela não seja muito agradável, será mais fácil deixar fluir. Podemos aprender com
tudo e com todos, não se esqueça disso.
 ABRA-SE PARA O INESPERADO. Cada momento é único. Em vez de rejeitar o que
não conhecemos, por que não nos arriscamos? Naturalmente, com responsabilidade e
comprometimento.
 MEDITAR. A meditação é um exercício poderoso para começar a entrar em contato
consigo mesmo, para investigar o nosso interior e despertar. Graças a isso, desenvolveremos
muito mais a nossa sensibilidade e, é claro, nos conectaremos com o presente.
Quando começarmos a deixar fluir, será mais fácil evitar ir contra a corrente. Há coisas
pelas quais não podemos lutar e gastamos muito tempo, energia e raiva tentando forçá-las
para que aconteçam como queremos. Sendo pacientes e deixando que o caminho nos mostre
aonde ir, poderemos viver mais plenamente.

---
OS BENEFÍCIOS DE DEIXAR FLUIR

Não ir contra a corrente é uma boa opção para viver plenamente. Além disso, essa prática
nos oferece importantes benefícios, como os seguintes:

 Desapego. Quando deixamos fluir, nos desapegamos das pessoas, situações ou


coisas. Nós deixamos de lado o hábito de nos apegar para sermos felizes, soltamos o que
nos fere e começamos a apreciar o verdadeiro valor de tudo o que nos rodeia.
 Harmonia. Deixar fluir abre a porta para a tranquilidade e a calma, para a possibilidade
de saborear a harmonia de tudo o que nos rodeia, para estar aberto ao que acontece,
sabendo que nem tudo depende unicamente de nós.
 Criatividade. Ao nos permitirmos não nadar contra a corrente, experimentaremos os
momentos de uma maneira autêntica. Dessa forma, poderemos ter mais liberdade para gerar
novas ideias, para escolher novos caminhos ou tomar melhores decisões.
 Relaxamento. Deixar-se surpreender pelo que acontece nos ajuda a nos libertarmos
da culpa e das expectativas, isto é, daquelas tensões que nos obrigam a permanecer em
estado de alerta contínuo.
 Felicidade. Deixar fluir, de alguma forma, nos aproxima do sentimento que desejamos
e que está dentro de nós: a felicidade. Estar calmo, sem apego e ligado ao presente fará com
que seja muito mais fácil ser feliz.

Deixar fluir é deixar as coisas acontecerem, aprendendo e entendendo como elas realmente
são, apreciando cada experiência, cada momento. Tudo tem o seu momento em nossas
vidas.

Deixar fluir é uma arte e você é o pintor desta grande obra que é a vida. Você decide
como quer levá-la. Aprenda a receber cada momento de braços abertos e você será capaz de
viver em paz.
“Não se trata de ter todas as certezas, mas de aprender a conviver com as incertezas. Querer
controlar tudo adoece. Deixar fluir cura”. -Anônimo-
DEIXAR FLUIR…

Quantas vezes não estamos querendo controlar tudo? Controlar os acontecimentos, as


situações, os outros, os nossos estados de espírito, pensamentos e emoções… É essa
necessidade de controle do homem moderno que gera a infelicidade, a ansiedade, a
inquietude e a perda de oportunidades felizes.

Precisamos aprender a deixar fluir, a não controlar, a darmos espaço para as energias
do Universo  dançarem ao nosso favor.

Uma pessoa quer muito uma coisa, não para de pensar naquilo. No momento esperado o fato
não se concretiza e a pessoa, então, fica amuada, mal humorada, irritada. Não consegue
perceber que logo ao lado o Universo lhe trouxe uma boa surpresa, o inesperado, numa
situação que traria à pessoa mais felicidade. Mas ela não está aberta para receber, se fechou
no sentimento negativo de que as coisas não deram certo, que nada saiu como o planejado.
Aliás, este é o grande problema, estamos sempre planejando tudo.

Ah! Isso serve para mim também, pois eu adoro pegar minha agenda e planejar a semana.
Adoro fazer listas também, mesmo que já esteja com tudo na cabeça. Como dizia John
Lennon: “A vida é aquilo que acontece enquanto você está fazendo planos”. Mas a questão
aqui não é nem tanto esta, você pode até planejar, fazer planos, mas não fique mal se as
coisas não saem como você quer. Não queira controlar tudo; é como nosso amigo diz, a vida
acontece!

De modo algum o que estou falando aqui tem a ver com resignação ou destino
predeterminado. Você pode e deve ser sim dono da sua vida, ter seus objetivos e tentar
alcançá-los. Mas precisa estar aberto para perceber as oportunidades que chegam até você.
É confiar numa força maior que rege o Universo. Quando você está em sintonia com ela, as
coisas fluem naturalmente para o seu bem, mesmo que pareça o contrário. Vou dar um
exemplo de uma situação corriqueira que aconteceu comigo.

Uma ocasião eu estava longe de casa, cansada, com fome, acabara de dar uma aula de
consciência corporal e estava doida para chegar em casa. Quando fui chegando ao ponto do
ônibus ele foi passando e não parou. Só tinha um ônibus que servia para mim e ele não
costumava passar com muita frequência. No primeiro momento, tive o ímpeto de me rebelar e
lamentar, mas me toquei e pensei: “Não era para eu pegar esse ônibus”.

Senti um alívio e fiquei tranquila esperando o próximo que – ao contrário do provável – não
demorou muito. A certa altura, quando já estava no ônibus, passamos por aquele que eu
havia perdido. Ele estava parado e quebrado. Os passageiros se encontravam em pé na rua e
assim foram, quando embarcaram no veículo em que eu estava.

Deixar fluir é estar em sintonia com a magia do Universo, pois tudo está ligado. Tudo
faz parte de uma grande teia energética, por mais que você pense que não.

Deixar fluir e não controlar é estar centrado, sereno e em paz, sem deixar de estar
entusiasmado e apaixonado pela vida. Em compensação, você não tem sentimentos nocivos
como a ansiedade, a preocupação, a irritação e o mau humor.

O excesso de controle é fruto de uma sociedade que incentiva o poder a qualquer preço. O
que gera a ambição, a violência, o individualismo e a competição desenfreada entre seres que
deveriam se ajudar mutuamente. Queremos controlar para termos poder, poder sobre tudo e
todos, mas isso é uma ilusão, pois o que acontece é exatamente o contrário. Nós nos
escravizamos agindo assim, ficamos escravos do nosso ego e nos tornamos cada vez mais
egocêntricos.
Já o deixar fluir nos coloca mais em contato com a nossa essência e com a nossa intuição,
uma postura bem mais desapegada e sábia, além de nos deixar mais conectados com as
energias criadoras do Universo.

Outro motivo para o controle é a necessidade de segurança. Quando podemos controlar


temos a falsa ideia de segurança, achamos que não nos deparamos com imprevistos. Mas o
imprevisível faz parte da vida e, se formos pensar bem, é ele que dá graça a ela. Precisamos
nos abrir para o mistério, para o inesperado. Precisamos ser mais aventureiros e nos
deliciarmos com isso. A segurança não existe, ela é uma ilusão, a qualquer momento tudo
pode ruir, por mais “seguro” que você esteja. Quanto mais nos apegamos às coisas, mais
intranquilos ficamos.

Deixar fluir é confiar na vida e em si. É confiar na abundância do Universo e no fato de


que você é merecedor de suas dádivas.

Estas que podem te trazer experiências maravilhosas, que você jamais ousou, ou,
simplesmente, te permitir levar uma vida tranquila e agradável; é só você estar aberto e se
alinhar com o fluxo dos acontecimentos.

Deixar fluir é também respeitar o fluxo e o refluxo dos sentimentos, dos relacionamentos e da
própria vida. Deixar fluir precisa de atenção, já que estamos tão robotizados e programados
para controlarmos tudo. No começo pode ser difícil, para mim, para você. Mas com o hábito (e
acho que tudo é uma questão de hábito, o que faz com que devamos ficar mais atentos ainda)
vamos pegando o jeito, percebendo a leveza e o bem estar que esta postura nos traz.

É claro que existem recaídas, até porque a pressão do entorno é muito grande, mas
tornemos a nos levantar e deixemos fluir…

“Aqueles que fluem como a vida flui sabem que não precisam de outra força.” Lao Tzu⠀ .⠀

“Apenas flua com o tempo, faça com o fluxo. Então não há agonia. Há apenas contentamento o
tempo todo. ”Mohanji⠀ .

“Tudo é temporário. Emoções, pensamentos, pessoas e paisagens. Não se apegue. Apenas


deixe fluir. ”Anônimo⠀

“Seguir com o fluxo está respondendo a sugestões do universo. Quando você vai com o fluxo,
você está surfando a força vital. É sobre a confiança desperta e a colaboração total com o que
está aparecendo para você. ”Danielle LaPorte

“A vida é uma série de mudanças naturais e espontâneas. Não resista a eles - isso só cria
tristeza. Deixe a realidade ser realidade. Deixe as coisas fluírem naturalmente para a frente da
maneira que quiserem. ”Lao Tzu

Relaxe! Somos humanos, de vez em quando é absolutamente normal sermos apanhados pelas
distorções da mente. ⠀

Cabe a nós identificar essas distorções, saber a hora de não dar ouvidos a toda essa tagarelice
que a mente cria, cancelar alguns pensamentos negativos, dar aquela breve respirada e seguir
em frente, como diz o Eddie Vedder, num "fluxo contínuo”
DEIXE FLUIR O RIO DA VIDA
A vida é como um rio, com um ponto de inicio que é a nascente, um percurso que abre
caminho por montes e vales até atingir o objetivo, o mar, com a força das correntes que
alterna por influencia das marés e obstáculos encontrados desde a nascente até ao mar.
O ser humano tem que trilhar o rio da vida, todos têm á partida as mesmas capacidades, força
e conhecimento do objetivo.
Então, tendo todos a mesma força e capacidade para trilhar o rio da vida, porque razões não
estão todos no mesmo ponto do rio da vida?
Porque uns mais próximos da nascente e outros mais afastados, se têm as mesmas armas e
condições para o fazer?
DEIXAR FLUIR!
Deixar fluir não é inércia, não é inatividade, muito pelo contrário, é aceitação, é compreensão,
algumas vezes vencemos, outras aceitamos a força e natureza do rio da vida.
PORQUÊ?
Porque quando a corrente é forte é impossível vencê-la, sabemos também que o rio da vida
tem períodos de muita força, outros mais fracos e outros de serenidade.

Mas então como podemos deixar fluir?

E O QUE É DEIXAR FLUIR?

Bem até certo ponto todos deixamos fluir, mas existe uma grande diferença entre deixar fluir
conscientemente e deixar fluir inconscientemente.

VEJAMOS: quando deixamos fluir inconscientemente, entramos no rio da vida preparados


para iniciar a caminhada, se a corrente está serena não encontramos grande dificuldade e
avançamos sem termos grande resistência, ritmados e sem muitas perdas de energia.

Se a corrente do rio da vida fica mais forte, ainda assim vamos avançando, a um ritmo mais
lento é certo, como certo é o aumento de energia que vamos dispensar, mas ainda assim
mais lentos e percorrendo menos distancia vamos avançar.

Porém se corrente do rio da vida se torna muito forte, aí dificilmente vamos avançar,
perderemos toda a energia na luta contra a corrente e quando esta perder a força, teremos
esgotado a energia necessária para avançar e vamos ficar a recuperar quando deveríamos
estar a avançar, perdendo tempo e caminho resultante dessa luta inglória com vitória certa e
anunciada do rio da vida.

Ainda assim, lutamos ingloriamente mas lutamos, mas mais inconsciente ainda é, aquele que
não luta, deixa-se arrastar pelo rio da vida sem qualquer ação e vontade, ficando ao sabor e
vontade deste, sem iniciativa ou força para decidir e tomar para si a responsabilidade de
trilhar o caminho e fica aprisionado e inconsciente do seu objetivo.

COMO DEIXAMOS FLUIR CONSCIENTEMENTE?

Quando deparamos com a corrente do rio da vida serena, avançamos decididos com energia
e força para alcançar o objetivo.
Se a corrente fica mais forte, temos consciência da dificuldade acrescida, vamos despender
de mais energia, mas não nos desviamos do objetivo e avançamos sempre, ainda que a um
ritmo mais lento.

Quando esta se torna muito forte, temos consciência da sua força, sabemos que de nada
adianta lutar contra ela e não a podemos vencer, logo íamos desperdiçar energia preciosa,
mas não lutar não significa que deixemos que ela nos arraste e nos atrase ou desvie do nosso
objectivo.

ENTÃO O QUE FAZEMOS?

Vamos simplesmente a favor da corrente alcançar a margem do rio da vida, alcançar um porto
de abrigo seguro, para não desperdiçar energia, conscientes que logo a corrente vai abrandar
e serenar para então retomarmos o objetivo em segurança, com energia e a vontade de
sempre, sem nunca perder o objetivo de vista.

Neste porto seguro mais que não perder, recarregamos energias e vamos ser uma referência
e uma ajuda.

AJUDAR? COMO E QUEM?

Ajudar todos os que estão inconscientes no rio da vida e peçam ajuda, mas só os que
pedirem e tenhamos a possibilidade de os poder ajudar, mas só os que pedirem, se
ajudarmos quem não nos pedir estamos sujeitos de ser arrastados, perder o nosso porto de
seguro e nem podemos culpá-los por nos arrastar, já que não foram eles que interferiram na
nossa vontade, mas fomos nós que interferimos na vontade deles, já que cada um é dono,
responsável e senhor do seu caminho, podendo em qualquer momento fluir conscientemente
ou continuar inconsciente, cabe a cada um a escolha, de estar onde e como quer.

O porto seguro em que o consciente se encontra é ainda uma fonte de inspiração e exemplo
para todos os aprisionados no rio da vida, que independentemente de se tornar conscientes
ou continuar inconscientes, têm uma referência.

Todos temos que nadar no rio da vida, isso, não tenho dúvidas.

Flúi consciente?
Flui inconsciente?

A resposta só pode ser dada por cada um de nós, a escolha é de cada um e só de cada um
de nós.

DEIXE FLUIR...
O INIMIGO DA FLUIDEZ

O Controlo é um mal necessário, pois sem ele não haveria regras e segurança para a
nossa existência. No entanto, quando mal utilizado em prol da nossa satisfação e poder
torna-se um grande inimigo.
O controlo é uma ação que faz parte integrante de qualquer ser vivo que se queira manter em
segurança e assegurar a sua sobrevivência. O problema no Ser Humano é quando ativa este
mecanismo para controlar mais do que a sua própria existência.
O controlo pode ser aplicado a várias áreas, do foro pessoal ou profissional, principalmente
quando queremos que as coisas corram como esperamos e de acordo com as metas
traçadas. E é importante que exista para que consigamos estar bem conosco, felizes com o
que conquistamos e interagir com os outros em equilíbrio.
No entanto, é uma ação que podem gerar grandes problemas e obsessões, principalmente
quando o campo emocional se descontrola e todos os medos e inseguranças crescem
desmesuradamente. É impossível falar de controlo e não falar de entrega, assim como de
outras emoções ligadas à emoção e postura de controlo como o apego, a culpa, o medo:
medo de perder, medo de sofrer, medo de fazer sofrer, medo de falhar.
Quando a vida não está a deixar algo acontecer e nós insistimos significa que não estamos a
querer abdicar do nosso controlo sobre a vida, porque não queremos sentir todos os medos e
culpas que podem existir dentro de nós, na nossa memória, seja desta ou de outras vidas, de
já termos: perdido, falhado, sofrido e também já ter feito sofrer. O pior é que, na verdade, não
estamos a querer abdicar da ilusão que temos em querer controlar a vida, porque na verdade
não controlamos nada. Há uma frase que diz “quando achas que já sabes as respostas vem a
vida e muda-te as perguntas.“, precisamente porque o maior desafio da vida é a entrega e a
fluidez.
Nós temos dentro de nós um sistema molecular que está em constante mudança: células a
reproduzirem-se diariamente, nutrientes a entrarem nas células e resíduos e toxinas a saírem,
músculos e órgãos que trabalham sem que nós conscientemente comandemos, porque são
comandados por um Sistema chamado precisamente de Sistema Nervoso Autónomo, e
insistimos em acreditar que temos poder e controlo sobre tudo à nossa volta. Não é assim que
a vida funciona. Pelo menos não como o poder ilusório do Ego. Nós temos poder e controlo
sobre nós mesmo, sobre a forma como escolher agir e/ou reagir às situações, porque a única
coisa que podemos de facto controlar é a nossa própria ação sobre o uso do Livre Arbítrio.
Mais nada.
E aqui podemos ter controlo, mas um controlo consciente de que, uma determinada ação ou
reação vais ter uma determinada consequência e é sobre isso que temos de controlar a nossa
ação. Conforme as nossas escolhas, assim a vida se vai apresentar. Não podemos controlar
a consequência, apenas a forma como vamos lidar com ela. Então, o controlo tem de estar
em nós, mas de uma forma centrada e regrada, de acordo com aquilo que efetivamente
depende de nós para a fluidez da vida acontecer. Aquilo que não depende de nós, nós não
podemos mesmo controlar.
É preciso estarmos sempre a pôr-nos em causa. É preciso aprender a não tomar como
garantido tudo na vida. Aquilo que hoje é certo amanhã pode não ser e se ativamos o medo
de perder, a insegurança da mudança e do mergulho no desconhecido, ativamos controlo de
certeza. Primeiramente o controlo das nossas emoções, depois por não querermos sentir o
medo e o desconforto queremos controlar a situações e por conseguinte as pessoas inerentes
às situações.
E aqui cometemos grandes erros. Quando começamos a, consciente ou inconscientemente,
querer controlar os outros, as ações dos outros, a querer que os outros sejam o que nós
queremos ou esperamos deles e exigimos que assim seja, para que estejamos nós
confortáveis, entramos no descalabro das relações. E muitas relações, sejam de amizade ou
amorosas, sejam profissionais ou pessoas, acabem ou são problemáticas precisamente por
este pequenino pormenor chamado controlo.
“Se fosses um grão de areia, para onde te levaria o vento?” Esta pergunta é a primeira frase
da mensagem 69 do Livro da Luz de Alexandra Solnado, precisamente com o título Controlo.
Já pensou alguma vez nisto? Se fosse um grão de areia, para onde voaria? “ Os grãos de
areia só se deixam levar pelo vento porque não têm «querer».” E de facto é mesmo o querer
que muitas vezes nos atrapalha. O nosso “querer” pode ser o nosso pior inimigo quando vem
comandado pelo Ego, aquela vozinha na nossa cabeça que nos diz sempre “não vás por aí
que é perigoso! Vai por ali que é mais seguro”… em vez de ser comandado pela Alma e pela
Essência, a vozinha no coração que salta e vibra sempre que algo toca na nossa energia e
nos chama.
Nem sempre tudo o que é para nós vem embrulhado em facilidade. Muitas vezes os desafios
são pesados e dolorosos, mas tudo depende da forma como olhamos para eles e como
aceitamos superá-los. Há quem diga que “se fosse fácil não tinha piada”. Noutra mensagem
sobre o “Querer”, Alexandra descreve que o Ego é o mecanismo criado para suster o controlo,
que por sua vez sustenta o medo, que por sua vez ativa o “eu quero” que nos faz fugir da dor.
Se pararmos o querer fugir da dor, se aceitarmos os desafios da vida como eles são e como
eles vêm, desativamos o medo, ativamos a coragem e ao avançar na vida a fluidez acontece.
E esse é o milagre da entrega!

--
“CHEGA uma HORA, em que você entende que o que as PESSOAS FALAM, é só o que
ELAS FALAM.
E não o que VOCÊ é.
Não atinge, não incomoda, não ofende.
Porque você só se culpa, se sua consciência permitir.
E se ela está tranquila, qualquer tipo de ATAQUE ALHEIO, é o mesmo que nada.
Aí você aprende que cada um oferece o que tem.
E você PARA de REVIDAR, de se PREOCUPAR, de SE ABALAR com julgamento de quem
vive de mal com a vida.
Você percebe que atrai o que transmite, e passa a USAR seu TEMPO só com QUEM te faz
BEM. E aí, fica em paz.
Porque a gente GANHA uma briga, quando 'FOGE' dela.”
FOCAR A MENTE NO MOMENTO PRESENTE TIRA ANSIEDADE DE QUERER
CONTROLAR TUDO

"É importante parar com essa mania de querer controlar tudo. Entender isso é
fundamental para parar de sofrer inutilmente, pois a vida é incontrolável. Não se pode
mudar os outros, nem os acontecimentos. ”
A atitude de querer controlar a vida gera ansiedade e depressão. Algumas pessoas acham
que tem esse poder de controle e, quando as coisas acontecem de maneira diferente, ou os
outros não se comportam como elas queriam, ficam deprimidas e com raiva.
Querem controlar o que os outros vão fazer, querendo impor sua vontade, como se a vida
girasse apenas em torno de si mesmas. Tornam-se impacientes, brigam, fazem chantagens
emocionais, e acham que vão conseguir dominar os outros, mas o que conseguem é
inquietude, nervosismo, doenças físicas e emocionais.
Quem tem esse hábito de ser controlador é controlado pelo ego negativo. Acaba ficando
doente, tendo insônia, sentindo culpa por seus insucessos ou por não ser feliz em seus
relacionamentos.
Passa a vida relembrando do passado, remoendo lembranças desagradáveis, não aceitando
como as pessoas agiram ou falaram. Perde noites de sono repassando na mente o que
aconteceu, e assim, fica triste, com angústia.
Quem vive dominado pelo ego negativo não admite que errou ou que possa ter que se
modificar. Fica sempre na defensiva e acha sempre que o erro é dos outros, e os culpa até
quando ele mesmo erra.
O ego gosta sempre de ter razão, gosta de dar sua opinião e de saber de tudo. Porém, na
realidade o ego nada sabe, simplesmente faz acreditar que sabe.
Assim, em vez de perdermos esse tempo precioso querendo controlar tudo,
precisamos aprender a controlar a nossa mente, controlar nossos hábitos, desenvolver
a aceitação, a tolerância, a paciência, a humildade.
Conseguir comandar a si mesmo, vencer o ego e alcançar o autodomínio é o grande desafio
de cada dia. É ser um guerreiro. Um guerreiro da Luz.
Não um guerreiro que luta contra os outros, ou quer mudar o mundo externo ou as pessoas,
mas um herói que vence a si mesmo, que vence a mente negativa.
DISSOLVE OS VENENOS DA MENTE: a raiva, o ódio, o medo, a inveja, a maldade.
Transforma o ego negativo em um ego positivo que pode refletir a luz do SER INTERIOR.
Compreende que, quando se sente superior, arrogante e prepotente, se torna prisioneiro da
própria imagem e vive em um mundo de ilusões e tensões.
Não entra mais em competição com os demais, pois percebe que o espírito competitivo faz
com o ego cresça, e inevitavelmente, crie conflitos e desarmonias.
Uma pessoa que está evoluindo espiritualmente fica contente com o sucesso do outro e o
ajuda a perceber suas qualidades e a brilhar.
Com o poder mental tranquilo que é o fruto da meditação, você evita reações emocionais
excessivas, evita criar conflitos na fala e, simplesmente passa a desfrutar melhor do seu dia a
dia. Desenvolve confiança porque sente a sabedoria que vem do Ser interior.
Para conseguir esse autodomínio é muito importante também estar mais focado nas
ações cotidianas, observar os próprios pensamentos e escolher pensar positivamente.
Quando conseguirmos estar mais concentrados e sem tensão no momento presente,
conseguiremos comandar os pensamentos, pois a mente focada no aqui e no agora, é uma
mente mais tranquila, sem querer controlar tudo.
Fique atento e não deixe o ego se infiltrar em suas atitudes, em seus relacionamentos.
Evite julgar ou criticar. Em vez disso, desenvolva a compaixão.
Reflita em alguns defeitos dos outros que lhe incomodam e, compreenda que isso é uma
projeção daquilo que você não venceu em si mesmo.
Preserve sua paz interior, evitando essa mania de querer controlar o incontrolável. Deixe que
cada um resolva seus problemas e concentre sua energia em sua própria vida. Transforme-se
para melhor. Fique em paz!"
PARE DE QUERER CONTROLAR TUDO....
O preço do controle é a eterna vigilância. E esse estado de atenção tenso e preocupado
causa um enorme desgaste emocional. Uma vida assim engessada também pode ficar cinza
e monótona, e se tornar um grande convite à depressão e ao desânimo.
Para o controlador, não há espaço para que as coisas se modifiquem. Nem criatividade para
buscar novas soluções diante do inesperado. Segundo a psicoterapeuta Irene Cardotti, "o
controle vivenciado dessa maneira, rígida, férrea, está baseado apenas no desejo de
manipular pessoas e situações em nosso próprio benefício", avalia a psicoterapeuta Irene
Cardotti.
Uma boa maneira de se deter é enxergar nas atitudes de uma pessoa próxima o próprio jeito
de ser e reagir. Enxergar as manias, o amor a detalhes, o perfeccionismo e a eterna tensão
num outro controlador ajuda a nos conscientizar de nossas próprias características. A
aparência física também dá pistas preciosas: músculos tensos e rígidos, peito projetado para
a frente, maxilar travado ou corpo muito denso podem igualmente indicar sinais de um
controlador contumaz, avalia Irene, que também é especialista em bioenergética.
MAS POR QUE SERÁ QUE SOMOS ASSIM?
Duas emoções básicas movem o comportamento humano: o medo da dor e o prazer. E elas
também alicerçam o nosso desejo de controlar. "Queremos manipular por medo de que as
coisas fujam do nosso controle e nos causem sofrimento. O que não percebemos é que esse
desejo nos aflige tanto ou mais do que o sofrimento que teríamos se deixássemos as coisas
tomarem seu próprio rumo", diz Irene.
Ao mesmo tempo, desde os primórdios da psicanálise, seu criador, Sigmund Freud, afirmava
que o controle também tinha a ver com o prazer em exercer poder. E alguém que domina e
controla uma situação pode obter muita satisfação com isso.
A questão é que essa sensação que nos alivia se baseia numa ilusão: a de que realmente
conseguimos controlar a vida. A existência, porém, se revela bem mais indomável e resistente
do que podemos imaginar.
É possível que estejamos sob o jugo de forças e leis capazes de tirar o controle de nossas
mãos, especialmente quando não as conhecemos direito. "Acredito que seja importante
planejar a vida, se o fizermos de olhos bem abertos. Devemos identificar e agradecer a sorte
que temos e reconhecer os eventos aleatórios que contribuem para o nosso sucesso", diz o
professor e matemático norte-americano Leonard Mlodinow, que escreveu um livro, O Andar
do Bêbado, onde analisa algumas das leis pouco conhecidas que atuam na nossa vida, como
a da aleatoriedade.
Se engessamos a existência na maneira como achamos que as coisas devem acontecer,
diminuímos as chances da aleatoriedade, ou o acaso, se manifestar - uma perda lastimável,
de acordo com Mlodinow. "Acho que o universo é bem mais criativo do que eu. Planejo,
organizo, faço cálculos mas, se observo uma mudança de rumo, não a descarto
imediatamente. Primeiro vejo se o quadro geral pode se beneficiar com ela. O engraçado é
que na maioria dos casos a interferência se revela positiva", afirma o analista de sistemas
Celso Ayres.
Outra lei que é a maior casca de banana em nossos desejos de manipulação é a polêmica Lei
de Murphy.
QUANDO O CONTROLE É EXCESSIVO, O TIRO SAI PELA CULATRA.
Perdemos a sabedoria de que existe o momento de assumir responsabilidades, planejar,
organizar e realizar. Mas que também pode haver outros para soltar as rédeas, relaxar, criar e
aprender com o que se apresenta. E que é saudável ter essa possibilidade bem presente e
viva nas nossas escolhas e decisões. Deixe acontecer - pelo menos de vez em quando,
claro."
--
PARE DE CONTROLAR E DEIXE FLUIR…
“Tente não resistir às mudanças que surgem em seu caminho. Em vez disso, deixe a vida
viver através de você. E não se preocupe que a vida está virando de cabeça para baixo.
Como você sabe que o lado ao qual você está acostumado é melhor do que aquele que está
vindo? ”
NÃO DEIXE QUE O MEDO GUIE A SUA VIDA
Estamos com tanto medo da vida acontecendo ao nosso redor que tentamos controlar tudo. E
isso nos deixa não só exaustos, mas ansiosos.
Uma coisa na qual estou realmente tentando trabalhar é render-se ao Universo e
simplesmente deixar ir. Ao fazer isso, estou mais aberta a fluir naturalmente com o Universo e
o que ele tem a oferecer.
Mas é muito mais fácil dizer do que fazer. Mas não precisamos sentir que é difícil ou
impossível.
O medo é algo que surge frequentemente para mim. Se for medo de não fazer algo que eu
acho que devo fazer ou temo não ser tão autêntico, como  medo de como os outros vão reagir
ou qualquer outro tipo de medo que me leve à direção errada. Eu tento estar consciente disso
e tomar decisões por amor ao invés de decidir com base no medo.
LIBERTE-SE
Todos os dias eu me libero de algo e acabo entregando esse sentimento ao Universo. E então
eu espero pela orientação que vem logo depois disso. E a orientação sempre vem.
E é LIBERTADOR deixar algo que não está fazendo bem a você ir embora.
Esse é um tipo de mudança. Uma mudança consciente que eu convidei para a minha vida
para torná-la melhor (e mais fácil) para mim.
Há também outro tipo de mudança. O tipo que não foi convidada mas que vem entrando em
nossa vida sem nossa permissão, uma mudança que não poderíamos ter previsto.
Não há como controlar essas mudanças, as coisas acontecem. O importante é saber que a
reação consciente é muito mais benéfica do que uma reação automática.
A reação consciente é reconhecer como essa mudança pode ajudar a aprender algumas
lições e a crescer a partir delas.
Se aprendermos a fluir com a vida naturalmente, podemos aprender a não apenas desfrutar
de nossa jornada, mas também podemos reconhecer a beleza das lições da vida que o
Universo está oferecendo a nós individualmente (ou seja, por mudança / experiência).
Se deixarmos o Universo nos guiar, podemos crescer de forma a acelerar tudo o que
procuramos na vida.
Mas, novamente, é mais fácil falar do que fazer.
A pessoa que você é depois de uma mudança depende inteiramente de você.
Você pode estar no controle de suas reações e se entregar ao Universo e estar aberto(a) às
suas oportunidades e vivendo positivamente reflexivo e participando do crescimento interno
individual.
OU, você pode controlar tudo do lado de fora e torná-lo 10x mais difícil para você do que tem
que ser.
Você é sempre a resposta para você. Você é a solução para seus problemas.
SABEDORIA DA ÁGUA
  
"Se alguém lhe fechar a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
Lembre-se da sabedoria da água: a água nunca discute com seus obstáculos, mas os
contorna."
 
Quando alguém se depara com situações limites ou com pessoas exasperantes, que não lhe
deixam chance para argumentação, uma sensação de desânimo toma conta de seu íntimo e
parece que o mundo acabou... Sem a solução esperada, discutir ainda mais não vai adiantar,
apenas se desgastará além do necessário.
Discutir nossos pontos de vista com alguém que não está ouvindo, de nada adianta, é energia
desperdiçada. Bater em porta fechada não resolve nada. Olhe à sua volta!
Talvez naquele momento, a resposta esperada ou o desfecho pretendido para aquela
situação, não se concretizou e este mundo, com esta cara, acabou mesmo...
Mas, se deixar passar um tempo, depois de esfriar a cabeça, verá que aquilo não se
concretizou porque não deveria ser assim, havia outra solução e outro caminho.
As janelas se abrem sempre que se fecha uma porta. Nada acontece por acaso. Cada
situação na nossa vida é um aprendizado, uma nova oportunidade para aprender algo novo,
fazer algo diferente, mudar a percepção e o conceito que temos de determinado assunto. É
este o tesouro mais valioso que podemos guardar.
Estamos neste mundo para aproveitar os momentos e as oportunidades que se apresentam
para um novo recomeço. Este é o nosso papel: recomeçar sempre, aprender com os erros e
compartilhar os acertos. Ninguém é perfeito, mas a busca pela perfeição
SEJA COMO A ÁGUA: não perca tempo em confrontar o que não tem mais jeito. Contorne o
obstáculo, procure outros caminhos e deixe a vida seguir seu curso. Ela se encarregará de lhe
mostrar novas oportunidades e você chegará ao seu destino com uma bagagem mais valiosa:
sua experiência. E só a experiência é sabedoria! ...
WU WEI, A ARTE DA NÃO AÇÃO
O Wu wei é um conceito do taoísmo que se traduz em “não ação”. Trata-se de um
princípio no qual se indica que a melhor maneira de enfrentar uma situação, especialmente se
for conflituosa, é não agir. E mais do que não agir, não forçar nenhuma solução, e sim deixar
que flua.
Para a maioria das pessoas parece estranho que exista uma filosofia nos convidando à
não ação. Vivemos em uma sociedade que constantemente nos induz ao contrário. Na
verdade, vivemos saturados de atividades, sensações e pensamentos. Quando não estamos
fazendo nada, nos sentimos estranhos. Chegamos a pensar que isso é simplesmente uma
perda de tempo.
“Do vazio do sábio surge a quietude. Da quietude, a ação. Da ação, o sucesso”.
– Chuang Tzu –
O Tao Te Ching foi escrito há 25 séculos pelo filósofo Lao Tse. Este filósofo pensava que a
melhor maneira de viver era nos sincronizando com o fluir da natureza e do
cosmos. Esta é a principal inspiração do Wu wei: deixar que as coisas tomem seu curso
natural e se adaptar a ele.
OS VALORES E VIRTUDES NO WU WEI
O Wu wei propõe uma vida simples porque é a que mais se traduz em paz e
harmonia. Essa simplicidade implica não se apegar muito às ambições e desejos, já que são
as principais fontes de intranquilidade e sofrimento, mais do que realização.
A simplicidade também ajuda a viver de uma forma mais serena. Quando estamos focados
em ter grandes sucessos e satisfações, isso se torna impossível. Trata-se então de
valorizar o que somos e o que temos, ao invés de nos lamentarmos pelo o que não somos ou
não possuímos.
Da mesma forma, o Wu wei apresenta que a simplicidade nos ajuda a aceitar as coisas
assim como são, a não resistir ao curso dos acontecimentos e a não pretender tomar o
controle sobre eles. São valores e atitudes que entram em contradição com a mentalidade
ocidental, mas que permitem cultivar um maior equilíbrio emocional.
O WU WEI E OS EXCESSOS
O Wu wei também nos chama a atenção para o fato de que a principal fonte de
problemas são os excessos. Diferentemente do que muitos pensam, não são as carências,
e sim os excessos que nos levam a sentir um maior mal-estar. Por esse sentido, os elementos
práticos que o Wu wei nos propõe se concentram em quatro pontos principais:
 Aceitar o fato de que os problemas são uma criação de nós mesmos. Os
problemas não surgem do nada, são criados por nossas ações e por nossa mente.
 Não fazer esforços mentais para resolver os problemas. Não representá-los
na mente, nem criar soluções para eles. A ideia é deixar que se diluam sozinhos e não
alimentá-los.
 Aprender a apreciar o fluxo natural das coisas. Isso é, adotar uma atitude de
observação frente aos acontecimentos, sem pensar que devemos intervir.
 Deixar que a mente flua. Não tentar dar uma direção ou um foco específico.
Simplesmente permitir que tudo siga seu próprio curso, especialmente quando estamos
na calma.
ESPERAR E OBSERVAR
Um dos eixos do Wu wei é o de aprender a esperar e observar. Parte da ideia de que a
energia deve ser conservada para aqueles momentos nos quais a ação seja inegável. Quem
observa e aguarda o momento propício saberá agir com grande sabedoria. Também com
enorme vitalidade, já que não desperdiçou a energia em ações irrelevantes.

Parte também da ideia de que quem sabe observar e esperar resolverá qualquer situação
com grande facilidade, contanto que se esforce. Isso não significa negligência ou passividade,
e sim sincronização com o fluxo natural da realidade. Temos que ressaltar que nada
permanece imutável, pelo contrário. O que existe está mudando constantemente, com ou sem
nossas ações individuais.
Trata-se então de não resistir a esse transcorrer da realidade. Boa parte de nossas ações
estão destinadas a nos fazer resistir. Isso gera uma força negativa que chega a ser
prejudicial. Ao invés de ajudar a nos autopreservar, nos convida a nos machucarmos
nessa luta. O que devemos buscar é permitir que tudo ocorra de forma natural, sem oposição.
COMO PRATICAR WU WEI E FLUIR COM A VIDA
Mergulho prática de Wu Wei mais profundo em uma filosofia de vida que vai contra o que se
impõe sobre a sociedade. É um derivado da filosofia taoísta, que literalmente nos convida a
fluir com a vida, não para impor contra o que é natural para nós para encontrar serenidade e
felicidade a cada conceito momento.

Sua aplicação como um modo de vida nos permite alcançar um maior nível de calma mental,
nível filosófico e emocional ao mesmo tempo e é ideal para estes tempos de estresse e
preocupações permanentes.

POR PRATICAR WU WEI?


Nossa vida é constantemente bombardeado por estímulos que nos fazem pensar que
precisamos de algo para ser feliz, para prosperar, para encontrar a felicidade. Pode ser um
carro de luxo, uma casa maior, ou tratada para imagens que foram convencidos de que eles
são o caminho para a felicidade. Então, planejamos que, quando temos certa idade e deve ter
se casado e tinha este ou aquele número de filhos, que apenas 18 anos vamos estar
preparados para decidir o que fazer o resto de nossas vidas, e que as falhas são um enorme
monstro superados.

Vivemos em um estado constante de stress. pressões Desculpe para cumprir os mandatos


das imagens representam o corpo que não tem muito dinheiro ou custar-nos. E de uma forma
direta, nós parar de prestar atenção à nossa própria natureza. Perguntas como "o que me dá
felicidade" responder em breve "quando você tem esta ou aquela casa, porque, número de
filhos", e fomos contra a nossa própria vida, cumprindo o que talvez não era mesmo o que
nossa alma precisa de bem-estar.

O QUE É WU WEI?
Poderíamos descrever o Wu Wei como um modo de vida. É um comportamento ao invés de
uma prática, aprender a fluir com a vida, nosso ser natural, em favor do que encontramos uma
verdadeira fonte de conforto, e longe do mundano e fiscal em nossas vidas diárias. Seu
próprio nome poderia ser traduzido em nossa castelhano como "inação", ou seja, não
fazendo. Mas não é uma inação passiva, mas de nenhuma situação de força e ações que não
tendem a ir em favor de nossa natureza.

Ao contrário da palavra espanhola, esta omissão refere-se a uma cultura da vida em que o
que está em nossa causa, não precisa ser forçado. Não há necessidade de lutar e trabalhar
duro para respirar: é parte de sua natureza, nem mesmo notas enquanto você está fazendo
isso constantemente. Da mesma forma, Wu Wei nos encoraja a explorar a vida e escolher
nossos caminhos a partir do qual a nossa satisfação e felicidade e achar que é natural, em si:
sem pressão, sem forçar.

¿RELAXAMENTO OU OMISSÃO?
Wu Wei, por outro lado, não encorajar-nos a relaxar e não fazer nada. Isto não é para ficar
parado, mas sempre continuar avançando nossas vidas em direção ao que é puro em nosso
ser. Inação aos quais este conceito refere-se apenas se aplica a situações que não estão
forçando nossa própria felicidade.

Quando você aprender a não impor seus desejos às circunstâncias que aparecem em sua
vida, você vai notar um estado mais elevado de calma. É uma aceitação da sua própria
existência: não só tomar o que é isso de repente, mas o que faz você olhar bem, sem
encontrar angústia supõem, desgaste, temem não receber ou perda de energia.
Uma das formas mais líricas para explicar este conceito é analisar a natureza: flores crescem
facilmente, sem esforço que você respira, o ar flui sem esforço, e assim devemos viver cada
momento de nossas vidas.

As crianças podem ser grandes mestres Wu Wei: fluir com a natureza para o que lhes dá
felicidade, sem pressões impostas.

COMO APLICAR A WU WEI PARA A VIDA COTIDIANA?


Você está em uma encruzilhada e não sabe que caminho seguir? Bem lá vai entrar em acção
este conceito deve reconhecer o que é a maneira que tende a sua própria felicidade, e esse
caminho sem forçar situações, mas constantemente analisar e interpretar.

Wu Wei nos encoraja a "não fazer nada, mas não deixam nada a fazer." Esta interpretação
não refere-se a impor, mas não conseguem tirar proveito das circunstâncias naturais para
nossas próprias vidas que aparecem em nosso caminho.

NESTE INAÇÃO HÁ MUITAS COISAS QUE VOCÊ PODE PARAR DE FAZER EM SUA
VIDA DIÁRIA:

 Preocupar-se com o que você não pode mudar ou que ainda nem aconteceu
 Angustiar-te tão faltando em sua vida
 Temer explorar novos caminhos
 Desconfiando de seu próprio eu e seus arredores
 Fique parado, cofre, dentro de uma caixa que o priva de abrir suas próprias asas e
expressar
 Ao praticar Wu Wei cease de lutar contra o seu eu interior, aprender a fluir com a
vida, intermináveis estradas vai abrir na frente de você e você está certo de estar
fazendo a melhor decisão para a sua felicidade.
WU WEI, O TAO E O VIVER NO PRESENTE
O processo de desligar o pensamento é justamente igual a um processo de pensamento.
Quem tenta viver o aqui e o agora desta maneira está enganando a si mesmo e gastando
energia inutilmente.
Mesmo assim não desanime. Esta coisa, na verdade, é bem fácil – pressupondo a disposição
da pessoa. Aqui também não são necessários desempenhos recordes, pois viver no presente
sem perder-se em pensamentos não é nenhuma disciplina olímpica. Inclusive no Tao, os
empenhos para alcançar algo não são considerados. É bom não ter um objetivo, ser
ambicioso, nenhum motivo. O esforço humano, para de alguma maneira, sempre ser melhor
do que os outros ou que nós mesmos, no estado presente é ridículo. Acreditamos que toda
pessoa na verdade é bem mais do que poderia se tornar um dia.
O estado completo da vida em wu wei é visto no zen-budismo como uma inspiração, uma
realização de Buda. A percepção direta e atenta dos acontecimentos imediatos é chamada de
“consciência” sem domicílio ou o espírito sem domicílio. Com esta consciência ou espírito a
força criadora já foi incluída na vida do praticante. Assim que observarmos alguns
segundos atentamente o nosso ambiente e os acontecimentos ao nosso redor
entramos em contato com esta energia estranha.
E é essa que modifica nosso cotidiano, nossa vida inteira, se confiarmos plenamente nela.
É como na brincadeira que fazíamos de vez em quando na infância e na juventude: abrem-se
os braços, fecham-se os olhos e deixamo-nos cair nos braços de um amigo que está atrás
nós.
Esta brincadeira nem é tão fácil, é uma sensação desagradável deixar se cair no incerto,
mesmo sabendo que há alguém atrás de nós que nos segurará. A experiência do espírito sem
domicílio tem a mesma importância que a capacidade de observar naturalmente, não partindo
de nenhum centro interior -simplesmente observar, por exemplo, um passarinho na janela ou
o gato do vizinho. Assim que esta observação estiver livre de pensamentos ela será idêntica
ao efeito do Tao.
Isto tudo soa estranho e sem lógica. Bem, lógico não é.
Mas será que só está correto aquilo que é lógico? A realidade objetiva de nossa existência é
mais paradoxal do que lógica. A lógica é uma muleta que a razão humana arrumou para não
se desesperar com as coisas reais. A lógica é compreensível e tudo que conseguimos através
dela nos dá segurança, não é?
Permanecer realmente com o espírito no presente, observar atentamente os acontecimentos,
registrá-los sem análise, seria o primeiro passo para a realização do Tao na nossa vida.
Deixar os acontecimentos seguirem o seu fluxo sem resistir, apenas observá-los, isto é agir
na não-ação, isto é wu wei.
Quando você aprender a passar seus dias assim, sua vida será como nos melhores tempos
de sua infância: sem preocupações, sem conflitos, esquecendo ontem, não sabendo nada de
amanhã, permanecer apenas no hoje repleto de felicidade e serenidade. Isto é arte de viver,
isto é viver no espírito Tao. Qual é a distância desta ideia do quadro de sua atual existência
sofrida? Ao contrário de todas as outras pregações e afirmações, alcançar a mudança em sua
vida, alcançar este estado tão positivo, não é de maneira alguma uma questão de tempo. É
apenas uma questão de como você irá proceder para se libertar de imagens com as quais
tem afinidade.
O segundo (e único) passo adicional é a necessidade de se libertar interiormente de todos os
compromissos, de todo tipo de autoridade, indiferentemente de elas surgirem do exterior ou
de sua própria imagem, de padrões de pensamentos enraizados, compromissos religiosos,
etc. Este segundo passo pode facilitar muito a vida no presente. A necessidade de libertação
de compromissos não significa que você tenha de abrir mão dos prazeres da vida, de
propriedades, ou de seu parceiro.
Na verdade, não há um único processo em nossa vida que seja problemático. Nem a
espiritualidade, nem a meditação, nem o bem-estar, nem o desejo das comodidades da
existência. O problema é o “apego”, como dizem os chineses.
Não são os prazeres da vida que nos afastam do Tao, porém apenas o compromisso
interior com eles.
Isto tudo soa estranho e sem lógica. Bem, lógico não é.
Mas será que só está correto aquilo que é lógico? A realidade objetiva de nossa existência é
mais paradoxal do que lógica. A lógica é uma muleta que a razão humana arrumou para não
se desesperar com as coisas reais. A lógica é compreensível e tudo que conseguimos através
dela nos dá segurança, não é?
Permanecer realmente com o espírito no presente, observar atentamente os acontecimentos,
registrá-los sem análise, seria o primeiro passo para a realização do Tao na nossa vida.
Deixar os acontecimentos seguirem o seu fluxo sem resistir, apenas observá-los, isto é agir
na não-ação, isto é wu wei.
Quando você aprender a passar seus dias assim, sua vida será como nos melhores tempos
de sua infância: sem preocupações, sem conflitos, esquecendo ontem, não sabendo nada de
amanhã, permanecer apenas no hoje repleto de felicidade e serenidade. Isto é arte de viver,
isto é viver no espírito Tao. Qual é a distância desta ideia do quadro de sua atual existência
sofrida? Ao contrário de todas as outras pregações e afirmações, alcançar a mudança em sua
vida, alcançar este estado tão positivo, não é de maneira alguma uma questão de tempo. É
apenas uma questão de como você irá proceder para se libertar de imagens com as quais
tem afinidade.
O segundo (e único) passo adicional é a necessidade de se libertar interiormente de todos os
compromissos, de todo tipo de autoridade, indiferentemente de elas surgirem do exterior ou
de sua própria imagem, de padrões de pensamentos enraizados, compromissos religiosos,
etc. Este segundo passo pode facilitar muito a vida no presente. A necessidade de libertação
de compromissos não significa que você tenha de abrir mão dos prazeres da vida, de
propriedades, ou de seu parceiro.
Na verdade, não há um único processo em nossa vida que seja problemático. Nem a
espiritualidade, nem a meditação, nem o bem-estar, nem o desejo das comodidades da
existência. O problema é o “apego”, como dizem os chineses.
Não são os prazeres da vida que nos afastam do Tao, porém apenas o compromisso
interior com eles.
Por outro lado, seria totalmente inútil a auto tortura neste instante se você dissesse: “Bem, a
partir de agora quero estar livre de qualquer apego”, e se você tentasse sugerir para si esta
liberdade até conseguir um tipo de sensação de liberdade. Infelizmente, não é tão fácil. Talvez
possamos iludir pessoas com tais medidas, mas não podemos enganar o Tao. Tal processo
seria muito estafante e não daria certo, pois novamente uma imagem de pensamento foi
apenas substituída por outro modelo tão comprometedor quanto o primeiro. Você teria apenas
exorcizado o diabo.
Existem caminhos mais fáceis para conhecer a verdade sobre os seus compromissos e
engajamentos. 
Se você observar persistentemente e sem uma postura interior as suas reações diante
dos acontecimentos da vida – isto é, no momento em que ocorrem, você logo
perceberá o tipo e a dimensão de seu compromisso. Esta observação já é meditação que
não está ligada a nenhuma forma externa e a nenhum ritmo de tempo. Essa meditação
sempre ocorre quando os acontecimentos a tornam necessária.
Assim esta forma de meditação permanece sempre viva, nunca cai na rotina ou adormece a
mente. Tão logo o reconhecimento de seus diversos compromissos estiver profundamente
vivo em você, muito além da compreensão intelectual do seu estado, você constatará que
esses compromissos perderão por si mesmo o poder sobre você. Como num passe de
mágica os cordões com seus vínculos estarão rompidos.
Naturalmente, tudo isso depende da vontade interior de se libertar de seus diversos
apêndices e não procurar secretamente prender-se a um ou outro como anteriormente.
Nesta ruptura de todas ligações e compromissos existe um outro problema: a questão da
segurança pessoal. Enquanto você estiver ligado a qualquer tipo de instituição, ideologia ou
organização você obtém a segurança por meio dela. Você se sente integrado na sociedade e
a sua adaptação à sua ordem e regras de jogo lhe proporciona uma sensação de proteção.
Você encontra apoio em seu parceiro, na sua profissão, nos seus costumes cotidianos e
habituais. Tudo isto proporciona uma aparente segurança, de que as pessoas necessitam,
porém é a única coisa que adoça um pouco a miséria da enorme falta de liberdade interior da
humanidade. Sendo esta liberdade absolutamente ilusória, ela é relativa; na verdade, ela
existe apenas como imaginação intelectual ou emocional, é um calmante com efeito contínuo.
Porém este efeito contínuo não perdura até a morte. Em algum momento, mais cedo ou mais
tarde, todos são obrigados a encarar a verdade de frente. Pois uma construção mental de
segurança não existe, e quando a vida nos apresenta desafios sérios e a estrutura de
segurança ao nosso redor se desfaz, então ficamos nus como uma concha cujo invólucro
desapareceu. A pessoa à qual isto acontece – e acontece diariamente no mundo todo – deve
reconhecer que fez uma construção sobre areia.
Sente que perdeu todos os apoios e pontos de orientação. Mas geralmente é neste momento
que ela vive uma experiência que a maioria de nós nem consegue interpretar. Se você na vida
já passou por uma crise profunda que chegou até aos fundamentos de sua existência, então
você lembrará que a mudança para melhor ocorreu justamente naquela fase em que se
entregou por estar muito exausto para continuar a lutar. Naquela época você simplesmente
experimentou a mão do Tao, pois ela surge com força em nossa vida naquele momento em
que tiramos a mão do leme, quando desistimos. Assim esta enorme força estranha pode
tornar-se eficaz, e precisamente com uma inteligência que opera muito além do pensamento.
Nossos problemas existenciais solucionam-se de uma forma que depende de uma sabedoria
tão profunda que a nossa razão não a possui. Aqui você pode perceber como é insensato
prender-se a estas seguranças aparentes que o cotidiano nos oferece.
Quem se dedicar à arte de viver do Tao, prescrever a si mesmo a ação intuitiva e entregar-se
à segurança da própria autoridade interna, futuramente enxergará a vida e o seu cotidiano
com outros olhos. Este comportamento espiritual é a verdadeira segurança, mas,
curiosamente, o pensamento em segurança perde a sua grande importância uma vez que
aprendemos a deixar nossa vida por conta do fluxo do Tao. Pois o fluxo da vida é idêntico ao
Tao, assim como nós também somos idênticos a ele.
A partir do momento em que você perceber isto não será mais necessário lutar e esgotar-se;
ocupar-se dia e noite com as suas preocupações e necessidades, e perceberá que sua vida
consiste na mistura de poucas alegrias e muitos problemas. Você pode riscar qualquer tipo de
objetivo de seu pensamento pois se você seguir atentamente aqui e agora o decurso da vida,
este o levará a todo local desejado, a todo objetivo, antes mesmo que você possa imaginá-lo.
Sim, é indispensável que você desista de seus motivos, seu próprio esforço, seus desejos de
ser algo que ainda não é. Você precisa aprender a não fazer mais nada, a observar e ser
atento. Esta é a verdadeira forma da ação inteligente. “Ele” agirá por você melhor do que a
sua razão conseguirá.
Uma pessoa que realmente entender esta verdade viverá além de seu meio espiritual. Isso
significa, antes de mais nada não estar ligado a nenhuma direção. Assim você poderá, a partir
e a retornar ao seu centro. Centro que não deve ser compreendido como um lugar: muito pelo
contrário, por mais estranho que soe, tal centro tem dimensões universais cósmicas e não
está ligado a um local na altura de seu plexo (entrelaçamento de nervos vegetativos), do seu
coração, ou da sua barriga. Uma pessoa que vive além do seu centro, pode estar repleta de
muita espiritualidade e sempre entregar-se-á alegre e serenamente a todo tipo de prazer
físico. Depois de ter acabado ele volta ao seu centro sem que nenhum sinal deste
acontecimento mantenha o seu espírito preso.
Esta é a expressão da verdadeira liberdade. Todas as tentativas de orientar as pessoas
unilateralmente, por exemplo, indicando-lhes uma vida religiosa severa, e colocando-lhes todo
prazer de vida como pecado e proibindo-os, tornam qualquer pessoa incapaz de viver além do
centro. Ela está parcialmente atrofiada. E aqueles que lhe indicaram esta maneira de vida
como necessária não são nem um pouco melhores. Neste caso, loucos são orientados por
loucos.
Deixe-me resumir o que foi colocado até agora: o Tao não é um caminho, mas é o passo para
si próprio e para a própria autoridade interna. Wu wei significa não querer agir por si, mas
deixar a ação e a decisão para esta autoridade mencionada. Além da disposição de tirar
a mão do leme de nossa vida existe a necessidade de voltarmos a nossa razão cada vez
mais para o presente. Na mesma proporção em que nós – ao invés de constantemente
circularmos nossos pensamentos pelo passado e pelo futuro – observarmos o nosso
cotidiano, lhe darmos total atenção, nossa vida e nossa visão de vida mudarão. Neste caso
não se exige nenhuma perfeição olímpica. Aqui vale viver o aqui e o agora, no momento e
com segurança. A liberdade de opinião e de qualquer ligação completa o quadro de uma nova
forma de vida. Tal liberdade pode ser alcançada por qualquer pessoa desde que se mantenha
dentro dos conselhos dados.
Do livro Wu Wei – A Arte De Viver O Tao
11 formas de DEIXAR FLUIR e se sentir menos estressado
A CHAVE É SER DESAPEGADO. Gastar suas energias vivendo o que a vida traz pra você,
de forma humilde, e vivendo o agora. Não é segredo pra ninguém que essa não é das tarefas
mais fáceis, mas vou te dar umas ajudinhas:
1. TENHA UM TEMPO SAUDÁVEL PARA CUIDAR APENAS DE SI.
Às vezes você tá perto demais do problema e não consegue ver ele por um espectro
maior. Tire umas férias, viaje, foque em qualquer outra coisa e depois volte. Você vai ver
as coisas e talvez até  as pessoas com outros olhos, além delas te sentirem diferente
também. Fazer uma pausa e voltar de onde parou te traz resultados bem diferentes de
nunca parar.
2. ACEITE A VERDADE E PRATIQUE A GRATIDÃO PELO QUE SE É.
Desapegar é ser grato pelas experiências que você teve, que te fizeram rir, crescer e se
sentir vivo. É aceitar tudo que você tem, que você teve e as possibilidades que estão à
sua frente. É achar forças para seguir adiante e quebrar os obstáculos que aparecerão,
confiar na sua intuição e aprender que toda experiência tem seu valor.
3. FALE MENOS E RESPIRE MAIS QUANDO ESTIVER NERVOSO.
Fale quando tiver nervoso e terá as falas que você mais se arrependerá na vida. Pare,
respire, vá tomar uma água. Tente descobrir a fonte da sua raiva. Conserte a si mesmo.
Tentar consertar a outra pessoa é uma ótima forma de prolongar seu sofrimento. Seja
responsável pela sua mudança e sobre como você age diante as ações das outras
pessoas, isso facilitará muito seu crescimento, liberdade e felicidade.
4. PERDOE DE CORAÇÃO, QUANTAS VEZES FOREM NECESSÁRIO.
Perdoar é escolher ser feliz ao invés de machucar seu coração. É reconhecer que todos
nós cometemos erros, é deixar nosso ego de lado e aceitar que ninguém é perfeito.
Entenda que não é por que uma pessoa cometeu um erro que ela é má, sinistra e
imperdoável.  É difícil perdoar, requer muita força, mas quando você perdoa algo de
verdade, é porque você ama algo com todas as suas forças, e acontece uma mágica em
você que te deixa se sentindo muito bem. Perdoar de verdade te coloca num patamar
onde você pode dizer honestamente “Obrigado por tudo que você me fez viver”, e dizer
isso de coração.
5. CONCENTRE-SE APENAS NO QUE PODE SER MUDADO.
Entenda que nem tudo nessa vida vale o esforço de ser mudado, ou sequer pode ser
alterado. Viva, deixe acontecer e foque no que realmente importa. Não desperdice
energia. Se você não consegue mudar algo, mude a forma que você enxerga essa
coisa, re-analise suas opções e decida o que não te deixará chateado.
6. FOQUE NO AGORA.
O momento é agora, o passado é só memória e o futuro é apenas uma projeção. Você
pode se mergulhar no passado para refletir, ou se enfiar no futuro para visualizar e
planejar, mas toda vez que você foca no passado ou no futuro por razões negativas,
você está se sufocando e se impedindo de viver o que realmente importa, o único
momento que você realmente tem, que é o AGORA. O passado e o futuro literalmente
não existem agora: sinta a liberdade dessa verdade.
7. ABRACE SUAS FALHAS, SEUS ERROS E O FATO DE QUE A VIDA É UMA
GRANDE LIÇÃO.
As coisas mudam, pessoas mudam, mas você vai ser sempre você. Seja honesto
consigo mesmo e não deixe nada te mudar, nunca sacrifique um traço de vocẽ por
alguém, Você tem que aprender a lidar consigo mesmo, por mais bizarro, estranho ou
aterrorizador que isso seja.
Mesmo nos seus piores dias, você cresce um pouco a cada nascer do sol, se seu foco
for o aprendizado. Muitas vezes as maiores recompensas dos tempos difíceis que você
passa não é o que você ganha, e sim quem você se torna.
8. NUTRA SEU AMOR PRÓPRIO. Muitas vezes a parte mais difícil da jornada é
reconhecer que vocẽ vale a pena. E VOCÊ VALE! Tatue isso na sua mente, e o mundo
começará a responder de volta. Preste bem atenção nas coisas que você pensa e
troque por coisas positivas, você é um ótimo amigo e que vale a pena ter por perto.
Enfie isso na cabeça e o universo tratará de te mostrar que isso é verdade.

9. NÃO LIGUE PARA JULGAMENTOS ALHEIOS.


Muitas pessoas julgam numa tentativa desesperada de não serem julgados. Seus
julgamentos são razos e baseados em suas próprias inseguranças, reflexo do que eles
realmente são. As pessoas podem ter ouvido suas histórias, acompanhado alguns
momentos seus, mas elas nunca serão VOCÊ. Elas não sabem o que você pensa, o que
você sente, o que você busca, o que te faz feliz. Eles não estão vivendo a sua vida.
Ignore o que eles te dizem, desapegue disso tudo. Foque em como você se sente, foque
no que te faz bem, foque na sua estrada.
10.COLOQUE HUMILDADE EM TUDO QUE VOCÊ FIZER.
Existem 3 coisas importantes nessa vida: A primeira é ser humilde. A segunda é… ser
humilde. E a terceira você pode imaginar… é ser humilde. Tudo que você fizer pode ser
feito de uma forma melhor se você for humilde. Toda palavra que for proferida vai ser
mais eficaz se for expressa com humildade. Seus dias serão mais brilhantes e seus
anos mais cheios quando você colocar a humildade no meio dos seus propósitos. Seja
humilde todos os dias e você com certeza viverá num mundo com menos stress e mais
felicidades.
11.SABOREIE AS COISAS BOAS DA VIDA.
A vida é tipo uma bacia cheia de frutas: algumas são estragadas e outras estão
boazinhas. É responsabilidade sua separar as estragadas das boas. Pegue as ruins e
jogue fora, de forma desapegada. Não se deixe confundir pelas pessoas que escolhem
comer as frutas estragadas. Eventualmente você vai perceber que nessa vida existem 2
tipos de pessoas: as que comem frutas estragadas e as que, assim como você, comem
as frutas boas.

---
DESAPEGAR NÃO É DESISTIR. Desapegar é deixar de lado qualquer obsessão em
particular, seja a uma pessoa, a uma situação ou qualquer coisa. Desapegar é acordar todos
os dias e tentar ser o seu melhor, sem esperar que algo aconteça. Tenha metas, sonhos,
tenha um foco, construa relacionamentos, mas esqueça que a vida tem que ser “assim”.
Apenas deixe fluir.
Pensar dessa forma te traz paz interior, traz calma, e faz a gente se lembrar que nossa vida é
reflexo do que sentimos. A energia gasta em criar algo com esse tipo de humildade, de
desapego, é muito mais poderosa e recompensadora do que o esforço de se manter com
aquela expectativa de “pelamordideus eu TENHO que ter isso”.
APRENDA A NÃO SE APEGAR A NADA...

Uma das maiores causas da infelicidade é o apego. Você se apega a tudo e sofre com isso.
Se o seu parceiro (a) se apaixona por outra pessoa, você fica frustrado. Se alguém querido
morre, você fica frustrado. O corpo adoece, envelhece, você se frustra. Se você perde um
objeto que você se esforçou para conseguir, você se frustra. Se é esquecido pelos amigos,
você se frustra.

É preciso compreender que, por natureza, tudo muda, tudo está em um constante fluxo. Nada
é estático. Você está querendo segurar as coisas, mas elas constantemente escorregam dos
seus braços. Você está querendo segurar o rio, mas ele continua fluindo, a correnteza não
para por um minuto...

Você precisa entender profundamente que tudo é passageiro, até você mesmo. Até seu corpo
é passageiro, e vai durar muito pouco, em média 70 anos, quase nada. Mas a sua mente quer
se agarrar as coisas para sempre...

A sua própria mente cria esse desejo, e ela mesma sofre com o que ela criou. A própria
mente fica apegada por ela mesma.

   Entenda profundamente...

   Quando você conhece alguém, e você começa a se relacionar com essa pessoa, é natural
que você crie milhares de expectativas em cima dela, você começa a se apegar aos poucos...

   A sua mente cria uma imagem do que é essa pessoa e ela se apega a essa imagem.

   Sua mente não se apega a pessoa real, pois isso é impossível. Você não conhece ninguém
realmente, você conhece o que lhe é mostrado, o que é possível saber. Se a pessoa pensa
em te trair, se ela pensa em te matar, mas não demonstra isso, então para a sua mente isso
não faz parte da imagem que ela criou sobre essa pessoa.

   Entendeu?
João se apaixonou por uma garota, ele então criou uma imagem dessa garota na mente dele,
onde na imagem, a garota é educada, amorosa, inteligente etc. João cria milhares de delírios
em cima dessa imagem, a mente dele começa a se apegar a garota, mas não a garota em si,
mas sim a projeção que a mente dele criou sobre ela baseado no que ele viu. Na verdade
essa garota é totalmente o oposto do que João acreditava. A garota real não tinha nada a ver
com a garota que estava na mente de João, então eu pergunto, por quem João se
apaixonou?

   Pela própria mente. Pelos próprios delírios.

Você precisa estar consciente sobre isso. Quando você se apega a alguém, na verdadevocê


está apegado a sua própria mente. A sua mente cria uma imagem falsa do que ela acredita
ser real baseado apenas no que é possível que ela saiba. 
Por isso é impossível para alguém consciente criar expectativas. Ele sabe que não pode levar
sua própria mente a sério. Ele simplesmente não espera nada de ninguém. Muito menos que
a pessoa irá ficar com ele “para sempre”.

   Agora você já deve estar compreendendo...

Você não se apega a nada a não ser seus próprios pensamentos, suas próprias projeções,
suas próprias imagens, sua própria mente. E a sua mente tenta criar um reflexo da realidade,
mas esse reflexo é falso. Você se apega por esse reflexo. 

Comece a correr com o rio, mas não tente segurar o rio. Se estiver namorando uma
pessoa, aproveite cada momento, mergulhe profundamente nos sentimentos bons que ela te
proporciona, mas não crie nenhuma expectativa, não se apegue, apenas deixe a correnteza
fluir...

Se está com um amigo, não queira ser o proprietário dele, você não é dono de ninguém. Todo
indivíduo deve ser livre, totalmente livre. Toda posse é uma ilusão. Então deixe que ele
desapareça da sua vida, deixe que o rio leve ele para seu destino desconhecido, e fique
totalmente grato por ele ter passado em sua vida, pela correnteza da existência ter feito com
que vocês se conhecessem.

 Essa é a beleza da vida, tudo muda constantemente, em rumo a um objetivo


desconhecido, apenas deixe as coisas serem como são. Se há algo feio, algo
desnecessário, esse algo é o apego. Pois ele não é baseado na verdade mas sim na
mentira, na ilusão.

Pare de se apegar, pare de levar os delírios da mente a sério. Se torne o rio, se torne a
correnteza. Você está preso nos delírios de sua própria mente. 

A partir do memento que você toma consciência disso, algo de mágico acontece na sua vida.
De repente você se sente livre, de repente toda a infelicidade proveniente do
apego desaparece.
LIÇÕES DE VIDA DE BRUCE LEE

1. OBJETIVO

“Um objetivo nem sempre é para ser atingido, frequentemente serve apenas como algo
a ser mirado.”

Esse talvez seja um dos clichês da motivação mais negligenciados. Ter objetivo é importante,
mas não é tudo. É preciso apreciar a jornada tanto quanto a chegada. De fato, estudos
comprovam que o corpo humano produz mais serotonina (hormônio da felicidade) quando
estamos prestes a conseguir algo do que quando conseguimos. Se você tem um objetivo,
faça dele uma consequência de algo valioso, e que se não der certo, tudo bem, valeu a pena.

2. FLEXIBILIDADE

“Limpe a sua mente e seja como a água, sem forma. Você coloca a água num copo e se
torna o copo, coloca água em uma garrafa, se torna a garrafa.”

Resiliência e adaptabilidade são duas das mais valiosas qualidades que uma pessoa pode
ter. Não seja duro, lento e difícil de lidar. Seja flexível, rápido e fácil de conviver — adapte-se
às circustâncias em vez de confrontá-las. Flexibilidade é a capacidade que algo tem de se
moldar às adversidades, a água é o maior exemplo, ela não se opõe aos obstáculos, se
molda a ele.

3. TEMPO

“Se você ama a vida, não desperdice tempo, é de tempo que a vida é feita.”

Você já leu isso em algum lugar, mas Bruce colocou isso de uma forma diferente. Se a vida é
feita de tempo — logo é limitada — , então viver é aproveitar o tempo. Evite reclamar que
você não tem tempo, evite sonhar com um dia de 30 horas, isso é perda de tempo. Se você
tem apenas 1 hora livre no final do dia, aproveite! Faça algo que realmente te deixe feliz. E se
você não está feliz hoje, se algo lhe incomoda, saiba que você está perdendo tempo. Mude!

4. PROPÓSITO

“Viver de verdade é viver para os outros.”

Que graça a vida teria se não tivéssemos ninguém para compartilhar? Ninguém para cuidar,
ninguém que nos esperar ao final do dia, ninguém para nos motivar… alguém que valha a
pena luta. Não é hipocrisia, não falo da boca pra fora, eu realmente acho que o propósito da
vida de cada um é fazer os outros felizes. Porque se as pessoas com quem me importo forem
felizes, eu também serei. Para manter isso sempre aceso dentro de mim, frequentemente me
pergunto: o que você pode fazer para alegrar o dia de alguém (sem esperar nada em troca)?

5. ACEITAÇÃO

“Não pense sobre quem está certo ou errado ou quem é melhor que o outro. Não seja
nem a favor nem contra.”
Você não acha que o mundo seria melhor se as pessoas não julgassem tanto umas as
outras? Outro dia eu comentei que nem todo mundo quer mudar o mundo, mas todo mundo
gostaria de mudar o outro. Um amigo concluiu brilhantemente: devíamos querer mudar a nós
mesmos.
Para mim, falar dos outros é uma perda de tempo e pior, é nocivo. Precisamos entender que o
mundo é um lugar heterogêneo e agradecer por ele ser assim.

6. FOCO

“Eu não temo o homem que praticou 10.000 chutes uma vez, eu temo aquele que
praticou um chute 10.000 vezes.”

Seja um especialista. Se você quer ser muito bom em algo, pratique, pratique, pratique. E
quando você achar que já praticou o suficiente, pratique o dobro. E quando você achar que
não tem mais como melhorar, pratique um pouquinho mais. Seja o melhor em algo e você
será reconhecido por isso. Não desista no meio.

7. SIMPLICIDADE

“Simplicidade é a chave para algo brilhante.”

Vivemos em um mundo onde tudo é complexo e cheio de detalhes. Mas, ainda assim,
valorizamos o que é simples. Felicidade vem de dentro, do que sentimos não do que temos.
Precisamos desobstruir o caminho da felicidade, eliminar as superficialidades da vida, querer
cada vez menos não mais. As pessoas mais admiráveis que conheci (ou li) frequentemente
foram as mais simples e modestas também.

8. ENCONTRE O SEU CAMINHO

“Absorva o que lhe é útil, descarte o que não é, e adicione algo único.”

Quando começamos algo (seja a vida ou um curso técnico), precisamos ouvir, aprender e
observar. Dessa forma, absorvemos o conhecimento necessário para fazermos do nosso
jeito. Testando, vemos o que funciona conosco e o que não. Essas adaptações são cruciais
para criar um estilo próprio. Ao final, acrescente pequenos toques pessoais. Não viva à
sombra dos outros.

9. EGO

“Artes-marciais são principalmente fonte de auto-conhecimento. Um soco ou um chute


não é para arrancar os males do cara a sua frente, mas para arrancá-los seu próprio
ego, medo e obstáculos.”

Tudo que você faz envolve seu ego. É ele que fica assustado, sente medo e impede você de
fazer algo porque assim já está bom. Aprenda a controlar os seus próprios medos e convertê-
los em motivação, essa é a maior fonte de coragem.

10. COMECE AGIR


“Saber não é o suficiente, você tem que aplicar; querer não é o bastante, você tem que
fazer.”